Meu Feed

No mais...

Como ativar o modo escuro em qualquer site usando o Chrome pelo computador

Como ativar o modo escuro em qualquer site usando o Chrome pelo computador

canaltech O Chrome ganha melhorias e novidades a cada atualização. A partir da versão 78, o navegador do Google para computadores ganhou uma novidade aguardada por todos os usuários: o modo noturno forçado. Não se trata apenas do visual escuro como tema do navegador, mas sim de uma ferramenta que também deixa sites visitados com um esquema de cores escurecido. Conheça 10 extensões do Google Chrome que tornarão seu dia a dia mais produtivo Como ativar o modo escuro para sites no Chrome 78 O "Force Dark Mode" não é uma função que vem ativada por padrão no Chrome; logo, você precisará ativá-la manualmente. Como mencionado acima, essa opção oferece ao usuário uma aparência escura para qualquer site, o que torna a legibilidade e a navegação pela internet mais confortável, sobretudo para quem já usa o Chrome com o tema escuro ativado. Para o tutorial, você precisará usar o Google Chrome no Mac ou no Windows com a versão 78 ou posterior. É possível baixar a versão mais recente do navegador no site do Google clicando aqui, ou então atualizando o Chrome que já está instalado no seu computador indo até: Ajuda> Sobre o Chrome > Verificar atualização. Lembre-se de reiniciar seu navegador após o download da atualização para que as mudanças sejam aplicadas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Chrome 78 chega com novos recursos de segurança e personalização Atualizando o Google Chrome para a versão 78 / Captura de tela: Bruno Salutes Para usar o modo escuro forçado, ou Force Dark Mode, você terá que copiar este comando e colá-lo na barra de endereços do Chrome: chrome://flags/#enable-force-dark. Aperte "Enter" para confirmar. Com o comando confirmado, encontre a opção "Force Dark Mode for Web Contents"/ Captura de tela: Bruno Salutes Um menu será aberto com a descrição "Force Dark Mode for Web Contents" destacada em amarelo (imagem acima). Dentro dessa opção, abra a caixa de diálogo onde está escrito "Disabled" e mude para "Enabled" (imagem abaixo). Uma mensagem irá surgir no rodapé pedindo para que o Chrome seja reiniciado. Faça o reinício clicando em "Reiniciar agora". Pronto! Mude para "Enabled" para ativar o modo escuro forçado / Captura de tela: Bruno Salutes Agora, basta acessar qualquer site de sua preferência para vê-lo com o tema escuro. Veja abaixo como o site do Canaltech fica com o modo escuro forçado do Chrome em ação: O modo escuro forçado em ação no site do Canaltech / Captura de tela: Bruno Salutes Para desativar, basta refazer esse tutorial e mudar a caixa de diálogo de "Enabled" para "Disabled" em "Force Dark Mode for Web Contents". Lembre-se de sempre reiniciar o navegador para aplicar as mudanças. Agora diz aí: você prefere usar a aparência clara ou escura em softwares no seu computador? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Confirmado: “Animais Fantásticos 3”, de J.K. Rowling, se passará no Brasil

Confirmado: “Animais Fantásticos 3”, de J.K. Rowling, se passará no Brasil

R7 - Música Animais Fantásticos e Onde Habitam Tenho Mais Discos Que Amigos Divulgação Agora é oficial! O terceiro filme da franquia Animais Fantásticos e Onde Habitam, spin-off de Harry Potter, vai mesmo se passar no Brasil. A notícia já era conhecida pelos fãs da saga, já que J.K. Rowling havia dado uma dica no Twitter usando uma foto do Rio de Janeiro nos anos 30. O ator Dan Fogler, que interpreta Jacob Kowalski, também já havia confirmado que a produção viria ao Brasil. A afirmação é do EW, que não chegou a confirmar se a cidade carioca será palco para as filmagens do longa. Nenhum detalhe da história foi revelado. Animais Fantásticos De acordo com Rowling, o Brasil tem uma escola de magia chamada Castelobruxo, dentro da floresta amazônica. A autora já havia confirmado que o lugar fictício estaria neste spin-off em algum momento. O elenco da franquia ainda conta com Eddie Redmayne (Newt Scamander), Jude Law (Albus Dumbledore), Johnny Depp (Gellert Grindelwald), Katherine Waterston (Tina Goldstein), Ezra Miller (Credence Barebone/Aurelius Dumbledore) e Alison Sudol (Queenie Goldstein). O diretor deste filme também será David Yates, que está na franquia desde os filmes de Harry Potter. O longa estreia no dia 12 de novembro de 2021. Veja Mais

The Witcher nem estreou ainda, mas já teria trama para 7 temporadas

The Witcher nem estreou ainda, mas já teria trama para 7 temporadas

canaltech Toda vez que uma adaptação de algum game famoso chega ao mercado, há sempre aquela desconfiança sobre sua qualidade, porque, bem, não há um grande histórico de sucesso nessa seara. Mas, mesmo assim, o pessoal por trás de The Witcher, que sequer estreou ou teve uma segunda temporada renovada pela Netflix, está confiante: de acordo com a showrunner Lauren Hissrich, já haveria trama rabiscada para sete anos de exibição. "Eu [mapeei histórias] por sete temporadas. No momento, trata-se de 'como você cria histórias que realmente prendem a atenção do público por anos?'. A pior coisa que podemos fazer é colocar todas as nossas energias na primeira temporada e não pensar em onde esses personagens podem crescer”, comentou Lauren, na edição 320 da revista SFX.   Mas, no mundo violento de The Witcher, ela admite que nem todo mundo chegará vivo à possível 7ª temporada, muito menos à 2ª temporada: “Não posso prometer que eles estarão vivos". -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! The Witcher tem estreia no dia 20 de dezembro, na Netflix. Caso seja um sucesso de audiência na primeira semana, pode ser que tenhamos uma rápida confirmação de uma sequência. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Brasil capta US$3 bi no mercado externo com bônus de vencimentos em 2029 e 2050

R7 - Economia Por Gabriel PonteBRASÍLIA (Reuters) - O Tesouro Nacional captou nesta segunda-feira um total de 3 bilhões de dólares no mercado externo com duas operações: o lançamento do novo título Global 2050, com o qual levantou aproximadamente 2,5 bilhões de dólares, e a reabertura do Global 2029, no valor de 500 milhões de dólares.O bônus com vencimento em 2050 foi emitido com cupom de 4,75% e preço de 97,441% do valor de face, gerando uma taxa de retorno de 4,914% para o investidor, o que corresponde a um spread de 265 pontos-base sobre o Treasury de prazo similar.O título com vencimento em 2029 saiu a uma taxa de 3,809% (cupom de 4,500%), com spread de 203 pontos-base acima do título norte-americano.A demanda superou o volume ofertado em três vezes, no caso do Global 2050. O Global 2029 teve procura cinco vezes acima da quantidade ofertada, segundo o Tesouro. A operação foi liderada pelos bancos BNP Paribas, Citibank e Goldman Sachs & Co. Também nesta segunda-feira, o governo recomprou cerca de 1 bilhão de dólares em títulos emitidos anteriormente, em operação que será detalhada na terça-feira e que foi financiada por recursos captados na emissão desta segunda do Global2050.Em nota divulgada mais cedo, o Tesouro afirmou que o objetivo da operação casada era "melhorar a eficiência e consolidar benchmarks da curva denominada em dólares".Após o anúncio do resultado da emissão, o Tesouro avaliou que as taxas pagas pelo país já estão muito próximas às praticadas por economias com grau de investimento. O Brasil perdeu o selo de bom pagador concedido pelas agências de classificação de risco em 2015.A última emissão externa do país havia acontecido em março, quando o Tesouro captou 1,5 bilhão de dólares com a emissão do Global 2029, ao spread divulgado à época de 215,8 pontos-base. Veja Mais

CCJ aprova PEC que insere a proteção de dados pessoais na lista de garantias individuais - 04/11/19

CCJ aprova PEC que insere a proteção de dados pessoais na lista de garantias individuais - 04/11/19

Câmana dos Deputados A Constituição determina que todo brasileiro tem direito ao sigilo telefônico e de correspondências. Agora alguns deputados querem ir além e incluir também o sigilo dos dados pessoais. Esses parlamentares entendem que essas informações não podem ser manipuladas ou vendidas sem a autorização expressa do cidadão. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Uber cresce, mas suas ações caem após apresentar receita do último trimestre

Uber cresce, mas suas ações caem após apresentar receita do último trimestre

canaltech O mercado de mobilidade urbana está aquecido há algumas temporadas, e a concorrência da Uber, que inicialmente cresceu assustadoramente e tomou conta do setor, agora é bem mais acirrada. Por isso a pressão pelos resultados tem sido muito maior, ainda mais após a abertura do capital em maio deste ano. Na apresentação dos resultados do terceiro trimestre, mesmo com uma discreta alta, seus papéis foram negociados com uma queda de 6% em relação ao valor de estreia. De acordo com o relatório, o lucro por ação caiu 0,68%, mais do que os 0,63% esperados pelos analistas. A receita entre julho e setembro ficou em US$ 3,8 bilhões, diante de uma projeção de US$ 3,4 bilhões. O lucro líquido total cresceu para US $ 1,1 bilhão, ou 18% a mais que no mesmo período de 2018. Os números vieram de um total de 1,7 bilhão de viagens, a partir de 103 milhões de condutores ativos. Números mostram boa alta dos serviços Eats e Freights (Imagem: Reprodução/Business Insider) As reservas brutas, uma importante medida da indústria do total de recebimentos de passageiros antes de certas despesas — como motoristas pagantes —, cresceram 29% em relação ao mesmo período do ano passado, para US$ 3,7 bilhões. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- "Nossos resultados neste trimestre demonstram decisivamente a crescente lucratividade do nosso segmento de corridas. Estamos satisfeitos por ver o impacto que a contínua liderança de categoria, maior disciplina financeira e uma mudança em todo o setor em direção a um crescimento mais saudável causam em nosso desempenho financeiro”, disse o CEO Dara Khosrowshahi em comunicado à imprensa. Uber Eats continua com crescimento rápido Se o mercado de MaaS (Mobilidade como Serviço) segue em alta, o de entregas cresce ainda mais rápido em todo o mundo. A receita do Uber Eats, um dos segmentos mais prósperos da empresa, exibiu alta de US$ 392 milhões no trimestre, um aumento de 105% em relação ao mesmo período do ano passado. Ainda, o serviço de frete de cargas Uber Freight, que vem ganhando mercado de forma voraz nos Estados Unidos e no Canadá, agora inclui mais de 50 mil transportadoras. Embora os números sejam positivos, há uma certa expectativa do mercado em relação às concorrentes, especialmente a Lyft, que, na semana passada, superou todas as estimativas de Wall Street — embora a resposta dos investidores também tenha sido bastante morna. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Após trapaça, famoso youtuber é expulso de Fortnite e fãs protestam com hashtag Tá vendo aquela Lua que brilha lá no céu? O que aconteceria se ela sumisse? O logo do Facebook mudou (e vai aparecer no Instagram e WhatsApp) Veja Mais

Prefeitura de Betim denuncia Andrade Gutierrez na Polícia Civil e no MPMG

O Tempo - Política Objetivo é que órgãos investiguem a fraude na cobrança da suposta dívida do município com a empreiteira Veja Mais

Miguel Proença cai. E a Funarte, para onde vai?

G1 Pop & Arte Durou o tempo de uma gestação, de fevereiro a novembro, a surpreendente passagem de Miguel Proença pela presidência da Fundação Nacional das Artes (Funarte). Surpreendente do começo ao fim. Do começo, por ninguém ter entendido bem porque um pianista da estatura dele foi parar numa instituição que há muito já não se interessa tanto por cultura, em geral, e por música, em especial. Ao fim, porque só especulando se pode chegar à causa de sua exoneração assinada pelo ministro da Casa Civil, Onix Lorenzoni. Claro, a causa deve ter caráter ideológico, apesar de uma das bandeiras de nossos atuais governos seja justamente a da luta contra tudo que entendem por “ideologia”. No caso de Proença, seu erro seria o de pensar, de alguma forma, diferente de homens acima dele (por exemplo, o ministro da Cidadania, Osmar Terra) ou um pouco abaixo (por exemplo, o diretor das Artes Cênicas da Funarte, Roberto Alvim). Proença não gostou de ver Alvim investindo contra todo o teatro brasileiro ao convocar artistas conservadores a participarem de uma guerra (o termo “guerra” é dele) contra o que entende por “marxismo cultural”. Ou seja, um teatro de esquerda. O pianista presidente gostou menos ainda, a ponto de se dizer chocado, quando Alvim insultou Fernanda Montenegro, às vésperas de ela comemorar seus 90 anos. Consta que Proença foi até Terra para pedir providências contra o subalterno cuja ofensa à nossa grande atriz era parte do que ele, Alvim, chama de luta semelhante à das Cruzadas, “na medida em que os guerreiros cristãos lutaram no passado para impedir a destruição de nossa civilização por invasões muçulmanas”. Trazendo para os nossos dias, a guerra seria da civilização judaico-cristã contra o progressismo cultural. A providência do ministro foi demitir 19 funcionários das Artes Cênicas da Funarte, sem consultar Proença ou, pelo que se sabe, sem ouvir Alvim. Voltou atrás. Agiu da mesma forma impensada com que ele, comandados e comandante, agem para em seguida tentarem desfazer os nós. A Funarte não vai melhorar nem piorar com a saída de Proença. Nada vai mudar com a presidência nas mãos do diretor executivo Leônidas de Oliveira. Nem de alguém que venha a substituí-lo. O problema da Funarte é que, ao longo dos anos, ela foi desistindo do papel importante que teve no passado. Era, ao lado do Museu da Imagem e do Som e de poucos mais, um atuante centro cultural, editando livros, promovendo cursos e congressos, instituindo prêmios, levando música e teatro aos pontos mais distantes do país. É verdade que a Funarte começou a desistir quando as verbas oficiais foram ficando a cada dia mais minguadas. Mas também é verdade, e mais triste, saber que ela continua empenhada em desistir de vez, quanto mais se faz desinteressada, preconceituosa, irresponsável, desinteligente, em nome da política cultural –– esta sim, ideológica –– adotada por aqui há quase um ano. Veja Mais

Itaú: 3,5 mil funcionários aderem se desligam ao custo de R$ 2,4 bi

R7 - Economia O Itaú (ITUB4) informou que 3,5 mil funcionários aderiram ao seu programa de desligamento voluntário (PDV) a um custo de R$ 2,4 bilhões, mostra comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira (4). De acordo com o banco, o programa teve como objetivo dar oportunidade a transição de carreira segura e voluntária para quem tinha o interesse em […] Veja Mais

Marcopolo tem queda de 64,8% no lucro do 3° trimestre

R7 - Economia O lucro líquido da Marcopolo (POMO4) totalizou R$ 22,8 milhões no terceiro semestre de 2019, queda de 64,8% em relação ao mesmo período do ano passado de acordo com o resultado financeiro divulgado nesta segunda-feira (4). A receita operacional líquida encerrou o trimestre em R$ 1,08 bilhões, queda de 1,8% ante os R$ 1,1 bilhões registrados […] Veja Mais

