Meu Feed

No mais...

Dirigente do Goiás reclama de 'carnaval' do Corinthians em negociação com Michael

Dirigente do Goiás reclama de 'carnaval' do Corinthians em negociação com Michael

Fox Sports Brasil Edminho Pinheiro, Vice-presidente de finanças do Goiás, conversou de forma exclusiva com o 'Mercado FOX'. Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Corinthians #Michael #Goiás Veja Mais

Pedófilos podem discutir no Twitter sobre sua atração por crianças

Pedófilos podem discutir no Twitter sobre sua atração por crianças

Tecmundo Em março do ano passado, o Twitter alterou suas normas de conduta na rede, o que outras plataformas, como Instagram, Facebook e Flickr, já fazem esporadicamente. A mudança aconteceu sem alarde, e é possível ver por quê."Em 2019, o Twitter silenciosamente mudou seus termos de serviço para permitir discussões sobre 'atração por menores' com a condição de que 'elas não promovam ou exaltem a exploração sexual infantil de forma alguma'. Os especialistas em proteção infantil e prevenção de abusos não foram consultados, porque nunca teríamos endossado essa mudança", publicou no próprio Twitter o criminologista australiano Michael Salter.Leia mais... Veja Mais

Filtro no Instagram: como fazer e encontrar novas opções para os seus Stories

Filtro no Instagram: como fazer e encontrar novas opções para os seus Stories

canaltech Desde que o Instagram disponibilizou a opção de postar Stories, em 2016, somente filtros criados pela plataforma podiam ser usados. Isso mudou no ano passado quando, além das novas opções disponíveis na rede, foi liberada uma ferramenta de criação de filtros de realidade aumentada, que pode ser utilizada por qualquer usuário: a Spark AR, que pertence ao Facebook. Instagram: aplique mais de um filtro na mesma foto usando o app oficial Saiba como usar a Spark AR para criar filtros para o seu Stores e, ao final do artigo, descubra quais são os filtros mais legais que você pode usar em suas publicações. Como fazer um filtro no Instagram Criar filtros do Instagram utilizando o estúdio não é tão difícil quanto parece. Confira no tutorial a seguir: -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Passo 1: faça o download do Spark AR Studio em seu computador Windows ou Mac. Depois, abra o programa e clique em “Blank Project”. Spark AR: Aplicativo permite fazer filtros para o Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: verifique se a opção “Scene”, no canto superior esquerdo da tela, está selecionada em "Device" e, então, clique em “Add Object”. Depois, selecione a ferramenta “Face Tracker” e a opção “Insert”, no canto inferior direito da tela. Ative o "Scene" em "Device" e, depois, clique em "Add Object" > "Face Tracker" > "Insert" (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: clique em “Face Tracker” novamente. Depois, selecione a opção “Add", seguido de "Plane". Clique em "Face Tracker" > "Add" > "Plane" (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: clique em “Add Asset” e selecione a opção “Material”. Clique em "Add Asset" > "Material" para começar a criar seu filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 5: agora, você começará a inserir frases em seu filtro do Instagram (caso queira). Para isso, selecione novamente “Add Asset” e, depois, “Import From Computer”. Você também pode importar elementos visuais que você criou em outro software de edição, ou pesquisou na internet, como GIFs animados e imagens. Em "Add Asset" > "Import From Computer", você pode selecionar a frase de seu filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 6: selecione “Material0” e, na janela do lado direito, a ferramenta “Texture”. Depois, pressione “Choose File” e escolha a arte que já havia sido adicionada. Clique em "Material0" > "Texture" > "Choose File" e escolha novamente a mesma frase (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 7: clique em “Plane” e, em seguida, vá até à janela do lado direito, pressione “Material” e vincule o desenho ou frase já adicionado. Em "Plane" > "Material0" você pode vincular a frase ao seu filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 8: caso queira trocar a posição de seu filtro do Instagram, mude os números da opção “Position” (os números recomendados são 0, 0,1 e 0 e, na linha de baixo: 2,3, 1 e 1). Em “Scale”, você pode aumentar ou diminuir o tamanho da imagem. Troque a posição de sua frase no filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Como exportar o filtro para o Instagram Depois de criar seu próprio filtro, você terá que exportá-lo para o Instagram diretamente do Spark AR. Para isso, siga o passo a passo a seguir: Passo 1: clique sobre a seta localizada no canto inferior esquerdo da tela do Spark AR Em "Upload", você começa a exportar o filtro para o Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: aguarde até que todas as letras fiquem verdes e confirme a exportação clicando em “Upload”. Exportando filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: o Spark AR exibirá a opção para abrir o Spark AR Hub. Essa etapa é necessária para concluir a exportação de seu filtro para a rede social. Spark AR Hub (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: role a tela e selecione o Instagram como local onde o filtro será usado. Envie seu filtro para o Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 5: dê um nome de sua preferência ao seu filtro. Caso ele promova alguma marca, será necessário marcar a opção "Sm, esse efeito ou conta promove uma marca ou produto". Dê um nome para seu filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 6: escolha uma capa para o filtro e, depois, carregue o arquivo salvo pelo Spark AR. Vale lembrar que a capa não pode conter o rosto de outras pessoas, frases longas e nem palavras que são iguais ao nome do efeito. Depois de escolhê-la, aceite o acordo legal e clique em “Carregar e continuar”. Escolha uma capa para seu filtro (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 7: o programa irá mostrar uma prévia de seu filtro no Instagram caso você clique em “Mostrar no Instagram”. Também é possível enviar um link para que seus amigos o testem. Depois, clique em "Próximas etapas". Você pode compartilhar o link de seu filtro do Instagram com amigos (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 8: no Spark AR Hub, selecione a categoria que será atribuída ao seu filtro. Agora, clique em "Ver prévia do efeito", copie o link no navegador de seu smartphone. Carregue um vídeo utilizando seu filtro do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 9: clique em "Avançar" e, na tela seguinte, selecione a opção “Tornar ativo assim que aprovado” para que seu filtro do Instagram seja disponibilizado após sua aprovação. Torne o filtro ativo assim que aprovado (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 10: informe ao programa um pouco sobre a finalidade do filtro e o motivo que dele estar na categoria escolhida por você. Isso deve ser feito em até 52 caracteres. Informe o Spark AR Hub sobre seu filtro (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 11: envie seu filtro do Instagram para análise. A aprovação pode demorar até cinco dias úteis. O Instagram pode solicitar mudanças com base na política de conteúdo e privacidade da rede social. Uma vez que ele tenha sido aprovado, entre no Instagram e acesse-o diretamente de seu perfil. Enviando sua criação para análise (Captura de tela: Ariane Velasco) Como encontrar filtros no Instagram Se você quer usar novos filtros em seus Stories do Instagram, mas não deseja ter o trabalho de criá-los, é possível encontrar diversos modelos dentro da própria rede social. Para isso, faça o seguinte: Passo 1: abra o Instagram e clique na opção “Adicionar ao seu story”. Depois, deslize a tela para o lado até encontrar o símbolo de lupa e o selecione. Adicione um filtro do Instagram ao seu story (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: na “Galeria de efeitos”, navegue entre os menus disponíveis até encontrar a opção que mais lhe agrada. Em seguida, selecione um dos filtros disponíveis. Encontre filtros do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: escolha a opção “Experimentar”. Tire a foto que deseja postar em seu Stories usando o filtro escolhido. Experimente diferentes filtros do Instagram antes de baixá-los (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: caso você queira salvar o filtro do Instagram em sua galeria, pressione o nome do tema na parte inferior da tela. Depois, selecione a opção “Salvar efeito”. Você também pode enviá-lo para seus amigos. Sempre que desejar usar um filtro diferente, repita o mesmo procedimento. Salve o filtro do Instagram e o envie aos seus amigos (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 5: também é possível salvar um filtro do Instagram diretamente dos Stories de seus amigos. Para isso, pressione o nome do efeito usado por eles, na parte superior da tela e, em seguida, escolha “Salvar efeito”. Salve o filtro do Instagram diretamente dos Stories de seus amigos (Captura de tela: Ariane Velasco) Pronto! Seguindo as dicas acima, você consegue usar vários filtros diferentes em seu Stories do Instagram. Agora, se você quer saber quais são os filtros de quiz, aqueles com perguntas que seus seguidores podem interagir com você, não deixe de conferir o artigo abaixo: Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories O que você achou do processo de criação? Compartilhe sua experiência nos comentários abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2020 Veja Mais

Vision AVTR: conheça o veículo da Mercedes Benz baseado em Avatar

Vision AVTR: conheça o veículo da Mercedes Benz baseado em Avatar

Tecmundo Inspirado no sucesso de James Cameron, Avatar (2009), a Mercedes Benz apresentou um conceito de veículo futurista durante a CES 2020. Batizado de Mercedes Benz Vision AVTR, o carro parece ter saído de dentro de filmes de ficção científica.Não só apresentando visual inédito, a Mercedes Benz afirma que será um novo passo na direção da independência de combustível fóssil. “Bateria orgânica feita de materiais recicláveis: pela primeira vez, o conceito Vision AVTR está usando uma tecnologia revolucionária de bateria baseada em grafeno, completamente livre de metais e materiais raros.”, descreve a Mercedes.Leia mais... Veja Mais

Rappi demitiu mais de 300 funcionários em corte geral

Rappi demitiu mais de 300 funcionários em corte geral

Tecmundo Nos últimos dias, a Rappi demitiu 6% de sua força de trabalho, o equivalente a 300 funcionários. Estima-se que no Brasil tenham sido 150 demissões, concentradas em cargos juniores. Esse fato levantou questionamentos relacionados à força da Rappi em um mercado cheio de concorrentes.O iFood, que sempre representou um forte adversário para a empresa, também tem crescido. Por consequência, a Rappi está lidando com desafios para atrair e reter tanto consumidores quanto restaurantes. Diante disso, com o objetivo de aumentar a rentabilidade do negócio e se manter no mercado, a Rappi resolveu adotar novas estratégias.Leia mais... Veja Mais

NASA escolhe 11 astronautas para futuras missões rumo à ISS, Lua e Marte

NASA escolhe 11 astronautas para futuras missões rumo à ISS, Lua e Marte

canaltech A agência espacial dos Estados Unidos acaba de graduar 11 novos astronautas que serão designados a futuras missões rumo à Estação Espacial Internacional (ISS) e também à Lua, como parte do programa Artemis. Ainda, fazem parte desta turma os primeiros astronautas que serão enviados à superfície marciana na década de 2030. Junto à equipe, formaram-se também dois astronautas da agência espacial canadense (CSA). Os novos astronautas, escolhidos entre mais de 18 mil candidatos, passaram mais de dois anos em treinamento e são os primeiros a se formar desde o anúncio do novo programa lunar da NASA, que prevê o retorno de humanos à superfície lunar em 2024 — "desta vez para ficar", como a própria agência já declarou várias vezes. A ideia é, a partir desse novo pouso dentro de quatro anos, iniciar uma "exploração sustentável" em nosso satélite natural, e para isso é essencial que a estação orbital Gateway, que ficará ao redor da Lua, seja montada até o final desta década, conforme o planejado. Depois do retorno da humanidade à Lua em 2024, a ideia é realizar novas missões lunares anualmente e, a partir daí, iniciar de fato o projeto Moon to Mars, que prevê a Lua como um "pit stop" para as futuras viagens a Marte. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- 11 novos astronautas da NASA se formam ao lado de dois novos astronautas da agência espacial canadense (Foto: NASA) "2020 marcará o retorno do lançamento de astronautas americanos em foguetes americanos a partir de solo americano, e será um ano importante de progresso para o nosso programa Artemis à Lua — e além", declarou Jim Bridenstine, administrador da NASA. Ele se refere ao Commercial Crew Program, que conta com as empresas privadas Boeing e SpaceX e suas naves Starliner e Crew Dragon, respectivamente, para que os envios de astronautas estadunidenses não sejam mais feitos pelos russos. Desde 2011, com o fim do programa dos ônibus espaciais, os EUA dependem da Roscosmos e suas naves Soyuz para esse transporte. Incluindo essa classe de 11 novos astronautas recém-graduados, agora a NASA tem oficialmente 48 astronautas ativos. Mas a agência espacial pode aumentar, em breve, ainda mais esse número: é que ela está considerando abrir um novo processo seletivo ainda em 2020, para já começar a selecionar a próxima classe de astronautas, já que esta década que se inicia agora será bastante agitada para a exploração espacial.   Durante o treinamento que enfrentaram desde 2017, os novos astronautas precisaram provar proficiência em robótica, sistemas da ISS e jatos T-38, e precisaram ainda aprender o idioma russo, já que a ISS também é ocupada pelos antigos rivais da Corrida Espacial. Como astronautas, eles participarão do desenvolvimento de naves espaciais e apoiarão as equipes que estão atualmente no espaço, até que sejam, enfim, convocados para suas próprias missões espaciais, juntando-se ao seleto clube de 500 pessoas que já tiveram o privilégio de ir ao espaço. No vídeo abaixo, você descobre um pouco sobre como é o treinamento intenso sob o qual candidatos a astronautas da NASA são submetidos: Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Morre o baterista Neil Peart do Rush aos 67 anos

Morre o baterista Neil Peart do Rush aos 67 anos

R7 - Música Vagalume Vagalume Neil Peart, um dos maiores bateristas de todos os tempos, morreu aos 67 anos na terça-feira dia 7, mas só agora a notícia foi divulgada. O músico que fez história no Rush foi vitimado por um câncer no cérebro. "É com o coração partido e a maior das tristezas que temos que dividir a terrível dor de anunciar que ma terça-feira, nosso amigo, irmão de alma e colega de banda por mais de 45 anos Neil, perdeu a batalha contra o câncer cerebral (Glioblastoma), contra o qual ele lutou bravamente nos últimos três anos e meio", publicou a banda no Twitter. Nós pedimos que os amigos, fãs e imprensa compreensivelmente respeitem a necessidade da família por paz e privacidade nesse momento extremamente difícil e doloroso. Aqueles que desejam expressar suas condolências podem escolher um grupo de apoio às pesquisas sobre o câncer ou uma instituição de caridade e fazer uma doação em nome de Neil. Descanse em paz irmão", termina o comunicado. Vagalume Vagalume Peart se juntou ao Rush, que tinha ainda o baixista Geddy Lee e o guitarrista Alex Lifeson, no final de 1974, substituindo John Rutsey que gravou apenas o primeiro disco da banda. Essa formação permaneceu inalterada pelas décadas seguintes - o último álbum, "Clockwork Angels" saiu em 2012 e a última turnê do trio aconteceu em 2015 durante a breve turnê pelo América do Norte em celebração aos 40 anos da entrada de Neil no grupo. O Rush se tornaria uma das maiores bandas do rock, com fãs especialmente entre os admiradores do hard rock e do rock progressivo. Por anos, eles também foram das "vítimas" favoritas dos críticos músicas, que viam com desconfiança o excesso de técnica do trio e os temas de ficção científica de suas letras (todas escritas por Peart, que também era um leitor compulsivo). Com o tempo, esses ataques foram diminuindo e a banda encerou sua carreira em uma boa posição, entronizados no Rock and Roll Hall Of Fame (Dave Grohl fez um discurso emocionante para marcar a entrada do trio na entidade em 2013) e tendo a sua vida contada no excelente documentário "Beyond The Light Stage". Peart era certamente o mais admirado entre os três músicos, graças à sua técnica invejável e pelo clima de mistério que ele sempre fez questão de manter sobre a sua pessoa. Ele não gostava de dar entrevistas, de se encontrar com fãs e prezava a sua privacidade de forma raramente vista na indústria da música. Vagalume Vagalume Com a banda, Nell gravou 18 discos, incluindo os clássicos "2112" e "Moving Pictures", de 1976 e 1981, também os mais bem sucedidos comercialmente. Como bem lembrou a revista Rolling Stone ao falar do músico, as viradas de bateria que o músico fez em músicas como "" eram quase que ganchos pop cada um deles uma esécie de mini-composição inesquecível. Relembre alguns momentos fundamentais de Neil Peart com o Rush. O clipe original de "Tom Sawyer":Clique para ver no Vagalume O emocionante show que a banda fez no Maracanã em 2002, quando finalmente, eles tocaram no Brasil.Clique para ver no Vagalume E um de seus solos , que sempre eram um dos momentos mais aguardados nos shows do trio:Clique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeFonte: Vagalume Veja Mais

Concurso da UFC amplia número de vagas e tem salários de até R$ 4,6 mil

G1 Economia Entre as modificações estão o calendário de atividades e a inclusão de novos cargos. Concurso da UFC amplia número de vagas e tem salários de até R$ 4,6 mil Ares Soares/Unifor O concurso público da Universidade Federal do Ceará (UFC) para cargo de Carreira Técnico-Administrativa em Educação, publicado originalmente em agosto de 2019, foi modificado, conforme publicação desta sexta-feira (10) no Diário Oficial. Entre as mudanças estão ampliação do número de vagas, calendário de atividades e a inclusão de novos cargos. O mesmo concurso chegou a ser suspenso pelo reitor da universidade Cândido Albuquerque, de forma temporária, no último dia 23 de dezembro, sob a justificativa de que o regente precisava conhecer previamente o orçamento da UFC. Porém, no mesmo dia a medida foi revogada. Com as mudanças, foram excluídos do edital os cargos de Técnico em Eletroeletrônica do Campus da UFC em Quixadá e Técnico em Saneamento do Campus da UFC em Crateús. E incluídos cargos de geólogo e técnico de laboratório/ oceanografia geológica, em Fortaleza. Validade modificada O prazo de validade do concurso também foi modificado, passando para dois anos a contar da data de publicação do resultado. E retificados os critérios relativos à experiência profissional para o cargo de técnico em laboratório / design digital no Campus da UFC em Quixadá e ao programa de conhecimentos específicos para os cargos de administrador (Fortaleza e Crateús) e técnico de laboratório / geologia, no Campus da UFC em Crateús. Inscrições As inscrições, antes previstas para o mês de janeiro, vão iniciar somente em 25 de março, encerrando no dia 12 de abril. Para solicitar a isenção do pagamento da taxa de inscrição, o prazo é de 16 a 18 de março. A remuneração inicial para os cargos em nível médio ou curso técnico é de R$ 2.904,66. Já para os graduados em nível superior, a remuneração é de R$ 4.638,66. A taxa de inscrição para candidatos de nível médio é de R$ 90. Já para nível superior, a inscrição custa R$ 120. O edital do concurso, de nº 129/2019, tem vagas para os campi da UFC em Fortaleza, Crateús, Quixadá e Russas. O número de vagas foi ampliado de 26 para 29 vagas em cargos de nível médio e superior. Cargos Em Fortaleza há 12 vagas disponíveis, 11 delas com exigência de nível superior, e uma vaga para técnico de laboratório / oceanografia geológica: Administrador (4 vagas) Arquivista (2 vagas) Nutricionista (1 vaga) Pedagogo (2 vagas) Roteirista (1 vaga) Geólogo (1 vaga) Técnico de laboratório / oceanografia geológica (1 vaga) Já para o campus de Crateús, as vagas são para os seguintes cargos: Administrador (2 vagas) Analista de tecnologia da informação / processos de negócio (1 vaga) Analista de tecnologia da informação / arquitetura e desenvolvimento de sistemas (1 vaga) Assistente social (1 vaga) Bibliotecário / documentalista (1 vaga) Também há 6 vagas de nível médio para o cargo de técnico de laboratório (geologia; mecânica dos solos; meio ambiente; lavra e planejamento de minas; sistemas computacionais), 1 para técnico em edificações e 1 para assistente em administração. Em Quixadá, a vaga é para técnico de laboratório/ design digital. E no campus de Russas são vagas para assistente social (1 vaga), com exigência de curso superior, e técnico de laboratório / construção civil (1 vaga), de nível médio. Veja Mais

Neil Peart, baterista da banda Rush, morre aos 67 anos 

Neil Peart, baterista da banda Rush, morre aos 67 anos 

R7 - Música Neil começou a tocar bateria aos 13 anos Reprodução/Instagram Neil Peart, baterista da banda Rush, morreu na última terça-feira (7). A informação foi confirmada por um porta-voz do grupo ao site da revista Rolling Stone. O músico tinha 67 anos, morava em Santa Mônica, nos Estados Unidos, e lutava há três anos contra um câncer no cérebro.   Neil nasceu em Hamilton, no Canadá, e começou a fazer aulas de bateria aos 13 anos após ganhar o instrumento de presente dos pais. Apesar de ter tocado em algumas bandas na adolescência, o auge foi em 1975, quando entrou para o grupo Rush, com o baixista e vocalista Geddy Lee e o guitarrista Alex Lifeson. Com estilo único de apresentação, Neil se tornou referência e era considerado por muitos um dos bateristas mais importantes da história do rock.  Em 2015, o artista anunciou a aposentadoria e, em 2018, declarou que estava doente. Neil teve a vida marcada por duas tragédias pessoais. A filha do músico, Selena Taylor, morreu em agosto de 1997 após um acidente de trânsito. Dez meses depois, Jacqueline Taylor, a mulher do baterista, perdeu a luta para um câncer. Nas redes sociais, fãs do músico lamentaram a morte dele.  Veja Mais

