Meu Feed

Hoje

Quais serão os desafios e pautas de investimentos em TI em 2020?

Quais serão os desafios e pautas de investimentos em TI em 2020?

canaltech *Por Mara Maehara Apesar das turbulências do cenário econômico brasileiro, em 2020, os investimentos globais com TI devem ter uma recuperação acentuada, comprovando que a tecnologia está, de fato, virando protagonista dos processos das empresas na era digital. Segundo projeção do Gartner, os gastos com TI devem ter alta de 3,7% em relação a 2019, quando o aumento estimado era apenas de 0,4%. Com diferentes níveis de maturidade, podemos citar algumas tecnologias que continuarão a ditar as pautas de investimentos e a evolução do mercado em 2020. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A inteligência artificial, que vem sendo aplicada em diferentes tipos de usabilidade na busca de eficiência, dentre outros benefícios; o blockchain, que garante segurança e rastreabilidade; as assistentes virtuais, que estão se popularizando em uso tanto doméstico como profissional; a realidade aumentada, que está cada vez mais presente no segmento de saúde e no varejo de produtos e serviços; e a internet das coisas (IoT), a qual tem sido utilizada para conectar cada vez mais coisas e pessoas Além das tendências tecnológicas citadas acima, um assunto que deve consumir investimentos das empresas é a necessidade de adequação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), cuja vigência prevista para agosto de 2020 pode ser adiada em dois anos. Consultorias para mapeamento de processos, ferramentas para mapeamento de dados, esforço de adequação sistêmico e gastos com escritórios de advocacia são alguns exemplos de contratação que demandará necessidade de investimentos. Desafios das corporações A adequação legal citada, LGPD, soma-se aos demais desafios que já são uma realidade nas empresas hoje. A cultura da agilidade, por exemplo, que deve ser trabalhada na empresa como um todo para garantir entregas adequadas e sustentáveis, visto que uma entrega dificilmente fica limitada apenas a uma determinada área. Outro ponto a considerar é um time de tecnologia muito conectado ao negócio, sem desmerecer o conhecimento técnico atualizado, mas com destreza para aplicar da melhor forma a tecnologia na busca do benefício esperado. Um desafio importante é uma liderança que garanta a devida gestão para manter um time engajado nas entregas. E por falar em times, novas capacidades e habilidades das equipes também serão exigidas pelo mercado. Em um momento em que as empresas ajustam seu negócio às mudanças comportamentais, econômicas e sociais, a busca por agilidade tem provocado o surgimento de times multidisciplinares, onde profissionais das áreas de negócio e técnicas precisam trabalhar juntos. Este cenário exige habilidades e competências que viabilizem a colaboração e o engajamento dos times. Flexibilidade, capacidade de adaptação e relacionamento interpessoal são algumas delas que farão diferença no resultado final. Fica como recomendação para o planejamento de 2020 a definição de critérios maduros para guiar onde priorizar o investimento, nunca esquecendo da segurança e a busca pela estabilidade operacional. *Mara Maehara é CIO da TOTVS Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 As 10 séries mais assistidas de 2019 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Veja Mais

Últimos dias

Google Play: saiba tudo sobre a loja de apps

Google Play: saiba tudo sobre a loja de apps

canaltech Você já ouviu falar do Android Market? Se você respondeu sim, então provavelmente seu primeiro celular com Android foi adquirido há bastante tempo. Agora, se este nome não é familiar para você, não se preocupe. Preparamos um artigo especial com todos os detalhes que marcaram a trajetória do Google Play, antigo Android Market, a maior loja de apps para celulares da história. Veja a seguir. Desativou a Google Play sem querer? Saiba como recuperar o ícone no Android Android Market para Google Play O Android Market nasceu junto com os primeiros celulares Android que foram lançados no decorrer de 2008. Hoje, com 11 anos de vida, a loja coleciona altos e baixos, que vão desde números impressionantes de downloads até problemas de segurança relacionados com aplicações maliciosas. Diferente do Android, que é um sistema de código-aberto e que pode ser acessado e desenvolvido por qualquer empresa ou usuário avançado, o Google Play só é instalado em celulares certificados, que são homologados pelo próprio Google. Isso é necessário pois a loja tem conteúdo original e também pago, o que requer alguns cuidados com segurança e uso de informações, sobretudo em plataformas que processam pagamentos. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Evolução dos ícones da loja: do Android Market, em 2008, até Google Play em 2019 O Android Market durou cinco anos, sendo substituído, em 2012, pela marca Play Store, que mais tarde foi rebatizada de Google Play. A mudança de nome foi necessária para atender a nova estratégia do Google de oferecer produtos que vão além dos celulares Android e estão em outras plataformas, como computadores e Smart TVs, por exemplo. Assim, o Google Play se tornou uma loja mais ampla que hoje está presente em milhares de outros aparelhos. Em 2012, contudo, a loja centralizava apenas duas outras categorias: Google Music (depois rebatizado de Play Música) e Google eBookstore (depois, Play Livros). Outras foram incorporadas ao longo dos últimos anos, como o Google Play Filmes e o Play Banca. Controversas do Google Play Atualmente, o Google Play é a maior loja de aplicativos para celulares, sendo também a maior em número de opções grátis (comparando com a App Store). Com grandes números, grandes responsabilidades e desafios chegaram, e foi questão de tempo até que os problemas começassem a bater na porta do Google. Logo, a Play Store também é considerada como a loja menos segura e com o maior número de apps maliciosos em circulação quando comparada a App Store (Apple). Isso se deve a política pouco eficiente de homologação de aplicativos e jogos hospedados para avaliação por centenas de desenvolvedores. Casos de roubo de dados e de mineração de criptomoedas sem o conhecimento do usuário se tornaram populares entre os anos de 2016 e 2018. Visual do Google Play até 2018 Além de otimizar seus protocolos de segurança com o passar do tempo, o Google embutiu no Google Play o Play Protect, que nada mais é do que um antivírus que escaneia o conteúdo que está dentro da loja e que pode ser baixado por todos os usuários. O sistema Android também teve seu sistema de permissões otimizado para que o usuário consiga controlar os acessos que são fornecidos a apps instalados. Google Play em números O Google Play tem números expressivos e passou por mudanças que marcaram seus usuários em vários sentidos. Eles são: São 3,6 milhões de aplicativos disponíveis até 2018; Google Play é, atualmente, quase 70% maior que a App Store; Em 2015, 3,15% dos apps do Google Play tinham comportamento malicioso; Só em 2017, 17,5 mil apps migraram do iOS para o Android; O Google Play chegou ao sistema Chrome OS em 2016; Na China, atualmente, não há celulares Android com Google Play instalada; Em 2015, o Google Play recebia 6 bilhões de denúncias de apps fraudulentos por dia dos usuários; O Brasil fechou 2017 na quinta posição no ranking dos países que mais desenvolvem aplicativos para o Google Play; O aplicativo mais baixado na história do Google Play é o WhatsApp; O jogo mais baixado de todos os tempos é o "Pou", que desbancou o reinado de anos no topo do Subway Surfers em 2017. Você conhecia todos esses números e curiosidades sobre a Google Play? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Veja Mais

Sony revela data do último State of Play de 2019

Sony revela data do último State of Play de 2019

canaltech Nesta sexta-feira (6), a Sony revelou a data do último evento State of Play de 2019, que irá acontecer na próxima terça-feira, dia 10 de dezembro, às 11h da manhã (horário de Brasília). A Sony promete uma transmissão de vinte minutos onde serão anunciados novos jogos, imagens de gameplay e datas de lançamentos de alguns títulos. Um dos maiores rumores para o que deve aparecer nessa transmissão é a confirmação de Resident Evil 3 Remake. Isso porque as primeiras imagens do jogo já vazaram na PlayStation Network no começo desta semana, então faz sentido que o game seja anunciado durante o State of Play - principalmente porque Jeff Knightley já confirmou que o título não é um dos que serão revelados durante a The Game Awards. Outro jogo que pode fazer sua aparição nessa transmissão é Ghosts of Tsushima, o jogo de samurai da Sucker Punch, que foi anunciado durante a E3 do ano passado e desde então tem sido escondido pela Sony. Como já sabemos as datas de lançamento de Final Fantasy VII Remake e de The Last of Us Part II, Ghosts of Tsushima é o único grande exclusivo para o PS4 que ainda não tem uma data de lançamento definida, então é bem possível que ele seja um dos anúncios da transmissão de terça-feira. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A única certeza confirmada pela própria Sony é que este evento ainda não trará nada relativo ao PlayStation 5, então só deveremos ver os primeiros jogos feitos para o próximo console da empresa a partir de 2020. Para quem quiser acompanhar o State of Play do dia 10, o evento será transmitido ao vivo pelos perfis PlayStation no YouTube, Twitch, Twitter e Facebook. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Veja Mais

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12)

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12)

canaltech O fim de semana chegou e apesar de a essa altura do mês muita gente estar com a conta bancária no azul, há quem prefira ir apenas ao cinema conferir as estreias ou até mesmo ficar em casa para assistir as novidades da Netflix. Mas é possível que nenhuma das duas coisas agradem e a saída é recorrer a serviços de streaming concorrentes e até plataformas de vídeo sob demanda, como Play Store, iTunes e Looke. Se você está nessa situação, calma que vai dar bom. Todo sábado o Canaltech prepara uma lista com os melhores lançamentos de filmes e séries para você assistir online, do conforto da sua casa e sem complicação. Normalmente esta lista tem filmes novos, alguns até recém-saídos do cinema, para fazer a alegria da galera: e é justamente isso o que acontece hoje. Estão listados aqui a maior bilheteria da história do cinema, que agora pode ser assistida de graça, e filmes de personagens e sagas consagrados, que todo mundo conhece ou pelo menos já ouviu falar. Também tem espaço para filme europeu, de terror e duas séries que não estão tão assim sob os holofotes, mas que certamente merecem um confere. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Ficou curioso e quer saber quais filmes selecionamos para você assistir nesse feriadão? Então confira a lista completa logo a seguir. Todas as produções vêm acompanhadas de seus respectivos trailers, sinopses e links para assistir online; dessa forma sua única preocupação será escolher o filme ou série que mais lhe agrada, clicar e apertar o play. Dê uma olhada, divirta-se e depois conta para gente o que achou na caixa de comentários ali embaixo. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Vingadores: Ultimato   Se antes a desculpa era o preço do ingresso no cinema ou o preço do filme nos serviços de vídeo sob demanda, agora isso acabou. Vingadores: Ultimato finalmente está disponível para streaming! A maior bilheteria da história do cinema coloca um ponto final na Saga do Infinito e no combate dos protetores da Terra e Thanos, o Titã Louco que estalou os dedos e varreu metade de toda a vida do universo. Agora caberá ao Homem de Ferro, Capitã América e companhia desfazer as ações do vilão e restaurar a ordem. Vingadores: Ultimato pode ser assistido por todos os assinantes do Amazon Prime Video, além de estar disponível para aluguel no Claro Video, Play Store, iTunes e Microsoft Store. Rambo: Até o Fim   Praticamente recém-saído dos cinemas: Rambo: Até o Fim traz de volta um dos mais icônicos personagens dos filmes de ação dos anos 1980 interpretado por Sylvester Stallone. Agora, ele vive uma vida tranquilo na fronteira entre os Estados Unidos e o México, onde ajuda uma mulher a criar a neta. Decidida a encontrar o pai que a abandonou quando ainda era criança, a jovem foge para o país vizinho e acaba vendida para o cartel mexicano. Com sangue nos olhos, Rambo decide ir até o México para salvá-la e conseguir vingança. Rambo: Até o Fim por enquanto está disponível apenas para compra no iTunes. Rogue One: Uma História Star Wars   Aproveitando que estamos cada vez mais próximo da estreia de Star Wars: A Ascensão Skywalker, muitos serviços de streaming e vídeo sob demanda estão trazendo para seus catálogos produções da saga criada por George Lucas. Nesta semana o contemplado da vez foi Rogue One: Uma História Star Wars. A trama se passa antes dos eventos de Uma Nova Esperança e conta a história de heróis improváveis que se unem para roubar os planos da temida Estrela da Morte. Embora os fãs já saibam como isso termina, o filme cativa e prende a atenção do espectador por mostrar que um grupo de "pessoas quaisqueres" também podem ser heroínas e mudar o curso da História. Rogue One: Uma História Star Wars está disponível para quem é assinante do Telecine, também podendo ser comprado no iTunes, PlayStation Store, Play Store e Microsoft Store. Na Mira do Atirador   Com elenco pequenino, de apenas três pessoas, Na Mira do Atirador consegue algo que poucos filmes hoje em dia fazem: tirar o fôlego do espectador. Em pleno campo de batalha, dois soldados americanos descobrem que estão na mira de um atirador iraquiano. Eles não sabem onde o inimigo se esconde, nem podem se comunicar um com o outro, já que o adversário está interceptando suas conversas via rádio comunicador. Exposto no campo de batalha ou atrás de uma pequena parede de pedra, eles terão de contornar suas poucas chances para encontrar uma maneira de sair vivos. Na Mira do Atirador está disponível para todos os assinantes do Amazon Prime Video. A Vida Secreta dos Casais   Série nacional produzida pela HBO, A Vida Secreta dos Casais conta a história da sexóloga Sofia (Bruna Lombardi), que vê sua vida virar de cabeça para baixo depois que uma relação com um paciente a coloca na mira de uma investigação. Agora ela vai ter de defender seus segredos enquanto um mistério atrai suas suspeitas. Pouco a pouco ela vê as aparências das relações interpessoais e dos poderes privados serem desfeitos. A Vida Secreta dos Casais tem duas temporadas e recebe novos episódios semanalmente no HBO GO. O Canaltech conversou com o diretor Kim Riccelli para saber mais sobre a atuação de hackers na trama e como ela está ligada a tudo o que acontece aqui na vida real. Siren   Apostando em ficção científica para construir um clima de suspense e mistério, Siren retrata a vida na cidade costeira de Bristol Cove. O local é conhecido por sua lenda de abrigar sereias, mas fica de cabeça para baixo quando uma jovem misteriosa (Eline Powell) aparece e começa a destruir tudo para procurar sua irmã capturada (Sibongile Mlambo). Agora cabe a dois biólogos marinhos (Alex Roe e Fola Evans-Akingbola) descobrirem quem e o que levou essa criatura a surgir do fundo do mar assim repentinamente. Siren tem duas temporadas, todas disponíveis para os assinantes do Claro Video. A Bela e a Fera   Aproveitando que estamos falando de criaturas fantásticas, esta semana marcou o retorno de A Bela e a Fera ao catálogo de vários serviços de VOD e streaming. Quem cresceu nos anos 1990 já sabe da história de cor e provavelmente assistiu à animação original de 1991. Como um bom remake em live-action, a produção estrelada por Emma Watson e Dan Stevens segue à risca a trama, mas moderniza as personagens para o público contemporâneo, que verá Bela, uma jovem brilhante, bonita e independente, ser aprisionada por uma Fera em seu castelo. Apesar de seus receios, ela se torna amiga dos empregados encantados do local e consegue enxergar a verdadeira personalidade da criatura. A Bela e a Fera está disponível para streaming no Telecine, além de constar no catálogo da PlayStation Store, Play Store, iTunes e Microsoft Store para compra. Boneco do Mal   O título é bizarro, e até risível, mas não despreza Boneco do Mal: ele vai fazer você se borrar, nem que seja de leve. A história é a seguinte: Greta (Lauren Cohan) aceita trabalhar como babá em uma pequena vila na Inglaterra. Porém, o garoto de oito anos de quem ela tem de cuidar é, na verdade, um boneco tido pelo casal como se fosse um menino de verdade para lidar com o trauma da morte do filho ocorrida 20 anos atrás. Greta recebe uma lista de regras para cuidar do "rapaz", mas não a segue com seriedade e uma série de eventos inexplicáveis transformam a vida dela em um inferno. Prepare a cruz, o alho e água benta, pois Boneco do Mal pode ser assistido no HBO GO ou comprado e alugado na Play Store, Claro Video e iTunes. Trilogia clássica – Batman   Há quem adore, há quem odeie — e até quem despreze. Independentemente disso, filmes do Batman nunca são demais e ver a trilogia clássica da década de 1980 e 1990 disponível para assistir online é um verdadeiro presente para os fãs do Maior Detetive do Mundo. Batman, Batman Eternamente e Batman: O Retorno estão todos disponíveis para streaming, aluguel e compra nesta semana, sendo a oportunidade ideal para rever, ou até mesmo quem sabe assistir pela primeira vez, os filmes que abriram portas para uma nova leva de filmes de super-heróis nos cinemas e na TV. Batman pode ser assistido pelos assinantes do HBO GO ou ainda comprado ou alugado na Play Store, Looke, Microsoft Store e iTunes. Batman Eternamente, por sua vez, pode ser conferido diretamente no HBO GO, ou no catalogo de aluguel e compra da PlayStation Store, Play Store, Microsoft Store e iTunes. Por fim, Batman: O Retorno está disponível no HBO GO para streaming, ou ainda na PlayStation Store, Looke e iTunes para aluguel e compra. Cosmópolis   Aproveitando que estamos falando de Batman, vamos falar de Robert Pattinson. O ator escalado para ser o novo Batman deixou muita gente descontente justamente por ser lembrado em seu papel em Crepúsculo. Porém, muitos dizem que a escolha pode dar certo, sobretudo porque Pattinson evoluiu muito como ator e seria capaz, sim, de assumir o manto negro do Cavaleiro das Trevas. Uma prova disso pode ser vista, por exemplo, em Cosmópolis, filme europeu que traz o ator no papel de Eric Packer, um milionário egocêntrico que um dia acordou com uma obsessão: cortar o cabelo em um barbeiro localizado no outro lado de Nova York. Em sua limusine, agora ele terá de cortar toda cidade e descobrirá uma ameaça a seu império a cada quilometro percorrido, em 24 horas decisivas que podem mudar a sua vida. Cosmópolis pode ser assistido por todos os assinantes do Amazon Prime Video, Telecine e Globoplay. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Nada de iPhone SE 2: iPhone 9 será o nome oficial do aparelho, diz site Veja Mais

CT News - 06/12/2019 (Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil)

CT News - 06/12/2019 (Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil)

canaltech Na edição desta sexta-feira do CT News: as 10 séries mais assistidas de 2019, Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, Uber lança relatório nos EUA sobre segurança e agressão sexual, Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho e mais Ouça ao podcast. Veja Mais

Galaxy Tab A 8.0 2019: o tablet "bom, bonito e barato" em promoção por R$ 616

Galaxy Tab A 8.0 2019: o tablet

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Esta matéria é fruto de uma parceria com o Magazine Luiza e traz uma oferta especial para os leitores do Canaltech. Saiba tudo sobre a loja Magazine Você no vídeo que gravamos na sede do Magalu:   O Galaxy Tab A é fino, compacto e realmente portátil. Se você precisa de tudo isso, e gosta de design elegante e bom desempenho, encontrou o dispositivo ideal. Com tela de 8 polegadas, este modelo é ótimo para assistir vídeos, navegar na internet e jogar. E você pode aproveitar uma oferta no Magazine Luiza para comprar o seu com um preço muito especial. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Sobre o Galaxy Tab  Lançado em julho deste ano, o tablet da Samsung tem processador de quatro núcleos e 32 GB de armazenamento. Você pode navegar na internet e assistir conteúdo em streaming via conexão Wi-Fi, ou você pode escolher a opção com suporte a 4G e colocar um chip de operadora para usar em qualquer lugar. Ele ainda conta com câmera de 8 MP e frontal de 2 MP para o caso de você fazer videochamadas. E o Tab A já roda o Android 9 Pie. Mas o grande destaque é a bateria. São 5.100 mAh, o que é bastante para um modelo com tela de 8 polegadas com resolução de 1280 x 800 pixels. A fabricante calcula a duração em cerca de 10 horas, o que pode variar de acordo com o tipo de uso. Se a sua busca por um tablet pequeno, leve e atual, o Galaxy Tab A atende às suas necessidades. É fácil de segurar com uma mão, e pesa apenas 345 gramas. Preço promocional Você pode garantir o seu Galaxy Tab A na promoção do Magazine Luiza por R$ 615,51 à vista ou R$ 647,90 em 10x de R$ 64,79 sem juros na versão Wi-Fi. Se preferir a versão com redes móveis 4G, ele sai R$ 694,36 à vista ou R$ 730,90 em 10x de R$ 73,09 sem juros. E nem precisa pagar frete: dá para escolher retirar em uma loja perto da sua casa! É só selecionar esta opção ao finalizar o pedido. Menor preço, mesmo! Como você pode conferir na imagem abaixo, o preço do Magazine é o menor preço entre os varejistas da Internet. Então não perca tempo e garanta um novo tablet para chamar de seu! *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. O que é o Magazine Você? Acessou os links e não entendeu o que é o Magazine Você? Trata-se do canal de divulgação das ofertas do site Magazine Luiza, conforme consta em comunicado oficial. Somos um dos parceiros oficiais de divulgação e nossa loja chama-se Magazine Canaltechbr. Todo o processo de cobrança, faturamento e logística é feito pelo próprio Magazine Luiza que, além do site, possui mais de 800 lojas físicas espalhadas pelo Brasil. Uma dúvida comum de nossos leitores é o motivo dos preços em nossa loja serem muitas vezes diferentes dos anunciados no site principal do Magazine Luiza. O motivo é que o Magazine Você recebe ofertas exclusivas que não são divulgadas no site principal. Então aproveite as promoções e acesse nossa loja para garantir ofertas exclusivas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Veja Mais

Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei

Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei

canaltech O ano de 2019 está chegando ao fim, mas as fabricantes de smartphones do Brasil ainda estão a todo vapor nas preparações dos próximos lançamentos. Recentemente, três novos modelos foram homologados na Anatel, sendo um da Motorola, um da Xiaomi e outro da Huawei, que recentemente confirmou que pode lançar novos aparelhos por aqui. Começando com a Motorola, não é nada muito espetacular. Na verdade, é um modelo já anunciado: o Razr 2019. Já sabemos que o dispositivo chega às lojas brasileiras em janeiro, apesar de ainda não termos data exata e nem preço. A comercialização do modelo já está liberada em solo nacional. Certificado do Motorola Razr (Imagem: Reprodução/Anatel) O dobrável da Motorola, cujo código do modelo é XT-2000-2, é altamente aguardado por muitos brasileiros, nostálgicos com a lembrança do Razr V3, um dos celulares flip mais populares do mundo. O smartphone com tela dobrável tem tela interna de 6,2 polegadas e uma externa de 2,7 polegadas e roda com o Snapdragon 710. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mi Note 10 Mi Note 10 é o lançamento mais recente da Xiaomi (Foto: Divulgação) Já a Xiaomi teve dois modelos passando por homologação ao mesmo tempo. Na verdade, trata-se de duas versões de um mesmo aparelho: O Mi Note 10 e o Mi Note 10 Pro. Há poucas diferenças entre eles. O primeiro tem código M1910F4G, enquanto o segundo é M1910F4S. Especificações são as mesmas em ambos, tirando alguns detalhes. O Mi Note 10, que é a versão global do Mi CC9, tem tela de 6,47 polegadas com leitor de digitais, chipset Snapdragon 730G e câmera quíntupla na traseira, com o sensor principal de 108 MP. Homologação dos Mi Note 10 no Brasil (Imagem: Reprodução/Anatel) O Mi Note 10 Pro, que na China é chamado Mi CC9 Pro Premium Edition, tem mais memória RAM e uma diferença na lente da câmera principal. Mantém a ultrawide, telefoto, macro e um sensor para modo retrato, além da bateria de 5.260 mAh com recarga rápida de 30 W comuns ao outro modelo. Novo P30 Lite E para fechar, temos uma novidade da Huawei na lista de homologação da Anatel. A companhia, que ainda não abandonou o Brasil como mercado para seus smartphones, pode trazer um novo modelo do P30 lite às lojas brasileiras. De diferente para o modelo que foi anunciado e está à venda desde o primeiro semestre, aparentemente só a câmera, que sobe de 24 MP para 48 MP. Fotos do novoP30 Lite: é quase possível ler que a câmera tem 48 MP (Foto: Reprodução/Anatel) O modelo novo é o MAR-LX3Bm, enquanto o que está à venda é o MAR-LX3A. A Huawei não comentou sobre a intenção de fazer um upgrade no P30 Lite disponível para o público brasileiro, mas parece que estava planejando a surpresa. Resta aguardar o anúncio oficial. Isso, claro, se é que realmente vai ter. O fato de um modelo estar homologado na Anatel não significa que ele será vendido no Brasil, mas apenas que está autorizada a sua comercialização. Se vai realmente chegar às prateleiras é opção da fabricante. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Galaxy S10 começa a receber atualização para o Android 10 no Brasil Veja Mais

China está coletando DNA de muçulmanos para fazer mapeamento de rostos

China está coletando DNA de muçulmanos para fazer mapeamento de rostos

canaltech A China está conduzindo um experimento genético um tanto quanto perturbador com a população muçulmana e uigures, um grupo étnico turco que vive na Ásia Central, ambos altamente perseguidos. O projeto se trata de uma tentativa de mapear os rostos das pessoas de forma digital, baseando-se em seu código genético coletado em amostras de sangue. De acordo com informações do The New York Times, pelo menos meio milhão de muçulmanos e outras minorias estão em campo de detenção, sendo usados para que o país teste novas técnicas de vigilância em massa, incluindo esse novo experimento. Lá, muitos deles não têm escolha e são praticamente obrigados a passarem pela retirada de sangue para atualizar sua ficha médica. O caso está acontecendo na cidade de Tumxuk, que faz parte de Xinjiang. Imagem: Reprodução/The New York Times O projeto, por mais assustador que possa parecer, vem ganhando apoio internacional, principalmente de cientistas e agências europeias, que estão investindo financeiramente nos experimentos. Os Estados Unidos, no entanto, criticam as práticas de programas anti-muçulmanos há bastante tempo, mesmo que estejam na lista dos países que estudam o reconhecimento facial. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A China vem se mostrando bastante empenhada no desenvolvimento da tecnologia de reconhecimento facial, chegando até mesmo a criar uma câmera de 500 MP capaz de reconhecer centenas de pessoas em uma multidão. De acordo com imagens de visitantes do local, é possível ver a destruição da habitação desses povos, que são levados a campos de concentração para uma "reeducação". O perigo desse experimento ser conduzido com minorias é o aumento da discriminação, visto que o sistema de reconhecimento facial pode identificar a etnia de pessoas em grandes aglomerações, classificando grupos e manifestantes religiosos ou políticos como criminosos.     Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Veja Mais

Facebook processa empresa que exibia anúncios fraudulentos na rede social

Facebook processa empresa que exibia anúncios fraudulentos na rede social

canaltech O Facebook está processando uma empresa sediada em Hong Kong e seus dois proprietários chineses por usarem anúncios na própria rede social em uma tentativa de roubar contas de usuários. A companhia usava fotos de celebridades e ofertava produtos contrabandeados e pílulas de emagrecimento, levando os interessados a sites nos quais malwares eram instalados para obtenção de dados. O processo foi aberto em uma corte do estado americano da Califórnia e cita a ILikeAd Media International Company como responsável pela compra dos anúncios, bem como os chineses Chen Xiao Cong, que seria o responsável pelo desenvolvimento do malware, e Huang Tao, que cuidaria de sua distribuição e das táticas para levar à instalação. O esquema, segundo o Facebook, estaria em andamento desde o final de 2018. De acordo com a ação, a praga acompanhava outros aplicativos com downloads intencionais ou não, a partir dos sites comprometidos. Uma vez instalado no computador, o malware permanecia adormecido e esperando o usuário acessar o Facebook para roubar as credenciais de sua conta e criar novos anúncios em nome destes usuários, aumentando assim a amplitude das propagandas e também o alcance regional delas. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Além disso, os responsáveis pela operação são acusados de utilizarem técnicas para burlar o sistema de análise automática de anúncios do Facebook, usando páginas de destino que, alguns segundos depois de acessadas, redirecionavam os usuários para o site contendo os malwares. Assim, afirma a rede social, o sistema acreditava que tudo estaria certo e aprovava as propagandas para serem exibidas. Em comunicado, a rede social afirma que o processo é uma maneira de fazer com que os responsáveis por crimes e atividades ilegais que utilizem a infraestrutura do Facebook sofram consequências que sigam além do simples bloqueios de suas contas. Para a empresa, apenas impedir o acesso deles não é suficiente, principalmente no caso de uma operação de malware que afetou milhares de pessoas em diferentes países, como é o caso do alvo atual do processo. O Facebook informou também que emitiu reembolsos para os usuários afetados pela praga e que tiveram anúncios irregulares veiculados em seu nome. Agora, ela busca compensação e também a responsabilização dos criminosos, mas sem revelar o valor da ação — ela teria, entretanto, pago US$ 4 milhões às vítimas. Ainda, o processo seria apenas um entre uma série de outros que a companhia estuda mover contra golpistas que utilizam o Facebook como vetor. Uma segunda ação está sendo analisada contra uma empresa americana chamada Ads Inc., que teria liderado um esquema de US$ 50 milhões em anúncios veiculados usando perfis roubados ou falsos, levando os usuários a páginas de vendas de produtos importados que visavam o roubo de suas informações bancárias. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) As 10 séries mais assistidas de 2019 Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Veja Mais

Brasil pode ter de escolher entre acordo de Alcântara com EUA ou 5G chinês

Brasil pode ter de escolher entre acordo de Alcântara com EUA ou 5G chinês

canaltech Brasil e Estados Unidos assinaram um acordo em março de 2019 que libera a base de Alcântara, no Maranhão, para os americanos fazerem alguns lançamentos ao espaço. Porém, apesar de firmado e até aprovado pelo legislativo brasileiro, o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas (AST) pode estar sob ameaça de ser suspenso. De acordo com reportagem do site HuffPost, os EUA teriam ameaçado desistir do AST caso a China participe do leilão do 5G brasileiro, programado para o segundo semestre de 2020. Os americanos estão em guerra comercial com os chineses e alegam que a rede 5G poderia permitir ao país oriental espionar o que acontece em Alcântara. Oficialmente, tanto a embaixada norte-americana quanto o brigadeiro do ar brasileiro Rogério Veríssimo negam a informação. Mas a publicação mantém a versão, de acordo com informações que diz ter recebido de diplomatas e interlocutores do governo, além de pessoas em Washington. E isso mesmo depois de negativa oficial da embaixada dos EUA, via Twitter. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Qualquer reportagem citando que os EUA cancelarão o Acordo de Salvaguarda de Tecnologia (AST) @TSA, como publicado no HuffPost Brasil, é falsa. — Embaixada EUA Brasil (@EmbaixadaEUA) December 4, 2019 “Não há a menor chance de o AST ser prejudicado por conta da China. Fake news. AST já está aprovado por lei”, garantiu Veríssimo, também negando a informação no lado brasileiro. O acordo foi assinado pelo Senado no último dia 12. A ameaça de cancelamento do acordo teria sido feita via advertência por escrito, segundo as fontes da publicação. Apesar da afirmação de Veríssimo sobre o acordo que poderia render cerca de US$ 10 bilhões (cerca de R$ 41 bilhões) por ano com aluguel da base de Alcântara aos EUA, há uma cláusula no contrato que prevê ajustes e até o cancelamento do mesmo. Diz o artigo IX: “As Partes deverão entrar em consultas, por solicitação de uma das Partes, para avaliar a implementação deste Acordo, com particular ênfase na identificação de qualquer ajuste que possa ser necessário para manter a efetividade dos controles sobre a transferência de tecnologia.” Tecnologias sensíveis A base de Alcântara, no Maranhão(Foto: AEB) A proteção de tecnologias é o assunto mais sensível para os americanos. Há diversas cláusulas no contrato - além do citado artigo IX - que tratam disso. A corrida espacial não terminou com o fim da União Soviética e tem se intensificado, inclusive com a China entrando no páreo agora. O AST prevê várias normas de circulação de funcionários brasileiros na base, permitindo apenas que pessoas credenciadas por ambos os governos possam entrar ou sair do local. A guerra EUA x China é conhecida pelo fã de tecnologia e vai além da confusão com a Huawei. Com a aproximação de Jair Bolsonaro e Xi Jinping durante a cúpula dos Brics, em meados de novembro, o governo americano teria enviado uma mensagem ameaçando suspender o AST. A mensagem com a ameaça da suspensão foi enviada de maneira informal pela diplomacia dos EUA à brasileira dias após a realização da cúpula dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), realizada em Brasília em meados de novembro. E o recente boicote ao aço brasileiro, anunciado por Donald Trump na última semana, acendeu um alerta de que a proximidade do presidente brasileiro com o americano pode não ser suficiente para evitar retaliações dos EUA. 5G mais barato O problema é que o 5G chinês oferece os pacotes mais baratos comparando com concorrentes como Ericsson e Samsung. A Huawei tem parceria de longa data com as operadoras brasileiras, e a implementação da tecnologia de dados móveis mais veloz e com menos latência poderia, teoricamente, ser mais rápida caso os chineses vençam o leilão do ano que vem. Se a ameaça americana for real, o Brasil pode estar, como se diz popularmente, entre a cruz e a espada: ou desagrada um país que considera grande aliado ou outro, do qual tem se aproximado e já negocia exportações e outras parcerias. Afinal, claro, se a China ficar de fora do leilão do 5G, provavelmente não deixará barato para o governo brasileiro. Por enquanto, apenas Austrália, Nova Zelândia, Japão e Vietnã cederam às pressões dos EUA e boicotaram os chineses de seus respectivos leilões 5G. Há informações de que o Brasil poderia permitir a participação chinesa e incluir cláusulas que dificultariam a vitória de alguma empresa do país oriental. O leilão do 5G brasileiro está previsto para o segundo semestre de 2020. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12)

Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12)

canaltech Novembro finalmente ficou para trás e isso significa que uma grande quantidade de filmes e séries entraram para o catálogo da Netflix. Toda virada de mês o serviço de streaming mais popular do mundo ganha muitas novidades e, embora nem sempre elas sejam das melhores, faz a alegria da galera. Então, se você está planejando passar esse fim de semana em casa curtindo todos os lançamentos da plataforma, certamente terá muita coisa para assistir. Nesta semana filmes e séries estão bem equilibrados, dividindo bem os destaques na programação da Netflix. Em matéria de filme, a principal adição foi o drama comovente História de um Casamento. Produzido pela Netflix e estrelado por Scarlett Johansson e Adam Driver, o filme conta a história de um casal que está passando por muitos problemas e decide se separar. Os dois concordam em não contratar advogados, mas ela decide mudar de ideia depois de ouvir a opinião de uma especialista. Pego de surpresa, agora ele precisa encontrar um advogado para tratar da custódia do filho. Também produzido pela Netflix, Let's Dance promete prender a atenção de quem é fã de música e, sobretudo, dança. Na história, que mistura bem drama e romance, um dançarino de hip-hop, inseguro, mas cheio de talento, se torna professor de uma famosa escola de balé de Paris, onde acaba se apaixonando por uma aluna. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- O terceiro filme que merece destaque é um velho conhecido de quem acompanha o Canaltech: Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal. Curiosamente, o filme biográfico baseado na vida do serial killer Ted Bundy, interpretado por Zac Efron, já estava disponível na Netflix gringa há muito tempo; no Brasil, o longa passou pelos cinemas e chegou a serviços concorrentes, mas só agora está disponível para os assinantes brasileiros. De toda forma, o filme é curioso e mantém o espectador preso à trama e à psique de um dos assassinos mais perigosos de todos os tempos do começo ao fim.   Leia também: Crítica | A Irresistível Face do Mal e um assassino do nosso lado Aproveitando a deixa do serial killer, também estreou nesta semana a minissérie O Assassino Confesso, que consta a história de Henry Lee Lucas. Ele ficou famoso depois de confessar centenas de assassinatos, o que acabou levantando uma dúvida intrigante: a polícia conseguiu a confissão, mas será que realmente conseguiu capturar o assassino? Cabe a você descobrir nos cinco episódios que compõem a série documental. Igualmente intrigante, mas sem nenhum pé na realidade, Apocalipse V é outra série da Netflix que lançou nesta semana. Estrelada por Ian Somerhalder, o eterno Damon de The Vampire Diaries, a atração se passa numa cidade onde uma misteriosa doença transforma suas vítimas em criaturas sanguinárias. Agora o destino da humanidade está nas mãos de dois amigos, que estão em lados opostos nessa história. Para fechar, uma série dramática baseada na história real de vida de Carlos Tevez, o jogador de futebol que fez história por onde passou, inclusive o Corinthians. Apache: A Vida de Carlos Tevez é uma dramatização da vida do atleta e mostra sua ascensão, da infância pobre em Fuerte Apache, na Argentina, até o estrelado nos campos de futebol. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Não curtiu as dicas do que assistir na Netflix que o Canaltech separou para você? Não tem problema. Logo a seguir você confere a lista completa com todos os filmes, séries e episódios que entraram e saíram do catálogo do serviço de streaming. Dê uma olhada, veja o que mais lhe agrada e boa diversão!   30/11 Chocolate: 1ª Temporada The Crime: 1ª Temporada Guatemala: Coração do mundo Maia The Zoya Factor Candy Online (13 episódios, 5 novos) Para Sempre Camélia (20 episódios, 2 novos) 01/12 60 Dias Infiltrados na Prisão: 1ª Temporada A Maldição de Oak Island: 1ª Temporada Casos Arquivados: 1ª Temporada DC Super Hero Girls: 1ª Temporada Intervention: 1ª Temporada O Grande Gonzalez: 1ª Temporada O Universo: 1ª Temporada Se liga na real: 1ª Temporada Sonic X: 1ª Temporada Space Jungle: 1ª Temporada Suits Coreia: 1ª Temporada The Rap Game: 1ª Temporada À Procura da Felicidade Ariya Jutanugam - Uma Tacada de Sucesso Belas e Perseguidas Bud - O cão amigo Bud 3 - Jogando futebol Bud: Uma Nova Cãofusão Cegos, Surdos e Loucos Dead Kids Debi & Lóide - Dois Idiotas em Apuros Entrevista com o vampiro Êxodo das Almas Homem-aranha 3 Luzes, Câmera, Kung Fu Missão: Impossível - Protocolo Fantasma My Little Pony: O Melhor Presente de Todos Nekfeu - Estrelas Errantes O Natal de Cinderela Passageiros Poltergeist: O Fenômeno Pup Star Pup Star: Feliz Natal Pup Star: Junto é Melhor Pup Star: Turnê Mundial Resident Evil 5 – Retribuição A Rainha do Sul (39 episódios, 13 novos) Chocolate (2 episódios, 1 novo) Colony (36 episódios, 13 novos) Eastsiders (27 episódios, 6 novos) Patriot Act with Hasan Minhaj (29 episódios, 1 novo) 02/12 Ombro Amigo: 1ª Temporada Bita e os Animais Mundo Bita - Bita e as Brincadeiras #TeamKaylie (11 episódios, 6 novos) Meu País: A Nova Era (16 episódios, 2 novos) 03/12 A História de Solomon Mahlangu Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo Paga ou Sai Tiffany Haddish: Black Mitzvah Chefe de Gabinete (17 episódios, 1 novo) Heidi, Bem-Vinda à Casa (60 episódios, 5 novos) Homens com Missão (144 episódios, 1 novo) Tramas do Passado (14 episódios, 2 novos) 04/12 The Prince of Tennis ~ Match! Tennis Juniors ~: 1ª Temporada Crazy people Let's Dance Chefe de Gabinete (18 episódios, 1 novo) Mágica para a Humanidade (12 episódios, 6 novos)   05/12 Apache: A vida de Carlos Tevez: 1ª Temporada Apocalipse V: 1ª Temporada Namorado de Natal: 1ª Temporada O Príncipe do Natal: O Bebê Real Ted Bundy: A Irresistível Face do Mal   06/12 A Princesa da Máfia: 1ª Temporada Astronomy Club: The Sketch Show: 1ª Temporada Glow Up: 1ª Temporada Natal em 3 por 4: 1ª Temporada O Assassino Confesso: 1ª Temporada Teasing Master Takagi-san: 1ª Temporada Virgin River: 1ª Temporada História de um Casamento No Game, No Life: Zero Spirit - Cavalgando Livre: Natal com Spirit Your Name Fuller House (66 episódios, 9 novos) O Escolhido (12 episódios, 6 novos)   Fora de catálogo Os filmes, séries e/ou episódios a seguir saíram do catálogo da Netflix nessa semana. Star Wars Rebels (22 episódios removidos) Scandal (16 episódios removidos) Liv e Maddie (15 episódios removidos) Winning A Casa da Raven (13 episódios removidos) A Criada A lenda do tesouro perdido A lenda do tesouro perdido: Livro dos segredos A luta pela esperança A nova onda do imperador Águas Rasas Amor a Toda Prova Andi Mack (13 episódios removidos) Angels in the Snow Angry Birds: O Filme Beyond Bollywood Bita e os Animais Bizaardvark (21 episódios removidos) Boneco do Mal Bunks Caça-Fantasmas Digimon Fusion (54 episódios removidos) Doutora Brinquedos (28 episódios removidos) Genesis How Sarah Got Her Wings Invencível King Georges Lego Frozen - Luzes Congelantes Masaan Merry Kissmas Meu Papai é Noel 2 Meu Papai é Noel 3: A Fuga do Papai Noe Minami-Kun No Koibito: A Namorada de Minami-Kun (10 episódios removidos) Mundo Bita - Bita e as Brincadeiras Newtown O diário da princesa O Estranho Mundo de Jack O Grinch O Natal dos muppets O poder do ritmo Os Fantasmas de Scrooge Peixonauta (52 episódios removidos) Phineas e Ferb (36 episódios removidos) Pokémon: A Série XYZ (48 episódios removidos) Princesinha Sofia: Era Uma Vez Quando te Conheci Querido John Resident Evil - O hóspede maldito Rodeo & Juliet Sou Luna - O Show Star Wars – Uma Nova Esperança Stretch and Bobbito: Radio That Changed Lives Teamo Supremo (13 episódios removidos) The Good Wife (156 episódios removidos) The Spirit of Christmas Todo Poderoso Too Late Tribunal Truque de Mestre Truque de Mestre: O Segundo Ato Um Natal Animal Ursos Violetta: O Show Visões do Passado Pokémon o Filme - Diancie e o Casulo da Destruição Pokémon o filme - Hoopa e o Duelo Lendário Pokémon o Filme: Volcanion e a Maravilha Mecânica Pokémon, a série: XY (93 episódios removidos) Cara Gente Branca Mary Poppins Rezeta Gênios do Crime Marguerite Zack & Cody - Gêmeos em Ação (22 episódios removidos) Janis – Little Girl Blue Mecânica das Sombras O último tango Obrigado Por Ligar Rastro de Maldade Sam Was Here Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Oracle afirma que processo por disparidade de pagamento é inconstitucional

Oracle afirma que processo por disparidade de pagamento é inconstitucional

canaltech A Oracle inicia nesta semana a etapa de julgamento de um processo que vem encarando desde 2017, no qual é acusada de disparidade de pagamento racial e de gênero em diferentes departamentos. A ação corre no Departamento de Trabalho do governo dos Estados Unidos, o qual a companhia acusa de estar tentando atacá-la com procedimentos e alegações inconstitucionais. Um contra-processo foi aberto pela Oracle, com a companhia questionando a legalidade do sistema e da ação que foi movida contra ela, que seria irregular de acordo com legislações estaduais e a constituição federal. Agora, ela diz que vai chamar pelo menos 20 testemunhas, entre funcionários atuais e ex-colaboradores de diversos de seus setores, para atestar que não existe discriminação salarial em seus escritórios. Em contrapartida, o processo movido pelo Departamento de Trabalho teria sido baseado em inquéritos próprios, bem como em consultorias e análises de terceiros independentes. A Oracle afirma que o governo agiu com base em alegações falsas, estatísticas selecionadas sem levar em conta o topo, de forma a dar razão à acusação, e interpretações equivocadas da lei. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A empresa pode ser condenada a pagar até US$ 400 milhões para os mais de quatro mil funcionários e executivos que sofreram discriminação salarial, além de ser impedida de assumir novos contratos enquanto não resolver tais questões internamente. Caso os problemas não sejam solucionados dentro do prazo, a companhia também teria de cancelar contratos vigentes, inclusive aqueles feitos com o próprio governo. Estudos analisados pelo governo e que fazem parte da ação indicam não apenas um abismo de pagamento entre homens brancos e pessoas de outros gêneros ou etnias, como também tratamentos diferentes em promoções, nomenclatura de cargo, carga horária, bônus e outros aspectos. Mulheres, por exemplo, recebiam de 2,7% a 8,4% menos que seus companheiros do gênero masculino, enquanto negros e asiáticos tinham uma variação de 2,1% e 6,5% para menos, respectivamente. Relatos ouvidos pelas autoridades também afirmam que a Oracle teria trazido funcionários da Índia e dado a eles vistos de trabalho como uma forma de pagar menos pela mão de obra. A empresa evitaria contratar negros, hispânicos ou asiáticos com cidadania americana e ignoraria as forças de trabalho locais com qualificação semelhante, com o quadro de alguns setores chegando a, em alguns momentos, ter 90% de funcionários estrangeiros ou com caráter de permanência temporária. Em suas argumentações, a Oracle afirma que os dados foram analisados de maneira enviesada e que não representam a realidade. Além disso, questiona a própria autoridade dos reguladores responsáveis pela ação, afirmando que os representantes do Departamento do Trabalho tomaram ações próprias contra a companhia e agiram de maneira ilegal, além de exigirem compensações indevidas, com o bloqueio de contratos, principalmente, indo além da própria jurisdição do órgão, tentando interferir de forma ilegal em suas políticas internas de contratação. Caso as alegações sejam aceitas, o processo pode ser arquivado, mas na visão de especialistas, isso não deve acontecer. Em seu lugar, o juiz deve analisar as afirmações da Oracle, mas, principalmente, as declarações das testemunhas chamadas por ela para criar um panorama sobre a situação de disparidade salarial da companhia, passando, então, à análise da compensação e demais penalizações que podem ou não serem aplicadas à empresa. O julgamento deve começar nesta sexta-feira (06), mas ainda não há prazo para conclusão do processo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Qual o verdadeiro impacto ambiental da mineração de bitcoin?