Como a tecnologia está ajudando pessoas com autismo no Brasil

Como a tecnologia está ajudando pessoas com autismo no Brasil

canaltech Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), há aproximadamente 70 milhões de pessoas com autismo em todo o mundo, sendo 2 milhões somente no Brasil. Estima-se que uma em cada 88 crianças apresenta traços de autismo, com prevalência cinco vezes maior em meninos. “O autismo é um transtorno do neurodesenvolvimento que se dá por conta de desordens durante a fase do desenvolvimento cerebral. É importante ressaltar aqui que o autismo não é uma doença. Perpetuar esse termo só dá força aos preconceitos que envolvem o transtorno”, explica a Dra. Milene Rosenthal, psicóloga e co-fundadora da Telavita, uma plataforma de consultas online. Segundo a psicóloga, o autismo afeta comunicação, cognição, aprendizado e relacionamentos. Por exemplo: pessoas autistas, dependendo do grau do transtorno, não gostam de ser tocadas e têm enorme sensibilidade ao barulho e sons ao redor, então atividades que parecem comuns para quem não tem o transtorno acabam representando um verdadeiro desafio para os autistas. Por isso, é vital entender qual o grau de autismo dessa pessoa e quais desafios ela enfrenta. Se ela tem problema na fala, por exemplo, é importante saber qual o melhor meio de se comunicar com ela e, para isso, a informação através de especialistas treinados é o caminho. “A orientação psicológica é essencial não só para pessoas com autismo, mas também para quem cerca esse indivíduo. Afinal, a inclusão acontece quando você se empodera de informações para acolher o outro, entender os limites e as dificuldades. Será que a pessoa com autismo está gritando por birra? Será que não é um meio de comunicação que eu preciso compreender? Todo esse entendimento leva tempo e é complexo, mas é vital que ele seja levado ao maior número de pessoas possíveis”, Milene afirma. A psicóloga também enfatiza que o tratamento, quando realizado adequadamente e desde cedo, ajuda a diminuir os sintomas e possibilita um melhor desenvolvimento e aprendizagem ao paciente. “Os procedimentos devem ser adotados por todos os envolvidos, tanto na educação através das terapias, quanto pela família. Uma família bem informada e preparada para compreender e atender as necessidades de quem possui o transtorno, é o grande pilar para a construção das características, identidade e potencial dessa pessoa”, ressalta. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Além disso, segundo a profissional, o acompanhamento psicológico envolve o controle da raiva, processamento sensorial, teleprática, análise de comportamento aplicada, terapia assistida por animais e terapia comportamental. Não podemos esquecer que a fonoaudiologia é fundamental para os casos em que a comunicação é comprometida. O uso de medicamentos antipsicóticos pode ser prescrito para alguns casos, mas somente especialistas podem fazê-lo. Os casos de autismo podem ser tratados por psiquiatras, neurologistas, pediatras e fonoaudiólogos. Milene acrescenta que o diagnóstico do autismo pode ser dado a partir da primeira infância, mas nada impede que muitas pessoas só o recebam na idade adulta. Isso, inclusive, é muito comum nos casos de autismo leve. É por isso que o acompanhamento psicológico para todos é fundamental, pois o psicólogo percebe se o paciente pode estar dentro do espectro e faz o encaminhamento para um neurologista.  Mas e quanto à tecnologia? Será que ela dispõe de alguma ferramenta para ajudar as pessoas diagnosticadas com autismo da mesma forma que pode auxiliar pessoas com depressão ou com deficiência? De acordo com Milene, a tecnologia pode ser uma grande aliada para as pessoas dentro do espectro autista e para os pais e pessoas que convivem com elas. “Uma pessoa autista com dificuldade de comunicação pode não saber se expressar verbalmente, mas um aplicativo que mostre figuras de sentimentos, reações, entre outros, pode ser uma poderosa ferramenta de expressão para que aquele indivíduo faça parte do meio. O autismo é só um jeito diferente de ver o mundo, e nós precisamos estar prontos para acolher da melhor maneira possível”, diz a psicóloga. Com isso em mente, trouxemos alguns exemplos de como a tecnologia pode fornecer um suporte para essas pessoas. App ajuda estudantes com autismo No Colégio Pauliceia, em São Paulo, pelo menos 30% dos alunos possuem algum tipo de deficiência. Dessa fatia, a maioria apresenta quadro de autismo. O colégio oferece a utilização de tablets para a comunicação alternativa, com um aplicativo de comunicação por símbolos chamado Snap Core First. Basicamente, o app conta com um suporte de palavras básicas. Ele está disponível para download gratuito, mas há também uma versão paga, mais completa. “A compreensão da diversidade implica em entender que as pessoas são diferentes, que têm necessidades específicas que precisam ser atendidas diferentemente. Defendemos o modelo de inclusão da pessoa com autismo baseada em Análise do Comportamento Aplicada. Nesse modelo, a pessoa responsável elabora, em conjunto com a escola, um currículo adaptado, levando em consideração o currículo típico e o conhecimento de repertório da criança com autismo. Idealmente, esse currículo adaptado é aplicado pelo AP (acompanhante personalizado) que atua integrado ao professor”, conta Carmen Lydia Trunci, a diretora do colégio. Carmen defende que os professores e toda a equipe de uma escola inclusiva devem lidar com quem tem autismo da mesma forma que lidam com todos os alunos, respeitando a diversidade e entendo como uma possibilidade de evolução para todos. “Todas as crianças se beneficiam de um processo de inclusão bem direcionado, pois se colocar no lugar do outro e fazer para ele o que gostaríamos que fizessem conosco faz toda diferença na nossa formação. Quando o respeito à diversidade é trabalhado como um valor importante na instituição, percebe-se que as pessoas envolvidas se tornam solidárias e dificilmente ocorrem situações de bullying. Quando ocorre alguma situação dessa natureza, o importante é reiterar os princípios e trabalharmos com limites claros, de forma a favorecer o crescimento do grupo”, completa a diretora. Movimento Web Para Todos O Web para Todos consiste em um ponto de encontro entre as organizações, desenvolvedores e pessoas com deficiência com o objetivo de mobilizar a sociedade para a causa da acessibilidade digital, e contribuir para transformar a web brasileira em um ambiente inclusivo para todos. Na plataforma online do Movimento, há compartilhamento de experiências (boas e ruins) que as pessoas com deficiência tiveram ao navegar em sites brasileiros – a partir desses relatos, os especialistas entram em contato com as organizações para conscientizá-las sobre a questão e direcioná-las à área de Educação da plataforma. Além disso, há também consultorias especializadas para adequar sites, aplicativos e outras plataformas digitais para a navegação de pessoas com deficiência. No próprio site, há pesquisas e artigos em torno não só do autismo, como outros transtornos também. “Nós associamos acessibilidade quando vamos estacionar e vemos vagas para pessoas com deficiência, ou quando vemos um cadeirante tentando se movimentar pela cidade. Mas acessibilidade é muito mais que isso”, aponta Thiago Sarraf, especialista em e-commerce e embaixador do Movimento Web para Todos. “Quem tem epilepsia ou autismo pode sofrer convulsões dependendo das cores usadas na tela. A tela não pode ser pequena para quem tem dificuldade de enxergar. Deixar disponível apenas a opção de ligar não é bom para quem tem deficiência auditiva”, completa. Ele ainda defende que a acessibilidade é um esforço coletivo, e que é necessário pensar em vários tipos de deficiência e dificuldades que a pessoa possa ter, como o daltonismo, que é um tipo de deficiência visual. "É um mundo completamente novo que a gente precisa trabalhar”.  Inteligência artificial detecta autismo Robô interage com pacientes O professor Anselmo Frizera Neto, membro do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) desenvolveu uma pesquisa de inclusão de pessoas com déficit cognitivo, que possui aplicação de robótica e Inteligência Artificial. Trata-se de um dispositivo para detectar o autismo, usando o método de aprendizagem de máquina, onde o sistema é alimentado com dados dos exames de pacientes com suspeita da doença. Após processar as informações, o algoritmo avalia se a pessoa possui ou não autismo. Em um ambiente monitorado por câmeras e sensores, um robô interage com a criança. Cada reação é avaliada pelo sistema, que indica potenciais sintomas, possibilitando o diagnóstico precoce e o tratamento adequado. O professor conta que a ideia do projeto surgiu durante uma banca de doutorado da qual participou no Programa de Pós-Graduação em Ciências Fisiológicas na UFES. Ao ver como era feita a avaliação e os trabalhos de pesquisa com crianças com autismo, usando tecnologias atualmente disponíveis (como a eletroencefalografia ou a ressonância magnética funcional) e as grandes dificuldades de compatibilizar tais tecnologias com o conforto da criança durante a avaliação, foi discutido se não haveria outra forma de medir os parâmetros de interesse. Segundo Frizera, a alternativa deveria ser menos invasiva e mais transparente para o paciente, de forma a obter informação sem as dificuldades atualmente encontradas. "Então pensamos em realizar medições do foco de atenção visual usando câmeras escondidas no ambiente durante a intervenção com psicólogos treinados. De forma complementária, pensamos ainda em desenvolver um pequeno dispositivo robótico que apoiasse o profissional da saúde durante as intervenções. E, assim, começamos a trabalhar na ideia, sem financiamento específico para tal fim", relembra. Para Frizera, qualquer tecnologia que venha a ser desenvolvida para melhorar a qualidade de vida das pessoas têm importância extrema. "No entanto, o impacto pode ser ainda maior se direcionamos os nossos esforços de pesquisa e desenvolvimento para apoiar as pessoas com necessidades especiais e encontrar formas de melhor incluí-las na sociedade", afirma o professor. Por fim, ele ainda observa que o foco é no desenvolvimento e validação do conceito/protótipo e que ainda faltaria a participação de empresas que pudessem comercializar e levar tais desenvolvimentos para o mercado. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando O logo do Facebook mudou (e vai aparecer no Instagram e WhatsApp) Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Após trapaça, famoso youtuber é expulso de Fortnite e fãs protestam com hashtag Ciência e engenharia da computação: quais as diferenças e qual escolher? Veja Mais

João Henrique Campos comenta criação de CPI para investigar óleo em praias do Nordeste

João Henrique Campos comenta criação de CPI para investigar óleo em praias do Nordeste

Câmana dos Deputados Há mais de 50 dias, as primeiras praias do Nordeste começaram a ser tomadas por manchas escuras de óleo. Agora, já são mais de 2.200 quilômetros de praias comprometidas, em 78 municípios de 9 estados. A origem do óleo ainda não é conhecida. A Câmara abriu uma comissão parlamentar de inquérito para investigar as causas e os responsáveis pelos vazamentos. O deputado João Henrique Campos, do PSB de Pernambuco, que protocolou o pedido de abertura da CPI, conversa sobre o assunto nesta edição do Palavra Aberta. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

'Não me sinto mais seguro': vítima de hacker pelo WhatsApp conta como ligação misteriosa iniciou ataque

G1 Economia Faustin Rukundo não fazia ideia de que a ligação de um número desconhecido pelo aplicativo havia infectado seu telefone com um software espião. 'Tudo é vigiado, computadores, telefones, nada é seguro', diz Faustin Rukundo, vítima de hacker pelo WhatsApp Faustin Rukundo/BBC Em abril deste ano, Faustin Rukundo recebeu uma ligação misteriosa de um número desconhecido pelo WhatsApp. Ele atendeu, mas a pessoa do outro lado da linha ficou em silêncio e depois desligou. Ele tentou ligar de volta, mas ninguém atendeu. Sem que ele soubesse, seu telefone havia sido hackeado. Rukundo, um ruandês exilado em Leeds, no Reino Unido, já se preocupava com a questão da privacidade. Ele procurou o número na internet e descobriu que o código da chamada era da Suécia. Estranho, ele pensou. Mas logo se esqueceu disso. Até que o número ligou de novo. E, mais uma vez, houve silêncio. Ele observou também registros de ligações perdidas de outros números que não conhecia, e começou a ficar preocupado com a segurança da sua família — decidiu então comprar um telefone novo. Um dia depois, o número desconhecido ligou novamente. "Tentei atender e desligaram antes que eu pudesse ouvir qualquer voz", contou Rukundo à BBC. "Sempre que eu ligava de volta, ninguém atendia. Percebi que havia algo errado quando comecei a ver que estavam faltando arquivos no meu celular." "Conversei com meus colegas no Congresso Nacional de Ruanda, e eles também haviam tido experiências semelhantes. Estavam recebendo ligações perdidas dos mesmos números que eu." Apenas em maio, quando a imprensa noticiou que o WhatsApp havia sido hackeado, Rukundo se deu conta do que havia acontecido. Programa suspeito de ter sido usado em ataque no WhatsApp foi criado por empresa polêmica "Li pela primeira vez sobre a história do hackeamento do WhatsApp na BBC e pensei: 'Uau, isso poderia explicar o que aconteceu comigo'", relata. "Troquei meu telefone e percebi meu erro. Eles estavam seguindo meu número e colocando o software espião em cada dispositivo novo, ligando para o mesmo número." Rukundo estava convencido de que ele e seus colegas faziam parte do grupo de cerca de 1,4 mil pessoas que foram vítimas do ataque, que explorou uma vulnerabilidade do WhatsApp. Mas ele só teve a confirmação nesta semana, após uma ligação do Citizen Lab em Toronto, no Canadá. Há seis meses, a organização trabalha em parceria com o Facebook, que é dono do WhatsApp, para investigar o ataque e descobrir quem foi afetado. Facebook processa empresa que teria criado software espião do WhatsApp "Como parte da nossa investigação sobre o incidente, o Citizen Lab identificou mais de 100 casos de violação tendo como alvo ativistas de direitos humanos e jornalistas em pelo menos 20 países em todo o mundo", afirmaram os pesquisadores. O perfil de Rukundo, um crítico ferrenho do governo de Ruanda, é consistente com o dos supostos alvos do software espião. O programa foi supostamente desenvolvido pela empresa NSO Group, com sede em Israel, e vendido a governos em todo o mundo. Software espião 'provavelmente' foi usado no Brasil, diz relatório canadense Os hackers usaram o software para espionar jornalistas, ativistas de direitos humanos, dissidentes políticos e diplomatas ao redor do mundo. 'Não me sinto mais seguro' Rukundo diz que não recebeu nenhuma ligação desde o ataque original, mas a experiência deixou ele e a família paranoicos e assustados. "Honestamente, mesmo antes de confirmarem isso, estávamos devastados e aterrorizados. Parece que eles só hackearam meu telefone por cerca de duas semanas, mas tiveram acesso a tudo", afirmou à BBC. "Não só (tiveram acesso) à minha atividade durante esse período, mas a todo o meu histórico de e-mails e todos os meus contatos e conexões. Tudo é vigiado, computadores, telefones, nada é seguro. Mesmo quando conversamos, eles podem estar ouvindo. Não me sinto mais seguro." Rukundo fugiu de Ruanda em 2005, quando críticos do governo começaram a ser presos. E precisou lutar para libertar a esposa depois que ela foi sequestrada e detida por dois meses em uma visita que fizeram à família em 2007. O Facebook está tentando processar o NSO Group. A empresa nega, no entanto, qualquer irregularidade. Em documentos judiciais, o Facebook acusa a empresa de explorar uma vulnerabilidade então desconhecida no WhatsApp. O aplicativo é usado por aproximadamente 1,5 bilhão de pessoas em 180 países. O serviço de mensagens instantâneas é conhecido por sua criptografia de ponta a ponta, o que significa que as mensagens são embaralhadas à medida que trafegam pela internet, tornando-as ilegíveis se interceptadas. A ação, ajuizada em um tribunal distrital da Califórnia, descreve como o NSO Group supostamente instalou o software espião. O poderoso software da empresa, conhecido como Pegasus, é um programa capaz de extrair de forma remota e clandestina informações valiosas de dispositivos móveis, compartilhando todas as atividades do telefone, incluindo dados de comunicação e localização, com o hacker. Em episódios anteriores, as vítimas eram levadas a baixar o software espião clicando em links maliciosos na web. Mas no caso do hackeamento do WhatsApp, o Facebook alega que o programa foi instalado nos telefones das vítimas sem que elas realizassem qualquer ação. A companhia diz que entre janeiro de 2018 e maio de 2019, o NSO Group criou contas do WhatsApp usando números de telefone registrados em diferentes países, incluindo Índia, Israel, Brasil, Indonésia, Suécia e Holanda. Um relatório de setembro do ano passado do Citizen Lab, ligado à Universidade de Toronto, identificou um total de "45 países nos quais o Pegasus está sendo provavelmente utilizado em operações de rastreamento". O estudo abrangeu o período de agosto de 2016 a agosto de 2018. Em abril e maio, o grupo atacou então seus alvos fazendo ligações pelo WhatsApp. "Para evitar as restrições técnicas incorporadas aos servidores de sinalização do WhatsApp, os réus formataram as chamadas com código malicioso para parecerem uma chamada legítima e ocultaram o código nas configurações de chamada", diz trecho da ação judicial. "Disfarçar o código malicioso como configurações de chamada permitiu que os réus o entregassem ao dispositivo alvo e fez o código malicioso parecer como se fosse originário dos servidores de sinalização do WhatsApp", acrescenta o documento. Chamadas não atendidas no telefone de uma das vítimas Citizen Lab/BBC Assim, as vítimas não teriam ideia de que foram hackeadas. Em alguns casos, a única coisa que notaram foram chamadas perdidas misteriosas nos registros do WhatsApp. O documento afirma que o Facebook: Acredita que o ataque foi uma violação de sua rede de computadores; Quer uma liminar que impeça que o NSO Group tenha acesso a suas plataformas; Aceita que o NSO Group pode ter executado os ataques supostamente em nome de seus clientes, mas está processando a empresa como responsável pela criação do software. O Facebook também alega que a infraestrutura usada pelos hackers incluía servidores pertencentes a outras empresas, como a Amazon Web Services (AWS). A AWS pertence a Jeff Bezos, que também é dono do "The Washington Post", jornal americano para o qual o repórter saudita Jamal Khashoggi, assassinado ano passado em consulado saudita na Turquia, trabalhava. O NSO Group é acusado de ter fornecido o software espião que permitiu aos assassinos de Khashoggi rastreá-lo. A companhia nega, no entanto, envolvimento no incidente e afirma que lutará contra as acusações. "Com a maior veemência possível, contestamos as acusações de hoje e as combateremos vigorosamente", declarou a empresa em nota à BBC. "O único propósito do NSO Group é fornecer tecnologia às agências governamentais de inteligência e segurança para ajudá-las a combater o terrorismo e crimes graves", completou. Veja Mais

Chinesa se torna primeira campeã mundial de Hearthstone na BlizzCon 2019

Chinesa se torna primeira campeã mundial de Hearthstone na BlizzCon 2019

Tecmundo A jogadora profissional Li “VKLiooon” Xiaomeng fez história na final da Hearthstone Grandmasters Global Finals durante a BlizzCon 2019, a conferência de fãs da Blizzard que aconteceu nos dias 1 e 2 de novembro na cidade de Anaheim, nos Estados Unidos. Representando a China, a competidora venceu o norte-americano Brian “bloodyface” Eason nas finais do evento por três jogos a zero e se tornou a primeira mulher a levantar um troféu de esports no principal evento da empresa.Os momentos finais do campeonato e da conquista da jogadora você confere no vídeo logo abaixo.Leia mais... Veja Mais

Vulcabrás: Lucro cresce 5,8% e chega a R$ 41,8 milhões no terceiro trimestre

R7 - Economia O lucro da Vulcabrás (VULC3) somou R$ 41,8 milhões no terceiro trimestre de 2019, alta de 5,8% em relação ao mesmo período do ano passado, mostra comunicado enviado ao mercado nesta segunda-feira (4). Já a receita líquida ficou em R$ 359,4 milhões, crescimento de 11,6%. O Ebitda, que mede a geração operacional de caixa da companhia […] Veja Mais

Representativas | Educação Especial - inclusiva ou separada? (com audiodescrição)

Representativas | Educação Especial - inclusiva ou separada? (com audiodescrição)

Câmana dos Deputados O que é educação especial? As pessoas com deficiência devem frequentar as salas de aula do ensino regular? Ou devem ser encaminhadas para centros ou entidades com atendimento exclusivo para suas necessidades? No 5º episódio da série Representativas, abordamos o tema da inclusão a partir do relato de Ana Paula, mãe de uma criança autista, e dos depoimentos da deputada Tereza Nelma (PSDB-AL), da deputada Rejane Dias (PT-PI) e de Regina Andréa, professora de Educação Especial da SEE-DF. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Ferrari se une a Armani para alavancar seus acessórios de luxo

R7 - Economia A Ferrari pretende avançar no mercado de luxo para seus acessórios. A fabricante de supercarros está se unido a outro ícone da Itália, a Giorgio Armani, para ajudar a empurrar suas roupas e malas para o segmento de maior preço. O presidente Louis Camilleri tenta atingir o objetivo de longa data de seu antecessor Sergio […] Veja Mais