Família Galaxy S11 vai se chamar S20, specs vazadas – Hoje no TecMundo

Família Galaxy S11 vai se chamar S20, specs vazadas – Hoje no TecMundo

Tecmundo No programa de hoje, falamos do foguete da SpaceX que vai ser explodido de propósito, dos nomes dos próximos smartphones de ponta da Samsung e mais um pouco da interminável novela sobre o 5G no Brasil, entre outros assuntos importantes do mundo  da tecnologia nesta sexta-feira.O Hoje no TecMundo traz as notícias de destaque no mundo da tecnologia, de segunda a sexta (exceto feriados), no fim da tarde.Leia mais... Veja Mais

Escritos de terror de Vinicius de Moraes inspiram nova série

O Tempo - Diversão - Magazine Poemas e contos apavorantes do “Poetinha” são fonte dramatúrgica para “Noturnos”, produção do Canal Brasil Veja Mais

Pokémon GO tem seu melhor ano em 2019 e arrecada US$ 894 milhões

Pokémon GO tem seu melhor ano em 2019 e arrecada US$ 894 milhões

Tecmundo Apesar de já ter quatro anos de mercado, o jogo mobile Pokémon GO continua vivo e bastante lucrativo. Segundo dados coletados pelo serviço de inteligência de negócios Sensor Tower, o aplicativo arrecadou quase US$ 900 milhões em 2019 e superou a receita de 2016, quando estreou no mercado.Durante os últimos 12 meses, Pokémon GO atingiu uma receita de US$ 894 milhões, o que fez de 2019 o ano de maior sucesso para o game em termos financeiros. O detentor anterior do título era o ano de lançamento do jogo, que arrecadou US$ 832 milhões em gastos vindos de jogadores.Leia mais... Veja Mais

Esses amigos se fantasiaram de proteção de tela de DVD e já ganharam o Carnaval

Esses amigos se fantasiaram de proteção de tela de DVD e já ganharam o Carnaval

R7 - Música Fantasia de DVD Tenho Mais Discos Que Amigos Reprodução/Twitter O Carnaval 2020 só chega no final de Fevereiro, mas um grupo de amigos já se mostrou preparadíssimo. Eles foram a uma festa usando uma fantasia genial que viralizou na internet. Simulando a famosa proteção de tela dos antigos DVD players, os envolvidos mostraram que realmente não há limites para a criatividade do brasileiro. Usando apenas uma estrutura simples, alguns barbantes e uma placa iluminada, o grupo já 'ganhou' o Carnaval. Vai ser difícil superar essa, já que os amigos foram caprichosos e inclusive fizeram questão de não acertar o canto da 'tela'! Abaixo, você pode conferir tanto a criação dos colegas quanto a inspiração deles. Melhores reações pic.twitter.com/lVcqWV63fn — Tuke (@JoaquimTuke) January 7, 2020 https://www.youtube.com/watch?v=Kxms-OtUXS0 Naturalmente, as respostas ao Tweet foram sensacionais. Muita gente já quer saber onde que compra isso, enquanto alguns já decidiram que essa será a fantasia do Carnaval. Veja as melhores a seguir: Eu fiquei esperando bater na quina — Camilinha (@eitacamis) January 8, 2020 só podia ser no show do Planta & raiz kkkk — . (@wallahy__) January 8, 2020 Quando vc está próx o suficiente do sossego supremo — O sommelier de memes (@sommelier_o) January 9, 2020 LEIA TAMBÉM: Esse mashup de Tchakabum com Iron Maiden é o que você precisa para começar o Carnaval Veja Mais

Gordura na língua pode agravar apneia do sono, indica pesquisa

Glogo - Ciência Pesquisadores planejam agora descobrir que dietas com baixo teor de gordura são particularmente boas para 'emagrecer' a língua. A apneia do sono pode causar ronco alto e respiração ruidosa enquanto a pessoa dorme Science Photo Library/BBC A apneia do sono — distúrbio que pode interromper por alguns segundos a respiração enquanto a pessoa dorme — pode estar relacionada à quantidade de gordura na língua. É o que indica um estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos EUA. Ao avaliar pacientes com apneia do sono que perderam peso, os cientistas constataram que a redução da gordura na língua levou a uma melhora nos sintomas. Línguas grandes e com percentual maior de gordura são mais comuns em pacientes obesos. Eles planejam agora descobrir quais dietas com baixo teor de gordura são particularmente boas para "emagrecer" a língua. Apneia: ronco pode indicar falta de ar durante o sono Como saber se você tem apneia obstrutiva do sono? "Você fala, come e respira com a língua — então, por que a gordura se deposita lá?", questiona o autor do estudo, Richard Schwab, da Escola Perelman de Medicina da Universidade da Pensilvânia, na Filadélfia. "Não está claro por que, pode ser genético ou ambiental. Mas quanto menos gordura houver, menor a probabilidade de a língua se retrair durante o sono (bloqueando a respiração)." Ronco e apneia também pode atingir crianças Apneia do sono A apneia do sono é um distúrbio comum que pode causar ronco alto, respiração ruidosa e movimentos bruscos enquanto a pessoa dorme. Também pode provocar sonolência durante o dia, o que pode afetar a qualidade de vida do indivíduo. O tipo mais comum é a apneia obstrutiva do sono, na qual as vias aéreas superiores ficam parcial ou completamente bloqueadas. Quem está acima do peso, tem o pescoço ou amígdalas grandes é mais propenso a apresentar a condição. Apneia do sono é cada vez mais um problema na vida dos brasileiros O que diz o estudo Os pesquisadores da Universidade da Pensilvânia realizaram estudos do sono e exames de ressonância magnética para medir como a perda de peso afeta as vias aéreas superiores dos pacientes. O estudo contou com a participação de 67 pessoas obesas com apneia obstrutiva do sono. Elas foram submetidas aos exames antes e depois de uma intervenção para perder 10% do peso corporal — por meio de uma mudança radical no estilo de vida ou de cirurgia bariátrica. O resultado mostrou que os sintomas da apneia do sono melhoraram 30% após a perda de peso. Ao analisar o tamanho das estruturas das vias aéreas superiores dos pacientes, a equipe foi capaz de descobrir as mudanças que haviam levado à diminuição dos sintomas. Além de diminuir a gordura da língua, a perda de peso dos pacientes também levou a uma redução no tamanho de um músculo da mandíbula que controla a mastigação e dos músculos de ambos os lados das vias respiratórias, o que também colaborou para o resultado. "Agora que sabemos que a gordura da língua é um fator de risco e que a apneia do sono melhora quando a gordura da língua é reduzida, estabelecemos um objetivo terapêutico único que nunca tivemos antes", diz Schwab. O estudo foi publicado na revista científica "American Journal of Respiratory and Critical Care Medicine". Recomendações para apneia do sono: Tente emagrecer se estiver com excesso de peso; Durma de lado — um travesseiro especial pode ajudar; Pare de fumar; Não beba muito álcool, especialmente antes de dormir; Não tome remédio para dormir, a menos que seja receitado. Fonte: NHS, serviço público de saúde do Reino Unido. Apneia do sono pode ter impacto na saúde e no comportamento Veja Mais

Pianista André Mehmari ilumina tons noturnos da obra de Noel Rosa no álbum 'Estrela da manhã'

G1 Pop & Arte Noel Rosa tem 26 músicas abordadas pelo pianista André Mehmari em disco gravado em uma única noite Reprodução via BBC Na noite de 19 de outubro de 2019, o pianista fluminense André Mehmari abriu songbook com o cancioneiro de Noel Rosa (11 de dezembro de 1910 – 4 de maio de 1937) e gravou em sequência nada menos do que 26 músicas do compositor carioca, escolhidas e registradas em ordem alfabética. As 26 gravações sequenciais estão perpetuadas no álbum Noël: Estrela da manhã, lançado em 7 de janeiro, por ora somente em edição digital. “Minha vontade foi criar um som intimista, noturno, aconchegante e lento”, explica o pianista. A seleção de Mehmari mistura músicas pouco ouvidas do repertório de Noel – como Adeus (parceria com Ismael Silva e Francisco Alves, 1931), Ando cismado (outra parceria com Ismael Silva, 1933) e Prato fundo (com João de Barro, 1933) – com algumas composições mais conhecidas, como os sambas-canção Pra que mentir? (com Vadico, 1937) e Três apitos (1933). O álbum Noël: Estrela da manhã está disponível no mercado fonográfico através do selo Estúdio Monteverdi. Capa do álbum 'Noel: Estrela da manhã', do pianista André Mehmari Divulgação Veja Mais

GOODEV: como usar o aplicativo que amplifica o volume do celular

GOODEV: como usar o aplicativo que amplifica o volume do celular

canaltech Se você já tentou ouvir uma música ou assistir a um vídeo em um volume mais alto, mas o máximo que seu smartphone atingiu não foi suficiente, existe um aplicativo que pode ajudar: o GOODEV. Disponível apenas para celulares Android, ele permite amplificar consideravelmente o volume de seu alto-falante. Vale ressaltar que tal mudança pode causar danos permanentes no smartphone e distorcer um pouco o áudio em algumas ocasiões. Além disso, não é recomendável usar o aplicativo com o celular próximo de seu ouvido ou usando fones, uma vez que a prática pode prejudicar permanentemente sua audição. Acesse as melhores ofertas de áudio no Canaltech Ofertas GOODEV: como usar O GOODEV pode ser instalado e usado facilmente. Siga o passo a passo: -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Passo 1: instale o GOODEV em seu smartphone Android. Após a instalação, você já conseguirá amplificar o volume de seu alto-falante em até 60%. Para escolher o quanto ele será aumentado, basta deslizar a barra de volume. GOODEV: aplicativo permite aumentar o volume do celular (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: para acessar as configurações do GOODEV, pressione o ícone de engrenagem, localizado no canto superior direito da tela do app. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 3: nas configurações do GOODEV é possível escolher se o app será inicializado com o sistema, bem como selecionar as opções “Mostrar controle de volume”, “Aumento não uniforme” (que modera os impulsos de baixa e alta frequência) e também controlar a amplificação máxima permitida. Configurações do GOODEV (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: caso queira desativar a amplificação de volume do GOODEV, basta acessá-lo na central de notificações de seu dispositivo e tocar em “Parar App”. Pronto! Para parar o GOODEV, basta acessá-lo na central de notificações (Captura de tela: Ariane Velasco) Você acha útil esse tipo de aplicativo? Já precisou amplificar o volume do seu celular alguma vez? Compartilhe sua opinião através dos comentários abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories

Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories

canaltech A mais nova onda da internet é fazer stories com os filtros de quiz. Claro que a ideia inicial do Instagram já foi reformulada organicamente pelos usuários, e agora essa função serve para mostrar, por exemplo, que legenda do programa Casos de Família você é. Ou que personagem dos Simpsons mais combina com você. Ou que tipo de gato você representa. As possibilidades são infinitas. E, claro, que o brasileiro já criou alguns dos melhores filtros disponíveis, como o já citado com legendas do programas Casos de Família. Usar esses filtros é muito fácil: basta selecionar o que você quer e começar a gravar um vídeo de Story. Uma espécie de “roda a roda” vai aparecer, e só vai parar quando você toca novamente na tela, próximo ao seu rosto. Aí todo mundo vai ver a sua reação quando ver o que deu. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A dificuldade está em encontrar esses filtros. Não existe um catálogo simples. Os melhores jeitos são esperar que um deles apareça no Story de alguém que você está acompanhando ou procurar pelo perfil criador e ver a lista de filtros que ele criou, entrando na página dele e tocando no emoji feliz (imagem abaixo). Mas tem que entrar pelo app do Instagram, não tem como fazer isso via desktop. É usando esse segundo esquema que vamos te ajudar com a lista abaixo: basta procurar o perfil e buscar o filtro desejado. Assim, você já começa com os mais legais disponíveis em português do Brasil. Use e abuse nos seus Stories e divirta-se. De @gutierreoficial O legal é que em um só perfil já dá para achar um monte de filtros legais. O @guitierreoficial tem filtro com legendas do programas Casos de Família, que tipo de pessoa você é no rolê e um “hoje eu só quero”. Filtros de @gutierreoficial (Imagem: Reprodução/Instagram) De @nathaliardiniz Também podemos destacar três: “frase do dia” e duas que talvez gerem mais engajamento, “1 palavra 1 música” e “qual seu favorito”. Nesses últimos, dá para fazer vários Stories de uma só vez com várias respostas. Filtros de @nataliardiniz (Imagem: Reprodução/Instagram) De @felipezimmermann Mais um no esquema de quiz de verdade: “se eu fosse...” também dá pra ocupar um bom tempo do seu dia em Stories intermináveis para seus seguidores te conhecerem melhor. Filtro de @felipezimmermann (Imagem: Reprodução/Instagram) De @elipersil São dois: “qual comida você seria” e um que certamente vai bombar, “qual RBD você seria”. Filtros de @elipersil (Imagem: Reprodução/Instagram) De @kevinsttorm Esse é em inglês, mas vale a pena: que princesa Disney você seria? Para gravar e mostrar sua reação de total felicidade ou imenso desprezo quando chegar o resultado. Também tem o personagem que você seria em Meninas Superpoderosas. Filtros de @kevinsttorm (Imagem: Reprodução/Instagram) De @danielbetancourt, @lithedevil e @bojackhiddenjokes Descubra com que animal você se parece, ou, na versão mais específica, com qual gato. E também veja qual personagem de Bojack Horseman, que tem muitos animais antropomórficos, você é. Filtros de @danielbetancourt, @lithedevil e @bojackhiddenjokes (Imagem: Reprodução/Instagram) De @arnopartissimo São dois: “que casa de Hogwarts você iria” e “qual personagem da Disney”. Esse segundo é um pouco mais abrangente do que o das princesas, já que podem aparecer coadjuvantes e até vilões. Filtros de @arnopartissimo (Imagem: Reprodução/Instagram) De @syilers Ainda no tema Harry Potter, há um filtro que mostra qual personagem da série você é. E se der o Draco Malfoy tem que aceitar, hein! Filtro de @syilers (Imagem: Reprodução/Instagram) E aí, qual foi o seu preferido? Qual ficou faltando na lista? Conta pra gente logo abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Joaquin Phoenix e Martin Sheen são presos em protesto organizado por Jane Fonda

G1 Pop & Arte Atores se junta à lista de amigos da organizadora das manifestações contra mudanças climáticas que foram presos em atos nos Estados Unidos. Joaquin Phoenix participa de protesto organizado por Jane Fonda Joshua Roberts/Reuters Os atores Joaquin Phoenix e Martin Sheen foram alguns dos mais de cem ativistas presos nesta sexta-feira (10) em Washington, capital dos Estados Unidos, segundo o site Deadline. Eles participavam da manifestação contra mudanças climáticas organizada por Jane Fonda. Dessa vez, a atriz não estava entre as pessoas presas por se recusarem a deixar os degraus do Capitólio, prédio que serve como a sede do Poder Legislativo americano. Antes de ser preso, Phoenix falou na manifestação sobre o impacto da produção de carne e de leite nas mudanças climáticas, um tema que já tinha abordado durante seu agradecimento no Globo de Ouro, no domingo (5). "Às vezes nos perguntamos o que podemos fazer nesta luta contra as mudanças climáticas. Há algo que vocês podem fazer hoje e amanhã, ao escolher o que vocês consomem", disse durante o protesto. "Há coisas que não posso evitar. Peguei um voo para cá hoje, ou melhor, ontem, mas uma coisa que posso fazer é mudar meus hábitos de alimentação." Com a prisão de Sheen, todo o elenco principal da série "Grace & Frankie" já foi detido durante os protestos. Além do ator e de Fonda, Lily Tomlin e Sam Waterson também enfrentaram as autoridades. Fonda se mudou para a capital dos Estados Unidos para ajudar a organizar os atos, chamados Fire Drill Fridays, inspirados por movimentos sociais e por ativistas como Greta Thunberg. O protesto desta sexta deve ser o último do tipo, já que a atriz volta em breve a gravar a série. Veja Mais

Acidentes com Boeing podem atrapalhar fusão com Embraer

Acidentes com Boeing podem atrapalhar fusão com Embraer

R7 - Economia Boeing 737 Max se envolveu em dois acidentes fatais Gary He/EPA/EFE - 21.7.2019 A especialista em compliance Marcela Pedreiro afirmou nesta sexta-feira (10), em entrevista exclusiva ao Jornal da Record News, que as novidades no caso da aeronave Boeing 737 Max, envolvida em dois acidentes fatais em 2018 e 2019, podem atrapalhar a fusão da empresa norte-americana com a brasileira Embraer. “A comunidade europeia tem até abril deste ano para finalizar sua avaliação [sobre a fusão entre Boing e Embraer]. Creio que essas notícias poderão impactar negativamente”, afirma Marcela. Clique aqui para assistir à entrevista completa A fala da especialista leva também em conta a revelação de mensagens internas da Boeing publicadas como parte da investigação do Congresso e do Senado dos Estados Unidos a respeito dos acidentes envolvendo o modelo 737 Max. Nas conversas, técnicos e funcionários da empresa demonstram desconfiança em relação à segurança da aeronave. “A autoridade antitruste da comunidade europeia vai querer analisar a situação de possíveis corrupções e utilização de produtos mais baratos e não os necessários para a segurança do avião para baratear as aeronaves“. Outro lado Em pronunciamento, a Boeing afirmou que o conteúdo de algumas mensagens é "completamente inaceitável" e não representa os valores da empresa. A fabricante pediu desculpas à FAA, ao Congresso e aos seus clientes, ao mesmo tempo em que salientou que, desde então, tem feito mudanças significativas para garantir a sua segurança e processos organizacionais. Com relação às preocupações de segurança refletidas em alguns dos envios, a Boeing indicou que tem plena confiança de que os simuladores da Max estão funcionando corretamente após terem sido submetidos a mais de 20 avaliações regulamentares da Administração Federal de Aviação e de outros reguladores internacionais. Além disso, a empresa anunciou que tomará as medidas disciplinares adequadas em resposta às mensagens. Veja Mais

Acelerador de partículas em um chip pode ajudar no tratamento do câncer

Acelerador de partículas em um chip pode ajudar no tratamento do câncer

canaltech Assim como um computador reduziu o tamanho de um andar inteiro na década de 1970 para caber em nossos bolsos — e com muito mais potência, inclusive — nos dias atuais, um acelerador de partículas também pode ser transformado em algo muito menor e mais portátil. Ao menos é o que acreditam e, mais do que isso, demonstram pesquisadores da Universidade de Stanford. Uma equipe liderada pela engenheira elétrica Jelena Vuckovic conseguiu criar um chip de silício que pode acelerar elétrons e substituir, ao menos para alguns experimentos, o gigantesco SLAC National Accelerator Laboratory, acelerador de mais de 3 km de comprimento e um dos poucos do tipo no mundo. É óbvio que a versão muito reduzida não tem a mesma potência, mas é o suficiente para grande parte dos experimentos. O que é silício e por que os microchips são feitos desse material? “Os aceleradores maiores são como telescópios poderosos. São poucos no mundo e cientistas precisam vir a lugares como o SLAC para usá-los”, disse Vuckovic. “Queremos reduzir a tecnologia do acelerador a ponto de criar ferramenta de pesquisa mais acessível”, explicou. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Esquema do acelerador de partículas em um chip (Imagem: Reprodução/Neil Sapra) A versão miniaturizada usa laser infravermelho para criar o aumento de energia necessário para levar as micro-ondas em uma espessura menor que um fio de cabelo. Segundo o artigo publicado na revista Science, o chip emite luz infravermelha através de silício para atingir elétrons no momento certo, pelo ângulo exato, acelerando-os. Aqui é bom notar que, para a luz infravermelha, o silício é tão transparente quanto o vidro é para a luz visível ao olho humano, A ferramenta demonstrada ainda é um protótipo. O design e as técnicas de fabricação, no entanto, podem ser desenvolvidos para criar aceleradores potentes o bastante para experimentos que não exijam o massivo poder de um acelerador gigantesco. E a tecnologia também pode ser aproveitada em outros campos, de acordo com o físico Robert Byer, co-autor do estudo. “Nesse artigo, começamos a mostrar como pode ser possível entregar radiação de feixe de elétrons diretamente para um tumor, deixando o tecido saudável a salvo”, explicou. Ou seja, a tecnologia poderia ajudar, também, no tratamento do câncer. Atualmente, a radioterapia é realizada em salas enormes, onde o paciente fica totalmente exposto à radiação, usando algumas proteções para minimizar efeitos colaterais em áreas do corpo saudáveis. Processo de desenvolvimento A ideia para construir o acelerador miniaturizado surgiu do aluno de graduação Neil Sapra. Junto à equipe de Vuckovic, ele pensou no processo de construção de maneira invertida, começando pelo final. Um acelerador tradicional é construído com um design básico, no qual são realizadas simulações até que se alcance a maior aceleração possível. Acelerador em chip aumentado 25.000 vezes (Imagem: Reprodução/Neil Sapra) Porém, esses aceleradores usam micro-ondas, em vez de luz infravermelha. Há uma boa diferença no comprimento de onda, sendo que a infravermelha pode ter um décimo da espessura de um fio de cabelo, contra 4 polegadas das microondas, medindo da crista ao vale. Por isso a luz infravermelha consegue acelerar elétrons a uma distância tão pequena, quando comparado às micro-ondas. Mas, para dar certo, o chip precisa ser 100.000 vezes menor que as estruturas de cobre de um acelerador tradicional. O que exigiu uma nova abordagem na engenharia de fotônica e litografia nos chips de silício. Para resolver a equação, a equipe de Vuckovic pegou um algoritmo desenvolvido por eles mesmos para fazer os cálculos invertidos, especificando a quantidade de energia eles queriam que o chip entregasse para que o computador dissesse como construir as estruturas em nanoescala para que os fótons entrassem em contato de maneira que gerasse o fluxo de elétrons necessário. “O design inverso às vezes pode trazer soluções que a engenharia humana poderia não ter pensado”, disse R. Joel England, outro co-autor do artigo e membro da equipe do SLAC. O resultado foi um acelerador miniaturizado que pode funcionar, também, como uma evolução no tratamento do câncer. Olav Solgaard, mais um co-autor do artigo, já pensa em uma maneira de transportar a ideia para criar uma terapia com elétrons energizados, que não se usa atualmente porque poderia queimar a pele. “Podemos conseguir benefícios médicos da miniaturização da tecnologia do acelerador além das aplicações em experimentos”, disse o cientista. Sua ideia é canalizar esses elétrons de um acelerador miniaturizado por um tubo a vácuo parecido com um catéter, a ser inserido por baixo da pele, bem próximo ao tumor, administrando a terapia radioativa cirurgicamente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2020 Veja Mais

