Meu Feed

No mais...

Panic! At The Disco celebra Queen e divide gerações no Rock In Rio

Panic! At The Disco celebra Queen e divide gerações no Rock In Rio

R7 - Música A banda norte-americana Panic! At The Disco, de Las Vegas, subiu ao Palco Mundo do Rock In Rio hoje mais cedo e fez um show divisivo. Não que eles tenham criado uma barreira com o público ou deixado muita gente irritada com a sua sonoridade: é que o grupo experimentou o sucesso em fases distintas da carreira e isso fez com que diferentes gerações que seguiram a banda ficassem separadas na plateia. (Panic! At The Disco no Rock In Rio 2019) A imensa maioria do público (bastante jovem) que estava ali, celebrava canções de discos mais recentes, e cantava sons como 'Victorious', 'LA Devotee', 'Say Amen (Saturday Night)' e mais a plenos pulmões. De outro lado, porém, estavam fãs que cresceram ouvindo a primeira fase da banda, principalmente os discos A Fever You Can't Sweat Out (2005) e Pretty. Odd. (2008). Brendon Urie e seu Panic!, porém, só deram bola para esses álbuns com seus maiores hits, 'I Write Sins Not Tragedies' e 'Nine In The Afternoon', deixando muita gente saudosa por sons como 'The Only Difference Between Martyrdom and Suicide Is Press Coverage', 'But It's Better If You Do', 'That Green Gentleman' e 'Northern Downpour', por exemplo. Panic! At The Disco no Rock In Rio [caption id='attachment_343620' align='alignnone' width='1000'] Brendon Urie com o Panic! At The Disco no Rock In Rio Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Duas coisas, porém, eram claras: quando 'Nine In The Afternoon', 'antiga', foi executada, a maior parte da plateia ficou só observando, e quando 'I Write Sins Not Tragedies' veio, ela foi uma espécie de Norvana que uniu todas as tribos, colocando o público todo pra cantar. Aliás, isso aconteceu novamente logo na sequência quando veio a cover de 'Bohemian Rhapsody', mega clássico do Queen que tornou-se o ponto alto do show. Ao final, 'High Hopes' colocou fogo no set e Brendon Urie agradeceu bastante o público brasileiro, dizendo inclusive que era uma loucura estar abrindo para o Red Hot Chili Peppers já que ele gostaria de ser Anthony Kiedis quando era jovem. [caption id='attachment_343621' align='alignnone' width='1000'] Panic! At The Disco no Rock In Rio 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Antes de terminar, vale um destaque para a banda de apoio do cara (já que hoje só ele representa a formação original), um destaque à parte com muito talento e presença de palco nas guitarras, cordas e instrumentos de sopro. Foi quente, saudosista, teve frescor e nostalgia, tudo ao mesmo tempo. SÓ OS EMO ONLINE NESSE HIT FINAL! #PanicNoMultishow #RockInRioNoMultishow pic.twitter.com/gbJ2fMCkJb— Multishow (@multishow) October 4, 2019 Setlist [caption id='attachment_343622' align='alignnone' width='1000'] Panic! At The Disco no Rock In Rio 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Victorious (Fuck A) Silver Lining Don't Threaten Me With a Good Time Ready to Go (Get Me Out of My Mind) LA Devotee Hey Look Ma, I Made It Hallelujah Crazy=Genius The Ballad of Mona Lisa Nine in the Afternoon Girls/Girls/Boys Dancing's Not a Crime This Is Gospel Miss Jackson I Write Sins Not Tragedies Bohemian Rhapsody (Queen cover) Emperor's New Clothes Say Amen (Saturday Night) High Hopes [caption id='attachment_343623' align='alignnone' width='1000'] Panic! At The Disco no Rock In Rio 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] [caption id='attachment_343624' align='alignnone' width='1000'] Brendon Urie com o Panic! At The Disco no Rock In Rio Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Veja Mais

41% dos consumidores ainda usam sistemas desatualizados, como o Windows 7

41% dos consumidores ainda usam sistemas desatualizados, como o Windows 7

canaltech A Microsoft deixará de dar suporte ao Windows 7 a partir do ano que vem. Mas, nesta quinta (3), a Kaspersky trouxe um relatório envolvendo a escolha que os usuários fazem de seus sistemas. Mesmo faltando apenas seis meses para o encerramento do suporte estendido, o Windows 7 é uma opção muito popular entre as pessoas. Acontece que, segundo a pesquisa, consumidores e empresas ainda dependem de sistemas operacionais sem suporte ou próximos do final de sua vida útil. Embora haja versões disponíveis recentes deles, cerca de 41% dos consumidores continuam usando sistemas operacionais desatualizados ou próximos de perder o suporte técnico, como o Windows XP ou o Windows 7. Ao mesmo tempo, 40% das microempresas e 48% das pequenas e médias empresas e grandes corporações ainda utilizam esses sistemas. A Kaspersky aponta que essa situação gera um risco à segurança porque, no final do ciclo de vida de um sistema operacional, o fornecedor não publicará mais atualizações, inclusive correções de cibersegurança, e os pesquisadores de segurança ou cibercriminosos podem descobrir vulnerabilidades até então desconhecidas neles. Essas vulnerabilidades poderão ser usadas em ciberataques e os usuários ficarão expostos, pois não haverá correções para esses problemas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Vários usuários estão usando versões antigas de sistemas operacionais, como o Windows XP O Windows 7 ainda é uma opção popular entre consumidores e empresas, mesmo com o encerramento do suporte estendido anunciado para janeiro de 2020. Mais de um terço (38%) dos consumidores e microempresas ainda executam esse sistema operacional. Nos segmentos de pequenas e médias empresas e grandes corporações, as participações do Windows 7 e da versão mais nova do Windows 10 são iguais (47%). “O uso do Windows 7 é preocupante, pois faltam menos de seis meses até que essa versão não tenha mais suporte. Os motivos por trás desse atraso vão dos softwares executados, que podem não funcionar nas versões mais novas dos sistemas operacionais, até motivos financeiros e mesmo apenas o costume. Contudo, um sistema operacional sem correções representa um risco de cibersegurança; o custo de um incidente pode ser significativamente maior que o valor da atualização. Por isso, recomendamos que os clientes migrem para as versões com suporte e garantam que as ferramentas adicionais de segurança estejam em funcionamento durante o período da transição”, afirma Alexey Pankratov, gerente de soluções corporativas da Kaspersky. Para estar protegido contra novas ameaças, a Kaspersky recomenda usar uma versão atualizada do sistema operacional com o recurso de atualização automática ativado e usar também soluções com tecnologias de prevenção de exploits baseadas em comportamento, que ajudam a reduzir o risco de exploits que visam sistemas operacionais obsoletos (Windows 7 e posteriores). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Panic! At The Disco no Rock in Rio 2019; FOTOS

G1 Pop & Arte Banda liderada por Brendon Urie tocou no palco Mundo nesta quinta (3). Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Veja Mais

Letícia Lima, ex de Ana Carolina, diz que tem novo affair: 'Mas dessa vez não quero me expor'

G1 Pop & Arte A atriz foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3), usando um superdecote. Perguntada se estava namorando um homem ou uma mulher, respondeu: 'Não digo!'. Letícia Lima foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3). A atriz, que no começo do ano se separou da cantora Ana Carolina, contou que está vivendo um novo romance, mas negou que seja com o diretor de TV Thiago Teitelroit, ex da cantora Luiza Possi. "Tô com um negócio aí, mas dessa vez não quero expor. Ainda não tem nome. E eu escolhi não tornar publico", disse ela. Perguntada se estava com um homem ou mulher, brincou: "Não digo! (risos)". Letícia apostou em um look superdecotado, assim como no último domingo (29), quando também foi ao festival. Aliás, muitas famosas ousaram nos decotes nesta quinta (3). Letícia Lima apostou em look decotado nesta quinta (3), no Rock in Rio Wallace Barbosa/AgNews Letícia Lima no Rock in Rio Wallace Barbosa/Agnews Veja Mais

Hip Hop Hurricane no Rock in Rio 2019; veja FOTOS

G1 Pop & Arte Show com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3). Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Veja Mais

Rock in Rio 2019 ao vivo: Panic! At The Disco toca no palco Mundo

G1 Pop & Arte G1 vai transmitir todos os shows do Palco Mundo. Red Hot Chilli Peppers é o headliner desta quinta (3) Rock in Rio 2019 ao vivo: Panic! At The Disco toca no palco Mundo G1 vai transmitir todos os shows do Palco Mundo. Red Hot Chilli Peppers é o headliner desta quinta (3) Nile Rodgers e Capital inicial já fizeram show no Palco Mundo. Red Hot Chilli Peppers também vai tocar no palco principal. Sunset teve Emicida e Ibeyi, Pará Pop e Francisco, el Hombre e Hip Hop Hurricane Veja Mais

Antonia Morais investe em look com cueca aparecendo: ‘Tô bem anos 90’

G1 Pop & Arte Atriz foi à Cidade do Rock acompanhada do noivo, Wagner Santisteban, para a noite que tem Red Hot Chilli Peppers como atração principal. Antonia Moraes e Wagner Santisteban na Cidade do Rock Marcos Serra Lima/G1 Em noite de Red Hot Chilli Peppers no Rock in Rio, Antonia Morais foi à Cidade do Rock com o que chamou de "um visual bem anos 90", com direito a barra da cueca aparecendo. “Tô bem anos 90, com essa influência do skate, da moda de rua. Cresci nessa década e carrego comigo muito da referência de moda e da música. Por isso até esse detalhe da barra da cueca aparecendo”, disse a atriz, que foi ao Rock in Rio nesta quinta (3) acompanhada do noivo, o ator Wagner Santisteban. “Eu que montei esse look. Quando eu vou sair, às vezes fico experimentando várias roupas e me decido. Tem vezes que coloco de primeira e já saio. Com esse aqui eu demorei um pouquinho até montá-lo do jeito que eu queria.” Antonia Morais no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Antonia Morais no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Veja Mais

Mattar diz que União tem 637 empresas de forma direta e indireta

O Tempo - Política No início do ano, foram listadas apenas 134; a diferença se dá pela inclusão das participações minoritárias do governo e das estatais em outras entidades Veja Mais

Famosos curtem show de Baco Exu do Blues, Agir e Rael no Rock in Rio; FOTOS

G1 Pop & Arte Tico Santa Cruz, Ivan Lins , Lelezinha, Toni Garrido e Majur estavam entre os famosos curtindo o show Hip Hop Hurricane, que fechou o palco Sunset nesta quinta (3). A plateia do show de encerramento do palco Sunset nesta quinta (3) no Rock in Rio estava cheia de famosos. Tico Santa Cruz, Ivan Lins, Lelezinha, Toni Garrido, Majur e mais famosos eram vistos na plateia do espetáculo Hip Hop Hurricane, com Nova Orquestra, Rael, Agir, Baco Exu do Blues e Rincon Sapiência. Tico Santa Cruz assiste a Hip Hop Hurricane no palco Sunset, no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Tico Santa Cruz e Luciana Rocha veem show no palco Sunset Marcos Serra Lima/G1 Ivan Lins assiste ao show Hip Hop Hurricane no palco Sunset, no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Lelezinha assiste a show no palco Sunset, no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Toni Garrido vê show no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Majur curte show Hip Hop Hurricane no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Veja Mais

Bolsonaro diz que garimpeiros não são bandidos e merecem toda consideração

O Tempo - Política Em sua live semanal, o presidente comparou as mineradoras e os extrativistas com 'uma bateiazinha' ou 'um jogo de peneira' Veja Mais

The Who lança a inédita “All This Music Must Fade”; ouça

R7 - Música A lendária banda britânica The Who está de volta e tem nos presenteado com novos sons. Se recentemente ouvimos 'Ball And Chain', agora é hora de 'All This Music Must Fade', canção que começa com Roger Daltrey gritando 'eu não me importo, eu sei que vocês irão odiar essa música'. A canção estará em Who, primeiro disco da banda em 13 anos, com data de lançamento marcada para 06 de Dezembro. https://open.spotify.com/playlist/05jyAgzDISm9DyKJt4WUj1?si=BQsktVyOTMKYHrSDCVIMLA Nova Música do The Who - Explicação https://www.youtube.com/watch?v=QpKhGNaiS6c Em declaração oficial, o guitarrista Pete Townshend disse que essa música foi composta e dedicada para 'todo artista que já foi acusado de plágio'. Você pode ouvir o novo som do The Who logo acima, na playlist oficial do TMDQA! Veja Mais

Capitão Augusto defende endurecimento de pena para acusados de estupro

Capitão Augusto defende endurecimento de pena para acusados de estupro

Câmana dos Deputados A cada uma hora, quatro meninas de até 13 anos são estupradas. Os dados são do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, que registrou em 2018 mais de 66 mil casos de estupro. Mais de 50% foram cometidos contra meninas de até 13 anos de idade. Para saber como estão os debates e proposições discutidas sobre o tema na Câmara, o entrevistado desta edição do Palavra Aberta é o presidente da Comissão de Segurança Pública, deputado Capitão Augusto (PL-SP). Apresentação - Regina Assumpção Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Lago de Maracaibo, na Venezuela, sofre com vazamento de petróleo

G1 Economia Sem manutenção devido ao colapso econômico, tubulações estão deterioradas. Região produz 160 barris por dia. Lago de Maracaibo, na Venezuela, poluído por sucessivos vazamentos de petróleo Yuri Cortez/AFP O cheiro lembra o de uma refinaria e o óleo impregna tudo o que toca. No oeste da Venezuela, o Lago de Maracaibo, cujo subsolo está cheio de petróleo, sofre com constante vazamento, alimentado por oleodutos e poços sem manutenção. "Veja, por causa do vento do sul, o petróleo está por todos os lados", lamenta Paúl, um pescador de Cabimas que não quis revelar o sobrenome. Pássaro levanta voo com dificuldade de Lago de Maracaibo, na Venezuela, contaminado por petróleo Yuri Cortez/AFP O pescador atual perto da margem oriental do Lago Maracaibo – uma imensa extensão de água de 13,2 mil km², e se liga ao mar do Caribe por um estreito. Suas ferramentas de trabalho atestam: o casco da embarcação está coberto por uma camada de petróleo e as redes estão enegrecidas após terem sido submersas na água contaminada. "Quando saímos para pescar, ficamos todos sujos de petróleo. Afeta nossa saúde porque nos lavamos com gasolina para tirar as manchas", explica Paúl. Água verde e poças pretas Lago de Maracaibo, na Venezuela, contaminado por petróleo Yuri Cortez/AFP A contaminação é visível por todos os lados. Manchas de petróleo abrem caminho na água verde e as margens ficam salpicadas de poças pretas e pastosas. Do alto de uma palmeira, uma ave se agita para tentar se desfazer do petróleo que cobre suas asas. Em vão. Giovanny Villarreal é vizinho de Paúl e também é pescador. Em um cesto, dá para ver como parece modesta a pesca do dia: há poucos caranguejos, que se contorcem. "Cinquenta por cento das espécies vêm impregnadas de petróleo e para nós é impossível que as comprem e nos vemos obrigados a jogá-las no lago", conta. Caranguejos contaminados por petróleo no Lago de Maracaibo, na Venezuela Yuri Cortez/AFP Giovanny é testemunha deste "constante vazamento de petróleo". Sua casa foi construída sobre palafitas no lago. "Às vezes, à noite não podemos dormir porque cheira a gás. O gás produzido pelo petróleo", explica o pescador. "E ficamos com os pulmões afetados, sobretudo as crianças". Antes de deixar sua marca no ecossistema, os hidrocarbonetos que jazem debaixo do lago impulsionaram a riqueza em Maracaibo, a segunda cidade do país, e de toda a região oeste da Venezuela. "Há mais de cem anos petróleo é extraído debaixo do lago", afirma o economista Orlando Ochoa, especialista no setor petroleiro. Agora, a Venezuela, que abriga as maiores reservas mundiais de ouro negro, atravessa a pior crise econômica de sua história recente. O colapso do setor petroleiro é tanto uma causa como uma consequência. 'Não dão as caras' A queda nos preços do petróleo, combinada com as sanções dos Estados Unidos, e a falta de manutenção da infraestrutura derrubaram a produção de 3,2 milhões de barris por dia (bpd), há dez anos, para menos de um milhão de bpd atualmente. "No Lago de Maracaibo estão produzindo 160 mil barris diários. Isto é um sexto do que se produzia há seis anos", destaca o economista Orlando Ochoa. A estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) não tem os meios para manter milhares de quilômetros de cabos e tubulações submarinas, uma deterioração que gera mais danos ambientais. Em outras palavras, "produz-se menos, mas há mais contaminação", diz o especialista. A PDVSA não publicou cifras do volume de petróleo que vaza diariamente no Lago de Maracaibo. A AFP pediu a informação à companhia, mas não obteve resposta. Yurasi Briceño, bióloga do Instituto Venezuelano de Pesquisas Científicas, estatal, concentrou seu trabalho na fauna da parte setentrional do lago. Onde ela trabalha, "há pelo menos oito plataformas e três delas estão liberando petróleo desde outubro do ano passado", diz. Ao longo de suas pesquisas, assegura ter encontrado com frequência mamíferos, como golfinhos e peixes-boi, afetados. "Temos visto os peixes irem para a margem, todos manchados de petróleo, e têm toda a pele machucada pelo petróleo. Nós, como últimos consumidores da cadeia alimentar, que comemos caranguejos e camarões, também nos contaminamos" com os elementos tóxicos que os animais ingeriram, afirma a cientista. Em Cabimas, Giovanny assegura ter feito apelos à indústria petroleira e ao Ministério do Meio Ambiente para que apareçam, se encarreguem do assunto mas, lamenta ela, "não dão as caras". É que o problema não é apenas a contaminação. Nos últimos anos, com a crise econômica, a pirataria aumentou no Lago de Maracaibo. "Assaltaram-me sete vezes com armas e me roubaram o motor e as espécies", queixa-se, impotente. Veja Mais

Luiza Valdetaro aposta em decotão no Rock in Rio: 'Não tem muita coisa para escapar'