Green Day: assista à performance sensacional em premiação da MTV

Green Day: assista à performance sensacional em premiação da MTV

R7 - Música Green Day no MTV EMA 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos Reprodução/YouTube Neste último final de semana, a MTV sediou a premiação EMA (Prêmio de Música da Europa) e tivemos alguns grandes momentos. Um deles certamente foi o do Green Day, que apresentou uma dobradinha incrível de músicas. Juntando a recém-lançada 'Father of All' com a clássica 'Basket Case', o trio deixou a plateia de Sevilha ensandecida. A banda fechou a programação do MTV World Stage, na Plaza de España, televisionada durante a cerimônia. Além do Green Day, várias outras bandas e artistas se apresentaram no evento, inclusive a drag brasileira Pabllo Vittar que apareceu com uma performance de 'Flash Pose'. Halsey, Rosalía e Liam Gallagher foram outros nomes que tocaram por lá. A produção não poupou recursos. Com fogos de artifício, papel picado e muita presença da banda punk, o resultado não poderia ser diferente. Confira abaixo a empolgante performance! Green Day https://www.youtube.com/watch?v=eKHN2M4JIWM Vale lembrar que a banda americana foi premiada como Melhor Banda de Rock na cerimônia, desbancando Imagine Dragons, Liam Gallagher, Panic! At the Disco e The 1975. Na semana passada, também na Espanha, a banda americana fez um show histórico. Celebrando 25 anos do clássico álbum Dookie, a banda executou o disco na íntegra e ainda somou outras canções ao repertório, totalizando 27 músicas na noite. LEIA TAMBÉM: Billie Joe Armstrong revela sua música favorita do Green Day Veja Mais

Dropbox Transfer agora está disponível para todos os usuários

Dropbox Transfer agora está disponível para todos os usuários

canaltech Em julho deste ano, o Dropbox anunciou um novo serviço de transferência de arquivos, com capacidade para até 100 GB. A novidade ficou em fase beta por aproximadamente quatro meses e, agora, finalmente está disponível a todos os usuários. Com o Dropbox Transfer, a empresa começa a concorrer de maneira mais acirrada com serviços já consolidados ou em forte popularização, como é o caso do WeTransfer e do Firefox Send. Quem vai receber os arquivos pelo novo recurso não precisa ter uma conta no Dropbox, e alterações feitas no arquivo recebido não irão interferir no original. As transferências terão a validade de sete dias após o envio para a conta básica, e entre 30, 60 e 90 para as contas Professional, Bussines Advanced, Enterprise ou Education. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Imagem: Divulgação/Dropbox Cada tipo de conta também vai determinar o tamanho máximo de envio de cada arquivo, que vai desde o básico com 100 MB, passando pelos Plus e Business Standard com 2 GB, e chegando a 100 GB com as contas Professional, Business Advanced, Enterprise e Education. O Dropbox Transfer por enquanto também está disponível em aplicativo para iOS, além da versão web e desktop. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Uber supera estimativas com faturamento de US$ 3,8 bi no 3º trimestre

G1 Economia O prejuízo cresceu 18%, para US$ 1,16 bilhão no trimestre, ante resultado negativo de US$ 986 milhões um ano antes. Faixa da Uber em frente à bolsa de valores de Nova York. Andrew Kelly/Reuters A Uber superou nesta segunda-feira (4) estimativas de Wall Street para a receita do terceiro trimestre. A empresa registrou número maior de usuários dos serviços de transporte e também no número de viagens. A receita total da companhia subiu 30%, para US$ 3,81 bilhões. A expectativa média de analistas era de faturamento de US$ 3,69 bilhões, segundo a Refinitiv. Apesar disso, os custos da empresa subiram cerca de 33%, para US$ 4,92 bilhões no período. A receita bruta, uma medida para o valor total das corridas excluindo custos com motoristas e outras despesas, subiu 29,4% sobre um ano antes, para US$ 16,47 bilhões. A receita do serviço de transporte de passageiros subiu cerca de 19%, para US$ 2,9 bilhões, enquanto que o faturamento com a plataforma de entrega de comida avançou 64%. A companhia afirmou que os usuários mensais ativos de sua plataforma subiram para 103 milhões no mundo no terceiro trimestre, ante 82 milhões um ano antes. O prejuízo cresceu 18%, para US$ 1,16 bilhão no trimestre, ante resultado negativo de US$ 986 milhões um ano antes. As ações da Uber devem ficar sob pressão na próxima quarta-feira (6), quando acaba uma restrição de venda. Alguns analistas esperam que mais de 80% das ações em circulação da companhia são elegíveis para venda. Veja Mais

Voyager 2 envia dados sobre o espaço interestelar e ainda pode viver mais 5 anos

Voyager 2 envia dados sobre o espaço interestelar e ainda pode viver mais 5 anos

canaltech A sonda espacial Voyager 2 se tornou no ano passado o segundo objeto criado pelo homem a entrar no espaço interestelar ao deixar a região de influência do Sol e seguir sua jornada para além do Sistema Solar. O primeiro objeto a realizar essa mesma façanha foi sua irmã gêmea, a Voyager 1, em 2012. Agora, um novo estudo divulgado por pesquisadores da Universidade de Iowa confirma a passagem da Voyager 2 em 5 de novembro de 2018, após terem observado uma mudança na densidade do plasma detectado por um instrumento a bordo da sonda. Esse aumento acentuado da densidade do plasma é uma evidência de que a nave saiu das regiões mais quentes, com ventos solares de baixa densidade de plasma, para o espaço interestelar. Essa passagem pela “fronteira” do Sistema Solar da Voyager 2 ocorreu a mais de 18 bilhões de quilômetros do Sol, basicamente a mesma distância para a Voyager 1 quando ela teve o mesmo destino. Isso fornece pistas valiosas para a estrutura da heliosfera - uma espécie de “bolha” criada pelo vento do Sol à medida que se estende até os limites do Sistema Solar. Para Bill Kurth, cientista pesquisador da Universidade de Iowa e coautor do estudo, as distâncias iguais das Voyagers ao chegarem no espaço interestelar “implica que a heliosfera é simétrica”. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Ilustração da posição das sondas Voyager ao deixar a heliosfera (Imagem: NASA/JPL-Caltech) Os resultados também significam que os limites do Sistema Solar são mais definidos pelos fluidos do que pelo enfraquecimento dos ventos solares de acordo com a distância. Don Gurnett, autor do estudo publicado na revista Nature Astronomy, disse que "a velha ideia de que o vento solar vai diminuindo gradualmente à medida que você avança no espaço interestelar simplesmente não é verdadeira”. Ele exemplifica que as duas Voyager mostram “que existe um limite distinto por aí; é simplesmente surpreendente como os fluidos, incluindo plasmas, formam limites". Os pesquisadores de Iowa também conseguiram dados sobre a heliosheath, a região da heliosfera que fica entre a heliopausa e o choque de terminação, que é o ponto em que o vento solar diminui ao interagir com o meio interestelar, tornando-se turbulento. Eles concluíram que a heliosheath tem espessura variada, porque a Voyager 1 viajou 10 UA (unidades astronômicas; uma unidade corresponde à distância média entre a Terra e o Sol) de distância mais longe do que sua irmã para alcançar a heliopausa - onde o vento solar e o vento interestelar estão em equilíbrio. Voyager, um sucesso sem precedentes As sondas Voyager são os recordistas de voos espaciais, mas claro que suas pesquisas não vão durar para sempre. Elas ainda funcionarão por algum tempo, mas já estão próximas de realizar seus últimos contatos com a Terra. O programa Voyager foi iniciado pela NASA 1977, com o lançamento das duas sondas com o objetivo inicial de estudar Júpiter e Saturno, e suas luas. Curiosamente, a Voyager 2 foi lançada primeiro, em 20 de agosto de 1977. Em 5 de setembro de 1977 foi lançada a Voyager 1, e o programa foi ampliado para a exploração de Urano e Netuno e também do espaço depois da órbita de Plutão. Em 1990, os objetivos do programa no Sistema Solar foram atingidos, mas as sondas ainda tinham energia o suficiente para prosseguir suas pesquisas. A NASA iniciou então o novo programa Missão Interestelar Voyager. Seus sistemas eletrônicos são alimentados por pequenos geradores nucleares, e por isso elas podem continuar em funcionamento por mais algum tempo - cinco anos a partir de agora, mais especificamente. Voyager 2 e seus instrumentos científicos (Imagem: NASA/JPL-Caltech) Depois disso, as sondas não serão mais capazes de enviar dados sobre suas pesquisas de volta para a Terra. Os instrumentos também devem deixar de funcionar, à medida que elas avançam para regiões cada vez mais frias e a energia for se esgotando. Ed Stone, cientista do projeto da missão e físico da Caltech, disse durante uma entrevista coletiva que "de alguma forma, em mais cinco anos, poderemos não ter energia suficiente para manter qualquer um dos instrumentos científicos [das sondas] ligados". De qualquer forma, o sucesso do programa Voyager é incontestável, e supera as expectativas, mesmo para os padrões da NASA. "Certamente estamos surpresos, mas também maravilhosamente empolgados com o fato de que elas [ainda funcionam]", disse Stone. "Quando as duas Voyagers foram lançadas, a Era Espacial tinha apenas 20 anos, então era difícil saber na época que qualquer coisa poderia durar mais de 40 anos". Também é impressionante a longevidade dos instrumentos a bordo das sondas. O estudo dos pesquisadores Iowa é um dos cinco artigos sobre a Voyager 2 publicados na Nature Astronomy, e todos confirmam a passagem da sonda para o espaço interestelar, com detalhes sobre as características da heliopausa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Linx reorganiza área de inovação para agilizar processos

R7 - Economia A Linx (LINX3) irá transferir a vice-presidência de tecnologia e alocar as áreas de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para abaixo das vice-presidências de operações (Linx Core, Linx Digital e Linx Pay Hub), informou a empresa por meio de comunicado enviado ao mercado nesta segunda (04). O objetivo da mudança é agilizar os processos de inovação. Além disso, […] Veja Mais

Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já!

Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já!

canaltech Um experimento feito na subsidiária japonesa da Microsoft provou uma coisa que deixará qualquer trabalhador com um sorriso estampado no rosto: a de que uma jornada de trabalho de apenas 4 dias por semana é bom tanto para o trabalhador quanto para os negócios da empresa. O teste fez parte do projeto Work-Life Choice Challenge, uma experiência feita na empresa durante o período de verão (que, no Japão, ocorre entre julho e setembro) como forma de testar se é possível garantir não apenas uma melhor qualidade de vida para o trabalhador, como também aumentar a produtividade e a criatividade deles no período em que ficam na empresa — tudo isso ao diminuir a quantidade de dias trabalhados. Além de trabalhar por apenas quatro dias, o experimento também colocou um limite de meia hora para qualquer reunião no período, encorajando que os funcionários se comunicassem de maneira remota. E a ideia foi um sucesso: no geral, a produtividade da empresa aumentou 40% no período, e essa diminuição também se traduziu em uma diminuição das despesas: por diminuir a quantidade de reuniões e fechar o escritório na sexta-feira, o número de páginas impressas diminuiu em 58,7% quando comparado com o mesmo período do ano anterior, e o consumo de eletricidade também caiu em 23,1%. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A Microsoft não é a primeira companhia a fazer esse tipo de experiência e conseguir bons resultados: Andrew Barnes, fundador da Perpetual Garden (empresa de planejamento imobiliário da Nova Zelândia) afirmou que também já conduziu um experimento do tipo com seus funcionários, em que todos trabalharam apenas quatro dias por semana — e os resultados foram tão positivos que, desde então, a companhia adotou oficialmente este cronograma. Esta é uma ideia antiga A ideia de uma menor jornada de trabalho não é algo novo, e remonta desde a década de 1930, quando os Estados Unidos passavam pelo período conhecido como A Grande Depressão, que foi umas das maiores crises econômicas da história do país. Naquela época, o economista John Maynard Keynes já previa que, dentro dos próximos cem anos, a jornada de trabalho diminuiria para cerca de 15 horas semanais, ao invés das mais de 40 horas praticadas na época. Keynes chegou nessa conclusão ao presenciar a Revolução Industrial de sua época, com a invenção das linhas de produção de Henry Ford. Ele assumiu então que, conforme a tecnologia fosse evoluindo e o Homem fosse encontrando maneiras de tornar o trabalho mais efetivo, assim que o trabalhador já tivesse produzido o suficiente para bancar suas necessidades, ele escolheria ter mais tempo para se dedica à família ou a outras atividades que o interessavam, o que iria diminuir a jornada de trabalho para algo entre dois ou três dias por semana. A ideia continuou no imaginário popular durante algumas décadas e, em 1956, Richard Nixon, que na época era o vice do general Dwight D. Eisenhower, previu que uma jornada de trabalho de apenas quatro dias durante a semana seria algo possível em um futuro não muito distante. Mesmo assim, a primeira vez que a ideia foi retomada de forma séria foi em 1998, quando a França reduziu a jornada de trabalho no país para 35h semanais como forma de reduzir o desemprego do país, que na época estava em 12%. A mudança foi um sucesso e, mesmo que o país tenha passado por mudanças ao longo dos anos, incluindo mudanças de partidos na presidência (fazendo com que hoje a jornada semanal se encontre mais próximo de um período anterior a 1998), a mudança serviu de base para que muitos países revissem suas próprias políticas referentes à quantidade de horas semanais trabalhadas. Com as transformações causadas pelas tecnologias do século XXI, como robôs e o uso de IAs, está surgindo uma disrupção em toda a organização do trabalho, assim como as linhas de produção de Ford mudaram toda a organização dos meios de produção no começo do século XX, e diversos analistas defendem que uma diminuição da carga horária seja algo necessário para nosso tempo. Um desses defensores é o bilionário Richard Branson, conhecido por ser o fundador do grupo Virgin (do qual faz parte a Virgin Galactic, empresa que quer tornar o turismo espacial uma realidade). Em uma postagem de janeiro de 2018 no blog de sua empresa, Branson defende que, se o trabalhador hoje consegue trabalhar por uma quantidade menor de horas e ser igualmente (se não mais) efetivo, não há motivo para obrigá-lo a cumprir uma carga horária que não condiz com a realidade do trabalho dele. Ele afirma ainda que o maior desafio será que, para aproveitar melhor a maior quantidade de tempo livre, esse trabalhador deverá ganhar mais (mesmo que trabalhe por menos tempo), mas que isso é algo que as empresas devem conseguir balancear e chegar a um meio termo que seja bom para todos. Caso de sucesso Ainda que diversos países da Europa estejam discutindo sobre as possibilidades de se diminuir a carga horária de seus trabalhadores, o melhor experimento sobre o tema aconteceu na Nova Zelândia com a já citada Perpetual Gardens. Entre março e abril de 2018, a companhia conduziu um experimento que reduziu a jornada de trabalho de 40h semanais (5 dias) para 32h semanais (4 dias) para todos os seus 240 empregados. A companhia ainda contratou uma dupla de pesquisadores para que os resultados do experimento pudessem ser apresentados de forma quantitativa, e os resultados provam que a ideia foi um sucesso para todos os envolvidos. No lado dos funcionários, os benefícios foram óbvios: a satisfação geral das pessoas com o trabalho aumentou em 5%, o stress dos funcionários caiu em 7%, e 24% deles afirmaram que, pela primeira vez, sentiam que estavam conseguindo equilibrar suas vidas pessoais com o andamento da carreira. Essa melhoria na vida dos funcionários foi imediatamente refletida na empresa: ao contrário do que muitos esperavam, a diminuição de um dia na jornada de trabalho de todos não afetou em nada a produtividade de cada um dentro da companhia. Como se sentiam mais motivados, os funcionários enrolavam menos em suas atividades e tinham muito mais vontade em bater suas metas, além de, no geral, trabalharem com um humor melhor e se mostrarem mais criativos na resolução de problemas. Assim, a Perpetual Gardens conseguiu provar que a produtividade de uma empresa não está ligada apenas à quantidade de horas trabalhadas, mas também à qualidade de vida dos funcionários e o quão bem eles se sentem dentro da empresa — e, desde então, a jornada de quatro dias se tornou algo oficial na companhia. Vantagens de uma jornada semanal de 4 dias Como toda ideia inovadora, a redução na jornada de trabalho possui algumas vantagens e desvantagens claras. Uma das vantagens é um aumento na produtividade: além do experimento da Perpetual Gardens, outros experimentos conduzidos neste sentido (como o da Microsoft) mostram um aumento da produtividade ao se diminuir a carga horária semanal, como forma de se compensar pelo dia “perdido”. E esse aumento pode ser ainda maior quanto mais se diminui a jornada, com outros estudos mostrando que pessoas com mais de 40 anos atingem uma produtividade máxima quando trabalham entre 25h e 30h por semana. Esse aumento na produtividade se deve principalmente a fatores como um melhor uso do tempo de trabalho pelos funcionários (que passam a fazer menos pausas, passar menos tempo navegando nas redes sociais e fazer menos atividades que não influenciam em nada para a contagem de metas, como organizar reuniões) e pelo aumento da satisfação do profissional com o seu trabalho, que passa a exercer com muito mais gosto. Essa ênfase pela eficiência também acaba aproximando as diferentes equipes da empresa, já que todos precisam cooperar para que as metas sejam atingidas em um tempo menor, o que acaba fazendo com que todos melhorem sua capacidade de trabalhar em equipe. Isso acaba criando também mais inovações para os processos da empresa, porque esses funcionários estarão sempre pensando em novas maneiras de tornar seu trabalho mais efetivo e rápido. E há também, claro, uma redução nos custos operacionais: ao funcionar durante apenas quatro dias, todos os custos de manutenção do escritório (água, luz, tinta e papel para a impressora, etc) diminuem em cerca de 20%, fazendo com que a empresa lucre mais não apenas no aumento da produção, mas também com a diminuição de seus custos. Desvantagens da jornada semanal de 4 dias Apesar das várias vantagens, há algumas desvantagens claras para este modelo. Uma delas é que ele não é aplicável para todas as empresas: negócios que precisam funcionar durante 24h (como hospitais, postos de gasolina, farmácias, etc) fazem com que a jornada de 4 dias seja algo impraticável, pois seria necessária a contratação do dobro de funcionários para se manter a mesma produção. Outro problema que pode acontecer também é de que os próprios trabalhadores, com o passar do tempo, acabem não achando mais a ideia tão interessante. Um estudo feito na Holanda sobre a redução da jornada de trabalho revelou que cerca de 1,5 milhão de pessoas gostariam de trabalhar por mais horas, mas não havia essa possibilidade. Outro caso ocorreu na França, onde, apesar da diminuição da jornada semanal para 35h, muitos trabalhadores acabavam precisando ficar 39h ou 40h toda semana para dar conta do serviço — o que aumentou o custo das empresas, já que esses trabalhadores passaram a ganhar hora extra sempre que excediam as 35h semanais. E esse é justamente o maior desafio para este tipo de experimento: ele pode acabar ficando caro demais para alguns empresários. Isso foi mostrado em um experimento de redução de jornada que aconteceu na Suécia, onde a jornada foi reduzida de 40h semanais para 30h semanais. Enquanto o salto na produtividade foi o suficiente para que muitas empresas se mantivessem sem problemas, outras não conseguiram se adequar, e as 30h mostraram-se muito pouco para as necessidades da companhia, obrigando a contratação de mais pessoas, o que, por sua vez, aumentou os custos operacionais. Mesmo assim, muitos analistas acreditam que o maior empecilho para a redução da jornada de trabalho é a mentalidade ocidental de que “tempo é dinheiro”, na qual as empresas, ao perceberem que um trabalhador consegue fazer seu trabalho em um tempo menor do que o combinado, ao invés de presenteá-lo por sua produtividade e dar-lhe mais tempo livre, acabam o “punindo” por ser um ótimo funcionário ao aumentar a carga de trabalho dele, já que ele provou ser capaz de fazer mais atividades em seu tempo de trabalho. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Ciência e engenharia da computação: quais as diferenças e qual escolher? Veja Mais