Marvel troca diretor de Doutor Estranho; veja lista de possíveis substitutos

Marvel troca diretor de Doutor Estranho; veja lista de possíveis substitutos

canaltech Scott Derrickson não é mais o diretor de Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. O diretor, que ficou famoso por filmes de terror como A Entidade e O Exorcismo de Emily Rose, poderia exercitar suas habilidades nesse gênero com o novo longa, que, segundo o chefão do Universo Cinematográfico Marvel (MCU, em inglês), Kevin Feige, “não será um filme de terror, mas terá momentos assustadores”. Mas, a conversa não deu certo e o cineasta deixou o cargo, por conta de “diferenças criativas”. Segundo Derrickson, os prazos também ficaram muito apertados. Mas é evidente que, assim como aconteceu com Joss Whedon, Patty Jenkins e Edgar Wright, ele não teria concordado muito com o controle de Feige sobre os rumos da trama. Aparentemente, aconteceu algo semelhante a Vingadores: A Era de Ultron, Thor: Mundo Sombrio e Homem-Formiga. Imagem: Divulgação/Marvel Studios Nesses três filmes, Whedon, Patty e Wright, respectivamente, ficaram muito irritados com Feige, que, depois de ter acertado o roteiro original, impôs muitas mudanças posteriores. Isso porque o produtor passou a precisar dessas tramas para conectar os eventos da Saga do Infinito — ou seja, ele alterou vários elementos para contar outra história, o que nenhum diretor gosta. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Agora, o Marvel Studios segue em busca de um substituto, que possivelmente deve vir também do ramo dos filmes de medo. Um detalhe interessante é que, mesmo com essa alteração, a empresa manteve o cronograma para maio de 2021. Isso significa duas coisas: ou Feige já tem outro nome na manga ou o próximo escalado deve ser alguém que trabalhe rápido e aceite filmar sem se incomodar com a pouca autonomia no comando da história. Longa será importantíssimo para o MCU Doutor Destino no Multiverso da Loucura se tornou uma peça-chave para o futuro do MCU. Feige disse que o filme pode apresentar “personagens que sempre quisemos introduzir, mas não havia a oportunidade adequada” — o que já fez todo mundo sonhar com Doutor Destino, Namor e Surfista Prateado. Além disso, os acontecimentos desse longa devem abrir o Multiverso da Marvel, o que pode explicar a chegada do Quarteto Fantástico e dos X-Men e ainda justificar a saída do Homem-Aranha, quando acabar o contrato de Tom Holland com o Marvel Studios — a Sony pretende romper a parceria em breve e explorar seu próprio “Aranhaverso”, sem interação com a Terra principal do MCU. Namor teve seus direitos adquiridos novamente pela Marvel e pode ser antagonista do Pantera Negra (Imagem: Reprodução/Marvel Comics) Mesmo fora da direção, Derrickson adiantou que seguirá como produtor executivo, o que reforça a possibilidade de escalação de alguém com sangue novo vindo do pós-terror. E quais seriam esses candidatos? O Comic Book Resources listou alguns profissionais com perfis interessantes. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Cineastas autorais estariam descartados Quando falamos de nova onda do cinema de terror, os primeiros nomes que vêm à mente são Ari Laster (Hereditário), Robert Eggers (A Bruxa) e Jordan Peele (Corra). Mas é muito improvável que eles queiram trabalhar em filmes de super-heróis, ainda mais com a intervenção constante e os prazos apertados do Marvel Studios. Um dos maiores nomes especulados até agora é o de Mike Flanagan, que conseguiu transformar Ouija: A Origem do Mal e Doutor Sono em sucessos comerciais. Além disso, ele ficou conhecido por trazer um “meio-tom” para a seara do terror, com uma pegada mais light — o que se encaixa na definição do que Feige quer para Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. Doutor Sono (Imagem: Reprodução/Warner Bros.) O coletivo Radio Silence, comandado pelos cineastas Matt Bettinelli-Olpin e Tyler Gillet (Ready or Not — O Ritual). Como são do mercado indie e estão chegando na indústria, eles poderiam acatar mais facilmente as ordens de Feige. Outro cotado é Leigh Whannell (Upgrade), que escrevia roteiros para James Wan (Aquaman) e tem um estilo que combina ação com terror — o que cairia como uma luva no MCU. WandaVision deve abrir caminho para o Multiverso (Imagem: Reprodução/Marvel Studios) Jac Schaeffer escreveu a trama de Viúva Negra e é o showrunner de WandaVision, seriado que deve abrir o Multiverso e está profundamente conectado com Doutor Estranho no Multiverso da Loucura. Só isso já o torna candidato natural para substituir Derrickson. E, para finalizar, Phil Lord e Christopher Miller, roteiristas de Homem-Aranha: No Aranhaverso, vem escalando ótimos trabalhos nos últimos anos e estariam prontos para assumir o comando de um blockbuster. Por enquanto, nada mais foi confirmado depois da saída de Derrickson. E você, quem acha que deve assumir essa direção? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2020 Veja Mais

Fila do INSS: situação deve ser 'absolutamente regularizada' em seis meses, diz presidente

G1 Economia Soluções devem ser discutidas na segunda-feira (13) pelo Ministério da Economia. Cerca de 1,9 milhão de pedidos aguardam resposta há mais de 45 dias, prazo limite considerado normal. 'Fila de benefícios só deve ser zerada em 6 meses', diz presidente do INSS O presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Renato Vieira, afirmou nesta sexta-feira (10) que espera regularizar a situação do serviço nos próximos seis meses. O serviço não tem dado conta da demanda de requerimentos de benefícios. Hoje, cerca de 1,9 milhão de pedidos de aposentadorias e outros benefícios aguardam uma resposta do INSS há mais de 45 dias, prazo limite considerado normal. Renato Vieira disse não haver como fixar um prazo específico para que essa fila zerada e argumenta haver variáveis que não dependem apenas do instituto. O fluxo de requerimentos de benefícios, por exemplo, pode variar ao longo do ano. "A seguir o atual fluxo, a atual produtividade do INSS, que tem demonstrado resultados positivos, sobretudo no último semestre de 2019, nós esperamos que nos próximos 6 meses a situação esteja absolutamente regularizada", afirmou. Segundo o INSS, 500 mil pedidos aguardam a entrega de documentos complementares pelo segurado. Outros 1,3 milhão estão parados por falha no sistema do instituto. Todos os pedidos estão na mesma fila. Benefícios de assistência ao idoso, por incapacidade, para deficientes de baixa-renda, auxílio-doença, pensão por morte, além das aposentadorias, são ordenados apenas por ordem cronológica. O governo diz que tenta reduzir o estoque de pedidos encalhados, reconhece que isso está muito devagar, e argumenta que a fila única é para evitar o uso político. Em agosto de 2019 chegaram a ser anunciadas medidas para tentar reduzir a espera. Técnicos da Secretaria da Previdência do Ministério da Economia, do INSS e da Dataprev – estatal que processa os dados do INSS –estudam soluções que agilizem o serviço e já estejam adequadas às novas regras previdenciárias. À TV Globo, o secretário de Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, disse que as propostas devem ser apresentadas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, nesta segunda-feira (13). A expectativa, afirma, é anunciar as medidas na quarta-feira (15). Marinho admite, no entanto, que a fila não será zerada antes de julho. A expectativa do próprio governo era zerar a fila até dezembro do ano passado. Era para o sistema estar pronto para atender à população já dentro das novas regras da previdência. A reforma da Previdência está valendo desde novembro. Com as mudanças nas regras das aposentadoria, a corrida pelo benefício cresceu quase 6% no ano passado na comparação com o ano anterior. O presidente do INSS defende a criação de uma estrutura permanente, que consiga atender à demanda de pedidos e não seja uma solução paliativa. "É importante buscar soluções permanentes e uma delas é a concessão automática de benefícios, é fazer com que o INSS conceda o benefício, analise um requerimento sem qualquer servidor. O próprio sistema faz o cálculo se o cidadão preenche os requisitos e concede o benefício já apresentando o valor que seja devido", explica Vieira. De acordo com o presidente do instituto, no ano passado 800 mil aposentadorias e outros benefícios foram concedidos automaticamente. Veja Mais

Estudo: Inteligência artificial deve impulsionar a criação de novos empregos

Estudo: Inteligência artificial deve impulsionar a criação de novos empregos

canaltech Desde que a inteligência artificial (IA) chegou, muitas tarefas simples e repetitivas realizadas por humanos passaram a ser realizadas por máquinas. Com isso, vários profissionais tiveram que se atualizar e outros ficaram de foram de alguns setores. Isso gera um certo temor no mercado de trabalho, pois muita gente acredita que ficará sem emprego. Se por um lado algumas funções ficarão obsoletas, outras novas surgirão, justamente por causa dessa mudança. Isso é o que diz uma pesquisa encomendada pela Microsoft, realizado pela consultoria estadunidense DuckerFrontier. O levantamento aborda o cenário brasileiro até 2030 tem como objetivo mensurar os benefícios e impactos da IA em diferente searas, em especial no mercado de trabalho. O setor de serviços corporativos deve ganhar mais atenção, com uma estimativa de 26 milhões de novas vagas — ou 103% a mais, em comparação com os dados do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para o mesmo período. São levados em consideração os efeitos de automação e a abertura de novos postos. Imagem: Divulgação/Microsoft Manufatura (+73%), comércio varejista, atacadista, hotelaria e alimentação (+44%) e construção (+42%) também devem se destacar. As simulações também consideram as áreas de serviços públicos, mineração, água e energia e agricultura e pesca. Todos esses segmentos passariam por uma redução de carga horária de trabalho, com exceção dos serviços corporativos, graças à implementação de autômatos. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Na projeção que leva em consideração o uso mínimo da IA, a redução líquida do total de horas trabalhadas seria de 33%. Já no cenário utilização máxima, a diminuição é de 7%. Nesse contexto, haveria um investimento maior por parte de indústria nacional, com mais chances de criação de novas indústrias e modelos de negócio — e isso geraria um efeito cascata, impulsionando não somente os cargos ligados à tecnologia, como também em outras frentes, que serviriam para atender a economia em torno de funcionários altamente qualificados. IA deve aumentar também o PIB O estudo também aponta que a adoção máxima de IA no país pode aumentar a taxa composta anual de crescimento (CAGR) do Produto Interno Bruto (PIB) para 7,1% ao ano até 2030. A alta é superior à projeção de 2,9% do Banco Mundial e pelo FMI no mesmo período. O maior avanço do PIB traria uma ascensão até quatro vezes maior nos níveis de produtividade do país, podendo chegar a uma CAGR de até 7% ao ano até 2030, comparada a 1,7% de crescimento ao ano estimado pelo Banco Mundial e pelo FMI. Imagem: Divulgação/Microsoft Para quem teme a perda de emprego, a pesquisa afirma que as companhias podem alocar novas tarefas a seus funcionários ou até reduzir a carga horária, justamente por conta a produtividade da IA. Se por um lado os postos mais simples devem ser ocupados por máquinas, por outro deve haver uma demanda de 17,7 milhões de empregos altamente qualificados. As vagas com maior demanda devem ser as de profissionais liberais, técnicos de nível médio e gerentes. A participação total dessa seara aumentaria de 34% para 54% no mercado de trabalho brasileiro. A Microsoft conta com plataformas de cursos voltados para atualização de profissionais e preparação para esses empregos do futuro. Se quiser saber mais, é só acessar a escola de negócios AI Business School e os cursos para desenvolvedores da AI School. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2020 Veja Mais

O Retorno ao “Bare Metal”

O Retorno ao “Bare Metal”

canaltech Não estou falando de uma vertente de rock oriundo do Heavy Metal, apesar de gostar muito do estilo… estou falando de uma mudança na arquitetura computacional e, mais uma vez, visando aumentar ainda mais a eficiência das equipes de TI e melhor utilização dos recursos disponíveis: sejam on premise, sejam na cloud, preferencialmente em várias clouds, e sem ficar “preso” à elas. Basicamente estamos falando de parar de utilizar a virtualização de servidores e basear-se exclusivamente em uma plataforma de containers: com Kubernetes, Service Mesh, Circuit Breaker, Kafka, EFK, Serverless, SDS, SDN e todas as novas tecnologias que estão revolucionando a forma de tratar dados e desenvolver aplicações. Embora soe moderno, o conceito de virtualização tem suas origens nas tecnologias dos mainframes, no final dos anos 1960 e no início dos anos 1970, quando a IBM investiu muita pesquisa e esforço no desenvolvimento de soluções robustas de compartilhamento de recursos computacionais. Trata-se do uso compartilhado de recursos do computador entre um grande grupo de usuários, com o objetivo de aumentar a eficiência e os dispendiosos recursos do computador que eles compartilham. A virtualização de servidores foi um avanço que permitiu aproveitar melhor a capacidade de processamento, já que se conseguiu condicionar um único computador a suportar várias instâncias de sistemas operacionais. Isso se tornou possível por meio do hypervisor, camada de software que proporciona ao sistema operacional (OS) visitante a abstração da máquina real, criando o conceito de máquina virtual. É ele que controla o acesso dos sistemas operacionais visitantes aos dispositivos de hardware. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A virtualização habilita um ambiente de computação para executar vários sistemas independentes ao mesmo tempo, modelo que reduziu o custo de fornecimento de capacidade computacional. A partir daí, organizações e indivíduos passaram a compartilhar os servidores, com o isolamento de cada sistema operacional dentro de uma máquina virtual, consolidando vários servidores subutilizados em um menor número de máquinas, aumentando a eficiência do uso desses computadores, economizando espaço, energia e refrigeração. Diminuiu-se o tempo de provisionamento dos servidores, permitiu-se automatizar diversas tarefas diminuindo riscos e aumentando a velocidade de processos operacionais. Servidores físicos e o sonho da abstração Embora a tecnologia de virtualização tenha sido criada nos anos 60, ela não foi amplamente adotada até o final dos anos 1990. No início dos anos 1990, a maioria das empresas possuía servidores físicos e pilhas de software de um único fornecedor, o que dificultava que aplicativos legados fossem executados em outra pilha de software ou mesmo no hardware de um fornecedor diferente. À medida que as empresas atualizavam seus ambientes de TI com servidores, sistemas operacionais e aplicativos de diversos fornecedores, ficavam sujeitas a hardware físico subutilizado – cada servidor executava apenas uma aplicação para evitar interferência de uma aplicação com outra na mesma máquina: briga por recursos ou instabilidades de uma aplicação afetando a outra. Era o bare metal sem orquestração, cada servidor uma aplicação. Essa forma de organização de TI trouxe um problema sério: desperdício. Utilizava-se mais servidores, espaço e energia do que o necessário: muitos servidores com baixa utilização poderiam ser consolidados e foi essa necessidade que impulsionou a adoção da tecnologia de virtualização de servidores. As aplicações eram desenvolvidas de uma forma monolítica: um grande binário com todos os componentes altamente acoplados e dependentes que somente escalava verticalmente: para melhorar a performance colocava-se uma CPU mais rápida e, caso a aplicação tenha sido desenvolvida utilizando-se multithreading, podia-se colocar mais CPUs. Trabalhava-se na época com computadores que permitiam a instalação de muitas CPUs e muita memória (para os padrões da época) para que esses aplicativos monolíticos conseguissem atender mais demandas. Foi o auge dos grandes servidores RISC, arquiteturas e componentes proprietários acabavam prendendo ao fornecedor de Hardware e Software. A onda seguinte foi a migração para arquiteturas abertas saindo principalmente do UNIX para Linux e Windows e é onde estamos agora: uma quantidade enorme de máquinas virtuais, rodando em cima de virtualizadores caros e com dificuldades em escalar horizontalmente pois temos um legado enorme de aplicações que foram desenvolvidas monoliticamente. Breve história dos Containers Nos últimos dez anos, a ideia de consumir recursos computacionais conforme demanda e cobrada conforme o uso trouxe o conceito de cloud computing. A nuvem pública passou a proporcionar um pool de recursos virtuais, provisionado e alocado automaticamente entre vários clientes, por meio de uma interface de autosserviço. Já a nuvem privada agregou todos os processos básicos da computação em nuvem (padronização, automação e self-service) para acesso exclusivo apenas aos servidores e data centers da corporação. O que estamos procurando agora é abstrair as peculiaridades de cada infraestrutura para conseguir utilizá-las da forma mais eficiente possível: analisando-se necessidades específicas de cada aplicação e parâmetros como latência, custo de CPU, memória e transferência de dados e níveis de serviço toma-se a decisão onde o provisionamento de recursos deverá ser feito. Colocar uma máquina virtual em uma nuvem pública pode custar muito caro: afinal de contas na nuvem pública cobra-se por utilização de CPU e memória e, aplicações monolíticas, junto com suas bibliotecas e todo o sistema operacional, em uma máquina virtual não são a solução ideal para cloud computing aliás, nem foi pensada para isso. Para isso, temos os containers. Os Containers isolam aplicações (ou microsserviços) enquanto a virtualização isola sistemas operacionais. Em 2004, os Solaris Containers (depois chamados de Solaris Zones) foram introduzidos para as arquiteturas X86 e SPARC, combinando controles de recursos do sistema e os limites de separação fornecidos por zonas. Essas zonas atuavam como servidores virtuais completamente isolados em uma única instância do sistema operacional, diferentemente da virtualização de servidores tradicional que adicionava uma camada de software a mais. Contudo, ainda não era justificativa suficiente para sua ampla adoção, uma vez que a virtualização se encontrava bem desenvolvida, a necessidade de escalabilidade horizontal ainda não estava tão clara e as tecnologias de desenvolvimento em microsserviços estavam apenas começando. Os Linux Containers começaram como um projeto em 2006 e, em 2008, tiveram seu release inicial com foco nas novas abordagens de desenvolvimento baseado em microsserviços. Em 2011 a Red Hat lançou a primeira plataforma comercial de containers, ainda baseada em LXC e gears e, com o surgimento do formato Docker de containers e Kubernetes como motor de orquestração, o OpenShift v3 foi a primeira tecnologia empresarial baseada em Docker e Kubernetes ainda em 2015 adotando o que estava virando o padrão de fato. Uma aposta certeira pois hoje em dia vemos que Kubernetes é, de longe, a padrão de orquestração de containers. Hoje em dia a dependência do Docker foi eliminada com o surgimento de tecnologias abertas de containers em especial o CRI-O, que é um runtime de containers compatível com Kubernetes para o formato de containers aberto estipulado pelo OCI (Open Container Initiative). O futuro é híbrido Atualmente, os datacenters usam técnicas de virtualização para abstrair o hardware físico, criar grandes conjuntos agregados de recursos lógicos e oferecer esses recursos a usuários ou clientes de forma ágil. Estamos vivendo agora a transição para um próximo patamar de eficiência: redes definidas por software e armazenamento definido por software em vez de appliances proprietários. Containers rodando em bare metal em vez de máquinas virtuais rodando em hypervisors: menos overhead, arquiteturas descentralizadas e mais ágeis, escalabilidade horizontal e abstrações de tecnologias proprietárias de nuvens pública. Menor dependência de fabricantes de hardware e software (especialmente a dobradinha HW+SW proprietários que ainda consomem grande parte do orçamento de TI) e, principalmente uma arquitetura capaz de se adaptar para as novas tecnologias que estão surgindo ou que ainda surgirão sem ficar preso a nenhum fabricante de hardware, software ou nuvem. Não há dúvidas que a infraestrutura de nuvem, baseada em padrões, híbrida e aberta é o que será utilizado no futuro: não teremos tudo on premise, nem tudo na nuvem pública. Infraestrutura automatizada, descentralizada, altamente escalável e com maior liberdade de escolha de fornecedores é o que o futuro pode nos reservar se as armadilhas de lock-in forem evitadas. *Boris Kuszka é diretor dos arquitetos de solução da Red Hat. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Ring demite funcionários que espionavam vídeos de usuários

