Meu Feed

Últimos dias

Evento vai levar fãs dos Beatles ao passado para ouvir “Sgt. Pepper’s”

Evento vai levar fãs dos Beatles ao passado para ouvir “Sgt. Pepper’s”

R7 - Música The Beatles Sgt Peppers Tenho Mais Discos Que Amigos Os fãs dos Beatles que estiverem por Liverpool neste fim de ano poderão ter uma baita experiência envolvendo a banda. Um evento promovido por lá vai tocar o disco Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band, de 1967, de uma maneira completamente imersiva. O álbum será reproduzido em Dolby Atmos, com caixas de som ao redor do local. A ideia é 'transportar' os fãs para as sessões do Abbey Road Studios. Giles Martin, filho do lendário produtor George Martin e que também trabalha na área, falou sobre a oportunidade: Sem Liverpool, não haveria 'Sgt Pepper'. Liverpool é onde ele deveria estar. As pessoas ficarão totalmente imersas em uma paisagem sonora, diferente de qualquer outra. Para mim, é como imaginar cair em um disco de vinil e entrar neste mundo em que você está cercado pelos Beatles. É como se sentar no estúdio 2 da Abbey Road e ter os Beatles tocando para você. O evento promete uma sonoridade até melhor do que a do disco de vinil original de 1967. As sessões acontecem entre 19 de dezembro e 9 de janeiro, e os ingressos são gratuitos -- saiba mais por aqui. LEIA TAMBÉM: Paul McCartney canta Beatles e dança Beyoncé em festa da firma da esposa; veja Veja Mais

Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua

Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua

canaltech Um experimento que levou mais de um ano para ser concluído no lado afastado da Lua finalmente está em funcionamento. Não está ainda 100%, mas o Netherlands-China Low-Frequency Explorer (NCLE, ou "explorador de baixa frequência dos Países Baixos-China”) já consegue captar sinais de rádio sem a interferência da ionosfera terrestre. A missão chinesa Chang’e 4 abriu as três antenas do NCLE, um observatório que pode ajudar a captar sinais dos primórdios do universo, buscando emissões de hidrogênio do período conhecido como Idade das Trevas do Universo, quando nem mesmo as primeiras estrelas haviam se formado ainda. Mas uma pequena falha na abertura de uma das antenas vai atrasar um pouco essa pesquisa. Abertura de uma das antenas do NCLE (Marc Klein Wolt / Radboud University) O NCLE orbita a Lua há cerca de 18 meses, aguardando para dar início à segunda fase da missão. Com a Chang’e 4 por perto, os chineses aproveitaram para iniciar o processo de captura dos dados, abrindo as antenas. Uma delas, no entanto, não se abriu por inteiro, mas o radiotelescópio consegue detectar emissões de hidrogênio de cerca de 800 milhões de anos após o Big Bang - próximo do que pretendiam com 100% de funcionamento. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- “Nossa contribuição para a missão chinesa Chang’e 4 aumentou tremendamente”, disse Marc Klein Wolt, líder da equipe holandesa. “Temos a oportunidade de fazer nossas observações durante as noites de 14 dias atrás da Lua, tempo bem maior do que a ideia original. A Lua agora é nossa”, celebrou. A esperança dos pesquisadores é que o experimento os ajude a desvendar um pouco mais os mistérios da formação do universo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

Nomes descartados, sondagens... PVC diz o que o Palmeiras busca para 2020

Nomes descartados, sondagens... PVC diz o que o Palmeiras busca para 2020

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #FOXSports #Palmeiras #Brasileirão Veja Mais

Google Fotos agora tem chat por onde você envia arquivos e ainda bate um papo

Google Fotos agora tem chat por onde você envia arquivos e ainda bate um papo

canaltech O Google Fotos vem se tornando uma ferramenta cada vez mais sofisticada para o armazenamento de mídias, com o uso de algoritmos e aprendizado de máquina para seleção e agrupamento de conteúdo. Mas uma coisa que ainda incomoda muitos usuários é a ausência de uma maneira mais fácil e prática de compartilhar mensagens e receber as respostas de quem as recebeu. Bem, isso deve ser resolvido a partir desta terça-feira (3), segundo a própria companhia. O Google anunciou um novo modo de chat integrado que permite a você enviar até 20 mil fotos por conversa, na mesma qualidade que ela chegou à sua conta, para uma pessoa ou grupos privados. Ou seja, em vez de gerar um álbum ou link para cada compartilhamento, será possível fazer isso na mesma caixa de diálogos do primeiro envio. Além disso, as pessoas não precisarão mais recorrer a mensageiros para comentar esse material. Para usar a novidade é simples: basta escolher o que pretende encaminhar e selecionar o perfil (ou perfis) para quem deseja mandar e pronto, o destinatário poderá reagir ou falar sobre as fotos e vídeos enviados em uma caixa de diálogos própria. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- (GIF: Divulgação/Google) A limitação fica por conta do uso de contas Google, o que pode ser um empecilho para quem usa dispositivos antigos, que exigem Google+ para ter o Google Fotos, sendo que o software não é mais compatível com vários aparelhos mais velhos. Esse novo recurso começa a ser distribuído nesta semana, e aos poucos deve chegar para todo mundo, nas versões web, Android e iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

Motorola voltará a lançar smartphones premium em 2020 com Snapdragon 865

Motorola voltará a lançar smartphones premium em 2020 com Snapdragon 865

canaltech A Motorola não lança um smartphone para competir na seara premium há dois anos, quando trouxe o Moto Z2 Force com especificações à altura dos concorrentes daquela temporada. Quando estreou o Moto Z3, o chipset Snapdragon 835 já estava um ano atrasado em relação aos demais do mesmo nicho. Mas isso deve mudar em 2020, quando a companhia voltará a lançar smartphones premium — desta vez, contando com as novidades fresquinhas anunciadas pela Qualcomm nesta terça-feira (3). A estratégia da Lenovo nos últimos anos tem sido atacar o mercado intermediário. O próprio Moto Z4, embora traga configurações acima da média em relação aos outros produtos da companhia em 2019, usa o processador Snapdragon 675, enquanto os carros-chefe das rivais trazem o poderoso Snapdragon 855 ou outros de faixa semelhante de desempenho. Mas a chegada do dobrável Motorola Razr 2019 parece trazer uma nova era para a fabricante, a partir de 2020. Durante o Snapdragon Summit, evento da Qualcomm que acontece no Havaí, a Motorola adiantou que deve usar o novo chipset Snapdragon 865 em seus próximos aparelhos, com direito a opção com 5G. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Motorola says the new #MotorolaRAZR is the start of a return to premium. "Thanks to the new technologies announced today, we'll have new premium products to announce in early 2020".Also, expect to see new 5G devices on mMwave and Sub6 globally early 2020. #snapdragonsummit pic.twitter.com/97fBRqLxGl — Nirave 尼拉夫 (@nirave) December 3, 2019 Ainda não dá para saber ao certo se esse retorno ao mercado premium será com algum dispositivo da linha Z, mas, para os fãs da Motorola, pode ser um indício que vem aí uma boa alternativa para esse setor em suas prateleiras, que enfrentam um longo inverno sem um smartphone à altura dos premium das rivais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

Alex Santana comenta mudanças nas regras de radiodifusão

Alex Santana comenta mudanças nas regras de radiodifusão

Câmana dos Deputados O modelo de concessões e renovações de radiodifusão pode ser alterado. Parlamentares querem reduzir a burocracia e aumentar a transparência do processo. Quem fala sobre o assunto nesta edição é o deputado Alex Santana (PDT-BA). Apresentação - Regina Assumpção Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Audiência debate legalização de mais jogos no Brasil - 03/12/19

Audiência debate legalização de mais jogos no Brasil - 03/12/19

Câmana dos Deputados A Comissão de Legislação Participativa fez audiência pública com favoráveis e contrários à regulamentação dos jogos de apostas que hoje são ilegais no Brasil. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Amazon Web Services anuncia plataforma que usa IA para detecção de fraudes

Amazon Web Services anuncia plataforma que usa IA para detecção de fraudes

canaltech A Amazon Web Services (AWS) - divisão anunciou nesta terça-feira (03) o lançamento do Amazon Fraud Detector, uma plataforma que usará a tecnologia de machine learning para detecção de fraudes em sistemas online de uma série de setores, como Financeiro, Varejo, entre muitos outros. O sistema foi anunciado durante o Re:Invent, evento de cloud computing da empresa, que acontece nessa semana em Las Vegas e que o Canaltech acompanha ao vivo. Ele é totalmente gerenciado para detectar possíveis identidades online e fraudes em pagamentos em tempo real, com base na mesma tecnologia usada pelo e-commerce Amazon - e sem a necessidade de experiência em aprendizado de máquina. De acordo com a AWS, o Fraud Detector usa dados históricos de transações fraudulentas e legítimas para criar, treinar e implantar modelos de aprendizado de máquina que fornecem previsões de risco de fraude de baixa latência, em tempo real. Em conversa com o Canaltech*, Joel Minnick, head de marketing de produtos de Inteligência Artificial da AWS, explicou que a plataforma pode ser usada nos mais variados ramos de negócios, desde que online. "No setor financeiro, o Fraude Detector consegue detectar, por exemplo, fraudes até mesmo na abertura de contas de bancos digitais, onde o usuário pode fazer tudo pelo aplicativo", afirmou o executivo. "O modelo passa por um treinamento constante e consegue se adaptar na identificação de fraudes em cada país, já que os golpes podem variar de local para local". -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Como funciona Milnick afirmou que, no começo, os clientes carregam dados da transação no Amazon Simple Storage Service (S3) para personalizar o treinamento do modelo. As empresas precisam apenas fornecer o endereço de email e o endereço IP associados a uma transação e, opcionalmente, podem adicionar outros dados (por exemplo, endereço de cobrança ou número de telefone). Com base no tipo de fraude que as empresas desejam prever (abertura de uma nova conta em um banco ou fraude em pagamentos online), Fraud Detector também usa detectores de dados baseados em aprendizado de máquina que foram treinados no banco de dados da própria Amazon. Esses detectores ajudam a identificar padrões comumente associados a atividades fraudulentas no e-commerce da empresa (por exemplo, nomeação automática de e-mails) e, segundo a empresa, ajudam a aumentar a precisão do modelo treinado, mesmo que o número de exemplos fraudulentos fornecidos pelo cliente que passou a adotar a plataforma seja baixo. O Amazon Fraud Detector treina e implanta um modelo em um ponto final da API e que pode ser totalmente gerenciado. Os clientes podem ainda enviar novas atividades (por exemplo, inscrições ou novas compras) para esta API e receber um relatório de fraude, que inclui uma pontuação de risco. Com base neste relatório, o aplicativo pode determinar as ações a serem tomadas -por exemplo, aceitar uma compra ou passar a avaliação a um atendente humano para revisão). "Dezenas de bilhões de dólares são perdidos em fraudes todos os anos por organizações em todo o mundo. Hoje, muitos clientes da AWS investem em sistemas grandes e caros de gerenciamento de fraudes que são, geralmente, baseados em regras codificadas à mão que consomem tempo, são caras para personalizar e difíceis de manter atualizadas à medida que os padrões de fraude mudam", afirmou Andy Jassy, CEO da AWS. "Tudo isso resulta em sistemas com precisão menor que a desejada. Isso leva as organizações a rejeitar bons clientes como fraudadores, conduzir revisões de custos mais caras e perder oportunidades de reduzir as taxas de fraude. Entendemos que se trata de um jogo constante de gato e rato e queremos usar nossa expertise de 20 anos nesse campo para dimuinuir as ocorrências", completa. Quais golpes o sistema consegue prever Minnick afirma que o sistema já está em testes junto a um número limitado de empresas, como Charles Schwab e a John Hancock Financial, ambas do setor financeiro, a Vacasa, especializada na administração de aluguel de casas para temporadas de férias. Entre os golpes que a plataforma consegue prever, estão: Abertura de nova contas A AWS afirma que o Fraud Detector consegue distinguir com precisão entre registros de contas de clientes legítimos e de alto risco, para que as empresas possam introduzir seletivamente etapas ou verificações adicionais com base no risco. Por exemplo, é possível configurar o fluxo de trabalho de registro da conta do cliente para exigir etapas adicionais de verificação de e-mail e telefone apenas para registros da conta e que a plataforma considera de alto risco. Check-out do usuário O Fraud Detector também consegue identificar possíveis fraudadores, mesmo entre clientes sem histórico de transações. Isso porque os clientes que realizam transações regularmente geralmente usam uma conta registrada. Como resultado, há um histórico de operações que facilita a identificação de possíveis fraudes. Por outro lado, o checkout de convidados não possui dados históricos de uso da conta ou de comportamento do usuário, o que dificulta muito a detecção de fraudes. A AWS afirma que com o Amazon Fraud Detector, as empresas podem enviar apenas um endereço de e-mail e IP de um pedido de check-out de convidado para avaliar seu potencial risco de fraude, para decidir se aceita, revisa ou coleta mais detalhes do cliente. Abuso de serviço "Experimente antes de comprar" O Fraud Detector consegue identificar contas com maior probabilidade de abusar dos programas 'Experimente antes de comprar', muito presente em sites de moda, que enviam roupas e acessórios para o cliente experimentar antes de enviar o pagamento. Com o uso da plataforma, as empresas online podem avaliar o risco de os clientes violarem os termos do serviço e definir limites no valor dos bens ou serviços que serão enviados, para que os mesmos não sejam roubados ou devolvidos em uma condição que viole os termos do serviço. Pagamento online (em breve) Os desenvolvedores do Fraud Detector afirma que a plataforma consegue reduzir a fraude de pagamento online, sinalizando transações suspeitas deste tipo de operação antes de processar pagamentos e fechar os pedidos. A plataforma permite configurar o fluxo de checkout para avaliar novos pedidos e sinalizar pedidos suspeitos para revisão, antes do processamento de pagamentos para reduzir estornos de cartão de crédito. Para conhecer mais sobre a plataforma, visite seu site oficial. *O jornalista Rui Maciel viajou ao Re: Invent, em Las Vegas, à convite da Amazon Web Services. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Sundar Pichai agora é CEO da Alphabet substituindo Larry Page e Sergey Brin Veja Mais

Há exatos 71 anos nascia Ozzy Osbourne, o lendário Príncipe das Trevas

Há exatos 71 anos nascia Ozzy Osbourne, o lendário Príncipe das Trevas

R7 - Música Ozzy Osbourne Tenho Mais Discos Que Amigos Foto via Shutterstock O dia era 3 de dezembro de 1948, a cidade era Birmingham, na Inglaterra. Há exatos 71 anos, o mundo recebia um dos maiores músicos da história, John Michael Osbourne -- que nós conhecemos como Ozzy Osbourne. Também chamado de Príncipe das Trevas e um dos pais do heavy metal ao lado de seus companheiros de Black Sabbath, Ozzy é uma das figuras mais conhecidas da história da música mundial. O Sabbath surgiu em sua vida em 1968, com Tony Iommi, Bill Ward e Geezer Butler. Foi ao lado dos três colegas que Osbourne mudou o rumo do Rock no mundo inteiro, dando início ao que conhecemos hoje como o heavy metal. Enquanto a origem do gênero ainda é amplamente discutida, não há dúvidas que a banda foi a grande precursora do estilo, o levando ao mainstream por definitivo. Em 1979, porém, Ozzy via o primeiro fim de sua história com a banda -- por conta de seus problemas com álcool e drogas, o vocalista foi demitido da formação. Durante os anos em que ficou afastado do grupo, músicos como o saudoso Ronnie James Dio, Dave Walker, Ian Gillan, Glenn Hughes e mais tomaram o posto. Hoje o Black Sabbath está mais uma vez separado depois de uma temporada de shows entre 2011 e 2017, mas isso não quer dizer que Ozzy esteja parado. Carreira solo https://www.instagram.com/p/B5nvY27Hbbp/ Bem, agora, neste exato momento, Osbourne está meio parado sim. Mas isso porque o Príncipe das Trevas sofreu um grave acidente doméstico no fim de 2018, que o obrigou a cancelar turnês e passar por uma cirurgia. O cantor está voltando ao ritmo aos poucos, e inclusive volta aos palcos em 2020 com sua terceira (!) turnê de despedida da carreira solo. Pois é, além de fazer história com o Sabbath, a carreira solo de Ozzy Osbourne também não fica atrás. Ele é dono de hits como 'Crazy Train', 'Mr. Crowley', 'No More Tears', 'Mama, I'm Coming Home' e muito mais -- e vem disco novo por aí. Um dos momentos mais marcantes e tristes da carreira de Ozzy foi a morte precoce do guitarrista Randy Rhoads. O músico tinha apenas 25 anos quando morreu em um acidente de avião -- saiba mais por aqui --, e era também amigo pessoal de Osbourne. O cantor faz questão de citar o guitarrista até hoje, sempre afirmando que sente muito a sua falta. Outro momento um tanto mais leve, mas também bem perigoso, foi o infame episódio do morcego. Durante um show solo em Des Moines, em 1982, um fã jogou um morcego vivo no palco de Ozzy. Achando se tratar de um boneco -- não, ele não tinha um gosto peculiar por animais --, o cara deu uma mordida cheia na cabeça do bichinho. Em entrevistas posteriores ao acontecimento, ele ainda disse que não achou nada engraçada a situação, e se desesperou quando sentiu o gosto de sangue na boca. O episódio levou Ozzy Osbourne ao hospital, inclusive. Vida pessoal As polêmicas do artista não ficam muito atrás de seus feitos na música. Em 1971, Ozzy se casou com Thelma Riley, com quem teve três filhos -- um deles adotado. Pois é, pouca gente sabe do primeiro casamento do músico e de seus primeiros herdeiros, e até ele se esqueceu -- no documentário God Bless Ozzy Osbourne, o próprio admite não saber quando eles nasceram. Os filhos, por outro lado, afirmam que ele nunca foi um bom pai. Complicado... Sharon Osbourne, sua atual esposa e empresária, surgiu em sua vida em 1982. Ele também tem três filhos com ela, dois dos quais conhecemos bem -- Jack e Kelly Osbourne. Isso porque, entre 2002 e 2005, Ozzy e Sharon abriram sua casa para que a MTV gravasse o reality show The Osbournes. Aimee Osbourne, filha mais velha do casal, decidiu não fazer parte da empreitada. Feliz aniversário, Ozzy Osbourne! E aí, qual é o seu momento favorito do músico? Veja Mais

Sundar Pichai agora é CEO da Alphabet substituindo Larry Page e Sergey Brin

Sundar Pichai agora é CEO da Alphabet substituindo Larry Page e Sergey Brin

canaltech Os co-fundadores do Google, Larry Page e Sergey Brin, anunciaram nesta terça-feira (3) que Sundar Pichai agora tem o cargo de CEO da Alphabet, empresa pertencente à gigante da tecnologia. Agora, Sundar Pichai é CEO não só da Alphabet como do Google, enquanto os dois co-fundadores atuarão somente como membros do conselho. Com a renúncia, a dupla estarão mais no controle na empresa que criaram hámais de 20 anos, enquanto estudavam na Universidade de Stanford. Em carta oficial publicada no blog do Google, Page e Brin disseram que a Alphabet, agora, é uma empresa muito bem estabelecida, e que é o momento de simplificar a estrutura de gerenciamento, e que sempre pensaram que há uma maneira melhor de administrar uma empresa. Imagem: Reprodução "O Google e Alphabet não precisam mais de dois CEOs e um presidente. Seguindo em frente, Sundar será o CEO de ambas. Ele será o executivo responsável por liderar o Google e gerenciar o investimento da Alphabet no portfólio de Other Bets", disseram os executivos. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- A carta oficial ainda elogia o trabalho de Sundar, dizendo que o CEO leva "humildade e uma paixão profunda por tecnologia" aos parceiros e funcionários todos os dias, e que foram 15 anos de trabalho em conjunto para a formação da Alphabet. "Ele compartilha a nossa confiança no valor da estrutura da Alphabet e a habilidade que isso nos traz para encarar grandes desafios através da tecnologia. Não há ninguém em quem confiamos mais desde que a Alphabet foi fundada, e não há pessoa melhor para liderar o Google e a Alphabet no futuro", diz a carta. Por fim, Page e Brin que estão orgulhosos de ver as conquistas de um pequeno projeto, e que não imaginavam, ainda em 1998, no que resultaria essa jornada. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Veja Mais

