Meu Feed

No mais...

Pabllo Vittar faz parceria quente com Thalia na nova “Tímida”; assista

R7 - Música Clipe oficial foi gravado nos Estados Unidos Veja Mais

Vírus alienígena e arma biológica: as teorias conspiratórias da Covid-19

Vírus alienígena e arma biológica: as teorias conspiratórias da Covid-19

Tecmundo A pandemia de coronavírus tem levado pânico à população mundial. Como a doença surgiu e se espalhou muito rapidamente, diversas teorias da conspiração tentaram explicar a origem da Covid-19. Uma das que mais circulou nas redes sociais – e no WhatsApp, claro – foi a de que a doença seria uma arma alienígena para destruir a humanidade.Quem começou essa história foi o astrônomo e astrobiólogo Chandra Wickamasinghe. Nascido no Sri Lanka, em 1939, o cara jura que a Covid-19 chegou à Terra em outubro de 2019 junto a um asteroide que teria caído justamente na China. Essa não seria a primeira vez que um evento desses teria ocorrido, com outras pandemias supostamente tendo origem extraterrestre.Leia mais... Veja Mais

Senado aprova estado de calamidade pública por videoconferência

Senado aprova estado de calamidade pública por videoconferência

Tecmundo Pela primeira vez na história do Brasil, o Senado Federal realizou uma votação remotamente. Em meio a tropeços e problemas de conexão, a câmara alta do Congresso Nacional aprovou a entrada do Brasil em estado de calamidade pública causada pela epidemia da COVID-19, doença provocada pelo novo Coronavírus.Presidida pelo senador Antonio Anastasia (PSD-MG), primeiro vice-presidente do Senado, a sessão foi realizada a partir de uma sala no Senado. Três telões exibiam as imagens de outros parlamentares. Junto ao vice-presidente — que substituiu Davi Alcolumbre (DEM-AP), diagnosticado com COVID-19 —, estava Weverton (PDT-MA), relator da matéria e toda equipe técnica do Senado.Leia mais... Veja Mais

Em isolamento, Cid Moreira, 92, faz apelo: 'fiquem em casa'; veja o vídeo

O Tempo - Diversão - Magazine O jornalista também já havia anunciado que entraria no isolamento e passaria a trabalhar apenas pela internet Veja Mais

Agenda Netflix: 35 títulos chegam ao streaming nesta semana

Agenda Netflix: 35 títulos chegam ao streaming nesta semana

Tecmundo 35 títulos, entre estreias e retornos ao catálogo, estão previstos para chegar à Netflix Brasil entre os dias 20 e 26 de março.Entre os destaques na programação do streaming estão as temporadas mais recentes de Brooklyn Nine-Nine, Raio Negro e do anime 7SEEDS.Leia mais... Veja Mais

Pelo 2º dia seguido, cidades brasileiras registram aplausos para profissionais de saúde que atuam no combate ao coronavírus

Glogo - Ciência Manifestações aconteceram em São Paulo e no Rio na noite desta quinta-feira (20). Também houve panelaços contra o presidente Bolsonaro. Pelo segundo dia seguido, cidades brasileiras registraram aplausos aos profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia do novo coronavírus. São Paulo e Rio foram alguns dos locais que tiveram essas manifestações de agradecimento a equipes médicas na noite desta sexta-feira (20). Houve também, pelo quarto dia consecutivo, panelaços contra o presidente Jair Bolsonaro. Nesta quinta-feira (19), São Paulo, Brasília, Recife, Salvador e Florianópolis tiveram ovações e coros de agradecimentos, repetindo gestos já vistos em países como Portugal e Espanha. APLAUSOS PARA OS PROFISSIONAIS DE SAÚDE São Paulo Aplausos a profissionais de saúde na Vila Andrade, em São Paulo, nesta sexta (20/3) Rio População do Flamengo, no Rio, aplaude profissionais de saúde Initial plugin text Veja Mais

Cuba anuncia que irá fechar suas fronteiras por coronavírus

O Tempo - Mundo Serão permitidas apenas a entrada de moradores e a saída turistas que ainda estão na ilha Veja Mais

Di Ferrero fala ao G1 sobre ansiedade na quarentena com coronavírus; ouça relato do cantor

G1 Pop & Arte Um dos primeiros brasileiros diagnosticados com o Covid-19, ele diz que fez 'linha do tempo' para lembrar com quem havia falado e se sentiu culpado por poder ter transmitido doença. Di Ferrero, ex-vocalista do NX Zero e hoje com carreira solo mais voltada para a música pop, foi um dos primeiros brasileiros diagnosticados com o novo coronavírus. Ouça acima uma entrevista com Di Ferrero no G1 Ouviu, o podcast de música do G1. O episódio também fala sobre o impacto da pandemia no mercado de música do Brasil e do mundo. O cantor de 34 anos falou dos dias de ansiedade e isolamento em Florianópolis. Ele divulgou o diagnóstico no dia 12 de março. Nesta semana, ele disse que está "curado e sem o vírus", mas segue em quarentena. "Como eu fui um dos primeiros a pegar o coronavírus por aqui, eu fiquei sem saber o que fazer no começo. Quando eu comecei a sentir os sintomas, eu estava em Floripa. Depois que eu saí do hospital, antes de sair o exame, eu já fiquei em casa e tal", disse o cantor ao G1. "Então, foi uma ansiedade pra saber o que estava acontecendo. Aí, me deu um pouco de febre, eu falei: 'Caramba velho, o que que tá acontecendo, será que eu tô com isso?' Quando saiu [o resultado positivo], tinha alguns shows pra rolar. Ninguém tinha cancelado nada ainda. Mas eu já tinha falado com a minha galera, que eu não tava bem, que eu achava que ia ter que cancelar um show que eu tinha no sábado, as [idas às] rádios que eu tinha na sexta-feira, com todos os fãs e tal." Di Ferrero e Isabeli Fontana no clipe de 'No Mesmo Lugar' Divulgação Ao ser perguntando sobre o medo de ter transmitido para alguém conhecido ou para algum fã, Di Ferrero contou que se sentiu culpado ao pensar nessa possibilidade: "Eu fiquei pensando, eu fiz uma linha do tempo, falei: 'Cara quem é que eu posso [ter contaminado], antes de saber que eu estava e de ir ao hospital e passar mal. Quem eu posso ter tido contato, meu Deus, sabe? Putz! Eu fiquei ansioso pra caramba tentando lembrar com quem eu falei e as pessoas... 'Olha, saiu positivo'." Ao chegar de Nova York, nos Estados Unidos, ele viajou direto para Florianópolis, devido a alguns compromissos que havia marcado. "Encontrei algumas pessoas, tipo o meu advogado, e ele deu negativo. A própria Isabeli [Fontana, modelo e esposa dele] também deu negativo. Que bom que a imunidade deles está boa, graças a Deus." "Mas não encontrei meus enteados e nem os meus fãs, não tive nada assim, ainda bem, cara. Porque senão eu acho que não iria conseguir dormir nas primeiras noites, porque só dessas poucas pessoas que eu tive contato eu fiquei bem me sentindo... não é nem culpado, talvez culpado. Pô, fiquei pensando 'Por que eu fui viajar pra fora? Por que eu fui pra lá?' Mas isso com o tempo foi acalmando." O cantor também disse que todos esses pensamentos fizeram com que ele ficasse ansioso. E essa ansiedade foi fazendo com que ele piorasse de saúde. "Então, eu voltei pro meu mundo, tocar música, fazer som", explicou, ao se referir às lives no Instagram que vem fazendo desde então. Nesses vídeos ao vivo, ele conversa com fãs, toca músicas e fala sobre o coronavírus. "Virou uma loucura, eu comecei a tentar informar a galera o máximo possível. Não de coisas técnicas do meu tratamento, porque cada caso é um caso, cada pessoa tem um tratamento, então a galera fica me perguntando sem parar sobre tratamento. E aí eu liguei para alguns médicos, fui atrás, lia todos os sites saude.gov, todos os sites do governo, principalmente, pra ver o que eu tinha que fazer." SAIBA MAIS da carreira solo pop de Di Ferrero Di também teve acompanhamento durante os primeiros dias da quarentena. 'Ficou uma pessoa falando comigo no WhatsApp todo dia, da vigilância epidemiológica. Eu ficava me reportando e aí meu papel foi pra acalmar a galera. Eu me acalmei e passei isso pra frente. As pessoas começaram a se acalmar. Eu vi que estava fazendo alguma coisa positiva, então comecei a me sentir melhor. Pra não ficar louco, então eu posso ajudar nessa hora." O ex-vocalista do NX Zero também mandou um recado pra quem não pode ficar em casa. Em suas lives, ele sempre se lembra das pessoas que continuam trabalhando: "Pra galera que é essencial trabalhar, eu estou agradecendo, a galera guerreira, né? Hospitais, mercados, farmácias... Não é todo mundo que pode ficar em casa, que nem eu. Eu quero acalmar pra esse cortisol não ficar alto, e aí eu ficar mais ansioso e baixar a minha imunidade de novo. Isso vale pra todo mundo." "Quanto mais junto a gente estiver em todos os sentidos, no mercado do entretenimento, não só no entretenimento, mas no geral, menos todo mundo vai perder. Porque todo mundo já perdeu ou está perdendo alguma coisa. Mas quanto mais junto a gente estiver menos a gente vai perder neste momento. Essa consciência que eu tento passar e isso me fez ficar mais calmo aqui e me senti melhor. Tamo junto, a gente vai passar por essa aí." Veja Mais

"GRANDE SONHO VER O SURFE NAS OLIMPÍADAS" - Carlos Burle é o convidado do 'Expediente Futebol'

Fox Sports Brasil Quer saber tudo sobre o melhor do esporte? Acesse nossas redes! http://www.foxsports.com.br Baixe o APP! http://bit.ly/yt_cnbra ➡ Facebook: http://facebook.com/foxsportsbrasil ➡ Twitter: http://twitter.com/foxsportsbrasil ➡ Instagram: http://instagram.com/foxsportsbrasil Torcemos Juntos! #Surf #FOXSports #Olimpíadas Veja Mais

Festival Fico Em Casa BR anuncia line-up com mais de 70 artistas

R7 - Música Entre os dias 24 e 27 de Março, sem sair de casa, você poderá contemplar apresentações de nomes do rock, indie, samba, funk, MPB e muito mais Veja Mais

Ministério declara transmissão comunitária do novo coronavírus em todo o território nacional

Glogo - Ciência Total de casos subiu 45% em um dia. Ministro da Saúde prevê 'disparada' dos casos em abril e queda somente em setembro. Ministro Mandetta fala da expectativa de contágio do coronavírus: ‘Dispara em abril' O Ministério da Saúde declarou que todo o território nacional está sob o status de transmissão comunitária do coronavírus Sars-Cov-2, responsável pela pandemia da doença Covid-19. O status foi publicado em portaria divulgada na noite desta sexta-feira (20). O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, já tinha anunciado nesta tarde que a medida seria tomada em breve para facilitar ações do governo. O ministro sinalizou também que a previsão é que os casos da doença disparem em abril e o sistema de saúde deve entrar em colapso. A transmissão comunitária ou sustentada é aquela quando não é possível rastrear qual a origem da infecção, indicando que o vírus circula entre pessoas que não viajaram ou tiveram contato com quem esteve no exterior. Até o balanço de quinta-feira (19), a transmissão comunitária estava configurada nos estados de São Paulo e de Pernambuco. Além disso, ocorre isoladamente em três capitais: Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre (além das capitais de SP e PE, já incluídas acima). Detalhes da portaria A portaria também oficializa ações que o ministério já tinha detalhado na quinta: isolamento domiciliar da pessoa com sintomas respiratórios e das pessoas que residam no mesmo endereço, ainda que estejam assintomáticos, em isolamento pelo período máximo de 14 (quartorze) dias. O atestado emitido pelo profissional médico que determina a medida de isolamento será estendido às pessoas que residam no mesmo endereço Casos pelo Brasil Os casos confirmados de Covid-19, doença infecciosa causada pelo coronavírus Sars-Cov-2, aumentaram 45% entre quinta (19) e esta sexta-feira (20), de acordo com dados do Ministério da Saúde. O mais recente balanço federal aponta que o Brasil tem 904 casos e 11 mortes. Os dados consideram informações repassadas pelas secretarias estaduais até as 16h. Evolução dos casos de Covid-19 no Brasil Arte/G1 Na quinta o ministério somava 621 casos e 6 mortes. O total de mortes subiu mais de 80% entre os dois balanços. Pelo segundo dia consecutivo, o ministério não divulgou o total de casos suspeitos, como vinha fazendo desde o início do acompanhamento dos casos. A plataforma que exibe os dados está fora do ar desde quinta-feira. O Ministério da Saúde também não divulgou o total de pessoas hospitalizadas. Ministro da saúde diz que infecção por coronavírus no Brasil deve disparar em abril VÍDEOS: incubação, sintomas e mais perguntas e respostas BOATOS: O que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus GRUPOS VULNERÁVEIS: veja quais grupos têm mais complicações SINTOMAS: febre, tosse e dificuldade de respirar, entenda em detalhes O número de estados com casos confirmados era de 21 na quinta e na sexta subiu para 25. Somente Roraima e Maranhão permanecem sem casos confirmados. Quanto às regiões, todas apresentaram aumento de casos.   O Sudeste tinha 391 casos e agora tem 553. O Nordeste tinha 110 e passou para 134. O Norte foi de 8 para 15. No Centro-Oeste, os casos passaram de 61 para 112. Por fim, o Sul tinha 71 e agora tem 90 casos. Disparada dos casos em abril O ministro da saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse, durante apresentação com o presidente Jair Bolsonaro, que infecções por coronavírus deverão disparar no Brasil entre os meses de abril e junho. "A gente deve entrar em abril e iniciar a subida rápida [de infecções]. Essa subida rápida vai durar o mês de abril, o mês de maio e o mês de junho, quando ela vai começar a ter uma tendência de desaceleração de subida" - Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde Os casos de transmissão de Covid-19, infecção causada pelo coronavírus, deverão perder velocidade a partir de julho e, em agosto, é esperado que as ocorrências comecem a cair. "O mês de julho, ela deve começar um platô. Em agosto, esse platô vai começar a mostrar tendência de queda. Em setembro é uma queda profunda, tal qual foi uma queda de março na China. Esse é o cenário que o mundo ocidental está trabalhando” - Mandetta Número de mortos na Itália por novo coronavírus passa de 4 mil Initial plugin text Veja Mais