Ring demite funcionários que espionavam vídeos de usuários

Tecmundo A fabricante de campainhas inteligentes da Amazon, a subsidiária Ring, revelou que 4 diferentes investigações levaram à demissão de uma série de funcionários que espiavam consumidores em vídeos salvos na nuvem.Obtido pela Motherboard, seção de tecnologia da Vice, a carta enviada a senadores norte-americanos revela a demissão de funcionários que violaram as políticas da subsidiária. A Ring não só é responsável pela fabricação de campainhas, mas também de circuito interno de sensores, tornando a situação ainda mais grave.Leia mais... Veja Mais

Uber anuncia que vai deixar de operar na Colômbia após ser processado

G1 Economia Empresa disse que vai encerrar atividades no país no dia 1º de fevereiro. Uber foi processada na Colômbia e vai deixar de operar no país Mike Blake/Reuters O Uber anunciou nesta sexta-feira (10) que suspenderá suas atividades na Colômbia a partir de 1º de fevereiro, após responder a um processo por concorrência desleal e operação irregular. "Em cumprimento ao processo enviado pela Superintendência de Indústria e Comércio (SIC), no último 20 de dezembro, a partir da 0h do dia 1º de fevereiro de 2020 a Uber deixará de funcionar na Colômbia", anunciou a plataforma em um comunicado oficial. O funcionamento da Uber como aplicativo digital é permitido pelo Ministério de Tecnologia da Informação e da Comunicação, ainda que a prestação do serviço seja ilegal. Na Colômbia, a empresa americana tem mais de 88 mil motoristas em várias cidades. Em algumas cidades do mundo o Uber já não opera como resultado das reclamações. A empresa americana não oferece serviços na Catalunha, Bulgária, Hungria, Dinamarca e no norte da Austrália. Em sua conta no Twitter, a empresa postou uma ilustração na qual um automóvel branco aparece saindo do país com um cartaz dizendo "o seu Uber está indo embora da Colômbia". "Tchau, quem sabe até logo. #UmaSoluçãoJáParaUber", diz o texto que acompanha a publicação. Initial plugin text Veja Mais

Walmart "contrata" robôs para fazer suas compras

Walmart

canaltech O Walmart está recorrendo a uma novidade para otimizar seu trabalho com mercadorias: robôs. O Alphabot está sendo usado em um armazém para atender pedidos de uma unidade do Walmart Supercenter em Salem, New Hampshire, nos Estados Unidos. Segundo a própria empresa, o sistema usa "carrinhos autônomos para montagem da lista de itens, refrigerados e congelados, encomendados para compras online e os entrega a um colaborador, que verifica a precisão do pedido. Brian Roth, gerente sênior do departamento de operações digitais e automação de recebimento do Walmart nos EUA, disse em comunicado à imprensa que o Alphabot ajuda a simplificar o processo de entrega, o que "reduzirá os tempos de dispensa, aumentará a precisão e melhorará a totalidade dos mantimentos online. Além disso, eles ajudarão os colaboradores a se concentrar em serviços e vendas, enquanto a tecnologia lida com as tarefas mais comuns e repetitivas".   Em outras palavras, seu pedido de compras no Walmart não será totalmente montado por robôs. Colaboradores humanos ainda lidam com os produtos. Roth observa que, à medida que o Alphabot for mais utilizado, a empresa poderá usar os dados para se tornar ainda mais rápido e cumprir mais tarefas, como a substituição dos produtos. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- No caso do armazém de Salem, 30 Alphabots estão sendo utilizados, e operam com apenas 20% da capacidade, que chega a cerca de 170 pedidos por dia. Há também um sistema Alphabot "em escala reduzida" operando em um armazém no Arkansas (onde fica a sede corporativa do Walmart) e o sistema será implementado em lojas nas cidades de Mustang, Oklahoma e Burbank, Califórnia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

SpaceX vai explodir um foguete no lançamento — e de propósito

SpaceX vai explodir um foguete no lançamento — e de propósito

canaltech Mais um foguete da SpaceX deve explodir em pleno ar na semana que vem, mas desta vez de propósito. A companhia tem um teste programado para o sábado (18) que faz parte de exigências da NASA para permitir que a companhia privada ofereça voos tripulados à Estação Espacial Internacional (ISS) na espaçonave Crew Dragon. A SpaceX está chamando o teste de “desmontagem rápida programada”. O experimento serve para demonstrar se o sistema de escape de emergência da Crew Dragon funciona caso haja problemas com um lançamento real. É mais um teste de abortagem de lançamento, que deveria ter ocorrido nesta semana, na verdade, mas acabou adiado para permitir “tempo adicional para o processamento da espaçonave”, segundo a NASA. O lançamento vai acontecer no Kennedy Space Station, que fica no Cabo Canaveral, Flórida. Espera-se que, após 88 segundos, os motores SuperDraco afastem a Crew Dragon para uma distância segura, enquanto o foguete Facon 9 deve explodir em pleno ar a 31 km do local de lançamento. Os engenheiros esperam que o foguete se consuma em chamas enquanto cai no oceano. Caso contrário, pode ser que o impacto com a água cause uma explosão ainda maior por conta do combustível remanescente. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Following the In-Flight Abort, NET Jan 4th, Crew Dragon will splashdown ~31km downrange from the launchpad. The capsule will be recovered by GO Searcher and GO Navigator. The booster will not be recovered. https://t.co/ZbQh5C3B4U — SpaceXFleet Updates (@SpaceXFleet) December 14, 2019 Posteriormente, a SpaceX pretende recuperar os detritos do foguete no oceano. Esta será a segunda vez que a empresa vai fazer um teste de desmontagem rápida, mas a primeira em que a explosão será proposital. Em novembro do ano passado, um protótipo do foguete Starship explodiu durante um teste em solo. O teste da próxima semana será transmitido ao vivo no webcast da SpaceX. O evento está marcado para o dia 18 de janeiro, às 10h (em Brasília). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Veja Mais

Airbus deve superar Boeing como maior fabricante de aviões do mundo

G1 Economia Companhia europeia anunciou que entregou 863 aviões a clientes no ano passado, um aumento de 8% em relação a 2018. Boeing tem sido penalizada pela suspensão dos voos do 737 MAX. A Airbus anunciou nesta sexta-feira (10) que entregou 863 aviões a clientes no ano passado, um aumento de 8% em relação a 2018. O resultado a credencia a empresa a retomar ao posto de maior fabricante do mundo, hoje da Boeing. É a primeira vez que a Airbus entrega mais aviões do que a rival americana desde 2011. Logotipo da Airbus Reuters A Boeing, que entregou 345 aviões até o fim de novembro, tem sido penalizada pela suspensão dos voos do 737 MAX, a partir de março, e pela subsequente interrupção da produção. A Airbus também registou 768 novas encomendas em 2019, ligeiramente acima das 747 apuradas no ano anterior. Veja Mais

Cuidado: mais de 1,7 mil apps com malware Coringa foram detectados na Play Store

Cuidado: mais de 1,7 mil apps com malware Coringa foram detectados na Play Store

canaltech Um malware inicialmente conhecido como Bread — e posteriormente batizado de Coringa, em alusão ao caótico vilão da DC Comics — vem sendo observado de perto pela Google desde 2017. Isso porque ele vem se adaptando aos mecanismos de defesa e se multiplicando em muitas variantes, o que dificulta sua detecção. E agora, segundo a gigante de Mountain View, nada menos do que cerca de 1,7 mil apps com a praga já foram detectados e varridos da Play Store. O lado positivo dessa notícia é que o Coringa foi barrado antes mesmo que pudesse atuar...na maioria dos casos. Mas, segundo a firma de cibersegurança CSIS Security Group, pelo menos uma série contendo o DNA do software malicioso conseguiu passar pela varredura do programa Google Play Protect, que, segundo a companhia, “verifica mais de 500 bilhões de aplicativos todos os dias, em mais de dois bilhões de dispositivos”. Imagem: Montagem/The Next Web O CSIS Security Group encontrou 24 utilitários com o Coringa, que geraram um total de mais de 472 mil downloads em setembro de 2019. "O grande volume parece ser a abordagem preferida para os desenvolvedores de Bread. Em momentos diferentes, vimos três ou mais variantes ativas usando abordagens diferentes ou visando diferentes operadoras. [..] Nos horários de pico da atividade, vimos até 23 aplicativos diferentes dessa família submetidos ao Google Play Protect em um dia”, relata a Google. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Como age o Bread/Coringa? Os malwares para Android foram projetados originalmente para executar fraudes por SMS. Mas, desde então, "abandonaram isso amplamente para cobrança WAP, após a introdução de novas políticas do Google Play que restringem o uso da permissão SEND_SMS e aumentam a cobertura do Google Play Protect", diz o Google. As versões mais recentes mudaram o campo de atuação para outro tipo de fraude de cobrança móvel, chamada “fraude de pedágio”. Com essa nova técnica, os criminosos usam aplicativos mal-intencionados para induzir as vítimas a assinar ou adquirir vários tipos de conteúdo por meio da conta do telefone celular. Países destacados em verde são os mais afetados pelo malware (Imagem:Divulgação/CSIS Security Group) "Ambos os métodos de cobrança fornecem a verificação do dispositivo, mas não a verificação do usuário. A operadora pode determinar que a solicitação se origina do dispositivo do usuário, mas não exige nenhuma interação do mesmo, que não possa ser automatizada”, explicam Alec Guertin e Vadim Kotov, da equipe de segurança e privacidade do Android — então, fica a dica para você ficar de olho em utilitários agindo de forma suspeita. Para explorar a automatização da cobrança ilegal sem a necessidade de interação do usuário, os autores do malware aproveitam os cliques injetados, os analisadores de HTML personalizados e os receptores de SMS. Vale destacar que, em muitos casos, as vítimas do Coringa descobrem que a única funcionalidade que roda direito nesses falsos aplicativos é a de cobrança. Em alguns casos, os softwares eram apenas clones de outros aplicativos populares da Play Store. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Veja Mais

Petróleo fecha abaixo de US$ 65 em primeiro recuo semanal desde novembro

G1 Economia Queda devolveu a elevação de preços após tensão entre Irã e EUA. Barril do Brent fechou esta sexta-feira a US$ 64,98, mas cenário ainda é de cautela. O petróleo Brent recuou para abaixo dos US$ 65 por barril nesta sexta-feira (10) e registrou a primeira queda semanal desde o final de novembro. O recuo na semana devolveu ganhos apurados após ataque dos Estados Unidos que matou um importante general iraniano, à medida que investidores voltaram o foco para os crescentes estoques norte-americanos e outros sinais de ampla oferta. Mesmo assim, os mercados ainda avaliam os riscos de conflito no longo prazo, o que fez com que as cotações operassem em alta por um breve período nesta sexta-feira, diante de novas sanções impostas pelos EUA sobre o Irã em retaliação a um ataque com mísseis da república islâmica contra bases norte-americanas no Iraque. Valor de referência internacional, o petróleo Brent fechou em queda de US$ 0,39, a US$ 64,98 por barril. O petróleo dos EUA cedeu US$ 0,52, para US$ 59,04 o barril. "Com o recuo do Irã (no conflito), houve uma sensação de que a oferta de petróleo está bastante segura. Mas agora, com o estabelecimento de novas sanções e o relato de que um navio russo agiu de maneira agressiva contra uma embarcação dos EUA, um pouco de temor voltou a rondar o mercado", disse Phil Flynn, analista de petróleo do Price Futures Group. Na semana, o Brent acumulou um recuo de 5,3%, enquanto o WTI teve baixa de 6,4%. Agora, ambos os valores de referência já operam abaixo do patamar visto antes de um ataque dos EUA com drone matar o general iraniano Qassem Soleimani em 3 de janeiro. EUA anunciam novas sanções econômicas contra o Irã Veja Mais

Critic's Choice Awards 2020 | Conheça os indicados à premiação do cinema e da TV

Critic's Choice Awards 2020 | Conheça os indicados à premiação do cinema e da TV

canaltech Neste domingo, dia 12 de janeiro, acontece a 25ª edição do Critic's Choice Awards, premiação que reconhece grandes obras e artistas do cinema e da televisão e que pode ser um dos termômetros para medir as chances de um fime no Oscar, cuja 92° edição acontece no próximo dia 09 de fevereiro. Neste ano, quem ganha destaque no evento é o filme O Irlandês, de Martin Scorsese, para a Netflix. O longa está na liderança das indicações com 14 no total. Atrás está Era uma Vez em... Hollywood, de Quentin Tarantino, que recebeu 12 nomeações (e foi um dos grandes vencedores do Globo de Ouro deste ano), seguido de Olhos que Condenam, com seis, e Schitt's Creek e This Is Us com cinco cada. A atração ainda vai homenagear o ator Eddie Murphy, que está indicado a melhor ator pelo filme Meu Nome é Dolemite (também da Netflix). Ele receberá o prêmio Lifetime Achievement pelo conjunto de sua obra durante a vida. Quem também vai ganhar uma atenção especial é a atriz Kristen Bell, estrela de The Good Place, sendo homenageada com o prêmio #SeeHer, ou "a veja" na tradução literal. Já receberam esse reconhecimento as atrizes Viola Davis, Gal Gadot e Claire Foy. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Veja a lista de indicados: Era uma Vez em... Hollywood (Imagem: Divulgação) Melhor filme 1917 Ford vs Ferrari O Irlandês Jojo Rabbit Coringa Adoráveis Mulheres História de um Casamento Era uma Vez em... Hollywood Parasita Joias Brutas Melhor ator em filme Antonio Banderas - Dor e Glória Robert De Niro - O Irlandês Leonardo DiCaprio - Era uma Vez em... Hollywood Adam Driver - História de um Casamento Eddie Murphy - Meu Nome é Dolemite Joaquin Phoenix - Coringa Adam Sandler - Joias Brutas Melhor atriz em filme Awkwafina - A Despedida Cynthia Erivo - Harriet Scarlett Johansson - História de um Casamento Lupita Nyong'o - Nós Saoirse Ronan - Adoráveis Mulheres Charlize Theron - O Escândalo Renée Zellweger - Judy: Muito Além do Arco-Íris Melhor ator coadjuvante em filme Willem Dafoe - O Farol Tom Hanks - Um Lindo Dia na Vizinhança Anthony Hopkins - Dois Papas Al Pacino - O Irlandês Joe Pesci - O Irlandês Brad Pitt - Era uma Vez em... Hollywood História de um Casamento (Imagem: Divulgação) Melhor atriz coadjuvante em filme Laura Dern - História de um Casamento Scarlett Johansson - Jojo Rabbit Jennifer Lopez - As Golpistas Florence Pugh - Adoráveis Mulheres Margot Robbie - O Escândalo Zhao Shuzhen - A Despedida Melhor atriz ou ator jovem em filme Julia Butters - Era uma Vez em... Hollywood Roman Griffin Davis - Jojo Rabbit Noah Jupe - Honey Boy Thomasin McKenzie - Jojo Rabbit Shahadi Wright Joseph - Nós Archie Yates - Jojo Rabbit Melhor elenco O Escândalo O Irlandês Entre Facas e Segredos Adoráveis Mulheres História de um Casamento Era uma Vez em... Hollywood Parasita Parasita (Imagem: Divulgação) Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Melhor diretor de filme Noah Baumbach - História de um Casamento Greta Gerwig - Adoráveis Mulheres Bong Joon Ho - Parasita Sam Mendes - 1917 Josh Safdie and Benny Safdie - Joias Brutas Martin Scorsese - O Irlandês Quentin Tarantino - Era uma Vez em... Hollywood Melhor roteiro original A Despedida – Lulu Wang Entre Facas e Segredos – Rian Johnson História de um Casamento - Noah Baumbach Era uma Vez em... Hollywood - Quentin Tarantino Parasita - Bong Joon Ho and Han Jin Won Melhor roteiro adaptado Um Lindo Dia na Vizinhança – Noah Harpster e Micah Fitzerman-Blue O Irlandês – Steven Zaillian Coringa – Todd Phillips e Scott Silver Jojo Rabbit – Taika Waititi Adoráveis Mulheres – Greta Gerwig Dois Papas – Anthony McCarten Dois Papas (Imagem: Divulgação) Melhor fotografia em filme Ford vs Ferrari – Phedon Papamichael O Irlandês – Rodrigo Prieto Coringa – Lawrence Sher O Farol – Jarin Blaschke Era uma Vez em... Hollywood – Robert Richardson 1917 – Roger Deakins Melhor direção de arte em filme Downton Abbey - O Filme – Donal Woods, Gina Cromwell O Irlandês – Bob Shaw, Regina Graves Coringa – Mark Friedberg, Kris Moran Adoráveis Mulheres – Jess Gonchor, Claire Kaufman Era uma Vez em... Hollywood – Barbara Ling, Nancy Haigh Parasita – Lee Ha Jun 1917 – Dennis Gassner, Lee Sandales Melhor edição O Irlandês – Thelma Schoonmaker Ford vs Ferrari – Andrew Buckland, Michael McCusker Era uma Vez em... Hollywood – Fred Raskin Parasita – Yang Jinmo Joias Brutas – Ronald Bronstein, Benny Safdie 1917 – Lee Smith Melhor figurino em filme Meu Nome é Dolemite – Ruth E. Carter Downton Abbey - O Filme – Anna Robbins O Irlandês – Sandy Powell, Christopher Peterson Adoráveis Mulheres – Jacqueline Durran Era uma Vez em... Hollywood – Arianne Phillips Rocketman – Julian Day Rocketman (Imagem: Divulgação) Melhor cabelo e maquiagem em filme O Escândalo Meu Nome é Dolemite O Irlandês Coringa Judy: Muito Além do Arco-Íris Era uma Vez em... Hollywood Rocketman Melhores efeitos visuais em filme 1917 Ad Astra - Rumo às Estrelas Os Aeronautas Vingadores: Ultimato Ford vs Ferrari O Irlandês O Rei Leão Melhor filme de animação Abominável Frozen 2 Como Treinar o seu Dragão 3 I Lost My Body Link Perdido Toy Story 4 Melhor filme de ação 1917 Vingadores: Ultimato Ford vs. Ferrari John Wick 3: Parabellum Homem-Aranha: Longe de Casa Melhor filme de comédia Fora de Série Meu Nome é Dolemite A Despedida Jojo Rabbit Entre Facas e Segredos Melhor filme de ficção científica ou terror Ad Astra - Rumo às Estrelas Vingadores: Ultimato Midsommar Nós Melhor filme estrangeiro Atlantique Os Miseráveis Dor e Glória Parasita Retrato de Uma Jovem em Chamas Melhor música em filme "Glasgow (No Place Like Home)" – As Loucuras de Rose "(I’m Gonna) Love Me Again" – Rocketman "I’m Standing With You" – Superação: O Milagre da Fé "Into the Unknown" – Frozen 2 "Speechless" – Aladdin "Spirit" – O Rei Leão "Stand Up" – Harriet Melhor trilha sonora em filme Michael Abels – Nós Alexandre Desplat – Adoráveis Mulheres Hildur Guðnadóttir – Coringa Randy Newman – História de um Casamento Thomas Newman – 1917 Robbie Robertson – O Irlandês The Crown (Imagem: Divulgação) Melhor Série de Drama The Crown David Makes Man Game of Thrones The Good Fight Pose Succession This Is Us Watchmen Melhor ator em série de drama David Makes ManSterling K. Brown -This Is Us Mike Colter - Evil Paul Giamatti - Billions Kit Harington - Game of Thrones Freddie Highmore - The Good Doctor Tobias Menzies - The Crown Billy Porter - Pose Jeremy Strong - Succession Melhor atriz em série de drama Christine Baranski - The Good Fight Olivia Colman - The Crown Jodie Comer - Killing Eve Nicole Kidman, Big Little Lies Regina King - Watchmen Mj Rodriguez - Pose Sarah Snook - Succession Zendaya - Euphoria Euphoria (Imagem: Divulgação) Melhor ator coadjuvante em série de drama Asante Blackk - This Is Us Billy Crudup - The Morning Show Asia Kate Dillon - Billions Peter Dinklage - Game of Thrones Justin Hartley - This Is Us Delroy Lindo - The Good Fight Tim Blake Nelson - Watchmen Melhor atriz coadjuvante em série de drama Helena Bonham Carter - The Crown Gwendoline Christie - Game of Thrones Laura Dern - Big Little Lies Audra McDonald - The Good Fight Jean Smart - Watchmen Meryl Streep - Big Little Lies Susan Kelechi Watson - This Is Us Melhor série de comédia Barry Fleabag The Marvelous Mrs. Maisel Mom One Day at a Time PEN15 Schitt's Creek Melhor ator em série de comédia Ted Danson - The Good Place Walton Goggins - The Unicorn Bill Hader - Barry Eugene Levy - Schitt’s Creek Paul Rudd - Living with Yourself Bashir Salahuddin - Sherman's Showcase Ramy Youssef - Ramy Melhor atriz em série de comédia Christina Applegate - Disque Amiga para Matar Alison Brie - GLOW Rachel Brosnahan - The Marvelous Mrs. Maisel Kirsten Dunst - On Becoming a God in Central Florida Julia Louis-Dreyfus - Veep Catherine O'Hara - Schitt’s Creek Phoebe Waller-Bridge - Fleabag Fleabag (Imagem: Divulgação) Melhor ator coadjuvante em série de comédia Andre Braugher - Brooklyn Nine-Nine Anthony Carrigan - Barry William Jackson Harper - The Good Place Daniel Levy - Schitt’s Creek Nico Santos - Superstore Andrew Scott - Fleabag Henry Winkler - Barry Melhor atriz coadjuvante em série de comédia Alex Borstein - The Marvelous Mrs. Maisel D'Arcy Carden - The Good Place Sian Clifford - Fleabag Betty Gilpin - GLOW Rita Moreno - One Day at a Time Annie Murphy - Schitt's Creek Molly Shannon - The Other Two Melhor série limitada Catch-22 Chernobyl Fosse/Verdon The Loudest Voice Inacreditável Olhos que Condenam Years and Years Melhor filme para a televisão Brexit Deadwood: The Movie El Camino: A Breaking Bad Movie Guava Island Native Son Patsy & Loretta El Camino - A Breaking Bad Movie (Imagem: Divulgação) Melhor ator em série limitada ou filme para a televisão Christopher Abbott - Catch-22 Mahershala Ali - True Detective Russell Crowe - The Loudest Voice Jared Harris - Chernobyl Jharrel Jerome - Olhos que Condenam Sam Rockwell - Fosse/Verdon Noah Wyle - The Red Line Melhor atriz em série limitada ou filme para a televisão Kaitlyn Dever - Inacreditável Anne Hathaway - Modern Love Megan Hilty - Patsy & Loretta Joey King - The Act Jessie Mueller - Patsy & Loretta Merritt Wever - Inacreditável Michelle Williams - Fosse/Verdon Melhor ator coadjuvante para série limitada ou filme para a televisão Asante Blackk - Olhos que Condenam George Clooney - Catch-22 John Leguizamo - Olhos que Condenam Dev Patel - Modern Love Jesse Plemons - El Camino: A Breaking Bad Movie Stellan Skarsgård - Chernobyl Russell Tovey - Years and Years Melhor atriz coadjuvante para série limitada ou filme para a televisão Patricia Arquette - The Act Marsha Stephanie Blake - Olhos que Condenam Toni Collette - Inacreditável Niecy Nash - Olhos que Condenam Margaret Qualley - Fosse/Verdon Emma Thompson - Years and Years Emily Watson - Chernobyl Years and Years (Imagem: Divulgação) Melhor série animada Big Mouth BoJack Horseman The Dark Crystal: Age of Resistance She-Ra e as Princesas do Poder Os Simpsons Undone Melhor talk show Desus & Mero Full Frontal with Samantha Bee The Kelly CLarkson Show Last Week Tonight with John Oliver The Late Late Show with James Corden Late Night with Seth Meyers Melhor especial de comédia Amy Schumer: Growing Jenny Slate: Stage Fright Live in Front of a Studio Audience: Norman Lear's All in the Family and The Jeffersons Ramy Youssef: Feelings Seth Meyers: Lobby Baby Trevor Noah: Son of Patricia Wanda Sykes: Not Normal O Critic's Choice Awards acontece neste domingo, dia 12 de janeiro, com transmissão na TNT. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Veja Mais

