Meu Feed

Últimos dias

PLENÁRIO - Sessão Deliberativa - 20/08/2019 - 19:51

PLENÁRIO - Sessão Deliberativa - 20/08/2019 - 19:51

Câmana dos Deputados PLENÁRIO - Sessão Deliberativa Veja Mais

Nvidia dá "banho" de Ray tracing em Minecraft; Veja o resultado

Nvidia dá

canaltech Quem joga Minecraft já está mais do que acostumado com a falta de realismo. Aliás, isso é algo que os fãs do jogo, de fato, nunca cobram. No entanto, a Nvidia e a Microsoft resolveram mudar um pouco isso e anunciaram que vão dar um pouco mais de realidade ao título, trazendo os poderes do ray tracing da placa RTX para um dos jogos mais populares do momento. "No Minecraft normal, um bloco de ouro aparece amarelo", disse Saxs Persson, do Minecraft. "Mas com o ray tracing ligado, você realmente consegue ver a mudança espetacular, como reflexos", complementa. Os desenvolvedores da Microsoft, Mojang e NVIDIA, adicionaram um tipo de ray tracing chamado "path tracing" à versão do jogo feita para o para Windows 10. Isso realisticamente simula uma variedade de condições de iluminação, incluindo fontes diretas de luz como o sol ou lava incandescente, sombras duras e suaves, iluminação global difusa, reflexos, refração e espalhamento atmosférico. O resultado final é ainda mais espetacular do que com outros jogos que receberam esta técnica, porque Minecraft é um jogo que já está bem longe de parecer realista. Para executar a nova atualização em tempo real, no entanto, você precisará ter um PC com Windows 10 equipado com uma das GPUs RTX da Nvidia. Como a Mojang recentemente cancelou seu "Super Duper Graphics Pack" para Minecraft no Xbox One X, o ray tracing parece ser a única maneira de obter gráficos melhores no jogo por enquanto. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/-   É preciso dizer que essa não é exatamente uma novidade bolada pela Nvidia e pela Microsoft. No início deste ano, a Digital Foundry exibiu um mod chamado Sonic Ether's Unbelievable Shaders, de Sonic Ether, criador do Minecraft. Seu shader também é um ray tracing e oferece muitos dos mesmos recursos que a nova atualização oficial das duas gigantes. Com Ray Tracing Sem Ray Tracing Na esteira da atualização do Minecraft, a Nvidia também anunciou ray tracing para novos jogos, incluindo Dying Light 2, o DLC de Metro Exodus, The Two Colonels, e SYNCED: Off Planet. Outros games também devem ganhar este benefício, como Call of Duty: Modern Warfare, Control, Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2, Watch Dogs: Legion e Wolfenstein: Youngblood. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Como ganhar na Bolsa com a retomada do consumo? Veja as 5 ações para ter agora

R7 - Economia Após a avaliação dos resultados das varejistas no segundo trimestre de 2019, o time de análise do Bradesco BBI revisitou as projeções para as ações das empresas do setor e identificou 5 delas com maior potencial. “Apesar de um 2º trimestre relativamente morno, continuamos a ver direcionadores setoriais favorecendo o Brasil com capacidade ociosa significativa […] Veja Mais

Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360)

Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360)

canaltech A linha Moto Z entrega o que há de melhor da Motorola após a compra desta pela Lenovo. Além disso, a linha se tornou famosa por ter aparelhos finos compatíveis com os Moto Snaps, que adicionam funcionalidades aos modelos. Até o Moto Z4, o consumidor podia contar com uma versão intermediária e pelo menos uma opção com um chip topo de linha, o que não aconteceu nesta geração. Pelo menos, não até o momento. Compatibilidade com Moto Snaps e espessura reduzida continuam presentes aqui, mas há uma mudança significativa: o Moto Z4 é um aparelho mais “maduro”. Há apenas uma versão com chip intermediário, que oferece tela 1080p e apenas uma câmera traseira. Desanimador, não? É o que veremos nas próximas linhas. Design e construção Apesar da identidade visual comum da linha Moto Z, o Moto Z4 está mais “gordinho”. Agora conta com 7.4 mm, contra 6.8 mm do Moto Z3, 6.1 mm do Moto Z2 Force e 5.2 mm do Moto Z original. O que não é algo ruim: não oferece o choque inicial “Nossa, que aparelho fino”, mas está muito longe de ser um modelo grosso. E quem ganha com isso é o usuário, que conta agora com uma bateria maior, como veremos logo mais nesta análise. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O Moto Z4 continua trazendo vidro frontal e traseiro com bordas de alumínio, uma receita testada e aprovada com o passar do tempo. Houve, naturalmente, polimentos gerais, como um maior aproveitamento da tela, que agora conta com 6.4 polegadas, contra 5.5 polegadas do Moto Z original. Isso aconteceu com a ajuda de dois fatores: notch minimalista para a câmera frontal e sensor de impressões digitais embutido na tela. O resultado? Quase 85% de aproveitamento frontal. A caixa de som foi para a parte de cima, junto com um microfone e a gaveta única do chip SIM e cartão micro SD (ou segundo SIM). Na parte de baixo temos o conector USB tipo C, outro microfone e uma entrada para fones de ouvido. Os controle de volume e botão de energia ficam do lado direito, e não há nada na lateral esquerda. Na parte de trás temos a câmera em alto relevo, algo bastante icônico na linha Moto Z. Ela conta com um “enfeite” até bacana, uma espécie de mosaico, que proporciona um efeito interessante quando reflete pontos de luz. Abaixo dela temos o logo da Motorola, com o conector dos Moto Snaps ficando na parte de baixo da traseira. No geral temos um refinamento visual aqui. O Moto Z4 se apresenta como um aparelho mais maduro, mas sem deixar o visual característico da linha. Chega como um aparelho mais “sóbrio”, por assim dizer, o que não ficou restrito ao visual. E claro, não podemos deixar de mencionar sua proteção P2i contra jatos de água e poeira. Tela e sensor de impressões digitais As primeiras versões do Moto Z (versões “não Play”)traziam tela Quad-HD (2560 x 1440), caindo para Full HD+ no Moto Z3 (2160 x 1080), estendendo para 2340 x 1080 no Moto Z4. Esse é um dos pontos mais criticados do Moto Z4 seus rumores começaram a circular. Visto como um modelo avançado, usar uma tela 1080p não parecia ser a melhor opção, já que os concorrentes trabalham com Quad-HD ou mesmo 4K. A densidade de pixels continua superior a 400 PPP, sendo impossível observar os pixels individualmente. Além disso, a tecnologia é OLED, com pretos absolutos e cores vívidas e bastante saturadas. Uma tela difícil de colocar defeito, diga-se, mas que naturalmente não concorre com as presentes em modelos como OnePlus 7 Pro e P30 Pro. De qualquer forma, ela é capaz de atender até mesmo usuários mais exigentes, algo que temos que frisar. O Active Display continua ativo, agora mostrando o símbolo de uma impressão digital, já que agora o sensor está embutido na tela. Sensor que funciona na maioria dos casos, ainda que esteja distante da velocidade (e praticidade) do sensor de impressões digitais físicos, presentes nas versões anteriores. Trata-se de uma tendência, porém, e é bom ver o Moto Z4 já trazendo esse recurso, hoje ainda restrito ao segmento top de linha. Configuração Quando o Moto Z4 foi anunciado com o Snapdragon 675, muitos acreditaram se tratar de uma versão Play, mas não é o caso. O Moto Z4 vem de fato com esses chip, e apenas uma opção com 4 GB de memória RAM. Sim, trata-se de uma configuração intermediária. Competente, mas intermediária, com o Snapdragon 675 sendo capaz de oferecer um desempenho muito próximo do Snapdragon 835. Ou seja, basicamente o mesmo desempenho do Moto Z2 e Moto Z3. Juntando esse chip com oas 128 GB de armazenamento interno, temos um smartphone capaz de executar praticamente qualquer tarefa sem grandes problemas. Jogos recentes mais pesados podem não rodar no máximo, mas são a exceção. E claro, temos o suporte para cartões micro SD de até 1 TB, compartilhando a gaveta do segundo chip SIM. O modelo que testamos estava recheado de apps da Amazon, como Alexa, Audible e Amazon Photos, e isso acontece pois, bom, adquirimos o modelo em uma Amazon americana. O Moto Z4 vem com outros apps pré-instalados, como o Instagram, mas no geral é uma instalação bastante limpa, com o Android praticamente puro. Claro, temos também os diferenciais da Motorola, como os gestos de câmera e lanterna. Em resumo, temos a experiência típica de um intermediário mais atual. Seu chip não decepciona, e os 4 GB de memória RAM acabam limitando um multitarefa mais intenso, mas ele atende bem à grande maioria dos cenários. Se fosse um carro, atenderia bem à maioria dos consumidores, mas não poderia competir em uma pista de corrida. Esta é reservada para os possantes - os smartphones avançados, no caso - enquanto o Moto Z4 é voltado para cenários “comuns”. Câmera Pera, uma câmera só? É isso mesmo? Sim, temos apenas uma câmera traseira, diferentemente do par encontrado no Moto Z3 e no Moto Z2 Force. Um problemão, certo? De forma alguma: trata-se de um sensor de 48 megapixels com abertura f/1.7 e estabilização óptica e HDR automático capaz de tirar excelentes fotos na grande maioria das situações. Sem HDR. Com HDR. Temos aqui o Quad Pixel, que usa 4 pixels para formar um com mais precisão, assim gerando uma foto de 12 megapixels com qualidade bastante acima da média. Experimentamos o Moto Z4 em diversas situações e não temos muito o que criticar, ainda que tenha ficado claro que ele não concorre com modelos top de linha. Nem é este o seu propósito, mas não decepciona quem está buscando um modelo intermediário de qualidade. Os vídeos podem ser gravados em 4K (2160p) e clipes em 1080p@fps também são um destaque. A qualidade do vídeo, especificamente, cai perceptivelmente em condições de baixa luz, granulando trechos mais escuros. O mesmo acontece com os vídeos da câmera frontal, que é também pode ser utilizada como desbloqueio de tela, mesmo não contando com um sensor de profundidade ou câmera TOF 3D. Foto tirada de madruagada. Ainda não estava tão claro quanto parece na foto, trabalho feito pelo pós-processamento. Câmera frontal. Esta tem 25 megapixels, suporta HDR e também usa o Quad Pixel para gerar imagens de 6 megapixels com alta qualidade e é capaz de gravar vídeos em slow motion com até 240 fps. No caso, em 720p, dentro do que é esperado para a categoria. Bateria e extras Outro ponto de “maturidade” aqui é a bateria. A linha Moto Z não é exatamente famosa por trazer baterias com grande capacidade, caso das primeiras gerações. Estas traziam menos de 3000 mAh, contra 3600 mAh do Moto Z4. O que é algo possibilitado, claro, pelo aumento da espessura, que trouxe de volta também a entrada para fones de ouvido. O que alguns poucos milímetros a mais podem oferecer de vantagem, não? Não podemos esquecer do carregamento rápido, aqui com potência de 15 watts (déjà vu?), capaz de carregar a bateria em menos de duas horas. Temos também o kit de conectividade completo aqui, com Wifi ac, Bluetooth 5.0, NFC e rádio FM. Ou seja, não deixa o usuário na mão, sendo compatível com as principais tecnologias do mercado. O Moto Z4 continua com proteção contra respingos, como dissemos há pouco, e bem que mereceria uma resistência contra água de forma definitiva. Snap 360 e outros A linha Moto Z nasceu com o diferencial de suportar os Moto Snaps, o que continua válido no Moto Z4. Testamos o modelo que vem com o Moto 360, câmera capaz de tirar fotos e gravar vídeos em 360 graus. O resultado? Muito bom, até, em ambos os casos. O funcionamento continua similar, bastante posicionar o Moto Mod na parte traseira até ele fixar automaticamente. Tudo é muito transparente, com a câmera já reconhecendo o módulo em poucos segundos, que já fica disponível no software de câmera. Todos os Mods continuam compatíveis, mas a grande novidade é que agora há um Mod que compatibiliza o Moto Z4 para funcionar com redes 5G. O aparelho em si é trabalha com 4G LTE, mas basta adicionar este Mod e utilizar em locais compatíveis com a rede. Não temos 5G no Brasil, pelo menos até a data de fechamento desta análise, mas é uma boa novidade por parte da Motorola, marcando o Moto Z4 como um modelo de transição. Conclusão O Moto Z4 chegou como um modelo intermediário um pouco mais avançado, agora com um posicionamento claro. A experiência que tivemos em nossos testes é a de uma mudança de postura, uma espécie de amadurecimento. Ele se apresenta como um modelo que busca oferecer uma experiência completa, sem grandes experimentos, e mira no consumidor que quer uma boa relação custo-benefício sem abrir mão de uma boa experiência. Por que dizemos “amadurecimento”? Menor preocupação em ser impressionantemente fino, oferecendo uma bateria com boa capacidade e a volta do conector de fones de ouvido, apenas uma câmera, só que suficiente para tirar fotos de qualidade, e sensor de impressões digitais embutido na tela, seguindo a tendência de mercado. Além disso, continua compatível com os Moto Mods, oferecendo a opção com 5G, mas não encarecendo o modelo colocando ela por padrão. Ou seja, um modelo que, apesar de não ser barato, se propõe a oferecer a melhor experiência possível. Nada de tirar a saída P2 com a desculpa de ser mais fino. Nada de instalar 2 ou 3 câmeras básicas para “lacrar” em comparativos de ficha técnica. Nada de cobrar a mais pelo 5G sem que essa tecnologia ainda seja bastante restrita. E também nada de tentar ser um “modelo avançado de entrada”: o foco aqui é o segmento intermediário, focando na boa relação custo-benefício. Testamos o Moto Z4 antes dele chegar ao Brasil. Encontramos ele na Amazon americana com preços próximos a US$ 500, cerca de R$ 2000 na cotação atual, incluindo o Moto Snap360 . Sabemos que a conversão não é direta, já que temos a tríade “custo Brasil + lucro Brasil + impostos” por aqui, mas é um modelo para lá de interessante se chegar com o preço justo por aqui. Vantagens Volta dos fones de ouvido e bateria maior; Tela de excelente qualidade; Configuração competente, dentro do segmento intermediário; Desvantagens Uma opção com 6 GB daria uma sobrevida ao modelo; Não encontramos uma opção mais acessível sem o Moto Snap360; Sem fones de ouvido; Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis Veja Mais