G1 Pop & Arte A atriz foi ao festival nesta quinta-feira (3) com o namorado, o empresário Felipe Abad. Luiza Valdetaro no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Luiza Valdetaro apostou em um superdecote para ir ao Rock in Rio, nesta quinta-feira (3). A atriz estava acompanhada do namorado, o empresário Felipe Abad. "O look foi escolhido meio de última hora. É um body, com uma saia de couro. Poderia até usar como maiô. Mas é superseguro. O decote é tranquilo e eu não tenho muito peito. Então, não tem muito o que escapar”, contou ela, que estava doida para ver o show da banda Red Hot Chili Pepppers. Felipe era só elogios na hora das fotos: "Ela é linda, então fica fácil de fotografar", disse ele. Luiza retribuiu: “Ele é muito cuidadoso. Não consegui secar o cabelo direito antes de vir pra cá e ele deu uma ajeitada antes das fotos. Ele falou: ‘tá linda’. Felipe tira foto superbem. Na nossa última viagem a Noronha, as melhores fotos são dele.” Luiza Valdetaro apostou em look branco decotado nesta quinta (4), no Rock in Rio 2019 Marcos Serra Lima/G1 Luiza Valdetaro e o namorado, Felipe Abad, no Rock in Rio Marcos Serra Lima Veja Mais

Informação ao BTG rendeu 10% 'sobre lucros' a Lula, diz Palocci

Informação ao BTG rendeu 10% 'sobre lucros' a Lula, diz Palocci

R7 - Economia O ex-ministro Antonio Palocci, que delatou Lula Reprodução O ex-ministro Antonio Palocci (Fazenda/Governo Lula e Casa Civil/Governo Dilma) afirmou, em delação premiada, que o fornecimento de informação privilegiada sobre a Taxa Selic ao banco BTG Pactual teria rendido propinas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e R$ 9,5 milhões à campanha presidencial da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2014. “Vale dizer que, com relação ao fundo Bitang, foi aprovisionado para Luiz Inácio Lula da Silva 10% em vantagens indevidas sobre o lucro que o fundo obteve com as informações indevidas sobre o lucro que o fundo obteve com as informações privilegiadas fornecidas por Guido Mantega”, afirmou o delator. Nesta quinta (3), a Polícia Federal deflagrou a Operação Estrela Cadente e fez buscas na sede do Banco BTG, em São Paulo. A investigação é baseada na delação de Palocci. Veja também Mantega vazou informações da Selic para André Esteves, disse Palocci Livro escrito pelo ex-presidente Lula é indicado ao Prêmio Jabuti Lula vai para regime aberto no caso tríplex em 2021, diz CNJ Em seu relato, o ex-ministro detalhou. “As porcentagens que André Esteves pagava de vantagem indevida a Luiz Inácio Lula da Silva eram de 10% sobre o ganho dele nas operações”. Segundo o ex-ministro, o petista tinha ‘fundos’ no BTG, e suas ‘vantagens indevidas foram rentabilizadas’. O banco foi alvo de busca e apreensões da Polícia Federal e da Procuradoria da República no âmbito da Operação Estrela Cadente, etapa da Lava Jato deflagrada nesta quinta (3). A Selic é a taxa de juros que influencia todas as demais e ajuda a controlar a inflação. Ela é revista a cada 45 dias pelo Comitê de Políticas Monetárias (Copom), do Banco Central, a partir de indicadores da atividade econômica do País e do cenário externo. No anexo 9 de sua extensa delação premiada – ao todo, são 84 anexos -, Palocci afirma que, em agosto de 2011, o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega teria participado de uma reunião com o então presidente do BC, Alexandre Tombini, e a ex-presidente Dilma Rousseff. Na ocasião, Tombini foi informar a posição do BC em reduzir, pela primeira vez em dois anos, a taxa Selic de 12.5% para 12%. Foi a primeira vez que ocorreu uma guinada para baixo nos juros após tendência de alta que vinha ocorrendo desde 2009. Mantega então teria repassado a informação privilegiada para André Esteves, comunicando sobre a futura posição do BC em baixar a Selic. Defesas A reportagem fez contato com a assessoria do ex-presidente Lula. O espaço está aberto para manifestação.  A ex-presidente Dilma Rousseff "rechaça as insinuações contidas na delação do ex-ministro, convenientemente vazada pela Lava Jato, justamente quando as manobras ilegais e arbitrariedades estão sob escrutínio do STF". A assessoria de Dilma esclarece: 1) Não há provas que atestem a veracidade das informações prestadas pelo senhor Antonio Palocci à Polícia Federal. Ele mentiu e a imprensa continua a veicular suas acusações de maneira leviana. 2) A delação do senhor Antonio Palocci não apresenta provas ou sequer indícios de que a presidenta Dilma Rousseff teve conhecimento ou participação direta em supostas ilegalidades. Não há provas que atestem que ela sabia ou tivesse autorizado o BTG Pactual a ter acesso a quaisquer informações sigilosas no âmbito do governo federal, inclusive relativas às informações do Conselho de Política Monetária (Copom). 3) Presidentes da República jamais participaram, atuaram ou interfeririam em reuniões do Copom ou do Banco Central. 4) É lamentável que, mais uma vez, procedimentos judiciais – que correm sob segredo de Justiça – sejam vazados à imprensa. 5) Isso ocorre justamente quando pesam indícios de abusos e irregularidades cometidas por autoridades do Judiciário. Parece que o objetivo é tirar o foco das suspeitas de abuso de autoridade e conduta ilegal por parte dos operadores do Direito, conforme as revelações da Vaza Jato. 6) Tais “denúncias” chegam no momento em que vêm a público também revelações de abusos confirmados até pelo ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, em seu livro de memórias. 7) Em cinco anos de Lava Jato, jamais foram apresentadas provas de que a ex-presidenta Dilma Rousseff tivesse conhecimento ou participação em malfeitos. 8) A verdade já veio à tona. A Justiça prevalecerá. O criminalista Fabio Tofic Simantob, que defende o ex-ministro Guido Mantega, disse que "nem o Ministério Público Federal caiu na ladainha de Palocci". “Palocci fez um admirável feito”, diz Fabio Tofic Simantob. “Conseguiu juntar fatos aleatórios, sem qualquer relação uns com os outros, para criar uma narrativa falsa mas que fosse capaz de seduzir a polícia, já que nem o MPF caiu na sua ladainha.” O BTG Pactual esclarece que, "em relação às diversas notícias veiculadas sobre a operação denominada ‘Estrela Cadente’, recebemos pedidos de informação do MPF referentes à operações realizadas pelo Fundo Bintang". "O Fundo possuía um único cotista pessoa física, profissional do mercado financeiro que também era o gestor credenciado junto à CVM, que nunca foi funcionário do BTG Pactual ou teve qualquer vínculo profissional com o Banco ou qualquer de seus sócios. O Banco BTG Pactual exerceu apenas o papel de administrador do referido fundo, não tendo qualquer poder de gestão ou participação no mesmo.” Veja Mais

Greve da Aerolíneas Argentinas no final de semana pode afetar 75 mil passageiros

G1 Economia A estatal é a maior companhia aérea da Argentina. O sindicato dos pilotos exige uma recomposição salarial de 32%. Avião da Aerolíneas Argentinas Divulgação Os pilotos das empresas estatais que integram Aerolíneas Argentinas e Austral paralisarão os voos por 48 horas no próximo final de semana, em uma greve de dois dias. A paralisação dos pilotos afetará cerca de 75 mil passageiros, segundo cálculos da imprensa local. O grupo integrado por Aerolíneas e Austral tem uma frota de 80 aeronaves para voos domésticos e internacionais. O movimento serve para exigir um reajuste salarial diante da crescente inflação no país, informou um porta-voz sindical. A companhia, administrada pelo governo do presidente liberal Mauricio Macri, se manteve em silêncio. "Confirmamos a greve de dois dias. Rejeitamos a conciliação obrigatória que o governo pode tentar. Há meses que discutimos e a empresa não aceita recompor um só peso", disse o porta-voz Genaro Trucco em entrevista coletiva. "Estamos abertos ao diálogo, mas segue a postura de ignorar absolutamente nossa reclamação. Pedimos desculpas aos passageiros. O culpado pelos inconvenientes será o governo por sua intransigência", afirmou Trucco. O sindicato dos pilotos exige uma recomposição salarial de 32%. Até o momento, a empresa adotou um reajuste de 23%, mas a inflação anual calculada pelo Banco Central será de 55% em 2019. Até agosto, a inflação somava 30%. A companhia, privatizada na década de 1990, voltou ao controle do Estado na primeira década do século XXI. Veja Mais

Instagram lança 'Threads', aplicativo para troca de mensagens

em - tecnologia Nova função da plataforma permitirá troca de fotos, localização, nível de bateria e texto com amigos próximos Veja Mais

Red Hot Chili Peppers AO VIVO: assista ao show do Rock In Rio

R7 - Música O festival Rock In Rio 2019 chega ao seu quarto dia em 03 de Outubro e o headliner da noite é a banda californiana Red Hot Chili Peppers. O grupo volta ao Brasil cerca de um ano e meio após ser atração principal do festival Lollapalooza, em São Paulo, ainda carregando como mais recente disco na bagagem o álbum The Getaway, de 2016. Red Hot Chili Peppers Ao Vivo Pois bem, se você quer assistir à transmissão ao vivo do show do Red Hot Chili Peppers no Rock In Rio, tem algumas opções tanto na televisão quanto na Internet. A gente fez um post com os horários dos shows do Rock In Rio por aqui e explicando em detalhes como fazer para ver tudo em tempo real por aqui. Acompanhe também a cobertura em tempo real no Instagram do TMDQA! por aqui. Divirta-se! Veja Mais

Paulo Ricardo se apresenta no Rock in Rio 28 anos depois de seu primeiro show no festival

G1 Pop & Arte 'Parece um começo de carreira porque é um contexto completamente diferente. A música eletrônica é o novo rock', disse ele, que apresentou sua parceria com o DJ Beowulf. Paulo Ricardo comenta nervosismo ao se apresentar no Rock In Rio depois de 28 anos O cantor Paulo Ricardo disse nesta quinta-feira (3) que sentiu um “frio na barriga” ao se apresentar no Rock In Rio depois de 28 anos da sua primeira apresentação no festival. O cantor subiu ao palco do New Dance Order para apresentar uma parceria que fez com o DJ Beowulf. “Parece um começo de carreira porque é um contexto completamente diferente. A música eletrônica é o novo rock, pela ousadia, pela força, a sonoridade grave, pela pancada. Sonoramente falando, em termos de áudio, já deixou o rock para trás”, disse Paulo Ricardo. Ele contou ainda que a apresentação no festival foi feita no improviso por causa do pouco tempo que tiveram para ensaiar. A apresentação da dupla foi encerrada com uma música do Queen, banda que fez uma apresentação histórica no festival. “A gente criou uma amizade instantânea, fizemos a música em poucos dias. Mas na hora do palco, para mim é completamente diferente. É um desafio. O importante para o artista é ser desafiado. Isso é rock and roll”, comentou. “Pegadinha dele isso. Ontem à noite ele falou ‘vamos fazer o ‘Will rock you’ do Queen. Me deu cerca de 12 horas só para ensaiar. Mas é um clássico do rock e as pessoas acompanharam a gente. Foi perfeito. Fechamos com chave de ouro, Freddie Mercury que faz parte da história do Rock In Rio”. Veja Mais

Projeto restringe EAD em cursos de engenharia e saúde - 03/10/19

Projeto restringe EAD em cursos de engenharia e saúde - 03/10/19

Câmana dos Deputados A Comissão de Seguridade discutiu projeto que restringe a expansão na oferta de vagas no Ensino Superior na modalidade de Educação à Distância. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito

Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito

canaltech Carmen Blandin Tarleton, de 51 anos, foi umas das primeiras mulheres a realizar um transplante facial em 2013, e agora terá que voltar para a mesa de cirurgia, já que o corpo dela começou a rejeitar o rosto transplantado. Tarleton é uma vítima de violência doméstica, e em 2007 foi atacada pelo ex-marido, que a espancou com um taco de beisebol e queimou 80% do corpo dela com soda cáustica. Seis anos atrás, ela finalmente recebeu um transplante facial no Brigham and Woman’s Hospital, em Boston, que é onde também está fazendo todos os exames para a segunda cirurgia. Ainda que os médicos envolvidos tenham alertado que os órgãos transplantados tenham uma certa validade, a situação serve como lembrete de que, apesar dos recentes sucessos neste campo, o transplante de rosto ainda é algo experimental e os cientistas ainda possuem muitas dúvidas sobre os benefícios e os riscos da operação. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Desde a cirurgia, realizada em fevereiro de 2013, Tarleton já teve diversos episódios de rejeição do corpo ao seu novo rosto, e todos eles conseguiram ser tratados com medicamentos. Mas, no mês passado, os cirurgiões descobriram que alguns dos vasos sanguíneos que alimentavam o tecido transplantado foram acabaram diminuindo de tamanho e se fecharam sozinhos, causando necrose (morte das células) dos tecidos faciais remanescentes da paciente. Carmen Blandin Tarlento em sua primeira coletiva com a imprensa após o transplante de rosto, em 2013 (Imagem: Associated Press) A partir daí, dois cenários são possíveis: ou esse problema terá um progresso lento, o que permitiria que ela entrasse na fila e conseguisse um novo transplante de rosto, ou esse problema irá se alastrar bem rápido, o que obrigará os médicos a retirar todo o tecido transplantado e refazer o rosto da paciente do zero. O caso de Tarleton não é o primeiro a necessitar de um segundo transplante, e além dela um paciente francês precisou, no ano passado, fazer um segundo transplante facial, depois de o sistema imunológico dele rejeitar o órgão oito anos após o primeiro procedimento. No total, mais de 40 pacientes no mundo todo já se submeteram a um desses transplantes e, de acordo com o Dr. Brian Gastman (cirurgião que atua em uma clínica na cidade de Cleveland e que foi o primeiro a efetuar um transplante de rosto nos Estados Unidos), mais pacientes devem começar a sentir o efeito da rejeição nos próximos anos. Há uma crença entre a comunidade de pesquisadores que, em certo ponto da vida, todos os pacientes precisarão passar por um segundo transplante. Mesmo com todas essas complicações, Tarleton se diz não se arrepender nem um pouco do transplante, e que o faria de novo sem pestanejar, já que ele foi responsável por melhorar muito sua vida. Desde o transplante, a paciente aprendeu a tocar piano e banjo, perdeu quase dez quilos, faz caminhadas semanais, escreveu uma autobiografia e tem dado várias palestras sobre superação. Tudo isso ela só conseguiu fazer por conta da confiança que o novo rosto lhe proporcionou. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Aparelhos da Samsung agora também são compatíveis ao wireless do Android Auto Novos processadores da Intel podem ser piores do que os atuais da AMD Usuário de iPhone processa Apple na Rússia por "transformá-lo em gay" Veja Mais

Alok é a primeira atração confirmada do Rock in Rio 2021

G1 Pop & Arte DJ abriu o festival este ano e teve apresentação exaltada por Roberto Medina. Show que levantou o Palco Mundo foi eleito por leitores do G1 o melhor de sexta-feira (27). Medina confirma Alok como atração do Rock in Rio 2021 O DJ Alok é a primeira atração confirmada para o Rock in Rio 2021. A informação foi dada pelo presidente do festival, Roberto Medina. Com hits internacionais e mensagens motivacionais, Alok foi elogiado por Medina após a apresentação que abriu o Palco Mundo, no primeiro dia de festival, sexta-feira (27). Em enquete no G1, ele foi eleito o melhor show da abertura do evento. Alok abriu o palco Mundo no primeiro dia de Rock in Rio, na sexta (27) Alexandre Durão/G1 Alok, DJ mais conhecido do Brasil com alcance também internacional, conseguiu vencer as barreiras do nicho com batidas melódicas e letras em inglês de trânsito fácil nas rádios, como no hit "Hear me now", recebido num mar de celulares para o alto na plateia. Alok apresenta set de música eletrônica no Rock in Rio Alok abre o palco Mundo no primeiro dia de Rock in Rio, sexta (27) Alexandre Durão/G1 Initial plugin text Veja Mais

Pocah vai ao Rock in Rio com ex de Anitta e casal exibe anel de noivado

G1 Pop & Arte Cantora e Ronan Souza foram ao festival nesta quinta-feira (3). 'Ele fez uma surpresa para mim, com direito a flores e tudo', contou a funkeira, sobre a joia. Pocah está apaixonada e faz questão que todo mundo saiba. Nesta quinta-feira (3), a cantora foi ao Rock in Rio com Ronan Souza, ex de Anitta, e exibiu seu anel de noivado. "Esse anel é de compromisso por enquanto. Ele me fez uma surpresa anteontem, com direito a flores e tudo. Estamos juntos desde 6 de julho e fomos morar juntos com menos de um mês de namoro. Ele está me fazendo muito feliz, me faz sentir especial todos os dias", suspirou a funkeira. "Nossa paixão é intensa. Dei o anel para ela porque soube que só tinham oito no Brasil, um só aqui no Rio. E eu queria que fosse algo único", contou ele, que não quis revelar o preço da joia da grife Gucci. Quando questionada se os dois vão ao Rock in Rio no sábado (5), quando Anitta irá se apresentar, Pocah desconversou: "Sábado estou em Porto Alegre." Pcah e o noivo, Ronan Souza, no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Detalhe do anel de noivado de Pocah e Ronan Souza Juliana Maselli/G1 Pocah e Ronan Souza no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Pocah no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Veja Mais

Setlist de Red Hot Chili Peppers no Rock in Rio tem homenagem a Ric Ocasek e trilhas sonoras