CES 2020: de celular com câmera invisível a carne de porco vegetal | Plantão TC

tudo celular Confira os maiores destaques da CES 2020 nesta edição especial do Plantão TC. Veja Mais

Qual o interesse da Rússia na capacidade de se 'desconectar' da internet e por que isso é um desafio?

G1 Economia País aprovou leis com medidas técnicas que interferem nos provedores com a instalação de equipamentos do governo. Além de se desconectar da internet global, Rússia quer garantir o funcionamento de serviços locais para criar a 'RuNet' Roy Andre Tollefsen/FreeImages Para nos desconectarmos da internet, basta ligar o "modo avião" no celular ou retirar a tomada do equipamento instalado pelo provedor. Para um país, no entanto, essa tarefa é bem mais complicada e exige planejamento – ainda mais quando a intenção é manter a rede em funcionamento para serviços fornecidos dentro do país. Depois de alguns fracassos, a Rússia anunciou que teve sucesso em uma tentativa de se "desconectar" da internet mundial, deixando em funcionamento uma grande rede interna que acessa somente os serviços localizados dentro do país. O feito é resultado de uma série de medidas legislativas e técnicas, criando obrigações para os provedores que atuam em território russo. A jornada legislativa começou em 2014, quando o parlamento russo aprovou uma lei obrigando todos os prestadores de serviços de internet a armazenar dados referentes a cidadãos russos em servidores dentro do país. A regra entrou em vigor em setembro de 2016. (O Brasil chegou a cogitar uma medida semelhante no Marco Civil da internet, mas a ideia foi abandonada por conta dos riscos de isolamento e indisponibilidade de serviços.) Outro marco ocorreu em 2018 com a proibição do Telegram. Os responsáveis pelo aplicativo não entregaram chaves criptográficas que permitiriam grampear as comunicações dos usuários. Desde então, segundo uma reportagem da "Associated Press", o aplicativo se transformou em uma ferramenta para a organização de protestos no país, operando de maneira clandestina. A lei da desconexão em si, chamada de "Lei RuNet", entrou em vigor de 1° de novembro de 2019. Ela é a responsável pelas medidas técnicas e legais que legitimam e viabilizam a "desconexão" da Rússia. Essa lei prevê que todos os provedores devem instalar equipamentos (de software e hardware) fornecidos por autoridades russas. A lei ainda obriga as empresas com infraestrutura de telecomunicação a informar ao governo a existência dos pontos de troca de tráfego (PTT) e de qualquer rota de comunicação capaz de conectar o país a redes estrangeiras. Não é permitido usar pontos de conexão cuja existência não foi notificada ao governo. Treinamentos oferecidos pelo Roskomnadzor, o Serviço Federal de Supervisão de Comunicações, também são obrigatórios para as equipes que atuam nesses provedores de telecomunicação. É a combinação dessas medidas que permite que a Rússia "desligue a internet" sem desligar o serviços e sites disponibilizados dentro do país. Mas essas medidas permitem muito mais que apenas o desligamento da internet. Internet foi projetada para superar problemas de comunicação, o que dificulta a imposição de bloqueios Mike Gieson/Freeimages.com Controle de rotas Por regra, a internet procura conectar dois computadores através do melhor caminho. O "melhor" nem sempre é o mais curto: pode ser o menos congestionado, o que tem mais capacidade, o mais barato ou aquele que desvia de problemas técnicos (cabos rompidos, por exemplo). A internet está constantamente remodelando as "rotas", a graças tecnologias como o BGP e o IS-IS. Na prática, o tráfego de dados pode sair da infraestrutura nacional a qualquer momento, mesmo que os dispositivos conectados estejam no mesmo país. Tudo vai depender da rota ideal traçada no momento da conexão. É para isso que servem os ponto de troca de tráfego (PTTs) que a legislação russa passou a controlar – eles interligam diversos provedores de internet para aprimorar o fluxo de dados. Ou seja, não basta bloquear o destino das conexõe para "nacionalizar" a internet. Todas as rotas devem ser monitoradas para impedir a escolha de certos "caminhos", mesmo quando as informações disponíveis indiquem congestionamento na infraestrutura nacional. Outro desafio é que a, a infraestrutura para algumas partes da internet é global. Endereços ".com", ".net" ou ".org", por exemplo, abrigam sites de qualquer nacionalidade. Para que esses sites não fiquem indisponíveis, deve ser criado algum mecanismo que mantenha sites específicos funcionando – ou então alertar os donos de sites que esses endereços podem ser derrubados em uma situação de internet "desconectada". Por que a Rússia quer criar uma internet nacional? A Rússia diz que a capacidade de desconectar o país da internet mundial pode garantir a segurança da infraestrutura de comunicações em casos de guerra ou ataque cibernético e proteger a soberania nacional. Mas a eficácia da medida para essa finalidade é questionável: qualquer espião ou agente infiltrado no país pode facilmente conseguir uma conexão local e continuar realizando ataques. O vírus Stuxnet, que atingiu usinas nucleares no Irã, é um exemplo: ele foi injetado na rede das usinas por pen drives. Como todos os provedores são obrigados a instalar softwares e equipamentos fornecidos pelo governo, é inegável que as autoridades aumentaram o controle e o poder de monitoramento sobre o todo o tráfego do país. A infraestrutura instalada é semelhante àquela utilizada na censura da internet chinesa. Mas a possibilidade de "desconexão" também favorece redes sociais e prestadores de serviços dentro do país: só eles continuarão funcionando durante o acionamento da "RuNet". Qualquer bloqueio – necessário ou não – vai incentivar os russos a procurarem serviços locais. A criação de uma alternativa russa à "Wikipedia", que deve contar com investimento do governo, é outro indício de que a Rússia se preocupa com a manutenção de serviços nacionais. Dito de outra forma, o que importa não é apenas o desligamento da internet, mas sim o que continuará funcionando sem ela. E não é só na internet que a Rússia tenta afastar a influências das empresas de tecnologia estrangeiras. Segundo o site russo "Open Media", o uso do Windows 10 não foi autorizado em sistemas que lidam com informaçõs sigilosas no governo. Por essa razão, até o presidente Vladimir Putin ainda estaria usando o Windows XP, lançado em 2001. Quando esses sistemas forem migrados, o país deve adotar o Astra Linux, uma distribuição Linux mantida por russos. Em julho de 2020, a Rússia dará mais um passo nessa direção: a lei vai obrigar todos os celulares, computadores e smart TVs comercializados no país a incluírem programas de origem russa pré-instalados. No fim das contas, independentemente das intenções e da eficácia, o conjunto de medidas aprovado pela Rússia vai proteger os serviços locais de pressões técnicas, econômicas e jurídicas. O preço disso, no entanto, é difícil de ser calculado. Além de ficarem de fora dos investimentos internacionais em tecnologia, os russos correm o risco de acabar com serviços de qualidade inferior ou com um fluxo de comunicação mais lento que o de países sem restrições. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Veja Mais

Líbano pode liberar viagens para Ghosn caso não receba processo do Japão, diz ministro

G1 Economia Justiça libanesa espera que autos do processo sejam enviados em até 40 dias. Ghosn é acusado de fraude financeira pelas autoridades japonesas e fugiu para Beirute. Carlos Ghosn durante coletiva no Líbano Mohamed Azakir/Reuters O Líbano pode suspender a proibição de viagens ao ex-presidente da Nissan-Renault Carlos Ghosn caso os autos relativos ao seu caso não sejam enviados pelo Japão em 40 dias, informou em comunicado, nesta sexta-feira (10), o ministro interino da Justiça, Albert Serhan. Fuga de Ghosn: o que se sabe até agora Ghosn fugiu do Japão para o Líbano, seu lar de infância, no mês passado, enquanto aguardava julgamento por acusações de sonegar ganhos, quebra de confiança e apropriação indébita de fundos da empresa, todas as quais ele nega. Sua dramática fuga tem elevado as tensões entre Japão e Líbano, onde Ghosn criticou o sistema judiciário japonês em uma entrevista coletiva de duas horas na quarta-feira, levando o ministro do Japão a emitir uma rara e forte resposta pública. O Líbano não possui um acordo de extradição com o Japão. Detalhes sobre a fuga de Carlos Ghosn do Japão Aparecido Gonçalves/Rafael Miotto/G1 Mulher de Ghosn será interrogada Em comunicado, Serhan disse que havia se encontrado com o embaixador Japonês no Líbano e reafirmado a importância do relacionamento entre os dois países. Ele também disse que a mulher de Ghosn, Carole, será interrogada pelos promotores libaneses quando as autoridades receberem uma notificação da Interpol por ela. "Carole estará sujeita aos mesmos procedimentos que foram feitos (com Ghosn) quando o alerta vermelho for recebido da Interpol", disse o ministro no comunicado. Na terça-feira, promotores de Tóquio emitiram um mandado de prisão por Carole em razão de um suposto falso testemunho relacionado à acusação de apropriação indébita contra o seu marido. Uma porta-voz de Carole disse que ela tinha, voluntariamente, voltado ao Japão há nove meses para responder aos questionamentos de promotores e estava livre para ir sem quaisquer acusações, acrescentando que o mandado era "patético". Ghosn fala em entrevista exclusiva a Roberto D´Avila: Carlos Ghosn fala sobre fuga e acusação de fraude fiscal Initial plugin text Veja Mais

Google faz mudanças em programa que visa reduzir vulnerabilidades na internet

Google faz mudanças em programa que visa reduzir vulnerabilidades na internet

canaltech Em 2020, o Google vai testar uma pequena mudança no seu Project Zero, criado para tentar tornar a internet e a computação em geral mais segura. Como resultado de um retorno em conversas com desenvolvedores de software, a gigante das buscas resolveu tentar uma pequena mudança na política de 90 dias para publicar uma vulnerabilidade. Até 2019, a empresa tornava público o problema assim que era corrigido ou 90 dias depois de a companhia responsável ser informada. Agora, mesmo que a falha seja corrigida 20 dias depois do aviso, só será publicamente divulgada passados os 90 dias. Com isso, os desenvolvedores esperam ter mais tempo para analisar se a correção é suficiente, buscando a raiz do problema antes que atacantes possam trocar a estratégia para driblar a solução inicial. Outro benefício seria de que mais usuários teriam tempo de receber a atualização, o que tornaria a cobertura do problema mais eficaz antes que atacantes fiquem sabendo que tal vulnerabilidade existe e tentem explorá-la. O Google, no entanto, diz que a nova medida é apenas um teste por enquanto. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Do lado dos desenvolvedores, ficou a promessa de que as correções serão feitas em um tempo mais curto, já que ainda teriam um tempo para avaliar se realmente foi eficaz antes que o problema seja divulgado. A divulgação pode ser feita antes dos 90 dias caso haja consentimento mútuo. Com isso, o Google ainda aproveita pra automatizar a publicação da vulnerabilidade assim que forem completados os 90 dias. Antes, cada publicação era feita manualmente. Além disso, se houver uma nova correção durante os 14 dias de bandeja que desenvolvedores podem pedir adicionalmente aos 90 dias, a informação será atualizada. O Project Zero é considerado bem sucedido pelo Google, com 97,7% das correções publicadas dentro do prazo de 90 dias, segundo a empresa. A mudança é uma maneira que a companhia encontrou de tentar melhorar a cooperação entre o projeto e os desenvolvedores. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Os lançamentos da Netflix em janeiro de 2020 Veja Mais

Acidentes com avião da Boeing pode atrapalhar fusão com a Embraer

Acidentes com avião da Boeing pode atrapalhar fusão com a Embraer

R7 - Economia A especialista em compliance Marcela Pedreiro afirmou nesta sexta-feira (10), em entrevista exclusiva ao Jornal da Record News, que as novidades no caso da aeronave Boeing 737 Max, envolvida em dois acidentes fatais em 2018 e 2019, podem atrapalhar a fusão da empresa norte-americana com a brasileira Embraer. Veja Mais

Ex-assessor de Gil Diniz, do PSL, reforça acusação de 'rachadinha'

O Tempo - Política Segundo Alexandre Junqueira, o deputado coagia funcionários de seu gabinete a devolver parte dos salários e mantinha um trabalhador fantasma Veja Mais

Ricardo Salles exonera responsável por controle de agrotóxicos do Ibama

O Tempo - Política Marisa Zerbetto se disse surpreendida pelo afastamento e que não recebeu nenhuma explicação clara sobre o motivo Veja Mais

Preço da gasolina fica estável nas bombas; diesel tem leve alta

G1 Economia De acordo com o levantamento semanal da ANP, o valor médio da gasolina por litro permaneceu em R$ 4,558. Preço do diesel subiu 0,11% na semana. Bomba de gasolina em posto da zona sul de São Paulo Marcelo Brandt/G1 O preço da gasolina ficou estável nesta semana e interrompeu uma sequência de dez aumentos consecutivos, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (10) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com o levantamento, o valor médio da gasolina por litro permaneceu em R$ 4,558. Já o preço do diesel teve leve alta de 0,11% na semana, para R$ 3,783 por litro, em média. O preço do etanol também subiu no período do levantamento. O avanço foi de 0,35%, para R$ 3,185 por litro. Os valores são uma média calculada pela ANP com dados coletados em postos em diversas cidades pelo país. Os preços, portanto, variam de acordo com a região. Tensão EUA e Irã A semana foi marcada por volatilidade na cotação do petróleo - o que pode contaminar os preços dos combustíveis no Brasil -, depois que um ataque dos Estados Unidos matou o chefe de uma unidade especial da Guarda Revolucionária do Irã, Qassem Soleimani, e aumentou a tensão entre os dois países. O preço do barril de petróleo chegou a subir para o patamar de US$ 70 na segunda-feira (6). Mas, ao longo da semana, foi cedendo conforme a tensão entre os dois países diminuiu. Nesta sexta-feira, o petróleo Brent recuou para abaixo dos US$ 65 por barril e registrou a primeira queda semanal desde o final de novembro. O governo brasileiro tem monitorado o comportamento do preço do petróleo e um consequente impacto nos preços dos combustíveis. Uma das medidas em estudo pela equipe econômica é a criação de um fundo para compensar as variações no preço do petróleo. Ministro de Minas e Energia: ‘Governo quer mecanismo contra aumento do petróleo’ Veja Mais