Vídeos do Vivo X30 mostram modo retrato, autofoco e zoom de 60 vezes

Vídeos do Vivo X30 mostram modo retrato, autofoco e zoom de 60 vezes

Tecmundo A fabricante chinesa Vivo — que, vale sempre relembrar, nada tem a ver com a operadora brasileira — divulgou mais três "teasers" em forma de vídeo sobre o seu próximo smartphone top de linha, o Vivo X30.Os clipes de 15 segundos cada mostram recursos da câmera do dispositivo em comparação com situações da vida real. Eles foram publicados pela conta oficial da empresa na rede social chinesa Weibo.Leia mais... Veja Mais

YouTube revela que Google removeu mais de 300 anúncios da campanha de Trump

YouTube revela que Google removeu mais de 300 anúncios da campanha de Trump

canaltech No último domingo, a CEO do YouTube, Susan Wojcicki, confirmou que mais de 300 anúncios da campanha de Donald Trump foram banidos da plataforma e do Google apenas neste ano. O depoimento aconteceu durante entrevista de Wojcicki à CBS, sem dar detalhes sobre o motivo por isso ter acontecido. A executiva disse apenas que mais informações sobre as políticas de anúncios podem ser encontradas no site de transparência da companhia. No entanto, são poucas as informações fornecidas pelo Google em relação ao tema. O que se sabe é que, por exemplo, os anúncios que foram derrubados não podem ser visualizados na ferramenta de transparência da empresa, dizendo que o motivo é por "limitações técnicas". Fica disponível apenas a informação de que um anúncio foi bloqueado, não o seu conteúdo. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Reprodução: Karim Elganainy Os anúncios bloqueados também não acompanham explicação do motivo, apenas um informativo de que violaram as políticas de publicidade da empresa, com um link que direciona o usuário a uma página com regras. Nem mesmo qual das políticas o anúncio violou foi informado. No mês passado, o Google disse que não ia mais permitir anúncios políticos direcionados a uma afiliação ideológica ou com informações vindas de arquivos públicos dos eleitores. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Veja Mais

Twitter anuncia “Centro de Privacidade” e promete mais transparência de dados

Twitter anuncia “Centro de Privacidade” e promete mais transparência de dados

canaltech O Twitter anunciou, por meio de um post publicado hoje (3), em seu blog oficial, a criação da área de “Centro de Privacidade” (uma tradução literal do original: Privacy Center), que consiste de alguns funcionários da empresa exclusivamente focados em trazer maior transparência entre a rede social e seus usuários. O papel da área será o de informar quais são as práticas adotadas pelo Twitter na proteção de dados e informações que os internautas compartilham em seu uso da plataforma. “Nós acreditamos que as empresas deveriam ser responsabilizadas pelas pessoas que confiam nelas com suas informações pessoais, e responsáveis não apenas em proteger essas informações, mas explicar como elas o fazem”, disse o Twitter. “[O Centro de Privacidade] É o ponto central que hospeda tudo relacionado ao nosso trabalho em relação à proteção da privacidade e de dados: iniciativas relacionadas, anúncios, novos produtos de privacidade e comunicação voltada a incidentes de segurança. Assim, será mais fácil encontrar e aprender mais sobre o que fazemos para manter seus dados seguros, incluindo que tipo de informação coletamos, como a usamos e os controles que você tem”, continuou. O Twitter anunciou a criação de uma nova área, dedicada à transparência da empresa em relatar o uso dos dados que ela obtém de seus usuários  O anúncio do Twitter também explica que a empresa promoverá o treinamento do gerenciamento de dados dos usuários a todos os seus funcionários, além de ter rodado enquetes para saber quais tipos de controles os usuários mais desejam. As respostas variam de país para país, então podemos esperar algo mais especificamente desenhado para o público brasileiro. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Tal qual o Facebook, o Twitter sempre teve contendas com a privacidade das informações de usuário, embora seus casos sempre sejam consideravelmente menores em escopo do que aqueles encarados pela empresa fundada por Mark Zuckerberg. O problema mais recente a ser enfrentado pela rede chefiada por Jack Dorsey refere-se à coleta de informações privadas conduzida pelo kit de desenvolvimento de duas empresas de criação de aplicativos. O Twitter barrou o acesso delas à plataforma a fim de coibir qualquer vazamento. O Twitter parece querer melhorar a sua imagem pública, bastante atacada em 2018 e 2019 por ser permissiva demais em falhas de privacidade e propagação de discursos de ódio. Em abril deste ano, a empresa também anunciou uma série de políticas de gestão de combate ao fomento de postagens perigosas ou de conteúdo abusivo. Mais recentemente, uma mudança de recurso na plataforma passou a permitir que usuários escondessem certas respostas nos chamados "fios" de conversa, quando um post obtém várias respostas. Tais ocasiões comumente geram debates acalorados e, com isso, algumas pessoas podem exagerar nas reações: com a nova função, o ator original da conversa tem a capacidade de administrar potenciais discursos de ódio ao simplesmente sumir com a resposta que ele considerar abusiva. As mudanças nas práticas de privacidade do Twitter terão efeito a partir de 1º de janeiro de 2020. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Veja Mais

Hapvida compra cooperativa medical por cerca de R$294 milhões

R7 - Economia SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de planos de saúde Hapvida afirmou nesta terça-feira que assinou uma proposta vinculante para comprar a Medical Medicina Cooperativa Assistencial de Limeira, no interior paulista, por cerca de 294 milhões de reais.Em fato relevante, a Hapvida afirmou que a Medical tem cerca de 80 mil beneficiários e que o valor da transação pode mudar por ajuste de preço decorrente de possível variação da diferença entre ativos e passivos da empresa comprada.None (Por Aluísio Alves) Veja Mais

Anitta e outros nomes do funk falam de mortes em Paraisópolis e relatam experiência em bailes

G1 Pop & Arte 'Poderia ter sido eu', disse Anitta; Kondzilla postou que trabalha para 'mudar olhar de preconceito' sobre bailes. Nove pessoas morreram após ação da PM em festa no domingo. Moradores fazem protesto em Paraisópolis após morte de nove pessoas em ação da PM Reprodução/TV Globo Alguns dos nomes mais conhecidos da música no Brasil repercutiram, nos últimos dias, as mortes no Baile da 17, festa de funk em Paraisópolis, comunidade de São Paulo. Na madrugada de domingo (1º), nove pessoas morreram pisoteadas e outras 12 ficaram feridas após uma ação da Polícia Militar no evento, famoso entre artistas e outros profissionais do funk na capital. Anitta canta no palco Mundo no Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 "Se fosse há uns anos, poderia ter sido eu, minha mãe e meu irmão. Uma das coisas que a gente mais fazia quando eu estava começando era cantar em baile de favela", lembrou Anitta. A cantora, hoje com repertório mais pop, iniciou a carreira cantando funk em festas de rua no Rio. No vídeo publicado no Instagram, ela acrescentou: "Se o funk incomoda tanto, se o baile incomoda tanto, vai na raiz do problema, que não é matar as pessoas. É dar educação de qualidade." Kondzilla, principal produtor de funk em São Paulo, lamentou as mortes e disse que um dos objetivos de seu trabalho é "mudar o olhar de preconceito" sobre os bailes. "Precisamos unir todas as frentes para iniciarmos um novo momento da história do funk, da juventude e das favelas de São Paulo." Initial plugin text Um dos principais representantes do movimento do funk 150 bpm no Rio, o DJ FP do Trem Bala também falou sobre o episódio. "Poderia ter sido eu, que trabalho com isso e frequento baile de favela. Poderia ter sido meus amigos, que também frequentam", disse. Initial plugin text "Nove jovens inocentes mortos. Por quê? Porque estavam lá pra dançar, pra curtir? É proibido agora fazer isso? Que preconceito é esse? Que racismo é esse?", questionou. E completou: "Nem todo o mundo tem condições de ir pra boate cara. O baile de favela é nosso lazer. Se não fosse ele, eu não seria DJ." O caso ainda gerou comentários entre nomes do rap. "Não aguento mais ficar aqui. A morte desses jovens já acabou com a minha semana", postou Marcelo D2. Initial plugin text "Doloroso demais ver as matérias sobre o ocorrido lá em Paraisópolis. Vidas tão jovens perdidas. E a humanidade que nos resta vai sendo arrancada pouco a pouco. Não tem coincidência aí, não tem acaso. Tem descaso e maldade, que atravessa gerações, sangrando a quebrada", disse Rashid. Initial plugin text O que é o Baile da 17? A festa, que na madrugada de domingo acontecia na rua Ernest Renan, em Paraisópolis, é também conhecida pela sigla Dz7. Ela existe desde o começo dos anos 2000. Segundo moradores ouvidos pela BBC News Brasil, o número 17 é uma referência a um bar de drinks que existia na favela. O evento teria surgido como um pagode em frente a esse boteco, mas, nos intervalos, os frequentadores ouviam funk em carros estacionados na rua. Vídeo mostra chegada da PM em Paraisópolis O baile cresceu e invadiu as madrugadas. Carros com aparelhos de som potentes tocam funk para até 30 mil pessoas espalhadas por vielas que, hoje, são mais comerciais do que residenciais. A festa costuma ocorrer nas noites de sexta e sábado. Mas podem começar na noite de quinta-feira e se estender até domingo. No dia da confusão, cerca de 5 mil pessoas participavam do baile. A Corregedoria da Polícia Militar de São Paulo instaurou um inquérito para avaliar a conduta dos policiais no evento, incluindo os abusos registrados em vídeos, que circulam nas redes sociais. Seis PMs foram afastados das ruas e já prestaram depoimento. A Policia Civil também investiga o caso. Veja Mais

Fãs encontram erro em episódio de “The Mandalorian”, spin-off de Star Wars

Fãs encontram erro em episódio de “The Mandalorian”, spin-off de Star Wars

R7 - Música The Mandalorian Star Wars Tenho Mais Discos Que Amigos Reprodução/Disney A galera que está assistindo a The Mandalorian, série do universo Star Wars disponível no Disney+, está mais do que atenta. O quarto episódio do seriado foi ao ar na plataforma na última sexta-feira (29), e contou com um errinho quase imperceptível. Internautas notaram que um microfone acabou vazando em uma cena com o ator Pedro Pascal (Mandalorian) e Julia Jones (Omera). Como é possível ver no vídeo abaixo, um homem até mostra o aparelho se movimentando e, logo em seguida, saindo de cena. Outros espectadores também perceberam a gafe e publicaram nas redes sociais. Será que, assim como o caso do copo do Starbucks em Game of Thrones, a Disney também vai editar o microfone 'fora' do episódio? The Mandalorian https://www.youtube.com/watch?v=OifeBT4FFbE LEIA TAMBÉM: Baby Yoda vira emo e fã de Fresno nesta montagem hilária; assista Veja Mais

Santander dá carência de seis meses para crédito imobiliário fechado até 31 de dezembro

R7 - Economia O Santander (SANB11) prorrogou as condições especiais do Crédito Imobiliário, lançadas durante a Black Week, para até 31 de dezembro, informou o banco em um comunicado enviado à imprensa nesta terça-feira (3). A oferta no crédito para aquisição de imóveis vale apenas para as novas operações de residências novas ou usadas. Os interessados precisam ser clientes […] Veja Mais

App Dark Mode permite modo escuro em aparelhos com Android antigo

App Dark Mode permite modo escuro em aparelhos com Android antigo

Tecmundo O problema dos novos recursos é que eles, muitas vezes, só funcionam em versões mais novas dos sistemas operacionais. O modo escuro para Android, por exemplo, já foi disponibilizado pela Google para o Android 10 – mas quem tem um celular antiguinho, por exemplo, não vai poder usá-lo. Aí que entra o aplicativo Dark Mode.Ele serve para quase todas as versões Android (a partir do 4.1 Jelly Bean, lançado em 2013, em diante). Na interface, é possível escolher entre os modos diurno, noturno e automático.Leia mais... Veja Mais

Câmara é Notícia 21h | 03/12/2019 | Congresso mantem veto à propaganda partidária em Rádio e TV

Câmara é Notícia 21h | 03/12/2019 | Congresso mantem veto à propaganda partidária em Rádio e TV

Câmana dos Deputados Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Toro promove uma única mudança em carteira de fundos imobiliários de dezembro

R7 - Economia A Toro Investimentos publicou sua carteira recomendada de FIIs (Fundos de Investimento Imobiliários) para dezembro, com o intuito de promover diversificação ao investidor. A modalidade de investimento busca exposição ao setor imobiliário sem contraparte de compra real de imóveis, sendo mais acessível a maior parte da população. Em relação ao portfólio de novembro, há a […] Veja Mais

Conheça os artistas mais populares de 2019 e da década no Spotify

Conheça os artistas mais populares de 2019 e da década no Spotify

Tecmundo O Spotify divulgou, nesta terça-feira (3), o ranking dos artistas mais ouvidos de 2019 na plataforma de streaming, em todo o mundo, além das músicas mais tocadas nos últimos 12 meses. O rapper Post Malone e a canção “Señorita”, de Shawn Mendes e Camila Cabello, venceram nessas duas categorias, respectivamente.A lista traz também dados curiosos sobre os hábitos musicais dos usuários da plataforma ao longo da década, revelando os artistas, discos e canções campeões de audiência no serviço entre os anos de 2010 e 2019.Leia mais... Veja Mais

STJ deve julgar federalização do caso Marielle só em 2020

O Tempo - Política O caso, que corre sob sigilo, está com a ministra Laurita Vaz Veja Mais

Necton alterna tipos de fundos imobiliários em carteira recomendada de dezembro

R7 - Economia “O setor imobiliário começa a ganhar maior tração”. É com esta avaliação que Glauco Legat, analista-chefe de FIIs (Fundos de Investimento Imobiliários) da Necton, resume a expectativa otimista em torno do segmento de imóveis pela junção entre juro baixo e retomada do crescimento econômico. “O cenário de recuperação do mercado imobiliário já se mostra mais […] Veja Mais

Provocou! Nubank usa urso de pelúcia para zombar de concorrentes

Provocou! Nubank usa urso de pelúcia para zombar de concorrentes

Tecmundo O Nubank usou seu perfil oficial no Twitter, nessa última segunda-feira (2), para provocar os grandes bancos que cobram taxas para a realização de Transferência Eletrônica Disponível (TED), lançando uma campanha debochada que ao mesmo tempo promove a sua conta digital.Em uma postagem bem-humorada, a fintech afirmou que iria começar a cobrar por TED a partir de terça-feira (3), deixando alguns clientes surpresos, pois o banco digital é conhecido por não exigir taxas para a realização desse tipo de serviço online. Logo em seguida, porém, veio a explicação: a empresa não estava se referindo à transferência de dinheiro entre contas bancárias.Leia mais... Veja Mais

Câmara discute políticas para pessoas com deficiência - 03/12/19

Câmara discute políticas para pessoas com deficiência - 03/12/19

Câmana dos Deputados No dia das pessoas com deficiência, a comissão que defende o direito dessas pessoas ouviu representantes da sociedade civil e especialistas, tanto sobre a lei de cotas quanto sobre um novo índice que está sendo sugerido pelo ministério da Economia para definir pessoa com deficiência. Esse novo protocolo, chamado probad, reduziria o número de deficientes que teria direito a benefícios, como o BPC de um salário mínimo. Em 3 de dezembro, portanto ontem, dia das pessoas com deficiência, o Palácio do Planalto retirou a urgência do projeto que flexibiliza a aplicação das cotas nas empresas. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Após máximas, preço do boi recua 5% em dezembro com pressão de consumidores

R7 - Economia Por Roberto Samora e Gabriel AraujoSÃO PAULO (Reuters) - O preço da arroba do boi gordo recuou 5,14% em dezembro, com duas baixas seguidas após máximas históricas no Brasil, com as cotações sendo pressionadas por consumidores que estão buscando opções de carne mais barata, informou nesta terça-feira o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).Nesta terça-feira, a cotação no mercado físico paulista apresentou recuo de 3,67%, a 219,45 reais a arroba, segundo indicador Esalq/B3, apurado pelo Cepea.Na segunda-feira, o preço da arroba caiu 1,53%, após máxima histórica de 231,35 reais no último dia útil de novembro, acumulando alta de 35,5% no mês passado."Quando tem alta muito brusca do preço, no boi gordo e na carne, tem que olhar a outra ponta, principalmente o mercado consumidor interno. Ele se assustou, é natural, e tem proteínas mais baratas, então realmente tem um efeito da demanda e da renda também", explicou o analista do Cepea Thiago de Carvalho.Ele citou que os consumidores receberam a primeira parcela do décimo terceiro, que a economia está melhorando, mas como o preço subiu muito, isso segurou o consumo."O preço alto do boi reduz margem para o frigorífico e para o varejo. A carne da classe A e B continua com margem, mas a classe C e D quer preço, e essa alta assusta. Tem dono de lanchonete que cogita tirar o coxão mole do cardápio", completou.Para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o mercado de boi gordo já apresenta sinais de redução após máximas históricas recentes e deve se normalizar em breve para o consumidor."Quero tranquilizar todos vocês. Tivemos uma conjuntura momentânea de seca, falta de pasto e abertura de mercados, mas agora o preço da carne deve se estabilizar", disse Tereza, em reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina, segundo nota do ministério.No mercado futuro, o contrato para março fechou a 194,40 reais a arroba na B3, após máxima de 215 reais em 21 de novembro. O primeiro contrato, o dezembro fechou a 208 reais, após pico de 232,05 reais, em 26 de novembro.O recente recuo no preço ocorre após uma queda de quase 9% nas exportações de carne bovina in natura em novembro, para 155,60 mil toneladas, na comparação com o recorde histórico de outubro. Apesar do recuo, novembro ainda foi o segundo melhor mês da história na exportação, disse o analista do Cepea.Para a ministra, o setor passa por um momento de transição, mas não há risco de falta de proteína animal no país.No acumulado de 2019 até novembro, o Brasil teve exportações de quase 1,7 milhão de toneladas, alta de 13% ante mesmo período do ano passado, de acordo com dados do governo citados pela Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo)."Posso garantir a vocês não haverá falta de proteína... Vamos aguardar esse momento. Podem ter certeza que vamos continuar a ter o melhor produto nas nossas mesas... e ainda podemos mandar para o resto do mundo", disse Tereza, adicionando que o setor possui oportunidades para ampliar seus negócios.Segundo estimativas do Rabobank, em 2020 a produção de carne bovina do Brasil deve avançar para 10,45 milhões de toneladas em 2020, ante 10,1 milhões de toneladas em 2019, enquanto as exportações da proteína tendem a crescer em 10,6%, para 2,39 milhões de toneladas. Veja Mais

Apple Express Transit chega a Londres; sem previsão para o Brasil

Apple Express Transit chega a Londres; sem previsão para o Brasil

Tecmundo O modo Express do Apple Pay para transportes públicos chegou a Londres. Agora, para pagar as passagens, não será mais preciso validar a operação usando os dados biométricos do usuário via Face ID ou Touch ID. A novidade vale para todo o sistema de transportes londrino: ônibus, bondes e metrô. Para pagar, basta aproximar o iPhone ou o Apple Watch no leitor de cartões.A adoção do modo Express Transit permite que a compra das passagens seja mais rápida; basta escolher um cartão de crédito (ou de transporte público) no qual o valor correspondente será descontado. É possível ainda desativar o modo Express e voltar a pagar com o dispositivo de maneira tradicional, ou seja, usando Face ID ou Touch ID.Leia mais... Veja Mais