G1 Pop & Arte 'By the way' e 'The getaway' são álbuns mais tocados no show, com três canções cada. Vocalista da banda da The Cars é lembrado com versão de 'Just what I needed'. O Red Hot Chili Peppers fará um show com homenagem a Ric Ocasek, antigo vocalista do The Cars que morreu no último dia 15 de setembro aos 75 anos, e duas músicas de trilhas sonoras. O quarteto se apresenta no palco Mundo do Rock in Rio 2019 nesta quinta-feira (3). Entra os discos mais tocados estão "By the way" e "The getaway", com três músicas cada. No setlist, uma das maiores ausências é a de "Under the bridge", segunda música mais tocada pelo grupo. De acordo com o site Setlist.com, "Sikamikanico", música lançada na trilha sonora de "Quanto mais idiota melhor" (1992), nunca foi tocada ao vivo pelo Red Hot. Veja abaixo o setlist do show: Initial plugin text "Can't stop" "The zypher song" "Dani California" "Hey" "Right on time" "The adventures of rain dance Maggie" "Sikamikanico" "Go robot" "Californication" "Just what I needed" "Aeroplane" "The power of equality" "Soul to squeeze" "By the way" "Goodbye angels" "Give it away" Veja Mais

Marcelo Mello Jr. evita falar sobre flagra indiscreto em sacada de hotel

G1 Pop & Arte Ator foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3) e não quis comentar sobre suas fotos com uma morena feitas por um paparazzo. Mas avisou: 'Estou solteiro' Marcelo Mello Jr curte quarta noite de Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Marcelo Mello Jr. foi ao Rock in Rio, nesta quinta-feira (3), e fugiu do assunto quando foi perguntado sobre as fotos indiscretas feitas por um paparazzo recentemente. Nas imagens, o ator aparece na sacada de um hotel, aparentemente em um momento quente com uma morena. “Eu falo de trabalho, que é a coisa que mais faço na vida. Da vida pessoal, não Mas tô solteiro.” Marcelo Mello Jr. no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Veja Mais

Hayabusa2 lança seu último veículo em asteroide e voltará à Terra em breve

Hayabusa2 lança seu último veículo em asteroide e voltará à Terra em breve

canaltech Depois de um dos seus últimos exercícios antes de voltar para casa, a sonda Hayabusa2 finalmente lançou seu último veículo espacial para explorar a superfície rochosa do asteroide Ryugu, e está mais próxima de trazer sua carga de amostras de volta à Terra. Desde o início da missão, que começou em em junho de 2018, a sonda já implantou outros três landers na superfície do asteroide, antes de começar a coletar suas amostras. A última tarefa é deixar no objeto rochoso seu veículo final, chamado MINERVA-II2. Esse processo começou na quarta-feira (2), quando a espaçonave principal se aproximou até 1 km acima da superfície do asteroide para liberar o MINERVA-II2 - uma distância muito maior do que na ocasião de lançamento dos veículos anteriores, o MINERVA-II1A e MINERVA-II1B, que foram implantados no asteroide a cerca de 50 metros acima da superfície. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A diferença entre as distâncias não foi por acaso. É que o MIVERVA-II2 está sendo usado para estudar o longo e lento caminho do rover até a superfície de Ryugu, enquanto a sonda principal observa a jornada a uma altitude de 8 a 10 km. A descida demorada também permitirá que os cientistas estudem com mais precisão o campo gravitacional exercido pelo asteroide. Após confirmar o sucesso da manobra, a equipe comemorou nas redes sociais, e publicou uma foto do MIVERVA-II2 capturada pela lente grande angular da câmera de navegação óptica da sonda. [MINERVA-II2] This is MINERVA-II2 captured by the wide-angle optical navigation camera (ONC-W2) immediately after separation. Radio-waves are also being received from MINERVA-II2. (Credit: JAXA, Chiba Institute of Technology & collaborators) pic.twitter.com/i6kAEftp1Q — HAYABUSA2@JAXA (@haya2e_jaxa) October 2, 2019 Antes de enviar o veículo de pouso, a Hayabusa2 lançou dois marcadores de alvo no asteroide, em uma manobra de teste realizada em 16 de setembro. Agora que a última tarefa cumprida com sucesso, espera-se que o rover MINERVA-II2 continue trabalhando até 8 de outubro, enquanto a sonda principal deverá voltar para a Terra antes do final deste ano, transportando o recipiente de amostras cheio de pedaços do Ryugu. A previsão é que ela chegue aos desertos do sul da Austrália no final de 2020. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Baco Exu é o mais celebrado em show com sincronia entre rappers e orquestra no Rock in Rio

G1 Pop & Arte Sucessos recentes do rap nacional ganharam versões com cordas e sopros no Palco Sunset. Músico baiano fascina público com rimas sobre sexo e racismo, mas lhe falta fôlego no palco. Hip Hop Hurricane interpreta "Te amo, Desgraça" no Rock in Rio Sucessos recentes do rap nacional apareceram em versões mais elaboradas no show Hip Hop Hurricane, nesta quinta-feira (3), no Palco Sunset do Rock in Rio. O encontro juntou Baco Exu do Blues, Rael e Rincon Sapiência, revelações do gênero no país, à Nova Orquestra, grupo que faz releituras clássicas de músicas populares. Também participou o cantor português de rap e R&B Agir. Veja FOTOS do show Acompanhe a cobertura AO VIVO O tempo inteiro juntos no palco, todos interagiram em sincronia - e mais que a média para os encontros do Sunset. Rael, do Hip Hop Hurricane, interpreta "Envolvidão" no Rock in Rio Novos arranjos Hits como "Ponta de lança", do repertório de Rincon, e a romântica "Envolvidão", de Rael, ganharam arranjos com batidas incrementadas por instrumentos de sopro e corda, Mas, de longe, o mais celebrado pelos fãs foi Baco, de faixas como "Te amo disgraça" e "Minotauro de Borges". O rapper baiano fez fama com pose de bad boy - ele se autointitula "Kanye West da Bahia" - e rimas sobre sexo, racismo e saúde mental. Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Não há dúvidas de que suas letras fascinam o público. Mas, no palco, ainda lhe faltam fôlego e uma dicção mais clara. De qualquer forma, a apresentação serviu como emblemática celebração ao rap, que ganhou mais espaço no Rock in Rio desde ano. Antes de "O hip hop é foda", gravada por Rael, o músico discursou: "A cultura hip hop ensinou que, se tivermos saúde, cultura, lazer e educação, pra que precisa de uma arma na minha mão?". Hip Hop Hurricane com Rael, Agir, Baco Exu do Blues, Rincon Sapiência e Nova Orquestra encerrou o palco Sunset nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Initial plugin text Veja Mais

José Loreto vai ao Rock in Rio e avisa: 'Tô solteiro'

G1 Pop & Arte Ator foi ao evento nesta quinta-feira (3). 'Vim curtir com amigos', contou. José Loreto no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 José Loreto foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3). “Tô solteiro e vim curtir com os amigos. O importante é se divertir. Rock in Rio é sempre histórico. Um festival desse tamanho não tem como deixar de vir", disse o ator. “Vim curtir Red Hot Chili Peppers, apesar de não ser muito do rock. Se tivesse um Caetano Veloso, Novos Baianos, ia curtir muito mais”, contou. Loreto pode não ser muito do rock, mas, na hora de escolher o look e posar para fotos, botou seu lado metaleiro para fora. “Apesar de estar todo de preto, tem detalhes do look de couro. É total black, mas nada discreto. Não sou ligado nesse lance de moda, mas gosto de me vestir bem.” Mais cedo, José Loreto jogou futebol com o baixista da banda Iron Maiden, Steve Harris. O grupo se apresenta no Rock in Rio nesta sexta-feira (4). José Loreto no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 José Loreto no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Veja Mais

Samsung terá que compensar usuários do Galaxy S4 por fraudar teste de benchmark

Samsung terá que compensar usuários do Galaxy S4 por fraudar teste de benchmark

canaltech Se você possui ou já teve um Galaxy S4, a Samsung está te devendo US$ 10. No ano de lançamento do aparelho, em 2013, a companhia sul-coreana se empolgou muito na hora de divulgar as especificações da novidade, e quando enviou o produto para testes de benchmark, acabou usando um código no firmware que melhorava o desempenho durante a análise, concedendo informações irreais sobre a sua capacidade. Após uma ação coletiva registrada em 2014, a Samsung fechou um acordo com a justiça para o pagamento da quantia de US$ 13,4 milhões, sendo US$ 2,8 milhões em custos de acordo e US$ 10,6 milhões como medidas cautelares. Assim, a companhia teria que usar esses US$ 2,8 milhões para pagar cada proprietário de um Galaxy S4, rendendo apenas US$ 10 a cada um. Imagem: Reprodução O relatório da acusação mostra que o processador do aparelho, Snapdragon 600, subia de 480 MHz para 532 MHz quando houvesse a execução de alguns softwares específicos para testes de benchmark, como Geekbench, Quadrant, Antutu, Linpack, SunSpider, Rightware e GFXBench. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mesmo com o acordo feito, a Samsung afirmou que nunca negou a prática, além de que não tinha a obrigação de informar que estes tipos de códigos haviam sido inseridos no firmware de seus produtos. Infelizmente, parece que apenas usuários dos Estados Unidos poderão receber a quantia, assim que receberem e-mails da Samsung informando o ocorrido. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Famosos trocam beijos no Rock in Rio; FOTOS

G1 Pop & Arte Nicole Bahls, Luiza Valdetaro e Paulo Ricardo estavam entre os artistas que curtiram o festival nesta quinta-feira (3) em clima romântico. Priscila Fantin e o namorado, Bruninho Lopes Dilson Silva/Agnews Luiza Valdetaro e o namorado, Eduardo Leo Franco/Agnews Paulo Ricardo e a mulher, Isabella Pinheiro, no Rock in Rio Graça Paes/Agnews Nicole Bahls e o marido, Marcelo Bimbi, no Rock in Rio Rogerio Fidalgo/Agnews Veja Mais

Nile Rodgers conduz festa com hits de Chic, Daft Punk e mais no Rock In Rio

Nile Rodgers conduz festa com hits de Chic, Daft Punk e mais no Rock In Rio

R7 - Música Nile Rodgers liderou uma imensa festa disco hoje mais cedo no Rock In Rio. O lendário músico conhecido pelo seu trabalho com o Chic entoou canções da banda como 'Everybody Dance' e 'I Want Your Love' antes de emendar uma sequência com 'covers' de canções em que participou, como o mega hit 'Get Lucky', ao lado do Daft Punk, e 'Let's Dance', sua parceria com David Bowie. (Foto: Marta Ayora / TMDQA!) Ao final do set vieram os dois mais importantes sucessos da banda, a ótima 'Le Freak' e 'Good Times', que como a gente te contou por aqui completou 40 anos de lançamento, é uma das músicas mais sampleadas da história e aparece em hits como a brasileiríssima '2345meia78', de Gabriel, o Pensador. Nile Rodgers e Chic no Rock In Rio [caption id='attachment_343609' align='alignnone' width='3000'] Nile Rodgers e Chic no Rock In Rio Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] O final, inclusive, veio com uma grande festa que teve até invasão de palco por parte de fãs e pessoas que ali trabalhavam, como apresentadores do Multishow. Foi uma festa Anos 80 com referências ao Studio 54, canções de Diana Ross, Duran Duran e mais. Foi divertido! Setlist [caption id='attachment_343610' align='alignnone' width='3000'] Nile Rodgers e Chic no Rock In Rio Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Chic Cheer (Chic) Dance, Dance, Dance (Yowsah, Yowsah, Yowsah) (Chic) Everybody Dance (Chic) I Want Your Love (Chic) I'm Coming Out (Diana Ross cover) Upside Down (Diana Ross cover) He's the Greatest Dancer / We Are Family (Sister Sledge cover) Lost in Music (Sister Sledge cover) (Apresentação da Banda) Notorious (Duran Duran cover) Get Lucky (Daft Punk cover) Let's Dance (David Bowie cover) Bis: Le Freak (Chic) Good Times (Chic) Veja Mais

Blue Origin recua: New Shepard não levará humanos à órbita em 2019

Blue Origin recua: New Shepard não levará humanos à órbita em 2019

canaltech A Blue Origin havia previsto que a sua espaçonave turística New Shepard começaria a transportar passageiros à órbita da Terra ainda em 2019, mas parece que a empresa de Jeff Bezos não vai conseguir cumprir essa meta. O diretor executivo da Blue Origin disse, na última quarta-feira (2), que é cada vez mais improvável o transporte de pessoas em seu veículo suborbital até o final deste ano. O motivo? Garantir a segurança dos passageiros. Em uma entrevista durante a conferência TechCrunch Disrupt SF 2019, que aconteceu em São Francisco, Bob Smith, chefe-executivo da Blue Origin, disse que a empresa estava "muito perto" de voos tripulados com a New Shepard, mas que ela pode não atingir o objetivo definido. “Eu nunca vou desistir da pressionar a equipe para realmente tentar fazê-lo este ano", disse ele. “É viável? Provavelmente não, porque 2019 está chegando rapidamente ao fim”. "Pisando nos freios" da New Shepard (Foto: Blue Origin) O último voo da New Shepard foi em 2 de maio, em uma missão não-tripulada chamada NS-11. Desde então, a empresa tem fornecido poucos detalhes sobre o avanço do programa, mesmo enquanto ainda mantinha o objetivo de transportar pessoas este ano. De acordo com Smith, a empresa “pisou um pouco nos feios”, por causa do trabalho de verificar se a nave está segura para as pessoas. “Estamos passando por todos os nossos sistemas e certificando-nos de que realmente temos todos esses sistemas corretamente". -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Smith também disse que a New Shepard tem pelo menos mais dois voos de teste planejados. "Se esses voos correrem muito bem, poderemos realmente levar as pessoas relativamente em breve", disse ele. "Caso contrário, vamos passar por isso metodicamente e garantir que só voaremos quando for seguro". Ele não divulgou quando o próximo voo de teste aconteceria, mas a empresa apresentou um pedido à Federal Communications Commission em 24 de setembro para transmitir telemetria da New Shepard em seu 12º voo. Esse voo aconteceria antes de 1º de novembro, de acordo com a solicitação. Voar na New Shepard vai custar caro A Blue Origin também divulgou alguns detalhes sobre as vendas das passagens para futuros turistas que quiserem se aventurar na órbita da Terra. "Não vai ser barato", disse Smith, sem especificar um valor específico. "Vai custar centenas de milhares de dólares". Ele acrescentou, no entanto, que a empresa procurará reduzir esse preço ao longo do tempo. "Vamos levar isso ao ponto em que as pessoas da classe média possam realmente usá-lo." Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Governo pretende fazer novas privatizações ainda em 2019

O Tempo - Política A meta de US$ 20 bilhões em venda de estatais já foi batida, mas o secretário Salim Mattar admitiu que os processos têm sido mais lentos do que esperava Veja Mais

Nile Rodgers & Chic no Rock in Rio 2019; veja FOTOS

G1 Pop & Arte Guitarrista e produtor de 66 anos tocou no Sunset em 2017, mas nesta quinta (3) o show foi no Palco Mundo. Nile Rodgers & Chic tocaram no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Veja Mais

Viviane Araújo, Lucy Alves e Dira Paes apostam em looks decotados no 4º dia de Rock in Rio; veja FOTOS

G1 Pop & Arte Luiza Valdetaro, Nathalia Dill e Virna também escolheram produções com decote nesta quinta (3). Lucy Alves no Rock in Rio 2019 Divulgação Luiza Valdetaro apostou em look branco decotado nesta quinta (4), no Rock in Rio 2019 Marcos Serra Lima/G1 Viviane Araújo curte quarto dia do Rock in Rio 2019 Marcos Serra Lima/G1 Nathalia Dill no Rock in Rio 2019 Marcos Serra Lima/G1 Dira Paes no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Virna curte Rock in Rio Daniel Pinheiro/AgNews Veja Mais

Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel

Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel

canaltech A atualização 19H2 do Windows 10 incluiu otimizações para melhorar o desempenho e a confiabilidade do sistema operacional — bem como seus aplicativos — em CPUs da Intel. Com a tecnologia Intel Turbo Boost Max 3.0, o SO usa as informações armazenadas na CPU para identificar quais núcleos são os mais rápidos e, em seguida, envia mais tarefas intensivas do processador para esses núcleos. Segundo a Intel, essa tecnologia "oferece desempenho 15% melhor com thread único". Embora o Windows 10 já tenha suporte nativo para o Turbo Boost Max Technology 3.0 e o Turbo Boost Technology 2.0, a Microsoft afirmou que o Windows 10 19H2 incluirá otimizações na maneira como as instruções são distribuídas para esses núcleos favoritos. Quando uma CPU é fabricada, nem todos os núcleos são criados iguais. Alguns deles podem ter características ligeiramente diferentes de voltagem e potência, o que lhes permite obter um "aumento" no desempenho. Esses núcleos são chamados de "núcleos favoritos", pois podem oferecer melhor desempenho do que os outros núcleos na matriz. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A Intel e a Microsoft já revelaram algumas das CPUs que receberão suporte para o Intel Turbo Boost Max 3.0 no momento: Intel® Core ™ i7-69xx / 68xx Intel® Core ™ i9-7900X / i9-7920X / i9-7940X / i9-7960X / i9-7980XE / i7-7820X / i7-9800X Intel® Core ™ i9-9820X ​​/ i9-99x0XE / i9-99x0X Família de produtos do processador Intel® Xeon® E5-1600 v4 (apenas um soquete) CPUs Intel de 10ª geração Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Aparelhos da Samsung agora também são compatíveis ao wireless do Android Auto Novos processadores da Intel podem ser piores do que os atuais da AMD Cães aprendem a "falar" e pedir ajuda a pessoas graças a colete inteligente Veja Mais