Missão indiana Chandrayaan-2 já está na órbita lunar

Missão indiana Chandrayaan-2 já está na órbita lunar

canaltech Lançada em julho, a missão indiana Chandrayaan-2 acaba de entrar oficialmente na órbita da Lua, e agora a nave se prepara para a alunissagem, o que fará com que a Índia se torne a quarta nação a pousar em nosso satélite natural (depois da Rússia, Estados Unidos e China), e será o primeiro país a levar um rover ao polo sul lunar. A informação foi confirmada pela própria ISRO (a agência espacial indiana) em seu perfil no Twitter. Lá, a agência diz: "Hoje (20 de agosto de 2019) depois da inserção na órbita lunar, a Chandrayaan-2 agora está em órbita. O módulo de pouso Vikram pousará suavemente na Lua no dia 7 de setembro de 2019". #ISROToday (August 20, 2019) after the Lunar Orbit Insertion (LOI), #Chandrayaan2 is now in Lunar orbit. Lander Vikram will soft land on Moon on September 7, 2019 pic.twitter.com/6mS84pP6RD -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- — ISRO (@isro) August 20, 2019 Mas, até lá, a Chandrayaan-2 continuará circulando nosso satélite natural, descendo gradativamente em sua órbita, até atingir uma distância de cerca de 100 quilômetros da superfície, quando enfim se preparará para o pouso. Então, o módulo de pouso se separará do orbitador, usando propulsores para frear durante a descida no polo sul da Lua. A missão leva consigo, além do módulo Vikram e do rover Pragyan, 14 cargas científicas, incluindo uma da NASA. A missão tem previsão de durar por cerca de um ano e, enquanto navegava pelo espaço, já nos enviou algumas belas fotos da Terra vista de longe. Esta é a segunda missão indiana na Lua: a Chandrayaan-1 orbitou nosso satélite natural em 2008, sem pousar, e operou por um total de 312 dias. Esta primeira missão lunar da Índia ajudou a confirmar a existência de água congelada na Lua, vale ressaltar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Zack Snyder mostrou sua versão de Liga da Justiça para Jason Momoa

Zack Snyder mostrou sua versão de Liga da Justiça para Jason Momoa

Tecmundo Considerado até então um rumor de bastidores, o corte final de Liga Justiça (2017) feito pelo diretor Zack Snyder realmente existe. Pelo menos é o que o ator Jason Momoa confirmou em um recente post na sua conta no Instagram.Na publicação, o intérprete de Aquaman aparece em um encontro com o diretor e o presenteando com uma câmera fotográfica para retribuir a gratidão pelo papel de herói da DC Comics. Porém, a surpresa está na legenda em que Jason Momoa agradeceu o cineasta por ter apresentado sua versão de Liga da Justiça.Leia mais... Veja Mais

Apple contra guerra comercial, Huawei Mate X turbinado – Hoje no TecMundo

Apple contra guerra comercial, Huawei Mate X turbinado – Hoje no TecMundo

Tecmundo Hoje, a gente vai falar de sobre os serviços de streaming da Disney e da Apple e da situação da operadora Oi no Brasil. Tem ainda o smartphone dobrável da Huawei, recursos da MIUI onze e Tim Cook descontente com Donald Trump. Pra não esquecer, deixa já o seu like da confiança aqui embaixo e se inscreva no canal se ainda não tiver feito isso.Leia mais... Veja Mais

Valor 1000: Infraestrutura, saúde e educação são pilares, diz CBMM

Valor Econômico - Finanças O investimento em infraestrutura é central para a retomada do país, avalia Eduardo Augusto Ayroza Galvão Ribeiro, presidente da CBMM Veja Mais

Paulo Guedes se reúne com senadores e apresenta propostas do novo pacto federativo

G1 Economia Após encontro com ministro, líder do governo disse que flexibilização dos orçamentos públicos e transferência de receitas a estados e municípios são eixos principais da proposta; entenda. O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, durante reunião nesta terça-feira (20) Marcos Brandão/Senado Federal O ministro da Economia, Paulo Guedes, se reuniu nesta terça-feira (20) com alguns senadores para detalhar as propostas da pasta sobre o chamado novo pacto federativo. Na semana passada, os líderes partidários decidiram dar andamento a propostas que tratam do tema e já estão no Congresso. São propostas de emenda à Constituição (PECs) e projetos de lei. De acordo com o presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o Senado quer aprovar descentralização de recursos para ajudar estados e municípios. Após o encontro com Paulo Guedes, nesta terça-feira, o líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), afirmou que o documento com detalhes das propostas será entregue pelo governo ao Congresso na próxima segunda-feira (26). Bezerra antecipou que o debate terá dois eixos principais: flexibilização dos orçamentos públicos; transferência de recursos da União a estados e municípios. Entre as propostas que compõem o novo pacto, estão: repasse de recursos federais oriundos da cessão onerosa do pré-sal e do Fundo Social (leia detalhes mais abaixo); extensão do prazo para o pagamento de precatórios de 2024 para 2028; regularização da chamada "securitização" de créditos aos estados; pagamento, pela União, de R$ 4 bilhões por compensações pela Lei Kandir e pelo Fex [fundo de exportação]. Segundo Bezerra Coelho, o governo exigirá como contrapartidas: "desjudicialização" de demandas dos estados contra a União; revogação da PEC que obriga o governo a criar uma linha de financiamento para o pagamento dos precatórios. 'Cessão onerosa' Mais cedo, nesta terça-feira, Davi Alcolumbre afirmou que a proposta sobre a "cessão onerosa" poderá ser votada na Casa já na próxima semana. O acordo de cessão onerosa foi fechado pela Petrobras com a União em 2010 e permitiu à estatal explorar 5 bilhões de barris de petróleo em campos do pré-sal na Bacia de Santos (SP), sem licitação. Em troca, a empresa pagou R$ 74,8 bilhões. O governo estima, porém, que a área pode render mais 6 bilhões de barris e quer fazer um megaleilão, que pode render R$ 100 bilhões aos cofres públicos. Ainda segundo Davi Alcolumbre: o relator, Cid Gomes (PDT-CE), já finalizou o parecer sobre o tema; a distribuição dos recursos pela União será de 15% para estados e 15% para municípios; a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) pode analisar o texto na semana que vem; em seguida, o plenário votará o assunto; o projeto deve ser enviado à Câmara posteriormente. Veja Mais

Comissão da Reforma Tributária apresenta texto inicial - 20/08/19

Comissão da Reforma Tributária apresenta texto inicial - 20/08/19

Câmana dos Deputados A Comissão Especial da Reforma Tributária (PEC 45/19) começou a discutir o texto da proposta com novas regras para pagamento e recolhimento de impostos no Brasil. O texto original sugere a unificação de cinco impostos. Conheça nossos termos de uso: http://www.camara.leg.br/internet/tvcamara/?lnk=TERMO-DE-USO&selecao=CONTEUDO&nome=termoUso Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU

Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU

canaltech Más notícias para os fãs do MCU: tudo indica que o Homem-Aranha não fará mais parte dos heróis do Universo Cinematográfico da Marvel. A notícia, revelada nesta terça-feira (20) pelo site Deadline, afirma que a Disney e a Sony não chegaram a um acordo sobre a divisão dos direitos do personagem e por isso a Sony - que possui todos os direitos sobre uso do Homem-Aranha e de todos os personagens dos quadrinhos do aracnídeo - decidiu por acabar com as negociações, não mais emprestando os direitos do personagem para a Marvel, o que o impediria de aparecer em qualquer filme dos Vingadores ou de contracenar com qualquer outro personagem do MCU. De acordo com as fontes que entraram contato com a Deadline, o motivo pelo fim das negociações seria o financeiro: enquanto a Marvel propunha um novo acordo de 50/50 - ou seja, Sony e Marvel bancavam cada uma metade dos valor necessário para a produção do filme, e depois repartiam pela metade também os lucros gerados -, que valeria não apenas para o próprio Homem-Aranha, mas também para o uso de todo o universo expansível do herói (o que abriria a possibilidade de o Venom de Tom Hardy e o Morbius de Jared Leto também aparecerem no MCU), a Sony faz questão de não mudar o acordo atual, onde a empresa banca todos os custos de produção do filme, decide quais personagens podem ou não fazer parte do MCU, mas permite que os executivos da Marvel decidam tudo o que for relativo ao longa (roteiro, escolha de elenco, diretor, etc), e ela recebe apenas 5% do valor bruto da bilheteria como compensação financeira, além de toda a arrecadação com as vendas de merchandising do herói (brinquedos, mochilas, lancheiras, canetas, etc) que tivessem alguma ligação com os filmes. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Briga pela custódia Para entender a disputa pelo personagem, é preciso voltar para o início da década de 1990. Com sérios problemas financeiros, a Marvel havia vendido os direitos de seus principais personagens para estúdios de cinema que quisessem, e a Sony comprou os direitos sobre o Homem-Aranha enquanto a Fox comprou os direitos sobre os X-Men e o Quarteto Fantástico. Na época, esses direitos foram vendidos sobre uma condição específica: caso qualquer desses estúdios ficassem dez anos sem lançar nenhum filme dos personagens, os direitos sobre eles voltavam para a Marvel. Senão, eles possuíam direitos totais sobre o universo desses personagens, e poderiam fazer o que quiser com eles sem consultar a editora. Assim, a Sony já tinha feito um sucesso inicial com a primeira trilogia do Cabeça de Teia (a de Tobey Maguire) e lançado outros dois filmes do personagem de sucesso bem menor (os do Andrew Garfield) quando a Marvel entrou em contato sobre a possibilidade de uso do personagem no MCU. Como na época tudo indicava que a empresa não teria o retorno esperado de bilheteria com um terceiro filme de Andrew Garfield, a Sony acabou “alugando” o uso do personagem para a Marvel e permitindo o uso dele junto com os Vingadores. Assim, foi o estúdio comandado por Kevin Feige que escolheu o atual intérprete do personagem (Tom Holland) e revitalizou a marca do Homem-Aranha nos cinemas, transformando-o em um dos principais personagens do MCU e deixando a entender que ele será a nova “cara” dos Vingadores depois dos acontecimentos de Guerra Infinita e Ultimato. Mas, caso as fontes da Deadline estejam corretas, a Sony já se sente segura o suficiente para levar o personagem sozinha daqui em diante, e acredita que não precisa mais do MCU e da Marvel para fazer do teioso um sucesso nos cinemas. Assim, a companhia estaria disposta a manter Tom Holland como o Aranha, mas trazê-lo para seu universo cinematógrafico próprio que, até então, possuía apenas vilões nenhum herói para chamar de seu. Claro, ainda há tempo de ambas as empresas chegarem a um acordo: nenhum dos próximos filmes da Marvel (o filme solo da Viúva Negra e o das entidades cósmicas conhecidas como Eternos) deverá ter a presença do Aranha, então as empresas têm pouco mais de um ano para retomarem as negociações e voltarem a partilhar os direitos do herói. Fontes de dentro da Marvel falam ainda que já existem planos para dois novos filmes do Homem-Aranha dentro do MCU, mas é bem provável que eles sejam cancelados caso as empresas não consigam se entender. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

CT News - 20/08/2019 (Celular da Oppo tem 4 câmeras e custa R$800 na China)

CT News - 20/08/2019 (Celular da Oppo tem 4 câmeras e custa R$800 na China)

canaltech Realme 5 e Realme 5 Pro têm 4 câmeras e bateria parruda // Mate X pode chegar com chipset Kirin 990 e câmera melhor // TCL terá smartphone dobrável já 2020 // Recall feita no exterior poderá ser obrigatória aqui no Brasil // Série de Keanu Reeves gera apagão em SP Ouça ao podcast. Veja Mais

Netflix lança seção de futuros lançamentos no catálogo

Netflix lança seção de futuros lançamentos no catálogo

Tecmundo A Netflix ganhará uma nova seção inicial de títulos que irão estrear na semana no catálogo. Em entrevista ao site Variety, o diretor de produto e inovação da companhia, Cameron Johnson, informou que recurso foi testado de modo bastante limitado, mas bem-sucedido até chegar ao aplicativo efetivamente. Seu objetivo é o manter os usuários do serviço de streaming cada vez mais atualizados sobre seus conteúdos favoritos.A função ainda receberá uma série de updates todos os dias e será exibida de forma diferente para cada conta cadastrada, ou seja, vai variar de acordo com os hábitos de cada pessoa na Netflix. Na atualização também será adicionado um botão de aviso para quando algum filme ou série de interesse chegar à plataforma. A solução mais viável era adicionar algum conteúdo na lista e aguardar sua estreia, mas agora já será possível receber alertas específicos sobre esses lançamentos.Leia mais... Veja Mais

Triste: “Homem-Aranha” está fora do Universo Cinematográfico da Marvel

R7 - Música Ah, não! A imprensa americana acaba de informar que a franquia Homem-Aranha está fora da Marvel. Segundo o portal Deadline, a Sony e a Disney não chegaram a um acordo para renovar a parceria que mantinha o personagem no MCU. No contrato que concebeu os filmes De Volta para Casa (2017) e Longe de Casa (2019), as produtoras dividiam os lucros dos longas -- ambos passaram a marca de 1 bilhão de dólares na bilheteria. Dessa forma, Kevin Feige deixa de supervisionar os filmes do herói, que agora voltam à Sony e devem 'se misturar' com o spin-off do vilão Venom, que ganhou seu primeiro filme em 2018. Apesar disso, o protagonista Tom Holland deve continuar no papel do herói, já que tem contrato para mais dois longas. O diretor Jon Watts também continua no posto. E agora? Os planos da Sony são de manter a equipe criativa dos longas feitos pela Marvel, levando também a produtora Amy Pascal, que trabalhou em Venom. Com isso, o futuro do Homem-Aranha nos cinemas fica incerto. Em Longe de Casa, filme mais recente, Peter Parker teve de lidar com a perda do Homem-Ferro (Robert Downey Jr.), virando quase um herdeiro para o bilionário. A mudança significa que, infelizmente, o herói deve 'sumir' de alguma forma do universo dos Vingadores. Que pena! Veja Mais

Intel lança seu primeiro chip de inteligência artificial

G1 Economia Tecnologia é resultado de investimento de mais de US$ 120 milhões em startups israelenses. Intel anunciou novo chip, com suporte a inteligência artificial, em Israel REUTERS/Mike Blake A Intel lançou nesta terça-feira seu mais recente processador, que será o primeiro a usar inteligência artificial e é projetado para grandes centros de computação. O chip, desenvolvido em Haifa, Israel, é conhecido como Nervana NNP-I ou Springhill e é baseado em um processador Ice Lake de 10 nanômetros que permitirá lidar com altas cargas de trabalho usando quantidades mínimas de energia, disse a Intel. A Intel informou que seu primeiro produto de inteligência artificial vem depois de ter investido mais de US$ 120 milhões em três startups de IA em Israel. "Para chegar a uma situação futura de ter 'inteligência artificial em todos os lugares', temos que lidar com enormes quantidades de dados gerados e garantir que as organizações estejam equipadas com o que precisam para usar os dados e processá-los onde forem coletados", disse Naveen Rao, gerente geral do grupo de produtos de inteligência artificial da Intel. Ele disse que o novo chip ajudará os processadores Xeon da Intel em grandes empresas, à medida que a necessidade de complicados cálculos aumenta com cada vez mais implementações de inteligência artificial. Veja Mais