Eddie, mascote do Iron Maiden, ganha linha de bonecos Funko; veja

Eddie, mascote do Iron Maiden, ganha linha de bonecos Funko; veja

R7 - Música Eddie Iron Maiden Funko Tenho Mais Discos Que Amigos Fotos via Funko Pop! Rocks A Funko, empresa que faz os bonequinhos cabeçudos que conquistaram o mundo nos últimos anos, tem focado bastante em lançamentos voltados à música. Já temos bonecos do Nirvana, KISS, blink-182 e mais -- mas até então, o Iron Maiden continuava sendo esnobado. Agora não mais! A marca acaba de anunciar uma linha com quatro modelos do Eddie, o icônico mascote da banda de heavy metal. São eles o Pop! Iron Maiden Eddie, Pop! Killers Eddie, Pop! Number Of The Beast Eddie e Pop! Piece Of Mind Eddie. Apesar de ainda não terem divulgado uma data de lançamento, é esperado que os bonecos cheguem a tempo do Natal. Quem aí já tá querendo? Iron Maiden [gallery td_select_gallery_slide='slide' link='file' ids='350090,350091,350092,350093'] A banda passou pelo Brasil no último mês de outubro com sua atual turnê, Legacy of the Beast. Os shows, que passam por toda a carreira da banda, estão divulgando o jogo de mesmo nome lançado pelo Maiden. Confira nossa resenha da apresentação em São Paulo clicando aqui. Veja Mais

Contratação de deficientes cresceu 27% em 2019, aponta Catho

Contratação de deficientes cresceu 27% em 2019, aponta Catho

R7 - Economia A advogada Ana Maria Navarro Reprodução / Arquivo Pessoal A advogada Ana Maria Navarro, 54 anos, nasceu com uma paralisia cerebral que gerou o comprometimento de seus membros inferiores. A deficiência física, porém, nunca foi um impedimento para ela buscar o seu espaço no mercado de trabalho, se formar em direito e se tornar uma ativista para brigar pelo reconhecimento dos portadores de deficiência. Leia mais: Metade das vagas para deficientes nas empresas está desocupada “Sou deficiente desde que nasci. Tive muitas dificuldades, mas trabalho desde os 18 anos e, mesmo com os contratempos, fui seguindo o meu caminho. É preciso diminuir a resistência e aumentar as oportunidades para as pessoas com deficiência. ” Ana Maria acredita que a Lei de Cotas, criada em 1991, vem aumentando as chances de inclusão social de muitos portadores de deficiência. A opinião dela é confirmada por uma pesquisa feita pela Catho que aponta que a contratação de portadores de deficiência cresceu 27% em 2019, na comparação com o ano passado. As maiores oportunidades surgem na região Sul (78%), Nordeste (45%) e Sudeste (24%). Dentre as oportunidades se destacam cargos nas áreas administrativa, financeira, comercial, industrial e informática. Em 2018, segundo a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, das 768.723 vagas reservadas nas empresas, 389.165 eram ocupadas. Leia mais: Laudo é barreira para 76% dos deficientes em busca de emprego Segundo Bianca Machado, gerente sênior da Catho, as empresas começaram a perceber a importância do cumprimento da lei de cotas até para mostrar seu apoio à inclusão, diversidade e ter um diferencial. “Muitas empresas estão buscando a inclusão social e a diversidade para valorizar a sua marca empregadora”, diz. Bianca afirma que há empresas que procuram a Catho atrás de profissionais com alguma deficiência para cumprir a lei de cotas, mas há outras companhias realmente interessadas na diversificação e inclusão das pessoas. Para Ana Maria, criou-se um estigma e preconceito sobre as pessoas com deficiência. “Fala-se muito em faltar capacitação de profissionais o que estaria impedindo a contratação de profissionais com deficiência”, conta. No entanto, a advogada argumenta que há pouco incentivo para esses profissionais e cita como exemplo as vagas ofertas por empresas para deficientes. “São oferecidas apenas algumas vagas específicas para cumprir a lei de cotas. Não se dá incentivo para esses profissionais crescerem na empresa. Eles também querem crescer dentro da companhia.” Novo projeto acaba com as cotas Pixabay Novo projeto Ana Maria acredita que o Projeto de Lei nº 6.195/2019, enviado ao Congresso pelo governo Bolsonaro, deve reduzir drasticamente a oferta de trabalho para portadores de deficiência ou reabilitadas. “O argumento principal do governo é que faltam profissionais para preencher as cotas. Na realidade, falta incentivo por parte do governo para atrair esses profissionais e oportunidades para eles crescerem na empresa como os demais”, diz a advogada Outra crítica que ela faz é com relação ao cumprimento da cota. “Se você fizer uma pequena pesquisa nos Ministérios Públicos do Trabalho do país, vai observar a quantidade de TACs [Termos de Ajustamento de Conduta] que as empresas fecham com a justiça. Elas preferem pagar multas em vez de investir na contratação e no desenvolvimento desses profissionais.” PL prevê pagamento de até dois salários para quem não contratar deficiente Segundo Flavio Gonzales, supervisor do Serviço de Inclusão Profissional do Instituto Jô Clemente (ex-Apae de São Paulo), o PL estabelece, entre outros aspectos, que empresas com 100 ou mais funcionários – hoje obrigadas a destinar de 2% a 5% das vagas para pessoas com deficiência – poderão substituir a contratação por recolhimento mensal de valores aos cofres públicos. “O projeto acaba com a lei de cotas. Se aprovado, o pagamento de uma quantia mensal será a solução mais barata para empresas. Com isso, o número de contrações deve diminuir bastante. Só será mantida a contratação de portadores de deficiência por empresas com mais consciência sobre a inclusão social e acessibilidade”, diz Gonzales. Gonzales destaca outros pontos do projeto de lei: - Retira a obrigatoriedade de substituir uma pessoa com deficiência por outra em condição semelhante, no caso de dispensa sem justa causa; - Considera aprendizes, hoje uma cota diversa que não se confunde com a da pessoa com deficiência, para efeito de cálculo, o que permitirá que as empresas ofereçam apenas vagas de aprendizagem, dificultando a vida de profissionais adultos com deficiência e reduzindo as possibilidades de crescimento na carreira. Assim como Ana Maria, Gonzalez também considera o projeto um retrocesso, uma vez que a Lei de Cotas ainda é o principal meio de contração de pessoas com deficiência. “Nós vivemos em um cenário em que a Lei de Cotas é a principal razão para as empresas contratarem pessoas com deficiência, e mesmo com a lei, ainda há quase 400 mil vagas no país que deveriam estar ocupadas por essas pessoas, mas não estão por falta de fiscalização”, diz. “Se esse projeto for aprovado e sancionado, cada vez menos empresas vão contratar pessoas com deficiência, pois poderão substituir a contratação por recolhimento financeiro aos cofres públicos, um ponto muito negativo para os que lutam pela inclusão”, comenta. “Esse projeto tende a aumentar a exclusão, ao invés de promover a inclusão social de pessoas que lutam contra a segregação”, diz Gonzalez. Outra preocupação do Instituto Jô Clemente é que o projeto estabelece diversas condições para a concessão do auxílio-inclusão, que, se efetivadas, poderão impedir que muitas pessoas com deficiência tenham acesso a esse direito, em desacordo com a Lei Brasileira de Inclusão (LBI – 13.146/2015). “O auxílio-inclusão é um benefício que auxilia a pessoa com deficiência moderada e grave a sustentar seus gastos com a própria condição. Além disso, é um estímulo para que essas pessoas ingressem no mercado de trabalho”, diz Gonzalez. De acordo com o último Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado em 2010, há cerca de 45 milhões de pessoas com deficiência no país, das quais 31 milhões têm idade para ingressar no mercado de trabalho. Apesar disso, dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) de 2018 indicam que aproximadamente 441 mil estão empregadas pela Lei de Cotas e ainda há quase 400 mil vagas desocupadas. Do total de profissionais empregados, apenas 8% têm deficiência intelectual. No Estado de São Paulo, cujo número de contratações é o maior do país, há cerca de 140 mil profissionais com deficiência empregados. Veja Mais

Larry Page deixa posto de presidente-executivo da Alphabet, dona do Google

G1 Economia Cofundador da gigante de tecnologia entregará cargo a Sundar Pichai, que já comanda o Google. Outro fundador, Sergey Brin, deixará a presidência do grupo. Larry Page fundou o Google em 1998 com Sergey Brin Paul Sakuma/AP Larry Page, presidente-executivo (CEO) da Alphabet, dona do Google, anunciou nesta terça-feira (3) que deixará o posto. Em seu lugar vai assumir Sundar Pichai, que comanda o Google desde 2015. Os dois cargos serão transformados em um só. Page, cofundador do Google, anunciou a decisão em uma carta no blog da empresa. Ela também é assinada pelo outro fundador da companhia, Sergey Brin, que deixará a presidência da Alphabet. "Alphabet e Google não precisam mais de dois CEOs e um presidente", escreveram Page e Brin, comparando as empresas a um "jovem adulto de 21 anos" que já pode sair do ninho. Apesar de deixarem o comando do grupo, os fundadores dizem que vão continuar se comportando como "pais". "Foi um tremendo privilégio estar envolvido profundamente na gestão do dia a dia da empresa oir tanto tempo. Acreditamos que é hora de assumir o papel de pais orgulhosos, oferecendo conselhos e amor, mas sem cobranças diárias", diz a carta. O que é a Alphabet Page e Brin fundaram o Google em 1998. A Alphabet foi criada em 2015, quando a gigante de tecnologia passou por uma profunda reformulação. A Alphabet é o "guarda-chuva" debaixo do qual estão as várias empresas do grupo, incluindo o Google Inc, responsável pelo buscador, o YouTube, o Chrome, o Android e o Gmail, entre outros serviços, e outras vertentes de atuação, como os carros autônomos, responsabilidade da Waymo. Sundar Pichai, CEO do Google, e agora também da Alphabet Justin Sullivan / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP Relembre a história do Google, em vídeo de 2018 do Estúdio i: Google completa 20 anos como uma das empresas mais poderosas do mundo Veja Mais

2ª Turma do STF aceita denúncia e coloca Renan no banco dos réus

2ª Turma do STF aceita denúncia e coloca Renan no banco dos réus

R7 - Economia Defesa de Renan nega as acusações contra o senador Geraldo Magela/Agência Senado 14.04.2019 Por 3 votos a 2, a Segunda Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) recebeu nesta terça-feira (3) a denúncia apresentada contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL) pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Lava Jato. A decisão coloca o parlamentar no banco dos réus. O colegiado entendeu que há indícios suficientes para tornar o senador réu na denúncia apresentada em 2017 pela PGR (Procuradoria-Geral da República), que foi baseada na delação premiada de Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, empresa da Petrobras na época. Leia mais: Fachin intima Renan Calheiros a prestar depoimento Nos depoimentos, Machado disse que Calheiros e outros políticos do partido teriam recebido valores de empresas que tinham contratos da estatal para repassar a diretórios do MDB. De acordo com a acusação, os supostos repasses teriam ocorrido por meio de doações eleitorais a três diretórios, do MDB no Tocantins e Aracaju e do PSDB em Alagoas, em troca de benefícios na Transpetro. Na semana passada, no início do julgamento, o ministro Edson Fachin, relator do caso, entendeu que há indícios dos crimes, mas somente no repasse feito ao diretório de Tocantins. Nos casos envolvendo os demais diretórios, não há provas suficientes para abertura da ação penal contra o senador. Segundo o ministro, em 2010, a empresa NM Engenharia e Serviços, cujos sócios também assinaram delação, repassou R$ 150 mil em forma de doação eleitoral oficial ao diretório de Tocantins, após solicitação de Renan Calheiros. A doação foi direcionada a um apoiador do senador, o então deputado Leomar Quintanilha. Na sessão desta tarde, os ministros Celso de Mello e Cármen Lúcia acompanharam o relator, formando a maioria pela abertura da ação penal contra o senador. Os ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes discordaram do relator e entenderam que a denúncia da PGR é genérica e não apontou as condutas pormenorizadas que teriam sido cometidas pelo senador. Segundo Gilmar, a denúncia se baseou somente na delação premiada de Sérgio Machado e não apontou os meios que teriam sido empregados para obtenção dos recursos, além de não indicar se houve pedido de Renan Calheiros para que as doações fossem realizadas. "Não especifica de forma concreta o ato de ofício ou relativo às atribuições institucionais do senador que teria sido indevidamente mercadejado, sustentando-se apenas em um genérico fornecimento de apoio político", afirmou Mendes. Com a abertura da ação penal, Calheiros deverá prestar depoimento e poderá indicar testemunhas de defesa. Ao final do processo, caberá ao ministro Fachin elaborar uma sentença para condenar ou absolver o senador. Não há prazo para decisão. Defesa A defesa do senador negou as acusações e afirmou que a denúncia foi feita pelo ex-procurador Rodrigo Janot antes do término da investigação pela Polícia Federal.  “A própria Polícia Federal, de forma expressa, disse que as provas não comunicam entre si e que elas são desencontradas", afirmou Luiz Henrique Alves, advogado do senador. Veja Mais

Wall St fecha em baixa com menor otimismo comercial

R7 - Economia Por Stephen CulpNOVA YORK (Reuters) - Os mercados de ações dos Estados Unidos fecharam em baixa pela terceira sessão consecutiva nesta terça-feira, depois que comentários do presidente Donald Trump e do secretário de Comércio Wilbur Ross jogaram água fria na esperança de uma possível trégua a curto prazo na guerra comercial entre EUA e China.O índice Dow Jones teve o pior dia desde 8 de outubro, e os três principais índices se afastaram ainda mais dos recentes recordes, que haviam sido sustentados pelo otimismo de que um acordo provisório entre EUA e China estava em andamento.Esse otimismo foi reduzido, já que Trump sugeriu que um acordo teria que esperar até as eleições de 2020 e, separadamente, Ross confirmou que novas tarifas sobre as importações chinesas entrariam em vigor em 15 de dezembro, conforme programado, a menos que progressos substanciais fossem feitos.Essas declarações --na esteira da ameaça de retaliação pela França sobre possíveis novas taxas dos EUA sobre produtos franceses, esta já uma retaliação à proposta francesa de um "imposto digital"-- sugeriram que a guerra tarifária dos EUA contra seus principais parceiros comerciais continuará a dominar os mercados num futuro previsível."O revés nas negociações comerciais chinesas, associado às tarifas francesas em relação aos impostos digitais e tarifas no Brasil e na Argentina para o aço, foi decepcionante para os mercados", disse Stephen Massocca, vice-presidente sênior na Wedbush Securities em San Francisco."O impacto a longo prazo dessas negociações pode muito bem ser positivo, mas a implicação a curto prazo pode antecipar uma desaceleração da economia e isso não está bem nas contas do mercado", acrescentou Massocca.Ações de empresas fabricantes de chips, sensíveis às tarifas, caíram, com o índice Philadelphia de semicondutores em queda de 1,5%, pior dia desde 23 de outubro.O Dow Jones caiu 1,01%, para 27.502,81 pontos. O S&P 500 perdeu 0,66%, para 3.093,2 pontos. E o Nasdaq Composto cedeu 0,55%, para 8.520,64 pontos.Nove dos 11 principais setores do S&P 500 fecharam em baixa, com Apple Inc e Intel Corp exercendo a maior pressão negativa sobre o S&P 500.As ações de energia e dos setores financeiro e industrial --este sensível às questões comerciais-- sofreram a maior queda percentual diária. Veja Mais

Trent Reznor e Atticus Ross lançam versão para o clássico de David Bowie, "Life On Mars?"

Trent Reznor e Atticus Ross lançam versão para o clássico de David Bowie,

R7 - Música Vagalume Vagalume Trent Reznor e Atticus Ross gravaram um cover do clássico de David Bowie, "Life On Mars?". A faixa foi gravada para a série "Watchmen", da HBO. Diferente da versão original, Reznor e Ross fizeram um trabalho instrumental e atmosférico para a música. A dupla é responsável pela trilha sonora da série que é um dos sucessos do ano na televisão. Escute a nova versão para "Life On Mars?":Clique para ver no VagalumeFonte: Vagalume Veja Mais

Baixista do Van Halen defende Billie Eilish: “a música serve para nos unir”

Baixista do Van Halen defende Billie Eilish: “a música serve para nos unir”

R7 - Música Wolfgang Van Halen e Billie Eilish Tenho Mais Discos Que Amigos Fotos via Wikimedia Commons Billie Eilish, cantora de 17 anos, foi recentemente criticada na internet por não conhecer o Van Halen. Agora, o baixista da própria banda saiu em defesa da jovem. Em entrevista ao programa de Jimmy Kimmel, a artista foi questionada sobre algumas bandas da época em que o apresentador tinha sua idade. Assim que Kimmel citou o grupo, Billie respondeu apenas com um 'quem?'. Após a chuva de críticas e zoações que a adolescente recebeu, o baixista Wolfgang Van Halen foi ao Twitter defender Eilish. O músico disse: Se você ainda não ouviu nada sobre a Billie Eilish, vá conhecê-la. Ela é legal. Se você não ouviu nada do Van Halen, vá conhecê-los. Eles também são legais. A música é feita para nos unir, não nos dividir. Ouça o que quiser e não zoe os outros por não conhecer aquilo que você gosta. Justo, não? Até o Smash Mouth deu sua opinião na rede social, afirmando que uma garota de 17 anos realmente não conheceria algo que 'os velhos' ouviam na infância. We grew up listening to #VanHalen and we're old as fck so why would @billieeilish know who they are? #NoDiss — Smash Mouth (@smashmouth) December 2, 2019 Na mesma entrevista, a jovem ainda revelou que não conhece nomes como Run DMC, Huey Lewis e Cabbage Patch Kids. Assista ao vídeo abaixo! https://www.youtube.com/watch?v=DN26vJyZakg LEIA TAMBÉM: Billie Eilish confirma shows no Brasil para 2020; datas, locais e ingressos Veja Mais

Disney+ anuncia game show inspirado no universo Star Wars

Disney+ anuncia game show inspirado no universo Star Wars

Tecmundo A Disney anunciou, nesta terça-feira (3), o lançamento de um novo game show incluído no universo Star Wars que estará disponível em breve no seu serviço de streaming. Trata-se de Star Wars: Jedi Temple Challenge, que terá como apresentador Ahmed Best, ator conhecido por dar voz ao personagem Jar Jar Binks na franquia.Focado no público infantil, o novo programa do Disney+ vai receber jovens competidores que enfrentarão uma série de testes de habilidade para descobrir se estão alinhados com o estilo de vida Jedi, incluindo valores como conhecimento, força e bravura.Leia mais... Veja Mais

Facebook cria chatbot para ajudar funcionários na resposta de ataques virtuais

Facebook cria chatbot para ajudar funcionários na resposta de ataques virtuais

canaltech Com o "filme queimado" há algum tempo, o Facebook não sofre ataques apenas dos governos e políticos mundo afora, mas também dos usuários de um modo geral. Com isso em mente, a equipe de relações públicas da empresa construiu um chatbot com inteligência artificial para ajudar seus funcionários a responder ameaças ou críticas que, eventualmente, possam ocorrer. A ferramenta, chamada "Liam Bot", ajuda a orientar os funcionários em conversas difíceis sobre assuntos relacionados ao comportamento do Facebook. Ela foi ativada para os funcionários pouco antes do feriado do Dia de Ação de Graças nos EUA, sendo que já havia sido testada no início do ano. As respostas são escritas pela equipe de relações públicas da empresa e parecem alinhadas com as declarações públicas da equipe executiva sobre tópicos como liberdade de expressão, intromissão nas eleições, moderação e muito mais. De acordo com o The New York Times, quando perguntado sobre o discurso de ódio, o Liam Bot responderá com algumas solicitações disponíveis, como “Ele [Facebook] contratou mais moderadores para policiar seu conteúdo” e “Regulamentação é importante para resolver o problema. O bot também possui links para posts úteis do blog do Facebook e, no caso de uma questão técnica, perguntas frequentes e guias para problemas como redefinir a senha da conta. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Funcionários também em xeque O comportamento dos funcionários do Facebook também tem sido muito questionado, sobretudo na questão ética, com uma pilha de vazamentos acontecendo. Em outubro, por exemplo, uma reunião completa de Mark Zuckerberg foi divulgada, com áudios de uma sessão de perguntas e respostas que ele estava fazendo justamente na presença de funcionários. A resposta do Facebook a esse cenário, pelo menos no que diz respeito a agradar amigos e familiares de funcionários, parece ser técnica na forma de chatbot de IA. "Nossos funcionários solicitam regularmente informações para usar com amigos e familiares sobre tópicos que estão no noticiário, especialmente nos feriados", disse uma porta-voz do Facebook, ao NYT. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

Engie Brasil pode gerar rendimento de 7% em dividendos em 2020, estima Credit Suisse