Governo revê cálculos, e número de estatais e subsidiárias passa de 133 para 205

G1 Economia Ministério da Economia diz que mudança se deve à inclusão no levantamento de subsidiárias que atuam no exterior e de Sociedades de Propósito Específico (SPEs). O Ministério da Economia informou nesta quinta-feira (3) que o governo federal possui 205 empresas estatais de controle direto ou subsidiárias. O balanço anterior, divulgado pela pasta em agosto, informava que eram 133 empresas. O secretário de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, Fernando Antônio Ribeiro Soares, afirma que mudança se deve à inclusão no levantamento de empresas subsidiárias que atuam no exterior e de Sociedades de Propósito Específico (SPEs), criadas em sociedade com empresas privadas para executar projetos determinados, especialmente no setor elétrico. Segundo o balanço divulgado nesta quinta, as estatais ainda possuem participações minoritárias em 432 empresas privadas – totalizando uma atuação da União em 637 empresas, entre públicas e privadas. “O que temos de controle [em empresas estatais], são 205 empresas. Todo o restante é participação que alguma estatal tem em uma empresa que é majoritariamente privada”, explicou Soares. De acordo com o Secretário de Desestatização, Desinvestimento e Mercados, Salim Mattar, o balanço traz “transparência para que a sociedade brasileira saiba onde o estado brasileiro está investindo”. O Ministério da Economia informou ainda que o governo já levantou R$ 96,2 bilhões (US$ 23,5 bilhões) em privatizações, desinvestimentos, concessões e venda de ativos neste ano. O valor ultrapassa a meta estabelecida pelo governo, de US$ 20 bilhões em 2019. A pasta não soube informar, no entanto, quanto do total efetivamente já entrou no caixa da União. Em agosto, o governo anunciou um plano para privatizar nove empresas estatais. Mattar afirmou que o valor subirá ainda mais até o final do ano e que o governo deve se concentrar na venda de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) em empresas de capital aberto. Veja Mais

Caixa pede que Justiça decrete falência da Odebrecht

G1 Economia Plano de recuperação judicial foi aprovado em junho deste ano pela Justiça. A Caixa Econômica Federal entrou com um pedido para que a Justiça decrete a falência da empreiteira Odebrecht. A companhia entrou em recuperação judicial em junho deste ano. O plano de recuperação judicial foi aprovado também em junho deste ano pela Justiça. A holding do conglomerado e mais 20 empresas listaram dívidas totais de cerca de R$ 98 bilhões, mas, desse total, só R$ 65,5 bilhões podem ser alvo de cobrança. Os outros R$ 33 bilhões são empréstimos trocados entre as companhias levadas para recuperação judicial. Logo da Odebrecht Paulo Whitaker/Reuters Em documento entregue na 1ª Vara de Falências de São Paulo, a Caixa diz que, no prazo concedido de 60 dias, as empresas recuperandas "foram incapazes de evoluir minimamente em negociações com seus credores até mesmo para propor uma forma de pagamento básica." O banco também pede a convocação de assembleia credores para deliberar sobre o plano de recuperação judicial e a substituição da atual administração. Procurada, a Caixa disse que "não comenta processo pendente de decisão judicial". O plano de recuperação da Odebrecht também foi questionado por outras instituições. Na semana passada, o Banco do Brasil pediu que a empreiteira apresente um novo plano. Questionado sobre a medida, o BB disse que "não iria se manifestar". Dívida da empresa Os bancos públicos têm R$ 22,8 bilhões a receber da Odebrecht. Desse montante, R$ 10 bilhões são devidos ao BNDES; R$ 7,8 bilhões ao Banco do Brasil; e outros R$ 5 bilhões à Caixa Econômica Federal. Já os bancos privados têm R$ 8,4 bilhões a receber: Bradesco R$ 4,4 bilhões; Itaú R$ 3,5 bilhões; e Santander R$ 500 milhões. Dívida da Odebrecht com os maiores bancos Arte/G1 Por meio de nota, a Odebrecht afirmou que ainda não teve tempo de "tomar conhecimento das petições" e disse que é natural que, nos processos de recuperação judicial, os credores "façam questionamentos nas diversas fases do processo". "A Odebrecht está em processo de negociação construtiva com os seus principais credores e confia em que o seu plano de recuperação será aprovado para a preservação dos seus mais de 40 mil empregos”, informou a companhia. Odebrecht em recuperação judicial Infografia: Juliane Monteiro/G1 Veja Mais

Emicida e Ibeyi no Rock in Rio 2019; FOTOS

G1 Pop & Arte Artistas gravaram 'Hacia El Amor' e 'Libre' juntos e cantaram as músicas nesta quinta (3) no palco Sunset. Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Emicida e Ibeyi cantaram no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Público assiste ao show de Emicida e Ibeyi no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Público assiste ao show de Emicida e Ibeyi no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Público curte show de Emicida e Ibeyi no palco Sunset nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Marcelo Brandt/G1 Veja Mais

Maia defende que pacto federativo seja refeito - 03/10/19

Maia defende que pacto federativo seja refeito - 03/10/19

Câmana dos Deputados O governo vai encaminhar uma proposta de reforma tributária ao Legislativo. A informação foi dada nesta quinta-feira pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, ao sair de reunião no Ministério da Economia com o ministro Paulo Guedes. Na entrevista, o deputado Rodrigo Maia também defendeu que seja refeito o chamado pacto federativo, que trata da divisão de recursos entre União, estados e municípios. O motivo apontado pelo deputado Rodrigo Maia é a redução na expectativa de ganhos com a reforma da previdência da forma como foi aprovada em primeiro turno no Senado esta semana. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Rock in Rio 2019 ao vivo: Emicida e Ibeyi cantam no Palco Sunset

G1 Pop & Arte G1 vai transmitir todos os shows do Palco Mundo. Capital inicial, Nile Rodgers & Chic, Red Hot e Panic! At The Disco estão entre as atrações do dia. Rock in Rio 2019 ao vivo: Emicida e Ibeyi cantam no Palco Sunset G1 vai transmitir todos os shows do Palco Mundo. Capital inicial, Nile Rodgers & Chic, Red Hot e Panic! At The Disco estão entre as atrações do dia. Capital inicial abriu Palco Mundo . Nile Rodgers & Chic, Panic! At The Disco e Red Hot Chilli Peppers também vão tocar no palco principal. Sunset teve Pará Pop e Francisco, el Hombre. Hip Hop Hurricane com Nova Orquestra, Rael, Agir, Baco Exu do Blues e Rincon Sapiência fecha programação do Sunset Veja Mais

Steve Harris, baixista do Iron Maiden, joga futebol com José Loreto e ex-jogadores no Rio

G1 Pop & Arte Banda de heavy metal é headliner do Rock in Rio nesta sexta (4). Steve Harris, do Iron Maiden, joga futebol com José Loreto no Rio Reprodução Steve Harris, baixista e compositor do Iron Maiden, jogou futebol com José Loreto no Rio de Janeiro nesta quinta (3). Luizão e Djalminha, ex-jogadores, também participaram do jogo. Bebeto também estava com o grupo. A banda de heavy metal é headliner do Rock in Rio nesta sexta (4). Veja Mais

Exame compara “doença dos vapes” a exposição ao gás mostarda

Exame compara “doença dos vapes” a exposição ao gás mostarda

canaltech A “crise dos vapes” continua mundo afora, com muitas autoridades condenando o uso de substâncias e determinados tipos de cigarros eletrônicos. E um exame publicado no The New England Journal of Medicine na quarta-feira (4) vem para aumentar ainda mais o alerta: uma investigação minuciosa no tecido pulmonar de 17 pessoas em casos graves relacionados ao vaping apresentou um tipo de dano observado normalmente em vítimas de gases tóxicos e armas químicas, como o gás mostarda. A preocupação é mundial porque não está claro para ninguém o que é exatamente o causador da série de lesões pulmonares em vários países. No dia 1º de outubro houve 1.080 registros de ocorrências nos Estados Unidos, incluindo 18 mortes em 15 estados, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês).  (Imagem: Reprodução/Vapes.com) Os pesquisadores atualmente vêm procurando por contaminantes químicos e produtos falsificados, principalmente os que contêm THC, o principal ingrediente psicoativo da maconha. Quase 80% dos 578 pacientes avaliados pelo CDC relataram ter usado produtos com THC nos meses antes de adoecer. Algumas das marcas citadas incluem Dank Vapes, Moon Rocks, Off White e TKO, de acordo com o The New York Times.  -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Leia mais: Cigarro eletrônico | O que é e como ele pode ser prejudicial para sua saúde Surto continua em ritmo acelerado Em todos os casos atendidos até agora, os patologistas encontraram lesão aguda no tecido, inflamação e congestão nas pequenas vias aéreas e células “espumosas”. O surto "continua em ritmo acelerado", disse Anne Schuchat, principal diretora adjunta do CDC. "Para ser sincero, os casos se parecem com o que você esperaria ver em um trabalhador em um acidente industrial, onde um grande barril de produtos químicos tóxicos derrama e essa pessoa é exposta a vapores tóxicos, com uma queimadura química nas vias aéreas", explicou o Dr. Brandon Larsen, patologista cirúrgico da Clínica Mayo em Scottsdale e autor do relatório do CDC. (Imagem: Reprodução) Os médicos não têm certeza da recuperação a longo prazo ou das consequências para os sobreviventes. "Com base na gravidade da lesão que vemos, pelo menos em alguns desses casos, eu não ficaria surpreso se acabarmos com pessoas desenvolvendo problemas respiratórios crônicos", comentou Larsen. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

GABIGOL DESEMBARCA NO RIO E FALA COM OS CANAIS FOX SPORTS!

GABIGOL DESEMBARCA NO RIO E FALA COM OS CANAIS FOX SPORTS!

Fox Sports Brasil Após empate do Flamengo com o Grêmio no primeiro jogo da semifinal da Libertadores, o atacante falou sobre foco na Seleção Brasileira e lesões divulgadas nesta quinta-feira. Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Flamengo #Gabigol #Libertadores Veja Mais

TJ-RJ libera a entrada de menores de quatro anos no Rock in Rio

G1 Pop & Arte Decisão é do presidente do tribunal, Cláudio Mello Tavares. Crianças poderão estar no local do festival desde que acompanhadas por pais ou responsáveis. Famílias afirmam que foram surpreendidas com decisão de não permitir entrada de menores de 5 anos no Rock in Rio Elisa Soupin/G1 O presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, o desembargador Cláudio Mello Tavares decidiu, na noite desta quinta-feira (3), liberar a presença de crianças, menores de quatro anos, no Rock in Rio. Nesta tarde, uma decisão da 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Rio de Janeiro proibia a entrada de menores de 5 anos no festival. Um oficial de Justiça levará a decisão ainda nesta noite até a organização do festival. De acordo com a decisão, os menores de quatro anos podem entrar e permanecer na área do festival desde que acompanhados dos pais ou responsáveis. "É cabível a medida excepcional, tendo em vista a notoriedade do evento e os interesses envolvidos, inclusive a segurança das famílias (pais e filhos menores de idade aguardando um desfecho dessa situação", escreveu o presidente do TJ-RJ. Com a decisão do desembargador Cláudio Mello Tavares se torna inválida qualquer multa que possa ter sido aplicada a quem entrou na área do evento com menores. Elisa Firmino saiu de Rio das Ostras e não conseguiu entrar no Rock in Rio com o filho Elisa Soupin/G1 Veja Mais

Flávia Alessandra exibe boa forma no Rock in Rio: 'Tenho genética muito boa'

G1 Pop & Arte A atriz foi ao evento nesta quinta-feira (3) usando um vestido decotado e curtinho. Flávia Alessandra no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Flávia Alessandra desfilou seu bronzeado nesta quinta-feira (3), em um camarote no Rock in Rio. De vestido curtinho e decotado, a atriz mostrou sua ótima forma. “É o equilíbrio de uma vida. Tenho uma genética muito boa. Meus pais são muito jovens de alma. Com certeza, herdei essa jovialidade deles. Mas tem toda uma disciplina com alimentação, nada rígido. Faço tudo com equilíbrio. Pratiquei esporte a vida inteira. Não é uma busca, uma obsessão.” Flávia estava acompanhada do marido, Otaviano Costa. "Eu estava há um tempo sem sair com meu marido, hoje resolvi me produzir mais. A nossa vida não está se encontrando, e hoje foi uma oportunidade de sairmos juntos, saída de casal”, contou ela. Otaviano, aliás, era só elogios: "Adorei a produção, ela é linda. Eu fico paquerando ela se aprontar em casa, se maquiando. Sou apaixonado.” Flávia Alessandra no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Flávia Alessandra e Otaviano Costa no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Flávia Alessandra e Otaviano Costa no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Murilo Rosa, Fernanda Tavares, Otaviano Costa e Flávia Alessandra no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Veja Mais

Gestão Doria pede adesão a plano de escolas cívico-militares de Bolsonaro

O Tempo - Política O anúncio foi feito pelo secretário estadual do setor, Rossieli Soares, um dia depois de ter dito que não havia entendido o programa federal Veja Mais

Em show climático e catártico, Emicida e Ibeyi fazem uma das melhores apresentações do Rock in Rio

Em show climático e catártico, Emicida e Ibeyi fazem uma das melhores apresentações do Rock in Rio

R7 - Música Universos à parte, o afroindie eletrônico minimalista das gêmeas franco-cubanas Ibeyi e os versos raivosos do subúrbio paulistano de Emicida já vinham se “namorando” há algum tempo com participações em shows e duas faixas de estúdio (“Hacia El Amor” e a recente “Libre”). Mas o que foi visto no início da noite de abertura do segundo fim de semana de Rock in Rio foi muito além da expectativas. A junção de sonoridades tão diferentes impulsionou os discursos potentes dos dois artistas para uma das performances mais incisivas e emocionantes dessa edição do festival. (Foto por Marta Ayora / TMDQA!) Emicida e Ibeyi [caption id='attachment_343615' align='alignnone' width='1000'] Ibeyi no Rock In Rio 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Emicida e Ibeyi usaram a premissa dos encontros musicais, que marca o palco Sunset, à risca e estiveram juntos no palco durante quase todo o show, em uma apresentação visivelmente criada com cuidado e bem ensaiada. As percussões e synths do set das gêmeas se uniram com a banda de Emicida acrescida de um trio de metais, gerando arranjos incríveis. O show começou de forma explosiva com “Bang”, seguida pela poderosa “Deathless”. No início da música, o telão mostrava uma homenagem para a menina Ágatha, covardemente assassinada no Rio de Janeiro. Seria só o começo de uma sequência de intensos discursos presentes nos versos entoados no palco. https://open.spotify.com/playlist/05jyAgzDISm9DyKJt4WUj1?si=jWOdKqy8QiGYzfmwMGVaNw Se músicas como “Pantera Negra”, “Passarinhos” e “A Chapa é Quente” fizeram o público da Cidade do Rock pular, foram momentos como “No Man Is Big Enough for My Arms”, com imagens de grandes mulheres negras no telão, e a emocionante participação surpresa de Majur em “AmarElo” que levaram a performance para outro patamar. No fim de “Levanta e Anda”, eles puxaram versos do clássico “Rap Do Silva”, do MC Bob Rum, ligando a perseguição ao funkeiro do clássico da música carioca com a prisão do DJ. produtor, agitador cultural e indicado ao Grammy Latino Rennan da Penha. A reação do público foi calorosa. [caption id='attachment_343616' align='alignnone' width='1000'] Emicida no Palco Sunset do Rock In Rio 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Marta Ayora / TMDQA![/caption] Outro ponto alto foi “River”, uma das melhores músicas da discografia do Ibeyi, acrescida de um freestyle de Emicida, relembrando seus tempos de rinha de MCs onde fez seu nome. O fim da música, com uma oração em iorubá a capella, foi um resumo emocionante da mistura de ancestralidade, política e valorização dos corpos e cultura negros. Mais uma prova de que Emicida é um dos artistas mais importantes em atividade no país, o show foi, com sobras, um dos melhores do Rock in Rio até aqui. Veja Mais

Câmara é Notícia 21h | Aprovado divórcio vítimas de violência - 03/10/2019

Câmara é Notícia 21h | Aprovado divórcio vítimas de violência - 03/10/2019

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Aliens existem? Entenda a relação de Tom DeLonge, do Blink-182, com OVNIS