Bolsas dos EUA amargam pior queda semanal desde 2008 após restrições da Califórnia e NY

G1 Economia O Dow Jones recuou 4,55%, para 19.173,98 pontos, o S&P 500 cedeu 4,34%, para 2.304,92 pontos. Wall Street encerrou a sua pior semana desde outubro de 2008, com os índices Dow Jones e S&P 500 caindo mais de 4% nesta sexta-feira, quando os Estados de Nova York e da Califórnia impuseram duras restrições para manter as pessoas em casa e tentar conter a propagação do coronavírus, o que alimentou preocupações com o impacto negativo para a economia. O Dow Jones recuou 4,55%, para 19.173,98 pontos, o S&P 500 cedeu 4,34%, para 2.304,92 pontos, e o Nasdaq perdeu 3,79%, para 6.879,52 pontos. Bovespa volta a cair após trégua na véspera; na semana o tombo é o maior desde 2008 Operador observa telões durante dia de trabalho na Bolsa de Nova York, nos EUA Richard Drew/AP O governador de Nova York, Andrew Cuomo, determinou nesta sexta-feira que trabalhadores não essenciais devem ficar em casa, seguindo os passos da Califórnia, que já havia feito o mesmo na noite de quinta-feira. Os movimentos de dois dos Estados mais populosos dos EUA afetam cerca de 40 milhões de pessoas. Além disso, as autoridades federais nesta semana se movimentaram para fechar as fronteiras com o Canadá e o México, com mais de 12 mil casos de coronavírus tendo sido confirmados nos Estados Unidos até esta sexta-feira. "Os mercados de ações ainda estão tentando entender o quão ruim a economia vai ficar, e acho que notícias de Estados inteiros sendo fechados provavelmente se qualificam como incrementalmente negativas", disse Willie Delwiche, estrategista de investimentos da Robert W. Baird, em Milwaukee. No início da sessão, o mercado tentou brevemente manter os ganhos iniciados na quinta-feira, quando os formuladores de políticas globais abriram as torneiras para sustentar os mercados financeiros, que vê de semanas de vendas pesadas. O índice S&P 500 cai mais de 31,9% desde seu fechamento recorde no dia 19 de fevereiro. Investidores agora estão contando com mais estímulos nos próximos alguns dias, enquanto o Senado dos EUA pondera um pacote de 1 trilhão de dólares que incluiria ajuda financeira direta para os norte-americanos. Todos os três principais índices registraram seus maiores declínios semanais desde outubro de 2008, embora o índice de volatilidade da Cboe --medidor de "medo" de Wall Street-- tenha encerrado o dia em 66,04, o que alguns investidores consideraram um sinal de que as vendas podem diminuir. Veja Mais

Guedes quer adiar eleições para dezembro e realização simultânea de dois turnos

O Tempo - Política Por conta da pandemia do novo coronavírus, deputado federal mineiro quer que o pleito aconteça em 13 de dezembro Veja Mais

Saulo Poncio retoma música com UM44K e lança o clipe do single “Melhor Pensar”

O Tempo - Diversão - Magazine Composição da dupla musical tem tom romântico e já soma mais de 45 mil visualizações no YouTube Veja Mais

Regulador do Texas pede que Estado considere limitar produção de petróleo

R7 - Economia (Reuters) - O Estado norte-americano do Texas deveria considerar limites na produção de petróleo para as companhias locais, em um esforço para estabilizar os preços da commodity, que têm caído acentuadamente, disse um dos três membros do regulador estadual do setor de óleo e gás nesta sexta-feira.Os preços do petróleo nos EUA acumulam baixa de mais de 60% neste ano devido à queda na demanda causada pelo coronavírus e por uma guerra por participação no mercado, travada entre Arábia Saudita e Rússia.Em meio a esse cenário, executivos do setor e reguladores têm buscado a administração do presidente Donald Trump para ventilar a ideia de cortar a produção do Texas em 10%, afirmou Ryan Sitton, um dos três membros eleitos para a comissão estadual responsável por regular a indústria de petróleo e gás.A expectativa é de que o presidente Trump possa negociar com a Arábia Saudita e a Rússia e convencê-los a também realizar cortes na mesma proporção, disse Sitton, acrescentando que o objetivo é "ajudar o presidente a obter um acordo."O Texas não impõe limites à produção de petróleo desde o início dos anos 1970, mas os reguladores teriam autoridade para fazê-lo.Empresas como Parsley Energy e Pioneer Natural Gas estariam entre as companhias independentes de petróleo e gás que gostariam que os reguladores considerem limites sobre o quanto grandes petroleiras podem colocar no mercado.Os Estados Unidos afirmaram na quinta-feira que começarão a comprar o combustível fóssil produzido localmente para sua Reserva Estratégica de Petróleo, em uma tentativa de apoiar a indústria local.Enquanto isso, a Arábia Saudita fretou cerca de meia dúzia de super navios-tanque para enviar até 12 milhões de barris de petróleo para a Costa do Golfo dos EUA, em meio à sua guerra por mercado com os russos.O fluxo de petróleo proveniente dos sauditas e outros produtores pode resultar no maior superávit já visto no mercado de petróleo na história, segundo a consultoria IHS Markit.NoneEMPREGOSCompanhias de petróleo dos Estados Unidos têm planos para dispensar centenas de trabalhadores em meio à queda dos preços da commodity.A Apache Corp disse que pode cortar 85 pessoas em seu escritório em Midland, enquanto a empresa de serviços para campos de petróleo FTS International Services disse que pode dar férias coletivas para 35 empregados em Fort Worth e 85 em Hobbs, no Novo México.A Tenaris informou que cortará 223 empregados de sua unidade de produção de dutos de aço, IPSCO Koppel Tubulars, empresa que adquiriu recentemente, segundo comunicado.A gigante de serviços para campos de petróleo Halliburton já anunciou mais cedo nesta semana que dará licença para 3,5 mil trabalhadores.NoneNoneNone (Por Luciano Costa) Veja Mais

Aprovação de novos filtros de realidade aumentada no Instagram é suspensa devido ao coronavírus

G1 Economia Funcionários responsáveis pela aprovação não estão indo trabalhar diante da pandemia. Aprovação de novos filtros do Instagram está suspensa durante a pandemia de coronavírus Divulgação/Instagram O Facebook anunciou à comunidade de criadores de filtros em realidade aumentada para a rede social e para o Instagram que a aprovação de novos efeitos está suspensa até segunda ordem, devido à pandemia do coronavírus. Coronavírus: perguntas e respostas A decisão aconteceu porque a empresa está falando com parceiros ao redor do mundo para permitir que os revisores terceirizados — responsáveis por checar e aprovar os filtros submetidos pelos criadores — fiquem em casa durante a pandemia. "Criadores podem continuar usando o SparkAR [software de criação dos filtros] e enviando seus efeitos e atualizações para serem revisados em uma data futura", disse a empresa em nota. Filtro realista de cachorro do Instagram viraliza com 'pegadinhas' Alguns processos de validação automática continuarão funcionando, então criadores podem receber comentários e avaliações em aspectos dos filtros enviados, segundo o comunicado. Essa decisão pode prejudicar criadores de filtros e programadores que trabalham em parceria com empresas, fazendo filtros e efeitos nas redes sociais para marcas, por exemplo. Moderação de conteúdo também foi prejudicada O Facebook e outras gigantes de tecnologia, como Google e Twitter, anunciaram que podem enfrentar erros e remoções indevidas de conteúdo, em decorrência de uma redução temporária das equipes responsáveis pela moderação. As denúncias muitas vezes fazem parte de conversas particulares ou grupos fechados. O moderador deve decidir se o conteúdo viola ou não as regras da plataforma, mas não deve ser capaz de fazer uma cópia da postagem, nem identificar informações consideradas desnecessárias para o processo de moderação — já que isso pode ferir a privacidade de usuários e prejudicar a neutralidade da avaliação. Initial plugin text Veja Mais

Em meio à pandemia de coronavírus, 92% das salas de cinema do Brasil fecham

O Tempo - Diversão - Magazine Atividades estão suspensas em quase todo país Veja Mais

Zema determina fechamento das divisas de MG para ônibus e trens de passageiros

O Tempo - Política Governador também determinou o fechamento do comércio nos 853 municípios do Estado como medida para combater o coronavírus Veja Mais

Coronavírus: Câmara aprova decreto de calamidade pública

Coronavírus: Câmara aprova decreto de calamidade pública

Câmana dos Deputados ✔️ Calamidade pública – O enfrentamento à epidemia de coronavírus foi o tema central dos debates e votações na Câmara nesta semana. Com álcool em gel e máscara à disposição o tempo todo, os deputados votaram vários projetos relacionados ao assunto. Um deles foi o decreto de calamidade pública. A proposta obteve apoio unânime, e rendeu muitos discursos no Plenário. O decreto de calamidade pública foi aprovado e agora permite ao Governo gastar mais recursos para enfrentar a pandemia de coronavírus. ✔️ Importância do Congresso – Durante os debates sobre o enfrentamento e as consequências do coronavírus, muitos deputados e deputadas ressaltaram a importância do Congresso e do esforço suprapartidário para se vencer o caos. ✔️ Enfrentamento ao coronavírus – um outro tópico muito comentado pelos deputados foi sobre qual seria a melhor maneira de se evitar que o vírus se espalhe, mas não prejudicar a economia do País. ✔️ Projetos aprovados – Além do decreto de calamidade pública, os deputados também aprovaram a Medida Provisória 899 de 2019, que regulamenta a negociação de dívidas com a União. Mais no início da semana, foram aprovados três projetos para ajudar no combate ao coronavírus: um autoriza os estados e municípios a utilizarem saldos de repasses do ministério da Saúde; outro permite aumentar a venda de álcool líquido nos supermercados; também teve o projeto que proíbe a exportação de produtos hospitalares e médicos que são usados no tratamento do vírus. Todas as propostas foram encaminhadas ao Senado Federal. No âmbito exclusivo da Câmara, foi aprovada uma resolução com regras para que os deputados possam votar à distância durante esse período de crise. Conheça nossos termos de uso: https://www.camara.leg.br/tv/562840-termos-de-uso/ Siga-nos também nas redes sociais: http://www.facebook.com/camaradeputados http://www.twitter.com/camaradeputados Conheça nossos canais de participação: http://www2.camara.leg.br/participacao/saiba-como-participar/institucional/canais #CâmaraDosDeputados #CalamidadePública #Plenário Veja Mais

Coronavírus na França: ao menos 450 mortos e 5.226 hospitalizados

O Tempo - Mundo De acordo com os dados do ministério da saúde do país, 78 pessoas morreram nas últimas 24 horas Veja Mais

Secretário rebate avaliação de que governo tenha subestimado covid-19

R7 - Economia O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, negou que o governo tenha subestimado os efeitos econômicos da pandemia de coronavírus. "Nossas previsões estão em linha com o que o mercado apresentou. Trabalhamos com os dados que temos em mão, da forma mais cautelosa possível, e assim continuaremos", afirmou. Waldery Rodrigues disse ainda que a mudança na meta neste ano é pela situação de calamidade pública causada pela doença. "É diferente das oito vezes que ocorrem no passado", completou. Veja Mais

Principais ameaças cibernéticas apontadas pelo Fórum Econômico Mundial para 2020

Principais ameaças cibernéticas apontadas pelo Fórum Econômico Mundial para 2020

canaltech No início de março, o Fórum Econômico Mundial divulgou um relatório anual que inclui os ataques cibernéticos em uma lista de riscos globais que podem ter um impacto negativo em vários setores (e países), por um período de dez anos. Em cima disso, a ESET, empresa de detecção proativa de ameaças, fez uma análise sobre esses riscos e trouxe alertas sobre como se proteger. COVID-19: as operadoras de telecomunicação no Brasil estão prontas? MWC, E3, Lollapalooza: eventos cancelados ou confirmados devido ao coronavírus Os ataques cibernéticos são considerados o segundo risco mais preocupante que o universo dos negócios enfrentará na próxima década em todo o mundo. De acordo com a opinião dos mais de 750 especialistas e tomadores de decisão que foram consultados para a elaboração do relatório, 76,1% espera que os ataques cibernéticos aumentem em infraestrutura em 2020, e 75% aguarda um aumento nos ataques em busca de dinheiro ou dados. "As novas tecnologias visam proporcionar vários benefícios à população e aos usuários, algo que eles alcançaram. No entanto, essas vantagens também são acompanhadas de riscos, de modo que, além de oportunidades, também trazem novas ameaças", aponta Miguel Ángel Mendoza, especialista em segurança de TI no Laboratório de Pesquisa da ESET América Latina. De acordo com o relatório, a empresa descreve alguns dos riscos associados à tecnologia. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Um deles é a Inteligência artificial (IA), que começa a mostrar sinais de certos perigos, como manipulação por meio de fake news e deep fakes; bem como nas interfaces cérebro-computador e hiper-automação, ou seja, a combinação de robótica com IA. Essa questão também foi abordada no relatório Tendências 2020 no campo da segurança cibernética. Por sua vez, a tecnologia móvel de 5ª geração (5G) também tem alguns riscos. De acordo com a ESET, as novas tecnologias dependem de infraestrutura de alta velocidade, no entanto, existem deficits significativos na capacidade de cobertura e investimentos em telecomunicações. O desafio é construir infraestrutura moderna e introduzir sistemas que sejam seguros e confiáveis dentro dos recursos existentes. Quanto à computação quântica, ESET aponta que reduziria drasticamente o tempo necessário para resolver os problemas matemáticos nos quais as técnicas de criptografia são suportadas. Isso se destaca porque a capacidade de processamento pode tornar os algoritmos criptográficos de hoje impraticáveis, e haveria o risco de inutilizar a maioria das infraestruturas críticas e sistemas de segurança de dados. O quarto item apontado é a computação em nuvem: com o potencial de desenvolver diferentes setores, expandir o acesso tecnológico a áreas remotas, bem como vincular-se a outras tecnologias. Ao mesmo tempo, com uma quantidade maior de dados hospedados na nuvem, as empresas estão acumulando cada vez mais informações pessoais, o que cria riscos potenciais à privacidade e segurança dos dados. A empresa voltada à segurança ressalta que os ataques cibernéticos assumem várias formas e se estendem ao ambiente físico. Nesse sentido, os ataques a infraestruturas críticas começam a aparecer normalmente em setores como energia, saúde ou transporte (setor público e privado), afetando até cidades inteiras. Da mesma forma, os cibercrimes aparecem com mais frequência, perpetrados por grupos cada vez mais organizados, com uma probabilidade muito baixa de serem detectados e processados, enquanto o cibercrime como serviço é mantido como um modelo de negócios em crescimento, com ferramentas cada vez mais fáceis de usar e acessíveis para praticamente qualquer pessoa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Razer vai produzir e doar máscaras cirúrgicas para conter o coronavírus