Amazônia concentra metade das queimadas em 2019

Glogo - Ciência G1 mostra ainda a situação nos estados até 19 de agosto. A Amazônia concentra 52,5% dos focos de queimadas de 2019, segundo os dados do Programa Queimadas, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O Cerrado é responsável por 30,1%, seguido pela Mata Atlântica, com 10,9%. O G1 mostrou que o número de queimadas aumentou 82% em relação ao mesmo período de 2019 - de janeiro a 18 de agosto. Foram 71.497 focos neste ano, sendo que 13.641 ocorreram no Mato Grosso, 19% do total do país. Queimadas em 2019 Arte G1 Nesta segunda-feira (19), a cidade de São Paulo, parte do Mato Grosso do Sul e do norte do Paraná foram afetados pela fumaça que desceu das queimadas no Brasil, e também do Paraguai. A Bolívia, a Argentina e o Peru também têm focos de incêndio. No caso da capital paulista, uma nuvem mais baixa e carregada acabou aumentando a escuridão. O jornal "Abc Color", do Paraguai, noticiou um incêndio que começou durante o final de semana na reserva de mata nativa Três Gigantes, no Pantanal do país. Segundo a Secretária de Emergência Nacional, 70% do fogo, que se arrastou por 21 mil hectares, havia sido controlado até a manhã desta segunda-feira, mas a fumaça ainda era sentida em território brasileiro. Focos por país Dia do fogo No último dia 10 de agosto, grupos do sul do Pará organizaram o "Dia do Fogo". Durante o final de semana, fazendeiros passaram a anunciar as queimadas, revelação do jornal local "Folha do Progresso", da cidade de Novo Progresso. Imagem de satélite capturada pelo Inpe no dia 10 de agosto mostra fogo em Novo Progresso Programa Queimadas/G1 As medições do Inpe confirmaram o pico de queimadas (veja imagem acima). Novo Progresso, junto com o município de Altamira, liderou o número de focos durante aquele final de semana. As duas cidades também estão entre as mais atingidas neste mês. Mato Grosso O pesquisador do Programa Queimadas do Inpe, Alberto Setzer, diz que as queimadas na região do Mato Grosso são comuns, mas "neste ano queimam mais do que em anos anteriores". O calor e o clima seco contribuem para espalhar o fogo, que é causado, segundo ele, por ação humana não-intencional ou criminosa. "As medidas feitas por satélites são um excelente indicador do volume do fogo que está na vegetação. Temos consciência plena de que há um aumento no Mato Grosso" - Alberto Setzer, Inpe O Corpo de Bombeiros do estado está sobrecarregado. São 1,4 mil militares no Mato Grosso, sendo que 22 dos 141 municípios têm base dos bombeiros. Como o G1 mostrou acima, já são mais 13 mil focos de janeiro a agosto. "É humanamente impossível atender todas as ocorrências que chegam, se tivermos de 30 a 40 queimadas urbanas em um dia, por exemplo. Vamos atendendo até quando o efetivo der", afirmou o major Antônio Marco Guimarães ao G1 Mato Grosso. Mato Grosso enfrenta a pior temporada de queimadas em sete anos Amazônia e Cerrado O Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) publicou uma nota técnica a respeito das queimadas na Amazônia. Eles afirmam que o “fogo é um elemento comum na paisagem rural brasileira” e que “na Amazônia não é diferente”. O órgão também diz que as chamas costumam estar “diretamente relacionadas à ação humana”. De acordo com Setzer, tanto na Amazônia quanto no Cerrado o fogo é utilizado para a expansão da fronteira agrícola e também para a manutenção de áreas que já foram desmatadas. "No Cerrado, você tem um ponto que é muito importante ser mencionado e que muitas vezes causa confusão. O Cerrado é uma vegetação naturalmente adaptada ao fogo. Ela, na verdade, precisa do fogo para a sua manutenção. Se você não tiver fogo, as sementes não vão germinar, as espécies vão desaparecer". Segundo ele, o "fogo natural" do Cerrado ocorre com a ocorrência de raios, com uma frequência muito menor do que as queimadas causadas pelo homem. Veja Mais

PEC 045/19 - Comissão especial debate proposta de Reforma Tributária - 20/08/2019 - 14:48

PEC 045/19 - Comissão especial debate proposta de Reforma Tributária - 20/08/2019 - 14:48

Câmana dos Deputados Comissão Especial destinada a proferir parecer à Proposta de Emenda à Constituição nº 45-A, de 2019, do Srº Baleia Rossi e outros, que "altera o Sistema Tributário Nacional e dá outras providências" - Reunião Deliberativa - I - Audiência Pública Convidados BALEIA ROSSI, Deputado Federal e Autor da PEC nº 45/2019 - (Req. 16/19); e BERNARD APPY, Diretor do Centro de Cidadania Fiscal (CCiF) - (Reqs. 4, 11, 13 e 16/19). (Em atendimento ao Requerimento 4/19, do De... Veja Mais

VITÓRIA DO VERDÃO! Veja os melhores momentos de Grêmio 0x1 Palmeiras, pela Libertadores

VITÓRIA DO VERDÃO! Veja os melhores momentos de Grêmio 0x1 Palmeiras, pela Libertadores

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre esporte? Acesse nosso site! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP FOX Sports! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Libertadores #Grêmio #Palmeiras Veja Mais

Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares

Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares

canaltech Apesar de a Tesla ser uma montadora, a empresa também produz painéis solares desde que absorveu a SolarCity, em 2016, e tinha como uma das principais clientes a rede de varejo Walmart. Destaque para o termo “tinha”, pois parece que a relação entre as empresas acabou azedando. O Walmart processou a companhia de Elon Musk após sete de suas lojas terem pegado fogo, acusando a Tesla de negligenciar procedimentos de segurança e de entregar serviços que não atendiam aos padrões industriais, relatando detalhes como falhas no aterro de sistemas elétricos e solares. Além disso, o Walmart reclama também de painéis que apresentavam “defeitos visíveis”, bem como dos técnicos que realizavam a manutenção preventiva dos equipamentos, descrevendo-os como sendo pessoas que "não tinham o treinamento nem o conhecimento básico sobre a tecnologia de energia solar". -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Como forma de ressarcimento pelos prejuízos, a rede de varejo pede que a Tesla não apenas pague pelos danos causados pelos incêndios, como também exige a remoção dos equipamentos das mais de 240 lojas espalhadas pelos EUA. Considerando que Elon Musk vem se esforçando para viabilizar o negócio baseado em energia renovável, é muito provável que a sua empresa vá tentar lutar na justiça e minimizar a imagem negativa, mas, até o momento parece que a Tesla “queimou o filme” mesmo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Governo prevê repasses de R$500 bilhões para Estados e municípios

Governo prevê repasses de R$500 bilhões para Estados e municípios

R7 - Economia Previsão visa repartir parcela dos recursos de petróleo Joka Madruga/Estadão Conteúdo O governo federal previu repasses de cerca de R$ 500 bilhões em 15 anos a Estados e municípios no âmbito de várias iniciativas que vão compor o chamado pacto federativo, incluindo um PFF (Plano de Fortalecimento Federativo), que destinará aos entes parcela da União dos royalties e participações especiais do petróleo. A conta abarca, inclusive, a destinação de R$ 4 bilhões a mais aos Estados ainda neste ano advindos do leilão da cessão onerosa, numa tentativa de pacificar as reivindicações orçamentárias dos governadores ligadas à compensação pela Lei Kandir. O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, afirmou que todas as propostas que compõem o pacto deverão ser unificadas num único texto, a ser a encaminhado ao Senado até o início da próxima semana. Leia mais: Governo faz concessão a estados e municípios para passar reforma A ideia é chegar num texto de consenso que tenha autoria dos senadores para que a PEC (Proposta de Emenda Constitucional) comece a tramitar na Casa. Caso fosse diretamente enviada pelo Executivo ao Congresso, esse processo teria início na Câmara dos Deputados. Em reunião com senadores no gabinete do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), o ministro Paulo Guedes detalhou nesta terça-feira em apresentação as destinações previstas nos próximos anos. A previsão é que o PFF irá repartir com Estados e municípios uma parcela crescente dos recursos de petróleo, começando em 30% e chegando a 70% em oito anos. Com isso, a estimativa é de "R$ 6 bilhões a R$ 32 bilhões por ano", conforme dados da apresentação. Em entrevista após a reunião, Waldery afirmou a jornalistas que o compartilhamento não será restrito aos royalties do pré-sal, abarcando também os demais campos de petróleo. Dentre as outras iniciativas que compõem a conta total de 500 bilhões de reais, está ainda a divisão de R$ 25 bilhões de recursos que ainda serão levantados no leilão da cessão onerosa, previsto para este ano. Inicialmente, o governo previa repartir um total de R$ 21 bilhões com Estados e municípios, mas aumentou essa conta em R$ 4 bilhões somente para Estados para, com isso, tentar eliminar as discussões sobre o quanto efetivamente deve aos governadores pela Lei Kandir, que desonera as exportações de tributos estaduais. Pela perda de receita, os Estados requerem compensação à União, pleito envolto em embates históricos sobre os valores efetivamente devidos. Leia mais: Cotado para PGR quer padrão Lava Jato para Estados e municípios "Esses 4 bilhões a mais, relacionados aos R$ 21 bilhões, é como se tivéssemos fazendo um pagamento aos estados associado à Kandir/Fex (Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações", disse Waldery. "A discussão que temos com relação à lei Kandir se refere em eliminar qualquer dúvida sobre a necessidade da União compensar os Estados, seria extinguir a compensação", pontuou. Na prática, a União deverá ficar com cerca de R$ 48 bilhões líquidos do leilão da cessão onerosa, ante R$ 52 bilhões antes, já que do total de R$ 106,6 bilhões em bônus de assinatura do certame, ela deverá destinar outros R$ 33,6 bilhões à Petrobras. Questionado se os 4 bilhões de reais adicionais seriam um limite do que o governo federal estava disposto a abrir mão, Waldery respondeu que o montante corresponde a um valor "consensuado" que foi apresentado desta maneira em reunião com senadores nesta terça-feira. Segundo o secretário, a União vai impor condicionalidades para todos os repasses, no intuito de evitar que os recursos sejam usados por Estados e municípios para o aumento de salários, por exemplo. Ele acrescentou que a avaliação da equipe econômica é que agora haverá também oportunidade de discutir a inclusão de Estados e municípios na reforma da Previdência. Mais Medidas Na conta de R$ 500 bilhões, o governo também embutiu R$ 40 bilhões em garantia da União para os entes contratarem operações de crédito num prazo de quatro anos, iniciativa que está no chamado Plano Mansueto, projeto ainda pendente de votação no Congresso. Contudo, os recursos das garantias não sairão diretamente do caixa da União para os governos regionais, mas apenas viabilizarão os financiamentos, sendo eventualmente executados em caso de inadimplência. O governo também está prevendo um aumento de cerca de 50% dos recursos repassados aos entes por meio do Fundeb, voltado ao financiamento da educação. A ideia é que, a partir de 2021, os repasses anuais aumentem de R$ 13,3 bilhões para R$ 19,8 bilhões, com a fatia adicional sendo coberta com desvinculações de recursos dos fundos constitucionais do Norte, Nordeste e Centro-Oeste (FNO, FCO e FNE). "Parte desses recursos ainda será mantida, cerca de 40%, mas esses números são preliminares. O Congresso que vai dar o número final. Uma sugestão dada pela minuta do nosso texto é que uma parte seja mantida para os agentes financeiros que operam esses fundos, e que uma parte seja destinada para o Fundeb de forma a qual as mesmas regiões sejam beneficiadas", disse Waldery. Em outra frente, o governo prevê que mais R$ 1,5 bilhão a R$ 1,6 bilhão desses fundos sejam desvinculados para projetos de desenvolvimento, incluindo para obras de infraestrutura, mas desde que mantidas as regiões que já eram beneficiadas pelos fundos. Veja Mais

Câmara derruba MP que previa repasse de R$ 3,5 bilhões para a Eletrobras

G1 Economia Sem os recursos que iriam reembolsar a estatal por despesas de distribuidoras, governo pode ter prejudicados os planos de privatizar a empresa neste ano. A Câmara dos Deputados derrubou nesta terça-feira (20) a medida provisória que previa um aporte de R$ 3,5 bilhões para a Eletrobras a fim de compensar a estatal pelas despesas de distribuidoras de energia da estatal no passado. A proposta será arquivada. Os recursos seriam repassados até 2021. Sem a verba, os planos do governo de privatizar a empresa ainda neste ano podem ser prejudicados. Isso porque a empresa terá de assumir dívidas de subsidiárias, o que poderá afetar o preço de suas ações. Diante da derrubada, o líder do governo na Câmara, deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), anunciou no plenário que o governo pretende enviar ao Legislativo um projeto de lei para tratar da questão. Editada pelo presidente Jair Bolsonaro em abril, a medida já perderia a validade nesta quarta-feira (21), quando iria expirar o prazo de 120 dias que o Congresso Nacional tinha para aprová-la. Mesmo que a medida tivesse sido aprovada pela Câmara, ainda teria de passar pelo Senado – e não haveria tempo hábil. Pela Constituição, as MPs entram em vigor assim que publicadas no "Diário Oficial", mas, para virarem lei em definitivo, têm de passar por votações nas duas casas. Após 45 dias de tramitação, a medida provisória passa a trancar a pauta e tem prioridade na fila de projetos. Como já iria caducar nesta quarta, os deputados entraram em acordo na reunião de líderes da Câmara para rejeitá-la e, assim, destravar a pauta. Os parlamentares derrubaram a MP na primeira etapa de votação – na qual se analisa somente se não fere nenhum princípio constitucional– e não chegaram a discutir o mérito. Controversa, a privatização da estatal já havia sido encaminhada ao Legislativo pelo ex-presidente Michel Temer em 2018. Mas o texto sofreu resistência e não avançou. A intenção do governo anterior era vender ações da empresa para diluir a fatia governamental na companhia para uma posição minoritária. Lucro da Eletrobras sobe 305% no segundo trimestre Veja Mais

Ação da B3 deve despontar com queda de juros e aumento de volumes, diz Safra

R7 - Economia A equipe de análise do Safra elevou o preço-alvo para as ações da B3 (B3SA3) de R$ 36,50 para R$ 52 ao avaliar os ganhos futuros com o cenário de queda de juros e aumento dos volumes, revela um relatório enviado a clientes. Os analistas Luis F. Azevedo e Silvio Dória incorporaram às estimativas os resultados […] Veja Mais

Entrevista Monsta X

Entrevista Monsta X

R7 - Música O grupo de k-pop Monsta X se apresentou no Brasil em julho e conversou com o R7 antes do show. Veja Mais

Ferbasa: TRF exclui ICMS da base de cálculo do PIS e do Cofins desde 1997

R7 - Economia O TRF (Tribunal Regional Federal) determinou a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e do Cofins da Ferbasa (FESA4), informou a empresa por meio de comunicado enviado ao mercado nesta terça (20). Além disso, o tribunal também reconheceu o direito da companhia à compensação dos valores indevidamente recolhidos a título de PIS/COFINS sobre a […] Veja Mais

IPCA barateia linhas e muda riscos do crédito imobiliáriO

Valor Econômico - Finanças Banco privado deve oferecer opção com índice de preços, mas teme inflação Veja Mais

Ronda Rousey sofre acidente em filmagem e quase perde dedo da mão

Superesportes - Mais esportes Ex-campeã do UFC passou por cirurgia e assustou fãs com postagem Veja Mais