R7 - Economia As ações da Engie Brasil (EGIE3) podem gerar rendimentos de 7% em dividendos em 2020, avalia o Credit Suisse em um relatório enviado a clientes nesta terça-feira (3). O banco elevou a recomendação para os papéis de neutra para compra (outperform). O preço-alvo subiu de R$ 48,25 para R$ 52,90. O valor representa um potencial […] Veja Mais

Apple Music Awards: Billie Eilish leva três prêmios na 1ª edição

Apple Music Awards: Billie Eilish leva três prêmios na 1ª edição

canaltech Na última segunda-feira (2), a Apple divulgou os vencedores da primeira edição do Apple Music Awards, que engloba cinco categorias distintas e tem os vencedores escolhidos por um processo que reflete a perspectiva editorial junto com o gosto do público. As categorias de Artista Global do Ano, Melhor Compositor e Artista Revelação foram selecionados por uma equipe de especialistas da Apple, enquanto os prêmios de Álbum do ano e Canção do ano são baseados no streaming e refletem o que os consumidores mais têm ouvido. E o maior destaque foi a cantora Billie Eilish, que foi premiada como artista do ano, melhor álbum e melhor compositora. Tendo isso em mente, a Apple também anunciou que Billie Elish irá se apresentar no Steve Jobs Theatre, que fica dentro do Apple Park. Na próxima quarta (4), a apresentação será transmitida ao vivo pela internet às 23h30 (horário de Brasília). O primeiro álbum de Billie Eilish, intitulado Don´t Smile At Me, foi lançado em 2015, e o When We All Fall Asleep, Where Do We Go? foi lançado em 2018, sendo o álbum mais tocado do Apple Music neste ano, com mais de 1 bilhão de reproduções, o que levou a ganhar o prêmio de álbum do ano.   Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Por sua vez, o prêmio de Artista revelação foi para a cantora, compositora, rapper, atriz e apresentadora norte americana Lizzo, com seu álbum intitulado Cuz I Love You. Segundo o próprio site oficial da Apple Music Awards, Lizzo conquistou o prêmio por suas músicas "levarem alegria e mensagens de amor próprio". -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.-   O prêmio Canção do ano foi para Old Town Road, de Lil Nas Ax, que é a música mais ouvida no Apple Music. No site oficial, a canção foi descrita como uma “verdadeira sensação que viralizou”. Lil nas Ax disse o seguinte para o Apple Music: “Estive no reino de um cowboy solitário, precisando correr de tudo. Mas também queria colocar o que estava em ascenção, que é toda essa cultura dos memes – fazendo uma canção cativante”.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

China quer construir usina solar no espaço para ter energia limpa e ilimitada

China quer construir usina solar no espaço para ter energia limpa e ilimitada

canaltech A China pretende construir uma gigantesca usina de energia solar no espaço até 2035, de acordo com a China Academy of Space Technology (CAST). A ideia foi apresentada pelo pesquisador Wang Li durante o 6º Fórum de Engenharia China-Rússia. A estrutura de 200 toneladas seria “instalada” no espaço para aproveitar os raios do Sol que não chegam à Terra. Um sistema sem fio enviaria a energia captada pela gigantesca usina solar espacial por meio de micro-ondas ou lasers; assim, seria possível enviar energia para regiões remotas e até áreas afetadas por desastres. “Esperamos fortalecer a cooperação internacional e fazer descobertas científicas e tecnológicas para que a humanidade alcance o sonho da energia limpa sem limites em uma data próxima”, disse Wang. A energia solar obtida por essa usina espacial poderia ser uma solução para a energia fóssil, que tem se tornado cada vez mais escassa, além de causar problemas ambientais, conforme observou o cientista. A captação seria limpa e sustentável, sendo uma fonte de energia também para satélites. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Parece coisa de ficção científica, mas os chineses buscam realmente tornar tal feito realidade. Foi Isaac Asimov, em um conto de 1941, quem popularizou a ideia de se construir uma usina de energia solar no espaço, e o engenheiro aeroespacial Peter Glaser criou uma proposta formal pouco menos de 30 anos depois. A China tem um longo histórico de propostas e tentativas de aproveitar melhor a energia solar, limpa e renovável, para resolver os problemas energéticos da humanidade. O país investiu 200 milhões de yuan (cerca de R$ 119 milhões) na construção de um prédio em Bishan, no sudoeste do país, para pesquisar sobre a transmissão de energia sem fio e o impacto no meio ambiente. Wang acredita que essas pesquisas vão estimular a ciência espacial e a inovação de seu país. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

TSE irá aceitar assinatura digital para novos partidos, como o de Bolsonaro

O Tempo - Política Nova medida foi aprovada por 4 votos a 3, e beneficia o presidente da República que anunciou a criação do partido Aliança pelo Brasil, Veja Mais

Ibovespa é o terceiro pior investimento do mundo em novembro, diz Deutsche Bank

R7 - Economia Investidores estrangeiros geralmente comparam os retornos de seus investimentos em dólar, tendo em vista a melhor percepção de ganho real na repatriação dos lucros. A junção entre valorização de 5,77% do dólar em novembro e alta de 0,7% do Ibovespa teve um resultado nada animador: o índice da bolsa brasileira foi o terceiro pior investimento […] Veja Mais

Luiz Carlos Motta fala sobre mudanças no Código de Trânsito Brasileiro

Luiz Carlos Motta fala sobre mudanças no Código de Trânsito Brasileiro

Câmana dos Deputados Uma Comissão Especial da Câmara dos Deputados está debatendo atualizações ao Código de Trânsito Brasileiro. Dentre os pontos discutidos estão o exame toxicológico de motoristas profissionais e a obrigatoriedade do uso da cadeirinha infantil. Quem fala sobre o assunto nesta edição é o deputado Luiz Carlos Motta (PL-SP). Apresentação - Regina Assumpção Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Congresso mantém veto de Bolsonaro a propaganda partidária

O Tempo - Política Um dos projetos que podem ser votados nesta quarta-feira (4) é o pacote anticrime Veja Mais

Baby Yoda vira emo e fã de Fresno nesta montagem hilária; assista

Baby Yoda vira emo e fã de Fresno nesta montagem hilária; assista

R7 - Música Baby Yoda Tenho Mais Discos Que Amigos A internet está enlouquecendo com o Baby Yoda, versão bebê do famoso personagem da franquia Star Wars que está em The Mandalorian, série spin-off do Disney+. A cena que mais chamou atenção recentemente é uma onde a pequena criatura insiste em ligar o som da nave. No Twitter, várias montagens envolvendo esta parte estão aparecendo -- mas agora o Baby Yoda virou emo! Neste vídeo publicado pelo usuário @daecaua, o pequeno Yoda aparece ouvindo 'Quebre as Correntes', talvez o maior hit da banda brasileira Fresno. A música marcou época no Brasil lá em 2006, no auge do movimento emo por aqui. Assista e se divirta! o yodinha é emo sim!!! fresnão da massa pic.twitter.com/AkQ5pEhqjY — cauã no carrinho de mercado (@daecaua) December 3, 2019 Veja Mais

Decisão da Anvisa sobre Cannabis medicinal é considerada restritiva por comissão - 03/12/19

Decisão da Anvisa sobre Cannabis medicinal é considerada restritiva por comissão - 03/12/19

Câmana dos Deputados Empresários e economistas falaram das perspectivas de mercado da Cannabis medicinal. O debate aconteceu no mesmo dia em que Agência Nacional de Vigilância Sanitária autorizou o registro de remédio à base de maconha no Brasil. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

MPT pede rejeição de projeto que altera cotas para deficientes

MPT pede rejeição de projeto que altera cotas para deficientes

R7 - Economia Lei 6.159/2019 altera política de cotas para PCDs Pixabay O MPT (Ministério Público do Trabalho) se posicionou contra o Projeto de Lei 6.159/2019, que restringe o acesso dos profissionais com deficiência ao mercado de trabalho com diversas alterações na política de cotas. No parecer, o MPT defende que a proposta “não tem o escopo de contribuir para a inclusão da pessoa com deficiência, mas, sim, de desonerar o empregador e atribuir ao trabalhador com deficiência a responsabilidade por sua 'reabilitação e habilitação' para o trabalho, voltando o foco para a deficiência como fator irradiador de 'incapacidade', nos moldes do superado modelo médico da deficiência”. Leia mais: Laudo é barreira para 76% dos deficientes em busca de emprego O documento aponta ainda que a permissão de substituição da obrigação pelo pagamento de quantia irrisória "traz risco de se prejudicar o acesso ao mercado de trabalho de pessoas com deficiência que tenham qualificação profissional e maiores níveis de escolaridade". O MPT também afirma que a cota não se presta apenas à “inserção” da pessoa com deficiência no mercado de trabalho, mas também à promoção da diversidade no ambiente de trabalho e efetiva inclusão. “A medida proposta não apenas segrega as pessoas com deficiência, mas também impede que pessoas sem deficiência convivam com o diferente e se estabeleça um ambiente inclusivo”. Veja também: Contratação de deficientes cresceu 27% em 2019 Segundo a vice-coordenadora nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho (Coordigualdade) do MPT, procuradora Ana Lúcia Stumpf González, a comunidade ligada às causas de PcDs não foi ouvida em nenhum momento. Além disso, a procuradora enfatizou a necessidade de promover ampla discussão sobre o tema diante das mudanças propostas. Veja Mais

O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019)

O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019)

canaltech Toda semana, muita coisa boa acontece no "mundão" da ciência, e, aqui no Canaltech, nós acompanhamos todas as novidades, trazendo a vocês o que está rolando de mais relevante em áreas como astronomia e saúde. Agora, chegou a hora de fazermos o "resumão" semanal com as principais notícias científicas dos últimos dias. Vamos lá? Cometa interestelar tem cauda enorme, mas arrisca ser destruído A cauda do 2I/Borisov e, à direita, a comparação dessa cauda com o tamanho da Terra O visitante interestelar 2I/Borisov está passeando pelo Sistema Solar, e uma nova foto nos revela uma cauda enorme com quase 160 mil quilômetros de extensão. A cauda do cometa tem cerca de 14 vezes o diâmetro da Terra! Mas é possível que nosso visitante ilustre não sobreviva à medida em que se aproxima do Sol. Cientistas acreditam que o cometa proveniente de outro sistema estelar será desintegrado no periélio — o ponto de maior aproximação com o Sol —, o que deve acontecer agora em dezembro. Caso ele sobreviva, continuará sua jornada em nosso quintal espacial por mais ou menos um ano, quando nos deixará para nunca mais voltar. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Dependência de celular é vista como distúrbio psiquiátrico Pelo menos 23% das crianças e jovens adultos sofrem da chamada dependência do celular, o que vem sendo encarado como um distúrbio psiquiátrico pela comunidade médica. Mais de 40 estudos sobre o tema foram analisados recentemente, e a conclusão é que jovens de até 25 anos são os mais afetados. Sintomas como sensação de pânico quando o aparelho não está disponível, ansiedade e dificuldade para gerenciar atividades do dia a dia por passar muito tempo no celular são frequentes nestes casos. Buraco negro "que não deveria existir" é encontrado na nossa galáxia O buraco negro LB-1 não deveria existir — porém, foi encontrado na Via Láctea. Pesquisadores avistaram o buraco negro com 70 vezes a massa do nosso Sol, algo duas vezes maior do que a massa estimada para um buraco negro presente em nossa galáxia. A teoria atual dita que não pode haver restos de uma estrela com mais de 20 vezes a massa do Sol na Via Láctea, mas "agora os teóricos terão que topar o desafio de explicar essa formação”, nas palavras de um cientista que participou do estudo. Encontrados destroços de nave indiana na Lua Enfim, a NASA encontrou os destroços do módulo de pouso Vikram na Lua. A nave fez parte da missão indiana Chandrayaan-2 e, durante a descida, os controladores em Terra perderam o contato com o equipamento, e somente depois foi confirmada a colisão. A agência espacial dos EUA usou a sonda orbital LRO para capturar as imagens. Na foto acima, os pontos verdes indicam restos da nave que ou já confirmados ou ainda estão em processo de confirmação, enquanto os pontos azuis mostram onde o solo foi impactado pela colisão. Provando que a microgravidade inibe crescimento de tumores Pesquisadores australianos enviarão à Estação Espacial Internacional (ISS) um experimento para provar que a microgravidade inibe o crescimento de tumores — algo que testes em laboratório aqui na Terra já mostraram ser possível. Pesquisas recentes concluíram que as células cancerígenas se conectam por meio de forças mecânicas, sendo que elas evoluíram para funcionar no ambiente onde há gravidade (a Terra). Então, a equipe começou a pensar em como impedir a atuação de tais forças, e a resposta pode estar justamente na microgravidade do espaço. O experimento na ISS será feito por uma semana no início do ano que vem. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Sundar Pichai agora é CEO da Alphabet substituindo Larry Page e Sergey Brin Veja Mais

Dois terços dos brasileiros acima de 50 anos reclamam das finanças

Dois terços dos brasileiros acima de 50 anos reclamam das finanças

R7 - Economia Poupança e investimentos não fazem parte dos hábitos Pixabay Dois terços dos brasileiros com mais de 50 anos, ou 34 milhões de pessoas nessa faixa etária, estão insatisfeitos com sua vida financeira. Os dados fazem parte da pesquisa “Dossiê Longeratividade - O raio X dos brasileiros com mais de 50 anos”, realizada pelo Instituto Locomotiva e Bradesco Seguros, que ouviu mais de 2 mil pessoas em outubro deste ano.  Leia também: Inadimplência entre idosos cresce com menor ritmo, diz pesquisa O estudo mostra que a poupança ou outros investimentos financeiros não estão entre os principais hábitos dessa população na preparação para o futuro. Em uma escala composta por 11 itens, os relacionamentos com familiares e amigos e os cuidados com a saúde ainda são o foco de homens e mulheres na construção de um futuro mais longevo e com mais qualidade de vida. Da mesma forma, oito em cada dez (84%) dessas pessoas se dizem insatisfeitas com a formação escolar que possuem - o que significa que, apesar da idade, elas ainda querem estudar. Veja também: Número de idosos que trabalham cresce 37% em sete anos no Brasil Outro dado revela uma mudança na visão dos brasileiros e brasileiras com mais de 50 anos sobre a aposentadoria. Para a maior parcela dessa população, aposentar não significa ficar em casa descansando. Os dados mostram que 67% concordam que as pessoas mais velhas devem ter ocupações que as façam se sentir úteis; enquanto 63% acreditam que pessoas ativas se sentem mais felizes. “O desejo pela aposentadoria ativa é cada vez mais uma realidade e deve ser encarada como um desafio para o país, uma vez que hoje temos mais de um quarto da população, ou seja, cerca de 54 milhões de pessoas acima dos 50 anos”, afirma o presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles. “Os números não deixam dúvida de que os brasileiros maduros não pretendem parar depois de aposentados." Segundo a pesquisa, 69% querem ter muitas atividades para fazer; 70% querem conviver com muitas pessoas e 72% pretendem sair muito de casa. Mais do que ativos, os resultados da pesquisa mostram a disposição de praticamente 100% dessa população em continuar aprendendo coisas, sendo que mais da metade (67%) querem estudar depois de aposentados. Envelhecimento Segundo o IBGE, atualmente um quarto da população brasileira tem 50 anos ou mais, ou seja, 54 milhões de pessoas no Brasil, o equivalente à população inteira da Itália ou da África do Sul. Até 2050, 43% da população terá 50 anos ou mais - serão aproximadamente 98 milhões de pessoas com 50 anos ou mais em três décadas. Veja Mais

Relator prevê ampliar fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões

O Tempo - Política O governo havia proposto um valor de R$ 2 bilhões Veja Mais

Ross diz que acordo comercial apropriado com China é mais importante do que momento em que isso vai acontecer

R7 - Economia Por Andrea Shalal(Reuters) - O secretário de Comércio dos EUA, Wilbur Ross, disse nesta terça-feira que é mais importante obter um acordo comercial adequado com a China do que concluí-lo até dezembro deste ano ou do próximo --após as eleições presidenciais de 2020.Ross disse à Reuters em entrevista que as duas maiores economias do mundo ainda precisam trabalhar detalhes sobre as compras de produtos agrícolas pela China, algumas questões estruturais e um mecanismo de fiscalização para concluir um acordo comercial provisório.Donald Trump, falando na Europa, disse nesta terça-feira que um acordo comercial interino com a China poderia ficar para depois das eleições presidenciais dos EUA, em novembro de 2020, diminuindo as esperanças de um fim rápido para uma guerra comercial de 17 meses que tem pesado sobre o crescimento global."O ponto sobre o qual ele estava tentando argumentar é que precisamos de um acordo adequado, e se será este dezembro, o próximo ou alguma outra data é muito menos importante do que conseguir um acordo adequado", afirmou Ross.O secretário disse esperar que Trump vença as eleições presidenciais de 2020. Mas se Trump perdesse e nenhum acordo fosse alcançado com a China, a questão seria "problema de outra pessoa".(Reportagem de Andrea Shalal, David Shepardson e Alexandra Alper) Veja Mais

'Personagens de humor me levaram a bons lugares', diz Deborah Secco

O Tempo - Diversão - Magazine Atriz, que está em 'Salve-se Quem Puder', próxima novela das sete, fala de seu papel e lembra Darlene, de ‘Celebridades’ Veja Mais

Manter cultivo de maconha medicinal proibido multiplicará ações na Justiça, diz presidente da Anvisa