Qual o verdadeiro impacto ambiental da mineração de bitcoin?

canaltech A mineração de bitcoins é algo que demanda muito poder computacional e, no intuito de aumentar seus lucros, há quem crie verdadeiras ”fazendas” de GPUs para tal prática. Em maio de 2018, um pesquisador resolveu fazer alguns cálculos e descobriu que essa atividade pode consumir mais energia do que a Áustria inteira. Nessa mesma linha, o Cambridge Bitcoin Electricity Consumption Index (CBECI) fez um levantamento em julho de 2019 para medir quanta energia é necessária para manter a rede do bitcoin em funcionamento. O resultado apontou que a rede consome mais energia do que toda a Suíça, país que possui mais de 8 milhões de habitantes, e a República Checa, com 10 milhões. Entretanto, um novo estudo publicado na revista Environmental Science & Technology estima que os impactos ambientais passados e futuros da mineração de bitcoin podem ser menores do que se pensava anteriormente. O estudo aponta que, em contraste com os bancos tradicionais, que mantêm registros de saldos e transações em um local centralizado, todas as transações em bitcoin são armazenadas digitalmente na blockchain, que é mantida por uma rede P2P. Utilizando computadores especiais, os mineradores de bitcoin competem nesta rede para resolver um quebra-cabeça matemático. O vencedor, que ganha o direito de adicionar o próximo bloco de dados à cadeia, é recompensado com uma nova moeda bitcoin. Essa mineração requer eletricidade para alimentar computadores especiais, mas as estimativas atuais do impacto associado a esse uso de energia sofrem com a falta de dados exatos. Impacto ambiental da Bitcoin pode ser inferior ao apontado anteriormente A pesquisadora Susanne Köhler estimou o consumo de eletricidade e as emissões de dióxido de carbono em 2018 para cada etapa da mineração de bitcoin, desde a extração de matérias-primas para fabricar o equipamento até sua produção, uso e reciclagem, e calculou que a rede bitcoin consumiu 31,3 Terawatt-hora de eletricidade e gerou o equivalente a 17,3 megatons de dióxido de carbono em 2018, que eram inferiores às estimativas anteriores. Com isso, a cientista estimou que cerca de 99% do impacto ambiental vêm do uso dos equipamentos de mineração, com contribuições mínimas de produção e reciclagem. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Sendo assim, de acordo com esse estudo, a localização dos mineradores teve o maior impacto no meio ambiente, com áreas que utilizam principalmente combustíveis fósseis para eletricidade, como na Mongólia, na China, contribuindo mais para a emissão de carbono do que regiões que utilizam recursos renováveis, como Sichuan, também na China. Apesar disso, a pesquisa também previu que o impacto ambiental por minerador diminuirá se o equipamento de mineração se tornar mais eficiente, seja utilizando fontes renováveis ​​de energia ou os mineradores se mudando para regiões com clima mais frio, onde menos energia é necessária para resfriar os computadores. No entanto, o número de mineradores provavelmente continuará aumentando, pelo menos a curto prazo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet CT News - 05/12/2019 (WhatsApp indica que é do Facebook e assusta a internet) Veja Mais

Confira alternativas ao Office para editar arquivos .doc ou .docx

Confira alternativas ao Office para editar arquivos .doc ou .docx

canaltech Elaborar ou editar documentos ".doc" ou ".docx" pode ser uma tarefa bem difícil caso o Microsoft Office não esteja instalado em seu computador. No entanto, existem alternativas a esse editor de texto que podem substituí-lo de maneira muito eficaz. Confira, a seguir, algumas delas: Editor de texto: Microsoft Word Online O Office possui uma versão online com ferramentas muito semelhantes às do programa instalado. Uma boa opção de editor de texto é o Word Online, que pode ser usado gratuitamente através de seu navegador da Web. Tudo o que você precisa para usar esse editor é de uma conta na Microsoft. Para isso, vá até o OneDrive e crie uma conta ou faça seu login. Feito isso, você poderá carregar seus arquivos .doc e .docx e editá-los. Microsoft Word Online / Captura de tela: Ariane Velasco Editor de texto: Google Docs Outra ferramenta de edição muito útil é o Google Docs, que também pode ser acessado diretamente do navegador. Para usar o editor, é necessário ter uma conta no Google. Caso você já possua um email do Gmail, pode utilizá-lo em seu cadastro. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Para usar o Docs, clique neste link e realize seu login. Você terá acesso à página inicial da ferramenta e poderá começar a editar seus arquivos. A ferramenta salva seus arquivos automaticamente sempre que existir acesso à Internet. Você também pode ativar a opção “Disponível Offline” para visualizá-los a qualquer momento, bem como fazer download deles em PDF, ODT, DOCX, RTF, TXT, HTML ou EPUB. Google Docs / Captura de tela: Ariane Velasco Editor de texto: WordPad Outro editor de texto que pode ser usado como alternativa ao Office é o WordPad. Embora ele não tenha os mesmos recursos do Word, é possível usá-lo para editar documentos mais simples. A melhor parte é que ele já vem instalado em computadores Windows. Por isso, basta digitar seu nome na barra de pesquisas do computador para encontrá-lo. WordPad / Captura de tela: Ariane Velasco Editor de texto: LibreOffice O LibreOffice é um software livre que pode ser uma opção muito interessante para substituir não somente o Word, mas também o PowerPoint e o Excel. É possível fazer o download do programa gratuitamente e, em seguida, abrir qualquer documento .doc ou .docx na plataforma. LibreOffice / Captura de tela: Ariane Velasco Editor de texto: OpenOffice Outro software livre que pode ser usado como alternativa ao Microsoft Office. Assim como o LibreOffice, ele pode ser baixado gratuitamente. OpenOffice / Captura de tela: Ariane Velasco Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Risco de vazamentos de dados? Dezena de milhões de americanos foram afetados

Risco de vazamentos de dados? Dezena de milhões de americanos foram afetados

canaltech Os ciberataques têm se tornado cada vez mais potentes e mais comuns. Com os vazamentos em massa, milhões de usuários acabam com seus dados expostos e é muito difícil prever o que será feito com quantidade de informações obtidas. Este ano milhões de dados de brasileiros foram expostos já e, nesta semana, foi anunciado que dezenas de milhões de dados nos Estados Unidos vazaram em mais um mega-ataque.  Especialistas em análise de VPN, a equipe de pesquisa do vpnMentor descobriu um enorme banco de dados violado, pertencente à empresa americana de comunicações TrueDialog - companhia que fornece soluções em mensagens de texto (SMS) para empresas nos EUA. Entre os serviços prestados, estão o envio de mensagens de texto em massa, alertas urgentes e comunicações para a área de educação, por exemplo. Com ampla oferta de serviços, o vazamento expôs uma enorme quantidade de dados privados, incluindo o conteúdo de dezenas de milhões de mensagens de texto SMS.  -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Além de mensagens de texto privadas, foram descobertas milhões de nomes de usuário e senhas de contas, dados com informações pessoais dos usuários da TrueDialog, inclusive dos clientes das empresa exposta.  Em ataque criminoso, dados de milhões de americanos são expostos. A dimensão do vazamento Em alguns casos, a extensão de uma violação de dados pode ser óbvia e rapidamente resolvida, mas essa não costuma ser a regra. Normalmente, são necessários vários dias de investigação antes de se entender o que está em jogo ou quem está vazando os dados. Por enquanto, se sabe que a violação dos bancos da TrueDialogic comprometeu a privacidade e a segurança de dezenas de milhões de cidadãos dos EUA, espelhados por todos os estados. Em números, quando examinados pela última vez, o banco incluía 604 GB em dados. Isso equivale a quase 1 bilhão de entradas de dados altamente confidenciais. Nessa história, a própria empresa foi exposta, juntamente com sua base de clientes e os clientes desses clientes. Desde sexta-feira (29),  o banco de dados foi fechado, mas a TrueDialog ainda não se posicionou sobre o ciberataque. O que foi exposto? O banco de dados trazia inúmeras informações, incluindo logins de contas na TrueDialog. Assim, milhões de endereços de e-mail, nomes de usuário, senhas estavam facilmente acessíveis, durante a ação hacker, no banco de dados. Além disso, foi possível acessar o conteúdo das mensagens SMS enviadas pela empresa.  Entre as informações confidenciais estavam: nomes completos de destinatários, titulares de contas TrueDialog e usuários da empresa; números de telefone de destinatários e usuários; datas e horários em que as mensagens foram enviadas; indicadores de status nas mensagens enviadas, como recibos de leitura e eventuais respostas.  Impacto na violação de dados O impacto desse vazamento pode demorar para ser sentido pelas dezenas de milhões de usuários afetados. No âmbito corporativo, seria simples para um hacker ler as mensagens confidenciais enviadas por uma empresa rival. Nesses caso, o hacker teria acesso a dados que poderiam incluir campanhas de marketing, datas de lançamento de um novo produto, novos designs ou especificações de serviços. Já os usuários poderiam ter suas informações vendidas para profissionais de marketing e spammers. Além disso, estão sujeitos a outras práticas, como roubos de identidade e fraudes. Nesse caso, os hackers podem aproveitar de detalhes particulares expostos nas mensagens, como os nomes completos, e-mails e números de telefone para uma variedade de esquemas fraudulentos e até mesmo chantagens. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Abuso de autoridade? CEO da Razer é denunciado por ex-funcionários

Abuso de autoridade? CEO da Razer é denunciado por ex-funcionários

canaltech Companhia conhecida por seus acessórios desenhados para gamers, como mouses, teclados, mousepads e headsets, a Razer e seu CEO, Min-Liang Tan, estão envoltos de uma série de denúncias trabalhistas, feitas por ex-funcionários. Tan, executivo que figura entre as 50 pessoas mais ricas de Cingapura, com uma fortuna estimada US $ 1,6 bilhão, segundo a Forbes, recentemente, foi aclamado pelos meios de comunicação como o bilionário mais jovem daquele país. Durante os quase 15 anos à frente da Razer, tudo parecia promissor para o CEO, mas a série de denúncias reveladas pela Kotaku, mostram que na verdade, Tan estava criando um ambiente de trabalho hostil para seus colaboradores, em toda a empresa, de acordo com 14 ex-funcionários da companhia. Entre as acusações estão histórias de Tan gritando, jogando objetos, ameaçando funcionários e se comportando de maneira hostil. Em algumas das denúncias, Tan foi descrito pelos funcionários como um "ditador". Essa é uma descrição que o CEO afirmou ter usado para si mesmo, embora a tenha contextualizado de uma maneira diferente, como uma forma de explicar que era ele que estava no comando da empresa. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- CEO da Razer é alvo de acusações trabalhistas (Fonte: Business Insider/ Lianhe Zaobao) Entenda as denúncias Segundo as denúncias relatadas pela Kotaku, um funcionário alegou ter testemunhado o CEO ameaçar socar outro empregado no rosto. Outra queixa relata que Tan jogou um objeto na direção de funcionários com raiva - mesmo que o material em questão não tenha atingido ninguém. Outros dois se referiram ao CEO como "verbalmente abusivo". Além de várias situações descritas em que ele falava inúmeros palavrões, dentro do escritório, enquanto conversava com funcionários. Em alguns casos, os denunciantes alegaram que a porta era mantida aberta nessas situações para "publicamente envergonhar" o funcionário. Em depoimento, Tan negou essas alegações em parte, afirmando não ter jogado objetos na direção dos funcionários e nem os ameaçou, mas confirmou ter jogado possíveis objetos "na parede ou no chão" para demonstrar insatisfação. "Fiz declarações com o objetivo de 'não me faça dar um soco na cara' ou 'mandarei meus robôs assassinos atrás de você', mas essas declarações foram todas figurativas ou de brincadeira", afirmou o CEO da Razer. "Se um produto não atender aos meus padrões, eu posso expressar insatisfação, inclusive elevando minha voz", completa o executivo. Segundo um representante da Razer, "a maioria, se não todos", dos casos em que Tan gritou com um funcionário ocorreu "em um ambiente de portas fechadas, direcionado aos erros e questões em questão e com o objetivo de fornecer feedback sincero e direto para melhorar o trabalho e não para envergonhar o funcionário." Mais casos Um funcionário alegou que ocorreram demissões, em 2013, pelo fato dos funcionários serem francos quanto à incapacidade da empresa de atingir as metas de vendas solicitadas pelo executivo, dentro do orçamento. Outros disseram que foram convidados a trabalhar durante as férias programadas, mesmo que a Razer negue ter solicitado isso aos contratados. Em mais denúncias, alguns funcionários descreveram situações em que outros empregados foram demitidos "por capricho" ou sem aviso prévio. Como quando Tan demitiu o diretor de marketing, Greg Agius, pelo fato do CEO não configurar na lista das Empresas Mais Inovadoras do site Fast Company de 2014. Outros disseram que tinham medo de serem demitidos se não trabalhassem por tempo suficiente. Nesse aspecto, alguns contratados estimaram trabalhar mais de 60 ou até 100 horas por semana em determinadas ocasiões. Alguns funcionários também alegam que, às vezes, passavam à noite no escritório, no caso de Tan ligar inesperadamente, se precisasse de algo. Segundo os depoimentos, eles temiam ser demitidos, caso ninguém atendesse o telefone. Conhecida companhia de produtos para gamers é alvo de denúncias trabalhistas Justificativas "Quando se trata de lançamentos ou eventos de produtos, muitos de nossos funcionários trabalham horas adicionais para se preparar", defendeu um representante da Razer. "Isso é comum em uma startup de tecnologia. No entanto, essas são tipicamente janelas curtas que não duram mais que alguns dias. Além disso, não se espera que os funcionários trabalhem de 60 a 100 horas semanais ou durmam durante a noite no escritório." "Embora a grande maioria de nossa equipe esteja feliz e engajada, é inevitável que um pequeno número fique descontente e infeliz", afirmou a Razer em relação às denúncias. O executivo inclui em sua defesa que a empresa emprega aproximadamente 1.300 pessoas na Califórnia, Cingapura, China, Taiwan, Alemanha, Turquia e outros escritórios. Além disso, a Razer afirma ter implementado cursos de treinamento em RH ao longo dos anos para todos os funcionários, mas não confirmou se Tan participou de algum curso neste tema em específico. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Evento da Qualcomm traz novidades para VR e laptops de baixo custo

Evento da Qualcomm traz novidades para VR e laptops de baixo custo

canaltech Durante um evento da linha Snapdragon, que ocorreu nesta quinta (5) em Maui, no Havaí, a Qualcomm anunciou algumas novidades para suas linhas de processadores: o XR2, que é a nova plataforma da empresa para dispositivos de realidade aumentada, e os 7c e 8c, dois novos chips ARM para computadores de baixo custo. Qualcomm Snapdragon XR2 O grande destaque do evento foi a revelação do Snapdragon XR2, a primeira plataforma de realidade estendida (XR) com suporte ao 5G no mundo. Ao contrário do que o nome sugere, o XR2 não é um sucessor do já existente XR1, mas uma versão “premium” do mesmo. Assim, a Qualcomm passará a atuar com duas diferentes plataformas no mercado: o XR1 para operações mais simples, e o XR2 para aqueles que necessitam da última geração em tecnologias para realidade virtual (RV) e realidade aumentada (RA). Conceito de aparelho que utiliza o Snapdragon XR2 (Imagem: Qualcomm) Entre as melhorias de processamento de IA, o XR2 oferece suporte para até sete câmeras “pass through” do tipo usadas em dispositivos de realidade mista (como o HoloLens) ou então um processamento muito mais rápido e com menor chance de causar enjôo ao usuário em experiência de RV. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- O XR2 dá suporte a telas com resolução de até 3K por 3K trabalhando à 90 quadros por segundo, ou então vídeos 360º de até 8K transmitidos à 60 quadros por segundo. A plataforma ainda conta com um sistema de rastreamento dos movimentos das mãos baseado em 26 pontos de contato, além da habilidade de mapear todo o ambiente ao redor do aparelho. Mas a grande inovação mesmo proporcionada pelo XR2 é o suporte à redes 5G. Essa tecnologia é considerada como algo crucial para o sucesso das tecnologias de RV e RA, pois conseguiria permitir a transmissão de vídeos em streaming para esses aparelhos com a latência necessária para o usuário realmente se sentir imerso no conteúdo. Processadores 7c e 8c Exemplo de laptop da Lenovo que usará os novos chips da Qualcomm (Imagem: Qualcomm) Durante o mesmo evento, a empresa também anunciou dois novos processadores ARM para computadores, o Snapdragon 7c e o Snapdragon 8c. Ambos são versões mais básicas do Snapdragon 8cx e foram desenvolvidos para o uso em notebooks mais básicos, com preço abaixo de U$ 300 dólares. O objetivo da empresa é que esses processadores sejam usados em computadores de baixo custo, que podem ser usados em ambientes comerciais ou corporativos, para sistemas que funcionam como bases de trabalho remotas onde tudo é operado através da nuvem. Segundo a Qualcomm, o Snapdragon 7c utiliza uma CPU Kryo 468 de até 2,4 GHz e uma GPU Adreno 618, com um modem LTE embutido que suporta conexões de até 800 MBps. O chip também dá suporte a memórias LPDDR4 e sistemas de armazenamento UFS 3.0, conseguindo também rodar resoluções de 2048 x 1536 pixels em 60 Hz, gravar vídeos em 4K a 30 fps e já vem com suporte ao Wi-Fi 6 e ao Bluetooth 5.0. A Qualcomm afirma que esse processador é 20% mais rápido do que a média dos usados em computadores de entrada, mas sem revelar os números de desempenho é impossível fazer uma comparação. Já o Snapdragon 8c utiliza uma CPU Kryo 490, que oferece uma performance 30% superior à do Snapdragon 850 usado em smartphones, e já vem com um modem LTE X24 que consegue operar nas maiores velocidades existentes neste tipo de conexão. Ele também dá suporte a memórias LPDDR4 e a drives de armazenamento que utilizam a tecnologia NVMe SSD, consegue operar três saídas de vídeo em 4K (a tela do notebook mais dois monitores externos), capturar vídeos em 4K HDR a 30 fps e transmitir vídeos na mesma qualidade à 120 fps. O ponto mais estranho é que ele não possui suporte ao Wi-Fi 6, mas é possível utilizá-lo junto com o modem X55 da Qualcomm para desenvolver um notebook com conexão 5G. Desde que a Qualcomm iniciou uma parceria com a Microsoft, ambas as empresas tem se esforçado para acabar com o domínio da Intel nos notebooks de entrada, mas até agora os esforços têm esbarrado em um grande problema: o fato desses computadores com processadores de arquitetura ARM não rodarem a maioria dos programas que os usuários necessitam. Isso porque boa parte dos programas de computador são baseados na tecnologia x86 e x64, e muitos deles ainda não desenvolveram versões compatíveis para ARM. Por exemplo, nem o Google Chrome e nem nenhum programa da Adobe roda nesses aparelhos, o que é um enorme problema para que utiliza esses computadores para rodar desktops virtuais em ambientes profissionais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021 Veja Mais

CEO da Uber revela que não esperava pelo cargo: "Não planeje demais a sua vida"

CEO da Uber revela que não esperava pelo cargo:

canaltech Nesta quinta-feira (5), Dara Khosrowshahi, CEO da Uber, deu uma entrevita falando sobre a sua carreira e sobre como chegou ao cargo que exerce atualmente. O executivo iraniano-americano revelou ao Business Insider que nunca esperou chegar à tal posição. Segundo o executivo, o conselho que recebeu veio de Herbert Allen, da Allen & Company, que é apostar nas pessoas, não nas empresas. Tendo isso em mente, Khosrowshahi revelou que o seu melhor conselho para as pessoas é nunca planejar demais, pois isso pode fazer com que você perca oportunidades, caso seus objetivos sejam muito rígidos. Khosrowshahi diz que tudo se resume a estar aberto a toda e qualquer oportunidade. "Eu digo às pessoas: não planejem demais. Vejo pessoas tomando decisões erradas o tempo todo porque têm uma imagem de onde vão estar. Geralmente, isso leva a um viés de confirmação", conta o CEO. CEO da Uber fala sobre carreira e dá conselhos "Quando planejamos demais um mundo cada vez mais volátil, paramos de procurar oportunidades. Eu não estava procurando por essa oportunidade do Uber e estou tão feliz por encontrá-lo", diz disse Khosrowshahi. O CEO iraniano-americano também dá outro conselho para os recém-formados: "Trabalhe em um lugar onde você possa fazer a diferença". Ele ainda finaliza: "Em um mundo onde muita coisa está mudando — empresas mudam, ambientes mudam, países mudam —, a única constante é que pessoas boas permanecem boas". -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Muito da fama de Dara Khosrowshahi se dá por seu trabalho como presidente executivo do grupo Expedia. Em sua gestão, a empresa se tornou a maior agência online de turismo dos Estados Unidos e fez a aquisição de uma série de negócios do ramo. Khosrowshahi nasceu no Irã, porém, ainda jovem se mudou do país. Parte de sua infância e juventude foi nos Estados Unidos. Ele se formou como engenheiro eletricista. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Google contrata fundador da DeepMind para sua divisão de IA

Google contrata fundador da DeepMind para sua divisão de IA

canaltech Desde que foi adquirida pela Alphabet em 2014, a DeepMind (que é reconhecida como a maior empresa do mundo no desenvolvimento de soluções em inteligência artificial) tem ajudado o Google em diversos assuntos — o mais recente deles é o desenvolvimento do novo algoritmo de recomendação de apps da Play Store. E agora parece que essa parceria ficará ainda mais próxima e forte. Isso porque nesta quinta-feira (5), Mustafa Suleyman, um dos fundadores da DeepMind, anunciou via Twitter que está se juntando oficialmente ao Google para trabalhar com os engenheiros da empresa em soluções de IA. Suleyman fundou a DeepMind em 2010 ao lado de Demis Hassabis (atual CEO da empresa) e Shane Legg, e desde a aquisição da companhia pelo Google o papel dele tem sido o de estudar formas que a IA pode ajudar a realizar tarefas no mundo real. Entre os projetos que Suleyman trabalhou está o aplicativo Streams (uma assistente de IA que ajuda médicos e enfermeiros a identificar doenças com base nos sintomas do paciente), que está sendo testado por hospitais do Reino Unido antes de ser comercializado para o mundo todo. After a wonderful decade at DeepMind, I’m very excited to announce that I’ll be joining @Kent_Walker, @JeffDean and the fantastic team at Google to work on opportunities & impacts of applied AI technologies. Can't wait to get going! More in Jan as I start the new job! -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- — Mustafa Suleyman (@mustafasuleymn) December 5, 2019 Desde agosto, Suleyman estava afastado da DeepMind por conta de “problemas pessoais”, mas enquanto isso, levantou dúvidas sobre a seu futuro na empresa. Ele sempre afirmou que não via a hora de resolver tudo e voltar a trabalhar. No tweet de anúncio, Suleyman não revela qual será o seu cargo no Google, mas afirmou que irá colaborar diretamente com Jeff Dean (diretor da divisão de IA da Google) e com Kent Walker (vice-presidente sênior de assuntos globais do Google) em projetos que tratarão sobre os impactos da aplicação de IA em tecnologias já existentes. A contratação acontece apenas dois dias depois de Sundar Pichai assumir o cargo de CEO da Alphabet, e pode indicar que a empresa irá apostar ainda mais no desenvolvimento e integração de tecnologias de IA em seus produtos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Veja Mais

Ironhack e The Sims oferecem bolsas de estudo em tecnologia para fãs do game

Ironhack e The Sims oferecem bolsas de estudo em tecnologia para fãs do game

canaltech A Ironhack, escola de tecnologia e programação, e o The Sims, game de simulação da Electronic Arts, iniciaram nesta terça-feira (03) uma parceria global inédita para o lançamento da expansão de The Sims 4: Discover University. A iniciativa aproveita a nova versão do game, na qual os Sims podem se matricular em cursos de tecnologia no Instituto Foxbury, para oferecer a possibilidade de os fãs poderem fazer o mesmo na vida real. Para isso, serão concedidas 400 bolsas de estudos, com mais mais de € 800 mil (cerca de R$ 3,8 milhões) em descontos, nos cursos de Desenvolvimento Web, UX/UI Design e Data Analytics da Ironhack. O benefício pode ser utilizado em qualquer campus da escola no mundo: São Paulo, Madri, Barcelona, Paris, Amsterdã, Berlim, Lisboa, Miami e Cidade do México. O valor das bolsas difere entre os nove campus da Ironhack. Por exemplo, em São Paulo, os descontos variam de R$ 3.500 a R$ 9.000. No entanto, os brasileiros também podem concorrer a bolsas em outros países, assim como estrangeiros podem se inscrever para os cursos da unidade São Paulo. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Imagem: Ironhack/EA Os interessados podem realizar as suas inscrições até dia 17 de dezembro por meio do site oficial da Ironhack. Vale lembrar que não há necessidade de experiência prévia na área da tecnologia, nem ser jogador do game para participar da campanha. Confira o cronograma da ação: Realizar a inscrição até 17 de dezembro. Fazer a prova técnica até 05 de janeiro de 2020. Se aprovado nas fases iniciais, passar por entrevista de 15 minutos de forma online ou presencial até 24 de janeiro de 2020. Vencedores serão notificados e devem confirmar o interesse até o final do mês de janeiro de 2020 Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho Veja Mais

Star Fox 2 e mais games de Super Nintendo estão chegando ao Switch Online

Star Fox 2 e mais games de Super Nintendo estão chegando ao Switch Online

canaltech O Nintendo Switch está prestes a ganhar quatro novos jogos de Super Nintendo em dezembro, com a adição de Star Fox 2 sendo o maior destaque. A sequência originalmente cancelada e lançada oficialmente mais de 20 anos depois dos trabalhos originais se une a Super Punch-Out, Kirby Super Star e Breath of Fire II na lista de títulos de consoles antigos disponíveis aos assinantes da plataforma online da fabricante. A biblioteca do Nintendinho também ganha adições, com a chegada de Crystalis e Journey to Silius. Os seis jogos serão adicionados ao serviço Nintendo Switch Online na próxima quinta-feira, 12 de dezembro, e permanecem acessíveis por tempo indeterminado a todos os usuários pagantes como uma das regalias da plataforma conectada, que também permite o uso de um aplicativo para chat de voz e a possibilidade de jogar títulos com modo multiplayer. 6 classic games will be added to the #NES & #SNES – #NintendoSwitchOnline collection on 12/12!Super NES – Nintendo Switch Online:・Star Fox 2・Super Punch-Out!!・Kirby Super Star・Breath of Fire IINES – Nintendo Switch Online:・JOURNEY TO SILIUS・Crystalis pic.twitter.com/6MEsAuPEPA -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- — Nintendo of America (@NintendoAmerica) December 5, 2019 O serviço também está disponível no Brasil e custa R$ 14,80 por um mês, R$ 29,70 pelo trimestre ou R$ 74,25 por um ano. Além disso, há um plano familiar de R$ 129,95 que permite o acesso por até oito contas e utilização completa de todos os recursos da plataforma online. Para jogar os títulos retro, basta baixar os aplicativos específicos do Nintendinho ou Super Nintendo no Switch. A história de Star Fox 2 é, no mínimo, curiosa. Desenvolvido pela Nintendo em parceria com a Argonaut (que também trabalhou no primeiro game da série), o título foi cancelado quando já estava praticamente pronto, em 1995. O temor da Nintendo era quanto ao conjunto gráfico do game, que apesar de avançado para os padrões do SNES, estava bem abaixo dos consoles de 32-bit que já estavam no mercado da época. O Nintendo 64, por exemplo, tinha lançamento marcado para dali menos de um ano. Entre vazamentos de versões para emuladores e projetos de fãs, o projeto permaneceu oficialmente morto até 2017, quando Star Fox 2 ressurgiu como o game exclusivo do SNES Classic, miniconsole lançado pela Nintendo naquele ano. Essa exclusividade do lançamento oficial termina agora, com a chegada do título também ao Switch. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho Veja Mais

Temporada 1 de CoD: Modern Warfare traz infinidade de conteúdo gratuito

Temporada 1 de CoD: Modern Warfare traz infinidade de conteúdo gratuito

canaltech Nesta semana a primeira temporada de Call of Duty: Modern Warfare foi disponibilizada, com direito a novo Passe de Batalha e a maior oferta de conteúdo gratuito da história de toda a franquia. Os jogadores de todas as plataformas em que o game está disponível podem se deparar com novos mapas multijogador, modos, experiências cooperativas e eventos. Call of Duty: Modern Warfare está disponível no PlayStation 4, Xbox One e PC. Outra novidade da primeira temporada é o sistema de Passe de Batalha, que oferece mais maneiras de personalizar a experiência ao ganhar novos conteúdos, incluindo armas, projetos de armas, pingentes e outros itens exclusivos. Resumidamente, o Passe de Batalha da Primeira temporada pode ser adquirido usando Call of Duty Points, o que libera mais de 100 novos tiers de conteúdo. Os jogadores que completarem este Passe de Batalha vão poder ganhar mais Call of Duty Points que o custo para adquirir este Passe de Batalha. Os fãs também poderão obter o Pacote Passe de Batalha, que inclui todo o conteúdo normal mais 20 Tiers para acesso instantâneo aos equipamentos. Leia também: Análise | Call of Duty Modern Warfare é o melhor jogo de toda a série -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- "Desde o lançamento do Modern Warfare, está sendo ótimo compartilhar um fluxo constante de novos conteúdos, mas a atualização de hoje leva as coisas a um novo nível para todos os jogadores. No modo Multijogador estamos lançando os mapas Crash, Vacant e Shipment; O modo Atirador oferece os mapas Cargo, Atrium e Shipment; e no modo Guerra Terrestre o mapa Port. Além disso, temos três novos modos multijogador; cinco novas experiências de Operações Especiais e duas novas armas", informa Patrick Kelly, cohead e diretor de criação da Infinity Ward. "Esta é a maior oferta de conteúdo gratuito na história do Call of Duty, e estamos entusiasmados por todos poderem usufruir dessas novidades juntos em todas as plataformas".   Um dos mapas favoritos dos fãs de Call of Duty 4: Modern Warfare, "Crash", foi remasterizado e reimaginado como um local onde ocorreu um acidente de helicóptero no Urziquistão, com diversas rotas de flanqueamento e possibilidades de confrontos nos telhados. Além dele, serão adicionados mais dois mapas reimaginados de Call of Duty 4: Modern Warfare: "Vacant", um escritório abandonado; e "Shipment", local onde a ação rápida e frenética reina suprema. Por sua vez, os novos mapas 2v2 incluem "Atrium", localizado no palácio de Verdansk; e "Cargo", uma instalação de armazenamento de teto aberto dentro de um navio cargueiro nas docas de Londres. Além disso, o mapa "Shipment" também estará disponível ao longo da temporada. O novo mapa de Guerra Terrestre envolve "Port", que se estende por contêineres, guindastes, prédios e ruas. Leia também: Call of Duty: Modern Warfare | A geopolítica real que inspirou o jogo Quanto aos novos modos de jogo multijogador, em "Reinforce", um modo híbrido de "Dominação" e "Localizar e Destruir", os jogadores devem capturar pontos para reviver companheiros de equipe caídos e vencer a rodada. Em "O.S.P. Gunfight", a mesma mecânica do Atirador tradicional se aplica, com a diferença de que os jogadores começam as partidas sem armas ou equipamentos e devem buscá-los pelo cenário assim que a partida começar. Outro diferencial são as novas armas, gratuitas para todos os jogadores: a RAM-7 introduz um novo rifle de assalto totalmente automático, enquanto a Holger-26 é uma versão LMG do rifle modelo Holger. Os jogadores também podem usar os Call of Duty Points para obter pacotes de itens na loja que serão atualizados semanalmente e contêm vários itens cosméticos, variando entre projetos de armas, novos operadores, skins de operador, além de acessórios. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

Startup chinesa pode ser a 2ª no mundo a testar carros totalmente autônomos

Startup chinesa pode ser a 2ª no mundo a testar carros totalmente autônomos

canaltech As regras para testar veículos autônomos nas ruas mudou nos últimos anos, principalmente por conta de acidentes causados por experiências malsucedidas. Atualmente, a Waymo, subsidiária do Google, é a única autorizada a fazer esses testes. Mas isso pode mudar muito em breve, com a entrada da chinesa AutoX, patrocinada pela gigante Alibaba. A AutoX entrou com um pedido para realizar testes com carros totalmente autônomos no estado da Califórnia, com a promessa de que terá um motorista reserva, acompanhando tudo via controle remoto. E, caso seja aceita, pode chacoalhar o mercado. Veículo da Waymo (Imagem: Reprodução/CNet) Isso porque há nada menos do que 60 companhias desenvolvendo suas próprias soluções de mobilidade autônoma na Califórnia, também com condutores sobressalentes. Ainda não se sabe exatamente quais são os critérios de aprovação, mas parecem ser rígidos, pois fabricantes como General Motors e Ford decidiram adiar seus veículos para esse nicho porque não se sentem prontas para comercializá-los. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- A AutoX está confiante, até porque vem realizando ajustes há três anos. O diretor de operações da empresa disse que sua tecnologia "pode ser profunda" e será "segura para o público", ao confirmar seu pedido de permissão de testes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

Star Wars: Galactic Starcruiser | Novo hotel temático é anunciado para 2021

 Star Wars: Galactic Starcruiser | Novo hotel temático é anunciado para 2021

canaltech Nesta quarta-feira (4), a Walt Disney Parks and Resorts anunciou que o hotel temático Star Wars: Galactic Starcruiser tem inauguração marcada para 2021, em Orlando, nos Estados Unidos. A ideia é que o hotel seja imersivo, ou seja, que os hóspedes simplesmente se sintam verdadeiros personagens da franquia. De acordo com o que foi revelado pelo portal norte-americano Collider, o primeiro passo dos hóspedes é embarcar no Terminal Galactic Starcruiser - um tipo de transporte que os conduzirá a uma realidade dentro na franquia criada por George Lucas. Arte conceitual do novo hotel temático de Star Wars, cuja premissa é fazer com que os hóspedes se sintam dentro da própria franquia Depois desse transporte, há um “pod de lançamento” que basicamente permite que o visitante viaje para o planeta Halcyon, conseguindo observar a viagem espacial pelas janelas e ver a aproximação da nave – que é o hotel. E aí, sobre o estabelecimento em si, um grande diferencial é que oferecerá treinamentos com sabre de luz para todas as idades, além de oferecer momentos de visita à sala de comando da nave, onde o hóspede aprenderá sobre o sistema de segurança e sobre como se defender caso haja algum ataque. Impossível não se sentir dentro da própria trama. Transporte leva hóspedes até o hotel com estilo, já dando início à experiência Vale lembrar, ainda, que o hotel também contará com encontros entre os fãs de Star Wars e os próprios personagens que integram a franquia. Embora a empresa tenha anunciado o ano de inauguração (2021), ainda não foi confirmada a data exata de quando começam as atividades. O que se sabe com esse novo anúncio, por exemplo, é que toda a experiência acontece ao longo de dois dias e todos os hóspedes chegam e vão embora ao mesmo tempo. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA

Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA

canaltech Uma fotografia que mostra relâmpagos abaixo da Via Láctea no céu noturno foi escolhida nesta quarta-feira (4) pela NASA como sua “Imagem Astronômica do Dia”. Ela foi capturada em junho pelo fotógrafo italiano Ivan Pedretti, no extremo sul da ilha Sardenha, e recebe o nome de “Electric Night”. Além de compartilhar a imagem em seu site, a NASA também publicou a descrição de um astrônomo profissional sobre o que está acontecendo no cenário. "Pode parecer, a princípio, que a galáxia está produzindo raios, mas na verdade é a Terra" quem faz isso, diz a nota. "Ao longe, no mar Mediterrâneo, uma tempestade ameaça com vários raios elétricos, capturados juntos durante essa exposição de 25 segundos com uma [lente] grande angular". As rochas e arbustos visualizados em primeiro plano, na parte inferior da imagem, estão perto do famoso hotel Faro Capo Spartivento, localizado no ponto mais meridional da Sardenha. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- "Muito mais longe, espalhadas pelo céu, existem centenas de estrelas na vizinhança do nosso Sol na Via Láctea", finaliza a nota. Inclinando-se do centro para o canto superior esquerdo, há bilhões de estrelas que formam a parte central da galáxia. Outros trabalhos de Ivan Pedretti têm como cenário a noite na Sardenha, sendo a Via Láctea um dos elementos bastante recorrentes nas fotografias. Você pode conferir mais imagens do fotógrafo em seu site oficial The Wildlife Moments. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua 10 inovações que vão transformar a medicina na próxima década Veja Mais

Rumor | Galaxy S11 deve trazer câmera melhor do que a de qualquer iPhone

Rumor | Galaxy S11 deve trazer câmera melhor do que a de qualquer iPhone

canaltech Os rumores sobre o Galaxy S11 estão com tudo nos últimos dias, com algumas informações vazadas sobre possíveis tamanhos de tela e capacidade de hardware. Agora, de acordo com novo vazamento, o que mais pode destacar o smartphone é a potência de sua câmera. Segundo informações do site SamMobile, a Samsung está com planos de incluir no novo smartphone uma câmera capaz de fazer gravações de vídeo em 8k com 30 frames por segundo, graças ao potente processador Exynos 990. O rumor já estava em circulação, apontando para a referência a vídeos em 8k encontrados em códigos da versão beta do One UI 2.0, e também que a câmera terá 108 MP, com suporte para zoom óptico de até 5x. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Imagem: Reprodução/Pricebaba Renderizações vazadas também mostram o possível novo visual do aparelho, contando com câmera tripla traseira. De acordo com outros rumores, o Galaxy S11 ainda pode chegar com suporte a 5G pelo modem Exynos 5123 e 12 GB de memória RAM, além de três tamanhos diferentes de tela: 6,2 ou 6,4 polegadas (ainda a confirmar), 6,7 polegadas e 6,9 polegadas. Vale reforçar que as informações ainda se tratam de rumores, permanecendo assim até que haja uma informação oficial da Samsung. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 10 inovações que vão transformar a medicina na próxima década Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Artigo 19 da LGPD em votação: entenda por que a censura pode voltar Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua CCXP 2019 | O que vai bombar no evento de entretenimento e cultura pop Veja Mais

O que é USB e por que o cabo é necessário?