Razer vai produzir e doar máscaras cirúrgicas para conter o coronavírus

canaltech A Razer, conhecida pela sua atuação na fabricação e comércio de mouses, mousepads, teclados, headsets e outros acessórios de informática para o público gamer, confirmou em uma thread no Twitter que vai mudar uma de suas fábricas em Singapura, onde a empresa mantém sua sede, para produzir e doar máscaras cirúrgicas, em uma ação destinada à contenção do coronavírus no país. Segundo os tuítes, que são assinados pelo CEO da Razer, Min-Liang Tan, disse que engenheiros e designers da companhia já estão trabalhando na conversão da linha de produção, a fim de acomodar os novos itens. A ação começará em Singapura, mas a Razer não descarta levar as máscaras produzidas para outros países, onde ela mantém escritórios regionais. Nestes casos, a empresa pretende abordar os governos e órgãos regulatórios de saúde para, em parceria, organizar a distribuição. Over the past few days, our designers and engineers have been working 24-hour shifts to convert some of our existing manufacturing lines to produce surgical masks so that we can donate them to countries around the world. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- — Min-Liang Tan (@minliangtan) March 19, 2020 "Ao longo dos últimos dias, nossos designers e engenheiros vêm trabalhando em rodízios de 24 horas para converter algumas de nossas linhas de manufatura, para produzir máscaras cirúrgicas para que possamos doá-las a países ao redor do mundo". We intend to donate up to 1M masks to the health authorities of different countries globally. For starters, we’ve been in touch with the authorities in Singapore (where the @Razer SEA HQ is based) to donate some of the initial shipments to assist their fight against COVID-19. — Min-Liang Tan (@minliangtan) March 19, 2020 "Nós pretendemos doar até um milhão de máscaras para autoridades de saúde em diferentes países globalmente. Para começar, iniciamos contato com os órgãos em Singapura (onde o quartel-general da Razer está localizado) para doarmos uma parte das encomendas iniciais e ajudá-los na luta contra o COVID-19". "Todos nós temos a nossa parte a fazer e deveríamos estar fazendo todo o possível com essa situação ficando cada vez mais série”, disse Tan em um dos tuítes. “Essa conversão emergencial de algumas de nossas linhas [de produção] e doação de máscaras é o primeiro passo que muitos vamos tomar. Nós temos um compromisso de contribuir com o nosso tempo extra, recursos, esforços e talento para a luta contra a COVID-19”. Leia mais: Adianta usar máscaras para se proteger contra o coronavírus? A falta de certos itens de saúde é uma das diversas preocupações em vários países afetados pela pandemia do coronavírus. No Brasil, o início da cobertura jornalística do vírus viu pessoas comprando máscaras cirúrgicas — justamente o item a ser doado pela Razer —, ao passo que a situação migrou para “papel higiênico” e, em seguida, o álcool-gel antisséptico. A Razr infelizmente não possui representação localizada no Brasil o que, embora a empresa não tenha tratado disso abertamente, deve significar que o Brasil não estará no quadro de nações a receberem as doações. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Tibé é o primeiro político da bancada mineira no Congresso a contrair o Covid-19

O Tempo - Política Em Belo Horizonte, o parlamentar agora está isolado em quarentena Veja Mais

'Não é como uma gripe, é uma pneumonia muito severa', dizem médicos de hospital na Itália

Glogo - Ciência Médicos do principal hospital de Bérgamo relatam sobrecarga do sistema de saúde. Número de mortos na Itália passa de 4 mil. Veja a rotina no principal hospital da cidade de Bérgamo, epicentro da Covid-19 na Itália Médicos do principal hospital de Bérgamo estão preocupados com a quantidade de pacientes da doença que já matou mais de 4 mil pessoas na Itália. E fazem um alerta ao mundo: "Não é uma gripe". Veja no VÍDEO acima. "A maioria dos pacientes tem pneumonia. É uma pneumonia muito severa", alertou um médico. Com cerca de 120 mil habitantes, a cidade de Bérgamo, no norte da Itália, tornou-se um dos locais mais críticos da pandemia de novo coronavírus — a ponto de militares precisarem trabalhar para levar os corpos das vítimas da Covid-19. VEJA TAMBÉM: O drama dos brasileiros que vivem ilegalmente na Itália Exército transporta corpos de vítimas do novo coronavírus em Bergamo, na Itália, nesta quinta-feira (19) Sergio Agazzi.Fotogramma via Reuters Com a velocidade do contágio do novo coronavírus, o sistema de saúde de Bérgamo está sobrecarregado. "É massivamente estressante para qualquer sistema de saúde, porque vemos todo dia de 50 a 60 pacientes chegando. A maioria é tão severa que eles precisam de muito oxigênio", disse outro médico. "Nunca me senti tão estressado na minha vida. Eu sou um intensivista, então estou acostumado com momentos intensos, com escolhas. Quando você chega a esse ponto, você percebe que não é suficiente. Estamos fazendo o nosso melhor, mas talvez não seja suficiente." CAMAROTTI: Bolsonaro diz que 'gripezinha' não vai derrubá-lo Mapa mostra localização da cidade de Bergamo, na Itália G1 Initial plugin text Veja Mais

Coronavírus no Brasil: 'Estado de sítio não está no nosso radar', diz Bolsonaro

O Tempo - Política Possibilidade é uma medida extrema, que aumenta poderes do Executivo e suspende liberdades e garantias individuais Veja Mais

Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus

Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus

canaltech Hoje (20), o Ministério da Saúde informa que subiu para 940 o número de casos confirmados do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil, de acordo com as informações repassadas pelos estados ao órgão. Até o momento, 11 mortes já foram oficialmente confirmadas. ▶️O @minsaude atualiza a situação do #coronavírus no Brasil (20/03) ▶️904 casos confirmados▶️11 óbitosHoje, o presidente @jairbolsonaro concedeu entrevista coletiva à imprensa, ao lado do ministro @lhmandetta explicando ações do @govbr Confira: https://t.co/1XkW27meQW — Ministério da Saúde (@minsaude) March 20, 2020 -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Diante desse cenário, o país entra em uma nova fase para combater a COVID-19, criando condições para diminuir os danos que o vírus pode causar à população, principalmente, pela prevenção de novas infecções. Aumenta número de óbitos do novo coronavírus no Brasil (Foto: Reprodução/ Prefeitura do Rio) Saiba mais sobre o novo coronavírus: Fim da guerra? China zera casos locais de coronavírus nesta quinta (19) Valor do álcool em gel oscila mais do que bolsa de valores; entenda essas ações Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Até o presente momento, não há dados descrevendo onde se concentram os novos casos da COVID-19 e nem se a transmissão comunitária (quando não se consegue mais rastrear a origem da infecção) se expandiu por mais regiões brasileiras. Ontem (19), as cidades do Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, além dos estados de Pernambuco, São Paulo e Santa Catarina (sul do Estado – região Tubarão) registravam essa situação. Isso porque a Plataforma IVIS, que registra e detalha os casos do coronavírus no país, sendo alimentada pelas secretarias de saúde dos estados, está fora do ar desde ontem, para manutenção e possível reformulação por conta do elevado número de acessos. Remédios contra coronavírus? Um crescente número de tuítes e matérias está veiculando informações sobre medicamentos que contêm hidroxicloroquina (droga anti-malária) e azitromicina (antibiótico) para o tratamento da COVID-19, no entanto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) esclarece: "Esses medicamentos são registrados pela Agência para o tratamento da artrite, lúpus eritematoso, doenças fotossensíveis e malária." Além disso, a agência comenta que "não existem estudos conclusivos que comprovam o uso desses medicamentos para o tratamento da COVID-19. Portanto, não há recomendação da Anvisa, no momento, para a sua utilização em pacientes infectados ou mesmo como forma de prevenção à contaminação pelo novo coronavírus". No entanto, existem casos em tratamento com a combinação entre os dois princípios ativos que vêm apresentando melhora em quadros de pacientes aqui no Brasil. Segundo o diretor da Prevent Senior, um paciente já iniciou os tratamentos com as duas drogas e apresentou melhora nos últimos quatro dias. Ainda nesta semana, um estudo publicado na International Journal of Antimicrobial Agents encontrou evidências significativas de que a combinação entre os fármacos pudesse exercer efeito na neutralização do novo coronavírus no organismo humano. Apesar dos achados serem animadores, ainda não é conclusiva sua efiácia, o que exige que mais estudos sejam realizados na área. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Saúde deve ter colapso antes da queda nos casos do coronavírus, diz ministro Veja Mais

Norah Jones faz cover no piano de "Patience" do Guns N' Roses. Veja!

Norah Jones faz cover no piano de

R7 - Música Vagalume Vagalume Norah Jones fez um bonito cover do sucesso "Patience", gravado de sua casa. A cantora incentivou os fãs a cumprirem o isolamento para combater o coronavírus, pelo mundo. Antes de falar sobre a sua versão para o hit do Guns N' Roses, a artista comentou sobre a atual situação que o planeta está vivendo e pediu para os fãs se mobilizarem por quem precisa. "Oi pessoal. Eu espero que todos estejam bem nesses tempos estranhos, existem algumas organizações que estão recebendo comida e mantimentos para pessoas em necessidade. "Feeding America" e "Music Cares" são algumas delas", escreveu. Em seguida, Norah Jones contou como decidiu fazer esse cover. "E por favor, fiquem em casa como um comprometimento de responsabilidade social para nossos profissionais médicos. Eu ouvi uma música ontem que fezs eu me sentir bem e eu sempre quis fazer um cover dela. Então, eu tentei", contou. Veja o vídeo do cover abaixo:Clique para ver no VagalumeFonte: Vagalume Veja Mais

Preços dos combustíveis recuam nos postos nesta semana, diz ANP

G1 Economia Valor médio do litro da gasolina para o consumidor recuou 0,64%. Preço do litro do diesel caiu 0,88% no período. Preços dos combustíveis recuaram nesta semana Marcelo Brandt / G1 Os preços do diesel e da gasolina recuaram nos postos nesta semana, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (20) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com o levantamento da ANP, o valor médio do litro da gasolina para o consumidor recuou 0,64%, a R$ 4,486. O preço do litro do diesel caiu 0,88% no período, para R$ 3,586. O litro do etanol recuou 0,83%, para R$ 3,226. Os valores são uma média calculada pela ANP com dados coletados em postos em diversas cidades pelo país. Os preços, portanto, variam de acordo com a região. Preço nas refinarias Nesta quinta-feira, a Petrobras promoveu um corte de 12% no preço da gasolina e de 7,5% no do diesel nas refinarias. Com isso, o preço do óleo diesel acumula queda de 29,1%, no ano. Já o recuo da gasolina é de 30,1%. O corte nos preços dos combustíveis se dá num momento em que as cotações do petróleo estão em forte queda com o avanço do surto de coronavírus no mundo e a desaceleração da economia global. Nesta semana, o valor de referência nos EUA, do petróleo WTI, registrou perda de 29%, a mais acentuada desde o início da Guerra do Golfo em 1991. O petróleo Brent, enquanto isso, cedeu 20%. Ambos os contratos de referência acumulam quatro semanas seguidas de quedas. Veja Mais

Coronavírus: advogadas são alvo de ameaças de morte e de ataques homofóbicos

O Tempo - Política Elas, que testaram negativo para a Covid-19, foram acusadas de propagar a doença em Ubá Veja Mais

Novas músicas: Silverstein e Princess Nokia, Flume e Toro y Moi, Grist Mil, Kehlani

R7 - Música Parceria inusitada entre banda de post-hardcore e jovem rapper lidera lista de lançamentos Veja Mais

Happy hour virtual: como organizar e por que ele vai melhorar o seu humor

Happy hour virtual: como organizar e por que ele vai melhorar o seu humor

Tecmundo Em meio ao surto do novo Coronavírus, a ordem suprema das autoridades é: não saia de casa. Muitas empresas atenderam a recomendação e adotaram o regime de home office. No entanto, o distanciamento social pode ser algo psicologicamente pesado para muita gente, principalmente quando associado a uma pandemia que nos faz abdicar do direito de ir e vir para respeitar e preservar o próximo.Se você já está sentindo falta dos seus amigos e colegas de trabalho, organizar um happy hour virtual pode ser uma boa saída para reunir todos em um papo online. A ideia é divertida, grátis (ou pelo menos muito barata) e pode ajudar a melhorar o humor e dar uma injeção de ânimo em quem mais precisa.Leia mais... Veja Mais

Preços do petróleo caem pela 4ª semana seguida; WTI tem maior perda semanal desde 1991

R7 - Economia Por Stephanie KellyNOVA YORK (Reuters) - O preço do petróleo nos Estados Unidos recuou 10,7% nesta sexta-feira e consolidou o maior declínio semanal desde a Guerra do Golfo de 1991, conforme a pandemia de coronavírus afeta a demanda global e depois de autoridades de Washington afirmarem que um enviado irá à Arábia Saudita para lidar com as consequências da guerra de preços entre o país asiático e a Rússia.A semana teve quatro dias de enormes baixas, uma vez que a crescente pandemia impede as pessoas de dirigir e reservar voos. Grandes empresas, como a trading Vitol e a IHS Markit, afirmaram que a demanda por petróleo pode cair em até 10%. Os preços tiveram uma alta significativa na quinta-feira, após dias de vendas em série, mas o rali não perdurou.O valor de referência nos EUA, do petróleo WTI, teve perdas de 29% na semana, as mais acentuadas desde o início da Guerra do Golfo em 1991. O petróleo Brent, enquanto isso, cedeu 20%. Ambos os contratos de referência acumulam quatro semanas seguidas de quedas.Nesta sexta-feira, Brent fechou em queda de 1,49 dólar, ou 5,2%, a 26,98 dólares por barril. Os futuros do petróleo dos EUA para abril recuaram 2,69 dólares, ou 10,7%, a 22,53 dólares/barril. O contrato expirou nesta sexta-feira. O vencimento mais ativo do WTI, para maio, teve queda de 3,28 dólares, ou 12,7%, para 22,63 dólares o barril."Com a economia parando cada vez mais, fica claro que a destruição de demanda continuará a crescer. Quaisquer que sejam os esforços para cortar produção nos EUA e investimentos, não são suficientes neste momento", disse o sócio da Again Capital Management em Nova York, John Kilduff.(Reportagem adicional de Bozorgmehr Sharafedin, em Londres, e Koustav Samanta, em Cingapura) Veja Mais