Glogo - Ciência A Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou a regulamentação do uso medicinal de produtos feitos à base de maconha no país, que poderão ser produzidos no país e vendidos em farmácias, mas rejeitou a proposta de regulamentar o plantio da maconha para fins terapêuticos e científicos. Presidente da Anvisa, William Dib, foi o único a votar a favor da regulamentação do plantio de maconha para fins terapêuticos e científicos ABR A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (3) a regulamentação do uso medicinal de produtos feitos à base de maconha, que poderão ser produzidos no país e vendidos em farmácias. Ao mesmo tempo, a maioria da diretoria da agência rejeitou a proposta de regulamentar o plantio da maconha para fins terapêuticos e científicos, ponto contra o qual havia forte oposição por parte do governo de Jair Bolsonaro. Anvisa libera venda de produtos à base de cannabis em farmácias Anvisa rejeita cultivo de maconha para fins medicinais no Brasil Três dos quatro diretores da Anvisa presentes na sessão de deliberação votaram por arquivar este ponto da regulamentação — e o único voto a favor da medida foi do diretor-presidente da agência, William Dib. Em entrevista à BBC News Brasil, Dib afirma que as decisões tomadas pela Anvisa hoje devem facilitar e desburocratizar o acesso a estas medicamentos por parte da população. Mas, ao mesmo tempo, devem levar a uma maior judicialização da questão no país, com um aumento de processos movidos por associações e cidadãos para obterem permissão para plantar cannabis sob a alegação de que não têm condições econômicas para custear o tratamento de outra forma. No últimos anos, diversos estudos científicos apontaram que substâncias extraídas da Cannabis sativa, como o canabidiol (CBD) e o tetra-hidrocanabidiol (THC), seu princípio psicoativo, podem ser usados para fins medicinais, em terapias para pacientes com epilepsia, câncer e outras enfermidades graves. Hoje, quem deseja ter acesso a produtos a base de maconha no país deve pedir à Anvisa uma autorização de importação. Desde janeiro de 2015, a agência permite que estes produtos sejam trazidos do exterior quando comprovada a necessidade do paciente. Hoje, mais de 4,6 mil pessoas têm autorização. Mas, há cinco anos, a Anvisa começou a estudar uma mudança nas suas regras, com base no que diz a lei 11.343, de 2006, que institui o sistema nacional de políticas públicas sobre drogas. A legislação proíbe "o plantio, a cultura, a colheita e a exploração de vegetais e substratos dos quais possam ser extraídas ou produzidas drogas". Mas diz que a União pode autorizar essas práticas, "exclusivamente para fins medicinais ou científicos". A proposta da agência era regulamentar tanto a produção e a venda de medicamentos quanto o plantio da maconha para fins medicinais e científicos, um processo que culminou com as decisões tomadas nesta terça-feira. Sem manipulação A nova regulamentação estabelece as regras para a fabricação e a importação desses produtos, sua comercialização, prescrição, dispensação, monitoramento e fiscalização. Agora, estas mercadorias passarão a fazer parte de uma nova classe — "produto à base de cannabis", ou seja, ainda não serão classificados como medicamentos. Poderão ser adquiridos em farmácias, mas não será possível manipulá-los em drogarias. Só será permitida a venda do produto pronto, sob prescrição médica. A norma entra em vigor em 90 dias a partir da publicação da decisão da diretoria da Anvisa no Diário Oficial e será revista pela própria agência daqui a três anos a fim de avaliar os progressos de pesquisas sobre o tema. Essa mudança deve fazer com que estes produtos cheguem mais baratos ao cidadão, afirma William Dib, uma vez que haverá mais opções no mercado nacional, e a concorrência deve levar a uma redução do seu preço dentro de um prazo de mais ou menos um ano. Hoje, há apenas um produto à base de cannabis registrado e vendido no país, o Mevatyl, indicado para espasmos musculares em quem tem esclerose múltipla. Ele é fabricado por uma empresa do Reino Unido e comercializado a um custo médio de R$ 2,8 mil para sua dose mensal. Mas Dib acredita que a não regulamentação do plantio deixa aberta a brecha que leva muitas pessoas a pedir à Justiça a permissão para plantar maconha. "O remédio vai ficar mais conhecido, mais médicos vão prescrever, vai haver debate e pesquisa científica. Então, isso aumenta o número de consumidores e podem se multiplicar as autorizações judiciais para o plantio. Pode chegar a um momento de total descontrole social, não só do aspecto quantitativo e qualitativo e de segurança", diz. A avaliação vai de encontro à visão de Emilio Figueiredo, advogado da Rede Reforma, uma organização sem fins lucrativos que reúne profissionais desta área a favor de uma reforma da politica de drogas brasileira, para quem o número de processos deve aumentar. O advogado diz que a decisão da Anvisa de não regulamentar o plantio foi "adequada", por entender que se trata de uma competência do governo federal. Mas ele afirma que a decisão da Anvisa não resolve os entraves econômicos ao acesso à droga. "O acesso vai ficar mais fácil, mas para quem? Hoje, enquanto a dose mensal da única organização autorizada a plantar maconha no país custa cerca de R$ 400, o produto vendido em farmácias tem um preço sete vezes maior. E, mesmo com mais opções, vai continuar a ser um produto muito caro e inacessível para a maioria da população", diz Figueiredo, que atuou em 26 das 51 ações que obtiveram permissão judicial para plantio de maconha para fins terapêuticos. "O direito fundamental à saúde destas pessoas continuará a ser violado. Vamos fazer uma tsunami de ações judiciais para fixar no país o reconhecimento do cultivo como acesso a ferramenta terapêutica para graves moléstias." No entanto, o presidente da Anvisa acredita que a decisão da agência abrirá caminho para que o governo, o Congresso ou a própria agência revejam no futuro a decisão de não regulamentar o plantio, a partir do momento que mais brasileiros usem produtos à base de maconha e haja um debate mais amplo sobre a questão no país. Leia a seguir os principais trechos da entrevista com o presidente da Anvisa, que deixa o cargo e a diretoria do órgão no próximo dia 20 deste mês e diz "estar contando os dias" para que isso aconteça. BBC News Brasil - Como o sr. recebe essa decisão da Anvisa? William Dib - Em parte, com muita alegria, porque, por unanimidade, aprovamos o registro, a comercialização e a produção de produtos de cannabis. Com registro ágil e com previsão de se rever em três anos. Com isso, o acesso, tanto da classe médica quanto dos pacientes, vai ser facilitado. E há também a questão de pesquisa: vai ser muito mais fácil e ágil desenvolver pesquisas no país. Nesse aspecto, vi positivamente. No aspecto do plantio, que foi separado por uma questão estratégica, não passou por maioria absoluta. Fui o único a votar a favor. Os argumentos para o não plantio não me convenceram. Ele vai permitir a multiplicação de autorizações judiciais para o plantio. Pode chegar a um momento de total descontrole social, não só do aspecto quantitativo e qualitativo e de segurança. Mas o governo está preocupado em ele não autorizar (o plantio). Agora, o Judiciário autorizando, parece que está tudo bem. BBC News Brasil - Por que o sr. acredita que pode haver uma judicialização maior por parte de pacientes e associações? Dib - As pessoas alegam que o remédio é caro e que, plantando, há um barateamento do custo (do tratamento) de doenças, pois os remédios são de uso contínuo. Esse argumento tem feito grande parte do Judiciário ficar do lado das famílias e das associações de pais de crianças que precisam da cannabis e de outros pacientes, autorizando o plantio. Já existem muitas autorizações. Em teoria, regulamentando, isso tende a diminuir, porque você vai criar acesso ao medicamento. Mas, por outro lado, pode aumentar, porque o remédio vai ficar mais conhecido, mais médicos vão prescrever, vai haver debate e pesquisa científica. Então, isso aumenta o número de consumidores e podem se multiplicar as autorizações judiciais. Existe gente do bem, gente que não sabe (sobre o assunto) e gente mal informada. Quando você cria uma associação de 50 pais para plantar cannabis, você acha que eles vão abrir mão de cultivar para comprar o produto? Não, eles vão continuar querendo plantar. Se a gente regulamentasse o plantio, a Justiça poderia cassar essas autorizações individuais e para associações. A Justiça primeiro não vai cassar esse direito de ninguém, porque não está regulamentado. Vai ter mais médicos receitando. Então, não vai ficar igual, as ações só podem crescer. Na teoria, é isso que vai acontecer. BBC News Brasil - Por que o senhor fala em 'descontrole social'? Dib - O número de receitas vai crescer exponencialmente. A ideia de que o fulano consegue o produto porque ele planta pode se estabelecer, caso o Judiciário mantenha as decisões de hoje, de que é um direito de todos o acesso ao medicamento. A Justiça vai dar mais autorizações. Se hoje tem mil, vão ter 10 mil daqui a três anos e assim por diante. BBC News Brasil - Esses habeas corpus que autorizam o plantio são baseados no direito das pessoas à saúde e ao tratamento… Dib - Não sei como o Judiciário vai ver o acesso com a produção aqui. A Justiça pode baixar uma norma dizendo: 'está proibido dar novas autorizações de cultivo'. Isso não depende da Anvisa nem do governo. O Judiciário é outro poder. BBC News Brasil - Quais foram as alegações dos seus colegas para rejeitar a regulamentação do plantio? Dib - (Risos) Você não prefere perguntar para eles? Eu teria dificuldade de explicar para você, pois eu mesmo não entendi as alegações deles. Tive dificuldade de entender. BBC News Brasil - Por quê? Dib - É igual procurar pelo em ovo. São ponderações que… É que não querem que tenha o projeto. Então, alega-se tudo. Disseram que precisaria consultar a polícia local. Como se faria isso se eu não sei qual local vai haver o plantio? São alegações difíceis de entender. BBC News Brasil - Na sessão, o senhor disse que achava muito curioso que para concessão de autorizações da Anvisa não haveria problemas. O que o senhor quis dizer? Dib - Meus colegas disseram que o Ministério da Agricultura afirma que as sementes de cannabis precisam ficar em quarentena, pois poderia conter vírus e fungos. Mas e o cara que tem autorização judicial para plantar? Ele compra a semente pelo correio, e ninguém sabe o que ele está plantando. E aí não tem problema nenhum? BBC News Brasil - Com isso o senhor quer dizer buscaram qualquer motivo para que esse fosse o resultado? Dib - Sim, vários motivos. BBC News Brasil - E o senhor acha que esses motivos são inconsistentes? Dib - Me parece que poderiam ser aprimorados ou corrigidos. Quem quer fazer, faz. BBC News Brasil - O senhor acredita que a Anvisa errou ao não regulamentar o plantio? Dib - Não vou dizer que é erro ou não. Acho que perdemos a oportunidade. Mas ela vai ser recuperada logo mais, via Congresso. Ou a própria Anvisa pode rever seus conceitos. O mais importante é que o produto vai estar acessível à população. Isso vai acabar gerando uma discussão. A experiência vai fazer muita gente rever seu posicionamento. BBC News Brasil - Não tem problema por parte de quem? Dib - A Anvisa nem o Ministério da Agricultura não tem autorização judicial para questionar. Chega a semente, e ele planta. E aí? Aí, não tem importância, porque são milhares de pessoas? Quantas empresas iriam cultivar a cannabis no Brasil? Umas cinco ou seis, não mais que isso. Agora, com a decisão, essas seis não podem plantar, mas milhares de pessoas podem (risos). BBC News Brasil - Qual outro argumento o senhor acha incoerente? Dib - Como esse processo é muito velho, várias instâncias foram ouvidas. Mas se perderam no meio disso. Mas não ouvimos todo mundo que poderia ter sido ouvido. BBC News Brasil - O senhor acredita que isso teve influência no resultado? Dib - Olha, o resultado é esse. Então, agora vamos escrever por que o resultado é esse. Você faz uma equação em que o resultado é 8. Como você vai fazer? 4 + 4? 5 + 3? 7 + 1? O resultado é 8. Não importa como você vai escrever, o resultado é: não pode fazer o plantio. BBC News Brasil - O senhor acha que a não autorização do plantio pode encarecer o remédio em comparação com um cenário em que o cultivo fosse permitido? Pois as empresas que queiram produzir o remédio terão que importar a matéria-prima… Dib - Com a permissão da venda do remédio em farmácia, o preço do medicamento vai cair, pois as pessoas não vão precisar mais importar individualmente. Uma coisa é você trazer o produto para a Dona Maria. Outra coisa é você trazer para 3 mil Marias. Então, a compra do produto em quantidade maior deve baratear o custo na origem e aqui. E vai ter concorrência: a farmácia A contra a farmácia B. A tendência é reduzir custos. BBC News Brasil - Vai ser um preço acessível para a população em geral? Dib - Vai ser mais acessível que hoje. E outra coisa: com vai existir registro, o SUS e o Ministério da Saúde pode autorizar a distribuição, como é feito com outros produtos. BBC Brasil - Mas, pensando em uma empresa que pretende produzir o medicamento, ela terá que importar a matéria prima. Caso ela cultivasse a cannabis aqui no Brasil, esse remédio não ficaria ainda mais barato para o consumidor? Dib - Na teoria, sim. Hoje, me espantei com o voto do almirante (Antonio Barra, diretor da Anvisa indicado por Bolsonaro). Ele disse que está sobrando produto no exterior. Pode ser que o custo caia, não sei, não acompanho o mercado de cannabis. Não sei se está no ponto de curva mais alto ou mais baixo do preço. BBC News Brasil - Hoje, o único medicamento vendido com base de cannabis custa cerca de R$ 2.800 por mês. A sua expectativa, com a regulamentação, é que eles cheguem no mercado em qual patamar de preço? Dib - Acredito que a concorrência vai reduzir rapidamente esse custo, quando houver concorrência. Vou fazer uma brincadeira: quando o Viagra foi lançado, ele custava uma fábula. Hoje, o genérico custa dez vez menos em comparação quando foi lançado o produto. Os produtos farmacêuticos tendem a reduzir o preço conforme aumenta o consumo. BBC News Brasil - O senhor estima qual será a redução do preço? Dib - Não sou muito bom nesse aspecto econômico. Mas as pessoas que conhecem esse assunto dizem que há uma curva descendente (de preço) que dura um ano, um ano e meio, até que o valor seja estabelecido. Ele vai caindo conforme aumenta a concorrência. Não é uma queda súbita. BBC News Brasil - As pessoas comuns, além das classes médias e alta, vão ter acesso? Dib - Com certeza. Já há projetos para que prefeituras e governos estaduais possam pagar pelos medicamentos. Na hora que o laboratório e a distribuidora estiverem em território nacional, muitos municípios e Estados vão agregar os medicamentos. O SUS também pode fazer isso. No Brasil, infelizmente ou felizmente, há judicialização: se o seu filho está doente, precisa de cannabis e você não tem dinheiro, você entra na Justiça e o Estado tem de pagar. BBC News Brasil - O senhor acredita que essa restrição ao plantio ocorre por uma falta de conhecimento ou até preconceito em relação à cannabis? Dib - É difícil julgar as pessoas. Acredito que eles misturam a questão da droga e do consumo recreativo, ou do uso como entorpecente, e não separam a questão medicinal. Veem risco e misturam conversa de droga com o produto medicinal. O produto medicinal não tem efeito de droga. Por via oral, não dá barato, as pessoas não ficam entorpecidas. Não dá isso. BBC News Brasil - O sr. disse que o plantio foi discutido na Anvisa em separado da produção medicinal por uma questão estratégica. Por que isso ocorreu? Dib - Quando cheguei aqui, o governo de plantão, da Dilma Rousseff, queria liberar o plantio totalmente. Quem estivesse doente e precisasse de cannabis poderia plantar. Nesse caso, você não conseguiria distinguir quem plantaria para fins medicinais e quem cultivaria para recreação. Você não sabe o que ele estaria plantando, porque não há controle da semente. Você não saberia se ele está cultivando plantas com mais CBD (canabidiol) ou THC (tetrahidrocanabinol). Não daria para controlar o que é produzido domesticamente, não há laboratório nem fiscalização possível para monitorar isso. Agora, o governo Bolsonaro assumiu e, como eles são conservadores, não querem discutir em hipótese nenhuma a questão do plantio. Paciência… BBC News Brasil - Até quando o sr. fica na Anvisa? Dib - Hoje é dia 3? São mais 17 dias, estou contando um por um. BBC News Brasil - Por quê? Dib - Ah, porque está difícil (risos). BBC News Brasil - O que está difícil? Muita pressão do governo? Dib - Você imagina, essa questão da cannabis é fichinha, é só o troco. BBC News Brasil - Quais são as dificuldades o senhor tem enfrentado? Dib - Não, não. Não posso falar sobre isso com repórteres. Veja Mais

The Mandalorian: diretora conta como manteve Baby Yoda em segredo

The Mandalorian: diretora conta como manteve Baby Yoda em segredo

Tecmundo A atriz e diretora Bryce Dallas Howard foi a segunda mulher a dirigir um live-action oficial de Star Wars. Para contar um pouco sobre como foi a experiência de participar de The Mandalorian, ela fez uma transmissão ao vivo pelo Instagram no último domingo (01) para uma sessão de perguntas e respostas.Segundo ela, uma das maiores dificuldades foi manter o "bebê Yoda" em segredo. A diretora comentou que também precisou explicar para os filhos que eles não poderiam comentar nada sobre o personagem. "Meus filhos foram visitar o set um pouco, e eu fiquei tipo: 'Vocês têm que manter esse segredo, não podem falar nada sobre isso'", disse Howard. "Todas as manhãs, praticávamos 'sobre o que vocês não irão falar hoje?'. E eles diziam: 'Baby Yoda!'".Leia mais... Veja Mais

Qualcomm anuncia Snapdragon 865 e outros processadores com conexão 5G

G1 Economia Principal anúncio, 865 não tem 5G integrado, ao contrários dos novos 765 e 765G. Cofundador da Xiaomi também participou do evento nos EUA, anunciando o novo Mi 10, celular topo de linha da fabricante chinesa. Qualcomm lança Snapdragon 865, processador para celulares topo de linha Thiago Lavado/G1 A fabricante de processadores Qualcomm anunciou nesta terça-feira (2) o Snapdragon 865, nova versão do produto mais sofisticado da empresa, além de uma nova linha de chips para smartphones que estão entre os intermediários e os "premium", os Snapdragon 765 e 765G. Mais rápido e com mais processamento para suportar melhores funções de fotografia, gravação e jogos no smartphone, o Snapdragon 865 vem também com a opção de um modem com 5G, o que poderá possibilitar aos celulares topo de linha de 2020 já estarem conectados na rede. Uma expansão da funcionalidade de reconhecimento digital na tela dos dispositivos também foi anunciada. Já o foco dos processadores 765 e 765G será em fornecer melhor suporte para câmeras, jogos mobile e gravações em alta definição. Ao contrário do 865, esses processadores vêm com 5G integrado, o que pode começar a expandir o número de aparelhos com acesso ao 5G no ano que vem. O Snapdragon é conhecido por estar presente em alguns dos principais celulares do mundo, como Galaxy S10, Note 10, Pixel 4 e diversos modelos de Xiaomi, Motorola e Asus. Apple e Huawei fabricam seus próprios processadores. "O novo Snapdragon estará nos melhores smartphones com 5G que você poderá comprar em 2020", disse o presidente da Qualcomm, Cristiano Amon. Segundo Alex Katouzian, diretor de tecnologia móvel da Qualcomm, os novos chips permitem que os smartphones gravem em velocidade ainda maior, com vídeos em definição 8k de 30 FPS (frames por segundo). "Os usuários compram atualmente celulares pela câmera. O novo processador consegue captar em alta resolução, permitindo excelentes fotos e vídeos no dispositivo", disse Katouzian. A nova tecnologia também deve melhorar a experiência de jogos nos smartphones, um segmento crescente em faturamento, segundo o executivo. O chip da Qualcomm lida com as diferentes variantes de redes 5G, as chamadas bandas de ondas sub-6GhZ e milimétricas. Cofundador da Xiaomi anuncia o novo Mi 10 em evento da Qualcomm nos EUA Thiago Lavado/G1 Novo Xiaomi com 5G O cofundador da Xiaomi, Lin Bin, também participou do evento e anunciou um novo smartphone topo de linha da empresa, o Mi 10. Ele virá com o Snapdragon 865 e com uma câmera de 108MP, com base nas novas capacidades de processamento. Segundo o executivo, a parceria com a Qualcomm já permitiu que a fabricante chinesa lançasse 427 milhões de smartphones. Bin ainda afirmou que a Xiaomi irá ofertar mais de modelos de 10 smartphones com conexão 5G em 2020. A Huawei já havia lançado um chip com conexão 5G, o Kirin 990, presente no Mate 30 — aparelho que ficou mais conhecido por não ter nenhum dos softwares do Google. Já a Apple deixou o 5G para o futuro, sem a opção de conexão com a rede nos lançamentos dos iPhone 11, que vieram com o chip A13 Bionic. A Qualcomm já havia anunciado que iria trazer o 5G para sua família de chips intermediários, que estão presentes em smartphones de preço também intermediário, o que baratearia o custo da conexão à nova rede para os consumidores. No Brasil, o 5G continua aguardando um leilão das faixas em que a rede irá funcionar. Em novembro, o governo anunciou que iria incluir o 5G no programa de concessões do governo federal. O que é 5G? Arte/G1 Veja Mais

Ibovespa encerra perto da estabilidade com exterior pessimista

Ibovespa encerra perto da estabilidade com exterior pessimista

R7 - Economia O Ibovespa, principal índice acionário da B3, a bolsa brasileira, encerrou o pregão desta terça-feira (03) perto da estabilidade com alta de 0,03%, aos 108.956,02 pontos. A bolsa desacelerou ao longo do dia por conta de uma declaração polêmica do presidente americano, Donald Trump. Ele afirmou que os acordos entre EUA e China podem se […] O post Ibovespa encerra perto da estabilidade com exterior pessimista apareceu primeiro em SpaceMoney. Veja Mais

Small Caps: BTG revela duas novas apostas para dezembro

R7 - Economia O BTG Pactual trocou duas ações em sua carteira recomendada para small caps no mês de dezembro, revela um relatório enviado a clientes. Os analistas Carlos Sequeira e Osni Carfi retiraram os papéis da Light (LIGT3) e da Even (EVEN3) para abrir espaço para a chegada da Trisul (TRIS3) e BR Properties (BRPR3). O portfólio do banco […] Veja Mais