O que é USB e por que o cabo é necessário?

canaltech Se você possui um smartphone, computador ou qualquer outro dispositivo tecnológico, com certeza já utilizou um cabo USB, que permite conectar aparelhos e garantir seu completo funcionamento. Os computadores, por exemplo, permitem conectar dispositivos periféricos (como mouses, teclados, modems e até câmeras digitais) a fim de utilizá-los. Por outro lado, os carregadores de vários smartphones também utilizam a tecnologia, que permite conectá-los tanto à tomada quanto ao PC ou carregadores portáteis. A sigla USB corresponde a Universal Serial Bus (ou “Porta Serial Universal”, traduzido para o português), o que significa que o cabo pode ser utilizado em uma quantidade realmente grande de aparelhos. Ele foi lançado pela primeira vez no ano de 1995 e teve sua primeira fabricação voltada para computadores somente dois anos depois, em 1997. USB 1.0 (Foto: Divulgação) Por que o cabo USB é necessário? O USB permite instalar periféricos ao computador (sua principal utilidade) de maneira muito mais fácil do que antigamente, quando essa função era direcionada para pessoas experientes, uma vez que demandava o uso de diferentes cabos (o que, além disso, costumava levar muito mais tempo). Além disso, quando a instalação era interna, ela tornava necessária a configuração de Jumpers ou IRQs na placa-mãe do computador, o que dificilmente poderia ser feito por alguém que não tivesse experiência com informática. Assim, muitas pessoas acabavam deixando de adquirir novos dispositivos, uma vez que não sabiam como realizar essa tarefa tão complexa. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- O USB foi desenvolvido em um consórcio liderado por empresas como a Microsoft, Apple, Intel, entre outras, para facilitar amplificar seu uso e torná-lo mais acessível a todo o público. Desde então, o cabo vem contando com diversas versões. Cabo USB (Foto: Reprodução) Versão atual do cabo USB Atualmente, a última versão do cabo USB lançada é a USB 3.1 (de julho de 2013), que conta com 10Gbit/s de taxa de transferência (o que equivale, mais ou menos, a 1200MB/segundo). No entanto, a versão mais comum entre laptops, desktops e seus periféricos ainda é a USB 3.0, de 2009 que, embora possua uma taxa de 5Gbit/s, tende a ser eficiente e permite receber e enviar dados ao mesmo tempo. Cabo USB 3.1 (Foto: Reprodução) USB 4.0 a caminho? A versão 4.0 do USB foi anunciada em março deste ano, embora tenha sido apresentada oficialmente só em setembro. A previsão de lançamento do cabo em novos dispositivos deve ocorrer a partir do ano que vem. Ela traz uma velocidade de 40Gbit/s. Para usar o cabo USB 4.0, será necessário ter em mãos um adaptador, que servirá para conectá-lo a um periférico externo com saída USB 3.0 ou 3.1. Essa mudança foi necessária para tornar possível o aumento de sua taxa de transmissão para o dobro do padrão anterior. A fim de tornar isso possível, a novidade traz uma porta USB-C que pode ser utilizada em ambos de seus lados. USB 4.0 (Foto: Tom's Hardware) USB e Thunderbolt A Thunderbolt foi idealizada como uma alternativa ao USB. Seu primeiro dispositivo, lançado pela Intel em conjunto com a Apple, já podia alcançar a velocidade de 20Gbit/s, até então superior à velocidade do USB 3.0. O primeiro computador com a interface foi o MacBook Pro, lançado em 2011. Por isso, em resposta à iniciativa, as empresas responsáveis pelo desenvolvimento do USB lançaram os modelos 3.1 (10Gbit/s), 3.2 (20Gbit/s) - prometida ainda para 2019 - e 4.0 (40Gbit/s) - a ser lançada em 2020. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Veja Mais

Netflix ou Amazon Prime: veja catálogos e preços dos serviços

Netflix ou Amazon Prime: veja catálogos e preços dos serviços

canaltech O que Netflix e Amazon tem em comum? Acertou quem respondeu que ambas as empresas são donas das maiores plataformas de streaming do mundo. No Brasil, felizmente, os usuários podem escolher entre assinar o Prime Video ou Netflix, ainda que essa escolha não seja nada fácil. Valores, catálogo e qualidade são três pontos que todo usuário deve levar em consideração antes de investir em uma assinatura de serviço de streaming. Se você ainda não parou para comparar os prós e contras do Prime Video e do Netflix, não se preocupe, pois nós fizemos isso para você. Confira a seguir. Amazon Prime Video vale a pena? Conheça o catálogo e planos Netflix vs. Prime Video: preços e planos Você é do tipo que escolhe ou compra coisas olhando, primeiramente, para o preço? Se este é seu caso, então saiba que escolher entre o Prime Video e o Netflix não é uma tarefa nada fácil. Isso porque ambas as plataformas oferecem milhares de títulos a preços completamente distintos. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O Prime Video, por exemplo, custa R$ 9,90 e é oferecido em uma única assinatura padrão que contempla outros benefícios dentro do site da Amazon, como frete grátis, acesso ao Amazon Music (serviço de streaming de músicas), desconto em livros e a plataforma de streaming de games Twitch. O plano dá direito a transmissão simultânea em até três telas diferentes e 30 dias dias grátis de testes. É possível baixar séries e filmes offline no celular para assistir depois. A Netflix, por sua vez, também oferece 30 dias de testes grátis para novos assinantes e download de filmes e séries offline no celular. Para atender a todos os orçamentos, a plataforma oferece três opções de assinaturas que entregam qualidade de transmissão e quantidade de compartilhamento diferentes: Básico R$21,90 por mês (individual com resolução HD) Padrão R$32,90 por mês (até duas telas simultâneas com resolução HD) Premium R$45,90 por mês (até quatro telas simultâneas e resolução 4K) Netflix vs. Prime Video: catálogo Assim como os preços dos planos, os catálogos do Amazon Prime Video e do Netflix são bem diferentes. Quem gosta de assistir a séries e programas de TV, como Chaves, The Office, MTV De Férias com o Ex, The Nanny, novelas mexicanas e outras produções do gênero, certamente irá preferir o Prime Video. Além de conteúdo de canais nacionais e internacionais, o serviço oferece ainda filmes que são estreias recentes do cinema e de produtoras parceiras, como a Disney, que fechou uma parceria com a Amazon para publicar filmes, desenhos e séries, enquanto o seu próprio serviço de streaming não estreia por aqui - o que acontecerá apenas em novembro do ano que vem. Entraram recentemente, por exemplo, Os Vingadores: Ultimato, Capitã Marvel, O Rei Leão, Toy Story 4, Grey's Anatomy, How I Met Your Mother, The Walking Dead e American Horror Story. Também há produções originais e premiadas da Amazon, como The Boys, American Gods, Jack Ryan, Maravilhosa Sra. Maisel e Fleabag. Amazon Prime tem filmes como carro-chefe / Captura de tela: Bruno Salutes Já o Netflix conta com um acervo amplo e diversificado, com produções originais como seu carro-chefe. Também estão presentes no serviço sucessos da TV de produtoras nacionais e internacionais, como SBT, ABC, Warner e Fox, com Grey's Anatomy, The Client List, Walking Dead, Teen Wolf, Um Maluco no Pedaço, Friends e Três é Demais. Também estão disponíveis títulos da Disney, alguns até recentes, como Toy Story 3, Malévola e Divertidamente. É claro que as produções e co-produções da própria Netflix também figuram como favoritas entre os usuários do serviço. Entre as mais famosas estão The Good Place, Stranger Things, Unbreakable Kimmy Schmidt, You, Dirty John, The Crown e Vis a Vis. Ambos os catálogo oferecem ao menos 15% de conteúdo nacional, documentários, desenhos e outros estilos. Catálogo em Ultra HD do Netflix / Captura de tela: Bruno Salutes Netflix vs. Prime Video: qualidade do streaming Tanto o Prime Video quanto o Netflix oferecem filmes e séries com resolução Ultra HD (4K), com tecnologia HDR (Dolby Vision, no caso da Netflix), som Surround e Dolby Atmos. O que muda é que essa resolução só aparece no plano mais caro da Netflix, que custa R$ 45,90, enquanto o Prime Video já inclui vídeos em alta definição e com tecnologias diferenciadas de imagem em sua assinatura única de R$ 9,90. Se a ausência do 4K não for um problema para você, o Netflix conta com streaming em HD em todos os planos, incluindo o mais básico de R$ 21,90 mensal. Como encontrar filmes e séries 4K na Netflix Netflix vs. Prime Video: aplicativos Ambos os serviços, Netflix e Prime Video, estão disponíveis em vários aparelhos, como Smart TVs de inúmeras marcas, set top-box como a Apple TV e Mi Box TV, Chromecast, Fire TV Stick e até em Blu-Ray e consoles, incluindo Playstation e Xbox. Além disso, há a versão web e também os aplicativos para Android e iOS de ambos os serviços. E qual é o seu favorito? Conta pra gente aí nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Veja Mais

Análise | Life is Strange 2 encerra temporada atribulada com o dedo na ferida

Análise | Life is Strange 2 encerra temporada atribulada com o dedo na ferida

canaltech O caminho seguido por Life is Strange 2 é atribulado por si só, quase como uma ligação à própria saga de seus protagonistas, em uma fuga desesperada e nada planejada em busca da inocência. Lançado há mais de um ano, em setembro de 2018, o que começou com força teve uma temporada de altos e baixos marcada principalmente pela longa distância entre os capítulos, que minou o impacto de suas mensagens e histórias. Em meio a um mercado lotado de lançamentos e grandes títulos, quando chegávamos a um novo episódio de Life is Strange 2, sempre quatro meses depois do anterior, nem mesmo nos lembrávamos direito do que tinha acontecido. Ao encerrar essa saga, entretanto, a Dontnod se mostra disposta a marcar, e consegue, entregando um dos capítulos mais poderosos da temporada, daqueles que não tem o menor medo de apontar o dedo ou colocá-lo na ferida.   Mais uma vez, temos um salto temporal que nos leva sete semanas após os eventos do episódio 4. Em Wolves, vemos Sean e Daniel Diaz em uma comunidade isolada em meio aos cânions do Arizona, a menos de um estado de distância do México, seu destino final. Mais uma vez, laços são criados e desatados quando o que começa com uma calmaria, novamente, se transforma em uma fuga. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Entre o uso dos poderes de Daniel para montagem de uma escultura de sucata e uma pueril caça aos tesouros que lembra os velhos tempos de brincadeiras entre os irmãos, quando tudo parecia mais simples, a desenvolvedora elenca, em conversas com os habitantes desse povoado, que todo mundo tem sua própria jornada e seus conflitos. A velha máxima de que todos estão lutando uma batalha que o outro não faz a menor ideia de qual se prova verdadeira em uma das grandes surpresas de Wolves, que aparece logo no primeiro ato deste quinto capítulo. Reencontros inesperados fazem o coração ficar um pouco mais quentinho antes da inevitável partida que coloca Sean e Daniel na última corrida por suas próprias vidas. Último episódio de Life is Strange 2 traz um dos maiores níveis artísticos de toda a temporada, mas a contemplação dura pouco (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Ainda sobre o primeiro ato deste season finale de Life is Strange 2, porém, é importante falar sobre os visuais de encher os olhos. Os irmãos Diaz, como dito, estão em uma região de cânions e a Dontnod aproveita isso para criar alguns dos cenários mais belos e os momentos mais inspirados de toda a franquia. Claro, alguns dos problemas de carregamento de texturas aparecem aqui e ali, mas o resultado, de maneira geral, é de encher os olhos. Tudo isso serve para criar um sentimento de contemplação e, principalmente, melancolia. Toda a saga dos irmãos, que tiveram que deixar sua casa às pressas após um acidente, está relacionada à fuga para o México, em busca da liberdade, mas também com a reconstrução da própria moradia. E ela foi encontrada em diferentes momentos, e da mesma forma também teve de ser abandonada por circunstâncias muitas vezes fora da capacidade da dupla. É a mesma dinâmica que vemos desde o começo da temporada, aqui em seu maior e melhor multiplicador. Da mesma forma que o bem parece ser a palavra de ordem no começo de tudo, a segunda metade de Wolves faz questão de nos lembrar da realidade, que vem como um soco bem dado por um punho de ferro. Sem cerimônia Momentos belos e inspirados duram pouco e logo dão espaço para a dura realidade de Life is Strange 2 (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Ao seguirem em sua jornada final, Sean e Daniel Diaz mais uma vez entram em contato com o que há de pior no ser humano. Não que alguém tenha se esquecido disso, mas o quinto capítulo faz questão de lembrar a posição de vulnerabilidade e dificuldade extrema em que eles se encontram. Eles são americanos, mas de descendência latina, e acusados do assassinato de um policial. A pior situação possível para se estar em um país que faz questão de demonstrar isso. A realidade fantástica aparece para deixar isso claro quando Sean e Daniel se deparam com o que parece ser seu último obstáculo: o muro. A Dontnod deixa pouco para a interpretação quando coloca o pequeno para usar seus poderes e derrubar a barreira, liberando o que parece ser um caminho livre e ensolarado para a liberdade. O mundo real, porém, entra em jogo para mostrar que atos desse tipo jamais sairiam impunes. E é aí que começam os discursos que, frustrantemente para muitos jogadores, pareciam terem sido deixados de lado nos capítulos anteriores. A desenvolvedora não massageia nada e, em seu roteiro, faz questão de demonstrar que as chances nunca estiveram tão desfavoráveis para a dupla de fugitivos e que atitudes que fujam da normalidade pervertida ventilada por alguns cidadãos dessa América que passa longe do sonho não serão toleradas. Discursos poderosos e sem massagem aparecem o tempo todo, chegando a entrar até mesmo no caminho da trama geral de Life is Strange 2 (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Além disso, claro, temos os desígnios da própria trama, com a irmandade renovada da dupla de protagonistas ao longo de toda a temporada servindo como o fio condutor do capítulo derradeiro. Daniel é poderoso e, aqui, faz pleno uso disso, mas o jogador rapidamente percebe que suas decisões importam mais do que nunca e que, o que já era ruim, sempre pode piorar. Isso se prova verdade mais de uma vez em um curto prazo de tempo, com a produtora parecendo manter um bom equilíbrio entre o discurso que deseja fazer, com direito a opções que falam mais sobre o caráter do jogador do que dos próprios protagonistas, e o andamento da trama. A bola cai uma única vez, infelizmente no momento mais importante, levando a um desfecho que é poderoso como todo o episódio, mas acaba motivado por atitudes não impensadas, mas simplesmente estúpidas. Todas as decisões tomadas desde o início da temporada de Life is Strange 2 culminam aqui, e você vai querer poder voltar no tempo como Max fazia (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Life is Strange 2 troca as viagens do tempo do primeiro por uma telecinese, mas como gostaríamos de poder voltar, como Max fazia. Mostrando sua excelência em jogos narrativos e baseados em escolhas que efetivamente mudam as coisas, a Dontnod faz aqui um compilado de todas as decisões relacionadas à jornada dos dois irmãos para abrir nada menos do que sete finais possíveis. E quem tem experiência sabe que não dá para esperar um desfecho absolutamente feliz. Ao entregar o final, a empresa felizmente não repete o encerramento maniqueísta do primeiro game da série, mas também ensina uma lição importante. Assim como no caso de Sean e Daniel, muitas das circunstâncias deste final estão acima das capacidades do próprio jogador, que por mais que tenha que tomar uma decisão definitiva, verá todos os seus atos do passado colocados em ação quando as coisas saem do controle, como quase sempre acontece. Finalizando sua obra, a Dontnod também mostra o que a tornou tão relevante desde o início, por mais que o caminho seguido de lá até aqui não tenha sido dos melhores. Ficam lições tanto para quem joga quanto, esperamos, para quem produz, em um game difícil de engolir pelos motivos certos, mas que poderia ter sido muito maior se não fosse uma estratégia errada. Vida longa aos Lobos, e nos vemos por aí, quem sabe... Life is Strange 2 foi testado no PlayStation 4, em cópia digital gentilmente cedida ao Canaltech pela Square Enix. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Nada de iPhone SE 2: iPhone 9 será o nome oficial do aparelho, diz site Veja Mais

EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios

EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios

canaltech Há alguns dias, lojas de e-commerce chinesas estão entrando em contato com consumidores brasileiros para pedir o CPF de cada uma dessas pessoas. Isso porque o número do documento terá que constar na etiqueta junto ao endereço de destino em todas as encomendas internacionais que chegarão ao Brasil a partir de 1º de janeiro de 2020. O Canaltech confirmou com os Correios que existe esta nova exigência. Era a peça que faltava para compreender o caso. Privatização dos Correios: entenda o que vai acontecer com sua encomenda A confusão começou quando a informação de que lojistas chineses começaram a pedir o CPF dos brasileiros que compraram produtos de lojas como GearBest, AliExpress e afins. O Canaltech entrou em contato com ambas, mas só recebeu resposta da primeira, que confirmou a informação. De acordo com a equipe de vendas da GearBest, há uma exigência dos Correios de incluir o CPF na etiqueta de endereço de todos os pacotes que forem enviados para o Brasil a partir de 1º de janeiro de 2020. A encomenda que não contiver esta informação vai retornar ao país de origem ou será destruída, de acordo com um documento do serviço de postagem holandês ao qual tivemos acesso. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Em contato com os Correios, tivemos a confirmação da nova regra. A partir de 1º de janeiro de 2020, toda encomenda internacional que vem para o Brasil deve conter o número do CPF do destinatário. Bom lembrar que há algum tempo já existe uma exigência de fazer a declaração de conteúdo, incluindo nome e CPF do destinatário, para envios feitos dentro do Brasil. E o que isso significa? Nas redes sociais, correm boatos de que essa nova exigência pode aumentar o número de encomendas taxadas. Ou que, no futuro, os Correios criem um sistema de controle dos pacotes internacionais, limitando o número de entradas para cada pessoa física. O que forçaria quem importa muitos produtos a abrir uma MEI, passando a informar o CNPJ para que suas encomendas ingressem no país. Para presidente dos Correios, brasileiros vão pagar a conta da privatização É bom notar, porém, que não é certeza que todas as encomendas passarão a ser taxadas. O CPF pode ser usado pelos Correios para facilitar o processo dessas cobranças, mas há modalidades de frete que, apesar de serem mais caras, facilitam o desembaraço alfandegário por já conterem as informações necessárias para a análise da Receita Federal sobre o conteúdo e já terem os custos de logística incluídos. Mesmo encomendas com frete internacional grátis podem ser taxadas apenas com os R$ 15 do despacho postal. E é aí que a inclusão do CPF junto aos dados do destinatário pode facilitar não apenas o trabalho dos funcionários dos Correios, mas o de quem está importando, pois o processo de cobrança, teoricamente, será mais rápido. Ainda estamos aguardando um posicionamento dos Correios via e-mail, visto que nosso primeiro contato foi via telefone. A matéria será atualizada assim que a assessoria do órgão responder. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Compositor revela como foi criado o som de inicialização do PlayStation Invenção promete consertar ossos quebrados em poucos dias Galaxy Tab A 8.0 2019: o tablet "bom, bonito e barato" em promoção por R$ 616 Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Veja Mais

Compositor revela como foi criado o som de inicialização do PlayStation

Compositor revela como foi criado o som de inicialização do PlayStation

canaltech No começo do mês de dezembro, comemoramos 25 anos do lançamento do primeiro PlayStation, um dos videogames mais influentes da história. Assim, muitas publicações de games estão usando a data para escrever histórias sobre a importância do console e revelar curiosidades sobre ele. Uma entrevista publicada na última quinta-feira (5) com Takafumi Fujisawa revelou como aquele som clássico da logo do PlayStation foi criado. Fujisawa revela que ele criou o som praticamente sozinho, com a Sony apenas mostrando para ele a animação que ele iria sonorizar (o logo da Sony que aparecia ao ligar o console, seguido pelo logo do PlayStation quando o disco do jogo era lido com sucesso) e mais nada, deixando ele totalmente à vontade para criar a composição que achasse melhor. O músico brinca que ele até teria preferido que a Sony passasse mais detalhes sobre o projeto, já que uma das coisas mais difíceis para quem trabalha com sonorização é não ter nenhuma base sonora já definida sobre a qual trabalhar. Como Fujisawa já fazia parte do processo desde antes da ideia do PlayStation estar finalizada (ou seja, desde quando o console ainda era um protótipo desenvolvido em parceria com a Nintendo), ele não teve uma “data limite” para quando essa sonorização deveria ficar pronta, mas revela que todo o processo de imaginar a estrutura musical, pensar nas notas que iria usar e escolher os instrumentos durou cerca de duas semanas, e a gravação em si foi feita em apenas dois dias. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.-   Como ele já fazia parte do projeto desde o início, o músico tinha conhecimento que o chip sonoro do console utilizava a técnica ADPCM para executar sons polifônicos, então ele não precisa se preocupar em criar uma sequência sonora em um único tom, e podia deixar a imaginação correr. Por isso, o resultado criado foi inspirado no trabalho de uma orquestra, pois assim ele poderia não apenas expressar diversas emoções ao jogador como aindo mostrar o próprio poder do PlayStation perante outros consoles de videogame, já que esse tipo de som era uma novidade para a época. A única restrição que ele tinha era quanto ao tamanho do arquivo, já que esse som não ficava arquivado no CD dos jogos, mas sim na própria memória interna do console, e por isso era necessário que este arquivo fosse o mais compacto possível. A ideia do compositor era a de iniciar todo o processo sonoro com um tom mais ameno, com o objetivo de não assustar o usuário de cara quando ele ligasse o videogame. Esse tema inicial logo é cortado por uma escala de C (dó maior) que serve para preparar o jogador para o “momento principal”, que é a transição para o logo do PlayStation. Essa transição é seguida então por barulhos de sinos e instrumentos de corda, e então uma última nota indica o fim da inicialização e que, a partir dali, você estará já dentro do jogo. Fujisawa afirma que sua intenção sempre foi contar uma história, que começa com “você ligou seu videogame”, passa por “se prepare para a aventura” e finaliza com “todos os sistemas estão funcionando, agora você pode aproveitar o seu PlayStation”. Até o som meio sussurrado na transição entre os logos foi pensado como algo que, caso o videogame não conseguisse ler o CD, podia ser algo pra ficar rodando em loop, indicando para o jogador que “algo de errado não está certo” e que seria legal tentar algo como desligar o videogame e limpar o CD. Mesmo 25 anos depois e tantas inovações tecnológicas depois, essa sequência de inicialização do primeiro PlayStation ainda é uma das melhores de qualquer console lançado, e ainda hoje é possível notar toda a preocupação existente com sua criação dele. Iuvir a história que Fujisawa quis contar em cada nota faz a gente querer ligar o PlayStation de novo! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Veja Mais

Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10

Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10

canaltech A partir da última quinta-feira (5), todos os computadores com Windows 10 que ainda não possuem a última atualização no programa, lançada em novembro, passarão a ser atualizados automaticamente. De acordo com a Microsoft, essa atualização automática acontecerá porque a versão de novembro do Windows 10 possui algumas atualizações críticas de segurança. E para o funcionamento do sistema operacional, e é importante que todos os usuários tenham o update instalado em suas máquinas. Outro motivo importante para fazer essa atualização é que a versão 1809 do Windows 10 só continuará a receber updates de segurança até 12 de maio de 2020, e após isso será necessário que os usuários atualizem a versão do Windows para a 1909 (a que foi disponibilizada em novembro) para continuar recebendo essas melhorias. São elas que irão corrigir vulnerabilidade do sistema que podem ser usada por hackers para invadir o computador e roubar seus dados. Assim, esse processo de “atualização forçada” é uma forma da Microsoft garantir que os computadores continuem a receber todas as atualizações da empresa, já que existem muitos usuários que não atualizam suas máquinas porque não conhecem a importância dessa função. E essa não é a primeira vez que a empresa faz isso: no mês passado, ela começou a atualizar automaticamente todas as máquinas que ainda utilizavam a versão 1803 do Windows 10 (que foi disponibilizada em abril) pelo mesmo motivo. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A maior diferença do que ocorreu no mês passado para o que está ocorrendo agora é que, na época, os usuários podiam escolher o melhor horário para efetuar essa atualização, e nesta atual “atualização forçada”, o Windows está simplesmente instalando a nova versão sem te perguntar se deve fazer isso agora ou não, o que pode gerar um certo desconforto com os usuários. Uma forma de burlar isso é entrar no menu de configurações do Windows Update (que fica dentro do menu Atualização & Segurança), escolher a opção “Pausar atualizações por sete dias e, então, clicar em “Opções avançadas” e selecionar a data que você quer a atualização aconteça. No menu do Windows Update, você pode escolher pausar as atualizações e depois clicar em "opções avançadas" (Captura: Rafael Rodrigues/Canaltech) Dentro do Opções Avançadas, é possível escolher a data mais interessante para a atualização acontecer (Captura: Rafael Rodrigues/Canaltech) Mas, caso você utilize essa técnica, marque bem a data agendada porque, quando chegar nela, assim que ligar o computador você será obrigado a atualizar o Windows, e não terá tempo de mandar pausar novamente antes da atualização ser completada. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Veja Mais

Aprenda a gravar o que está sendo reproduzido na tela do seu celular

Aprenda a gravar o que está sendo reproduzido na tela do seu celular

canaltech Gravar a tela do celular já foi uma tarefa complicada, mas atualmente existem aplicativos que facilitam esse processo e permitem que usuários compartilhem vídeos de jogos, conversas e outras áreas da tela do smartphone. Para ajudar você com essa tarefa, preparamos um tutorial completo sobre como capturar e gravar a tela do seu celular de maneira fácil. Como gravar a tela do Android: AZ Screen Recorder Algumas marcas de celulares Android oferecem no sistema uma ferramenta nativa que grava a tela, como Xiaomi, Samsung, BLU e Huawei, por exemplo. Acontece que a disponibilidade desse recurso e seu modo de funcionamento pode variar de acordo com a versão do sistema instalado e até mesmo do modelo do celular. Por isso, selecionamos dois aplicativos que cumprem com esse objetivo e que contam com recursos extras que permitem o compartilhamento rápido e edição dessas gravações. O primeiro deles é o AZ Screen Recorder, disponível gratuitamente no Google Play para qualquer celular com Android 5.0 Lollipop ou superior. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Passo 1: depois de baixar o AZ Screen Recorder, abra o aplicativo e dê a permissão para sobreposição de tela. Isso permitirá que o app seja executado por cima de outros. Passo 2: após conceder essa permissão, você verá que um carrossel de funções do AZ Screen Recorder irá aparecer na tela de início. Para gravar qualquer aplicativo ou jogo, basta ir até ele e clicar no ícone de câmera, em vermelho. Novas permissões serão solicitadas, de acesso ao microfone e arquivos da galeria de fotos. Passo 3: ao clicar no ícone de câmera, o AZ Screen Recorder irá exibir uma contagem regressiva de 3 segundos. Depois disso, sua tela começará a ser gravada e você pode controlar a gravação (pausar ou encerrar) através dos controles que aparecem na central de notificações (imagem acima). Pronto! O vídeo será salvo automaticamente na galeria de fotos do seu celular Android. Você pode abrir o aplicativo AZ Screen Recorder, escolher o arquivo e editá-lo, removendo cenas ou corrigindo a rotação. Como gravar a tela do Android: Mobizen A segunda escolha do nosso tutorial é o Mobizen, que atualmente está classificado como uma recomendação dos editores do Google Play. Passo 1: depois de baixá-lo, abra o aplicativo e escolha "não quero remover anúncios". Isso fará com que você permaneça usando a versão grátis do app. Passo 2: um carrossel de funções irá aparecer na tela de início do seu celular. Clique no botão "gravar" com ícone de câmera e, em seguida, conceda as permissões que foram solicitadas de acesso ao microfone e galeria de fotos. Passo 3: uma contagem regressiva de 3 segundos irá aparecer antecedendo o início da gravação. Você pode pausar ou encerrá-la através dos controles que aparecem na central de notificações (imagem acima). Ao encerrar uma captura, um pop-up irá aparecer na tela para confirmar novamente se você deseja realmente parar a gravação. O vídeo é salvo automaticamente na sua galeria. A versão grátis do Mobizen não oferece ferramentas de pós-edição, portanto, recomendamos que você edite o vídeo usando recursos do sistema Android ou de aplicativos que cortam e editam vídeos, como o WhatsApp e o Instagram. Como gravar a tela do iOS A partir do iOS 11, a Apple oferece uma ferramenta nativa que grava a tela do iPhone ou do iPad. Após a conclusão da gravação, você pode ir até a galeria de fotos e editar o vídeo manualmente, cortando, ajustando a rotação, e até corrigindo cor, brilho, saturação e nitidez para quem usa o iOS 13. Passo 1: primeiro, veja se o seu dispositivo é compatível com o iOS 11 acessando essa lista no site da Apple. Caso não esteja atualizado, faça o download e instalação dessa versão. Passo 2: agora, acesse a central de controles (deslizando para baixo do canto superior direito no iPhone X ou posteriores, ou arrastando de baixo para cima em modelos anteriores). Por padrão, o botão de gravação de tela vem fixado nessa central. Passo 3: você pode clicar rapidamente para iniciar uma gravação de tela, ou pressioná-lo por alguns segundos para ver a opção de "desligar microfone" para que o áudio externo não seja capturado. Passo 4: ao iniciar um vídeo, o iOS exibirá uma contagem regressiva e irá mostrar um ícone de gravação em andamento no canto superior da tela na cor vermelha. Para interromper a gravação, basta clicar nesse ícone a qualquer momento. E aí, você já conhecia estas três formas de gravar a tela do celular? Qual outro aplicativo você indica? Deixe sua sugestão nos comentários abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Veja Mais

WhatsApp ganha função de lembretes, mas você terá de pagar por isso

WhatsApp ganha função de lembretes, mas você terá de pagar por isso

canaltech Uma nova função implementada a partir desta sexta-feira (6) WhatsApp promete ser muito útil para seus usuários: a criação e o envio de lembretes para tarefas, tanto para você como para seus contatos. O problema: você terá de pagar US$ 6 mensais por isso. O WhatsApp em si segue gratuito, claro, mas uma integração recém-anunciada com a plataforma de serviços Any.do é o que permite o uso da novidade, por meio de uma assinatura premium. A função em si é bem simples, permitindo que você ajuste lembretes simples, como lembrar de ir ao mercado fazer compras ou relembrar um contato de algum evento próximo. A integração entre o WhatsApp e o Any.do traz sincronização total, então não há risco de perder alguma informação ou compromisso importante caso você queira transitar entre as duas plataformas. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Para acionar a novidade, faça o seguinte: Abra o seu painel de controle da conta premium do Any.do (via app ou página da web) Vá em “Ajustes” (Settings) > "Integrações" (Integrations) -> WhatsApp Insira o seu número e pressione “Enviar” (Send). Você receberá um código de seis dígitos via SMS: insira-o no campo correspondente e confirme Agora ative os lembretes e pronto, você já pode criar e compartilhá-los. (Imagem: Divulgação/WhatsApp) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Facebook não exige mais número do telefone para recuperar senha perdida

Facebook não exige mais número do telefone para recuperar senha perdida

canaltech Uma das medidas do Facebook para a recuperação de senhas esquecidas é o uso do número de seu telefone para reaver suas credenciais. O funcionamento da ferramenta é bastante técnico e envolve parcerias com operadoras de telefonia, mas basicamente ele pede que o usuário que tenha perdido ou esquecido a sua senha possa criar uma nova após confirmar a identidade por meio do número de sua linha móvel. Em um anúncio feito nesta sexta-feira (6), o Facebook atualizou as telas de recuperação de senha, posicionando de forma mais evidente os avisos de coleta de informações fornecidas pelo usuário. No intuito de agir com maior transparência, a rede social criada por Mark Zuckerberg também implementou uma opção de não informar (opt out) certos dados, como o número do seu celular. (Imagem: Divulgação/Facebook) As novas telas informam expressamente que o Facebook pede e recebe das operadoras as informações tangentes ao número de telefone de um usuário. No mesmo aviso, fica a opção de não compartilhar essa informação. Mais além, na tela de logout da conta, ainda serão exibidos alertas sugerindo o salvamento das informações de acesso. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- (Imagem: Divulgação/Facebook) Vale ressaltar, porém, que nos aplicativos para smartphone a opção também é selecionável e fará com que o Facebook não forneça mais o número de telefone dentro das informações preenchidas previamente. Entretanto, os usuários ainda podem ter seus números compartilhados caso tenham feito isso em outras tentativas de login ou tenham salvado a informação no aplicativo ou em algum serviço de senhas do aparelho, como é o caso do Smart Lock do Google em celulares Android. A novidade está disponível, por ora, apenas em alguns países, mas deve ser gradualmente disponibilizada por toda a base de usuários nas próximas semanas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Galaxy S10 começa a receber atualização para o Android 10 no Brasil

Galaxy S10 começa a receber atualização para o Android 10 no Brasil

canaltech A família Galaxy S10 de smartphones da Samsung começou a receber no começo desta semana a atualização para o Android 10. Se você tem um Galaxy S10, Galaxy S10+ ou Galaxy S10e (este último, com a atualização disponível desde a quarta-feira, 4 de dezembro), vale buscar no menu de configurações do seu aparelho para ver se o download já se encontra disponível para você. As principais mudanças incluem o modo escuro para a interface One UI 2.0, novos gestos de navegação foram criados e implementados pelo Google (com duas opções de uso: a nova do Google ou a padrão na Samsung, na parte inferior da tela) e gravação nativa de display em três variações de resolução: 480p, 720p e 1080p. Vale citar: a atualização é disponibilizada gradualmente, em um processo que deve levar todo o mês de dezembro para atingir a base de usuários em sua totalidade. Assim sendo, se o arquivo não apareceu para você, aguarde alguns dias e tente buscá-lo de novo. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Galaxy S10 Android 10 (Felipe Junqueira / Canaltech) Galaxy S10 Android 10 (Felipe Junqueira / Canaltech) Galaxy S10 Android 10 (Felipe Junqueira / Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Apple libera quarta série de betas do iOS 13.3, iPadOS 13.3, tvOS 13.3 e watchOS

Apple libera quarta série de betas do iOS 13.3, iPadOS 13.3, tvOS 13.3 e watchOS

canaltech A Apple liberou a quarta série de atualizações para vários de seus sistemas operacionais, seguindo um curso que iniciou-se lá no início do mês de novembro. Desde a noite desta quinta-feira (5) estão disponíveis para download no Apple Developer Center a quarta versão beta do iOS 13.3, iPadOS 13.3, tvOS 13.3 e watchOS 6.1.1 — lembrando que essa novidade vale apenas para usuários cadastrados no programa de testes da fabricante. Foi em 5 de novembro que a Apple disponibilizou o primeiro beta, com o segundo chegando no dia 12 e o terceiro, no dia 20 do mesmo mês. Desde então, foram feitas correções no processo multitarefas, que fechava sem motivo aplicações rodando em segundo plano, fazendo com que o usuário perdesse dados. Outras mudanças trazidas pelo beta incluem desabilitar o Memoji dos teclados virtuais e suporte às tecnologias de senhas via NFC, USB e Lightning para autenticação via Safari (WebAuthn Standard). Quarta rodada de betas do iOS 13.3, além de diversos outros sistemasoperacionais, estão disponíveis para download Como de praxe, vale o aviso: a Apple não recomenda que o beta seja instalado em seu dispositivo primário nem que ele seja adotado como uma ferramenta de uso de rotina. Apesar de avançada, essa versão ainda não é a final e está sujeita a erros. O ideal é que ela seja instalada em um segundo aparelho. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Para inscrever-se nos programas de teste da Apple e baixar as novas versões, você pode se inscrever no programa Apple Beta Software. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Anatel quer reduzir tributos para expandir internet via satélite nos domicílios