Valor 1000:Rodadas da ANP trazem previsibilidade aos negócios, diz PGS

Valor Econômico - Finanças No setor de óleo e gás, país também precisa manter a previsibilidade no negócio com estabilidade tributária, disse presidente da empresa Veja Mais

iPod Touch já está à venda no Brasil custando a partir de R$ 1.699

iPod Touch já está à venda no Brasil custando a partir de R$ 1.699

canaltech Quase um mês e meio depois de ser homologado pela Anatel, o novo iPod Touch, que já está disponível nos Estados Unidos há algum tempo, finalmente chegou ao Brasil. O iPad Touch de 2019 pode ser encontrado nas cores cinza espacial, prata, dourado, vermelho, rosa e azul, contando com armazenamento de 32 GB, 128 GB e 256 GB. A novidade conta ainda com chip A10 Fusion, trazendo uma experiência fluida e dinâmica, com detalhes gráficos mais ricos e reais, aprimorando também a eficiência da bateria. O novo iPod Touch roda o iOS 12 como sistema operacional no momento. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Imagem: Reprodução/Apple A tela do dispositivo é do tipo Retina com quatro polegadas. O aparelho pesa apenas 88 gramas e mede 6,1 mm de espessura, sendo ideal para carregar no bolso por onde o usuário for, sem incômodos. Ele possui também câmera frontal de 1,2 MP, e câmera traseira de 8 MP. Imagem: Reprodução/Apple Além de ouvir música, será possível aproveitar os jogos da App Store no aparelho com o vindouro Apple Arcade, além de também experimentar a tecnologia de realidade aumentada. Os preços, no entanto, não são nada agradáveis aqui no Brasil. A versão mais em conta, de 32 GB, sai por R$ 1.699, enquanto as versões com mais armazenamento custam R$ 2.499 (com 128 GB) e R$ 3.299 (256 GB). Você já pode adquirir o seu iPod Touch no site oficial da Apple. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Bradesco também pode lançar crédito imobiliário ligado ao IPCA, diz diretor

R7 - Economia RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Bradesco está preparado para oferecer aos clientes crédito imobiliário vinculado ao IPCA, caso haja demanda, disse nessa terça-feira o diretor de relações com investidores do banco, Leandro Miranda.Segundo o executivo é preciso saber se o tomador do crédito estaria disposto a ter esse tipo de crédito em função do histórico de alta inflação no Brasil. "Não sei se o cliente gostaria de ter um risco de inflação de 30 anos em virtude do histórico que temos no Brasil", disse Miranda a jornalistas. "De 12 anos eu acho viável porque há proteções de inflação através de derivativos, se quiser transformar em taxa fixa", acrescentou ele após de participar de reunião Apimec.As declarações foram feitas no mesmo dia em que a Caixa Econômica Federal anunciou uma nova linha de crédito imobiliário com taxa de juros atrelada ao IPCA.None (Por Rodrigo Viga Gaier) Veja Mais

Crítica | Em Ritmo de Fuga e sob overdose de cafeína

Crítica | Em Ritmo de Fuga e sob overdose de cafeína

canaltech A noção de ritmo no cinema pode parecer, às vezes, um tanto quanto particular demais. E é, porque depende da percepção individual de cada um. Já na música, o ritmo é normalmente parte essencial – predefinida – e, às vezes, ele é bem rígido (vide o metrônomo). A noção de ritmo musical é tão objetiva quanto a noção de ritmo cinematográfico é subjetiva. Ainda assim, o ritmo no cinema pode ser implacável: quando ele não acontece, não há como fingir – logo se cansa, perde-se o interesse pelos personagens, pela história... e o filme ruma para o esquecimento; quando ele acontece, as chances de permanecer na memória são enormes. Isso porque ritmo, tanto na música quanto no cinema, é repetição, é constância, e memorizar aquilo que é dito com uma cadência regular (ou repetidamente) é muito mais simples. Por sua vez, misturar linguagens artísticas não é algo fácil de soar com fluência. A forma de passar o conteúdo pode ser prejudicada por muitos fatores. Sendo assim, essa mistura geralmente não é realizada durante todo o filme. Amor Além da Vida (de Vincent Ward, 1998), por exemplo, mistura o cinema com as artes plásticas (a pintura) com uma sensibilidade absoluta, mas é pontual; é em determinada sequência que surge para abrilhantar o filme. Não é o caso de Em Ritmo de Fuga (disponível no Telecine Play), que trabalha duas linguagens em completa comunhão: cinema e videoclipe. No final das contas, o filme se vê emaranhado às músicas e acaba por ser um musical muito mais efetivo do que alguns que, de fato, são classificados no gênero de O Cantor de Jazz (de Alan Crosland, 1977 – o primeiro filme falado e com trilha sonora gravada e sincronizada, não por acaso um musical). Robin Williams em cena de Amor Além da Vida (Imagem: Universal Pictures) Cuidado! Daqui em diante a crítica pode conter spoilers! -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Videoclipe e live action de GTA A eficiência de Baby Driver – título original que traduzido soaria como uma espécie de continuação de Querida, Estiquei o Bebê (de Randal Kleiser, 1992) – está no domínio rítmico da montagem da dupla Jonathan Amos e Paul Machliss (companheiros do diretor Edgar Wright em seus filmes mais ágeis, como Scott Pilgrim Contra o Mundo). E tudo é esquematizado pela condução de Wright, que dá a impressão de ter escrito e dirigido o filme sob overdose de cafeína. Não deve ser à toa que Baby (Ansel Elgort) aparece comprando e levando cafés para os companheiros e, quando em certo ponto, sobra um copo, a fala é: “Deixa isso aí. A gente bebe.” Quem bebe é a gente, Bats (Jamie Foxx). Wright, inclusive, faz questão de eletrizar o início do filme com duas formas musicais diferentes: na primeira, ao revelar o tom do filme deixando uma roda de um carro reconhecidamente rápido tomar toda a tela, emenda um assalto armado no ritmo da pulsação da música escutada por Baby. Cada ação do grupo é sincronizada com o que sai dos fones de ouvido do motorista pela montagem e cada tomada de decisão dele (de Baby) é alinhada à cadência sonora. Os planos escolhidos por Wright são típicos de um videoclipe, ressaltando precisamente os elementos que soam musicais naquele conjunto e, ao mesmo tempo, apresentando a índole de cada personagem. A cena foi criada justamente a partir de um trabalho que ele dirigiu para o Mint Royale (que aparece rapidamente na televisão de Joseph – personagem de CJ Jones).   Logo depois, a segunda forma assume o filme como musical. Após uma perseguição de dar nó na cabeça – que evolui como se fosse um live action do game Grand Theft Auto (GTA) –, a trajetória de Baby passa por um plano-sequência que beira a fantasia. A música escutada pela personagem de Elgort enquanto caminha (e dança) pelas ruas é ilustrada nos grafites, nos lambe-lambes, em anúncios... tudo em uma sincronia à la Disney (no melhor sentido). O desenho de produção de Marcus Rowland (também de Scott Pilgrim Contra o Mundo) faz tudo parecer encaixado, em seu lugar, e, enquanto isso, a verdade que se instala é a de que Em Ritmo de Fuga tem o seu universo próprio e bem definido. Não há preocupação com a realidade, o que existe é a criação desse universo, que é único. "Uma perseguição que evolui como se fosse um live action de GTA." (Imagem: Sony Pictures Entertainment) Brega-romântico turbinado Por outro lado, o que é exposto acaba por ser bastante particular: o mundo de Baby. É tudo tão direcionado pela presença e atitudes do personagem que, em certo momento, para demonstrar a habilidade de leitura labial sobre-humana do moço, vê-se na visão subjetiva dele um silencioso discurso de Doc (Kevin Spacey) para, em seguida, acontecer uma demonstração de competência e segurança absoluta (de Baby consigo mesmo) e de confiança (de Doc para com Baby). Inclusive, a versão de Baby e Debora (Lily James) sobre o que é a vida, sobre o sonho compartilhado dos dois, é tão simples, ingênua e novamente fantasiosa que pede pela torcida do público: viajar livres e sem problemas pelo país com um carro que não podem pagar. O ar adolescente do casal se conhecendo, conversando e planejando o futuro é segmentado por pequenos plot twists bem significativos: o bilhete que ele repassa para ela discretamente, a ausência dele na fuga por motivos superiores, a visão da felicidade em preto e branco com um vento esvoaçante definindo a paisagem... tudo no relacionamento amoroso de Baby e Debora é brega-romântico; é quase uma versão turbinada de Hairspray: Em Busca da Fama (de Adam Shankman, 2007), cheirando a gasolina e turbinado pelo perigo de morte das situações. "O ar adolescente do casal se conhecendo..." (Imagem: Sony Pictures Entertainment) O fluxo constante O contraponto do romantismo adolescente permanece no casal que faz referência a Bonnie e Clyde: Darling (Eiza González) e Buddy (Jon Hamm) não somente caracterizam algo muito mais obsceno, mas são intensamente ligados ao crime, estão ali por gosto, salivando amor pelo que fazem. É interessante perceber como Wright se utiliza até mesmo de regras (que, claro, podem ser quebradas) do terror em sem terceiro ato – a partir da morte de Darling. É então que Em Ritmo de Fuga ganha contornos mais graves e a vingança passa a fazer parte da história, com a direção de fotografia de Bill Pope (mais um de Scott Pilgrim Contra o Mundo) abusando das luzes vermelhas – sobretudo nas expressões de um já perturbado Buddy. Se, antes, Wright flertara citando o clássico Halloween: A Noite do Terror (de John Carpenter, 1978), seu filme se encaminha exatamente para um terror (sempre recheado de ação e com um ritmo imparável) que prefere não brincar com as regras do gênero (talvez para marcar mesmo a utilização). Assim, morrem primeiro os “promíscuos”, permanecem vivos virgens e “santos”. Jon Hamm e o diretor Edgar Wright banhados pela luz vermelha de Bill Pope. (Imagem: Sony Pictures Entertainment) Com o terror instalado, partir para um final catártico acaba se tornando mais fácil, sendo a recompensa muito mais prazerosa. Aquela visão da felicidade em preto e branco ganha contornos reais. Novamente, após quase duas horas, o filme abraça a fantasia e revela a importância de saber contar uma história. Porque não importa se é brega, se é intenso, se é impossível... ou se é uma mistura de tudo isso e mais. O que importa é se a história funciona dentro do seu universo próprio (e dentro do mundo de Baby), se a linguagem consegue dizer algo ao público. Não foi por acaso que, um dia, Orson Welles disse: “O cinema não tem fronteiras nem limites; é um fluxo constante de sonhos.” E o fluxo constante de sonhos que é Em Ritmo de Fuga é inteiramente – do início ao fim – fundamentado pela arte mais ligada a qualquer prática cultural e humana: a música. Banhada em café. E é a gente que bebe. Em Ritmo de Fuga pode ser assistido pelos assinantes do Telecine Play. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Galaxy M30s surge em certificação e pode ter bateria monstra de 6.000 mAh

Galaxy M30s surge em certificação e pode ter bateria monstra de 6.000 mAh

Tecmundo A Samsung pode apresentar em breve outro smartphone intermediário que, segundo os mais recentes rumores, terá a bateria de alta capacidade de armazenamento como destaque.Segundo o site SamMobile, o aparelho é o Galaxy M30s, que seria uma versão levemente atualizada do Galaxy M30 — apresentado no início do ano e desde abril vendido aqui no Brasil. A informação veio a partir da certificação de um modelo da Samsung com o codinome SM-M307F/DS na organização Wi-Fi Alliance, que regulamenta a conectividade de novos eletrônicos.Leia mais... Veja Mais

Celular da Oppo tem 4 câmeras e custa R$800 na China [CT News]

Celular da Oppo tem 4 câmeras e custa R$800 na China [CT News]

canaltech Realme 5 e Realme 5 Pro têm 4 câmeras e bateria parruda // Mate X pode chegar com chipset Kirin 990 e câmera melhor // TCL terá smartphone dobrável já 2020 // Recall feita no exterior poderá ser obrigatória aqui no Brasil // Série de Keanu Reeves gera apagão em SP Assista ao vídeo. Veja Mais

KoRn estreará nova música em show virtual no game “AdventureQuest”

R7 - Música Os tempos são outros e agora o KoRn faz seus shows até dentro de jogos online. A banda vai 'tocar' hoje (20) nos MMORPGs AdventureQuest 3D e AdventureQuest Worlds, durante o lançamento de uma arena de combate dentro do jogo. A ação serve tanto para divulgar o game quanto o novo disco da banda, The Nothing, que chega no dia 13 de Setembro. Como informa a CoS, os jogadores receberão um 'ingresso mágico' para assistir à apresentação, e por lá eles poderão recolher materiais e lutar contra monstros enquanto o grupo liderado por Jonathan Davis manda ver no palco. Um comunicado diz: Entre no mosh pit mais brutal do mundo e faça história no game! A banda tocará no palco enquanto você derrota monstros, recolhe loot e ainda ouve uma canção inédita de 'The Nothing', novo disco do KoRn. O evento é gratuito e novos jogadores também poderão receber o ingresso para assistir. Além disso, a banda lançou um pacote com itens temáticos que podem ser adquiridos no jogo -- ele inclui um passe de backstage e até uma selfie com seu membro favorito. Que tecnologia! Veja Mais

Autor da proposta de reforma tributária sugere troca de crédito tributário por títulos da dívida