Aliens existem? Entenda a relação de Tom DeLonge, do Blink-182, com OVNIS

canaltech Tom DeLonge se tornou uma figura pública em meados dos anos 1990 e na década de 2000, graças à criação da sua banda Blink-182. Guitarrista e vocalista, era nas músicas e clipes do grupo que Tom e os integrantes — Mark Hoppus e Travis Barker — começaram a popularizar o punk rock, praticamente criando um gênero que iria influenciar diversas bandas no futuro: o pop punk. Mas nem só de música, shows e videoclipes nas paradas da MTV vivia Tom DeLonge. Desde muito tempo atrás, o músico sempre mostrou interesse por alienígenas, pelo espaço, e hoje dedica uma boa parte do seu tempo para a investigação da vida fora da Terra. Uma das músicas do Blink-182, por exemplo, se chama Aliens Exist, do álbum Enema of the State, de 1999. Travis Barker, Tom DeLonge e Mark Hoppus (Imagem: Reprodução) "Ei, mãe, tem algo na sala de trás. Espero que não sejam as criaturas lá de cima". -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- "Nós todos sabemos que conspirações são burras. E se as pessoas soubessem que isso é real, eu deixaria a porta do meu armário aberta a noite toda". "Eu sei que a CIA diria que tudo o que ouvimos são boatos. Eu queria que alguém me dissesse que isso era certo". "Eu recebi uma injeção. Do medo da abdução, meus melhores amigos acham que eu estou contando mentiras". Essas são algumas das frases da música escrita por Tom, que é cantada junto às melodias suaves e o típico ritmo acelerado do pop punk.   Hoje, Tom DeLonge não está mais na banda que ajudou a fundar, sendo substituído por Matt Skiba, que já estava imerso no universo do punk rock norte-americano com a sua banda Alkaline Trio. Brigas, expulsão, objetivos diferentes, novos própósitos, cansaço, idade... muito se falou sobre a saída de Tom da banda ao longo de alguns anos de conflitos e rumores. E Tom se dedica, atualmente, à sua banda paralela Angels and Airwaves, bem como à corporação To The Stars Academy, onde é presidente do conselho e ajudou na fundação. Imagem: Reprodução Como tudo começou Em entrevista ao The New York Times, DeLonge contou que sempre achou a ficção científica fascinante, desde quando ainda era muito criança. "Eu e meu irmão gostávamos muito dessa 'coisa de Star Wars' nos anos 1980. Isso só me levou a pensar mais além". O músico conta que quando criou a banda Angels and Airwaves, começou a rever a sua vida, quem ele era, o que queria ser e para onde queria ir, contando ainda que não podia revelar a ninguém sobre o que já estava estudando. No início, foi difícil levar os objetivos e os rumores que circulavam sobre a carreira de Tom a sério, visto que a banda Blink-182 sempre foi muito "brincalhona" e extrovertida. Tom DeLonge, o Tom do Blink 182, envolvido com o governo norte-americano para pesquisa UFOs? Aquele que aparece pelado em um clipe ou ainda tirando sarro das boy bands dos anos 1990? Tudo parecia muito surreal para ser verdade no começo. Tom e sua banda Angels and Airwaves (Imagem: Reprodução) "O meu intelecto, seja qual for o nível em que estiver, é o que levou essa reunião a gerar frutos. Eu acho que, pela minha perspectiva, o mais importante é que eu estava focado em ser eloquente. Ser humilde com o assunto porque ele não é uma piada. Eu precisava ser respeitoso sobre o que eu estava dizendo, como eu estava dizendo. Eu acho que, devido a todas essas coisas, eu ganhei confiança e consegui mais reuniões. Foi um processo, não aconteceu do dia para a noite, levou alguns anos", disse Tom sobre a sua colaboração com o governo dos Estados Unidos. Progresso nas pesquisas Recentemente, o processo de pesquisa e estudo de Tom mostrou avanços. A To The Stars Academy nasceu oficialmente em 2017 e hoje conta com 12 pessoas na equipe, entre ex-funcionários do governo dos EUA, que têm o objetivo de levar o conhecimento sobre fenômenos científicos à sociedade por meio do entretenimento, da ciência e do segmento aeroespacial. No mês passado, a To The Stars Academy virou assunto na mídia quando a marinha norte-americana confirmou a presença de OVNIs em vídeos divulgados pela organização. Os vídeos em questão, alguns gravados em San Diego, na Califórnia, mostram objetos voadores não-identificados nem mesmo pela marinha, visto em que a área em que o flagra foi feito é controlado pelo governo. Como descreve a publicação original sobre os vídeos no site da To The Stars Academy, o objeto se torna não-identificado por não aparecer asas ou caudas, e por não haver rastros de trajeto do objeto, como fumaça. Mesmo que não se tenha ideia do que podem ser esses objetos, o veredito da marinha é um grande avanço para Tom DeLonge e seus estudos. Imagem: Reprodução Próximos passos do projeto Depois dessa notícia, a equipe da organização disse que está pronta para fazer uma nova revelação, contando que tem em mãos "amostras de materiais exóticos de OVNIs". Em julho deste ano,a To The Stars Academy publicou no Twitter uma imagem e a legenda: "A estrutura e composição desses materiais não são de conhecimento de nenhuma aplicação militar ou comercial existente. Estamos focando em fator verificáveis e trabalhando no desenvolvimento de provas científicas independentes das propriedades e atributos desses materiais". “The structure & composition of these materials are not from any known existing military or commercial application,” says COO Steve Justice "we are focusing on verifiable facts and working to develop independent scientific proof of the materials' properties & attributes." pic.twitter.com/GUbPBSPl7M — To The Stars Academy (@TTSAcademy) July 25, 2019 Luiz Elizondo, que trabalha ao lado de DeLonge na companhia, conta que estão em busca de pessoas qualificadas das instituições mais respeitáveis para conduzir análises científicas. Essas verificações incluem examinação física, química, molecular e até nuclear. Luiz Elizondo (Imagem: Reprodução) Não há planos, no entanto, de que mais informações sobre os materiais sejam divulgados tão cedo. "A última coisa que queremos é chegar à qualquer conclusão prematura. Por fim, apenas os dados vão decidir o que algo é ou não", diz Elizondo. History Channel A To The Stars Academy foi reconhecida, ainda em 2017, pela equipe do canal pago History Channel, quando Luis Elizondo confirmou ao mundo que o governo dos Estados Unidos possui um programa secreto para estudar a vida extraterrestre. Tom DeLonge e Luiz Elizondo (Imagem: Reprodução) Tudo isso rendeu na produção de uma série limitada chamada Unindentifies: Inside America's UFO Investigation, contando com seis partes. No programa, Elizondo apresenta ao público detalhes sobre essa investigação ao lado de Tom DeLonge e Chris Mellon, ex-funcionário da inteligência.   Tom DeLonge já viu OVNIs? Assim como muitas pessoas,Tom DeLonge afirma já sim avistado objetos voadores não-identificados em sua vida. Ele conta que, quando as situações aconteceram, ele ficou muito impressionado pois sabia que satélites, por exemplo, não se mexem da forma na qual os objetos avistados estavam fazendo. Mas quando o assunto são OVNIs, é sempre importante ressaltar que objetos voadores não-identificados são uma coisa, naves espaciais com alienígenas em seu interior são outra. OVNIs existem e recebem este nome justamente pelo fato de tais objetos não terem sido identificados, o que não significa que se tratem de algo vindo de outro planeta, nem mesmo se fenômenos paranormais. Já alienígenas... bem, a busca por eles continua, mas até agora a ciência não tem comprovação nenhuma de que eles existem — muito menos que têm nos visitado! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Maraisa exibe tanquinho no Rock in Rio após dieta

G1 Pop & Arte Cantora esteve em um camarote do evento nesta quinta-feira (3), com um look decotado, e falou sobre maior dificuldade na hora de fazer regime: 'O mais difícil é com a cachaça', brincou. Maraisa no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Maraisa foi ao Rock in Rio, nesta quinta-feira (3), com um look decotado, exibindo sua forma após uma dieta radical. "Eu estou no processo ainda. Perdi sete quilos nos últimos meses, mas ainda tenho que perder gordura do corpo. Estou com 32%, que ainda é bem alto. Mas antes estava com 37%", contou ela, que tem 1,53m, está pesando 54 quilos e vestindo 34. ASSISTA AOS SHOWS DO PALCO MUNDO AO VIVO Maraisa segue um plano alimentar prescrito pela ex-BBB Mayra Cardi — que também já atendeu famosas como Anitta. "Não tem remédio nem nada. Tudo com alimentação. Como nos horários certos, em pequenas quantidades. Estou treinando duas vezes por semana, porque não tenho tempo para mais. Mas nada muito pesado. Tenho tentado segurar a boca. O mais difícil é com a cachaça. Em um evento como esse tem que beber (risos)", disse a cantora. FOTOS: FAMOSAS APOSTAM EM DECOTES PARA IR AO ROCK IN RIO "Essa mudança está me dando mais gás, estou amando. Estou fazendo pela qualidade de vida, para ter mais alegria para o povo. Mas estou me sentindo mais mulher. Está sendo superlegal", contou ela, que está solteira. "Maiara está namorando. Estava comigo e desceu em São Paulo para ficar com o Fernando. Marília (Mendonça) está grávida. Eu sou a última das moicanas, tô solteira. Se eu notar um olhar diferente hoje, beijo mesmo. Não vou perder a oportunidade. Porque tá difícil (risos)! Sou normal". Animada, ainda fez um pedido para o fotógrafo: "Escolhe a minha melhor foto. Estou solteira e estou precisando arrumar alguém (risos)”. Maraisa no Rock in Rio Marcos Serra Lima/G1 Maraisa no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Maraisa no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Maraisa no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Veja Mais

Coringa arrecada US$ 5,4 milhões nas primeiras exibições

Coringa arrecada US$ 5,4 milhões nas primeiras exibições

canaltech Finalmente chegou o período de estreia de Coringa, o filme solo do palhaço da DC. Ele já foi exibido na Coreia do Sul, Indonésia, Índia e Bélgica, e só nas primeiras exibições, alcançou a bagatela de US$ 5,4 milhões (o equivalente a R$ 22 milhões). Nesta quinta (3), o longa-metragem chegou ao Brasil, Itália, Rússia e Austrália. Na próxima sexta-feira (4), lança em outros 26 países, como Espanha, Reino Unido, Japão e México, junto com os Estados Unidos. O filme, que ganhou o Leão de Ouro no Festival de Veneza, fez o maior sucesso até agora na Coreia do Sul, com uma estreia que levou a alcançar US$ 2,3 milhões (R$ 9,3 milhões).  A Índia gerou US$ 900 mil (R$ 3,6 milhões) no dia do lançamento. A Indonésia recebeu US$ 846 mil (R$, 3,4 milhões) em 1.197 exibições. Na Bélgica, Coringa arrecadou US$ 170 mil (R$ 694 mil) por enquanto. Coringa está fazendo sucesso no período de estreia em alguns países Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! O filme foi produzido por Phillips, Bradley Cooper (Nasce uma Estrela) e Emma Tillinger Koskoff (O Lobo de Wall Street). Os produtores executivos foram Michael E. Uslan, Walter Hamada, Aaron L. Gilbert, Joseph Garner, Richard Baratta e Bruce Berman. Por sua vez, o elenco conta com nomes de peso como Robert De Niro (O Poderoso Chefão 2), Zazie Beetz (Deadpool 2), Frances Conroy (American Horror Story), Brett Cullen (Narcos), Glenn Fleshler (Billions), Bill Camp (Operação Red Sparrow), Shea Whigham (Kong: A Ilha da Caveira), Marc Maron (GLOW), Douglas Hodge (Operação Red Sparrow), Josh Pais (Brooklyn Sem Pai Nem Mãe) e Leigh Gill (Game of Thrones). -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- "É uma história original e fictícia sobre o icônico vilão nunca antes vista no cinema. A versão de Phillips sobre Arthur Fleck, interpretado de maneira memorável por Joaquin Phoenix, mostra um homem lutando para se integrar à sociedade despedaçada de Gotham. Trabalhando como palhaço durante o dia, ele tenta a sorte como comediante de stand-up à noite... mas descobre que a piada é sempre ele mesmo. Preso em uma existência cíclica, oscilando entre a realidade e a loucura, Arthur toma uma decisão equivocada que causa uma reação em cadeia, com consequências cada vez mais graves e letais, nesta exploração ousada do personagem", diz a Warner a repseito da trama que envolve o filme em questão. Coringa traz a história do maior vilão da DC Durante o Festival de Cinema de Veneza no início de setembro, a produção dirigida por Todd Phillips foi aplaudida em pé e ovacionada durante oito minutos ininterruptos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Sobre caso Adélio, Bolsonaro diz que pretende 'ir atrás dos mandantes'

O Tempo - Política O presidente disse que a PF teve informações de que um dos advogados 'agiu de modo errado' e, por isso, 'fez busca e apreensão no escritório dele' Veja Mais

Filha de Kelly Key e Latino fala sobre trabalho de blogueira: 'Melhora a autoestima'

G1 Pop & Arte Suzanna de Freitas, que tem 1,8 milhão de seguidores no Instagram, foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3) com o namorado, Gabriel. Suzanna de Feritas e o namorado, Gabriel, no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Filha dos cantores Kelly Key e Latino, Suzanna de Freitas foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3). Acompanhada do namorado, Gabriel, ela falou sobre seu trabalho de blogueira — ela tem 1,8 milhão de seguidores no Instagram. "Trabalhar como digital influencer, querendo ou não, melhora a autoestima. E, na minha rede social, tenho pessoas muito legais. Eu me sinto bem comigo", comentou. Aos 18 anos, Suzanna diz que não liga para as comparações entre ela e a mãe. "As comparações com a minha mãe nunca foram um problema para mim. Mas acho que tenho ficado cada vez menos parecida com ela. E agora nós duas trabalhamos como digital influencer. Admiro minha mãe como mulher e artista", disse ela, que tem se inspirado na mãe para ter uma vida mais saudável. "Eu não ia com a minha mãe para a academia. Agora acertei meus horários e comecei a acompanhá-la, porque já não me alimento bem e não dá para ficar parada". Suzanna de Feritas no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Veja Mais

Os melhores apps Android da semana (4/10/2019)

Os melhores apps Android da semana (4/10/2019)

canaltech Mais uma semana quase chegando ao fim e, novamente, o Canaltech vem com uma lista de aplicativos que prometem ocupar bastante tempo de interação com o seu smartphone Android. Mais uma vez, fizemos uma curadoria que apelasse a todos os gostos, trazendo sugestões que vão de jogos de tiro e esporte a plataforma de cursos online, reparo de bateria e até efeitos especiais de câmera. Confira abaixo a nossa lista, e se você souber de algum app que valha à pena testarmos, deixe sugestões nos comentários abaixo! Call of Duty Mobile Uma das maiores franquias de jogos de tiro em primeira pessoa (FPS) do mercado de jogos finalmente faz a sua estreia nas plataformas de bolso. Call of Duty Mobile traz toda a jogabilidade que conhecemos dos consoles de mesa, adaptadas para o controle intuitivo da tela sensível ao toque: no lado esquerdo, você locomove o seu personagem; no direito, controla a sua mira. Os disparos são automáticos e há até a presença de mapas conhecidos do público, como Nuketown. Uma miniloja serve para a aquisição de armas e equipamentos. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- (Captura: Rafael Arbulu/Canaltech) Touchgrind BMX 2 O fato de este ser o jogo número 2 demonstra o sucesso da primeira edição: essa produção móvel da Illusion Labs, aprimora a visão do primeiro título, trazendo mais manobras e opções de customização de sua bike, bem como duelos com outros jogadores e um bom volume de pistas de terra e urbanas, com saltos bem profundos para que você consiga executar as manobras mais insanas. Você pode demorar um pouco para se habituar aos controles — um dedo fica no guidão e o outro, no assento —, mas sentirá enorme satisfação quando conseguir realizar manobras completas com a maestria de um autêntico Dave Mirra dos smartphones. (Captura: Rafael Arbulu/Canaltech) Huji Cam Quem não se lembra das câmeras fotográficas da década de 1990, com aquelas distorções de luz originadas pela ausência de compensação de brilho — algo que somente a tecnologia moderna nos trouxe e, hoje, nos é tão comum? Por meio de filtros que são impossíveis de antecipar por parte do usuário (essa é a graça: cada foto traz uma surpresa), o app foi febre em 2017 e segue com uma boa quantidade de fãs até hoje. Nele, é possível até mesmo tirar fotos no mesmo processo dos anos 90: uma janelinha na qual você deve encostar o olho para enxergar o quadro. Vale pelo valor nostálgico. (Captura: Rafael Arbulu/Canaltech) Battery Repair Life PRO Não se iluda com o “PRO” no título: Battery Life é totalmente gratuito (ainda que tenha diversos anúncios). A promessa dele é bem simples: seu funcionamento analisa todas as células que compõem a sua bateria, identificando aquelas que estão saudáveis, com baixo desempenho ou totalmente inativas (popularmente conhecido como “bateria vazada”). Com um simples comando de conserto, o app promete reparar as células e estender a vida útil da bateria como um todo. A recomendação é que a análise e os consertos sejam executados uma vez por semana, com progressos sendo notados a partir da terceira ou quarta análise. Você não gasta mais do que três cliques e dois minutos, então vale a pena para você assegurar uma saúde a mais para seu smartphone. (Captura: Rafael Arbulu/Canaltech) Google Primer Cursos online e educação à distância são o novo modernismo no aprendizado digital — e o Google não deixaria isso passar. Com o Primer, a empresa de Mountain View oferece uma série de minicursos em vídeo e questões de múltipla escolha que não levam mais do que cinco minutos para serem completados. Os assuntos também estão em linha com disciplinas contemporâneas e essenciais para um bom currículo na era digital, como Marketing de Conteúdo, Insights para SEO e empreendedorismo digital. Tudo gratuito, é só baixar e estudar. (Captura: Rafael Arbulu/Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Aparelhos da Samsung agora também são compatíveis ao wireless do Android Auto Novos processadores da Intel podem ser piores do que os atuais da AMD Cães aprendem a "falar" e pedir ajuda a pessoas graças a colete inteligente Veja Mais

Quadro de Banksy é leiloado por US$ 12 milhões, recorde para o artista

G1 Pop & Arte 'Devolved Parliament', representação do parlamento britânico cheio de primatas, foi leiloada em 13 minutos. 'Devolved parliament', obra de Banksy Tolga Akmen / AFP Uma obra do artista de rua Banksy que representa um Parlamento britânico cheio de primatas foi leiloada nesta quinta-feira (3) por quase 9,9 milhões de libras esterlinas (US$ 12,1 milhões), um recorde para o autor, informou a casa de leilões Sotheby's. A obra, intitulada "Devolved Parliament" ("Involução do Parlamento"), põe em cena chimpanzés sentados nos bancos verdes da Câmara dos Comuns no lugar dos deputados. A pintura data de 2009. O leilão durou 13 minutos e foi uma disputa entre 10 concorrentes, destacou a Sotheby's, dias depois de sessões particularmente agitadas na Câmara dos Comuns sobre o Brexit. "Preço recorde para uma pintura de Banksy alcançado esta noite. Pena que não me pertença mais", reagiu o artista em um comentário no Instagram. A tela, de 2,50 m por 4,2 m sem moldura, estava estimada entre 1,5 e dois milhões de libras esterlinas. A Câmara dos Comuns foi o cenário de discussões particularmente intensas entre o primeiro-ministro, Boris Johnson, e os deputados da oposição. "Nunca houve melhor momento para pôr este quadro à venda", havia dito à AFP Alex Branczik, chefe do departamento de arte contemporânea europeia na Sotheby's, qualificando de "novela diária" as cenas dos últimos meses e semanas no Parlamento britânico. Para ele, a obra de Banksy destaca "a regressão da democracia parlamentar mais antiga do mundo a uma atitude tribal e animal". O quadro foi originalmente apresentado em 2009 no museu da cidade de Bristol (sudoeste do Reino Unido), cidade natal de Banksy. Mas este ano, o artista, cuja identidade permanece um mistério, "expôs novamente a obra para coincidir com a data do Brexit", explicou Branczik. Na ocasião, o quadro, anteriormente intitulado "Cuestion Time" ("Hora das perguntas"), foi renomeado. No ano passado, Banksy chamou atenção na Sotheby's, quando uma de suas telas se autodestruiu parcialmente logo após a venda. Esta não foi a primeira vez que o artista de rua entrou na discussão sobre o Brexit. Em Dover (sudeste), Banksy fez um mural que representa um homem retirando uma estrela da bandeira europeia com um cinzel, obra visível para milhares de motoristas e visitantes que entram no Reino Unido todos os dias. Veja Mais