Anatel quer reduzir tributos para expandir internet via satélite nos domicílios

canaltech Para a massificação da banda larga, o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Leonardo de Morais, defendeu a redução das taxas do Fundo de Fiscalização das Telecomunicações (Fistel) nos comunicadores satelitais utilizados por consumidores para acesso à internet. A disseminação desses aparelhos pode atender, principalmente, domicílios no interior e Norte e Nordeste do País. O presidente da Anatel participou, nesta quarta-feira (4/12) em Brasília, de Audiência Pública na Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) na Câmara dos Deputados. Para a Anatel, a disseminação do uso desses equipamentos depende, em larga medida, da redução do seu custo. Uma das principais barreiras ao uso de comunicadores satelitais para usuários de menor renda é o valor das taxas de Instalação (TFI) e de Fiscalização (TFF), que compõem o Fistel. A primeira de R$ 201,12 é paga na contratação do serviço e a segunda de R$ 100,56 é paga anualmente pelos consumidores. O posicionamento da Agência é para que esses valores passem a ser equivalentes aos aplicados nos telefones celulares, consideravelmente menores. Morais, durante a Audiência Pública, destacou o Projeto de Lei do Senado nº 349/2018, sob relatoria do senador Chico Rodrigues, que altera as regras de cobrança das taxas do Fistel. Reestruturação de fundos setoriais Na Audiência Pública da CDC, o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Cesar Pontes, solicitou que, caso os fundos de ciência, tecnologia e comunicações sejam extintos com a PEC dos Fundos, eles sejam recriados pelo Congresso. “Se os fundos desaparecerem, eles são importantes para o setor de tecnologia, que sejam recriados de uma maneira mais eficiente para uso”. Ele citou o Fistel, que poderia vir a ser utilizado nos satélites que apoiam as telecomunicações e no próprio Programa Espacial Brasileiro. Ele também lembrou do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT), que possui R$ 300 milhões arrecadados e apenas R$100 milhões utilizados. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O presidente da Anatel informou que também o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust), que arrecadou em valores atualizados R$ 35 bilhões, não teve, até o presente, a utilização a que se destina. “Precisa de uma revisão legislativa. Precisa alterar a legislação do Fundo, ainda que não consigamos utilizar os recursos arrecadados, que possamos ao menos destravar o uso daqui para a frente.” O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio Menezes, disse que, em relação ao Fust, o governo vai apresentar Projeto de Lei, originado de proposta formulada pela Anatel, para garantir a aplicação efetiva dos valores e mudar a destinação da telefonia fixa para a banda larga. Ele acredita que, nos primeiros dias do ano de 2020, esse Projeto de Lei sobre o Fust vai ser encaminhado ao Congresso Nacional. O presidente da CDC, deputado João Maia, lembrou que já apresentou o Projeto de Lei 4.899/2019 para permitir que os recursos do Fust sejam aplicados para financiamento de políticas governamentais de telecomunicações, programas de cidades inteligentes e construção de infraestrutura de transporte de dados para iluminação pública que comporte soluções de Internet das Coisas (IoT). A questão da cobertura dos serviços de telecomunicações no interior do país foi apresentada pelo deputado Eli Borges durante a Audiência. Qualidade do acesso à Internet e Cobranças Indevidas A Audiência Pública na CDC foi motivada pela liderança das empresas de telefonia no ranking de reclamações da Fundação Procon do estado de São Paulo (Procon – SP). As três empresas com mais reclamações naquele estado, todas de telecomunicações, totalizam mais de 61 mil queixas no acumulado até setembro de 2019. A maioria das reclamações no Procon-SP são relativas às cobranças de Serviços de Valores Adicionados (SVAs) não reconhecidas pelos consumidores. Há vários tipos de SVAs, como serviços de informação (acesso a revistas e noticiários, por exemplo) e de entretenimento (músicas e vídeos). Morais afirmou que, com medidas tomadas pela Anatel a partir de 2017, houve uma queda de 204 mil do total de reclamações relativas à SVAs recebidas pelo órgão regulador contra operadoras de telecomunicações. A Anatel impôs às operadoras de telecomunicações uma maior segurança na contratação de SVAs, maior controle da disponibilidade desses, revalidação da base de assinantes e gestão de débitos futuros. O deputado Aureo Ribeiro criticou a falta de acesso à telefonia móvel, principalmente no estado do Rio de Janeiro. Morais disse que, neste ano, a Anatel fixou como sanção regulatória à Nextel a criação de infraestrutura em vez de multa. Isso resultou na implantação de antenas 4G no interior daquele Estado, em distritos municipais afastados das sedes. Essas localidades, como Boa Sorte no Município de Cantagalo e Santa Cruz no Município de Santo Antônio de Pádua, passaram a receber cobertura de telefonia móvel, voz e dados, em alta tecnologia. Segundo o presidente da Anatel, “com medidas criativas como essas (obrigações de fazer, Termos de Ajustamento de Condutas e outras) podemos chegar (a telefonia móvel) à população”. Licitação do 5G Morais informou que na futura licitação das faixas de quinta-geração (5G), prevista para o próximo ano, estão sendo discutidas propostas de obrigações de investimento em infraestrutura e cobertura, e que esse não deverá ser um leilão exclusivamente arrecadatório. Ele citou o "Leilão do 3G", realizado em 2007 pela Anatel, no qual blocos de radiofrequência contemplando uma associação de áreas atrativas e menos atrativas foram licitados com contrapartidas de obrigações de investimento nessas últimas. O deputado Felipe Carreras se manifestou pelas contrapartidas de cobertura dos serviços no Edital de 5G. “Temos cerca de 30% de brasileiros desconectados, 60 milhões de pessoas, temos de ter essa visão social”. O deputado Ubiratan Sanderson lembrou que “a Anatel terá papel fundamental na democratização da comunicação nos cantões do Brasil onde precisamos ter a comunicação acessível a todos”. Ele deu parabéns pela condução de Leonardo de Morais à frente do órgão regulador, “a equipe formada por técnicos nos dá a tranquilidade de que teremos a chegada do 5G”. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 CT News - 05/12/2019 (WhatsApp indica que é do Facebook e assusta a internet) Veja Mais

Como criar um cartão pessoal no Gmail com link para o Facebook

Como criar um cartão pessoal no Gmail com link para o Facebook

canaltech Se você deseja criar um cartão pessoal no Gmail de maneira simples e rápida, é possível fazer isso com a ajuda de uma extensão para o Google Chrome: a WiseStamp. Ela faz com que todas as suas mensagens contenham sua assinatura acompanhada de seu email (gmail.com ou outro) e link para seu perfil no Facebook, além de dados pessoais como nome, profissão, empresa atual, entre outros. Confira, a seguir, como fazer seu cartão do Gmail com a WiseStamp Passo 1. Acesse o link da WiseStamp e clique em “Usar no Chrome”. Dê preferência à versão com mais avaliações para garantir maior confiabilidade. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 2. Clique em “Adicionar extensão” para baixar a WiseStamp. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Captura de tela: Ariane Velasco Passo 3. O software de edição de seu cartão do gmail.com será aberto. Comece inserindo informações como nome, título, empresa, telefone, celular, site pessoal, email e endereço. Você também pode adicionar mais informações clicando em “Add more”. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 4. Em “Social” você pode adicionar, além de seu email no gmail.com, suas contas em sites como o Facebook, LinkedIn, Twitter, Instagram, entre diversos outros. Adicione suas redes sociais à sua assinatura do Gmail.com (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 5. Em “Add-Ons”, você pode adicionar uma assinatura personalizada, botões que levam as pessoas às suas redes sociais, banners, frases, entre diversos outros designs para seu cartão do gmail.com. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 6. Em “Template”, você pode escolher o melhor design para seu cartão de apresentação do gmail.com. Templates para assinatura do Gmail.com e outros sites (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 7. Por fim, em “Design”, você pode personalizar seu cartão do gmail.com.. No entanto, esse recurso está disponível somente para usuários premium do WiseStamp. Deisgn de assinatura para o Gmail.com e outros websites (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 8. Uma vez que seu design esteja pronto, clique em “Ok, I’m done”. Depois, informe à WiseStamp onde sua assinatura será utilizada (ex.: gmail.com, Outlook, Yahoo!, entre outros). Captura de tela: Ariane Velasco Passo 9. Por último, clique em “Refresh your (nome do site escolhido)” para concluir a criação de sua assinatura. Atualize o Gmail.com para aplicar sua assinatura (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 10. Clique em “Yes” para confirmar a utilização da assinatura em sua conta do gmail.com ou outro website. Assinatura adiciona ao Gmail.com (Captura de tela: Ariane Velasco) Versão premium do WiseStamp Também é possível assinar a versão premium do WiseStamp para ter acesso a mais designs de cartões do gmail.com. O site está disponível tanto na versão individual quanto em equipe (para vários funcionários de uma empresa). Para isso, acesse o site de preços do WiseStamp. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Google Chrome: confira 15 atalhos disponíveis no navegador

Google Chrome: confira 15 atalhos disponíveis no navegador

canaltech O Google criou, no ano passado, diversos atalhos de busca que, quando inserido na barra de endereços pelo usuário, permite acesso rápido a diversas novas funcionalidades. Inicialmente, eles estavam disponíveis somente para criar documentos no Google Docs, Planilhas, Apresentações, entre outros recursos. Atualmente, no entanto, é possível utilizá-los para acessar recursos de aplicativos e sites como o Spotify, Canva e o popular app de leitura Medium. De acordo com o Google, a partir de 2020, qualquer pessoa poderá criar URLs personalizadas que funcionarão como atalhos. Até o momento, porém, existem cerca de 15 endereços disponíveis para usar na barra de endereço do Google Chrome. Google Chrome: navegador permite utilizar atalhos para navegação rápida (Imagem: Reprodução) Confira os atalhos disponíveis no Google Chrome para acesso rápido docs.new ou doc.new: responsável por abrir um documento em branco no Google Docs; sheets.new ou sheet.new: abre uma planilha nova no Google Planilhas; keep.new: abre uma nota em branco no Google Keep; slides.new ou slide.new: abre uma apresentação de slides no Google Apresentações; sites.new ou site.new: abre uma página do Google Chrome para criar um novo site no Google sites; cal.new ou meeting.new: cria um novo evento no Google Agenda; playlist.new ou site.new: permite criar uma nova playlist no Spotify (diretamente do Google Chrome); forms.new ou form.new: cria um novo formulário no Google Forms; Google Chrome permite acessar atalhos para diversos documentos (Captura de tela: Ariane Velasco) story.new: abre uma página do Medium diretamente no Google Chrome para que o usuário faça uma nova publicação no site; link.new: abre uma página no Google Chrome para criar um link curto no Bit.ly; canva.new: abre uma página do Google Chrome para criar um design no Canva; invoice.new: cria um novo boleto de pagamento no site Stripe; restaurant.new ou reservation.new: permite busca uma reserva de restaurante no site do OpenTable; coda.new: abre uma página do Google Chrome para criar um novo documento no Coda; sell.new: abre uma página do Google Chrome para a venda de um produto no eBay. Através desses comandos, é possível otimizar seu tempo de navegação e realizar diversas tarefas diretamente pelo Google Chrome. Todos foram devidamente testados e cumprem bem sua função! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Novo headphone da Sony chega em pré-venda ao Brasil por preço camarada

Novo headphone da Sony chega em pré-venda ao Brasil por preço camarada

canaltech A Sony acaba de trazer o headphone WH-CH510 ao mercado brasileiro. O dispositivo já pode, inclusive, ser encontrado em pré-venda. O modelo faz parte da linha de acessórios essenciais da companhia, que traz qualidade aliada ao custo benefício. O fone WH-CH510 conta com tecnologia Bluetooth 5.1, microfone integrado para o uso em chamadas ou para fazer comandos de voz ao assistente virtual, autonomia de bateria de até 35 horas, cabo USB Tipo-C e carregamento rápido, graças à tecnologia Quick Charge. O produto também possui compatibilidade com o aplicativo Headphone Connect para ajustes via smartphone, e pesa apenas 132 gramas, sendo indicado para o uso no dia a dia por ser prático e confortável. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Imagem: Divulgação/Sony Sony headphone WH-CH510: preço e disponibilidade O novo headphone WH-CH510 da Sony já está disponível para pedidos de pré-venda, nas cores preto, azul e branco, com preço sugerido de R$ 299,99. E aí, você acha que vale a pena? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021 Veja Mais

Cientistas criam neurônios artificiais e miram na cura do Alzheimer

Cientistas criam neurônios artificiais e miram na cura do Alzheimer

canaltech Para curar doenças crônicas, como insuficiência cardíaca, mal de Alzheimer e outros problemas neuronais, cientistas  desenvolveram dispositivos que se passam por neurônios artificiais — que, na verdade, são chips de silício, material básico da fabricação de processadores de celular e computador. A invenção, que se comporta exatamente como as células nervosas reais, é uma grande conquista da biotecnologia e deve ajudar no desenvolvimento de dispositivos médicos. Vale lembrar que os neurônios são células do sistema nervoso que têm como principal função conduzir os impulsos nervosos pelo corpo do indivíduo. Além de agirem e funcionarem como neurônios artificiais, o chip precisa de apenas de um bilionésimo da potência de um microprocessador, o que o torna ideal para uso em implantes médicos e outros dispositivos bioeletrônicos pelo baixo consumo energético e alta eficiência. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Comprovando sua eficácia, a equipe de pesquisa conta com especialistas e acadêmicos das universidades de Bath, Bristol, Zurique e Auckland, e descreveu o funcionamento dos neurônios artificiais em um artigo recente, publicado na Nature Communications. Desenvolvimento Há anos, os cientistas buscam desenvolver neurônios artificiais, o que até o momento era um desafio enorme, justamente porque a biologia é sempre muito mais complexa que a eletrônica, e as respostas neuronais são difíceis de prever, sintetizar e mimetizar, dada a sua complexidade. "Até agora, os neurônios eram como caixas pretas, mas conseguimos abri-la e espiar por dentro. Nosso trabalho está mudando de paradigma, porque fornece um método robusto para reproduzir as propriedades elétricas de neurônios reais em detalhes”, comemora o professor Alain Nogaret, do Departamento de Física da Universidade de Bath. Cientistas criam chips que funcionam como neurônios artificiais Por trás da invenção, foram necessárias horas e horas e estudos, cálculos e modelagens para entender e explicar como os  neurônios respondiam aos estímulos elétricos de outros nervos. O processo todo é bastante complicado, porque as respostas não são lineares e nem facilmente previsíveis.  Dessa maneira, a equipe primeiramente projetou chips de silício que simulavam os mesmos percursos que os estímulos percorriam no cérebro, efetivando-os na prática, antes de provar que seus neurônios artificiais imitavam com precisão os neurônios reais. Assim, a equipe dividiu o processo de desenvolvimento em duas etapas. Impactos na medicina A invenção abre a possibilidade para novas terapias e eventuais curas de condições até então consideradas irreversíveis, como em casos em que os neurônios não estão funcionando adequadamente ou tiveram seus processos interrompidos por uma lesão na medula espinhal. O chip é bastante promissor, porque os neurônios artificiais podem reparar os biocircuitos doentes, replicando sua função saudável e respondendo adequadamente ao padrão biológico, como se fosse uma prótese biônica. "Os neurônios precisam de apenas 140 nanoWatts de potência. Isso é um bilionésimo do requisito de potência de um microprocessador, usado por outras tentativas de produzir neurônios sintéticos”, comenta Nogaret. Segundo o professor, isso torna os neurônios adequados para implantes bioeletrônicos, inclusive, no tratamento de doenças crônicas, como insuficiência cardíaca e mal de Alzheimer. Tais doenças possuem um fundo em comum, já que os neurônios do córtex não respondem adequadamente aos comandos do sistema nervoso. No caso da insuficiência cardíaca, os neurônios não enviam os sinais corretos para o coração, que por sua vez não bombeia o sangue tão forte quanto deveria. "Por exemplo, estamos desenvolvendo marcapassos inteligentes que não apenas estimulam o coração a bombear a um ritmo constante, mas usam esses neurônios para responder em tempo real às demandas impostas ao coração — o que acontece naturalmente em um coração saudável”, explica Nogaret. Agora, o grupo de pesquisadores consegue estimar com precisão os parâmetros que controlam o comportamento dos neurônios com maior clareza. Segundo o pesquisador, "criamos modelos físicos e demonstramos sua capacidade de simular com êxito o comportamento de neurônios vivos. Nossa terceira descoberta é a versatilidade do nosso modelo, que permite a inclusão de diferentes tipos e funções de uma variedade de neurônios complexos em mamíferos".  Por isso mesmo, o experimento que obteve sucesso em ratos, logo deve ser testado em humanos. Nesse futuro, outras possíveis aplicações poderiam ser no tratamento de doenças como Alzheimer e doenças degenerativas neuronais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Veja Mais

Google libera beta do Modo Foco para diminuir ansiedade e distrações no Android

Google libera beta do Modo Foco para diminuir ansiedade e distrações no Android

canaltech Todo mundo com um smartphone na mão sofre com a mesma mania: a de olhar o tempo para o dispositivo por conta de alguma notificação. Isso tem provocado o aumento da ansiedade e também causa uma distração constante — o que pode comprometer bastante a produtividade e o próprio bem-estar. O Google já havia anunciado um recurso chamado Modo Foco, capaz de amenizar os efeitos dos alertas digitais, e agora começa a liberar sua fase beta. A ferramenta faz parte do programa “Bem-Estar Digital” e ajuda a pausar temporariamente os apps para que os usuários possam se concentrar em suas tarefas. Se você deixar redes sociais e games “na geladeira”, por exemplo, toda vez que tentar usá-los, o software vai te lembrar que eles estão fora de ação. E isso significa também que os comunicados enviados por esses aplicativos também ficarão emudecidos, até segunda ordem. (Imagem: Divugalgação/Google) As principais funcionalidades, por enquanto são a programação de horários em que determinados apps ficarão fora do ar e a possibilidade de “dar uma escapadinha” do Modo Foco só para usar rapidinho algum utilitário, sem alterar o cronograma estabelecido no período. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- O Modo Foco começa a ser distribuído a partir desta quarta-feira (4), para todos os dispositivos que atualmente possuem configurações de Bem-Estar Digital e Controle Parental, incluindo novos telefones iniciando com o Android 9 e Android 10. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet

WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet

canaltech Nos últimos dias, uma mudança surpreendeu os usuários do WhatsApp: ao abrir o programa de mensagens, as pessoas estão se deparando com uma tela com os dizeres “WhatsApp From Facebook” — que, em português, poderia ser traduzido como “WhatsApp do Facebook”. Essa tela já vinha sido mostrada nas versões beta do WhatsApp desde agosto, e a implementação dela para todos os usuários faz parte de uma mudança na identidade visual do Facebook, que lançou uma nova logo no mês passado e passará a vincular o nome da empresa aos outros apps que possui. Como podemos ver, o primeiro deles está sendo o WhatsApp, mas logo o mesmo tipo de “tela de entrada” deverá aparecer também no Instagram. Tela de entrada que começou a aparecer para os usuários do WhatsApp (Captura: Rafael Rodrigues/Canaltech) A ideia dessa mudança é esclarecer que o Facebook é dono de todos esses aplicativos, algo que muita gente ainda não tinha conhecimento. De acordo com uma pesquisa feita pelo Pew Research Center com o público dos Estados Unidos, ao perguntar para as pessoas se o Instagram e o WhatsApp faziam parte do Facebook, 22% responderam que “não” e 49% revelaram que não sabiam. E, como podemos ver por alguns tweets, esse desconhecimento não é exclusivo dos EUA. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Que porra é essa de from Facebook no meu whatsapp???? — mateus S.F.C (@mateeussiqueira) December 5, 2019 O Instagram e Whatsapp agora são do Facebook é? — intrusus (@intrusus_) December 5, 2019 Imagina se agora que o Facebook comprou o whats app todas as nossas conversas do whats vão parar no Facebook, socorro — Shamela Leal (@shamelaleal) December 5, 2019 Para quem ainda tem dúvidas, o WhatsApp pertence ao Facebook desde 2014, quando o aplicativo foi adquirido por US$ 16 bilhões. Já o Instagram faz parte do Facebook desde 2012, e foi comprado por US$ 1 bilhão. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando? Veja Mais

São Paulo sedia na próxima semana principal evento de vendas B2B do Brasil

São Paulo sedia na próxima semana principal evento de vendas B2B do Brasil

canaltech Pelo segundo ano consecutivo, os empreendedores paulistanos terão a oportunidade de ter um dia de imersão sobre principais tendências e técnicas de vendas B2B, além de temas ligados às áreas de marketing, customer success, gestão de negócios e pessoas. O conteúdo será trazido por renomados especialistas do mercado, em cinco palcos diferentes, durante o Ramp Up Tour, que acontece no dia 10 de dezembro, no espaço ARCA. De acordo com Ricardo Corrêa, CEO da Ramper e idealizador do Ramp Up Tour, o evento visa trazer o conhecimento de novas metodologias e tecnologias expostas pelas empresas patrocinadoras e apoiadoras, encorajando também os participantes a promover a revolução digital em seus negócios. “O Ramp Up Tour é indicado para profissionais de vendas, marketing e customer success interessados em aperfeiçoar seus conhecimentos, além de gestores de pessoas e empreendedores que pretendem acelerar seus negócios”, argumenta Corrêa, que também vai realizar a palestra master do evento. Na ocasião, ele vai expor como a empresa conseguiu dobrar o seu faturamento neste ano, sem aumentar o investimento, além de explicar como é possível definir processos de vendas e estabelecer metas para garantir o crescimento contínuo dos negócios. Palestrante master do evento, Ricardo Corrêa, CEO e fundador da Ramper, vai explicar aos empreendedores como definir processos de vendas e estabelecer metas para garantir o crescimento contínuo dos negócios Ainda entre os destaques da programação está a apresentação de Marcelo Lombardo, CEO da Omie, que vai expor ao público as vantagens do conceito Blitzcaling e alguns capítulos não contados sobre o crescimento acelerado de startups com base no histórico da startup, no palco “Gestão”. No mesmo painel, o CEO e fundador da Smart Money, Fábio Póvoa, pretende mostrar como um fundo de venture capital pode agregar valor ao portfólio das empresas investidas, numa ótica muito além do dinheiro. No palco “Vendas”, Fernando Liberato, CSO da Aurum, irá contar a história da máquina de vendas da empresa, que levou o negócio a ser comprado por uma companhia canadense. Já no espaço “Customer Success”, o destaque fica por conta de Diego Azevedo, gerente estratégico de operações da MindMiners. Ele irá mostrar como transformar o funil de vendas em uma ampulheta de receitas. Além disso, no palco “People”, Camely Rabelo, diretora de desenvolvimento comercial da Omie, traz os 7 hacks para qualquer executivo de vendas decolar na carreira. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A programação completa do Ramp Up Tour São Paulo está disponível no site. A expectativa da organização é receber mais de 1.000 participantes. Antes da capital paulista, o evento passou neste ano por Florianópolis, Goiânia, Curitiba, Belo Horizonte e Rio de Janeiro, além de mais 10 importantes cidades brasileiras em edições pocket. Ramp Up Tour São Paulo Data e horário: 10 de dezembro, das 8h às 20h Local: ARCA Endereço: Av. Manuel Bandeira, 360 - Vila Leopoldina Ingressos e informações adicionais: http://rampuptour.com.br Realização: Ramper Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho Veja Mais

Sony anuncia pacote especial do PS VR com cinco jogos para fim de ano

Sony anuncia pacote especial do PS VR com cinco jogos para fim de ano

canaltech A Sony está aproveitando as festividades de fim de ano para anunciar diversos pacotes e ofertas para os fãs do PlayStation 4. Depois de mostrar, na semana passada, os pacotes com consoles e jogos em oferta na Black Friday, a fabricante japonesa aproveitou para revelar agora novas ofertas voltadas aos fãs do PS VR, o headset de realidade virtual do console. O pacote — convenientemente intitulado PlayStation VR Mega Pack — é constituído do headset PS VR, a câmera PS Camera e cinco jogos desenvolvidos para o aparelho, sendo que pelo menos dois deles pertencem a franquias famosas e prometem horas e horas de diversão aos fãs: Resident Evil 7 Biohazard A lendária franquia de horror de sobrevivência Resident Evil passou por uma reformulação em sua edição mais recente, fazendo enorme sucesso no PlayStation 4 sobretudo por contar com suporte a realidade virtual. O jogo coloca você na decrépita casa da família Baker para combater uma série de horrores e monstruosidades a fim de fugir do local. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Resident Evil 7 Biohazard (Imagem: Divulgação/Capcom) The Elder Scrolls V: Skyrim Um dos jogos mais populares do PlayStation 3 foi remasterizado para o PlayStation 4 e, em seguida, ganhou suporte para o PlayStation VR. O jogo é um RPG de ambientação e estética medievais, onde você enfrenta dragões, magos, monstros e soldados inimigos, ao mesmo tempo em que explora amplas regiões, cavernas, calabouços, templos e esconderijos de inimigos em busca de itens, armas e segredos variados. The Elder Scrolls V: Skyrim (Imagem: Divulgação/Bethesda Softworks) ASTRO BOT Rescue Mission Criado exclusivamente para o PlayStation VR, esse jogo tem a progressão de plataforma, fazendo você explorar o espaço e visitar cidades, selvas, cavernas e praias em diversos planetas. ASTRO BOT possui, ao todo, 20 níveis de tamanho moderado e foi bem recebido pela crítica especializada. ASTRO BOT Rescue Mission (Imagem: Divulgação/Sony) PlayStation VR Worlds Outra criação exclusiva para o PS VR, Worlds foi desenvolvido no intuito de mostrar a capacidade do headset de realidade virtual de reproduzir diversos ambientes. Aqui, você se locomove por ruas, cavernas e florestas, enquanto participa de ações mais empolgantes, como um thriller de gangsteres ou dá de cara com um tubarão no fundo do mar. PlayStation VR Worlds (Imagem: Divulgação/Sony) Everybody’s Golf VR Um jogo inteiramente em realidade virtual sobre o esporte eternizado por nomes como Tiger Woods, Jack Nicklaus e Severiano Ballesteros. Aqui, você e seu caddie transitam por três longas tacadas enquanto ajustam seus movimentos em busca daquela jogada perfeita. Everybody's Golf VR (Imagem: Divulgação/Sony) O PlayStation VR Mega Pack está disponível no varejo brasileiro por R$ 2.599. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Veja Mais

Twitch lança painel de controle mais amigável para os novatos

Twitch lança painel de controle mais amigável para os novatos

canaltech A Twitch tem cerca de 100 milhões de usuários mensais, mas somente 3 milhões são criadores de lives. A companhia entende que há potencial para diminuir essa diferença e agora lançou uma nova interface que conta com funcionalidades interessantes para os veteranos e é bem mais amigável para os novatos. O novo Painel do Criador conta com os seguintes recursos: Stream Manager: anteriormente conhecido como Live Dashboard, o novo Stream Manager permite que os usuários arrastem e soltem, abram uma nova janela pop-out ou redimensionem facilmente sua configuração e visualizem rapidamente suas estatísticas, tudo em tempo real; Ações rápidas: permitem que os usuários realizem ações importantes com um único clique, incluindo recorte, execução de um anúncio, liberar emotes apenas no bate-papo, entre outras coisas; Atualizações do criador: espaço novo dedicado para os usuários ficarem por dentro das novidades; Assistente: atualmente disponível apenas para novos streamers, a ferramenta fornece dicas para quem nunca usou a plataforma; “Estamos animados em anunciar uma revisão completa do Painel do Criador, como parte de nossa missão contínua de ouvir, aprender e criar as ferramentas que ajudarão os criadores a crescer, se conectar e prosperar no Twitch. As atualizações incluem um novo e brilhante design, customizável, para atender às suas necessidades de streaming, além de vários outros recursos e ferramentas poderosas com as quais estamos tão empolgados quanto você”, empolgou-se a companhia no comunicado oficial. (Imagem: Divulgação/Twitch) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

Bactéria que se alimenta de asteroide pode explicar origem da vida na Terra

Bactéria que se alimenta de asteroide pode explicar origem da vida na Terra

canaltech Um novo estudo sugere que os meteoritos podem ser uma fonte de alimento para seres vivos, mais especificamente um microrganismo chamado Metallosphaera sedula, uma espécie que se alimenta de metais. Metallosphaera sedula é uma espécie de micróbios semelhantes a bactérias, originalmente isolada de um campo vulcânico na Itália. A primeira parte do nome pode ser traduzida aproximadamente como "esfera mobilizadora de metal", enquanto palavra "sedulus" significa ocupado. Isso descreve a eficiência desses organismos na mobilização de metais, inclusive os que são encontrados nos asteroides. De acordo com a pesquisa liderada pela astrobióloga Tetyana Milojevic, da Universidade de Viena, esses micróbios obtêm sua energia de substâncias inorgânicas através da oxidação, e podem coletar fontes de energia mais rapidamente de rochas extraterrestres do que de minerais antigos terrestres simples. Milojevic explica que o estudo foi realizado para encontrar “impressões digitais microbianas” deixadas em meteoritos. “Isso deve ser útil para rastrear bioassinaturas para a busca da vida em outras partes do Universo”, conclui. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Esse tipo de pesquisa, de acordo com a astrobióloga, pode fornecer aos seus colegas "pequenas dicas" sobre o que eles podem procurar na busca por vida alienígena. “Se alguma vez houve vida em outro planeta, impressões digitais microbianas semelhantes ainda podem estar preservadas no registro geológico”, disse. A equipe examinou como o Metallosphaera sedula interage com o NWA 1172, um meteorito rochoso encontrado no noroeste da África que contém cerca de 30 metais diferentes. Usando várias técnicas de espectroscopia e um microscópio eletrônico, os pesquisadores documentaram as assinaturas deixadas pelo organismo. Assim, eles descobriram que o M. sedula é capaz de consumir material extraterrestre muito mais rápido do que faz com os minerais terrestres, resultando em células mais saudáveis. Compostos inorgânicos do meteorito NWA 1172 (Imagem: Tetyana Milojevic) Enquanto os minerais terrestres fornecem apenas alguns nutrientes para o microorganismo, “o ferro do NWA 1172 é usado como fonte de energia para satisfazer as necessidades bioenergéticas do M. sedula, à medida que os micróbios respiram devido à oxidação do ferro”, explicou Milojevic. A grande variedade de metais no NWA 1172 também pode ser usada para outros processos metabólicos, como acelerar reações químicas vitais dentro das células. E como o meteorito é muito poroso, ele pode promover a taxa de crescimento aprimorada do M. sedula. Isso significa que meteoritos de ferro poderiam ter trazido mais elementos metálicos e fósforo para a Terra, facilitando a evolução da vida, de acordo com Milojevic. Além disso, a pesquisa também pode sustentar a hipótese da panspermia, uma ideia que ainda não pode ser comprovada, mas também não é descartada, já que os cientistas ainda não desvendaram completamente a origem da vida em nosso planeta. E Milojevic tem interesse em explorar essa possibilidade: para isso, sua equipe planeja “testar a sobrevivência do M. sedula em condições ambientais simuladas e reais do espaço sideral”, disse a astrobióloga. O plano, no entanto, terá que encontrar financiamento necessário para enviar os microorganismos para o espaço. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

Top Voices | Veja quem se destacou no LinkedIn em 2019

Top Voices | Veja quem se destacou no LinkedIn em 2019

canaltech Quem vale a pena seguir numa rede social voltada para negócios e networking? Para ajudar a resolver essa questão, o LinkedIn divulgou sua lista anual de Top Voices - profissionais de diferentes setores, como tecnologia e marketing digital, destacados por iniciar boas conversas e criar comunidades através de artigos, publicações e vídeos, tanto no Brasil, quanto fora daqui. Com o objetivo de apresentar novos nomes que valem a pena serem seguidos, a lista não inclui influencers listados em outros anos (exceto em algumas listas específicas, como tecnologia). Além disso, a seleção é baseada na combinação de um algoritmo personalizado do LinkedIn, que mede o engajamento na rede, e uma análise de conteúdo manual feita por um time de editores. Dessa maneira, a lista de profissionais Top Voices incluem desde professores, empreendedores e jornalistas até desenvolvedores de softwares. O pré-requisito é engajar seu público com temas relevantes e atuais, como o desafio da inovação em empresas brasileiras, dicas de carreira em um mundo em transformação acelerada, e liderança feminina. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A seguir, confira 5 destaques brasileiros da lista nacional: Felipe Fialho: Além de ser desenvolvedor no Cubo Itaú e criador do Front-end BR, na rede social Felipe escreve sobre carreira, networking e qualidade de vida com foco em desenvolvedores e profissionais de tecnologia. Em uma publicação recente, Fialho compartilha 15 conselhos que daria a si mesmo se pudesse entrar numa máquina do tempo para voltar ao início da sua carreira; Alice Salvo Sosnowski: A professora de empreendedorismo da PUC-SP fala, principalmente, sobre startups e carreira, aém de abordar temas como ansiedade, mercado de trabalho e a relação disso tudo com a tecnologia na vida de profissionais atuantes no mercado; Douglas Gomides: É especialista em redes sociais, principalmente quando o tema é saúde e health techs. Atualmente, cursa mestrado em Comunicação e Informação em Saúde na Fiocruz, na qual pesquisa a utilização de Mídias Sociais por profissionais de saúde. Além disso, grava uma série de vídeos para a plataforma sobre a importância da comunicação; Amanda Graciano: Gestora de aceleração na Liga Ventures, Amanda produz conteúdo sobre inovação, empreendedorismo, além de inclusão e diversidade no mundo do trabalho. A profissional adora desconstruir mitos também, como a questão da inovação na cultura do país; Luana Génot: Fundadora e diretora executiva do ID_BR, Luana é especialista em diversidade. No LinkedIn, compartilha detalhes dos treinamentos que ministra e dicas para trabalhar a questão dentro das empresas, além de artigos sobre o tema. Sua aposta para o ano que vem é produzir conteúdos sobre as eleições dos Estados Unidos e acompanhar as novas lideranças que se apresentarão. A lista completa dos Top Voices brasileiros está aqui. Linkendin divulga sua lista de Top Voices, aqueles os usuários que mais agregam discussões e conhecimento para a rede Já entre os destaques mundiais na área de tecnologia no mundo, estão: Nir Eyal: O autor e palestrante busca apresentar pontos em comum entre a tecnologia, o design e o comportamento humano. Fora da rede, essa abordagem já levou Eyal à publicação de livros de sucesso, como o de 2019, Indistractable: How to Control Your Attention and Choose Your Life (ainda sem previsão para edição no Brasil); Lisa Seacat DeLuca: Diretora de transformação digital da IBM, Lisa explora e discute as mais diferentes e novas ideias, que vão de assuntos da engenharia até educação, passando por IoT e IA. Além de tudo, é uma IBM Master Inventor - título dado pela própria companhia para profissionais que trouxeram mudanças significativas para dentro da empresa; QuHarrison Terry: Especialista em growth marketing, Terry explica temas que vão dos paradigmas do Metaverso eté o futuro do envelhecimento e assistentes de voz, sempre com foco em tecnologia e sociedade. O Top Voice, inclusive, aposta que os videogames se tornarão grandes redes sociais em um futuro próximo; Allie K. Miller: Responsável pela área de Inteligência Artificial na Amazon, Allie trabalha para aumentar a diversidade em IA e potencializar seu alcance. De músicos a estudantes, as conversas de Miller, no LinkedIn, estão focadas em tornar os campos da tecnologia mais inclusivos e acolhedores; Roshawnna Novellus: CEO e fundadadora da EnrichHER, Roshawnna ajuda a conectar diversas startups, empreendedores e fundadores com os recursos necessários. Entre seus temas, a influencer discute a ascensão de CEOs não tradicionais com histórias únicas e individuais. A lista completa dos Top Voices globais da área de tecnologia está aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Instagram agora exige que novos usuários informem data de nascimento

Instagram agora exige que novos usuários informem data de nascimento

canaltech Você já reparou que o Instagram nunca perguntou sua idade? De acordo com os termos de uso da rede social, o usuário só deveria confirmar ter pelo menos 13 anos para ativar sua conta, na maioria dos países. Mas, a partir de hoje (4), novas regras chegam ao app, e dados como a data de nascimento serão solicitados para novos usuários globalmente. Além disso, os usuários conectados pelo Instagram a partir da conta do Facebook terão sua data de nascimento copiados de uma rede para outra. Isso significa que editar sua data de nascimento no Facebook também mudará, de forma automática, no Instagram. Nos casos em que o usuário não possui uma conta no Facebook ou não conectou as duas contas, ele poderá adicionar ou editar seu aniversário diretamente no Instagram. A empresa ainda discute o quão invasisvo seria tornar essa dado obrigatório para os usuários já cadastrados. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Segundo comunicado da rede social enviado para o Canltech, “isso nos permitirá criar experiências mais apropriadas de acordo com a idade dos membros da nossa comunidade, enquanto cumprimos nossa política já existente de garantir que menores de 13 anos não tenham acesso ao Instagram; saber a idade das pessoas no Instagram é uma parte importante do trabalho que estamos fazendo para manter os jovens seguros”. Aplicando melhor as políticas internas de empresa, a medida deve tornar as segmentações de públicos mais precisas, o que é considerado um benefício para seus anunciantes, por exemplo. Vale informar que o aniversário dos usuários não será visível para outras pessoas — o que é bom por um lado, já que não expõe ninguém, mas, por outro, você já parou para pensar em quantos parabéns você já não deixou de dar por não acessar o Facebook diariamente? Está aí uma boa funcionalidade para o Instagram pensar em um futuro próximo. Ainda, o Instagram explica que usará as informações de aniversário para criar experiências mais personalizadas, como educação sobre controles de conta e configurações de privacidade recomendadas para jovens. Além disso, o Instagram apresentará nas próximas semanas opções para os usuários bloquearem mensagens de pessoas que não seguem, e recursos para empresas e usuários populares, conhecidos como criadores, restringirem mais facilmente o acesso de seus conteúdos a menores de idade. Instgram passa a exigir data de aniversário de novos usuários Entendendo a medida A mudança de política nos termos de uso do Instagram deve impedir a aprovação de normas de segurança infantil e privacidade de dados ao redor do mundo, já que legisladores e grupos de segurança familiar nos Estados Unidos e na Grã-Bretanha criticam o aplicativo por expor as crianças a material inapropriado. Para Jeffrey Chester, que trabalha com questões de segurança das crianças no Center for Digital Democracy, com sede em Washington, a nova política é "muito atrasada" para acompanhar as leis atuais dos EUA, que visam preservar a privacidade online de menores de 13 anos. Seguindo a mesma linha, a Sociedade Nacional para a Prevenção da Crueldade Contra as Crianças, com sede em Londres, disse que pedir "uma data de nascimento não verificável não fará nada na prática para proteger as crianças de conteúdo prejudicial ou inapropriado para a idade". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol

NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol

canaltech A NASA liberou as primeiras descobertas de uma das mais audaciosas missões atualmente em curso no Sistema Solar. A Parker Solar Probe, que está perto do Sol como nenhuma outra sonda pôde chegar, já descobriu muita coisa sobre a estrela. Nada menos que quatro artigos escritos a partir de dados da sonda foram publicados na revista científica Nature nesta quarta-feira (4). Entre os estudos, está mais uma confirmação de que os ventos solares são diferentes nas proximidades do astro, inclusive em comparação com o que medimos aqui na Terra. Recentemente, a sonda New Horizons confirmou que a força dessas partículas solares é reduzida conforme nos afastamos da estrela guia. Aqui na Terra, esses ventos solares, quando mais ativos, podem impactar o campo magnético do planeta, com potencial até mesmo de afetar dispositivos de comunicação. Cientistas buscam, de diversas maneiras, compreender melhor esses fenômenos para evitar um apagão comunicativo no planeta, entre outros problemas. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.-   De acordo com as observações, o vento solar nas proximidades da estrela possui um sistema dinâmico e altamente estruturado, parecido com o estuário que serve de transição de um rio para o oceano. Nas proximidades da Terra, esse vento é uniforme. Esse dinamismo, uma espécie de zigue-zague das partículas solares, não havia sido previsto em nenhum modelo anterior, e pode ajudar a compreender melhor como os campos magnéticos solares, mais complexos do que se esperava, influenciam a trajetória do vento solar. Dados também trazem mais mistérios Outro fator observado pelos pesquisadores é que o plasma liberado pelo Sol possui influência na rotação da estrela. Ainda falta compreender a velocidade dessas ejeções. Os dados também descobriram que existe uma área próxima ao Astro-Rei em que não há presença de partículas de poeira. E mais um mistério que a Parker Solar Probe ainda tenta resolver é o motivo de a coroa solar, a atmosfera estendida da estrela, atingir temperaturas que chegam aos milhões de graus Celsius, sendo até milhares de vezes mais quente, e não mais fria, que os cerca de 5.600 graus da fotosfera. A sonda está em uma órbita que varia entre distâncias maiores e menores da superfície do Sol. Os dados estudados foram todos coletados a uma distância de, pelo menos, 24 milhões de km. A missão prevê que a proximidade máxima será de 6 milhões de quilômetros da superfície. “Nessa época, o Sol fará a transição para uma fase mais ativa de seu ciclo de 11 anos, então podemos esperar resultados ainda mais empolgantes em breve”, obervou Daniel Verscharen, pesquisador do University College London, que não participou dos estudos, mas comentou os artigos em um texto na mesma edição da Nature. Conforme a sonda se aproxima da superfície solar, novos dados serão coletados, e os cientistas esperam que mais mistérios sejam solucionados. A ESA (agência espacial europeia) também vai lançar uma sonda para estudar as proximidades do Sol, a Solar Orbiter, que certamente vai nos ajudar a compreender melhor a Estrela Guia de nosso planeta, além de outras estrelas no universo que sejam parecidas com o nosso Sol. Os achados da sonda solar da NASA Lançada em agosto de 2018, a Parker Solar Probe já descobriu bastante coisa sobre o Sol que desconhecíamos em nossas observações aqui da Terra. Para nós, a estrela parece um astro calmo, que brilha lá no céu e traz calor para nosso planeta. Mas, de perto, é possível notar que há uma intensa atividade nas imediações da peça central do nosso sistema. Abaixo, veja um resumo das principais descobertas já feitas pela sonda da NASA nesse quase um ano e meio desde que deixou a Terra. 1. Vento solar age de maneiras misteriosas Ilustração mostra "retornos" do vento solar (Imagem: NASA) O Sol expele rajadas de material magnetizado constantemente, o chamado vento solar. Esse material é o que define o clima espacial nas proximidades da Terra. Daqui, essas partículas parecem organizadas, fluindo de maneira uniforme, com turbulências apenas ocasionais. Perto do Sol, no entanto, a história é diferente. Há uma espécie de oscilação na direção do campo magnético. As rajadas “retornam” em direção ao Sol, e depois voltam a ser expelidas na direção contrária, retomando o destino anterior, mas em um caminho levemente diferente. Esses retornos podem durar alguns segundos ou até alguns minutos. 2. Pequenas partículas que não chegam à Terra A estrela ocasionalmente cria tempestades de elétrons e íons, que atravessam o Sistema Solar em velocidade próxima à da luz. São partículas com energia suficiente para causar pane em sistemas elétricos de espaçonaves e podem ser fatais para astronautas que estiverem longe do campo magnético da Terra. Algumas dessas partículas são tão pequenas que qualquer traço de existência delas sequer chega até nosso planeta. 3. O Sol gira, e o vento solar acompanha O vento solar flui de todas as direções, diretamente do Sol, para um observador da Terra. Mas a Parker Solar Probe conseguiu detectar que não apenas a estrela gira, como as partículas que emite podem girar em sincronia com a superfície solar. E isso a mais de 30 milhões de quilômetros do astro! 4. Zona livre de poeira Perto do Sol, poeira cósmica evapora e se transforma em gás (Foto: NASA) A sonda também descobriu uma área perto do Sol que não possui partículas de poeira, comprovando uma teoria de cerca de um século que jamais pôde ser comprovada — até agora. O universo é cheio de poeira cósmica, fruto da formação de planetas, colisões de asteroides, cometas e outros corpos celestes que estão em constante movimento. Mas, acreditavam os cientistas, perto do Sol o calor seria tão intenso que essa poeira se transformaria em gás. E dados da sonda indicam que a teoria está correta. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 10 inovações que vão transformar a medicina na próxima década Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Artigo 19 da LGPD em votação: entenda por que a censura pode voltar Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua CCXP 2019 | O que vai bombar no evento de entretenimento e cultura pop Veja Mais

iOS: cinco curiosidades sobre o sistema da Apple

iOS: cinco curiosidades sobre o sistema da Apple

canaltech Você provavelmente conhece o iOS, sistema operacional da Apple que é desenvolvido para dispositivos móveis. Usado em iPhones e iPods, ele já tem mais de 12 anos de vida e muita história para contar. Separamos cinco fatos sobre o sistema que tem uma legião de fãs e admiradores pelo mundo. iOS 13: Conheça os novos recursos que chegaram com a nova atualização iOS já teve outro nome A Apple lançou seu primeiro sistema operacional em janeiro de 2007, durante o lançamento do primeiro iPhone. Engana-se quem acha que iOS era seu nome original, mas naquele momento o software havia sido batizado de iPhone OS. O antigo iPhone OS ganhou três novas versões, iPhone OS 1, 2 e 3, e foi rebatizado para iOS a partir da quarta versão que acompanhava o iPhone 4 e 4S. O nome dava foco ao iPhone pois não haviam outros produtos que usavam o mesmo sistema em meados de 2007. Acontece que, com a chegada dos iPads e de iPods mais modernos, a Apple resolveu renomear seu sistema para que o mesmo se tornasse mais abrangente. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Anos mais tarde, em 2019, o iOS foi desvinculado do iPad que, por sua vez, ganhou um novo nome para a versão que roda no tablet, o iPadOS. iPhone 3G vinha de fábrica com iPhone OS 3 Principais novidades de versões do iOS Cada versão do iOS carrega inúmeros recursos e aprimoramentos importantes que conquistaram e também irritaram muitos usuários. Abaixo, você confere o que foi destaque em cada uma das versões do sistema: iPhone OS 1: estreia do sistema no iPhone; iPhone OS 2: introduziu a App Store no sistema; iPhone OS 3: chegada da função de copiar e colar; iOS 4: inclusão do multitarefa e da Siri iOS 5: chegada do iCloud e da central de notificações; iOS 6: introduziu o modo não perturbe e o Apple Mapas; iOS 7: primeira mudança na interface, central de controle e AirDrop; iOS 8: novo aplicativo de Fotos e Saúde, adição do Force Touch; iOS 9: modo de baixo consumo de bateria; iOS 10: novo modo de navegação por gestos e suporte a widgets; iOS 11: redesign da App Store; iOS 12: agrupamento de notificações e chegada do Minoji; iOS 13: tema escuro (modo noturno). O significado de iOS É fácil compreender qual é o significado do nome iOS: o "i" vem da expressão "internet", enquanto o OS significa "Operating System", ("sistema operacional", em português). Apesar do uso da letra 'i' junto ao nome do produto ou do sistema ter ficado popularmente conhecido com os iPhones, o primeiro a fazer uso desse jargão foi o computador de mesa iMac, de 1998. iOS é, basicamente, uma abreviação de "internet" e "sistema operacional" iOS e seus codinomes Assim como o Android, que até sua décima versão usava nomes de doces como codinomes públicos, o iOS também é conhecido entre seus criadores e desenvolvedores por nomes fictícios que antecedem o número final da versão. Aqui estão os 'apelidos' que o sistema ganhou durante sua fase de testes: 1.0 Alpine 2.0 Big Bear 3.0 Kirkwood 4.0 Apex 5.0 Telluride 6.0 Sundance 7.0 Innsbruck 8.0 Okemo 9.0 Monarch 10.0 Whitetail 11.0 Tigris 12.0 Peace 13.0 Yukon 14.0 Azul Entre as escolhas dos codinomes, há uma estação de esqui, a Okemo, localizada no estado norte-americano de Vermont, mais precisamente no parque nacional de Okemo Mountain. E também o Festival Sundance de Cinema, criado em 1978. Aplicativos que mudaram ou sumiram do iOS O Apple Mapas chegou no iOS 6 e, com ele, a maior polêmica que a Apple se envolveu ao remover um aplicativo de maior qualidade do seu sistema, o Google Maps. O mapa do Google era nativo e foi retirado pela empresa em 2013. A mudança gerou inúmeras reclamações dos usuários, o que rendeu um pedido de desculpas formal da empresa em seu site. 10 dicas para deixar seu iPhone mais rápido (principalmente os mais antigos) Apple Mapas foi alvo de críticas e até demissões dentro da Apple em 2013 Outra mudança nesse sentido foi a retirada do Connect, do Apple Music, que adicionava uma espécie de rede social para artistas e usuários dentro do serviço de streaming. O Connect fechou as portas em dezembro de 2018. Já o Cards, por sua vez, que era um serviço onde o usuário criava e imprimia cartões temáticos diretamente do iPhone, foi descontinuado em 2013. Recentemente, a Apple mudou o nome da carteira virtual Passbook para Wallet, com a chegada do Apple Pay. O aplicativo Buscar iPhone foi integrado ao Amigos, que anteriormente se chamava Find My Friends. E você, já conhecia todos esses fatos sobre o iOS? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Veja Mais

O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas

O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas

canaltech Recém-estreado no Netflix, O Irlandês - a saga da máfia dirigida por Martin Scorsese - já foi visto por cerca 17 milhões de pessoas na rede de streaming, nos primeiros cinco dias de seu lançamento, de acordo com estimativa da Nielsen. Com Robert De Niro, Al Pacino, Joe Pesci e Anna Paquin no elenco, o filme acompanha a história real do mafioso Sheeran que é suspeito de ter matado Jimmy Hoffa, um líder sindical, cujo o corpo nunca foi encontrado. O time de peso, na data de estreia (27), atraiu uma audiência média de quase 3,9 milhões de espectadores únicos nos EUA, segundo Nielsen. De acordo com a mesma análise, 751.000 espectadores dos EUA - o que equivale a aproximadamente 18% das pessoas que viram no dia - assistiram as três horas e meia do filme na mesma noite. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Entre o público americano, fato curioso é que O Irlandês foi assistido mais por homens mais velhos. Na ocasião da estreia, 20% da audiência era composta por homens de 50 a 64 anos. Já no final dos primeiros cinco dias, a idade média dos espectadores era de 49 anos, semelhante à da segunda temporada de The Crown (50 anos) e maior do que a média dos espectadores da Netflix (31 anos). Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Na Netflix, O Irlandês por 17,1 milhões de espectadores norte-americanos (Divulgação) Comparações  Para entender os números da produção O Irlandês, Bird Box estrelado por Sandra Bullock, obteve quase 26 milhões de espectadores nos EUA nos primeiros sete dias de disponibilidade, na Netflix, de acordo com os dados também da Nielsen. Em contrapartida, o filme de Martin Scorsese superou El Camino: A Breaking Bad Movie, que teve 8,2 milhões de espectadores no período em que foi lançado. Muito usada para classificações de TV, a métrica média de audiência por minuto da Nielsen é feita a partir do tempo gasto na visualização. Isso significa que o número médio de espectadores é calculado com base no tempo de execução total de um filme e, não, o número total de pessoas que assistiram ao título. Até agora, a Netflix não revelou os números oficias do filme O Irlandês. Parece que o longo tempo de duração, de 3 horas e 29 minutos, impediu que alguns usuários do streaming entrassem na onda do filme, logo de primeira. Ainda está com preguiça? Outra produção tão longa quanto O Irlandês, é o original do Netflix, é Roma, o filme em preto e branco de Alfonso Cuarón que levou três Oscar para a companhia no ano passado. As estatuestas de melhor filme estrangeiro, de melhor fotografia e de melhor diretor — estes dois últimos para Cuarón. Isso significa que vale muito dar uma chance para este também. I created a viewing guide for everyone who thinks THE IRISHMAN is too damn long for one night. You're welcome! #scorsese #netflix #theirishman pic.twitter.com/sH06AxJ7he — Alexander Dunerfors Kardelo (@dunerfors) 28 de novembro de 2019 Pensando nisso - ou não tendo aguentado o filme sem pausas -, o jornalista sueco Alexander Dunefors divulgou no seu Twitter um guia com os pontos em que você consegue pausar a história de Scorsese, dividindo ela em uma mini-série. Confira: Capítulo 1: Vai do começo até os 49 min da produção. Pause o filme quando Jimmy Hoffa desligar o telefone e aguarde o próximo capítulo. Capítulo 2: Dos 49 min até 1h40. Você deve dar stop quando Joey aparecer no filme. Capítulo 3: De 1h40 a 2h47m30s. Só pause quando Jimmy sair de casa. Capítulo 4: Finalmente, dê o play em 2h47m30s e siga até o final. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Veja Mais

O perfil dos gamers e as oportunidades do mercado de jogos digitais no Brasil

O perfil dos gamers e as oportunidades do mercado de jogos digitais no Brasil

canaltech *Por Roger Melo Um dos mercados mais rentáveis do planeta, que movimentará mais de US$ 150 bilhões este ano. A indústria de games é o que podemos chamar de uma brincadeira cada vez mais levada a sério. Este é um setor em evidente expansão, com crescimento robusto em todo o ambiente global. Inclusive no Brasil. Com faturamento superior a US$ 1,5 bilhão por ano, a indústria nacional, hoje, conta com uma sólida cadeia produtiva, que inclui desenvolvimento de soluções de hardware e mais de 300 estúdios gamers. Estamos evoluindo, com uma produção sólida e capaz de atender os desejos do público. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Essa é uma grande notícia, pois atender o perfil dos jogadores no Brasil é uma questão bastante desafiadora. Atualmente, estima-se que mais de 60 milhões de brasileiros joguem algum tipo de videogame. Desse total, a imensa maioria não se dedica a apenas uma plataforma: entre celulares, consoles e PCs, há um intenso e enorme mar de oportunidades para a cadeia comercial de nosso País. Pesquisas indicam que o perfil do gamer é bastante variado, dependendo do tipo de tela e jogo. Nesse contexto, é importante destacar a expansão dos chamados e-Sports, com direito a transmissões em tempo real – e com enorme audiência - na Web e na televisão. O aumento desse mercado é uma tendência que não deve diminuir em médio prazo. De acordo com pesquisas, o país tem mais de sete milhões de espectadores de e-Sports e está atrás apenas das superpotências China e Estados Unidos. Vale dizer que aproximadamente 70% do público que acompanha partidas on-line e as disputas profissionais estão dispostos a investir em hardware e software de melhor desempenho, sobretudo no que se refere a seus desktops e notebooks. Hoje, os PCs são a principal opção dos jogadores mais ativos, principalmente em jogos por streaming e via Web. Esse é um dos pontos que ajudam a explicar a importância da cadeia produtiva de PCs e Notebooks relacionados a jogos como uma ferramenta geradora de receita para o Brasil. De acordo com uma série de levantamentos do mercado, a indústria gamer nacional tem aumentado consideravelmente seu alcance de negócios, oferecendo cada vez mais soluções inovadoras, capazes de atender jogadores profissionais e ocasionais. A indústria nacional está mais flexível, competitiva e preparada. Os novos produtos do mercado se destacam pela sua capacidade de atender até mesmo as mais altas exigências dos públicos. O objetivo dos consumidores é ter desktops que suportem as demandas de processamento gráfico e desempenho necessários para se gerar uma experiência de jogo mais realista e divertida, e que, preferencialmente, também agreguem funcionalidades voltadas para a rotina fora dos games, além de considerar as necessidades locais de um país tropical - onde arrefecimento, por exemplo, é um ponto muito importante. Por se tratar de um jogador multitela, é de se esperar que os clientes queiram cada vez mais unir suas necessidades de entretenimento e eficiência necessária para o trabalho em um só equipamento. Por isso, embora haja consumidores cuja única finalidade é a prática dos jogos, é importante que o vendedor e as fabricantes entendam que abranger novas possibilidades de consumo é uma vertente interessante e que pode ser essencial para atrair os compradores, mesmo aqueles que se interessam pelo tema, mas não são necessariamente heavy users dos jogos. Sendo assim, é imprescindível que a oferta de todos esses equipamentos seja feita de acordo com os desejos e perspectivas dos clientes. A abordagem essencial deve atender as necessidades próprias do consumidor, endereçando as soluções práticas para cada demanda. Isso significa ouvir e entender as questões e premissas do comprador, lembrando-se de que estamos falando de clientes que, geralmente, conhecem o que querem. Apesar de mostrarem um perfil versátil, os jogadores, aficionados ou não, em geral buscam bom atendimento e inovações que os ajudem a ter melhores resultados com os games. O mercado deve compreender que a relação de consumo do público depende, necessariamente, dessa relação. Portanto, os processos de venda e serviços devem ser pensados de maneira constante, entregando a flexibilidade e a performance esperada pelo público brasileiro. O perfil dos jogadores brasileiros apresenta diversas possibilidades, do Mobile ao Desktop, e uma não é excludente a outra.  Há ótimas maneiras de visualizar a aproveitar tudo o que esse cenário pode oferecer. Para isso é necessário que saibamos quem é o cliente que está no controle das ações. Somente com esse conhecimento prático, obtido no dia a dia, é que poderemos fazer bons negócios e satisfazer cada vez mais o gamer no Brasil. *Roger Melo é Gerente da Divisão Consumer da DATEN Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Falha no app do Banco do Brasil para smartphones expõe dados dos correntistas CT News - 06/12/2019 (Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil) Veja Mais

"Turma da Mônica - Lições" ganha data de estreia na CCXP19

canaltech Em painel da Mauricio de Sousa Produções durante a CCXP19 nesta sexta-feira (6), o diretor Daniel Rezende anunciou com exclusividade ao público a data de estreia da sequência de Turma da Mônica: Laços. De acordo com o cineasta e a Paris Filmes, o novo longa live-action intitulado Lições chega aos cinemas brasileiros em 10 de dezembro de 2020. Além disso, Rezende ainda comentou que as filmagens da nova produção começam no início de 2020 e que a nova história contará com mais personagens dos quadrinhos. O anúncio foi realizado no palco do Auditório Cinemark, que além de contar com a presença do elenco do filme, ainda recebeu o criador da turma do Bairro do Limoeiro e sua filha, Maurício e Mônica Sousa. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Vale lembrar que Turma da Mônica: Laços foi inspirado na história em quadrinhos homônima de Vitor e Lu Cafaggi. A obra faz parte de uma série de três histórias: Laços, Lições e Lembranças. Turma da Mônica: Laços estreou em julho deste ano e conta com Giulia Benite, Kevin Vechiatto, Laura Rauseo, Gabriel Moreira e Rodrigo Santoro no elenco. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei Compositor revela como foi criado o som de inicialização do PlayStation Invenção promete consertar ossos quebrados em poucos dias Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Veja Mais

Nada de iPhone SE 2: iPhone 9 será o nome oficial do aparelho, diz site

Nada de iPhone SE 2: iPhone 9 será o nome oficial do aparelho, diz site

canaltech O sucessor do iPhone SE realmente parece que está a caminho, mas não com o nome de iPhone SE 2. De acordo com uma reportagem do site Macotakara, a Apple planeja lançar um modelo com tela de 4,7 polegadas e dimensões do iPhone 8 na “primavera de 2020”, ou seja, no segundo trimestre do ano que vem — outono aqui no Brasil. Mas, diferente dos rumores até agora, o dispositivo deve se chamar iPhone 9, tornando-se o verdadeiro sucessor daquele que lhe emprestará o formato e boa parte das características. Esse modelo mais barato vai dispensar o Face ID para oferecer novamente o Touch ID ao consumidor, mas trará em seu interior o potente hardware da Apple em 2019, o A13 Bionic. De acordo com a publicação japonesa, o preço poderia ser o mesmo do iPhone 8 ou até um pouco menor, entre US$ 449 e US$ 499 (R$ 1.860 a R$ 2.070, aproximadamente). -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Rumores iPhone 9 seria praticamente idêntico ao iPhone 8 (Foto: CNET) Nada de notch, nada de display quase sem bordas. O iPhone 9 seria um iPhone 8 com algumas atualizações no interior, mantendo ainda a câmera única na traseira. E devem ser duas opções de armazenamento: 64 GB e 128 GB, além de três opções de cores: Space Gray (cinza), Silver (prata) e Red (vermelho). Considerando a faixa de preço, não é nenhuma surpresa que o dispositivo provavelmente não terá suporte ao 5G. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Veja Mais

Melee: a aposta do Imgur para competir com a Twitch

Melee: a aposta do Imgur para competir com a Twitch

canaltech Com aproximadamente 300 milhões de pessoas atingidas por suas postagens todo mês (segundo a própria empresa), o serviço de compartilhamento e hospedagem de imagens Imgur quer entrar no mercado dos influenciadores de jogos. Na última quinta-feira (5), a plataforma lançou o aplicativo Melee, que permite aos usuários e streamers salvarem e compartilharem clipes favoritos de suas transmissões, como grandes jogadas e eventos online onde são bem-sucedidos. Segundo a divulgação da empresa, a ideia nasceu de uma suposta dificuldade dos novos influenciadores de construir suas bases de audiência: “Se você já não tiver um segmento forte na Twitch, será bem difícil você começar por lá e ampliar seu público. O Melee apresenta uma plataforma específica para que jogadores ganhem audiência”. O aplicativo separa os interesses em comunidades específicas: há grupos de Fortnite, FIFA e por aí vai. Também há seções dedicadas a streamers de outras plataformas, como a já mencionada Twitch e o YouTube. (Imagem: Divulgação/Imgur) Embora pareça amigável em suas divulgações, é bem claro que o Melee vem para tomar espaço de outras plataformas similares. O Twitch conta com o Twitch Clips e a Microsoft é dona do Mixer. Nos anos recentes, gigantes como o Facebook e o Google entraram nessa dança, respectivamente, com o Facebook Gaming e o YouTube Gaming. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A construção de um influenciador pelas redes sociais é a parte mais importante — e mais complicada — para quem quer entrar nesse ramo. O Melee busca ser uma nova via para que eles consigam angariar bons números de audiência ao se concentrar especificamente em novos candidatos ao estrelato da rede. Apesar disso, o app conta com integração ao Twitch. Entretanto, o Melee busca passar a mensagem de que é acessível para todos, não apenas influenciadores. (Imagem: Divulgação/Imgur) “Você não precisa ser um streamer para postar no Melee (mas se você for, ótimo!). Você pode fazer o upload de seus próprios momentos de gameplay, memes de Skyrim, compartilhar links de notícias e reviews, ou começar uma discussão e obter ajuda com aquela dungeon complicada — estou falando com você, Templo da Água”, diz um post no blog oficial, fazendo referência à icônica dungeon de The Legend of Zelda: Ocarina of Time, do Nintendo 64. Por enquanto, o app está disponível apenas para usuários do iOS. Ainda não há previsão de sua chegada no Android. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Veja Mais

Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho

Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho

canaltech A HMD Global anunciou mais um smartphone baratinho nesta sexta-feira, 6. O Nokia 2.3 tem Android One, 4.000 mAh de bateria e custa pouco mais de € 100. Traz um chipset da MediaTek, tela grande e conector micro USB. O display de 6,2 polegadas tem recorte em gota na parte superior para abrigar a câmera frontal e resolução HD+, com proporção 19:9. Pouca coisa mudou além do tamanho da tela e da bateria em relação ao Nokia 2.2, sendo o novo modelo uma espécie de versão aumentada deste. O Helio A22 e 2 GB de memória RAM foram mantidos, mas o armazenamento pulou par 32 GB. O aparelho possui botão dedicado para o Google Assistente e traz um conjunto duplo de câmeras, com a principal de 13 MP e uma secundária, um sensor de profundidade, com 2 MP. O software recomenda a melhor foto quando você faz uma captura em série. A frontal tira selfies com 5 MP. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Apesar de estar dentro do programa Android One, o Nokia 2.3 sai da caixa ainda com o Android 9 Pie instalado. A HMD garante que o Android 10 estará disponível em algum momento no futuro - não foi especificada uma previsão, apenas confirmado que será atualizado. Mas é bom lembrar que dispositivos Android One necessariamente devem receber atualizações mensais por três anos e troca de versão do sistema operacional por dois. Por fim, o Nokia 2.3 chega às lojas europeias a € 109 (aproximadamente R$ 503) em meados de dezembro. Estará disponível nas cores verde ciano, areia e carvão. Não há previsão de lançamento no Brasil.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) As 10 séries mais assistidas de 2019 Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

As 10 séries mais assistidas de 2019

As 10 séries mais assistidas de 2019

canaltech Mais um fim de ano está chegando, deixando o mundo do entretenimento com novas conquistas em produções de sucesso. Foi um grande ano para as séries de televisão, quando os espectadores puderam acompanhar o fim da série de sucesso Game Of Thrones, o sucesso de Phoebe Waller Bridge em Fleabag, além da história chocante de Chernobyl e a bizarra de Boneca Russa. O ano está acabando, mas muitas das séries que fizeram sucesso em 2019 continuarão no próximo ano firmes e fortes. Outras, no entanto, chegaram ao seu fim mas deixaram a sua marca no mundo do entretenimento. Para celebrar os últimos 12 meses de várias horas em frente à televisão, fomos atrás de descobrir as séries que mais chamaram a atenção do público, conquistando a audiência e a crítica. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Confira a lista completa: 1. Chernobyl Imagem: Divulgação/HBO O desastre de Chernobyl voltou a ser pauta em 2019, quando conhecemos melhor a história graças à produção impecável da HBO. A minissérie mostra fatos 100% reais, mas também alguns com licença criativa, para que o público entenda o que fez com que o reator explodisse e transformasse uma boa parte da região da Ucrânia em cidades-fantasma, completamente contaminadas. A série consegue não só dar respostas ao público, que descobre que tudo não passou de falha humana e uma disputa de egos, e que tais atitudes contribuíram para diversas mortes e problemas de saúde que foram passados adiante. Chernobyl está disponível na HBO GO em cinco episódios. Veja uma de nossas matérias especiais sobre o tema. 2. La Casa de Papel Imagem: Divulgação/Netflix Não há como negar a popularidade de La Casa de Papel, série espanhola que começou a trazer mais visibilidade para o país europeu na Netflix. A trama conta com bons personagens, que mesmo sendo os vilões agradam o público não só pelo carisma, mas também por cometerem seus crimes como forma de justiça. Em 2019, conferimos a terceira temporada da série, mostrando o retorno dos bandidos em um novo crime comandado pelo Professor. Tudo isso depois de descobrirmos qual foi o destino dos personagens após a conclusão do primeiro assalto. La Casa de Papel está disponível em três partes na Netflix. Leia a nossa crítica sobre a terceira temporada. 3. Stranger Things Imagem: Divulgação/Netflix Stranger Things é outro grande sucesso da Netflix, que em 2019 ganhou a sua terceira temporada. Agora mais crescidos, as crianças-quase-adolescentes da cidade de Hawkins descobrem que ainda não estão livres dos problemas do Mundo Invertido, que agora conta com intervenção do governo russo. Os mesmos personagens das temporadas anteriores retornam para contar a continuação da história, ao mesmo tempo em que conhecemos outros tão carismáticos quanto. Os novos episódios trouxeram muitos momentos engraçados e também emocionantes, além de muitos memes na internet. A terceira temporada de Stranger Things está disponível na Netflix em oito episódios. Confira a nossa crítica da temporada. 4. Fleabag Imagem: Divulgação/Amazon Prime Fleabag se destacou no ano de 2019 com sua segunda temporada, trazendo também mais notoriedade à Phoebe Waller-Brigde, que não só produziu a série como também a protagonizou. A personagem é mostrada na trama como sendo uma pessoa solitária e que, por dentro, sofre com os problemas e dilemas da vida de qualquer pessoa em seus 30 e poucos anos. A atuação de Waller-Bridge, que é tão cativante quanto estranha, foi tão reconhecida neste ano que a Amazon firmou contrato com a atriz, produtora e roteirista de mais três anos de produção, não necessariamente para Fleabag, que supostamente chegou ao fim definitivo. Fleabag está disponível em duas temporadas no Amazon Prime Video. Confira cinco motivos para começar a assisti-la agora. 5. Euphoria Imagem: Divulgação/HBO Euphoria foi apenas uma das séries da HBO que chamaram a atenção do público e da crítica. Com Zendaya no protagonismo, a série fala sobre o consumo de drogas e vício na adolescência sob uma nova perspectiva, sem romantizar a situação. Conhecemos a agonia da protagonista em momentos de overdose ou o desespero pela fraca tentativa de ficar sóbria, e ainda descobrimos em flashbacks como o problema chegou no nível em que está. Os outros personagens da série também contam com a sua agonia própria, que é retratada em Euphoria com a mesma intensidade, deixando de ser uma série adolescente tradicional. Vemos na trama uma nova abordagem na forma de retratar os problemas da fase da adolescência que já está a poucos passos da vida adulta. Euphoria é uma série da HBO e a primeira temporada conta com 10 episódios. Confira a nossa crítica. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! 6. Olhos que Condenam Imagem: Divulgação/Netflix Esta série traz um caso revoltante, mostrando uma injustiça policial motivada por racismo nos Estados Unidos. Em Olhos que Condenam, conhecemos a história de cinco adolescentes que foram condenados injustamente pelo estupro de uma mulher no Central Park, em Nova York, no ano de 1989. A série deu mais atenção ao problema da perseguição policial contra os negros nos Estados Unidos, mostrando que é comum classificar o feitio de um crime apenas pela cor da pele. Olhos que Condenam está disponível na Netflix em quatro episódios, todos com um pouco mais de uma hora de duração. 7. Inacreditável Imagem: Divulgação/Netflix Inacreditável conta uma história forte, baseada em acontecimentos reais, que choca e revolta. Na série, vemos os acontecimentos que sucedem à denúncia de uma jovem estuprada, desde a conversa com familiares e amigos até com a polícia, responsável pela investigação do caso. Nos Estados Unidos, muito foi falado sobre a conscientização que a série trouxe em relação aos casos de estupro, mostrando à população que muitas denúncias acabam não resultando na prisão do agressor, muitas vezes pelas provas do crime não serem convincentes. Em vez de ser ajudada, a personagem acaba sendo incriminada por denúncia falsa, um dos vários casos em que a vítima se torna a acusada. Inacreditável está disponível na Netflix em oito episódios. 8. Boneca Russa Imagem: Divulgação/Netflix A série Boneca Russa chegou à Netflix em 2019 despretensiosa, mas logo começou a repercutir pela maluquice apresentada nela. A trama tem, basicamente, o mesmo cenário do começo ao fim, com a história baseada nas inúmeras mortes da protagonista. Em toda vez que ela morre, ela volta a momentos antes do acidente e tenta fazer diferente para que não aconteça novamente. Todos os esforços são em vão, mas trazem ao espectador vários questionamentos sobre o que podemos controlar em nossas vidas, ou ainda se somos capazes de manipular o nosso destino, mesmo que não tenhamos novas chances. Boneca Russa é uma série original da Netflix, disponível na plataforma de streaming em oito episódios. 9. Succession Imagem: Divulgação/HBO Succession é uma série da HBO bastante comentada pela crítica e que ganhou a sua segunda temporada em 2019. A premissa da trama é abordar a história de uma família milionária e bastante poderosa nos Estados Unidos, que precisa lidar com suas inúmeras imperfeições tanto no âmbito familiar quanto nos negócios, que envolvem o controle de uma mídia internacional. Na continuação da trama, nos surpreendemos mais uma vez com a forma que os negócios são tratados pela família, que se mostra completamente disfuncional e com pouco senso de humanidade. A série já conta com duas temporadas, que podem ser assistidas no HBO GO. 10. Watchmen Imagem: Divulgação/HBO Aos 45 do segundo tempo, Watchmen estreou na HBO e já vem recebendo a atenção merecida. A trama é uma adaptação dos quadrinhos de mesmo nome e mostra a história de heróis repreendidos pelo governo dos Estados Unidos por agirem de forma violenta. A série ainda está em andamento, com seus erros e acertos, mas a promessa de sucesso é gigantesca, visto as avaliações da crítica especializada. O público dos Estados Unidos, por exemplo, admira a coragem e a execução de histórias que abordam política, polícia e autoridades com base na violência e repressão, fazendo com que a trama seja promissora para os próximos anos. Watchmen pode ser assistida no HBO GO. O que acharam dessas séries? Qual você acha que merecia um lugar nesta lista? Deixe a sua opinião aqui nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Google Maps vai indicar ruas mais iluminadas para melhorar segurança

Google Maps vai indicar ruas mais iluminadas para melhorar segurança

canaltech Em mais um recurso que vem para aumentar a segurança das rotas indicadas aos usuários, o Google Maps vai começar a indicar as rotas mais iluminadas para os usuários. Uma nova camada aparecerá sobre as informações costumeiras de trajeto para mostrar quais vias apresentam melhor iluminação pública ou outros elementos de mobiliário urbano, de forma a dar mais confiança aos usuários que passarem por lá. O recurso aparece ainda em fase de testes e em meio aos códigos da versão Android do aplicativo. A rota mais iluminada é mostrada como uma linha amarela sobre a interface já conhecida do app. Assim como no caso de rotas que evitam pedágios ou prefiram vias principais, a novidade também pode ser selecionada como preferencial pelos utilizadores que estiverem buscando mais segurança em passeios noturnos. A novidade vem como uma boa tanto para motoristas quanto para pedestres e ciclistas, principalmente como forma de evitar assaltos ou acidentes. Em locais mais iluminados e com melhor visibilidade, a chance de ser surpreendido é menor, enquanto ruas ermas ou com poucas luzes são lugares de preferência para abordagens de bandidos. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- A fonte de tais informações, entretanto, é desconhecida. Também não se sabe quando nem se o recurso será lançado, uma vez que, como dito, ele aparece mencionado apenas no código-fonte da versão Beta mais recente da aplicação e nem mesmo é funcional, indicando que a novidade ainda está sendo trabalhada pela empresa. Como indicou o XDA Developers, responsável pela descoberta, caso o Google siga o caminho usual de lançamentos, o novo recurso deve ser liberado primeiro na Índia e em fase de testes. Depois, vai chegando aos poucos a outros lugares do mundo, e como se trata de uma funcionalidade em prol da segurança, países com maior índice de crimes podem receber prioridade, como já aconteceu antes com novidades semelhantes. Outras iniciativas desse tipo já liberadas incluem, por exemplo, alertas para quando taxistas e motoristas se desviarem de trajetos ideais ou tradução automática para nomes de ruas e estabelecimentos, facilitando a vida de turistas que não falem o idioma. Indicações de postos de gasolina ou pontos de recarga de veículos elétricos também fazem parte de projetos dessa categoria, todos voltados para que os usuários tenham mais segurança e se livrem de apuros. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

CCXP19 | Castelo Rá-Tim-Bum comemora relevância mesmo após 25 anos

CCXP19 | Castelo Rá-Tim-Bum comemora relevância mesmo após 25 anos

canaltech A CCXP19 começou nesta quinta-feira (5) com um painel dedicado aos 25 anos de Castelo Rá-Tim-Bum no Auditório Cinemark XD. O artista homenageado do evento foi Cao Hamburger, criador do universo que marcou uma geração inteira. “Ele ainda é muito atual”, comentou o artista, referindo-se aos assuntos retratados na série. “As câmeras na época eram muito antigas, mas o dinamismo do programa é muito atual”. A plateia do auditório assistiu a um pequeno trecho do primeiro episódio de Castelo Rá-Tim-Bum, quando Nino espia Zeca, Biba e Pedro. Marcelo Forlani, que mediou o painel, comentou sobre algumas cenas serem consideradas assustadoras para crianças. “Fazer produto para criança não é necessariamente ser fofo ou leve, criança gosta de emoção”, comentou Hamburger. Castelo Rá-Tim-Bum, de 1994, é anterior a Harry Potter, mesmo que muito parecido. “Vieram canais americanos atrás dos direitos do programa”, revelou o criador da atração, relembrando da semelhança entre o bruxo criado por J.K. Rowling e Nino. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Sobre a tecnologia utilizada na série, o criador falou sobre as dificuldades do episódio-piloto. “Foi filmado como um cinema, utilizamos só uma câmera, então demorou para gravar. Outras técnicas utilizadas foram maquetes, pintura em vidro...”. Mais tarde, ele relembrou da icônica cena do Ratinho, com uma música que marcou a infância de uma série dos que hoje são adultos. “Eu trabalhei com animação antes do Castelo, principalmente com stop-motion, e quis levar essa técnica para a série”. Expectativas para o sucesso Quando questionado sobre Flavio de Sousa, cocriador da atração, Cao Hamburger comenta que Castelo Rá-Tim-Bum não foi uma primeira tentativa. “Demorou mais de um ano, e para chegar ao formato nos criamos dois programas antes”, explicou sobre os chamados Programa Rá-Tim-Bum e Mundo Encantado, que acabou não indo para frente pelo valor de produção. “Era um programa caro, a produção barrou”, relembra. “Tinha um castelo que eu acabei pegando para o outro programa. Foi um processo longo que resultou num clássico”. ”É prever o sucesso, durante a gravação a gente sentia uma coisa legal porque todo mundo gostava”, comentou o criador sobre as gravações. “Sabíamos que era forte mas não dava para prever. Quando foi para o ar, no dia seguinte a gente sabia que daria certo”, finalizou Os programas infantis e a tecnologia “Tem muita coisa legal sendo feita no Brasil nos canais a cabo, a TV aberta diminuiu a produção de programa infantil infelizmente”, lamenta o criador de Castelo Rá-Tim-Bum. Referindo-se à Galinha Pintadinha, animação que surgiu no YouTube, Cao comenta: “Estamos vivendo uma revolução nunca antes vista que a gente não sabe onde vai, a programação infantil está junto.” Os personagens e o cenário atual brasileiro Após a plateia assistir a uma cena de Morgana, Hamburger comentou sobre a família de bruxos: “O Castelo é tudo que há de bom: arte, cultura, entretenimento... os vilões que destruiriam ele hoje são mais maléficos que o Dr. Abobrinha. A família de Morgana sofreria hoje mais preconceitos.” Questionado sobre como a produção de conteúdo pode contribuir para a educação no país, ele cravou: “Num país como o Brasil, a educação é muito carente, quando um programa acerta no entretenimento e na educação é muito bom. A educação não depende do entretenimento.” Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Ataques DDoS geram preocupação no setor financeiro

Ataques DDoS geram preocupação no setor financeiro

canaltech Com o crescimento de opções, serviços e soluções vem também o aumento na incidência de golpes e crimes cibernéticos, quando se trata do setor financeiro. De acordo com a Huge Networks, empresa voltada a soluções de cibersegurança e combate a ataques DDoS, somente em 2018 foram US$ 45 bilhões (R$ 180 bilhões) de prejuízos causados globalmente por esses tipos de práticas ilegais. A empresa também apontou que uma das armas mais utilizadas hoje em dia pelos cibercriminosos são os ataques DDoS. Também chamados de ataques de negação de serviço, essas ofensivas, basicamente, visam desestabilizar ou derrubar completamente os sistemas da vítima ao sobrecarregá-los com uma quantidade anormal de requisições de acesso. Os ataques DDoS se popularizaram na última década: estudos indicam que esse tipo de golpe quase triplicou entre 2014 e 2017. Só o Brasil é alvo de 54% de todos os ataque de negação de serviço na América Latina. Nós também já somos o 5º território no mundo com mais número de casos. E não para por aí: temos o segundo downtime mais caro do globo: em média, são US$ 306 (R$ 1224) de prejuízo por hora para uma operação fora do ar. O pior de tudo é que um ataque DDoS pode ser encomendado facilmente na dark web por apenas R$ 40 por hora. Como boa parte de tais investidas, é motivado por funcionários descontentes ou concorrentes de mercado. Se antes os registros estavam limitados à escala dos gigabits, agressões que ultrapassam 1 terabit já começam a se tornar costumeiras, em boa parte devido ao surgimento de cenários como a Internet das Coisas (IoT), que ampliou abruptamente a quantidade de dispositivos infectáveis por malwares maliciosos. Estudos apontam que apenas o Reino Unido deve sofrer perdas de 1 bilhão de libras em 2019 com ataques DDoS. Segundo dados da consultoria Gartner, ao sofrer um ataque cibernético e ficar fora de operação, uma empresa pode vir a ter prejuízos de até US$ 5.600 (R$ 22.400) por minuto, ou mais de US$ 300 mil (R$ 1,2 milhão) a cada hora. No caso específico das empresas financeiras e bancárias, os danos de uma agressão DDoS podem ocorrer de várias formas: desde o contratempo causado a um cliente que não conseguiu realizar uma transferência com o sistema indisponível até o eventual vazamento de dados confidenciais como senhas de acesso ou extratos bancários. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Com isso em mente, empresas especializadas em segurança cibernética oferecem sistemas de detecção e mitigação de ataques DDoS e outras ameaças. "Esqueça os detectores de metal nas portas dos bancos: estamos na era dos detectores de ameaças virtuais nas portas das redes", aponta Eduardo Farinelli Jr, da Huge Networks. Segundo ele, se as redes 5G e a Internet das Coisas abrem margem para ataques cada vez mais frequentes e poderosos, ao mesmo tempo fornecem mais e melhores instrumentos de defesa para sua empresa e muitas outras que atuam nesse segmento. Eduardo diz que segurança cibernética começa na ponta do processo, no nível do usuário. "Seu celular, sua câmera de vigilância, sua geladeira digital, sua SmarTV e qualquer outro dispositivo conectado à rede pode se tornar alvo de uma infecção e ser utilizado pelos malfeitores sem que ninguém sequer desconfie disso", alerta. "Se possível, trocar as senhas de acesso padrão que vem com o aparelho por opções mais difíceis já é um passo importante", acrescenta. Na outra ponta, no ambiente das empresas, o profissional adianta que configurar os sistemas padrão de privacidade e segurança na web, como antivírus, firewalls e protocolos seguros, ainda é importante, além de manter softwares atualizados, estabelecer controles de acesso para colaboradores e definir uma política de segurança de dados. "É uma parte do processo de proteção", diz. Em empresas de segurança virtual, os investimentos para acompanhar a escalada tecnológica são constantes. Investir em serviços especializados de segurança  como esses pode livrar empresas de inúmeros prejuízos, sejam eles de ordem financeira ou na reputação e credibilidade da marca como um todo, já que o principal ativo que um negócio do setor financeiro pode ter é a confiança de seus clientes. Empresas já chegaram até a perder valor de mercado na Bolsa ao se tornaram vítimas de ataques DDoS. Outras, simplesmente quebraram. Sendo experts em análise de risco, taxas de rendimento e outros conceitos do setor, as empresas do mercado financeiro sabem melhor do que ninguém avaliar os perigos existentes no radar, e que todo investimento é realizado no presente com vistas a uma melhor posição no futuro, seja a curto, médio ou longo prazo. Especialista em segurança, e não em finanças, Eduardo afirma: "O próximo ataque pode acontecer amanhã, então a hora de investir em segurança cibernética é hoje". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Comissão aprova regras para licença temporária de antena de telefonia celular

Comissão aprova regras para licença temporária de antena de telefonia celular

canaltech A Comissão de Desenvolvimento Urbano da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (4) proposta que disciplina o licenciamento temporário de equipamentos de infraestrutura de telecomunicações em áreas urbanas, como antenas de telefonia celular. Segundo o texto, o prazo para emissão da licença será de 90 dias após o pedido. Decorrido o período sem resposta do órgão público, a empresa poderá instalar o equipamento em caráter precário. Nesse caso, deve seguir fielmente as condições estipuladas no pedido inicial, além das leis que tratarem do assunto, incluindo as municipais e estaduais. O órgão competente poderá revogar a autorização precária se houver descumprimento das condições iniciais ou de qualquer lei. Dessa decisão caberá recurso administrativo. Se a empresa perder, caberá a ela retirar os equipamentos instalados. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O PL 8518/17 altera a Lei Geral das Antenas. A proposta foi apresentada pelo deputado Vitor Lippi (PSDB-SP) e pelo ex-deputado Odorico Monteiro (CE). O texto foi aprovado pela comissão na forma de um substitutivo elaborado pelo relator, deputado Samuel Moreira (PSDB-SP). Municípios A proposta original prevê que a licença será concedida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) no prazo de 60 dias. O relator optou por deixar o assunto na alçada das prefeituras, com prazo maior. “Entendi ser inadequada a proposta de imputar à agência reguladora a atribuição de expedir a licença temporária, haja vista ser essa uma questão de âmbito local”, explicou Moreira. Ele também incluiu a licença precária em caso de não manifestação do órgão público e o recurso administrativo. O recurso foi proposto pelo projeto que tramita apensado (PL 4566/19, do deputado João Maia (PL-RN)), e acolhido pelo relator. Tramitação O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado agora pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 CT News - 05/12/2019 (WhatsApp indica que é do Facebook e assusta a internet) Veja Mais

STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso

STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso

canaltech O Superior Tribunal de Justiça determinou que a Google forneça para a TIM a porta lógica de IP associada a uma atitude criminosa. A operadora foi alvo de fraude por conta de uma página falsa, que permitia contratar planos de telefonia móvel de forma irregular. A informação pode ajudar a encontrar quem realizou o projeto. A questão começou em junho, quando a TIM entrou com pedido para que a Google derrubasse o blog que permitia a contratação ilegal de serviços. A companhia norte-americana retirou a página do ar e forneceu todas as informações que tinha. Contudo, a TIM entrou com recurso especial pedido a porta lógica de IP de tal usuário. Esta ferramenta é o que identifica usuários que compartilham o mesmo IP. Atualmente, no Brasil, há uma transição entre do sistema IPv4 para o IPv6, permitindo mais conexões. Quem ainda está no padrão antigo compartilha IP com outros usuários. Assim, a porta lógica é o que permite saber quem é quem dentro de um mesmo protocolo. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- De forma prática, isso permitiria que a TIM chegasse até o criminoso mais facilmente do que apenas com o número de IP da conexão usada, no caso de padrão IPv6. Com o recurso, a Google é obrigada a passar esta informação. Segundo o relator do recurso, Maro Aurélio Belizze, a decisão foi tomada com base no Marco Civil da Internet. Apesar de assegurar a proteção de dados pessoais, o texto também informa que é necessário dar acesso para identificação de autores de crimes. "Sempre que se tratar de IP ainda não migrado para a versão 6 (IPv6), torna-se imprescindível o fornecimento da porta lógica de origem por responsável pela guarda dos registros de acesso como decorrência lógica da obrigação de fornecimento do endereço IP", escreveu em sua decisão. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Dados na Internet: confira quais deles nunca podem ser compartilhados

Dados na Internet: confira quais deles nunca podem ser compartilhados

canaltech A Internet pode ser muito útil para realizar diversas tarefas como trabalhos acadêmicos, profissionais, aproximação com familiares através das redes sociais, pesquisas inteligentes com o Google, entre tantas outras, incluindo compras. No entanto, é muito importante tomar muito cuidado ao compartilhar certos dados na rede, uma vez que, em mãos erradas, eles podem causar sérios estragos. Saiba, logo abaixo, quais são eles e conheça os cuidados necessários para impedir que eles vazem web afora. Dados na internet: Documentos como RG e CPF Alguns dados que jamais podem ser compartilhados na Internet são os dígitos de seu RG, CPF, título de eleitor, entre outros documentos. Alguns sites de compras pedem pelo CPF. No entanto, é necessário identificar se eles são realmente confiáveis antes de fornecer informações tão importantes. Em qualquer caso de dúvida, recue. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Páginas que não disponibilizam compras de produtos não estão autorizados a pedir quaisquer um dos dados acima. Por isso, caso você se depare com essa solicitação ao fazer seu cadastro em uma rede social ou até antes de fazer o download de um programa, desconfie e, em nenhuma hipótese, digite tais informações. Outro dado que você nunca pode compartilhar na Internet caso não esteja realizando uma compra é o número de seu cartão de crédito. Lembre-se de que pessoas mal-intencionadas podem usar essa informação para comprar diversos itens e aplicar golpes. Dados na Internet: Evite compartilhar documentos (Foto: Reprodução) Dados na internet: nome completo Outros dados que você jamais pode espalhar na Internet é o seu nome completo ou de seus familiares. Isso porque eles podem ser usados para aplicar golpes onde bandidos se passam por entes queridos para extorquir pessoas pelo telefone. Por isso, sempre que possível, evite deixar nomes expostos, bem como sua relação de parentesco com outras pessoas. Dados na Internet: evite compartilhar seu nome completo na rede (Foto: Reprodução) Dados na internet: envio de currículos Ao se candidatar para vagas de emprego, evite fornecer os dados de seu currículo em sites suspeitos. Os dados presentes neles podem ser usados por criminosos para solicitar empréstimos ou praticar crimes como falsidade ideológica (onde seu nome é utilizado para praticar atividade ilícitas). Evite compartilhar dados do seu currículo na Internet (Foto: iStock) Dados na internet: endereço Outro dado que você deve evitar compartilhar na Internet é o seu endereço. Por isso, evite marcá-lo em fotos ou posts em redes como Facebook ou Instagram. Você também deve evitar, sempre que possível, compartilhar seu número de telefone na Web, uma vez que isso pode levar a consequências indesejadas como ligações de golpistas. Não compartilhe dados residenciais na Internet (Imagem: Reprodução) Dados na internet: é proibido compartilhar dados na Internet? Não, principalmente no caso de uso do Internet Banking, por exemplo, onde é necessário informar sua senha bancária. No entanto, antes de realizar esse tipo de operação, você deve ter a certeza de que seu antivírus está atualizado e operando de maneira satisfatória para proteger suas informações. Além disso, no caso de compras pela Internet, certifique-se de que seus dados estão sendo informados em um site confiável. Para isso, vale a pena ler reviews e avaliações de outros clientes. Em hipótese alguma faça compras em sites que pareçam suspeitos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Nota Fiscal Eletrônica: o que é e como emitir

Nota Fiscal Eletrônica: o que é e como emitir

canaltech A Nota Fiscal Eletrônica (NF-e) é cada vez mais utilizada pelas empresas e é obrigatória em várias situações, uma vez que garante o cumprimento de deveres tributários. No entanto, ainda é normal que surjam dúvidas a seu respeito, e que devem ser solucionadas para que o uso correto da mesma. Confira quais são essas a seguir. O que é uma nota fiscal eletrônica (NF-e)? A nota fiscal eletrônica é um documento emitido pela Internet que formaliza vendas e prestações de serviço tanto para pessoas físicas quanto para jurídicas. Foi criada em 2006 e substitui a nota fiscal de papel, uma vez que sua impressão e posterior digitalização (necessária em alguns casos) era muito trabalhosa para os comerciantes. A nota fiscal eletrônica funciona como um documento padrão que substitui notas com os modelos 1 e 1A. Ela permite que a fiscalização e o recolhimento de impostos sejam realizados de maneira muito mais ágil e simples, proporcionando economia de espaço e, sobretudo, diminuindo o desperdício de papéis. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Símbolo da Nota Fiscal Eletrônica (Imagem: Reprodução) Quem pode emitir uma nota fiscal eletrônica? A nota deve ser emitida por empresas e prestadores de serviços de qualquer área, desde que haja obrigação por lei de emiti-la. Microempreendedores individuais (ou MEI) não precisam emitir nota quando o consumidor é uma pessoa física, a não ser que sejam solicitados. Quando existe prestação de serviços ou mercadoria para uma empresa, quer seja esta pública ou privada, a nota fiscal eletrônica passa a ser exigida. Tipos de nota fiscal eletrônica  Existem diversos tipos de NF-e utilizados no Brasil. Confira quais são eles logo abaixo: 1. Nota fiscal eletrônica de venda de produto (NF-e) Essa nota fiscal é emitida por empresas que vendem um produto, seja ele de qualquer tipo. Ela está ligada à Secretaria da Fazenda de cada um dos estados brasileiros e vinculada ao recolhimento de Imposto de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Produtos Industrializados (IPI). Exemplo de Nota Fiscal Eletrônica (Imagem: Prefeitura de Osasco) 2. Nota fiscal eletrônica de serviço (NFS-e) Essa nota é gerada por qualquer um que preste serviços como reparos, ajustes, consertos, revisões, construção, entre diversos outros. Ela está vinculada ao município com o Recibo Provisório de Serviços (RPS) e é gerada diretamente no site de cada prefeitura. Além disso, existem as notas fiscais que são emitidas para devoluções, consignações e exportações. NFS-e (Imagem: Prefeitura do Rio de Janeiro) 3. Nota fiscal de eletrônica de Conhecimento de Transporte Eletrônico (CT-e) Esse tipo de nota fiscal eletrônica documenta a prestação de serviço de transporte de cargas, seja ele rodoviário, aéreo, aquaviário, dutoviário ou ferroviário. Ele é válido em todos os estados e também no Distrito Federal. Para emiti-la, é necessário solicitar o credenciamento na Secretaria da Fazenda e, depois, utilizar um software para a emissão do documento. (Imagem: Exas) 4. Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) A NFC-e substitui as Notas Fiscais de Venda a Consumidor, porém somente as de modelo dois. Por isso, ela jamais deve ser confundida com uma NF-e! Para emiti-la, é necessário ter uma credencial na Secretaria da Fazenda. Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (Imagem: Arquivei.com.br) 5. Manifesto de Documento Fiscal Eletrônico (MDF-e) Esse documento simplifica o trâmite de documentos correspondentes ao transporte de cargas, substituindo o Manifesto de Carga Modelo 25 e a Capa de Lote Eletrônica. Ele agiliza o cadastro em lote de documentos fiscais e certifica que a carga está em dia com a lei. Para emitir o documento, é necessário entrar em contato com a Secretaria da Fazenda de cada estado, junto ao cadastro nacional de emissores (CNE). MDF-e (Imagem: Webcgi.com.br) Como emitir uma nota fiscal eletrônica Para uma nota fiscal de venda, é necessário acessar o site da Secretaria da Fazenda de seu estado. Já, para uma nota fiscal de serviço, o site a ser consultado é o da prefeitura. Antes disso, no entanto, é necessário ir pessoalmente até os órgãos para obter autorização para emiti-las eletronicamente. É possível também contratar um emissor de NF-e como o VHSYS, que pode simplificar o processo em diversos estados e municípios. Para obter acesso ao programa, acesse o site. Ele pode ser testado gratuitamente e oferece diversos planos. São eles: Mensal Bronze: R$99,90/mês, com 25 NF-e e NFS-e, 125 NFC-e, 75 CT-e e 75 MDF-e; Ouro: R$199,90/mês, com 150 NF-e e NFS-e, 750 NFC-e, 450 CT-e e 450 MDF-e; Personalizado: R$299,90/mês, com mais de 300 NF-e e NFS-e, mais de 1500 NFC-e, mais de 900 CT-e e mais de 900 MDF-e, de acordo com a necessidade de cada cliente. VHSYS (Imagem: Divulgação) Anual Bronze: em parcelas de R$49,95, com 50% de desconto. Garante acesso a 25 NF-e e NFS-e, 125 NFC-e, 75 CT-e e 75 MDF-e; Ouro: 99,95/mês com 50% de desconto. Conta com 150 NF-e e NFS-e, 750 NFC-e, 450 CT-e e 450 MDF-e; Personalizado: 149,95/mês, com 50% de desconto. Acesso a mais de 300 NF-e e NFS-e, mais de 1500 NFC-e, mais de 900 CT-e e mais de 900 MDF-e, de acordo com a necessidade do cliente. Além disso, o VHSYS funciona como um auxiliar digital de controle financeiro, gestão de vendas e também organização de estoque. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021 Veja Mais

Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas

Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas

canaltech Você se lembra do anúncio que chocou o mundo e, principalmente, a medicina em novembro de 2018? Na época, o cientista chinês He Jiankui revelou ter criado os primeiros bebês humanos editados geneticamente em laboratório: duas irmãs gêmeas. Hoje em dia, o pesquisador, inclusive, está preso na China. Como a edição do genoma humano pelo método CRISPR era até então inédita na história da ciência, Jiankui tentou criar uma imunidade natural nas crianças, quando ainda embriões, contra o vírus da Aids, o conhecido HIV. Um ano depois, parece que a "ideia" não deu tão certo assim.  As irmãs nasceram e passaram a ser tratadas na mídia pelos pseudônimos Lulu e Nana. Agora, como resultado da manipulação em nível de genoma, elas provavelmente sofrerão mutações inesperadas, de acordo com o que um jornalista do MIT Technology Review publicou na terça-feira (3). -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Algo grave pode acontecer O jornalista obteve uma versão inédita do estudo, completamente detalhada, na versão que o cientista buscava conseguir publicar nas mais conceituadas revistas científicas ao redor do globo. Dada a gravidade da situação e o fato de bater de frente com comitês de ética internacionais, ele não conseguiu nenhum aceite dentro da comunidade científica para divulgar o seu trabalho. Com o texto na íntegra, o jornalista confirmou o que muitos especialistas suspeitavam: na verdade, os resultados não mostravam que a tentativa de mutação, com a técnica CRISPR, foi bem-sucedida. Os detalhes ainda afirmam que a mutação realizada é somente "semelhante" à que confere imunidade ao vírus, mas não idêntica. Ou seja: ninguém sabe o quanto isso dará certo. Nem se dará. Além disso, os dados incluídos no apêndice mostram que as gêmeas sofreram mutações em outras partes de seu genoma e, muito provavelmente, diferentes de uma célula para outra, tornando as consequências imprevisíveis em longo prazo. He Jiankui foi responsável pelo nascimento dos primeiros humanos geneticamente modificados  Questões éticas Vale lembrar que, quando o experimento foi divulgado, a postura He Jiankui foi duramente criticada pela comunidade científica internacional e pelas autoridades de seu país, e o caso inclusive gerou um movimento por pedidos de proibição de bebês CRISPR. Isso tudo porque, além de inédito, o procedimento do geneticista chinês não tinha nenhum embasamento clínico ou era fundamentado em testes anteriores que comprovariam seu sucesso. Do ponto de vista ético, alterar o genoma humano, tão pouco conhecido, é bastante complicado, irreversível e imprevisível. Agora, como comprovado pelo estudo detalhado do caso das gêmeas, é muito difícil acreditar que, ao trocar uma parte do genoma, haja um único efeito benéfico, porque são muitas as variáveis. Antes, seria preciso entender os seus efeitos durante toda uma vida. "Existem muitos problemas no caso das gêmeas CRISPR. Todos os princípios éticos estabelecidos foram violados, mas também há um grande problema científico: ele não controlava o que a CRISPR estava fazendo, e isso criou muitas consequências não intencionais", afirma Kiran Musunuru, professor de genética da Universidade da Pensilvânia, sobre o procedimento de He Jiankui. A CRISPR é uma técnica revolucionária de modificação do genoma criada em 2012, muito mais simples e fácil de usar do que as tecnologias existentes para redefinir o DNA em pontos específicos. Até agora, os geneticistas afirmam que a tecnologia ainda está longe do uso terapêutico e são necessários mais estudos. Além disso, antes de ser aplicada em humanos, a técnica precisa demonstrar vários resultados de sucesso laboratorial para só depois passar por aprovação em comitês de ética. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Os melhores apps Android da semana (5/12/2019)

Os melhores apps Android da semana (5/12/2019)

canaltech Nem todo mundo sabe fazer o devido descarte de um produto eletrônico defasado. Aposto que você já parou para pensar no que fazer com aquele smartphone de três ou quatro anos que já tem uma configuração que não lhe atende: você acaba de comprar um modelo mais novo, ainda que o velho esteja em suas mãos. Claro, você pode sempre vendê-lo, mas dependendo do aparelho, isso pode não compensar. O descarte correto de eletrônicos ainda confunde muita gente, então o destaque na nossa lista da semana vai para um aplicativo dedicado a oferecer um serviço de coleta e descarte sustentável, correto e amigável à natureza. Além disso, temos utilitários de som e jogos de raciocínio lógico para manter a mente afiada. Sem mais enrolação, vamos à lista! -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Happy Glass Um dos jogos mais simples e, talvez por isso, um dos mais divertidos também, Happy Glass consiste, basicamente, em encher um copo com um líquido. Evidentemente, as coisas não são tão fáceis, e o desafio aqui reside em fazer com que isso aconteça enquanto você supera diversos obstáculos por meio do desenho na tela. Ao passar o dedo no display, você desenha uma linha que pode mudar o curso do líquido despejado, fazendo ele seguir o caminho mais correto até o recipiente. O início é bem simples, mas conforme você vai avançando nos níveis, novos desafios o aguardam, desde manivelas que abrem e fecham vias até plataformas que caem e suportes incendiários que derretem o líquido antes de ele chegar ao copo. Ah, e não vale derrubar nada, no máximo tombar. Eventualmente, o jogo abre uma série de desafios, como encher o copo sem derramar uma gota. O melhor de tudo é que ele é inteiramente gratuito e offline, então você continua jogando mesmo diante de uma queda de sinal. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Brain Out Outro puzzle para desafiar seu raciocínio lógico com desafios inicialmente simples, mas crescentes em dificuldade, Brain Out traz uma série de questionamentos de vários tipos: operações matemáticas básicas, cálculos de progressão aritmética ou geométrica, identificação de erros em figuras similares…A graça aqui reside em não saber o que vem pela frente, então você é constantemente desafiado a usar várias memórias da escola e faculdade, ao mesmo tempo em que esquenta os neurônios e mantém a mente afiada para passar o tempo de forma divertida e inteligente. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Reev Descartar eletrônicos antigos é um processo ainda bastante confuso para nós brasileiros. Ou falta conhecimento e informação, ou falta pontos certos de coleta (isso, para não falar de quando falta bom senso, mas aí já entramos em outro assunto…) — sabe-se que existe a ação, mas poucos sabem de fato como executá-las por conta própria. Nisso, entra o Reev, um app criado aos moldes do Uber, no sentido de que ele cria um serviço de coleta a preço fixo de eletrônicos de pequeno e médio porte: você faz o seu cadastro e insere uma forma de pagamento — cartão de crédito ou voucher pré-pago. Ao anunciar o produto que você quer descartar, o Reev encontra um motorista parceiro em sua região para recolhê-lo e fazer o depósito em um ponto de coleta recomendado. O app é gratuito para download, mas o serviço em si tem custo fixo de R$ 15,90. O bom é que este valor invariável não sofre nenhuma alteração por encomenda: se você descartar um smartphone velho ou oito (ou outros itens de porte médio), o serviço será cobrado por igual. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Boom Entusiastas da música comumente sofrem com as diferentes configurações de áudio padronizadas em cada smartphone. Sons graves, especialmente, possuem diferentes reproduções quando você compra esse ou aquele modelo de celular e/ou fone, o que exige — ao menos, para fãs aficcionados e profissionais do ramo — várias e várias reconfigurações. Para quem adora graves de respeito, existe o Boom, um aplicativo que permite ao usuário editar as configurações de áudio de modo a valorizar os tons mais baixos, dando mais profundidade à música. A graça do app, porém, reside em seu funcionamento até mesmo em smartphones mais defasados, que não trazem um assistente de áudio mais robusto. O Boom conta com um equalizador com diversas variáveis, adequando-se ao estilo preferido do ouvinte, além de ajustes adaptativos de dispositivo, corrigindo sons conforme o que você usa: fones intra-auriculares, over-ear ou earbuds, por exemplo. Ah, e ele também pode ser atrelado a serviços de streaming, que geralmente têm equalizadores mais básicos. O que mais um ouvinte exigente pode querer no celular? (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Desert Islands O Desert Islands é um app que resulta do time de bem-estar do Google, que desenvolve aplicações que ajudam o usuário em aprimorar seu dia a dia e sua rotina. Neste caso, o funcionamento dele é simples: ele lista todos os apps instalados em seu smartphone, e lhe permite escolher apenas sete deles para usar durante 24 horas. É você quem determina o que lhe é mais importante no dia, já que o Desert Islands esconderá os outros durante um dia. Passou o prazo? Uma nova escolha se apresenta. A ideia aqui é ramificada em duas intenções: a primeira é fazer com que você identifique aquilo que é realmente importante no seu dia a dia, seja um aplicativo referente ao seu trabalho (como gerenciamento de equipes via Slack) ou no dia a dia (como redes sociais: Facebook, Instagram; ou apps de mensagens como o WhatsApp). A segunda é fazer com que você desapegue um pouco do smartphone e use mais da interação direta: para que raios usar o grupo de trabalho no WhatsApp se você está junto de sua equipe? Parece bobo, mas acontece com mais frequência do que se imagina. Agora, se você realmente precisar dos apps escondidos, por qualquer razão, você poderá destravá-los. A forma mais fácil de fazê-lo é desinstalando o Desert Islands. Entretanto, você também pode ajustá-lo para liberar os apps: na configuração do aplicativo, você pode selecionar se os apps “liberados” serão lançados via Android Launcher ou pelo executor próprio do Desert Islands. Na segunda opção, você consegue liberar o que foi escondido. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Ladrões invadem Apple Store e são detidos com sete iPhones

Ladrões invadem Apple Store e são detidos com sete iPhones

canaltech Em novembro, a polícia prendeu nove suspeitos após um ataque a uma Apple Store na cidade de Basingstoke, no sudoeste da Inglaterra. A ação ocorreu depois que três homens atacaram o segurança na loja e saíram com sete iPhones, causando um prejuízo equivalente a £ 8 mil (aproximadamente R$ 44 mil). Essa invasão desencadeou uma perseguição policial envolvendo até um helicóptero. As informações são do portal Daily Echo. A polícia conta o seguinte: "Recebemos uma ligação logo após o meio-dia de 13 de novembro, com relatos de que sete iPhones foram roubados da Apple Store em Festival Place. Os policiais foram enviados para a área e prenderam um total de nove pessoas como parte desta investigação. Todos estão sob custódia da polícia no momento". Além disso, todos os sete iPhones pegos pelos ladrões foram recuperados pela polícia do Reino Unido. Apple Watch ajuda policiais a encontrar bandidos Aplicativo fez com que o relógio emitisse uma espécie de alarme, permitindo que os policiais o localizassem Enquanto isso, na cidade de Roseville (Califórnia, EUA), um homem teve seu Apple Watch roubado por dois bandidos e usou o aplicativo Buscar para localizar o smartwatch. Esse recurso ajudou a polícia a encontrar o dispositivo e prender os criminosos. Basicamente, esse aplicativo emitiu uma espécie de alarme, permitindo que os agentes encontrassem o dispositivo num armário nos fundos de um veículo. Os dois ladrões presos por apropriação indevida e posse de substâncias ilegais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Veja Mais

Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas?

Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas?

canaltech Pode ser alguma coisa. Pode não ser nada. Mas o fato é que quando você conhece o Kendra, algo nele te chama a atenção. Isso porque essa plataforma de pesquisa corporativa desenvolvida pela Amazon Web Services (AWS), baseado em aprendizado de máquina, traz recursos bem interessantes, a ponto de deixar uma pulga atrás da orelha para quem viu a plataforma em funcionamento. E a pergunta é quase inevitável: estaria a Amazon ensaiando - ou dando os primeiros passos - para entrar em uma briga com o Google na área de buscas? Considerando que este é um setor em que o Google tem, praticamente, o monopólio (pouco mais de 92% da participação de mercado no mundo), é desnecessário dizer que, em caso de resposta afirmativa, trata-se de uma briga inglória. Mas, se existe alguma empresa com cacife para entrar nessa disputa, essa é a Amazon. Afora o caixa generoso, a empresa de Jeff Bezos já mostrou a sua força: nos EUA, a companhia já bate o próprio Google quando o assunto são buscas por produtos. E esse volume absurdo acontece apenas a partir do próprio site da Amazon, ou seja haveria ainda um campo gigantesco internet afora a ser explorado. Além disso, uma pesquisa da eMarketer aponta que a Amazon já tem 12,9% de marketshare nas receitas geradas por anúncios em mecanismos de buscas, ocupando a segunda colocação do ranking, a frente de Microsoft (6,5%) e Yahoo! (2%) e atrás, claro, da Big G, que possui 73,1%. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Logo, vocês entenderam porque, ao olharmos o Kendra em funcionamento, ficamos, no mínimo, encucados? Como o Amazon Kendra funciona? O Amazon Kendra foi apresentado na última terça-feira (03), durante o Re: Invent 2019, maior evento de cloud computing da AWS, que acontece essa semana em Las Vegas e que o Canaltech* acompanha ao vivo. Como explicamos no começo dessa matéria, trata-se de um serviço de pesquisa corporativa desenvolvido com machine learning e com recursos de busca baseados no idioma natural. Em um primeiro momento, a plataforma pode ser usada para sites e aplicativos (de fabricantes de smartphones ou um e-commerce, por exemplo) e faz com que usuários que estejam pesquisando por informações finais dentro de páginas de empresas específicas possam encontrar com mais facilidade as informações de que precisam. Dentre os principais benefícios do Kendra, o usuário poderá fazer perguntas no idioma natural, obtendo respostas imediatas. Inclusive, a linguagem natual pode ser usada para que o visitante da página faça perguntas, em vez de palavras-chave para conseguir o que procura, seja uma resposta precisa, um FAQ ou um documento inteiro. Com isso, a AWS afirma que as buscas que resultam em longas listas de links, onde a resposta estaria em algum lugar, estão com os dias contados. A linguagem natural permite que o usuário obtenha respostas mais específicas de qualquer lugar nos seus dados. O usuário poderá fazer perguntas como “O suporte técnico de TI está aberto ao meio-dia?” Ou “Como eu me conecto à minha VPN?” Mesmo nesses termos, será possível obter respostas mais precisas. O Kendra usa linguagem natural para entender as pesquisas dos usuários / Crédito da foto: Divulgação A partir do Kendra, a AWS afirma que será possível reunir todos os dados em apenas alguns cliques, permitindo que os desenvolvedores não precisem mais usar silos de informações. O Kendra permite adicionar conteúdo de sistemas de arquivos, SharePoint, sites da intranet, serviços de compartilhamento de arquivos e muito mais, em um local centralizado. Dessa forma, o visitante de uma página ou app conseguiria pesquisar com mais rapidez para encontrar a melhor resposta. Como toda plataforma dotada de aprendizado de máquina, o Kendra absorve as informações, melhorando constantemente os resultados da pesquisa ao longo do tempo. Isso porque os algoritmos de machine learning do sistema aprendem quais resultados os usuários acham mais valiosos. As empresas também terão a opção de refinar os resultados, ajustando manualmente a importância de determinadas fontes de dados ou a atualização do documento. Melhoras nos resultados de pesquisa Para que o entendimento de buscas fique cada vez mais eficiente, a AWS afirmou que o Kendra usa um sistema de aprendizagem incremental. Isso significa que treina ativamente os modelos de aprendizado aprofundado criados para seu conjunto de dados e padrões de uso dos funcionários para melhorar a precisão da pesquisa. À medida que os usuários finais interagem com os resultados da pesquisa, o Kendra ajusta seus resultados. Isso significa que, se você clicar em um resultado ou dar um "joinha", o Kendra aprenderá quais resultados são mais relevantes e os mostrará primeiro. Além disso, o Kendra permite que os administradores dos sites e aplicativos possam ajustar manualmente a relevância dos termos buscados; eles poderão aumentar certos campos no seu índice, como atualização do documento, contagem de visualizações ou fontes de dados específicas. Será possível, por exemplo, otimizar documentos que não são apenas visualizados com mais frequência, mas também mais recentes, como notícias ou atualizações de tendências. O Amazon Kendra pode eliminar buscas que terminam em listas intermináveis de links / Crédito da foto: divulgação Para completar, ao usar modelos de aprendizado profundo para entender as consultas em linguagem natural, o Kendra consegue documentar o conteúdo e as estruturas de uma ampla variedade de casos de uso internos, como RH, operações, suporte e P&D. O sistema também é otimizado para entender uma linguagem complexa de domínios como TI, serviços financeiros, seguros, produtos farmacêuticos, manufatura industrial, petróleo e gás, jurídico, mídia e entretenimento, viagens e hospitalidade, saúde, RH, notícias, telecomunicações, mineração, alimentos e bebidas e automotivo. Isso significa que você pode fazer uma pergunta como "Posso adicionar crianças como dependentes no meu plano de saúde?" E o Kendra fornecerá respostas relacionadas às suas opções de assistência médica. Kendra x Google BERT O uso de perguntas em linguagem natural no lugar de palavras-chave para obter melhores respostas oferecidos pelo Kendra lembra um projeto que o Google vem desenvolvendo em seu mecanismo de buscas: o BERT, uma nova linguagem que, além das palavras-chave, passa a considerar a sequência e contexto delas em uma frase. Sigla para Bidirectional Encoder Representations From Transformers, o BERT passa a levar em conta outros fatores para entregar os resultados. Em evento nos Estados Unidos realizado em outubro último, a empresa explicou a mudança com um exemplo. Vamos supor que alguém procure pela frase: “pegar remédio com prescrição para outra pessoa”. É bem provável que o usuário queira saber se há problema em comprar um medicamento prescrito sem a necessidade da presença do paciente. Atualmente, plataforma utiliza processamento de linguagem natural. Ou seja, nessa busca, vai escolher palavras-chave como “remédio” e “prescrição”, ignorando todo o contexto da dúvida. Assim, as respostas serão sobre como fazer um pedido ou quais remédios exigem prescrição. Com o Bert, a sequência das palavras, incluindo as não-chaves, seriam levadas em conta. Assim, o Google teria capacidade de entender que o usuário quer saber se é possível pegar o remédio para outra pessoa. Google Bert: a gigante das buscas também investe na linguagem natural para melhorar os resultados de pesquisas Outro exemplo apresentado pela companhia é para a busca da frase “quantos anos a Taylor Swift tinha quando Kanye a interrompeu”. A ideia aqui é mostrar que antes o Google buscaria pelos nomes dos dois artistas e entregaria uma reportagem mostrando que Kanye entrou no palco no MTV VMA e interrompeu a cantora, sem revelar a idade. Com o Bert, como a pergunta “quanto anos” aparece primeiro na frase, então, o Google passa a trazer respostas que enfatizam que a cantora tinha 19 anos na época. É a posição das palavras que faz a diferença agora. Segundo a Google, somente uma a cada 10 pesquisas podem ser modificadas com a adição do Bert. Ou seja, muita gente não vai nem perceber que algo está diferente. Contudo, estamos falando de uma escala de bilhões de buscas por mês, sendo que 10% ainda são milhões de resultados. Além disso, até o momento, o sistema funciona somente em inglês para buscas nos Estados Unidos. A mudança também vai impactar outras plataformas da Google como o Maps e o YouTube. Além disso, a mudança faria com que sites de nicho possam atrair mais gente. E eles vão mesmo competir com Google? Bom, ao vermos a proposta do Kendra aqui no Re:Invent 2019, nós fizemos o que qualquer bom jornalista faria ao ouvir a explicação do seu funcionamento: perguntamos aos executivos responsáveis se a ferramenta, lá na frente, permitiria a Amazon competir com o Google no mercado de buscas. E, como era de se esperar em um projeto dessa magnitude, eles não confirmaram nada. PORÉM, também não negaram. Em conversa com o Canaltech, o dr. Matt Wood, vice-presidente da área de Serviços de Inteligência Artificial da AWS, afirmou que o funcionamento do Kendra, por enquanto, é limitado à páginas e aplicativos de empresas por uma simples razão: "Nesses sites, é possível inserir mais semântica na estrutura desses documentos, por estarem em um ambiente menor e mais controlado. Fazer a mesma coisa internet afora demandaria um esforço infinitamente maior, em um projeto de ampla escala", afirmou o especialista. Notaram que ele não disse que a AWS NÃO estaria pensando em nada nesse sentido? Pode não ser nada. Mas pode ser o começo de algo grande. MUITO grande. *O jornalista Rui Maciel viajou ao Re: Invent, em Las Vegas, a convite da Amazon Web Services. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho Veja Mais

Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho

Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho

canaltech O Google não para de ter problemas com seus (ex) funcionários. Depois de protestos contra a demissão de Rebecca Rivers e Laurence Berland, que aconteceram em novembro, a empresa está sendo acossada por outros dois trabalhadores demitidos, que se uniram a Rivers e Berland para, juntos, atacarem a gigante da tecnologia. Os ex-Googlers planejam apresentar queixas trabalhistas contra a companhia, acusando o Google de práticas de trabalho que visam proteger somente seus interesses. Uma carta aberta publicada nesta quarta-feira (4) pelo “Google Walkout for Real Change”, no Medium, descreve como os quatro funcionários, Laurence Berland, Paul Duke, Rebecca Rivers e Sophie Waldman, todos envolvidos no ativismo interno da empresa, vão "revidar". Eles argumentam que não foram demitidos por violar as políticas de segurança de dados da empresa, como alegou o Google. "Trata-se de tentar impedir toda a organização do local de trabalho", diz a carta aberta. "O Google quer enviar uma mensagem a todos: se você ousar se envolver em uma organização de trabalho protegida, será punido", diz outro trecho. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Uma das sedes do Google. Esta, em São Francisco, já recebeu protestos de funcionários Como primeiro passo, as acusações de práticas trabalhistas injustas serão registradas no Conselho Nacional de Relações Trabalhistas, a agência governamental encarregada de fazer cumprir a lei trabalhista dos EUA, conforme descrito pelos ex-funcionários. Sob o processo do conselho, as autoridades investigarão as acusações e, finalmente, decidirão se precisam tomar outras medidas. Desde que tudo isso começou, o Google afirmou com veemência que Rivers e Berland foram demitidos por "violar suas políticas de segurança de dados", incluindo calendários de funcionários acessados ​​injustamente contendo informações de sua localização e compartilhados com fontes externas. "Demitimos quatro pessoas envolvidas em violações intencionais e, muitas vezes, repetidas de nossas políticas de segurança de dados de longa data, incluindo acesso e disseminação sistemática de materiais e trabalho de outros funcionários", disse um porta-voz do Google ao The Guardian. "Ninguém foi demitido por levantar preocupações ou debater as atividades da empresa", ressaltou. Essas demissões fazem parte de um problema maior e contínuo entre o Google e seus funcionários. Nos últimos dois anos, os funcionários da empresa protestaram contra questões como a administração da companhia lida com acusações de assédio moral e sexual, seu trabalho controverso para os militares e o tratamento de seus criadores de conteúdo LGBTQ+ no YouTube. Em meio às críticas internas, a gigante da tecnologia contratou um escritório de advocacia antissindical para aconselhar os diretores sobre como lidar com retaliações internas, isso sem falar de uma investigação da própria Alphabet, empresa-mãe do Google, que está de olho nestes acontecimentos recentes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Veja Mais

Possível visual do Galaxy Note 10 Lite mostra entrada para fones de ouvido

Possível visual do Galaxy Note 10 Lite mostra entrada para fones de ouvido

canaltech O Galaxy S11 deve ser o próximo grande lançamento da Samsung, mas antes dele parece que a marca sul-coreana pode lançar uma versão mais modesta do Galaxy Note 10. É isso o que a posta o OnLeaks, que costuma acertar em suas projeções e teve acesso a renderizações do chamado Galaxy Note 10 Lite. O grande destaque fica por conta da entrada para fones de ouvido — especialmente importante para os gamers, um dos grandes públicos-alvos da campanha de marketing do produto. Uma outra justificativa seria o fato da Samsung continuar fornecendo a conexão tradicional para o áudio para seus telefones intermediários. De resto, o Galaxy Note 10 Lite tem um tom escuro e lembra tanto o Galaxy S10 Lite quanto os Galaxy A91 e Galaxy A51. A exemplo desses smartphones, o lançamento terá um recorte de câmera traseira largo e retangular, com três sensores — algo que a Sammy testou com o Galaxy M30 no começo do ano e deve continuar aplicando nos próximos aparelhos. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- (Imagem: Reprodução/OnLeaks) O tamanho da tela ainda é um grande mistério, com previsão de 6,7 ou 6,8 polegadas.O processador deve ser o Exynos 9810, com 6 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno, além de Android 10. A S Pen habilitada para Bluetooth e o leitor de impressão digital no display também devem dar as caras. Segundo rumores, há a possibilidade de a Samsung debutar o Galaxy Note 10 Lite ainda este mês na Índia. Por enquanto, não há projeção de preço. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo

Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo

canaltech A impressão em 3D já está aí há anos, e a cada temporada vemos uma otimização para torná-la mais rápida e barata. A companhia de construção Winsun vem se especializando em aplicá-la em estruturas de larga escala, e agora terminou de realizar o maior projeto desse setor: o revestimento de uma parede litorânea, na cidade chinesa de Suhzou. A obra conta com mais de 500 metros de comprimento e traz importantes particularidades, que aumentam a resistência ao desgaste causado pela água e pelo clima, e também pôde ser customizada em uma inclinação capaz de proteger o muro da erosão, absorvendo o impacto da corrente aquática. Além disso, o projeto levou em consideração o próprio desenho natural do local, preservando o lar dos animais marinhos.   Comparada às técnicas tradicionais, a impressão 3D do revestimento também foi mais barata, rápida e exigiu menos mão de obra no local. Talvez estejamos diante do início de uma nova era da construção! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 Veja Mais

Apple finalmente deve trazer leitor de digitais sob a tela nos próximos iPhones

Apple finalmente deve trazer leitor de digitais sob a tela nos próximos iPhones

canaltech A Apple pulou a fase do leitor de digitais sob a tela e decidiu apostar de uma vez no reconhecimento facial, com uma varredura mais precisa do Face ID. Mas agora a companhia estaria mudando de ideia. Segundo rumores ventilados pelo Economic Daily News, a Qualcomm e outros fornecedores estariam trabalhando juntos para introduzir esse recurso nos próximos iPhones. As mesmas fontes juram que isso deve acontecer rápido, já na fornada de 2020, e com o mesmo modelo ultrassônico utilizado pela série Galaxy S10, que assegura mais velocidade e precisão, pois consegue contornar pequenas sujeiras — a maioria adota atualmente a emissão óptica, que, obviamente, precisa de uma imagem bem iluminada do dedo. Caso se confirme, será a primeira vez que a Maçã investe nessa funcionalidade. Uma das razões seria oferecer uma opção extra de acessibilidade para os aparelhos topo de linha e outra seria um possível corte de custos para dispositivos mais baratos — vale destacar que a empresa vem buscando manter os clientes em seu ecossistema para poder lucrar com novos serviços, a exemplo do Apple TV+. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A novidade chega a ser curiosa. O desbloqueio por meio de biometria sob o painel vem sendo deixado de lado pelo Google, justamente agora que a Apple parece querer oferecer isso. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Snapdragon 865: todos os detalhes sobre o "monstro" mobile