Análise | Sony WI-C200, um fone Bluetooth baratinho e bom de serviço

Análise | Sony WI-C200, um fone Bluetooth baratinho e bom de serviço

canaltech Voltados a um público que quer ouvir sua música com qualidade e gastando pouco (dentro do possível, claro), os novos fones Bluetooth da Sony chegam para agradar aqueles que necessitam de trilha sonora no seu dia a dia, mas não dispõem de várias centenas ou até milhares de reais para desembolsar em um equipamento de ponta. Aliás, além disso: se você anda muito a pé ou frequenta muitos locais públicos e tem medo de perder fones caros, mas ao mesmo tempo não suporta qualidade tosca de fones chinfrins vendidos em qualquer esquina e sem a menor procedência, talvez tenha encontrado o fone certo. O WI-C200 é um fone wireless, mas não completamente: ele possui um cabo que liga uma ponta na outra, no qual também há os controles e um contrapeso para que os buds não fiquem saindo da sua orelha a qualquer movimento mais brusco. Será que esse peso incomoda? Será que a definição dos drivers agrada ouvidos um pouco mais exigentes? E a conectividade, é estável o suficiente para aquele rolê ou malhação na academia? Tudo isso a gente vai descobrir agora, neste review.   Design & Ergonomia Um modelo sem fio que ainda não é truly wireless é o ponto intermediário entre um fone com fio e um fone isento de qualquer cabo. Ele não vai limitar sua liberdade de movimentos, mas também não vai te dar aquela sensação de estar usando praticamente um brinco discreto em cada orelha. É um modelo que, por se conectar sem fio ao seu celular via Bluetooth, te deixa livre para desempenhar suas tarefas, sejam elas no escritório, em casa, na rua, na academia ou no parque, porém será constantemente lembrado por ter um fiozinho passando atrás da sua nuca, com dois pesinhos que pendem sobre seus ombros, e um cabo relativamente grande para unir o conjunto todo. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Com vocês, o WI-C200 (sim, ele é um fone "sem fio") de corpo inteiro (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Incomoda? Não, de maneira alguma. Não vou problematizar o cabo, porque o fone é extremamente leve e macio, bem gostoso de usar. Ao tirá-lo da caixa, pensei que fosse ser um incômodo andar por aí com esses dois pesinhos pendurados (que não são apenas pesos, como explicaremos adiante), mas entendi que a proposta da Sony foi exatamente deixar a coisa equilibrada, sem perder a leveza e sem machucar as orelhas do usuário. O cabo que passa por trás da nuca é flat, diferentemente do que sai dos pesinhos e leva o som até os drivers. Esse sim é mais fininho, frágil e cilíndrico. Apesar de passar uma impressão de fragilidade no início, o conjunto é resistente e só requer os cuidados básicos de sempre: evitar puxar de arranco um fone só, guardar sem dobrar demais o fio (que é bastante flexível, aliás), arrumar uma bolsinha ou uma caixinha para ele e por aí vai. Não, infelizmente o fone vem puro na caixa: nada de case de transporte de fábrica. Módulos: um com controles, outro com componentes. Ambos servem de contrapeso para seu fone não cair, puxar ou incomodar (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O acabamento é todo emborrachado, exceto no corpo dos fones e nos módulos que, anteriormente, chamamos de pesinhos. Tanto neles quanto nos buds, a qualidade é um tanto plástica demais, o que passa a impressão de fragilidade — principalmente na parte em que o cabo se liga aos buds. Para retirá-los dos ouvidos, segure no corpo dos fones, e jamais arranque-os pelo cabinho. Os buds são extremamente pequeninos, e isso também passa a impressão de fragilidade. Acontece que toda a central de controle, conectividade Bluetooth e porta de carregamento (USB-C! Viva!) está localizada nestes módulos, que "descem" dos cabos. Com isso, a Sony conseguiu deixar os buds em si extremamente delicados e discretos. Os buds também são magnéticos, o que é legal caso você queira dar um descanso para seus ouvidos, mas sem tirar os fones da nuca, deixando o WI-C200 como um colar no seu pescoço. São estáveis? Depende. Para quem vai usar o brinquedinho no escritório, no transporte ou em caminhadas/atividades leves, são sim. Mas qualquer esbarrão no cabo já é suficiente para arrancar um dos buds da sua orelha. Ou mais que isso, até: o cabo do conjunto, de maneira geral, é muito longo e no próprio balançar, dependendo se você está em um ritmo acelerado (como pular corda, por exemplo), pode ameaçar levar o fone junto. Então, cuidado para não enganchar o cabo em nada e nem fazer movimentos muito bruscos a ponto de o próprio peso do módulo desalojar o fone do seu ouvido na pura inércia. Disponível em apenas duas cores (preta e branca), o modelo vem como um upgrade para a maioria dos foninhos de celular que acompanham os aparelhos hoje em dia. Controles Temos aqui um esquema simples de controle para sua música e ligações telefônicas. Em um dos módulos (o da esquerda), a Sony inseriu o tradicional sistema de três botões, pelos quais você pode pausar e reproduzir músicas, aumentar e diminuir o volume, avançar e retroceder faixas, ativar o assistente de voz do seu smartphone (Siri, Google Assistente) e atender ou recusar chamadas. Controle com esquema tradicional e porta USB-C na lateral do módulo (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O feedback tátil que se tem dos controles físicos não é lá dos melhores, já que tudo é plástico demais e, durante uma corrida, por exemplo, você estará suado demais para sentir qual botão é o + e qual é o -. Várias vezes me senti compelida a puxar o módulo até conseguir ver qual botão fazia o quê. A resposta é ok, mas não é grandes coisas. Conectividade O WI-C200 é pequenino e relativamente baratinho, mas já vem com os últimos padrões de conectividade possíveis, a exemplo da porta USB-C localizada no módulo e do padrão Bluetooth 5.0, que conversa com os smartphones mais novos do mercado e entrega melhor qualidade sonora possível, dentro das limitações dos componentes do fone. Em termos de estabilidade, sua música vem redonda (nos codecs AAC e SBC) e suporta reprodução sem repiques a até 10m de alcance em linha reta. O modelo não possui NFC. É ideal para usar com qualquer aplicativo de streaming de música do mercado (Spotify, Deezer, Apple Music, Amazon Music), mas tem latência — o que pode irritar quem vai assistir a filmes e vídeos, ou jogar no celular, por exemplo. Isso quer dizer que o áudio não fica sincronizado com o vídeo, e você vai sentir um atraso nas falas em relação ao movimento da boca das pessoas na tela. Microfone O modelo conta com um microfone simples, em linha, para quebrar o galho quando você receber ligações telefônicas durante o uso. Como o fone não é caro, não espere um super microfone aqui, também. Em ligações realizadas em locais tranquilos, quem está do outro lado da linha vai perceber que você está usando outro aparelho para se comunicar, porque sua voz vai ficar abafada, talvez mais fina e enlatada. Em locais muito tumultuados, como a praça de alimentação de um shopping, o microfone vai custar a separar o que é ruído do que é sua voz, e quem estiver te ouvindo também vai lutar para entender o que você está falando. Como os buds são diminutos, o microfone fica atrás dos controles (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Só que, em usos comuns, como durante um exercício ou caminhada ao ar livre, a caminho do trabalho, trabalhando no escritório ou lendo um livro em casa, é ok para ligações e quebra um super galho caso você não possa acessar o celular naquele momento — como quando estiver lavando a louça, por exemplo. Para mandar áudio no WhatsApp ou Telegram tá bem ok, também. Percebi que durante o uso do WI-C200 em ligações telefônicas, minha voz foi captada pelo microfone, passou pelos drivers e retornou aos meus ouvidos. Pode ser irritante para alguns ficar ouvindo sua voz o tempo todo nos fones enquanto conversa com alguém no telefone. Isolamento passivo de ruído O WI-C200 vem com três tamanhos de ponteiras de silicone, para melhor encaixe nos ouvidos. Com a ponteira média, eles entregaram uma boa dose de isolamento passivo, o que é esperado para fones in-ear bem adaptados e com pontas emborrachadas. É bom para isolar um pouco do ruído ambiente, mas não tanto. Por exemplo: no escritório, você não vai ouvir conversas baixas de seus colegas, nem o barulho do ar condicionado, muito menos o ruído das teclas ao digitar um texto longo como esse no seu teclado. Já na rua, você vai ouvir buzinas, motores, carros de som, cachorros latindo e, praticamente… tudo que acontece na rua. Bateria Diz a Sony que a bateria do WI-C200 resiste até 15 horas em uso contínuo, levando três horas para se carregar por completo. O carregamento se dá via cabo USB-C: há uma porta no módulo de controle pela qual você conecta o cabo e espeta a outra ponta no seu notebook, PC ou carregador de celular (5W, embora não seja recomendado). Apesar de ter uma duração bem legal, o fone não conta com sistemas sofisticados de detecção de uso, ou seja, não se desligam sozinhos. Se você tirar o WI-C200 e deixá-lo na mesa, próximo ao seu smartphone, sem lembrar de desligá-los ou desconectá-los, eles vão ficar lá, tocando música ad eternum — ou melhor, até a bateria acabar ou você quebrar a conectividade, levando o telefone embora com você. Se você perceber que a bateria acabou ou vai acabar, ainda pode usar o carregamento rápido: 10 minutos plugado entregam 60 minutos de música. Sonoridade Buds magnéticos: bom para quem quer dar um descanso para os ouvidos sem tirar o fone do pescoço (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O WI-C200 é um fone de baixo custo, porém com uma qualidade sonora muito legal. Ele conta com drivers de 9 mm com perfil sonoro bem característico de fones de entrada, com graves lá no topo, agudos também enfatizados (para dar a impressão de mais nitidez no som) e médios recuados. Ou seja: vai agradar o usuário que está procurando por mobilidade, graves profundos e não quer gastar muito. Confesso que ao ouvir o WI-C200 pela primeira vez, me surpreendi positivamente. Não esperava que fosse ter uma resposta dinâmica tão boa, sem querer desmerecer o aspecto do produto. Fones em torno de R$ 200 geralmente são um tiro no escuro, mas se você quer um fone melhor do que o que veio no seu smartphone intermediário e ainda por cima sem fios, essa é uma boa aposta. Mas, vale aquela máxima: cada ouvido é único. E esta análise foi feita com base nos meus. Para você, os fones podem soar melhores — ou piores. De maneira geral, para tentar sintetizar, vamos dividir o áudio e falar das frequências: Graves Surpreendentemente bons, os graves do modelo vão agradar até mesmo usuários um pouco mais exigentes e que gostam de suas músicas com batidas profundas, como no hip-hop e no eletrônico. Inclusive, quem gosta de frequências bem baixas vai ter uma reação positiva ao ouvir seus pancadões no WI-C200 — claro, estamos falando de um fone in-ear de entrada, então nada de compará-lo com um over-ear nervoso, como o Sony WH-XB900N. Enfático também em graves mais agudos, quase chegando nos médios. O João Donato gravou um disco recente com a Tulipa Ruiz — uma aula de brasilidade, vale dizer. Em Gravidade Zero, faixa do single da dupla, o contrabaixo é profundo e marcante. Temos trombone, temos a voz grave de João, temos os tons e surdos da bateria… tudo isso muito bem posicionado na música, que tem uma ambiência deliciosa de se ouvir, com cadência e dinâmica muito caprichadas. No solo de piano elétrico, é legal perceber o quanto é definida a frequência grave, ainda mais em um trecho dançante da música onde o contrabaixo se comporta muito bem para não tomar espaço do trombone, por exemplo. Em Harder, Better, Faster, Stronger, da dupla francesa Daft Punk, a gente tem um mooonte de sintetizadores, vocoders, batidas eletrônicas e efeitos. Os graves chegam chutando a porta, inclusive, já que a profundidade que temos em sons desse tipo se dá principalmente pelas frequências que caminham para os subgraves (abaixo de 10 Hz). Toda a música é uma pancada muito gostosa de se ouvir no WI-C200, em termos de graves. Médios Assim como os graves, o WI-C200 entrega uma resposta bem legal de médios. Ou seja: você vai ouvir muito bem e sem atropelos os vocais, instrumentos de corda e solos com clareza e transparência. Algumas vezes, porém, senti que há um leve recuo na frequência, o que consequentemente a empurra um pouco para trás da mix. Entretanto, isso faz parte do perfil sonoro do fone e não será percebido pela grande maioria dos usuários que namoram um modelo mais em conta, porém com qualidade suficiente para valer a pena. Em Cartomante, da eterna Elis Regina, temos um resultado bem satisfatório nos vocais, nas notas mais agudas da linha de contrabaixo, no piano e nos fraseados de guitarra e cordas. Elis passeia no seu alcance tonal, mantendo o vocal mais médio por quase toda a canção, que é inclusive reforçado em coro com backing vocals no refrão final, quando a música cresce. Harmonicamente, temos uma resposta de médios muito legal, com a ênfase que merece, nesta faixa. Another Day In Paradise, do Phil Collins, é uma faixa rica em instrumentos, com ênfase em violão no início da música, uma chuva de sintetizadores e marcação eletrônica de bateria. Mesmo com tantos instrumentos, há um bom equilíbrio em médios até mesmo quando Phil começa a cantar: a voz dele vem forte e penetrante, porém falta um pouco de detalhamento — coisa que vamos falar na seção de agudos, logo a seguir. Até mesmo no refrão, que ele compete com backing vocals, guitarra, "bateria" e sintetizadores, tá tudo certo e nos conformes. Agudos Também tive boas impressões com a gama aguda do modelinho da Sony, apesar de achar que esta é a que mais "peca" em relação às outras. Apesar de trazer um som agradável aos ouvidos na grande maioria dos estilos que escutei, percebi que falta detalhamento em alguns instrumentos, enquanto, por outro lado, sons sibilantes (como as consoantes S e T) aparecem destacados e, se você ficar prestando atenção demais nisso, pode chegar a te irritar. Em Samba Pro Rafa, do violonista Yamandu Costa, por exemplo, percebe-se a falta dessa nitidez em agudos, no dedilhado nervoso do artista pelo braço do violão. As notas mais graves e médias chegam equilibradas, enquanto há uma leve falta de presença e brilho que, em uma canção que contém apenas um violão por toda gravação. Mas, calma: peguei uma música muito específica para falar de um detalhe muito específico também. This Is a Call, do Foo Fighters, soa legal nesses fones. A pancada dos graves e médios dá energia à música, os vocais sibilam um pouco e os chimbais e pratos parecem um pouquinho recuados na mixagem. No entanto, lembre-se que esse fone é aquele coringa para ser "pau para toda obra", que você vai levar com você aonde for e ter sempre à mão quando quiser isolar-se um pouquinho do mundo e curtir o seu som sem "firulas". Preço e onde comprar Você pode encontrar o modelo no site oficial da Sony no Brasil por 199,99 reais, ou então dar uma garimpada na Amazon — onde, na data de publicação desta análise, encontramos o modelo pelo mesmo valor da loja oficial. Vale a pena ficar de olho na Amazon, porém. O WI-C200 está disponível em duas cores basiconas: preta e branca. Discretas como ele. O que tem na caixa Sony WI-C200 Cabo USB-C Três pares de ponteiras de silicone (P, M e G) Manuais Veredicto Plástico, bem plástico... mas você queria o quê, por esse preço? (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O WI-C200 é um foninho "de boa", bem discreto, ideal para você levar para cima e para baixo, com liberdade, sem preocupação, e, de quebra, com uma qualidade sonora legal, superior à da maioria dos fones com fio que acompanham os aparelhos celulares intermediários — e até alguns mais requintados. Se vale a pena gastar 200 reais nele? Vale. Desde que você tenha cuidado com a estrutura frágil que une o cabo aos buds, tá tudo certo. Apesar dessa fragilidade, a construção do fone, pelo preço que você vai pagar nele, é legal e não dava para esperar um supra-sumo de qualidade. A relação entre o custo e o benefício é bem bacana, e o que faz o fone valer a pena são três características principais: Bluetooth 5.0, USB-C e boa qualidade sonora. O som que você vai ouvir no WI-C200 é perfilado para graves mais robustos, muito presentes, médios legais e agudos um pouco mais discretos. Se a ideia é usar o fone no dia a dia sem medo de ser feliz, vai dar certo. Não é um fone voltado para quem quer riqueza absurda de detalhes, obviamente, mas entrega frequências num padrão Sony: o que é muito legal pelo preço. Apesar desses módulos que ficam pendentes sobre os ombros parecerem meio estranhos para muita gente, no fim das contas você se acostuma a não sair esbarrando em coisas (mochilas, bolsas, relógios) e nem fazendo movimentos muito bruscos a ponto de derrubar os buds dos seus ouvidos. A bateria dura um tempo legal, tem quick charge e já vem com padrão USB-C. Ou seja: é tudo moderno, com um invólucro barato, e com qualidade sonora legal. Pensando nessa praticidade, vale cada centavo. Recomendado! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer

Você encararia? Testes identificam se você tem predisposição para o Alzheimer

canaltech Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), à medida em que a população mundial está envelhecendo, é esperado de que o número de pessoas que vivem com demência triplique até 2050, passando de 50 milhões para 152 milhões. Dentro desses números, a doença de Alzheimer é o tipo mais comum de demência, ou seja, a busca por novos tratamentos deve atrair cada vez mais pesquisadores e investimentos. Durante muitos anos, o Alzheimer sempre foi uma doença envolta de mistérios, porque os médicos só eram capazes de fechar um diagnóstico depois que a pessoa já estava em estágios avançados da demência ou quando realizavam uma autópsia, isto é, após a morte. Nesse sentido, novas tecnologias têm acelerado cada vez mais o diagnóstico do Alzheimer, como os testes cerebrais e as extrações de amostras de medula, que podem detectar a proteína beta amiloide — uma indicadora da doença. Além disso, há um exame de sangue, ainda em desenvolvimento, que será capaz de detectar a proteína. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Outras vertentes de exames utilizam inteligência artificial (IA) para diagnósticos mais precisos. Enquanto isso, pesquisadores fazem experimentos também com exames que buscam outra proteína, chamada tau, característica dos casos de Alzheimer. À medida que esses testes para diagnósticos cada vez mais precoces para o Alzheimer se generalizam, um maior número de pessoas, principalmente aquelas que têm histórico familiar, enfrentarão uma pergunta complexa: eu gostaria de saber se terei a doença de Alzheimer? Cada vez mais pessoas irão se deparar com a seguinte dúvida: descobrir ou não se terão predisposição para o Alzheimer (Imagem: Orla / Shutterstock) Caso clínico O Dr. Daniel Gibbs, neurologista de Portland, nos Estados Unidos, já se viu diante dessa pergunta, quando percebeu os primeiros sinais de que sua memória estava falhando. Em busca de respostas, Gibbs realizou uma série de exames cerebrais que procuravam a proteína beta amiloide. Em paralelo, faz também testes cognitivos para um diagnóstico completo. Resultado? O neurologista já estava vivendo os estágios iniciais da doença de Alzheimer e, agora, se ocupa de como melhorar seu futuro. Por enquanto, o tipo de teste a que ele se submeteu ainda é caro e as varreduras cerebrais para o diagnóstico, via de regra, não são cobertas pelo planos de saúde mais comuns, nem nos EUA. Assim, ainda são para poucos, embora essa realidade caminhe para uma grande mudança. Pelas últimas análises, mesmo os pacientes sem problemas de memória que apresentarem proteínas amilóides no cérebro têm uma maior probabilidade de progredir com a doença de Alzheimer, segundo o Dr. Ronald Petersen, neurologista da Clínica Mayo, em Rochester, nos Estados Unidos. Diagnóstico incompleto Mas a doença não evolui em todo mundo cujas proteínas estejam reativas, e esse é o grande problema dos resultados. Mesmo quando as suspeitas são confirmadas, até a doença se manifestar já se passaram alguns anos. Fora dos estudos, Petersen explica que "não fazemos exames amiloides em pessoas clinicamente normais, porque não sabemos o que lhes dizer." Para o Dr. Gil Rabinovici, professor da Universidade da Califórnia, com esses resultados, alguns pacientes ficam angustiados com seus (possíveis) problemas de memória, sabendo que algo está errado e são incapazes de obterem uma resposta satisfatória de seus médicos. "Muitas vezes, os médicos não conseguem dizer se a perda de memória está relacionada ao envelhecimento", comenta Rabinoci, citando um exemplo. Em outros casos, como explica o professor, "os médicos descartam [o diagnóstico] e dizem aos pacientes: 'Você está bem, é normal. Você tem 75 ou 89 anos e está deprimido. Por que não experimentar um antidepressivo?'”. Por isso, antes de oferecer testes e a possibilidade de um diagnóstico, Rabinovici busca dialogar com o paciente e seus familiares. Nesse momento, pergunta como se sentirão, caso o teste dê positivo. O consenso é que a maioria das pessoas que recebem esses diagnósticos positivos, depois do choque inicial, não se arrependem do fato de terem testado. Contribuindo com essa linha de pensamento, o Dr. Jason Karlawish, que investiga o Alzheimer na Universidade da Pensilvânia, desenvolveu um estudo para avaliar as respostas dos pacientes ao aprendizado de que eles tinham níveis elevados de amilóide no cérebro, ou seja, que, muito provavelmente, teriam Alzheimer. Nos casos analisados, Karlawish não se deparou com atitudes extremas. Do contrário, muitos pacientes alegaram que estavam tomando medidas, consideradas até o momento corretas, para retardar a doença de Alzheimer. Dessa maneira, investiam em dietas e exercícios saudáveis, mesmo que nenhuma medida de estilo de vida tenha demonstrado efeito de fato. Comparação entre o cérebro paciente diagnosticado com doença de Alzheimer (esquerda) comparado a um não (direita) (Foto: Divulgação/ Science Photo Library) Mais perguntas  Além de lidar com o próprio diagnóstico, uma série de perguntas se levantam para os pacientes com predisposição para a doença. Seus amigos irão ficar com você? Como seria a vida quando não se é mais capaz de reconhecer sua família ou até mesmo falar? Sem respostas concretas para essas questões que aparecem, o saber é sempre mais difícil. A boa notícia é que há uma série de investimentos em pesquisa para além do diagnóstico. Isso significa que médicos e cientistas têm se juntado para melhorar a vida dos pacientes já diagnosticados com Alzheimer. A Biogen, que é uma empresa farmacêutica, afirma ter encontrado o primeiro tratamento que pode retardar o curso da doença, caso seja iniciado cedo o suficiente. Clínicas de saúde no Brasil têm trabalhado a relação de pacientes com demência e pets robôs para aliviar, por exemplo, a solidão. Um grupo de cientistas das universidade de Bath, Bristol, Zurique e Auckland estão no caminho de desenvolveram dispositivos eletrônicos, similares a neurônios artificiais — que, na verdade, são chips de silício, material básico da fabricação de processadores de celulares e computadores — para o tratamento da doença crônica. Não ficou tudo bem Mesmo assim, há uma corrente de pacientes que não têm tanta certeza de que o diagnóstico foi positivo. Karlawish comentou que um de seus pacientes disse que "agora que você me contou algo sobre o meu futuro... eu não posso desaprender isso" Ou seja, para alguns essa resposta pode desencadear uma tempestade de emoções. Já Wallace Rueckel, um paciente da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, diagnosticado com predisposição para o Alzheimer, começou a se preocupar muito mais com o futuro. Por enquanto, ainda não quis que outras pessoas — que não fossem seus familiares — soubessem de sua doença. Isso porque "não quero que as pessoas sintam pena de mim", comenta o norte-americano. Jay Reinstein, também da Carolina do Norte, soube que estava com a doença de Alzheimer ainda no estágio inicial, em março de 2018. Desde então, Reinstein deixou o emprego e tem procurado novas formas de viver a vida. "Eu estava entorpecido", explica sobre o momento em que recebeu o diagnóstico e ficou muito deprimido. Mais de um ano depois de convivência com a doença, Reinstein mudou completamente sua dieta e agora se exercita. Em uma medida de precaução para o futuro, já deixou pronto seu testamento. Além disso, decidiu se juntar à Associação de Alzheimer e fazer o possível para mudar o estigma da doença, "já que não quero ser definido [por ela]." Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Esses são os melhores filtros de quiz do Instagram para seus Stories Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Thiago Martins conta que Rihanna quis conhecê-lo quando veio ao Brasil