Emicida apresenta Ibeyi aos fãs em show dançante e político com homenagem a Ágatha e Marielle

G1 Pop & Arte Público majoritariamente do rapper se empolgou com irmãs franco-cubanas e aumentou consideravelmente ao longo da apresentação, que teve homenagens a Ágatha Félix e Marielle Franco. Emicida e Ibeyi homenageiam a menina Ágatha Félix no Rock in Rio Emicida apresentou as irmãs franco-cubanas do Ibeyi para seus fãs nesta quinta-feira (3) no palco Sunset do Rock in Rio 2019 - e o público, que começou pequeno, pareceu atraído pelo som. Em um show costurando sucessos do rapper, alguns singles das gêmeas e as duas músicas gravadas pela parceria, o trio botou a galera pra dançar e lembrou de casos de violência no Rio de Janeiro. Veja fotos da apresentação "We are all Ágatha Félix", mostrava o telão, em referência à menina de 8 anos que morreu após ser baleada no Complexo do Alemão, antes de "Deathless", canção baseada no abuso sofrido por uma das cantoras com a polícia francesa. Além dela, a apresentação também lembrou de Marielle Franco durante "No man is big enough for my arms", enquanto o telão mostrava diversas mulheres negras de destaque do Brasil e do mundo. Perto do fim, Emicida ainda pediu novamente a liberdade do DJ Rennan da Penha, o idealizador do Baile da Gaiola, preso em abril acusado de associação ao tráfico de drogas. Na ocasião, a Ordem dos Advogados do Brasil questionou a prisão e afirmou se tratar de uma tentativa de criminalizar o funk. Emicida e Ibeyi homenageiam Marielle Franco no Rock in Rio Vale a pena estudar Emicida afirmou que estudava a discografia das irmãs. Pelo show, dava para ver que recíproca era verdadeira. A apresentação começou com uma músida de Emicida, "Bang!", com as irmãs assumindo os vocais do refrão. Conhecidas por cantar em quatro idiomas (inglês, espanhol, francês e iorubá), pelo jeito podemos acrescentar o português à lista. A situação se repetiu algumas vezes, como em "Hoje cedo" e "Levanta e anda", um esforço que ajudou a agradar o público no local, que claramente conhecia mais a obra do rapper. O maior momento do brasileiro veio com a entrada surpresa de Majur ao palco, para cantar "AmarElo", música-título de seu próximo disco, que deve ser lançado em breve. Emicida canta "Amarelo" no Rock in Rio Mãos pra cima e para baixo e todo mundo cantando os versos de Belchior no refrão. As irmãs continuaram no palco e Lisa tocava seu teclado, mas as gêmeas podiam ter participado mais, até porque Pabllo Vittar não esteve presente. A apresentação definitiva das Ibeyi aconteceu em "River", música de seu primeiro disco. A versão mais crua com uma batida forte e rimas de Emicida agradou, mas foram os versos em iorubá cantados à capela que arrancaram os gritos mais fortes da plateia. O trio ainda mostrou as duas músicas lançadas em parceria. "Hacia el amor" teve uma versão mais acústica e mais profunda que a original, e "Libre" foi responsável por encerrar a participação. Initial plugin text Veja Mais

Em entrevista exclusiva, Joseph fala sobre novo disco, compor em família e possível vinda ao Brasil

R7 - Música Por Nathália Pandeló Corrêa Joseph não acredita em impressões superficiais. Se o nome tradicionalmente masculino introduz um potente trio feminino, a música transgride os limites do folk, ao qual sempre foram associadas, para incorporar guitarras cruas às harmonias vocais. No novo disco Good Luck, Kid, Natalie Schepman e suas irmãs gêmeas Allison e Meegan Closner embarcam em uma viagem de autoaceitação e resolução de conflitos. O ponto de partida foi o fim da última turnê, na qual questões da banda se misturaram a impasses familiares e quase levaram ao fim do projeto. Foi nessas novas canções que elas se reencontraram. Compondo coletivamente, Natalie, Allison e Meegan fizeram surgir suas vozes distintas - literalmente e figurativamente. Como sucessor da estreia Native Dreamer Kin (2014) e do segundo disco, I’m Alone, No You’re Not (2016), Good Luck, Kid traduz até no título um otimismo que divide espaço com uma sinceridade rasgada. Enquanto a faixa-título reconhece a necessidade de seguir em frente e assumir o protagonismo da própria história, a intensa 'Fighter' é um convite ao não-conformismo e uma saudação a quem luta todos os dias por um mundo melhor - apesar de tudo. Encapsular temas íntimos e universais é algo que a banda faz com naturalidade, e nesse álbum Joseph faz isso de forma ainda mais contundente. Seja pelo peso dos arranjos, pela intensidade das vozes ou pelo tom das composições, as artistas dão um passo adiante em uma discografia já evoluída. Talvez essa jornada as traga ao Brasil em 2020, como adianta Natalie em uma entrevista exclusiva ao TMDQA!. Ela fala sobre ter uma banda em família e a nova fase do trio. Confira: TMDQA!: 'Good Luck, Kid' - a música, especialmente - parece uma carta a qualquer pessoa lidando com a experiência de deixar a juventude pra trás ou com a aceitação dos desafios de envelhecer. Sei que não faz tanto tempo, mas desde que começaram a lançar suas músicas até agora, vocês devem ter aprendido algumas lições valiosas pelo caminho. Poderia compartilhar alguma com a gente? Natalie Closner Schepman: Com certeza! Temos aprendido a valorizar cada momento, estar presente exatamente onde estivermos e sermos gratas. TMDQA!: Sei que vocês disseram que esse disco tem um som mais “sujo” em relação aos anteriores, mas essas músicas se resumem ao vocal, como sempre. Como vocês mantém as harmonias inovadoras e inventivas, tendo cantado juntas por tanto tempo? Natalie: Adorei essa pergunta! Acho que as harmonias e a composição ficam renovadas porque cada música pede algo diferente. E as canções são todas diferentes entre si, porque há três de nós ali, com três histórias e sentimentos diferentes. Além disso, compor com outras escritoras ajuda a trazer toda a perspectiva e a experiência de vida de uma pessoa completamente diferente de você. TMDQA!: Acho que familiaridade é a palavra chave nisso tudo, especialmente levando em conta o parentesco de vocês. Sua intimidade enquanto irmãs faz diferença na hora de escreverem juntas? Natalie: Com certeza. Houve vezes em que estávamos compondo e dava pra sentir que uma de nós estava se impedindo de dizer a coisa mais verdadeira, e nós encorajamos umas as outras a serem o mais honestas possível. https://www.youtube.com/watch?v=cy-3yKAMs0U TMDQA!: Imagino que vocês já fazem essa coisa de música há tempo suficiente para olhar pra trás e sentir orgulho do que realizaram até aqui. Nesse disco, especificamente, tem algo que deixou vocês orgulhosas de terem feito? Natalie: Uau, amo isso! Sim, nós adoramos as composições. Elas parecem muito verdadeiras. E também estamos especialmente orgulhosas de como os vocais soam nesse disco. E com muito orgulho da arte de capa e da sequência de músicas. Colocamos as canções em um arco de história que começa com esperança por algo, a decepção por isso e por fim caminhando em direção à liberdade de estar no assento do motorista ao conduzir sua própria vida. TMDQA!: Vocês criaram uma playlist no Spotify chamada 'Fighter', cheia de músicas que lembram o significado dessa palavra. Também tem a hashtag #THISISAFIGHTER, onde vocês compartilham histórias de mulheres extraordinárias. Escrever essa música e trocar experiências com outras mulheres na internet deu uma nova perspectiva sobre o significado do que é ser uma lutadora? Natalie: Durante o tempo de férias das estradas que tivemos, eu tive mais tempo de absorver o mundo. Eu assisti mais filmes e TV, li mais e vi mais notícias. Foi incrível de muitas formas (a televisão ficou muito boa ultimamente!), mas foi também exaustivo ver todas as notícias horríveis que pipocavam no meu celular. Então fiquei profundamente encorajada após assistir (leia-se: chorei como um bebê) o documentário sobre Fred Rogers, chamado “Won’t You Be My Neighbor?”. Ele fala sobre sua mãe dizendo “Em tempos de tribulação, procure os ajudantes”. Então #THISISAFIGHTER é uma forma de celebrar as pessoas que comparecem à luta todos os dias. Temos dado destaque a organizações em cada cidade onde tocamos e que estão mostrando serviço nessa luta. Eu decidi manter minha moral em alta. Há tantas pessoas que acordam todos os dias decididas a ajudar ao invés de se desesperar, e isso tem sido tremendamente emocionante. TMDQA!: Vocês estão começando uma longa turnê para divulgar esse disco. Alguma chance de ela vir parar aqui no Brasil em breve? Natalie: Temos altas esperanças de que vamos ao Brasil em algum momento do ano que vem! Vamos divulgar em todos os lugares assim que soubermos! https://www.youtube.com/watch?v=pABTFWl25OQ Veja Mais

Informação ao BTG gerou propinas a Lula e à campanha de Dilma, diz Palocci

O Tempo - Política Ex-ministro dos governos do PT disse que ex-presidente Lula recebia 10% sobre o ganho de André Estevez nas operações Veja Mais

A Voz do Brasil - 03/10/2019

A Voz do Brasil - 03/10/2019

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Facebook será intimado para desistir de criptografar seus apps de mensagens

Facebook será intimado para desistir de criptografar seus apps de mensagens

canaltech Parece que os planos do Facebook de levar a criptografia ponta a ponta do WhatsApp para todos os seus aplicativos de mensagem estão com os dias contados, já que, nesta quinta-feira (3), alguns veículos de imprensa ficaram sabendo que o Departamento de Justiça dos Estados Unidos pediu para que a empresa abandonasse esse projeto. Por enquanto, o pedido ainda não foi oficializado, mas o governo dos Estados Unidos pretende torná-lo público em uma carta que será publicada na sexta-feira (4), assinada pelo Procurador da República, William Barr, pelo Secretário de Segurança Pública dos EUA em exercício, Kevin McAleenan, pelo Secretário de Segurança Pública do Reino Unido, Priti Patel, e pelo Ministro de Segurança Pública da Austrália, Peter Dutton. De acordo com o rascunho da carta, obtida por repórteres do BuzzFeed News e do New York Times, o documento pedirá que o Facebook abandone a ideia de ampliar a criptografia de ponta a ponta para todos os seus aplicativos de mensagens enquanto não conseguir assegurar que a rede social realmente protege a privacidade dos dados de seus usuários. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A maior preocupação das autoridades que assinam a carta é de que essa proposta do Facebook possa atrapalhar investigações criminais, já que garantiria que qualquer troca de mensagens efetuada pelos aplicativos da companhia fosse impossível de ser decifrada sem o acesso ao telefone pelo qual elas foram enviadas ou recebidas — o que tornaria todos os apps de mensagens um “local seguro” para a troca de mensagens entre grupos terroristas, membros do crime organizado e cartéis de pedofilia. A criptografia de ponta a ponta também impediria a investigação de esquemas de manipulação eleitoral que fossem combinados através dos aplicativos de mensagem do Facebook. Segundo reportagem do New York Times, somente no ano passado foram quase 12 milhões de casos de abuso sexual infantil investigados com a utilização de mensagens trocadas somente no Facebook Messenger. Assim, a carta argumenta que o Facebook deveria facilitar — e não dificultar — o acesso das autoridades competentes a essas mensagens, fornecendo a elas uma forma de acessar facilmente o conteúdo das mensagens de pessoas investigadas por crimes. Ela também pede para que o Facebook e outras companhias de tecnologia levem em conta a segurança do público ao desenvolver seus aplicativos, facilitando a tarefa das autoridades de punir criminosos e proteger as vítimas. Junto com a publicação da carta, é esperado que, também nesta sexta-feira (4), os Estados Unidos e o Reino Unido anunciem um acordo de compartilhamento de dados entre os países, facilitando as investigações em ambientes virtuais. Ainda que as intenções pareçam nobres, é preciso sempre ver esses pedidos de facilitar o acesso a dados privados dos usuários com o pé atrás. Afinal, não podemos esquecer do caso da NSA revelado por Edward Snowden em 2013, no qual a agência de inteligência dos Estados Unidos usava o medo de uma nova ameaça terrorista como o ataque às Torres Gêmeas para espionar não apenas potenciais membros de células terroristas em todo o mundo, mas sim literalmente todas as pessoas que usavam a internet, tendo acesso a conteúdos de e-mails, trocas de mensagens e históricos completos de navegação de qualquer pessoa que algum dia já tivesse conectado à internet. Assim, é necessário ficar atento para que, mais uma vez, algo pensando na segurança dos cidadãos não seja usado como uma desculpa para espioná-los a todo momento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Aparelhos da Samsung agora também são compatíveis ao wireless do Android Auto Novos processadores da Intel podem ser piores do que os atuais da AMD Usuário de iPhone processa Apple na Rússia por "transformá-lo em gay" Veja Mais

Capital Inicial repete fórmula em show cansado, com público afiado e discurso político no Rock in Rio

G1 Pop & Arte Em 7ª vez no festival, banda emendou hits dos anos 80, 90 e 2000. Trecho de 'Que país é este' gerou protestos; Dinho respondeu: 'Brasil é um país de moderados.' Capital Inicial interpreta "Que País é Esse" só no vocal no Rock in Rio Em sua sétima vez no Rock in Rio, o Capital Inicial entrou no palco não com um hit dos tempos áureos, mas com uma música recente: "Tudo vai mudar", do álbum "Sonora", de 2018. Talvez tenha sido essa a maior surpresa da apresentação do grupo, a primeira do Palco Mundo na segunda etapa desta edição do festival, iniciada nesta quinta-feira (3). Veja FOTOS do show Acompanhe cobertura AO VIVO No resto do tempo, a banda repetiu a fórmula de outras participações, emendando hits lançados entre o final dos anos 1980 e início de 2000. Destaque para "Tudo que vai", incomum nos setlists criados para o festival. "Tocamos em 2001. Nunca tínhamos visto todo o mundo levantar a mão e cantar uma música nossa daquele jeito", lembrou Dinho Ouro Preto. Capital Inicial abre palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Foto: Alexandre Durão/G1 Personagem emblemático do rock no país, o vocalista usou as caras e bocas e o vocabulário de sempre. "Aí, galera! Eu vou contar 1, 2, 3 e todo o mundo levanta a mão e grita 'do c***' ou qualquer outra baixaria", pediu, no fim da apresentação. Pouco antes, cantou a capela um trecho de "Que país é este", do Legião Urbana, que suscitou no público protestos contra o presidente Jair Bolsonaro. Dinho respondeu com um discurso político. Capital Inicial abre palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 "Por um país [que fique] menos na mão de extremistas. Eu acho que quem assiste ao debate brasileiro acaba achando que, por eles serem mais barulhentos, representam o Brasil, quando, na verdade, o Brasil é um país de moderados", disse. "Ninguém tem sangue nos olhos, faca nos dentes, nada disso. Isso é antibrasileiro." Climão Durante todo o show, o vocalista parecia mais cansado que em anos anteriores. Sua voz falhou em alguns momentos. Recursos pirotécnicos e a guitarra de Yves Passarell sobressaíram no palco. Dinho também pediu o apoio do público. Os fãs atenderam, afiados. Bonitos corais foram formados nos sucessos "Primeiros erros" e "À sua maneira". No momento mais enérgico, a banda emendou "Fátima" e "Veraneio vascaína". Capital Inicial comanda coro de vozes em "Primeiros Erros" no Rock in Rio Depois, um climão. O vocalista perguntou qual a melhor banda brasileira de rock de todos os tempos e muitos gritaram o nome do Legião. Tudo bem, depois ele mesmo confirmou a preferência. E cantou "Tempo perdido", música do grupo liderado por Renato Russo. Initial plugin text Veja Mais

Deep Fusion chega na versão beta pública do iOS 13.2

Deep Fusion chega na versão beta pública do iOS 13.2

canaltech Na última terça-feira (1), a Apple resolveu trazer o Deep Fusion para a versão beta do iOS 13.2 destinada a desenvolvedores. Já nesta quinta (3), o recurso passa a ficar disponível na versão beta para os usuários, e está disponível tanto para o iPhone 11 quanto para o iPhone 11 Pro. De acordo com a Apple, a existência do Deep Fusion é intencionalmente escondida dos usuários, e aparentemente não há indicador visual de que ele esteja ativado, na tela do aplicativo da câmera ou nos dados das foto. Sendo assim, a Maçã claramente não quer que você se preocupe muito se o Deep Fusion está ativado ou não, pois os resultados devem falar por si. Basicamente, o Deep Fusion utiliza machine learning para registrar imagens com riqueza ainda maior de detalhes em qualquer condição de luminosidade. O recurso foi projetado para usar inteligência artificial e outros truques de software para melhorar a nitidez das imagens, capturando quadros de exposições diferentes e mesclando-os por conta própria. A empresa divulgou fotos usando esse recurso, para que os usuários tenham uma noção de como ficam os resultados: -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Foto usando o Deep Fusion, divulgada pela Apple Na prática, o Deep Fusion produz duas fotos de 12MP que são combinadas em uma foto de 24MP. A combinação delas é feita usando 4 redes neurais separadas que levam em consideração as características dos sensores de câmera da Apple, e essa combinação é feita pixel a pixel. Um pixel é puxado de cada vez para resultar na melhor combinação para a imagem final. Os modelos de machine learning examinam o contexto da imagem para determinar onde eles pertencem no espectro de frequência da imagem. O sistema então extrai a estrutura e a tonalidade de uma imagem ou de outra com base em proporções. O objetivo é produzir a imagem da mais alta qualidade possível. Ele deve funcionar apenas para cenas de média a baixa luminosidade, enquanto os modos Smart HDR e Night lidam com cenas extremamente brilhantes e extremamente escuras, respectivamente. Segundo a Apple, o Deep Fusion requer o processador A13 e não estará disponível em nenhum iPhone anterior ao último modelo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Aparelhos da Samsung agora também são compatíveis ao wireless do Android Auto Novos processadores da Intel podem ser piores do que os atuais da AMD Usuário de iPhone processa Apple na Rússia por "transformá-lo em gay" Veja Mais