Snapdragon 865: todos os detalhes sobre o

canaltech Hoje (04), a Qualcomm revelou, no segundo dia de conferência do Snapdragon Summit, todos os detalhes sobre seu novo chipset topo de linha, o Snapdragon 865, chamado pela empresa até então de “fera”, “besta” e outros nomes que remetem a dragões em geral. De fato, o chip promete e deixa claro que o ano de 2020 será poderoso para os smartphones que usarem o processador. Como isso afeta os celulares de 2020? Tudo que foi apresentado tem duas funções: indicar o que um Motorola, Xiaomi, Etc poderão fazer ao longo de 2020, ao mesmo tempo “esperando” que as fabricantes façam uso de fato das possibilidades que o Snapdragon 865 oferece. Para quem está acompanhando “perdido” os anúncios da Qualcomm, facilita pensar que “um celular sem marca” absurdamente poderoso foi anunciado ontem e hoje, o Snapdragon 865, que “pode” fazer tudo que vamos listar abaixo, porém depende das fabricantes de fato colocar tudo isso num corpo de metal, vidro, dar bateria, etc, afinal um celular não é feito apenas de processador. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Depois de entender isso, basta lembrar que o 865 pode mover computadores, tablets e outras coisas como óculos de realidade virtual. Assim podemos prosseguir com mais facilidade, certo? Nota importante: aqui não falaremos de 5G praticamente, afinal esta é apenas uma pequena parte modular do Snapdragon 865, o Modem 5G Qualcomm X55 (de 7.5 Gbps de download com certificação Wi-Fi-6), com conectividade de ondas nanométricas e sub-6. Isso pode aplicado em outros itens de forma complementar e, sim, é parte do 865, porém há muito mais para falarmos do chipset (e rodopiar em torno de um assunto que há um ano é bombardeado na mídia global como “o futuro chegou” é cansativo e desnecessário para todos os envolvidos). A conectividade toda do Chipset é o que há de mais avançado, portanto ponha na conta também Bluetooth 5.1 com aptx e suporte pleno ao TWS+ (para conectividade de alto desempenho com fones que funcionam “aos pares”, ao melhor estilo AirPods, Redmi AirDots, Galaxy Buds, etc, etc). Snapdragon 865: Fotografia móvel é o objetivo (Foto: Adriano Ponte/Canaltech) Na prévia sobre o chip, ficou claro que o 865 permitirá que as fabricantes utilizem câmeras de até 200mp para fotografias cheias de detalhes, sendo isso resumido em arquivos muito complexos ou fotos com zoom digital sem perdas de qualidade para nossos padrões atuais. Isso não quer dizer que o próximo aparelho com 865 terá uma câmera dessas - esse é o novo limite do CHIP (dois “Gigapixels” por segundo de processamento). Como os limites subiram, o 865 entregará gravações em 8K, suporte Dolby Vision, captura simultânea em 4K HDR e Fotografia de 64MP (ou seja, é possível fazer fotos de fato durante os vídeos, não apenas congelar um frame de forma digital). Ainda nessa alta banda de processamento de imagens por segundo há o suporte do 865 ao zoom contínuo entre as múltiplas lentes dos aparelhos que moverá em breve, dado o processamento de tantos itens de forma simultânea e funcional. A idéia é bem resumida pelo que vimos na apresentação da Apple com seus novos chips e câmera tripla, logo fica a pista de que o Snapdragon 865 pode ser tão ou mais potente que o sistema de ISP dos iPhones (sendo ISP a parte do chip que controla e processa os sinais de imagem das câmeras). No 865, o processamento de pixels é feito em grupos de quatro, não um a um como é esperado de versões anteriores, algo que diminui o ritmo de trabalho mas aumenta a produtividade (baterias em geral agradecem). Adicionalmente, o 865 suporta captura ilimitada de vídeos em 960FPS (720p), logo é possível filmar em câmera lenta por tempo indeterminado, sem pausas obrigatórias. Esse último ponto, inclusive, deixa claro que o 865 foca um melhorar tudo que foi possível sem comprometer o chip com problemas de superaquecimento ou limites de trabalho em pico, entregando potência apenas “se puder suportar” por longos períodos, sendo uma decisão de fazer 100% de rendimento com estabilidade (ao invés de atingir picos não suportáveis de potência apenas por alguns segundos). Isso se estende à todas as características do 865, mas a fotografia ilustra bem essa característica, assim como a parte de games. E falando neles... Playstation-Xbox-PC de mão em 2020, mas com Android (Foto: Adriano Ponte/Canaltech) Com atualizações na CPU e GPU, a promessa da Qualcomm é que os jogadores móveis percebam ganhos tanto na velocidade dos gráficos como na forma com a qual o processador lida com os cálculos na sua revisão atual, entregando efeitos de iluminação mais complexos, texturas e velocidade no processamento de camadas de efeito mescladas sem transparecer esse esforço todo, tanto por performance energética boa quanto por entregar mais quadros (e não menos, com a complexidade adicional que entra na fórmula) Em números, a unidade gráfica (GPU Adreno 650) está 25% em relação ao ano passado com 35% menos consumo de energia e, na parte de CPU, temos o núcleo Kryo 585 com 25% mais desempenho que a versão do ano passado. Em outras palavras, a atualização de potência e a forma de processamento atualizada (Qualcomm Game Smoother 2.0 e Performance Engine) permite (e passa a suportar) telas de 144hz para que entreguem bem mais que os 60fps esperados para games, ajustando isso de forma estável ao game e sua saída de quadros por segundo desejada. Um exemplo cruzado disso foi dado no palco do Summit neste segundo dia, ativando CPU, GPU e inteligência artificial ao mesmo tempo com avatares de realidade aumentada em tempo real com performance bem longe da “travadeira” que costumamos ver em filtros 3D do Instagram, por exemplo. E como inteligência artificial entra no meio... Inteligência artificial mais avançada, pelo menos como conhecemos (Foto: Adriano Ponte/Canaltech) Os exemplos atuais de A.I. envolvem mais processamento especializado do que de fato robôs pensando e núcleos para esse tipo de trabalho existem em boa parte dos chips de alto rendimento da atualidade. O Snapdragon 865 e sua unidade Hexagon 698 de processamento combinada com as demais áreas do chip faz esse papel de forma expandida nesse ano, abrigando a quinta geração de inteligência artificial da Qualcomm neste ano, incluindo um novo tensor de aceleração para I.A. e culminando tudo em 15 TOPs, ou seja, 15 trilhões de operações por segundo para que a percepção do ambiente e processamento de dados em linguagem natural aconteçam localmente em alta velocidade, deixando a nuvem como fonte de consulta para, por exemplo, uma tradução em tempo real de Inglês para Mandarim (como demonstrado no palco do Summit), sendo a nuvem apenas uma referência para os dados, com o processamento e tradução acontecendo em tempo real nos dispositivos com Snapdragon 865. Outro ponto nessa localidade aplicada em I.A.: sensores. Dá para lembrar por volta de 2014 quando os co-processadores de baixa energia começaram a dar vida aos gestos nos celulares (como as moto ações da Motorola), onde pegar um aparelho da mesa ativa a tela automaticamente pelo monitoramento contínuo de baixo consumo de energia de sensores dedicados. Nessa época surgia o “Ok Google”, necessitando de acesso ao microfone em tempo integral para esperar a palavra chave. No Snapdragon 865, a zona do chip dedicada a Qualcomm Sensing Hub opera em baixíssima energia para não apenas realizar o velho truque do “Google”, mas também para permitir que com menos de 1mW de consumo haja via câmera a capacidade de assistentes atenderem e ajudarem. Um aceno para falar com o Google Assistente? Fotos automáticas quando estiver na praia? Só saberemos ao longo de 2020, mas agora é possível imaginar o que já é possível e nativo no próprio aparelho, incluindo mais segurança, afinal o chip (a unidade mais básica do sistema operacional, de certa forma) traz de forma nativa controle de percepção de ambiente, então se o seu celular desligar a tela por segurança no futuro pois alguém estava tentando espiar a senha do seu banco por cima do seu ombro, lembre que essa “percepção” do ambiente começou a nível de Chipset, aqui no Snapdragon 865. Isso tudo combinado com o núcleo de segurança do 865 permite que, assim como anunciado pelo próprio Google no palco do Summit, que documentos reais (carteira de habilitação de motorista americana como no exemplo) possam ser armazenados de forma integrada numa próxima versão do Android, com perfeito valor legal e segurança. O que mudou então? O que era potente ficou mais potente, com mais áreas especializadas. A conectividade tem 5G, a A.I. tem mais controle sobre o chip e é consultada pelas outras áreas para acelerar todo mundo, a parte de 3D funciona com mais instruções, potência e suporte estendido. O Snapdragon 865 é um monstro de fato, cabe apenas às fabricantes mostrarem se são capazes de usar tudo isso em 2020, ou pelo menos boa parte disso tudo sem estourar os bolsos dos usuários nesse processo.*O Canaltech viajou ao Havaí a convite da Qualcomm para conferir os anúncios do Summit deste ano, então fique ligado aqui para mais novidades no último dia da conferência. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Mailchimp: como divulgar sua empresa via e-mail gratuitamente

Mailchimp: como divulgar sua empresa via e-mail gratuitamente

canaltech O Mailchimp é uma das plataformas mais rápidas e simples para realizar a divulgação de sua empresa e conquistar um maior número de clientes. Com ela, é possível criar seu anúncio em cerca de 20 minutos, utilizando ferramentas que podem ser aplicadas por qualquer um que tenha o básico de conhecimento de Internet. É possível enviar 12.000 e-mails grátis através do Mailchimp. Confira como criar sua conta no serviço e utilizá-lo através do tutorial a seguir: Passo 1 Acesse o e-mail do Mailchimp e clique em “Sign Up Free” (no canto superior direito da tela) para criar sua conta gratuitamente na plataforma. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 2 Informe ao Mailchimp dados como e-mail, nome de usuário e uma senha válida para acesso (ela deve conter uma letra minúscula, uma maiúscula, um número, um símbolo especial e um total mínimo de 8 caracteres). -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Captura de tela: Ariane Velasco Passo 3 Um e-mail será enviado para o endereço cadastrado. Clique sobre o link nele contido para ativar sua conta no Mailchimp. Depois, confirme sua identidade clicando em “I’m not a robot” (Não sou um robô). Captura de tela: Ariane Velasco Passo 5 Escolha um dos planos disponíveis no Mailchimp. São eles: Plano gratuito (que possui o limite de 12.000 e-mails e 2.000 contatos); “Essentials”, que permite acesso a suporte adicional para clientes interessados, com 10.000 contatos (US$74,99/mês); “Standard”, que proporciona dicas de planejamento para empresas que desejam ter mais clientes - também com 10.000 contatos (US$99/mês); “Premium”, com 10.000 contatos, recursos avançados, mais possibilidades de customização para os e-mails e planejamento para empresas novas no mercado (US$299/mês). Captura de tela: Ariane Velasco Passo 6 Novamente, informe ao Mailchimp seu primeiro e último nome. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 7 Em seguida, digite o nome de sua empresa e, se tiver, seu website. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 8 Informe ao Mailchimp seu endereço completo. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 9 Se você já tiver uma lista de assinantes (subscribers) em seu e-mail de negócios, informe o número presente nela ao Mailchimp e clique em “Continue”. Depois, escolha se deseja compartilhar sua campanha também em redes sociais como o Facebook ou o Twitter. Na tela seguinte, você pode receber dicas do Mailchimp informando algumas características a respeito de seu empreendimento (você também pode pular essa etapa clicando em “Not right now”). Captura de tela: Ariane Velasco Pronto! Agora você já pode começar a configurar o design de seu e-mail no Mailchimp. Configurando seu e-mail marketing no MailChimp Passo 1 Em “Start designing your first email” (Iniciar o design de seu primeiro e-mail), você pode clicar em “Start from scratch” para criar seu próprio design do zero, arrastando os elementos do lado direito da tela para o lado esquerdo. É possível adicionar textos, dividir blocos dentro do e-mail, inserir imagens, montagens, links para redes sociais, contato da empresa, vídeos, entre outros elementos. Você também pode selecionar um dos templates disponíveis no Mailchimp. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 2 Na aba “Style”, você pode mudar a fonte da letra utilizada em seu e-mail do Mailchimp, o tamanho, a cor, entre outras características do e-mail. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 3 Já, em “Settings”, é possível alterar o número de colunas em seu e-mail do Mailchimp, bem como a largura de abas no corpo do anúncio. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 4 Uma vez que tiver finalizado a criação de seu e-mail, clique em “Save & Close” (Salvar e fechar). Depois, clique em “Continue”, no canto superior direito da tela. Captura de tela: Ariane Velasco Selecionando o público alvo de seu e-mail no Mailchimp Uma vez que você tenha criado seu e-mail profissional, será necessário traçar o público alvo para o qual ele será enviado. Para fazer isso, siga os passos abaixo: Passo 1 Em “To” (Para), clique em “Add Recipients” (Adicionar destinatários) para listar os e-mails de possíveis clientes que receberão seu anúncio. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 2 Em “From” (De), informe o nome de sua empresa e seu endereço de e-mail. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 3 Por fim, em “Subject” (Assunto), selecione o título que aparecerá em seu e-mail. Vale lembrar que ele deve chamar bastante atenção, uma vez que será a primeira coisa lida por potenciais clientes. Além disso, será necessário inserir um “Preview Text” (Prévia de texto), que aparecerá no inbox do destinatário logo abaixo do assunto. Captura de tela: Ariane Velasco Pronto! Agora você já pode enviar e-mails de marketing para possíveis clientes através do Mailchimp e divulgar sua marca gratuitamente! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 10 inovações que vão transformar a medicina na próxima década Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Artigo 19 da LGPD em votação: entenda por que a censura pode voltar Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua "Inception" galáctico: Objeto de Hoag intriga astrônomos há 70 anos Veja Mais

Sua televisão desliga automaticamente? Saiba como resolver o problema

Sua televisão desliga automaticamente? Saiba como resolver o problema

canaltech Se a sua TV desliga automaticamente, existem diversos fatores que devem ser investigados antes de chegar a uma constatação. Independentemente de sua marca, muitos televisores contam com recursos que podem interferir em seu funcionamento, o que pode levar a tela ligar e desligar sozinha. Assim, muitas vezes basta realizar simples alterações em suas configurações para resolver o problema de uma vez por todas. Confira, a seguir, algumas dicas importantes: Verifique o cabo e a tomada de sua televisão Se a sua televisão desliga automaticamente, cheque se existe algum mau contato no cabo ou na tomada que possa estar causando o problema. Se a televisão estiver perto demais dá parede, observe se o fio não está enrolado demais em outros, desconecte-o do aparelho, estique-o e, depois, plugue sua TV normalmente. Se, depois disso, ela voltar a funcionar normalmente, problema resolvido. Se sua TV desliga automaticamente, verifique a tomada (Foto: Reprodução) Verifique o timer de sua televisão Se a sua televisão liga e desliga automaticamente, vale checar se o timer está ativado. Em algumas TVs, ele é chamado de temporizador. Já, em outras, de “modo soneca”. Essa função permite programar o desligamento da TV depois de algum tempo de uso. Assim, para resolver o problema de sua televisão desligando do nada, cheque se a funcionalidade está ativada. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Verifique as configurações do timer se sua TV desligar automaticamente (Imagem: Shazino) Desabilite a função "Ligar com WLAN" Se a sua TV desliga automaticamente, é importante verificar se as funções “ligar com Wi-Fi” ou “ligar com WLAN” estão ativadas. Isso porque, nesses casos, a televisão liga sozinha ao identificar uma interação vinda de outro dispositivo que esteja conectado na mesma rede. É possível desativar a função nas configurações do aparelho, selecionando o menu “rede”. Verifique se a função "Ligar com Wi-Fi" está ativada em sua TV que desliga automaticamente (Imagem: Reprodução) Desative qualquer função de economia de energia Algumas televisões desligam sozinhas, quando configuradas, para economizar energia. Por isso, se você notou algum comportamento estranho em seu aparelho, verifique se esse recurso veio configurado de fábrica e desabilite-o nas configurações. Desative a função "Economia de Energia" de sua TV se ela desligar automaticamente (Foto: Reprodução) Restaure o sistema de sua TV Se nenhuma das soluções acima resolver o problema de sua TV que desliga sozinha, verifique se a falha não está no software e restaure o sistema caso essa possibilidade for confirmada. Se, mesmo assim, o problema persistir, envie seu televisor para a assistência técnica. Televisão desliga do nada? Restaure o sistema (Imagem: Reprodução/Youtube) Verifique se a conexão de sua TV caiu Alguns televisores, como os fabricados pela LG, possuem um recurso de economia de energia que induz o aparelho ao desligamento automático caso ele não encontre nenhuma conexão ativa por algum tempo. Assim, se o Wi-Fi de sua casa caiu e a TV permaneceu buscando algum sinal, é possível que ela tenha desligado por isso. Para resolver o problema, restabeleça a conexão. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 O Irlandês foi visto por mais de 17 milhões de contas no Netflix | Veja dicas Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Veja Mais

Forbes destaca a importância dos e-sports em sua lista "30 under 30"

Forbes destaca a importância dos e-sports em sua lista

canaltech Como acontece todos os anos, a revista Forbes lançou este mês sua lista “30 under 30”, que indica 30 pessoas com menos de 30 anos que tem feito a diferença em 20 nichos de mercado diferentes dos Estados Unidos e do Canadá. A revista então escolhe 30 nomes de cada um desses nichos (somando um total de 600 nomes com menos de 30 anos) e este ano, na lista reservada ao mercado de games, se destaca a grande quantidade de streamers e jogadores profissionais de e-sports. Nos anos anteriores, nomes que hoje são reconhecidos até por algumas pessoas que não acompanham a cena de e-sports, como Tyler “Ninja” Blevins, Yiliang “Doublelift” Peng e Jacky “Stewie2k” Yip já fizeram parte da lista da Forbes, que em 2019 dá destaque para algumas das mais novas estrelas em ascensão no mundo dos games, além de alguns nomes conhecidos que voltaram a dominar as manchetes. Um dos nomes destacados na lista deste ano é o de Kyle “Bugha” Giersdorf, campeão da Copa do Mundo de Fortnite em 2019 na categoria solo. Com apenas 14 anos, Bugha ainda não completou nem o colegial, mas conseguiu se destacar entre 40 milhões de jogadores e se tornar o primeiro campeão solo de Fortnite este ano, levando para casa o prêmio de US$ 3 milhões. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Kyle "Bugha" Giersdorf levantando a taça de campeão em Fortnite (Imagem: Epic Games) Outro destaque também é Soleil “Ewok” Wheeler, uma jogadora surda que também participou da Copa do Mundo de Fortnite e que, depois de angariar mais de 250 mil seguidores no Twitch, fechou um contrato de exclusividade no terceiro trimestre deste ano com o Mixer, a plataforma de streaming da Microsoft. Quem também aparece na lista é Nick “Nick Eh 30” Amyoony, streamer famoso por produzir conteúdo de Fortnite considerado seguro para toda a família (ou seja, sem usar palavrões ou fazer insinuações sexuais nas transmissões). Ele era um dos principais streamers do YouTube, onde possuía 4,7 milhões de inscritos no seu canal, e atualmente possui um contrato de exclusividade com o Twitch e, em seus streamings na plataforma, ele também promove conteúdos das marcas Axe, Amazon Studios e da Electronic Arts. Um nome que não é exatamente novo, mas que também aparece na lista é o de Dominique “Sonicfox” McLean. A revista destaca Sonicfox não apenas como uma das poucas personalidades preocupadas com a inclusão no mundo dos e-sports - já que ela é abertamente de sexualidade queer e não-binária. Sonicfox também faz parte da comunidade furry e é um dos poucos a trazer questões de gênero para o mundo dos e-sports. Ele também é reconhecido por sua maestria em diversos jogos de luta, onde ganhou cinco torneios na EVO (em 2014 com Injustice: Gods Among Us, em 2015 e 2016 com Mortal Kombat X, em 2018 com Dragon Ball Fighter Z e em 2019 com Mortal Kombat 11) em que foi considerado como o melhor jogador de e-sports do mundo em 2018 pela The Game Awards. Dominique "Sonicfox" McLean, recendo o prêmio de melhor jogador do mundo na The Game Awards de 2018 (Imagem: The Game Awards) O grupo de jogadores profissionais da lista é completado por Rumay “Hafu” Wang, que possui quase 800 mil seguidores no Twitch e ganhou diversos eventos da Major League Gaming nos jogos League of Legends e Hearthstone, sendo atualmente a jogadora número um do G2 Esports Teamfight Tactics. A lista completa de indicados na categoria de videogames é a seguinte: Kezia Adamo, programadora no StudioMDHR Nick ‘Nick Eh 30’ Amyoony, jogador profissional e streamer Brent Batas and Julian Gari, co-fundadores da AutoAttack Games Joseph Bentley, diretor da Beyond Entertainment Justin Britch, diretor de desenvolvimento da Obsidian Entertainment Maxx Burman, co-fundador da KitBash3d Bonnie Burton, produtor na Bungie Rebecca Ford, Diretor de Comunidade na Digital Extremes Lauren Gaba Flanagan, co-fundador da Theorycraft Kyle ‘Bugha’ Giersdorf, jogador profissional da equipe Sentinels Renee Gittins, diretor executivo da IGDA Richard Henkel, chefe de produto da Riot Games Kyle Holdwick, engenheiro senior de gameplay na thatgamecompany Mary Kenney, roteirista na Insomniac Games Nicole LaPointe Jameson, CEO da Evil Geniuses Keizac Lee, parceiro na Kowloon Nights Dominique ‘Sonicfox’ McLean, jogador profissional para a equipe Echo Fox Shayna Moon, produtora associada no Santa Monica Studio Spencer Perreault, engenheiro de software chefe da Microsoft Stephen Ellis and David Steinberg, co-fundadores da Pipeline Jasmine Roberts, tecnóloga de criação no Google Creative Lab Sam Rosenthal, Fundador da The Game Band Ketaki Shriram, co-fundador da Krikey Justin Stander, fundador da Askiisoft James Sun, gerente de produto senior no Twitch Hanako Tjia, agente na UTA Rumay ‘Hafu’ Wang, jogadora profissional para a equipe G2 Esports Soleil ‘Ewok’ Wheeler, jogadora profissional para a equipe FaZe Clan Carrie Witt, diretora de arte na Owlchemy Labs Zhenghua Yang, fundador da Serenity Forge Apesar de apenas cinco nomes ligados aos e-sports fazerem parte da lista deste ano, com a popularização cada vez maior de torneios e de streamers, acredita-se que esse número só tende a aumentar nos próximos anos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (30/11 a 06/12) Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Veja Mais

Softbank abre café em Tóquio com robôs Pepper como atendentes

Softbank abre café em Tóquio com robôs Pepper como atendentes

canaltech Os robôs da Softbank, chamados de Pepper, agora estão chegando em outro mercado: o de cafés. No Japão, hotéis, lojas de aeroporto, entre outros comércios, já contam com os atendentes robotizados, que foram criados ainda em 2015. Agora, este novo segmento começou a ser testado em Tóquio. O primeiro café com o robô é o Pepper Parlor, e clientes já estão fazendo seus pedidos através dele, recebendo ainda cumprimentos e conversando. Outros robôs da Softbank também estão sendo implementados: o Nao e o Whiz. Com a metade do tamanho de um Pepper, que mede 1,20 metro, o Nao é o responsável por dançar na mesa, e o Whiz faz a limpeza do local com a ajuda da sua inteligência artificial. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Robô Nao performando (Imagem: Reprodução/Softbank) Whiz, responsável pela limpeza (Imagem: Reprodução/Softbank) De acordo com Kazutaka Hasumi, executivo da Softbank, os robôs são uma forma da companhia aprender melhor sobre como as máquinas podem interagir com os humanos, aprimorando suas ofertas atuais com a tecnologia. Adaptação dos robôs na indústria O uso dos robôs no comércio também é uma forma de agir em relação à redução da população do Japão, que vem enfrentando também uma diminuição da quantidade de trabalhadores nas indústrias. Por isso, o investimento na robótica tem como foco treinar essas máquinas para se adaptarem a esses trabalhos. Pepper recebendo os pedidos (Imagem: Reprodução/Softbank) No entanto, as habilidades atuais dos robôs são limitadas. No trabalho em hospitais, por exemplo, a única tarefa do Pepper é servir como uma forma de entretenimento para quer estava por lá. Esta interação humana pode, então, ser uma forma de treinamento para reconhecer rostos e emoções das pessoas, respondendo comandos de voz ou ainda exibindo mensagens em sua tela. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: EXCLUSIVO: compras internacionais exigirão CPF a partir de janeiro, diz Correios Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 As 10 séries mais assistidas de 2019 Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Google libera beta do Modo Foco para diminuir ansiedade e distrações no Android Veja Mais

Justiça do Trabalho determina que Loggi crie vínculo trabalhista com motoristas

Justiça do Trabalho determina que Loggi crie vínculo trabalhista com motoristas

canaltech A empresa de entregas Loggi agora terá que reconhecer seus motoboys com vínculo trabalhista, segundo determinação da Justiça do Trabalho de São Paulo em decisão publicada na última quinta-feira (5).  De acordo com a decisão da juíza Lávia Lacerda Mendez, da 8ª Vara do Trabalho do Trabalho de São Paulo, a Loggi terá que conceder aos motoristas um limite de oito horas diárias de trabalho, além de 24 horas consecutivas de descanso semanal. A Loggi ainda terá que fazer registro eletrônico dos motoristas que tiveram alguma atividade nos últimos dois meses, pagando também um adicional de periculosidade a esses colaboradores e oferecendo capacetes e coletes. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Imagem: Reprodução Em resposta ao G1, a Loggi disse lamentar que a Justiça do Trabalho tenha chegado a essa decisão, e espera que a decisão seja revisada pelos tribunais superiores. A companhia ainda comentou que seus colaboradores precisam apenas ser Microempreendedores Individuais (MEI), e que eles recebem seguro contra acidentes, cursos de pilotagem, participam de campanhas de segurança no trânsito, contando também com locais de descanso e convívio.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei As 10 séries mais assistidas de 2019 Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Veja Mais

Uber lança relatório nos EUA sobre segurança e agressão sexual

Uber lança relatório nos EUA sobre segurança e agressão sexual

canaltech Nesta sexta-feira (6), a Uber lançou seu primeiro relatório de segurança, que envolve agressões e abusos sexuais. Nesse documento, a empresa conta que recebeu 2.936 denúncias de agressão sexual, número que aumentou para 3.045 em 2018, embora tenha havido uma queda de 16% na taxa média de incidentes, o que sugere que pode estar relacionado ao aumento do foco da empresa na segurança. A Uber categoriza as agressões sexuais em cinco subcategorias: beijo não consensual em uma parte do corpo não sexual, tentativa de penetração sexual não consensual, toque não consensual de uma parte do corpo sexual, beijo não consensual de uma parte do corpo sexual e penetração sexual não consensual. Em relação à última subcategoria, a empresa chegou a receber 229 denúncias em 2017 e 235 denúncias em 2018. Ao longo de 2017 e 2018, os incidentes relatados ocorreram em 0,00002% das viagens. “Embora esses relatos sejam raros, todo relato representa um indivíduo que se apresentou para compartilhar uma experiência intensamente dolorosa”, consta no relatório. Essas denúncias aconteceram tanto por parte de passageiros quanto por parte de motoristas. “A publicação voluntária de um relatório que discute essas questões difíceis de segurança não é fácil”, escreveu o diretor jurídico da Uber, Tony West. “A maioria das empresas não fala sobre questões como violência sexual, porque isso corre o risco de convidar manchetes negativas e críticas públicas. Mas sentimos que é hora de uma nova abordagem. Como alguém que processou crimes sexuais e trabalhou nessas questões por mais de 25 anos, posso dizer que uma nova abordagem é extremamente necessária", acrescenta. A Uber tem estado sob escrutínio por suas práticas de segurança, pois em 2017, uma mulher que foi estuprada por seu motorista na Índia entrou com uma ação contra a empresa, e em uma investigação independente realizada pela CNN, a publicação encontrou 103 motoristas do Uber que foram acusados ​​de agressão sexual ou abuso de passageiros. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Medidas de segurança Ao longo dos anos, a Uber implementou uma série de medidas de segurança projetadas para ajudar a prevenir situações como essas. Em maio de 2018, a companhia adicionou um recurso no aplicativo para chamar a polícia, nos EUA. Mais tarde naquele ano, o Uber adicionou um recurso chamado Ride Check, ativado se o sensor de GPS no telefone do motorista perceber que há uma parada anormalmente longa ou inesperada durante a viagem. "Confrontar a violência sexual requer honestidade, e é apenas esclarecendo essas questões que podemos começar a fornecer clareza sobre algo que atinge todos os cantos da sociedade", escreveu West. "E, o mais importante, trazendo dados concretos, podemos tornar cada viagem mais segura para motoristas e motociclistas". Tendo isso em mente, o Canaltech procurou a equipe da Uber no Brasil para entender como estão as medidas de segurança da empresa no país. Assim que houver uma resposta, atualizaremos esta matéria. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Anatel homologa novos smartphones da Motorola, Xiaomi e Huawei Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Microsoft está forçando a atualização de todas as máquinas com Windows 10 Veja Mais

Niantic e Qualcomm se unem para criar óculos de realidade aumentada

Niantic e Qualcomm se unem para criar óculos de realidade aumentada

canaltech Niantic e Qualcomm anunciaram uma parceria para desenvolver um novo dispositivo de realidade aumentada. As empresas se uniram para criar mais do que apenas óculos inteligentes, mas uma verdadeira plataforma com hardware, software e componentes na nuvem. O CTO da Niantic, Phil Keslin, escreveu um texto no site da empresa para explicar um pouco a parceria, que vai usar a nova plataforma Snapdragon XR2 e o mundo real da desenvolvedora de jogos em realidade aumentada. “Estamos desbloqueando o potencial para criar as experiências da próxima geração da realidade aumentada através da plataforma de mundo real da Niantic, construindo novas formas de mapear, compartilhar, e compreender a realidade. A Plataforma de Mundo Real da Niantic foi testada por centenas de milhões de usuários, através de experiências como Ingress, Pokémon GO e Harry Potter: Wizards Unite”, explicou Keslin. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O outro componente é o Snapdragon XR2, chipset anunciado pela Qualcomm nesta quinta-feira (5), e que já possui suporte ao 5G. A nova plataforma tem melhorias que vão ampliar a largura de banda de vídeo, resolução e performance, criando mundos mais realistas que o Snapdragon XR1, anunciado no ano passado. Não há ainda nenhum conceito da aparência dos óculos de realidade mista que Niantic e Qualcomm pretende desenvolver, mas a ideia é criar “um design integrado e focado em hardware de referência para óculos de Realidade Aumentada, software, e componentes da nuvem”, segundo Keslin. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 séries mais assistidas de 2019 Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Veja Mais

Pesquisadores usam IA para criar novo método de leitura labial em vídeos

Pesquisadores usam IA para criar novo método de leitura labial em vídeos

canaltech Pesquisadores chineses da Alibaba e da Universidade de Zhejiang, em parceria com o Stevens Institute of Technology, criaram o LIBS (Lip by Speech), um método de leitura labial por meio de inteligência artificial e machine learning que possui taxa de erro baixíssima, que varia entre 7,66% e 2,75%. Para efeito de comparação, pesquisadores da Google e da Universidade de Oxford detalharam um sistema que poderia anotar imagens de vídeo com precisão de 46,8%, mais de 12% a mais do que o mesmo serviço feito por humanos. O sistema exibe informações em várias escalas, inclusive com o nível de sequência, contexto e até de quadro. Em seguida, alinha esses dados com os que foram obtidos por meio do vídeo, identificando a correspondência entre eles (devido a diferentes taxas de amostragem e espaços em branco que às vezes aparecem no início ou no final, as sequências de vídeo e áudio têm comprimentos inconsistentes) e utiliza uma técnica de filtragem para refinar com as informações apuradas. Os componentes do LIBS para reconhecimento de fala e leitor labial são baseados em uma arquitetura sequencial que tem como base o valor de atenção, um método de tradução automática que mapeia uma entrada de uma sequência (isto é, áudio ou vídeo) para uma saída com uma tag. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Imagem: Stevens Institute of Technology Os pesquisadores chineses treinaram a inteligência artificial do LIBS neste sistema mencionado acima e, também, no LRS2, que contém mais de 45.000 frases faladas da BBC e do CMLR, do site China Network Television, o maior conjuto de leitura labial em mandarim disponível, com mais de 100.000 frases naturais (incluindo mais de 3.000 ideogramas chineses e 20.000 frases). "O LIBS reduz o foco em quadros não relacionados", escreveram os pesquisadores, em um artigo em que descrevem seu trabalho. “O detalhamento do conhecimento no nível do quadro melhora ainda mais quando estes recursos recebem mais atenção do sistema", cita outra parte do artigo. A equipe observa que o modelo sofreu para obter resultados "razoáveis" no conjunto de dados do LRS2, devido à falta de algumas frases e em sentenças com menos de 14 caracteres. No entanto, uma vez que foi pré-treinado em frases com um comprimento máximo de 16 palavras, o decodificador melhorou a qualidade das partes finais das frases nos dados do LRS2, aproveitando o conhecimento em nível de contexto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) As 10 séries mais assistidas de 2019 Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Nokia 2.3 chega com bateria de 4.000 mAh e preço baratinho Veja Mais

Como configurar o seu Xbox One novo

Como configurar o seu Xbox One novo

canaltech Lançado em 2013, o Xbox One teve um início de vida conturbado e cheio de controvérsias. Por mais que o console seja muito completo em vários aspectos, a péssima maneira como a Microsoft o divulgou no começo atrapalhou bastante coisas, que só foram consertadas - e melhoradas - com a chegada de Phil Spencer, anos depois. Mas se tem algo que o Xbox One nunca apresentou problema é a sua instalação. Ao ligar o console, os passos são tão simples que qualquer criança pode fazê-lo e logo iniciar a jogatina. Mas algumas configurações requerem atenção, pois são essenciais para que tenhamos uma experiência de jogo completa, principalmente no Xbox One X. Por isso, vamos fazer um passo a passo diferente e mostrar a melhor forma de você configurar o seu Xbox One novo e deixá-lo pronto para jogar. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Ligando e conectando Captura de Tela/ Felipe Ribeiro Assim que você liga o Xbox One pela primeira vez aparece uma página em que você precisa escolher seu idioma e, logo depois, sua localização. O Brasil é um dos países em que a Microsoft dispõe de serviço completo para os usuários do Xbox, portanto não tenha medo em escolher o nosso país. Depois, se você quiser, pode trocar para outra região a seu bel-prazer. Feito isso, será necessário estabelecer uma conexão com a internet. Se você já estiver com o cabo de rede conectado, é só avançar para a próxima página, mas se você estiver longe do roteador e tiver que usar uma conexão sem fio, basta escolher sua rede e colocar sua senha. Captura de Tela/ Felipe Ribeiro Antes de ir para a Home, é bem possível que você tenha que baixar algumas atualizações do sistema. O Xbox One é baseado no Windows e, tal qual o sistema operacional, tem constantes atualizações para melhorias de desempenho, segurança e demais itens. Crie suas contas e assinaturas Para desfrutar de tudo o que o Xbox One tem a oferecer, o usuário precisa criar uma conta em uma das plataformas da Microsoft, que pode ser a mesma que você utilizava no Xbox 360, ou, se preferir, um e-mail novo do Outlook ou da Live. Captura de Tela/ Felipe Ribeiro Se você for um novo usuário, logo de cara deve ganhar um período gratuito na Xbox Live, o serviço online da Microsoft para o videogame. Mas, claro, é sempre bom fazer uma assinatura mensal, trimestral ou anual do serviço. Além da Live, outra assinatura muito interessante de ser feita e que será de fundamental importância para que você desfrute do console é o Xbox Game Pass, que disponibiliza mais de 100 jogos de imediato. Neste caso, inclusive, já há um pacote que engloba tanto a Live quanto o Game Pass, o Xbox Game Pass Ultimate. Captura de Tela/ Felipe Ribeiro Vale lembrar que você pode incluir quantas contas quiser no seu Xbox One. Caso uma delas tenha esses serviços, as outras serão contempladas automaticamente. Bem-vindo ao lar Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech Depois de tudo isso, somos jogados na Home do Xbox One. Depois de alguns anos, ela mudou bastante desde o lançamento, mas sempre teve o mesmo padrão, bem parecido com o que já vemos no Windows 10. O sistema é muito fácil de ser dominado e, com poucos minutos, o usuário já está completamente familiarizado. Ao apertar o botão Xbox no controle, abre-se um menu lateral que nos dá acesso às configurações gerais, permite ver os amigos que estão online, personalizar nosso perfil, navegar na nossa biblioteca de jogos e apps, entre outras coisas. Também é possível personalizar a página inicial com os jogos e aplicativos que você mais usa, para ganhar tempo. Deixando do seu jeito Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech Ao ir para o menu de Configurações, muitos itens aparecem para que deixemos o Xbox One com a nossa cara e funcionando de um jeito ainda mais personalizado. É possível alterar toda a maneira como ele funciona, desde o modo como ele é ligado até a resolução (explicaremos abaixo) que ele vai rodar em sua TV. Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech Como já configuramos a conexão com a internet e a conta antes mesmo de chegar aqui, pouca coisa precisa ser feita neste sentido, mas é bom lembrar que o usuário pode reconfigurar tudo isso por meio do menu. Personalizando seu Xbox One Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech É muito simples e fácil personalizar o seu Xbox One e deixá-lo do seu jeito, com a sua cara (literalmente). Para isso aperte o botão do Xbox no controle e vá para a área do seu perfil. Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech Ali, escolha a opção para personalizar que, logo depois, você irá para uma tela onde poderá mexer no padrão de cores da dashboard, alterar a foto do seu perfil, o tamanho das capas dos jogos ou até mesmo criar o seu avatar. Controle parental Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech Algo que é muito elogiado no Xbox One é o controle parental. As crianças são boa parte dos usuários do console e jogar online nem sempre é tão seguro quanto se pensa quando falamos dos pequenos. No meu caso, por exemplo, com exceções feitas à parte de conexão, que são seguras por padrão, não deixo com nenhuma restrição. Mas, como é possível ver na imagem acima, há uma série de itens que podem ser configurados para que o seu filho ou filha possam jogar em segurança. Além disso, é possível determinar quais jogos eles poderão jogar e o tempo que poderão ficar conectados. Mas e a TV? Existem três versões do Xbox One: FAT, S e X. Na FAT e na S (incluindo a All-Digital), os games rodam a, no máximo, 1080p, ou seja, Full HD, resolução de boa parte das TVs existentes no mercado. Mas isso não impede que você use seu Xbox One em uma TV com resolução menor — desde que seja HD. No caso do Xbox One S e do Xbox One S All Digital, eles são capazes rodar aplicativos de streaming e vídeos em 4K nativo com HDR, como a Netflix, Amazon Prime Video e YouTube. Para isso, é necessário ver se sua TV 4K está com o sistema dessa resolução ativado, que geralmente é chamado de HD Ultra Deep Color. Feito isso, o próprio sistema do console fará o reconhecimento de maneira automática. Já no Xbox One X... Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech No Xbox One X a coisa muda um pouquinho de figura. Isso porque o console é capaz de rodar alguns jogos em 4K nativo, além do HDR, também presente na versão S. Ao ativar o HD Ultra Deep Color em sua TV, verifique se o console identificou toda a capacidade da TV para rodar os jogos nessa qualidade. Caso não tenha feito isso de imediato, é recomendado reiniciar o Xbox. Antes de jogar, navegue pelos jogos Depois de ajustar tudo como você desejava, é hora de ir par a jogatina. Ao acessar o menu Meus Jogos e Apps, você terá à disposição toda a sua "Vida" dentro do Xbox One, com os games e aplicativos instalados e que estão em sua conta - além daqueles que podem ser baixados pelas assinaturas, como o Game Pass e o EA Access. Captura de Tela: Felipe Ribeiro/Canaltech É bom lembrar que caso você não tenha um jogo, mas outra conta que estiver disponível no console o tenha, você pode jogá-lo sem problema nenhum. Ainda há muito o que mexer, por assim dizer, no Xbox One. Mas, para que você tenha uma experiência de jogo segura e fácil, esses passos são suficientes para que você possa iniciar sua trajetória gamer no console da Microsoft. Ficou com alguma dúvida ou sentiu falta de alguma coisa? Deixe para nós nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Netflix testa recurso que baixa automaticamente filmes e séries sugeridos

Netflix testa recurso que baixa automaticamente filmes e séries sugeridos

canaltech Depois de lançar o recurso Smart Download, que baixa filmes e séries que você esteja assistindo em sequência, a Netflix iniciou os testes de uma ferramenta ainda mais interessante e que pode deixar a experiência do usuário mais dinâmica na plataforma: o "Downloads para Você", ou "Downloads For You". Agora a Netflix quer baixar filmes e séries que você ainda não assistiu como uma maneira de ampliar a rotatividade do catálogo e proporcionar aos usuários um conhecimento maior dos produtos que a empresa oferece. Tal qual já funciona no Smart Download, o Downloads For You baixará os arquivos até que o usuário tenha espaço o suficiente no telefone, com as configurações de qualidade já definidas previamente pela pessoa. Esse recurso, claro, pode ser ativado ou desativado conforme a vontade de cada um. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Depois de habilitar o recurso Downloads for You, o aplicativo do serviço de streaming exibirá automaticamente o conteúdo que o usuário talvez tenha interesse, mas que ainda não assistiu. Por padrão, ele oferece consumir um gigabyte de espaço adicional, mas será possível configurá-lo para usar mais. Quando configurado, o novo conteúdo aparecerá na guia Downloads, em uma nova categoria. Imagem: Android Police O app emitirá a mesma notificação usada para outros downloads enquanto o novo recurso funciona. De acordo com a Netflix, ele fará essa ação apenas quando o dispositivo estiver conectado a uma rede Wi-Fi, portanto não há risco de estourar o pacote de dados móveis. Uma série de novas opções de personalização para o recurso também aparece nas configurações de Smart Download (acessíveis na parte superior da guia Downloads), permitindo que o usuário aloque individualmente o armazenamento Controles de especificação e brilho da reprodução Além da qualidade do download, os assinantes poderão configurar o HDR (caso o telefone seja compatível), resolução, brilho, entre outros. Este recurso aparece na guia Mais > Configurações do aplicativo > Diagnósticos. Os controles de brilho no aplicativo também serão ativados, trazendo uma nova barra deslizante (visível na parte superior à esquerda) que permite aumentar ou diminuir o brilho sem prejudicar a sombra das configurações rápidas. Captura de Tela/ Android Police Ainda não há previsão de quando esses recursos estarão disponíveis para todos os usuários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Netflix | Confira os lançamentos da semana (30/11 a 06/12) Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Black Friday de hospedagem de sites: 5 ideias de negócio de baixo investimento Veja Mais

Rumor | Samsung Galaxy S11 virá com câmera de 108MP e teleobjetiva de 5x

Rumor | Samsung Galaxy S11 virá com câmera de 108MP e teleobjetiva de 5x

canaltech A Samsung prepara os últimos detalhes do seu principal produto para 2020. Bem, tudo o que sabemos até agora sobre os vindouros Galaxy S11 não passam de especulações e vazamentos, mas, com um pouco de calma e análises frias, podemos identificar como serão os próximos flagships da gigante sul-coreana. Dessa vez, uma matéria da Bloomberg revela que o smartphone terá um salto gigantesco nas câmeras, ostentando o novo sensor de 108MP da Samsung e mais uma teleobjetiva com zoom de 5x. Além disso, um sensor time of flight deve equipar o dispositivo. Também segundo esta reportagem da Bloomberg, a Samsung planeja usar essa configuração de câmeras no sucessor do Galaxy Fold, que deve ser lançado já em fevereiro de 2020. Não está claro, porém, se esse telefone usará o design conceitual vertical mostrado há alguns meses em uma conferência. Esta semana, porém, o site The Korea Herald vazou que a empresa está preparando mais dois modelos dobráveis. Não se sabe, todavia, qual deles teria essas câmeras. O sensor de 108 megapixels da Samsung já é conhecido, uma vez que o futurista Mi Mix Alpha, da Xiaomi, usará o mesmo componente — que também já está disponível no Mi Note 10. Mas a gigante sul-coreana pretende arriscar mais e instalar os novos sensores justamente em seu principal produto. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Renderização do possível Galaxy S11/ Imagem: OnLeaks É importante lembrar, também, que a Samsung utiliza sensores de 12MP desde o lançamento do Galaxy S7. Muito embora a quantidade de pixels não seja o mais importante para determinar a qualidade da fotografia, é sabido que a empresa quer mesmo subir o patamar de seus sensores. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Galaxy S10 Lite e Galaxy Note 10 Lite dão as caras em novos renders vazados