Inteligência emocional: como manter o equilíbrio em tempos de crise

Inteligência emocional: como manter o equilíbrio em tempos de crise

R7 - Economia Coronavírus gerou tensão na economia mundial Pixabay Queda da bolsa de valores em mais de 10%. Dólar comercial em disparada. Circuit breaker, o mecanismo que impõe limites para a variação negativa do índice Bovespa, acionado o mesmo número de vezes da crise de 2008. O mundo vive momentos de extrema tensão na economia, causada pelo novo coronavírus, e fica impossível negar que o nervosismo atinge até mesmo os investidores mais experientes. Porém, manter a calma é fundamental diante dos acontecimentos. Oscilações de mercado são uma rotina para quem opera com carteiras de investimentos, por isso, ter com quem contar nessa hora de aflição é garantia de tranquilidade e segurança. Principalmente em um cenário inédito como a crise gerada pela pandemia do COVID-19, uma das maiores armadilhas é pensar a curto prazo. Controle emocional é a palavra-chave para vencer este grande desafio, mas como mantê-lo? Quem investe quer ganhar, mas precisa aprender a lidar com alguns riscos. Para diminuir os efeitos negativos como medo e angústia, que podem inclusive evoluir para um quadro de depressão, a saída é buscar informação sólida de fonte segura. Os consultores da CM Capital estão preparados para orientar os clientes diante das maiores adversidades, como explica o diretor de operações Vitor Baldi.Leia mais: CM Capital: investimento ao alcance de todosConsultoria digital “Fomos a primeira corretora a oferecer o atendimento por aplicativo de mensagem no Brasil. Nossos especialistas estão preparados para auxiliar a todos, independentemente da renda e patrimônio, sem custo”.  Uma ótima solução em tempos de isolamento social, pois os atendimentos ocorrem à distância e em tempo real. Parece complicado falar em manter o otimismo diante de uma onda de notícias tão negativas em escala mundial. A recomendação de Vitor é manter a calma, o foco e a persistência. “Apesar de toda a turbulência global, a renda variável é a única possibilidade para ganhos de capital real no longo prazo”. Afinal, como ensina o maior investidor do mundo Warren Buffet, o temperamento correto é o que influencia positivamente no resultado para o investidor. CM Capital: a corretora dos grandes players institucionais agora no varejo Simule seu investimento na CM Capital   Veja Mais

Aprovação de novos filtros de realidade aumentada no Instagram está suspensa devido ao coronavírus

G1 Economia Funcionários responsáveis pela aprovação não estão indo trabalhar diante da pandemia. Aprovação de novos filtros do Instagram está suspensa durante a pandemia de coronavírus Divulgação/Instagram O Facebook anunciou à comunidade de criadores de filtros em realidade aumentada para a rede social e para o Instagram que a aprovação de novos efeitos está suspensa até segunda ordem, devido à pandemia do coronavírus. Coronavírus: perguntas e respostas A decisão aconteceu porque a empresa está falando com parceiros ao redor do mundo para permitir que os revisores terceirizados — responsáveis por checar e aprovar os filtros submetidos pelos criadores — fiquem em casa durante a pandemia. "Criadores podem continuar usando o SparkAR [software de criação dos filtros] e enviando seus efeitos e atualizações para serem revisados em uma data futura", disse a empresa em nota. Filtro realista de cachorro do Instagram viraliza com 'pegadinhas' Alguns processos de validação automática continuarão funcionando, então criadores podem receber comentários e avaliações em aspectos dos filtros enviados, segundo o comunicado. Essa decisão pode prejudicar criadores de filtros e programadores que trabalham em parceria com empresas, fazendo filtros e efeitos nas redes sociais para marcas, por exemplo. Moderação de conteúdo também foi prejudicada O Facebook e outras gigantes de tecnologia, como Google e Twitter, anunciaram que podem enfrentar erros e remoções indevidas de conteúdo, em decorrência de uma redução temporária das equipes responsáveis pela moderação. As denúncias muitas vezes fazem parte de conversas particulares ou grupos fechados. O moderador deve decidir se o conteúdo viola ou não as regras da plataforma, mas não deve ser capaz de fazer uma cópia da postagem, nem identificar informações consideradas desnecessárias para o processo de moderação — já que isso pode ferir a privacidade de usuários e prejudicar a neutralidade da avaliação. Initial plugin text Veja Mais

Museu de Congonhas prepara programação virtual

O Tempo - Diversão - Magazine Assim como grande parte dos museus, o espaço cultural precisou suspender as atividades para ajudar na prevenção da disseminação do coronavírus Veja Mais

Stevie Nicks: “Éramos todos viciados em drogas, mas eu era a pior”

R7 - Música Vocalista do Fleetwood Mac chegou a ter "buraco no nariz" e, supostamente, teve que fazer rinoplastia para corrigi-lo Veja Mais

Como criar uma conta na Netflix pelo celular

Como criar uma conta na Netflix pelo celular

canaltech A Netflix é, sem dúvida, uma das plataformas mais utilizadas para assistir filmes, documentários e séries de TV atualmente. Por isso, não é difícil que algumas pessoas queiram assinar o serviço para ter acesso a todo o conteúdo - já que alguns títulos da plataforma são tão comentados em redes sociais como o Facebook. O cadastro é muito rápido e não precisa sequer de um computador ou notebook para ser feito. Como criar uma conta na Netflix pelo celular Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Passo 1: antes de tudo, acesse o Netflix pelo seu navegador do smartphone, insira um e-mail válido e toque em "Assine a Netflix". Lembre-se de inserir um e-mail válido, ou seja, um que você tenha acesso e possa usar para verificar sua conta (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: selecione “Veja nossos planos” para ter acesso a todas as opções de assinatura da Netflix. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- É possível cancelar sua conta na Netflix a qualquer momento (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: escolha o plano que melhor se adeque às suas necessidades e, em seguida, toque em “Continuar”. Compare os planos da Netflix e veja qual opção compensa mais com base em suas condições (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 5: toque em "Continuar" para inserir uma senha de acesso à plataforma. Insira uma senha da qual você possa se lembrar depois - evite códigos muito difíceis. (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 6: informe seus dados de pagamento. É possível pagar pela Netflix usando cartão de débito, crédito ou um cartão pré-pago. O cartão pré-pago da Netflix pode ser adquirido em lojas, bancas de jornal e outros estabelecimentos (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 7: por fim, toque em “Iniciar assinatura”. Caso seu pagamento seja aprovado, você já pode começar a usufruir de todo o conteúdo da Netflix. Simples assim! Você sabia que a Netflix tem 210 categorias escondidas? Veja como acessá-las! Descubra como ativar o modo super econômico no Netflix Netflix: planos disponíveis Atualmente, os planos disponíveis para assinatura na Netflix são os seguintes: Plano básico: R$ 21,90/mês, sem conteúdo em HD, com uma tela simultânea e possibilidade de acessar o conteúdo pelo notebook, smartphone ou tablet; Plano padrão: R$ 32,90/mês, com conteúdo em HD, duas telas simultâneas e possibilidade de acessar o conteúdo pelo notebook, smartphone ou tablet; Plano premium: R$ 45,90/mês, com conteúdo em HD e ultra HD, com HDR, Dolby Vision e Atmos, quatro telas simultâneas e possibilidade de acessar o conteúdo pelo notebook, smartphone ou tablet. E você, sabia que era possível criar uma conta na Netflix diretamente de seu smartphone? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 799! Pacotes para Argentina, Chile, Peru e Colômbia para as férias de 2021 SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Adianta usar máscaras para se proteger contra o coronavírus? Veja Mais

IoT: O papel dos seres humanos em dar vida à Internet das Coisas

R7 - Economia Possivelmente você tem hoje cerca de cinco dispositivos digitais conectados que fazem desaparecer as fronteiras entre o universo digital e o físico, fenômeno também chamado de “phygital”. A Internet das Coisas (IoT) está nos levando para a jornada de transformação de um mundo essencialmente físico para o futuro em que atravessamos um mundo “phygital” sem perceber a diferença.Atualmente um automóvel conta em média com mais de cem sensores. [...] O post IoT: O papel dos seres humanos em dar vida à Internet das Coisas apareceu primeiro em Jornal Contábil - contabilidade, direito, INSS, Microempreendedor. Veja Mais

Acusado de roubar segredos do Google, ex-funcionário da Uber assume culpa

Acusado de roubar segredos do Google, ex-funcionário da Uber assume culpa

canaltech O ex-funcionário da Uber, Anthony Levandowski, aceitou assumir a culpa no crime de levar informações sigilosas do Google para concorrentes. Nesta quinta (19), procuradores recomendaram ao executivo um acordo, pois assim, ele ficaria sujeito a pegar não mais do que 30 meses de prisão ao colaborar com o caso. Ou seja, assumir a culpa. “Baixei estes arquivos com a intenção de usá-los em meu benefício pessoal e entendo que não estava autorizado a pegar tais documentos para este propósito”, afirmou o executivo. Levandowski era funcionário da Waymo, braço da Alphabet para carros autônomos. Em 2015, deixou a empresa para montar a Ottomotto, uma startup de tecnologias de automação. A acusação é de que ele teria levado documentos e segredos da Waymo para a Ottomotto, a qual foi depois comprada pela Uber. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A acusação veio em 2017, depois que a Uber abriu um braço para desenvolvimento de tecnologia de carros autônomos, supostamente com as informações levadas por Levandowski, principal engenheiro do projeto. Executivo montou sua própria empresa chamada Ottomotto (Foto: Divulgação/Otto) Agora, três anos depois, ele se mostrou disposto a assumir a culpa pelo caso. “Acreditamos que o acordo vai ajudá-lo a seguir a vida e focar suas energias no que mais importa: desenvolver novas tecnologias”, informou o advogado de defesa, Miles Ehrlich. No processo, a Uber também já pagou a Alphabet em ações, em acordos pela informação. A gigante do transporte por aplicativo também revisou sua tecnologia para garantir que não há quebra de patente. Contudo, mesmo assim, o Departamento de Justiça dos Estados Unidos levantou 33 acusações contra Levandowski. Levandowski também já declarou falência no início do mês para tentar renegociar suas dívidas com o processo. Agora, diante deste acordo, ele também concordou em pagar US$ 759 mil para cobrir os custos da Alphabet com investigação. Quando ele havia declarado falência, a dívida era de US$ 179 milhões contra o Google. Embora a Uber geralmente pague processos em cima de seus funcionários, já disse que não pretende fazer o mesmo no caso de Levandowski. Apesar da confissão de culpa, ainda não há data agendada para a sentença. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 799! Pacotes para Argentina, Chile, Peru e Colômbia para as férias de 2021 SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Adianta usar máscaras para se proteger contra o coronavírus? Veja Mais

COVID-19: Pilotos da NASCAR e outras competições vão disputar corridas virtuais

COVID-19: Pilotos da NASCAR e outras competições vão disputar corridas virtuais

canaltech Como sabemos, todos os países estão em alerta diante da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), adiando eventos e pedindo para a população se manter em isolamento domiciliar para evitar que o patógeno se espalhe ainda mais por aí. O circuito de corridas não é exceção e, para manter o interesse pelas competições e as “mãos no volante”, os pilotos e organizadores encontraram uma solução temporária: profissionais da Pro NASCAR, IMSA Sportscar Championship e Australian Supercars vão se enfrentar em pistas do simulador iRacing. A rede por assinatura usa ambiente virtual em PCs Windows e conta com a chancela de uma longa lista de organizações de automobilismo do mundo real. Além disso, costuma ser prestigiada pelos melhores e mais populares nomes do setor. O NASCAR iRacing Pro Invitational Series terá convidados da NASCAR Cup Series e NASCAR Xfinity Series e promete incluir categorias de caminhões e outra divisões. Os encontros reais da NASCAR foram cancelados até o dia 3 de maio. Imagem: Reprodução/iRacing A ideia é oferecer entretenimento para os entusiastas dessas modalidades nas mesmas datas anteriormente programadas para exibições. "Até termos os carros de volta às pistas, toda a comunidade da NASCAR se alinhará para proporcionar aos nossos fãs apaixonados uma experiência única, divertida e competitiva, no dia da corrida. Nossos parceiros de longa data do iRacing oferecem um produto incrível e estamos entusiasmados em ver quantos de nossos melhores pilotos se acumularão no domínio virtual das corridas competitivas", destacou o vice-presidente de desenvolvimento de corridas da NASCAR, Ben Kennedy. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- As séries contarão com pilotos renomados, como a Dale Earnhardt Jr., Kyle Busch, Denny Hamlin, Clint Bowyer, Kyle Larson e Christopher Bell, e começam neste domingo (22), na versão virtual do circuito Homestead-Miami Speedway. IMSA e Supercars Australia no iRacing A International Motor Sports Association (IMSA) da América do Norte anunciou que sediará uma disputa online de 90 minutos no iRacing durante este final de semana. As 12 horas reais da corrida do Autódromo Internacional de Sebring, na Flórida, estavam agendadas para os próximos dias e foram adiadas para novembro. Agora, poderão ser conferidas na web, com pilotos da WeatherTech SportsCar Championship e do Michelin Pilot Challenge. "A IMSA está comprometida em oferecer uma experiência realista de corrida aos nossos fãs, concorrentes e parceiros neste fim de semana. A maioria dos pilotos da IMSA usa o iRacing ou outros simuladores regularmente, para aprimorar suas habilidades e se preparar para as próximas corridas. Neste fim de semana, eles farão isso na frente de uma audiência. Somos gratos ao iRacing e a muitos de nossos outros parceiros, por criar esta oportunidade de entreter os leais fãs da IMSA”, disse o presidente da associação, John Doonan. Imagem: Reprodução/IMSA O Supercars Australia adiantou que também fará uma série de corridas virtuais no iRacing, plataforma já utilizada pela organização na competição digital Supercars Eseries do ano passado. Os participantes ainda não foram confirmados, mas Anton De Pasquale, piloto da equipe Penrite Racing, mostrou interesse. "Definitivamente vou colocar minha mão na massa e participar, porque é algo que tenho feito mais agora. Tenho um simulador em casa, no qual me divirto um pouco com alguns colegas, e também temos o da Erebus, que levamos mais a sério e usamos para treinos pessoais", comentou. Onde assistir? A NASCAR avisou que mais detalhes sobre as competições e os canais de exibição ainda serão confirmados. As 12 horas de Sebring da IMSA, convertidas em 90 minutos virtuais, serão transmitidas ao vivo pela Fox Sports, Kayo e Supercars.com, bem como pelos canais de mídia social do site Supercars e no Twitch. Já as disputas do Supercars Australia serão exibidas no Twitch do iRacing e no canal do eSports iRacing no YouTube. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Em tempos de quarentena, Sandy anima web cantando 'Evidências'