G1 Economia Economista Bernard Appy fez apresentação aos deputados da comissão especial que analisa o tema. Segundo ele, mecanismo pode ser incluído na PEC em tramitação na Câmara. O economista Bernard Appy, autor do texto da reforma tributária, durante apresentação aos deputados da comissão especial que analisa o assunto na Câmara Pablo Valadares/Câmara dos Deputados O economista Bernard Appy, autor dos estudos que servem de base para a reforma tributária em análise na Câmara, apresentou nesta terça-feira (20) aos deputados da comissão especial sobre o tema uma proposta de troca dos créditos tributários de empresas por títulos da dívida pública. A troca dos créditos tributários não consta da proposta de emenda à Constituição (PEC) em tramitação na Câmara, apresentada pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP), mas, segundo o economista, poderá ser incluída. Os créditos são devidos a empresas – especialmente as exportadoras – tanto pelo governo federal (nos casos de PIS e Cofins) quanto pelos estados (ICMS). São decorrência de impostos pagos a mais. De acordo com o economista, os títulos públicos gerados pelos créditos tributários seriam corrigidos pela Selic (taxa básica de juros da economia), definida pelo Banco Central (atualmente, em 6% ao ano). Ele informou ainda que esses títulos teriam prazo de pagamento longo, já que tanto o governo federal quanto os estados enfrentam uma crise fiscal e não teriam condições de quitar esses débitos rapidamente. Os títulos poderiam, entretanto, ser negociados no mercado, de forma a que a empresa recupere mais rapidamente os valores em créditos tributários devidos pelo governo. "Hoje, no Brasil, empresa como [a de um] exportador vende com alíquota zero, exporta com alíquota zero, mas ele comprou insumos que vieram tributados. Então, ele acumulou um saldo credor do imposto que, em qualquer país que tenha um bom imposto sobre valor adicionado, o governo devolve rapidamente o dinheiro para essa empresa que exportou", declarou. Segundo ele, no Brasil, em razão da crise fiscal, "tanto estados quanto a União criam grandes dificuldades para devolver esse dinheiro para os exportadores, que estão acumulando saldos credores altíssimos". Na apresentação aos deputados, Appy estimou que empresas exportadoras acumulam atualmente cerca de R$ 100 bilhões em créditos tributários apenas com créditos de ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços, tributo estadual). De acordo com o economista, pela proposta, os títulos da dívida emitidos pelos estados contariam com garantia da União – ou seja, se eventualmente o estado não pagar, o governo federal assume a dívida. Entenda as três propostas principais da Reforma Tributária As propostas em discussão A proposta de reforma tributária começou a tramitar na Câmara em maio, quando a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou a admissibilidade da proposta, ou seja, deu aval à tramitação por entender que a reforma está de acordo com a Constituição. Depois, em junho, foi criada a comissão especial que analisa o tema. A principal mudança prevista na proposta, de autoria de Bernard Appy e apresentada pelo deputado Baleia Rossi (MDB-SP), é a substituição de cinco tributos (PIS, Cofins, IPI, ICMS e ISS) por um único, intitulado Imposto sobre Bens e Serviços (IBS). Proposta de reforma tributária começa a ser discutida no Senado Outra proposta de reforma tributária está em tramitação no Senado. Essa foi apresentada em julho pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), com base em um texto elaborado pelo ex-deputado Luiz Carlos Hauly. A proposta – que chegou a ser aprovada no ano passado por uma comissão especial da Câmara – prevê a substituição de nove impostos por um: o Imposto Sobre Operações de Bens e Serviços (IBS). O governo federal também apresentará uma proposta de reforma tributária, que englobaria, em um tributo sobre o consumo, somente impostos federais. A equipe econômica também estuda um tributo sobre pagamentos, nos moldes da extinta CPMF, para desonerar a folha das empresas. Veja Mais

'007: No time to die': Produtores anunciam nome do próximo filme de James Bond, o 25º do espião

G1 Pop & Arte Anúncio do novo título foi feito nesta terça-feira. Filme estreia em abril. Elenco do novo filme de James Bond reunido na Jamaica Reprodução/Instagram "007: No time to die" ("007: Sem tempo para morrer", em tradução livre), será o título do próximo filme de James Bond, a 25ª parte da saga. O anúncio do novo título foi feito pelos produtores nesta terça-feira. A estreia será nos dias 3 de abril no Reino Unido e 8 do mesmo mês nos EUA. No fim de abril passado, o diretor do filme, o americano Cary Fukunaga, havia anunciado em um evento transmitido da Jamaica o elenco da nova aventura do lendário espião britânico e alguns detalhes da trama. Rami Malek, premiado este ano com o Oscar por sua interpretação do cantor Freddie Mercury em "Bohemian Rhapsody", interpretará o vilão do filme. Rami Malek concorre ao Globo de Ouro de melhor ator em filme de drama por 'Bohemian Rhapsody' Jordan Strauss/Invision/AP Ana de Armas, que em 2017 brilhou em "Blade Runner 2049" e no fim deste ano deve aparecer junto a Craig no thriller "Knives Out", será uma nova Bond girl. A filmagem começou há meses, mas sofreu vários contratempos, como uma explosão no estúdio britânico de Pinewood em junho e uma pequena cirurgia de Craig no tornozelo. A estreia do filme estava prevista para o fim de 2019, mas o projeto foi atrasado quando o veterano Danny Boyle - diretor de "Trainspotting - Sem limites" e "Quem quer ser um milionário?" - anunciou que sua saída por "diferenças criativas" com os produtores. Em setembro, os produtores anunciaram a contratação de Fukunaga, conhecido por ter escrito e dirigido a primeira temporada da série "True Detective", pela qual ganhou um Emmy em 2014. Veja Mais

Comissão da Câmara aprova projeto que regulamenta a acupuntura

Glogo - Ciência Texto segue para o Senado e define quem poderá exercer a atividade. Federação diz que decisão beneficia cerca de 160 mil profissionais. A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (20) um projeto que regulamenta a acupuntura no Brasil. O projeto tem caráter conclusivo, ou seja, seguirá direto para análise do Senado se não houver recurso de parlamentares para que o plenário da Câmara discuta o tema. Pelo texto, poderão exercer a acupuntura os profissionais: com diploma de nível superior em acupuntura expedido por instituição reconhecida; com diploma de graduação expedido por instituições exteriores (o diploma deverá ser validado e registrado); com diploma de nível superior na área de saúde com título de especialista em acupuntura reconhecido por conselho federal; portadores de diploma de curso técnico em acupuntura expedido por instituição reconhecida; sem diploma que comprovarem exercer a profissão há pelo menos cinco anos sem interrupção. De acordo com a federação que representa a categoria, cerca de 160 mil profissionais que poderão se beneficiar da regulamentação. Como foi a sessão Durante a sessão da CCJ, 20 acupunturistas se manifestaram a favor da aprovação do projeto. Segundo o presidente da Federação dos Acupunturistas do Brasil (FENAB), Afonso Henrique Soares, a decisão representa avanço. Crítico ao texto, o deputado Hiran Gonçalves (PP-RR) argumentou que a acupuntura é uma especialidade médica e precisa de conhecimento adequado para a prática. "Nós estamos tratando aqui, presidente, de uma especialidade médica. [...]. Nós estamos, ao tentar regulamentar a profissão de acupunturista para quem não fez medicina, dando o direito de uma pessoa que não tem conhecimento de anatomia, de fisiologia, de neuroanatomia, de neurologia, enfim, de conhecimento, de pré-requisitos necessários para que se pratique uma atividade que envolve inclusive procedimentos invasivos", disse o deputado. Em resposta, o deputado Gilson Marques (Novo-SC) defendeu o projeto e argumentou que o consumidor deve avaliar o profissional. "Tem duas óticas de fazer análise deste projeto. A ótica dos médicos e ótica dos pacientes e consumidores. Eu não tenho dúvida que, para os pacientes, é melhor nós aprovarmos esse projeto de lei. [...]. O que nós precisamos é abrir o mercado. Quem define qual é o bom trabalho, qual é o bom profissional, qual é o bom preço, quem tem mais atendimento, é o consumidor, é o cliente", afirmou. Veja Mais

Matrix 4 é confirmado com Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss

Matrix 4 é confirmado com Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss

Tecmundo Depois de muitas especulações, a Warner confirmou que irá trabalhar no quarto filme da franquia Matrix. O filme, que não teve título divulgado, Keanu Reeves e Carrie-Anne Moss repetem os papéis de Neo e Trinity, respectivamente. Lana Wachowski também retorna como diretora e roteirista. Um boato chegou a circular que o ator Michael B. Jordan poderia aparecer numa sequência, mas a informação não foi confirmada até o momento.A sequência contará ainda com David Mitchell e Aleksandar Hemon co-escrevendo o roteiro. O filme será rodado no primeiro semestre de 2020, mas não há detalhes sobre data de lançamento nem sinopse.Leia mais... Veja Mais

Investidor estrangeiro deve voltar a partir de 2020, avalia Bradesco

Valor Econômico - Finanças Fluxo externo na B3 acumula maior saída desde 1996, com perda de R$ 19 bilhões Veja Mais

Atrasado, foguete SLS da NASA pode começar a voar apenas em 2021

Atrasado, foguete SLS da NASA pode começar a voar apenas em 2021

canaltech O cronograma atual do primeiro lançamento do Space Launch System (SLS), novo foguete para lá de poderoso da NASA, permanece inalterado, com previsão de que seu voo inaugural aconteça em 2020. Contudo, empresas que trabalham na construção do equipamento já estão dizendo que este primeiro voo deverá acontecer apenas no início de 2021. O SLS é fundamental para o sucesso do programa Artemis (marcando o retorno de astronautas à Lua desde o fim do programa Apollo nos anos 1970), com a missão Artemis-1, orbital e não tripulada, tendo previsão de acontecer no ano que vem, já com dois anos de atraso se considerar os planos iniciais da NASA para o SLS. Contudo, a data de lançamento da Artemis-1 também está em revisão, pois todo o cronograma está afetado. Conceito do SLS na plataforma de lançamento (Imagem: NASA) As empresas que vêm trabalhando no desenvolvimento do SLS deram esta previsão nada animadora de um primeiro voo acontecendo só em 2021 usando como base o status do andamento do trabalho, pois ainda faltam muitas etapas para completar a construção do foguete. Essa informação foi revelada na segunda-feira (19), durante um fórum de energia e propulsão realizado pelo Instituto Americano de Aeronáutica e Astronáutica, nos EUA. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Vale lembrar que a NASA já dispensou a construção de uma versão ainda mais poderosa do SLS para se concentrar numa versão menos potente, porém com construção mais acelerada, e também considerou dispensar um teste importante para que um primeiro lançamento aconteça mais rapidamente. De qualquer maneira, com tanta pressão política por parte do governo dos EUA, dificilmente a missão Artemis de 2024, esta que marcará o novo pouso de humanos na Lua, será postergada. E, bem, na verdade, atrasar o lançamento da Artemis-1 do final de 2020 para o início de 2021 não representará muitos problemas na prática, pois a Artemis-2, a primeira tripulada (porém, ainda em caráter de testes e sem pouso na Lua), continua prevista para acontecer em 2022. "Se a Artemis-1 for lançada em meados de 2021, não haverá impacto na Artemis-2. Este é um plano realista", garantiu Jim Bridenstine, administrador da NASA. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Brasil apresenta melhora no impacto científico, mas segue abaixo da média

Brasil apresenta melhora no impacto científico, mas segue abaixo da média

canaltech Em 2016, o Brasil atingiu sua melhor marca de impacto da pesquisa científica dentro de um período de 30 anos, com a pontuação de 0,92. Nesta segunda (20), o Ministério da Educação (MEC) divulgou que o país chegou pertinho da sua melhor marca, alcançando 0,89. Em relação à própria pontuação, o Brasil representa um avanço. No entanto, comparado com os outros países, ainda se encontra bem abaixo da expectativa, já que a média mundial é 1 ponto. Os dados são de uma base de dados administrada pela organização Clarivate Analytics chamada Web of Science. A Web of Science é responsável por trazer informações em torno da relevância das pesquisas produzidas. Segundo o site da instituição, a plataforma “segue um rigoroso processo de avaliação, você pode ter certeza de que apenas as informações mais influentes, relevantes e credíveis serão incluídas, permitindo que você descubra a sua próxima grande ideia mais rapidamente”. Ao longo de 30 anos, nosso país não chegou a atingir a média mundial. No entanto, tudo aponta que o Brasil está avançando a passos delicados. Aumentar o nível de impacto científico é, inclusive, uma das maiores metas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao MEC. Essa é uma das razões por trás de iniciativas do MEC como o Future-se, programa destinado a aumentar a autonomia financeira de universidades e institutos. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- O MEC aponta que o país atingiu o resultado atual em um momento em que se faz necessário contingenciar recursos das mais diversas pastas do governo federal, e que a gestão tem sido feita de forma a priorizar partes do orçamento e o que de fato funciona. “A expectativa é que o índice aumente, pois temos políticas voltadas para o que de fato tem impacto científico”, afirma o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Por sua vez, o presidente da Capes, Anderson Correia, observa: “O resultado indica que as políticas implementadas pela Capes no sentido de promover melhorias na avaliação e na racionalização do financiamento estão surtindo resultado”. Contudo, é preciso lembrar que o Brasil está à beira de sofrer um dos maiores golpes já dados contra a ciência em nosso pais, pois mais de 80 mil bolsas do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) estão em vias de serem suspensas por falta de verbas. O órgão anunciou na semana passada que, a partir de setembro, não terá mais dinheiro para pagar os bolsistas, e a medida ocorre por conta da recusa do governo brasileiro de liberar os R$ 330 milhões que foram congelados em março pelo orçamento geral. Então, basicamente, o dinheiro do CNPq acabou e, caso a verba não seja mesmo liberada nas próximas semanas, o órgão poderá manter a agenda de pagamentos dos pesquisadores até o fim do ano, apenas. Até o momento, não há movimentação alguma indicando que essa liberação da verba congelada vá acontecer. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Caixa deve originar R$ 10 bi em crédito pelo IPCA, diz presidente

Valor Econômico - Finanças Pedro Guimarães disse que banco identificou demanda para pelo menos R$ 30 bilhões na modalidade Veja Mais

Hackers replicam site de VPN e espalham trojan bancário

Hackers replicam site de VPN e espalham trojan bancário

canaltech Para quem entende um pouco de segurança da informação, é sabido que a VPN é uma das formas mais utilizadas para evitar deixar rastros na internet e também para acessar sites de outras regiões do planeta de um jeito mais eficiente. Todavia, foi descoberto recentemente que cibercriminosos conseguiram replicar a página oficial de uma das VPNs mais utilizadas no mundo para espalhar um trojan bancário conhecido como Win32.Bolik.2. Pelo visto, os mal-intencionados criaram uma cópia praticamente perfeita da página da NordVPN, de forma que o site contava até mesmo com certificados digitais importantes, como o SSL. Dessa forma, os usuários realizavam o download da NordVPN falsa imaginando que estavam baixando a versão segura do programa, sem saber que estavam trazendo aos seus computadores um malware perigoso. Todo o golpe foi descoberto por pesquisadores do Doctor Web, que explicam que o Win32.Bolik.2 é um tipo de vírus polimórfico, com habilidades de interceptar o tráfego de informações, roubar dados sensíveis e, principalmente, obter informações bancárias das vítimas. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Um ponto de alívio nessa história é que, de acordo com os pesquisadores, o site falso foi desenvolvido com o intuito de atacar usuários que possuem o inglês como a língua principal. Assim, os brasileiros podem ter tido a sorte de ter “escapado” desse perigo. Por via das dúvidas, é sempre importante verificar se a página que está acessando é, de fato, a oficial. Site oficial do NordVPN (Imagem: Doctor Web) Site falso do NordVPN, desenvolvido por hackers (Imagem: NordVPN) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Grêmio 0 x 1 Palmeiras: Verdão larga na frente na decisão da Libertadores; veja as entrevistas!

Grêmio 0 x 1 Palmeiras: Verdão larga na frente na decisão da Libertadores;  veja as entrevistas!