Thiago Martins conta que Rihanna quis conhecê-lo quando veio ao Brasil

R7 - Música Vagalume Vagalume O ator e cantor Thiago Martins contou uma história curiosa sobre um episódio envolvendo ele e a cantora Rihanna. Ele relembrou para o canal "Na Real Com Bruno de Simone", no Youtube, que a estrela barbadiana quis conhecê-lo por ser fã de um de seus filmes. O show em questão aconteceu em 2011, quando RiRi esteve no Brasil para uma turnê. E mesmo com a vontade dela em conhecê-lo pessoalmente, Thiago Martins contou que desistiu de vê-la pessoalmente em cima da hora. "Esse caso é engraçado. A Rihanna veio fazer um show no Brasil uma vez e fui convidado para esse show. Uma amiga minha me ligou e me chamou ‘vem pro show da Rihanna, porque ela viu um filme seu, chamado "Era Uma Vez", ela é louca nesse filme e quer te conhecer!' Falei: ‘a Rihanna quer me conhecer!'. Não sei se era verdade da minha amiga, mas tudo levava a crer que era. Fui ao show, curti o show, levei dez amigos do Vidigal em São Paulo… Esse dia foi f***! Aí acabou o show e tinha uma fila para encontrar a Rihanna. Olhei aquela fila, que estava tão grande, mas tão grande… Eu desisti. ‘Ah, cara, a Rihanna que me desculpe, mas não vou ficar não, vou embora'. Tomei um esporro da minha amiga, cara: ‘você é um m****! A Rihanna queria te conhecer, você não veio". Veja o vídeo da entrevista completa abaixo:Clique para ver no VagalumeFonte: Vagalume Veja Mais

CNJ estuda vara exclusiva com juízes das garantias para várias localidades

O Tempo - Política O proposta tenta resolver o problema das comarcas com apenas um magistrado, realidade de cerca de 20% das unidades Veja Mais

O que se fala quando se fala da escola no Brasil

G1 Pop & Arte "Segunda Chamada" estreia nesta terça (8) com Deborah Bloch, como Lucia, e Paulo Gorgulho, como Jaci Globo/Mauricio Fidalgo Em 1991 o pesquisador Sergio Costa Ribeiro escreveu um artigo intitulado “A escola do Brasil é uma comédia...” no qual analisou o programa de Chico Anísio na TV Globo, “A escolinha do professor Raimundo”. Fazendo todas as ressalvas quanto ao gênero humorístico, mas afirmando que para ser engraçada a piada deve ter um pé na realidade que exagera, não demasiadamente, mas ao ponto de não cair no ridículo, Sergio Costa Ribeiro viu no programa televisivo uma descrição da escola do Brasil. “A escolinha do professor Raimundo”, segundo Sergio Costa Ribeiro, tinha enorme sucesso porque não exagerava demais a realidade, embora, é claro, fosse uma caricatura. O professor não ensina nada, só cobra e dá nota. Na avaliação dos alunos exige que eles memorizem e quando erram, o professor deixa passar o erro e simplesmente dá nota baixa. E por aí vai o pesquisador descrevendo o programa de Chico Anísio e as práticas pedagógicas da escola brasileira. Quase trinta anos depois há na televisão brasileira muito mais interesse em apresentar a escola não pelo humor, mas também como assunto sério como em “Segunda chamada”, série da Globo gravada em São Paulo, em coprodução com a O2 Filmes. Escrita por Carla Faour e Julia Spadaccini com direção artística de Joana Jabace. Protagonizada por Debora Bloch e Paulo Gorgulho e um elenco de primeira, a história focaliza uma escola noturna fictícia cujo nome homenageia a grande escritora negra Carolina Maria de Jesus. Sem a mínima infraestrutura e com alunos que voltaram a estudar depois de terem abandonado os bancos escolares a escola é cenário no qual cinco professores se dedicam ao extremo, mobilizados apenas pela crença de que as pessoas devem ter uma segunda chance. Movidos pela vocação dedicam-se aos alunos e se envolvem com os seus dramas. A música tema da abertura é a magistral "Comportamento Geral" de Gonzaguinha interpretada por Elza Soares e leva o espectador a se envolver com a história de cada personagem. Os estudantes são o resumo de um dos dramas da escola do Brasil, pois fazem parte do exército de cidadãos brasileiros que abandonam a escola pela nossa persistente pedagogia da repetência. A vida dos professores não é menos difícil do que a de seus alunos. O que mudou e o que permaneceu a mesma coisa nesses trinta anos? Os professores nesta trama, diferentemente da descrição do programa de Chico Anísio, tentam dar aulas, mas a base é “o cuspe e giz”, como se diz, apesar de o professor de artes haver reformado uma sala de depósito em um teatro, para introduzir uma pedagogia diferente na qual envolve os estudantes em espetáculos dirigidos e encenados por eles. A ênfase de toda a história é a de que os estudantes pobres e abandonados – um travesti, uma ex-detenta, uma senhora idosa, um sem teto, um jovem que vende drogas lícitas e ilícitas, imigrantes que competem com brasileiros pela venda de comida no pátio da escola, um casal religioso que tem conflito com os demais por questões morais, o namoro entre um estudante e seu professor que acaba em tragédia – têm de ser valorizados. As histórias são histórias de superação. Todos são dramas reais, encontrados em diversas escolas do País, nas quais em muitas delas os professores são dedicadíssimos. A visão de que o esforço individual pode superar as deficiências originadas pela pobreza, pela necessidade de trabalhar etc., que não aparece no programa humorístico, está presente para explicar a baixa qualidade da educação. A escola, de fato, não se responsabiliza por seus erros e coloca o peso sobre os ombros dos estudantes quando, de fato, aqueles alunos mais velhos só estão ali porque, como disse Sergio Costa Ribeiro, a pedagogia da repetência produz a evasão de milhares de pessoas que desistem dos estudos depois de anos nas mesmas séries. No final dos onze episódios que se passam na maior parte do tempo no interior das dependências escolares, o ritual mais importante é descrito: a cerimônia de entrega dos diplomas mostrando o caráter de certificação e a alegria dos que conseguem atingir a meta para ter uma vida melhor, ser alguém, como dizem. Vale a pena ver esta ótima série para se ter noção do que se fala quando se fala de escola no Brasil. A responsabilidade pelas vitórias e derrotas é dos estudantes e nada é imputado ao sistema pedagógico pelas dificuldades impostas tanto aos mestres quanto aos alunos. Veja Mais

Parasita: premiado filme pode ganhar minissérie na HBO

Parasita: premiado filme pode ganhar minissérie na HBO

Tecmundo O sucesso de Parasita pode ultrapassar as telas do cinema e virar uma nova série limitada pela HBO. Isso porque Bong Joon Ho, diretor do filme, estaria em negociação com o produtor executivo Adam McKay (da série Succession) para fazer o projeto acontecer junto à rede norte-americana e ao CJ Entertainment, estúdio responsável pelo longa.Segundo o IndieWire e a Variety, o projeto despertou muito o interesse de alguns serviços de streaming, mas Bong Joon Ho teria optado pela emissora de TV a cabo. Essa decisão pode ser vista como algo curioso, já que o cineasta sul-coreano lançou seu antecessor Okja pela Netflix, em 2017.Leia mais... Veja Mais

Neil Peart, baterista do Rush, morre aos 67 anos, diz revista

G1 Pop & Arte Ele era um dos bateristas mais importantes da história do rock e morreu por causa de um câncer no cérebro diagnosticado há três anos, disse um porta-voz à revista 'Rolling Stone'. O baterista canadense Neil Peart, durante show do Rush em Las Vegas em maio de 2008 Ethan Miller/Getty Images via AFP Neil Peart, baterista e letrista da banda Rush, morreu aos 67 anos em Santa Monica, nos EUA, disse nesta sexta-feira (10) a revista norte-americana "Rolling Stone". O músico canadense morreu por causa de um câncer no cérebro diagnosticado há três anos, disse um porta-voz da família à revista. Neil era um dos bateristas mais importantes da história do rock, com estilo virtuoso que era referência no rock progressivo e em outros estilos, como o heavy metal. Peart nasceu em 12 de setembro de 1952, em Ontario, no Canadá, e aos 13 anos começou a estudar bateria. Cinco anos depois se mudou para Londres e só voltou a morar no país de origem em 1972. Ele se juntou ao Rush em 1974. A banda havia sido formada pelo guitarrista Alex Lifeson em 1968, mesmo ano em que entrou o baixista e vocalista Geddy Lee. Com a entrada de Peart na bateria, o Rush se consolidou como um dos trios mais reconhecidos do rock. Suas letras cheias de referências literárias também foram fundamentais para a banda, que encerrou as atividades em 2018. O baterista Neil Peart, do Rush, um dos mais celebrados do rock no instrumento Divulgação/Site Rush O baterista Neil Peart, um dos mais celebrados do rock no instrumento, durante apresentação do Rush na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, em outubro de 2010 Lucíola Villela/G1 Alex Lifeson, Geddy Lee e Neil Peart, componentes da banda Rush, aceitam a inclusão no Hall da Fama do Rock e se apresentam na noite da cerimônia em Los Angeles, em abril de 2013. Dave Grohl, do Foo Fighters (dir.), fez participação especial como 'Alex Lifeson' no passado Danny Moloshok/Invision/AP Veja Mais

Ozzy Osbourne revela data de lançamento de aguardado novo disco

Ozzy Osbourne revela data de lançamento de aguardado novo disco

R7 - Música Ozzy Osbourne e a capa de Ordinary Man Tenho Mais Discos Que Amigos Finalmente! Ordinary Man, novo disco de Ozzy Osbourne, agora tem uma data de lançamento. Após ser prometido para janeiro, o álbum vai chegar no dia 21 de fevereiro. A pré-venda já está disponível no site oficial do músico, por aqui. De acordo com uma publicação de Ozzy, o disco chegará em versões físicas diferentes: CD comum e deluxe, e vinil com cores diferentes, também em edição deluxe. Que incrível, não? Até agora, as músicas 'Under the Graveyard', 'Straight to Hell' (com Slash) e a faixa título (com Elton John) já foram liberadas. Ordinary Man foi gravado Los Angeles e tem Andrew Watt nas guitarras e produção, Duff McKagan (Guns N´Roses) no baixo e Chad Smith (Red Hot Chili Peppers) na bateria. Estamos ansiosos! Veja Mais

Facebook planeja lançar concorrente do TikTok na Índia ainda este ano

Facebook planeja lançar concorrente do TikTok na Índia ainda este ano

canaltech O TikTok é um dos apps mais populares da atualidade, principalmente, entre os mais jovens na Índia. Por conta disso, o Facebook já está de olho neste mercado. A companhia de Mark Zuckerberg já tem um concorrente anunciado, o Lasso, ainda sem data de lançamento na Ásia. Contudo, agora, o site Entrackr disse ter falado com duas pessoas próximas ao projeto as quais confirmaram que o cronograma de lançamento é para o meio de 2020. Um dos entrevistados, que não quis ser identificado, disse que o projeto é para o primeiro trimestre deste ano, o qual se inicia em abril. Já a outra fonte, também anônima, disse que a proposta é para lançamento em maio. Segundo o site o serviço já foi lançado nos Estados Unidos em 2018 e chegou a mercados emergentes. Aqui, no Brasil, ele também já está disponível há dois anos. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A proposta é como seu rival: permitir que usuários publiquem pequenos vídeos, mais bem produzidos, e tenham acesso a milhões de produções em rede social. De acordo com os entrevistados, um time em Cingapura está trabalhando no lançamento desde outubro do ano passado. O motivo da demora é que eles estão mapeando aspectos locais que podem garantir maior sucesso do programa na região. Além disso, a gigante está trabalhando para tirar influenciadores do TikTok, não só com seu novo app, mas também em suas redes sociais. Aqui no Brasil, a empresa lançou uma nova ferramenta para o Instagram que permite gravar vídeos maiores, com até 15 segundos e música de fundo. Segundo dados da Google Play Store, o TikTok já tem mais de um bilhão de downloads mundialmente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Episódio final de 'Modern Family' vai ao ar em abril, após 11 anos no ar

O Tempo - Diversão - Magazine Sitcom mantém o recorde de ganhar cinco prêmios Emmy consecutivos como melhor série cômica Veja Mais

Premiado filme 'Parasita' pode virar série na HBO ou remake em inglês

O Tempo - Diversão - Magazine O diretor do filme Bong Joon Ho e o diretor, roteirista e produtor Adam McKay, de "Vice", estão negociando um novo projeto Veja Mais

Selena Gomez faz seu melhor disco após dificuldades no amor e na saúde

O Tempo - Diversão - Magazine 'Rare' é um álbum leve, que chega após a cantora ter vivido términos de relacionamentos e encarado tratamentos para lúpus, depressão e ansiedade Veja Mais

REDMI NOTE 8 | O queridinho dos brasileiros a partir de R$ 1.062

REDMI NOTE 8 | O queridinho dos brasileiros a partir de R$ 1.062

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. A Xiaomi é uma das queridinhas do fã de tecnologia brasileiro e, dentro do diversificado catálogo de smartphones que a companhia oferece, o Redmi Note 8 é um dos aparelhos mais procurados. Sucessor do também "queridinho" Note 7, o dispositivo intermediário mantém a tradição desta linha, que é oferecer a melhor relação de custo-benefício possível. E neste início de 2020, o dispositivo está com um precinho que é ideal para te ajudar a trocar de celular! Mas nada de importar por conta própria! Os produtos da chinesa podem ser comprados aqui no Brasil mesmo por meio da Amazon.com.br, que só oferece em seu catálogo itens que já estão com estoque em território nacional. Então você paga sua compra em reais, o frete é baratinho (e muitas vezes gratuito), o produto chega rapidinho à sua casa, é possível parcelar em várias vezes no cartão, e você ainda conta com a Garantia A a Z, que o protege contra eventuais problemas envolvendo o envio ou o estado do produto recebido. O site pode ser acessado em qualquer navegador, usando qualquer tipo de dispositivo (computador, celular, tablet…). -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Sobre o Redmi Note 8   "O Redmi Note 8 amplia a proposta do Redmi Note 7 na questão de câmeras, portanto se você quer economizar mas ainda assim é um fã de fotografia, opte por ele para ter resultados mais interessantes", Adriano Ponte, analista de produtos do Canaltech O Redmi Note 8 foi lançado em agosto de 2019 e mantém a tradição de entregar ótima relação custo-benefício desde o lançamento, característica da linha intermediária da Xiaomi. O dispositivo agrada a vários públicos, até mesmo usuários mais exigentes, como aquele que gosta de jogar casualmente pelo celular ou o que aprecia um bom conjunto de câmeras. A tela é IPS LCD de 6,3 polegadas, usando resolução Full HD e, por dentro, o aparelho conta com o poder do chipset Snapdragon 665 de oito núcleos, aliado a GPU Adreno 610, bateria de 4.000 mAh (com suporte a carregamento rápido), 4 GB de memória RAM, além de 64 GB e 128 GB de armazenamento — com possibilidade de expansão a até 256 GB via cartão microSD. Na traseira, você tem aqui uma câmera quádrupla, com os seguintes sensores: wide de 48 megapixels, ultrawide de 8 MP, macro de 2 MP e sensor de profundidade com mais 2 MP. Então você consegue tirar fotos com o smartphone que até parecem terem saído de uma câmera profissional, e ainda grava vídeos em 2160p a 30 quadros por segundo, em 1080p a 30, 60 ou 120 fps, e em 720p a 960 fps. Para selfies, a câmera única oferece 13 megapixels com HDR e gravação em 1080p a 30 fps. Ofertas do Redmi Note 8 já no Brasil! Na cor preta, com 64 GB: a partir de R$ 1.062 Na cor preta, com 128 GB: a partir de R$ 1.279 Na cor azul, com 64 GB: a partir de R$ 1.086 Na cor azul, com 128 GB: a partir de R$ 1.399 Na cor branca, com 64 GB: a partir de R$ 1.068 Na cor branca, com 128 GB: a partir de R$ 1.369 Se quiser, você pode ver outras ofertas Xiaomi na Amazon neste link. Quer frete grátis para qualquer lugar do Brasil e sem valor mínimo de compra? Parece bom demais para ser verdade, mas pode acreditar, pois isso é possível: estamos falando do Amazon Prime, serviço por assinatura que, além de permitir comprar qualquer produto identificado com o selo "Prime" sem pagar nada pelo frete — e sem valor mínimo de compra —, ainda oferece uma série de outras vantagens em um verdadeiro "combo" de serviços! Assinantes Prime recebem suas compras mais rapidamente e também ficam sabendo de ofertas relâmpago antes de todo mundo, antes que elas sejam disponibilizadas no site. E as vantagens continuam: o Amazon Prime também dá acesso a serviços de entretenimento como o Prime Video (concorrente da Netflix, com conteúdos originais e exclusivos), o Prime Music (concorrente do Spotify), Prime Reading (com muitos livros e revistas digitais) e Twitch Prime (versão premium da plataforma de streaming de games). Ou seja: por um valor fixo mensal, você tem acesso a tudo isso e ainda tem vantagens na loja virtual! Mas agora vem uma notícia melhor ainda: os primeiros 30 dias de assinatura são gratuitos, e você pode cancelar a qualquer momento sem nenhum tipo de multa. A assinatura mensal custa R$ 9,90 após o período grátis, e se você já se apaixonar pelo serviço durante os primeiros dias de teste, pode escolher a assinatura anual de R$ 89,90 — fazendo isso, você economiza 25% em comparação com o pagamento mensal! Clique aqui e seja você também assinante do Amazon Prime! *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Deepfake rejuvenesce DeNiro em “O Irlandês” com mais realismo que a Netflix Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Falha grave na nova versão do Firefox permite invasões; atualize agora

Falha grave na nova versão do Firefox permite invasões; atualize agora

canaltech Quem usa Firefox precisa atualizar o navegador o mais rápido possível. A empresa chinesa de cibersegurança Qihoo 360 encontrou na recém-lançada versão 72 uma falha nativa que abre uma brecha para invasões e controle total do computador. A vulnerabilidade é tão grave que até mesmo o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos vem pedindo para os usuários baixarem a correção liberada pela Mozilla. A desenvolvedora do Firefox afirmou estar ciente de "ataques direcionados que abusam dessa falha", embora não ofereça detalhes sobre como isso acontece. Ela descreve o problema como “informações incorretas de pseudônimos no compilador IonMonkey JIT, que, ao definir elementos da matriz, podem levar a uma confusão de tipos”. Imagem: Reprodução/Agência Brasil O alerta sobre a possibilidade de usurpação remota de dispositivos vem do governo norte-americano. A Agência de Segurança Cibernética e Infraestrutura diz que a falha pode ser explorada para "assumir o controle de um sistema afetado”. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Terceira falha de “dia-zero” no Firefox em apenas um ano Essa é a terceira vez que a Mozilla lança uma atualização para tapar brechas nativas no Firefox — as falhas de “dia-zero” são aquelas mais urgentes, que passaram batidas pelos testes de segurança na fase de desenvolvimento. Em junho de 2019, um problema também descrito como uma "vulnerabilidade de confusão de tipo” aparentemente visava os usuários da plataforma de criptomoedas Coinbase. O segundo bug “de fábrica” apareceu alguns dias depois e, segundo o ZDNet, foi usada por um grupo de hackers para tentar infectar a equipe da Coinbase por meio de phishing, com um e-mail contendo links para sites maliciosos. A versão mais recente do patch é a versão 72.0.1 e já está disponível no momento. Atualize o mais rápido possível: vá para o menu canto superior direito do navegador, selecione "Ajuda" e depois "Sobre o Firefox". Isso abrirá uma janela informando sua numeração atual e, caso seu browser esteja desatualizado, o próprio navegador faz a correção automática — isso vale também para a versão corporativa ESR 68.4.1. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Capinha inteligente promete transformar qualquer smartphone em um dobrável Eclipse lunar desta sexta (10) praticamente não será visível do Brasil Belíssima imagem da Lua combina 100 mil fotos com detalhes impressionantes Em corte mundial, Rappi deve demitir 150 pessoas no Brasil Por que é tão difícil voltar a trabalhar depois das férias? A ciência explica! Veja Mais