Em tempos de quarentena, Sandy anima web cantando 'Evidências'

R7 - Música Sandy relembrou um clássico de Chitãozinho e Xororó Reprodução/Instagram Em tempos de quarentena, período em que as pessoas ficam em casa em resguardo do novo coronavírus, Sandy animou a web cantando Evidências. A apresentação ao vivo pelas redes sociais, nesta sexta-feira (20), marcou a estreia do projeto Festival Música em Casa; criado pela cantora em parceria com o marido, o cantor Lucas Lima. O blogueiro Hugo Gloss registrou um trecho da apresentação, que ainda contou com a participação especial de Xororó.  "Nesse show eu garanti grade, sim! Sandy está fazendo uma live no Instagram cantando músicas de sua carreira, mas resolveu presentear os fãs com uma versão do clássico “Evidências”. E mais: rolou até uma participação especial de Xororó no final! Olha que bapho! Parece até que tô ouvindo o CD de tão perfeitos!  Ver essa foto no Instagram Nesse show eu garanti grade, sim! Em tempos de quarentena, Sandy está fazendo uma live no Instagram cantando músicas de sua carreira, mas resolveu presentear os fãs com uma versão do clássico “Evidências”. E mais: rolou até uma participação especial de Xororó no final! Olha que bapho! Parece até que tô ouvindo o CD de tão perfeitos! (Vídeo: Reprodução/Instagram) Uma publicação compartilhada por Hugo Gloss (@hugogloss) em 20 de Mar, 2020 às 3:27 PDT Na quinta-feira (19), Sandy falou mais sobre o projeto. "Passando pra lembrar (e avisar quem não viu meus stories) que amanhã eu vou abrir o Festival Música em Casa, numa live que vai ser transmitida aqui no meu Insta. Eu e o @fl.lucaslima vamos fazer meia hora de show pra quem quiser assistir. Mas todo mundo que puder tem que estar em casa, combinado? Confiram a programação desse festival da @umusicbrasil que acontece até o dia 29/03. Nos vemos amanhã pra esse abraço virtual que vai me deixar muito feliz", escreveu Sandy.  Veja Mais

Justiça obriga hospital onde Bolsonaro fez exame a fornecer lista de infectados

O Tempo - Política Ação foi movida pelo governo do Distrito Federal; a decisão liminar prevê multa diária de R$ 50 mil em caso de descumprimento Veja Mais

Ariana Grande pede proteção por medo de fã obcecado que tentou invadir sua casa

O Tempo - Diversão - Magazine O invasor tinha em mãos uma carta romântica que queria entregar para a cantora; ele acabou preso Veja Mais

Bolsonaro e autoridades do governo fizeram testes para Covid-19 na rede privada, diz ministério

Glogo - Ciência Presidente já havia publicado que primeiro exame foi feito por laboratório particular; ele fez dois testes, que deram negativo, e anunciou ser possível que faça um terceiro. 'Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar', diz Bolsonaro O Ministério da Saúde confirmou ao G1 que o presidente Jair Bolsonaro e as autoridades do governo brasileiro testadas para Covid-19 fizeram o teste na rede privada. Nesta sexta (20), chegou a 22 o número de pessoas que foram com o presidente aos Estados Unidos na semana passada e que estão com o novo coronavírus. “No caso das autoridades do alto escalão do governo, eles voltaram de viagem ao exterior, tiveram contato com casos confirmados e fazem parte do grupo de risco (pessoas com mais de 60 anos). Eles procuraram hospitais particulares e realizaram os exames na rede privada”. Ao anunciar o resultado negativo de seu primeiro exame para a Covid-19, o presidente informou que seu exame havia sido feito pelo laboratório Sabin e pelo Hospital das Forças Armadas, em Brasília. O laboratório, segundo informação publicada em seu site, é credenciado pelo Ministério da Saúde e faz testes do tipo PCR. O exame também só pode ser feito em hospitais (para pacientes internados ou do pronto socorro) e, em domicílio, mediante "apresentação do pedido médico, somente em casos suspeitos". Desde então, o presidente fez mais um teste para o novo coronavírus, que também deu negativo, e mencionou, nesta sexta (20), que é possível que faça um terceiro teste. Initial plugin text Veja Mais

Em live, Shawn Mendes e Camila Cabello mandam 'alô' para o Brasil

Em live, Shawn Mendes e Camila Cabello mandam 'alô' para o Brasil

R7 - Música Camila Cabello e Shawn Mendes Reprodução/Instagram Para espantar o tédio da quarentena em tempos de coronavírus, Shawn Mendes e Camila Cabello resolveram entreter os fãs com música. Nesta sexta-feira (20), o casal fez uma transmissão ao vivo onde cantaram juntos. “É um tempo louco, mas nós vamos superar isso juntos e tentar nos contentar em gerar sorrisos”, disse a cantora. Shawn estava no violão, cantando, e Camila o acompanhava. No setlist da dupla, canções como Kiss Me, cover do Ed Sheeran, Lost In Japan, Havana e, claro, Señorita. Em um certo momento, eles mandaram uma 'alô' para o Brasil! Shawn Mendes e Camila Cabello falando oi pro Brasil durante a live. #TogetherAtHome pic.twitter.com/ZdXZgNl0cz— Conexão Shawn Mendes (@conexaoshawn) March 20, 2020 Veja Mais

Rosa Weber pede informações ao governo sobre impacto do teto de gastos no investimento em saúde

G1 Economia Advocacia-Geral da União terá 30 dias para apresentar informações ao STF. Ministra é relatora de dois pedidos de suspensão dos efeitos do teto de gastos, por conta do coronavírus. A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu ao governo federal nesta sexta-feira (20) informações sobre as mudanças provocadas pela emenda do teto de gastos, em vigor desde 2016, no investimento mínimo da União em saúde. Na decisão, a ministra deu 30 dias para que a Advocacia-Geral da União (AGU) apresente os dados. O teto de gastos é uma regra que limita o crescimento das despesas da União. O pedido de informações foi feito depois que o PT e um grupo de instituições da sociedade civil pediram a suspensão da emenda do teto, em meio à crise causada pelo novo coronavírus. A ministra fez uma série de perguntas, que devem ser respondidas pelos ministérios da Saúde e da Economia, pelo Tesouro Nacional e pelo Conselho Nacional de Saúde (CNS). Os questionamentos são sobre: o impacto da mudança na fórmula de cálculo do investimento mínimo em saúde com o teto de gastos em vigor; a ministra quer saber se, com a alteração, houve reflexos negativos para o financiamento de ações e serviços de saúde; a variação, "em amplitude e qualidade", na oferta de ações e serviços de saúde à população desde a implantação do teto de gastos; em que medida a substituição do aumento do gasto público pela melhora na qualidade dessa despesa compensa a redução do montante aplicado em ações e serviços públicos de saúde na vigência do teto de gastos, , em comparação com as regras anteriores; quais são as projeções de evolução do gasto público em saúde para os próximos anos, "tendo em vista a necessidade de implementação de ações de combate à epidemia da COVID-19 e suas consequências estruturais"; qual a evolução do orçamento da seguridade social da União desde o ano anterior ao início da vigência do teto de gastos até este ano. Em votação virtual, Senado aprova estado de calamidade pública no Brasil Rosa Weber é relatora de uma ação que contesta mudanças nos gastos com a saúde provocadas pelas alterações feitas por parlamentares nas regras de investimento no setor, previstas na Constituição. Foi em meio a este processo que os pedidos de suspensão da emenda do teto de gastos foram feitos. As informações a serem apresentadas pela AGU podem trazer informações técnicas para servir de base para uma decisão de Weber sobre os pedidos. Nesta sexta-feira (20), entrou em vigor o decreto que estabelece estado de calamidade pública em razão da pandemia do coronavírus. Nesta situação, o governo está autorizado a aumentar o gasto público e a descumprir a meta fiscal prevista para o ano. Mas a calamidade pública não permite o descumprimento do teto de gastos. Veja Mais

Contra o coronavírus, lave as mãos! Veja como astronautas se higienizam na ISS

Contra o coronavírus, lave as mãos! Veja como astronautas se higienizam na ISS

canaltech Lavar as mãos com água e sabão é uma medida fundamental para impedir a disseminação de doenças, como a COVID-19, causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). Médicos e especialistas enfatizam a importância da higienização, explicando como deve ser feita de modo que seja realmente eficaz contra o vírus. O processo é importante inclusive para os astronautas no espaço, mesmo que o vírus não tenha chegado por lá. Em ambientes de microgravidade, como o da Estação Espacial Internacional (ISS), o processo de lavar as mãos é um pouco diferente do que fazemos aqui na Terra. Lá, se fosse possível abrir uma torneira de água ou jogar sabão líquido nas mãos, os fluidos ficariam flutuando por todos os lados. Afinal, lá não existe a atração gravitacional que, aqui na superfície do planeta, "puxa" tudo para baixo. O astronauta canadense Chris Hadfield, que esteve na ISS mais de uma vez — a última em 2013, pouco antes de se aposentar —, explicou em um vídeo como isso é feito estação orbital. A água e os demais produtos líquidos para higienização são todos conservados dentro de uma espécie de sachê. Assim, fica mais prático aplicar o conteúdo na pele. Ele e a astronauta italiana Samantha Cristoforetti mostram, em diferentes vídeos, como são feitos os processos de higiene pessoal na ISS — e é isso o que você descobre nesta matéria. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O ambiente de microgravidade no interior da ISS pode dificultar algumas tarefas (Foto: NASA) Coisas do cotidiano da Terra que astronautas não podem fazer no espaço Cocô no espaço: como os astronautas fazem o “número 2” na ISS? Série Astronautas parte 1: como é a vida no espaço? Lavando as mãos Hadfield mostrou que os astronautas lavam as mãos usando um sachê chamado "No Rinse Body Bath Pouch Assy", que é uma bolsa plástica onde fica uma solução de água e sabão, basicamente. Com um canudo, o astronauta coloca um pouco dessa solução nas mãos. Se você fizesse isso na Terra, o conteúdo do sachê cairia em sua mão e talvez até pingaria no chão, mas no espaço o fluido acaba se tornando uma bola que parece quase "grudar" na mão dos astronautas. Isso acontece graças ao efeito químico chamado "tensão superficial". A bolinha primeiro pode flutuar, mas basta pegá-la no ar. Com ela aderindo nas mãos, fica fácil simplesmente esfregá-las, como faríamos com água e sabão aqui na Terra. Algumas gotas podem "voar" durante o processo, mas a consistência do produto é eficaz em garantir que uma quantidade mínima de água se perca flutuando dentro da estação espacial. Depois, basta enxugar as mãos em uma toalha, que será guardada em algum lugar para que não saia flutuando por aí. Nesse lugar, água na toalha será evaporada e processada de modo que possa ser usada de alguma forma pelos astronautas. Pois é, no espaço a água é um bem precioso, por isso mesmo as gotículas em uma toalha após lavar as mãos são importantes e devem ser reutilizadas. Confira o vídeo em que Hadfield mostra como é lavar as mãos no espaço:   Usando o vaso sanitário Samantha Cristoforetti, astronauta da ESA, apresenta um vídeo onde nos brinda com uma "tour" pelo banheiro da Estação Espacial Internacional (ISS), mostrando como é fazer as necessidades básicas em microgravidade. A primeira coisa que ela apresenta é o banheiro em si, um cubículo com alguns canos acoplados. Um destes canos é próprio para a urina. Samantha explica que a válvula que tampa o cone “deve ser girada a noventa graus para que abra. Isto liga uma hélice que cria um efeito de sucção no cano, e pode utilizá-lo então para o número um”. Para o número dois, a lógica é exatamente a mesma, porém o mecanismo é um vasinho onde o astronauta pode sentar e fazer as necessidades, que serão sugadas assim como no caso do cano da urina. No caso dos sólidos, eles vão para um saquinho que deve ser propriamente colocado em um depósito reservado a isso, que fica também neste cubículo. Samantha termina explicando que há um aparelho de reciclagem, atrás da parede do cubículo, que processa os dejetos, limpando o máximo de impurezas. “A urina é transferida para outro equipamento logo abaixo deste chão, que é chamado de Urine Processing Assembly (Montagem Processadora de Urina), e este é o primeiro passo para transformar urina em água potável”. A água é realmente um bem muito precioso na ISS. Confira a explicação da astronauta sobre como usar o banheiro no espaço:   Tomando banho Além do banheiro, Samantha também mostrou onde os astronautas tomam banho na ISS. Primeiro, ela mostra como a água, reservada em outra bolsa com canudo, se comporta no ambiente de microgravidade. Como já vimos, o líquido não cai, mas sim fica flutuando e tende a grudar na pele humana, como se fosse uma gelatina. Após aplicar um pouco de água ao longo do antebraço, a astronauta aplica também a solução "No Rinse Body Bath Pouch Assy", a mesma que foi demonstrada por Hadfield. “É na realidade uma ótima sensação, de pura limpeza”, diz Samantha. Ela também mostra como se lava o cabelo, aplicando um pouco de um xampu sem enxágue, adicionando um pouco de água e depois esfregando o couro cabeludo assim como fazemos aqui na Terra. Depois, tira-se o excesso do produto com uma toalha. Para secar a a toalha, “deixamos elas aqui do lado de um sistema de ventilação, assim elas vão secando”. A água evapora e, como já vimos nos casos anteriores, é também recapturada para passar pelo sistema de refrigeração, passando pelo processo que a transforma em água potável para consumo dos astronautas na estação.   Cortando as unhas Samantha brinca, no vídeo acima, que ninguém deseja perder pedaços de unha no meio de um ambiente com microgravidade, e mostra como é simples resolver o problema de restos de unhas ao cortá-las. Os astronautas se deslocam para o lado do exaustor do banheiro, e fazem a tarefa ali mesmo. A força de sucção do exaustor prende os restos de unhas na grade. Logo depois disso, é só pegar o cano de sucção de urina e sugar as pontas. Escovando os dentes Hadfield mostrou como se escova os dentes na ISS. Primeiro ele molha a escova de dentes com o nosso já familiar sachê de água, com muito cuidado para não desperdiçar nada. Após encharcar a escova, aplica o creme dental nela — apenas um pouco, pois “você que terá que limpar a bagunça depois”. Chris escova os dentes normalmente, e então… engole a pasta. “Aqui, a pasta é comestível, não irá te matar. O que mais posso fazer, cuspir num trapo e deixá-lo sujo? Isso não faz sentido”, justifica. Samantha discorda de Chris nesse assunto polêmico. “O recomendável é engolir, mas eu cuspo em uma toalha. Nada elegante, eu sei”. O astronauta termina a tarefa apenas colocando um pouco de água na boca e fazendo um bochecho com a escova na boca para limpá-la e guardá-la novamente no kit de limpeza pessoal. Mas não façam assim em casa! Esse processo só é higiênico nas condições da ISS, beleza?   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus Veja Mais