Fox Sports Brasil O Palmeiras venceu o Grêmio no primeiro jogo das quartas de final da Libertadores. Confira o pós-jogo, com entrevistas e comentários da equipe do FOX Sports. Quer saber tudo sobre esporte? Acesse nosso site! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP FOX Sports! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Libertadores #Grêmio #Palmeiras Veja Mais

Nova linha vai criar 500 mil moradias adicionais por ano, diz MRV

Valor Econômico - Finanças Para mercado de incorporação, crédito atrelado ao IPCA é novo marco para setor Veja Mais

FT: Inteligência artificial promete facilitar investimento sustentável

Valor Econômico - Finanças Vantagem está na capacidade elevada das máquinas de analisar volume grande de dados em um setor onde há dificuldade de encontrar informação Veja Mais

Oi precisa vender ativos para sobreviver, avalia Bradesco

R7 - Economia A indefinição sobre como a Oi (OIBR3; OIBR4) conseguirá levantar até R$ 2,5 bilhões para assegurar as operações nos próximos meses elevou o risco de execução do plano estratégico da tele, avalia o Bradesco BBI em um relatório enviado a clientes nesta terça-feira (20). De acordo com o Estadão, a empresa recorreu aos bancos para […] Veja Mais

MRV: Nova modalidade de crédito imobiliário da Caixa beneficia diversificação

R7 - Economia Em comunicado ao mercado, a MRV afirma que a nova modalidade de crédito apresentada pela Caixa Econômica Federal beneficia e comprova o momento correto da decisão da companhia de diversificar seus produtos.A companhia ressalta que o anúncio da Caixa ocorre no momento em que foram elevados os lançamentos com recursos da poupança, que passará a oferecer financiamentos capazes de concorrer com a faixa 3 do programa Minha Casa Minha Vida."Com isso, acreditamos que o anúncio do financiamento atrelado ao IPCA apresenta uma excelente oportunidade de expansão mercadológica para a companhia", afirma a MRV.Mais cedo, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, anunciou o lançamento de linhas de crédito com o IPCA - o índice oficial de inflação - como indexador, no lugar da TR. Com isso, os juros cobrados serão menores. Veja Mais

Valor 1000: Reformas ajudarão competitividade, diz ISA Cteep

Valor Econômico - Finanças A estabilidade das regras é outro ponto fundamental para viabilizar as apostas de longo prazo que a companhia faz no país Veja Mais

É corvo ou coelho? Imagem confusa está dividindo as opiniões na internet

É corvo ou coelho? Imagem confusa está dividindo as opiniões na internet

Tecmundo Se você já passou pela fase do vestido azul e preto ou branco e dourado, do tênis que podia ser rosa ou verde ou do áudio que alguns ouviam como “yanny” e outros como “laurel”, chegou a vez de 2019 estrear seu grande mistério na internet que vai dividir a opinião das pessoas.Um curto vídeo publicado no Twitter mostra uma pessoa acariciando um animal que, segundo a legenda, é um coelho. Mas uma olhada um pouco mais duradoura pode nos fazer enxergar, na verdade, um vistoso corvo preto.Leia mais... Veja Mais

Valor 1000: Guerra comercial pode afetar empresas, diz Copersucar

Valor Econômico - Finanças João Roberto Teixeira indicou que a deterioração do cenário externo tem potencial para afetar a economia brasileira Veja Mais

Plantio irrigado aumenta mais de 200% em MT nos últimos nove anos, diz IBGE

G1 Economia São quase 80 mil hectares de irrigação em todo o estado, somente em 2019. Sema emitiu mais de 200 licenças para implantação de pivô em propriedades rurais em 9 anos. Plantio irrigado cresce mais de 200% em MT Reprodução/TVCA Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística apontam que plantio irrigado aumentou 214%, nos últimos 10 anos, no estado. Atualmente, a agricultura irrigada ocupa uma área de quase 80 mil hectares. Dividida em culturas a distribuição de áreas é a seguinte: Algodão - 5.944 ha Arroz - 4.360 ha Feijão - 65.864 ha Milho - 3.767 ha O gráfico abaixo representa a evolução da agricultura irrigada no estado, em hectares. Dados são referentes a julho deste ano. 
A Secretaria Estadual de Meio Ambiente (Sema) é a responsável por liberar as licenças de funcionamento para este tipo de sistema. Nos últimos nove anos liberou 227 licenças , mas apenas 198 estão vigentes. Desde 2014 as licenças vencem num prazo de seis anos. Depois disso, é preciso fazer a renovação de uso. 
 Entretanto, alguns fatores impedem que o plantio irrigado cresça ainda mais. Entre eles, a energia elétrica. Por isso, muitos produtores costumam fazer a irrigação de maneira alternada e controlada. Produtores investem em irrigação para driblar as condições climáticas Reprodução/TVCA Em uma propriedade rural de Campo Verde, a 139 km de Cuiabá, a irrigação é utilizada há dezessete anos. Porém, o pivô, equipamento usado para distribuição da água, é desligado entre os meses de junho e agosto para gerar economia na conta. Com essa atitude, o produtor deixa de cultivar a chamada terceira safra. Em compensação, chegar a economizar cerca de R$ 200 mil em energia elétrica. Em outra fazenda, também em Campo Verde, são mais de 300 hectares, onde são cultivados a soja, o milho e algodão. Entretanto, o plantio entre os meses de agosto e setembro, só é possível com a ajuda dos pivôs. Agricultores afirmam que irrigação permite mais produção com maior tranquilidade Reprodução/TVCA De acordo com o proprietário da fazenda, Sandro Gutierrez, a irrigação proporciona um certo conforto ao agricultor, porque não fica dependente apenas do período de chuva. "A gente tem o conforto de fazer uma programação de plantio e conseguir bom resultado na germinação. Possibilita também o plantio de três culturas no ano, sem preocupação com a umidade de solo e desenvolvimento da planta

", comentou ele. Dos dados da Agência Nacional de Águas (ANA) são diferentes do IBGE. Para a ANA, Mato Grosso ocupa a quinta posição na instalação de pivôs em lavouras. Ainda segunda a agência, nos últimos 17 anos o crescimento da área irrigada foi de 751% com mais de 113 mil hectares. E a tendência é que cresça ainda mais. Veja Mais

MEC afirma que um terço das vagas de residência médica estão ociosas - 20/08/19

MEC afirma que um terço das vagas de residência médica estão ociosas - 20/08/19

Câmana dos Deputados A situação dos médicos residentes foi objeto de uma audiência pública na Câmara dos Deputados. Conheça nossos termos de uso: http://www.camara.leg.br/internet/tvcamara/?lnk=TERMO-DE-USO&selecao=CONTEUDO&nome=termoUso Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Foo Fighters: esse molequinho arrasou dançando “All My Life” em show; assista

R7 - Música A atual turnê do Foo Fighters pela Europa passou por Belfast ontem (19) e por lá a banda tocou um dos seus clássicos. Durante 'All My Life', Dave Grohl convidou um simpático moleque de 5 anos de idade para mostrar à plateia como é que se dança e ele não apenas deu conta do recado como mostrou que nasceu pra fazer isso. Você pode assistir ao vídeo logo abaixo! LEIA TAMBÉM: Foo Fighters tenta tocar 'Scar Tissue' do Red Hot Chili Peppers em show Foo Fighters em Belfast 2019 - Setlist The amazing moment the @foofighters invite 5 year old Belfast fan Taylor up on stage, his first ever concert, and he absolutely killed it!!!!  @BelfastVital #CoolSaturdayShow pic.twitter.com/qPeW2pco4s — Stuart Robinson (@stuartrobinson1) 19 de agosto de 2019 Run Learn to Fly The Pretender The Sky Is a Neighborhood Times Like These Drum Solo Sunday Rain My Hero These Days La Dee Da Walk Boys are Back In Town/Hocus Pocus Under Pressure (Queen cover) All My Life I'll Stick Around Wheels Big Me Monkey Wrench Hey, Johnny Park! Best of You Dirty Water This Is a Call Everlong Veja Mais

As gêmeas siamesas que não param de surpreender os médicos

Glogo - Ciência Aos 3 anos, as irmãs Marieme e Ndeye superaram previsões e aprenderam até a se movimentar. Médicos acreditavam que Marieme e Ndeye não sobreviveriam BBC Os prognósticos eram os piores. Os médicos não achavam que Marieme e Ndeye iriam conseguir viver por muito tempo. (Assista ao vídeo) Gêmeas siamesas, elas nasceram em maio de 2016, no Senegal, na África Ocidental. São muito poucos os bebês que nascem com essa condição, e a maioria é natimorto ou morre poucos dias depois do parto. Agora com três anos, elas continuam se desenvolvendo e vão entrar numa creche de tempo integral, no Reino Unido, onde vivem com o pai. Em janeiro, cirurgiões chegaram a considerar uma tentativa de separá-las. Mas descobriram que isso seria impossível. Na época, o pai delas, Ibrahima Ndiaye, chegou a ser consultado se tentaria salvar uma das filhas (Ndeye, com o coração mais forte) ou se deixaria as duas morrerem. "Tanto o coração quanto a circulação delas estão completamente interligados. Assim como Marieme tem dependido de Ndeye, Ndeye também depende de Marieme para sobreviver", explica agora a pediatra Gillian Body. A condição das meninas é tida como irreversível e deve limitar a vida delas. Atualmente, Marieme e Ndeye brincam algumas horas por semana com outras crianças e aprenderam a se movimentar. "Eu as coloquei no chão, esperando que se sentassem corretamente, e de repente percebi que estavam se movimentando. Eu disse: 'Oh, Deus, foi isso que pedi todos os dias para acontecer'", contou Ibrahim Ndiaye. Por enquanto, as duas seguem desafiando as previsões. Veja Mais

TIM agora envia a sua fatura do telefone direto pelo WhatsApp

TIM agora envia a sua fatura do telefone direto pelo WhatsApp

Tecmundo A operadora TIM anunciou uma nova função automatizada que pode ser feita pelos clientes sem sair do WhatsApp. A partir de agora, você pode pedir uma cópia da sua fatura de planos pós-pagos usando um bot no mensageiro.Tudo o que você precisa fazer é adicionar o número (41) 4141-4141 na sua agenda de contatos e, dentro de um chat, enviar somente a mensagem "FATURA" (sem as aspas). A resposta aparece imediatamente e inclui o valor, a data de vencimento e até o código de barras digitado, para facilitar o pagamento em aplicativos bancários. Como medida de segurança, o cliente precisa colocar os quatro primeiros números do CPF para desbloquear o arquvo.Leia mais... Veja Mais

Fumaça de queimadas na Amazônia escurece cidades do Centro-oeste e Sudeste

Fumaça de queimadas na Amazônia escurece cidades do Centro-oeste e Sudeste

Tecmundo Segundo informou a empresa de meteorologia MetSul, a fumaça proveniente de queimadas na região amazônica está sendo carregada pelo vento desde a manhã de hoje (19) na direção da região Sudeste do país. Diversas cidades na faixa que vai do sul da floresta até o litoral do Paraná e de São Paulo relataram um escurecimento anormal do céu e um tom amarelado bastante incomum.Conforme relataram diversos seguidores da MetSul nas redes sociais, cidades como Londrina e Maringá, no Paraná, e Campo Grande, no Mato Grosso do Sul foram cobertas por uma camada de fumaça que escureceu os céus juntamente com a nebulosidade causada pela frente fria que estacionou na região. O aeroporto da capital sul-mato-grossense relatou visibilidade de apenas 6 mil km.Leia mais... Veja Mais

Expressão Nacional - Gestão das Universidades Federais

Expressão Nacional - Gestão das Universidades Federais

Câmana dos Deputados O Ministério da Educação lançou em julho o “future-se”.Segundo o governo, a ideia é melhorar as condições administrativas e financeiras das universidades federais. Mas professores, reitores e alunos identificam no programa uma ameaça à autonomia de gestão das universidades. Polêmico, certo? Então, está no Expressão Nacional. Eu espero você na terça, às 9 da noite, ao vivo, na TV Câmara e nas redes sociais. Convidados: Pedro Uczai (PT/SC). Facebook: https://www.facebook.com/PedroUczai/  Twitter: @uczai Tiago Mitraud (NOVO/MG). Facebook: https://www.facebook.com/TiagoMitraud/  Twitter: @TiagoMitraud João Carlos Salles, Presidente da Associação dos Dirigentes das Universidades Federais – ANDIFES.  Facebook: https://www.facebook.com/andifes0/  Twitter: @Andifes Wagner Vilas Boas de Souza, Diretor de Desenvolvimento da rede de Instituições Federais de Ensino Superior do Mec.  Facebook: https://www.facebook.com/ministeriodaeducacao/  Twitter: @MEC_ComunicacaoDivulgação pelo Facebook @tvcamara e Whatsapp (61) 99620.2573.Apresentação: Maristela Sant’Ana. Veja Mais

Aplicativos espiões são tirados da Play Store após polêmica; Entenda!

Aplicativos espiões são tirados da Play Store após polêmica; Entenda!

canaltech Existem muitos serviços que, embora oferecidos de maneira prática e ao alcance de todos na Internet, são ilegais ou, no mínimo, antiéticos. A exemplo disso, foram descobertos recentemente sete aplicativos que tinham como finalidade rastrear todas as atividades de outras pessoas em seus smartphones. As vítimas geralmente eram cônjuges, filhos ou até mesmo funcionários de quem baixava os apps, que estavam totalmente disponíveis na Play Store, a loja de aplicativos da Google. Os responsáveis pela descoberta desses aplicativos são especialistas que detectam ameaças em dispositivos móveis a serviço do Avast. De acordo com um relatório divulgado por eles, mais de 130 mil pessoas já haviam baixado os apps em questão via Play Store. Como os aplicativos espiões funcionavam Para o correto funcionamento desses apps, era necessário que eles fossem também instalados via Play Store nos smartphones das vítimas. Após a instalação, todas as informações desses aparelhos eram registradas e podiam ser acessadas pelo celular de quem queria ter acesso a elas. O espião podia ter acesso a aplicativos de mensagens instantâneas das vítimas, como o WhatsApp. Além disso, era possível ver sua lista de contatos, SMS, histórico de chamadas e localização. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Aplicativos espiões foram retirados da Play Store (Imagem: Getty Images) Aplicativos ajudavam stalkers A palavra “stalker” serve para designar uma pessoa que persegue e vigia uma outra de forma obsessiva, o que pode resultar em ataques ou agressões. Em alguns estados dos EUA, a prática de stalking é considerada crime passível de detenção. Já no Brasil, o ato é assunto de controvérsias, pois pode ser configurado como contravenção penal (com pena de 15 dias ou multa) quando não há ameaça direta à integridade da vítima, ou como crime, quando é acompanhado por injúria, difamação, assédio ou, em casos mais graves, agressão ou tentativa de homicídio. No entanto, atualmente há há um projeto em vigor no Senado que busca tornar o stalking e o cyberstalking (perseguição online) um crime passível de punição severa nos termos da lei, quer ele seja acompanhado de algum delito mais grave ou não. Por conta disso, assim que a Google foi informada de que sua Play Store continha aplicativos que poderiam funcionar como ferramentas para a execução de tal ato, eles foram imediatamente retirados do ar. Os aplicativos espiões ajudavam stalkers a perseguir suas vítimas (Foto: Marco_Piunti/Getty Images) Os aplicativos espiões eram descritos como benéficos Em sua descrição na Google Play Store, os desenvolvedores dos apps os descreviam como ferramentas que poderiam controlar o acesso de crianças a determinados sites da Internet a fim de protegê-las, ou até mesmo administrar o rendimento dos funcionários de uma empresa. No entanto, é evidente que essas ferramentas invadem a privacidade de terceiros e podem ser utilizadas por pessoas mal intencionadas. E, por isso mesmo, a Google optou por removê-los. Confira, a seguir, a lista com os apps em questão: Track Employees Check Work Phone Online Spy Free; Phone Cell Tracker; Spy Kids Tracker; Mobile Tracking; Spy Tracker; SMS Tracker; Employee Work Spy. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Câmara é Notícia 21h | Maia defende COAF no BC - 20/08/2019

Câmara é Notícia 21h | Maia defende COAF no BC - 20/08/2019

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: http://www.camara.leg.br/internet/tvcamara/?lnk=TERMO-DE-USO&selecao=CONTEUDO&nome=termoUso Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Huawei entra em 'modo de batalha' para combater crise nos Estados Unidos

Huawei entra em 'modo de batalha' para combater crise nos Estados Unidos

Tecmundo O governo dos Estados Unidos deu uma trégua de mais 90 dias para a Huawei antes de proibir a companhia de fazer negócios com empresas do país de uma vez por todas. A situação pode colocar a fabricante chinesa em maus lençóis, mas o fundador da companhia, Ren Zhengfei, já tem um plano de recuperação para a firma.Segundo a Reuters, o chefe da Huawei enviou um memorando para seus funcionários na segunda-feira dizendo que a empresa está em "modo de batalha" para superar esse momento de "vida ou morte".Leia mais... Veja Mais

Da grande depressão à contracultura

G1 Pop & Arte Peter Fonda em 'Easy rider' Divulgação Dois filmes, duas viagens, dois retratos de uma América cujas complexidades mudam, de tempos em tempos, mas nunca terminam. O primeiro filme, de 1940, intitula-se “As vinhas da ira” e baseia-se no premiado romance homônimo de John Steinbeck, publicado em 1939, pouco antes de John Ford começar a rodá-lo. O segundo, de 1959, é “Sem destino” (no original, “Easy rider”) e tem roteiro original que assinala a chegada ao cinema de uma contracultura envolvente e transformadora. A viagem de “As vinhas da ira” é de uma família de trabalhadores da terra que, durante a grande depressão dos anos 30, mão de obra substituída pela modernidade dos tratores, parte de caminhão de Oklahoma para a Califórnia, em busca de casa, comida, trabalho e autoestima. A de “Sem destino” é de dois jovens contrabandistas de droga que saem de motocicletas de Los Angeles para Nova Orleans, tendo como meta chegar em tempo aos festejos do Mardi Gras. A memória desse filme, e a remissão ao de John Ford, nos chegam com a notícia da morte, dias atrás, de Peter Fonda (1940-2019), aqui homenageado. Foi ele o produtor, corroteirista – com Dennis Hopper (1936-2010) e Terry Southern (1924-1995) – e um dos três principais atores de “Sem destino”. Os outros dois são Jack Nicholson (nascido em 1937) e o mesmo Hopper, estreando então como diretor. Os dois motoqueiros, Fonda e Hopper, encontram em seu caminho um advogado alcoólatra, Nicholson, que não só se junta a eles como também vai atuar como consciência da contracultura que os dois viajantes representavam sem o saber. Agem todos como autênticos hippies, iguais aos que, menos de dois meses depois, estarão ao vivo em Woodstock. Os três fumam maconha e experimentam o ácido (segundo se soube depois, de verdade, mesmo, durante as filmagens, só a maconha). Muito no clima, a trilha sonora, selecionada por Hopper e o músico Roger McGuinn, autor de “Ballad of Easy Ryder”, é uma coletânea de bons rocks da época. “Sem destino” fez sucesso, como também fizeram, por outros motivos, “As vinhas da ira”, o livro e o filme. São duas obras que retratam dois momentos da vida americana, diferentes um do outro, mas cada qual importante em seu tempo. Dois fatos os aproximam a ponto de dividirem este espaço. Um, serem ambos sobre viagens –– e viagens malsucedidas. A família que segue de caminhão não encontrará na Califórnia o fim de seu drama. E a aventura dos motoqueiros acabará em tragédia. O outro fato é o ator principal de “As vinhas da ira” ser Henry Fonda (1905-1982), pai de Peter. Seja pelo romance de Steinbeck, seja pelo filme de Ford, Tom Joad ficou sendo um dos personagens mais eloquentes da ficção americana. Por sua vontade, sua esperança, sua falta de sorte, seu papel de vítima numa sociedade injusta. É por vê-lo de todas essas maneiras que, por exemplo, artistas do mundo pop o têm saudado com música. É de Woody Guthrie “The ballad of Tom Joad”. E de Bruce Springsteen, “The ghost of Tom Joad”. Vozes a chorar iniquidades de sua História. Tom Joad ganhou em Henry Fonda a vida que o cinema lhe devia. Grande ator em grande papel. Peter, que não era tão bom (nem sequer se aproximava do talento da irmã Jane), também se saiu bem como o motoqueiro hippie, o que já era na vida real. O que não impede de encerrarmos não com ele, Peter Fonda, o homenageado da vez, mas com o pai. Henry Fonda era ator da estatura dos personagens que representava, quando não maior. Há provas. Está preservada em DVD sua performance em “Clarence Darrow”, peça para um ator de David W. Rintels, dirigida em 1974 por John Houseman. Fonda está tão perfeito como o célebre advogado americano, liberal, idealista, corajoso, defensor de causas perdidas, que recebeu de crítico do “New York Times” o seguinte comentário: “Pode ser que Darrow não fosse exatamente como o Henry Fonda da peça. Mas, se não foi, deveria ter sido.” Veja Mais

Como conectar o seu smartphone na TV em poucos passos

Como conectar o seu smartphone na TV em poucos passos

canaltech Conectar o smartphone à televisão não é uma tarefa difícil e você pode conseguir esse feito com poucos cliques na maioria dos casos. Separei algumas dicas para você que quer espelhar (ou transmitir)a tela do celular ou de algum aplicativo na TV, seja ela um televisor comum ou uma Smart TV. 8 dicas para usar o Chromecast com Android ou iOS Como conectar o smartphone na TV sem cabo A melhor forma de espelhar seu smartphone na TV sem cabo é usando a tecnologia Miracast, que está presente na maioria das Smart TVs à venda no mercado. Neste caso, você precisa olhar a ficha técnica do produto no site do fabricante para saber se a mesma oferece suporte para essa tecnologia. Esse protocolo é basicamente o mesmo usado no Chromecast, portanto, se o seu smartphone e a sua TV forem compatíveis com o Miracast, provavelmente, você verá o ícone de transmissão ativo dentro de aplicativos compatíveis, como o YouTube ou o Netflix, por exemplo. Se você encontrar o ícone de espelhamento, basta clicar e se sua TV aparecer na lista de aparelhos disponíveis, está tudo pronto. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- É importante observar, contudo, que cada fabricante dá um nome diferente para o Miracast: a LG usa o nome Screen Share (imagem acima), enquanto nas TVs Samsung você o encontrará como Screen Mirroring. Se você já conseguiu identificar o Miracast em sua Smart TV, mas não encontrou o ícone de espelhamento de tela em seu smartphone, siga os passos abaixo para encontrá-lo: A partir do Android 4.2 você encontra o espelhamento de tela como um ícone na central de atalhos do sistema na maioria dos aparelhos de diferentes fabricantes; Smartphones da LG e da Samsung trazem esse mesmo atalho descrito como Screen Share e Screen Mirroring respectivamente; Smartphones mais recentes da Samsung podem trazer o atalho "Smart View" no lugar do antigo. A conexão é a mesma, porém, a qualidade do espelhamento pode ser levemente superior entre TVs e smartphones Samsung; Se você não achar o ícone na central de atalhos do Android, vá em: Configuração do sistema> Tela> desça o menu e selecione "Espelhar tela". Em alguns aparelhos essa opção pode ser encontrada no menu "Dispositivos conectados" selecionando "Preferências de conexão" (imagem abaixo); No caso do iPhone pode ser necessário a instalação de algum aplicativo do fabricante da TV. Siga as instruções que irão aparecer na tela da sua Smart TV para fazer essa configuração usando o iOS. Como conectar o iPhone na TV Felizmente, conectar um iPhone em algumas TVs está se tornando algo mais fácil. O protocolo que a Apple coloca em seus produtos é semelhante ao Miracast, mas em iPads, Macs e iPhones ele leva o nome de AirPlay. Esse padrão é majoritariamente compatível entre produtos da empresa da maçã. Você pode espelhar a tela do iPhone, por exemplo, na Apple TV ou então conectá-lo em caixas de som compatíveis com essa tecnologia. Algumas Smart TVs de outras fabricantes estão saindo de fábrica com o AirPlay ou ganhando suporte ao protocolo através de atualizações. Samsung, Sony e LG, por exemplo, estão entre as marcas que oferecem essa opção. Segundo o site da Apple, estes são os modelos de outras fabricantes que são compatíveis com o espelhamento de tela do iPhone: LG: OLED (2019), NanoCell série SM9X, NanoCell série SM8X, UHD série UM7X; Samsung: QLED 4K Q6, Q7, Q8, Q9 (2018 e 2019), QLED 8K Q9 da Samsung (2019); Sony: Z9G, A9G, X950G, X850G (modelos de 85, 75, 65 e 55"). Tudo o que você precisa fazer é clicar em "Espelhar a tela", se estiver usando o iOS 10 ou superior, através da central de controle como na imagem abaixo: Como conectar um smartphone Android na TV Existem inúmeras formas de conectar um dispositivo com Android em uma TV. Se você não tem uma Smart TV para usar o Miracast, pode usar um Chromecast, a Mi Box TV, o Amazon Fire TV Stick ou outro set-top box de sua preferência, como a IPTV, por exemplo, para espelhar o conteúdo do seu smartphone na TV. Esses acessórios se conectam à TV pelo cabo HDMI e funcionam com o smartphone quando ambos estão conectados na mesma rede Wi-Fi. Recomendo o aplicativo Home, do Google, disponível para Android e iOS. Ele se encarrega de fazer a configuração completa tanto do acessório quanto do aparelho, desde os primeiros passos até o espelhamento completo da tela do seu smartphone. Lembrando que alguns aplicativos também são compatíveis no iPhone. Centenas de aplicativos e jogos se conectam ao Chromecast e outros acessórios que contam com o sistema Android TV. Para espelhar sua tela, basta encontrar o ícone de transmissão e selecionar a TV disponível. Como conectar seu smartphone na TV com cabo A conexão do celular à TV através de cabos pode ser a mais recomendada, bem como a mais prática em algumas situações, pois você dependerá menos de um acessório que precise da Internet para funcionar, como um Chromecast. O ponto negativo, no entanto, é que sem Internet você ficará limitado a mostrar a tela do seu smartphone, aplicativos e arquivos que tem instalado e armazenados nele. Para reproduzir um filme no HBO GO sem Wi-Fi, por exemplo, você precisará contar com uma conexão 4G ou baixá-lo previamente para assistir offline. Existem dois padrões de cabos que podem ser conectados em smartphones e TVs. O SlimPort tem entrada USB Mini e saída HDMI, ou seja, basta conectar na porta USB do celular. O celular precisa ter Android 5.0 ou superior. Se o seu aparelho tem porta USB-C, lembre-se que será necessário o uso de adaptador. Já o padrão MHL é semelhante ao SlimPort, com entrada microUSB ou Mini HDMI e saída HDMI, porém, custa menos. O contra desse padrão em comparação com o SlimPort é a compatibilidade e a necessidade de alimentação energética, ou seja, seu celular precisa estar recebendo energia enquanto está conectado na TV. O funcionamento é o mesmo, ou seja, basta conectar e tudo será espelhado na tela da sua televisão. Nós temos um vídeo explicando o que é o cabo MHL e como funciona na prática. Assista:   Como conectar o seu smartphone na televisão: Prós e contras Existem sim prós e contras entre essas diferentes maneiras de conectar o dispositivo em uma televisão. No caso do Miracast e do AirPlay a qualidade do Wi-Fi implica diretamente, visto que é essa conexão que irá garantir a estabilidade do conteúdo. Logo, conexões lentas resultam em reproduções mais instáveis e de menor qualidade. Já os cabos, SlimPort e MHL, oferecem mais velocidade e aguentam formatos melhores de áudio e vídeo, como 4K (8K em TVs compatíveis), som Surround 5.1 e 7.1 e DTS. As conexões que atendem ao formato Miracast reproduzem em Full HD na maioria dos casos (4K em acessórios e modelos selecionados), chegando a até 90 quadros por segundo, com áudio 5.1 em aparelhos compatíveis. E aí, essas dicas ajudaram? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Plenário - Sessão de votação - 20/08/2019 - 14:00

Plenário - Sessão de votação - 20/08/2019 - 14:00

Câmana dos Deputados PLENÁRIO - Sessão Deliberativa Veja Mais

YouTube planeja encerrar anúncios em vídeos voltados ao público infantil

YouTube planeja encerrar anúncios em vídeos voltados ao público infantil

canaltech Os reguladores da Federal Trade Comission (uma agência independente dos Estados Unidos que investiga o desvio de patentes e direitos autorais) estão examinando se o YouTube violou a Lei de Proteção à Privacidade Online das Crianças (COPPA, na sigla em inglês) por meio da coleta de dados e da falta de proteção dos jovens usuários na plataforma. Antes que a situação comece a ficar tensa, a plataforma de vídeos resolveu tirar os anúncios em vídeos destinados a crianças. A agência chegou a um acordo com o YouTube, mas não divulgou os termos. Não está claro se as alterações do YouTube significam a liquidação completa dos anúncios ou não. E os planos ainda podem mudar. No entanto, um problema em torno dessa nova medida é a sua aplicação subjetiva; afinal, não ficou exatamente claro o que define um vídeo voltado para crianças, e a estratégia da empresa já está enfrentando algumas críticas, por causa dessa possível dificuldade que acompanharia a mudança. Além disso, a medida poderia prejudicar imediatamente as vendas de anúncios para a gigante do vídeo, embora não tanto quanto outras propostas na mesa. YouTube está tentando apaziguar a relação com a Federal Trade Commission Em julho deste ano, foi relatado que a Federal Trade Commission chegou a um acordo com a Google sobre o assunto, com a empresa-mãe do YouTube tendo que pagar uma "multa de milhões de dólares". Mas os termos exatos do acordo e a multa permanecem não revelados. O YouTube tomou medidas durante o ano passado, como fechar comentários em vídeos protagonizados por crianças e limitar recomendações em vídeos que considera colocar crianças em risco. No entanto, grupos de consumidores reclamaram à FTC que a empresa ainda não está fazendo o suficiente. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- O YouTube vem divulgando conteúdo familiar com muito mais intensidade nas recomendações das últimas semanas. A empresa foi incentivada a mover todos os vídeos voltados para crianças do YouTube para o site e aplicativo separados do YouTube Kids. Mas a companhia (e os criadores de conteúdo) disseram que um passo tão drástico poderia repercutir em toda a comunidade da plataforma. Sendo assim, resta esperar como vai se desdobrar a estratégia da plataforma destinada ao compartilhamento de vídeos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Briga entre Sony e Marvel tira Kevin Feige dos filmes do Homem-Aranha