Projeto autoriza polícia a gravar operações - 04/11/19

Projeto autoriza polícia a gravar operações - 04/11/19

Câmana dos Deputados A Comissão de Constituição e Justiça aprovou projeto de lei que autoriza as corporações policiais a fornecer equipamentos para a gravação das ações dos seus agentes. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Transferência irregular de lotes da reforma agrária poderá virar crime - 04/11/19

Transferência irregular de lotes da reforma agrária poderá virar crime - 04/11/19

Câmana dos Deputados Em 2017, o relatório final da CPI da Funai e do Incra sugeriu a elaboração de um projeto de lei para criminalizar a transmissão irregular de lotes destinados a reforma agrária. Em 2019, a Comissão de Agricultura aprovou a proposta, que agora está em análise na CCJ. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Lucro do Itaú cresce 10,9% e alcança R$ 7,2 bilhões, acima do esperado

R7 - Economia O lucro líquido recorrente do Itaú Unibanco (ITUB4) cresceu 10,9% no terceiro trimestre de 2019, a R$ 7,156 bilhões, impulsionado pela menor inadimplência baixa e controle de custos. O resultado veio acima do esperado pelo mercado, que estava em torno de R$ 7,1 bilhões. O índice de inadimplência medido por créditos vencidos há mais de 90 […] Veja Mais

Oscar: o que há por trás das escolhas mais polêmicas da premiação

Oscar: o que há por trás das escolhas mais polêmicas da premiação

Tecmundo Todos os anos, a cerimônia do Oscar causa a mesma reação em grande parte do público. Independente de qual filme leva cada estatueta, há sempre aqueles que serão tratados como “os injustiçados”. Porém, olhando para o histórico da cerimônia, é possível reconhecer alguns padrões e critérios, e entender melhor porque alguns filmes não se deram tão bem.O primeiro fator que deve ser considerado é que, embora existam críticos, fãs e outras premiações, que às vezes servem de termômetro para o Oscar, quem vota representa apenas uma fração do total de pessoas que assistem aos filmes. Os membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS, na sigla em inglês) nem sempre concordam com as opiniões principais e um filme que foi ovacionado em Cannes pode nem ser indicado ao Oscar.Leia mais... Veja Mais

Justiça suspende por tempo indeterminado cobrança da Andrade Gutierrez

O Tempo - Política Decisão com base em ação popular reforça outra sentença, proferida na sexta-feira, e impede o bloqueio de R$ 47,8 milhões dos cofres do município Veja Mais

Rumor | Apple estaria desenvolvendo "Apple Glass" junto com a Valve

Rumor | Apple estaria desenvolvendo

canaltech Nesta segunda-feira (4), surge mais um rumor sobre o tão aguardado headset de realidade aumentada (RA) da Apple: de acordo com o site DigiTimes, a empresa estaria desenvolvendo o equipamento em parceria com a Valve (companhia de videogames famosa pela criação da Steam e de jogos como Half Life, Portal e Left 4 Dead) e que ele seria lançado no mercado no segundo semestre de 2020. Os rumores sobre esse suposto aparelho da Apple já têm circulado há anos pela imprensa, e existem desde antes de outubro de 2017, quando Tim Cook anunciou que ainda demoraria alguns anos para que o headset de RA da companhia (que é referido pelo nome não-oficial de Apple Glass) fosse lançado, já que a tecnologia ainda não estava no padrão Apple de qualidade. A persistência desses rumores, mesmo dois anos depois da declaração, mostra que a Apple realmente está interessada neste tipo de tecnologia e, neste caso, fazer uma parceria com uma empresa que já tem experiência nesse nicho faz todo o sentido. Afinal, a Valve já possui o seu próprio headset de realidade virtual, o Valve Index, e ambas as empresas já trabalharam juntas para fazer com que alguns jogos da App Store também fossem compatíveis com headsets VR. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Mesmo assim, ainda não é possível cravar com certeza que esse aparelho irá mesmo sair do papel, já que a Apple tem um histórico recente de “matar” projetos de longa data que a própria empresa confirma que estão em desenvolvimento antes deles chegarem às lojas — como aconteceu com o AIrPower, o carregador sem fio da empresa que conseguiria carregar até dois dispositivos ao mesmo tempo. Por isso, mesmo que a parceria entre as empresa faça sentido, não é possível garantir nada até que o aparelho seja anunciado oficialmente, com data de lançamento e tudo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando O logo do Facebook mudou (e vai aparecer no Instagram e WhatsApp) Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Após trapaça, famoso youtuber é expulso de Fortnite e fãs protestam com hashtag Ciência e engenharia da computação: quais as diferenças e qual escolher? Veja Mais

Hermes Pardini irá distribuir R$ 9,4 milhões em juros sobre o capital próprio

R7 - Economia A Hermes Pardini (PARD3) aprovou a distribuição de R$ 9.4 milhões em juros sobre o capital próprio, informou a empresa por meio de fato relevante divulgado nesta segunda-feira (4). O valor estimado por ação dos JCP é de R$ 0,07222044413, com retenção de 15% do Imposto de Renda, exceto para os acionistas que sejam comprovadamente imunes […] Veja Mais

IMAGINA UM FEAT: Taylor Swift diz que Pete Wentz e Lana Del Rey são seus compositores favoritos

IMAGINA UM FEAT: Taylor Swift diz que Pete Wentz e Lana Del Rey são seus compositores favoritos

R7 - Música Taylor Swift está de volta! Novo single da cantora sai nesta quinta-feira (24) Tenho Mais Discos Que Amigos Foto: Reprodução / Youtube Todo artista tem suas inspirações, certo? Mas e se te dissermos que Taylor Swift se inspira bastante em Pete Wentz (Fall Out Boy) e em Lana Del Rey? Parece confuso, mas a declaração da cantora pop tem contexto. Em entrevista à Beats 1, Taylor falou sobre um dia em que teve um 'jantar emo' com Brendon Urie (do Panic! At The Disco) e com Wentz. Como fã de ambos (uma vez que Brendon e Taylor colaboraram recentemente), a diva fez questão de relembrar a cena dos anos 2000 com a dupla. Imagine só o papo! Na entrevista, ela comentou sobre sua admiração pelos ambos já citados: Se eu tivesse que escolher um letrista favorito, seria um empate entre Pete Wentz e Lana Del Rey. A cantora aproveitou a ocasião para revelar um interessante detalhe sobre a popular faixa 'Blank Space', lançada em 2014: É uma música que conta apenas com detalhes interessantes, o que eu definitivamente aprendi com o Fall Out Boy. Imagina uma parceria entre eles. Você apoiaria?   Taylor Swift no Brasil A cantora fará sua estreia em território brasileiro em 2020. A apresentação acontecerá em Julho no Allianz Parque (em São Paulo). A alta demanda por ingressos fez com que a cantora marcasse uma data. Os shows acontecerão nos dias 18 e 19. Confira mais detalhes aqui. https://www.youtube.com/watch?v=e-ORhEE9VVg https://www.youtube.com/watch?v=onzL0EM1pKY https://www.youtube.com/watch?v=Bag1gUxuU0g Veja Mais

A mulher que salvou seu marido da morte após infecção pela 'pior bactéria do mundo'

Glogo - Ciência Quando Tom Patterson contraiu superbactéria, sua mulher, Steffanie, teve que correr contra o tempo para descobrir como curá-lo. Patterson contraiu infecção por superbactéria durante viagem ao Egito Arquivo Pessoal Quando Tom Patterson começou a vomitar durante suas férias no Egito, pensou que estava com intoxicação alimentar. Ele estava errado. Na verdade, Patterson havia contraído uma superbactéria resistente a antibióticos. Apenas a determinação de sua esposa e um novo tratamento revolucionário o salvariam. "Alguém disse a Steff que seu marido vai morrer?" Essa foi uma pergunta que Steffanie Strathdee não deveria ouvir. Ela estava numa ligação telefônica com colegas de trabalho, que continuaram conversando entre si depois que pensaram que ela havia desligado. Epidemiologista especializada em doenças infecciosas, Steffanie sabia que o estado de saúde de seu marido era grave — naquele momento, ele estava em coma induzido. Ainda assim, foi chocante ouvir que ele iria morrer. "Pensei: 'Oh meu Deus. Não, ninguém me disse isso'", lembra. "Pus o telefone nos meus braços como se estivesse ninando um bebê, e comecei a refletir sobre o que estava acontecendo. Percebi que, se ele estava realmente morrendo, tinha de fazer alguma coisa." Vontade de viver Os médicos estavam ficando sem alternativas para manter Patterson vivo, enquanto a superbactéria resistente a todos os antibióticos permanecia em sua corrente sanguínea. Steffanie leu que às vezes pessoas em coma podem ouvir, então decidiu perguntar ao marido se ele queria viver. "Pensei que não podia simplesmente tomar a decisão de mantê-lo vivo se ele não quisesse mais viver. Precisava perguntar a ele", diz. "Então, segurei a mão dele e disse: 'Querido, se você quiser viver, precisa dar seu máximo; os médicos já não têm mais recursos. Todos esses antibióticos são inúteis. Então, se você quer viver, por favor, aperte minha mão e não deixarei pedra sobre pedra'." Depois de alguns minutos, Patterson apertou a mão dela. "Dei um soco no ar e disse: 'Isso é maravilhoso!'", diz Steffanie. "E então percebi: 'Oh meu Deus, o que vou fazer agora? Não sou médica, não sei o que fazer.' Patterson e Steffanie, ambos cientistas da Universidade da Califórnia, em San Diego, nos Estados Unidos, se conheceram por meio de seu trabalho na pesquisa sobre Aids. Viajantes ávidos, eles visitaram cerca de 50 países juntos, frequentemente aproveitando conferências acadêmicas para emendar férias e explorar novos lugares. Em novembro de 2015, os dois estavam prestes a viajar para o Egito, quando uma bomba terrorista derrubou um avião russo saindo do balneário de Sharm el-Sheikh. Eles chegaram a conversar sobre adiar a viagem, mas decidiram ir. "Tom disse: 'É a hora perfeita para ir! Não haverá muitos turistas!' Respondi: 'Você está louco?' Escrevi o resto de nosso testamento à mão e entreguei a meus pais, que ficariam cuidando de nossa casa. Pensamos que, se houvesse um problema, seria um ataque terrorista ou algo assim." A viagem foi fantástica. A última parada foi no Vale dos Reis e, para chegar lá, o casal fez um passeio noturno de barco pelo Nilo. Quase os únicos passageiros em um barco fluvial projetado para 150 pessoas, Patterson e Steffanie jantaram sob as estrelas no convés do navio, com o Nilo cintilando ao seu redor. Patterson antes do tratamento; ele perdeu muito peso Arquivo Pessoal Mas, de volta à cabine, Patterson começou a vomitar. A princípio, o casal pensou se tratar de uma intoxicação alimentar. Em suas viagens, sempre carregavam um antibiótico, mas desta vez o remédio não funcionou. Tom se sentia cada vez pior e começou a ter dores nas costas. Não parecia uma simples intoxicação alimentar. 'A pior infecção do mundo' De volta à terra firme, Steffanie levou Patterson a alguns médicos. Eles realizaram uma tomografia computadorizada e descobriram que não era intoxicação alimentar. Patterson tinha um abcesso no estômago, conhecido como pseudocisto, que havia crescido quase até o tamanho de uma bola de futebol. Graças a seu seguro médico, pelo qual pagaram US$ 35 (R$ 140 em valores atuais), Patterson foi levado para Frankfurt, na Alemanha, onde os médicos descobriram que a causa inicial do problema era uma pedra expelida de sua vesícula biliar que estava presa em seu ducto biliar. Dentro do cisto, eles encontraram um líquido marrom escuro que indicava que não se tratava de uma nova infecção. Enquanto os médicos trabalhavam para descobrir o que estava acontecendo, Patterson começou a entrar em coma. "Estava tendo alucinações, pensando que estava no Egito, vendo hieróglifos nas paredes, realmente perdendo totalmente minha consciência", lembra Patterson. "Por causa da infecção no meu intestino — e eu já não dormia muito havia alguns dias — estava ficando muito louco. Os médicos voltaram e disseram: 'Esta é a pior infecção do planeta. Isso é uma infecção que fechou hospitais na Alemanha. Chama-se Acinetobacter baumannii'." Patterson foi colocado em isolamento e seus filhos viajaram ao seu encontro, pensando que talvez o pai não sobrevivesse. Quando os médicos vinham visitá-lo, tinham de usar roupas especiais. Isso assustou Steffanie, que conhecia a Acinetobacter quando estudou microbiologia na faculdade. "Fiquei realmente chocada porque este é um organismo que eu costumava colocar nas placas de Petri nos anos 80, e era considerado um patógeno muito fraco na época. Só usávamos luvas e jaleco para manuseá-lo, e nenhum equipamento especial", diz. "Mas, nas últimas duas décadas, tornou-se uma superbactéria. Esse micro-organismo aprendeu a roubar genes de resistência a antibióticos de outras bactérias e ganhou superpoderes que o tornaram um patógeno muito mortífero." Transferência para os EUA Em 2017, a Acinetobacter foi listada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma das três superbactérias para as quais novos antibióticos eram mais urgentemente necessários. Felizmente, ainda havia alguns antibióticos que funcionavam com Patterson, e a equipe médica de Frankfurt conseguiu estabilizar seu estado de saúde. Graças ao trabalho, o casal tinha vários amigos médicos que puderam dar conselhos sobre a situação de Patterson, e decidiu-se transferi-lo para San Diego. Ali, o corpo médico tinha experiência com a Acinetobacter baumannii, devido ao número de militares vivendo na área — o micro-organismo foi apelidado de "Iraqibacter" devido ao grande número de infecções detectadas nas forças americanas servindo no Oriente Médio. Mas quando Patterson chegou, foi testado novamente quanto à sensibilidade a antibióticos e recebeu más notícias. Nenhum deles estava fazendo qualquer efeito. Os médicos tiveram de tomar uma decisão difícil: eles poderiam operar para remover o abscesso ou tentar extrair o fluido infectado do corpo. Mas chegaram à conclusão que operar era muito arriscado — se o micro-organismo entrasse na corrente sanguínea, provocaria choque séptico. Steffanie descreve o choque séptico como a reação exagerada do sistema imunológico do corpo ao invasor. O corpo entra em "alerta vermelho", a pressão arterial cai, a frequência cardíaca aumenta e a respiração acelera. "Isso acontece muito rapidamente e a taxa de mortalidade é de 50%", diz ela. Assim, os médicos optaram por aspirar o líquido, colocando cinco drenos no abdômen de Patterson. Eles planejaram transferi-lo para uma unidade de terapia intensiva de longo prazo. No entanto, um dia antes de isso acontecer, um dos drenos escorregou enquanto ele tentava se sentar na cama, jogando toda a infecção na corrente sanguínea. Patterson imediatamente entrou em choque séptico, foi levado de volta à UTI e precisou de ventilação mecânica para respirar. "A partir desse momento, a bactéria se espalhou por todo seu corpo — no sangue, não apenas no abdômen. Ele estava morrendo", lembra Steffanie. Com 1,80m de altura e 136 kg, Patterson já havia perdido uma quantidade enorme de peso. "Podia colocar meu punho entre as bochechas dele e as órbitas dos seus olhos; era uma cena horrível", diz Steffanie. Alucinações e desespero Nesse ponto, Patterson realmente não sabia o que estava acontecendo. "Estava tendo alucinações de proporções quase bíblicas. Histórias como se eu estivesse vagando por 100 anos no deserto tentando responder a três perguntas feitas por homens santos. Isso durou dias", diz ele. Patterson saía do coma por um curto período de tempo e, em seguida, conseguia se comunicar com as pessoas ao seu redor, mas não sair da cama. Foi nessa época que Steffanie ouviu seus colegas perguntando se sabia que seu marido iria morrer. Foi quando ela apertou a mão dele e lhe perguntou se ele queria viver. O que Steffanie não sabia era que naquele momento ele estava tendo alucinações de que era uma cobra. Como Patterson poderia apertar a mão dela quando as cobras não têm mãos? Ele acabou descobrindo que poderia envolver todo o corpo em torno da mão dela — e foi aí que deu o sinal de que ela tanto precisava. Percebendo que eram necessárias medidas urgentes, Steffanie procurou o PubMed, o mecanismo de pesquisa da Biblioteca Nacional de Medicina. "Busquei 'resistência a múltiplas drogas', 'Acinetobacter baumannii' e 'tratamentos alternativos', e apareceu um artigo com algo chamado terapia com bacteriófagos no título e pensei: 'Bacteriófago... eu me lembro do que eles são'." Os fagos são vírus que evoluíram naturalmente para atacar bactérias e Steffanie os estudou por um curto período de tempo na graduação. Eles são minúsculos, 100 vezes menores que as bactérias, e estão por toda parte, explica ela, na água, no solo e na pele. Estima-se que 30 bilhões deles entrem e saiam de nossos corpos todos os dias. Agulha no palheiro Um século atrás, os fagos estavam atraindo muita atenção como uma possível cura para infecções bacterianas, mas fora da antiga União Soviética e partes da Europa Oriental, essa pesquisa caiu no esquecimento após a descoberta da penicilina, em 1928. Depois da penicilina, surgiram outros tipos de antibióticos, diz Steffanie, que fez os médicos do Ocidente pensarem que sempre poderiam encontrar uma solução para qualquer nova infecção bacteriana. "Estávamos errados!", diz ela. "Foi somente quando essas superbactérias, essas bactérias resistentes a vários antibióticos, começaram a se tornar uma ameaça real à saúde global que começamos a analisar novamente (os fagos)." O próximo passo de Steffanie foi abordar a Federal Drug Administration (FDA), a agência americana que regula produtos alimentícios e farmacêuticos, que aprovou um tratamento experimental por empatia a Patterson. Mas havia um problema. Para que o tratamento funcionasse, Steffanie precisou encontrar fagos que correspondessem à forma específica da bactéria Acinetobacter com a qual seu marido estava infectado — e com trilhões de fagos no planeta, essa não era uma tarefa fácil. Steffanie voltou à internet e contatou pesquisadores que poderiam ajudá-la — embora nenhum deles estivesse usando fagos como tratamento médico. Ry Young, da Universidade A&M do Texas, respondeu rapidamente, oferecendo-se para transformar seu laboratório em um quartel-general e pedindo a especialistas em fagos de todo o mundo que enviassem amostras para serem testadas contra as bactérias de Patterson. "Basicamente, tínhamos pesquisadores de fagos de todo o mundo que estavam oferecendo ajuda, da Suíça, Bélgica, Polônia, República da Geórgia, Índia. Os belgas até ofereceram que seus fagos fossem enviados em uma mala diplomática. Eram desconhecidos chamando a responsabilidade para si, um verdadeiro esforço global para resgatar um homem", diz Steffanie. Dentro de três semanas, graças em parte a um estudante de doutorado que dormia no laboratório para não interromper as pesquisas, um coquetel de quatro fagos estava pronto. A essa altura, Patterson estava sobrevivendo acoplado a uma máquina. Seus pulmões e rins estavam falhando, ele usava um respirador e necessitava de três medicamentos diferentes para manter o coração funcionando. Em outras palavras, estava a poucas horas de morrer. Naquele momento, as emoções já tinham tomado conta do hospital. "As pessoas acendiam velas, rezavam, enviavam recomendações de músicas. Tínhamos música tocando ao fundo e Tom se lembra até hoje dos Beatles tocando quando ele entrava e saía do coma", diz Steffanie. A responsabilidade pelo tratamento experimental que eles estavam prestes a realizar pesava sobre ela. "Foi assustador porque pensei: 'Bem, ele vai morrer de qualquer maneira, se não fizermos isso... mas se isso o matar, ficarei com esse peso na minha consciência pelo resto da minha vida'". O começo da recuperação O primeiro coquetel de fagos foi injetado em tubos no abdômen de Patterson, mais próximo da infecção. Quando ele estava mais estável, um segundo e mais potente coquetel de fagos, desenvolvido em um centro médico da Marinha dos EUA, foi injetado em sua corrente sanguínea. Foi realmente um tratamento pioneiro, pois mesmo em locais onde ainda se usa a terapia fágica, geralmente ela não é administrada por via intravenosa. Esses coquetéis podem matar o paciente se não estiverem limpos o suficiente, e geralmente vêm de lugares sujos, ricos em bactérias, como esgotos — "de alguns dos lugares mais horríveis que você pode imaginar", como descreve Steffanie. Mas três dias após receber fagos, Patterson acordou do coma. "Minha filha estava de pé ao meu lado. Peguei a mão dela e a beijei", lembra ele. "Não conseguia falar na época e depois fiquei muito cansado, dormi de novo." Logo após o início da terapia fágica, Patterson teve outro choque séptico, o sexto de sete durante os nove meses que passou no hospital. Vários fagos foram utilizados enquanto o tratamento continuava, e as bactérias desenvolveram resistência a alguns deles. Ainda não se sabe quais fagos funcionaram e quais não. Ele agora cumpriu 75% de um período previsto de recuperação de quatro anos. Patterson teve de reaprender a engolir, a conversar, a ficar de pé e a andar. Ele deixou o hospital em uma cadeira de rodas porque seus músculos estavam muito fracos. Uma das lições que Patterson tira de seus meses no hospital é sobre a importância da companhia. Seu genro garantiu que ele estivesse acompanhado 24 horas por dia, sete dias por semana, e mesmo quando ele estava em coma, muitas vezes ouvia à distância o que estava acontecendo. "Ouvia as pessoas conversando, as pessoas liam e cantavam para mim, seguravam minha mão, e um toque era como um choque elétrico, tanta energia chega até você", diz ele. Patterson foi a primeira pessoa na América do Norte a receber terapia fágica intravenosa para tratar uma infecção sistemática por superbactérias. Steffanie reconhece a sorte que tiveram e o quão importante foi sua rede de contatos, o que lhe permitiu lançar o esforço internacional para salvar seu marido. Quando, um ano após a recuperação de Patterson, seu caso foi apresentado no Instituto Pasteur, em Paris, na França, em uma conferência para marcar o centésimo aniversário da descoberta dos bacteriófagos em 1917, Steffanie começou a receber ligações de pessoas de todo o mundo — pessoas cujos familiares estavam morrendo de uma infecção por superbactérias e que queriam tentar a terapia de fagos. "Fiquei impressionada", diz ela. "Mas tentei reproduzir o mesmo tratamento que foi dado a Tom. Salvamos algumas delas, não apenas suas vidas, mas seus membros, e um dos casos mais milagrosos que ocorreram como resultado de Tom foi Isabelle." Isabelle Carnell-Holdaway, uma adolescente britânica que sofre de fibrose cística, desenvolveu uma infecção resistente a antibióticos após um transplante de pulmão. Em outubro de 2017, os médicos de Isabelle entraram em contato com Graham Hatfull, especialista em fagos da Universidade de Pittsburgh, e sua equipe usou sua vasta coleção de fagos para desenvolver um coquetel para tratar Isabelle. Chip Schooley, o médico responsável pelo tratamento de fagos de Tom, trabalhou com as equipes de Pittsburgh e Londres para obter aprovação para o uso terapêutico do coquetel. A terapia começou em junho de 2018 e Isabelle logo começou a se recuperar. Em meses, ela conseguiu voltar à rotina normal, mesmo tendo recebido prognóstico de apenas 1% de chance de sobrevivência. A experiência adquirida ao salvar Patterson foi inestimável para o tratamento da infecção de Isabelle. Ainda há muitos obstáculos a ser transpostos antes que a terapia fágica possa ser usada na medicina convencional. Os fagos não são como drogas, onde uma droga pode funcionar contra uma grande variedade de organismos. Os fagos funcionam melhor quando adaptados com muita precisão à bactéria com a qual um paciente está infectado, o que torna o experimento de ensaios clínicos mais complexo. Até agora, apenas alguns ocorreram. Mas Patterson e Steffanie se tornaram grandes entusiastas do tratamento. Eles contaram sua história em um livro, The Perfect Predator (O Predador Perfeito), que agora está sendo transformado em documentário e filme. Eles também abriram o Centro de Terapia Fágica Inovadora e Terapêutica da Universidade da Califórnia, San Diego — o primeiro centro dedicado à terapia fágica na América do Norte. Parte de sua missão é convencer as pessoas da urgência de encontrar uma solução para a resistência aos antibióticos. A menos que algo seja feito, diz Steffanie, uma pessoa vai morrer a cada três segundos por infecção causada em 2050. "Como epidemiologista de doenças infecciosas, ter meu marido morrendo de uma superbactéria foi um choque", diz Steffanie. "Parecia uma ironia terrível do destino. Parte de mim era a cientista tentando analisar as coisas e obter controle, a outra parte de mim era a esposa tentando segurar a mão do meu marido e lidar com uma situação desesperadora", lembra. "Mas, para ser sincera, fiquei extremamente envergonhada porque estava realmente cega a essa ameaça global, a crise das superbactérias, com a qual tive que lidar". Veja Mais