The Mandalorian: série terá Rosario Dawson como Ahsoka Tano

The Mandalorian: série terá Rosario Dawson como Ahsoka Tano

Tecmundo A atriz Rosario Dawson (Luke Cage) pode interpretar Ahsoka Tano na segunda temporada de The Mandalorian. De acordo com o SlashFilm, ela foi escalada para a série, porém, sua personagem não foi confirmada até o momento.Ahsoka Tano fez sua estreia na franquia como padawan de Anakin Skywalker em Star Wars: The Clone Wars. Com o tempo, ela foi se tornando cada vez mais popular, tendo participado também da série Star Wars Rebels. Caso Dawson seja confirmada no papel, esta será a primeira vez que a personagem aparecerá em um live-action.Leia mais... Veja Mais

Relator no STF vota a favor da suspensão de portaria que muda regra para registro de agrotóxicos

G1 Economia Julgamento de ação de partidos contra norma do Ministério da Agricultura vai até a próxima quinta-feira (26) no plenário virtual do Supremo Tribunal Federal. O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou nesta sexta-feira (20) a favor da suspensão da portaria do Ministério da Agricultura que estabelece novas regras para o registro de agrotóxicos. Editada no fim de fevereiro e com previsão de entrar em vigor em 1º de abril, a portaria aumenta de 30 para 60 dias o prazo para o registro das substâncias. Mas, segundo os autores da ação que contesta a regra, permite a concessão automática da autorização se não houver manifestação do governo sobre o pedido no período. O julgamento do tema começou nesta sexta-feira no plenário virtual. Por essa modalidade de votação, os ministros não precisam fazer uma reunião presencial para deliberar – eles somente enviam os votos por meio eletrônico. Os ministros terão até as 23h59 próxima quinta-feira (26) para votar. Até a última atualização desta reportagem, havia sido registrado somente o voto do relator. Aprovação de agrotóxicos tem nova regra na etapa final Roberta Jaworski/Editoria de Arte/G1 Os autores dos pedidos são PSOL e Rede Sustentabilidade. Os dois partidos argumentaram que a portaria, ao regulamentar as previsões da Lei de Liberdade Econômica, vai incentivar o uso de agrotóxicos, trazendo riscos à saúde. O Ministério da Agricultura informou que a portaria não muda as exigências de avaliação por parte dos ministérios de Saúde, Meio Ambiente e da própria pasta. "A portaria (...) fixa prazos somente para fins de aprovação tácita da emissão do certificado de registro de defensivos agrícolas e isso não afeta as etapas anteriores que tratam da aprovação do defensivo, mantendo-se hígidas e necessárias as avaliações e aprovações toxicológica, ambiental e agronômica a serem realizadas obrigatoriamente pelo Ministério da Saúde (MS), pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e pelo MAPA [Agricultura], respectivamente", afirmou o ministério. Lewanowski considerou que "não se afigura aceitável" estabelecer, por meio de portaria, a liberação tácita deste tipo de substância "sem examinar, com o devido rigor, os requisitos básicos de segurança para sua utilização por seres humanos". Veja Mais

Zema anuncia fechamento de estabelecimentos comerciais de Minas; entenda

O Tempo - Política Governador disse que o decreto vale para todos os 853 municípios mineiros Veja Mais

Preços do petróleo caem pela 4ª semana seguida

G1 Economia Valor de referência nos EUA, do petróleo WTI, teve perda de 29% na semana, a mais acentuada desde o início da Guerra do Golfo em 1991. O preço do petróleo nos Estados Unidos recuou 10,7% nesta sexta-feira (20) e consolidou o maior declínio semanal desde a Guerra do Golfo de 1991, conforme a pandemia de coronavírus afeta a demanda global e depois de autoridades de Washington afirmarem que um enviado irá à Arábia Saudita para lidar com as consequências da guerra de preços entre o país asiático e a Rússia. Preços do petróleo desabam na semana Gregory Bull, File/AP A semana teve quatro dias de enormes baixas, uma vez que a crescente pandemia impede as pessoas de dirigir e reservar voos. Grandes empresas, como a trading Vitol e a IHS Markit, afirmaram que a demanda por petróleo pode cair em até 10%. Os preços tiveram uma alta significativa na quinta-feira, após dias de vendas em série, mas o rali não perdurou. O valor de referência nos EUA, do petróleo WTI, teve perdas de 29% na semana, as mais acentuadas desde o início da Guerra do Golfo em 1991. O petróleo Brent, enquanto isso, cedeu 20%. Ambos os contratos de referência acumulam quatro semanas seguidas de quedas. Nesta sexta-feira, Brent fechou em queda de US$ 1,49, ou 5,2%, a US$ 26,98 por barril. Os futuros do petróleo dos EUA para abril recuaram US$ 2,69, ou 10,7%, a US$ 22,53 o barril. O contrato expirou nesta sexta-feira. O vencimento mais ativo do WTI, para maio, teve queda de US$ 3,28, ou 12,7%, para US$ 22,63 o barril. "Com a economia parando cada vez mais, fica claro que a destruição de demanda continuará a crescer. Quaisquer que sejam os esforços para cortar produção nos EUA e investimentos, não são suficientes neste momento", disse o sócio da Again Capital Management em Nova York, John Kilduff. Veja Mais

Bolsonaro: ‘Depois da facada, não vai ser uma gripezinha que vai me derrubar’

O Tempo - Política ‘Estado’ pede que Secom apresente os resultados dos exames realizados pelo presidente; ministro da saúde defende sigilo Veja Mais

Anvisa inclui hidroxicloroquina e cloroquina na categoria dos remédios controlados

Glogo - Ciência Na nova categoria o medicamento só poderá ser entregue mediante receita branca especial em duas vias. Medida é para impedir a escassez da substância. Medicamento a base de hidroxicloroquina, no DF. Reprodução TV Globo A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu nesta sexta-feira (20) enquadrar a hidroxicloroquina e cloroquina como medicamentos de controle especial. Segundo informações da Agência a procura por hidroxicloroquina aumentou depois que algumas pesquisas indicaram que o produto pode ser utilizado no tratamento do Sars-Cov-2. Mas não há nenhuma comprovação sobre o benefício da substância no tratamento do novo vírus. As substâncias estão presentes em medicamentos contra a malária, reumatismo, inflamação nas articulações, lúpus, entre outros. VÍDEOS: incubação, sintomas e mais perguntas e respostas BOATOS: O que é #FATO ou #FAKE sobre o coronavírus GRUPOS VULNERÁVEIS: veja quais grupos têm mais complicações SINTOMAS: febre, tosse e dificuldade de respirar, entenda em detalhes A medida é para evitar que pessoas que não precisam do medicamento provoquem o desabastecimento do mercado. Na quinta (19) a Anvisa informou que os medicamentos que possuem a substância não são recomendados no tratamento da Covid-19. "Apesar de promissores, não existem estudos conclusivos que comprovam o uso desses medicamentos para o tratamento da Covid-19. Assim, não há recomendação da Anvisa, no momento, para o uso em pacientes infectados ou mesmo como forma de prevenção à contaminação. Ressaltamos que a automedicação pode representar um grave risco à sua saúde." – Anvisa Com a nova determinação da Anvisa, os pacientes que já fazem uso de medicamentos com as substâncias poderão continuar utilizando a receita simples para a compra do produto durante o prazo de 30 dias. Na nova categoria, o medicamento só poderá ser entregue mediante receita branca especial em duas vias. Médicos que fazem a prescrição de hidroxicloroquina ou cloroquina já devem começar a utilizar este formato. A venda irregular em farmácias é considerada infração grave. Coronavírus: Anvisa alerta que automedicação pode representar grave risco à saúde Existe algum remédio para tratar o novo coronavírus? Initial plugin text Veja Mais

Receita Federal simplifica despacho de produtos para o combate do Covid-19

R7 - Economia Foi publicada no Diário Oficial da União de quarta-feira (18), a Instrução normativa nº 1.927, de 17 de março de 2020, que simplifica e agiliza o despacho aduaneiro de mercadorias importadas destinadas ao combate da Covid-19. A medida, que já havia sido anunciada, visa manter um fluxo rápido de abastecimento de bens, mercadorias e matérias-primas destinadas [...] O post Receita Federal simplifica despacho de produtos para o combate do Covid-19 apareceu primeiro em Jornal Contábil - contabilidade, direito, INSS, Microempreendedor. Veja Mais

Chitãozinho e Xororó convocam fãs para cantar 'Evidências' na janela nesta sexta

O Tempo - Diversão - Magazine A cantoria está marcada para às 19h como uma forma de melhorar o ânimo das pessoas por causa da pandemia do novo coronavírus Veja Mais

Secretaria de Política Econômica prevê recessão no 1º semestre

Secretaria de Política Econômica prevê recessão no 1º semestre

R7 - Economia Comércio fechado na região central da cidade de São Paulo NELSON ANTOINE/ESTADÃO CONTEÚDO O Brasil passará por uma recessão no primeiro semestre de 2020 devido aos impactos econômicos do avanço do novo coronavírus, prevê a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia. A atividade econômica vai encolher 0,20% no primeiro trimestre e contrair 2,13% no segundo trimestre, sempre na comparação com os três meses imediatamente anteriores. Quando há dois trimestres seguidos de queda no PIB (Produto Interno Bruto), um país entra na chamada "recessão técnica". Caso se concretize na magnitude esperada pela SPE, a queda do segundo trimestre de 2020 pode ser a maior desde o segundo trimestre de 2015, quando houve um tombo de 2,2% contra o trimestre imediatamente anterior, segundo a série histórica IBGE. "O mês de março já sofre com o início das paralisações das atividades da economia, reduzindo as nossas projeções de crescimento. No segundo trimestre ocorre o impacto mais forte, uma vez que é onde deve se concentrar a maior queda do PIB mundial e o maior período de paralisação de atividades econômicas", diz a SPE. Apesar disso, o órgão projeta uma recuperação a partir do terceiro trimestre, com alta de 1,17% em relação aos três meses imediatamente anteriores. No quarto trimestre, a expectativa é de avanço de 2,03% no mesmo tipo de comparação. "Destaca-se que a profundidade e duração da crise ainda são difíceis de se estimar, pois trata-se de um evento inédito na história econômica mundial", ressalta a SPE. No entanto, a Secretaria tem ressaltado que o choque deve ser transitório. "Mantemos avaliação de que os choques pelos quais a economia brasileira está passando são em sua maioria transitórios, o que permitirá uma retomada a partir do segundo semestre deste ano." Na comparação do trimestre contra igual período de 2019, o período de janeiro a março deve ter uma alta mais tímida que o esperado inicialmente, com avanço de 1,5%. Já no segundo trimestre, a SPE espera uma contração de 1,4%. Se concretizado, será o pior resultado desde o último trimestre de 2016, quando o tombo foi de 2,2% em relação a igual período de 2015. No terceiro trimestre de 2020, ainda haverá retração de 0,8% em relação a igual período de 2019. Mas, nos últimos três meses do ano, a expectativa é de que haja alta de 0,9%, segundo a SPE. Veja Mais

Dólar se mantém acima de R$5 e tem maior alta semanal desde agosto de 2018

R7 - Economia Por José de CastroSÃO PAULO (Reuters) - O dólar voltou a fechar em queda ante o real nesta sexta-feira, chegando a descer abaixo de 5 reais, mas a moeda deixou as mínimas na parte da tarde conforme os mercados externos voltaram a piorar o sinal diante das persistentes incertezas sobre os impactos econômicos do coronavírus.Na mínima do dia, às 14h21, a cotação desceu a 4,9833 reais na venda. Mas a partir de então recobrou parte das forças e bateu 5,0585 reais às 16h28. Dez minutos depois o Banco Central anunciou leilão de venda de dólar spot, que teve colocação de 175 milhões de dólares.A cotação retomou a queda depois da operação, atingindo 5,0102 reais às 16h47, mas as compras tornaram a aparecer e empurraram a divisa para o fechamento de 5,0274 reais na venda, queda de 1,50%.Na véspera, o dólar já havia caído 1,83% ante o real. Ainda assim, cravou nesta semana a alta mais forte para o período desde a semana finda em 24 de agosto de 2018 (+4,85%).No exterior, o S&P 500, referência da Bolsa de Nova York, caiu 4,3%, concluindo a pior semana desde 2008.Em 2020, o dólar acumula apreciação de 25,28%. O Itaú Unibanco revisou para cima nesta sexta a projeção para o dólar ao fim deste ano, de 4,15 reais para 4,60 reais."A moeda brasileira deve seguir pressionada nos próximos meses", disse o banco em nota na qual revisou estimativas para indicadores brasileiros. "Mas vemos espaço para apreciação, na medida em que o choque seja dissipado", ponderou o banco.Na B3, o dólar futuro tinha queda de 0,99% nesta sexta, a 5,0495 reais, às 17h42. Veja Mais