YouTube promete retrospectiva bem diferente do fracasso que foi o Rewind 2018

YouTube promete retrospectiva bem diferente do fracasso que foi o Rewind 2018

canaltech O YouTube costuma lançar anualmente uma retrospectiva sobre os destaques do ano na plataforma, e está prestes a veicular a versão de 2019. Contudo, a companhia do Google já fez questão de adiantar que a retrospectiva de 2019 será bem diferente do famigerado Rewind 2018. Para quem não se lembra, o YouTube Rewind 2018 chegou à infame marca de mais odiado da história do serviço, ultrapassando o clipe Baby, lançado em 2010 por Justin Bieber, com mais de 10 milhões de “descurtidas”. Muitos usuários demonstraram insatisfação com relação à desconexão do YouTube com a realidade e um excesso de referências ao game Fortnite — várias pessoas chegaram a acusá-lo de usar o vídeo como oportunidade de publicidade, e não uma celebração da comunidade.   Milhares de comentários negativos abordaram a produção, dizendo que youtubers famosos como Logan Paul, PewDiePie e Shane Dawson não estavam presentes. Também houve queixas de que virais famosos que conquistaram a internet não estavam presente no compilado. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Bem, para enfatizar que o Rewind 2019 será diferente, o YouTube publicou um teaser em seu Twitter dizendo apenas que o "Rewind está chegando", mas com um meme para esclarecer que, desta vez, o caminho será outro. #RewindIsComing pic.twitter.com/gwHQY0yhsk — YouTube (@YouTube) December 3, 2019 Bom que pelo menos o próprio YouTube admitiu que no ano passado a coisa desandou. E você, o que espera no Rewind 2019? Conta para a gente nos comentários! Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (03/12/2019) 25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019 Veja Mais

Juiz de Brasília manda soltar acusado de hackear Moro e Deltan

O Tempo - Política Estudante, de 19 anos, foi preso na segunda fase da operação Spoofing por suspeita de participar da invasão de celulares Veja Mais

Relator propõe R$ 3,8 bilhões para fundo eleitoral em 2020

Relator propõe R$ 3,8 bilhões para fundo eleitoral em 2020

R7 - Economia Aumento do fundo foi costurada com líderes partidários Diego Herculano/Folhapress Os deputados e senadores poderão praticamente dobrar o valor do fundo eleitoral proposto pelo governo. O relator Domingos Neto (PSD-CE) colocou no relatório a destinação de R$ 3,8 bilhões para gastos em campanhas no ano que vem. O valor é R$ 1,8 bilhão superior à proposta de R$ 2 bilhões encaminhada pelo governo. Se aprovada, o fundo eleitoral de 2020 é 120% maior que o gasto no pleito do ano passado, quando os partidos receberam R$ 1,7 bilhão da União. As informações constam no relatório que Domingos Neto vai apresentar nesta terça-feira, 3, às 17h. O aumento do fundo foi costurado com apoio da maioria dos líderes partidários que viram os valores mandados pelo governo como uma manobra para diminuir o repasse. O governo, inicialmente, anunciou que mandaria R$ 2,5 bilhões. Contudo, quando a proposta chegou, o valor caiu para R$ 2 bilhões, sendo que R$ 1,3 bilhão de emendas de bancadas. Leia mais: Centrão e oposição articulam para aumentar fundo eleitoral A manobra contábil da equipe econômica do governo desagradou líderes que recompuseram o orçamento prevendo uma despesa de R$ 2,5 bilhões do caixa da União somados aos R$ 1,3 bilhão das emendas de bancada, retomando o valor inicial proposto pelo Congresso em agosto. O governo queria encaminhar ao Congresso apenas o valor das eleições passadas corrigido pela inflação. Os partidos que mais se beneficiaram serão o PT, seguido pelo PSL. Em 2015, o STF (Supremo Tribunal Federal) proibiu que empresas financiassem campanhas. O Supremo entendeu que a prática violava princípios democráticos da igualdade de forças na disputa, representando captura do processo político pelo poder econômico. Como resposta, o Congresso decidiu ampliar o financiamento público direto das campanhas instituindo um fundo de R$ 1,7 bilhão, distribuído aos candidatos a critério das cúpulas partidárias e elas têm privilegiado políticos já com mandato. Deputados e senadores articulam a derrubada na sessão desta terça-feira outros vetos do presidente Jair Bolsonaro a trechos da minirreforma eleitoral aprovada pelo Legislativo neste ano, que permite uso de dinheiro público para pagamento de despesas dos partidos políticos. Entre os pontos que podem voltar a valer estão a recriação da propaganda partidária em rádio e TV, a possibilidade de pagamento de multas eleitorais com recursos públicos do fundo partidário e maior flexibilidade de prazo para candidato ficha-suja. Veja Mais

Congresso mantém veto à propaganda partidária em emissoras de rádio e TV - 03/12/19

Congresso mantém veto à propaganda partidária em emissoras de rádio e TV - 03/12/19

Câmana dos Deputados O Congresso manteve nessa terça-feira o veto de Jair Bolsonaro à volta da propaganda partidária em rádio e televisão. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais Veja Mais

Expressão Nacional - Contrato de Trabalho Verde e Amarelo: nova reforma trab...

Expressão Nacional - Contrato de Trabalho Verde e Amarelo: nova reforma trab...

Câmana dos Deputados Contrato Verde e Amarelo é o nome dado pelo Governo Federal à Medida Provisória que cria condições especiais para contratação de jovens sem experiência profissional. Mas há quem entenda ser o pacote uma grande reforma que retira direitos trabalhistas. O Expressão Nacional entra neste debate. Maristela Sant’Ana  conversa sobre o tema com os Deputados Daniel Coelho (Cidadania/CE) e Rogério Correia (PT/MG), Márcio Amazonas, secretário de Relações Institucionais do Ministério Público do Trabalho (MPT), e Bruno Dalcolmo, secretário de Trabalho da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia. Mas atenção! O Expressão Nacional desta terça-feira será em horário novo, às 19h, ao vivo, na TV Câmara (https://www.camara.leg.br/tv), e no canal da Câmara no YouTube. Participe e envie suas perguntas pelo Facebook ou Twitter @tvcamara, e Whatsapp (61) 99620.2573. Veja Mais

Relator do Orçamento de 2020 propõe ampliar valor do fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões

G1 Economia Governo havia proposto reduzir de R$ 2,5 bi para R$ 2 bi. Segundo relator, valor pode aumentar porque houve revisão na estimativa de receitas e no montante destinado às emendas. O deputado Domingos Neto, relator do Orçamento de 2020 Cleia Viana/Câmara dos Deputados O deputado Domingos Neto (PSD-CE), relator do Orçamento de 2020, propôs nesta terça-feira (3) ampliar o valor do fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões. Inicialmente, o governo havia proposto R$ 2,5 bilhões, mas, na semana passada, propôs reduzir o valor para R$ 2 bilhões. Segundo Domingos Neto, o valor do fundo poderá aumentar porque houve revisão na estimativa de receitas da União e no montante às emendas de bancada. O tema ainda está em discussão na Comissão Mista de Orçamento e, para virar lei, precisa ser aprovado pela CMO e pelo plenário do Congresso Nacional, em sessão conjunta formada por deputados e senadores. Após o relator propor a revisão, o líder do partido Cidadania, Daniel Coelho (PE), divulgou uma nota na qual afirmou ser contra o aumento dos recursos. "Defendemos medidas para baratear as eleições. Debates ao vivo, em detrimento das mega produções de TV, fortaleceriam nossa democracia sem aumentar o custo do cidadão com as campanhas", declarou Coelho. Fundo Eleitoral x Partidário - entenda as diferenças e como ficam as novas regras Eleições municipais Ao informar o valor previsto para o fundo eleitoral, Domingos Neto afirmou que a ampliação foi pedida por presidentes de partidos em razão das eleições municipais do ano que vem. "Nós temos aí partidos de esquerda, direita, centro, todos signatários de um pleito de que a gente pudesse restabelecer um corte que foi feito", declarou. O relator afirmou também que, pelo remanejamento de emendas parlamentares será possível ampliar os investimentos no Orçamento, alcançando cerca de R$ 20 bilhões a mais do que o previsto na proposta inicial. "Nós tínhamos um dos menores níveis de investimento em uma série histórica, cerca de R$ 19 bilhões, para ter um nível de investimento público que vai permitir que o governo possa entregar programas importantes, projetos e obras que são fundamentais para o país”, declarou. Veja Mais

CT News - 03/12/2019 (Xiaomis com nota fria estavam na mira da RF há 4 meses)

CT News - 03/12/2019 (Xiaomis com nota fria estavam na mira da RF há 4 meses)

canaltech Celulares Xiaomi com nota fria na mira da receita // Modo escuro do Whats ativado automaticamente para economizar bateria // As maiores inovações tech de 2019 // Warner ainda não sabe o que fazer com o Superman // Provando que microgravidade inibe crescimento de tumores Ouça ao podcast. Veja Mais

Small caps: Ágora troca Direcional por Positivo em carteira

R7 - Economia Depois de iniciar a cobertura da Positivo (POSI3) nesta semana, a Ágora reforçou sua confiança na empresa ao incluí-la na sua carteira recomendada de small caps para dezembro. Para abrir espaço para a fabricante de celulares e notebooks, a corretora do Bradesco excluiu a incorporadora Direcional (DIRR3). “Apesar de gostarmos do papel [DIRR3], vamos mais […] Veja Mais

Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019

Google Play divulga lista com os melhores apps, filmes e jogos de 2019

canaltech Nesta terça-feira (3), o Google Play divulgou listas com os melhores aplicativos, jogos, filmes e livros de 2019, com base em voto popular e ranking de compra e download. Entre os aplicativos que se destacaram neste ano estão o Appito | Organize, Jogue e Revolucione seu Futebol, Boosted - Productivity & Time Tracker, Editor de Vídeo - Efeito Glitch e Foto Música, entre outros. Entre os melhores jogos, entraram na lista Brawl Stars, Futebol Rumble Stars, CHUCHEL, entre vários outros, e entre os filmes estão Vingadores: Ultimato, Aquaman, Bohemian Rhapsody, e muito mais! Confira as listas completas: -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Voto Popular 2019  Melhor aplicativo - Dollify Melhor Jogo - Call of Duty: Mobile Melhor Filme - Vingadores: Ultimato Melhor Livro - The Seven Deadly Sins 30 Imagem: Reprodução Melhores Apps de 2019 O Melhor App - Cíngulo: Terapia Guiada Dia a Dia - Boosted - Productivity & Time Tracker App de Crescimento Pessoal - Calm - Medite, Durma e Relaxe Tesouros Escondidos - Appito | Organize, Jogue e Revolucione seu Futebol Apps Mais Divertidos - 21 Buttons: Rede Social de Moda & Compra Online - Ablo: Converse e conheça amigos em todo o mundo - Concepts - Faça esboços, desenhos e ilustrações - Enlight Pixaloop - Editor de Vídeo - Efeito Glitch e Foto Música Melhores Jogos de 2019 O Melhor Jogo - Call of Duty: Mobile Melhores Jogos Competitivos: - Brawl Stars - Call of Duty: Mobile - Futebol Rumble Stars - Tacticool - Atirador 5v5 - Tennis Clash: Esporte 3D - Jogo Multiplayer Grátis Imagem: Reprodução Melhores Jogos Indie - Ailment - CHUCHEL - G30 - Labirinto da memória - Stardew Valley - Tiny Room Stories: Town Mystery Melhores Jogos Casuais - Angry Birds Dream Blast - Fishing Life - Golf Peaks - Mario Kart Tour - Vineyard Valley: Combine e Construa Melhores Jogos Inovadores - Archero - Assassin's Creed Rebellion - Auto Chess - The Elder Scrolls: Blades - Minit Os Filmes Mais Vistos de 2019 Imagem: Divulgação - Vingadores: Ultimato - Aquaman - Nasce uma Estrela - Capitã Marvel - Venom - Aladdin - Minha Vida em Marte - Bohemian Rhapsody - Shazam!- Homem-Aranha: No Aranhaverso - Superação – O Milagre da Fé- John Wick: Um Novo Dia Para Matar- Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald- John Wick: Chapter 3 - Parabellum - Laços- WiFi Ralph Quebrando a internet - X-Men: Fênix Negra - Robin Hood: A Origem- Como Treinar o Seu Dragão 3 - Infiltrado na Klan - Homem-Aranha: Longe De Casa - Dumbo- Green Book: O Guia - Vidro - Homem-Aranha - De Volta Ao Lar- Alita: Anjo de Combate- Vingadores: Guerra Infinita - Pokémon: Detetive Pikachu- O Protetor 2- Bumblebee- De Pernas Pro Ar 3- MIB Homens de Preto - Internacional- Missão: Impossível Efeito Fallout - Creed II - Máquinas Mortais- Hotel Transilvânia 3: Férias Monstruosas- Megatubarão- Incredibles 2- A Freira - 22 Milhas- O Grinch- Como Eu Era Antes de Você- Harry Potter e a Pedra Filosofal - O Parque dos Sonhos- A Cinco Passos de Você - Luccas Neto em: Acampamento de Férias- Vingança a Sangue Frio- Toy Story 4- Rocketman Imagem: Divulgação Livros mais vendidos de 2019 - O Poder da Mente - O Poder da Ação: Faça sua vida ideal sair do papel - Tokyo Ghoul - ANSIEDADE 2 - Autocontrole - Como controlar o estresse e manter o equilíbrio - A Sutil Arte de Ligar o F*da-se - Sapiens: Uma breve História da Humanidade - Mais Esperto que o Diabo: O mistério revelado da liberdade e do sucesso - Quem pensa enriquece: O legado - Me Poupe!: 10 passos para nunca mais faltar dinheiro no seu bolso - Do mil ao milhão: Sem cortar o cafezinho - O poder do hábito: Por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios - Os segredos da mente milionária: Edição 2 - Pai Rico, Pai Pobre - Edição de 20 anos atualizada e ampliada: O que os ricos ensinam a seus filhos sobre dinheiro - Seja foda! - O milagre da manhã - O Corpo Fala: A linguagem silenciosa da comunicação não-verbal - O poder da autorresponsabilidade: A ferramenta comprovada que gera alta performance e resultados em pouco tempo - Mindset: A nova psicologia do sucesso- Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente- GESTÃO DA EMOÇÃO - Técnicas de coaching emocional para gerenciar a ansiedade, melhorar o desempenho pessoal e profissional- Minutos de Sabedoria- As armas da persuasão: Como influenciar e não se deixar influenciar, Edição 2 - ANSIEDADE: COMO ENFRENTAR O MAL DO SÉCULO - Trabalhe 4 horas por semana: Edição 3 - A barraca do beijo: Ela pode dizer ao seu melhor amigo qualquer coisa... Exceto isso - Hipnose: Descubra o poder da sua mente - As cinco linguagens do amor - 3a edição: Como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge, Edição 3 - A cinco passos de você - O Poder do Agora: Um guia para a iluminação espiritual - Des Foda-Se: Saia da sua Cabeça, Entre na sua Vida - Se não eu, quem vai fazer você feliz?: Minha história de amor com Chorão - Furacão Anitta - Eu vou te ensinar a ser rico: Três passos simples para quitar as dívidas em doze meses e construir a sua liberdade financeira - Ponto de inflexão - Mister - Produtividade para quem quer tempo: Aprenda a produzir mais sem ter que trabalhar mais - A lei da atração: "O segredo", de Rhonda Byrne, colocado em prática - Linguagem Corporal em 30 Minutos - Aprender Inglês: Expressões idiomáticas - Locuções - Provérbios - After: Volume 1 - 12 Regras para a Vida: Um antídoto para o caos - Fogo & Sangue: Volume 1 - Curso completo de memorização - Um marido de faz de conta - After – Depois da verdade - 52 Maneiras de Vencer na Vida - Pega a visão - THANOS SENTENÇA DE MORTE - Por que fazemos o que fazemos? - Comunicação não-violenta: Técnicas para aprimorar relacionamentos pessoais e profissionais, Edição 3 Reprodução: Endeavor Audiolivros mais vendidos de 2019 - O poder do hábito: Por que fazemos o que fazemos na vida e nos negócios - A Arte da Guerra - Mais Esperto que o Diabo - Mindset: A nova psicologia do sucesso - Ansiedade - Como Enfrentar o Mal do Século - Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes - Homo Deus: Uma breve história do amanhã - O Príncipe - Como Convencer Alguém em 90 Segundos - Rápido e devagar: Duas formas de pensar - O Livro dos Espíritos - 1984 - Como Convencer Alguém em 90 Segundos - Versão Completa - Manual de Persuasão do FBI - Mais rápido e melhor: Os segredos da produtividade na vida e nos negócios - Senhor, ensina-me a orar: 31 dias para mudar sua vida de oração - 1822 - Seja Líder de Si Mesmo - Liderança: A inteligência emocional na formação do líder de sucesso - O Evangelho Segundo o Espiritismo - A História do Mundo Para Quem Tem Pressa - O Livro dos Médiuns - O Manuscrito Original - Completo - Eu Vou Te Ensinar a ser Rico - O Pequeno Príncipe - 1808 - 21 lições para o século 21 - Desf*da-se: saia da sua cabeça, entre na sua vida - 1889 - Hackeando Tudo - Mentes Brilhantes - O Poder do Pensamento Positivo - Segredos Mágicos da Sua Mente - Agilidade Emocional - Sapiens: A Brief History of Humankind - Atitude Mental Positiva - O mundo de Sofia: Romance da história da filosofia - O Diário de Anne Frank - Quem Convence Enriquece - Inteligência positiva: Por que só 20% das equipes e dos indivíduos alcançam seu verdadeiro potencial e como você pode alcançar o seu - 12 Semanas para mudar uma Vida - A dieta da mente: A surpreendente verdade sobre o glúten e os carboidratos - os assassinos silenciosos do seu cérebro - Gente Que Convence - Casamento Blindado - o seu casamento à prova de divórcio - A Escada para o Triunfo - 20 Regras de Ouro Para Educar Filhos e Aluno: Como Formar Mentes Brilhantes na Era da Ansiedade - Sapiens: Uma breve história da humanidade Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Sundar Pichai agora é CEO da Alphabet substituindo Larry Page e Sergey Brin Veja Mais

STF aceita denúncia, e Renan Calheiros vira réu pela 1° vez na Lava Jato

O Tempo - Política Os ministros Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes votaram pelo arquivamento da denúncia Veja Mais

Tudo sobre o Qualcomm Snapdragon Tech Summit 2019

Tudo sobre o Qualcomm Snapdragon Tech Summit 2019

canaltech Com foco em 5G em cada minuto da apresentação, a Qualcomm iniciou seu encontro anual de tecnologia, o Qualcomm Snapdragon Summit, em Maui (Havaí), anunciando seus novos processadores para 2020, com diversas fabricantes parceiras seguindo o momento para demonstrar que não ficaram atrás e que já contarão com os novos chips logo no ano que vem. Estivemos presentes no evento e, abaixo, você descobre tudo o que aconteceu por lá. Mais um ano falando sobre 5G (Foto: Qualcomm) A Qualcomm reservou um tempo considerável para reexplicar o 5G, indo desde como as velocidades serão potencializadas em todos os dispositivos possíveis para até como os diferentes tipos de métodos para transmissão do 5G irão potencializar inicialmente o 4G também, afinal há possibilidade de compartilhar equipamentos e sinais para parte das operações de atualização das coberturas móveis pelo mundo. Num segundo momento os equipamentos de transmissão dedicados (e com comprimentos de onda voltados para o 5G de alta-alta performance) devem concluir a cobertura no nível máximo que a tecnologia tem para as previsões atuais, sendo um indicativo que que ainda teremos muitos saltos no protocolo 5G (indo desde alcance melhor, ainda mais velocidade e tempo real) até que ele se torne um padrão completamente entendido e adotado pelo mundo. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Naturalmente, todo esse enredo de 5G nos leva até os chips novos anunciados. Snapdragon 765, 865 e 765G Começando pelo Chipset Snapdragon 765, temos a chegada de uma atualização na linha de processadores de alta potência da Qualcomm que mantém os pés no chão na hora de tabelar os preços. Segundo a empresa, a atualização presente neste modelo oferece performance e recursos de inteligência artificial acima dos topos de linha de chips concorrentes, porém não forneceu informações mais detalhadas sobre como isso ocorre. O modelo “gamer” do chip, o 765G, apenas foi citado como confirmado neste momento. Da mesma forma vaga, o Snapdragon 865 foi anunciado, completando as afirmações de poder de processamento e inteligência artificial feitas sobre o modelo mais acessível, o 765. O foco de tudo é dar a sentença chave de que todas as experiências passadas no Snapdragon 855 foram melhoradas e que, agora, conta com 5G totalmente compatível com todas as implementações de 5G que existem e que estão iniciando sua existência no mercado. Ou seja: o foco é que a plataforma 865 entregue games “ao nível do computador” com conectividade da nova geração, sendo ela híbrida (nas transmissões atuais de 4-5G) ou dedicada (como deverá predominar nos próximos anos), tudo suportado pelo modem presente no Snapdragon 865. A maior parte desse suporte 5G está presente no chip menor, o 765, porém a ampla compatibilidade de forma completa fica por conta apenas do 865 nesse momento.Algo fora do assunto 5G que pode acabar ofuscado pela temática repetitiva é a modularidade dos chips novos anunciados, permitindo construções mais variadas pelas fabricantes, bem como a capacidade geral dos chips de operar. Outro item: além de tudo citado, vale lembrar que o processamento de imagens (fotos, vídeos) produzidos pelos smartphones depende da capacidade e suporte dos chipsets, sendo essa temática interessante na nova geração. A Qualcomm espera ver aparelhos com capacidade para fotos de 200 megapixels com a capacidade dos novos processadores, dando possibilidades de zoom, qualidade e outros itens num nível inesperado para boa parte dos usuários. Se alguma fabricante vai aproveitar de fato esse potencial todo, fica a dúvida para o ano que vem. E falando nele... Smartphones com 5G em 2020 A Qualcomm espera segundo suas projeções 1.4 bilhões de smartphones equipados com 5g operando até 2022, sendo essa previsão bem auxiliada pelas fabricantes “com urgência” em anunciar de imediato suas intenções para o ano que vem. No Snapdragon Summit fizeram parte dos anúncios: Xiaomi (que foi direta ao ponto, anunciando oficialmente o Mi 10 com Snapdragon 865, sem mais dados para o momento, dando apenas a mensagem de que “mais de dez aparelhos Xiaomi com 5G chegarão em 2020), Motorola (que deve trazer mais dobráveis e modelos 5G ao longo de 2020), OPPO (que afirmou o uso do 865 em seu próximo topo de linha), Nokia HMD (que deverá trazer modelos intermediários com os novos chips Qualcomm em 2020). O que temos até o momento? Um Snapdragon topo de linha novo, com o dobro de operações por segundo que seu antecessor 855, acompanhado pelo Snapdragon 765 e 765G, dois modelos que devem levar o 5G para aparelhos intermediários premium. Mais detalhes serão comentados nos próximos dias de convenção, tanto sobre os chips quanto outros anúncios por parte da Qualcomm e suas parcerias. *O Canaltech viajou ao Havaí a convite da Qualcomm para conferir os anúncios do Summit deste ano, então fique ligado aqui para mais novidades nos próximos dias. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Veja Mais

