Meu Feed

Hoje

Pilotos da Boeing mentiram à FAA sobre a segurança da aeronave 737 Max

Pilotos da Boeing mentiram à FAA sobre a segurança da aeronave 737 Max

canaltech Mensagens internas trocadas por dois funcionários da Boeing em 2016, obtidas com exclusividade pela Reuters, provam que a companhia enganou a FAA (Federal Aviation Administration), órgão de regulação aérea norte-americano, sobre a segurança do sistema de navegação da aeronave 737 Max. De acordo com o conteúdo das mensagens, o piloto técnico-chefe, Mark Forkner, disse a outro que havia mentido à FAA sobre o processo de certificação do avião. "Eu basicamente menti aos reguladores (sem saber)", disse Forkner. O outro funcionário respondeu que "não era uma mentira, ninguém nos disse que esse era o caso", falando sobre o problema no sistema de navegação. O modeo 737 Max, da Boeing As informações podem esclarecer, em partes, o que causou dois acidentes com o 737 Max em apenas cinco meses, na Indonésia e Etiópia, e resultou em centenas de vítimas fatais. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A FAA afirmou já ter sido notificada sobre as mensagens, afirmando ainda que a Boeing estava com o conteúdo em mãos há alguns meses. O administrador do órgão de regulação, Steve Dickson, agora pede que Dennis Muilenburg, presidente-executivo da Boeing, conceda explicações pelo atraso na entrega destas provas. As mensagens estão sendo revisadas para que a FAA decida quais medidas serão tomadas a partir de agora. Enquanto isso, a Boeing está em processo de correção da falha, mas ainda não há previsão de quando os 737 Max poderão voltar a voar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC? Moto G8 Play aparece em imagens vazadas de um unboxing não oficial Veja Mais

Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC?

Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC?