Dólar cai a R$ 5,02, mas tem maior alta semanal desde agosto de 2018

Dólar cai a R$ 5,02, mas tem maior alta semanal desde agosto de 2018

R7 - Economia Dólar acumulou alta de 4,46% nesta semana Rick Wilking/Reuters O dólar voltou a fechar em firme queda ante o real nesta sexta-feira (20), com o real entre as divisas de melhor desempenho à medida que o mercado corrigiu parte do movimento recente diante da percepção de um BC (Banco Central) mais atuante e de maior oferta global de liquidez na esteira de medidas emergenciais do banco central dos Estados Unidos. Na sessão, a moeda norte-americana caiu 1,5%, a R$ 5,0274 na venda, depois de na véspera perder 1,83% —maior queda diária desde outubro de 2018. Durante os negócios, a cotação chegou a cair para R$ 4,9833 na venda, mas retomou algum fôlego e acabou defendendo o patamar de R$ 5. Apesar do ajuste de baixa das últimas duas sessões, o dólar ainda terminou a semana acumulando alta de 4,46%, a mais forte desde a semana finda em 24 de agosto de 2018 (+4,85%). Ibovespa O Ibovespa fechou em queda de 2,02%, sem conseguir sustentar os ganhos registrados em boa parte da sessão, conforme a volatilidade nos mercados acionários globais segue elevada, uma vez que os casos do Covid-19 continuam a subir no mundo, com mais de 10 mil mortes já registradas. Na semana, o Ibovespa acumulou uma perda de 18,88%, pior resultado desde a semana encerrada em 10 de outubro de 2008. Foi a quinta queda semanal consecutiva, ampliando as perdas em 2020 para 42%. Veja Mais

Governo nega pedido de R$ 15 bi por mês para Estados e municípios, diz Waldery

R7 - Economia O secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, disse que o governo não atenderá o pedido dos Estados de destinar cerca de R$ 15 bilhões por mês para ajudar os entes a fazer frente ao coronavírus. "Alguns pleitos são devidos e outros não há espaço para atendimento. Quinze bilhões de reais por mês é um número que não fecha nas contas" afirmou. Segundo o secretário, estão sendo estudadas outras formas para ajudar as unidades da federação, como transferências "fundo a fundo". Em outra ocasião, Rodrigues já havia afirmado que uma das ideias é destinar recursos do Fundo Nacional da Saúde (FNS) para os Estados. Nesta sexta-feira,20, Rodrigues disse que as medidas ainda serão divulgadas e que está sendo avaliado o pedido de suspensão do pagamento das dívidas estaduais com a União. Ele disse que é necessário ter "isonomia" no atendimento de Estados e municípios - a suspensão do pagamento beneficiaria entes com valores maiores. Revisão de meta O governo ainda pode fazer uma revisão da meta de resultado primário de 2020, hoje em déficit de R$ 124,1 bilhão, disse o secretário especial de Fazenda. Segundo ele, essa medida seria adotada assim que o governo tiver em mãos um cenário mais claro de como ficará a situação fiscal do País diante da perda de receitas com a crise do novo coronavírus e da necessidade de ampliar gastos. Por enquanto, o governo está dispensado de cumprir a meta e de fazer bloqueios no Orçamento, uma vez que o Congresso Nacional reconheceu estado de calamidade pública. "O Congresso entendeu e aprovou rapidamente (a calamidade)", disse. Por enquanto, o rombo inicial é estimado em R$ 161,623 bilhões em 2020. "Esse número já estamos recalculando", disse. "Tão logo tenhamos mais certeza em relação à situação sobre essa calamidade pública, teremos eventualmente movimento na direção de uma solicitação de mudança na meta de primário", afirmou Waldery. Segundo ele, a equipe econômica segue analisando e observando os efeitos da pandemia sobre a economia do País. "Temos elevada incerteza em relação ao novo coronavírus e outros efeitos exógenos", disse. Regra de ouro A equipe econômica acredita que o projeto de lei que abre crédito extraordinário para garantir o cumprimento da regra de ouro, que está no Congresso Nacional, será suficiente mesmo com os efeitos econômicos da pandemia do coronavírus. De acordo com o secretário do Orçamento Federal, George Soares, o texto abre crédito de R$ 345 bilhões e a insuficiência para o cumprimento da norma está hoje em R$ 92 bilhões. Ele disse que a margem para o cumprimento da regra, que prevê que os investimentos do governo devem superar o endividamento, pode piorar com as medidas para o enfrentamento da crise e que, em tese, o governo poderia até enviar um novo pedido de crédito. "A possibilidade de isso acontecer é praticamente nula", completou. Informais Waldery Rodrigues disse que a medida que prevê o pagamento de R$ 200 para compensar perdas de trabalhadores informais com a crise econômica desencadeada pelo coronavírus foi "bem focada". Ele, no entanto, não descartou aumento no valor. Questionado se há possibilidade de o governo rever o valor do programa Bolsa Família, o secretário disse que o programa está em reformulação. "Seguiremos com o que já foi anunciado", completou. Veja Mais

Justin Bieber faz show acústico no TikTok e relembra sucessos para fãs

Justin Bieber faz show acústico no TikTok e relembra sucessos para fãs

R7 - Música Vagalume Vagalume Justin Bieber fez um show acústico no TikTok, nesta sexta-feira (20), para os seus seguidores. A performance teve grandes sucessos do cantor, além de um cover de "Fast Car", da cantora Tracy Chapman. Vale lembrar que o astro pop vinha se preparando para a sua "Changes World Tour" e devido ao combate ao coronavírus ele precisou suspender as datas de sua agenda de shows. Para esta live no TikTok, ele se apresentou no violão e piano e fez bonitas versões de seus sucessos. Veja os vídeos da apresentação abaixo:Clique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeClique para ver no VagalumeFonte: Vagalume Veja Mais

Coronavírus | Ministério da saúde apura ataque contra laboratórios de teste

Coronavírus | Ministério da saúde apura ataque contra laboratórios de teste

canaltech O Ministério da Saúde confirmou que está apurando indícios de invasão aos sistemas de centros de teste que trabalham na confirmação de casos do novo coronavírus. A informação veio em resposta ao Canaltech, no início da noite desta sexta-feira (20), após comentário do ministro Luiz Henrique Mandetta em coletiva concedida na tarde de hoje. Respondendo a um jornalista que questionou o presidente Jair Bolsonaro sobre a não divulgação pública dos resultados de seus próprios testes para a COVID-19, o ministro pediu calma à imprensa. “Tem gente entrando em sistemas de computador de laboratórios para saber nomes de pessoas públicas que, eventualmente, tenham feito exames”, afirmando que casos desse tipo são mórbidos. “Isso tem que ter limite”, completou, afirmando que atos como estes servem apenas para gerar manchetes.   Em nota a nossa equipe, a assessoria do Ministério da Saúde afirmou que as conclusões da apuração que está sendo realizada serão encaminhadas diretamente aos órgãos pertinentes para investigação devido ao sigilo dos dados. Por causa dessa mesma confidencialidade, mais detalhes sobre o caso não foram divulgados. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A fala sobre o sigilo desse tipo de informação também foi endossada por Mandetta, durante a coletiva. De acordo com o ministro, os exames são realizados somente quando sintomas de COVID-19 são detectados, enquanto os resultados pertencem a cada paciente, com o governo não fazendo a divulgação disso diretamente ao público. Saúde deve ter colapso antes da queda nos casos do coronavírus, diz ministro Coronavírus | OMS usa robô no WhatsApp para enviar informações sobre pandemia O próprio presidente também respondeu à pergunta, reafirmando que seus testes deram resultados negativos e que não teria problemas em se submeter a novos procedimentos. Segundo ele, caso isso não seja recomendado por médicos ou pelo próprio ministro, ele continuará se comportando como qualquer outro brasileiro assintomático. Mandetta também citou as dificuldades digitais que o Ministério da Saúde tem enfrentado durante a pandemia do novo coronavírus. Páginas de informações do órgão, por exemplo, teriam recebido mais de 37 milhões de acessos apenas nesta quinta-feira (19), o que motivou a transferência da infraestrutura para a nuvem, uma vez que os servidores não foram capazes de suportar a carga. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus Veja Mais

Como fazer compras de supermercado usando aplicativos durante a quarentena

Como fazer compras de supermercado usando aplicativos durante a quarentena

canaltech Em meio à pandemia do novo coronavírus, ou Covid-19, o isolamento social é recomendado. Durante uma quarentena, a tarefa de fazer compras no mercado é necessária, mas dificultada. Portanto, as compras por aplicativos ganham força e fornecem uma opção viável. Fazer as compras de mercado por aplicativos é uma alternativa para evitar as aglomerações nos corredores e filas das lojas. A escolha de produtos é feita de forma prática, no computador ou celular, com informações disponibilizadas sobre prazo de entrega e valores. Além disso, a possibilidade de contato externo é reduzida. COVID-19 | Como fica o varejo? Para essas ocasiões, destacam-se os aplicativos de entrega rápida e os programas próprios de redes de supermercados de todo o Brasil. Veja como utilizar apps para reabastecer os produtos de casa. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Fazer compras por aplicativos de entrega Os aplicativos de entrega não são limitados apenas a pedidos de pratos e refeições. Alguns entre os mais populares, como Rappi, James e iFood, possibilitam compras em supermercados com entrega domiciliar. Diversas redes estão inclusas nesses apps, permitindo ao consumidor consultar os itens disponíveis e ofertas. O funcionamento é simples: basta fazer o download e cadastro no app, selecionar a rede de mercado e os produtos. O pagamento é feito pela própria plataforma, via cartões de crédito, débito e até mesmo vale-refeição. Com o pedido feito, o entregador vai até o mercado, faz a compra dos itens e entrega no endereço solicitado. No caso do Rappi, entre as redes inclusas no aplicativo, o tempo de espera mínimo varia entre 30 minutos e uma hora nas lojas, com a opção de agendar um horário específico para receber. É cobrada uma taxa de entrega, que varia conforme o estabelecimento. O pagamento pode ser feito online ou no momento da entrega. O Rappi está disponível para Android e iOS, respectivamente, na Google Play Store e na App Store. Como denunciar no Procon preço abusivo do álcool gel e máscaras Alguns dos mercados disponíveis no aplicativo Rappi (Foto: Reprodução/André Magalhães) O iFood, por sua vez, segue um funcionamento parecido, com valor mínimo para compras, determinado por cada estabelecimento, e um prazo de entrega. O recurso de compras no mercado teve início em 2019 e pode não estar disponível em todas as cidades. Nesse caso, é importante verificar se seu local é atendido nessa lista. O aplicativo é encontrado em versões para Android e iOS. Já o James Delivery, para Android e iOS, segue o mesmo propósito. Funcionando em 18 cidades entre as cinco regiões do Brasil, o aplicativo procura fornecer uma entrega rápida dos mais diversos tipos de estabelecimentos comerciais, desde restaurantes até mercados e farmácias. 10 ferramentas para manter a produtividade no trabalho em home office Para moradores da Grande São Paulo, outra alternativa é o aplicativo Supermercado Now, também para disponível em Android e iOS. Dedicado exclusivamente para a compra em mercados, possui redes parceiras e permite ao usuário montar a lista mediante a uma taxa de serviço entre R$9,90 e R$17,90. Fazer compras por aplicativos das redes de mercados Além dos aplicativos de entrega, muitas redes populares de supermercados em todo o Brasil disponibilizam apps próprios para compras. Pão de Açúcar (Android e iOS), Carrefour (Android e iOS), Extra (Android e iOS) e Tenda Atacado (Android e iOS) são algumas das redes com softwares próprios. Além de conter ofertas exclusivas das redes, esses aplicativos oferecem a possibilidade de retirar as compras no estabelecimento rapidamente e sem contato direto com muitas pessoas. Algumas das opções do aplicativo Pão de Açúcar Mais: compras do mercado podem ser feitas pelo celular (Foto: Reprodução/André Magalhães) O usuário seleciona a unidade mais próxima e consegue buscar o pedido sem a cobrança de taxa de entrega. É uma maneira de evitar a exposição e contato entre corredores e prateleiras. No entanto, alguns possuem prazo de menos um dia útil para a finalização do pedido. Quais são seus aplicativos favoritos para compras? Comente abaixo! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Boletim oficial: Brasil tem 11 óbitos e 904 infectados pelo novo coronavírus Veja Mais

"Está tudo muito desorganizado", reclama prefeito sobre combate ao coronavírus

O Tempo - Política Para Julvan Lacerda, presidente da Associação Mineira de Municípios, falta uma orientação mais clara do governo federal para que Estados e prefeituras padronizem medidas de restrição Veja Mais

Em meio ao caos, The Killers lança clipe da nova “Caution”

R7 - Música "Imploding The Mirage", novo disco da banda, sai em Maio Veja Mais

Sandy chora durante transmissão de show para fãs em quarentena por causa do coronavírus

G1 Pop & Arte Ela se emocionou enquanto cantava com o marido, Lucas Lima, e falou sobre saudade com o irmão, Junior. Sandy e Lucas Lima em transmissão durante isolamento por causa do coronavírus Reprodução/Instagram/sandyoficial Sandy se emocionou nessa sexta-feira (20) durante uma transmissão no Instagram para fãs que passam por quarentena por causa do novo coronavírus. A apresentação com a presença do marido, Lucas Lima, foi responsável pela abertura do "festival à distância" Música em Casa. A cantora chorou durante o refrão "isso vai passar", da música "Tempo". Ao final, a cantora repetiu o verso e, chamou o irmão, Junior, para uma participação. Os dois compartilharam o que estão fazendo em casa no período de isolamento social, incluindo atividades para distrair os filhos. "Eu não queria fazer esse show assim, mas é o que temos para agora", disse a cantora, depois falar que sentia saudade do irmão. Durante a transmissão, que durou cerca de 40 minutos, Sandy cantou alguns de seus sucessos e conversou um pouco com o público. O Festival Música em Casa reúne transmissões de apresentações de artistas que tiveram que cancelar shows presenciais para evitar a transmissão do vírus. Entre as outras atrações estão Di Ferrero, Atitude 67, Jão, Melim, Vitão, Projota, Léo Santana e Michel Teló. Sandy, Lucas Lima e Junior se emocionam durante transmissão no Instagram Reprodução/Instagram/sandyoficial Veja Mais