Busca de provas contra suspeito de invadir celular de Moro será intensificada

Busca de provas contra suspeito de invadir celular de Moro será intensificada

canaltech Foi homologada nesta terça-feira (3), pelo juiz Vallisney de Oliveira da 10ª Vara Federal do Distrito Federal, a delação de Luiz Henrique Molição, um dos suspeitos de invadir smartphones de autoridades. Entre as vítimas estava Sérgio Moro, que hoje atua como ministro da Justiça e Segurança Pública, entre outros procuradores da Operação Lava Jato. Com a homologação, como explica o G1, os investigadores conseguem seguir com a busca de provas baseada nas informações presentes na delação. Agora, o juiz passa a considerar, então, que o delator não sofreu coação, confirmando também o acordo de punição feito com o órgão de investigação em troca de informações. Luiz Henrique Molição (Imagem: Reprodução) Luiz Henrique Molição é estudante de direito e foi preso em setembro na cidade de Sertãozinho, em São Paulo, como parte de uma das etapas da Operação Spoofing, realizada pela Polícia Federal. Desde julho, a operação busca desmanchar uma organização criminosa de crimes cibernéticos, em que seus integrantes têm acesso às contas de aplicativos de mensagens de autoridades. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Ainda de acordo com informações do G1, Walter Delgatti Neto, também preso na operação, admitiu que acessou as contas de procuradores da Lava Jato e enviou o seu conteúdo ao site The Intercept Brasil. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Veja Mais

Ágora projeta ganho de 5,6% na carteira de dividendos; veja as ações escolhidas

R7 - Economia A Ágora, corretora do Bradesco, avalia que sua carteira recomendada de dividendos renda 5,6% no ano que vem, com base no seu retorno médio (dividend yield). Segundo a instituição, os resultados serão sustentados pela forte geração de caixa das empresas escolhidas. Para dezembro, a Ágora promoveu uma mudança “tática”. Em relatório assinado pelo analista José […] Veja Mais

Uber aposta em patinetes elétricos no Brasil

Uber aposta em patinetes elétricos no Brasil

canaltech Durante a sua rotina, você provavelmente já viu alguém andando de patinete elétrico por aí. Acontece que esse mercado tem conquistado cada vez mais o seu espaço, o que chamou a atenção de startups e de gigantes do mercado de mobilidade, como aconteceu agora com a Uber. Começando a desbravar o nicho em Santos, no litoral de São Paulo, a Uber agora permite que um usuário de seu app possa escolher se quer fazer uma viagem de carro, pedir uma refeição ou alugar um patinete elétrico, tudo no mesmo aplicativo. "Estamos muito empolgados em trazer os patinetes elétricos da Uber para o Brasil começando por Santos, uma cidade sempre aberta à inovação e que tem uma boa infraestrutura cicloviária. Com esse novo serviço, queremos continuar ajudando as pessoas a se deslocar sem ter que depender de um carro particular, contribuindo para redução dos congestionamentos e da poluição urbana", afirma Ruddy Wang, diretor de Novas Modalidades da Uber no Brasil. Patinetes elétricos são a nova aposta da Uber para o mercado de transportes O preço é de R$ 1,50 para desbloquear o "veículo" mais R$ 0,75 por minuto de uso. Não é necessário baixar nenhum outro aplicativo, bastando usar a mesma conta na Uber para usar os patinetes. A empresa preparou uma série de materiais educativos para os usuários de Santos relembrando regras de trânsito e dicas para dirigir os patinetes com segurança. O conteúdo está disponível no site da Uber, no próprio aplicativo e será distribuído em panfletos na área de operação, que vai da Ponta da Praia até o Emissário. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Os patinetes elétricos vão funcionar da seguinte maneira: todos os usuários da Uber podem alugar um patinete elétrico, não é necessário baixar nenhum outro aplicativo. A recomendação é que você apenas mantenha o aplicativo atualizado. É muito simples usar, confira o passo a passo: O preço do patinete elétrico do Uber é R$ 1,50 para desbloquear e R$ 0,75 por minuto para andar Com o app da Uber aberto, clique no ícone do patinete no canto inferior do mapa. Veja onde estão os patinetes disponíveis, escaneie ou digite o código para desbloquear. Se preferir reservar, você tem 15 minutos para caminhar até o patinete e desbloquear. Dirija com responsabilidade e segurança, seguindo todas as regras de trânsito. Ao final, estacione o patinete sem bloquear a passagem e dentro da área de atuação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Sonda da NASA confirma redução de ventos solares nos confins do Sistema Solar Veja Mais

Relator do Orçamento de 2020 propõe aumento do fundo eleitoral em R$1,8 bi

R7 - Economia BRASÍLIA (Reuters) - O relator do projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2020, deputado Domingos Neto (PSD-CE), propôs que o fundo eleitoral seja elevado em 1,8 bilhão de reais, totalizando 3,8 bilhões de reais, conforme parecer preliminar apresentado nesta terça-feira.Caso prevaleça, o novo valor representará mais que o dobro do total de 1,7 bilhão de reais destinado às eleições de 2018.No documento, protocolado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso, Neto justifica que a elevação atende a pedido da maior parte dos parlamentares."Trata-se de demanda formulada por meio de ofício a esta relatoria, assinado por presidentes de partido e por líderes partidários que representam a maioria dos parlamentares", escreveu ele. Na mensagem modificativa sobre o PLOA enviada recentemente, o governo fixou o montante de 2 bilhões de reais para o fundo. O relator também propôs a realização de corte prévio linear de 3,9% nas programações discricionárias de outras despesas correntes, investimentos e inversões financeiras do poder Executivo para o atendimento de emendas parlamentares. Após o parecer preliminar, o PLOA ainda receberá relatórios setoriais. O relatório-geral deve ser apresentado por Neto até o dia 15 deste mês. O projeto precisa ser aprovado na comissão mista e, depois, em sessão conjunta do Congresso Nacional.None (Por Marcela Ayres) Veja Mais

Tame Impala lança mais uma inédita com “Posthumous Forgiveness”; ouça

Tame Impala lança mais uma inédita com “Posthumous Forgiveness”; ouça

R7 - Música Tame Impala - Posthumous Forgiveness Tenho Mais Discos Que Amigos O Tame Impala vai aquecendo os motores para um novo disco e lança mais uma música. Após disponibilizar dois singles do novo álbum, agora o grupo idealizado por Kevin Parker disponibilizou a audição de 'Posthumous Forgiveness', que você pode ouvir logo abaixo na playlist oficial do TMDQA! The Slow Rush, quarto álbum do Tame Impala, tem data de lançamento marcada para 14 de Fevereiro de 2020. O último disco de estúdio da banda é Currents, de 2015. https://open.spotify.com/playlist/05jyAgzDISm9DyKJt4WUj1?si=6LynTY9CSROfRuGLWRaOrg https://www.youtube.com/watch?v=44lWO3qhQMk Veja Mais

E-mail falso de hackers cobra R$ 300 para não divulgar suposto vídeo íntimo gravado sem autorização

G1 Economia Mensagem afirma que computador do usuário foi contaminado com vírus para registrar as imagens, mas não comprova ameaça. Golpe chantageia vítima com distribuição de vídeo íntimo gravado sem autorização, mas mensagem é falsa. Pierre Amerlynck/Freeimages.com Hackers estão enviando e-mails para ameaçar usuários com a divulgação de um vídeo íntimo supostamente gravado enquanto a vítima navegava em um site pornográfico. Os criminosos pedem R$ 300 para que as imagens sejam mantidas em sigilo. O e-mail, no entanto, é falso e não traz nenhuma prova de que a gravação exista. Os hackers pedem que a vítima compre seis cartões pré-pagos da Acesso e carregue R$ 50 em cada um deles – totalizando R$ 300. Em seguida, fotos dos cartões devem ser enviadas a um endereço de e-mail especificado na mensagem para que os golpistas tenham acesso ao dinheiro. O blog tentou contato com a Acesso para comentar o caso, mas não teve resposta. A cobrança dos valores em cartões pré-pagos diferencia esta fraude de casos anteriores, que exigiam transferências em Bitcoin. O pagamento facilitado pode aumentar o número de vítimas. Quem recebeu o e-mail deve classificá-lo como lixo eletrônico (spam) para ajudar a bloquear ameaças futuras. Se ele já estiver no spam, não é necessário fazer mais nada. É só ignorar a mensagem e não realizar o pagamento. Segundo relatos de leitores que denunciaram o golpe ao blog, não é incomum receber a mensagem diversas vezes. As mensagens estão em circulação pelo menos desde o dia 24 de novembro, e os responsáveis estão se aproveitando de sistemas de e-mail em massa comerciais para realizar os envios. Diversas mensagens estão partindo do sistema de marketing por e-mail da Locaweb, que presta serviços de hospedagem de sites e internet. Em conversa com o blog, a empresa afirmou que não está sofrendo nenhum tipo de ataque em seus sistemas. De acordo com a Locaweb, invasores procuram senhas fracas de clientes para ter acesso ao sistema de envio particular daquele cliente. Para evitar esses ataques, recomenda-se o uso de senhas fortes e únicas. Empresas devem ter uma boa política de gestão de senhas para controlar quem são as pessoas que sabem a pessoa e quando uma troca de deve ser realizada. Sem isso, é possível que hackers obtenham essas senhas para utilizar os serviços contratados para a realização de fraudes. Início da mensagem fraudulenta Reprodução Como é a mensagem A mensagem pode chegar com vários assuntos. Entre eles: Você vai se arrepender! Você tem 72 horas restantes! Seu computador foi invadido! Eu também posso postar nas suas mídias sociais. Seu computador foi invadido por hackers. O texto da ameaça também apresenta variações, mas sempre traz a mesa estrutura geral: seu computador foi contaminado por um vírus que gravou imagens íntimas enquanto você navegava em um site pornográfico e agora você tem 72 horas para realizar o pagamento enviando fotos de cartões pré-pagos. Confira alguns trechos: "A última vez que você visitou um site pornô, baixou e instalou silenciosamente o software que desenvolvi. Meu software ligou sua câmera e gravou sua tela se masturbando. Meu programa também baixou todas as suas listas de contatos de e-mail e uma lista de seus amigos das redes sociais. Eu tenho o arquivo de vídeo com você se masturbando, bem como um arquivo com os endereços de e-mail de seus parentes. Depois de baixar esses arquivos, deixe-me dizer uma coisa: suas fantasias estão muito além do normal! Com um clique do mouse, posso enviar este vídeo para todos os seus e-mails e contatos em redes sociais. Assim que você abrir este e-mail, serei notificado de que você o abriu. Estou monitorando todas as ações no seu dispositivo. Se você optar por não me enviar o pagamento, vou enviar o seu vídeo a todos os seus amigos de sua listas de contatos que baixei do seu dispositivo. Seus familiares também a receberão. Você vai se arrepender, confie em mim. Você pode visitar a polícia, mas eles não resolverão seu problema real. Meu programa ainda estará instalado no seu dispositivo e eu ainda possuo seus vídeos. Eu sei o que estou fazendo. Eu não moro no seu país e sei como permanecer anônimo. Nunca tente me enganar - eu saberei." A ameaça faz sentido? É possível que um vírus instalado no computador ligue a câmera e grave imagens. Em 2016, uma foto que mostrava o notebook de Mark Zuckerberg, CEO do Facebook, com fitas bloqueando a câmera e o microfone viralizou na web e gerou debates sobre a possibilidade de espionagem. Alguns modelos de notebooks hoje vêm com recursos de privacidade para tampar ou desligar a câmera. MacBooks, da Apple, possuem um chip de segurança que desliga o microfone quando a tampa é fechada. Mesmo sendo possível que hackers realizem essas gravações, elas são raras. Na maioria dos casos, imagens para esta finalidade são registradas por pessoas próximas, principalmente parceiros amorosos, resultando no crime conhecido como "vingança pornô". Ao contrário do que afirma a mensagem da fraude, o e-mail não traz nenhum recurso que possa notificar o criminoso de que ele foi visualizado. Além disso, se o hacker realmente tivesse um vírus instalado no computador da vítima, ele poderia exibir uma janela ou abrir uma página diretamente na tela do sistema – como fazem os vírus de resgate, por exemplo. Isso dispensaria o envio de e-mails, que podem ser bloqueados tanto no envio como no recebimento. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Veja Mais