canaltech Na semana passada publicamos aqui no Canaltech uma matéria sobre quem seria o ser mais poderoso no Universo Cinematográfico Marvel (ou MCU, na sigla em inglês). Para não sermos injustos com a concorrente da Casa das Ideias, fazemos agora o mesmo com o Universo Estendido DC (ou DCEU). Mas, ao invés de criarmos uma tabela para cada tipo de criatura que apareceu em todos os filmes do Marvel Studios até Vingadores: Guerra Infinita, fizemos uma avaliação diferente da que o designer de games Zachary Meyers fez no Quora. O DCEU conta com poucos filmes, então fica mais fácil avaliar de acordo com as aparições nas batalhas e como cada personagem se comportou diante dos adversários. Vale destacar que a DC Films não considera canônico as produções anteriores ou paralelas da Warner Bros, seja no cinema ou na TV — como o Superman de 1978, Watchmen ou a série Titans. (Imagem: Reprodução/DC Films) Além disso, mesmo que não pareça, o fracasso Lanterna Verde (2011) é parte do DCEU, pelo menos para a própria Warner. O ranking abaixo só leva em consideração os poderes e atributos físicos, sem levar em consideração contextos ou certos cenários — se fosse esse o caso, Batman ou Lex Luthor, que não aparecem por aqui (lembrem-se, a lista abaixo leva em consideração apenas o que vimos nos filmes), poderiam estar nas primeiras posições. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Para completar, personagens casca-grossa que foram citados, mas não apareceram, como é o caso de Darkseid e Zeus, não entram na lista, certo? Vamos lá. 16. Ciborgue (Imagem: Reprodução/DC Films) Victor Stone usa uma das Caixas Maternas em seu corpo. Ter a tecnologia dos Novos Deuses à sua disposição o torna um oponente de nível superior — embora isso possa ser explorado como uma fraqueza, como vimos em Liga da Justiça. Embora o herói tenha aprendido a evoluir suas habilidades ao longo do filme, ele ainda não é o Ciborgue que já vimos ser nos quadrinhos. 15. Flash (Imagem: Reprodução/DC Films) O Flash de Ezra Miller ainda está aprendendo a ser um dos maiores velocistas do Multiverso. Ele é incrivelmente rápido e mostrou potencial em Liga da Justiça, mas está bem longe de ser o Barry Allen que usa a Força Velocidade para vibrar moléculas, viajar no tempo e até atravessar realidades. Ele conseguiu criar vórtices, por exemplo, mas não usou suas habilidades para rápida recuperação ou superforça. 14. Mera (Imagem: Reprodução/DC Films) Mera se mostrou muito poderosa em Aquaman, quando conseguiu criar construtos de água, de forma semelhante ao Lanterna Verde. Ela pode respirar debaixo d’água, onde também viaja à grande velocidade, e parece ter tanto resistência quanto força física acima do normal. 13. Parallax (Imagem: Reprodução/DC Films) A representação física do medo no filme dos Lanternas Verdes surge como uma ameaça que avança rumo à Terra, com a possibilidade de varrer planetas com a mesma voracidade que Galactus poderia no universo Marvel. Ele só foi derrotado com toda a força de vontade do Lanterna Verde campeão do setor 2814, Hal Jordan. 12. Lanterna Verde (Imagem: Reprodução/DC Films) Embora o Lanterna Verde de Ryan Reynolds tenha passado pouco tempo sendo o Gladiador Esmeralda da Terra, mostrou alguns dos grandes atributos do personagem, como coragem e força de vontade incomuns. No final das contas, ele venceu Parallax e seus próprios medos e a Tropa dos Lanternas Verde também foi citada em Liga da Justiça. 11. Ares (Imagem: Reprodução/DC Films) O vilão agiu de forma muito mais cerebral do que física em Mulher-Maravilha, espalhando e fomentando a guerra pela Terra ao longo das décadas. Mas também vimos um pouco de sua força e violência quando deixou seu disfarce e mostrou que pode ser um oponente muito poderoso, especialmente quando vai consumindo o ódio e se tornando mais perigoso. 10. Doutor Silvana (Imagem: Reprodução/DC Films) Thaddeus Silvana conseguiu roubar o Olho do Pecado da Pedra da Eternidade e assim liberou a força de todos os pecados para se tornar seu campeão. Além de vários tipos de habilidades, de acordo com cada entidade que controla, a natureza de seus poderes é mágica, o que é especialmente útil contra um certo kryptoniano — Superman é vulnerável a magia. 9.  Lobo da Estepe (Imagem: Reprodução/DC Films) No próprio filme da Liga da Justiça, o vilão conseguiu mobilizar as amazonas, os deuses gregos, os atlantes e a Tropa dos Lanternas Verdes no passado — e até mesmo matou o Lanterna Yalan Gur. Além de comandar as legiões de parademônios de Darkseid, ele é incrivelmente forte e rápido, com uma defesa difícil de quebrar. 8. Apocalypse (Imagem: Reprodução/DC Films) Criado com DNA kryptoniano de Zod, a criatura é uma espécie de “Hulk Superman”, com poderes semelhantes ao de Kal-El e a fúria e o corpo indestrutível do Hulk. Vale destacar que ele obrigou a atuação conjunta da Trindade (Batman, Mulher-Maravilha e Superman) e ainda foi responsável pela morte do Homem de Aço. 7. Mestre dos Oceanos (Imagem: Reprodução/DC Films) Orm, o meio-irmão de Arthur Curry, o Aquaman, possui habilidades semelhantes de superforça, resistência e agilidade sobre-humanas, e a capacidade para usar o Tridente do Rei para controlar os sete mares. Aliás, quando ele está com esse artefato, é quase invencível. 6. Zod (Imagem: Reprodução/DC Films) Zod e seus conterrâneos possuem basicamente os mesmo poderes que o Superman, como vimos em Homem de Aço. Alimentados pelo nosso Sol amarelo, eles voam, soltam raios pelos olhos, são virtualmente indestrutíveis e incrivelmente fortes. Kal-El, com a vantagem de estar habituado à nossa atmosfera e doenças, e por estar aqui sendo “carregado” pelo Sol, é certamente mais forte em todos os aspectos. 5. Magia (Imagem: Reprodução/DC Films) A doidinha June Moone pode parecer inofensiva, mas quando é possuída por uma força antiga e se torna uma feiticeira poderosa, pode até mesmo ameaçar a existência de nossa realidade. Foi necessário um grande esforço do Esquadrão Suicida, e seus membros casca-grossa, para detê-la. 4. Shazam (Imagem: Reprodução/DC Films) O campeão da Pedra da Eternidade é comumente chamado de O Herói Mais Poderoso da Terra, porque, bem, ele possui habilidades que podem superar os poderes do Superman — e, de novo, aqui ele usa magia, o que é especialmente útil contra kryptonianos. Se Billy Batson e sua família conseguem sincronizar o uso de tudo o que podem fazer, Shazam se torna imbatível. 3. Aquaman (Imagem: Reprodução/DC Films) Imagina como seria você viver em pressões submarinas absurdas e voltar para chão firme. Seu corpo estaria tão sólido que seria quase impenetrável entre nós. É assim que Arthur Curry, que é igualmente forte e rápido, pode ser, tanto fora quanto dentro d’água. Além disso, com o Tridente do Rei, ele se torna uma das criaturas mais poderosas da Terra e até do universo DC. 2. Mulher-Maravilha (Imagem: Reprodução/DC Films) Voo, superforça, resistência acima do limite humano e agilidade em batalha. Ela tem liderança natural e, além de tudo isso, possui armas mágicas indestrutíveis. Seus braceletes conseguem desviar projéteis de qualquer natureza. Sem contar que ela teve que derrotar as irmãs amazonas para se tornar a maior delas, como vimos em seu primeiro filme. 1. Superman (Imagem: Reprodução/DC Films) Superman é o maior de todos no DCEU, embora ele ainda não tenha tido tempo de mostrar tudo o que pode fazer. Sua superaudição pode ouvir coisas a quilômetros de distância e ele tem força para deter toda a Liga da Justiça junta — e mesmo assim consegue se concentrar para conseguir escutar seus próprios pensamento ou não quebrar o chão ao pisar. O Flash parecia estar em câmera lenta durante a briga e, bem, Clark Kent venceu a própria morte. Como sempre, vale a máxima: listas são criadas para discutirmos e muita gente deve ter opiniões diferentes. E para você, quais são as criaturas mais poderosas do DCEU? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10) GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Play aparece em imagens vazadas de um unboxing não oficial Veja Mais