WhatsApp corrige vulnerabilidade que podia hackear aplicativo com envio de GIF

G1 Economia Versão atualizada não possui mais a falha. Erro dava acesso às mensagens trocadas pelo aplicativo. O WhatsApp corrigiu uma brecha de segurança que podia ser desencadeada pelo envio de uma imagem animada (formato "GIF") para usuários do aplicativo em celulares com Android 8.1 e 9.0. Quando explorada, a falha dava ao invasor a possibilidade de executar códigos dentro do WhatsApp para ler mensagens, contatos e arquivos de mídia no celular. O problema foi encontrado pelo pesquisador de segurança Pham Hong Nhat, que usa o apelido "Awakened", e relatado ao WhatsApp em maio. A companhia levou três meses para eliminar a brecha. Após receber a imagem maliciosa, vítima precisaria abrir a Galeria para ativar o código malicioso. Reprodução O erro foi corrigido na versão 2.19.244. Versões anteriores a esta estão vulneráveis e recomenda-se que a versão mais recente seja baixada da Play Store o quanto antes. A versão do WhatsApp que está instalada pode ser conferida dentro do aplicativo, em "Configurações > Ajuda > Dados do aplicativo". Segundo o WhatsApp, como o defeito foi relatado de forma particular, não há qualquer indício de que hackers tenham se aproveitado dessa falha para atacar usuários do aplicativo. O problema não afeta usuários de iOS, da Apple. A exploração no Android também é limitada pela versão do sistema. Se o usuário não estiver com Android 8.1 ou 9.0, a falha não permite que o dispositivo seja hackeado, pois o WhatsApp trava completamente, congelando também a exploração da falha. No entanto, os travamentos podem causar incômodo durante a utilização do app. Invasão em duas etapas Para conseguir atacar um usuário do WhatsApp, um hacker teria de enviar uma imagem GIF especial com um conjunto de dados arranjado de maneira a desencadear a falha. O envio da imagem pelo WhatsApp, porém, não era suficiente para explorar a problema. A segunda etapa de exploração seria ativada apenas quando a vítima abrisse a Galeria do telefone por meio do WhatsApp. Isso acontece, por exemplo, ao clicar no ícone do clipe na janela de mensagens para enviar uma imagem já armazenada no telefone. Ao abrir a Galeria, o WhatsApp tentava processar o GIF recebido anteriormente de forma inadequada e, nesse momento, o aplicativo seria hackeado pela imagem para executar um código especificado pelo invasor. Um hacker também poderia explorar a brecha a partir de outro aplicativo já instalado no celular, injetando o GIF malicioso na Galeria. Isso permitiria que outros aplicativos (um aplicativo espião, por exemplo) tivessem acesso às mensagens trocadas pelo WhatsApp. Como o WhatsApp utiliza um armazenamento privativo para as mensagens, elas normalmente ficam fora do alcance de outros programas instalados no telefone. Após a correção, o WhatsApp processa as imagens GIF na Galeria de forma correta, evitando o gatilho da brecha. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Selo Altieres Rohr Ilustração: G1 Veja Mais

Ex-'Malhação' Giovanna Grigio ousa com adesivo nos seios no Rock in Rio

G1 Pop & Arte 'Podia estar de burca e o assédio aconteceria mesmo assim. Só pelo fato de ser mulher', disse a atriz, nesta quinta-feira (3). Ana Hikaru e Giovanna Grigio no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Giovanna Grigio foi ao Rock in Rio nesta quinta-feira (3) com um look ousado. A atriz usou adesivos nos seios. "Ter a nossa liberdade é a maior beleza que há. Vim assim só porque me senti linda assim e pronto. Podia estar de burca e o assédio acontece mesmo assim. Só pelo fato de ser mulher. Mas é legal lutar pela liberdade da gente se vestir como quer", disse a ex-"Malhação". Ana Hikaru e Giovanna Grigio no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Veja Mais

Panic! At the Disco faz show com Brandon Urie frenético, mas perde força ao focar repertório recente

G1 Pop & Arte No penúltimo show desta quinta, antes do Red Hot Chili Peppers, banda animou com alguns sucessos emo antigos e cover de Queen, mas repertório atual não funcionou. Panic! At The Disco interpreta "I Write Sins Not Tragedies" no Rock in Rio O Panic! At the Disco chegou com um show de gala: Brendon Urie de terno dourado fazendo suas caras, bocas e agudos, banda com metais e violino, piano no palco, fãs gritando lá na frente. Mas a maioria do público que esperava pelo Red Hot Chili Peppers, atração principal desta quinta-feira (3) no Rock in Rio fez cara de paisagem para o repertório de músicas mais novas da banda. A banda está ganhando uma segunda vida nas paradas dos EUA. Depois de estourar há 14 anos com um emo rock teatral, eles perderam impacto e membros (Brendon é o único original). Panic! At The Disco interpreta "Bohemian Rhapsody" no Rock in Rio Mas foram se reformulando com um som mais pop e, no ano passado, acabaram estourando um hit até maior nos EUA do que os do começo: "High hopes". Só que este Panic atual não ganhou as massas no Brasil. O público se empolgava mesmo com as poucas mais antigas como "The Ballad of Mona Lisa", "Nine in the afternoon" e principalmente "I write sins not tragedies". Ainda teve cover muito aplaudida de "Bohemian Rhapsody" do Queen, mas não foi uma coisa especial para o Rock in Rio. Eles já gravaram essa música, que está na trilha de "Esquadrão suicida". Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Dá até para entender porque Brendon quer tocar esse repertório, que é mais sua cara. Antes ele dividia mais as ideias com o guitarrista Ryan Ross compositor importante nos primeiros discos. Ryan saiu pois não estava tão interessado quanto Brandon em ir para o lado pop atual. Isso não significa de menor qualidade, como o bom show com desempenho da banda e do cantor caprichados no Rock in Rio mostraram. Fãs de "Panic! At the Disco" levam bandeira LGBTI+ para grade Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Panic! At The Disco tocou no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Initial plugin text Veja Mais

Recém-separada, ex-BBB Munik vai ao Rock in Rio: 'Sem chance de recaída'

G1 Pop & Arte Ela, que se separou de Anderson Felício há pouco mais de um mês, foi ao festival nesta quinta-feira (3) — justamente na data quando comemoraria dois anos de casada. Para Munik, página virada é página virada. A ex-BBB se separou de Anderson Felício e garante: não tem volta. Foi o que ela contou nesta quinta-feira (3), quando curtia o Rock in Rio em um camarote. "Estou solteira. Me separei há um mês e pouco, me mudei de Fortaleza para Goiânia há 15 dias. Estou me acostumando com tudo ainda. Mas acho que estou me saindo bem. Sem chance de recaída. Acabou, acabou. Nós íamos fazer dois anos de casados hoje. Mas estou bem", disse a ex-BBB. "O assédio aumentou depois que anunciei a separação. Mas agora não quero um relacionamento de novo. Quero me curtir e ainda estou me acostumando. Vejo um cara olhando e não sei bem o que pensar. Acho que aqui não rola nada, mas sabe-se lá. Pode ser". Ex-BBB Munik no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Veja Mais

Amazon deve investir US$ 800 milhões em data center na Argentina

Amazon deve investir US$ 800 milhões em data center na Argentina

canaltech A Amazon vem expandindo sua infraestrutura na América Latina e, segundo fonte da Bloomberg, pretende dar um grande passo muito em breve, com a implantação de um data center nos distritos de Bahia Blanca e Coronel Rosales, em Buenos Aires, na Argentina. O investimento deve ser de US$ 800 milhões. O governo dos hermanos vem tentando diversificar sua economia, com serviços digitais, nanotecnologia, setor aeroespacial, entre outras frentes. Desde o início do ano, o congresso nacional aprovou por unanimidade uma lei que cria incentivo para as gigantes da tecnologia estabeleceram bases por lá. E pode dar certo, pois a Amazon deve se beneficiar da nova Lei da Economia do Conhecimento, com incentivos à exportação. A redução no imposto de renda de 35% a 15% e baixa bastante os custos trabalhistas. Além disso, ao se instalar na zona de livre comércio, a rede varejista não pagará impostos nacionais ou provinciais sobre o consumo de energia — um benefício generoso para um data center. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A Amazon, por enquanto, não fala sobre o assunto. O projeto não estaria em seu estágio final e ainda pode ser alterado. Expansão do Amazon Web Services na América Latina (Imagem: Divulgação/Amazon) O Amazon Web Services (AWS), a frente mais rentável da empresa, vem expandindo sua infraestrutura em todo o mundo para manter uma vantagem sobre rivais como a Microsoft e o Google. As vendas de serviços e software de computação em nuvem devem totalizar US$ 214,3 bilhões em 2019, um aumento de 17,5% em relação ao ano anterior, segundo o Gartner. A proximidade de um data center da Amazon deve ajudar as empresas a reduzir custos e melhorar a velocidade dos dados, em comparação com a dependência de sites fora do país. A Argentina abriga várias lojas online de roupas e o maior grupo do país, a varejista de comércio eletrônico MercadoLibre, usa o AWS para hospedar suas plataformas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Vigilância Sanitária multa estabelecimentos no Rock In Rio

G1 Pop & Arte Nas primeiras 5 horas da operação, as equipes vistoriaram 32 pontos de serviço e aplicaram dez infrações, seis delas pela falta de higiene em alimentos. Público percorre a Cidade do Rock nesta quinta Marcelo Brandt/G1 A Subsecretaria de Vigilância Sanitária e Controle do Zoonoses do Rio retornou à Cidade do Rock nesta quinta (3) e aplicou multas em estabelecimentos por falta de higiene na preparação de alimentos servidos ao público do Rock In Rio. De acordo com o órgão, nas primeiras 5 horas da operação, as equipes vistoriaram 32 pontos de serviço e aplicaram dez infrações, seis delas pela falta de higiene em alimentos coletados e analisados no Laboratório Municipal de Saúde Pública do órgão. As outras foram uma por falta do curso de capacitação de higiene na manipulação de alimentos, uma por falta de licença sanitária, uma por alimento impróprio e mais uma por falta de higiene no estabelecimento. "Dos seis laudos insatisfatórios, quatro foram em um catering (fornecedor de refeições prontas), um em um restaurante e o outro em um bar, todos associados à falta de higiene na manipulação de alimentos. Além de multar, orientamos o sobre a necessidade de todos os profissionais passarem por nossa capacitação em boas práticas de higiene e aplicarem os conhecimentos ensinados por nossos técnicos. Nos pontos inspecionados nesses quatro dias, infracionamos sete estabelecimentos que tinham profissionais sem a carteirinha desse curso", diz Marissol Figueiredo, coordenadora de Eventos da Vigilância. Além das inspeções de alimentos, as equipes fiscalizaram serviços de interesse à saúde, entre eles, dois estandes de tatuagem 3D, pontos de distribuição de enxaguante bucal e de preservativos, e ainda três de comercialização de produtos de embelezamento, como maquiagens, sem registro de irregularidade. Os técnicos vistoriaram também áreas comuns do público e de funcionários, as condições de limpeza e acondicionamento de resíduos e sanitários, sem qualquer problema. Initial plugin text Veja Mais

Apple libera versão final do macOS 10.15 Catalina para desenvolvedores

Apple libera versão final do macOS 10.15 Catalina para desenvolvedores

canaltech O macOS 10.15 Catalina está cada vez mais próximo e a prova disso é o lançamento da “versão mestre dourada” para desenvolvedores — esta é a 11ª versão beta do novo sistema operacional da Apple para seus computadores. O lançamento oficial está previsto ainda para este mês, possivelmente com o começo das vendas do Mac Pro 2019. Entre os destaques do macOS Catalina está a substituição do iTunes por diferentes aplicativos para música, podcasts e TV. O gerenciamento de dispositivos iOS com iTunes continua disponível no Mac, mas agora será feito pelo Finder. (Imagem: Divulgação/Apple) Ele traz também o recurso Sidecar, em que você pode transformar seu iPad em um segundo monitor para sua máquina, com apenas um clique. E a novidade vem com o Apple Pencil, para que você possa transformar seu iPad em um tablet de desenho para usar com editores gráficos como Photoshop e Illustrator. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A “versão mestre dourada” do macOS Catalina representa a versão final da atualização que será fornecida ao público no lançamento. O software poderá ser baixado usando o mecanismo de atualização de software em Preferências do Sistema. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Meteoro corta o céu de Campinas e é o mais brilhante já visto por observatório Após 6 anos, transplante de rosto gera rejeição e precisará ser refeito ALEXA CHEGOU AO BRASIL | Smart Speakers Echo Dot e Echo Show por preço de EUA Mundo impossível | Cientistas descobrem planeta que não deveria existir Atualização do Windows 10 melhora desempenho de CPUs Intel Veja Mais

Palco Sunset recomeça politizado ao som de carimbó, música latina e hip hop; veja resumo desta quinta

G1 Pop & Arte Dia foi repleto de encontro com artistas do Pará, do rap, da música latino-americana e do hip hop. Palco Sunset foi marcado por protestos nesta quinta (3), no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1; Alexandre Durão/G1 A retomada dos trabalhos no Rock in Rio 2019 foi politizada no palco Sunset nesta quinta (3). Os quatro shows do palco foram marcados por protestos, seja pelas mortes da deputada Marielle Franco e da menina Ágata ou pela prisão do DJ Rennan da Penha. O palco começou com o encontro entre as bandas Francisco, el hombre e Monsieur Periné. Na sequência, Fafá de Belém, Gaby Amarantos, Jaloo, Lucas Estrela e Dona Onete fizeram o show Pará Pop. VÍDEOS: veja HITS do Rock in Rio Veja FOTOS do 4º dia Famosos na área vip Famosas em looks decotados Acompanhe AO VIVO Já no começo da noite, Emicida subiu ao palco com as irmãs franco-cubanas que formam o duo Ibeyi. o O show de encerramento do palco foi um encontro de artistas do rap, o Hip Hop Hurricane. Baco Exu do Blues, Rael, Rincon Sapiência, o português Agir foram acompanhados pela Nova Orquestra. Hip Hop Hurricane Hip Hop Hurricane interpreta "Te amo, Desgraça" no Rock in Rio O encontro dos rappers brasileiros Baco Exu do Blues, Rael, Rincon Sapiência e o do português Agir encerrou o palco Sunset nesta quinta (3). Os artistas foram acompanhados pela Nova Orquestra e no final e pediram: "Parem de matar os jovens". Emicida e Ibeyi Emicida e Ibeyi homenageiam Marielle Franco no Rock in Rio Em um show costurando sucessos de Emicida, alguns singles das irmãs franco-cubanas do Ibeyi as duas músicas gravadas pela parceria, o trio botou a galera pra dançar e lembrou de casos de violência no Rio de Janeiro. As mortes de Ágatha Félix e Marielle Franco foram lembradas e o rapper pediu por liberdade ao DJ Rennan da Penha. Leia mais. Pará Pop Gaby Amarantos canta "Ex-My Love" no Rock in Rio O Palco Sunset se transformou em filial do Pará. Dona Onete, matriarca do estilo, inaugurou a apresentação com Fafá de Belém, Gaby Amarantos, Jaloo e Lucas Estrela. Houve protesto ecológico, mensagem de empoderamento e muita guitarra, carimbó e música eletrônica no estilo paraense. Leia mais. Francisco, el Hombre e Monsieur Periné Cantor do Francisco El Hombre canta no meio do público no Rock in Rio Musicalmente, as veias da América Latina estiveram abertas durante pouco mais de uma hora no Palco Sunset. O show das bandas brasileira e colombiana foi marcado pelas manifestações políticas. "Triste, louca ou má" foi entoada como uma homenagem às mulheres em geral personalizadas por Ágatha Félix, Marielle e Dilma, entre diversas outras, que tiveram fotos projetadas em um telão. Leia mais. Veja Mais

Boné 'OFF!': conheça a história do acessório que é moda entre fãs do Red Hot no Rock in Rio

G1 Pop & Arte Boné que aparece por toda a Cidade do Rock nesta quinta-feira (3) é homenagem de Anthony Kiedis a músico lendário do hardcore nos EUA que foi feita em 2011 e se espalhou. Fãs de Red Hot explicam história do boné que virou moda na Cidade do Rock O "boné do Anthony Kiedis" tomou a Cidade do Rock nesta quinta-feira (3), dia de Red Hot Chili Peppers no Rock in Rio. VEJA O VÍDEO ACIMA. Durante o dia quente, o acessório preto e branco com a estampa "OFF!" ajudou muitos fãs a se protegerem do sol. De noite, é só para ficar igual ao vocalista mesmo. O cantor do Red Hot Chili Peppers começou a usar o boné ainda em 2011, quando estava em turnê com a tal banda "OFF!". O nome não é conhecido, mas seu líder é um nome importante no hardcore dos EUA, que influenciou os Red Hot Chili Peppers e muitos outros. O OFF! é um projeto de Keith Morris, que foi o vocalista original do Black Flag banda pioneira do hardcore que influenciou todo o rock que viria depois, de Nirvana ao My Chemical Romance. Depois ele formou o Circle Jerks, que também foram reverenciados. O Red Hot é fã e amigo de Keith, por isso chamou o OFF! para tocar com eles em 2011. O grupo de Keith também tem o guitarrista Dimitri Coats, do Burning Brides, e o baixista Steven Shane McDonald, do Redd Kross. Eles lançaram os discos "First Four EPs" (2010), "Off!" (2012) e "Wasted Years" (2014). Anthony Kiedis botou o boné na cabeça para homenagear o amigo influente entre os músicos, mas menos famoso entre o público, e não tirou mais. Na grade do Rock in Rio, os fãs se dividem. Alguns dizem que nunca chegaram a ouvir a banda homenageada. Mas outros dizem que foram atrás do hardcore do OFF! Pelo menos em parte, Anthony ajudou Keith. Red Hot Chili Peppers AP VEJA O ROCK IN RIO AO VIVO VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO FESTIVAL Initial plugin text Veja Mais