Briga entre Sony e Marvel tira Kevin Feige dos filmes do Homem-Aranha

Tecmundo O presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, não vai mais produzir os novos filmes do Homem-Aranha. Depois de meses de negociação com a Sony, nenhum dos dois lados cedeu sobre quem pagaria pelas futuras produções. A Disney queria um acordo de cofinanciamento 50/50 de todos os filmes envolvendo o personagem. A Sony, não querendo perder sua maior franquia, tanto recusou o acordo como sequer fez uma contra-proposta.Após o sucesso de Venom e da animação Homem-Aranha: No Aranhaverso, o estúdio parece acreditar que consegue gerar sucessos por conta própria – principalmente porque a lista de produções dentro da franquia é grande: além de mais dois filmes com Tom Holland à frente, ainda estão previstos Venom 2, Morbius, Kraven the Hunter e Sinister Six. A ideia então era manter o acordo então vigente, com a Marvel recebendo 5% da bilheteria. Foi a vez de a Disney recusar.Leia mais... Veja Mais

Energisa: Aneel reduz contas de luz na Paraíba em 4,27%

R7 - Economia A Aneel aprovou um reajuste tarifário na subsidiária da Energisa (ENGI11) na Paraíba que fará com que as contas tenham uma redução de 4,27%, informou a empresa por meio de comunicado enviado ao mercado nesta terça (20). O processo de reajuste tarifário anual consistirá no repasse aos consumidores dos custos não gerenciáveis da concessão e a atualização dos custos […] Veja Mais

'Homem-Aranha' pode deixar de ser produzido pela Marvel, se não houver acordo com Sony

G1 Pop & Arte Herói pode ficar de fora do Universo Cinematográfico da Marvel se impasse sobre a porcentagem na arrecadação dos futuros filmes não for resolvido, dizem sites. Entenda o caso. Tom Holland em cena de 'Homem-Aranha: Longe de casa' Divulgação "Homem-Aranha" pode deixar de ser produzido pela Marvel, se ela não chegar a um acordo com a Sony. A informação foi publicada nesta terça-feira (20) por vários sites americanos. Mas há divergências nas apurações: Segundo o Deadline, não houve acordo e o herói já está fora do Universo Cinematográfico Marvel; Já a revista "Variety" diz que ainda há negociação entre os estúdios: Marvel, parte do conglomerado da Disney, e Sony. Nenhum representante dos estúdios se manifestou sobre o assunto até a publicação desta reportagem. De acordo com os sites, a negociação já vinha acontecendo há alguns meses e está relacionada ao sucesso dos filmes de Kevin Feige, presidente da Marvel Studios. Qual é o impasse? No atual formato, a Disney recebe 5% do valor arrecadado no dia de estreia do filme e o valor de merchandising. O resto vai para a Sony; A Disney exigiu, no entanto, a revisão para que a divisão fosse de 50% entre os estúdios, com Feige no comando das futuras produções. É neste ponto que os estúdios estão discordando, segundo a "Variety". Se o acordo não for feito, Feige não produzirá novos filmes do Homem-Aranha dentro do Universo Marvel. O acordo entre Disney, Marvel e Sony para compartilhar os direitos dos filmes do herói aconteceu em 2015. Foi depois disso que Tom Holland virou o novo "Homem Aranha" e o personagem passou a fazer parte do time da Marvel. Nesta configuração, a Sony ficava responsável pela distribuição dos filmes em que o personagem era o principal, enquanto a Disney cuidava dos outros títulos. Por que Homem-Aranha vale tanto? Feige é responsável pelos maiores sucessos de bilheteria dos últimos anos e bateu dois recordes expressivos. Ter Homem-Aranha em suas mãos seria importante para continuar com bons resultados. "Vingadores: Ultimato" ultrapassou "Avatar" e se tornou a maior bilheteria de todos os tempos; "Homem-Aranha: Longe de casa" superou "James Bond Skyfall" e se tornou o maior sucesso de bilheteria da Sony, ao arrecadar mais de US$ 1,1 bilhão; O time de heróis da Marvel está se renovando e a perda de um herói tão popular pode ser arriscada para a fase quatro da saga; Fontes do Deadline dizem que Feige "ama" o super-herói e que continuaria com ele, se os estúdios se entendessem. Na Comic-Con San Diego deste ano, o painel de uma hora e meia da Marvel foi o grande destaque com o anúncio dos primeiros títulos da fase 4 do do Universo Marvel. Angelina Jolie como a "Viúva Negra", Natalia Portman como "Deusa do Trovão" e Mahershala Ali como o novo "Blade" são apostas do estúdio nos próximos dois anos. Veja Mais

Ecorodovias: Participare eleva participação na empresa a 19,77%

R7 - Economia Uma das acionistas da Ecorodovias (ECOR3), a Participare, elevou a sua participação na empresa por meio de uma reestruturação societária, informa um comunicado enviado ao mercado nesta terça-feira (20). De acordo com a nota, a Participare recebeu, via permuta, os 30% – equivalente a 5,93% do capital da Ecorodovias – que a Pio XII detinha na […] Veja Mais

A Voz do Brasil - 20/08/2019

A Voz do Brasil - 20/08/2019

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: http://www.camara.leg.br/internet/tvcamara/?lnk=TERMO-DE-USO&selecao=CONTEUDO&nome=termoUso Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Financiamento indexado ao IPCA é mais imprevisível ao cliente

Financiamento indexado ao IPCA é mais imprevisível ao cliente

R7 - Economia Nova linha de crédito tem taxa de 2,95% a 4,95% ao ano Alberto Rocha/Folhapress – 22.05.2019 A Caixa Econômica Federal anunciou nesta terça-feira (20) a nova linha de crédito imobiliário que será indexada ao IPCA e não mais à Taxa Referencial (TR), utilizada nos contratos mais antigos. O novo produto terá taxas variando de 2,95% a 4,95% ao ano. Hoje, as taxas dos contratos da Caixa indexados à TR possuem juros que variam entre 8,30% e 9,95%, como citou o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães. Leia também: Financiamento de imóvel corrigido pela inflação divide especialistas Para entender o que essa mudança significa na prática, a reportagem conversou com Marco Harbich, planejador financeiro pela Planejar, e Samir Reis, gerente de crédito da Bcredi. Na visão dos especialistas, a indexação ao IPCA traz imprevisibilidade para os clientes em relação aos custos do financiamento. “A inflação é um índice muito volátil. Se olharmos para os números de três anos atrás, ela era muito maior. Logo, essa nova medida pode, sim, tornar o crédito imobiliário mais caro. Se essa passasse a ser a única possibilidade de financiamento disponível, a novidade não seria positiva”, comentou Harbich. Leia também: Taxas do crédito imobiliário dos bancos variam de 5,11% a 9,75% A Caixa afirmou que, mesmo com a nova opção, manterá as linhas de crédito atuais. No entanto, o banco informou que uma vez escolhida a correção pelo IPCA não será possível fazer portabilidade em nenhuma instituição para financiamentos com outro tipo de correção, como a TR. O presidente da Caixa afirmou que o novo produto de crédito, indexado ao IPCA, possibilitará queda de 35% no valor da prestação no caso de um financiamento com taxa mais cara (4,95%). Isso na comparação com os contratos tradicionais, ligados à TR. No caso de contratos com taxa mais barata (2,95%), a queda no valor da prestação foi estimada em 51%. A mudança compensa para os bancos por dois motivos. O primeiro é a possibilidade de “securitizar a carteira”, processo em que o banco transforma as dívidas dos clientes em produtos financeiros e, assim, consegue ter mais garantias e dinheiro em caixa. O segundo é que, ao passar para o cliente o risco da inflação, a instituição financeira pode reduzir os juros que cobraria dos clientes. ​ "Essa possibilidade dos financiamentos serem barateados em razão de o banco ter risco menor ao concedê-lo pode movimentar o mercado e isso é positivo", afirma Samir Reis da Bcredi. Na visão Marco Harbich, planejador da Planejar, o novo modelo pode ser interessante para quem tem a garantia de que terá o salário ou os ganhos corrigidos pela inflação no período de vigência do contrato. “Funionários públicos e médicos podem ser exemplos de profissionais para quem pode valor a pena”, diz. Por outro lado, para profissionais autônomos - que podem ter redução de receita quando a economia não vai bem - podem não fazer um bom negócio ao escolher a nova modalidade. A inflação é um índice muito volátil. Harbich observa que há apenas três anos, ela era muito maior. "Logo, essa nova medida pode, sim, tornar o crédito imobiliário mais caro. Se essa passasse a ser a única possibilidade de financiamento disponível, a novidade não seria positiva”, avalia. Para Samir Reis, gerente de crédito da Bcredi, os novos produtos que devem ser lançados podem movimentar o mercado. Além disso, a menor exposição dos bancos ao risco de inflação tem potencial para baratear os financiamentos. A Caixa informou que uma vez escolhida a correção pelo IPCA não será possível fazer portabilidade para financiamentos com outro tipo de correção, como a TR. Assim, buscar uma opção melhor em outros bancos só será possível se as demais instituições aderirem à indexação pelo IPCA Os especialistas analisam que o contexto da medida da Caixa é bem diferente da dos anos 60, no entanto, não há como garantir que a inflação seguirá controlada pelos próximos 20 ou 30 anos. “Hoje há expectativa de inflação controlada até 2022, mas não se sabe como será no próximo governo. Esse é um risco que quem escolher esse financiamento corre”, pontua Harbich. O seguro cobra taxas, o que encarece a parcela. “Os clientes terão de fazer contas. Uma possibilidade é trocar de seguradora analisando as opções disponíveis, por exemplo. Caso o seguro esteja atrelado ao financiamento, isso é mais complicado. Para os próximos dois anos, o cenário já está mais ou menos desenhado. Assim, o cliente pode fazer alguma economia”, diz Reis. Veja Mais

NASA oficializa missão Europa Clipper para estudar lua congelada de Júpiter

NASA oficializa missão Europa Clipper para estudar lua congelada de Júpiter

canaltech A missão Europa Clipper vem sendo anunciada pela NASA há um certo tempo, pois o objetivo é enviar uma sonda à lua Europa, de Júpiter, que é recoberta por uma crosta congelada, mas, em seu interior, há um provavelmente vasto oceano líquido. Por isso, é preciso estudar o satélite natural joviano de pertinho em busca de, caso exista, vida microbiana extraterrestre. E, agora, a agência espacial dos Estados Unidos acaba de oficializar a missão. "A decisão permite que a missão progrida para a conclusão final do projeto, seguido pela construção e testes da nave espacial e sua carga útil científica", disse a NASA em comunicado oficial. A missão explorará o interior de Europa, investigando se a lua congelada tem mesmo o potencial que acreditamos de abrigar condições adequadas à vida como a conhecemos. Conceito da Europa Clipper (Imagem: NASA) E, para que a missão seja o mais econômica possível, a NASA tem como meta completar a construção da sonda em parceria com o Laboratório de Física Aplicada da Universidade John Hopkins, com previsão de lançamento para 2023 — mas há uma janela de adiamento, caso seja necessário, que se estende para até 2025. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Quando chegar lá, a Europa Clipper vai estudar a composição e a geologia de Europa, além de seu oceano subterrâneo. A nave levará instrumentos que funcionarão em conjunto para resolver alguns dos mistérios que rodeiam esta lua joviana, avaliando o quão habitável ela realmente pode ser. A nave chegará a apenas 25 km da superfície congelada, então também podemos esperar por um montão de fotografias reais e sem precedentes deste satélite natural que orbita o maior planeta do Sistema Solar. Oceanos subterrâneos de água líquida são possíveis em luas como Europa (bem como Encélado, de Saturno), mesmo elas sendo congeladas em seu exterior, pois a atração gravitacional de seus planetas faz com que as coisas, literalmente, esquentem lá dentro, o que mantém a água no estado líquido, algo essencial para o florescer da vida. Ainda, atividade geológica no fundo desses mares poderia fornecer produtos químicos para alimentar microorganismos, e o gelo da crosta acabaria bloqueando a radiação espacial que afeta a superfície. Ou seja: estudar esses mundos intrigantes de pertinho é prioridade para entendermos a habitabilidade desses objetos, o que vai começar a acontecer dentro de alguns anos — se nenhum contratempo fizer a missão ser adiada para além da janela prevista. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Entenda como foi e por que o dia virou noite em São Paulo na segunda (19) Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis Gravação de série de Keanu Reeves gera apagão e medo no centro de São Paulo Veja Mais

Vivara registra pedido de IPO e deve levantar R$ 1,5 bi na bolsa

Valor Econômico - Finanças Ações da rede de joalherias começam a ser negociadas no dia 24 de outubro Veja Mais

Secovi-SP vê risco ao crédito se inflação ‘se desgarrar’; repercussão

Valor Econômico - Finanças Entidade apontou, no entanto, que as taxas de juros da nova modalidade são menores Veja Mais

Vazam informações de lançamento do OnePlus 7T

Vazam informações de lançamento do OnePlus 7T

canaltech A OnePlus é uma das fabricantes de maior notoriedade no cenário mobile e vem conquistando fãs ao redor do mundo por entregar produtos com ótimas funcionalidades, aliadas a preços justos. Tradicionalmente, a empresa costuma lançar uma nova geração de smartphone no primeiro semestre e uma versão melhorada dela no segundo. Com setembro batendo à porta, estão começando a vazar informações no que diz respeito à data de lançamento do OnePlus 7T — o “irmão maior” do OnePlus 7, lançado em maio. Um ponto bastante curioso desse vazamento é que, conforme o tweet do usuário Max J, parece que a chinesa pretende variar a data de lançamento do OnePlus 7T para a Índia e para os EUA/Europa. No caso, o país asiático veria o lançamento do novo smartphone já em 26 de setembro, enquanto os estadunidenses e os europeus receberiam o modelo somente em 10 de outubro, com as vendas se iniciando em 15 de outubro. 26th September India Launch10th October US/EU Launch15th October Sale https://t.co/yKxDlzI1O3 -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- — Max J. (@Samsung_News_) 2019년 8월 19일 O site Android Central explica que, muito provavelmente, essa diferenciação se daria por conta do lançamento do serviço OnePlus TV na Índia — previsto para ocorrer entre 25 e 30 de setembro. Basicamente, a empresa aproveitaria o evento de lançamento desse serviço e já apresentaria também o OnePlus 7T. Apesar de não ser muito comum, por parte da OnePlus, lançar o mesmo produto em datas diferentes, o mercado indiano vem se tornando uma das principais áreas de atuação da empresa e, como tal, parece natural que ela queira concentrar mais atenção à essa região. Por enquanto, não há mais informações além das datas de lançamento dos novos smartphones, mas considerando que o CEO da OnePlus, Pete Lau, afirmou estar planejando lançar um dispositivo com conexão 5G ainda nesse ano, é esperado que o OnePlus 7T vá receber uma variante compatível com esse recurso. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store Entenda como foi e por que o dia virou noite em São Paulo na segunda (19) Nem ele escapa! Spotify deve ganhar recurso similar aos stories em breve TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis Gravação de série de Keanu Reeves gera apagão e medo no centro de São Paulo Veja Mais

Investidor estrangeiro deve retornar ao Brasil em 2020, diz economista

Valor Econômico - Finanças Segundo Fernando Honorato, economista-chefe do Bradesco, para que este investidor retorne é preciso ver o crescimento da economia Veja Mais