Comissão Especial Reforma Tributária - Assembléia Legislativa de MG - PEC 45/2019 - 04/11/19

Comissão Especial Reforma Tributária - Assembléia Legislativa de MG - PEC 45/2019 - 04/11/19

Câmana dos Deputados I - SEMINÁRIO REGIONAL Tema: Reforma Tributária (PEC 45/2019) Deputado Federal HILDO ROCHA, Presidente da Comissão Especial - Reforma Tributária; Deputado Federal AGUINALDO RIBEIRO, Relator da Comissão Especial - Reforma Tributária; Deputado Federal REGINALDO LOPES, Coordenador do Seminário e Membro da Comissão Especial - Reforma Tributária; Deputado Federal NEWTON CARDOSO JR, Coordenador do Seminário e Membro da Comissão Especial - Reforma Tributária; Deputado Estadual AGOSTINHO PATRUS, Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais; Deputado Estadual CRISTIANO SILVEIRA, Segundo Vice-Presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais; ROMEU ZEMA NETO, Governador do Estado de Minas Gerais; ALEXANDRE KALIL, Prefeito do Município de Belo Horizonte/MG; GUSTAVO DE OLIVEIRA BARBOSA, Secretário de Fazenda do Estado de Minas Gerais; EUGÊNIO EUSTÁQUIO VELOSO FERNANDES, Subsecretário da Receita Municipal de Belo Horizonte/MG, representando o Secretário de Fazenda do Município de Belo Horizonte/MG, Sr. Fuad Jorge Noman Filho; MISABEL ABREU MACHADO DERZI, Professora Titular em Direito Financeiro e Tributário da Faculdade de Direito da UFMG, ex-Procuradora-Geral do Estado de Minas Gerais e ex-Procuradora-Geral do Município de Belo Horizonte/MG; FERNANDO CABRAL, Prefeito de Bom Despacho-MG e representante da Associação Mineira de Municípios - AMM MARCELO MENDES PASSUELO, Prefeito de Fronteira-MG e Diretor Administrativo da Associação Nacional dos Municípios Sedes de Usinas Hidroelétricas - AMUSUH; FLÁVIO ROSCOE NOGUEIRA, Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais; VALTER DE SOUZA LOBATO, Presidente da Associação Brasileira de Direito Tributário - ABRADT; UNADIR GONÇALVES JÚNIOR, Presidente da Federação Brasileira de Sindicatos das Carreiras da Administração Tributária da União, dos Estados e do Distrito Federal - Febrafisco; CÉLIO FERNANDO DE SOUZA SILVA, Presidente da Federação Nacional dos Auditores Fiscais de Tributos Municipais - Fenafim; BIANCA DELGADO PINHEIRO, Membro da Comissão de Direito Tributário da OAB/MG; JOÃO PAULO FANUCCHI DE ALMEIDA MELO, Presidente da Comissão de Direito Tributário da OAB/MG e Professor da PUC-MG; e SARAH CAMPOS, Mestre em Direito pela UFMG e Doutoranda em Direito pela Universidade de Lisboa. PALESTRANTE NELSON MACHADO, Diretor do Centro de Cidadania Fiscal e Ministro de Estado da Previdência Social (2005 - 2007) (Em atendimento aos Requerimentos 26/19 e 88/19, de autoria, respectivamente, dos Deputados Reginaldo Lopes e Newton Cardoso Jr) Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

APÓS GOLAÇO, SASSÁ CONCEDE ENTREVISTA COLETIVA! Veja o que o jogador do Cruzeiro falou

APÓS GOLAÇO, SASSÁ CONCEDE ENTREVISTA COLETIVA! Veja o que o jogador do Cruzeiro falou

Fox Sports Brasil O time do Cruzeiro empatou com o Bahia no Mineirão em 1 x 1. Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Cruzeiro #Sassá #CampeonatoBrasileiro Veja Mais

QUE HISTÓRIA! CARLOS ALBERTO 'SEM FILTRO' NO JOGO SAGRADO

QUE HISTÓRIA! CARLOS ALBERTO 'SEM FILTRO' NO JOGO SAGRADO

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Botafogo #CarlosAlberto #JogoSagrado Veja Mais

Instrumento que estuda matéria escura na ISS será reparado para durar ainda mais

Instrumento que estuda matéria escura na ISS será reparado para durar ainda mais

canaltech A NASA quer consertar um instrumento que pode ajudar na busca por respostas sobre a matéria escura, e busca soluções criativas para uma missão de reparo que não havia sido prevista inicialmente. É que o Alpha Magnetic Spectrometer (AMS), instalado na parte externa da Estação Espacial Internacional (ISS), já ultrapassou sua vida útil — e precisa de reparos para os quais não foi projetado. Um dos mais importantes instrumentos para entender a matéria que, segundo cientistas, compõe nada menos que 85% de todo o universo, o AMS foi instalado em 2011 e trabalhou conforme o planejado até 2014, respeitando a vida útil esperada. Porém, até recentemente ele ainda conseguia captar alguns dados, valendo bem mais que os US$ 2 bilhões que a agência espacial americana investiu nele. Por isso, a NASA pretende estender ainda mais seu tempo de uso. Um dos principais problemas é que o sistema de resfriamento está falhando; há vários ventiladores que ajudam a manter a temperatura dentro do ideal para o trabalho, mas desde 2017 só resta um deles em funcionamento. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Ferramentas especiais para o reparo do AMS são testadas em laboratório na Terra (Foto: NASA) O problema é que esse sistema não foi projetado para reparos. O AMS fica na parte externa da ISS, o que significa que será preciso deslocar astronautas de dentro da ISS para a parte de fora do laboratório orbital por meio de uma caminhada espacial, mas os trajes de uso externo disponíveis por lá são "grandalhões" e limitam bastante a movimentação dos astronautas. Brian Mader, líder da equipe de caminhadas espaciais da ISS, disse que já tem quatro anos que esse reparo vem sendo planejado. E o fato de o AMS não ter sido projetado para manutenção só dificulta ainda mais o trabalho, pois não possui apoios para os pés ou corrimãos para auxiliar os astronautas. “Quando você coloca alguém em um traje grande com luvas pressurizadas e destreza limitada, isso muda completamente o jogo”, observou Mader. “É necessário projetar ferramentas e procedimentos completamente diferentes”. Outro problema é que as ferramentas mais comuns usadas em reparos no espaço não vão funcionar no AMS, que não foi desenhado com o cuidado de permitir manutenção e possui um sistema muito mais complexo que outros instrumentos da ISS. Um dos problemas, por exemplo, é que não tem como acessar o sistema de resfriamento — por isso, um novo será instalado externamente, o que exige trabalho minucioso de cortar e religar linhas de fluído, algo nunca antes feito. Mesmo assim, a NASA acredita que, por seu alto valor de construção e instalação, além dos inúmeros dados valiosos que a ferramenta já forneceu, vale a pena investir em todo um novo processo para consertá-lo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Project Silica | Microsoft cria peça de vidro para o armazenamento de dados

Project Silica | Microsoft cria peça de vidro para o armazenamento de dados

canaltech A Microsoft acaba de apresentar um novo conceito de armazenamento de dados em vidro, em parceria com a Warner Bros, chamado Project Silica. Para apresentar a novidade, a companhia armazenou em um pedaço de vidro uma cópia do filme Super-Homem, de 1978. Medindo apenas 75 x 75 x 2mm, o projeto faz parte de um alto investimento da Microsoft no desenvolvimento de tecnologias para o futuro da plataforma Azure. Satya Nadella, CEO da Microsoft, revelou na conferência Ignite, nesta segunda-feira (4), que a peça foi feita com vidro de quartzo comum, que foi fervido, assado e arranhado para testes de resiliência física. O Project Silica busca desenvolver uma forma de armazenar dados em uma mídia física que não se desgaste com o tempo, como já vivenciamos com disquetes e CD's. Tudo isso também deve ser o mais acessível e econômico possível, sendo usado também por outros estúdios além da Warner Bros. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Imagem: Divulgação/Microsoft Para fazer a gravação de informações no vidro, a Microsoft está usando lasers infravermelhos para a codificação dos dados em voxel, que são pixels tridimensionais exibidos em uma tela. Assim, os dados são gravados dentro do vidro e podem ser lidos graças a algoritmos de aprendizado de máquina. Imagem: Divulgação/Microsoft O projeto ainda está em desenvolvimento e todas as informações estão disponíveis online para consulta. Se tudo der certo, logo teremos uma nova opção de armazenamento digital em pequenos pedaços de vidro, possivelmente indestrutíveis. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Novo Exterminador do Futuro pode ser o último — e não por causa da trama

Novo Exterminador do Futuro pode ser o último — e não por causa da trama

canaltech Eis que James Cameron e Linda Hamilton estão de volta, assim como Arnold Schwarzenegger, à franquia blockbuster que os consagraram nos anos 1990. Mas seriam esses retornos o suficiente para renovar O Exterminador do Futuro para uma possível nova fase da trama? Bem, há grandes chances de essa história ser o fim — e não exatamente por conta do roteiro. Como todos sabem, é dinheiro que move essa indústria. O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio somou apenas US$ 123 milhões em seu final de semana de estreia, com US$ 29 milhões nos Estados Unidos e US$ 28 milhões na China — que é, atualmente, um dos termômetros globais para definir o tamanho do sucesso de um grande longa. Embora tenha custado relativamente barato, US$ 180 milhões, O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio teve um investimento massivo em marketing na conta de várias empresas. O título deve causar mais de US$ 120 milhões de prejuízo aos estúdios Skydance Media, Paramount e Fox, segundo o The Hollywood Reporter. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.-   Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? A Fox administrou a distribuição internacional — marcando outro fracasso que a Disney teve que controlar após adquirir a companhia, com uma perda operacional de US$ 170 milhões no segmento de filmes no terceiro trimestre. "A mitologia foi reiniciada tantas vezes sem muito sucesso. É bastante claro que o público já teve o suficiente", disse Jeff Bock, analista sênior de bilheteria. Destino Sombrio é o Exterminador do Futuro mais bem cotado no Rotten Tomatoes O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio é o sexto filme da franquia e, mesmo com o flop nas bilheterias, é o mais bem cotado no site de reviews Rotten Tomatoes, com 70% de aprovação. Veja bem, O Exterminador do Futuro: Gênese, de 2015, conseguiu apenas 27%, e O Exterminador do Futuro: Salvação, de 2009, chegou a 33%. Para Paul Dergarabedian, analista sênior da firma de consultoria Comscore, é uma pena que, agora que a franquia recebeu seu melhor tratamento desde O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final, ela tem sido pouco vista. "Finalmente, depois de muitas tentativas desde 1991, o filme teve o pedigree criativo, o ponto de vista, o elenco e o enredo que aparentemente todos estavam esperando. E, no entanto, o filme ficou abaixo das expectativas [nas bilheterias]”, disse. Cameron já havia dito anteriormente que essa nova produção poderia significar o início de uma nova trilogia. Mas, ao que parece, isso pode não acontecer, pelo menos por enquanto — afinal, como aprendemos ao longo do tempo, nunca podemos dizer “nunca” em Hollywood. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Câmara é Notícia 21h | 04/11/2019