Companhia das Letras assume controle da editora Zahar

G1 Economia Durante cerca de 30 anos, a Zahar distribuiu os livros da Companhia das Letras no Rio, enquanto a editora paulista distribuía os livros da Zahar entre as livrarias de São Paulo. O grupo Companhia das Letras assumiu 100% do controle da editora Zahar, fundada no Rio de Janeiro em 1956 pelo editor Jorge Zahar. Juntas, as duas editoras somam mais de seis mil títulos. A editora de livros é dirigida por Ana Cristina Zahar, filha de Jorge, Mariana Zahar, neta e vice-presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (Snel), e Ana Paula Rocha, diretora de operações. A Companhia das Letras é controlada pela Penguin Random House, com 70% de participação. Em comunicado divulgado em seu blog, a Companhia das Letras comenta que a editora Zahar “tem sido um exemplo de sucesso editorial e de gestão empresarial, tendo respondido de maneira rápida e eficiente à crise das maiores redes de livrarias brasileiras e ao período sem vendas para programas de governo”. No comunicado, o grupo ressalta que Jorge Zahar foi um dos mentores de Luiz Schwarcz, diretor-presidente e fundador — junto com a antropóloga e historiadora Lilia Moritz Schwarcz — da Companhia das Letras. Durante cerca de trinta anos, a Zahar distribuiu os livros da Companhia das Letras no Rio de Janeiro, enquanto a editora paulista distribuía os livros da Zahar entre as livrarias de São Paulo. Por muito tempo, as duas editoras também dividiram o mesmo estande nas Bienais Internacionais do Livro. O processo de integração entre as duas editoras será conduzido por um comitê, que contará, pelo lado da Companhia das Letras, com Luiz Schwarcz, o publisher Otávio Costa e o editor Ricardo Teperman. Pelo lado da Zahar, participarão as diretoras Ana Cristina Zahar, que permanecerá como consultora editorial após o processo de integração, Mariana Zahar e Ana Paula Rocha. O Grupo Companhia das Letras publicará ao todo — entre edições regulares e especiais — 240 títulos em 2019, e a Zahar, que continuará tendo sua sede no Rio de Janeiro, trinta títulos. Com a chegada da Zahar, o grupo Companhia das Letras passa a ter dezessete selos editoriais: Companhia das Letras, Objetiva, Zahar, Alfaguara, Suma, Paralela, Penguin-Companhia, Companhia de Bolso, Portfolio-Penguin, Fontanar, Companhia de Mesa, Quadrinhos na Companhia, Seguinte, Companhia das Letrinhas, Pequena Zahar, Claro Enigma e Boa Companhia. Veja Mais

Polícia prende suspeito de vender drogas no entorno do Rock in Rio

G1 Pop & Arte Homem guardou entorpecentes dentro de carro furtado, segundo agentes. Material apreendido com suspeito de traficar drogas no entorno do Rock in Rio Divulgação Policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca) prenderam na noite desta quinta-feira (3) um suspeito de traficar drogas no entorno do Rock in Rio. A prisão ocorreu depois que a polícia recebeu informações de que um homem estava vendendo drogas na comunidade Vila Autódromo e que guardava os entorpecentes num Space Fox. Os agentes afirmam que ao chegarem ao local indicado encontraram Diogo Cezillo de Araújo. Os policiais fizeram buscas no carro indicado e encontraram drogas e constataram que o veículo é furtado. Veja Mais

Ex-BBB Aline Gotschalg usa microshort no Rock in Rio

G1 Pop & Arte Ela foi ao evento com o marido, o também ex-BBB Fernando Medeiros. 'Conseguimos um 'vale night'', brincou a loira, mãe de Lucca, de 3 anos. Ex-BBBs Fernando e Aline no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 A ex-BBB Aline Gotschalg botou as pernocas saradas para jogo nesta quinta-feira (3), no Rock in Rio. A loira estava acompanhada do marido, o também ex-BBB Fernando Medeiros. "Conseguimos um 'vale night' e viemos ver Red Hot Chili Peppers e Rael. O Lucca ficou com a babá", disse Aline, referindo-se ao filho do casal, de 3 anos de idade. A ex-BBB contou que a família se mudou do Rio para São Paulo. "Faz um mês que nos mudamos para São Paulo e a vida está maravilhosa. Fomos pela qualidade de vida, para ter mais segurança, e não pretendemos voltar". Aline disse que, pelo menos por enquanto, não pensa em ter outro filho: "Agora não! Mas temos um novo filho, acabamos de comprar um cachorro para o Lucca. Ele sempre quis um e agora que nos mudamos para uma casa, demos para ele." Ex-BBBs Fernando e Aline no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Ex-BBBs Fernando e Aline no Rock in Rio Juliana Maselli/G1 Ex-BBBs Fernando e Aline no Rock in Rio Divulgação Ex-BBB Aline Gotschalg no Rock in Rio Divulgação Veja Mais

Panic e o arco-íris: por que fãs enchem grade de bandeiras LGBT e de orgulho bissexual

G1 Pop & Arte Fãs do Panic! At The Disco no Rock in Rio exaltam o vocalista Brendon Urie por falar e cantar sobre bissexualidade; veja VÍDEO. Cantor já falou ao G1 sobre relações com homens e mulheres. Fãs de "Panic! At the Disco" levam bandeira LGBTI+ para grade A grade do Palco Mundo ficou mais colorida para o show do Panic! At The Disco nesta quinta-feira (3). Várias fãs da banda levaram bandeiras arco-íris do movimento LGBT e nas cores roxa, rosa e azul, que representam especificamente o orgulho bissexual. VEJA O VÍDEO ACIMA Brendon Urie, vocalista da banda, já falou sobre ser bissexual em entrevistas, inclusive ao G1 (leia abaixo). Ele também já se identificou como panssexual. A música "Girls / Girls / Boys", de 2013, também fala sobre bissexualidade. O músico é casado desde 2013 com Sarah Orzechowski. Brendon costuma pegar e mostrar essas bandeiras no show, o que anima ainda mais os fãs a levarem para a grade. Após o lançamento da música, ele foi alvo de protestos de movimentos religiosos ultraconservadores nos EUA. Em 2014, um protesto de um grupo anti-LGBT foi marcado em Kansas City, nos EUA, onde a banda tocaria. Brendon prometeu doar US$ 20 para uma instituição que defende os direitos LGBT para cada pessoa que aparecesse no protesto, o que afastou o grupo religioso. Na época, o G1 falou com ele sobre o tema: G1 - O protesto por homofobia tem a ver com o fato de que você escreveu a música “Girls/girls/boys”, com o verso 'o amor não é uma escolha'. Por que fez essa música? Brendon Urie - Esse verso resume mesmo toda a música. Eu acredito nisso. Não acho que garotos com 13 ou 14 anos, sendo estranhos como são, já provavelmente sofrendo bullying, escolheriam apanhar mais ainda. Não é uma escolha. Existem pessoas gays e hétero, você não vai controlar isso. É maravilhoso aceitar as pessoas como elas são. G1 - Em entrevista recente você falou de experiências homossexuais. Por que falar sobre isso? Brendon Urie - Decidi falar pois começaram a perguntar, por causa de “Girls/girls/boys”. Sempre fomos uma banda aberta e aceitamos todas os aspectos da vida. Para mim, nunca é problema ser honesto. Se me perguntam se tive uma experiência gay, digo que sim. Quando eu tinha 13, 14 anos, eu não sabia se era gay ou hétero. Sentia muitas emoções, muitos hormônios, estava com tesão (risos). Eu queria entender quem era e testar algumas coisas para dizer "isso não é para mim". Não significa que eu fiquei obcecado por isso, sabe? Tenho amigos gays e hétero, não importa. Espero que a banda leve uma luz a tema da aceitação. VEJA O ROCK IN RIO AO VIVO VEJA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DO FESTIVAL Brendon Urie, vocalista e guitarrista do Panic! At the Disco Reprodução/Instagram Initial plugin text Veja Mais

Nile Rodgers e Chic mostram por que foram promovidos no Rock in Rio com mega baile de formatura

G1 Pop & Arte Guitarrista de 66 anos conquistou fãs de Red Hot Chili Peppers pelo groove e pelo som funkeado. Nile Rodgers & Chic interpretam "We Are Family" no Rock in Rio No Rock in Rio 2017, teve gente que chamou o show de Nile Rodgers e sua banda Chic de "o maior e melhor baile de formatura do mundo". Conquistando fãs de Red Hot Chili Peppers pelo groove e pelo som funkeado, o guitarrista de 66 anos mostrou que seu megabaile pode ser ainda maior. Antes, cabe uma apresentação do "Forrest Gump do pop". A comparação com o personagem de Tom Hanks que vive vários momentos importantes da história norte-americana faz sentido. Ele foi um dos responsáveis pela ascenção da disco music (com o Chic), do pop de dicas (produzindo Madonna e Cindy Lauper) e do hip hop (ao ser sampleado no primeiro hit do estilo, "Rapper's Delight"). Amparado por suas cantoras, Folami Ankoanda-Thompson e Kimberly Davis, Nile só faz vocais de apoio. Usa o microfone também para falar um pouco de seu currículo e de sua recuperação de um câncer. Ele sabe bem que nem todo mundo sabe de seu currículo. Então, sempre explica que trabalhou com Lady Gaga, Duran Duran, David Bowie, Daft Punk e Diana Ross. Nile Rodgers & Chic tocaram no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 É melhor falar isso mesmo, antes que alguém não entenda o porquê de ele estar tocando tantos hits de outros artistas. Sim, são sucessos dele também. Na segunda vez no Brasil, Nile repete o bom show currículo do Rock in Rio anterior. Uma hora de show é tempo para versões fiéis ao arranjo original de "We are a family", do Sister Sledge; e "Get Lucky", do Daft Punk, uma das mais celebradas da noite. Foi quando a Cidade do Rock virou um mar de luzinhas de celulares, a pedido de Rodgers. A versão demora a engrenar, mas quando o suingue dominou o arranjo, aí todo mundo dançou. Nile Rodgers & Chic tocaram no palco Mundo nesta quinta (3), quarto dia de Rock in Rio Alexandre Durão/G1 Veja Mais

Comissão do Novo Código Penal discute criação do juiz de garantias - 03/10/19

Comissão do Novo Código Penal discute criação do juiz de garantias - 03/10/19

Câmana dos Deputados A comissão especial que debate o novo Código de Processo Penal debateu a criação da figura do juiz de garantias e a regulamentação do poder do ministério público para investigar. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Veja como foi o Plenário desta semana - 03/10/19

Veja como foi o Plenário desta semana - 03/10/19

Câmana dos Deputados Na semana que passou, faltou pouco para o Congresso limpar a pauta de vetos presidenciais que ainda tranca a análise da LDO para 2020. Mas separadamente, Câmara e Senado conseguiram dar celeridade à análise do projeto que estabelece limites para gastos de campanha, e com isso as novas regras já valem para as eleições do ano que vem. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Veja Mais

Rock in Rio 2019 ao vivo: Nile Rodgers & Chic fazem show no Palco Mundo

G1 Pop & Arte G1 vai transmitir todos os shows do Palco Mundo. Capital inicial, Nile Rodgers & Chic, Red Hot e Panic! At The Disco estão entre as atrações do dia. Rock in Rio 2019 ao vivo: Nile Rodgers & Chic fazem show no Palco Mundo G1 vai transmitir todos os shows do Palco Mundo. Capital inicial, Nile Rodgers & Chic, Red Hot e Panic! At The Disco estão entre as atrações do dia. Capital inicial abriu Palco Mundo . Panic! At The Disco e Red Hot Chilli Peppers também vão tocar no palco principal. Sunset teve Emicida e Ibeyi, Pará Pop e Francisco, el Hombre. Hip Hop Hurricane com Nova Orquestra, Rael, Agir, Baco Exu do Blues e Rincon Sapiência fecha programação do Sunset Veja Mais

Cyrela, Tenda, MRV e Direcional: Uma ação vai dar quatro vezes o retorno da outra

R7 - Economia O múltiplo P/VPA (Preço sobre Valor Patrimonial por Ação) é utilizado pelos investidores no setor imobiliário para avaliar a solvência de uma construtora, pela representatividade entre quanto o mercado avalia a empresa e o valor da liquidação completa de seus ativos excluídos os passivos. Em relatório divulgado nesta quinta-feira (3) e obtido pelo Money Times, […] Veja Mais

Marvel anuncia aventura dos Vingadores em realidade virtual

Marvel anuncia aventura dos Vingadores em realidade virtual

Tecmundo Quem nunca sonhou em fazer parte dos Vingadores? A partir do dia 18 de outubro, o público norte-americano vai ter essa oportunidade com Avengers: Damage Control. Desenvolvido pela ILMxLAB, o projeto promete ser uma incrível experiência de realidade virtual dentro do Universo Cinematográfico da Marvel.Os fãs dos Maiores Heróis da Terra são convidados por Shuri (Letitia Wright) para testar o protótipo do novo traje desenvolvido com as tecnologias de Wakanda e das Indústrias Stark. Durante esse “teste”, eles vão poder lutar ao lado do Doutor Estranho (Benedict Cumberbatch), Homem-Formiga (Paul Rudd), Vespa (Evangeline Lily) entre outros heróis.Leia mais... Veja Mais

Protestos contra episódios de violência no Rio marcam quarto dia de Rock in Rio

G1 Pop & Arte Caso de família baleada em carro por militares do Exército, morte da menina Ágatha Félix e assassinato de Marielle Franco foram lembrados. Ágatha Félix é lembrada no show de Emicida e Ibeyi Marcos Serra Lima/G1 O quarto dia do Rock in Rio 2019 foi marcado por protestos lembrando episódios de violência que abalaram o Rio nos últimos anos. O show que reuniu a maior quantidade de referências aos casos foi a apresentação de Francisco, el Hombre e Monsieur Periné no Palco Sunset. Momento mais emotivo do show, a canção “Triste, louca ou má” foi entoada como uma homenagem às mulheres em geral, representadas por imagens de Ágatha Félix, de 8 anos, morta no Complexo do Alemão; a vereadora Marielle Franco, assassinada em 2018, entre outras, que tiveram fotos projetadas em um telão. Emicida e Ibeyi homenageiam a menina Ágatha Félix no Rock in Rio O show também fez outras manifestações: pela Amazônia, pelas mulheres e contra o presidente Jair Bolsonaro. Ágatha e Marielle também foram lembradas no show de Emicida e Ibeyi, também no palco Sunset. Imagens delas foram projetadas no telão. Juliana Strassacapa, da banda Francisco el Hombre, e Catalina García, do grupo Monsieur Periné, tendo ao fundo uma foto em homenagem a menina Ágatha Felix em show no Rock in Rio nesta quinta-feira (3) WILTON JUNIOR/ESTADÃO CONTEÚDO Rapper Dughettu se apresenta no Espaço Favela Já o rapper carioca Dughettu, 40 anos, estreou no Rock in Rio 2019 com show que fez menção às mortes de duas pessoas depois que militares do Exército dispararam 80 vezes contra o carro de uma família em Guadalupe, Zona Norte do Rio. A escolha do figurino – um blusão de tricô com 80 buracos e uma máscara de bate-bola, também tricotada – provocou um impacto visual imediato ao público. O músico disse que decidiu lembrar, entre outros casos no Rio de Janeiro, as mortes de um músico e de um catador em Guadalupe. Carro de família foi alvejado por militares em Guadalupe, Zona Norte do Rio, no domingo (7) José Lucena/Futura Press/Estadão Conteúdo "Se a arte não serve ao sagrado, ela não serve de nada." , afirmou Dughettu sobre a decisão de fazer o show vestido dessa forma. Embora costume ser reconhecido por atuar em Madureira, outro bairro na Zona Norte, Dughettu explicou que é "nascido e criado" em Guadalupe. Rapper mostra roupa que usou no show do Rock in Rio nesta quinta Reprodução Initial plugin text Veja Mais

Rodrigo Maia cobra negociação de pacto federativo

Rodrigo Maia cobra negociação de pacto federativo

Câmana dos Deputados O governo vai encaminhar uma proposta de reforma tributária ao Legislativo. A informação foi dada nesta quinta-feira pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, ao sair de reunião no Ministério da Economia com o ministro Paulo Guedes. Na entrevista, o deputado Rodrigo Maia também defendeu que seja refeito o chamado pacto federativo, que trata da divisão de recursos entre União, estados e municípios. O motivo apontado pelo deputado Rodrigo Maia é a redução na expectativa de ganhos com a reforma da previdência da forma como foi aprovada em primeiro turno no Senado esta semana. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Wladimir Garotinho detalha redistribuição dos royalties do petróleo

Wladimir Garotinho detalha redistribuição dos royalties do petróleo

Câmana dos Deputados Com os royalties do petróleo na pauta do Supremo Tribunal Federal, a Frente Parlamentar em Defesa dos Municípios Produtores de Petróleo está se movimentando para tentar garantir uma alternativa de arrecadação para os municípios produtores. O STF já marcou para 20 de novembro o julgamento da liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade que prevê novas regras para a redistribuição dos royalties do petróleo. Para saber mais detalhes sobre a atuação dos parlamentares, eu converso nesta edição do Palavra Aberta com o presidente da Frente, deputado Wladimir Garotinho (PSD-RJ). O programa tem produção da TV e da Rádio Câmara e apresentação de Regina Assumpção. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais