Meu Feed

Últimos dias

Xiaomi pode lançar um novo tablet depois de dois anos, diz executivo

Xiaomi pode lançar um novo tablet depois de dois anos, diz executivo

canaltech A Xiaomi não oferece novidades no mercado de tablets desde 2018, quando lançou a linha Mi Pad 4. No entanto, mesmo que a situação no setor não esteja boa, como apontam alguns estudos, parece que a marca ainda pretende lançar o Mi Pad 5 no futuro. É o que indica Li Chuangqi, diretor sênior de produtos da Xiaomi. Apple anuncia novo iPad Pro para ser "seu próximo computador" Galaxy Tab S7 ou Tab S20? Samsung está desenvolvendo tablet potente com 5G O executivo respondeu algumas perguntas relacionadas ao assunto no começo na semana, confirmando que a marca ainda não desistiu do mercado de tablets, e nada impede que eles lancem o Mi Pad 5 em 2020. Em 2018, a Xiaomi lançou os modelos Mi Pad 4 e Mi Pad 4 Plus equipados com processador Snapdragon 660 e bateria de até 8.620 mAh. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- iPads lideram mercado de tablets iPad Pro é o tablet mais utilizado do mundo (Foto: Reprodução) O mercado de tablets continua caindo ano após ano. Em 2019, foram vendidas 144,1 milhões de unidades, 1,5% a menos do que em 2018. No entanto, enquanto a Samsung registrou queda de 7% entre um ano e outro, a Apple aumentou sua participação no setor em 15%. As informações são da IDC. Inovação é a chave Surface Pro da Microsoft é um híbrido entre tablet e notebook (Foto: Reprodução/CNET) Embora os smartphones estejam fisgando a pouca fatia dos tablets do mercado, oferecendo telas maiores e configurações cada vez mais potentes, os tablets ainda são bastante utilizados em ambientes corporativos e por profissionais de design. Modelos como o híbrido Surface Pro, da Microsoft, e o iPad Pro, da Apple, permanecem se destacando no mercado pela portabilidade e potência. Talvez seja esse público que as fabricantes devem apostar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Coronavírus | Como está o desenvolvimento da vacina contra a COVID-19? Suposto Galaxy A21s aparece no GeekBench com processador inédito Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Sem coronavírus: em quais territórios a COVID-19 não chegou? Veja Mais

CT News - 02/04/2020 (Como receber o auxílio emergencial do governo)

CT News - 02/04/2020 (Como receber o auxílio emergencial do governo)

canaltech No episódio de hoje do CT News: auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber; liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube; Moto G8 Power Lite é anunciado com bateria enorme e especificações básicas e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

Falha do Twitter deixa dados e mensagens expostos no cache do Mozilla Firefox

Falha do Twitter deixa dados e mensagens expostos no cache do Mozilla Firefox

canaltech O Twitter comunicou, nesta quinta-feira (2), que um armazenamento incorreto de informações não públicas no cache do Mozilla Firefox deixou expostos dados e mensagens de usuários do microblog no cache do navegador. Não há detalhes sobre desde quando isso vinha acontecendo e o conteúdo ficava retido durante sete dias na memória do browser antes de ser deletado automaticamente. Segundo a companhia, o Safari e o Chrome, assim como outros softwares semelhantes, não apresentam esse problema. “Se você tiver acessado o Twitter em um computador compartilhado ou público usando o Mozilla Firefox e tomou ações como baixar o arquivo de dados do Twitter ou enviar ou receber mídia via Mensagem Direta, essas informações podem ter ficado armazenadas no cache do navegador mesmo após você desconectar do Twitter”, explicou a nota da rede social. A vulnerabilidade já foi corrigida, contudo, o Twitter recomenda aos usuários de máquinas públicas ou compartilhadas a limpar o cache do navegador antes de se desconectar, assim como para serem cuidadosos com as informações pessoais baixadas em computadores que podem ser acessados por outras pessoas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- “Lamentamos muito que isso tenha acontecido. Reconhecemos e agradecemos a confiança depositada em nós e temos o compromisso de conquistar essa confiança todos os dias. Se você tiver alguma dúvida ou questionamento relativos a este incidente, entre em contato com responsável por Proteção de Dados do Twitter”, completam. Quem teve algum inconveniente por conta disso pode relatar a questão neste formulário online. Mozilla diz que dados ficam somente no dispositivo local A desenvolvedora do Firefox respondeu a Canaltech que ainda está examinando o que aconteceu."No momento, estamos analisando esse bug do Twitter. Espero poder retornar a você mais tarde com mais informações. Enquanto isso, você e seus leitores devem ter certeza de que, quando você usa o Firefox, os dados em cache permanecem localmente naquele dispositivo. Portanto, se os dados ficassem no cache, isso só seria visível naquele dispositivo, não compartilhado com o Firefox. Mais uma vez, espero poder voltar mais tarde nesta questão de bug do Twitter", disse uma porta-voz da companhia, via e-mail. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Máscaras caseiras de pano são mesmo eficientes contra o coronavírus? Veja Mais

Suposto Galaxy A21s aparece no GeekBench com processador inédito

Suposto Galaxy A21s aparece no GeekBench com processador inédito

canaltech O Galaxy A21 nem mesmo foi oficializado ainda e parece que já tem uma espécie de sucessor. O site da ferramenta GeekBench registrou um dispositivo modelo SM-A217F, que pode ser o A21s. Há poucos dias, a mesma ferramenta mostrou um SM-A215U, este sim possivelmente o A21. Especificações vazam e mostram como serão o Galaxy A21 e o Galaxy A91 Em primeiro lugar, cada um tem uma plataforma diferente. O Galaxy A21 passou no benchmark com o chipset Helio P35, da MediaTek. Já o A21s foi registrado com um Exynos 850, ainda não anunciado oficialmente pela Samsung. O processador desta segunda tem oito núcleos e clock máximo de 2,0 GHz. Benchmark do suposto Galaxy A21s (Imagem: Reprodução/GeekBench) A lógica dos nomes faz sentido. O Galaxy A20 tem modelo de número SM-A205G, enquanto o A20s é o SM-A207M. Os aparelhos da linha já lançados este ano seguem a mesma lógica esperada para o A20, com o já homologado pela Anatel Galaxy A31, que é o SM-A315G. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- As outras informações disponíveis sobre o SM-A217F são a quantidade de memória RAM, 3 GB, e o uso do sistema Android 10. Informações anteriores do site SamMobile davam conta de que o aparelho pode ter 32 GB ou 64 GB de armazenamento interno e uma câmera macro de 2 MP como diferencial, além de bateria de 5.000 mAh. Não há nenhuma confirmação por parte da Samsung sobre o Galaxy A21 nem o A21s. Por enquanto, a companhia já oficializou os Galaxy A01, A11, A31, A51 e A71. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

Saiba como ajudar cientistas na busca por compostos químicos contra o COVID-19

Saiba como ajudar cientistas na busca por compostos químicos contra o COVID-19

canaltech A Scripps Research, centro de pesquisa médica norte-americano sem fins lucrativos que se concentra na pesquisa e educação nas ciências biomédicas, desenvolveu um projeto, chamado "OpenPandemics - COVID-19", para ajudar cientistas na busca por compostos químicos que podem ser eficazes contra a COVID-19. Qualquer pessoa no mundo com um PC, laptop ou Mac, com conexão à internet pode ajudar. Os computadores dos voluntários realizarão pequenos experimentos virtuais para identificar compostos químicos, incluindo os existentes nos medicamentos, que poderiam ser potencialmente usados como possíveis tratamentos ao novo Coronavírus. Os compostos que se mostrarem promissores para o tratamento serão submetidos a mais testes e análises. O projeto será hospedado no World Community Grid da IBM, um recurso computacional de crowdsourcing e fornecido gratuitamente para os cientistas. Os voluntários não precisam ter nenhum conhecimento técnico especial para participar; o processo é automático. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Basta fazer o download de um aplicativo que funciona quando os dispositivos estão ociosos ou com pouco uso. Operando em segundo plano discretamente e sem diminuir a velocidade dos sistemas dos usuários, o aplicativo distribui atribuições computacionais e retorna cálculos concluídos aos pesquisadores, tudo via nuvem da IBM. As informações pessoais nunca são compartilhadas e o software não pode acessar arquivos pessoais ou comerciais. Com o poder de crowdsourcing do World Community Grid da IBM de milhares de computadores, o projeto poderá facilmente executar centenas de milhões de cálculos necessários para simulações. Isso poderia potencialmente ajudar os cientistas a acelerar o processo de descoberta ou reposição de medicamentos, tradicionalmente realizado mais lentamente em um laboratório "úmido" tradicional. Como em todos os projetos do World Community Grid, os dados gerados por esse esforço serão disponibilizados ao público. "Durante um período de distanciamento e isolamento social, esse senso de propósito e interconexão é ainda mais importante", comenta Guillermo Miranda, vice-presidente de responsabilidade social corporativa da IBM. Embora o projeto se concentre inicialmente na COVID-19, a Scripps Research também planeja desenvolver ferramentas e métodos para ajudar a acelerar futuros projetos de descoberta de medicamentos, como durante outras pandemias. "Aproveitar o poder de processamento não utilizado de milhares de computadores ociosos nos fornece uma quantidade incrível de poder computacional para examinar virtualmente milhões de compostos químicos. Nosso esforço conjunto com voluntários em todo o mundo visa acelerar nossa busca por novos e potenciais candidatos a medicamentos que ajudem em ameaças biológicas emergentes presentes e futuras, seja o COVID-19 ou um patógeno totalmente diferente", diz Stefano Forli, PhD, professor assistente do Departamento de Biologia Estrutural e Computacional Integrativa da Scripps Research e diretor do projeto. O projeto OpenPandemics - COVID-19 no World Community Grid complementa os outros recursos que a IBM disponibilizou recentemente para pesquisadores que lutam contra a COVID-19. Por exemplo, o supercomputador Summit da IBM está sendo usado pelo Departamento de Energia dos EUA para ajudar a identificar compostos químicos que podem potencialmente combater o vírus. Até o momento, mais de 770 mil pessoas e 450 organizações contribuíram com quase dois milhões de anos de poder computacional para apoiar 30 projetos de pesquisa, incluindo estudos sobre câncer, Ebola, Zika e malária e AIDS, além de projetos para o desenvolvimento de melhores sistemas de filtragem de água e coleta de energia solar. Os dados dos projetos do World Community Grid são sempre compartilhados com o mundo e, até o momento, mais de 50 artigos científicos foram publicados. O poder computacional é fornecido gratuitamente como crowdsourcing, permitindo que os pesquisadores ampliem, busquem novas abordagens e acelerem os processos de pesquisas. Para participar, entre no site. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

Sony lança dois novos fones intermediários e totalmente sem fios

Sony lança dois novos fones intermediários e totalmente sem fios

canaltech A Sony anunciou dois novos modelos de fone de ouvido, ambos sem fio, sendo um intra-auricular TWS (truly wireless) e outro circumaural. Os destaques vão para as baixas frequências e para o alto nível de cancelamento de ruído, características do modelo in-ear e do modelo over-ear, respectivamente. Vamos conhecer, brevemente, cada um deles. Sony WF-XB700   Este é o modelo mais simples entre os dois. Em formato de earbuds, eles oferecem uma experiência semelhante aos AirPods (da Apple) e Galaxy Buds (da Samsung). O destaque aqui está na funcionalidade extra bass, ou seja, graves mais parrudos — um desafio para modelos in-ear, já que eles contam com drivers tão pequeninos. O fone chega ao mercado sem cancelamento de ruído, mas totalmente sem fios, com conexão Bluetooth. Outro destaque está na bateria. A Sony promete 9 horas de funcionamento com apenas uma carga, sendo que o modelo vem com um case de carga para guardar e carregar os fones, oferecendo 9 horas adicionais de bateria. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A peça também conta com resistência IPX4 a água, o que suporta o uso em condições de suor e até chuva, mas não submersão completa. Nos dois lados, ele conta com botões que comandam músicas e chamadas, bem como o assistente de voz do smartphone do usuário. O modelo será comercializado em lojas parceiras pelo preço recomendado de US$ 130, perto de R$ 680 (em conversão direta). Análise | Sony MDR-E9LP Fashion Earbuds valem a pena? [Guia] Como escolher um fone de ouvido? Sony WH-CH710N   Já o segundo modelo, por ser mais robusto, tem um preço mais alto. Ele é um headset também sem fio cujos destaques são o cancelamento de ruído a duração da bateria. A Sony diz que o dispositivo pode ficar até 35 horas funcionando com apenas uma carga. Com sistema de carregamento rápido, bastam 10 minutos plugado ao carregador para garantir uma hora de playback. O cancelamento de ruído também é um ponto alto deste fone, já que ele conta com dois sensores que, segundo a empresa, ajudam a aprimorar o silêncio enquanto você está com o aparelho. Ele também oferece botões na lateral para atender chamadas, controlar músicas e intensidade do som e ativar o assistente virtual do celular. Embora funcione sem fios, ele também conta com entrada analógica para cabo (conector de 3,5 mm), incluso no pacote. Ele já está disponível nas cores azul, preta e branca pelo preço de US$ 300, perto de R$ 1.570 (em conversão direta). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros a ultrapassar os 5 GHz em notebooks Veja Mais

Xiaomi estaria desenvolvendo um celular com câmera de 144 MP

Xiaomi estaria desenvolvendo um celular com câmera de 144 MP

canaltech A Xiaomi estaria trabalhando na criação de um smartphone com câmera principal de 144 megapixels, revelou nesta quinta (2) o vazador Sudhanshu A. em seu perfil no Twitter. A publicação é simples e direta, mas o sujeito aposta que o sensor capaz de produzir fotos gigantescas dê as caras no Mi CC10 Pro ou no Mi 10S Pro, ambos ainda não confirmados pela fabricante. Xiaomi is working on a phone with 144MP camera sensor.I guess it should be Mi 10S Pro or Mi CC10 Pro — Sudhanshu A. (@Sudhanshu1414) April 2, 2020 A empresa chinesa é conhecida por apresentar modelos de ponta com preços mais amigáveis do que os rivais e chama a atenção também pela qualidade das câmeras de muito de seus produtos. Além disso, ela foi pioneira ao implementar um sensor de 48 MP no Redmi Note 7, lançado em fevereiro de 2019. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Xiaomi tem receita recorde em 2019, mas lucro cai em relação a 2018 Se o boato for verdadeiro, provavelmente será fruto da parceria da Xiaomi com a sul-coreana Samsung, que atualmente é única a trabalhar (ao menos publicamente) em um sensor de tamanha capacidade. Como tudo ainda é apenas rumor, será preciso aguardar os próximos meses para saber se tal coelho realmente sairá da cartola ou não. E aí, qual a sua aposta? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

Facebook Messenger ganha app oficial para Windows e Mac

Facebook Messenger ganha app oficial para Windows e Mac

canaltech A recomendação de distanciamento social não parece ter afetado as equipes de desenvolvimento, especialmente as responsáveis por apps de mensagens e vídeo. O Facebook anunciou hoje o lançamento do Facebook Messenger para macOS e Windows, incluindo os principais recursos do aplicativo para celular. De acordo com o Facebook, o Messenger teve um aumento no último mês de mais de 100% no uso das chamadas de áudio e vídeo pelo navegador. Agora, os usuários poderão usar o aplicativo de desktop para suas chamadas, inclusive as com vários participantes. COVID-19 | Facebook oferece parceria para governos e organizações de saúde Como desativar as notificações de vídeos ao vivo no Facebook Em breve, não será necessário uma conta no Facebook para assistir a uma live Além do bate-papo com vídeo, o app permite acessar várias conversas simultaneamente e receber (e desativar) notificações para mensagens. Assim como já acontece no app para celular, as mensagens são sincronizadas entre os aplicativos e a versão para navegador. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O modo escuro e GIFs animados também estão disponíveis no programa, que pode ser baixado nas lojas de aplicativo para macOS 10.10 e Windows 10. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

Produzir compostos orgânicos em Marte será possível com a ajuda de bactérias

Produzir compostos orgânicos em Marte será possível com a ajuda de bactérias

canaltech A colonização de Marte é um dos planos de agências espaciais como a NASA e de empresas como a SpaceX, mas, para isso, será preciso criar meios de produzir uma série de recursos por lá. Pesquisadores já têm várias propostas para resolver o problema da alimentação e habitação, mas também será necessária uma enorme variedade de compostos orgânicos para isso. Enviar para Marte coisas como combustíveis e remédios, entre outros derivados de compostos orgânicos, seria muito caro. Por isso, cientistas estão buscando meios de produzir tudo o que for possível lá no Planeta Vermelho. Felizmente, uma equipe de químicos liderada por Peidong Yang têm um plano para isso: um sistema híbrido que combina bactérias e nanofios. Essa combinação poderia capturar a energia da luz solar para converter dióxido de carbono, e água seria convertida em moléculas orgânicas. “Em Marte, cerca de 96% da atmosfera é CO2”, explica Yang. “Basicamente, tudo o que você precisa são esses nanofios semicondutores de silício para absorver a energia solar e repassá-la a esses bichinhos [as bactérias] para fazer a química para você”. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Nanofios de silício como vistos através de um microscópio eletrônico Nanofios são finos fios de silício com cerca de um centésimo da largura de um cabelo humano, usados ​​como componentes eletrônicos. Assim como as bactérias, são pequenos o suficiente para serem transportados em naves espaciais sem quase nenhum impacto em termos de peso e quantidade de carga, coisas importantes de se calcular na hora de planejar o orçamento de um voo espacial. Além dos nanofios e das bactérias, os demais ingredientes são encontrados no próprio Planeta Vermelho - luz solar e água. As moléculas resultantes podem servir como blocos de construção para uma variedade de moléculas orgânicas, úteis para coisas como desde combustíveis e plásticos a drogas para fabricação de medicamentos. Muitos outros produtos orgânicos podem ser criados, como bactérias ou leveduras. Yang também está trabalhando em sistemas para produzir açúcares e carboidratos a partir da luz solar e do CO2, o que poderia enriquecer ainda mais a produção de alimentos em Marte. Seu laboratório também procura maneiras de aumentar a eficiência do bio-híbrido e explora técnicas de engenharia genética das bactérias para torná-las mais versáteis, capazes de produzir uma variedade maior de compostos orgânicos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

Rockstar vai doar 5% de sua receita online para combater a COVID-19

Rockstar vai doar 5% de sua receita online para combater a COVID-19

canaltech Mais uma empresa se junta ao combate ao avanço do SARS-CoV-2, o novo coronavírus, e da Covid-19. Segundo anúncio publicado em sua conta oficial no Twitter, a Rockstar Games vai doar 5% de toda a sua receita online para os esforços de contenção da pandemia que colocou quase todo o mundo em isolamento completo. Por “receita online” o leitor deve entender que a Rockstar refere-se a todo o dinheiro obtido pelas microtransações feitas pelo jogador nos jogos Grand Theft Auto Online e Red Dead Online, ambos com alto volume de audiência junto ao público e que veiculam diversos eventos exclusivos. "Esses valores serão usados no auxílio a comunidades locais e negócios que tenham sofrido impacto com a COVID-19, tanto de forma direta como por meio do suporte às incríveis organizações que estão a campo”, diz o comunicado. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Rockstar Games and COVID-19 Relief pic.twitter.com/9j6NrtcrFN — Rockstar Games (@RockstarGames) April 1, 2020 Ainda segundo o comunicado, a decisão foi tomada após a empresa perceber que algumas comunidades ao redor de vários de seus escritórios — nos EUA, Reino Unido, Índia, entre outros países — começaram a mudar para pior após a pandemia: negócios regionais fechando as portas e pessoas com necessidades sem poder acessar métodos de auxílio governamental, por exemplo. Leia mais: GTA Online agora tem corridas de Fórmula 1 GTA Online, jogo de ação multiplayer da Rockstar, terá 5% de sua receita doada aos esforços de combate ao novo coronavírus A campanha da Rockstar começou a valer nesta quarta-feira, 1º de abril, e deve perdurar até o final do mês de maio de 2020. Os dois jogos online da empresa ainda seguem tendo imensa atração popular: segundo a firma de análise Super Data, afiliada ao grupo Nielsen, GTA Online sozinho gerou quase US$ 600 milhões (pouco mais de R$ 3,12 bilhões) em receita para a Rockstar apenas em 2019, tendo ultrapassado a marca de US$ 1 bilhão (R$ 5,21 bilhões) pelos últimos quatro anos — isso, considerando que o jogo saiu em outubro de 2013, junto de Grand Theft Auto V. A Rockstar é mais uma empresa do mercado mundial de jogos a empenhar seus esforços ao combate à COVID-19: nas últimas semanas, vimos a polonesa CD Projekt Red (empresa por trás da trilogia The Witcher e Cyberpunk 2077) doar US$ 1 milhão a organizações de saúde baseadas na Polônia, enquanto a Nintendo doou 10 milhões de máscaras para profissionais da saúde em Washington, nos EUA. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Veja Mais

Briga entre Spotify e Warner Music termina em nova parceria entre as empresas

Briga entre Spotify e Warner Music termina em nova parceria entre as empresas

canaltech Em um caso raro em que processos potencialmente litigiosos trazem finais felizes aos envolvidos, a Warner Music e o Spotify chegaram a um novo acordo global de direitos de reprodução de catálogo musical. Anteriormente, a gravadora havia processado a plataforma de streaming dias antes de seu lançamento na Índia, alegando irregularidades na oferta de canções da Warner pelo Spotify. Pelo novo acordo, o Spotify agora pode, sem restrição, oferecer todo o catálogo da Warner Music em todos os países onde mantém presença — incluindo a Índia. Os termos financeiros dessa nova parceria não foram divulgados, mas as empresas sinalizaram o fim do processo judicial com a assinatura. “O Spotify e o grupo Warner Music têm o prazer de anunciar a renovação de sua parceria de licenciamento global. Este acordo expandido cobre os países onde o Spotify se faz disponível hoje, bem como outros mercados adicionais. As duas empresas estão ansiosas para colaborarem em iniciativas de impacto global para artistas e compositores da Warner, e para trabalharem juntas para ampliar a indústria musical a longo prazo”, diz um comunicado assinado pelas empresas. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Spotify agora contará com diversos artistas renomados em seu serviço na India: processo movido pela Warner Music impedia o acesso ao catálogo completod a gravadora no país Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? A briga carece de uma explicação contextualizada: o Spotify seria lançado na Índia com músicas do grupo de publicação e produção musical Warner Chappel, um dos braços da Warner Music. O problema é que a divisão Chappel é responsável apenas pela divulgação das canções, enquanto a Warner Music lida diretamente com artistas, produtores e compositores — inclua aí os direitos de uso de suas propriedades e criações. No processo, a Warner Music alegou o uso irregular de propriedade intelectual, enquanto o Spotify defendeu-se dizendo valer-se de uma lei indiana que permitia que o catálogo da Warner Chappel fosse executado nas rádios locais. O resultado disso foi um litígio bem desfavorável à empresa sueca: o Spotify chegou oficialmente à Índia ao final do ano passado sem disponibilizar músicas de diversos artistas de projeção mundial, como Bruno Mars, Cardi B e Ed Sheeran, bem como bandas internacionalmente reconhecidas, como Coldplay e Linkin Park. Com o novo acordo, milhares de músicas amplamente conhecidas agora fazem parte do catálogo do Spotify na Índia. É importante citar que a Índia constitui um importante mercado para empresas de streaming musical: estimativas falam em mais de 200 milhões de usuários diários de serviços do tipo, sendo que a plataforma indiana Gaana é quem lidera a indústria local. Entretanto, poucos desses usuários são pagantes, então o Spotify chegou ao país com o seu modelo padrão de associação gratuita por meio da veiculação de anúncios publicitários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Veja Mais

Fraudes de e-mail geraram US$ 1,7 bilhão em perdas para empresas

Fraudes de e-mail geraram US$ 1,7 bilhão em perdas para empresas

canaltech Os golpes direcionados a empresas e utilizando e-mails como vetor apresentaram amplo crescimento em 2019, mais do que consolidando a prática como uma das mais lucrativas e eficazes para os hackers. Dados da Palo Alto Networks indicam crescimento de 172% nesse tipo de fraude em 2019, com mais de um milhão de tentativas diferentes registradas apenas no ano passado e foco em setores específicos, principalmente os profissionais, jurídicos e de alta tecnologia. A constatação está de acordo com um relatório divulgado pelo FBI em setembro de 2019 que aponta perdas de US$ 1,7 bilhão apenas nos oito primeiros meses do ano passado somente nos Estados Unidos, com o total global ultrapassando US$ 26 bilhões entre 2016 e 2018. Segundo a agência, é um número maior do que o registrado pelos dois malwares mais perigosos dos últimos anos, o WannaCry, que levou a um prejuízo de US$ 4 bilhões, e o NotPetya, com US$ 10 bilhões. Segundo a pesquisa da Palo Alto Networks, golpes focados em e-mails corporativos foram registrados em 177 países. O Brasil ainda tem números baixos, com 2,2 mil tentativas de fraude em 2019, enquanto a Nigéria aparece como a principal fonte desse tipo de tentativa de intrusão, com mais de 500 novas amostras de malware ou fraudes únicas sendo produzidas todos os meses pelos criminosos do país. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Pesquisa apontou Nigéria como principal fonte de ataques usando phishing corporativo e indicou crescimento vertiginoso nas tentativas em 2019 (Imagem: Reprodução/Palo Alto Networks) As fraudes são de um tipo categorizado como BEC, sigla em inglês para Comprometimento de E-mails Corporativos. Basicamente, estamos falando de ataques de phishing, mas com mais direcionamento do que aqueles que atingem usuários comuns e são enviados em massa. Aqui, o foco é certo e os criminosos se fazem passar por diretores, especialistas, consultores ou membros da área de TI das companhias, entre outros cargos de renome, na tentativa de roubar dados pessoais e obter credenciais para acesso às redes internas. A partir dessa intrusão, os hackers podem extrair grandes volumes de dados de clientes, que podem ser usados em novos golpes, ou obter informações confidenciais ou segredos industriais. Na sequência, costumam ocorrer tentativas de extorsão para que as informações não sejam divulgadas publicamente ou ofertas a concorrentes, tudo em busca do maior valor financeiro. Brasil está entre maiores fontes de ataques usando Internet das Coisas Isolamento e home office levaram a aumento em ataques de ransomware no Brasil A Palo Alto Networks batizou de SilverTerrier os grupos que praticam BEC a partir da Nigéria e taxou esse tipo de golpe como o maior desafio para os especialistas em segurança corporativa. Com as métricas de número de ataques dobrando a cada mês e chegando a atingir mais de 200 mil tentativas em junho de 2019, o pico anual, a recomendação é de cautela e fortalecimento das medidas de segurança, bem como a realização de campanhas de conscientização para que os funcionários não caiam nos golpes. Para ajudar nessa tarefa, a empresa divulgou uma lista completa dos malwares e domínios associados à prática, enquanto o relatório completo traz mais informações técnicas e dicas do que pode ser feito para evitar intrusões nas redes corporativas. Além disso, a companhia disse trabalhar lado a lado com as forças policiais, compartilhando informações que possam ajudar em investigações sobre os responsáveis pelas práticas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

Como desativar as notificações de vídeos ao vivo no Facebook

Como desativar as notificações de vídeos ao vivo no Facebook

canaltech As notificações de vídeos ao vivo do Facebook servem para alertar amigos e seguidores sobre quando uma pessoa está realizando a famosa “live” e facilitar a interação entre usuário da rede social. No entanto, nem sempre elas são bem-vindas - especialmente quando são enviadas em grande quantidade e começam a encher a central de notificações. Se você não quer mais receber esse tipo de aviso, já pode respirar aliviado. Desativá-los é bem simples. Bem-vindo ao Facebook | Como acessar sua conta na rede social sem digitar senha 9 dicas para usuários do Facebook para Android Saiba como remover vírus do Facebook Vídeos ao vivo no Facebook: como desativar as notificações No computador -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Passo 1: abra o Facebook em seu navegador da web e acesse as configurações. Em suas configurações você pode desativar todas as notificações do Facebook que quiser (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: no menu localizado do lado esquerdo da tela, clique em “Notificações”. Cansado dos lembretes diários do Facebook? Também é possível desativá-los (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: clique em “Vídeo”. Uma vez desativadas, as notificações de vídeos ao vivo do Facebook nunca mais serão recebidas (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: desative o tipo de notificação que você deseja parar de receber. Para não receber nenhuma - nem mesmo no aplicativo - basta desativar todas em “Permitir notificações no Facebook”. Você pode optar entre parar de receber notificações via e-mail, SMS ou "push notification" (Captura de tela: Ariane Velasco) No celular Já, para desativar notificações de vídeos ao vivo no Facebook pelo celular: Passo 1: abra o aplicativo do Facebook e toque no ícone de três barras localizado no canto superior esquerdo da tela. A interface do Facebook Mobile é diferente da versão para web, mas os recursos são os mesmos (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: role a tela até ver a opção “Configurações e privacidade” e toque nela. Depois, acesse as configurações. Toque em "Configurações" (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: em “Notificações”, selecione “Configurações de notificação”. Nesta mesma tela você também pode alterar suas configurações dos Stories e o envio de SMS (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: selecione a opção “Vídeo”. Para desativar as notificações de vídeos ao vivo do Facebook, selecione "Vídeo" (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 5: desative “Permitir notificações no Facebook” e confirme em “Desativar”. Confirme a opção para concluir (Captura de tela: Ariane Velasco) Você sabia que era fácil assim se livrar de notificações de vídeos ao vivo no Facebook? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

Always On Display: Samsung libera atualização com melhorias no visual

Always On Display: Samsung libera atualização com melhorias no visual

canaltech Uma nova versão do Always On Display (AOD) está disponível para os smartphones da Samsung. A atualização (versão 5.2.05.8) tem foco a correção de bugs, mas adiciona melhorias no visual de alguns estilos de relógios. Galaxy S10 e Note 10 devem receber atualização para One UI 2.1 em abril One UI 2.5: Samsung já está desenvolvendo nova interface para smartphones A atualização está sendo disponibilizada gradualmente para smartphones compatíveis que possuam as interfaces One UI 2.0 e 2.1. Se o download não aparecer em forma de pop-up, siga os passos a seguir: Pelas configurações: -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Configurações; Tela de bloqueio; Always On Display (clique em cima do nome); Sobre Always on Display; Atualizar. Pelo Galaxy Store: Pesquise "Galaxy Store" na gaveta de aplicativos; Clique no ícone com três linhas verticais no canto superior esquerdo; Acesse a categoria "Atualizações". Captura de tela de um S10 com One UI 2.0 (Foto: Diego Sousa) Antes da atualização, usuários relataram problemas no fundo do Always On Display, que ficava cinza ao usar um teclado Bluetooth. Problemas relacionados ao modo escuro dos smartphones também foram encontrados. Confira abaixo a descrição completa do update: Descrição da atualização (Foto: Sam Mobile) O Always On Display é um recurso utilizado na maioria dos smartphones atuais que, quando habilitado, disponibiliza informações básicas, como data e hora, notificações e status da bateria, enquanto a tela está desligada. A ferramenta tira bastante proveito dos painéis OLED e AMOLED, já que mantém somente alguns pixels acessos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19

Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19

canaltech O governo vai usar um mecanismo de ligações automatizadas para acompanhar casos da COVID-19 no Brasil. Em coletiva nesta terça-feira (31), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, anunciou a medida. “Hoje (31), a gente dispara as ligações. Então não se espantem se receberem as ligações, fazer uma consulta, vai te perguntando, você vai respondendo, e aí ela começa a acompanhar. O sistema com inteligência artificial vai triando, começa a acompanhar e dizer: posso te ligar daqui a oito horas, dez horas, 12 horas?" (sic), disse o ministro em coletiva.  Em uma fala rápida, ele disse apenas que o sistema será comandado por um algoritmo e ligado a um grande data center. “A gente fez um algoritmo com disparo de ligações para 125 milhões de brasileiros”, informou.  -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A proposta é reunir informações sobre casos da doença, identificando lugares onde a COVID-19 pode estar mais espalhada. O sistema utilizado pelo governo será a Unidade de Resposta Audível (URA), que, diferente de uma inteligência artificial, não reage exatamente ao que o usuário fala, apenas registra respostas simples.  Como funciona?  Segundo informações oficiais do governo, o usuário terá certeza de que se trata de uma ligação oficial pelo número 136, que vai aparecer no identificador de chamadas. Portanto, caso você receba uma ligação que não seja deste número pedindo informações, não passe seus dados.  “Anunciamos grandes ferramentas para auxiliar o atendimento à população durante a pandemia do coronavírus. Vamos monitorar os sintomas das pessoas sem que elas precisem sair de casa. Foi um trabalho grande, focamos nisso nos últimos dias porque é uma ferramenta de gestão de pessoas que vai nos auxiliar em toda a mobilidade social. É um grande trabalho de bioestatística e modelagem social”, informa Mandetta.  O sistema também será usado para acompanhar o estado de saúde de pessoas em quarentena. As pessoas vão receber indicações de tratamento, caso sejam identificadas com COVID-19.  O governo também informou que fez uma atualização no aplicativo Coronavírus SUS, por onde também entrará em contato com o usuário. “A recente atualização permite que o Ministério da Saúde possa enviar mensagens e alertas aos celulares e tablets, mesmo com app fechado ou não sendo utilizado naquele momento”, notifica nota do governo.  Um dos desafios do governo deve ser evitar fraudes em ligações para a população. Desde quando a COVID-19 começou a se propagar pelo mundo, golpes relacionados à doença também cresceram.  Segundo a agência de segurança Zscaler, o número de tentativas de ataques em março cresceu 20%, usando a COVID-19 como tema. A companhia acompanhou 20 golpes atrelados à COVID-19 que utilizaram técnicas de phishing. A ação é assim chamada quando o golpista usa um link ou site malicioso como isca para roubar dados do usuário. Ainda, o grupo relatou 7 mil downloads de programas maliciosos atrelados à promessa de apps com dados oficiais sobre a COVID-19.  COVID-19: como se proteger de golpes no celular que utilizam malwares Ataques hackers crescem à medida que pandemia da COVID-19 se alastra Por isso, é importante reforçar que, caso você receba uma ligação que não seja do número identificado no seu smartphone como 136, do Disque Saúde, não responda às perguntas.  O Canaltech buscou contato com a assessoria do Ministério para ter mais detalhes sobre o sistema. O governo ainda não apresentou quais serão as informações questionadas ao usuário, nem se dados pessoais, como nome, endereço e região serão levantados. A nota apresentada até o momento desta publicação também não informa em que banco de dados estas informações serão guardadas. Assim que o Canaltech obtiver resposta, esta reportagem será atualizada. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo EUA prevê mínimo de 100 mil mortos e projeta até 240 mil vítimas da COVID-19 Veja Mais

Telas, telas e mais telas: como cuidar da visão na era digital?

Telas, telas e mais telas: como cuidar da visão na era digital?

canaltech Você já tomou aquela bronca da mãe quando era criança e queria ficar muito perto da televisão, ou queria ficar assistindo a filmes e desenhos por muitas horas contínuas? O argumento geral era de que as telas faziam mal para a vista. Mas e hoje em dia, que todos estamos de olho nas telas praticamente a todo tempo que estamos acordados? Se não é a própria televisão em si, é o notebook. Se não é o notebook, é o nosso principal companheiro no cotidiano: o celular. No ano passado, uma mulher na China perdeu temporariamente a visão no olho esquerdo após usar o smartphone para jogar durante toda a madrugada. Seu nome não foi divulgado, mas segundo o médico que a tratou, o problema foi um stress excessivo que resultou em um vaso estourado, efetivamente criando bolsas de sangue que lhes bloqueavam a vista. Na ocasião, a paciente ficou acordada a noite toda, jogando em seu aparelho móvel e, na manhã seguinte, ela acordou, pegou o telefone e começou a usá-lo de novo. Cerca de cinco minutos depois, ela descobriu que estava incapaz de enxergar por meio do olho esquerdo. Um tratamento a laser criou um pequeno buraco na retina da paciente, permitindo que o sangue escoasse e a visão dela fosse restaurada. Mas então isso quer dizer que as telas realmente fazem mal? Se nossas mães estavam certas e olhar por muito tempo para a televisão cansava a vista, como isso se aplica aos celulares? E será que elas estavam corretas mesmo? Com essas questões em mente, a equipe do Canaltech resolveu procurar especialistas da oftalmologia, para tirar isso a limpo. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- De acordo com Leon Grupenmacher, oftalmologista e professor da Escola de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), as telas não são inimigas, desde que usadas de forma adequada. O que acontece, segundo o especialista, é que ao utilizar as telas, nós fixamos o olhar. Normalmente, nós piscamos várias vezes por segundo, entretanto, quando a gente fixa o olhar, praticamente não piscamos os olhos para não perder a atenção — e com essa diminuição do movimento a lágrima não é distribuída. Oftalmologistas esclarecem se as telas (notebook, televisão, celular) realmente fazem mal para a vista ou não "A lágrima tem função de lubrificar o olho e deixar a superfície ocular lisa, transparente, para que os raios passem, deixando a visão melhor. Se não se tem essa lágrima, consequentemente, não se tem uma visão nítida. Por isso, não se deve ficar muito tempo em frente à tela", explica. O profissional menciona que alguns estudos, ainda em análise, mostram que há tendência de aumentar o grau de miopia por uso excessivo do músculo que faz a miose (fechamento da pupila). Principalmente em relação às crianças, que estão em desenvolvimento. É recomendado que uma criança não fique mais do que duas ou três horas por dia em frente a uma tela, justamente porque o aumento da miose leva à miopia. "De acordo com alguns estudos asiáticos, o uso da tela pode aumentar a miopia". Por sua vez, o Dr. Fernando Zeitounian, médico oftalmologista da DaVita Serviços Médicos, observa que o olhar fixamente para a tela de um computador, assim como olhar para uma TV, para um livro ou para o olho durante uma cirurgia de catarata, por exemplo, faz com que pisquemos menos, forcemos a musculatura interna e a externa dos olhos. Fadiga visual transitória e olho seco são comuns nesses casos. Por uso excessivo do celular, mulher perde temporariamente a visão de um olho CES 2020 | Projeto promete curar "olho preguiçoso" assistindo Netflix Cientistas desenvolvem sistema de IA que identifica doenças nos olhos Como se prevenir, então? De acordo com Leon Grupenmacher, a prevenção é feita fixando o olhar em intervalos regulares. Ele indica que a cada 40 minutos ou uma hora seja “quebrada” a atenção das telas, para que seja possível voltar a piscar regularmente. "Com isso vai ter uma lubrificação maior, evaporação da lágrima e as queixas de problemas podem ser menores. Caso necessário, é preciso utilizar óculos adequados para ficar em frente ao computador", o oftalmologista explica. Ele ainda relembra que existem alguns filtros de tela, como os de coloração azul, que teoricamente podem ajudar. "Na tela não faz muita diferença, já nos óculos sim, porque há uma gama de filtragem dos raios UV que supera os outros casos. A distância ideal indicada entre o indivíduo e a tela é de 30 a 40 centímetros", disserta. "O que faz mal é usar a visão da maneira errada, sem o descanso, sem piscar, que acaba ocasionando as doenças oculares", define Leon. Para Fernando, a fórmula é diferente, mas obedece o mesmo intuito, que é descansar a vista. "Utilizo uma regra bem simples chamada 20-20: a cada 20 minutos de trabalho no computador ou celular, tire o foco da tela, olhe para longe (mais de 6 metros de distância) por 20 segundos e pisque várias vezes", aconselha o profissional. Profissionais recomentam consultar um oftalmologista imediatamente para que o profissional possa avaliar qual o melhor uso para cada paciente Fernando ainda acredita que não haja diferença entre telas e todas são seguras do ponto de vista médico. "Recomenda-se uma distância moderada que não mude sua postura e não venha a causar problemas ortopédicos. Quanto a filtros, a diminuição da intensidade do brilho pode dar mais conforto e diminuir a fadiga visual, sem necessidade de filtros especiais". Já falando sobre modos noturnos nos smartphones, Fernando diz que os filtros atuais são recomendados, pois a exposição à luz azul deixa a pessoa mais "ligada", podendo causar insônia. Ao se diminuir a luz azul, diminui-se a chance de insônia e favorece um sono mais tranquilo. Além disso, o oftalmologista ainda relembra: "Há o mito de que estudar em situações de baixa luminosidade faz mal à visão. A pessoa pode sentir mais dificuldade para enxergar pela pouca luz, mas isso não trará prejuízos persistentes à visão". Questionados sobre quais os sintomas mais comuns, que devem acender as primeiras luzes no painel, os oftalmologistas apontam que a diminuição da lubrificação ocasiona os sintomas de ardência ocular, visão embaçada, olhos vermelhos, lacrimejamento, cansaço e até dor de cabeça. Em casos de olho seco, consequência mais comum observada, o uso de colírio lubrificante prescrito pelo oftalmologista pode reverter a situação momentaneamente. No entanto, depois que for diagnosticada alguma doença relacionada ao uso excessivo de telas, a orientação para a manutenção da saúde ocular é consultar um oftalmologista imediatamente para que o profissional possa avaliar qual o melhor uso para cada paciente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Veja Mais

Novo protótipo do veículo Starship está quase pronto para mais testes da SpaceX

Novo protótipo do veículo Starship está quase pronto para mais testes da SpaceX

canaltech A SpaceX está quase pronta para começar a testar seu terceiro protótipo de sua espaçonave gigante, a Starship. Batizado como SN3, este será o terceiro protótipo a passar pelo experimento - os anteriores foram o Mk.1 e o SN1, que explodiram durante testes de pressão. Durante os novos testes, a SpaceX tentará validar a nave e seus motores Raptor no espaço. Elon Musk, CEO da empresa, compartilhou recentemente uma foto dos componentes do SN3 em seu perfil no Twitter. Em seguida, esses elementos foram montados e enviados às instalações de teste da SpaceX em Boca Chica, Texas. Por fim, o protótipo foi transferido para a plataforma de lançamento por guindaste. SN3 pic.twitter.com/bM1wzzd4Zg -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- — Elon Musk (@elonmusk) March 26, 2020 Como seus antecessores, o próximo passo para o SN3 serão os testes com carga criogênica. Isso significa que os tanques de metano e oxigênio da espaçonave serão preenchidos com um líquido criogênico (provavelmente nitrogênio líquido). Foi durante esse teste que os protótipos anteriores falharam acabaram explodindo. Em uma declaração anterior, Musk anunciou que o SN3 seria usado para testes estáticos e voos curtos. Para testes de voos mais longos, teremos que aguardar a vez do SN4, que deve subir até 20 km acima da superfície terrestre. Se tudo correr bem com esses protótipos, a empresa seguirá para as próximas etapas do desenvolvimento da espaçonave. Guia de usuário da Starship Guia da Starship mostra a sequência de liberação de uma carga útil no espaço realizada pela espaçonave (Imagem: SpaceX) A SpaceX lançou um guia de usuário da Starship para aqueles que pretendem utilizar os serviços de transporte que a espaçonave oferecerá quando estiver pronta. A empresa desenvolverá variantes do veículo espacial para transportar cargas e seres humanos a destinos como a Lua e Marte. Em sua versão de transporte de carga, a Starship também será capaz de levar equipamentos rapidamente de um ponto a outro ao redor da Terra. Já na versão de tripulação a nave poderá acomodar até 100 passageiros, oferecendo “cabines particulares, grandes áreas comuns, armazenamento centralizado, abrigos contra tempestades solares e uma plataforma para observação”, de acordo com o guia. Ainda não há informações sobre os preços, mas os clientes em potencial poderão começar a estudar o novo guia e considerar a Starship um possível meio de transporte em um futuro breve - mais precisamente no ano que vem, se tudo correr de acordo com os planos da SpaceX. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Veja Mais

YouTube Music ganhar recurso que facilita compartilhamento de playlists

YouTube Music ganhar recurso que facilita compartilhamento de playlists

canaltech O YouTube Music fez uma pequena modificação na forma de mostrar as playlists de usuários. Agora, o serviço permite que você crie um link para o seu perfil de modo mais simples e compartilhe as suas bibliotecas de música na rede social. A novidade ainda não chegou a todos os usuários, mas já foi percebida pelo jornalista Abner Li, do 9to5Google. com a atualização, há um botão de compartilhamento na biblioteca do utilizador que permite criar um link do perfil e compartilhar com outras pessoas na web. Botão aparece em canal que reúne todas playslist do usuário (Foto: Abner Li/9to5Google) O botão só está disponível para usuários na versão web da plataforma, contudo, os links podem ser acessados também nos apps para iOS e Android. Assim, o perfil é apresentado como um canal na plataforma, reunindo todas as playlists e atividades de uma pessoa. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- YouTube Music | O que você precisa saber antes de assinar a plataforma? De acordo com o site, a nova ferramenta está em fase de testes, mas o YouTube confirmou ao veículo que pretende lançar para todos os usuários mundialmente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

Remaster de Call of Duty: Modern Warfare 2 é lançado de surpresa para PS4

Remaster de Call of Duty: Modern Warfare 2 é lançado de surpresa para PS4

canaltech   Um dos principais expoentes da era moderna de jogos de tiro em primeira pessoa ganhou um relançamento surpresa nesta semana. Sem anúncio prévio, a Activision liberou uma remasterização da campanha de Call of Duty: Modern Warfare 2 para o PlayStation 4, trazendo de volta um dos shooters mais marcantes e polêmicos da geração passada, com melhorias visuais, HDR e resolução 4K. O lançamento é exclusivo temporário para o PlayStation 4. De acordo com a distribuidora, a ideia é lançar a campanha renovada do título no dia 30 de abril para Xbox One e PC, com a última plataforma contando também com melhorias adicionais, como a possibilidade de jogar sem limites na taxa de quadros por segundo e suporte a monitores ultrawide. Como dito, apenas a campanha de Call of Duty: Modern Warfare 2 recebeu o tratamento, da mesma forma que aconteceu em 2017 com o primeiro game da subsérie de guerra. Quem adquirir o novo game, entretanto, ganha um pack de itens estéticos exclusivos para usar em Call of Duty: Modern Warfare, o game mais recente da franquia, e também no free-to-play Warzone, que há algumas semanas trouxe o Battle Royale à marca de forma gratuita e com extremo sucesso. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Os lançamentos de jogos mais aguardados para abril de 2020 10 jogos para curtir durante o isolamento social Lançado originalmente em 2009 e aclamado como um dos melhores shooters da geração passada, Call of Duty: Modern Warfare 2 coloca os jogadores bem no centro de tensões militares entre os EUA e a Rússia, agora tomada por ultranacionalistas que desejam vingança pela morte do líder revolucionário Imran Zakhaev. Todo o Ocidente está na mira, enquanto o jogador controla cinco protagonistas em diferentes frentes de batalha, que desenvolvem uma trama em escala global, com direito até a uma visita ao espaço e também ao Brasil, com uma das fases se passando em uma favela do Rio de Janeiro. O título causou controvérsia devido à sua quarta missão, chamada No Russian. No comando de um agente infiltrado no grupo ultranacionalista russo, o jogador colabora em um atentado contra um aeroporto, disparando contra inocentes e massacrando civis. Em uma atualização, a Activision adicionou a possibilidade de pular a fase devido a seu conteúdo perturbador, um tratamento que também aparece agora na remasterização. Call of Duty: Modern Warfare 2 se tornou um dos maiores sucessos da franquia, vendendo 4,7 milhões de unidades apenas nas primeiras 24 horas nos Estados Unidos e Reino Unido, chegando a se tornar, por algum tempo, o game mais vendido da história em muitos países. As estimativas mais recentes apontam para um total de cerca de 30 milhões de cópias vendidas no mundo todo, uma quantidade que apenas deve aumentar com este relançamento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

MiBand 3 e Mi Smart Band 4 agora podem desbloquear laptops

MiBand 3 e Mi Smart Band 4 agora podem desbloquear laptops

canaltech A Xiamo liberou uma atualização de firmware para a MiBand 3 e a Mi Smart Band 4 que traz aprimoramentos sistêmicos e uma função divertida: agora é possível desbloquear seu laptop com qualquer um dos dois dispositivos sem a necessidade de instalar apps de terceiros. A nova função por enquanto só está disponível para usuários na Índia, mas antes exigia que você usasse um outro aplicativo, que funcionava como o vetor de pareamento entre as pulseiras inteligentes e o PC. Agora, entretanto, a Xiaomi implementou o suporte direto sem a necessidade do app. Ainda não há previsão de quando a nova função chegará para usuários de outros países, mas a empresa confirmou que ela é exclusiva para laptops equipados com o Windows 10. Mi Band 3 e Mi SmartBand 4: pulseiras fitness receberam atualização que corrige bugs e permitem destravar notebooks A atualização também dá fim a outro problema registrado por diversos usuários da Mi SmartBand 4: o contador de passos comumente registrava “passos fantasmas” em uma caminhada, bagunçando a precisão de suas métricas pessoais. Outras correções envolvem bugs menores e uma maior estabilidade do sistema. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O Canaltech analisou tanto a Mi Band 3 como a Mi SmartBand 4.     Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Atualização do Google Assistente traz melhorias nas notificações e mais

Atualização do Google Assistente traz melhorias nas notificações e mais

canaltech Depois de passar por um redesign nos últimos dias e receber alguns recursos prometidos na CES 2020, o Google Assistente está mudando a forma como os usuários controlam as notificações e outras configurações do assistente. Confira agora todas as novidades. Google Assistente passa a ler sites em voz alta em 42 idiomas Como usar o Google Assistente em português Google Assistente passa a ter integração com Nubank, iFood e Rappi Controle de notificações em um só lugar Esquerda: antes da atualização / Direita: depois da atualização (Foto: Canaltech/Diego Sousa) Logo de cara, a primeira mudança visível no Google Assistente é a unificação das notificações do dispositivo. A nova seção "Notificações" mantém as atualizações por e-mail, mas agora permite selecionar os tipos de notificação que você quer receber do seu Assistente. Ou seja, é possível controlar o envio de dicas e sugestões de eventos, assinaturas, tarefas, lembretes de aniversário e notificações de voos, entre outras. Para alterar tais configurações, era preciso entrar nas informações do aplicativo (Foto: Canaltech/Diego Sousa) Agora, você também pode configurar as respostas estendidas do Assistente, ou seja, as informações adicionais que o aplicativo coleta após a consulta. É possível receber mais informações sobre as solicitações feitas ao Assistente em outros dispositivos. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Todas as notificações podem ser controladas de um único lugar (Foto: Canaltech/Diego Sousa) Melhorias na seção de notícias Outra novidade da atualização diz respeito à seção de notícias. A nova interface em formato de grade permite alternar entre temas, como Negócios, Tecnologia e Esportes, bem como procurar por uma fonte de notícia específica em vez de procurar na lista. Até a data de publicação desta matéria, a alteração ainda não estava disponível no Brasil. Esquerda: antes da atualização / Direita: depois da atualização (Foto: Canaltech/Diego Sousa) A atualização do Google Assistente já está sendo disponibilizada para os usuários, mas você pode verificar manualmente acessando as configurações do Assistente, ou atualizando os seguintes aplicativos: App do Google; Google Assistente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Mario criado dentro de Dreams, no PS4, é removido depois de pedido da Nintendo

Mario criado dentro de Dreams, no PS4, é removido depois de pedido da Nintendo

canaltech Quando Dreams, a plataforma de desenvolvimento de jogos da Media Molecule, foi lançado para o PlayStation 4 em fevereiro, começou a ser recheado de produções que imitam outros títulos. Muita gente recriou Sonic, Silent Hills e outros grandes jogos, como os da franquia Mario. Essa leva de games “inspirados” em marcas famosas levantou a questão: será que isso é quebra de propriedade intelectual? Um caso recente indica que sim. Piece of Craft ficou famoso na comunidade do jogo ao lançar um projeto de criação de Mario dentro de Dreams. Ele fez transmissões na Twitch mostrando passo a passo como que remontava o personagem dentro da plataforma. Contudo, ele notificou que seus conteúdos foram removidos de Dreams. “Boas notícias e péssimas notícias. Voamos muito perto do sol, galera! Uma grande empresa de videogames, a qual eu não vou obviamente nomear, não leu minha nota de 'relaxa' em Dreams. Sem problemas, já que tenho um plano reserva. Mas, por agora, projetos com Mario em Dreams estão em pausa até que eu possa colocar este plano em ação”, escreveu no Twitter. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Good news and bad news We flew too close to the sun boys! A big video game company who i will keep nameless obviously didn't read my "be cool" note in dreamsno worries though have a back up plan. But for now Mario projects in dreams are on hold until i put said plan into effect pic.twitter.com/ifGDM0jFZ3 — Piece of Craft (@Piece_of_Craft) March 20, 2020 A defesa dele é que não estava exatamente criando jogos com o personagem. O objetivo era fazer o boneco de Mario e outros do mundo do bigodudo para mostrar a usuários como isso pode ser produzido dentro da plataforma da Media Molecule. O problema é que Dreams é uma ferramenta colaborativa e tudo que é criado ali dentro pode ser usado por outras pessoas em seus jogos. Ou seja, mesmo que o influenciador não estivesse exatamente reproduzindo um título inteiro, forneceu assets para que outras pessoas fizessem isso. Veja também: Análise | Dreams reinventa a roda sobre fazer jogos Por conta disso, agora, a página da produção do rapaz traz a mensagem “sua criação foi moderada e removida de Dreams por que 'contém material com direitos autorais'”. Esta é a primeira vez que a empresa retirou um conteúdo do tipo de dentro da plataforma, entretanto abriu um precedente para que outras criações também sejam retiradas do serviço. Lançado em fevereiro, Dreams é basicamente uma ferramenta de criação de jogos dentro do PlayStation 4. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

COVID-19 | Reino Unido prepara app para identificar contato com pessoas doentes

COVID-19 | Reino Unido prepara app para identificar contato com pessoas doentes

canaltech Após hesitar em tomar medidas mais enfáticas para conter a expansão do novo coronavírus, o governo do Reino Unido endureceu as medidas de combate à COVID-19 e já prepara o lançamento de um app. Segundo a Sky News, o objetivo do aplicativo é identificar a exposição do usuário a pessoas contaminadas com o vírus. O lançamento do app está previsto para o final da fase atual do isolamento ordenado pelo governo, que termina em três semanas. O uso do aplicativo não será obrigatório, o que pode levantar dúvidas sobre a sua eficácia, mas o Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, na sigla em inglês) espera que o app atraia mais de 50% da população.  China usa tecnologia e censura para controlar áreas de epidemia do COVID-19 OPINIÃO | Epidemia de COVID-19 prova que, às vezes, saber demais é um erro Uso de smartphones para rastrear a COVID-19 levanta questões de privacidade Ainda em desenvolvimento, a proposta é que o app permita detectar outros telefones nas proximidades com o uso do Bluetooth. O alerta de proximidade com infectados pela doença será feito posteriormente – para evitar pânico e falsas identificações – e requer que o doente informe o contágio pelo aplicativo. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A ideia é que os dados não sejam enviados ao governo ou instituições, o que poderia gerar resistência ao uso do app no país. Mesmo assim, ativistas de privacidade levantaram questões importantes sobre o funcionamento e eficácia do app. Além de o aplicativo depender de os doentes relatarem sua condição e precisar ter uma alta adesão para gerar dados confiáveis, os ativistas lembraram que muitos cidadãos no país com idade acima de 60 anos não possuem smartphones. Fora o app, o Reino Unido trabalha ainda com a possibilidade de fazer o rastreamento dos cidadãos com o uso das redes de telefonia, registrando dados anônimos dos clientes das operadoras. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Veja Mais

BMW X5 a hidrogênio será fabricado com ajuda da Toyota; SUV chega em 2022

BMW X5 a hidrogênio será fabricado com ajuda da Toyota; SUV chega em 2022

canaltech Uma das pioneiras em carros eletrificados, a BMW já pensa em transformar alguns de seus modelos mais icônicos em veículos "hidrogenizados". A montadora alemã, sob o guarda-chuva do conceito i Hydrogen Next, lançará uma nova versão do SUV BMW X5 movido a células de hidrogênio em 2022. Para ajudar os alemães nessa empreitada, a Toyota, que já possui alguma expertise nesse tipo de combustível, vai contribuir com a fabricação desse novo produto. De acordo com a BMW, o X5 terá potência total de 374 cv, já que, além de movido a hidrogênio, o carro terá um motor elétrico, o mesmo visto no iX3. O sistema de células de combustível gera 125 kW de energia elétrica pela reação química entre o hidrogênio armazenado e o oxigênio no ar ambiente, fazendo com que o veículo emita somente vapor de água. Ele usa dois cilindros de 700 bar, cada um com 6 kg de hidrogênio, que podem ser reabastecido em 3 ou 4 minutos, o mesmo tempo necessário para encher um tanque de combustível normal. O consumo, porém, ainda não foi revelado. EXCLUSIVO: conheça toda a tecnologia presente no BMW Série 2 Gran Coupé BMW apresenta linha 2020 de carros híbridos; Canaltech viu de perto BMW X1 deve ganhar versão híbrida com consumo de 55 km/l em 2020 A montadora planeja expandir o abastecimento por hidrogênio para outros modelos apenas a partir de 2025. Isso porque ainda será necessário fazer uma série de estudos mercadológicos para a que a produção desse tipo de motorização se "popularize". -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A ajuda da Toyota será importante, pois a marca japonesa já tem alguma experiência com carros a hidrogênio, como o Mirai, que é fabricado desde 2015 e já ganhou uma segunda geração. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Steam muda política de atualizações para evitar sobrecarregar internet

Steam muda política de atualizações para evitar sobrecarregar internet

canaltech Adicionando seu nome a um esforço global para economizar o consumo de banda larga, a Valveanunciou a implementação de mudanças na política de downloads de jogos e atualizações dentro da Steam. A ideia é assegurar que a internet esteja não apenas disponível, mas também amplamente utilizável diante de imprevistos e situações emergenciais em relação ao combate ao SARS-CoV-2, do qual se deriva a COVID-19, que se alastrou pelo mundo inteiro. A Steam já promovia os downloads de atualizações de jogos em horários “fora de pico” para os títulos em que você se dedicasse menos. Agora, essa prática será ainda mais espalhada, fazendo com que downloads sejam concluídos em dias ao invés de horas. Dentro dos novos parâmetros, apenas os três jogos mais acessados pelo usuário é que terão prioridade de download, baixando patches e atualizações imediatamente, assim que estiverem disponíveis. No que tange a jogos, os downloads seguem normalmente. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Mesmo assim, isso não impede que você force o download de atualizações manualmente. Tal implementação volta-se especificamente aos downloads automáticos, mas, dada a ideia da economia de banda larga, talvez você queira esperar ou priorizar outros títulos. Vale citar: ao contrário da Sony e Microsoft com seus respectivos serviços de jogos, a Steam não está fazendo o chamado traffic shaping, ou seja, manipulando artificialmente as velocidades de download do usuário. Valve Corporation adota novas medidas de contenção de banda larga em virtude do avanço do novo coronavírus pelo mundo Um esforço global A ideia de economia de banda larga começou na Europa, com a União Europeia pedindo que empresas como Netflix e YouTube reduzissem a qualidade de seus vídeos para aliviar o consumo de internet na região. Ambas as empresas prontamente acataram o pedido. Leia mais: UE pede que Netflix e YouTube limitem serviços para evitar queda de conexões Depois, diversas outras companhias se juntaram à ação e, embora o pedido original tenha sido feito apenas para o mercado europeu, rapidamente outros países passaram a adotar medidas similares: Sony e Microsoft confirmaram a redução da velocidade de download na PlayStation Network e Xbox Live, enquanto operadoras brasileiras anunciaram diversas medidas de contenção de consumo. Leia mais: Operadoras brasileiras anunciam união em combate ao novo coronavírus Leia mais: Coronavírus: operadoras de telefonia adotam medidas contra a inadimplência É importante ressaltar que os serviços das empresas passaram por um impacto mínimo e a experiência de uso dos seus consumidores teve uma queda apenas marginal, em alguns casos até mesmo imperceptível. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Crítica | 2001: Uma Odisseia no Espaço mostra que podemos estar no início do fim

Crítica | 2001: Uma Odisseia no Espaço mostra que podemos estar no início do fim

canaltech   Talvez, o mais complicado de escrever sobre um filme consolidado, que resistiu ao teste do tempo e se tornou um clássico seja o fato de que praticamente tudo já foi dito sobre ele. Somente na Internet Movie Database (IMDb), 2001: Uma Odisseia no Espaço (disponível no Telecine) tem mais de dois mil textos cadastrados, quase três centenas de críticas oficiais e uma avaliação em nota que é resultado dos votos de mais de meio milhão de pessoas. Além disso, o filme de Stanley Kubrick, que teve sua première exatamente em 2 de abril de 1968 (há exatos 52 anos), já foi tema de livros, artigos acadêmicos e, claro, influenciou o cinema para sempre – algo que é notado especialmente dentro do gênero da ficção científica. Por outro lado, apesar de ser adorado por uma legião de fãs incondicionais, o filme tem seus detratores, algo que não é difícil de entender. A reclamação, geralmente, gira em torno da lentidão com a qual Kubrick conduziu as cenas – algo que até mesmo o programa Choque de Cultura resolveu abordar e fazer humor. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Mas escrever sobre 2001: Uma Odisseia no Espaço, hoje, não é somente difícil, é desafiador; e pode parecer prepotente. Meu objetivo, de todo jeito, não é explicar o filme ou dizer se ele é bom, ruim ou derivados – o tempo já fez esse papel e eu, com 12 anos trabalhando com críticas oficiais, não me sinto capacitado e nem me sentirei com mais 12 ou mais 50. A ideia é trazer uma perspectiva pessoal que, talvez, possa ser útil para prolongar a experiência dos 149 minutos daquele que é um dos filmes mais emblemáticos já realizados. Cuidado! A crítica pode conter spoilers! O amanhecer da humanidade O sol, que surge inicialmente, pode trazer o conceito de renascimento. Kubrick, conhecido pelo seu perfeccionismo, alinha a ideia da simbologia do sol – que é recorrente durante o filme – com a terra e a lua. Ao mesmo tempo, essa abertura parece carregar consigo o símbolo de um deus neopagão que representa fertilidade, o Deus Cornífero da Wicca, de cabeça para baixo. Essa representação precede uma das cenas icônicas, que traz uma briga entre dois grupos de primatas. Símbolo da fertilidade oculto, de cabeça para baixo. (Imagem: Warner Bros. Entertainment) Após se esconder para passar a noite, o grupo perdedor percebe a aparição do monolito e Kubrick – junto ao montador Ray Lovejoy (em seu primeiro trabalho) –, em somente poucas mudanças de cenas, constrói a humanidade: a vingança, o nascimento da consciência, o surgimento da sensação racional de poder, força e domínio, a intimidação através de uma ferramenta (ou arma). Mas, imageticamente, são somente primatas, com um deles representando uma espécie de macho alfa, com o osso fálico na mão e arrogantemente sentindo-se poderoso. "Sentindo-se poderoso." (Imagem: Warner Bros. Entertainment) Nesse momento, Kubrick e Lovejoy – este que chegou a editar O Iluminado (também de Kubrick, 1980), Aliens, o Resgate (de James Cameron, 1986) e Batman (de Tim Burton, 1989) – realizam a transição que seria das mais geniais e significativas da história do cinema: o primata lança o osso para cima e, rodopiando, ele (o osso) transforma-se em uma nave no espaço. Em poucos segundos (dois ou três provavelmente) e a partir de um osso (a morte) e uma construção inorgânica em órbita (onde o homem havia chegado – e, na realidade, o homem só chegou à lua um ano após o lançamento do filme), 2001: Uma Odisseia no Espaço viaja milhões de anos e reflete a história da humanidade de maneira absoluta e até sarcástica. "O primata lança o osso para cima." (Imagem: Warner Bros. Entertainment) Não demora para que a construção kubrickiana de símbolos ressurja, dessa vez com comentários sobre o presente: a caneta que flutua na gravidade zero como flutuou o osso jogado para cima indicando que a força de uma assinatura pode ser maior do que a de uma arma – podendo comandar milhares de armas inclusive. Vê-se que a brutalidade do primata, que chega a ser sádica, cedeu espaço para a diplomacia, mas que nem por isso as guerras foram extintas. O que toma conta, enfim, é uma guerra silenciosa – o mundo estava em plena Guerra Fria. Segue-se a uma conversa que remete à briga dos dois grupos de primatas: se, antes, a briga era por um poço d’água, agora os homens em reunião conversam em uma mesa circular (todos iguais – como na clássica Távola Redonda) com copos d’água. Leia também: Nova Guerra Fria | Russo quer modificar bebês geneticamente com aval de Putin Fruto da evolução Toda essa evolução chega à nave Discovery One, que vai a Júpiter – seguindo um sinal do monolito. Aos poucos, Kubrick vai deixando pistas de que o homem evoluiu até o ponto da arrogância máxima, de acreditar tanto em seu poder e inteligência que subjuga a tudo. Ali, na Discovery One, a humanidade é como ratos de laboratório, correndo em círculos. O controle é de HAL, uma inteligência artificial poderosa – que tem como batizado a empresa que, ali no final da década de 1960, era a mais poderosa da área (basta utilizar o alfabeto e passar cada letra uma vez à frente e ler IBM – Kubrick, judeu de nascimento, não perdeu a chance de cutucar a empresa que forneceu serviços para a Alemanha de Hitler durante a Segunda Guerra Mundial). Leia também: A estratégia da IBM no mundo hardware O controle é de HAL, uma inteligência artificial poderosa. (Imagem: Warner Bros. Entertainment) A partir da apresentação de HAL, o tratamento dado pela direção de Kubrick parece contextualizar toda a apatia dos personagens humanos. Enquanto o diretor traça um paralelo (um transversal na verdade) com a expressividade exacerbada dos primatas do início, fazendo com que seus atores soem apáticos e inexpressivos, HAL demonstra ter muito mais emoções em sua fala monótona. A perda da humanidade do homem por meio do envolvimento com as máquinas e o aumento das emoções das máquinas por meio do envolvimento com a humanidade parecem selar outro futuro, este que, naquele ponto do mundo e até hoje, ainda é uma incógnita. Leia também: Inteligência Artificial deve acelerar desenvolvimento de novos medicamentos Fica, porém, um pouco mais claro através da direção de arte de John Hoesli (de O Buraco da Agulha), a utilização da ambiência para revelar as camadas do filme. Essa ideia de Kubrick faz com que Hoesli construa cada cômodo com a intenção de provocar certa insensibilidade: tudo é meio sem cor, meio sem arte (contrastando brutalmente com a trilha sonora tomada por clássicos), séptico e frio. É interessante perceber, por exemplo, como Interestelar (de Christopher Nolan, 2014) faz um paralelo nessa desconstrução das emoções: enquanto o filme de Nolan tem uma cena – talvez a sua melhor – que mostra o protagonista (interpretado por Matthew McConaughey) assistindo aos filhos e acabando por chorar compulsivamente, em 2001: Uma Odisseia no Espaço, o Dr. Frank Poole (Gary Lockwood) interage da mesma forma com familiares, mas sem qualquer reação sentimental.   A unidade do filme de Kubrick, assim, é o princípio de tudo: dá-se lentidão a uma evolução de milhões de ano e, simultaneamente, mostra-se que, na crença de ser tão evoluído, o homem não deixou de ser um primata. HAL – que é fruto da evolução e não a evolução em si – não somente entende a sua superioridade, como controla o homem, chegando a atestar, em sua manipulação, que um provável fim da humanidade é reflexo dela própria: "Falha humana. Isso já aconteceu antes. Sempre foi devido a falha humana." Poeira estelar A evolução, que desde o princípio é regida pelo poder (e a corrida espacial é uma das evidências além-filme), cede uma complexidade aos personagens como raros filmes conseguem. Enquanto HAL, vilão (afinal, é referência à Alemanha nazista), quase implora por sua vida e, com sua voz profundamente grave, canta, o Dr. Dave Bowman (Keir Dullea) chega ao seu nível de emoção mais genuíno na interação mais direta com o antagonista. A exploração do medo, realizada por Kubrick e seu corroteirista (o escritor Arthur C. Clarke), dessa forma, acaba por fundamentar esse sentimento como um divisor: HAL não tem poder de fato sobre a sua existência; seu medo é o despertar das emoções humanas... o renascimento da humanidade. "O homem não tem poder sobre nada enquanto tem medo da morte. E quem não tem medo da morte possui tudo." – Leon Tolstói Se o renascimento da humanidade é o reflexo das emoções mais primitivas, nesse ponto, Kubrick passa a apostar totalmente na subjetividade – ou ainda mais nela – com planos grandiosos que podem remeter à grandeza do universo. Não somente o homem renasce como existe uma evocação freudiana nas imagens. A Discovery One, que lá no início referenciava o osso fálico, ejeta a cápsula com o Dr. Dave e ela (a cápsula) adentra em uma fenda (nada é mera coincidência – ainda mais em um filme de Kubrick). Após galáxias se refazendo e a vida procurando se estruturar – e pode ser impressionante como tudo é sobre a vida ou a morte (criação ou renascimento ou o fim de tudo) –, o protagonista chega a um cômodo decorado por Hoesli com móveis e pinturas renascentistas (o renascimento novamente). Kubrick, judeu de nascença como dito, faz seu personagem quebrar uma taça: símbolo do casamento judaico, essa quebra, além de simbolizar no ritual que o homem é mortal e representar reconstrução, rima diretamente com a canção cantanda por HAL, que, em tradução livre, diz: "Daisy, Daisy, dê-me sua respostaEu estou meio louco de amor por vocêNão será um casamento eleganteEu não posso pagar uma carruagemMas você ficaria linda em umaBicicleta construída para dois" De fato, não é um casamento elegante. É quase como uma crise de abstinência – que seria, no caso e talvez, do contato com as máquinas. A música original ainda diz (também em tradução livre): "Afastando-se do caminho da vida." Aquele homem, enfim, olha para a taça tal qual o primata toma consciência da utilização do osso como ferramenta – o plano é o mesmo apesar do ambiente diferente. É um momento de ruptura, de mudança. Ele (Dave), então, vê o monolito e, procurando tocá-lo, remonta a pintura A Criação de Adão (de Michelangelo – renascentista aliás). A decoração renascentista de Hoesli e o monolito. (Imagem: Warner Bros. Entertainment)  Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Assim, morre o homem e nasce novamente a humanidade. É tudo cíclico e, o universo, eterno como deve ser. Nada mais claro para o renascimento do que um feto, mas com um olhar de sabedoria que quebra a quarta parede para confirmar, quem sabe, que, antes da razão (ou antes das máquinas) existe o coração; antes da dominação e da subjugação, existe a empatia; e, o que existe depois de qualquer maldade, é o princípio do fim. "Nada mais claro para o renascimento." (Imagem: Warner Bros. Entertainment) Resta saber se, nesse final, estaremos aptos a um recomeço ou se permaneceremos como poeira estelar. *Crítica dedicada ao amigo e colega Dan Hetzel. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Coronavírus | Como está o desenvolvimento da vacina contra a COVID-19? Suposto Galaxy A21s aparece no GeekBench com processador inédito Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Sem coronavírus: em quais territórios a COVID-19 não chegou? Veja Mais

Coronavírus | Como está o desenvolvimento da vacina contra a COVID-19?

Coronavírus | Como está o desenvolvimento da vacina contra a COVID-19?

canaltech Com a pandemia de Coronavírus (COVID-19) preocupando toda a população mundial, inúmeros cientistas e pesquisadores estão fazendo o possível para encontrar uma vacina, e rápido. Enquanto alguns países ainda estão em fase inicial de testes em animais e planejamentos, alguns já se preparam para fazer testes em seres humanos e até contam com uma previsão de quando haverá a vacina. Dentre os países mais engajados nesse objetivo, Israel e Estados Unidos atingem estágios mais avançados, mas o ímpeto de deter o SARS-CoV-2 envolve grandes laboratórios no mundo todo. EUA e Israel avançam Pesquisadores da University of Pittsburgh School of Medicine (UPSOM), nos EUA, anunciaram o desenvolvimento de um novo e promissor candidato à vacina contra a COVID-19. Em vez de consistir numa agulha, o novo medicamento é administrado através de um adesivo tipo Band-Aid composto por 400 microagulhas minúsculas. Depois que o adesivo é aplicado, as microagulhas, que são feitas inteiramente de carboidratos e proteínas, se dissolvem, sem deixar vestígios. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Os primeiros testes em animais mostraram-se promissores até o momento, mas os testes em humanos ainda estão em fase de planejamento. Os pesquisadores já tinham uma grande vantagem das epidemias passadas. "Tínhamos experiência anterior em SARS-CoV em 2003 e em MERS-CoV em 2014", disse Andrea Gambotto, professora de cirurgia na UPSOM. A vacina apelidada de "PittCoVacc" (Pittsburgh Coronavirus Vaccine) funciona da mesma maneira básica que uma vacina contra a gripe: injetando fragmentos de proteína viral fabricados em laboratório no corpo para ajudá-lo a criar uma imunidade. Quando testada em ratos, os pesquisadores descobriram que o número de anticorpos capazes de neutralizar o vírus mortal SARS-CoV-2 aumentou duas semanas. Antes de iniciar testes em humanos, os pesquisadores estão atualmente solicitando a aprovação de medicamentos da Food and Drug Antecipation dos EUA. "Testes em pacientes normalmente requerem pelo menos um ano. Provavelmente mais. Essa situação em particular é diferente de tudo que já vimos, então não sabemos quanto tempo o processo de desenvolvimento clínico levará", explica Louis Falo, professor e presidente de dermatologia na University of Pittsburgh School of Medicine Escola de Medicina de Pittsburgh testa novo medicamento administrado através de um adesivo (Foto: UPMC/Handou) Por sua vez, uma equipe de pesquisadores israelenses diz que está a dias de concluir a produção do componente ativo de uma vacina contra o novo coronavírus que pode ser testada em seres humanos a partir de 1º de junho. "Estamos nos estágios finais e, dentro de alguns dias, manteremos as proteínas — o componente ativo da vacina", diz o Dr. Chen Katz, líder do grupo de biotecnologia da MIGAL [Galilee Research Institute], ao jornal The Jerusalem Post. No final de fevereiro, o MIGAL comprometeu-se a concluir a produção de sua vacina em três semanas e a comercializá-la em 90 dias. Katz afirma que eles estavam um pouco atrasados ​​porque demorou mais do que o esperado para receber a construção genética que eles encomendaram da China devido ao fechamento das vias aéreas e à necessidade de ser redirecionado. "Nosso conceito básico era desenvolver a tecnologia e não especificamente uma vacina para esse tipo de vírus. A estrutura científica da vacina é baseada em um novo vetor de expressão proteica, que forma uma proteína solúvel quimérica que entrega o antígeno viral nos tecidos da mucosa por endocitose auto-ativada, fazendo com que o corpo forme anticorpos contra o vírus", acrescenta Katz. Em ensaios pré-clínicos, a equipe demonstrou que a vacinação oral induz altos níveis de anticorpos específicos. Para garantir que eles cheguem perto do prazo estabelecido, a MIGAL está trabalhando simultaneamente com os reguladores relevantes para garantir que o produto seja considerado seguro para testes em humanos. Por se tratar de uma vacina oral, a qualidade desse tipo de vacina deve estar mais próxima das regulamentações alimentares do que das farmacêuticas. O grupo também iniciou testes em ratos para superar os testes anteriores feitos em galinhas. O mundo todo almeja criar a vacina No entanto, muitos lugares ao redor do mundo também estão fazendo o possível para vencer essa batalha contra a COVID-19. A agência científica da Austrália anunciou que iniciou testes com furões para produzir uma vacina. Uma declaração divulgada pela Organização de Pesquisa Científica e Industrial da Commonwealth (CSIRO) — a agência científica do país — disse que os cientistas iniciaram o primeiro estágio dos testes de possíveis vacinas. O comunicado afirma que o CSIRO estabeleceu seu modelo biológico em fevereiro passado, mas que seus pesquisadores estudam o coronavírus desde janeiro. Trevor Drew, que lidera o esforço, disse que o coronavírus pode causar várias doenças, incluindo o resfriado comum, infecções gastrointestinais e doenças como SARS e MERS (síndrome respiratória do Oriente Médio). Enquanto isso, cientistas da Academia de Ciências Médicas Militares da China, afiliada ao Exército de Libertação do Povo da China, receberam aprovação para iniciar avaliações clínicas em estágio inicial da potencial vacina a partir desta semana. Além das gigantes Sanofi e Novartis, um rol de fabricantes de medicamentos e pequenas empresas iniciantes avançou com planos de desenvolver vacinas ou tratamentos direcionados à infecção causada pelo novo coronavírus, como BioNTech SE, Dynavax Technologies, CytoDyn. Vacina para o novo coronavírus pode estar pronta já em abril, dizem chineses Vacina contra o coronavírus só deve chegar daqui um ano e meio, diz Novartis China vai começar testes humanos com uma possível vacina para o novo coronavírus Mas quando a vacina vem, afinal? Uma questão que ainda é muito delicada, no entanto, é a data estipulada para a chegada dessa vacina. O presidente dos EUA, Donald Trump, chegou a comentar em uma reunião televisionada na sala do gabinete com executivos do setor farmacêutico que uma vacina poderia estar pronta dentro de três a quatro meses. Na ocasião, o Dr. Anthony Fauci, chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas (NIAID), deu um banho de água fria na estimativa de Trump, dizendo que levaria mais um ano a um ano e meio. Desde então, essa estimativa passou a ser de 12 a 18 meses. Entretanto, especialistas médicos e cientistas com experiência em primeira mão no desenvolvimento de vacinas são céticos. "Tony Fauci está dizendo de um ano a 18 meses. Acho otimista", aponta Peter Hotez, especialista em doenças infecciosas e desenvolvimento de vacinas no Baylor College of Medicine. Como o número de mortes por coronavírus aumenta cada vez mais, a pressão sobre a comunidade científica para encontrar uma vacina é imensa. O problema é que, segundo especialistas, o cronograma muitas vezes declarado é ambicioso. "Acho que nunca foi feito em escala industrial em 18 meses", disse Amesh Adalja, pesquisador sênior focado em doenças infecciosas emergentes da Johns Hopkins Medicine. "O desenvolvimento da vacina é geralmente medido em anos, não meses". A Dra. Emily Erbelding, especialista em doenças infecciosas do NIAID —que faz parte do National Institutes of Health — diz que a vacina típica leva entre oito e 10 anos para ser desenvolvida. Ela aponta que o ritmo acelerado envolverá não olhar para todos os dados. "Como estamos em uma corrida aqui para combater esta epidemia e uma vacina é muito importante, as pessoas podem estar dispostas a arriscar-se a entrar rapidamente na fase dois. Portanto, os 18 meses dependeriam da aceleração das coisas", diz a especialista à CNN. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Máscaras caseiras de pano são mesmo eficientes contra o coronavírus? Veja Mais

Boletim oficial: Brasil registra 7.910 casos de COVID-19 e quase 300 mortes

Boletim oficial: Brasil registra 7.910 casos de COVID-19 e quase 300 mortes

canaltech Em atualização dos números do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil, o Ministério da Saúde informou, hoje (2), que são 7.910 casos positivos para a COVID-19, o que representa um aumento superior a mais de mil novos pacientes nas últimas 24 horas, segundo os dados oficiais. Esse crescimento tem mantido o mesmo padrão nos últimos três dias. De acordo com as informações compartilhadas individualmente pelas Secretarias Estaduais de Saúde, o número de óbitos aumentou de 240 para 299, o que representa 59 novas mortes em decorrência da virose causada pelo coronavírus. Com isso, a taxa de letalidade da doença nos casos brasileiros sobre para 3,8%. Casos da COVID-19 chegam próximos aos oito mil pacientes no Brasil, segundo Ministério da Saúde (Foto: Enrique Lopez Garre/ Pixabay)  Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? Divisão nacional Com 63% dos casos da COVID-19 confirmados, o Sudeste segue como epicentro da doença no país. Na região, segundo o relatório, são 4.988 pacientes infectados pelo vírus. Em segundo lugar está o Nordeste, com 1.180 casos confirmados, seguido pelo Sul (833 casos), Centro-Oeste (532) e Norte (377). -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Na região Sudeste do Brasil, o estado de São Paulo concentra a maioria dos casos da nova infecção, atualmente, com 3.506 pacientes — mais de 500 novas confirmações em 24h — e 188 óbitos. Outros dois estados que registram elevados números da COVID-19 são o Rio de Janeiro, com 992 casos e 41 óbitos; e o Ceará, que apresenta 550 casos e, até o momento, 20 óbitos — ontem (1), eram apenas oito. Também entram com maior destaque nesse radar o Distrito Federal e o estado de Minas Gerais com 370 casos confirmados e quatro óbitos cada um. Além dessas unidades da federação, os demais estados brasileiros já registram óbitos em decorrência do novo coronavírus: Pernambuco (9); Rio Grande do Sul (5); Piauí (4); Paraná (4); Amazonas (3); Bahia (3); Rio Grande do Norte (2); Santa Catarina (2); Sergipe (2); Alagoas (1); Espírito Santo (1); Goiás (1); Maranhão (1); Mato Grosso do Sul (1); Paraíba (1); Pará (1); Rondônia (1). Coronavírus: qual a diferença entre COVID-19, SARS e MERS? Entre suas iniciativas de transparência perante essa pandemia, o Ministério da Saúde também atualiza a nova plataforma online sobre o novo coronavírus. Além de dados, esse painel traz análises como a evolução da COVID-19 com porcentagens, gráficos e sua distribuição pelo território. Para acessar, clique aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Máscaras caseiras de pano são mesmo eficientes contra o coronavírus? Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Veja Mais

NASA e ESA premiarão propostas de pesquisas que ajudem no combate ao coronavírus

NASA e ESA premiarão propostas de pesquisas que ajudem no combate ao coronavírus

canaltech A NASA e a ESA (agências espaciais dos Estados Unidos e Europa, respectivamente) estão convocando empresas e pesquisadores para enviarem propostas de auxílio à população no combate à pandemia do novo coronavírus, causador da doença COVID-19. As agências vão selecionar e premiar, com ajuda financeira, as melhores propostas de pesquisas ou de serviços de assistência. No dia 1º de abril, a ESA anunciou seu projeto chamado “Space in response to COVID-19 outbreak,” ("O espaço em resposta ao surto de COVID-19", em tradução literal), em cooperação com o governo italiano. A agência pede a empresas em toda a Europa que enviem propostas que possam usar recursos espaciais - como redes comunicação e satélites que observam a Terra - na luta contra o coronavírus. As empresas selecionadas receberão 2,5 milhões de euros em financiamento, além acesso gratuito a recursos de satélites. Essas propostas deverão ser usadas principalmente para ajudar a Itália, que sofre com altos índices de contaminação e vítimas fatais, mas também poderão se expandir para ajudar outros países europeus. As propostas devem ser enviadas até 20 de abril para análise pela ESA. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Já a NASA solicita propostas que façam “uso inovador dos dados de satélite da NASA para lidar com os impactos ambientais, econômicos e/ou sociais, desde regiões locais a global, da pandemia de COVID-19”. Também poderão ser usados satélites de parceiros internacionais da NASA. A agência está interessada principalmente em estudos de como as mudanças nas atividades causadas pela pandemia afetaram o ambiente da Terra. Dados do "antes e depois" das áreas afetadas pela pandemia são de particular interesse para a NASA. De acordo com membros do comitê da agência, essas informações são uma oportunidade única para entender melhor os efeitos das atividades humanas no nosso planeta. Além disso, a agência anunciou, também no no dia 1º de abril, que estava buscando ideias de seus funcionários sobre como contribuir no combate a uma pandemia. Através de uma plataforma interna, os funcionários são convidados a enviar propostas sobre como a NASA poderia oferecer novas abordagens para o desenvolvimento de equipamentos e para prever a propagação da doença, bem como seus efeitos na sociedade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

NASA mantém cronograma dos primeiros voos do Programa Artemis rumo à Lua

NASA mantém cronograma dos primeiros voos do Programa Artemis rumo à Lua

canaltech No final de janeiro, a NASA falou sobre as primeiras entregas de cargas à Lua através de duas espaçonaves desenvolvidas por empresas privadas, o que dará o pontapé inicial ao Programa Artemis - aquele que pretende levar novos astronautas para lá em 2024. Embora a epidemia de COVID-19 tenha paralisado várias atividades científicas e interrompido algumas missões no espaço, o cronograma desses lançamentos segue inalterado. Serão, no total, 16 experimentos científicos e demonstrações de tecnologias da NASA, programados para serem enviados à Lua dentro dos módulos de pouso Peregrine e Nova-C, veículos construídos pelas companhias privadas Astrobotic e Intuitive Machines LLC, respectivamente. Ambas as empresas contratadas concordaram em realizar a missão no terceiro trimestre de 2021. No entanto, a pandemia do novo coronavírus ainda deixa a agenda sujeita a alterações. Conceito de módulo lunar da Astrobotic (Imagem: NASA/Astrobotic) A NASA comunicou que ambas as empresas estão operando completamente no modo de trabalho remoto, e ainda estão avaliando o que podem e o que não podem fazer no momento. Ainda assim, as cargas da NASA não correm o risco de perder a data programada para seus lançamentos - pelo menos por enquanto. Três desses equipamentos que estão sendo preparados sofrem atualmente um “impacto mínimo” com as medidas de proteção contra a COVID-19. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Já as demais cargas estão no ponto em que o trabalho será suspenso. No entanto, a NASA não pensa que essas pausas vão interferir nas datas de lançamento, pois o cronograma conta com uma margem de tempo considerando imprevistos do tipo. Um fator que pode causar algum atraso, contudo, é a necessidade de testar os instrumentos em instalações especializadas, coisa que por enquanto não pode ser feita por causa das paralisações. A NASA, no entanto, está observando isso atentamente, e conta com a margem no cronograma para resolver o problema. Esses instrumentos científicos estudarão a química dos materiais no regolito lunar que os astronautas poderão usar, o ambiente de radiação e a química da exosfera da Lua. Os módulos também vão realizar experimentos que testarão a navegação autônoma na órbita e na superfície lunar, além de fazer experimentos de comunicação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Xiaomi estaria desenvolvendo um celular com câmera de 144 MP Veja Mais

Após interrupção devido ao coronavírus, missões espaciais da ESA voltam à ativa

Após interrupção devido ao coronavírus, missões espaciais da ESA voltam à ativa

canaltech No final de março, a agência espacial europeia ESA reduziu a equipe no centro de controle de missões para conter o avanço da epidemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), e as equipes desligaram os instrumentos científicos de 21 espaçonaves. Agora, pouco mais de uma semana depois, as missões interrompidas estão voltando à ativa, reunindo dados do Sistema Solar. O trabalho no Centro Europeu de Operações Espaciais (ESOC) da ESA, em Darmstadt, Alemanha, continuava com suas operações rotineiras. A única alteração foi que a maioria dos funcionários passou a trabalhar em casa. Porém, quando alguém no controle de uma das missões testou positivo para COVID-19, foram tomadas medidas para impedir a propagação do vírus. Todos os colegas que tiveram contato com este funcionário - cerca de vinte pessoas - foram colocados em quarentena e prédios inteiros foram completamente limpos e desinfetados, de acordo com a ESA. "Essa pessoa [contaminada] está agradecida e está se recuperando bem", diz Paolo Ferri, chefe de operações da missão no Centro de Operações da agência. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Representação artística da Mars Express, uma das missões paralisadas pela ESA (Imagem: ESA/ATG medialab/DLR/FU Berlin) Muitas dessas pessoas colocadas em quarentena estavam trabalhando nas missões Solar Orbiter, Mars Express e Exomars Trace Gas Orbiter, e nas quatro naves espaciais que compõem a missão Cluster. Com isso, as operações dessas missões foram reduzidas ao mínimo necessário enquanto os membros da equipe ficaram em casa. Isso foi possível porque essas missões são projetadas para permanecer em um tipo de “modo de segurança” por longos períodos, em órbitas seguras mesmo que estejam com os instrumentos científicos desligados. Quando isso acontece, a ESA estabelece “critérios muito claros” para decidir quando as coisas devem voltar ao normal, de acordo com Ferri. Ele relatou que, a partir deste fim de semana, as missões serão gradualmente trazidas de volta ao seu estado normal. Ainda de acordo com a ESA, não houve outros casos de contaminação entre seus colaboradores. Os que ainda entram periodicamente nas instalações da agência espacial trabalham isolados. Se eles precisam ficar na mesma sala, “seguem regras e proteções sociais muito rígidas de distanciamento”, afirma a agência. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros a ultrapassar os 5 GHz em notebooks Veja Mais

Ghost Recon: Breakpoint ganha novo teste gratuito; veja como aproveitar

Ghost Recon: Breakpoint ganha novo teste gratuito; veja como aproveitar

canaltech A Ubsoft anunciou a liberação de um teste gratuito para Ghost Recon: Breakpoint. Jogadores que ainda não têm o game vão poder jogar até seis horas do título no Xbox One, PlayStation 4 ou PC. Além disso, quem já conta com Breakpoint vai poder chamar os amigos para jogar por meio do friend pass. Com ele, é possível convidar até três pessoas para jogar no modo cooperativo de Breakpoint para além das seis horas, sem que eles tenham o game. Segundo nota da Ubisoft para imprensa, o cronometro para de contar assim que a pessoa entra no jogo pelo friend pass. “Após atingir o limite de tempo, toda progressão ficará salva e o jogador poderá seguir jogando em modo cooperativo pelo friend pass ou adquirir o jogo e continuar de onde parou”, informa a empresa. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- A Ubisoft já tinha liberado Ghost Recon: Breakpoint gratuitamente para os jogadores testarem entre 26 e 29 de março. Contudo, se o usuário já tiver jogado as seis horas na oportunidade anterior, não pode ter acesso a mais seis. “Já aqueles que jogaram por menos de seis horas poderão jogar no free trial o tempo que lhes resta”, completa a empresa. Veja também: Análise | Warlords of New York é a prova que The Division 2 base não deu certo Para usar o friend pass, as pessoas beneficiadas por alguém que tem o game precisam ter o mesmo console que o jogador original. Ou seja, se quem tem Breakpoint joga no PlayStation 4 é preciso que todos outros três também usem o mesmo console. Além disso, é preciso ter uma assinatura da PS Plus (no caso do console da Sony) ou Live Gold (no caso do da Microsoft). O friend pass está disponível em todas as plataformas até 16 de junho de 2020. Lançado em 2019, Ghost Recon: Breakpoint é jogo de tiro em terceira pessoa em que grupos de até quatro jogadores precisam completar missões de invasão e resgate. Ele é baseado em loot, ou seja, em buscar novos equipamentos para melhoria do seu personagem. Já quem quer testar gratuitamente o game, basta ir à loja de cada plataforma e baixar a demo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

Diretor de Em Ritmo de Fuga fará sci-fi irônica sobre androide com sentimentos

Diretor de Em Ritmo de Fuga fará sci-fi irônica sobre androide com sentimentos

canaltech Depois de Todo Mundo Quase Morto (2004), Chumbo Grosso (2007), Scott Pilgrim Contra o Mundo (2010) e principalmente Em Ritmo de Fuga (2017), o nome Edgar Wright já se tornou sinônimo de qualidade. Enquanto seu novo filme, o thriller psicológico Last Night in Soho, e a animação Shadows seguem em fase de pós-produção, o realizador adicionou uma ficção científica na sua lista de projetos. Segundo informações do The Hollywood Reporter, Wright já estaria atrelado à adaptação do romance Set My Heart to Five, de Simon Stephenson, que será lançado em 28 de maio de 2020. Distópico, metalinguístico e satírico, o livro e Wright parecem ter sido feitos um para o outro. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Edgar Wright dirigindo Ansel Elgort no set de Em Ritmo de Fuga (Imagem: Sony Pictures) A história, ambientada em 2054, acompanha Jared, um androide que trabalha como odontologista e que passa por um despertar emocional desencadeado por uma introdução aos filmes dos anos 1980 e 1990. Então, ele embarca em uma missão para convencer os humanos de que ele e seus semelhantes devem ter permissão para sentir. É uma busca que leva a uma aventura inesquecível na costa oeste dos EUA, determinado a se encontrar com o programador que o criou e escrever um roteiro de filme que mudará o mundo. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Crítica | Em Ritmo de Fuga e sob overdose de cafeína Os 5 melhores filmes de ficção científica disponíveis na Netflix 10 filmes imperdíveis sobre Inteligência Artificial O autor do livro já está na equipe para escrever o roteiro adaptado sob produção da Working Title Films. A Focus Features ficará responsável pela distribuição. Não há certeza, no entanto, de que a adaptação de Set My Heart to Five será o próximo filme de Wright, já que uma sequência de Em Ritmo de Fuga está sendo planejada pela Sony Pictures. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

John Krasinki cria jornal de boas notícias no YouTube para aliviar isolamento

John Krasinki cria jornal de boas notícias no YouTube para aliviar isolamento

canaltech   O ator e diretor de Um Lugar Silencioso (2018), John Krasinki, aproveitou o ócio criativo do isolamento para trazer um pouco de luz e esperança para o cenário quase apocalíptico que a pandemia da COVID-19 tem gerado. Utilizando de forma cômica o formato dos principais jornais televisivos, Krasinki lançou no YouTube o Some Good News. Em meio a tantas notícias assustadoras, que envolvem milhares de mortos em diversos países, Some Good News (literalmente "Algumas Boas Notícias" em tradução literal) faz uma compilação de momentos que acalentam o coração. As boas notícias foram enviadas por seguidores que responderam ao chamado do ator no Twitter. "Tudo bem, pessoal, que tal #AlgumasBoasNotícias! Envie para mim as histórias que fizeram você se sentir bem esta semana ou as coisas que fizeram você sorrir!" -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Alright everybody, how about #SomeGoodNews ! Send me the stories that have made you feel good this week or the things that just made you smile! — John Krasinski (@johnkrasinski) March 25, 2020 Imagem: John Krasinki O resultado é uma série de histórias que realmente mostram que há beleza e esperança no mundo, mesmo quando parece não haver espaço para isso. Ainda emulando o formato dos grandes jornais, Krasinki incluiu no programa alguns convidados especiais através de videoconferência, como Steve Carell (seu colega da série The Office) e Coco, protagonista de uma das histórias recebidas. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Ao iniciar o vídeo, Krasinki explicou melhor a ideia: “Há anos venho me perguntando: por que não há um programa de notícias dedicado inteiramente a boas notícias? Bem, procurando desesperadamente meu conserto em outro lugar, entrei em contato com todos vocês esta semana, pedindo – não, implorando – por boas notícias. E vocês entregaram. Depois de ler essas respostas e as histórias incrivelmente emocionantes que vieram com elas, pensei: 'Tudo bem. O bastante é o bastante, mundo. Por que não nós? Por que não agora?' Então, senhoras e senhores, a culpa é sua e essa é a SGN. Sou John Krasinski e, se ainda não está claro, não faço a menor ideia do que estou fazendo.” Crítica | Um Lugar Silencioso para os oprimidos 10 filmes para assistir no Amazon Prime Video durante o isolamento Coronavírus | Gal Gadot e outras celebridades cantam 'Imagine' e dividem fãs John Krasinki dirige e assina o roteiro de Um Lugar Silencioso: Parte II, além de fazer aparições na parte do filme que pretende ser uma prequela dos eventos da primeira história. Previsto para estrear em 8 de março de 2020, a Parte II teve lançamento adiado por tempo indeterminado por causa do coronavírus. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Veja Mais

App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia

App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia

canaltech O aplicativo de vídeochamadas Zoom teve um surto de popularidade devido ao isolamento social causado pelo avanço do SARS-CoV-2, o chamado “novo coronavírus”, que forçou boa parte da população mundial a trabalhar de casa. Nesse cenário, muita gente optou por usar o software para conduzir reuniões e entrevistas. E, com isso, vieram também os problemas. De acordo com uma reportagem veiculada pelo The Intercept, o Zoom, que diz usar criptografia de ponta a ponta em seus recursos para proteger a privacidade dos usuários, está veiculando propaganda enganosa, haja vista que, embora criptografadas, as chamadas em vídeo usam outro protocolo, conhecido como “TLS” — o mesmo empregado em páginas da web com certificado HTTPS de segurança. Popularidade do Zoom, aplicativo de vídeochamadas e reuniões virtuais, aumentou bastante devido ao isolamento causado pelo novo coronavírus e, com isso, acabaram expostos alguns problemas do app Aqui vale entrarmos no “tecniquês”: “criptografia de ponta a ponta” e “protocolo TLS” não são a mesma coisa. Embora ambos forneçam proteção aos dois lados de uma comunicação, o protocolo TLS não impede que o gestor daquela conexão (o dono da aplicação, por exemplo) acesse ou monitore o conteúdo veiculado em seus serviços. Por exemplo: o WhatsApp emprega criptografia de ponta a ponta na troca de mensagens entre usuários, o que significa que a empresa sabe que mensagens estão sendo trocadas, mas não sabe o conteúdo delas. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- No caso do Zoom, o emprego do protocolo TLS indica que, ainda que as duas pontas da comunicação — os usuários participantes da videochamada — estejam protegidos em relação a seus dados para o exterior, a empresa ainda pode saber, por monitoramento ou acesso à gravação, qual o conteúdo e teor das reuniões em vídeo. Isso inclui recursos comuns a esse tipo de ação, como compartilhamento de telas, apresentação de documentos e o streaming do vídeo em si. Leia mais: Hackers estão invadindo conferências do Zoom para exibir pornografia O problema é que, em seu site oficial e o white paper detalhando seus mecanismos de proteção, o Zoom afirma usar “criptografia de ponta a ponta”, justamente o que a investigação do The Intercept diz que ele não usa. “Isso é conhecido como ‘criptografia de transporte’, o que é diferente da criptografia de ponta a ponta porque o serviço do Zoom ainda pode acessar conteúdos em vídeo e áudio das reuniões virtuais”, diz um trecho da matéria. “Então quando você está em uma reunião pelo Zoom, o conteúdo audiovisual seguirá escondido de qualquer pessoa que esteja bisbilhotando em sua conexão Wi-Fi, mas não estará escondido da própria companhia”. O Zoom tem suporte a chamadas em vídeo via smartphone ou laptop, mas o conteúdo dessas reuniões pode não ser 100% seguro, segundo investigação de site americano O The Intercept questionou a empresa por trás do app sobre o assunto, a qual negou a acusação de propaganda enganosa: “Quando usamos o termos ‘de ponta a ponta’ em nosso conteúdo, estamos nos referindo à conexão ser criptografada de uma ponta do Zoom à outra ponta do Zoom. O conteúdo não é descriptografado conforme ele é transferido pela nuvem do Zoom”. É válido ressaltar que o mecanismo de mensagens por texto, atrelado às reuniões em vídeo, parece conter a criptografia de ponta a ponta por si só, algo ressaltado na matéria do The Intercept. Leia mais: Zoom interrompe compartilhamento de dados com o Facebook Não é a primeira vez que o Zoom se vê em situações desagradáveis relacionadas à privacidade dos seus usuários. O seu súbito surto de popularidade em meio ao isolamento social causado pelo avanço do novo coronavírus mostrou, na última semana, que a empresa estava compartilhando informações do consumidor com o Facebook sem que essa ação fosse expressamente comunicada aos usuários.O Zoom acabou ganhando uma atualização após o caso, corrigindo o problema. Recentemente, a empresa também se viu vítima de invasões de hackers a videochamadas alheias, nas quais os invasores distribuíam pornografia. A empresa diz que promove a coleta de dados “segura” dos usuários, ou seja, ela monitora e armazena apenas informações que levem ao aprimoramento do aplicativo, como endereço de IP, sistema operacional utilizado etc., mas que informações de cunho pessoal ou pertinentes aos conteúdos das reuniões são inacessíveis aos seus empregados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Veja Mais

Xiaomi tem receita recorde em 2019, mas lucro cai em relação a 2018

Xiaomi tem receita recorde em 2019, mas lucro cai em relação a 2018

canaltech A Xiaomi divulgou seu relatório financeiro de 2019 com arrecadação recorde de 205,8 bilhões de iuanes, algo próximo de R$ 152 bilhões de reais. Apesar disso, o lucro de 10,04 bilhões de iuanes (R$ 7,4 bi) não bateu qualquer recorde e, pior, ficou consideravelmente abaixo dos 13,55 bilhões de iuanes (R$ 10 bi) de 2018. Esse números, porém, não falam tudo, e a companhia pode se apegar a outros para entender que passa, sim, por um bom momento. Além de ter ultrapassado a Huawei em fevereiro e ocupar agora o terceiro lugar na lista das maiores fabricantes de celulares do mundo, a Xiaomi mostrou em seu relatório financeiro que o último trimestre de 2019 foi bem positivo. Nele, a companhia teve as receitas alavancadas por um impulso na venda de smartphones: foram 326 milhões de unidades vendidas e uma receita total de 30,8 bilhões de iuanes, quase R$ 23 bilhões. Na comparação com o mesmo período de 2018, o salto foi de 22,8%, fazendo com que o setor de mobile da companhia fechasse o ano com um aumento de 7,3% em relação ao desempenho de 2018. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Redmi K30 Pro é uma das apostas da Xiaomi para o ano de 2020. (Foto: Divulgação/Redmi) Recentemente, um executivo da empresa afirmou que mesmo a crise gerada pela pandemia de COVID-19 não afetou os negócios. Em entrevista durante o lançamento do K30 Pro, o presidente da Redmi (subsidiária da Xiaomi) Lu Weibing foi enfático ao garantir que o impacto dessa situação não foi tão grande. Claro que a situação gerada pelo novo coronavírus ainda parece longe de ser resolvida, mas os ventos parecem soprar a favor da Xiaomi neste momento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Há uma mensagem codificada no rover Perseverance, que será enviado a Marte

Há uma mensagem codificada no rover Perseverance, que será enviado a Marte

canaltech Em breve, a missão Mars 2020 levará, no rover Perseverance, três chips com os nomes de 10.932.295 pessoas ao Planeta Vermelho. Uma foto da placa onde os chips estão anexados foi divulgada, mas o que poucos perceberam é que há uma mensagem oculta ali. Os chips de silicone carregam os nomes de todos que participaram de uma campanha encabeçada pela própria NASA, pedindo que a população enviasse seus nomes a Marte com a nova missão exploratória. Eles foram afixados a uma placa de alumínio no rover no dia 16 de março, e nessa placa há um desenho gravado a laser representando a Terra e Marte unidos pela luz do Sol. Entenda como o rover Mars 2020 tentará encontrar sinais de vida em Marte Perseverance é o nome do rover da NASA que buscará bioassinaturas em Marte Essa mesma ilustração também presta homenagem às artes que estamparam as placas das naves Pioneer e das sondas Voyager 1 e 2. Mas não é só isso: de acordo com uma publicação da NASA no Twitter, há uma mensagem codificada nessa ilustração. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- “Alguns de vocês viram a mensagem especial que estou carregando para Marte, com os mais de 10,9 milhões de nomes que todos enviaram”, escreveu o perfil do Perseverance. "’Explore As One’ está escrito em código Morse nos raios do Sol, que conectam nosso planeta natal àquele que vou explorar. Juntos, perseveramos”. Ou seja: a mensagem secreta significa algo como "explorar como um só", numa tradução livre. Some of you spotted the special message I’m carrying to Mars along with the 10.9+ million names you all sent in. “Explore As One” is written in Morse code in the Sun’s rays, which connect our home planet with the one I'll explore. Together, we persevere. https://t.co/Bsv1mqpxlA pic.twitter.com/GhcS1HgsIN — NASA's Perseverance Mars Rover (@NASAPersevere) March 30, 2020 A equipe da missão já começou os preparativos para que o rover seja colocado no veículo de lançamento, que está previsto para julho ou agosto deste ano. Por enquanto, a pandemia do novo coronavírus ainda não afetou o cronograma, de acordo com a NASA. Se tudo correr como o previsto, o Perseverance chegará à cratera Jezero em 18 de fevereiro de 2021 para buscar sinais de vida microbiana que pode ter existido por lá no passado, e também estudará o clima e a geologia de Marte, além de coletar amostras que posteriormente serão trazidas à Terra. A missão também ajudará a abrir o caminho para a futura exploração presencial do ser humano no Planeta Vermelho. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

Estes são os preços de lançamento do Moto G Stylus e Moto G Power nos EUA

Estes são os preços de lançamento do Moto G Stylus e Moto G Power nos EUA

canaltech Conforme prometido durante o lançamento em fevereiro, os novos Moto G Stylus e G Power já estão em pré-venda no mercado norte-americano e estarão disponíveis a partir do dia 16 de abril. Os intermediários da Motorola manterão os preços inicialmente estipulados, ou seja, US$ 300 (R$ 1.578) para o modelo com caneta e US$ 250 (R$ 1.315) para a versão com mais bateria. OFICIAL! Motorola apresenta Moto G Power e G Stylus. Confira os preços Os dois smartphones seguem a mesma identidade visual e principais características da linha Moto G8. Ou seja, ambos acompanham o processador Snapdragon 665, tela de 6,4 polegadas IPS LCD, 4 GB de memória RAM e múltiplas câmeras. Como o próprio nome entrega, o foco do Moto G Stylus é a caneta capacitiva, que serve para você escrever e desenhar na tela. Além disso, ele é equipado com um conjunto triplo de câmeras e opções de 64 GB ou 128 GB de armazenamento. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O Moto G Power chegou ao Brasil como G8 Power (Foto: Canaltech) Já o "Power" do Moto G Power deve-se à sua bateria gigante de 5.000 mAh. Diferente do Stylus, as câmeras principal e ultrawide caem para 16 MP e 8 MP, respectivamente. A Motorola lançou o modelo no Brasil como Moto G8 Power, pelo preço sugerido de R$ 1.599. Brasil ainda não é mercado para o Moto G Stylus No último dia 5 de março, a Motorola trouxe novos dispositivos da família Moto G ao Brasil, mas, infelizmente, o Moto G Stylus ficou de fora. Na ocasião, havíamos questionado Thiago Masuchette, gerente de Produtos da companhia, sobre a possibilidade de trazer o modelo ao país futuramente. Segundo o executivo, não há intenção de lançá-lo por aqui no momento, pois o brasileiro não mostrou interesse em pagar um valor diferente para ter tal função. Especificações técnicas do Moto G Stylus: Tela: 6,4 polegadas IPS LCD, resolução Full HD+; Chipset: Snapdragon 665 octa-core; Memória RAM: 4 GB Armazenamento interno: 64 GB ou 128 GB de armazenamento; Câmera traseira: 48 MP (f/1.7) + 16 MP + 2 MP; Câmera frontal: 16 MP; Dimensões: 158.6 x 75.8 x 9.2 mm; Peso: 192g; Bateria: 4.000 mAh; Extras: entrada para fones de ouvido, sensor de digitais na traseira, resistente a respingos; Cores disponíveis: azul escuro; Sistema operacional: Android 10. Especificações técnicas do Moto G Power: Tela: 6,4 polegadas IPS LCD, resolução Full HD+; Chipset: Snapdragon 665 octa-core; Memória RAM: 4 GB Armazenamento interno: 64 GB de armazenamento; Câmera traseira: 16 MP (f/1.7) + 8 MP + 2 MP; Câmera frontal: 16 MP; Dimensões: 159.9 x 75.8 x 9.6 mm; Peso: 199g; Bateria: 5.000 mAh; Extras: entrada para fones de ouvido, sensor de digitais na traseira, resistente a respingos; Cores disponíveis: azul capri e branco prisma; Sistema operacional: Android 10.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

WhatsApp, Instagram e Facebook fora do ar: redes passam por instabilidade

WhatsApp, Instagram e Facebook fora do ar: redes passam por instabilidade

canaltech As plataformas do Facebook sofreram com instabilidade no começo da noite desta quarta-feira (1). Não é brincadeira do Dia da Mentira, infelizmente, é assunto sério. As reclamações começaram a surgir pouco antes das 18h (horário de Brasília) e afeta as três principais redes de Mark Zuckerberg: Facebook, Instagram e WhatsApp. Facebook libera modo escuro para desktop para mais usuários Os casos variam de usuário para usuário. De acordo com o termômetro do site DownDetector, os principais problemas são: recebimento de mensagens no WhatsApp (51%), e falha geral no Instagram (70%) e Facebook (48%). Mas tem gente que consegue acessar a linha do tempo de uma rede e não consegue publicar nada, enquanto outros não conseguem acessar nada. Carregamento de mídias também é um problema comum nos três aplicativos. Em contato com o Canaltech, a assessoria do Facebook confirmou que as redes da empresa estavam passando por problemas: “Hoje mais cedo, algumas pessoas podem ter tido problemas para visualizar imagens em nossos aplicativos devido a um erro de rede. Essa questão foi resolvida e os aplicativos estão funcionando normalmente." -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Gráficos de relatos de problemas nos apps do Facebook, com pico às 18h (Imagem: Reprodução/DownDetector) E você, ainda está com problema em alguns desses aplicativos? Conta pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19

Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19

canaltech Como tradicionalmente faz, o Ministério da Saúde compartilhou os últimos dados da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil. Hoje (1), até às 17h, foram totalizados 6.836 casos positivos para a COVID-19, o que representa um aumento superior a mais de mil e cem novos pacientes nas últimas 24 horas, de acordo com os dados oficiais. Segundo as informações compartilhadas individualmente pelas Secretarias Estaduais de Saúde, o número de óbitos aumentou de 201 para 240, o que representa 39 novas mortes em decorrência da virose causada pelo coronavírus. Ainda assim, a taxa de letalidade da doença no Brasil permanece em 3,5%, de acordo com as autoridades de saúde pública. Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Em 24h, Brasil registra mais de mil e cem novos casos de COVID-19 (Imagem: Reprodução/ Ministério da Saúde) Veja como fica o pulmão de um paciente com sintomas graves de COVID-19 Entre as regiões brasileiras, o Sudeste segue como epicentro da COVID-19, com 4.223 pacientes infectados pelo vírus, o que representa 62% dos casos no Brasil. Em segundo lugar está o Nordeste, com 1.007 casos confirmados, seguido pelo Sul (765 casos), Centro-Oeste (504) e Norte (337). -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Desde a chegada da COVID-19 no Brasil, o estado de São Paulo concentra a maioria dos casos da nova infecção, atualmente, com 2.981 pacientes e 164 óbitos. Outros dois estados que registram elevados números da COVID-19 são o Rio de Janeiro, com 832 casos e 28 óbitos; e o Ceará, que apresenta 444 casos e, até o momento, oito óbitos. Coronavírus: qual a diferença entre COVID-19, SARS e MERS? Além desses, os demais estados brasileiros já registram óbitos em decorrência do novo coronavírus: Pernambuco (8); Piauí (4); Rio Grande do Sul (4); Amazonas (3); Distrito Federal (3); Minas Gerais (3); Paraná (3); Bahia (2); Rio Grande do Norte (2); Santa Catarina (2); Alagoas (1); Goiás (1); Maranhão (1); Mato Grosso do Sul (1); Paraíba (1); Rondônia (1). Para manter a população informada sobre a evolução da doença no país, o Ministério da Saúde também atualiza a nova plataforma online sobre o novo coronavírus. Além de dados, esse painel traz análises como a evolução da COVID-19 com porcentagens, gráficos e sua distribuição pelo território. Para acessar, clique aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo EUA prevê mínimo de 100 mil mortos e projeta até 240 mil vítimas da COVID-19 Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Veja Mais

Galaxy Note 20+ surge em benchmark com Snapdragon 865 e 5G

Galaxy Note 20+ surge em benchmark com Snapdragon 865 e 5G

canaltech O vindouro Galaxy Note 20+ (nome não oficial) acaba de fazer sua estreia na plataforma de testes Geekbench, indicando uma performance superior ao Galaxy S20 Ultra. O protótipo, identificado como SM-N986U, mantém algumas características da linha S20, como processador da Qualcomm e tecnologia 5G. Suposta capa do Galaxy Note 20 sugere pouquíssimas mudanças no design do modelo Galaxy Note dobrável? Nova patente da Samsung indica que sim Resultados do suposto Galaxy Note 20+ 5G (Foto: Reprodução/Sam Mobile) Nos testes de núcleo único, o smartphone alcançou 985 pontos, enquanto a pontuação em múltiplos núcleos foi de 3220 pontos. Em comparação com o Galaxy S20 Ultra 5G, os resultados são levemente superiores, que alcançou 898 e 3195 pontos, respectivamente. A semelhança não é coincidência: o processador equipado no smartphone é o Snapdragon 865 5G, que deve embarcar as versões americana e chinesa da linha. Nas demais regiões, incluindo o Brasil, o chipset escolhido possivelmente será o Exynos 990 5G. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Como era de se esperar, o novo smartphone da Samsung deverá trazer o sistema operacional Android 10 de fábrica, sendo o primeiro modelo embarcado com a nova interface One UI 2.5. Outro detalhe revelado pelo benchmark é a quantidade de memória RAM: 8 GB. Com isso, é possível presumir que a Samsung anuncie mais de uma versão do modelo mais potente. Com todos os problemas e atrasos que as empresas vêm enfrentando por conta do novo coronavírus, o lançamento dos novos Galaxy Note 20 ainda é incerto. Entretanto, ao longo dos próximos meses ouviremos falar muito do próximo topo de linha da Samsung. Review completo do Galaxy S20 Ultra:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Veja Mais

Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams

Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams

canaltech Anunciada na semana passada, a integração de chamadas de aplicativos como o Zoom e Microsoft Teams começou a ser disponibilizada no serviço de bate-papo Slack. O anúncio foi recebido com certa surpresa, já que os três aplicativos são concorrentes diretos na categoria de comunicação para equipes com foco no mercado corporativo. Apesar de o Zoom ser dedicado a videoconferências, tanto o Teams quanto o Slack oferecem o recurso nativamente. Outro serviço popular de videochamadas, o WebEx, da Cisco, já podia ser utilizado a partir do Slack. Slack anuncia maior mudança 'da história' em seu layout; veja como fica Slack bate recorde de 12,5 milhões de usuários simultâneos em meio à COVID-19 Microsoft Teams registra 500% mais reuniões virtuais com surto do coronavírus Além do Zoom e do Teams, o Slack incluiu a integração de serviços de comunicação VoIP como o DialPad, Jabber e RingCentral. A compatibilidade com chamadas de áudio permite até fazer ligações para números de telefone direto do Slack. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- No caso do Teams, o serviço da Microsoft pode ser definido como o aplicativo padrão para chamadas, com atalho direto a partir do ícone de chamadas da equipe ou contato no app. Para habilitar a integração, é preciso primeiro instalar o app do Teams no canal do Slack e depois configurar a conta da Microsoft. Novidade é equivalente a poder abrir links do Chrome em janelas do Firefox (imagem: Slack) A novidade chega em um período em que as três plataformas tiveram um salto de uso, com milhões de pessoas trabalhando de suas casas em decorrência da COVID-19. No caso do Zoom, a popularidade do serviço teve até cenas inusitadas, com hackers invadindo as chamadas de vídeo para mostrar pornografia. O Slack relatou um aumento de 350% no uso do recurso de chamadas e se comprometeu a “facilitar que seus clientes usem as ferramentas que conhecem e amam dentro do Slack”, mesmo que sejam concorrentes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Veja Mais

Xiaomi comemora a venda de 100 milhões de vestíveis e dá pistas de novo aparelho

Xiaomi comemora a venda de 100 milhões de vestíveis e dá pistas de novo aparelho

canaltech Sucesso de mercado em vários países, a linha Mi Band parece ainda ter muita lenha para queimar. Em uma publicação na rede social Weibo, a Xiaomi deu pistas de uma nova geração ao mesmo tempo em que comemorou a marca de mais de 100 milhões de unidades vendas entre toda a sua vasta gama de wearables. A empresa citou números de um relatório da consultoria IDC para vestíveis inteligentes, cobrindo os anos de 2014 a 2019. A publicação deu pistas ainda de um novo dispositivo vestível da marca, com lançamento online na sexta-feira (3), às 3h. Seria a Mi Band 5? Mi Band 5 chegando: tudo o que já sabemos sobre a pulseira inteligente da Xiaomi Brasileiros estão mais interessados por wearables, mostra pesquisa Acredite: os dispositivos vestíveis vão mudar a sua maneira de trabalhar No ano passado, a IDC destacou os números da Mi Band em seu relatório referente ao terceiro trimestre de 2019. O aparelho teve mais de 10 milhões de unidades despachadas, com expansão das vendas na Europa, Oriente Médio e África. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mercado Para 2020, a expectativa da consultoria é de um crescimento para todo o segmento wearable de 9,4%. Apesar de o número ser positivo, representaria uma forte desaceleração na comparação com o crescimento de 89% registrado em 2019. É importante destacar que os números incluem a venda de fones de ouvido, os “hearables”, que compõem mais da metade do segmento de dispositivos vestíveis. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência

Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência

canaltech A partir desta quarta-feira (1), o Uber Eats passa a disponibilizar aos usuários a possibilidade de receber produtos de farmácia, pet shop e conveniência em casa. A princípio, a novidade está disponível apenas na cidade de São Paulo, com promessa de expansão para outras localidades na próxima semana. Uber Eats dará entrega grátis em pedidos de restaurantes locais Uber oferece assistência médica a motoristas e entregadores parceiros no Brasil Inicialmente, os usuários poderão fazer pedidos em farmácias da rede Pague Menos e unidades da Cobasi. Já na próxima segunda-feira (6), a iniciativa cobrirá também 30 lojas de conveniência Shell Select, da rede de postos Shell, com previsão para 100 unidades a partir da semana seguinte. Para ver os produtos, basta acessar procurar por "farmácias" na pesquisa (Foto: Canaltech/Diego Sousa) Em nota, o diretor-geral do Uber Eats no Brasil Fabio Plein afirmou que a empresa buscou parceiros que conseguissem atender a essa demanda de forma qualificada. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- "Para esse lançamento, buscamos parceiros que conseguissem oferecer esses novos produtos de uma maneira bastante estruturada e abrangente, de forma que conseguíssemos levar, em pouco tempo, essas vantagens para usuários de todas as regiões do Brasil", explicou. Atualmente, o Uber Eats atua em mais de 150 cidades, em todos os estados do país. Plano global A iniciativa de diversificação do Uber Eats faz parte de um plano global iniciado nesta semana. A medida segue os esforços da empresa de ajudar as pessoas afetadas pela pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), fornecendo entregas de diversas categorias para não causar a aglomeração de consumidores nos chamados "serviços essenciais", como mercados e farmácias. "Ao conectar nossos usuários a farmácias, lojas de conveniência e pet shops, que são serviços essenciais no dia a dia das cidades, nós estamos cumprindo o nosso propósito de nos tornarmos o sistema operacional da vida das pessoas", ressalta Plein. COVID-19 | Como fica o varejo? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Além do Brasil, o Uber Eats também anunciou as novas categorias na França, em uma parceria inédita com a rede francesa Carrefour, e também na Espanha, através da rede de lojas de conveniência Galp. Nos dois países, o número de mortos por COVID-19 já passa dos 10 mil. O Uber Eats está disponível gratuitamente para smartphones Android e iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Fitbit lança nova pulseira com GPS e sensor de oxigenação do sangue

Fitbit lança nova pulseira com GPS e sensor de oxigenação do sangue

canaltech A Fitbit atualizou sua linha de pulseiras inteligentes focadas em saúde. A empresa lançou nesta semana o Fitbit Charge 4, que traz as ferramentas de monitoramento corporal já típicas da série, mas com algumas novidades, como a adição de GPS. O novo dispositivo conta com app para controle do Spotify, notificações, sensor de oxigenação do sangue e geolocalização. Com o GPS, o aparelho também armazena informações de uma atividade. Ou seja, não é preciso levar o smartphone, uma vez que todos os dados podem ser descarregados depois de voltar para casa e acompanhados em tempo real no dispositivo.   O aparelho em si é bem parecido com o Charge 3 e isso é intencional, já que compartilham o mesmo modelo de pulseiras. Assim, caso o usuário já tenha algumas pulseiras do Charge 3 e queira atualizar apenas o aparelho, por aproveitar os acessórios. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Junto ao novo modelo, a companhia também lançou um app chamado Active Zone Minutes, o qual organiza todos os dados registrados. Ele mostra batimentos cardíacos, tempo de atividade e registro de sono. O Fitbit Charge 4 já está à venda por US$ 149, perto de R$ 770, nas cores violeta, azul e preto. Já o Charge 3 foi retirado de circulação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Rick and Morty | Segunda parte da 4ª temporada ganha trailer e data de estreia

Rick and Morty | Segunda parte da 4ª temporada ganha trailer e data de estreia

canaltech Entre novembro e dezembro de 2019 os fãs puderam desfrutar da estreia de apenas cinco episódios da quarta temporada de Rick and Morty. Depois disso, o Adult Swin deixou todo mundo esperando a segunda parte da temporada e não deu sequer previsão de quando os outros cinco episódios seriam lançados. Durante o seu especial de 1º de abril, o Adult Swim exibiu o curta Samurai & Shogun, em que podemos ver Rick como um samurai assassinando (com direito a muito sangue) e outros Ricks para defender um Morty Shogun. Aproveitando o momento, o canal divulgou a data de estreia dos demais episódios da 4ª temporada: 3 de maio de 2020. Chegou ao Brasil o Amazon Prime, maior concorrente mundial da Netflix. Teste grátis por 30 dias!   Além disso, o canal também liberou o trailer referente à segunda metade da temporada. Intitulada The Other Five (literalmente "Os Outros Cinco"), a prévia revela novas referências a animes, com Rick e Morty vestidos como mechas, e lutas com sabres de luz (Star Wars), além de muita ação e criaturas gosmentas. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.-   Ricky and Morty é renovado para mais 70 episódios e o multiverso está salvo Os 5 melhores animes originais da Netflix Vale lembrar ainda que, durante a pausa da temporada 4, Rick and Morty ainda causou alvoroço ao surpreender fãs durante o Super Bowl com uma propaganda da Pringles, em que a casa dos Smith é invadida por robôs da marca disfarçados como Morty.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Rumor | Facebook não quis investigar desinformação vinda de site norte-americano

Rumor | Facebook não quis investigar desinformação vinda de site norte-americano

canaltech “Facebook” e “transparência” são duas palavras que geralmente estão juntas em pautas mais espinhosas, e desta vez não é diferente: segundo uma reportagem veiculada pelo jornal norte-americano The New York Times, a rede social mais popular do mundo deliberadamente deixou de investigar uma suposta campanha de desinformação propagada por um site de notícias por temer represálias vindas do Partido Republicano do país. O Daily Wire é conhecido pelo público norte-americano por sua agenda pró-Trump e pró-conservadorismo, comumente veiculando notícias com um tom que favoreça o atual presidente dos Estados Unidos e seu partido. O site foi fundado pelo comentarista político, autor e ex-advogado Ben Shapiro, que atua como seu editor-chefe. Ben Shapiro, fundador e editor-chefe do Daily Wire, notório site pró-conservadorismo nos EUA (Imagem: Reprodução/Getty Images) De acordo com a reportagem do jornal, as equipes de segurança e relações políticas e governamentais (Public Affairs Policy) do Facebook se confrontaram entre novembro e dezembro de 2019. O time de segurança identificou uma série de mensagens coordenadas e publicações sem indicação de autoria por parte do Daily Wire — uma tática comumente associada a redes de desinformação e veiculação de fake news, segundo fontes do jornal que preferiram o anonimato. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- “Alguns membros do time de segurança queriam encomendar uma investigação de tais redes baseadas nos Estados Unidos”, diz um trecho da matéria. “Mas a equipe de relações políticas os desencorajaram, deixando claro que operações de influências externas são mais prioritárias que problemas domésticos”. Segundo uma pessoa ouvida pelo jornal e que participou de uma das reuniões, havia o receio do time político de que, ao abrir uma investigação contra o Daily Wire e outras redes, uma represália do Partido Republicano viria logo em seguida. Mark Zuckerberg tem, supostamente, relações próximas com figuras ilustres do conservadorismo norte-americano: jornal acusa o Facebook de não investigar rede de desinformação por temer represálias do Partido Republicano A situação não é confirmada pelo Facebook: seu chefe de cibersegurança, Nathaniel Gleicher, disse ao New York Times que “não se recorda” de nenhum confronto entre as equipes envolvidas, adicionando que a situação identificada pelo time de segurança não trazia as evidências mínimas que justificassem uma investigação aprofundada. “Nós tomamos nossas decisões com base no comportamento”, ele disse. “Sejam [os usuários] estrangeiros ou domésticos, a pergunta é ‘Eles estão mostrando esse comportamento de forma consistente?’”. A suspeita, porém, não vem sem motivo, haja vista que diversos relatos da imprensa americana, no passado, apontam que o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, por diversas ocasiões recebeu Ben Shapiro, fundador do Daily Wire; e outros proeminentes nomes do conservadorismo norte-americano em festas e jantares oferecidos por ele ou pela rede social. O Daily Wire foi procurado pelo New York Times, mas não comentou o caso. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Veja Mais

Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020

Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020

canaltech Março trouxe consigo resquícios da alegria e folia do Carnaval e isso é surpreendente se levarmos em conta a realidade atual. A pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) está forçando o mundo inteiro mudar seus hábitos e as pessoas a permanecerem dentro de casa para evitar o contágio. Felizmente, é possível aliviar a barra do distanciamento social curtindo filmes e séries com toda a família nos mais variados serviços de streaming e vídeo sob demanda disponíveis online. Uma das plataformas que mais se destaca nesse sentido é o Amazon Prime Video, que vem se destacando da concorrência por apostar mais em blockbusters hollywoodianos e disponibilizar produções originais de qualidade. Para você que é assinante, os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 incluem mais um filme do acordo estabelecido pelo serviço com a Disney e o Marvel Studios, isso sem falar em uma nova série original dos gêneros drama e ficção científica e outra atração de suspense sobrenatural. Por falar nisso, também tem filme que promete deixar muito marmanjo de calças borradas e a nova temporada de uma das séries mais aclamadas quando o assunto é zumbis. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 10 filmes para assistir na Netflix durante a quarentena 10 filmes para assistir no Amazon Prime Video durante o isolamento Confira a seguir as indicações do Canaltech do que assistir no Amazon Prime Video neste mês de abril de 2020 e, logo na sequência, veja a lista completa dos filmes e séries que chegarão ao catálogo do serviço. Ainda não é assinante do Prime Video? Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Guardiões da Galáxia Vol. 2 (01/04)   Se Guardiões da Galáxia foi bem-sucedido por ser um filme despretensioso e apostar na galhofa para apresentar um grupo de heróis desconhecidos pela maioria dos fãs do Marvel Studios, Guardiões da Galáxia Vol. 2 deu continuidade à fórmula e se deu ao "luxo" de agora poder aprofundar seus personagens em uma nova trama sobre quem realmente é o pai de Peter Quill. Apesar do sucesso estrondoso que foi Vingadores: Ultimato e toda a Saga do Infinito nas telonas, é possível que você tenha deixado passar batido os filmes dos Guardiões da Galáxia. Agora que estamos todos dentro de casa, talvez esta seja a oportunidade perfeita para assisti-lo. Guardiões da Galáxia Vol. 2 estreia no Amazon Prime Video dia 1º de abril de 2020. O primeiro filme dos heróis já está disponível no serviço. Tales from the Loop: Temporada 1 (03/04)   O Amazon Studios pode não ter tantas produções originais quanto a Netflix, mas é inegável que o braço cinematográfico da gigante do varejo vem entregando trabalhos de muita qualidade. O mais novo deles é a série dramática de ficção científica Tales from the Loop. Com produção executiva de Matt Reeves (diretor de The Batman), a série antológica adapta o trabalho adapta a obra do artista sueco Simon Stålenhag, especialista em pinturas digitais futuristas, e mostra as vidas e aventuras de pessoas que vivem acima do Loop, uma máquina construída para desbloquear e explorar os mistérios do universo, transformando em realidade o que antes fazia parte apenas do imaginário e da ficção científica. A temporada 1 de Tales from the Loop estreia no catálogo do Amazon Prime Video no dia 3 de abril de 2020. Crime sem Saída (03/04)   Tem muita gente que só conhece Chadwick Boseman pelo papel de Pantera Negra, mas vamos te contar um segredo: ele tem outros filmes bem bacanas na carreira. Mais recentemente, o ator vem apostando em produções policiais quando sai de Wakanda e mostrando várias facetas diferentes. Em Crime sem Saída, ele interpreta Andre Davis, um policial que tem fama de matar criminosos. Com ele não tem conversa fiada: se o sujeito bobear, é eliminado. Por isso corregedoria está questionando Davis e seus métodos, tentando deixá-lo na geladeira o máximo possível. Mas o jogo vira quando um grupo de bandidos executa sete policiais e a polícia precisa de alguém para dar um "jeito" no caso. Crime sem Saída entra para o catálogo do Amazon Prime Video no dia 3 de abril de 2020. The Walking Dead: Temporada 9 (07/04)   Tem gente que abandonou The Walking Dead quando a atração começou a mostrar os primeiros sinais de saturação. Porém, quem aguentou firme e forte e seguiu assistindo aos episódios viu o seriado ressurgir dos mortos (desculpem a piada) depois que Angela Kang assumiu como showrunner na nona temporada. Prova disso é que a temporada 9 é considerada uma das melhores de The Walking Dead e a que cujo desfecho foi classificado como o melhor dos últimos tempos. Se você vem acompanhando o seriado pelos serviços de streaming, eis a oportunidade perfeita para maratonar e contemplar sua redenção; se você abandonou, considere retornar. Garantimos que vai valer a pena. A temporada 9 de The Walking Dead estará disponível para os assinantes do Amazon Prime Video a partir do dia 7 de abril de 2020. A Batalha das Correntes (17/04)   A história da eletricidade ganhou contornos de campo de batalha no século XIX quando Thomas Edison entrou em atrito com George Westinghouse para determinar qual seria a melhor forma de popularizar a energia elétrica: corrente contínua, defendida por Edison; ou corrente alternada, defendida por Westinghouse e Nikola Tesla? Apesar da disputa ser extremamente técnica, o que chama a atenção em A Batalha das Correntes é como ele consegue reconstituir aquela época e como o elenco, que conta com Benedict Cumberbatch e Michael Shannon, está impecável ao dar vida a personalidades históricas. A Batalha das Correntes chega ao Prime Video no dia 17 de abril de 2020. NOS4A2: Temporada 1 (21/04)   Se você é desses que gosta de suspenses sobrenaturais, prepare-se para tremer na base com NOS4A2 (Nosferatu). Produzida pela AMC, a atração é baseada no livro de Joe Hill, filho do conhecidíssimo Stephen King, e já chamou a atração da crítica, que a classificou como "distinta". Com Zachary Quinto no protagonismo, a atração segue a vida da jovem Vic McQueen, que descobre ter o poder de desbloquear portais que a ajudam a encontrar objetos perdidos. Porém, à medida que ela se aprofunda nesse universo oculto, descobre outros "viajantes" que têm poderes parecidos com os dela, mas alguns os utilizam para o mal. É justamente nessa onda de descobertas que ela acaba esbarrando com Charlie Manx, um imortal que se alimenta das almas de crianças. A primeira temporada de NOS4A2 estreia no catálogo do Prime Video no dia 21 de abril. Medo Profundo: O Segundo Ataque (30/04)   Sai da frente que lá vem o tubarão! Se você morre de medo desse bicho, mas ainda assim gosta de filmes que tem ele como protagonista, Medo Profundo: O Segundo Ataque está aí para fazer você se borrar. Leia também: Crítica | Medo Profundo: O Segundo Ataque incha como bicarbonato de sódio Leia também: 10 filmes de tubarão que vão fazer você se borrar de medo No filme, um grupo de cinco amigas viaja para o Recife para conhecer as ruínas de uma cidade subaquática no litoral da cidade. No entanto, durante o passeio pelo fundo do mar, elas descobrem que não estão sozinhas e os verdadeiros "moradores" do lugar não estão muito contentes em receber visitas. Vista sua roupa de mergulho e prepare-se! Medo Profundo: O Segundo Ataque chega ao Amazon Prime Video no dia 30 de abril de 2020. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Lista completa de lançamentos no Amazon Prime Video em abril de 2020 01/04 Guardiões da Galáxia Vol. 2 Rambo IV 03/04 Tales from the Loop: Temporada 1 Crime sem Saída Mayabazaar 2016 Shikara 07/04 The Walking Dead: Temporada 9 09/04 Zoe Coombs Marr - Bossy Bottom: Temporada 1 10/04 Celia Pacquola - All Talk: Temporada 1 O Herdeiro das Drogas 12/04 Guadalupe Reyes Sufna 14/04 Homens?: Temporada 2 15/04 Super Store: Temporadas 1 a 4 Cidadão K 16/04 Four More Shots Please!: Temporada 2 17/04 Selah and the Spades A Batalha das Correntes 21/04 NOS4A2: Temporada 1 23/04 Dilruk Jayasinha - Bundle of Joy: Temporada 1 Jexi - Um Celular Sem Filtro 27/04 Maria Madalena 30/04 Os 3 Infernais Medo Profundo: O Segundo Ataque Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Apple Music poderá compartilhar músicas nos Stories de Instagram e Facebook

Apple Music poderá compartilhar músicas nos Stories de Instagram e Facebook

canaltech Na última terça-feira (31), a Apple liberou a atualização 13.4.5 do iOS e iPadOS para desenvolvedores, e um dos novos recursos presentes na versão permitirá o compartilhamento de músicas do app do Apple Music para os Stories do Instagram e Facebook. Problemas com o Apple Music? Pergunte à Apple no Twitter! Rumor | Novo Apple TV e HomePod 2 chegarão em 2020, apesar do novo coronavírus A novidade foi divulgada no Twitter ontem mesmo por um desenvolvedor português. No app de músicas, há a opção "Share" (compartilhamento, em tradução livre), na qual será possível escolher entre os ícones do Facebook e Instagram. Basicamente, o processo do Apple Music funciona da mesma forma que o Spotify em smartphones, por meio do qual você poderá compartilhar músicas, playlists e álbuns. Toda a ação leva alguns segundos para se confirmada — o que deve ser resultado de bugs da versão de teste. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Saiu o primeiro beta do iOS 13.4.5! E agora você pode compartilhar músicas (além de álbuns e playlists) para as stories do Instagram e Facebook!! pic.twitter.com/hnYBuoV0Jt — Jota Melo (@Jota) March 31, 2020 Ainda não há uma data de lançamento prevista da versão 13.4.5 do iOS e iPadOS para os usuários finais. No entanto, vale lembrar que a Apple deve lançar o novo iPhone 9 (SE 2) em algum momento de abril, logo é possível que uma nova versão do software esteja disponível com a novidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Zack Snyder responde a críticas sobre "momento Martha" em Batman vs Superman

Zack Snyder responde a críticas sobre

canaltech Batman vs Superman: A Origem da Justiça ainda é fonte de polêmicas, sobretudo pela cena sobre Martha. Durante uma live na plataforma Vero, o diretor Zack Snyder respondeu algumas das principais críticas que vêm sendo feitas desde o lançamento do filme em 2016. Em Batman vs Superman, Batman está com suas questões morais abaladas, o que o conduziu a uma série de ações pelas quais pode ser visto como um assassino. O “momento de Martha”, como ficou conhecida a sequência em que Batman e Superman se identificam por ter mães com o mesmo nome, foi amplamente criticada e até mesmo ridicularizada pelos fãs.   Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Segundo Snyder, essa foi uma oportunidade para Bruce se reconectar com sua própria humanidade, o que ocorre justamente em um momento em que ele nega a humanidade do Superman. Com isso em mente, Batman não desiste de acabar com o Superman porque ambos são filhos de uma Martha, mas justamente por reconhecer a humanidade do homem de aço e reencontrar a sua própria a partir dessa identificação. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.-   A queda da torre Wayne também não foi bem recebida, sobretudo pelo público estadunidense, pela clara referência à queda das Torres Gêmeas no trágico evento do dia 11 de setembro. Snyder explicou que a referência foi proposital para indicar a profundidade do trauma causado em Bruce Wayne. Os espectadores questionaram também o fato de Batman usar uma lança de criptonita para lutar contra o Superman, ignorando todas as possibilidades de armas que ele poderia ter construído com o uso da tecnologia. Snyder explicou que a lança é “obviamente” uma referência à arma utilizada contra Jesus Cristo. Por ser uma algo bastante primitivo, a ideia era transmitir que Batman tinha intenções pessoais, algo como matar Superman com as próprias mãos, evitando armas de fogo que tendem a ser mais impessoais nesses casos. The Batman | Ben Affleck explica por que desistiu do filme solo do homem-morcego 6 filmes de quadrinhos que mereciam ganhar o Oscar Ao final da live, o diretor disse que tem interesse em uma sequência, pois gostaria de ver o desenvolvimento dos personagens. Agora, no entanto, The Batman está nas mãos Matt Reeves e, com Ben Affleck traumatizado o suficiente para não querer voltar ao Universo DC, os personagens devem tomar um rumo bastante diferente dos interesses de Snyder. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros TIM, Vivo e Oi permitem troca de chip remota na pandemia do novo coronavírus Veja Mais

Sem coronavírus: em quais territórios a COVID-19 não chegou?

Sem coronavírus: em quais territórios a COVID-19 não chegou?

canaltech Com mais de 50 mil mortes e a menos de 20 mil casos para chegar na marca de um milhão de infectados pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) no mundo, segundo os dados da Universidade Johns Hopkins, será que ainda existem países e territórios que não registraram casos da COVID-19? A resposta é sim! Mas, onde estão essas nações? Como se comportam e o que fazem para se proteger? De acordo com os números da Organização Mundial da Saúde, a COVID-19 já foi detectada em, pelo menos, 180 países e territórios. No entanto, cerca de 40 locais, espalhados pelo globo, ainda não registraram nenhuma infecção, ao menos oficialmente. Por conta do isolamento, Antártida é o único continente do mundo a não registrar casos da COVID-19 até agora (Foto: Reprodução/ Getty Images)   Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Baixa circulação O coronavírus tem "ganhado" o mundo a partir da circulação de pessoas, principalmente assintomáticas, que transmitem o patógeno. É por isso que muitos países levantaram barreiras contra a chegada de estrangeiros, como muitas nações da Europa fecharam seus aeroportos. Então, países com baixíssima circulação de pessoas encontram uma vantagem nessa característica durante a pandemia.  -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- São os casos de ilhas remotas, com populações pequenas e baixo fluxo de viajantes (mesmo sendo considerados destinos turísticos, mas para poucos), como Samoa e as ilhas Marshall, na Oceania; a Micronésia, no Pacífico Ocidental; e Santa Helena, no Atlântico Sul. O estado da Polinésia, Tuvalu, por exemplo, que é formado por um arquipélago, tem menos de 15 mil habitantes e nenhum caso oficial de COVID-19. A Antártida é o único continente inteiramente livre do novo coronavírus. Isso porque além seu isolamento geográfico gélido do resto do mundo, a Antártida é muito pouco povoada, com uma presença uma humana restrita, formada principalmente por pesquisadores internacionais. Quanto tempo pode durar a pandemia da COVID-19? Lei do silêncio Já em alguns outros lugares do globo, a situação é um pouco mais complicada para explicar a inexistência de casos. Com um dos regimes mais repressivos do mundo, o Turcomenistão proibiu a palavra "coronavírus". Isso significa que desde o momento em que a palavra não mais existe, é impossível diagnosticar a doença pelo que de fato é, e nenhum caso deve ser registrado, ao menos oficialmente.  Da mesma forma, há suspeitas sobre ausência de informações oficiais sobre pacientes confirmados da Coreia do Norte. Cercado por alguns dos países mais afetados, como a China, onde a pandemia começou, é muito difícil que não exista nenhum caso da COVID-19 no território.   Veja como fica o pulmão de um paciente com sintomas graves de COVID-19 Guerra civil Em pleno Oriente Médio, a situação do Iêmen chama atenção. A região está em guerra, o que faz dos testes para a COVID-19 e eventuais registros de casos uma tarefa quase impossível. No entanto, isso só a exclui dos casos oficiais, porque é próxima ao Irã, por exemplo, um país que registra mais de 50 mil casos do novo coronavírus. Também é importante lembrar que o Iêmen faz divisa com a Arábia Saudita (atualmente em guerra contra os rebeldes houthis no Iêmen) que, por sua vez, registra mais de 1.800 casos da infecção.   Outro fator a ser considerado é a disponibilidade de testes para a checagem de casos. Alguns países africanos, como Lesoto e Malauí, não relatam casos confirmados da doença até agora, mas essa aparente resistência ao coronavírus pode ser simplesmente explicada pela ausência de testagem. Adianta usar máscaras para se proteger contra o coronavírus? Livres da COVID-19? A seguir, confira uma lista de nações e territórios que ainda confirmaram casos da COVID-19: Samoa Americana; Macau; Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul; Antártida; Malauí; Sudão do Sul; Países Baixos Caribenhos; Ilhas Marshall; Ilhas Spratly; Ilha Bouvet; Micronésia; Svalbard e Jan Mayen; Território Britânico do Oceano Índico; Nauru; Tadjiquistão; Ilha Christmas; Ilhas Cocos (Keeling); Ilha Norfolk; Tonga; Comores; Coreia do Norte; Turcomenistão; Ilhas Cook; Palau; Tuvalu; Ilhas Malvinas; Ilhas Pitcairn; Santa Helena; Vanuatu; Ilha Heard e Ilhas McDonald; Saint-Pierre e Miquelon; Wallis e Futuna; Kiribati; Samoa; Lesoto; Ilhas Salomão; e Iêmen. No entanto, vale ficarmos atentos, porque essa situação pode mudar a qualquer momento. Ontem (1), três novos países relataram os primeiros casos do novo coronavírus em seus territórios, segundo a OMS. Foram eles: Botsuana, Burundi e Serra Leoa, todos no continente africano.  Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Suposto Galaxy A21s aparece no GeekBench com processador inédito Veja Mais

Governo convoca profissionais de saúde e até veterinários para conter COVID-19

Governo convoca profissionais de saúde e até veterinários para conter COVID-19

canaltech Para ajudar nos atendimentos do Sistema Único de Saúde (SUS) durante a pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o Ministério da Saúde publicou, hoje (2), no Diário Oficial da União, uma portaria que permite o cadastro de profissionais de 14 diferentes categorias para o auxílio da crise epidemiológica. A ação se estende às áreas de serviço social, biologia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia e terapia ocupacional, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, psicologia e técnicos em radiologia. A partir da Portaria nº 639/2020 assinada pelo Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, é instituída a ação estratégica "O Brasil Conta Comigo - Profissionais da Saúde" que estimula o cadastramento, feito via internet, desses profissionais.   -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Governo convoca profissionais da Saúde para cadastro nacional contra a COVID-19 (Foto: Phalinn Ooi/Flickr) Quanto tempo pode durar a pandemia da COVID-19? Como funciona? Após o preenchimento do formulário online, os profissionais que se voluntariarem poderão receber um link de acesso aos cursos de capacitação para que assim sejam aptos a trabalharem no SUS e auxiliarem a população brasileira no combate à COVID-19. Com a medida, então, o governo procura criar um cadastro geral de profissionais habilitados que poderá ser consultado por gestores federais, estaduais, distritais e municipais do SUS, em caso de necessidade frente aos desdobramentos da doença no país. Para esse cadastramento em massa, que segundo Mandetta não é compulsório, os conselhos nas áreas da saúde deverão enviar ao Ministério da Saúde os dados dos seus profissionais. Depois, o Ministério da Saúde identificará e informará aos conselhos os respectivos profissionais que não preencheram o cadastro ou que não concluíram os cursos. Coronavírus: qual a diferença entre COVID-19, SARS e MERS? Conselhos Federais Em comunicado para os seus profissionais, o Conselho Federal de Odontologia (CFO), escreve sobre a portaria: "O documento trata de criação de cadastro de profissionais da área de saúde e ação de capacitação para o enfrentamento à pandemia do coronavírus". Já o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), em nota, explica que forneceu o cadastro de 140 mil médicos-veterinários brasileiros que, em caráter emergencial, poderão ser recrutados para trabalhar. “É um contingente qualificado de profissionais de Saúde Única à disposição do Ministério da Saúde para auxiliar no que for necessário, com capacitação para cuidar da saúde animal, humana e do meio ambiente, e vasto conhecimento sanitário para ajudar o país a superar essa pandemia”, afirma o presidente do CFMV, o médico-veterinário Francisco Cavalcanti Veja como fica o pulmão de um paciente com sintomas graves de COVID-19 Coletiva de imprensa Durante esta quinta-feira (2), grupos e associações médicas discutiram sobre a obrigatoriedade ou não do cadastro de todos os profissionais. De acordo com o Ministro Mandetta, em live transmitida pelas redes sociais, o cadastro não se trata de uma convocação compulsória e nem de uma obrigação, mas demonstra uma preocupação das autoridades de saúde com a questão de recursos humanos da área. "Se você é médico, enfermeiro,  psicólogo, fisioterapeuta, essas profissões que são da Saúde, se você entende que pode sair da sua cidade para ir atender em outra cidade, a qualquer momento (...). Se você entende que está apto a fazer, o Ministério da Saúde vai saber que você, em um determinado lugar, num determinado momento, pode fazer parte de uma força-tarefa para pontualmente entrar num lugar, ajudar a organizar", esclarece o Ministro. "Estou dizendo isso para quem quer, quem quer enfrentar. Ponto", conclui Mandetta.  Para acessar a página oficial do cadastro, clique aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Máscaras caseiras de pano são mesmo eficientes contra o coronavírus? Veja Mais

Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19?

Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19?

canaltech Era dia 26 de fevereiro, quase dois meses após os casos iniciais da COVID-19 aparecerem na China, quando o Ministério da Saúde confirmou o primeiro caso do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil e, por consequência, o primeiro da América Latina. O portador número um era um homem, de 61 anos, morador da cidade São Paulo, que acabara de chegar da Itália, onde contraiu a infeção.  Pouco mais de 30 dias após a primeira notificação da doença respiratória no Brasil, o mundo parece ter dado uma volta de 180 graus e virado de cabeça para baixo. O paciente número um da América Latina fui curado e voltou às suas atividades habituais. A China, primeiro epicentro do novo coronavírus, também: o país asiático chegou a zerar, por um tempo, novos casos locais da doença e, agora, monitora-os individualmente.  Dimensionar o real tamanho da pandemia da COVID-19 no país é importante para traçar as melhores políticas públicas de contenção Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Enquanto isso, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a situação da COVID-19 como uma pandemia — quando todos os países do globo são afetados pela virose — no dia 10 de março. Nesse meio tempo, a Europa, com especial destaque para a Itália e a Espanha, se tornou o novo epicentro do coronavírus, sendo logo substituída pelos Estados Unidos e seus mais de 200 mil casos registrados da doença. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Brasil em números Segundo dados do Ministério da Saúde, nesta quarta (1), o Brasil registra 6.836 casos confirmados para a COVID-19 e 240 óbitos em decorrência da infecção. Semana passada (ou quando se completaram os 30 dias corridos), até o dia 25 de março, eram 2.433 casos e 57 óbitos. Enquanto isso, na semana retrasada, até o dia 18, eram apenas 428 casos e somente quatro óbitos. É um fato: a média brasileira cresce exponencialmente nos números oficias.  Quando esses dados gerais da infecção no Brasil são comparados com os de outros países (igual é possível analisar nos gráficos abaixo), os 30 primeiros dias brasileiros desde o primeiro caso parecem preocupantes. Aqui, vale a observação:  poucos países, além da China (e o Brasil), tomaram medidas como isolamento social em massa antes de completarem o primeiro mês da pandemia. Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro registro até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Casos e óbitos desde o primeiro caso até esta semana (Canaltech) Nesse mesmo intervalo de tempo, na Europa, a Alemanha chegou a 16 casos e nenhuma morte, sendo que hoje tem mais de 61 mil caos e 583 óbitos. A Itália registrou 650 casos e nenhuma morte e, atualmente, enfrenta mais de 80 mil casos e mais de oito mil mortes. A Espanha teve somente 32 casos e, agora, encara mais de 64 mil casos e mais de quatro mil mortos. Já a Inglaterra estava com apenas 20 casos, isso em contraponto aos seus mais de 14 mil casos e mais de 700 óbitos atuais.   Ainda no continente asiático, é difícil comparar a situação da China, já que a própria OMS só passou a notificar os casos do país quando a COVID-19 já se manifestava em mais de 270 pacientes. No entanto, a Coreia do Sul chegou ao fim do primeiro mês com apenas 30 casos confirmados e, hoje, tem aproximados 10 mil casos ao lado de pouco mais de 150 óbitos. O Japão tinha 59 casos e uma morte, em contraposição a mais de 18.866 casos e 54 mortes, no dia 30 de março. Quanto tempo pode durar a pandemia da COVID-19? Brasil no divã Embora sejam importantes as comparações entre países, ainda mais porque os casos da COVID-19 foram registrados mais tarde no Brasil, elas não podem ser consideradas como verdades absolutas. “A questão é que [esses dados] dependem muito do que cada país estava fazendo. Se todos seguissem o mesmo critério de notificação, se todos tivessem o mesmo acesso ao teste, se todos tivessem feito uma busca ativa de casos, você poderia comparar”, explica Ana Freitas Ribeiro, médica sanitarista do Instituto de Infectologia Emilio Ribas, em São Paulo. Professora da Faculdade de Medicina Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) e epidemiologista, Ribeiro esclarece: “A vigilância dos países não são semelhantes, então é difícil comparar coisas que são diferentes. Países que, por exemplo, identificam casos leves e os notificam... é diferente de países que detectam somente os graves, como o Brasil”. Para se dimensionar o tamanho real do novo coronavírus no Brasil, é preciso saber se ao menos todos os casos graves — aqueles que devem representar cerca 20% dos infectados — estão notificados. De acordo com a professora, “não sabemos”, porque os diagnósticos não chegam no tempo necessário.   “O que o Ministério [da Saúde] está divulgando, que são os casos confirmados, são os casos que têm exames já processados. Temos um volume de pessoas internadas e até que já morreram sem o diagnóstico, então são vários gargalos [problemas nesse levantamento de dados], o que dificulta a análise dos gráficos”, afirma a epidemiologista. Com essa janela entre os exames sem disgnóstico e as estatísticas oficiais, que só incluem casos confirmados, é complexo traçar um panorama da real situação. Segundo a médica, "exames têm mais ou menos 15 dias de atraso no Adolfo Lutz [instituto responsável, no estado de São Paulo, pelas análises clínicas das amostras]" para a obtenção dos resultados. Seria esse o atraso da realidade, pelo menos nos hospitais públicos, segundo a especialista. Algumas estimativas, alegam que já são mais de 60 mil casos da COVID-19 no Brasil (Foto: Mark Schiefelbein/ AP) Veja como fica o pulmão de um paciente com sintomas graves de COVID-19 Em outras palavras, a situação divulgada como oficial pode representar, na verdade, a situação de duas semanas atrás, ou seja, os 15 dias em que se leva para a confirmação ou não de um caso. Mesmo assim é possível saber que “não estamos na descendência da curva, é uma curva ascendente. Obviamente, o Brasil é um país imenso, então a situação epidemiológica não vai ser igual em todos os locais”, comenta a médica sanitarista, destacando as situações de São Paulo e do Rio Janeiro. “Cada cidade teria que monitorar a sua curva e ver se essas medidas [como isolamento social] estão impactando, mas para isso, de antemão, é preciso começar a ter testes para os pacientes que estão aguardando, e testar mais pessoas com síndrome gripal”, defende Ribeiro. Para ela, o controle da pandemia está diretamente ligado ao aumento do número de testes realizados e à eficiente divulgação dos resultados. Para exemplificar a dificuldade de metrificar a situação, o estado e São Paulo parou por 15 dias e o fim dessa quarentena inicial está previsto para a próxima segunda-feira (6). Entretanto, nesses 15 dias de isolamento, apareceram nos hospitais aqueles doentes (assintomáticos ou não) que estavam andando pelas ruas 15 dias atrás. Isso porque, como pontua Ribeiro, "os casos graves ocorrem oito dias depois do início dos sintomas", ou seja, as pessoas que adoeceram nessa janela já estavam com o vírus, em um período de incubação. Então, apenas nos próximos 15 dias essa medida poderá gerar impacto. Abrindo caminhos para a área, a epidemiologista afirma que é possível estimar a situação da população brasileira, frente ao novo coronavírus, a partir da coletagem de amostras de uma parte dessas pessoas, concentradas em uma região específica, e traçar os próximos passos, principalmente, tendo em mente o controle da pandemia. Nesse sentido, quando os lotes de exames para a COVID-19 chegarem e forem ampliados para casos leves e pessoas que tiveram contato com infectados, a situação poderá ser melhor medida. “Se um percentual grande da população tiver tido [a infecção pelo coronavírus], quando você tem isolamento social reduzido, a tendência é não ter novas epidemias. Se a população, estiver na maioria suscetível, quando você volta [da quarentena], há a chance de ter outra curva ascendente, mas isso também depende de testes. Vamos precisar mesmo dessa capacidade bem melhor de testes”, adianta Ribeiro. No Brasil e no mundo   Se formos comparar a situação do Brasil com algum outro país, para a epidemiologista, isso é possível com a Itália e a Espanha, porque “são países que também estão detectando os casos graves. A única diferença é que tem muita gente que está em isolamento social [no Brasil], que pode levar uma redução da [nossa] curva”, quando comparados os números. Somente na Espanha foram registradas 849 mortes por COVID-19 em 24 horas — e a pandemia continua em ascensão no país. Além disso, é problemático ter como referência a China e o seu período de “resolução” da pandemia em seu território para a médica sanitarista: “A China estabeleceu um distanciamento de uma província inteira [Hubei, onde está localizado o primeiro epicentro do mundo, a cidade de Wuhan], já no dia 23 de janeiro, menos de um mês após serem relatados os primeiros casos. Todos os países que tiverem menos condições de fazer essas medidas tão radicais de distanciamento social terão uma taxa de infecção maior”, comenta. “Nessa pandemia, o que temos visto é que quem não tomar as medidas de afastamento, terá milhões de óbitos como previsão. E se tomar as medidas [de isolamento], serão milhares de óbitos, como aconteceu na China — onde foram três mil óbitos”, alerta a professora. Para Ribeiro, “temos sim condições de evitar grandes números, como fizeram a Coreia do Sul e a Alemanha, que têm uma letalidade muito baixa. Temos algumas experiências: no caso da China, que fez um isolamento social importante; e outros países, que abordaram a questão da testagem rápida amplamente distribuída”. Isso significa que existem duas formas de conter os avanços da COVID-19, seja por meio do isolamento rigoroso ou pela testagem em massa, inclusive dos assintomáticos que podem transmitir o coronavírus, seguida de isolamento apenas dos confirmados. Fica o alerta: se voltarmos a circular nas ruas devido a uma queda dos índices de novos casos da COVID-19, é preciso entendermos o que levou a essa diminuição. Segundo Ribeiro, isso é essencial para que as autoridades de saúde não fiquem no escuro. “A partir do momento que você tem um aumento da capacidade de testes, as decisões serão melhores tomadas”, conclui a professora. Coronavírus: qual a diferença entre COVID-19, SARS e MERS? Subnotificações? Falta de testes? Para entender a real dimensão da COVID-19 no Brasil, novas inciativas e pesquisas são feitas, diariamente, inclusive lá fora. É o caso do Centro para Modelagem Matemática de Doenças Infecciosas da London School of Tropical Medicine, do Reino Unido. A partir de suas pesquisas, foram organizadas estimativas da subnotificação da COVID-19 para vários países e, entre eles, o levantamento mostra que, no Brasil, apenas 11% do total de casos foram diagnosticados. Isso significa que devemos ter cerca de 62 mil casos no país. Já o Rio Grande do Sul começa um estudo inédito no país, a partir de amostragens epidemiológicas sequenciais, o que deve indicar os reais índices da COVID-19 pelas diferentes regiões do estado, inclusive dos casos que não apresentam sintomas. Com essa testagem amostral na população, deve ser possível identificar focos e fazer políticas de contenção social mais acertadas.  Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

Como transformar suas fotos em obras de arte com o Google Arts & Culture

Como transformar suas fotos em obras de arte com o Google Arts & Culture

canaltech O Google lançou nesta quinta-feira (2) a ferramenta Art Transfer para o aplicativo Arts & Culture. Ela permite que você transforme uma foto sua ou de qualquer outra pessoa em artes baseadas no estilo de alguns dos artistas mais influentes da história, como Vincent Van Gogh, Andy Warhol e Edvard Munch. Agora você pode ver online mais de 100 mil obras de arte de museus franceses Ao todo, são 23 obras de arte clássicas disponíveis para combinar. O produto da sua criação pode ser compartilhado nas redes sociais de duas formas: imagem estática ou GIF — esta última oferecendo uma espécie de “antes e depois da transformação”. Art Transfer transforma qualquer foto em obra de arte (Foto: Divulgação/Google) Segundo a empresa, a ferramenta usa um algoritmo de inteligência artificial (IA) que mistura o estilo artístico escolhido à sua imagem. Ela é bem similar ao que já vimos no site AI Portraits Ars, que virou moda na internet em 2019, mas o Google afirma que não usa predefinição ou sobreposição de imagem, o que deixa o resultado mais realista. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- O Art Transfer é mais uma maneira divertida do Arts & Culture para ensinar mais sobre diversos tipos de arte. Para aprender a transformar suas fotos em obras consagradas, confira nosso tutorial abaixo e se divirta com cultura: Como transformar sua foto em obra de arte no Arts & Culture Passo 1: baixe Arts & Culture para smartphones Android e iOS; Passo 2: na tela inicial, toque no ícone de câmera, localizada no centro inferior; Esquerda: Arts & Culture para iPhone / Direita: Arts & Culture para Android (Foto: Diego Sousa) Passo 3: no Menu de opções, clique em “Art Transfer”; Ferramenta também está disponível para iOS (Foto: Diego Sousa) Passo 4: a interface de câmera do Arts & Culture permite acessar a galeria ou tirar uma foto. Escolha a opção desejada; Pode tirar selfies ou escolher uma foto da galeria (Foto: Diego Sousa) Passo 5: após escolher a foto, basta escolher entre as obras de arte disponíveis. No ícone de tesoura, é possível desenhar uma forma para adicionar o estilo a uma área selecionada; São mais de 20 estilos de obras disponíveis (Foto: Diego Sousa) Passo 6: escolha entre foto ou GIF e clique em “Compartilhar”; Passo 7: você pode escolher salvar a foto no seu dispositivo ou compartilhá-la imediatamente. É possível compartilhar imediadamente nas redes sociais (Foto: Diego Sousa) Agrora, conta para a gente: qual obra de arte combinou mais você? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

Samsung invoca BTS para aumentar a popularidade do Galaxy S20 (e funciona)

Samsung invoca BTS para aumentar a popularidade do Galaxy S20 (e funciona)

canaltech Nada como colar sua imagem no grupo musical mais famoso da atualidade. A Samsung fez uma campanha de marketing em sua terra natal com os maiores astros do país, o grupo de k-pop BTS, para alavancar o Galaxy S20, e os resultados parecem positivos. Segundo uma pesquisa conduzida em março, o Galaxy S20 foi o smartphone mais popular entre 12 plataformas sociais avaliadas, incluindo redes sociais, blogs e fóruns. O smartphone da Samsung conseguiu o primeiro lugar, com 53,18%, seguido do iPhone 11 (41,12%) e do LG V50s (5,68%). Linha S20 (verde, 53,18%) (imagem: Smartphone Brand Reputation Ranking) As vendas da linha Galaxy S20 têm sido notícia desde a chegada dos aparelhos às lojas. Alguns analistas apontam que os modelos da família – S20, S20+ e S20 Ultra – chegaram a vender 50% a menos no lançamento que a linha S10. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Vendas da linha Galaxy S20 continuam "abaixo do esperado", indica relatório Analista estima que série Galaxy S20 venderá 32 milhões de unidades neste ano Talvez por isso a Samsung tenha alistado os sul-coreanos mais famosos do mundo para divulgar os celulares. Os artistas do BTS estrelam 12 vídeos em que aparecem em situações “casuais”, destacando principalmente a câmera do S20 Ultra. A parceria continua rendendo frutos, com novos vídeos publicados nesta semana. Pelo menos duas propagandas já ultrapassaram a marca de 800.000 visualizações no YouTube. Qual artista seria capaz de alavancar a popularidade de um smartphone no Brasil?  https://www.youtube.com/watch?v=JMyJ4mxkbRQ Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros a ultrapassar os 5 GHz em notebooks Veja Mais

Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19

Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19

canaltech Como em um piscar de olhos, vimos o coronavírus fazer nossos hábitos mudarem brutalmente. Apoiados na esperança de que o problema nunca chegaria em nossas vidas, vimos o exemplo dos outros países, mas não nos preparamos. Aquela velha e ingênua crença de invencibilidade. Nossa geração foi – até então –, agraciada por nunca ter sofrido mudanças tão exponenciais em um curto espaço de tempo. Isso nos dava uma falsa certeza de que, dia após dia, tudo estaria da mesma forma, dentro da nossa zona de conforto. Vinte por cento 9 passos fundamentais para ter um dia mais produtivo As crises são grandes reveladoras da verdade, elas expõem os pontos fracos de uma pessoa e também dos negócios, aceleram o processo de deterioração do que já estava condenado. Aceite, pois a renovação faz parte da natureza. Aos que não tiveram sua vida pessoal retalhada pelo Covid-19, eu diria que foram acometidos pela boa sorte. O que aprendi até aqui é que nenhum plano de negócios sobrevive ao primeiro contato com as verdadeiras adversidades que nos pegam de surpresa. Ninguém em plena consciência apontaria como fraqueza algo que afetaria toda uma cadeia comercial, abrangendo clientes, parceiros e fornecedores. Entretanto, vale muito uma reflexão profissional: daqui para frente, como você pode minimizar os riscos do seu negócio no pós-Covid-19? -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Tenha um fundo de reserva de no mínimo 3 meses para eventualidades; Atenda às expectativas do seu consumidor de forma offline e online; Resolva o problema do seu cliente de forma profunda, torne-o dependente do seu produto/serviço; Nunca coloque todos os ovos na mesma cesta, diversifique seus produtos/serviços; Desenvolva duas frentes: a principal, que é com a qual você ganha dinheiro hoje; e a secundária, que é a que quebrará a principal; Construa um modelo de trabalho horizontal, onde todos possuam as mesmas responsabilidades e benefícios. Em tempos de transformações geradas pela pandemia do coronavírus, devemos estar abertos a mudanças e adaptações para o novo mundo que está por vir. Crie um novo futuro, mudando a sua perspectiva de acordo com os acontecimentos. Não dá mais para procrastinar, essa é a nossa grande oportunidade para nos reinventarmos como pessoas, sociedade e negócios. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Veja Mais

Liberadas mais de 1000 aulas para alunos do Fundamental e Médio no Youtube

Liberadas mais de 1000 aulas para alunos do Fundamental e Médio no Youtube

canaltech Para conter a proliferação da pandemia do novo coronavírus, a principal recomendação do Ministério da Saúde é o isolamento social. Com isso, escolas públicas e privadas de todo o país tiveram que suspender as aulas. Agora, nesta que pode ser a maior ação de EAD para a educação básica já feita, o Sistema de Ensino SAE Digital passa a oferecer gratuitamente uma série de videoaulas, atividades, ferramentas e conteúdos digitais para que os alunos não percam todo o ano letivo. Como lidar com Home Office e isolamento quando se tem crianças? Qual a diferença entre quarentena e isolamento? O conteúdo é previsto pela Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e da matriz do ENEM, e está sendo publicado desde segunda-feira (23) no canal do YouTube da SAE Digital, organizado por disciplinas e dividido por dia. De acordo com a empresa, serão mais de 1.200 aulas disponíveis. A ação é voltada para alunos do 1° ano do Ensino Fundamental até o 3ª ano do Ensino Médio. Todas as aulas estão abertas no YouTube, e já bateram mais de 1 milhão de visualizações, segundo a SAE Digital. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Além das videoaulas, os alunos terão acesso às plataformas digitais com livros didáticos, materiais de apoio e atividades complementares, que podem ser acessados por computadores, tablets e celulares. Para obter este tipo de material interativo, no entanto, é necessário que as escolas entrem em contato com o time de especialistas do SAE, pelo site oficial. Em nota, a empresa declarou que a expectativa é de que a ação impacte até 400 mil estudantes nas próximas semanas. Educação Infantil Para que os alunos da educação infantil continuem desenvolvendo suas habilidades psicomotoras, intelectuais e emocionais, a SAE Digital irá fornecer videoaulas e sugestões de atividades e roteiros de estudo com orientações para serem realizadas em casa. De acordo com a empresa, todas as atividades foram pensadas para que os responsáveis pelas crianças possam realizá-las no espaço domiciliar. 10 cursos online e gratuitos que você pode fazer durante a quarentena Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Ensino Fundamental Aos alunos do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, são oferecidas de 4 a 5 aulas inéditas todos os dias para manter o ritmo da rotina escolar. Também há a possibilidade de baixar o aplicativo do Livro Digital SAE, que contém todo o conteúdo do material impresso além de atividades interativas, games, realidade aumentada e recursos de aprendizado digitais. O app pode ser baixado na Play Store para usuários Android, e na App Store para usuários iOS. A utilização, no entanto, só será possível mediante uso da senha liberada pela escola cadastrada. Ensino Médio e vestibulandos Aos alunos do Ensino Médio são oferecidas de 5 a 6 videoaulas inéditas diárias, além de acesso ao curso Arrase no Enem, com conteúdos exclusivos, roteiros de estudos, simulados e mais de 2 mil videoaulas gravadas e organizadas por áreas de conhecimento para vestibulandos que pretendem prestar tanto o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) quanto outros vestibulares este ano. E aí, gostou dessa iniciativa? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

PREÇO CAIU R$1000 | Compre Galaxy S20 ou S20+ e leve de brinde o Watch Active 2

PREÇO CAIU R$1000 | Compre Galaxy S20 ou S20+ e leve de brinde o Watch Active 2

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Esta matéria é fruto de uma parceria com o Magazine Luiza e traz uma oferta especial para os leitores do Canaltech. Saiba tudo sobre a loja Magazine Você no vídeo que gravamos na sede do Magalu:   A Samsung já apresentou seus novos celulares topo de linha no Brasil, e o preço não foi muito animador. Chegando perto da data de início real das vendas, varejistas começam a fazer mais promoções. A bola vez é o Magalu, que cortou em 20% o valor final tanto do Galaxy S20 como do Galaxy S20+, disponíveis agora no menor preço que você vai encontrar no varejo. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Sobre o Galaxy S20 e S20+   Tendo o S20 Ultra como o mais caro e poderoso, as duas versões menores da família não deixam de oferecer alto poder de fogo e conjunto de câmeras impressionante. Ambos trazem tela Dynamic AMOLED com HDR10+ para melhorar contraste e deixas as cores mais nítidas. A diferença fica no tamanho: o Galaxy S20 tem 6,2 polegadas, contra 6,7 polegadas do S20+. Ambos ainda oferecem leitor de impressão digital embutido no display. Ah sim, com tamanhos de tela diferente, a capacidade de bateria também muda: 4.000 mAh para o modelo menor e 4.500 mAh para o "do meio" — há ainda o S20 Ultra, o maior dos três. No interior, tudo igual nos dois modelos: plataforma Exynos 990, com processador de oito núcleos, 8 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento. Há espaço para utilizar um cartão micro SD e expandir a memória até 1 TB. O grande destaque desta nova linha de smartphones está nas câmeras. A Samsung promete que estes aparelhos "mudarão a história da fotografia" mobile. O S20 tem câmeras traseiras de 12, 64 e mais 12 megapixels, com zoom híbrido de 3x. A Samsung garante ser possível dar zoom de até 30 vezes em suas fotos, sem perda de resolução. Para selfies, a câmera frontal é de 10 MP. No S20+, a diferença fica para a presença de um sensor ToF, cuja função é capturar ainda melhor a profundidade entre o aparelho e o objeto fotografado. Esse sensor emite feixes de luz infravermelha como se fosse um radar, medindo o tempo que a luz leva para voltar ao sensor e, então definindo quão distante está o objeto. Isso gera um mapeamento em três dimensões, e tudo isso, resumindo, melhora a qualidade das fotos de várias maneiras. Exemplo: todos os elementos de uma cena podem sair em foco com mais precisão, ao apertar de um botão na tela. Menor preço já registrado, com desconto de mais de R$ 1.000! Galaxy S20, S20+ e S20 Ultra (Foto: Adriano Ponte/Canaltech) Na promoção de pré-venda do Magalu, o Galaxy S20 pode ser seu por apenas R$ 3.959,28 à vista, enquanto o valor parcelado fica em R$ 4.399,20, em até 10 vezes no cartão de crédito. Você ainda conta com frete grátis. Você ainda tem direito a resgatar um smartwatch Galaxy Watch Active 2 de brinde. Só o relógio vale mais de R$ 1.350, ou seja, o recém lançado S20 está saindo por menos de R$ 2.600. Fica a dica do Canaltech para quem quiser economizar ainda mais: você pode vender o relógio e ficar só com o aparelho. Já o Galaxy S20+, que também está no menor preço já visto a R$ 4.319,28 à vista ou R$ 4.799,20 em até 10 vezes sem juros no cartão. Esse modelo também dá direito ao relógio inteligente e é elegível para frete grátis. Clique aqui para comprar o Galaxy S20 ou S20+ no Magazine Luiza. É só escolher o seu modelo e a cor e fechar o carrinho. Depois, cadastre-se no site da Samsung para pedir o seu Galaxy Watch Active 2. *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. O que é o Magazine Você? Acessou os links e não entendeu o que é o Magazine Você? Trata-se do canal de divulgação das ofertas do site Magazine Luiza, conforme consta em comunicado oficial. Somos um dos parceiros oficiais de divulgação e nossa loja chama-se Magazine Canaltechbr. Todo o processo de cobrança, faturamento e logística é feito pelo próprio Magazine Luiza que, além do site, possui mais de 800 lojas físicas espalhadas pelo Brasil. Uma dúvida comum de nossos leitores é o motivo dos preços em nossa loja serem muitas vezes diferentes dos anunciados no site principal do Magazine Luiza. O motivo é que o Magazine Você recebe ofertas exclusivas que não são divulgadas no site principal. Então aproveite as promoções e acesse nossa loja para garantir ofertas exclusivas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade

Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade

canaltech O Spotify começou a lançar nesta quarta-feira (1) mais um recurso no app que facilitará a descoberta de novos conteúdos de artistas que você segue. O Follow Feed fornecerá uma seção dedicada que mostrará os mais recentes lançamentos dos artistas, como singles e álbuns. Spotify Kids: como criar uma conta exclusiva para o seu filho Quantas vezes um artista precisa tocar no Spotify para ganhar um salário mínimo? Como editar, personalizar e compartilhar seu perfil do Spotify pelo app A novidade chega pouco mais de um mês depois de ter sido revelada pela engenheira Jane Wong. Antigamente, para descobrir novas músicas era preciso acessar os cards “Descobrir” e “Lançamentos”, localizados na aba “Procurar”. Spotify is working on “Follow Feed” of “New releases from artists you follow and more” pic.twitter.com/8DdoUXtseq -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- — Jane Manchun Wong (@wongmjane) February 29, 2020 O Follow Feed será representado por um ícone de raio logo na tela inicial, no canto superior direito. Além de disponibilizar os lançamentos de artistas já seguidos, a seção também trará sugestões de novos cantores baseados naqueles que você já acompanha no Spotify. Recurso estará disponível logo na tela inicial (Foto: XDA-Developers) A versão V8.5.51.941 do Spotify começou a ser liberada gradualmente aos usuários a partir de ontem, então é bem provável que você a receba nos próximos dias. Caso a atualização não apareça automaticamente, acesse a página do app na Play Store ou App Store e atualize manualmente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Veja Mais

Samsung Galaxy Tab S6 Lite tem fotos e especificações vazadas em loja online

Samsung Galaxy Tab S6 Lite tem fotos e especificações vazadas em loja online

canaltech Apesar de não ter sido anunciado oficialmente, o Samsung Galaxy Tab S6 Lite foi mencionado em diversos boatos nos últimos dias. Agora, o novo tablet foi listado em uma conhecida loja online de eletrônicos, o que leva a crer que seu lançamento está próximo. O Tab S6 Lite apareceu em seis versões diferentes no site da B&H Photo. São três opções de cores (azul, cinza e rosa) e duas de armazenamento (64 e 128 GB). O site lista que as versões têm apenas conexão wi-fi, o que pode indicar possíveis opções com 4G no futuro. Galaxy Tab S7 ou Tab S20? Samsung está desenvolvendo tablet potente com 5G Especificações do Galaxy Tab S6 Lite vazam e mostram um intermediário competente Samsung quer fatia maior do mercado de tablets com Tab S6 Lite a preço de iPad A loja lista ainda parte das especificações, mas as informações contêm pelo menos uma contradição. A tela é identificada como tendo 10,1 polegadas no título e 10,4 na descrição. Por esse motivo, é melhor não levar as características muito a sério. Faltam ainda informações como resolução das câmeras, dimensões, peso e versão do sistema operacional. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Este seria o Galaxy Tab S6 Lite. (Foto: Reprodução/B&H Photo) As páginas para o Galaxy Tab S6 Lite não especificam uma data de lançamento, mas listam os preços: 430 dólares para o modelo com 128 GB e 350 dólares com 64 GB (R$ 2.260 e R$ 1.840 em conversão direta). Especificações (não oficiais) Tela: 10,4 polegadas, 2000x1000 pixels Chipset: Samsung Exynos 9610 Memória RAM: 4 GB Armazenamento interno: 64 ou 128 GB Bateria: 7.040 mAh Cores disponíveis: angora blue, chiffon rose, oxford gray Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Veja Mais

COVID-19 | Google Meet tem salto de uso de 25 vezes em 2020

 COVID-19 | Google Meet tem salto de uso de 25 vezes em 2020

canaltech Enquanto boa parte do mundo pratica o distanciamento social para conter a pandemia da COVID-19, as plataformas de videoconferência crescem em importância e, principalmente, uso. Opção do Google para o segmento, o Hangouts Meet viu sua utilização diária aumentar 25 vezes na comparação com janeiro deste ano. A informação foi divulgada no blog do Google, que listou ainda um crescimento diário nas últimas semanas de 60%, mas a empresa diz que o salto de uso não ameaçou a capacidade de funcionamento do sistema. 7 aplicativos de chamadas de vídeo que você pode usar durante a quarentena Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams O Google foi um dos primeiros a disponibilizar gratuitamente sua ferramenta de videochamadas durante a pandemia, praticamente ao mesmo tempo em que a Microsoft ofereceu seu serviço concorrente Teams. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Apesar do nome (e do ícone semelhante), o Hangouts Meet não é o mesmo app que o Hangouts (ou o Hangouts Chat). A confusão parece ter sido notada pelo Google, que passou a chamar seu app de videoconferências para empresas de Google Meet no blog. Apps de comunicação do Google Além do Hangouts Meet, o Google oferece uma série de outros aplicativos para comunicação e estaria trabalhando em pelo menos mais um: Mensagens (SMS, MMS e RCS) Voice (ligações telefônicas) Hangouts (mensagens instantâneas) Hangouts Chat (comunicação em equipe, similar ao Slack ou Microsoft Teams) Hangouts Meet (videoconferências) Duo (videochamadas) Concorrência movimentada Outras plataformas de videoconferência também tiveram aumentos expressivos de uso. O Microsoft Teams, por exemplo, teve um salto de 500% no número de reuniões virtuais. Já o Slack (concorrente do Hangouts Meet e do Hangouts Chat) divulgou um aumento de uso de 350% para o recurso de videochamadas – que pode agora usar as plataformas rivais Zoom e Teams. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020

YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020

canaltech Mais uma empresa americana deve fazer ofensiva contra o crescimento do TikTok em breve. De acordo com uma reportagem do site The Information, o YouTube estaria preparando um novo recurso similar aos vídeos curtos e editados da plataforma de origem chinesa, a ser lançado até o final do ano. "Os brasileiros são nossos preferidos". Os planos do TikTok para o país em 2020 Como influenciadores monetizam seus vídeos no TikTok YouTube cria seção exclusiva para notícias sobre o coronavírus De nome Shorts, a funcionalidade seria integrada diretamente do app da plataforma de vídeos para aproveitar a base de usuários já existente. Seria uma espécie de feed alternativo aos vídeos já amplamente produzidos por lá. É bom lembrar que o YouTube tem uma linha do tempo separada semelhante aos Stories do Instagram, cuja publicação é limitada a produtores com o mínimo de 10.000 inscritos. Ainda não está claro se o Shorts também será limitado a canais com muitos assinantes ou se será liberado para todos. A ideia é oferecer vídeos mais curtos em um feed alternativo, usando a biblioteca de áudio já existente dentro do próprio YouTube para liberar a criatividade dos criadores. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A reportagem descreve o plano do YouTube como “o esforço mais sério de uma companhia do Vale do Silício para combater a ascensão do TikTok”. E especula que a já gigantesca audiência e número de usuários e criadores de conteúdo da plataforma podem ser um ponto de vantagem para encarar o app chinês em pé de igualdade. Você usaria esta nova funcionalidade do YouTube, ou acha que a plataforma já está boa com o que oferece hoje? Conta aí nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

CT News - 01/04/2020 (Xiaomi deve anunciar 22 novos produtos essa semana)

CT News - 01/04/2020 (Xiaomi deve anunciar 22 novos produtos essa semana)

canaltech No episódio de hoje do CT News: Xiaomi anuncia evento na China em que vai apresentar 22 novos produtos; Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência; Magazine Luiza cria programa para pequenas empresas e autônomos venderem de casa e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

Mais de 12 mil pessoas querem se tornar astronautas da NASA — e ir à Lua!

Mais de 12 mil pessoas querem se tornar astronautas da NASA — e ir à Lua!

canaltech Milhares de pessoas estão interessadas em participar da nova era da exploração espacial, que começa com várias agências espaciais e empresas ao redor do mundo colocando em prática seus planos de levar a humanidade de volta à Lua. Só nos EUA, durante o mês de março, foram mais de 12 mil pessoas inscritas para a próxima turma a ser treinada para se tornarem astronautas da NASA. As inscrições foram abertas pela agência espacial no dia 2 de março e se encerraram no dia 31. Agora, o Conselho de Seleção de Astronautas da NASA avaliará as qualificações dos candidatos e convidará os mais aptos para entrevistas e exames médicos antes de uma seleção final. A NASA espera apresentar os novos candidatos a astronautas no ano que vem. Vagas abertas na NASA! Você preenche os requisitos para se tornar um astronauta? NASA escolhe 11 astronautas para futuras missões rumo à ISS, Lua e Marte Quem são os novos astronautas da NASA que poderão ir à Lua e a Marte? (Foto: NASA) Este foi o segundo maior número de pedidos que a NASA já recebeu, superado apenas pelo recorde de 18.300 estabelecido nas inscrições para a mais recente turma de astronautas, que se formaram em janeiro. Cada turma de candidatos passa por um treinamento inicial de aproximadamente dois anos, no qual aprendem sobre robótica, sistemas de caminhada espacial, espaçonaves, entre outros requisitos para uma viagem no espaço. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Depois de concluírem o treinamento, os novos astronautas serão capazes de embarcar nas naves espaciais norte-americanas desenvolvidas para o Programa de Tripulação Comercial da NASA - são elas a Crew Dragon, da SpaceX, e a Starliner, da Boeing - para viver e trabalhar a bordo da Estação Espacial Internacional. Lá, eles participarão de experimentos, preparando-se para o esperado próximo pouso na Lua e o primeiro em Marte. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo EUA prevê mínimo de 100 mil mortos e projeta até 240 mil vítimas da COVID-19 Veja Mais

Como recuperar sua senha de usuário do Skype

Como recuperar sua senha de usuário do Skype

canaltech Embora mudar a conta do Skype seja bem fácil, não é necessário fazer isso todas as vezes que você esquecer a sua senha de acesso à ferramenta. Para recuperar a sua senha, é só seguir alguns passos bem simples - e que podem ser feitos em alguns minutos. Como baixar o instalador offline do Skype para Windows Como fazer chamadas pelo Skype usando o navegador Saiba como usar 2 contas diferentes do Skype no seu Android Como recuperar a senha do Skype No computador Passo 1: abra o Skype em seu computador. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Passo 2: ao inserir sua senha, clique em “Esqueceu a senha?” Passo 3: clique em “Obter código” para que uma senha temporária de acesso seja enviada ao e-mail cadastrado na ferramenta. Passo 4: entre em seu e-mail e acesse o conteúdo enviado pelo Skype. Passo 5: insira o código copiado no Skype e clique em “Próximo”. Passo 6: por fim, cadastre sua nova senha de acesso ao Skype, sem precisar mudar sua conta. Simples, não é mesmo? Em seu smartphone Passo 1: abra o aplicativo do Skype ou faça o download dele na App Store ou Google Play. Passo 2: insira seu e-mail e toque em "Próximo". Passo 3: selecione "Esqueceu a senha?" Passo 4: toque em "Obter código" e abra seu e-mail no aplicativo ou navegador. Passo 5: insira o código enviado e toque em "Próximo". Passo 6: cadastre sua nova senha. Você sabia que era tão simples assim recuperar sua senha do Skype? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Veja Mais

EUA prevê mínimo de 100 mil mortos e projeta até 240 mil vítimas da COVID-19

EUA prevê mínimo de 100 mil mortos e projeta até 240 mil vítimas da COVID-19

canaltech Embora o isolamento seja, atualmente, a melhor forma de prevenir o colapso dos sistemas de saúde, e, consequentemente evitar um número massivo de pessoas mortas, a quantidade de óbitos diários devido à COVID-19 segue escalando em um nível assustador em alguns países, especialmente na Espanha e nos Estados Unidos. E, nesta terça-feira (31), a Casa Branca divulgou ou uma projeção alarmante: mesmo com as atuais diretrizes de distanciamento social, o governo estadunidense prevê algo entre 100 mil e 240 mil vítimas da pandemia. O presidente Donald Trump alertou aos cidadãos para que se preparem para um “inferno de duas semanas ruins” e as autoridades de saúde pública enfatizaram que o número de infectados e de mortes poderia ser menor se as pessoas em todo o país mantivessem a distância entre si. "Realmente acreditamos que podemos fazer melhor do que isso", disse Deborah Birx, coordenadora da força-tarefa de combate ao novo coronavírus (SARS-CoV-2) da Casa Branca. Pronunciamento desta terça-feira (31) na Casa Branca (Imagem: Reprodução/Fotos Públicas) O Dr. Anthony Fauci, especialista em doenças infecciosas do governo, acrescentou: "Esse é um número que precisamos antecipar, mas não precisamos necessariamente aceitá-lo como inevitável". Diferente do comportamento no início da crise, Trump chamou as ações de confinamento de "questão de vida e morte". Os Estados Unidos são o atual epicentro do novo coronavírus, com mais de 190 mil infectados e 4,1 mil mortes, segundo os dados do Worldometer nesta quarta-feira (1). -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Como o governo dos EUA chegou a esse cálculo assustador? Essas projeções foram feitas durante uma reunião de duas horas na Casa Branca. As autoridades descreveram um número de mortos que, no melhor dos casos, provavelmente seria maior que as mais de 53 mil vidas americanas perdidas durante a Primeira Guerra Mundial. O pico dos cálculos ficou próximo dos 291 mil mortos no campo de batalha durante a q — embora sejam casos completamente diferentes, são as referências que os ianques têm de óbitos massivos no país. Deborah disse que as previsões de pandemia inicialmente giravam entre 1,5 milhão a 2,2 milhões de mortes nos Estados Unidos — isso no chamado “pior cenário”, sem os efeitos do distanciamento social, por exemplo. O cálculo, então, amenizou (mas nem tanto) esses números por conta do aumento da execução dos protocolos de prevenção e tratamento da COVID-19. Ela disse que os estados ainda não se deram conta do real aumento de casos. Na sua visão, Nova Iorque, por exemplo, poderia não apenas insistir no isolamento como também preparar melhor os hospitais e médicos para o atendimento intenso de pacientes. Hospital de campanha montado no Central Park (Imagem: Reprodução/Bangkok Post) Uma das armas para evitar que os Estados Unidos alcancem esse registro histórico desastroso está na aposta de tratamentos mais eficazes: a combinação experimental do remédio para malária hidroxicloroquina com o antibiótico azitromicina vem trazendo resultados expressivos e, embora não seja oficialmente um medicamento comprovado para a COVID-19, tem potencial de amenizar significativamente a taxa de mortalidade da doença. Isolamento estendido nos EUA No domingo, Trump anunciou que o isolamento e fechamento de estabelecimentos será estendido até o dia 30 de abril — bem diferente do que ele dizia em fevereiro, quando o novo coronavírus começou a se espalhar pelos Estados Unidos. Ele aconselhou toda a população a interromper grandes reuniões, trabalhar em casa, suspender o aprendizado local nas escolas e todas as medidas que outros países já vêm aplicando. Trump chamou os dados de "muito preocupantes" e que 100 mil mortes são um mínimo difícil de evitar. Contudo, ainda assim, minimizou as preocupações do governador Andrew Cuomo, de Nova Iorque, e de estados, de que os hospitais não teriam ventiladores respiratórios suficientes para tratar uma chegada antecipada de pacientes em massa. Segundo ele, o governo federal tem atualmente um estoque de 10 mil unidades do equipamento, que serão distribuídas conforme necessário. O presidente norte-americano disse que até mesmo recebeu sugestões de empresários para que não fizesse nada, apenas “deixasse a gripe passar”. "Tive muitos amigos, empresários, pessoas com um ótimo senso comum. Eles disseram: 'Por que não esperamos passar?' Muitas pessoas falaram sobre isso: 'Deixe passar. Não faça nada. Só aguente e deixe passar e pense nisso como uma gripe'. Mas isto não é a gripe. É perverso", afirmou. Bolsa despenca após previsão alarmante Após as projeções de mínimo de 100 mil mortos nos Estados Unidos, as Bolsas da Europa abriram as negociações da manhã desta quarta-feira (1) em queda generalizada, assim como fecharam as transações na Ásia. Às 4h16, no horário de Brasília, a Bolsa de Londres caía 3,44%, a de Frankfurt recuava 3,37% e a de Paris se desvalorizava 3,40%. Em Milão, Madri e Lisboa, as perdas eram de 2,02%, 2,34% e 1,56%, respectivamente. Imagem: Reprodução/Google Na Ásia, a maior queda foi vista no Japão, que recuou 4,50%, seguida de Coreia do Sul, (-3,94%), e Hong Kong, (-2,19%). China e Taiwan tiveram quedas menos expressivas, com (-0,57%) e (-0,46%), respectivamente. O único país no oriente do mundo a ter alta foi a Austrália, na Oceania, com aceleração de 3,52%. No Brasil, até as 14 horas desta quarta, a Ibovespa operava em queda de 4,64%. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Veja Mais

Xiaomi lança MIUI 11 com Android para mais modelos; veja se o seu está na lista

Xiaomi lança MIUI 11 com Android para mais modelos; veja se o seu está na lista

canaltech Com o fim da fase de desenvolvimento da MIUI 11 chegando, a Xiaomi continua disponibilizando gradualmente as versões finais para seus smartphones. Depois de anunciar a interface para o Mi 8 Lite e Mi Max 3 globais, mais cinco modelos começaram a receber a atualização. São eles: Xiaomi Mi 8, Mi 8 Pro, Mi 8 SE, Mi 9 SE, Mi 9 Lite. Produção da Xiaomi volta a 80% da capacidade após COVID-19 Câmeras do Mi 10 e Mi 10 Pro ganham uma série de novos recursos; confira A Xiaomi já havia liberado a nova interface MIUI 11 para diversos dispositivos, mas era baseada no antigo Android 9 Pie. A atualização mais recente foi desenvolvida em cima do Android 10 e traz todos os novos recursos do sistema operacional. Vale lembrar que nem todas as variantes dos smartphones estarão aptas a receber a atualização. Veja abaixo a tabela com os modelos, números de compilação e regiões disponíveis inicialmente: -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Modelo Número de compilação/Região Mi 8 V11.0.3.0.QEAMIXM (Global) V11.0.2.0.QEARUXM (Russia) Mi 8 Pro V11.0.3.0.QECMIXM (Global)  V11.0.1.0.QECRUXM (Russia) Mi 8 SE V11.0.2.0.QEBCNXM (China) Mi 9 SE V11.0.2.0.QFBMIXM (Global)  V11.0.2.0.QFBEUXM (Europe) V11.0.2.0.QFBRUXM (Russia) Mi 9 Lite V11.0.1.0.QFCMIXM (Global) Se você possui um dos modelos listados acima, verifique as configurações do dispositivo e tente baixar a atualização via OTA, que é mais fácil e seguro. Caso opte pela atualização manual, o pessoal XDA-Developers disponibilizou os links para download das firmwares, mas recomendamos que você realize esse procedimento apenas se possuir algum conhecimento prévio. O Canaltech não se responsabiliza por eventuais problemas caso você faça a instalação por conta própria. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

Instagram pode limitar ainda mais a exibição de conteúdos sensíveis

Instagram pode limitar ainda mais a exibição de conteúdos sensíveis

canaltech O Instagram pode testar restringir o acesso de usuários a conteúdos considerados sensíveis dentro da plataforma. A pesquisadora Jane Wong disse ter encontrado na rede social uma novidade que limita exibição de fotos e vídeos sensíveis na timeline dos usuários. Wong é já conhecida por encontrar ferramentas escondidas em apps e plataformas. Segundo ela, a opção ainda está em desenvolvimento. “O Instagram está trabalhando na opção ‘limitar conteúdos sensíveis’. Parece que estará ativada por padrão (estava ligada quando encontrei) e vai mostrar um aviso quando você a desativar”, disse em publicação no Twitter. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Instagram is working on “Limit Sensitive Content” optionThis seems to be on by default (it’s on when I came across it) and shows a warning dialog when you turn it off pic.twitter.com/lvQhepAU3e — Jane Manchun Wong (@wongmjane) March 31, 2020 A rede social já lançou, em 2017, um filtro para conteúdos do tipo. Assim, toda vez que algo considerado sensível é publicado, a imagem ou vídeo aparecem borrados para o usuário, com um botão que permite a visualização. Para evitar treta, Instagram vai começar a borrar "conteúdos sensíveis" Nesta nova ferramenta, pela descrição, nem mesmo a versão borrada seria exibida ao usuário. “Quando você ativa, verá menos fotos e vídeos que podem ser sensíveis”, informa o texto da opção. Embora a ferramenta tenha sido descoberta pela pesquisadora, o Instagram ainda não confirmou se a opção será lançada na rede social. O Canaltech entrou em contato com a empresa para verificar se já há testes do novo filtro, bem como quais são os conteúdos que a companhia considera sensíveis e podem ser escondidos, mas não obteve resposta até a publicação desta nota. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

NASA seleciona nova missão para estudar origem e evolução de tempestades solares

NASA seleciona nova missão para estudar origem e evolução de tempestades solares

canaltech A NASA selecionou uma nova missão para o seu Explorers Program: a SunRISE, que vai estudar como o Sol gera e libera enormes tempestades de partículas solares no espaço. Os resultados poderão ser muito úteis na compreensão sobre o nosso Sistema Solar e para proteger os astronautas que viajarão em missões espaciais no futuro. Através de um conjunto de seis CubeSats (pequenos satélites de formato cúbico), cada um do tamanho de uma torradeira, a missão recebe o nome de Sun Space Interferometer Space Experiment (daí a sigla SunRISE). Juntos, esses CubeSats vão funcionar como um grande radiotelescópio movido a energia solar. A NASA concedeu US$ 62,6 milhões para projetar, construir e lançar o SunRISE até 1 de julho de 2023. Tempestades solares perigosas atingem a Terra a cada 25 anos Ouça a "música magnética" da Terra gravada durante uma tempestade solar Veja a superfície do Sol em detalhes sem precedentes graças a novo telescópio Antes de ser definitivamente selecionado, o SunRISE passou por algumas etapas do Explorers, que é o programa da NASA que financia missões de baixo custo com potencial de obter grandes resultados. Em agosto de 2017, o SunRISE foi escolhido para a segunda etapa junto de outra proposta da categoria Mission of Opportunity. Em fevereiro de 2019, a agência espacial aprovou o estudo da missão por mais um ano e, agora, é a grande contemplada para se tornar realidade. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Quanto estiverem no espaço, os CubeSat vão observar simultaneamente imagens de emissão de rádio de baixa frequência da atividade solar e compartilhá-las através da Deep Space Network da NASA. Eles estarão a 10 km de distância um do outro, acima da atmosfera da Terra, e criarão mapas 3D para identificar onde as rajadas gigantes de partículas solares se originam no Sol e como elas evoluem à medida que viajam no espaço. Esse trabalho ajudará a determinar o que inicia e acelera os jatos gigantes de radiação. Os pequenos satélites também trabalharão juntos para mapear, pela primeira vez, o padrão de linhas de campo magnético que vão do Sol até o espaço interplanetário. Com a nova compreensão desses fenômenos, os cientistas serão capazes de criar meios de proteger equipamentos que orbitam a Terra e as futuras missões humanas à Lua - e além. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Xiaomi anuncia evento na China em que vai apresentar 22 novos produtos

Xiaomi anuncia evento na China em que vai apresentar 22 novos produtos

canaltech A Xiaomi prometeu anunciar pelo menos 22 novos produtos em evento na próxima sexta-feira (3), durante o Mi Fan Festival. O acontecimento marca a celebração de 10 anos da companhia com uma leva de novos aparelhos. Em convite para imprensa chinesa, a gigante local não informou quais serão os novos produtos apresentados, contudo, a expectativa é de que se tratem de dispositivos para casa conectada. Como modelos deste setor geralmente conversam entre si, isso justificaria a apresentação conjunta de 22 aparelhos ao mesmo tempo. No ano passado, ela também fez um evento parecido, apresentando alguns dispositivos conceitos, sendo que nem todos foram lançados até o momento. Ou seja, é possível que agora ela mostre novamente ideias sem que isso chegue efetivamente ao mercado. Os anúncios vão acontecer no dia 3, a partir das 3 da manhã (horário de Brasília). -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Produção da Xiaomi volta a 80% da capacidade após COVID-19 O convite vem um dia após a companhia apresentar seu relatório fiscal de 2019. Segundo o documento, perto de 80% da produção já está normalizada na China, sendo que a Xiaomi espera impactos econômicos internacionalmente para os próximo trimestre. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Crítica | Escape from Pretoria impressiona pela fuga, mas não pela política

Crítica | Escape from Pretoria impressiona pela fuga, mas não pela política

canaltech   Thrillers de fuga geralmente têm o mesmo fim, com o prisioneiro injustiçado conseguindo a sua liberdade após passar por diversos problemas e algumas falhas. Mesmo sabendo disso, ficamos tensos, sobretudo quando os personagens são pessoas às quais nos apegamos, sentimental ou ideologicamente. É difícil não ficar apreensiva por personagens como Tim Jenkin (Daniel Radcliffe) e Stephen Lee (Daniel Webber), sobretudo se estamos cientes de que eles existiram. Para adicionar tensão real à trajetória dos heróis, o diretor Francis Annan inclui na introdução de Escape from Pretoria cenas reais do apartheid, nas quais é possível constatar a brutalidade da força policial branca. Não se trata de uma escapada em grande escala, nos moldes de clássicos como Papillon (Franklin J. Schaffner, 1973), mas não é uma questão de medir desafios: Escape from Pretoria é suficiente dentro das suas proporções, mesmo com prisioneiros que parecem privilegiados se postos ao lado de outros personagens do gênero. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Atenção! A partir daqui, a crítica pode conter spoilers. Política Escrito a partir do livro de Tim Jenkin, o roteiro de Francis Annan e L.H. Adams é bastante focado na fuga em si, com Jenkin pensando as estratégias e confeccionando, testando ou escondendo as chaves de madeira. Sobra, portanto, pouco tempo para um desenvolvimento mais profundo dos personagens e o apego é apenas ideológico: claro que queremos que esses brancos que lutam contra um regime fascista que oprime os negros escapem da prisão, mas há pouco da personalidade deles sendo exposta. Imagem: Batrax Entertainment A história ainda traz Denis Goldberg (Ian Hart) como um dos personagens e é um pouco decepcionante ter ele como apenas mais um prisioneiro que, vez ou outra, tem uma contribuição mais significativa. Não há, por parte da direção, um engrandecimento das figuras históricas e recai completamente sobre os ombros dos autores fazer dos seus personagens algo além de prisioneiros comuns com uma inteligência digna de nota. Crítica | O Preço da Verdade é um convite à militância política e ambiental Com uma ala para prisioneiros políticos, é pouco convincente a ideia de que em pouquíssimos momentos assuntos políticos venham à tona e, quando isso ocorre, são comentários que destoam um pouco do contexto ou soam como frases de efeito, apesar de conterem uma tremenda potência. Aqui, o filme ensina uma lição técnica: nem sempre o que é mostrado é o mais importante, mas sim como é mostrado. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Méritos Tecnicamente competente, Escape from Pretoria chega a ter alguns momentos de virtuose fotográfica, como quando Jenkin e Lee estão escondidos no armário de filmes e apenas seus olhos estão iluminados pela luz que invade o espaço escuro pelas brechas entre uma madeira e outra. Imagem: Batrax Entertainment Francis Annan, embora não consiga agregar muito aos personagens, cria um bom suspense ao priorizar planos-detalhe como o suor escorrendo ou os dedos que tentam segurar a porta do armário de filmes a qualquer custo. Além disso, juntamente com a montagem, parece conseguir dilatar o tempo toda vez que uma chave é testada, agregando tensão: sabemos que eles conseguem fugir, mas não conseguimos prever quando uma das chaves poderá falhar ou simplesmente quebrar. 10 filmes para assistir no Amazon Prime Video durante o isolamento Apesar de não ser um grande filme, Escape from Pretoria é interessante e, mesmo que não seja um grande entretenimento ou uma obra de arte que sobreviva à prova do tempo, é capaz de criar no espectador a curiosidade por um evento histórico que jamais deve ser esquecido, para que nunca se repita, ou pode servir como conscientização diante de características fascistas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

35 anos de Mario: Nintendo estaria considerando lançar remasters para o Switch

35 anos de Mario: Nintendo estaria considerando lançar remasters para o Switch

canaltech A Nintendo pode estar trabalhando no lançamento de um pacote de jogos antigos para o Switch em comemoração aos 35 anos de Mario. Embora a própria companhia ainda não confirme isso, dois veículos de imprensa disseram ter fontes que apontam para o lançamento. O primeiro é o site Video Games Chronicles (VGC). Segundo a publicação britânica, várias fontes próximas ao projeto teriam confirmado que a Nintendo estaria programando o relançamento de remasters de jogos da série Mario para o Switch. A informação foi reforçada pelo Eurogamer, que também disse ter fontes sobre o assunto. O VGC foi além e apontou que Super Mario Galaxy e outros títulos 3D do bigodudo estariam na lista, junto Super Mario 3D World (do Wii U) e um novo Paper Mario. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Análise | Super Mario Maker 2 é feito tanto para quem quer criar quanto jogar Nintendo Switch | Os 10 melhores jogos exclusivos lançados em 2019 A Nintendo estaria planejando apresentar esse pacote em junho, durante a E3. Contudo, devido às preocupações com a COVID-19, o evento foi cancelado. Assim, ela poderia adiantar seus planos. O VGC também aponta que a japonesa pode apresentar novidades sobre seu parque temático e do novo filme de Super Mario junto ao Universal Studios. Contudo, tanto a indústria de parques quanto a do cinema estão com trabalhos suspensos. Em nota ao Polygon, a Nintendo disse apenas que não tem nada a anunciar no momento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Veja Mais

Niantic, criadora de Pokémon Go, compra startup especializada em mapeamento 3D

Niantic, criadora de Pokémon Go, compra startup especializada em mapeamento 3D

canaltech A Niantic, desenvolvedora de Pokémon Go, comprou a 6D.ai, startup especialista soluções de realidade aumentada. Um dos trabalhos mais recentes da companhia foi justamente uma ferramenta de mapeamento 3D que só precisa das câmeras de smartphones para funcionar. Atualmente, a desenvolvedora conta com uma ferramenta chamada Niantic Real World Platform, que serve de base para o sistema de RA empregado tanto em Ingress quanto em Pokémon Go. Com a aquisição, a Niantic está tirando do ar as ferramentas de realidade aumentada da 6D.ai para incorporá-las aos seus serviços. Google, Pokémon e Harry Potter: a trajetória de realidade aumentada da Niantic A startup foi criada em 2018 com proposta criar mapas tridimensionais coletivamente. Como mostra o vídeo abaixo, a ideia é utilizar os smartphones dos usuários para fazer o reconhecimento de ambientes. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.-   “Esta e outras ferramentas de RA são peças importantes na experiência da Niantic, para nossas comunidades de jogadores e desenvolvedores, tanto agora quanto para aqueles com quem vamos trabalhar no futuro. Para as pessoas que jogam nosso games hoje, isso significa mais experiências em realidade aumentada vindo aí”, informou a Niantic em comunicado oficial. Isso quer dizer que a companhia planeja melhorar a capacidade de realidade aumentada de Pokémon Go, Ingress e outros títulos, que atualmente se resume a misturar os personagens com o ambiente real. “Imagine todo mundo, ao mesmo tempo, podendo ver Pokémon habitando o mundo real ou ver dragões voando pelo céu e pousando em um prédio em tempo real”, instigou a empresa. Apesar da proposta criativa, as companhias ainda não têm qualquer projeto para lançar novas ferramentas para os jogos. “Estamos buscando trabalhar com o time da 6D.ai para continuar a desenhar nosso caminho pela frente”, finalizou a nota. Os montantes envolvidos na compra não foram revelados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Cinemark corta salários de funcionários corporativos em 50% devido ao coronavíru

Cinemark corta salários de funcionários corporativos em 50% devido ao coronavíru

canaltech A rede de cinemas Cinemark informou, através de um memorando, que fará cortes de pelo menos 50% nos salários de todos os seus funcionários corporativos. O CEO da empresa, Mark Zoradi, renunciou a todo o seu salário enquanto durar o período de fechamento dos cinemas em decorrência da pandemia da COVID-19. Uma das maiores cadeias de cinema do mundo, a Cinemark está sofrendo sobretudo pela suspensão de atividades para evitar a infecção pelo SARS-CoV-2, popularmente chamado de novo coronavírus, acontecer em um dos períodos em que era aguardada alta nas bilheterias devido ao lançamento de alguns blockbusters marcados para o fim do primeiro e início do segundo trimestre do ano. Imagem: Cinemark A Cinemark ainda indicou que não planeja demitir seus funcionários corporativos, ao contrário de outras empresas que estão se vendo forçadas a dispensar temporariamente grande parte de sua força de trabalho para não quebrarem. Segundo informações do The Wrap, 90% dos funcionários das concorrentes AMC e Regal foram dispensados nos Estados Unidos. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! Segundo Zoradi, “a prioridade da Cinemark, enquanto navega por essa incerteza, é garantir que a empresa possa abrir novamente os cinemas e empregar os membros de nossa equipe global. Estou ansioso pelo dia, no futuro, esperançosamente não muito distante, em que a equipe Cinemark possa mais uma vez receber os convidados para aproveitar a imersiva experiência de cinema que oferecemos em nossos cinemas.” Cinemas nos EUA também apresentam queda de público devido ao coronavírus Mais de 500 salas de cinema brasileiras fecharam por causa do coronavírus Cinemas dos EUA têm a menor bilheteria dos últimos 20 anos devido ao coronavírus Nos EUA, os cortes ocorrem três dias após o Congresso aprovar uma lei de incentivo trilionário que apoia as redes de cinema para que possam sobreviver sem maiores perdas ao período de isolamento. Além disso, a OTAN estabeleceu um fundo de US$ 2,4 milhões para apoiar financeiramente os funcionários de salas de cinema que estão sem renda. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Crítica | The Banker tenta estabelecer noções de igualdade

Crítica | The Banker tenta estabelecer noções de igualdade

canaltech Há algumas semanas, escrevi sobre Luta por Justiça (de Destin Daniel Cretton, 2019). Naquele filme, a ideia da direção parece ter sido deixar a questão racial o mais clara possível – ainda mais em uma sociedade que tende a negar seus atos falhos. Dentro dessa perspectiva, existe uma dinâmica interessante entre o preconceito que é mostrado, o desenvolvimento dos personagens e a abordagem de planos do diretor, algo que é bem equilibrado por mais que seja expositivo. Por outro lado, The Banker (disponível no Apple TV+) parte por um viés mais centrado em um único personagem e, a partir dele, constrói relações com os demais. Não que o filme de Cretton não tenha esse tipo de centralização (que é a personagem de Michael B. Jordan), mas, se aqui cada passo e decisão de Bernard Garrett (Anthony Mackie) influencia diretamente a vida dos demais e cada atitude externa influencia os passos de Garrett, no filme de Cretton o advogado Bryan Stevenson (Jordan) é uma espécie de interlocutor: ele não tem comando sobre a história. Leia também: 10 filmes importantes para refletir sobre racismo e Consciência Negra -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Cuidado! A crítica pode conter spoilers! A cor do dinheiro A partir da premissa, The Banker assume uma abordagem um tanto quanto limitante e passa a depender da habilidade da direção, o que influencia diretamente o trabalho do elenco. Não há tempo, por exemplo, para que seja apresentado o desenvolvimento de Bernard, para torná-lo crível. Inicialmente, ele é uma criança negra que se interessa por números e, então, passa a bisbilhotar reuniões financeiras de brancos ricos. Sozinho, aparentemente sem escola e até sem o apoio do pai – claramente pessimista pelo passado dolorido –, o menino acaba tornando-se uma espécie de gênio. "O menino acaba tornando-se uma espécie de gênio." (Imagem: Apple TV+) Leia também: 10 negros que marcaram o ramo da tecnologia Assim, o tratamento dado pela direção de George Nolfi (de Os Agentes do Destino, 2011) é simplório. Isso porque, mesmo com o filme sendo baseado em fatos e com a existência da possibilidade de Bernard ter aprendido e se desenvolvido sem auxílio direto algum, Nolfi pode alimentar a suposição perigosa de uma meritocracia solitária. E, aos poucos, parece ser exatamente isso que The Banker procura: estabelecer noções de igualdade sem mencionar a equidade, algo socialmente controverso talvez. Por outro lado, existe uma preocupação do roteiro – escrito por Nolfi e três debutantes na função (Niceole R. Levy, David Lewis Smith e Stan Younger) – em não trazer um personagem branco simpático para quebrar o gelo dos brancos racistas. Há uma profundidade que vai além dessa caricatura exposta até mesmo em Histórias Cruzadas (de Tate Taylor, 2011) e Estrelas Além do Tempo (de Theodore Melfi, 2016). Existe, sim, o branco que se torna parceiro da dupla formada por Bernard e Joe Morris (Samuel L. Jackson), mas sua função não parece superficial: Matt Steiner (Nicholas Hoult) carrega um racismo oculto, do tipo que pode ter boas intenções e acabar tornando-se agradecido, mas que se denuncia desde o princípio, quando diz que o que importa para si é a cor do dinheiro e não a da pele – mas o dinheiro, no caso, estava no bolso dos brancos. Cavalo de Troia no sistema Ainda, é interessante como essa relação de Bernard e Joe com Matt é quase como uma alusão à estratégia do Cavalo de Troia, com a dupla preparando tudo para adentrar no esquema por meios invisíveis. A primeira vez, inclusive, em que a personagem de Hoult parte para a compra de um grande imóvel é das mais interessantes de The Banker; é quase como estar presenciando uma ação – algo que Nolfi, além de Agentes do Destino, realizou em A Origem do Dragão (de 2016). Essa empolgação mais forte, infelizmente, talvez só seja sentida em mais uma única oportunidade, quando Bernard esquece a sua carapuça de raiva contida (bem descoberta por Joe) e expõe toda a opressão sistêmica diante de um tribunal cheio. Assim, as cenas do filme vão se intercalando, uma a uma, e, de repente, pode ser perceptível a importância do talento de Jackson. Seu personagem malandro contrapõe totalmente a morbidez do protagonista – até ofuscando a atuação quase monocórdica de Mackie. Bernard (Mackie) diante de um tribunal cheio. (Imagem: Apple TV+) Mas são os subtextos que dão alguma sobrevida a The Banker. As diferenças entre Bernard e Joe são fundamentais para uma exploração que tangencia as questões de classes sociais dentro da própria comunidade negra. Essas questões são mais expostas quando é Bernard quem precisa ensinar ao branco como se portar e parecer um homem rico. Nesse sentido, há uma visão relativamente mais profunda sobre a influência da classe social no mundo dos negócios e sobre como pequenos detalhes comportamentais – fúteis até – acabam por definir algum futuro (seja no micro ou no macro), o que foge da superficialidade de um filme como Green Book: O Guia. Leia também: Esses cientistas negros deixaram sua marca na história Jogar golfe como passo importante na transformação em Cavalo de Troia. (Imagem: Apple TV+) Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Nolfi, no final das contas, não realizou um filme esquecível. Há, sem dúvida, uma unidade na composição do todo em The Banker que é muito familiar: a coloração sépia para remeter a um passado real; a guia imposta pela trilha sonora de H. Scott Salinas, que, se vez ou outra soa com um peso dramático exagerado, parece acompanhar o excesso da situação (ou tentando desviar do atoleiro que são os números bancários); e, enfim, a tentativa de transformar tudo em uma história simples e digerível – por mais que, para isso, acabe deixando de lado a complexidade que é não ser um agente dentro das regras, mas alguém que, para entrar nelas (nas regras) e nas normas humanas, precisa ser uma exceção de fato e quebrar o sistema. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem TIM, Vivo e Oi permitem troca de chip remota na pandemia do novo coronavírus Veja Mais

Inteligência artificial é treinada para transformar atividade cerebral em texto

Inteligência artificial é treinada para transformar atividade cerebral em texto

canaltech Pesquisadores da Universidade da Califórnia, na cidade de São Francisco, estão desenvolvendo uma Inteligência Artificial (IA) que pode transformar a atividade cerebral em texto. De acordo com Joseph Makin, co-autor da pesquisa, o sistema pode ajudar na comunicação de pacientes que não conseguem se comunicar verbalmente ou por escrito. O projeto vem sendo financiado pelo Facebook, que apresentou a ideia ainda em 2017. Os cientistas dizem que ainda não chegaram a um produto final, mas acreditam que o que foi desenvolvido até então pode ser a base de uma futura prótese de fala. O projeto envolveu a participação de quatro voluntários que contam com eletrodos implantados no cérebro para o monitoramento de convulsões epilépticas. Imagem: Reprodução Os participantes dos testes precisaram ler em voz alta 50 frases várias vezes, fazendo então o rastreamento da atividade neural. Os dados obtidos alimentaram um algoritmo de aprendizado de máquina, um tipo de sistema de inteligência artificial que converte a atividade cerebral de cada frase falada em uma sequência de números. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Inicialmente, o sistema liberou frases sem sentido, com o seu desempenho melhorando conforme foi aprendendo como as sequências de números se relacionavam com as palavras. Os pesquisadores citaram alguns exemplos de como os erros surgiram, como confundir a frase "essas músicas harmonizam maravilhosamente" com "o espinafre era um cantor famoso". Quanto mais os sistemas forem treinados com voluntários, de acordo com os cientistas, menos treinamento poderá acontecer com o usuário final, sendo menos cansativo e com menores custos. Pesquisadoras dizem que ainda estamos bastante distantes da implementação deste recurso, sendo preciso considerar não só a precisão, como questões éticas. O Facebook Labs, que está investindo no projeto, conta ainda com outros focos com a mesma tecnologia, pensando em como criar formas de utilizar essa medida de forma menos invasiva. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Máscaras caseiras de pano são mesmo eficientes contra o coronavírus? Veja Mais

Como conseguir apps pagos de graça para Android e iOS

Como conseguir apps pagos de graça para Android e iOS

canaltech Não importa se o seu smartphone é um Android ou iOS, é possível obter, gratuitamente e de maneira legal, aplicativos que são geralmente pagos. Tanto a Play Store quando a App Store costumam liberar o pagamento de um ou mais apps ocasionalmente, sendo que todo dia tem alguma ferramenta para você instalar sem custos em seu celular. No Android, por exemplo, você pode usar aplicativos para ver a lista de outras aplicações que estão gratuitas no momento, ou pode também acumular créditos na Play Store ao responder por pesquisas no Google Rewards. Já no iOS, é possível utilizar também um aplicativo que tem a lista daqueles que ficaram sem custos por um breve período de tempo, ou um site que faz basicamente a mesma coisa. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Veja cada opção detalhadamente abaixo: Google Opinion Rewards (Android) Para participar de pesquisas com recompensas do Google, basta instalar o app Rewards e fazer um breve cadastro. Ocasionalmente, uma notificação vai te avisar que há pesquisa disponível. É só responder para ganhar alguns centavos por vez. Dá para acumular um bom dinheiro para usar na compra de aplicativos na Play Store depois. Saiba mais sobre o Google Opinion Rewards nesta matéria completa do Canaltech. Você Também pode baixar o app direto na Play Store. FreeAppsNow (Android) Se você não quer ter o trabalho de ficar respondendo pesquisas para juntar créditos aos poucos, pode baixar o aplicativo FreeAppsNow. Ele lista todos os apps que costumam ser pagos e estão temporariamente gratuitos de maneira fácil e organizada. É possível listar apenas os mais recentes, mais baixados ou pelo preço, para saber quanto você está economizando. É possível fazer o download direto pelo FreeAppsNow, que redireciona você rapidamente para a Play Store. Lembrando que, ao baixar qualquer aplicativo, ele é seu para sempre! Se trocar de celular ou desinstalar e quiser baixar de novo posteriormente, não precisa pagar (desde que utilize a mesma conta na qual fez o download gratuitamente). Clique aqui para baixar o FreeAppsNow na Play Store AppsFree (Android) Caption Outro aplicativo com funcionamento bastante semelhante ao FreeAppsNow. O AppsFree oferece filtros personalizados na busca, o que pode facilitar bastante a encontrar aquele jogo ou a ferramenta que você precisa. A lista é atualizada constantemente e inclui ainda papéis de parede e temas. É possível habilitar notificações para saber que tipo de app geralmente pago ficou gratuito recentemente. Clique aqui para baixar o AppsFree na Play Store FreeApp (Android) A terceira opção, também baixável na Play Store, tem uma vantagem para os outros dois: você pode vincular sua conta Google diretamente no FreeApp, e ele analisa seu histórico e biblioteca para fazer recomendações personalizadas. Isso pode ajudar a encontrar um novo jogo que tenha mais o seu estilo, ou um app que usa bastante e tem uma versão paga, permitindo o download no momento em que ela ficar gratuita temporariamente. Clique aqui para baixar o FreeApp na Play Store Apps Gone Free (iOS) Também existe um aplicativo para usuários de iPhone e iPad que mostra quais aplicações e jogos geralmente pagos ficaram gratuitos por tempo limitado. O Apps Gone Free, agora chamado oficialmente de AppAdvice Daily, lista tudo que está na App Store e pode ser instalado sem custo naquele dia, com uma curadoria personalizada para cada usuário. A lista é atualizada diariamente, e dá para acessar os apps do dia anterior para checar se algum ainda está em oferta. O app mostra o preço normalmente cobrado, para você saber que está realmente economizando e não baixando algo que já é gratuito e poderia instalar a qualquer momento. Também dá para acessar notícias e dicas direto na aplicação. Clique aqui para baixar o Apps Gone Free (AppAdvice Daily) na App Store AppShopper (iOS) Caption Uma opção que talvez seja mais interessante é o site AppShopper. Ele lista todos os apps geralmente pagos e que estão gratuitos na loja oficial da Apple, sem restrição por data. Se um aplicativo volta a ter o download cobrado, é simplesmente removido da plataforma. A lista inclui descrição de cada app e o preço geralmente cobrado por ele. Ao clicar no link, você é redirecionado para a página da App Store para fazer o download. Clique aqui para acessar o AppShopper E aí, gostou das dicas? Qual delas pretende testar primeiro? Conta pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Como está o Brasil depois de 30 dias do primeiro caso confirmado de COVID-19? TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Máscaras caseiras de pano são mesmo eficientes contra o coronavírus? Veja Mais

Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber

Auxílio emergencial: saiba quem tem direito e como receber

canaltech O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei da renda básica emergencial, que pagará R$ 600 por mês, ao longo de um trimestre, para trabalhadores informais, autônomos e sem renda fixa que tenham sido atingidos pelas medidas de isolamento social. A recomendação é parte do combate à pandemia do novo coronavírus, com a liberação de R$ 98 bilhões em orçamento e expectativa de atender 54 milhões de pessoas. O governo espera que a renda básica emergencial, conhecida informalmente como “coronavoucher”, comece a ser paga na segunda quinzena de abril, inicialmente aos beneficiários do Bolsa Família, que é o único auxílio governamental que poderá ser acumulado. De acordo com o governo, a medida atende àqueles em estado de maior vulnerabilidade e também é operacional, visto que os cidadãos já estão registrados e possuem um cartão da Caixa, o que facilita o repasse do dinheiro. - Sancionei o projeto que prevê auxílio emergencial de R$ 600/mês p/ trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais e outros afetados pelos efeitos da pandemia de Covid-19 por 3 meses. Benefício atende até 2 membros da mesma família, podendo chegar a R$ 1200. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- — Jair M. Bolsonaro (@jairbolsonaro) April 2, 2020 O projeto foi sancionado no dia 1º de abril, após aprovações na Câmara e no Senado, enquanto o orçamento para atendimento das demandas será liberado por meio de medida provisória. Além disso, um sistema digital será montado e funcionará por meio de aplicativo para que os beneficiados possam se cadastrar para receberem o benefício. Os valores serão pagos de acordo com requisitos do governo, que você confere abaixo. Quem tem direito a receber? Beneficiários do Bolsa Família devem ser os primeiros a receber a renda emergencial, que também vale para autônomos e profissionais informais (Imagem: Divulgação/Caixa) Para ter acesso à renda básica emergencial, o brasileiro deve seguir alguns critérios básicos fixados pelo governo, que novamente, tenta privilegiar os cidadãos que estejam em um estado de maior fragilidade social. De maneira geral, as regras para que os cidadãos possam receber os pagamentos são as seguintes: Ser maior de 18 anos; Não ter emprego formal; Ter renda mensal de até meio salário mínimo, R$ 522, por pessoa da família, desde que a renda familiar total não ultrapasse a marca de R$ 3.135; Não ter recebido nenhum rendimento tributável acima do teto de R$ 28.559.70 em 2018, de acordo com declaração do Imposto de Renda; Não estar recebendo assistências sociais ou previdenciárias, como programas de renda ou seguro desemprego, com exceção do Bolsa Família. Além disso, é preciso se enquadrar em pelo menos um dos requisitos abaixo, conforme determinação do governo federal: Ser microempreendedor individual (MEI) ou trabalhador informal; Estar inscrito no Cadastro Único de Programas Sociais (CadÚnico); Ser contribuinte do Regime Geral de Previdência Social (RGPS). Cada família poderá ter, no máximo, dois beneficiários, totalizando uma renda emergencial de R$ 1.200. Esse valor também será válido para mulheres chefes de casa ou famílias monoparentais; nestes casos, um único cidadão terá direito a receber duas cotas. Quem é atendido pelo Bolsa Família, os primeiros a receberem o “coronavoucher”, os valores do benefício (que pode variar de R$ 89 a R$ 180, além de bônus por número de filhos) serão substituídos pelos R$ 600 da renda básica emergencial ao longo dos três meses de prestação de auxílio pelo governo. Os totais não poderão ser somados e, ao final do programa, os beneficiários voltarão a receber os valores originais da assistência federal. Isolamento vertical ou horizontal: como o lockdown ajuda a combater a COVID-19 Coronavírus: qual a diferença entre COVID-19, SARS e MERS? Depois, será a vez dos cadastrados no CadÚnico, que também reúne beneficiários de programas de assistência social do governo. Na sequência, passam a receber os microempreendedores individuais (MEI) e autônomos, de acordo com cadastros feitos junto ao INSS, e por últimos, os informais não cadastrados. Nesse caso, o governo federal trabalha em um sistema online para que os trabalhadores possam fazer sua autodeclaração à distância para receberem o benefício. Os detalhes sobre esse processo e o acesso à plataforma ainda não foram liberados, com o governo prometendo falar mais sobre o assunto nos próximos dias. Onde sacar o benefício? Caixas eletrônicos da rede Banco24Horas permitirão saque de benefício, mesmo para clientes sem conta bancária (Imagem: Divulgação/Banco24Horas) Como dito, beneficiários cadastrados no Bolsa Família e outros programas assistenciais do governo serão os primeiros a receberem a renda básica emergencial e poderão usar os cartões que já possuem para retirada do dinheiro em agências da Caixa. O método para os outros, inclusive os não cadastrados, ainda não foram divulgados. Em uma medida para facilitar o acesso ao “coronavoucher”, a TecBan anunciou que o benefício também poderá ser obtido em toda a rede Banco24Horas. Os atendidos terão acesso ao dinheiro por meio dos caixas eletrônicos, utilizando CPF e um código que será enviado para o celular após aprovação do recebimento. Ataques hackers crescem à medida que pandemia da COVID-19 se alastra Está fazendo home office? Então fique de olho nestas dicas de segurança digital Golpe digital “avisa” que vítima pode estar com coronavírus De acordo com a empresa, que é administradora da rede, a ideia é estender o recurso de Saque Digital, já disponível para clientes de instituições brasileiras, também àqueles que não possuem conta em banco. “[Nosso propósito] é promover a inclusão financeira da população”, afirma Tiago Aguiar, head de novas plataformas da TecBan. “[Essa] é uma alternativa para pagamento do auxílio emergencial, criado para minimizar a crise econômica causada pelo coronavírus”. Outras medidas de apoio O pagamento do “coronavoucher” é a maior medida de apoio, mas não a única iniciativa do governo federal para aplacar os reflexos das medidas de isolamento social e contenção do coronavírus sobre os cidadãos. Desde o agravamento da pandemia, em meados de março, uma série de outras medidas vêm sendo aplicadas para facilitar o acesso da população a recursos e manter a economia funcionando. Renda básica emergencial deve ser liberada na segunda quinzena de abril e é a maior medida do governo federal para auxiliar famílias na crise causada pela pandemia do coronavírus (Imagem: Guilherme Gandolfi/Fotos Públicas) R$ 3 bilhões foram liberados para ampliação do Bolsa Família, com expectativa de que 1,2 milhão de novas famílias possam ter acesso ao benefício neste mês de abril. A iniciativa também serve para reduzir a fila de espera para aprovação no programa de assistência, que hoje teria cerca de 1,7 milhão de pessoas aguardando. Aposentados e pensionistas do INSS já podem solicitar o adiantamento de duas parcelas do 13º salário, a serem pagas em abril e meio deste ano. Além disso, o Instituto suspendeu a necessidade de prova de vida, de forma a evitar que os idosos, um dos principais grupos de risco do novo coronavírus, tenham que se deslocar até agências para realizarem o processo. De acordo com a Previdência, o benefício deve ser pago por até 120 dias além da necessidade de comprovação, tempo considerado necessário para o arrefecimento da pandemia. Ainda, o Banco Central autorizou bancos e instituições financeiras a estenderem prazos de financiamento imobiliário, para que parcelas possam ter os prazos de vencimento negociados por pessoas físicas ou jurídicas atingidas pelas medidas de isolamento. A ideia é isentar a população de multas por atraso, em caso de acerto entre as partes, e dar mais folga aos pagamentos, apesar de as medidas permitirem o recálculo de acordo com as taxas de juros vigentes. Este artigo será atualizado na medida em que o repasse de benefícios da renda básica emergencial estiver acontecendo, com mais informações sobre o funcionamento dos aplicativos e cadastros, e maiores detalhes sobre o recebimento do benefício. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

Moto G8 Power Lite é anunciado com bateria enorme e especificações básicas

Moto G8 Power Lite é anunciado com bateria enorme e especificações básicas

canaltech Sem muito alarde, a Motorola oficializou o Moto G8 Power Lite como uma opção mais acessível com bateria gigante. Suas especificações completas vazaram no final de março, confirmando o conjunto triplo de câmeras, processador da MediaTek e bateria de 5.000 mAh. Moto E6s é lançado no Brasil com câmera inferior e mesmo preço do E6 Plus Estes são os preços de lançamento do Moto G Stylus e Moto G Power nos EUA Em relação ao Moto G8 Power, anunciado no Brasil no começo de março, o Moto G8 Lite traz alguns cortes para justificar seu preço baixo. Isso fica claro na tela, por exemplo, que é IPS TFT com resolução HD+ de 6,5 polegadas. O notch em gota segue a tendência do ano passado, abrigando uma câmera de 8 MP (f/2.0). Celular é resistente a respingos de água (Foto: Reprodução/Motorola) Já o processador é um MediaTek Helio P35 (MT6765), trazendo oito núcleos com clock máximo de 2,3 GHz. Ele vem acompanhado com 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno (expansíveis via cartão de memória de até 256 GB). -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O conjunto de câmeras também é mais modesto, com sensor principal de 16 MP, sensor de profundidade de 2 MP e sensor de 2 MP com lente macro. Mantendo o foco na bateria, são 5.000 mAh com carregador de 10 W, o que pode demorar um pouco mais para recarregar. Ele também não vem com o sistema operacional Android 10 de fábrica, assim como o Moto E6s. Especificações do Moto G8 Power Lite: Tela: 6,5 polegadas HD+ IPS TFT; Chipset: MediaTek Helio P35 (MT6765) octa-core até 2,3 GHz; Memória RAM: 4 GB; Armazenamento interno: 64 GB (expansíveis via cartão de memória até 256 GB); Câmera traseira: 16 MP (f/2.0) + 2 MP macro (f/2.4) + 2 MP profundidade (f/2.4); Câmera frontal: 8 MP (f/2.0); Dimensões: 164,9 x 75,8 x 9,2 mm; Peso: 200 g; Bateria: 5.000 mAh Extras: leitor de digitais na traseira, entrada para fones; Cores disponíveis: azul; Sistema operacional: Android 9 Pie. Preço e disponibilidade A princípio, o Moto G8 Power Lite será lançado nos mercados alemão e mexicano pelo preço sugerido de 169 euros, ou cerca de R$ 970,00 em conversão direta. Nas próximas semanas, a Motorola prometeu lançá-lo em outros países da América Latina, Europa, Ásia e Austrália. Vale lembrar que o smartphone já foi homologado pela Anatel, ou seja, é bem provável que a marca o anuncie por aqui em algum momento.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Seis aprendizados para aplicar nos negócios pós-COVID-19 Veja Mais

Apple deixa de cobrar comissão da App Store de alguns apps de streaming

Apple deixa de cobrar comissão da App Store de alguns apps de streaming

canaltech Discretamente e sem anúncio oficial, a Apple confirmou que alguns serviços de vídeo estão dispensados da cobrança da comissão da App Store. Ao menos Amazon Prime Video, Altice One e Canal+ estão livres dos 30% retidos pela fabricante do iPhone a cada compra ou aluguel de vídeo feito por meio de sua plataforma. A porcentagem é uma das constantes desde que a Apple lançou a sua própria loja de apps. Os 30% são cobrados em todas as vendas de aplicativos, filmes, músicas, alugueis, assinaturas e complementos nas plataformas da Apple. Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Amazon Prime Video agora permite até seis perfis com a mesma conta Amazon Prime Video anuncia novo reality show "Soltos em Floripa" Ao site The Verge, a Apple confirmou que serviços “premium” estão isentos da cobrança, desde que se integrem com outros recursos do ecossistema Apple como o AirPlay 2, Siri, busca universal, aplicativo para tvOS e outros. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A mudança é transparente para o consumidor, que continuará pagando o valor listado. Já para os serviços de streaming, a novidade resulta em um aumento considerável no faturamento. Da parte da Apple, o fim da cobrança da comissão para alguns serviços acontece após processos na justiça, alegando que a cobrança seria uma prática de monopólio. Desenvolvedores de aplicativos e também o serviço de streaming Spotify alegam que a prática é desleal. A Apple respondeu às acusações em uma página, sem justificar a porcentagem retida das vendas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia 5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Liberadas mais de mil aulas para alunos do Fundamental e Médio no YouTube Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros a ultrapassar os 5 GHz em notebooks Veja Mais

Zoom interrompe lançamento de funções para focar em segurança

Zoom interrompe lançamento de funções para focar em segurança

canaltech Imagine que você tem um aplicativo funcional e consolidado, mas em menos de três meses vê seu número de usuários crescer 2000% e vira o centro das atenções não apenas dos utilizadores comuns, mas também dos hackers. É essa a história do Zoom, que viu sua base saltando de 10 milhões de pessoas em dezembro para 200 milhões em março e agora anuncia uma interrupção no fluxo de atualizações de recursos para lidar com questões de segurança. Ao longo dos próximos 90 dias, o foco do Zoom estará completamente sobre a solução de falhas de segurança, brechas que podem permitir o mau uso da aplicação e a divulgação de relatórios de transparência sobre tais questões. Com isso, o desenvolvimento de novos recursos fica interrompido temporariamente, com as atualizações focadas apenas na segurança da aplicação. O plano foi divulgado por Eric Yuan, CEO do Zoom. Em publicação oficial, ele pede desculpas à comunidade pelos problemas que foram encontrados ao longo das últimas semanas e afirma saber que a empresa ficou aquém das expectativas. Ele ainda diz que mesmo antes do anúncio das mudanças, sua equipe já trabalhava diretamente em otimizações para lidar com o novo fluxo de usuários e as maneiras diferentes pelas quais o app vem sendo utilizado ao redor do mundo, principalmente no que toca a segurança e a privacidade das informações. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Um dos focos de atenção são as escolas, que também adotaram o software para ministrar aulas online. Hoje, de acordo com Yuan, são 90 mil instituições de ensino de 20 países diferentes utilizando o app. Departamentos do governo também adotaram a solução, com os problemas também gerando seu revés — a SpaceX, por exemplo, baniu a utilização do Zoom entre seus funcionários por causa dos problemas de segurança. Brasil está entre maiores fontes de ataques usando Internet das Coisas Isolamento e home office levaram a aumento em ataques de ransomware no Brasil Por isso, mais do que apenas trabalhar em updates, os responsáveis pelo aplicativo estão trabalhando na divulgação de relatórios periódicos de transparência que elencarão os esforços e falarão sobre ameaças de segurança. Nesses documentos, por exemplo, constarão mudanças como a recente remoção de um código na versão iOS, que compartilhava informações dos usuários com o Facebook, e a desativação de um recurso que indicava a responsáveis por conferências quando os participantes estavam com a janela minimizada. Alterações em políticas também foram feitas pensando nas escolas, como limitações para que só professores possam compartilhar conteúdo e o fechamento de salas de aula por padrão, de forma que apenas cadastrados e autorizados possam entrar nelas. Essa, inclusive, é outra recomendação de segurança do Zoom para evitar um problema não ligado a brechas, mas que está levando à invasão de conferências públicas para exibição de conteúdo impróprio. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix

5 filmes espanhóis excelentes para assistir na Netflix

canaltech Com O Poço encabeçando a lista dos mais vistos da Netflix no Brasil, os filmes espanhóis entraram na mira de quem quer fugir da pegada hollywoodiana ou de quem simplesmente procura por um bom filme. Não que isso já não tivesse ocorrido em outras oportunidades, guiado por um ou outro da lista mais abaixo, mas talvez nunca tenha sido com o hype tão elevado como agora. Além disso, em um período que estamos todos necessitando de cuidados especiais contra uma pandemia, é provável que assistir a bons filmes durante o tempo a mais em casa seja uma das melhores saídas. Pensando nisso, o Canaltech preparou uma lista com alguns filmes espanhóis excelentes disponíveis no catálogo da Netflix. A ideia também foi indicar para muitos gostos diferentes, tanto para assistir quanto para reassistir. 10 filmes para assistir na Netflix durante a quarentena 10 filmes para assistir no Amazon Prime Video durante o isolamento Sem mais demora e, como sempre, dentro de uma abordagem sem verdades absolutas, vamos à lista de 5 filmes espanhóis para assistir na Netflix. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- 5. Verônica: Jogo Sobrenatural   Verônica: Jogo Sobrenatural (de Paco Plaza, 2017) é um terror carregado de suspense que sabe muito bem onde está pisando. Ao contrário de investir em quebras de expectativas, o corroteirista e diretor Paco Plaza (da trilogia inicial de [REC] – fica a dica), doa-se completamente à construção delas. Há, sem dúvidas, subversões de gênero, mas o filme está mais disposto a construir um horror crescente, sem descanso, típico do cinema espanhol – algo como faz o ótimo Um Contratempo (mais abaixo na lista). O trabalho cuidadoso e consciente de Plaza edifica bases sólidas para o filme de uma forma única: é um terror, de fato, que traz o sempre revisitado tema da possessão demoníaca, mas é claramente realizado com muito carinho e naturalidade. Pode ser perceptível que, nem tão em segundo plano, Verônica: Jogo Sobrenatural é sobre os “monstros” que despertam durante a adolescência. 4. Kiki: Os Segredos do Desejo   Dando a impressão de estar sempre buscando emular o cinema de Pedro Almodóvar, o diretor Paco León (um dos protagonistas do filme) faz de Kiki: Os Segredos do Desejo uma realização irreverente que conta com um elenco especialmente afiado. Muitos dos momentos mais engraçados chegam a ser ultrajantes (o que é um elogio aqui) e, quando as situações parecem passar do limite, há sempre uma certa empatia procurando envolver o espectador. Não consegue, de fato, copiar Almodóvar (e quem consegue?), mas é um exemplo de um filme um tanto quanto picante e com muito humor. Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? 3. Perfectos Desconocidos   Perfectos Desconocidos é um dos remakes de uma excelente comédia dramática italiana realizada um ano antes – a versão mexicana também consta na Netflix. O filme fala sobre a conexão com os mais próximos e como se está distante de conhecer, de fato, quem está ao redor. Ainda que procure se explicitar como uma realidade fantástica e, acertadamente, desnude o poder que tem a intimidade (o micro) de transformar o todo (o macro), fica a sensação de que o autoconhecimento ainda é o melhor caminho. Leia também: Crítica | Perfectos Desconocidos – o lobisomem de cada um 2. The Fury of a Patient Man   Originalmente Tarde para la ira, o filme, para fãs de suspense, pode ter um final um tanto quanto previsível. Mas o todo se difere de outros da lista por não alicerçar o seu suspense em reviravoltas. O que o diretor espanhol estreante Raúl Arévalo guia é um roteiro (escrito por ele mesmo e pelo também debutante David Pulido) que jamais julga seus personagens. É uma história que, por si só, é uma grande personagem. Na verdade, a história é a vilã, é uma marcha inevitável e destrutiva. Vencedor do Prêmio Goya de 2017 em quatro categorias – Melhor Filme, Melhor Ator Coadjuvante (para Manolo Solo, o Santi no filme), Melhor Estreia na Direção e Melhor Roteiro Original –, The Fury of a Patient Man é, provavelmente, o ponto mais fora da curva da lista. Não por permanecer entre gêneros ou se encaixar em mais de um, mas por não se tratar de algo clássico ou fechado e acabar por ser um recorte, um conto aberto... em direção ao tormento. 1. Um Contratempo   Um Contratempo parece beber de algumas das melhores fontes que retratam crimes perfeitos, como o próprio Alfred Hitchcock e Agatha Christie, além de ter uma evolução progressiva que traz muito dos melhores suspenses de Brian De Palma e uma dinamicidade fácil que se assemelha aos bons textos de Sidney Sheldon. A verdade é que Um Contratempo é construído com muita racionalidade, amarrado com cuidado e tem uma tensão crescente constante. Cheio de reviravoltas, o filme espanhol do diretor Oriol Paulo conscientemente engana, reengana e engana novamente. Ele faz o coração do espectador acelerar e, sabiamente, tem uma leve despretensão, no sentido de que precisa que o público deixe de lado o que tem como verdades possíveis e aceite se submeter a uma história construída para entreter. Como finalizei a crítica sobre o ele: "É um filme excepcional, que depende, sim, do grau de aceitação de quem estiver o assistindo. Pode ser, também, um exercício cardíaco bem interessante, porque, aceitando-o, o coração vai acelerar. E vai ser sem piedade". Menções honrosas Árvore de Sangue: porque Úrsula Corberó é uma atriz que vai muito além da Tokio de La Casa de Papel. E porque é um drama bem interessante que toca com carinho no universo das árvores genealógicas. El Desconocido: porque é um típico filme de cronômetro – ou você faz em um tempo predeterminado ou você morre... no caso, explode – bem realizado. Elisa y Marcela: porque é um romance biográfico com muitas camadas e é a primeira produção da Netflix a ter sido selecionada pela Berlinale. Na ocasião, houve uma reação forte dos cineastas alemães, que pediam a sua retirada da programação por ser fruto de um serviço de streaming. Quem com Ferro Fere: porque é um bom suspense dirigido por Paco Plaza, o mesmo de Verônica: Jogo Sobrenatural. Quién te cantará: porque é um dos filmes espanhóis mais diferentes do catálogo da Netflix. A história segue Lila, uma cantora famosa e com amnésia que, cansada da fama, acaba se esquecendo como se apresentar. Toc Toc: porque ver portadores do transtorno obsessivo-compulsivo sendo tratados com leveza e – por causa dessa leveza – com respeito rende as risadas mais empáticas da lista. A Trincheira Infinita: porque é um dos poucos filmes dirigidos por três cabeças que conseguem uma unidade bem clara. O roteiro conta a história de um marido marcado por um assassinato e uma esposa determinada a salvá-lo. Em um país dominado pelo fascismo, existe a trincheira de sua própria casa. É um drama com poder de comoção e identificação. O Vazio do Domingo: porque é um drama dos mais sensíveis entre todos os filmes disponíveis na Netflix. Conta a história de uma senhora de classe alta que recebe a visita inesperada de uma filha e... só assistindo. Agora, ficam aí os comentários para que, em um momento tão delicado, possamos trocar indicações e ir criando uma corrente de filmes cada vez maior. Tenho certeza que vocês podem complementar e enriquecer tudo. Vamos conversando, debatendo... É isso. Fiquem em casa, lavem as mãos, limpem os celulares, evitem levar as mãos ao rosto, cuidem-se e... bons e ruins filmes para nós! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

Análise | Resident Evil Resistance faz mau uso de tradição recente da franquia

Análise | Resident Evil Resistance faz mau uso de tradição recente da franquia

canaltech Uma das brincadeiras mais essenciais da primeira infância é a caixa com buracos em diferentes formatos, nos quais a criança deve inserir peças que combinem. Rapidamente, os pequenos aprendem que uma forma quadrada não se encaixa no buraco redondo e que diferenças de tamanho podem até fazer com que o jogo avance, mas passam longe de darem a liga necessária. Uma lição que a Capcom parece não ter aprendido. Após uma sequência de bons lançamentos que começou lá em 2017, com Resident Evil 7, e garantiu a ela dois assentos entre os melhores games do ano passado, com a reimaginação de Resident Evil 2 e o lançamento de Devil May Cry 5, a empresa agora deixou a peteca cair. Se as decisões questionáveis de enredo e os exageros de Resident Evil 3 já não foram suficientes, Resident Evil Resistance chega para mostrar que estávamos errados de acreditar que a Capcom havia encontrado um caminho — ou isso nunca aconteceu, ou ela conseguiu se perder novamente de forma incrivelmente rápida.   O título coloca quatro jogadores na pele de sobreviventes com diferentes habilidades, em cenários de sobrevivência, lutando contra um Vilão. Um quinto usuário é responsável por posicionar armadilhas e criaturas enquanto tenta impedir os personagens de cumprirem os objetivos que levam à fuga, em um experimento da Umbrella que permite até mesmo o controle direto de suas armas biológicas mais poderosas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Na teoria, a ideia até pode parecer interessante, além de estar sintonizada com tendências do mercado atual. Na prática, porém, é bem diferente. Anunciado primeiro como jogo individual e depois incluído de forma gratuita no pacote do remake de Resident Evil 3, que também chega nesta sexta-feira (03), Resistance é desenvolvido pela Neobards, que tem no currículo conversões dos clássicos da Capcom para o Switch. O game foi vendido como experimento e uma maneira de explorar novos rumos para a franquia, como se tentativas anteriores de aliar o multiplayer competitivo ao terror já não tivessem demonstrado isso de forma clara. Agora, estamos diante de mais uma comprovação. Como jogar Pokémon GO sem precisar sair de casa 18 jogos que estão gratuitos para jogar durante o isolamento em casa Nada contra jogos online, mesmo os de terror, com diferentes exemplos demonstrando que essa mistura pode funcionar se bem idealizada e realizada. O problema acontece quando as propostas são criadas a toque de caixa, seja como uma forma de capitalizar sobre uma marca de sucesso ou aproveitar conceitos com a desculpa de que eles estão sendo aplicados de outra maneira. Em ambos os casos, são problemas que atingem Resident Evil Resistance diretamente e fazem pensar sobre a validade do velho ditado sobre injeções gratuitas na testa. Paciência e lentidão Uma mensagem de problemas de conexão aparece o tempo todo para mostrar que os servidores de Resident Evil Resistance estão sofrendo um bocado (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) A saúde dos servidores aparece como um dos primeiros adversários no game, mas aqui, antes de começarmos, é importante deixar claro que jogamos o título antes de seu lançamento oficial, enquanto apenas membros da imprensa mundial e produtores de conteúdo tinham acesso a ele. É claro, temos uma população online menor do que a encontrada em um título já disponível ao público, mas, ainda assim, os longos períodos de espera para a formação de partidas chega a ser inexplicável, principalmente quando percebemos que a falha se repete na Beta aberta ao público, essa sim muito mais povoada. Em alguns casos, durante nossa experiência, a formação de partidas chegou a ultrapassar 10 minutos no modo aleatório, que teoricamente seria o mais rápido e aloca jogadores em qualquer espaço disponível nos servidores. Caso tentemos jogar exclusivamente como Vilão, esse prazo pode chegar a ultrapassar meia hora, uma vez que há bem menos assentos disponíveis para esse papel. Os problemas continuam quando finalmente conseguimos jogar. Ao contrário do que acontece com muitos títulos online, Resident Evil Resistance apresenta uma performance estável, com todas as partidas das quais participamos se mantendo do início ao fim, sem desconexões ou travamentos. A latência, entretanto, toma conta de toda a experiência. A interface confusa e cheia de elementos dificulta o caminho pelos cenários artificialmente labirínticos de Resident Evil Resistance (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Não será raro ver tiros sendo registrados nos inimigos de forma atrasada ou monstros posicionados pelo vilão brotando de repente, enquanto deveriam seguir toda uma preparação para dar aos sobreviventes a chance de se prepararem rapidamente. Em absolutamente todas as partidas de Resident Evil Resistance que jogamos, observamos, na tela, a mensagem de que a conexão com o Vilão estava prejudicada. É um problema estranho, que parece não atingir o todo, mas apenas partes do pacote. Não foi possível observar travamentos na movimentação de aliados, por exemplo, enquanto jogando como Vilão não deu para perceber a latência no controle de monstros ou nos ataques recebidos e desferidos contra os sobreviventes. A falha parece estar na disposição de inimigos controlados pela inteligência artificial, no funcionamento das armas e no reconhecimento de dano entre eles e os protagonistas, uma demonstração de que algo bem mais complicado de ser resolvido pode estar atingindo a infraestrutura. Câmera próxima demais e quantidade absurda de elementos também entram no caminho da experiência. Afinal, o que está acontecendo nesta imagem de Resident Evil Resistance? (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Tudo isso torna o combate até mesmo contra armas biológicas mais fracas, como zumbis e cachorros, mais difícil do que deveria, enquanto toda a ação se torna um bocado injusta, mas para apenas um lado. Um reflexo de um desbalanceamento que é parte integrante da experiência com Resident Evil Resistance, mas que ao contrário dos problemas de infraestrutura — e, novamente, frisamos que nossa experiência aconteceu em um ambiente pré-lançamento —, está no cerne do jogo e não pode ser resolvida com simples atualizações ou manipulações de números. Âncora nos pés Um dos principais destaques do remake de Resident Evil 2, e também o motivo pelo qual ele se tornou um dos melhores survival horrors desta geração, é seu ritmo aterrorizante e cadenciado. O jogador segue sala a sala sem saber exatamente o que esperar, tendo de gerenciar munição e itens de cura para desafios que desconhece, tendo sempre a sensação de que algo de muito ruim vai acontecer. O lag absurdo dificulta o combate até mesmo contra os oponentes mais fracos de Resident Evil Resistance (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) O remake de Resident Evil 3 volta a aplicar essa fórmula de maneira um pouco mais solta, principalmente em sua primeira metade. O game foca um pouco mais na ação e, para garantir maior mobilidade, adiciona elementos como esquiva, mais munição e mecânicas direcionadas e mais convidativas ao combate, mas sem perder as bases do terror. Resistance simplesmente vira a mesa e tenta adicionar um todo frenético a uma parte que simplesmente não conversa com isso. Como dito, um dos motes da experiência do survival horror é a opressão, com corredores apertados e inimigos em uma crescente de dificuldade que trazem, sempre, uma sensação de insegurança ao jogador. A transposição dessas características para o mundo online se traduz em confusão e desbalanceamento, em uma experiência que irrita e amarra o usuário. Os 5 melhores jogos de survival horror de todos os tempos Os lançamentos de jogos mais aguardados para abril de 2020 Os cenários são bonitos e cheios de elementos, fazendo bom uso do motor gráfico RE Engine, mas se tornaram labirínticos de forma artificial. Encontrar o caminho nunca é uma tarefa fácil, enquanto abrir o mapa que persiste na tela só torna ainda pior a bagunça de uma interface cheia de ícones, indicações, textos e imagens que confundem. Os indicadores de áudio e as provocações do Vilão se misturam às falas dos protagonistas e sons das criaturas, em uma maçaroca que ofusca a trilha sonora criada para dar o tom dos desafios e, também, indicar a presença de armas biológicas supremas no cenário. O resultado é muito maluco e, às vezes, incompreensível. O mesmo também vale para a dinâmica de Resident Evil Resistance em si. O game tenta aplicar a exploração de cenários de seus irmãos maiores em um estilo mais frenético, mas acaba caindo em um de dois extremos — ou os sobreviventes ficam como baratas tontas tentando cumprir objetivos que não sabem bem quais são, ou completam as missões de forma direta ao ponto, já que o game não possui uma aleatoriedade real no posicionamento de itens-chave, e sim, cenários pré-prontos que podem ser selecionados pelo Vilão. Sobreviver, em Resident Evil Resistance, depende da coordenação e conhecimento dos jogadores. Quando tudo não é corrido e rápido, os problemas deixarão o jogador bem nervoso (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Caso os usuários saibam o que fazer e estejam bem coordenados, cumprir os objetivos será fácil e rápido. A Neobards tenta contrabalancear isso com a aposta na habilidade do Vilão em posicionar monstros e utilizar armadilhas, e aqui, entra em jogo o maior aspecto negativo de Resident Evil Resistance e uma desfiguração da já citada sensação de insegurança de suas raízes no survival horror. O game é completamente desbalanceado nesse sentido, permitindo que o oponente simplesmente inunde o cenário de ameaças, enquanto os sobreviventes ficam sem margem de manobra. Outra evidência dessa falta de cuidado está na utilização de monstros como William Birkin e Tyrant, ambos com ataques one hit kill e resistência descomunal, sendo forças ainda mais implacáveis do que nos próprios jogos que os originaram, onde os protagonistas tinham suas artimanhas e maneiras de lidar com eles. Vilão pode inundar cenário com monstros, transformando Resident Evil Resistance em uma experiência confusa e nada balanceada (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) E novamente, retornamos ao ponto anterior. Caso um usuário se perca pelo caminho para a saída, uma partida bem-sucedida pode ir rapidamente para o ralo enquanto o Vilão “flooda” a área das portas com inimigos, com sobreviventes desesperados e sem a capacidade de lidar com as ameaças. A câmera próxima demais dos personagens e os cenários apertados contribuem para essa sensação de confusão e para a vontade de desligar o videogame. Felizmente, a Capcom e a Neobards não caíram na armadilha fácil das microtransações para monetizar Resistance, adotando a prática considerada ética de contar com incrementos apenas estéticos na compra com dinheiro de verdade. Habilidades e melhorias são habilitadas somente com dinheiro virtual, obtido jogando, mas levando todo o restante em conta, há pouco incentivo para permanecer conectado e, principalmente, esperar muito tempo por partidas confusas e nada equilibradas. As loot boxes compradas com dinheiro real em Resident Evil Resistance são estéticas, enquanto as que dão novas habilidades só são obtidas jogando (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Já que a ideia é passar ódio, é melhor fazer isso do jeito certo, encarando Nemesis em Resident Evil 3 ou, então, tentando fazer com que as reminaginações da Capcom se encaixem na cronologia já sacramentada da franquia. Pelo menos, no game principal, temos uma experiência melhor acabada, ainda que com grandes problemas, enquanto em Resistance, apenas a confusão reina. O game é melhor do que outras experiências da franquia focadas no multiplayer competitivo, é verdade, mas isso não é um elogio, já que todas são bem ruins. O novo game pode até ter uma ideia interessante e que poderia funcionar se criada com cuidado e, principalmente, de forma direcionada. O reaproveitamento que vemos aqui, no final das contas, acaba não servindo de nada, a não ser pintar um panorama bastante negativo e um retorno a um passado que muitos jogadores estavam começando a esquecer. Resident Evil Resistance foi testado no PlayStation 4 com cópia digital gentilmente cedida ao Canaltech pela Capcom. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Spotify ganha novidade para quem quer descobrir músicas com mais facilidade Novos Intel Comet Lake-H são os primeiros do mundo a ultrapassar os 5 GHz YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 App de vídeochamadas Zoom é acusado de propaganda enganosa sobre criptografia Veja Mais

COVID-19 | Astronautas dão dicas para você lidar melhor com o isolamento social

COVID-19 | Astronautas dão dicas para você lidar melhor com o isolamento social

canaltech Vivemos um período de grande preocupação mundial por causa da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), e um jeito de conter a situação da melhor forma possível é o isolamento social, ou seja, basicamente ficar em casa e só sair quando for extremamente necessário. Com isso em mente, astronautas norte-americanos, que sabem muito bem como lidar com o isolamento por meses a fio, trouxeram algumas dicas para o público nessa época tão conturbada. Durante entrevista via satélite à CBS no último dia 23 de março, Peggy Whitson (astronauta aposentada da NASA que, em 2017, bateu o recorde da agência espacial de maior quantidade de tempo contínuo no espaço, com um total de 665 dias), falou sobre o assunto, destacando primeiramente a importância de interagir bem com as pessoas com quem você mora. Peggy comparou nossa situação atual com a forma como os astronautas vivem a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS) , e ofereceu dicas para lidar com isso. "Muitas pessoas estão tentando trabalhar com a família em casa, e isso se torna muito desafiador, mas foi exatamente o que fizemos a bordo da ISS. Nossa equipe se tornou nossa família em órbita e tivemos que não apenas trabalhar com eles durante todo o dia, como não poderíamos ir para casa à noite. Ficávamos lá a bordo da estação e tínhamos que interagir", conta. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Coronavírus no espaço? O que a NASA faria caso um vírus do tipo chegasse à ISS Coisas do cotidiano da Terra que astronautas não podem fazer no espaço Cocô no espaço: como os astronautas fazem o “número 2” na ISS? Contra o coronavírus, lave as mãos! Veja como astronautas se higienizam na ISS Astronauta Peggy Whitson dá dicas de como lidar com o isolamento da melhor forma possível (Foto: NASA) Ela também revela que os astronautas se preparam com bastante antecedência para aperfeiçoar suas habilidades quando o assunto são relacionamentos interpessoais: "Na verdade, treinamos para melhorar essas habilidades, porque queremos que todos lidem bem uns com os outros a bordo da estação espacial. Você não escolhe sua equipe, apenas estará lá em cima e precisará tirar o melhor proveito de qualquer situação. Nossas vidas dependem uma da outra, por isso [essa habilidade] é importante". A astronauta acrescenta que um fator importante que ajuda os astronautas a permanecerem positivos em seu ambiente é a existência de um objetivo: "A COVID-19 nos dá um objetivo. Estamos salvando vidas em quarentena. É importante entender esse propósito maior e adotá-lo para continuar atendendo à situação". Para aqueles que estão ficando entediados ou inquietos em casa, Peggy conta que, na estação espacial, fazia tarefas extra sempre que possível, mantendo corpo e mente ativos. Além disso, a astronauta sugere que as pessoas em casa se perguntem o seguinte: quais coisas vocês fariam se tivessem mais tempo, como, por exemplo, ler, escrever poesia, fazer alguma atividade artística ou algo que não consegue fazer por falta de tempo? Por sua vez, o também ex-astronauta da NASA, Scott Kelly, ofereceu alguns ensinamentos por meio de um artigo do New York Times. Primeiro, Kelly observa que sua rotina consistente ajudou a manter a motivação. "Manter um plano ajudará você e sua família a se adaptar a um ambiente diferente de trabalho e vida doméstica. Quando voltei à Terra, senti falta da estrutura que seguia e achei difícil viver sem ela", aponta. No entanto, ele observa que é importante seguir o ritmo para não ser engolido pelo trabalho e pelas listas de tarefas. Scott Kelly faz comparações com a experiência no espaço (Foto: NASA) Dia do Astronauta! Saiba mais sobre esses valentes exploradores espaciais Você sabia que ver a Terra do espaço muda sua concepção sobre o planeta? O que seria feito com o cadáver de um astronauta que morresse no espaço? Este é o Brasil visto do alto da Estação Espacial Internacional; veja fotos Scott conta que os astronautas, na ISS, permanecem conectados com seus amigos e familiares na Terra por meio de videoconferências, então sugere que as pessoas liguem para amigos e familiares para garantir que não se distanciem de relacionamentos que possam ajudar na situação. Além disso, recomenda que as pessoas adquiram hobbies como ler, tocar instrumentos musicais, criar artes ou manter um diário atualizado, por exemplo. "Tire um tempo para atividades divertidas: eu me encontrei com colegas de equipe para noites de cinema, com lanches, e assisti a todos os episódios de Game of Thrones - duas vezes". Enquanto estava no espaço, obviamente, Kelly não teve a oportunidade de sair para tomar um ar fresco, e ele diz que percebeu a diferença. "Depois de ficar confinado em um pequeno espaço por meses, comecei a sentir falta da natureza - a cor verde, o cheiro de terra fresca e a sensação de Sol quente no meu rosto", conta. Com isso, o astronauta sugere que as pessoas encontrem uma maneira de pegar um pouco de ar fresco - na medida do possível, claro evitando contato com outras pessoas: "A pesquisa mostrou que gastar tempo na natureza é benéfico para a nossa saúde mental e física, assim como o exercício". Já o ex-astronauta canadense Chris Hadfield compartilhou, no último dia 21 de março, um vídeo em seu canal do YouTube chamado Um guia de auto-isolamento de um astronauta (em tradução literal), para ajudar as pessoas a descobrirem como viver suas vidas nessas circunstâncias provocadas por uma pandemia . "Passei um pouco de tempo me isolando a bordo de uma nave espacial. É um ambiente extremamente perigoso, mas encontramos uma maneira de prosperar e ser produtivo, longe das nossas vidas normais", conta.   No vídeo em questão, Hadfield compartilha um processo de quatro etapas que os astronautas usam para lidar com o isolamento no espaço - e que as pessoas podem aplicar em suas vidas agora aqiu na Terra. Primeiro, ele sugere que as pessoas estudem e pesquisem mais sobre a pandemia e suas consequências. "Entenda o risco real, não tenha medo. Vá a uma fonte confiável e descubra qual é realmente o risco que você está enfrentando agora - você, sua família, seus amigos, as pessoas com quem você se importa". Em segundo lugar, ele sugere que as pessoas entendam seus objetivos. Em seguida, recomenda que as pessoas resolvam as restrições desses objetivos. "Quem está lhe dizendo o que você precisa fazer? Quais recursos financeiros você possui? Quais são suas obrigações?", questiona. O quarto e último estágio desse processo é agir. "Depois de entender o risco e sua missão, seu objetivo e suas obrigações, então tome medidas e comece a fazer as coisas. Cuide da família, comece um novo projeto, aprenda a tocar violão, estude outro idioma, leia um livro, escreva, crie. É uma chance de fazer algo diferente que você talvez não tenha feito antes, e depois repita", indica. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Veja Mais

Rede de hotéis Marriott expõe dados de 5,2 milhões de hóspedes

Rede de hotéis Marriott expõe dados de 5,2 milhões de hóspedes

canaltech A rede de hotéis Marriott voltou a ser o centro de um grande vazamento de dados, desta vez expondo informações pessoais de 5,2 milhões de hóspedes. Nomes completos, endereços de e-mail, telefones e datas de nascimento estão no volume acessado por terceiros, que também inclui números de fidelidade da própria companhia e empresas aéreas parceiras, assim como pedidos especiais e preferências de quarto. Em comunicado oficial, a Marriott disse que o acesso às informações foi detectado no final de fevereiro, mas vinha acontecendo desde meados de janeiro. Informações sensíveis como números de documentos de identificação, passaportes ou dados bancários não foram comprometidos, mas a investigação sobre o caso ainda está em andamento. De acordo com um porta-voz da rede, a intrusão aconteceu por meio das contas de acesso ao sistema de dois funcionários de uma das unidades da franquia, cuja localização não foi indicada. Por mais que tenha confirmado o escopo das informações comprometidas, a Marriott não falou no alcance disso, deixando de informar se os dados se referem apenas aos hóspedes desta localização específica ou se os invasores chegaram a visualizar informações de quem permaneceu em outro hotel da marca. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Sobre isso, a companhia disse apenas que os atingidos estão sendo notificados, enquanto os logins comprometidos foram desabilitados para que o acesso não-autorizado às informações fosse interrompido. O comunicado também não fala sobre um possível download ou vazamento dos dados na internet, afirmando apenas que as informações foram visualizadas e agora estão sendo monitoradas para que a devida assistência possa ser dada aos atingidos. Hackers estão invadindo conferências do Zoom para exibir pornografia Brasil está entre maiores fontes de ataques usando Internet das Coisas Para atender aos hóspedes, a rede Marriott está enviando e-mails e criou instâncias exclusivas em seu call center, assim como um portal online onde usuários podem checar se suas informações foram comprometidas. A recomendação da empresa é que os usuários atingidos modifiquem suas senhas e ativem a autenticação em duas etapas; em alguns países, a rede também oferece um ano de assinatura de serviços de monitoramento de vazamentos de dados para alguns hóspedes de caráter mais sensível. É a segunda vez que um vazamento dessa magnitude atinge a marca Marriott. Em janeiro do ano passado, a rede informou que os dados de 383 milhões de hóspedes vazaram após a invasão de um servidor de reservas da rede por hackers, no maior caso de comprometimento de informações pessoais da história. Entre as informações expostas estavam 8,6 milhões de números de cartões de crédito e 5 milhões de passaportes. Como neste caso, a rede de hotéis evita falar na participação de outros países na nova invasão, apesar de, no ano passado, o governo dos Estados Unidos ter indicado a possibilidade de envolvimento da China na invasão dos servidores de reservas. No caso da vez, as investigações ainda estão em andamento e ainda não existe nenhuma informação sobre possíveis responsáveis. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Veja Mais

Disney aproveita adiamento de Viúva Negra e troca compositor da trilha sonora

Disney aproveita adiamento de Viúva Negra e troca compositor da trilha sonora

canaltech O próximo filme mais aguardado do Universo Cinematográfico Marvel (MCU) é Viúva Negra, que teve sua estreia suspensa por causa da pandemia da COVID-19. Aproveitando o período de isolamento, a Disney decidiu usar o tempo extra para fazer modificações que não teriam sido possíveis caso o filme ainda estivesse programado para estrear no dia 1º de maio. Segundo informações do Film Music Reporter, o estúdio trocou o compositor da trilha sonora de Viúva Negra. A troca, no entanto, é no mínimo estranha: originalmente o escolhido para a função foi Alexandre Desplat, que tem no currículo as trilhas de filmes como A Forma da Água (Guillermo del Toro, 2017) e O Grande Hotel Budapeste (Wes Anderson, 2014), além de 10 indicações ao Oscar e outros tantos prêmios. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Lorne Balfe (Imagem: Sundance Now) No seu lugar entrou Lorne Balfe, que compôs a trilha sonora de Os Pinguins de Madagascar (2014), O Exterminador do Futuro: Gênesis (2015), Lego Batman: O Filme (2017), Missão: Impossível - Efeito Fallout (2018), Esquadrão 6 (2019) e do recente Bad Boys Para Sempre (2020). -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Viúva Negra ganha primeiro trailer com novos personagens; assista Viúva Negra | Trailer final mostra o Treinador com habilidades dos Vingadores Viúva Negra é adiado pelo Marvel Studios por tempo indeterminado Não foi divulgado o motivo da troca de compositor, mas, ao olharmos para a filmografia de ambos, uma possibilidade surge: ainda que Desplat seja um trilhista muito mais reconhecido, Balfe parece ter uma expertise maior quando se trata de filmes de ação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 YouTube vai para cima do TikTok com novo recurso até o fim de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Estado de SP vai usar IA para avaliar deslocamentos e efeitos da quarentena

Estado de SP vai usar IA para avaliar deslocamentos e efeitos da quarentena

canaltech Compreender o fluxo e o deslocamento de pessoas é fundamental nesse momento de distanciamento social diante do novo coronavírus (SARS-CoV-2). São informações essenciais para que as autoridades possam mensurar a eficácia do confinamento e definir estratégias na prevenção e tratamento da COVID-19. Por isso, o governo do Estado de São Paulo adotou nesta quarta-feira (1) um novo parâmetro de medição, que vai usar o poder da inteligência artificial (IA) para analisar dados da população. O estudo será realizado em uma parceria entre o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo, e a Vivo, que vai fornecer recursos de Big Data de seus usuários. O objetivo é fornecer informações agregadas e não individualizadas — ou seja, sem consulta de dados pessoais ou sensíveis — sobre deslocamento populacional, em tempo real, nas diferentes localidades do Estado. O monitoramento será baseado em um "mapa de calor", que indica maior ou menor concentração de pessoas por praça, em diferentes períodos. Com o resultado nas mãos, a equipe do IPT poderá identificar as regiões com maior fluxo em pontos estratégicos das cidades e usá-lo como referência para diversas ações. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Por exemplo, um hospital poderá identificar se há muita gente transitando em um bairro e projetar a demanda de atendimento. Com o cruzamento de casos confirmados da COVID-19, será possível saber se essa localidade é um ponto crítico — e, assim, os profissionais poderão preparar melhor o possível atendimento, assim como os leitos e equipamentos. Imagem: Reprodução/Roberto Parizotti - Fotos Públicas Isso também deve ser usado em pontos de vacinação e postos de saúde. Outra análise dessa concentração vai permitir compreender melhor o fluxo de pessoas nas principais vias da cidade e a movimentação dos moradores entre os bairros.  O comunicado destaca que as informações são geradas a partir de dados disponíveis na rede móvel da operadora são relacionados exclusivamente ao deslocamento de grupos de pessoas. As informações serão analisadas de forma agregada e anonimizada, sem individualização dos usuários, para que a privacidade seja respeitada. “Vale ressaltar ainda que esses dados são acessíveis e comuns a qualquer operadora móvel do Brasil”, complementa a Vivo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

COVID-19 | Rússia anuncia app para monitorar pessoas com novo coronavírus

COVID-19 | Rússia anuncia app para monitorar pessoas com novo coronavírus

canaltech A tecnologia cada vez mais tem sido empregada para ajudar o mundo a combater a pandemia causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2). Uma das soluções que inclusive foi usada pela China para evitar que pessoas cujo teste já deu positivo é instalar aplicativos para monitorar a localização desses pacientes. Países da Europa também pensam em adotar prática semelhante, e a Rússia parece estar perto de disponibilizar o app. Tecnologias médicas ajudam o grupo de risco no combate à COVID-19 Veja como fica o pulmão de um paciente com sintomas graves de COVID-19 Poluição do ar pode aumentar casos de contaminação pelo novo coronavírus De acordo com reportagem da BBC, Eduard Lysenko, chefe de TI da cidade de Moscou já avisou que o serviço de monitoramento de pessoas começa a funcionar nesta quinta-feira (2). O app vai funcionar em dispositivos Android e iOS e será utilizado para saber o paradeiro de pacientes que testaram positivo para o novo coronavírus e acabaram liberados do hospital. O governo deve emprestrar um smartphone com a aplicação instalada para quem não possuir um dispositivo. Especialistas já alertam sobre um dos maiores problemas de o governo usar um aplicativo para monitorar o paradeiro e movimentação das pessoas. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- “Estamos preocupados com a possibilidade deste aplicativo ser usado para monitorar a movimentação de milhões de pessoas, bem como se provar uma ferramenta para controle social”, contou o pesquisador da Privacy International Tom Fisher à BBC. Apesar disso, o especialista ainda alertou que este não é o momento para que as pessoas percam a confiança no governo ou em autoridades de saúde com a existência de “vigilância invasiva e desnecessária”, pois “só traria danos aos esforços para combater o vírus”. Solução parecida para outros europeus Europa luta para sobreviver à pandemia de COVID-19 (Imagem: Fotos Públicas) Além da Inglaterra, que já anunciou o desenvolvimento de um aplicativo semelhante que deve ser disponibilizado em cerca de três semanas, cientistas europeus também estudam uma ferramenta do tipo, que seria integrada entre diversas localizações. A ideia é relaxar um pouco as restrições nas fronteiras, já que cada cidade poderia monitorar por onde andam as pessoas que já testaram positivo para o vírus, impedindo que elas saiam de suas casas. No caso da ferramenta europeia, são mais de 130 cientistas e tecnólogos que buscam uma solução. Eles pretendem criar uma ferramenta para ajudar a rastrear quem testou positivo para o coronavírus, alertando conhecidos e possibilitando que quem estiver saudável leve uma vida mais normal. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Governo vai usar sistema automatizado de ligações para monitorar COVID-19 Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Em meio a crise, startups buscam profissionais

Em meio a crise, startups buscam profissionais

canaltech O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou essa semana que a taxa de desemprego no Brasil subiu 11,6% no trimestre encerrado em fevereiro. O aumento foi de 479 mil na comparação com o período encerrado em novembro. Hoje existem mais de 12 milhões de desempregados no país e a tendência é de um cenário ainda pior devido aos impactos do coronavírus sobre a economia. Mas nem tudo é tragédia. Levantamento recente, realizado pela Revelo, empresa de tecnologia em Recursos Humanos, aponta aumento de 15% nas contratações de posições ligadas a operações e tecnologia. Além disso, com a quarentena, o e-commerce, especialmente no setor de alimentos, tem tido um forte aumento nas venda e consequentemente demanda por novos profissionais. A Raízs, plataforma que conecta consumidor interessado em alimentos orgânicos aos pequenos produtores de todo o Brasil, é um exemplo. A startup, desde o início da pandemia, dobrou o número de funcionários na parte operacional para comportar os pedidos que aumentou cinco vezes. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Já a Via Varejo está com dezenas de vagas abertas para contratação imediata de profissionais para a área de Tecnologia da Informação (TI). O foco está na admissão de desenvolvedores de softwares (front end e back end) e analistas de dados, entre outras funções, em diversos níveis de senioridade. A empresa mantém ritmo acelerado no processo seletivo. Da entrevista à admissão, o tempo de contratação leva de uma a duas semanas. Em decorrência da quarentena, as entrevistas estão sendo feitas de forma não presencial. Uma vez contratados, os novos funcionários são integrados dentro do programa de onbording à distância e recebem o equipamento necessário em casa ou buscam em uma central operacional. A M4U, por sua vez, empresa carioca de tecnologia líder no desenvolvimento de plataformas de pagamento e gestão, conta com 37 vagas abertas. Com a pandemia foi necessário digitalizar as soluções de pagamento para os clientes, o que gerou uma demanda de novos projetos. A startup tem uma política de full remote, por isso os candidatos não precisam ser necessariamente do Rio de Janeiro. No ramo da psicologia, a Vittude, startup que oferece terapia online, conectando psicólogos a pacientes, teve um aumento de 318% no número de novos pacientes. A empresa lançou o plano trimestral gratuito para os profissionais, que poderão usar a plataforma sem custo algum, já que WhatsApp, Skype e outros sistemas não atendem requisitos de segurança da informação. A iniciativa é para ajudar o profissional que, do dia para a noite, se viu obrigado a atender online. Apenas em uma semana, o cadastro de psicólogos cresceu 835% e, desde então, a busca de pessoas por apoio emocional e sessões de terapia não parou de crescer. O site da startup, que registrava a marca de 2 milhões de visitantes únicos por mês em períodos normais, já está presente em mais de 50 países, com mais de 60 mil usuários e cerca de 4,5 mil psicólogos cadastrados. Planos mantidos Outra boa notícia é que certas empresas continuam com vagas anteriormente abertas mesmo em meio a pandemia, por meio da realização de processos seletivos online. A Contabilizei, escritório de contabilidade que oferece os serviços de forma online, tem 28 novas vagas para as cidades de São Paulo e Curitiba. Por oferecer todos os serviços online, mesmo em tempos como os atuais, a startup não parou os processos seletivos. As entrevistas são feitas por vídeos e testes online. Eles fazem o agendamento de uma call e acompanham o candidato por meio de testes em tempo real. A Locaweb, empresa de soluções B2B para transformação digital de negócios, também permanece com 42 posições abertas. As vagas abrangem as áreas comercial, atendimento ao cliente, CRM, marketing, engenharia de software, designer, desenvolvedores, segurança da informação, infraestrutura, programação e produtos. As etapas das entrevistas estão sendo realizadas via Skype, Zoom e telefone, sendo que o agendamento prévio das entrevistas se dá por telefone e via invite por e-mail. A fintech Stark Bank e a Matera, startup voltada ao mercado financeiro, também estão buscando profissionais. Na fintech, o processo seletivo e onboarding (processo de integração) estão sendo feitos por telefone e whatsapp. Desde o início da quarentena, a empresa contratou uma pessoa e está prestes a adicionar mais duas pessoas na equipe. Enquanto na Matera são mais de 200 vagas abertas para Campinas, São Paulo, Maringá e Porto Alegre, em diversas áreas como finanças, marketing, TI, entre outros. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Boletim oficial: Brasil tem 6.836 casos e 240 mortes por COVID-19 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo EUA prevê mínimo de 100 mil mortos e projeta até 240 mil vítimas da COVID-19 Veja Mais

Pesquisadores tentam diagnosticar COVID-19 com pulseira inteligente

Pesquisadores tentam diagnosticar COVID-19 com pulseira inteligente

canaltech Por mais que os primeiros casos de COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus, tenham surgido em dezembro do ano passado, ainda é relativamente cedo para ter respostas concretas em relação ao tratamento, vacina e curas, além da realização rápida e prática dos exames. Pensando em novas soluções, a Universidade do Centro de Queensland, na Austrália, está estudando a pulseira inteligente da marca WHOOP, que faz o monitoramento de saúde. O estudo vem sendo feito em parceria com a clínica Cleveland, coletando dados obtidos pelo aparelho de centenas de voluntários que se autodiagnosticaram com COVID-19, fazendo então uma análise de respiração. O dispositivo em questão é o WHOOP 3.0 que, recentemente, foi validado pela Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, com exatidão em seus recursos de medição de frequência respiratória durante o sono, fornecendo ao usuário informações sobre a qualidade do seu descanso. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Imagem: Divulgação/WHOOP O resultado da pesquisa mostrou que o dispositivo está entre as ferramentas de medição respiratória mais eficazes e menos invasivas, sendo então um recurso que pode ser útil para detectar alterações anormais em um paciente, como os sintomas de COVID-19. De acordo com a equipe desenvolvedora do WHOOP, as taxas respiratórias obtidas pelo dispositivo raramente escapam de uma média individual já estabelecida, contando que, quando isso acontece, duas podem ser as causas. A primeira seria por fatores ambientais, como altas temperaturas e diferenças significativas na concentração de oxigênio, ou com algum problema acontecendo dentro do organismo, como infecções do trato respiratório inferior, que costuma ser atacado pela COVID-19 e que são diferentes das infecções do trato respiratório superior, que envolve gripes e resfriados. Sendo assim, há fortes relações entre as alterações de taxas causadas por problemas do trato respiratório inferior, que não são explicados por causas ambientais, com os efeitos da COVID-19. O WHOOP, portanto, é capaz de identificar taxas respiratórias anormais antes mesmo que o paciente sinta falta de ar significativa. Segundo a equipe de estudos, a pesquisa deve levar cerca de seis semanas, com a meta de detectar pelo menos 500 indivíduos com teste positivo para COVID-19. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Os lançamentos da Netflix em abril de 2020 Slack passa a permitir ligações e videochamadas com Zoom e Microsoft Teams Veja Mais

Homem de 101 anos vence COVID-19 e recebe alta na Itália

Homem de 101 anos vence COVID-19 e recebe alta na Itália

canaltech Um homem de 101 anos sobreviveu à COVID-19 na Itália. Identificado apenas como Sr. P pelas autoridades locais, ele voltou para casa no último dia 25, após ser tratado na cidade de Rimini, no país mediterrâneo, onde recebeu alta. Sr. P havia sido confirmado para COVID-19 uma semana antes e internado em um hospital da cidade. Com idade bastante avançada, a expectativa era de que ele não sobrevivesse à internação. A notícia veio da própria vice-prefeita de Rimini, Gloria Lisi, em comunicado ao jornal local RiminiToday. “Na semana passada, Sr. P foi hospitalizado em Rimini após testar positivo para a COVID-19. Em poucos dias, ele fez ‘história’ na vida de médicos, enfermeiras e o restante do time de saúde que o tratou”, disse no comunicado. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Boletim oficial: Brasil tem 114 óbitos e 3.904 casos confirmados de COVID-19 Quanto tempo pode durar a pandemia da COVID-19? A vice-prefeita também ressaltou o passado do senhor. Com 101 anos, ele também enfrentou a gripe de 1918, uma pandemia que matou perto de 600 mil italianos na época. Além disso, ele viveu as duas grandes guerras no país. A Itália atualmente conta com o pior cenário da COVID-19 em número de mortos. Até esta segunda-feira (30), foram registradas mais de 10 mil mortes no país com mais de 97 mil caos confirmados segundo informações da Organização Mundial da Saúde. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Veja Mais

Como usar o TikTok no seu computador com Windows ou Mac

Como usar o TikTok no seu computador com Windows ou Mac

canaltech O TikTok é uma das redes sociais que mais está sendo utilizada pelos usuários no Mundo. A rede social de produção de vídeos ganhou o Oriente em 2019 e, desde então, foi conquistando diversos usuários no Ocidente, tornando-se um dos aplicativos mais baixados da App Store e da Play Store. Porém, apesar de ser uma rede social mobile e ainda não possuir uma versão web, ainda há aqueles que gostariam de utilizar a rede social em seus computadores. E isto pode ser feito utilizando o programa BlueStacks App Player para reproduzir aplicativos do Android no PC. Confira neste tutorial como utilizar o TikTok em seu Mac ou PC. O procedimento foi realizado em um computador equipado com o Windows, porém, ele poderá ser realizado em PCs com o macOS. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- TikTok: 10 dicas imperdíveis para você aproveitar a rede social do momento Estes são os melhores filtros e efeitos para você usar no TikTok TikTok: 5 dicas úteis para você conseguir mais seguidores Como usar o TikTok no PC e no Mac Passo 1: acesse o site do BlueStacks App Player e clique em “Download TikTok on PC” para baixar. Apesar de o site estar em inglês, o aplicativo estará em português. Acesse o site do BlueStacks e clique na opção "Download TikTok on PC" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: execute o aplicativo e clique em “Instalar Agora”. Execute o programa e clique em "Instalar Agora" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 3: aguarde o programa ser baixado. O procedimento pode demorar alguns minutos. Espere o programa ser baixado (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: após o programa ser baixado, aguarde o BlueStacks ser inicializado. O procedimento também pode demorar alguns minutos. Aguarde a inicialiação do programa (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 5: com o programa inicializado, clique em “Entrar” para efetuar o login com a sua conta da Play Store. Se você é usuário de iOS, basta apenas realizar o login utilizando uma conta do Gmail. Clique em "Entrar" para acessar a sua conta do Google Play (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 6: clique na opção “Fazer Login” para ter acesso à Play Store. Coloque seu e-mail e senha para finalizar o acesso. Clique em "Fazer Login", coloque seu e-mail e sua senha (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 7: procure pelo TikTok na Play Store, como se você estivesse utilizando no smartphone. O ícone disponível na tela inicial do BlueStacks pode levar para um download internacional que não está disponível, por isso, efetue a busca diretamente na loja. Clique na opção “Instalar” e espere o download ser efetuado. Pesquise pelo TikTok na Play Store e clique em "Instalar" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 8: quando o download finalizar, clique na opção “Abrir” para executar o aplicativo. Com o download finalizado, clique em "Abrir" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 9: você poderá usar a plataforma normalmente. É importante lembrar que este recurso não permite que usuários gravem vídeos ou tirem foto com a webcam, ele permite apenas que os usuários naveguem pelo aplicativo. Caso queira postar um vídeo, esta ação deve ser realizada em seu smartphone. Agora você pode utilizar o TikTok diretamente no PC ou no Mac (Captura de tela: Matheus Bigogno) Pronto! Agora você pode utilizar o TikTok no PC para ver diversos vídeos da rede social utilizando o programa BlueStacks App Player. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Uber Eats passa a entregar produtos de farmácia, pet shop e conveniência Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Veja Mais

Redmi Note 9S passa na Anatel e já pode ser lançado no Brasil

Redmi Note 9S passa na Anatel e já pode ser lançado no Brasil

canaltech Enquanto o país enfrenta as consequências do isolamento por conta da pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2), a Anatel volta, aos poucos, a publicar documentação de certificações e homologações de dispositivos. A Huawei conseguiu a liberação de cinco modelos (sendo dois deles variantes do P40 Pro), assim como a Xiaomi, que já pode começar a vender o Redmi Note 9S por aqui. Xiaomi anuncia evento na China em que vai apresentar 22 novos produtos Produção da Xiaomi volta a 80% da capacidade após COVID-19 A documentação não é tão completa como a dos smartphones da Huawei, que têm manual e fotos externas em todos os casos. O Redmi Note 9S só tem o certificado, com a lista das frequências de rede suportadas. A banda 28 do 4G, na frequência de 700 MHz, está inclusa. O aparelho também suporta as duas frequências de Wi-Fi, tanto o 2,4 Ghz como o 5 Ghz, como era esperado para um dispositivo da categoria dele. Claro que já conhecemos todas as especificações do Redmi Note 9S, que é a versão global do Redmi Note 9 Pro lançada recentemente. Considerado sucessor do Redmi Note 8 Pro, o dispositivo traz tela IPS LCD de 6,67 polegadas, resolução Full HD+, furo centralizado na parte superior para acomodar uma câmera frontal de 16 MP e taxa de atualização de 60 Hz. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Note 9S é a versão global do Note 9 Pro (Imagem: Divulgação) Internamente, é equipado com uma plataforma intermediária da Qualcomm, o chipset Snapdragon 720G, com processador de oito núcleos, além de 4 GB ou 6 GB de memória RAM e 64 GB ou 128 GB de armazenamento, expansível com cartão micro SD. A bateria tem 5.020 mAh e suporte ao carregamento rápido de 18 W. O conjunto de câmeras traseiro tem quatro sensores, sendo um principal wide de 48 MP, um ultra-wide de 8 MP, um macro de 5 MP e um ToF de 2 MP. Lá fora, o preço sugerido pelo aparelho é de US$ 249, cerca de R$ 1.305 na conversão direta, considerando a cotação atual do dólar, pela versão mais barata. Não é um valor tão alto. O preço oficial da Xiaomi no Brasil ainda é um mistério. O Remdi Note 8 Pro chegou aqui por R$ 2.300. Também não há informações sobre a data de anúncio por aqui. Com a pandemia de COVID-19 que o país enfrenta, nenhuma empresa tem marcado eventos, que estão proibidos em várias cidades do país, inclusive. Resta esperar para ver se novos lançamentos serão feitos via comunicado à imprensa ou só quando a crise sanitária passar. Além disso, o simples fato de ter homologação não é garantia que um produto será vendido por aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 TikTok | Canal oficial do Estado de SP faz sucesso no combate à pandemia Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Android 10 chega a mais dispositivos da Samsung: Galaxy A6+ e A10s

Android 10 chega a mais dispositivos da Samsung: Galaxy A6+ e A10s

canaltech Mais dois smartphones Galaxy começaram a receber atualização para o Android 10, com a interface One UI 2.0, recentemente: o A6+ e o A10s. Ambos updates incluem, também, o pacote de segurança de março de 2020, que já foi distribuído para boa parte do catálogo da Samsung. Galaxy A9 (2018) começa a receber Android 10 e nova One UI 2.0 Vendas da linha Galaxy S20 continuam "abaixo do esperado", indica relatório Fábricas de celulares no Brasil adotam medidas para não parar em meio a pandemia No Brasil, ambos os aparelhos estão programados para receber a atualização apenas em junho. Como vários dispositivos já receberam antecipadamente inclusive por aqui, não custa nada você conferir no Sistema > Atualização de Software se há um arquivo de instalação com o Android 10 e One UI 2.0 disponível. De acordo com o site SamMobile, o Galaxy A6+ de usuários poloneses recebeu o firmware A605FNXXU5CTC8, e outros mercados podem esperar a atualização OTA em breve. Para o A10s foi disponibilizado o arquivo A107FXXU5BTCB para o pessoal na Malásia. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Nem todas as funcionalidades presentes em outros dispositivos estarão disponíveis nesses dois modelos, mas ao menos as mais básicas, sim, como os gestos de navegação do Google, maior controle de privacidade e bem-estar digital com controle parental, além do novo visual da interface. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Qualcomm não tem chip à altura do Kirin 820, provoca CEO da Honor

Qualcomm não tem chip à altura do Kirin 820, provoca CEO da Honor

canaltech Após o lançamento do Honor 30S, o presidente da companhia chinesa deu entrevista ao site Sina e destacou dois pontos do aparelho: o preço e o processador Kirin 820. Zhao Ming aproveitou a ocasião para provocar a Qualcomm, dizendo que a empresa norte-americana não possui um produto para concorrer com o processador chinês em 2020. No papel, a afirmação do executivo tem fundamento. O HiSilicon Kirin 820 5G traz especificações próximas às do topo de linha Kirin 990, com quatro núcleos de alto desempenho e quatro de alta eficiência, modem 5G integrado e fabricação em litografia de 7 nm. Huawei anuncia chip intermediário HiSilicon Kirin 820 5G Apesar de Ming ter destacado a vantagem da integração do modem 5G em relação ao concorrente Qualcomm Snapdragon 865, que não tem modem integrado, a comparação mais justa seria com o modelo intermediário Snapdragon 765. Neste caso, o processador norte-americano sai em desvantagem por possuir menos núcleos de alto desempenho (dois, contra quatro do Kirin), mas conta com 5G. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Um ponto não abordado pelo executivo na entrevista foi que, enquanto os processadores Qualcomm podem ser encontrados em aparelhos das mais diversas marcas, os chips HiSilicon (subsidiária da Huawei) só estão disponíveis em aparelhos da Huawei e suas demais marcas. Quanto ao preço, o Honor 30S estará à venda na China a partir do dia 7 de abril e custará entre 2.399 e 2.699 yuans (cerca de R$ 1.750 a R$ 1.970 na conversão direta). Outros smartphones com o processador Kirin 820 devem custar a partir de 2.000 yuans (R$ 1.500), segundo Ming. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Galaxy S20 tem opção de tela a 96 Hz escondida e app para habilitar o recurso

Galaxy S20 tem opção de tela a 96 Hz escondida e app para habilitar o recurso

canaltech A linha Galaxy S20 tem a opção de taxa de atualização mais rápida na tela. Porém, como já vimos repetidas vezes em diversos testes, manter os 120 Hz de frequência reduz significativamente o tempo de autonomia do dispositivo. As animações da tela ficam mais suaves e naturais, mas o preço a se pagar pode ser alto. Samsung anuncia Galaxy S20, S20+ e S20 Ultra no Brasil; confira os preços P40 Pro+ vs. Galaxy S20 Ultra vs. iPhone 11 Pro Max: quais são as diferenças? O pessoal do XDA Developers descobriu opções escondidas que podem ajudar o usuário. Nativamente, o dispositivo só dá opção de usar os 60 Hz em 1080p (Full HD) ou 1440p (Quad HD), e os 120 Hz em Full HD. Porém, o código do aparelho está preparado para várias outras opções, como o 720p (HD) e taxas de atualização da tela de 48 Hz e 96 Hz. Um pequeno truque de programação seria suficiente para ativar uma dessas opções, mas nem todo mundo conseguiria fazer isso. Aí o desenvolvedor sathishtony veio ao socorro de todos: ele criou um app que permite ao usuário habilitar a opção de 96 Hz com resolução 1080x2400 pixels. Em Quad HD não tem jeito, só dá para usar em 60 Hz, mesmo. Ou em 48 Hz, mas aí é mais difícil alguém topar baixar a taxa de atualização assim. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- App habilita ~taxa de 96 Hz na tela do Galaxy S20 (Imagem: Reprodução/XDA Developers) O dev que descobriu a possibilidade criou um aplicativo que, além de habilitar os 96 Hz, ainda cria atalhos no menu de configurações rápidas para você habilitar e desabilitar essa taxa de atualização e os 120 Hz, também. Você pode encontrá-lo aqui, mas vale destacar que este é um app não oficial, portanto use-o por sua conta e risco. Usando a taxa de 96 Hz, você tem o benefício de uma tela com animações mais fluidas que no padrão 60Hz, e a bateria não cai tão rápido. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Golpe no WhatsApp promete 7 GB de internet móvel grátis Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Aplicativo oferece 30 dias grátis para crianças aprenderem inglês em casa Veja Mais

Comércio brasileiro de HQs recorre à tecnologia para enfrentar o coronavírus

Comércio brasileiro de HQs recorre à tecnologia para enfrentar o coronavírus

canaltech O mercado editorial brasileiro já está resistindo a uma crise há alguns anos, com o fechamento de grandes livrarias, como a rede Fnac, e a dificuldade de grupos que antes eram líderes nas bancas, a exemplo da Editora Abril. A alta do dólar e as dificuldades de distribuição já vinham dificultando a vida de vários comerciantes e agora, com a pandemia global do coronavírus, como fica a venda de quadrinhos no Brasil? Embora o e-commerce desses produtos já exista há anos, a coisa ficou complicada para os donos de negócios menores porque esse serviço não é considerado essencial — e bem, grande parte dos clientes mais fieis apreciam a convivência com os proprietários e a comunidade de leitores e jogadores de cardgames e Role Playing Games. Imagem: Divulgação/Itiban Comic Shop A Itiban Comic Shop, em Curitiba, por exemplo, tem recorrido a kits de produtos com desconto para os nichos de consumidores. Conjuntos de cardgames ou livros para crianças são encomendados via redes sociais e WhatsApp e entregues nas casas dos consumidores com uma taxa mínima de entrega — tudo muito bem higienizado, o que é muito importante neste momento. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Aliás, a tecnologia tem sido importante neste momento de distanciamento social. O encontro semanal do clube de leitura da loja, o ItiClub, em vez de ser realizado presencialmente, aconteceu por meio da gravação de cada participante comentando suas impressões sobre A Mão do Pintor, da argentina Maria Luque. A Comix Book Shop, em São Paulo, também aposta em descontos expressivos, de até 50%, e frete grátis para tentar manter as vendas enquanto as pessoas estão no isolamento. Editoras refazem planejamento A situação na impressão e envio do material também ficou mais complicada, obrigando as grandes editoras a repensarem o cronograma da temporada. A Panini Comics precisou ajustar o lançamento de títulos atrelados às estreias de filmes, a exemplo de Novos Mutantes, Viúva Negra e Mulher-Maravilha. Para contribuir com a corrente de solidariedade que oferece conteúdo grátis para quem tem que ficar em casa, a companhia disponibilizou alguns quadrinhos da Marvel e mangás na faixa para leitura em plataformas digitais. A Mythos Editora anunciou que vai paralisar as atividades em abril, maio e junho e muitas entregas só vão acontecer no segundo semestre. O grupo também deve recorrer à tecnologia para se manter próximo aos lojistas e leitores, com links de compra, resenhas, entre outras ações. Uma dessas frentes é o uso do Issuu, que permite a visualização online de trechos ou histórias completas — você pode ler Guerra Total, de Judge Dredd, por completo, por exemplo. Imagem: Divulgação/Devir Livraria A Devir e a Mino, que estão com novos volume de A Liga Extraordinária e Estranhos no Paraíso e seis livros do projeto Narrativas Periféricas, respectivamente, ficam na dependência do funcionamento das gráficas, distribuidoras e, principalmente, das comic shops — afinal, se não há onde expor, fica mais difícil chegar até os consumidores. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Quadrinhos na Cia., Nemo, Veneta, DarkSide Books, Planeta DeAgostini, Comix Zone, Pipoca & Nanquim, entre outras também decidiram interromper seus lançamentos e remessas pelo menos até maio. Todo o cronograma foi afetado e só deveremos ver a retomada do calendário de maneira mais uniforme no segundo semestre. Com informações do Universo HQ Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Os lançamentos do Amazon Prime Video em abril de 2020 Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Veja Mais

Como jogar Pokémon GO sem precisar sair de casa

Como jogar Pokémon GO sem precisar sair de casa

canaltech Lançado em julho de 2016 para Android e iOS, Pokémon GO leva a experiência de ser um mestre Pokémon a sério até demais. O game incentiva as pessoas a saírem às ruas para caçar novos monstrinhos, treiná-los e até mesmo obter novos itens para evoluí-los. Com o anúncio da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre a pandemia e as novas recomendações para que as pessoas não saiam de casa, seria um pouco difícil jogar o game nessas condições. No entanto, no início do mês de março, a Niantic, desenvolvedora do game, lançou uma série de atualizações para que os jogadores pudessem jogar o jogo de forma individual com maior facilidade. As medidas foram tomadas para evitar que os usuários ficassem expostos ao novo coronavírus e pudessem jogar o game sem precisar sair às ruas. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Confira neste artigo quais as mudanças realizadas pela Niantic e algumas dicas para que os jogadores possam jogar Pokémon GO sem precisarem sair de casa. Saiba o melhor momento para evoluir as suas criaturas em Pokémon Go 5 cuidados para você tomar enquanto joga Pokémon GO Dicas para começar bem sua jornada em Pokémon GO Capture mais Pokémon Quando o game foi anunciado, a informação oficial era de que o habitat de cada Pokémon estaria diretamente ligado à área real do mapa. Por exemplo, um Pokémon aquático só iria aparecer em regiões que contém água. Porém, com a nova atualização, foi anunciado que as áreas de habitat dos Pokémon foram expandidas. Isto aumenta a chance de monstrinhos que não apareceriam usualmente na sua região, passem a aparecer para você capturá-los. Encontre Pokémon de diversos habitats  (Captura de tela: Matheus Bigogno) Para auxiliar os treinadores a capturarem mais monstrinhos, a Niantic anunciou que a loja do game está com uma promoção no Pacote de Incenso (item utilizado para atrair mais Pokémon) e no Pacote de Pokébolas. Ambos os pacotes podem ser adquiridos por apenas uma moeda do jogo (Pokécoin). O item Incenso ainda sofreu uma alteração em seu efeito. Antes, a duração dele era de meia hora, porém, atualmente, a duração foi aumentada para uma hora para que os jogadores possam atrair e capturar mais Pokémon. Os itens Pacote de Inscenso e Pacote de Pokébolas está em promoção na loja do game (Captura de tela: Matheus Bigogno) Utilize os Ginásios e Poképaradas próximos da sua casa Para os treinadores que moram do lado de Poképaradas e de Ginásios, não é preciso sair de casa para utilizá-los. Nos Ginásios você poderá duelar contra outros treinadores e, caso vença, você poderá colocar o seu Pokémon por lá. Caso o líder de um Ginásio seja algum treinador da sua equipe, você ainda pode colocar seu Pokémon lá, treiná-lo com outros jogadores e ainda usufruir de todos os itens que um Ginásio oferece, como a Stardust, item utilizado para aumentar o poder dos seus monstrinhos. Veja se há Ginásios ou Poképaradas na sua região (Captura de tela: Matheus Bigogno) Utilize as Poképaradas para reabastecer as suas Pokébolas e, caso você possua itens de Lure Module (Módulo Atrair), utilize-os para transformar uma Poképarada em um lugar-comum que irá atrair mais Pokémon. Diferente do Incenso, o Módulo Atrair fará com que vários treinadores possam capturar mais monstrinhos perto de uma Poképarada. Estabeleça o vínculo com um Pokémon companheiro Em dezembro de 2019, o game ganhou uma atualização que aumentou o nível de interação do treinador com os Pokémon. Agora é possível escolher um Pokémon da sua Pokédex para ser seu companheiro. Habilite um Pokémon companheiro (Captura de tela: Matheus Bigogno) Você pode brincar, tirar fotos, alimentá-lo e entrar em batalhas para que o nível de felicidade dele aumente. Caso você aproxime o celular de seu Pokémon, ainda é possível fazer carinho nele através da tela. Quanto maior o nível de afeição de um Pokémon por seu treinador, maior será o bônus que ele pode oferecer. Dentre eles estão itens, ajuda a capturar outros Pokémon, ou até mesmo diminuir a distância para encontrar doces (utilizados para evoluir os Pokémon). Você pode brincar com ele para conseguir mais itens (Captura de tela: Matheus Bigogno) Utilize a sua casa para chocar ovos Uma das mecânicas de Pokémon GO é a de caminhar para chocar ovos. Porém, não é preciso sair de casa para que a distância seja registrada, pois o aplicativo considera o balanço do telefone e não a quantidade de passos. Por isso, os jogadores que quiserem chocar ovos com maior rapidez, podem balançar seus dispositivos ou andar normalmente pela casa. É importante lembrar de habilitar o item "Sincroaventura" para que o game reconheça a distância mesmo quando ele estiver fechado. Você pode chocar ovos balançando o celular ou andando dentro de casa (Captura de tela: Matheus Bigogno) E a melhor parte é que, com a nova atualização, os ovos colocados em incubadoras durante o período de isolamento irão exigir que você ande metade da distância original. Isto permitirá aos treinadores chocarem mais ovos e obterem novos Pokémon em um menor espaço de tempo e distância. Realize batalhas com mais facilidade Com a nova atualização, é possível batalhar com muito mais facilidade com amigos, outros jogadores e até mesmo treinar com os líderes das três equipes. Porém, os treinadores precisam atingir o nível 10 para poderem desbloquear o modo. Batalhe com seus amigos Batalhar com seus amigos em Pokémon GO sempre foi uma tarefa difícil. Antes, era preciso ter quase o nível máximo de amizade com algum treinador (“Ultra Amizade” ou “Amizade sem igual”). Porém, após a atualização, basta apenas ter o primeiro nível de amizade com seus amigos ("Bela Amizade"). Para batalhar com algum amigo ou amiga de sua lista, basta abrir o perfil e selecionar o item “Batalhar”. Escolha um amigo da lista e clique em "Batalhar" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Selecione a Liga que você quer duelar. Escolha uma das Ligas disponíveis (Captura de tela: Matheus Bigogno) Em seguida, clique em “Vamos Batalhar!” para iniciar a luta. Clique em "Vamos Batalhar!" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Duele utilizando a "Liga de Batalha GO" A "Liga de Batalha GO" permite que os treinadores enfrentem outros jogadores ao redor do mundo em uma rodada de cinco batalhas com prêmios baseados em números de vitórias. Antes da atualização, era preciso andar por 5 km para desbloquear a opção, porém, agora, a única restrição para participar da Liga, é ser nível 10 com o perfil de treinador. Para acessar a "Liga de Batalha GO", é preciso ir no menu principal e selecionar a opção “Batalhar”. Abra o menu e selecione a opção "Batalhar" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Escolha um nível de recompensa e clique na opção “Batalhar”. Clique em "Batalhar" (Captura de tela: Matheus Bigogno) Clique em “Vamos Nessa!” para prosseguir. Clique em "Vamos Nessa!" (Captura de tela: Matheus Bigogno) A rodada de batalhas será iniciada logo em seguida. Você começará a batalhar com seus Pokémon logo em seguida (Captura de tela: Matheus Bigogno) Treine com os líderes das equipes Acessando o menu da opção “Liga de Batalha GO”, é possível rolar até o final para realizar treinamentos com os líderes das três equipes existentes em Pokémon GO. Para começar, basta apenas escolher entre Blanche, da Equipe Sabedoria (Team Mystic), Candela, da Equipe Valor (Team Valor) ou Spark, da Equipe Instinto (Team Instinct). Escolha um dos líderes das equipes (Captura de tela: Matheus Bigogno) Selecione a opção “Treinar” para prosseguir. Clique em "Treinar" para continuar (Captura de tela: Matheus Bigogno) Escolha entre as Ligas disponíveis. Selecione uma Liga a qual você gostaria de treinar (Captura de tela: Matheus Bigogno) O treinamento com os líderes será iniciado logo em seguida. Agora você pode utilizar os novos recursos da atualização de Pokémon GO para aproveitar melhor o game sem sair de casa. E você, está jogando o game? Deixe nos comentários o que achou das novas atualizações do game para jogar sem precisar sair de casa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Relatos de pacientes: como são os sintomas da COVID-19? E o que fazer? Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Magazine Luiza cria programa para pequenas empresas e autônomos venderem de casa

Magazine Luiza cria programa para pequenas empresas e autônomos venderem de casa

canaltech O Magazine Luiza lançou nesta terça-feira (31) a plataforma digital Parceiro Magalu, programa voltado para que micro e pequenas empresas e trabalhadores autônomos possam vender pela internet, sem sair de casa. O plano da empresa era lançar a plataforma em cinco meses, mas o lançamento aconteceu em cinco dias, segundo o CEO do Magazine Luiza Frederico Trajano — o motivo foi a pandemia da COVID-19. “Digitalizar o varejo e os brasileiros faz parte da nossa estratégia de negócio e do nosso propósito como empresa — e ele nunca se mostrou tão necessário quanto nesses tempos que estamos vivendo”, completou o executivo. Um dos objetivos do Parceiro Magalu é alcançar os milhões de varejistas que não vendem seus produtos na internet. A empresa estima que o número seja superior a quatro milhões de empresas. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- "Nossa plataforma permitirá que esses milhões de brasileiros possam continuar a trabalhar, sem sair de casa e sem correr riscos. O programa é dividido em duas plataformas digitais. Uma para pessoas físicas e outra para pessoas jurídicas, especificamente para Microempreendedores Individuais (MEI) e empresas que se enquadram no Simples, com faturamento anual de até 5 milhões de reais. Pessoas físicas A modalidade para pessoas físicas do Parceiro Magalu funciona como um programa de afiliados, permitindo a criação de uma loja virtual individual com os produtos oferecidos no Magazine Luiza. A divulgação da loja e seus itens fica a cargo do parceiro — por exemplo, para seus contatos no WhatsApp ou redes sociais. Cada venda gerada paga uma comissão que varia entre 1% e 12%, e o valor acumulado é pago em até 34 dias ao juntar R$ 50. Segundo a empresa, há um plano para que os parceiros possam usar a plataforma para fazer vendas de porta em porta, após o final da pandemia. MEIs e pequenas empresas Para as pessoas jurídicas, o Parceiro Magalu permite listar seus produtos na loja virtual e app do Magazine Luiza por meio de um aplicativo específico. A vantagem apresentada pela empresa é que os empresários e vendedores terão acesso aos mais de 20 milhões de clientes da loja virtual, com a possibilidade de, no futuro, oferecerem seus produtos nas lojas físicas do Magazine Luiza. O sistema da plataforma cuida da geração da nota fiscal de venda. Para cada venda realizada, a taxa de comissão cobrada pelo programa será de 3,99% até 31 de julho deste ano. O Magazine Luiza informou que a entrega da mercadoria não terá custo para o lojista e será feita pelos Correios. Saiba mais Mais informações sobre o programa podem ser consultadas no site do Parceiro Magalu, no qual é possível fazer o cadastro para pessoa física ou jurídica.   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo Veja Mais

Filme da Mulher-Maravilha quase foi contado na época da Guerra Civil Americana

Filme da Mulher-Maravilha quase foi contado na época da Guerra Civil Americana

canaltech Como sabemos, o pano de fundo para a adaptação da Mulher-Maravilha no Universo Estendido DC (DCEU, na sigla em inglês) foi a Primeira Guerra Mundial, o que mostrou melhor como Diana Prince se relaciona com o resto do mundo, especialmente em tempo coléricos. Mas o filme dirigido por Patty Jenkins em 2017 quase cobriu um outro grande momento histórico: A Guerra Civil Americana, no século XIX. A revelação foi feita por Zack Snyder, que comandou Homem de Aço, Batman vs Superman: A Origem da Justiça e Liga da Justiça (ou, ao menos, parte deste último). Enquanto falava aos fãs na rede social Vero e comemorava os quatro anos do lançamento de Batman vs Superman: A Origem da Justiça, Snyder disse que a foto da Mulher-Maravilha nesse longa, com uma imagem dela ao lado de Steve Trevor e um grupo de soldados na Primeira Guerra Mundial, era para se passar em 1860 — havia até uma possibilidade da história de época se passar na Guerra da Crimeia, nos anos 1850. No final, a Warner estabeleceu que, no DCEU, Diana deixou Themysciria mesmo no início do século XX. Imagem: Reprodução/Warner Bros "Filmamos anteriormente na Guerra da Crimeia porque foi o primeiro conflito em que a fotografia foi usada. Conversamos sobre o uso da Guerra Civil", confirmou Snyder. A ideia é que Batman, ao encontrar a fotografia, tivesse provas de que a Mulher-Maravilha não envelhece há décadas. Ainda que isso não fosse o tema central do filme, abriu caminho para a introdução da amazona e para o filme da Liga da Justiça. Além, claro, de estabelecer que Mulher-Maravilha, de Patty Jenkins, seria uma história de época. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Aliás, como essa pegada agradou, Mulher-Maravilha 1984 também vai colocar Diana Prince (Gal Gadot) se adaptando à nossa civilização, em um período icônico para todos na cultura pop, os anos 1980. Veremos o enigmático retorno de Steve Trevor (Chris Pine) e a heroína enfrentando os vilões Maxwell Lord (Pedro Pascall) e a Mulher-Leopardo (Kristen Wiig). Devido à pandemia global do novo coronavírus (SARS-CoV-2), o título teve seu lançamento adiado, do dia 5 de junho para 14 de agosto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Hubble tira foto de galáxia "floculenta" a 60 milhões de anos-luz da Terra Nova espaçonave chinesa tem sistema que parece capaz de se atracar na ISS Sem cópias: Snapchat permitirá postagem de Stories em apps de terceiros WhatsApp beta para Android ganha função de mensagens que se autodestroem TIM, Vivo e Oi permitem troca de chip remota na pandemia do novo coronavírus Veja Mais