Amazon alerta sobre riscos de usar a extensão Honey do PayPal

Amazon alerta sobre riscos de usar a extensão Honey do PayPal

Tecmundo A Amazon está emitindo alertas de segurança para os compradores que utilizam a extensão Honey em busca de descontos na sua plataforma de compras, além de aconselhar aos usuários a desinstalação imediata da ferramenta adquirida recentemente pelo PayPal.Disponível para os principais navegadores, a extensão vasculha lojas online à procura de cupons, ofertas e promoções, mas de acordo com a empresa de Jeff Bezos ela estaria indo além e rastreando os hábitos de compras dos usuários, coletando informações a respeito do histórico de pedidos.Leia mais... Veja Mais

Há exatos 4 anos perdíamos David Bowie, o lendário Camaleão do Rock

Há exatos 4 anos perdíamos David Bowie, o lendário Camaleão do Rock

R7 - Música David Bowie Tenho Mais Discos Que Amigos Foto: Reprodução/YouTube O tempo realmente voa. Há exatos 4 anos, recebíamos durante a madrugada uma das notícias mais chocantes da história da música: David Bowie morreu aos 69 anos de idade. Primeiro veio a surpresa, já que ninguém sabia sobre o diagnóstico de câncer do músico (que fez questão de escondê-lo). Depois, inevitável como ela só, veio a tristeza, e também a noção de que acabávamos de perder um dos cantores mais talentosos, celebrados, icônicos e famosos de todos os tempos. Um artista verdadeiramente à frente de seu tempo desde sempre -- ou, quem sabe, o tempo corria de forma diferente para ele. Tempo, tempo... foram 54 anos de carreira nos quais ganhamos de presente 25 discos solo e outros tantos de projetos diferentes. O último deles, Blackstar, foi planejado nos detalhes por um Bowie que já sabia de sua partida. Perfeccionista em tudo que fez, ele também escolheu como queria nos deixar (entenda por aqui). Poucos têm esse poder, mas ele teve. O início David Robert Jones nasceu no dia 8 de janeiro de 1947 em Brixton, Londres, na Inglaterra. Exalando sua musicalidade desde muito novo, foi aos 15 anos que ele formou sua primeira banda, o Konrads. Depois ainda vieram os King Bees, Manish Boys, Lower Third, Buzz e o Riot Squad, todos como uma preparação para a prolífica carreira solo que começaria nos anos 60. Em 1969, o cantor lançou seu primeiro single de sucesso e até hoje uma das músicas mais famosas no mundo, 'Space Oddity'. A partir daí, o planeta ficou pequeno para Bowie e seus álbuns, que realmente pareciam vir de outro lugar do universo. Carreira icônica Após sua estreia com o homônimo, Bowie ainda lançaria títulos como The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars (1972), Aladdin Sane (1973), Young Americans (1975), 'Heroes' (1977), Let's Dance (1983), Hours (1999) e o derradeiro Blackstar (2016). Além da carreira solo, o músico ainda lançou três discos com o Tin Machine, fora uma série de projetos com nomes como Placebo e muitos outros. Mas um dos maiores destaques além da música é sua trajetória no cinema. Bowie atuou em uma série de filmes, alguns deles como protagonista -- The Man Who Fell to Earth (1976), Labyrinth (1986), entre outros --, ganhando inclusive prêmios por isso. Seu último papel de destaque foi em O Grande Truque, filme de 2006 onde interpretou Nikola Tesla. David Bowie para sempre É no mínimo reconfortante saber que Bowie foi extremamente celebrado em vida, e não apenas após sua morte. Quatro anos depois de sua partida, ainda estamos sendo presenteados com novas versões, coletâneas e mais -- o que confirma que seu legado não partirá tão cedo. Viva David Bowie! Veja Mais

Bolsonaro sinaliza que vai aprovar fundo eleitoral de R$ 2 bilhões

Bolsonaro sinaliza que vai aprovar fundo eleitoral de R$ 2 bilhões

R7 - Economia Bolsonaro pediu para população não votar em quem usa dinheiro público de campanha Gabriela Biló/Estadão Conteúdo – 6.01.2020 O presidente Jair Bolsonaro sinalizou nesta sexta-feira (10) que vai sancionar o projeto de lei aprovado pelo Congresso em dezembro, que destina R$ 2 bilhões para o Fundo Eleitoral. Pressionado por manifestantes que gritavam contra o "fundão", Bolsonaro lançou uma campanha para que a população não vote em candidatos que usem dinheiro público em suas campanhas. "Eu tenho um momento difícil pela frente que são os R$ 2 bilhões do fundão. Eu lanço a campanha aqui: não vote em parlamentar que usa o fundão", disse o presidente durante inauguração do novo pronto-socorro da Santa Casa de Misericórdia de Santos, no litoral paulista. O presidente tem sido pressionado por seus apoiadores desde que o projeto de lei chegou às suas mãos para ser sancionado. O valor de R$ 2 bilhões foi negociado pelo governo com o Congresso. Leia mais: PT e PSL devem ficar com quase 20% do fundo eleitoral Bolsonaro voltou a usar a Lei do Impeachment, de 1950, para justificar uma decisão que vai de encontro ao seu discurso de campanha e à vontade de seus eleitores. "A senha está dada. O fundão é uma lei que nasceu em 2017 e eu tenho que cumpri-la. Se não o fizer estarei ferindo o artigo 87 da Constituição e a Lei do Impeachment, de 1950, e eu não vou dar esse mole para a oposição", justificou. Bolsonaro deu a entender que os atuais detentores de mandato devem usar de seus cargos para conseguir votos. "O parlamentar que já tem mandato, o prefeito, ele tem o momento para se fazer presente junto à população de modo que não precise de dinheiro para a sua reeleição ou até eleição", disse. O fundo eleitoral é abastecido com dinheiro do Tesouro Nacional e se destina ao financiamento das campanhas políticas. Ele foi criado em 2017 para compensar as perdas impostas por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que, dois anos antes, proibiu as doações de pessoas jurídicas para as campanhas eleitorais. A distribuição da verba para candidatos fica a critério das cúpulas partidárias, que, em geral, privilegiam políticos com mandato. O valor de R$ 2 bilhões foi aprovado pelo Congresso em dezembro. Bolsonaro pode sancionar ou vetar o valor. Existe, ainda, o Fundo Partidário, que banca atividades do dia a dia das legendas. Bolsonaro interrompeu suas férias no Guarujá para participar da inauguração do novo Pronto-Socorro da Santa Casa de Santos. Bolsonaro e o provedor da Santa Casa deram informações divergentes ao falar do papel do governo federal na obra. "A participação minha aqui foi mínima. Nós, ao fazermos a economia bem andar, liberamos todas as emendas parlamentares. O senhor me disse que parte ou grande parte destes recursos veio destas emendas", disse Bolsonaro ao provedor da Santa Casa, Ariovaldo Feliciano. Minutos antes Feliciano, ao lado do presidente, disse que a obra foi totalmente bancada com recursos do hospital, sem dinheiro da União nem de emendas parlamentares. Naquele momento Bolsonaro prestava atenção nos manifestantes que o chamavam de "mito". Bolsonaro foi à inauguração acompanhado pelo presidente da Fiesp (Federação das Indústrias de São Paulo), Paulo Skaf, coordenador estadual do Aliança Pelo Brasil, partido que o presidente tenta criar desde que deixou o PSL. Em frente à Santa Casa, um homem foi detido pela Policia Militar enquanto se manifestava com uma Constituição nas mãos. Pouco antes, o homem havia sido expulso do local com violência por um grupo que carregava faixa e usava camisetas da Aliança. No final do discurso, Bolsonaro, que costuma dispensar um tratamento agressivo aos jornalistas que cobrem o governo, fez um elogio à imprensa. "Um grande abraço à minha querida imprensa brasileira. Eu quero uma imprensa livre que transporte a verdade aos quatro cantos do Brasil. Eu reconheço o papel de vocês. Quero que a imprensa se recupere cada vez mais e apresente verdades ao nosso povo", afirmou. Seus apoiadores reagiram com palavrões e ofensas aos jornalistas que cobriam o evento. Veja Mais

Bolsonaro quer mais engarrafadoras para reduzir preço do gás de cozinha

Bolsonaro quer mais engarrafadoras para reduzir preço do gás de cozinha

R7 - Economia Preço médio do botijão beira os R$ 70 Dirceu Portugal/Fotoarena/Folhapress O presidente Jair Bolsonaro determinou nesta sexta-feira (10) que sejam feitos estudos, com urgência, para analisar a possibilidade de ampliação do número de empresas especializadas em encher botijões de gás, as chamadas engarrafadoras. Segundo o presidente, com poucas dessas empresas no país, o custo de transporte faz aumentar o preço do produto. "No Brasil existem poucas engarrafadoras. O botijão 'anda' centenas de quilômetros para ser enchido e, depois, mais uma centena até o consumidor", escreveu o presidente em um publicação na sua conta oficial no Twitter. Leia mais: Alta do gás encanado faz consumidores migrarem para o GLP "Com dezenas de centrais nos estados e mais empresas, essa verdadeira viagem do botijão deixaria de existir, teríamos mais competição e o preço cairia", acrescentou Bolsonaro. O presidente está desde ontem (9) em uma unidade militar no Guarujá, litoral de São Paulo, onde permanecerá até a próxima terça-feira (14), para completar seu período de descanso. Na semana passada, antes do Réveillon, ele antecipou o retorno a Brasília após ficar quatro dias na Bahia, onde pretendia passar o feriado de ano-novo descansando na base naval de Aratu, no subúrbio de Salvador. O último reajuste do GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), conhecido como gás de cozinha, foi feito em dezembro pela Petrobras, e, com isso, o produto ficou, em média, 5% mais caro para as distribuidoras. O valor final do gás para o consumidor depende do repasse feito pelas distribuidoras, mas, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio do botijão de 13 quilos era de R$ 69,11 em novembro do ano passado. - Com dezenas de centrais nos estados e mais empresas, essa verdadeira viagem do botijão deixaria de existir, teríamos mais competição e o preço cairia.— Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) January 10, 2020 Veja Mais

Prestes a ser anunciado pelo Flamengo, Michael emocionou o Brasil com sua história.Relembre!

Prestes a ser anunciado pelo Flamengo, Michael emocionou o Brasil com sua história.Relembre!

Fox Sports Brasil Atacante que deve ser anunciado a qualquer momento pelo Flamengo, contou sua história de superação no 'Expediente Futebol' em novembro de 2019 e emocionou a todos. Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Flamengo #Goiás #MercadoFOX Veja Mais

CT News - 10/01/2020 (Rappi deve demitir 150 pessoas no Brasil)

CT News - 10/01/2020 (Rappi deve demitir 150 pessoas no Brasil)

canaltech Rappi deve demitir 150 pessoas no Brasil // Capa transforma qualquer smartphone em um dobrável // Tesla atinge valor de mercado maior do que GM e Ford juntas // Google promete 1 ano e meio de suporte ao Chrome no Win 7 // Facebook testa modo escuro para a versão web Ouça ao podcast. Veja Mais

Rush publica comunicado oficial sobre a morte de Neil Peart

Rush publica comunicado oficial sobre a morte de Neil Peart

R7 - Música Neil Peart, baterista do Rush Tenho Mais Discos Que Amigos Foto de Neil Peart via Shutterstock Hoje recebemos todos a triste notícia de que Neil Peart, baterista e principal compositor do lendário Rush, morreu aos 67 anos de idade. O influente músico perdeu a batalha contra um câncer no cérebro que havia diagnosticado há mais de três anos mas não havia comunicado à imprensa, pegando todo mundo de surpresa quando a informação sobre sua passagem na última terça-feira (07) chegou. Há poucos minutos, a conta oficial do Rush no Instagram foi usada para confirmar a morte de Neil Peart e, por lá, o grupo publicou um comunicado a respeito: É com os corações partidos e a mais profunda tristeza que devemos compartilhar a terrível notícia de que na terça-feira nosso amigo, irmão de alma e companheiro de banda por mais de 45 anos, Neil, perdeu a sua incrivelmente valente batalha de três anos e meio contra um câncer no cérebro (Glioblastoma). Pedimos para que amigos, fãs e a imprensa respeitem a necessidade da família por privacidade e paz nesse momento extremamente doloroso e difícil. Aqueles que gostariam de expressas as suas condolências podem escolher um grupo de pesquisa sobre o câncer ou uma instituição de caridade para fazer uma doação em nome de Neil. Descanse em paz irmão. Morte de Neil Peart, do Rush https://www.instagram.com/p/B7J5lU_lHDG/ Após a morte do baterista, responsável pelas mais importantes letras das canções do Rush e dono de uma técnica absurda que o coloca como sério candidato ao posto de maior baterista de todos os tempos, diversos músicos se manifestaram nas redes sociais. Geezer Butler, baixista do Black Sabbath, disse no Twitter que ficou triste ao saber da notícia, e Jack Black (Tenacious D), falou que 'a falta do mestre será sentida'. As lembranças são mais do que justificadas, já que o cara entrou na banda em 1974, não saiu mais e pôde compartilhar todo seu talento ao mundo com quase 20 discos de estúdio e inúmeros lançamentos ao vivo, incluindo o disco Live In Rio, gravado no estádio do Maracanã em 2002 e lançado em 2003. Que descanse em paz. Veja Mais

Portugal prende três pastores evangélicos brasileiros por tráfico humano

O Tempo - Mundo O trio usaria a estrutura da igreja para convencer pessoas a se mudarem, com promessas de trabalho e auxílio à regularização Veja Mais

Exportações do agronegócio caem 4% em 2019 e somam US$ 96,8 bilhões

G1 Economia Segundo o governo, baixa foi resultado da queda dos preços no mercado internacional. Exportação de soja, principal produto brasileiro negociado ao exterior Appa/Divulgação As vendas externas do agronegócio alcançaram US$ 96,8 bilhões no ano passado, queda de 4,3% na comparação com 2018, informou o Ministério da Agricultura nesta sexta-feira (10). Acordo EUA-China pode impactar exportação da soja brasileira Segundo o governo, a baixa foi resultado da queda dos preços no mercado internacional. "Tal redução ocorreu em função da queda do índice de preço das exportações do agronegócio brasileiro, que caiu 6,9% em 2019", disse o ministério em nota O resultado de 2019 representa 43,2% do total exportado pelo Brasil. Em 2018, a participação do agronegócio nas exportações totais do país era 42,3%. Os destaques foram milho, carnes e algodão, que lideraram as exportações agrícolas. O grão registrou volume recorde de exportação, com 43,25 milhões de toneladas. A produção de milho na safra 2018/2019 também foi recorde, somando 100 milhões de toneladas, gerando um excedente exportável de milho de praticamente 20 milhões de toneladas em relação à quantidade exportada em 2018. Com o volume comercializado no exterior (+88,5% em 2019 na comparação com 2018), as exportações de milho atingiram US$ 7,34 bilhões em 2019 (+ 87,4%). Já a soja teve redução de quase 10 milhões de toneladas nos embarques. Queda que foi compensada em parte pelas vendas das carnes (bovina, suína e de frango), milho e algodão. Carnes As vendas externas das carnes subiram 12,5%, de US$ 14,68 bilhões em 2018 para US$ 16,52 bilhões em 2019. O impacto da peste suína africana em diversos países, principalmente no rebanho chinês, ajudou no incremento das exportações brasileiras de carnes. A carne bovina foi a principal exportada pelo Brasil, com US$ 7,57 bilhões em vendas externas no ano de 2019 (+15,6%). Este valor é recorde para toda a série histórica. O volume exportado também foi recorde, atingindo 1,85 milhão de toneladas. A China se tornou o principal país importador de carne bovina brasileira, responsável por 26,8% do volume total exportado. Com isso, ultrapassou a região administrativa especial de Hong Kong, que ficou na segundo posição, com 18,6%. Algodão O destaque do setor de fibras e produtos têxteis foi para o aumento das vendas de algodão não cardado nem penteado, que subiram de US$ 1,69 bilhão em 2018 para US$ 2,64 bilhões em 2019 (+56,5%). Acompanhe a cobertura de Agronegócios do G1 Veja Mais

Neil Peart, lendário baterista do Rush, morre aos 67 anos de idade

Neil Peart, lendário baterista do Rush, morre aos 67 anos de idade

R7 - Música Neil Peart, baterista do Rush Tenho Mais Discos Que Amigos Fonte: Wikimedia Commons Notícia extremamente triste para os fãs da música nesta sexta-feira (10). Neil Peart, lendário baterista do Rush, morreu aos 67 anos de idade. De acordo com a Rolling Stone, o músico faleceu na terça-feira (7) em Santa Monica. A causa da morte vem como uma surpresa, já que Peart estava silenciosamente enfrentando um câncer no cérebro há quase três anos e nada disso havia saído na imprensa. A notícia foi confirmada pela família do baterista. Em 2018, divulgamos por aqui a notícia de que Neil estava se aposentando de vez da música. Como citamos, o músico nunca chegou a revelar que estava doente. Uma possível última reunião do Rush ainda era muito aguardada por seus fãs. Neil Peart O baterista se uniu a Geddy Lee e Alex Lifeson em 1974, e foi responsável por alguns dos discos mais importantes do Rock. Na bateria, Peart era considerado um dos melhores do mundo, sendo citado por diversos músicos como uma inspiração e admirado por sua virtuosidade e experimentalismo. Além das baquetas, o músico nascido em Hamilton, no Canadá, era o principal compositor das letras do Rush e em discos lendários como 2112, lançado em 01 de Abril de 1976, escreveu todas as canções com exceção de 'Lessons' e 'Tears'. Influente e respeitado por músicos dos mais importantes no Rock And Roll, Peart passou os últimos anos da sua vida em Santa Monica, na Califórnia, ao lado da esposa Carrie Nuttall e da filha do casal, Olivia. Aos 18 anos de idade, antes de entrar no Rush e frustrado com as possibilidades no Canadá, ele morou por 18 meses em Londres, mas também não teve sucesso por lá, fazendo bicos como baterista e tocando em algumas bandas mas ficando longe de consolidar a carreira. Retornando ao seu país, Neil Peart passou a trabalhar com o pai no comércio local e foi convidado para entrar no Rush substituindo o antigo baterista, John Rustey. Diz a lenda que o baterista chegou ao teste com Geddy Lee e Alex Lifeson usando shorts e com as partes da bateria armazenadas em latas de lixo, o que teria feito seus futuros colegas caírem na risada. Neil e seu estilo frenético, que lembrava Keith Moon (The Who), acabaram sendo aceitos e o resto é história. Descanse em paz, mestre! Veja Mais

'Não inventamos Huck, ele já era agente político', diz Roberto Freire

O Tempo - Política O ex-comunista e presidente nacional do Cidadania (antigo PPS) quer receber o apresentador no partido Veja Mais

Panasonic mostra óculos de realidade aumentada com alta definição

Panasonic mostra óculos de realidade aumentada com alta definição

Tecmundo Em parceria com a Kopin, a Panasonic apresentou sua nova aposta em óculos de realidade aumentada na CES 2020. Os óculos são significativamente compactos, com visual curioso e com tela de alta definição.O wearable conta com microtelas de OLED com resolução de 3840 x 2160 (por olho) que, quando somado ao suporte para HDR, deve apresentar imagens nítidas, com contraste e cores precisas. Ademais, o áudio fica por conta de fones intra-articulares discretos nos dois lados do gadget.Leia mais... Veja Mais

Menino mata professora e comete suicídio em escola

O Tempo - Mundo O estudante teria se inspirado no videogame 'Natural Selection' para cometer o ato Veja Mais

Banda Os Mutantes lança álbum de músicas inéditas 'Zzyzx'

G1 Pop & Arte Primeiro disco do grupo em sete anos sai neste mês de janeiro em escala mundial. A banda Os Mutantes lança neste mês de janeiro o primeiro álbum autoral com músicas inéditas desde Fool metal Jack (2013), disco lançado há sete anos. Anunciado em agosto de 2019 pelos Mutantes, o 11º álbum de estúdio do grupo paulistano – liderado pelo guitarrista Sérgio Dias, único remanescente da formação original dos anos 1960 – se chama Zzyzx. O título do álbum reproduz o nome da estrada da Califórnia (EUA) que conduz à Área 51, local protegido por autoridades dos Estados Unidos por supostamente concentrar a existência de ETs. O álbum Zzyzx será lançado em escala planetária pela gravadora Jardim Elétrico, tendo distribuição já garantida nos mercados do Brasil, dos Estados Unidos, da Europa e do Japão. Com o guitarrista paulistano Camilo Macedo integrado à formação da banda desde o ano passado, Os Mutantes farão shows no Brasil e no exterior ao longo de 2020 para promover o disco Zzyzx. Algumas músicas inéditas do repertório, aliás, já vem sendo mostradas em apresentações recentes da banda. Veja Mais

Oscar 2020 ao vivo: indicados, cerimônia, vencedores da premiação e tapete vermelho

G1 Pop & Arte G1 transmite anúncio ao vivo e analisa a lista de indicados, a partir das 10h20 desta segunda-feira (13). Oscar 2020 ao vivo: indicados, cerimônia, vencedores da premiação e tapete vermelho G1 transmite anúncio ao vivo e analisa a lista de indicados, a partir das 10h20 desta segunda-feira (13). Veja Mais