Coronavírus | Gal Gadot e outras celebridades cantam 'Imagine' e dividem fãs

Coronavírus | Gal Gadot e outras celebridades cantam 'Imagine' e dividem fãs

canaltech Os tempos de pandemia, assim como nos filmes de zumbi, têm exposto o melhor e o pior do ser humano. Vemos atitudes de todos os tipos, das que nos dão vontade de desistir da humanidade (como a corrida para comprar estoques de papel higiênico) até as de solidariedade coletiva, como ficar em casa para não ser vetor de transmissão. Em meio a essa gama de atitudes, algumas pessoas começam a ter ideias em seus períodos de isolamento. Gal Gadot, Kristen Wiig, Amy Adams, Jamie Dornan e Mark Ruffalo Uma dessas pessoas foi Gal Gadot, que interpreta a Mulher-Maravilha no Universo DC. Em um post no Instagram ela explica sobre a ideia de cantar 'Imagine', música de John Lennon, como uma forma de melhorar o dia das pessoas com arte: -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- “Encontrei este vídeo de um italiano tocando trompete na varanda... Ele estava tocando 'Imagine' e há algo tão poderoso e puro nesse vídeo”, disse Gadot, que resolveu dar sua própria contribuição e chamou um elenco de peso para cantar a música. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! No vídeo, podemos ver Kristen Wiig, Jamie Dornan, Mark Ruffalo, Amy Adams, James Marsden, Will Ferrell, Sia, Labrinth, Pedro Pascal, Zoe Kravitz e outros. Muito distante de uma versão de 'We Are The World' em tempos de coronavírus, o vídeo de Gal Gadot tocou a internet, mas não da forma imaginada. Embora muitos fãs tenham apoiado a iniciativa, os comentários irônicos foram bastante intensos também, sobretudo, porque o resultado da montagem é uma versão Frankenstein da música que conhecemos. Ver essa foto no Instagram We are in this together, we will get through it together. Let’s imagine together. Sing with us ❤ All love to you, from me and my dear friends. #WeAreOne ....... #KristenWiig #JamieDornan @labrinth @james_marsden @sarahkatesilverman @eddiebenjamin @jimmyfallon @natalieportman @zoeisabellakravitz @siamusic @reallyndacarter @amyadams @leslieodomjr @pascalispunk @chrisodowd @hotpatooties #WillFerrell @markruffalo @norahjones @ashleybenson @kaiagerber @caradelevingne @anniemumolo @princesstagramslam Uma publicação compartilhada por Gal Gadot (@gal_gadot) em 18 de Mar, 2020 às 4:49 PDT Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: #DesafioAceito: hashtag volta a aparecer nas redes sociais; entenda SÓ R$ 999 | São 7 dias pra conhecer a Disney em Orlando, com hotel e passagens! PREÇO DESPENCOU | Viaje em 2021 para Cancún com all-inclusive por R$ 1.999 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo SÓ R$ 799! Pacotes para Argentina, Chile, Peru e Colômbia para as férias de 2021 Veja Mais

Coronavírus: pesquisadores do CNPEM buscam 'coquetel' em drogas já conhecidas para inibir replicação do vírus

Glogo - Ciência Cientistas buscam moléculas em analgésicos, anti-hipertensivos, antibióticos e diuréticos que estão no mercado e que podem conter a 'chave' para atacar proteínas essenciais para o ciclo de vida do vírus. Pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas (SP), buscam entre drogas já conhecidas uma espécie de "coquetel" capaz de inibir a replicação do novo coronavírus. A estratégia, semelhante a utilizada no tratamento contra o HIV, avalia a eficácia de moléculas encontradas em cinco fármacos selecionados entre 2 mil substâncias testadas e que podem conter a 'chave' para atacar proteínas essenciais para o ciclo de vida do Covid-19. “A busca por moléculas em medicamentos já autorizados é estratégica. Ao olharmos para substâncias já avaliadas como seguras, podemos chegar aos testes clínicos, com pacientes humanos, em um intervalo de tempo reduzido, se comparado ao processo normal de descoberta de fármacos”, explica Rafael Elias Marques, especialista em virologia do CNPEM. A pré-seleção em análise conta com drogas consideradas promissoras para a missão, e reúne analgésicos, anti-hipertensivos, antibióticos, diuréticos e outros. Um prazo para testes, no entanto, não foi divulgado pela 'Rede Vírus', coordenada pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Covid-19 Fantástico Inteligência artificial Para chegar ao grupo de substâncias promissoras para tentar combater o coronavírus, os cientistas contam com a ajuda de inteligência artificial. Dados atômicos da estrutura e ação das proteínas são inseridos no sistema, que testa virtualmente a interação das drogas com as proteínas-alvo, àquelas que podem interferir na estrutura e combater a infecção. Então, as moléculas promissoras são selecionadas e testadas in vitro, para verificação da eficácia em eliminar a carga viral. Reportagem em atualização Initial plugin text Veja mais notícias da região no G1 Campinas Veja Mais

Tinder libera Passaporte de graça para todos durante a quarentena

Tinder libera Passaporte de graça para todos durante a quarentena

Tecmundo Em meio à pandemia do Coronavírus, que tem feito milhões de pessoas em todo o mundo ficarem isoladas em casa para evitar o contágio da doença, o Tinder decidiu liberar gratuitamente o recurso Passaporte para todos os usuários da plataforma. A ferramenta fica disponível sem custos até o dia 30 de abril.O Passaporte, normalmente oferecido aos assinantes pagos do Tinder Plus e Tinder Gold, permite se conectar com usuários de qualquer canto do planeta, bastando escolher a localidade desejada no mapa para iniciar a busca por “matches”.Leia mais... Veja Mais

Fitch corta ratings de aéreas da América Latina, incluindo Gol e Azul

G1 Economia Agência de classificação de risco atribuiu a decisão ao atual cenário imposto pela pandemia do coronavírus. A agência de classificação de risco Fitch anunciou nesta sexta-feira o corte nos ratings companhias aéreas da América Latina, incluindo os de Gol e Azul, mantendo-os em observação negativa, o que pode implicar reduções adicionais. Em nota, a Fitch atribuiu a decisão ao atual cenário imposto pela pandemia do coronavírus, com forte queda esperada na demanda devido a proibições de viagens, distanciamento social e atividade econômica mais lenta. Fitch corta ratings de aéreas da América Latina Reuters A nota de crédito da Azul caiu em dois degraus, de BB- para B, enquanto a da Gol teve redução de um nível, também para B. "Os rebaixamentos refletem o aumento do risco de crédito como resultado da pandemia de coronavírus, que levará a fluxo de caixa negativo, posições de liquidez diminuídas e balanços mais fracos", afirmou a Fitch no relatório. As notas de Latam Airlines e da Avianca também foram cortadas pela agência. As companhias aéreas da região responderam à crise com reduções de capacidade que variam de 30% a 50% nos mercados domésticos e até 95% nos mercados internacionais. Para a Fitch reduções adicionais de capacidade no Brasil podem acontecer à medida que o vírus se espalhe e sejam impostas medidas mais restritivas que sufocam a demanda. Ainda segundo a Fitch, os cortes de rating levam em conta a expectativa de um período de recuperação lento, a acentuada deterioração do câmbio e o descasamento entre as obrigações de dívida e arrendamento e as receitas geradas pelas operações domésticas. Veja Mais

The Weeknd volta todo oitentista em “After Hours”; ouça o novo disco

R7 - Música Álbum traz algumas sonoridades que remetem a filmes de terror/ficção Veja Mais

Britânicos estão comprando “pints virtuais” para apoiar pubs e casas de shows

R7 - Música Ideia e apoiar pequenos comércios envolvidos com música no Reino Unido na era do Coronavírus Veja Mais

Zema classifica como ‘assassino invisível’ quem não seguir regras do coronavírus

O Tempo - Política Governador do Estado fez declaração a população para tentar evitar contaminações do COVID-19 Veja Mais

Dicas de quarentena: entrevistas com músicos nacionais e vídeo-aulas com Scalene

R7 - Música Confira diversas atividades para você se entreter durante a quarentena do coronavírus Veja Mais

Ele ganha dinheiro hackeando: conheça o pentest

Ele ganha dinheiro hackeando: conheça o pentest

Tecmundo O teste de intrusão, conhecido como 'pentest' ou também traduzido como 'teste de penetração', é um método que avalia a segurança de um sistema de computador ao simular um ataque de uma fonte maliciosa. São várias maneiras de fazer isso acontecer. Estamos falando de ataques via malwares e até ataques físicos, como lock picking.Para falar mais sobre essa profissão e seu mercado aqui no Brasil, o TecMundo Entrevista de hoje (20) traz o analista de segurança (red team) Renato Borbolla. A entrevista traz informações sobre como funciona o pentest, o que estudar para saber tudo sobre a área e como anda o mercado no país.Leia mais... Veja Mais

Shoppings da Multiplan em 4 cidades manterão apenas serviços esssenciais

R7 - Economia SÃO PAULO (Reuters) - A Multiplan anunciou nesta sexta-feira a suspensão temporária das atividades de shopping centers operados pela companhia nas cidades de Canoas (RS), Curitiba (PR), Jundiaí e Ribeirão Preto (SP)."Serviços essenciais à sociedade, tais como supermercados, farmácias e centro médico localizados nestes shopping centers poderão manter o funcionamento", afirmou a Multiplan em fato relevante.None (Por Aluísio Alves) Veja Mais

FMI vê impacto severo de pandemia na economia global, mas crise será temporária

R7 - Economia WASHINGTON (Reuters) - O impacto da pandemia global de coronavírus será "bastante severo", mas um longo período de expansão e altas taxas de emprego mostram que a economia global deveria resistir ao choque atual, disse nesta sexta-feira uma importante autoridade do Fundo Monetário Internacional (FMI).Martin Mühleisen, que chefia o departamento de política e análise estratégica do FMI, disse em um podcast do Fundo que o principal objetivo dos governos deve ser limitar a propagação do vírus de forma a garantir que o choque econômico seja temporário.Ele disse que bancos e governos adotaram medidas sem precedentes para fornecer liquidez aos mercados e mantê-los funcionando "talvez mais do que precisávamos", mas essas medidas devem ser coordenadas internacionalmente para que tenham seus efeitos amplificados."Quanto mais organizadas e coordenadas forem as respostas de saúde a essa crise, mais rapidamente será possível que a confiança retorne", afirmou.Líderes do G7 disseram na semana passada que fariam "o que for preciso" para responder ao surto, mas não forneceram detalhes específicos, o que deixou os mercados instáveis.Líderes das 20 principais economias do mundo (G20) realizarão uma cúpula virtual na próxima semana, mas as divisões do grupo diminuem as esperanças de uma ação coordenada forte, dizem especialistas.O coronavírus já infectou mais de 254.700 pessoas em todo o mundo e matou 10.451. Os esforços para conter a propagação da doença resultaram em severos choques na oferta e na demanda em todo o mundo, atingindo o setor financeiro.Mühleisen disse que as instituições financeiras estão mais resistentes do que antes da crise financeira global de 2008-2009, e o crescimento constante e as altas taxas de emprego devem criar alguns amortecedores."Nesse sentido, a crise chegou em um momento em que esperamos estar preparados para esse tipo de choque", disse ele, embora o impacto ainda seja "bastante severo".Mühleisen disse que o FMI está trabalhando para enfrentar a crise por meio de empréstimos e doações com taxas de juros baixas ou zeradas e está pronto para ajudar os mercados emergentes a lidar com as acentuadas saídas de capital.Os preços das commodities, especialmente a forte queda no barril do petróleo, representam um desafio adicional para muitos países, enquanto ajudam os que importam matérias-primas, disse ele.No entanto, o estrategista disse que a crise destacou a necessidade de que os governos e o setor privado tenham amortecedores suficientes, o que significa que o FMI continuaria a olhar para altos níveis de dívida."É importante que os países ajam de forma responsável e que tenhamos espaço para responder se houver realmente necessidade de uma resposta de políticas públicas no grau que está acontecendo no momento", acrescentou.(Reportagem de Andrea Shalal e David Lawder) Veja Mais

Argentina precisa de alívio 'substancial' na dívida, diz FMI

G1 Economia Equipe do FMI prevê que a Argentina precisará aumentar os gastos públicos para evitar o impacto da pandemia de coronavírus. A Argentina precisa de um alívio substancial dos credores privados em sua reestruturação da dívida e "não existe praticamente nenhum escopo" para pagamentos do serviço da dívida de bonds no médio prazo, informou o Fundo Monetário Internacional (FMI) em um relatório da equipe do Fundo nesta sexta-feira. A dívida pública da Argentina, de quase 90% do Produto Interno Bruto (PIB) no final de 2019, é insustentável, acrescentou o FMI, sinalizando apoio ao governo do país da América Latina, que diz que não pode pagar suas dívidas sem ganhar tempo para retomar o crescimento. Em Buenos Aires, manifestante segura cartaz contra o novo pedido de ajuda da Argentina ao FMI Martin Acosta/Reuters A equipe do FMI previu que a Argentina precisaria aumentar os gastos para evitar o impacto da pandemia de coronavírus, alcançando depois um superávit primário de 0,8% do PIB até 2023, subindo para cerca de 1,3% no longo prazo, disse o documento. A Argentina mergulhou na crise econômica em 2018 e foi forçada a recorrer ao FMI para uma linha de crédito de US$ 57 bilhões. A crise piorou no ano passado com recessão, inflação persistente e um peso em queda. O país - importante produtor de grãos - está em negociações com credores, incluindo o FMI, para renegociar cerca de US$ 110 bilhões em bônus sob leis estrangeiras e linhas de crédito. O relatório do FMI disse que havia vários cenários de reestruturação, incluindo "cortes de valor de face, extensões de vencimento, períodos de carência e cortes nas taxas de juros", que poderiam proporcionar o necessário alívio no fluxo de caixa do país. O texto disse que a Argentina precisa de alívio de fluxo de caixa entre 55 bilhões de dólares e 85 bilhões de dólares na próxima década. "Será necessário um alívio substancial na dívida da Argentina por parte de credores privados para restaurar a sustentabilidade da dívida com alta probabilidade", disse a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva. Um risco importante de curto prazo está relacionado ao forte impacto negativo da atual pandemia global de coronavírus, que pode atingir a Argentina mais do que se pensa atualmente, acrescentou o relatório do FMI. Veja Mais