25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre

25 anos do PlayStation | O videogame que revolucionou o mercado para sempre

canaltech Há exatos 25 anos, no dia 3 de dezembro de 1994, a Sony lançava, sem muita pompa, seu primeiro console da videogame: o PlayStation. O aparelho era uma aposta da empresa japonesa para o mercado de videogames de mesa (aquele tipo que as pessoas adquirem para jogar em casa) e o slogan era “rumo a um milhão!”, já que a Sony acreditava que, se aquele aparelho vendesse um milhão de unidades em todo o mundo, já seria um sucesso. 25 anos depois, o setor de videogames é o único que ainda dá lucros para a Sony, que hoje está no topo do mercado — e tudo isso graças ao primeiro Playstation, que não apenas superou todas as expectativas como também mudou para sempre a forma como pensamos sobre um videogame. A história com a Nintendo Essa é uma história que praticamente todo mundo que se interessa por videogames já ouviu falar em algum momento, mas é sempre bom relembrar: o PlayStation nunca existiria do jeito que o conhecemos se não fosse a Nintendo. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Isso porque o primeiro protótipo do console era uma parceria entre a Sony e a então maior fabricante de videogames do mundo, e a ideia original era que ele fosse o sucessor natural de 32 bits para o Super Nintendo (que era um videogame de 16 bits). Esses “bits” se referem à arquitetura do processador utilizado no console e até quais números ele consegue calcular. Por exemplo, um videogame de 8 bits (como o NES) consegue fazer naturalmente cálculos que apresentem um resultado final de até 256. Claro, ele ainda consegue calcular números maiores do que esse, mas ele necessita fazer mais de uma única operação para isso, o que torna a velocidade de resposta mais lenta. Apesar da parceria entre as empresas já estivesse em um estado avançado, a Nintendo resolveu cair fora e desistir dela por causa dele mesmo, o dinheiro: por ter feito boa parte do desenvolvimento, a Sony pedia por uma parcela dos lucros não apenas das vendas dos consoles, mas também dos jogos, algo que a Nintendo não aceitou. Sem chegar a um acordo bom para ambas, a Big N acabou abandonando o projeto e fechando uma parceria com a Philips para o desenvolvimento de um acessório de CD-Rom para o Super Nintendo que nunca foi lançado. Protótipo do que seria o "Nintendo PlayStation" (Imagem: Sony) Enquanto isso, a Sony ficou com um protótipo de videogame de CD que já estava praticamente em sua versão final, então não foi difícil convencer os executivos da empresa a investirem para terminar o projeto e lançá-lo no mercado. Uma parte um tanto irônica dessa história é que, antes de lançar o console por si mesma, a Sony tentou oferecer o projeto para a SEGA, mas a “casa do Sonic” não quis nem ouvir a proposta. Segundo rumores de dentro da companhia, essa rejeição foi porque a empresa não acreditava que a Sony pudesse desenvolver qualquer hardware ou jogo que fosse interessante, o que é bem irônico se você considerar que a Sega lançou logo depois o Saturn, um videogame cuja maior crítica era o de não possuir muitos jogos interessantes. Assim, a Sony se sentiu obrigada a lançar sozinha o aparelho, e por isso mesmo o sentimento dentro da empresa era de que, na melhor das hipóteses, o PlayStation iria vender cerca de uma milhão de unidades, já que era a primeira tentativa de uma empresa que nunca tinha lançado nada para o mercado de videogames. E, certamente, nenhum dos responsáveis pelo console pensava que ele seria o primeiro da história a ultrapassar a marca de 100 milhões de unidades vendidas. A era dos CDs Tecnicamente, o PlayStation não foi o primeiro console de videogames a utilizar CDs: o primeiro mesmo foi o Philips CD-i, em 1990; seguido do Sega CD, em 1993; e do Saturn, um mês antes do lançamento do console da Sony. Mas, mesmo sendo apenas o quarto videogame de CD a chegar ao mercado, foi o PlayStation que inaugurou essa nova era para os videogames, pois ele foi o único dos quatro a fazer sucesso. Mas como uma empresa lançando seu primeiro console conseguiu fazer mais sucesso que a Sega, um dos maiores nomes dos videogames do período? Como a Sony estava lançando um videogame quase que sem pretensão alguma de sucesso, a empresa seguiu um exemplo diferente das duas grandes do mercado: enquanto Nintendo e Sega baseavam o sucesso de seus consoles em jogos produzidos por elas mesmas (como Sonic e Mario), a Sony passou a contatar desenvolvedoras terceirizadas (aqueles que criavam jogos de videogame profissionalmente, mas não tinham o seu próprio console). Até então, a única diretriz que a empresa tinha para o console era que queria um videogame capaz de processar com qualidade gráficos poligonais em 3D (decisão que foi tomada após os engenheiros da empresa verem o sucesso que Virtua Fighter da Sega fazia nos arcades), e então passou a procurar empresas que tinham interesse em desenvolver este tipo de jogo. Para isso, a Sony resolveu facilitar o contrato para essas companhias. Enquanto Nintendo e Sega (as duas grandes da época) colocavam um monte de empecilhos para lançar jogos para seus consoles (como a necessidade de comprar cartuchos proprietários que apenas elas duas vendiam, além de repassar parte do valor das vendas a elas e, no caso da Nintendo, existiam até mesmo algumas travas temáticas, já que a companhia vendia jogos apenas que pudessem ser jogados por pessoas de todas as idades), a Sony acabou com boa parte dessas obrigações: você podia comprar o CD do fornecedor que achasse melhor e fazer um jogo sobre qualquer coisa que desse na telha. Tudo que a companhia pedia era uma pequena parte dos lucros como comissão. Assim, empresas como a Namco, a KONAMI e a EA abraçaram rapidamente o PlayStation e começaram a desenvolver jogos para ele. Mas foi uma empresa em específico a grande responsável pelo sucesso do PlayStation: a SquareSoft (que hoje em dia é a Square-Enix). O “fazedor de consoles” Desde o lançamento de Final Fantasy VI (o último da franquia lançado para o Super Nintendo e também o último lançado exclusivamente para um console da Nintendo) a Square vinha se interessando cada vez mais por desenvolver jogos com longas cenas CGs. Em uma tech demo que a empresa apresentou em 1995 baseada em personagens de Final Fantasy VI, a companhia mostrou que seu objetivo para os próximos jogos da franquia era criar um título que fosse uma enorme “CG interativa”. O maior obstáculo para isso era justamente a sua maior parceira no mundo dos games: a Nintendo. Depois que o Final Fantasy do NES se tornou não apenas o primeiro sucesso da Square, mas salvou a empresa da falência, a relação entre ela e a Nintendo sempre foi muito amigável. Mas os problemas apareceram na segunda metade da década de 1990, quando ambas começaram a mostrar ambições distintas: enquanto a Square queria aproveitar a tecnologia dos CD-ROMs para criar jogos maiores e com gráficos melhores, a Nintendo insistia em manter seus videogames funcionando na base de cartuchos, que tornavam a pirataria mais difícil (além de dar um lucro maior para a Nintendo, pois qualquer empresa era obrigada a comprar os cartuchos diretamente dela), mas também atrapalhava os planos das desenvolvedoras, pois obrigava o arquivo dos jogos a ter um tamanho máximo específico. No caso do Nintendo 64, o máximo que os cartuchos do console conseguiam armazenar era um arquivo de 64 MB, enquanto os CD-ROMs usados no PlayStation e no Saturn armazenavam cerca de 650 MB — ou seja, dez vezes mais. Além disso, caso quisessem fazer um jogo realmente grande, esses videogames permitiam a possibilidade de dividir os arquivos em mais de um único disco, algo impossível de se fazer com os cartuchos, que exigiam que o jogo coubesse inteiramente na memória de uma única mídia.   Assim, a Square passou a procurar novos parceiros para lançar seus jogos e foi atrás daqueles cujos consoles trabalhavam com as tecnologias que a empresa tinha interesse: a Sony e a Sega. Em entrevista ao Polygon, Kazuyuki Hashimoto, que na época era o supervisor responsável por aprovar as cenas CG de Final Fantasy VII e uma das mentes criativas que definiam os rumos dos jogos da Square, revelou o que fez a companhia escolher o PlayStation: a organização da Sony. Ao entrar em contato com ambas as empresas e pedir o manual de desenvolvimento dos consoles, a Sony enviou para a Square um manual encadernado bonitinho, como se fosse um livro mesmo, enquanto a Sega enviou para a Square um fichário com diversas folhas soltas de como o videogame funcionava. Hashimoto revela que ali mesmo, sem nem precisar abrir nenhum dos dois, a decisão foi tomada: se o manual do Saturn era um fichário, isso queria dizer que o aparelho ainda não estava definido e as questões técnicas poderiam ser mudadas a qualquer momento (algo que atrapalharia muito a produção dos jogos da Square) e, por isso, o PlayStation foi escolhido como a “nova casa” da série Final Fantasy. Segundo ele, se a Sony teve a presteza de encadernar certinho o seu manual, era porque ela já havia terminado o desenvolvimento do videogame e não iria fazer nenhuma mudança no hardware da máquina. Desde o sucesso do primeiro Final Fantasy, a franquia ganhou a fama de “vendedora de consoles”, ou seja, os jogos da saga eram daqueles que faziam as pessoas comprarem um videogame só para poder jogá-los. Foi assim durante todos os títulos da franquia lançados para o NES e para o Super Nintendo, e a esperança da Sony era de que isso não iria mudar com o lançamento para o PlayStation — e, realmente, não mudou. Final Fantasy VII — o primeiro jogo da Square lançado de forma exclusiva para o PlayStation — ainda é até hoje o game mais vendido de toda a franquia, tendo batido a marca de 11 milhões de unidades vendidas (considerando todos os relançamentos e versões para outros consoles que vieram posteriormente) e foi chamado pela própria Sony de “o jogo que vendeu o PlayStation”, já que as vendas do console deram um salto depois do lançamento do RPG da Square. Mudança de paradigma O que o PlayStation trouxe para os videogames não foi apenas uma nova tecnologia, mas uma completa mudança de paradigma. Isso porque, até então, o desenvolvimento de jogos para videogames caseiros era todo baseado em sprites 2D, que eram pintados e então animados na tela. O PlayStation foi o primeiro videogame a basear todo o desenvolvimento em polígonos 3D. Isso criava novos desafios para os desenvolvedores, mas também abria muito mais possibilidades sobre o que era possível fazer nos jogos — principalmente quando falamos em cenas CG. O fato de ser um videogame pensado para renderizar ambientes em 3D foi o que permitiu que os desenvolvedores pudessem copiar alguns movimentos de câmera que até então eram exclusivos do cinema, e um dos jogos onde podemos ver essa mudança de forma bem clara é Metal Gear Solid, onde Hideo Kojima trabalhou basicamente como um diretor de filme, fazendo com que a câmera do jogo “mostre” ou “esconda” inimigos e elementos do cenário de forma a ajudar no desenvolvimento da narrativa. Outro paradigma quebrado foi o de o que era possível fazer com um videogame. Isso porque existia um motivo de nenhum videogame até então trabalhar com a animação de polígonos 3D como base: porque isso era um negócio muito caro. Na época, existia um computador pessoal desenvolvido pela Silicon Graphics que fazia renderização em 3D de forma parecida (mas um pouco pior) que o PlayStation, o Alice 25TG, que era vendido a US$ 100 mil. Assim, mesmo que considerássemos que o PlayStation seria fabricado em grande quantidade (algo que não acontecia com o Alice), o que naturalmente já diminui os custos de produção, os desenvolvedores para quem a Sony apresentava seu console imaginavam que ele seria vendido por algo entre US$ 10 mil e US$ 20 mil. Assim, foi um baque para todos quando o videogame pode ser encontrado nas lojas por preços que chegavam a US$ 299 em algumas promoções. Esse custo era possível por uma abordagem que até então não era utilizada por nenhuma empresa de videogame: a de não buscar o lucro. Ao contrário do que era praticado, a Sony não lucrava nada com nenhum PlayStation vendido — na verdade, ela tinha até prejuízo. Isso quer dizer que cada console tinha um preço de custo para a Sony maior do que o valor pelo qual ela vendia o console, o que significava que a Sony estava “bancando” parte dos custos que, normalmente, seria repassado para os jogadores. Essa tática não foi criada à toa: a Sony estava pensando no longo prazo. Ao bancar parte dos custos, ela conseguia colocar no mercado um console com preço muito competitivo e que chamava a atenção de qualquer pessoa que quisesse comprar um videogame. Adquirindo ele, a pessoa seria então obrigada a comprar jogos para conseguir aproveitar o console, e é daí que a Sony tiraria o seu lucro: com mais videogames no mercado, mais jogos seriam comprados e, como a empresa recebe uma comissão por cada jogo vendido, maior seria seu lucro. Battle Arena Toshinden, que lançou junto com o PlayStation, é o primeiro jogo de luta totalmente em 3D lançado para consoles (Imagem: Alvanista) E essa estratégia combinava com uma outra quebra de paradigma: a da distribuição de jogos. Como já falamos anteriormente, a Nintendo e a Sega criavam várias barreiras para as empresas que queriam lançar jogos para seus consoles, e algumas das que mais atrapalhavam empresas com grande ambição no mercado, como a EA, eram alguns limites na quantidade de jogos lançados. Por exemplo: a Nintendo permitia que uma mesma empresa terceirizada (ou seja, que não pertencesse à própria Nintendo) lançasse um máximo de três jogos por ano para seus consoles, ao mesmo tempo que também colocava um limite máximo no número de publishers (as empresas responsáveis pelo lançamento e marketing do jogo) existentes. Todas essas limitações foram tiradas pela Sony: se você quisesse lançar um jogo por mês para o PlayStation, cada um por uma publisher diferente, aquilo ficava ao critério de cada empresa. Não é à toa que foi apenas no PlayStation que a EA aumentou sua linha de jogos esportivos para praticamente todas as modalidades existentes, pois não é como se ela não tivesse o interesse de lançar jogos anuais de hóquei para os outros consoles, mas foi apenas a Sony quem deu a ela liberdade para lançar quantos jogos ela quisesse no mercado e fez com que não precisasse mais escolher quais seriam os dois ou três públicos que iria focar. A junção dessas duas estratégias permitiu que a Sony tivesse um enorme sucesso: as pessoas compravam o videogame da empresa porque era relativamente barato, porque tinham o jogo específico que elas queriam ou apenas porque era o videogame da época com a maior biblioteca de jogos disponíveis (enquanto foram lançados oficialmente 387 jogos para o Nintendo 64 e cerca de 1100 para o Saturn, para o PlayStation foram lançados mais de 3000 jogos de forma oficial). Isso permitiu que não só a Sony tivesse sucesso no mercado, mas também quebrou um novo paradigma da indústria: o da distribuição de jogos. A partir daí, as empresas pararam de criar muitas restrições para o lançamento de jogos e o mercado de videogame deixou de ser dominado pelas produtoras próprias e passou a ser dominado pelas terceirizadas, um cenário que se estende até hoje. Ao mesmo tempo, o principal motivo de nem o primeiro PlayStation e nem o PlayStation 2 serem lançados oficialmente no Brasil foi o de que a Sony não lucrava com a venda dos consoles, e sim com a dos jogos para eles. Como o Brasil sempre foi famoso no mercado de videogames pela predominância da pirataria — e era extremamente fácil piratear os jogos dos dois primeiros PlayStation — nenhum deles foi lançado de forma oficial por aqui, apesar de ainda poderem ser facilmente encontrados no mercado, trazidos por importadores. A Sony só chegou de forma oficial ao país com o PlayStation 3, que utilizava a tecnologia Blu-Ray, que tornava a cópia das mídias muito mais cara e acabou coibindo a pirataria. Na fileira de cima, memory cards do PS1 e, na debaixo, do PS2 (Imagem: Reddit) Uma terceira mudança de paradigma gerado pelo primeiro PlayStation também foi na própria forma como jogamos. Além de popularizar o uso de CDs, o PlayStation também popularizou o uso do Memory Card, acessório que era um cartão de memória que podia ser conectado e usado para salvar o progresso em qualquer jogo. Assim como um pendrive, esse acessório tornava os arquivos de save em um bem móvel e permitia que eles rodassem em qualquer videogame ou jogo, não necessitando ser a mesma mídia. A tecnologia não apenas acabou com a cultura dos “caderninhos de password”, tornando mais simples não perder o progresso nos jogos, como também permitiu a criação de um comunidade de compartilhamento. Assim, se você estava travado em uma fase específica, era só pegar um arquivo de save de algum amigo que conseguiu passar, copiar para o seu memory card e então voltar a jogar em casa. O acessório também criou possibilidades para os fãs de jogos de esporte, que podiam montar seus times personalizados, salvar no memory card e então levar o acessório para a casa de um amigo para que ambos joguem com seus times e táticas personalizadas, criando todo um novo cenário de torneios de bairro que, de certa forma, seriam o início dos eSports. Controle DualShock, o primeiro a trazer dois joysticks analógicos (Imagem: Mercado Livre) Ainda na parte de acessórios, o PlayStation foi também o primeiro videogame a criar um controle com dois analógicos: o primeiro DualShock. Em 1996 a Nintendo foi a primeira a trazer os direcionais analógicos (igual aos usados nos arcades) para os videogames com o Nintendo 64, mas foi em 1997 que a Sony lançou para o PlayStation o primeiro controle com dois analógicos — assim como Ape Escape, o primeiro jogo a fazer proveito deles. O uso de dois analógicos trouxe todo uma nova gama de possibilidades para os consoles, e a Sony foi a primeira a mostrar para as desenvolvedoras que era possível que os jogadores de console também tivessem acesso a games que exigiam movimentação de personagem e ajuste fino dos movimentos da câmera ao mesmo tempo. Foi essa tecnologia que possibilitou que jogos de tiro em primeira pessoa mais complexos (como a série Medal of Honor) fossem lançados também para os consoles, e é um layout que foi copiado por todos os videogames lançados posteriormente. O terceiro grande videogame da história Ao longo da história, existem apenas três videogames que quebraram paradigmas: o Atari 2600, que mostrou que era possível ter em casa a mesma diversão que até então só era encontrada nos arcades; o NES, que tirou todo o mercado de videogames de uma crise profunda e mostrou que eles podiam ser a principal forma de lazer de diversas gerações futuras; e o PlayStation, que mostrou que havia uma nova forma de pensar esse mercado. Dos três, sem dúvidas o PlayStation é que o mais influenciou o estado atual das coisas, e é possível ver até hoje muitas influências do console não apenas em jogos específicos, mas na própria forma como as empresas coexistem dentro deste mercado. Quase sem querer, o primeiro console da Sony praticamente inaugurou toda a era moderna dos videogames, na qual a preocupação dos desenvolvedores é criar o jogo com o melhor gráfico e melhor jogabilidade possível, sem se preocupar com o tamanho dos arquivos, e em uma maior aproximação dos “jogos de PC” e dos “jogos de console”, praticamente acabando com as linhas que separavam ambos e permitindo que qualquer tipo de jogo rode e consiga ser controlado de forma fácil em qualquer tipo de aparelho, seja ele um PC gamer ou um console de mesa. Uma grande dúvida de muita gente é se a Nintendo perdeu a chance de fazer essa revolução ao abandonar a parceria com a Sony, e a resposta é facilmente não. Caso tivesse continuado com a Big N, o console nunca seria o sucesso que foi, e isso é fato. Isso porque grande parte do sucesso se deve ao abandono de algumas práticas de mercado da Nintendo e à maior liberdade dada pela Sony aos desenvolvedores, coisa que simplesmente não aconteceria caso o projeto original fosse levado à cabo até o fim. Assim, nesses 25 anos do PlayStation, é preciso lembrar que, assim como toda história de sucesso, a Sony precisou de muita sorte: sorte de ter sido descartada tanto pela Nintendo quanto pela Sega, o que a obrigou a lançar o console sob suas próprias regras; sorte da falta de capricho da Sega, que fez com que a Square escolhesse lançar Final Fantasy VII para o PlayStation; e sorte de a estratégia de bancar parte dos custos do console e lucrar apenas com a venda de jogos não ter a levado à falência. Com muita sorte, a Sony não apenas lançou o seu primeiro videogame, mas mudou toda a forma como o público enxerga esses aparelhos e mudou toda a divisão de poderes do mercado, se tornando a primeira empresa a desbancar a Nintendo na preferência dos jogadores. 25 anos atrás tudo o que a Sony queria era não levar um enorme prejuízo por ter desenvolvido um protótipo que não seria usado pela Nintendo, e em nenhum momento pensava em lançar o videogame que seria a maior influência para todas as gerações futuras. Mas, mesmo sem intenção, isso aconteceu, porque a vida tem dessas. E, em 2019, podemos lembrar do PlayStation não como um fracasso que nunca saiu do papel, mas sim como o videogame mais influente da história. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Resident Evil 3 | Vazam as primeiras imagens do remake Veja Mais

Festival da cultura judaica vai levar Israel ao Parque Ibirapuera

Festival da cultura judaica vai levar Israel ao Parque Ibirapuera

R7 - Música 'Fest Shalom SP' no Parque Ibirapuera Divulgação Fest Shalom SP acontece no próximo domingo (8), em São Paulo, no Parque Ibirapuera. O evento gratuito reserva ao público paulistano aspectos culturais, como tradições, músicas, danças, roupas e comidas típicas, além de produtos locais e atividades para crianças. Israel está na moda, o país do Oriente Médio recebeu em 2018, pelo terceiro ano seguido, um número recorde de viajantes vindos do Brasil: foram 62,5 mil turistas provenientes do território verde e amarelo, um crescimento de 14% em relação a 2017. Para 2019 a expectativa é de um crescimento ainda maior, em torno de 25%. “São Paulo é uma grande metrópole, e queremos que as pessoas conheçam ainda mais sobre a nossa cultura”, afirma o presidente da Federação Israelita SP, Luiz Kignel. O evento acontece das 11h às 17h e no palco principal estão previstas apresentações de danças típicas, música judaica e israelense, coral, Bandas e um show de Stand Up com o humorista Ben Ludmer. Quem comparecer ao evento vai ter a oportunidade de experimentar uma ampla feira gastronômica kasher, aqueles que obedecem à lei judaica, que além de pratos típicos dessa culinária, como falafel, burekas e varenikes, terá também acarajé, sushi, hambúrguer e muitos outros pratos. A culinária judaica é formada por um conjunto de regras que seguem as leis do judaísmo. Para designar as preparações de alimentos seguindo essas regras, é utilizada a palavra Kasher, ou Kosher, que significa apropriado. No entanto, esses alimentos não podem ser considerados como um estilo de culinária, já que, diversas comidas de outras tradições podem ser Kasher, desde que preparadas segundo as regras. Veja Mais

Película de vidro: confira os diferentes modelos disponíveis no mercado

Película de vidro: confira os diferentes modelos disponíveis no mercado

canaltech Para quem deseja proteger seu smartphone, a película de vidro pode ser uma das alternativas mais resistentes. Ela pode ser adquirida por um ótimo custo benefício e, justamente por isso, sua popularidade vem crescendo cada vez mais. No entanto, embora ela tenha “caído no gosto” dos consumidores, nem todos sabem, de fato, diferenciar os diversos modelos de películas existentes, como a comum, 3D, 4D, entre outras. Confira, a seguir, informações sobre os diferentes tipos de película de vidro existentes no mercado! Película de vidro comum Os modelos mais tradicionais de películas de vidro não costumam oferecer alta resistência contra impactos, uma vez que não se adaptam às curvas e relevos dos smartphones. Por isso mesmo, eles são mais raros no mercado. As películas comuns tendem a ser vendidas pelos menores preços, principalmente em sites importados. Por isso, caso você se depare com preços muito baixos, desconfie de sua durabilidade ou resistência. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Película de vidro comum (Foto: Divulgação) Película de vidro temperado Atualmente, as películas de vidro temperado são as mais vendidas atualmente, isso porque oferecem maior resistência contra quedas e impactos. No entanto, elas não costumam se adaptar a smartphones que têm telas curvadas e acabam por deixar partes do display desprotegidas. É possível encontrá-las por preços baixos no mercado, que vão aumentando à medida em que mais camadas são adicionadas, como a antirreflexo e a oleofóbica. Película de vidro temperado (Foto: Divulgação) Película de vidro flexível Essas películas são feitas de uma mistura de gel com vidro temperado, o que permite que elas se adaptem às curvas do smartphone. Além disso, elas são mais leves, o que as torna ideais para celulares mais pesados. É possível comprá-las por cerca de R$ 15. Película de vidro flexível (Foto: Reprodução) Película de vidro com bordas Também é possível encontrar películas de vidro com com bordas de carbono ou metal. As primeiras costumam apresentar boa durabilidade e leveza. Já, as segundas, costumam ser um pouco mais pesadas, embora ofereçam maior proteção à tela dos smartphones. Película de vidro com bordas (Imagem: Divulgação) Películas de vidro 3D, 4D, 5D e 6D É importante saber a diferença entre todos esses modelos de películas de vidro antes de adquiri-las. Mais modernas, elas imitam a parte frontal do celular e se adaptam facilmente às curvas presentes na tela, além de apresentarem o mesmo design e cores do smartphone e se tornarem, por conta disso, praticamente invisíveis. Seu nível de proteção, no entanto, depende do fabricante. Embora essas películas estejam disponíveis em diversos modelos com números que sugerem um grau de superioridade entre elas, isso não quer dizer que uma 6D seja melhor que uma 3D, uma vez que suas vantagens variam de acordo com a empresa responsável por sua fabricação. Os preços vão de R$ 12 a R$ 40. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Celulares com nota fria da Xiaomi estavam na mira da receita há 4 meses NASA encontra destroços de nave indiana que se chocou contra a Lua Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Resident Evil 3 | Vazam as primeiras imagens do remake Veja Mais