Câmara é Notícia 21h | 04/11/2019

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Como grandes empresas da tecnologia estão colaborando com a indústria da saúde

Como grandes empresas da tecnologia estão colaborando com a indústria da saúde

canaltech Grandes empresas de tecnologia estão se envolvendo cada vez mais com a bilionária indústria da saúde. Muitas delas têm visto seus números se estagnarem ou até mesmo caírem nos modelos atuais de negócios, então essas companhias estão lançando mais e mais serviços relacionados à saúde de seus usuários como forma de abocanhar uma parcela deste mercado lucrativo. Amazon, Google e Microsoft, por exemplo, estão focadas na expansão da assistência médica, mirando estratégias de venda de softwares e serviços de computação. Cada companhia vem trabalhando no aprimoramento da assistência médica com base em seus conhecimentos em tecnologia, algumas vezes aplicando os resultados inicialmente em seus funcionários. Entenda os esforços de cada uma: -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Amazon Em 2018, a Amazon adquiriu a empresa de farmácia online PillPack, que envia medicamentos aos clientes pelo correio, e recentemente comprou também a startup Health Navigator. Além disso, a companhia vem trabalhando na criação de serviços de saúde exclusivos para seus funcionários com o Amazon Care. Através da iniciativa, os funcionários da sede em Seattle podem fazer consultas virtuais ou em domicílio com médicos, recebendo ainda a entrega de medicamentos em casa. Imagem: Reprodução Apple A Apple vem trabalhando com recursos de saúde no Apple Watch, principalmente, e no seu aplicativo Saúde. Com o relógio inteligente, usuários podem fazer o monitoramento da frequência cardíaca, buscar por ritmos cardíacos fora do padrão e, em atualização mais recente, também fazer o rastreamento do ciclo menstrual. No app Saúde, usuários podem compartilhar seus dados com a companhia para o monitoramento frequente, com a possibilidade ainda de sincronizar essas informações com registros de hospitais, como vacinação, resultados de laboratório, alergias, entre outros. Imagem: Reprodução Em 2018, a Apple contratou cardiologistas e obteve a aprovação do Food and Drug Administration (FDA), órgão de regulamentação dos Estados Unidos, para o uso da tecnologia de eletrocardiograma no seu relógio inteligente. A companhia vem ainda trabalhando ao lado de planos de saúde norte-americanos, criando aplicativos de acompanhamento da saúde. Funcionários da Apple também têm direito a clínicas exclusivas. Facebook A empresa de Mark Zuckerberg está trabalhando no ramo da saúde ao desenvolver ferramentas de monitoramento, além do incetivo à comunidade para doações de sangue. Quem está por trás das iniciativas é o cardiologista Freddy Abnousi, que trabalha como chefe de pesquisas em saúde na companhia. Em outubro deste ano, o Facebook lançou nos Estados Unidos uma ferramenta chamada Preventive Health, que também funciona com o incentivo aos usuários para procedimentos de exames regulares, mostrando ainda opções de como marcar consultas e locais que podem ser visitados para esses testes. De acordo com a empresa, os dados coletados não são compartilhados com terceiros, apenas com a equipe responsável. Imagem: Reprodução Google Em janeiro deste ano, o Google contratou David Feinberg como vice-presidente da divisão Google Health. Desde então, o executivo vem liderando uma equipe que trabalha na coordenação de iniciativas de saúde, desde o sistema de busca e mapas, até para o Android e áreas de inteligência artificial. Em uma conferência realizada em outubro, Feinberg revelou que o primeiro objetivo principal da sua equipe será a supervisão de como pesquisas relacionadas à saúde surgem, trabalhando no aprimoramento ao lado da equipe de buscas do Google. A equipe de Feiberg também trabalha com inteligência artificial pelo Google AI e pelo DeepMind Health, que busca a análise de imagens médicas, como escaneamentos oculares e de células de câncer de mama, com o objetivo de ajudar no diagnóstico e tratamento. A empresa também está oferecendo o Google Cloud para serviços de contratos em nuvem com os sistemas de saúde, como com a clínica Mayo, que firmou parceria com a companhia em setembro. A Alphabet, empresa que comanda o Google, também vem investindo no braço Verily, que envolve projetos de robótica para o monitoramento de açúcar no sangue como forma de tratar a dependência. Além de tudo isso, na última sexta-feira (1º), o Google oficializou a compra da Fitbit por US$ 2,1 bilhões — a FitBit fabrica pulseiras fitness que acompanham tanto a prática de exercícios físicos, quanto a saúde do usuário. Imagem: Reprodução Microsoft Após algumas tentativas nada bem sucedidas que entrar na indústria da saúde, como a ferramenta HealthVault, que acabou sendo encerrada, a Microsoft está investindo em grandes parcerias. Ao lado de companhias renomadas do mercado da saúde, como a rede de farmácias Walgreens, a Microsoft vem disponibilizando seus serviços em nuvem e software, além de projetos para facilitar o acesso à saúde no futuro. Uber O aplicativo de caronas Uber também está investindo na colaboração com a saúde. A companhia vem trabalhando ao lado da LogistiCare, uma forma de transporte de saúde que pode facilitar cerca de 60 milhões de viagens por ano. Com isso, a expansão do serviço pode chegar às áreas rurais, visto que pessoas mais velhas e que precisam de mais cuidados acabam vivendo nessas regiões. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Já pensou em trabalhar só 4 dias por semana e produzir 40% mais? A Microsoft já! Tinder lança Match Time, recurso que avisa quando o app está mais movimentado ASUS libera Android 10 para o Zenfone 6 no Brasil Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Delivery de combustível chega ao Brasil; seria o fim dos postos? Veja Mais

Presidente eleito da Argentina diz que deve "tentar resolver" endividamento do país

R7 - Economia CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, disse nesta segunda-feira que o alto endividamento de seu país nos últimos anos é um tema que sua administração deve tentar resolver quando assumir, o que ocorrerá em algumas semanas."Foi impactante a velocidade do endividamento e as características do endividamento, porque é um endividamento muito grande que deve ser cumprido em um prazo muito curto, e é isso que precisamos tentar resolver", disse Fernández a jornalistas na Cidade do México, após se reunir com o presidente mexicano Andrés Manuel López Obrador."Não é que não queremos pagar", acrescentou Fernández, que assumirá o cargo em 10 de dezembro.(Por Redação Cidade do México) Veja Mais

Hackers podem invadir assistentes digitais usando um laser; Entenda!

Hackers podem invadir assistentes digitais usando um laser; Entenda!

canaltech Pesquisadores em segurança cibernética estão alertando a todos quanto a um risco em potencial de que hackers usem lasers para controlar assistentes digitais. Ao apontar lasers com uma frequência específica para um aparelho equipado com esses assistentes (como os da linha Echo da Amazon, Google Home, HomePod da Apple, etc), ou outros aparelhos que utilizem microfones MEMS, é possível desbloqueá-los e com isso destrancar carros, abrir portas de garagem, acender luzes e muito mais. Relatado pela Ars Technica, o ataque é conhecido como Light Commands e foi descoberto pelos professores Takeshi Sugarawa, da Universidade de Tóquio, e Kevin Fu, da Universidade de Michigan. Com o método, é possível hackear, à distância, diferentes sistemas e aparelhos, incluindo assistentes populares como Siri, Google Assistant e Alexa, desde que o invasor tenha linha de visão para os microfones do dispositivo. Os ataques funcionam a partir de um laser de baixa potência apontado para sistemas ativados por voz, que permite que os atacantes injetem comandos de sua escolha a uma distância de 110 metros. Como esses sistemas geralmente não exigem que os usuários se autentiquem, o ataque pode ser realizado sem o uso de senhas ou PIN. Mesmo quando os sistemas exigem autenticação para determinadas ações, isso pode ser burlado por meio de inúmeros testes até acertar o PIN, pois muitos dispositivos não limitam o número de suposições que um usuário pode fazer. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Como começou? Os primeiros testes para a descoberta começaram com Sugarawa: sua equipe apontava um laser de alta potência para o microfone de seu iPad, testando diferentes intensidades, enquanto a equipe de Fu usava um par de fones de ouvido e acompanhava o som que o microfone do iPad captava. Em determinada frequência, Fu detectou um tom agudo diferente quando o microfone do iPad converteu inexplicavelmente a luz do laser em um sinal elétrico, exatamente como faria com o som. O teste de desbloqueio mais tarde foi aplicado em smartphones e speakers inteligentes como Amazon Echo, Google Home e Facebook Portal, usando lasers para "falar" silenciosamente com qualquer computador que recebesse comandos de voz. E a surpresa é que alguns desses gadgets responderam. "É possível fazer os microfones responderem à luz como se fosse som", diz Sugarawa, de Michigan. "Isso significa que qualquer coisa que atue nos comandos de som funcionará nos comandos de luz". Assistente virtual inteligente pode ser desbloqueado por lasers, segundo pesquisa Entende os testes Em meses de experimentação, os pesquisadores descobriram que, quando apontavam um laser para um microfone com uma intensidade específica, a luz de alguma forma acionava os mecanismos internos do microfone, caso estivessem nessa mesma frequência. O posicionamento não precisava ser preciso: em alguns casos, eles simplesmente inundavam o dispositivo com luz. Quando eles usaram um laser de 60 miliwatts para "falar" comandos a 16 diferentes alto-falantes inteligentes, smartphones e outros dispositivos ativados por voz, eles descobriram que quase todos os speakers inteligentes registravam os comandos a 50 metros de distância. Dessa forma, poderiam ser controlados, ativando ou desligando os aparelhos que estivessem conectados, já que não precisavam de autenticação. Já os smartphones se saíram melhores nos testes: um iPhone e dois aparelhos com Android só puderam ser acionados a uma distância de 10 metros, mas, como seu debloqueio depende de mais variantes, não puderem ser destravados totalmente. Em um segundo experimento, os pesquisadores testaram os limites de potência e alcance de sua técnica, diminuindo para um laser de 5 miliwatts, equivalente a um laser comum. A equipe descobriu que podiam novamente controlar o Google Home e o Echo Plus. Já em outro teste, eles transmitiram com sucesso seus comandos a laser através de uma janela para o microfone do Google Home, dentro de um prédio a cerca de 90 metros de distância. Os comandos de "voz" carregados naquele feixe de laser seriam totalmente silenciosos, de acordo com os pesquisadores. Enquanto assistentes de voz normalmente dão uma resposta audível, um hacker poderia enviar um comando inicial que diminui o volume para zero. Embora não tenham testado isso especificamente, os pesquisadores também sugerem que um invasor pode usar comandos para acionar o "modo silencioso" da Amazon, que permite ao usuário falar comandos e receber respostas em um tom abafado, por exemplo. Justificativa A dupla de professores ainda não chegou a uma conclusão sobre como um microfone pode interpretar um sinal de luz como som, e se recusaram a especular a respeito dessa mecânica fotoacústica. Mas pelo menos dois mecanismos físicos diferentes podem tornar possíveis os comandos da luz, conforme argumenta Paul Horowitz, professor emérito de física e engenharia elétrica de Harvard e co-autor de The Art of Electronics. Primeiro, um pulso de luz do laser pode aquecer a parte interna do microfone, o que expandiria o ar ao redor dele e criaria um aumento na pressão, assim como o som. Em outra hipótese, Horowitz pensa que, se os componentes dos dispositivos de destino não forem totalmente opacos, a luz do laser poderá ultrapassar o microfone e atingir diretamente o chip eletrônico que interpreta suas vibrações em um sinal elétrico. Horowitz diz que isso pode resultar no mesmo efeito das células solares, que transformam a luz em eletricidade, o que poderia facilmente fazer com que o laser seja processado como um comando de voz. Alto-falante inteligente é desbloqueado com laser (Fonte: Wired/ Universidade de Tóquio/ Universidade de Michigan) Como se proteger Alguns dispositivos oferecem proteções de autenticação que podem frustrar um hacker acompanhado de um laser. Os iPhones e iPads exigem que o usuário prove sua identidade com o TouchID ou o FaceID antes de, por exemplo, fazer uma compra. Na maioria dos assistentes de voz de smartphones, as "palavras de alerta" que iniciam um comando de voz devem ser pronunciadas na voz do proprietário do telefone, o que dificulta muito que um ataque a laser tenha sucesso, mesmo que consiga acionar os seus sensores. Alto-falantes inteligentes como o Amazon Echo e o Google Home, no entanto, não possuem essa autenticação por voz, e, como se trata de uma limitação de fábrica, nenhuma atualização deve ser capaz de corrigi-la. Com isso em mente, os pesquisadores sugerem algumas correções temporárias, como exigir um número de PIN falado antes que os assistentes de voz executem os comandos mais sensíveis. Eles também orientam ajustes nos próximos lançamentos, como a criação de uma proteção de luz ao redor do microfone ou a escuta de comandos de voz vinda de dois microfones, posicionados em diferentes lados do dispositivo, que podem ser difíceis de acertar simultaneamente com um laser. Sobre os testes, um porta-voz do Google afirmou que estão "analisando atentamente este trabalho de pesquisa" pois "proteger nossos usuários é fundamental, e estamos sempre procurando maneiras de melhorar a segurança de nossos dispositivos". Já um porta-voz da Amazon escreveu em um comunicado que "estamos revisando esta pesquisa e continuamos a nos envolver com os autores para entender mais sobre seu trabalho". A Apple se recusou a comentar e o Facebook não respondeu imediatamente. Até que essas correções ou alterações de design cheguem, uma solução é deixar sua assistente virtual escondida — ou pelo menos longe da janela. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Após trapaça, famoso youtuber é expulso de Fortnite e fãs protestam com hashtag Tá vendo aquela Lua que brilha lá no céu? O que aconteceria se ela sumisse? O logo do Facebook mudou (e vai aparecer no Instagram e WhatsApp) Veja Mais

Banda de metal Sonata Arctica se apresenta no Brasil em abril

Banda de metal Sonata Arctica se apresenta no Brasil em abril

R7 - Música Banda de metal finlandesa voltará ao Brasil em 2020 Divulgação Highway Star A banda finlandesa de metal Sonata Arctica voltará ao Brasil para uma turnê em abril de 2020 com a turnê do álbum mais recente, “Talviyö”. A primeira apresentação será em Belo Horizonte, no dia 3, e a banda seguirá para Curitiba, no dia 5. Além das datas divulgadas, a turnê ainda passará por Brasília, Porto Alegre, Florianópolis, Limeira, São Paulo e Rio de Janeiro. A venda de ingressos para os shows de Belo Horizonte e Curitiba estará disponível a partir da próxima segunda-feira (11), ao meio dia. Os valores variam de R$ 110 a R$ 260 em Belo Horizonte e R$ 110 a R$ 340 em Curitiba. Nas duas cidades, estará disponível também o ingresso promocional para quem fizer a doação de 1kg de ração para cães ou gatos na entrada do evento. A banda, fundada em 1996, já lançou 10 álbuns em estúdio e mistura elementos clássicos do power metal com outras sonoridades. O último trabalho, Talviyö, significa “noite de inverno” e é considerado o disco mais pessoal da carreira do Sonata Arctica. Serviço BELO HORIZONTE - MG Data: 03 de abril de 2020 (sexta-feira)Horário do show: 22h (abertura de portões às 20h30)Local: Mister Rock (Av. Tereza Cristina, 295 - Prado)Classificação: 18 anos. Menores entre 16 e 17 anos apenas acompanhados dos pais ou responsáveis legais, mediante apresentação de documento que comprove a filiação e/ou a tutela legal.Ponto de venda sem taxa de conveniência: Chilli Beans - Shopping Diamond Mall (Loja 34, Av. Olegário Maciel, 1600 - Lourdes). De terça-feira a sábado, de 12h às 21h. Venda pela internet: Pelo site da SymplaOutros pontos de venda físicos: Totens Sympla nos shoppings Cidade, Del Rey e Ponteio Lar Shopping (pagamento em cartão de débito ou crédito, sem parcelamento)Início das vendas para o público em geral: 11 de novembro de 2019 (segunda-feira), às 12hValores dos ingressos: 1º lote: R$110 (meia-entrada) | R$130 (promocional) | R$220 (inteira) 2º lote: R$130 (meia-entrada) | R$150 (promocional) | R$260 (inteira)O ingresso promocional é válido mediante a doação de 1kg de ração para cães ou gatos na entrada do evento. CURITIBA - PR Data: 05 de abril de 2020 (domingo)Horário do show: 20h (abertura de portões às 18h30)Local: Tork N’ Roll (Av. Mal. Floriano Peixoto, 1695 - Rebouças)Classificação: 18 anos. Menores entre 16 e 17 anos apenas acompanhados dos pais ou responsáveis legais, mediante apresentação de documento que comprove a filiação e/ou a tutela legal.Ponto de venda sem taxa de conveniência: Bilheteria do Tork N’ Roll  (Av. Mal. Floriano Peixoto, 1695 - Rebouças). De segunda a quarta-feira de 09h às 18h; quinta e sexta-feira a partir das 09h; sábado e domingo a partir das 18h. Venda pela internet: Pelo site da Ticket Brasil Outros pontos de venda físicos: Jokers Pub Café, Let's Rock, Túnel do Rock e Dr. Rock Centro (pagamento em dinheiro, cartão de crédito e débito). Início das vendas para o público em geral: 11 de novembro de 2019 (segunda-feira), às 12hValores dos ingressos: Pista 1º lote: R$110 (meia-entrada) | R$130 (promocional) | R$220 (inteira) Pista 2º lote: R$130 (meia-entrada) | R$150 (promocional) | R$260 (inteira) Camarote 1º lote: R$150 (meia-entrada) | R$170 (promocional) | R$300 (inteira) Camarote 2º lote: R$170 (meia-entrada) | R$190 (promocional) | R$340 (inteira)O ingresso promocional é válido mediante a doação de 1kg de ração para cães ou gatos na entrada do evento. Veja Mais

Itaú Unibanco: lucro líquido recorrente soma R$ 7,156 bi no 3º trimestre

R7 - Economia O Itaú Unibanco registrou lucro líquido recorrente de R$ 7,156 bilhões no terceiro trimestre deste ano, elevação de 10,9% em relação ao visto em idêntico intervalo de 2018, de R$ 6,454 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, cresceu 1,7%.O resultado do Itaú no terceiro trimestre foi impulsionado pelo crescimento no crédito às micro e pequenas empresas e ainda pessoas físicas, mas também a retomada no segmento de grandes empresas, que impulsionaram a margem financeira, conforme destaca o banco, em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras. Enquanto de um lado a instituição entregou melhores receitas de prestação de serviços e tarifas e despesas sob controle, do outro viu a piora do seu custo de crédito, que saltou 37,8% no terceiro trimestre ante um ano.A carteira de crédito do Itaú somou R$ 689,0 bilhões no fim de setembro, alta de 4,4% em relação a junho. Em um ano, cresceu 8,3%. No terceiro trimestre, o destaque na carteira do banco foram as micro, pequenas e médias empresas, com avanço de 7,6% ante os três meses anteriores e 24,5% em um ano. O segmento de pessoas físicas teve altas de 3,3% e 14,9%, respectivamente.Já o crédito para grandes empresas voltou a crescer após quatro trimestres, conforme o banco. Subiu 5,5% no terceiro trimestre ante o segundo, puxado por emissões de dívidas corporativas, e 4,1% em 12 meses.O Itaú Unibanco somava R$ 1,738 trilhão em ativos totais ao fim de setembro, crescimento de 7,8% ante um ano. Em relação aos três meses anteriores, a alta foi de 3,6%.O patrimônio líquido do Itaú era de R$ 125,719 bilhões no terceiro trimestre, elevação de 0,5% em um ano e estável no comparativo trimestral. Já a rentabilidade recorrente sobre o patrimônio líquido médio do banco (ROE, na sigla em inglês) se manteve em 23,5% ao fim de setembro em relação a junho. Há um ano, estava em 21,3%. Veja Mais

A VOZ DO BRASIL | 04/11/2019

A VOZ DO BRASIL | 04/11/2019

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Nave da Boeing que levará astronautas dos EUA à ISS passa por teste de segurança

Nave da Boeing que levará astronautas dos EUA à ISS passa por teste de segurança

canaltech A Boeing prepara o primeiro lançamento de sua nave CST-100 Starliner para dezembro, e corre para realizar todos os testes em tempo. Nesta segunda-feira (4), foi feito um teste para verificar se o sistema de abortagem está pronto para garantir a segurança da nave e de sua tripulação caso haja problemas durante o lançamento. Foram precisos apenas 95 segundos para testar se a cápsula consegue chegar intacta ao solo em uma situação de emergência. Ou seja, foi um teste de abortamento da missão, que aciona um sistema emergencial para a eventualidade de o foguete se separar da cápsula ou apresentar algum outro defeito durante a decolagem. .@BoeingSpace’s #Starliner spacecraft soared through a critical safety milestone in a major test of its launch abort system this morning. Lots of data analysis ahead, but we are one big step closer to flights with crew! pic.twitter.com/VDWSRt0g34 -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- — NASA Commercial Crew (@Commercial_Crew) November 4, 2019 Para isso, um sistema de paraquedas foi instalado, além de um airbag que se abre na parte de baixo. Assim, a nave perde velocidade enquanto cai, além de ter uma aterrissagem suave. Um dos paraquedas não se abriu, mas os dois restantes deram conta do recado durante este teste. A nave se separa do foguete com um motor de propulsão que vai levá-la a uma distância segura antes de acionar os “freios” para a queda. A Starliner foi desenvolvida para levar até sete pessoas para a ISS e depois trazê-las de volta à Terra. Resta saber, agora, se a falha em um dos paraquedas vai atrasar o cronograma, ou se a previsão do primeiro lançamento orbital para dezembro será mantida. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Após trapaça, famoso youtuber é expulso de Fortnite e fãs protestam com hashtag Tá vendo aquela Lua que brilha lá no céu? O que aconteceria se ela sumisse? O logo do Facebook mudou (e vai aparecer no Instagram e WhatsApp) Veja Mais

Estados Unidos mantêm veto à carne bovina brasileira

Estados Unidos mantêm veto à carne bovina brasileira

R7 - Economia Manutenção do veto foi confirmada pela Agricultura Wilton Junior/Estadão Conteúdo Os Estados Unidos solicitaram informações adicionais ao governo brasileiro sobre a carne bovina do Brasil e estabeleceram que uma nova inspeção à indústria terá que ser realizada, antes de eventual liberação de embarques do produto in natura aos norte-americanos, segundo informações do Ministério da Agricultura nesta segunda-feira (4). Um relatório do USDA (Departamento de Agricultura dos EUA) foi disponibilizado ao governo brasileiro na última quinta-feira, mas as informações frustraram representantes do governo de Jair Bolsonaro. O porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, afirmou a jornalistas que o governo não esperava a manutenção de veto dos EUA. "A nossa expectativa é de que esse veto não se mantivesse", disse o porta-voz. Leia mais: Exportações de carne bovina do Brasil batem recorde em outubro "O que nós sabemos de momento é de uma nova inspeção, mas temos todas as capacidades, já as apresentamos a nossos interlocutores, e a expectativa é que muito pronto esse mercado esteja aberto", acrescentou ele. Para tentar convencer o governo dos EUA a liberar o produto do Brasil, maior exportador global de carne bovina, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, marcou uma viagem ao país para o próximo dia 17, quando deverá se encontrar com o secretário de Agricultura norte-americano, Sonny Perdue. A ministra pretende tratar da questão e "acredita que os dois países têm bom relacionamento e chegarão a um entendimento", segundo a assessoria de imprensa da pasta. O porta-voz da Presidência confirmou a jornalistas a viagem de Tereza aos EUA, dizendo que a ministra "tratará obviamente deste que é um dos temas importantes da pauta com aquele país". Veja mais: Brasil deverá exportar 25 mil toneladas de carne para a Indonésia Os EUA suspenderam as importações de carne bovina in natura do Brasil em meados de 2017, após a detecção de inconformidades nas importações, na esteira de um escândalo de fiscalização sanitária, que envolveu pagamento de propinas por empresas a fiscais. Em meio às negociações para voltar a exportar carne bovina in natura, o Brasil já concordou em conceder uma cota de 750 mil toneladas em importações de trigo isenta de tarifas para todos os países, incluindo os EUA, normalmente os principais fornecedores dos brasileiros fora do Mercosul. A cota, contudo, ainda não foi regulamentada.  Além disso, em outro aceno aos EUA, o Brasil elevou em setembro para 750 milhões de litros, ante 600 milhões anteriormente, uma cota para importações anuais de etanol sem tarifa. Os EUA são os principais exportadores de etanol para o Brasil. Veja Mais

Lucro do Itaú recua 10,7% e soma R$ 5,5 bilhões no terceiro trimestre

G1 Economia No terceiro trimestre, a carteira de crédito do banco chegou a R$ 689 bilhões, o que representou um crescimento de 8,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Fachada de agência do banco Itaú no Rio de Janeiro Sergio Moraes/Reuters O banco Itaú informou nesta segunda-feira (4) que registrou lucro líquido contábil de R$ 5,576 bilhões no terceiro trimestre de 2019, uma queda de 10,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior (R$ 6,247 bilhões). Em relação ao segundo trimestre, o lucro contábil do banco caiu 18,2%. Já o lucro líquido recorrente do banco, que exclui fatores extraordinários no trimestre fiscal, somou R$ 7,156 bilhões entre julho e setembro, avanço de 10,9% acima do registrado no mesmo período de 2018 (R$ 6,454 bilhões) e de 1,7% ante o apurado no segundo trimestre (R$ 7,034 bilhões). Entre os eventos não recorrentes, o Itaú destacou que o custo de R$ 1,431 bilhão com o plano de desligamento voluntário. O retorno recorrente sobre o patrimônio líquido médio anualizado (como o banco remunera o acionista) foi de 23,5% no terceiro trimestre. Houve um crescimento de 2,2 pontos percentuais em relação ao mesmo período do ano passado, A receita com prestação de serviços foi de R$ 10,842 bilhões, acima do apurado no segundo trimestre (R$ 10,738 bilhões) e do observado no mesmo período do anterior (R$ 10,153 bilhões). Carteira de crédito No terceiro trimestre, a carteira de crédito do banco chegou a R$ 689 bilhões, o que representou um crescimento de 8,3% na comparação com o mesmo período do ano anterior. Em relação aos três meses anteriores, houve aumento de 4,4%. O índice de inadimplência acima de 90 dias registrado pelo banco ficou estável em 2,9%. Outros bancos No terceiro trimestre, o Bradesco registrou lucro líquido contábil de R$ 5,837 bilhões no terceiro trimestre, 16,5% maior em comparação ao mesmo período de 2018. Já o Santander Brasil registrou lucro líquido de R$ 3,608 bilhões no período de julho a setembro. Veja Mais

Expectativa de acordo comercial leva índices de Wall St a recordes

R7 - Economia Por Caroline ValetkevitchNOVA YORK (Reuters) - Os três principais índices acionários dos Estados Unidos registraram novas máximas recordes de fechamento nesta segunda-feira, ampliando a recente sequência de ganhos, por expectativas de um acordo comercial entre EUA e China e em meio a dados indicando melhora na economia norte-americana.O Dow Jones teve alta de 0,42%, a 27.462,72 pontos, enquanto o S&P 500 avançou 0,37%, para 3.078,37 pontos, e o Nasdaq Composto ganhou 0,56%, a 8.433,20 pontos.Esta foi a segunda sessão consecutiva de máximas de fechamento para S&P 500 e Nasdaq, além do primeiro fechamento em máxima recorde para o Dow desde julho.Após autoridades norte-americanas indicarem na sexta-feira que um acordo comercial com a China pode ser assinado neste mês, o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, afirmou no domingo que as licenças para que empresas norte-americanas vendam componentes para a Huawei virão "muito em breve".Em maio, a Huawei, uma das maiores fornecedoras mundiais de equipamentos de telecomunicação, foi colocada em uma lista negra pelos EUA, que citaram preocupações com a segurança nacional.Setores que estão entre os considerados mais sensíveis à guerra comercial avançaram. O índice de tecnologia do S&P 500 subiu 0,6%, o índice Philiadelphia de semicondutores atingiu uma nova máxima recorde e o índice industrial do S&P ganhou 1,2%.O otimismo relacionado ao progresso com a China após as máximas registradas pelo mercado na sexta-feira está "tornando mais fácil para investidores continuarem a comprar e escalar um muro de preocupações", disse Michael James, diretor-gerente da trading Wedbush Securities.As ações do setor de óleo e gás avançaram juntamente aos preços do petróleo, com o índice de energia do S&P 500 subindo 3,2%, enquanto o índice financeiro do S&P ganhou 0,9%, apoiado pelas ações da Berkshire Hathaway, após a empresa superar as expectativas em relação a seu lucro operacional no terceiro trimestre.(Reportagem adicional de Arjun Panchadar e Shreyashi Sanya, em Bengaluru) Veja Mais

Alegria para os fãs: Kero Kero Bonito toca Death Grips em show; assista

Alegria para os fãs: Kero Kero Bonito toca Death Grips em show; assista

R7 - Música Kero Kero Bonito Tenho Mais Discos Que Amigos Foto: Wikimedia Commons Por mais surpreendente que seja, um dos maiores pedidos do fã-clube do grupo inglês Kero Kero Bonito - cujas canções misturam j-pop, rap, e mais recentemente rock, com a vocalista Sarah Bonito alternando entre o japonês e o inglês - é uma parceria entre a banda e Death Grips, grupo de hip hop experimental liderado por MC Ride. Foi, então, uma grande surpresa quando, durante o show em Sacramento na Califórnia, Kero Kero Bonito resolveu fazer um cover da canção 'I've Seen Footage', de um dos álbuns mais aclamados do Death Grips, The Money Store. Seria isso um indício de que algum dia teremos uma canção com os versos de Mc Ride acompanhados dos vocais fofos de Sarah Bonito? Abaixo, você pode conferir um trecho da galera indo à loucura no show. https://www.youtube.com/watch?time_continue=20&v=RCsXiqaJG1g   Veja Mais

Estados Unidos mantêm veto à importação de carne bovina in natura do Brasil

G1 Economia Manutenção do veto está em relatório feito pelo país após vistoria em frigoríficos. Mercado norte-americano está fechado para carne bovina in natura brasileira desde 2017. Os Estados Unidos decidiram manter o veto à importação de carne bovina in natura do Brasil. Segundo confirmou nesta segunda-feira (4) o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA), o governo brasileiro foi informado na quinta-feira (31) da semana passada. Ainda segundo a pasta, a ministra Tereza Cristina “ficou desapontada” com a decisão, mas “acredita no excelente relacionamento do Brasil com os Estados Unidos para resolver a questão”. O relatório que informou a manutenção do veto foi feito após missão veterinária dos norte-americanos ao Brasil em junho deste ano. A missão inspecionou frigoríficos de bovinos e suínos. O documento apontou a necessidade de uma nova vistoria em frigoríficos brasileiros. Uma fonte do governo avaliou que não há justificativa para uma nova missão e que o relatório não traz nenhuma alegação concreta para uma nova vistoria. A avaliação de quem teve acesso ao documento, segundo informou essa fonte, é de que a decisão é protelatória, com o objetivo de adiar ainda mais a abertura do mercado. Em junho de 2017 os americanos suspenderam as compras de cortes bovinos do Brasil, devido às reações (abcessos) provocadas no rebanho pela vacina contra a febre aftosa. A autorização para venda de carne in natura para os Estados Unidos havia sido obtida em 2015 após 15 anos se limitando a vender apenas carne cozida. A reabertura do mercado para carne bovina in natura foi um dos temas tratados durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, em setembro. Segundo o Ministério da Agricultura, a manutenção do embargo será tratada na viagem da ministra aos Estados Unidos. A viagem, que já estava agendada, ocorrerá entre os dias 17 e 23 de novembro. Veja Mais

Educação Especial - inclusiva ou separada? | Representativas

Educação Especial - inclusiva ou separada? | Representativas

Câmana dos Deputados O que é educação especial? As pessoas com deficiência devem frequentar as salas de aula do ensino regular? Ou devem ser encaminhadas para centros ou entidades com atendimento exclusivo para suas necessidades? No 5º episódio da série Representativas, abordamos o tema da inclusão a partir do relato de Ana Paula, mãe de uma criança autista, e dos depoimentos da deputada Tereza Nelma (PSDB-AL), da deputada Rejane Dias (PT-PI) e de Regina Andréa, professora de Educação Especial da SEE-DF. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Ibovespa segue otimismo no exterior e crava nova máxima de fechamento

R7 - Economia Por Peter FrontiniSÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa renovou a máxima de fechamento nesta segunda-feira, mesmo tendo desacelerado no final, em sessão marcada pelo otimismo internacional com a possibilidade de um acordo comercial entre Estados Unidos e China.O Ibovespa subiu 0,54%, a 108.779,33 pontos. O volume financeiro da sessão somou 18,67 bilhões de reais. No primeiro dia com fechamento em novo horário (18h00 no horário de Brasília) o Ibovespa registrou o maior nível intradia, a 109.352,13 pontos. A possibilidade de acordo entre EUA e China animou os mercados, com o secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, dizendo no domingo que não havia razão para que o acordo não esteja no caminho certo para ser assinado ainda este mês.O Ministério das Relações Exteriores da China disse que o presidente Xi Jinping e Donald Trump têm estado em contato, mas não detalhou quando e onde Xi poderá encontrar Trump. Mercados globais reagiram com otimismo. Os índices europeus atingiram o nível mais alto em quase 2 anos, e bolsas norte-americanas registraram recordes. O S&P 500 avançou 0,37%. No plano doméstico, a atenção é dividida com a temporada de balanços trimestrais, com Itaú Unibanco publicando seus resultados após a sessão. Para analistas da XP Investimentos, os resultados do terceiro trimestre serão relativamente fracos, em geral, impactados pelo cenário econômico desafiador. NoneDESTAQUE -GERDAU PN saltou 4,96%, em dia positivo para as siderúrgicas. CSN ON ganhou 1,42%.NoneJBS ON teve alta de 3,11%. A China habilitou sete fábricas de Santa Catarina para exportação de miúdos suínos ao país, disse a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. BRF ganhou 3,13% e MARFRIG avançou 1,2%.None- NOTRE DAME INTERMÉDICA perdeu 2,9%, após liderar as altas do índice pela manhã. A empresa anunciou na noite de sexta-feira a aquisição da Clinipam por 2,6 bilhões de reais, adicionando 333 mil clientes.None-ITAÚ UNIBANCO PN avançou 0,33%, antes de divulgar balanço. No setor, BRADESCO PN subiu 0,11% e SANTANDER UNT valorizou-se 0,32%. None-MAGAZINE LUIZA ON recuou 4,7%, após iniciar a sessão em forte alta. A empresa acumulou mais de 12% de alta na última semana. None- VALE ON avançou 2,85%, exercendo forte peso positivo sobre o índice.None- BB SEGURIDADE ON recuou 2,04%, também invertendo tendência durante a sessão. A empresa divulgou alta de 21,3% no lucro líquido ajustado do terceiro trimestre e elevou projeção de crescimento de lucro para o ano.None- PETROBRAS PN caiu 0,23%, mas PETROBRAS ON subiu 0,7%.None- TELEFÔNICA BRASIL PN avançou 0,73%. A empresa divulgou lucro líquido proforma de 1,046 bilhão de reais no terceiro trimestre e informou que espera melhor resultado no quarto trimestre. Veja Mais

Dona do TikTok lança seu primeiro celular, Jianguo Pro 3

Dona do TikTok lança seu primeiro celular, Jianguo Pro 3

Tecmundo A startup chinesa ByteDance, dona do aplicativo TikTok, acaba de lançar na China o seu primeiro smartphone em parceria com a fabricante de celulares Smartisan.O TikTok é um dos aplicativos mais baixados da internet atualmente. A plataforma de vídeos curtinhos tem deixado muita gente grande “no chinelo”. Segundo a Sensor Tower, empresa que monitora apps, o TikTok ultrapassou os gigantes Whatsapp, Instagram e YouTube. Leia mais... Veja Mais

Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando

Russos, de novo: IA dedo-duro desenha o que uma pessoa está olhando

canaltech Cuidado para onde você olha! Bom, pelo menos quando estiver perto da mais nova invenção russa. Pesquisadores do Instituto de Física e Tecnologia, de Moscou, e da empresa Neurobotics desenvolveram um software com Inteligência Artificial que desenha o que uma pessoa vê em tempo real, a partir da leitura e da decodificação de suas ondas cerebrais. O mais impressionante nisso tudo é que a técnica não é invasiva e capta as informações através de um da eletroencefalografia (EEG), método que usa uma espécie de capacete com eletrodos colocados no couro cabeludo do indivíduo. Resultados obtidos em invenção russa com IA (Fonte: Grigory Rashkov / Neurobotics) "Os pesquisadores pensavam que estudar os processos cerebrais via EEG era como descobrir a estrutura interna de um motor a vapor, analisando a fumaça deixada por um trem", disse o pesquisador Grigory Rashkov em comunicado à imprensa. “Não esperávamos que ele contivesse informações suficientes para reconstruir parcialmente uma imagem observada por uma pessoa" afirma Rashkov, a partir dos resultados positivos dos testes, publicados na bioRxiv. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Entenda a invenção Na primeira etapa da pesquisa, cada participante assistiu, durante 20 minutos, aos fragmentos de um vídeo com 10 segundos de duração, usando os capacetes com eletrodos. O assunto de cada fragmento se enquadrava em uma de cinco categorias, e os pesquisadores descobriram que podiam dizer para qual categoria de vídeo um participante estava assistindo — apenas analisando seus dados de EEG. Para a próxima fase da pesquisa, os cientistas desenvolveram duas redes neurais. Eles treinaram uma para gerar imagens em três das categorias testadas, a partir de "ruído" visual, e a outra para transformar dados obtidos com EEG em ruído que pudesse ser comparável. Quando combinadas, as IAs conseguiram desenhar imagens surpreendentemente precisas do que uma pessoa estava vendo, em tempo real. A invenção vai no caminho contrário de outros experimentos, como “as interfaces neurais invasivas previstas por Elon Musk que enfrentam os desafios de cirurgias complexas e deterioração rápida devido a processos naturais — elas oxidam e falham dentro de vários meses", afirma Rashkov. Com uso mais simples, a proposta dos pesquisadores russos pode ser muito mais popular. Pelo menos é que eles acreditam. A seguir, confira os testes do projeto de Moscou:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O logo do Facebook mudou (e vai aparecer no Instagram e WhatsApp) Malware usa falha geral no Windows para instalar minerador de criptomoedas Falha de segurança em sites de camgirls expõe dados de usuários e modelos Ciência e engenharia da computação: quais as diferenças e qual escolher? Tá vendo aquela Lua que brilha lá no céu? O que aconteceria se ela sumisse? Veja Mais

Harry Styles divulga nome, data de lançamento e capa de novo disco

Harry Styles divulga nome, data de lançamento e capa de novo disco

R7 - Música Harry Styles Fine Line Tenho Mais Discos Que Amigos Divulgação Harry Styles finalmente anunciou seu segundo disco de estúdio! A partir de seu perfil no Twitter, o ex-One Direction divulgou a capa de Fine Line, sucessor do homônimo lançado em 2017. O álbum chega às lojas e plataformas de streaming no dia 13 de dezembro deste ano. O primeiro single divulgado pelo cantor foi 'Lights Up', que também ganhou um clipe pra lá de quente -- veja por aqui. Confira a publicação abaixo. Harry Styles FINE LINE . THE ALBUM . DEC 13 pic.twitter.com/ARzqYds8Vn — Harry Styles. (@Harry_Styles) November 4, 2019 Styles se jogou de cabeça na carreira solo -- e seguindo uma direção bastante diferente -- após o fim do One Direction em 2016. A boy band diz que está em hiato mas, até então, não deu nenhum indício de que vai se reunir. Veja Mais

Josh Homme: reunião do Them Crooked Vultures depende de Dave Grohl

Josh Homme: reunião do Them Crooked Vultures depende de Dave Grohl

R7 - Música Them Crooked Vultures Tenho Mais Discos Que Amigos Foto por Dustin Rabin Josh Homme colocou Dave Grohl como alvo para os fãs do Them Crooked Vultures que querem um retorno do supergrupo. Depois de o líder do Foo Fighters afirmar que 'sempre há algo acontecendo' para a banda, o frontman do Queens of the Stone Age também se mostrou otimista quanto à gravação de um novo disco. Em nova entrevista com a Rolling Stone (via Loudwire), porém, Homme jogou a bucha para Grohl, afirmando que a reunião é 'parte do trabalho dele'. Leia: O mais irônico é que todos nós queremos fazer outro disco dos Vultures e acho que todo mundo tem um certo papel para desempenhar [na banda]. Com toda a honestidade, sinto que isso faz parte do papel do Dave -- desde que ele nos uniu pela primeira vez dizendo: 'Ei, vocês querem tentar isso?' Eu sinto que isso faz parte da descrição do trabalho dele no Vultures. Acho que tenho várias coisas que devo fazer, mas essa não é uma delas. Estou sempre pronto para voltar a estar na banda. Eu não corro atrás, você sabe. Penso que, no final das contas, essas coisas acontecem quando deveriam, e não tenho muita experiência em forçar as coisas a acontecerem assim. Quando você faz música, as pessoas se reúnem porque querem e não por uma sensação de necessidade ou desespero. Eu acho que esse é o melhor motivo para nos reunirmos. Them Crooked Vultures O único disco do Them Crooked Vultures, homônimo, foi lançado em 2009, e a banda fez shows apenas até 2010. Sentimos saudades! LEIA TAMBÉM: 13 reuniões de bandas que ainda queremos que aconteçam Veja Mais

Seminário discute justiça social via reforma tributária

O Tempo - Política Encontro foi solicitado pelos deputados federais Reginaldo Lopes (PT-MG) e Newton Cardoso Jr. (MDB-MG) e debateu a PEC 45/2019 Veja Mais

Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 60 milhões na quarta-feira

Mega-Sena acumula de novo e pode pagar R$ 60 milhões na quarta-feira

R7 - Economia Sorteio premiou 76 com a quina e 5.847 com a quadra Marcelo Fonseca/Folhapress - 15/01/2019 O prêmio da Mega-Sena acumulou novamente nesta segunda-feira (4) após nenhum apostador cravar as seis dezenas reveladas pelo concurso 2.204. Com isso, a loteria promete pagar a bolada de R$ 60 milhões na próxima quarta-feira (6). Nesta segunda, os números revelados no sorteio realizado na cidade de São Paulo (SP) foram: 01 — 28 — 29 — 32 — 35 — 56. Apesar de ninguém ter faturado o prêmio principal, o concurso premiou 76 apostas que acertaram a quina e têm o direito de receber R$ 45.148,15 cada. Outros 5.847 apostadores cravaram quatro dos números sorteados e poderão sacar R$ 838,34 cada. Como apostar? Para concorrer ao prêmio de R$ 60 milhões, basta ir a uma casa lotérica e marcar de 6 a 15 números do volante, podendo deixar que o sistema escolha os números para você (Surpresinha) e/ou concorrer com a mesma aposta por 2, 4 ou 8 concursos consecutivos (Teimosinha). Cada jogo de seis números custa R$ 3,50. Quanto mais números marcar, maior o preço da aposta e maiores as chances de faturar o prêmio mais cobiçado do País. Outra opção é o Bolão Caixa, que permite ao apostador fazer apostas em grupo. Basta preencher o campo próprio no volante ou solicitar ao atendente da lotérica. Você também pode comprar cotas de bolões organizados pelas lotéricas. Nesse caso, poderá ser cobrada uma Tarifa de Serviço adicional de até 35% do valor da cota. Na Mega-Sena, os bolões têm preço mínimo de R$ 10. Porém, cada cota não pode ser inferior a R$ 4. É possível realizar um bolão de no mínimo 2 e no máximo 100 cotas. Veja Mais

Confira os destaques da agenda do Plenário desta semana - 04/11/2019

Confira os destaques da agenda do Plenário desta semana - 04/11/2019

Câmana dos Deputados A semana segue comprometida com temas polêmicos que dependem de acordo entre os partidos para serem votados. Um deles é o projeto que trata da posse e o porte de armas de fogo. Desta vez o texto vem mais enxuto. Saiba mais sobre este projeto e outros assuntos que vão estar em pauta no plenário com Keila Santana. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Itaú Unibanco acelera crédito e lucro cresce 11% no 3º tri; 3,5 mil aderem a PDV

R7 - Economia Por Aluisio AlvesSÃO PAULO (Reuters) - A aceleração do crédito em linhas mais rentáveis elevou a lucratividade do terceiro trimestre do Itaú Unibanco, que também anunciou a adesão de 3,5 mil empregados a um programa de desligamento voluntário (PDV).O maior banco privado da América Latina anunciou nesta segunda-feira que seu lucro recorrente no período somou 7,156 bilhões de reais, alta de 10,9% ante igual etapa de 2018 e em linha com a previsão média de analistas ouvidos pela Refinitiv.Em termos líquidos, o lucro contábil foi de 5,576 bilhões de reais, queda de 10,7% no comparativo anual, refletindo em parte a despesa de 1,43 bilhão ligada ao PDV. O valor total do programa é de 2,4 bilhões, informou o banco, explicando que se trata de uma despesa não recorrente."Destacamos o aumento do ritmo de crescimento das carteiras de crédito de pessoas físicas e de micro, pequenas e médias empresas e também a retomada do crescimento da carteira de crédito de grandes empresas após quatro trimestres", afirmou o banco no relatório de resultados.No fim de setembro, a carteira de crédito do Itaú Unibanco, incluindo avais e fianças, somava 689 bilhões de reais, aumento de 8,3% em 12 meses. Considerando apenas as operações no Brasil, porém, a expansão foi de 11,7%, com destaque para as lucrativas operações de cartão de crédito, automotivo e para pequenas e médias empresas. Assim, a margem financeira com clientes evoluiu 9,1%, a 17,6 bilhões de reais.Por serem também as operações de maior risco, o banco também reportou um salto de 37,8% no chamado custo de crédito, que mede as provisões para perdas esperadas com inadimplência, menos valores recuperados, somando 4,5 bilhões de reais. Mas o índice de inadimplência acima de 90 dias manteve-se em 2,9%, estável nas comparações sequencial e anual. Outro indicador da qualidade da carteira de empréstimos, o NPL creation, subiu 6,4% em um ano, a 5,29 bilhões de reais.Em outra frente, a receita com prestação de serviços, incluindo seguros, somou 10,84 bilhões de reais, alta sequencial de 1% e de 6,8% ano a ano. A expansão nessa linha foi limitada pelo declínio de 20,8% nas receitas com adquirência de cartões, refletindo o posicionamento mais agressivo da sua unidade no setor, a Rede, desde maio.De todo modo, o Itaú Unibanco fechou o trimestre com rentabilidade recorrente anualizada sobre o patrimônio líquido de 23,5%, aumento de 2,2 pontos percentuais ano a ano e estável na medição sequencial.O banco fechou setembro com 96,8 mil funcionários, quatro mil a menos em 12 meses. No período, a rede de agências diminuiu em 213, para 4,7 mil. None (Por Aluísio Alves) Veja Mais

CT News 04/11/2019 (Motoristas fakes de Uber e 99 são alvo da Polícia Civil)

CT News 04/11/2019 (Motoristas fakes de Uber e 99 são alvo da Polícia Civil)

canaltech Motoristas fake investigados pela Polícia Civil // Falha no Windows usada para minerar criptomoedas // Samsung fecha setor de processadores // Huawei pode voltar a fazer negócios com os EUA // Microsoft lança app mobile do Office integrando Word, Excel e PowerPoint Ouça ao podcast. Veja Mais

Todo cuidado é pouco ao investir no mercado futuro

Todo cuidado é pouco ao investir no mercado futuro

R7 - Economia Segundo a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o mercado futuro pode ser entendido como uma expansão do mercado financeiro. Tal definição pode ser explicada pelo fato de que nele os aplicadores apostam em ativos no futuro. Calma, o mercado futuro não oferece viagens no tempo como no clássico De Volta Para o Futuro. Estamos falando […] O post Todo cuidado é pouco ao investir no mercado futuro apareceu primeiro em SpaceMoney. Veja Mais

José Nelto cobra do governo redução da taxa de juros do cartão de crédito

José Nelto cobra do governo redução da taxa de juros do cartão de crédito

Câmana dos Deputados Os usuários do cartão de crédito e do cheque especial no País pagam os juros mais abusivos da América Latina, chegando a 300% ao ano. A Argentina, que vem em segundo lugar, cobra 63% de juros ao ano.Na opinião do deputado José Nelto (Podemos-Goiás), o governo precisa cumprir a promessa de promover uma abertura do sistema financeiro, como prometeu em campanha. O parlamentar é o entrevistado desta edição do Palavra Aberta. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Petrobras e 12 sindicatos assinam acordo de trabalho 2019-2020 com reajuste de 2,3%

R7 - Economia RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras e 12 entidades sindicais assinaram nesta segunda-feira o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2019-2020, informou a companhia em um comunicado, após uma longa negociação iniciada em maio com os petroleiros.O acordo, resultante do processo de mediação solicitado pela companhia junto ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), é retroativo a 1º de setembro e tem vigência até 31 de agosto de 2020.A empresa destacou que os empregados dessas 12 bases --que reúnem a maioria do efetivo de pessoal da companhia-- receberão os valores retroativos, com a aplicação de reajuste de 2,3% (70% do INPC) nos salários, em 13 de novembro.Assinaram o acordo os sindicatos de Duque de Caxias, Norte Fluminense, Bahia, Minas Gerais, Ceará/Piauí, Amazonas, Paraná/Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Espírito Santo, Pernambuco/Paraíba e Unificado de São Paulo.None (Por Marta Nogueira) Veja Mais

Helicóptero de Evo Morales tem problema mecânico na Bolívia; veja vídeo

O Tempo - Mundo Imagens do incidente foram imediatamente divulgadas em vídeos caseiros através das redes sociais. Veja Mais

China pressiona Trump para remover mais tarifas antes de acordo comercial, diz site

R7 - Economia (Reuters) - A China está pressionando o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, a remover mais tarifas impostas em setembro antes da assinatura do acordo comercial entre os dois países, informou o site Politico nesta segunda-feira, citando três pessoas familiarizadas com discussões internas.Pequim também está pressionando os EUA a remover uma tarifa de 15% que foi imposta sobre cerca de 112 bilhões em mercadorias chinesas em 1º de setembro, mas nenhuma decisão foi tomada, informou o Politico citando fontes.(Por Mekhla Raina) Veja Mais

Uber supera estimativas de receita para o 3º tri

R7 - Economia BANGALORE, Índia (Reuters) - A Uber superou nesta segunda-feira estimativas de Wall Street para a receita do terceiro trimestre, apoiada em número maior de usuários dos serviços de transporte urbano e de entrega de comida por aplicativo.A receita total da companhia subiu quase 30%, para 3,81 bilhões de dólares. A expectativa média de analistas era de faturamento de 3,69 bilhões, segundo a Refinitiv.Apesar disso, os custos da empresa subiram cerca de 33%, para 4,92 bilhões de dólares no trimestre. A receita bruta, uma medida para o valor total das corridas excluindo custos com motoristas e outras despesas, subiu 29,4% sobre um ano antes, para 16,47 bilhões de dólares.A receita do serviço de transporte de passageiros subiu cerca de 19%, a 2,9 bilhões de dólares, enquanto o faturamento com a plataforma de entrega de comida avançou 64%.A companhia afirmou que os usuários mensais ativos de sua plataforma subiram para 103 milhões no mundo no terceiro trimestre, ante 82 milhões um ano antes.O prejuízo líquido atribuível à companhia cresceu para 1,16 bilhão de dólares no trimestre, ante resultado negativo de 986 milhões um ano antes.O prejuízo caiu para 0,68 dólar por ação ante 2,21 dólares de perda um ano antes.As ações da Uber devem ficar sob pressão na quarta-feira, quando acaba uma restrição de venda. Alguns analistas esperam que mais de 80% das ações em circulação da companhia são elegíveis para venda.(Por Akanksha Rana) Veja Mais

Secretaria de Saúde do ES abre três processos seletivos com salários de até R$ 9,6 mil

G1 Economia Seleção será para a reposição de vagas e para forma cadastro de reserva para profissionais de níveis médio, técnico e superior. Secretaria de Saúde do ES abre processos seletivos Divulgação/ Sesa-ES A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) abre, nesta terça-feira (5), três processos seletivos para a contratação de profissionais de diversas áreas de níveis médio, técnico e superior para atuação em hospitais e em setores administrativos de instituições de todas as regiões do Espírito Santo. Confira os editais. Os editais do processo seletivo foram publicados no Diário Oficial desta segunda-feira (4). A seleção será para reposição de vagas e a intenção é formar um cadastro de reserva para contratação em regime temporário em todas as regiões do estado. Veja mais notícias sobre Concursos e Emprego no ES Para médicos, as vagas são para diversas especialidades, como alergista, anestesista, angiologista, cardiologista, cirurgião plástico, cirurgião pediátrico, dermatologista, médico do trabalho, endocrinologista, oftalmologista, entre outras. Os salários vão de R$ 4.849,84 a R$ 9.699,69. Além de médicos, a Sesa também abriu seleção para outros profissionais de nível superior como arquiteto, assistente social, biólogo, contador, enfermeiro, engenheiro civil, engenheiro eletricista, fisioterapeuta, farmacêutico, nutricionista, entre outros. Os salários para esses profissionais variam entre R$ 2.221,80 e R$ 4.443,60. Para os cargos de nível médio e técnico, as vagas para são assistente administrativo, auxiliar administrativo, auxiliar de enfermagem, auxiliar de serviços gerais, motorista, técnico de enfermagem, entre outros. Os salários vão de R$ 1.109,18 a R$ 2.282,28. Inscrições As inscrições serão feitas por meio eletrônico no site www.selecao.es.gov.br. Os interessados podem se inscrever a partir das 10h desta terça-feira (5) até as 16h59 do dia 12 de novembro. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo Veja Mais

Prazo dado por manifestantes para renúncia de Morales termina nesta segunda

O Tempo - Mundo Protestos na Bolívia estão no 14º dia e somam duas mortes Veja Mais