Galaxy S10 Lite e Galaxy Note 10 Lite dão as caras em novos renders vazados

canaltech O ano de 2019 já está para a acabar e as especulações do mercado de smartphones estão a todo vapor. Como se sabe, a Samsung deve mesmo lançar versões mais em conta dos topo de linha Galaxy S10 e Galaxy Note 10 com a nominação "Lite". Pensava-se, porém, que a gigante sul-coreana fosse fazer isso ainda este ano, mas, ao que tudo indica, devemos ver esses aparelhos apenas no início de 2020. Isso, porém, não impediu que o leaker Steve H.McFly, o OnLeaks, vazasse algumas renderizações desses smartphones. Na imagem, é possível ver que eles vão manter um certo padrão visual em relação a seus irmãos maiores. Apesar disso, não há indícios de qual será o tamanho exato dos aparelhos, mas, ao que tudo indica, eles devem ser um pouco menores do que as versões de entrada de cada linha. So... Here comes your very 1st look at which I assume will be launched as #Samsung #GalaxyA91 and/or maybe #GalaxyS10Lite! 360° video + gorgeous 5K renders + dimensions, on behalf of my Friends over at @91mobiles (please read the linked post carefully) -> https://t.co/sZRK2Rqlay pic.twitter.com/SPdwVgzBjA -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- — Steve H.McFly (@OnLeaks) December 3, 2019 Em termos de especificações, há rumores de que o Galaxy S10 Lite rodará o Android 10, ostentará 8 GB de RAM e virá com Snapdragon 855 sob o chassi. Quanto à câmera, o dispositivo deverá ter três câmeras na parte traseira e um sensor de 32 megapixels na frente. Interessante notar que o S10 Lite terá um pouco mais de poder do que o Note 10 Lite, que deve chegar com 6 GB de RAM e chipset Exynos 9810. Renderização do Galaxy S10 Lite/ Imagem: @OnLeaks O ano de 2020 deve ser bem agitado no mercado de smartphones, já que a Apple deve mudar sua estratégia de lançamento e a Samsung deve reduzir a quantidade de flagships lançados no ano para apenas uma única linha, que deve mesmo ser a Galaxy S11. E aí, gostaram dos futuros Galaxy S10 Lite e Galaxy Note 10 Lite? Deixem nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua STJ decide que Google informe porta lógica à TIM para identificar criminoso WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo

Huawei pode lançar novos smartphones no Brasil, afirma executivo

canaltech A Huawei oficializou, nesta quinta-feira, 5, uma plataforma de auxílio aos desenvolvedores para publicarem e divulgarem seus aplicativos para os dispositivos da companhia. Chamada Huawei Ability Gallery, trata-se de uma expansão do ecossistema da App Gallery, loja oficial de aplicativos da marca. O anúncio reforça a intenção da empresa em manter negócios no país. Em um bate-papo com a imprensa, o gerente de Go-to-market da companhia, Daniel Dias, revelou, entre outras coisas, que a Huawei ainda tem intenção de investir no país. Bem como que a expansão do ecossistema para os desenvolvedores brasileiros pode ser uma preparação para trazer mais modelos da marca para as lojas nacionais em um futuro próximo. “Existe a possibilidade de lançamento de um novo smartphone Huawei no Brasil”, revelou o executivo. “Se a gente vier a lançar o Mate 30 Pro no Brasil, por exemplo, seria com o HMS [Huawei Mobile Services]”, disse Dias, deixando claro, no entanto, que isso não significa que esta linha, especificamente, chegue as nossas lojas. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Daniel Dias, gerente de go-to-market da Huawei, apresenta nova plataforma para desenvolvedores (Foto: Felipe Junqueira) A questão é que, no momento, os usuários brasileiros não vão utilizar este ecossistema. O P30 Pro e o P30 lite continuarão a rodar com os serviços do Google, já que o embargo de Trump não afeta os aparelhos já lançados. A App Gallery e o Huawei Assistant são recursos exclusivos dos modelos que usam o Huawei Mobile Services (HMS) no lugar do Google Mobile Services (GMS). Isso não quer dizer, no entanto, que a empresa esteja abandonando o sistema do robozinho. Pelo contrário. Dias garante que a Huawei segue com o SO do Google, que tem sistema aberto e, portanto, pode ser utilizado por qualquer desenvolvedor. A proibição de Trump para empresas americanas negociarem com a chinesa afeta apenas o GMS. “Nós usamos Android e vamos continuar usando Android”, garantiu Dias. “O Mate 30 Pro, que foi lançado na Europa é Android, mas não tem GMS, ele tem HMS. Isso significa que ele não tem Google Play, não tem aplicativos do Google. Ele tem a loja App Gallery e tem os aplicativos da Huawei. Mas ele tem Android”, explicou. Preparação para dispositivos sem Google Huawei Mobile Services é uma alternativa ao Google (Foto: Divulgação/Huawei) Por que lançar uma plataforma para desenvolvedores brasileiros, então? “Tem muito desenvolvedor aqui no Brasil que desenvolve aplicativos para outros países”, contou Dias. A Ability Gallery já havia sido anunciada na América Latina em outubro, porém, agora, a Huawei reforça sua importância para os desenvolvedores locais. A ferramenta permite, por exemplo, criar cartões com informações sobre o clima, horários de viagens aéreas, resultados de eventos esportivos e por aí vai. Também há espaço para que o conteúdo desenvolvido no Brasil vá para as telas de usuários de outras partes do mundo. Além disso, a Huawei acredita que seria bom já ter uma estrutura de apps e serviços nacionais se realmente vier a lançar novos aparelhos para o público brasileiro, sem os serviços Google. E aí, para quem se preocupa com suporte a apps mais populares, como WhatsApp, Facebook e até os do Google, ainda há esperança. “A Huawei começou, desde 2018, um trabalho de expansão do HMS. Estava mais focado na China, começou a expandir, e agora chegou ao Brasil”, explicou. “Estamos conversando com todos os principais desenvolvedores, apresentando o HMS, o App Gallery, e convidando esses desenvolvedores para participar dessa plataforma”, garantiu Dias. Logo, depende de cada empresa avaliar se compensa ou não ter seus apps na loja da Huawei. “Sem citar nomes, estamos tentando trazer o máximo possível”, garantiu o executivo, quando questionado sobre a importância de garantir apps como WhatsApp, Facebook e até alguns do Google. “A gente tem visto uma boa receptividade de muitos aplicativos, bancos, agências de viagens, jogos importantes, outros comunicadores e mensageiros. Todos os aplicativos que são importantes, a gente quer trazer”, reforçou. Dias ainda explicou que há um esforço para evitar que aplicativos golpistas se espalhem na loja, com verificações de legitimidade para apps de serviços famosos, clonagens e afins. E, para garantir a confiabilidade dos cartões e das sugestões de apps no Assistant, os desenvolvedores precisarão ter uma espécie de parceria com a Huawei, que vai avaliar todos os serviços do Ability Gallery antes de liberar para o usuário. Como podemos perceber, a Huawei está mais interessada do que nunca em manter uma relação com o público brasileiro. E aí, você vê a empresa como uma jogadora no mercado nacional? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Amazon inicia oferta de acesso à computação quântica a seus clientes

Amazon inicia oferta de acesso à computação quântica a seus clientes

canaltech A Amazon está começando a oferecer um novo serviço de computação quântica a partir da sua divisão de cloud computing, a Amazon Web Services (AWS). A empresa anunciou o preview do Amazon Braket, um serviço para que pesquisadores possam usar a poderosa capacidade de cálculos dessa tecnologia por acesso remoto. “Este é um serviço que permite que cientistas, pesquisadores e desenvolvedores comecem experimentos com computadores de múltiplos provedores de hardware quântico em apenas um lugar”, explica anúncio da empresa. Apesar de não restringir o acesso, a Amazon direcionará o produto para seus clientes corporativos, especialmente aqueles que necessitam de alta capacidade de computação. Atualmente, a companhia trabalha com parceiros de nível quântico como D-Wave, IonQ, e Rigetti. Ou seja, a Amazon no vai fornecer exatamente os hardwares, mas usar seus servidores na nuvem para permitir que seus clientes acessem tais serviços de qualquer lugar. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- “Você pode construir e testar seus circuitos em ambientes simulados e então rodar em um atual computador quântico”, aponta a companhia. No anúncio, contudo, ela apresentou outra novidade. A primeira é o AWS Center for Quantum Computing. Este é um centro no California Institute of Technology, em que a Amazon deve, efetivamente, desenvolver suas tecnologias para computadores quânticos. Assim, a empresa não vai permanecer somente como mediador do processo. Em entrevista para a Wired, a empresa já falou que está trabalhando em seu próprio hardware. Admirável mundo novo?  A computação quântica é uma tecnologia que permite o processamento de informações de forma diferente ao bit, com seus valores de 0 e 1. Em determinadas condições, é possível que eles assumam os dois valores ao mesmo tempo (chamados de qubits), aumentando exponencialmente a capacidade de processamento. Quando um material consegue fazer esta superposição, diz-se que atingiu o estado quântico da matéria. Em termos práticos, isso significa que os aparelhos podem ter capacidades exponencialmente muito maiores que dos atuais. Um salto em desenvolvimento além do compreensível para o consumidor final. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

Rumor | Apple pode lançar um iPhone SE 2 Plus com Touch ID em 2021

Rumor | Apple pode lançar um iPhone SE 2 Plus com Touch ID em 2021

canaltech Já não é novidade que a Apple parece estar planejando o lançamento de uma nova linha do iPhone SE, com os vazamentos apontando para uma segunda versão do dispositivo chegando no ano que vem. Agora, segundo informações de Ming-Chi Kuo, famoso analista que costuma acertar suas previsões sobre a companhia da Maçã, temos alguns detalhes que podem apimentar as coisas. De acordo com o analista, a Apple deve também lançar um iPhone SE 2 Plus no primeiro semestre de 2021, contando com uma tela que pode ter 5,5 polegadas ou 6,1 com design em tela cheia. O aparelho também pode chegar com um entalhe menor, o famoso "notch", por não contar com o FaceID, e deve ter o TouchID integrado com o botão Home. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Imagem: Reprodução/Gizmodo Já a versão menor, o iPhone SE 2, pode ter tela de 4,7 polegadas, câmera traseira única e TouchID, equipado com chipset A13 Bionic, que também está presente nos recém-lançados iPhone 11 e 11 Pro. A previsão de venda do novo iPhone SE 2 no momento do lançamento seria de 20 milhões de unidades. A linha sempre foi uma alternativa mais barata para quem gostaria de ter um iPhone, e no ano que vem essa oportunidade deve aparecer de volta ao mercado, seguindo por pelo menos mais um ano, em 2021, caso os rumores se confirmem. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Polêmica: gêmeas editadas geneticamente podem sofrer mutações inesperadas Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho Veja Mais

CT News - 05/12/2019 (WhatsApp indica que é do Facebook e assusta a internet)

CT News - 05/12/2019 (WhatsApp indica que é do Facebook e assusta a internet)

canaltech Na edição de hoje do CT News: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet, a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas, Spotify libera Retrospectiva 2019, Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021 e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho

Apple explica por que o iPhone 11 está sempre enviando a localização do aparelho

canaltech No começo desta semana, o jornalista especializado em segurança Brian Kebs descobriu que o iPhone 11 Pro continuava enviando a localização do aparelho para a Apple mesmo que o usuário desabilitasse a opção de serviços de localização nas configurações do telefone. E isso entrava em conflito não apenas com o desejo do usuário, mas também com a própria política de privacidade da Apple. Ao perguntar para a empresa sobre o porquê deste comportamento, a resposta dada foi que isso era “algo esperado”, e não significava nenhuma violação de segurança ou bug nos serviços de localização. Isso fez com que o jornalista chegasse a uma conclusão lógica: a de que esse envio de localização estava ligado a alguma função específica dos aparelhos, que precisava fazer o envio desses dados mesmo que o usuário não quisesse compartilhar sua localização com ninguém. E, nesta quinta-feira (5) a Apple provou que ele estava certo. Dois dias depois do artigo original de Krebs ter sido publicado, a empresa resolveu dar uma explicação mais detalhada sobre esse comportamento, que é algo comum aos três modelos do iPhone 11. Isso porque todos eles possuem uma tecnologia chamada de “ultra wideband”. Ela atualmente é usada para uma única finalidade, que é o compartilhamento de arquivos entre usuários através do AirDrop, mas acredita-se que ela será importante também para novas funções que ainda não foram anunciadas pela empresa. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- É essa tecnologia que seria a culpada pelos envios de dados de localização, pois ela dá aos mais recentes aparelhos da Apple uma espécie de “percepção espacial”, e permite que eles consigam localizar outros aparelhos que também possuem o “ultra wideband” na região. De acordo com a explicação da Apple, não há envios de localização para os servidores da empresa, pois apesar dessa tecnologia criar um pacote de dados igual aos de qualquer outro mecanismo de localização, ele é processado apenas pelo próprio telefone. Assim, se um usuário desabilita o envio de dados de localização em seu telefone, eles continuam não sendo enviados e coletados pela Apple. Essa informação foi confirmada por outros especialistas em segurança digital. De acordo com Will Strafach, executivo-chefe do Guardian Firewall, afirmou que uma análise dos novos iPhones revelou que não há nenhuma evidência de que essas informações estejam sendo enviadas para qualquer servidor externo. FWIW, tried to dig into this and replicate.it is very likely that it is something locally which does not have an exposed switch, no evidence of data sent to remote servers. begs the question: why does Apple not answer for this directly? https://t.co/5Ht2hA30CR — Will Strafach (@chronic) December 5, 2019 Por causa de toda a confusão que a descoberta gerou, a Apple afirmou que nas próximas atualizações irá providenciar uma opção para que os usuários possam desligar a “ultra wideband”. Mas, mesmo assim, Strafach ainda culpa a Maçã por todo o burburinho gerado, já que esse problema não existiria se a empresa já tivesse explicado tudo desde o momento em que foi feita a descoberta. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021

Apple pode

canaltech Como já comentamos por aqui, a Apple estaria pensando em mudar toda a sua estratégia de lançamento de iPhones a partir de 2020, mas de acordo com uma apresentação feita pelo analista Ming-Chi Kuo (famoso por revelar novidades da Apple antes delas serem oficialmente confirmadas), a empresa pode estar preparando algumas mudanças para os próprios aparelhos propriamente ditos. E uma delas seria aposentar de vez os conectores Lightning. De acordo com o analista, a Apple deverá lançar 5 iPhones no ano que vem: quatro modelos do “iPhone 12” (dois “padrões” e dois Pro) e o tão aguardado sucessor do iPhone SE, que deverá vir com uma tela LCD de 4,7 polegadas, suporte ao Touch ID (leitura de impressão digital) e uma única câmera traseira. Já em 2021, a empresa deverá manter a mesma estratégia, lançado mais quatro modelos do “iPhone 13” e o “iPhone SE2 Plus”, que seria uma versão um pouco melhorada do iPhone SE lançado em 2020 e como uma tela maior, mas que ainda não foi definida se será de 5,5 polegadas ou de 6,1 polegadas. Mas uma das coisas mais interessantes da apresentação se refere aos modelos do “iPhone 13”, que serão lançados em 2021, é que Kuo afirma que serão os primeiros aparelhos da empresa a não utilizarem mais o conector Lightning, para a alegria de muitos usuários. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Não foi indicado ainda se o conector Lightning será substituído por um novo tipo de tecnologia proprietária ou se a Apple finalmente abraçará o uso do USB-C, como ela já fez com o iPad Pro. Caso a empresa realmente passe a utilizar o padrão USB-C, será uma ótima notícia para os donos de iPhone, pois ficará muito mais fácil encontrar carregadores e cabos de transferência de dados para esses aparelhos. Outra possibilidade é que a Apple siga o mesmo caminho que já percorreu com os conectores de fone de ouvido, que simplesmente foram retirados do aparelho e substituídos inteiramente por uma solução sem fio. Tirar todas as entradas de conectores do iPhone pode ter suas vantagens (por exemplo, aumentar a proteção do aparelho caso ele caia na água). Mas, para que uma transição dessas ocorra sem problemas, a Apple teria que garantir que o aparelho possui tecnologia para carregamento e transmissão de dados sem fio de alta velocidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua WhatsApp passa a indicar que é do Facebook e assusta a internet Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Veja Mais

Rumor | Microsoft ainda trabalha em duas versões do Project Scarlett

Rumor | Microsoft ainda trabalha em duas versões do Project Scarlett

canaltech Fontes anônimas do blog americano Kotaku informam que a Microsoft, apesar das disposições em contrário, ainda está trabalhando em uma versão menor do Project Scarlett — uma que teria configuração reduzida e, consequentemente, preço menor do que a versão principal da próxima geração de consoles da empresa. Para entender o caso, é necessário voltar um pouco no tempo: em meados de 2018, quando começaram a aparecer os primeiros boatos sobre o Project Scarlett, as informações davam conta de dois consoles: um modelo de alto desempenho (Anaconda) e um de capacidade reduzida (Lockhart). Em junho, após a confirmação do Scarlett pela Microsoft, porém, a empresa informou que o projeto consistia de apenas um aparelho, levando à especulação de que a versão Lockhart havia sido cancelada. O Scarlett, projeto da Microsoft para a próxima geração de consoles, deve contar com duas versões distintas, apontam fontes As fontes do Kotaku dizem, porém, que esse não é o caso: o Lockhart continua como parte do projeto e, embora ainda não se saiba como funcionará a precificação do aparelho, especula-se que ele trará em relação ao modelo Anaconda a mesma disparidade de hardware vista entre os atuais Xbox One S e o mais poderoso Xbox One X. Na verdade, é mais fácil entender a situação ao enxergarmos o Anaconda e o Lockhart como sucessores naturais dos consoles atuais. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Uma das fontes — um desenvolvedor de jogos da indústria — disse que o Lockhart está próximo do PlayStation 4 Pro em questão de capacidades gráficas, porém o projeto da Microsoft possui algumas vantagens: o console trará um disco de estado sólido (SSD) como unidade de armazenamento e leitura de dados, o que deve acelerar os tempos de carregamento dos jogos, além de uma melhor capacidade de processamento, com uma CPU mais veloz do que qualquer console atualmente no mercado. Isso pode se traduzir, por exemplo, em uma maior taxa de reprodução de quadros por segundo, impactando positivamente a experiência visual dos games. Indícios apontam que o Scarlett conte com uma versão de hardware menor e 100% digital, ou seja, sem uso de mídia física Além disso, o Lockhart deve contar com serviços consagrados da Microsoft, como o Xbox Game Pass, além de ter acesso ao projeto xCloud, voltado ao setor de cloud gaming e competidor direto do Google Stadia. Visualmente, especula-se que o Lockhart deve ser capaz de rodar seus jogos a 1440p de definição e 60 quadros por segundo. Naturalmente, a Microsoft não teceu qualquer comentário sobre os boatos, dizendo que eles não opinam sobre rumores ou especulações, tal qual manda a política interna da empresa. A Microsoft vem mantendo um silêncio quase absoluto sobre seus projetos da nova geração de consoles, ao contrário da Sony, que já vem, segundo diversos desenvolvedores, entregando até mesmo kits de desenvolvimento do PlayStation 5 para seletos membros da indústria começarem a trabalhar dentro da próxima geração. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua Quantas horas devo deixar a bateria do celular carregando? Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Kendra: a Amazon se prepara para competir com o Google nas buscas? TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Veja Mais

Google traz de volta o jogo Vila do Papai Noel em comemoração ao Natal

Google traz de volta o jogo Vila do Papai Noel em comemoração ao Natal

canaltech Duas coisas nunca falham de ocorrer no Natal: algum parente fazendo a piada do “pavê ou pacumê” na ceia familiar, e o Google disponibilizando novamente a aplicação web Vila do Papai Noel, que costumeiramente permite que você siga as atividades do bom velhinho ao longo do mês de dezembro, além de participar de diversos minigames divertidos e tematizados em um dos feriados mais icônicos do ano. Para 2019, talvez a principal mudança seja aquela mais evidente: a Vila onde o jogo é ambientado teve uma ampla reformulação e ganhou novos edifícios, com destaque para uma academia de renas, fábrica de brinquedos e uma estufa. Também estão no pacote novos minigames, como um onde você consegue montar o seu próprio cenário de inverno. Vila do Papai Noel também ressuscita e revitaliza sucessos antigos, como a construção de elfos e lutas de bolas de neve. Vila do Papai Noel é uma aplicação repetida pelo Google todo ano, na época do Natal (Captura de Imagem: Rafael Arbulu/Canaltech) O jogo tem integração com o Assistente do Google (apenas para alguns países e, infelizmente, o Brasil não foi incluído nessa parte), onde o usuário pede por atualizações dos acontecimentos da vila. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Há também uma atividade especial que, sem perceber, acaba ensinando as crianças a conceitualização básica de programação: nela, você deve ajudar um elfo a encontrar brinquedos espalhados pelo cenário, e faz isso por meio de comandos combinados com cartões de direção (norte, sul, leste, oeste) para guiar o personagem. Por ora, as atividades estão disponíveis pela URL santatracker.google.com/intl/pt-BR (acessível pelo navegador via desktop ou smartphone). A partir do dia 24 de dezembro, o Google liberará um aplicativo para ser baixado na Play Store para rastrear a localização do Papai Noel em tempo real. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Spotify libera Retrospectiva 2019 para os usuários; aprenda a ver a sua TEM CUPOM | O poderoso Galaxy S10e com 6 GB de RAM por menos de R$ 1800 Funcionários demitidos do Google acusam empresa de práticas desleais de trabalho Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Veja Mais

Fox perde liminar que permitia venda de canais ao vivo pela internet

Fox perde liminar que permitia venda de canais ao vivo pela internet

canaltech A Fox voltou a perder o direito de vender seus canais com transmissão ao vivo ao lado de sua oferta sob demanda por meio do serviço Fox+. O tema é motivo de discussão desde junho deste ano entre operadoras de TV por assinatura e a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), cujas normas não permitem esse modelo. O órgão, inclusive, já havia pedido a interrupção da prática, mas, por meio de liminar, a empresa pôde manter a oferta no ar. A decisão que permitia essa comercialização foi derrubada nesta quarta-feira (4) pelo juiz Marcello Rebelo Pinheiro, da 16ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal. O caso vem sendo discutido desde junho deste ano e tem a lei nº 12.485/2011 como principal ponto de partida. Ela restringe apenas às operadoras de televisão a cabo o direito de vender canais de televisão ao vivo, mesmo que por meio de aplicativos independentes. Foi por causa desta regra que, em junho, a Anatel pediu que a Fox interrompesse essa oferta por meio de seu serviço próprio, que poderia ser assinado por qualquer usuário, fosse ele cliente de TV por assinatura ou não. O canal acatou a decisão, mas no começo de julho obteve a liminar agora derrubada e voltou a comercializar seus canais ao vivo desta maneira. A ação original da Anatel aconteceu após pedido da Claro e da NET e foi tomada em prol da concorrência no setor e do respeito às normas do segmento, apesar de o próprio superintendente de competição da agência, Abraão Balbino e Silva, ter afirmado na época que esse é um modelo arcaico e que a televisão por assinatura neste formato está "sentenciada à morte". -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Ainda assim, era preciso cumprir a lei e, por isso, a Anatel seguiu em seu combate contra a liminar obtida pela Fox enquanto trabalha para alterar as normas do setor, algo que deve demorar. Entre outras dores de cabeça, a lei também já foi considerada um empecilho para a fusão da AT&T e WarnerMedia no Brasil, que pode ter de abrir mão de canais e ofertas por conta dela, e também pode frear a chegada de novos serviços ou iniciativas ao nosso país, principalmente plataformas pequenas. Na ocasião em que a liminar de permissão foi emitida, Balbino e Silva afirmou que as próprias operadoras que pediram a suspensão da venda de canais ao vivo pelo Fox+ já estavam preparando ofertas semelhantes mesmo com a vigência de uma lei contrária a isso. Mais uma vez, um motivo para que a legislação seja alterada com agilidade, pois gera incerteza jurídica no cenário; por enquanto, entretanto, o trâmite com relação a isso ainda permanece enrolado em Brasília (DF). Porém, antes mesmo da derrubada da liminar, a Fox já havia suspendido a venda de transmissão ao vivo por meio de seus próprios serviços. Em novembro, a empresa anunciou o fim dos aplicativos Fox+ e Fox Premium, que não mais poderiam ser assinados por usuários individuais. Os antigos membros permanecem com acesso, mas a renovação seria impossível, enquanto a plataforma, a partir de então, permaneceria aberta apenas no modelo antigo, por meio de um login fornecido pela operadora de televisão à cabo. A mudança, claro, atendeu às normas regulatórias antes mesmo de a Anatel obter a decisão divulgada nesta quarta, mas parece estar relacionada a um outro movimento: a compra da Fox pela Disney. A empresa não deu mais detalhes sobre a alteração nos planos, mas levando em conta a presença de conteúdo da marca no serviço Disney+, que chega ao nosso país no final de 2020, os motivos para o fim da venda unidade de canais ao vivo com conteúdo sob demanda parecem um pouco mais claros. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12) Muro litorâneo na China é a maior estrutura impressa em 3D em todo o mundo Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12)

Cinema | Confira os lançamentos da semana (05/12 a 11/12)

canaltech Novembro efetivamente ficou para trás e o mês de dezembro, também conhecido como mês das férias, começou. E é normalmente nesta época do ano que vemos alguns bons lançamentos nos cinemas brasileiros, com grandes títulos e boas histórias estreando para levar a maior quantidade de pessoas para as salas de projeção. Nesta semana, embora não tenhamos nenhum blockbuster entrando em cartaz, há algumas tramas interessantíssimas que valem a pena conferir. Prova disso é As Golpistas, um drama biográfico baseado em histórias reais de strippers de Nova York durante a crise financeira que abalou Wall Street em 2008. Vendo sua carteira de clientes ficar escassa, elas bolam um plano criminoso para manter as contas e a vida de luxo, numa história de crime e amizade intrigante que prende a atenção do espectador do começo ao fim. Também ambientada na Big Apple, a trama de Brooklyn – Sem Pai nem Mãe deve agradar aos fãs de thrillers policiais. A história é centrada em um detetive que sofre de síndrome de Tourette, um distúrbio nervoso sem cura que provoca tiques involuntários e que também pode levar as pessoas a falarem coisas sem sentido e fora de contexto. Apesar de sua condição, ele mergulha de cabeça na investigação do assassinato do seu amigo de trabalho. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Para fechar a rodada de indicações do que assistir no cinema nesta semana, o nacional Ainda Temos a Imensidão da Noite é uma ótima pedida para os amantes da música e para aqueles que estão na batalha para viver de música. A trama segue uma jovem musicista e cantora que faz de tudo para ser reconhecida e catapultar sua carreira — inclusive largar tudo para tentar a vida na Alemanha. Acertando em cheio no aspecto musical, o filme é um relato preciso da batalha que é viver da música e da busca incessante pelo reconhecimento. Quem passa ou já passou por isso, vai se identificar. Não curtiu as três indicações de lançamentos para assistir no cinema que o Canaltech separou para você? Não tem problema. Logo a seguir listamos todas as estreias desta semana, com cada uma delas vindo acompanhada de trailer e sinopse, que é para ajudar você a decidir o que vai assistir. Dê uma olhada, veja o que mais lhe agrada e programe-se. Depois, é só comprar aquela pipoquinha de lei e se divertir. Bom filme! As Golpistas   Em entrevista concedida à Elizabeth (Julia Stiles), jornalista da New York Magazine, a ex-stripper Destiny (Constance Wu) conta em detalhes como conseguiu o emprego e conheceu Ramona (Jennifer Lopez), ícone do meio que logo se tornou sua grande amiga. Devido à crise financeira que abalou Wall Street em 2008, as duas viram o declínio na quantidade de clientes na boate em que trabalham afetar sua própria rentabilidade. Com isso, decidem iniciar um plano para ir atrás de homens em restaurantes para, após dopá-los, faturar em cima de seus cartões de crédito. Leia também: 8 filmes com mulheres que não têm medo de nada Brooklyn – Sem Pai nem Mãe   Lionel Essrog (Edward Norton) é um solitário detetive particular com síndrome de Tourette na Nova York dos anos 1950. Devido à sua condição, volta e meia ele perde o controle sobre o que diz. No momento, ele está investigando o assassinato de seu amigo e mentor, Fran Minna (Bruce Willis), mas tem poucas pistas sobre o que aconteceu. Obsessivo, Lionel passa a percorrer vários trechos da cidade em busca de respostas, até encontrar um caminho através da especulação imobiliária em vizinhanças resididas em sua maioria por pobres e negros. O Juízo   Com o casamento em crise devido ao alcoolismo e por ter perdido seu emprego, Augusto Menezes (Felipe Camargo) decide se mudar com a esposa (Carol Castro) e o filho (Joaquim Torres Waddington) para uma fazenda herdada do avô. O que ele não imaginava era que a propriedade fosse assombrada por Couraça (Criolo) e Ana (Kênia Bárbara), escravos decididos a se vingar dos antepassados de Augusto. Feliz Aniversário   No aniversário de 70 anos da mãe, toda a família se reúne para celebrar junta. Com a presença de filhos, noras, marido e uma câmera para registrar tudo, o evento estava pacífico e feliz. Porém tudo muda quando uma inesperada visita chega à festa, ameaçando a harmonia do ambiente. A irmã mais nova, que estava desaparecida há quatro anos, retorna trazendo problemas junto de sua bagagem. E Agora, a Mamãe Saiu de Férias?   Giulia (Valentina Lodovini) é uma mãe que abandonou a carreira para se dedicar aos seus três filhos. Carlo (Fabio De Luigi) é marido de Giulia, mas, diferente dela, não tem tempo para a família e passa mais tempo no trabalho do que em casa. Tudo muda quando Giulia, cansada da monotonia de sua vida, decide sair de férias por dez dias, deixando Carlo e as crianças sozinhos. Ainda Temos a Imensidão da Noite   Karen (Ayla Gresta) é trompetista e cantora em uma banda de rock em Brasília. No entanto, ela não consegue muita sorte em sua trajetória musical. Por isso, decide seguir os passos de Artur (Gustavo Halfeld), um ex-companheiro de carreira, e ir para a Alemanha na intenção de ter sucesso na música. Minha Irmã de Paris   Depois de realizar uma cirurgia plástica e detestar o resultado, uma atriz precisa contratar outra mulher para substitui-la no set de filmagens. No entanto, ela acaba descobrindo que possui uma irmã gêmea perdida por aí. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Novo beta do WhatsApp traz identidade visual do Facebook e novo modo escuro Veja Mais

"Qual o nome daquele filme?" Descubra com o What Is My Movie

canaltech Se você já assistiu a tantos filmes que não consegue manter em mente o nome de todos, uma empresa finlandesa desenvolveu um site que vai ajudá-lo: What Is My Movie. O site permite descobrir, rapidamente, o nome de um filme, desde que você se lembre de alguma coisa sobre ele; então, você vai conseguir indicar um longa bacana aos amigos mesmo se sua memória falhar. Para utilizar o site, você precisa se lembrar de um detalhe do filme, quer seja o nome de um ator, a localização onde o enredo se passa, sua temática, algum prêmio que ele tenha ganhado (como o Oscar), entre diversas outras informações. Por exemplo, caso você queira lembrar o nome daquele filme no qual Lindsay Lohan faz o papel de uma adolescente que troca de vida com sua mãe, basta pesquisar ali por “Lindsay Lohan mother” e, depois, clicar em “Search” — sim, o site só funciona em inglês. Como descobrir o nome “daquele filme” com o What Is My Movie Acesse o What Is My Movie e, na barra de pesquisas, digite os detalhes necessários para lembrar qual é “aquele filme”. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Descubra o nome daquele filme com o What Is My Movie (Captura de tela: Ariane Velasco) E pronto! Diversos filmes com as informações inseridas na aba de pesquisa serão exibidos. Dentre eles, certamente estará o título procurado por você. Para saber se ele, de fato, corresponde àquele filme que você quer lembrar, é possível ler a sinopse e, assim, tirar qualquer dúvida. O What Is My Movie também permite visualizar a nota do título no Metacritic, popular site de avaliações de filmes e músicas. Captura de tela: Ariane Velasco Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Spotify faz ranking dos mais ouvidos do ano e da década; veja lista Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 Veja Mais

Prisão injusta de ex-funcionário derruba popularidade da Huawei na China

Prisão injusta de ex-funcionário derruba popularidade da Huawei na China

canaltech A Huawei até conseguiu ficar na segunda posição entre as maiores vendedoras de smartphones, mesmo com as restrições impostas pelos Estados Unidos, que a obriga a usar outras soluções de apps nativos em vez dos da Google em seus dispositivos mais recentes. Mas um caso de prisão injusta envolvendo um ex-funcionário tem causado revolta nas redes sociais e, consequentemente, derrubando sua popularidade na China — e em todo mundo. Aconteceu o seguinte: Li Hongyuan trabalhou por 13 anos na companhia e, ao ser desligado no começo do ano passado, combinou um valor de saída que estaria perto dos US$ 43 mil (R$ 180 mil na conversão direta). Só que em dezembro ele foi preso sob a acusação de ter extorquido a companhia — por razões que até agora ninguém sabe, talvez segredos industriais. Hongyuan passou 251 dias preso e foi liberado agora. Os promotores chegaram à conclusão de que não havia provas para mantê-lo em regime fechado, e seus advogados afirmaram à CNN que seu cliente nunca foi processado e também não recebeu uma indenização do governo. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Ele ainda pediu desculpa — e a web ficou furiosa com a Huawei O caso teria sido abafado pela própria Huawei, que teria pago algo em torno de US$ 15 mil (R$ 63 mil) para que o rapaz deixasse essa história para lá. Mas essa história vazou e o próprio Hongyuan pediu desculpas à companhia. "Não era minha intenção causar tanto alarde na Internet, e lamento por isso", disse ele. A Huawei teve uma resposta bem diferente do que seus consumidores gostariam. "Nós respeitamos a independência e a autoridade do processo de justiça criminal para examinar e fazer um julgamento legal e correto. Se alguém acredita que sofreu danos ou teve seus direitos legais violados, a Huawei defende totalmente seu direito de buscar os tribunais”, comunicou. Não demorou a chover críticas à fabricante chinesa nas redes sociais. Em uma postagem no Twitter, um usuário ainda lembrou que o pai do ex-funcionário teria morrido enquanto ele esteve na prisão. Man, who worked for 13 years for Huawei, illegally detained for 251 days for demanding severance pay. In shock, his father died, while he spent months languishing in Chinese prison. https://t.co/DuR4W6UZwT #worldnews pic.twitter.com/VaYPiDx0FG — Manfred Rosenberg (@PokerCenter) December 4, 2019 Outro disse que a Huawei teve um comportamento “completamente sem humanidade”. The innocent person, who was put into prison for such long 251 days, just wants to get an apology from Huawei. But Huawei replies to him without any humanity: "if you feel you are infringed, just prosecute us". How can an ordinary person fight against such a giant company?! pic.twitter.com/GGOA9X7m3W — wumings (@wumings1) December 3, 2019 Isso afeta bastante a companhia, especialmente no momento delicado em que consumidores chineses tornaram o Mate 30 e o Mate X em um sucesso de vendas, mesmo com o bloqueio comercial imposto pelos Estados Unidos — em um claro apoio diante dessa situação. Agora, com essa atitude, muita gente está revendo essa paixão. Hongyuan, no final das contas, acabou fazendo o que achou certo. “Não me arrependo da minha escolha de falar a verdade. Sempre há um custo envolvido em ser honesto". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Giphy conta quais são os GIFs mais populares de 2019 NASA divulga descobertas feitas por sonda que está pertinho do Sol Relâmpagos parecem sair da Via Láctea na foto do dia escolhida pela NASA Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua Veja Mais

Spoiler | Site revela possíveis cenas finais de Star Wars: A Ascensão Skywalker

Spoiler | Site revela possíveis cenas finais de Star Wars: A Ascensão Skywalker

canaltech ATENÇÃO: Esta matéria contém possíveis spoilers do final de Star Wars: A Ascensão Skywalker, então prossiga por sua conta e risco! Um enorme vazamento que ocorreu nesta quarta-feira (4) pode ter revelado todo o final de A Ascensão Skywalker, com algumas revelações surpreendentes da trama do último filme da saga. A informação foi divulgada pelo site Making Star Wars, e ainda que não há como confirmar a veracidade das informações divulgadas. Esse é um site que, teoricamente, teve realmente acesso à versão final do filme, então é possível que os eventos mostrados aqui sejam reais. AVISO: a partir daqui há uma narrativa das cenas finais de A Ascensão Skywalker, então se você não quer tomar spoiler essa é sua última chance! -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- No fim do filme, veremos Rey e Kyle Ren em uma espécie de duelo final entre ambos (possivelmente aquela cena do trailer onde eles aparecem brigando em uma espécie de barco) e Rey sai vencedora, mas se recusa a matar o adversário, oferecendo a ele sua piedade. Inconsciente, Kyle é visitado pelo fantasma de Han Solo, que lhe convence que não é tarde demais para abandonar o Lado Negro da Força. Em uma cena que remete a seu mestre Luke Skywalker, Kyle joga o seu sabre de luz vermelho fora, abandonando de vez o lado negro e voltando a se tornar Ben Solo. Ben então ajuda Rey a derrotar os Cavaleiros de Ren, destruindo assim todo o legado que sua descida ao Lado Negro ajudou a construir. Os dois então se juntam para enfrentar juntos o responsável pelo retorno dos Sith, e Rey oferece à Ben o sabre de luz que pertenceu à Leia, permitindo que ele assumisse oficialmente o legado de sua mãe. Os dois então partem para enfrentar o grande vilão do filme: Darth Sidious, que sobreviveu aos eventos de O Retorno de Jedi e era a grande sombra por trás da Primeira Ordem. Por ter um exímio domínio da Força, Sidious paralisa os dois com apenas uma mão, drenando os poderes deles para rejuvenescer a si mesmo, enquanto com a outra mão ele paralisa toda a frota da Resistência, que travava uma última batalha contra as naves da Primeira Ordem. Nesse momento, Rey é visitada por seis fantasmas da Força, que falam com ela enquanto está paralisada. Ainda que o vazamento não revele quem são essas aparições, é possível citar que provavelmente serão os três Skywalkers mortos (Anakin, Luke e Leia), Obi Wan Kenobi, Mestre Yoda e Qui Gon Jinn, que são os seis Jedi mortos mais importantes da saga. Sidious joga Ben Solo no abismo de Exegor como vingança contra a família Skywalker por terem sido os responsáveis por fazê-lo perder o controle da galáxia, e resolve que irá seduzir Rey para o Lado Negro da Força e torná-la sua aprendiz. Mas, com a ajuda dos antigos Jedi, Rey consegue se livrar do domínio de Sidious e, empunhando dois sabres de luz (o de Leia e o de Anakin Skywalker), ela parte para cima de Sidious. Ele tenta pará-la com um ataque de raios, mas ela defende o golpe e reflete para ele, usando o próprio poder do Lado Negro para matá-lo. O filme termina com Rey - agora uma Mestre Jedi - desmontando os sabres de Anakin e Leia para montar o seu próprio sabre de luz de lâmina amarela. O fim ainda deixa em aberta a possibilidade de novos filmes com a personagem, e também se Ben Solo realmente morreu ou não quando foi jogado no abismo por Darth Sidious - principalmente porque, na cena final, os fantasmas de Luke e Leia deverão aparecer para parabenizar Rey pela façanha, mas não Ben, o que abre a possibilidade de que o personagem ainda esteja vivo. Claro, como já explicamos lá em cima, não há como saber ainda se o final realmente será esse, e só teremos certeza quando A Ascensão Skywalker estrear no dia 19 de dezembro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 10 inovações que vão transformar a medicina na próxima década Irmão de Pablo Escobar lança smartphone dobrável de apenas US$ 350 Artigo 19 da LGPD em votação: entenda por que a censura pode voltar Chineses ativam o primeiro radiotelescópio posicionado no lado afastado da Lua CCXP 2019 | O que vai bombar no evento de entretenimento e cultura pop Veja Mais