O que os anunciantes realmente precisam saber sobre Deep Learning

O que os anunciantes realmente precisam saber sobre Deep Learning

canaltech *Por Romain Lerallut Quando nos deparamos com uma nova tecnologia, tendemos a chamá-la de revolução. Porém, enquanto algumas inovações realmente transformam determinados setores, a maioria delas, na realidade, não chega a causar muito impacto. Tanto é assim que o setor de publicidade é confrontado por essas "viradas de jogo" quase todos os dias. Por isso, é importante entender a diferença entre o que, realmente, vai transformar os negócios e o que, no fim das contas, só traz dores de cabeça desnecessárias. Um bom exemplo desse tipo de situação está no uso de tecnologias complexas e, muitas vezes incompreendidas, como é o caso do Deep Learning. O recurso é o mais novo membro da família de IA e, embora seja difícil de avaliar, tem sido aclamado como a solução definitiva para questões que envolvem previsões complexas, relevância e banner blindness. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Os últimos artigos sobre o assunto nos trazem a sensação de que o Deep Learning é a chave para que possamos resolver todos os problemas que o setor de publicidade digital enfrenta. Esse tipo de postura pode até fazer com que engenheiros, entre outros profissionais ligados à tecnologia, comecem a se perguntar porque até agora não tomaram conhecimento a respeito do ciclo de desenvolvimento de uma ferramenta tão crucial. Para responder a esse tipo de questionamento, precisamos esclarecer alguns pontos. Primeiro, existem dois conceitos equivocados nesta maneira de pensar. Um deles é enxergar o Deep Learning como uma nova tecnologia. Ao contrário, esta ferramenta resulta de um trabalho de mais de 20 anos feito por pesquisadores que, pouco a pouco, obtiveram progresso em diferentes domínios – entre os quais também estão funcionalidades mais recentes, como reconhecimento de imagem e processamento de som. Outro ponto é que, embora o Deep Learning não seja exatamente uma novidade, estamos apenas começando a compreender o real potencial deste recurso na área de publicidade digital. Dito isso, ainda temos um longo caminho a percorrer até o dia em que, de fato, vamos saber a melhor maneira de utilizá-lo. Mas afinal, o que é Deep Learning? Antes de prosseguirmos com qualquer outra análise sobre Deep Learning, é importante pontuar o que ele é exatamente. Antes de mais nada, precisamos compreender que essa ferramenta evoluiu de sistemas de IA classificados, como Machine Learning. Este conceito, por sua vez, está subdividido em duas categorias. A primeira é conhecida como Machine Learning supervisionado, cujo funcionamento se dá a partir de dados oferecidos por inputs humanos. Tais informações são processadas por algoritmos que aprendem a reconhecê-las, categorizá-las e arquivá-las. Um exemplo bem conhecido são os filtros de spam. Eles identificam informações pré-definidas pelos usuários para depois bloquear todo tipo de correspondência indesejada por eles. A outra categoria é o Machine Learning não supervisionado. Esta modalidade de sistema cruza informações não categorizadas com padrões previamente armazenados no banco de dados. A partir daí, encontra parâmetros compatíveis com a informação analisada para que os usuários possam interpretar seu significado. Tendo vista o funcionamento de ambas as faces do Machine Learning, fica mais fácil compreender porque o Deep Learning tem sido tão aclamado. Afinal, a ferramenta, em tese, une o melhor dos dois mundos. Ou seja, não há necessidade de definir os padrões que o Deep Learning procura e também não é preciso interpretar informações encontradas por ele a partir da análise de dados não categorizados. Por si só, os algoritmos da ferramenta são capazes de identificar uma determinada imagem, por exemplo, e definir o que ela significa, sem qualquer auxílio humano prévio ou posterior. Ferramenta multifuncional Por isso, sempre que ouvimos falar em Deep Learning é como se estivessem se referindo a um autêntico canivete suíço. Ou seja, um único objeto capaz de abrir garrafas, consertar correntes de bicicleta, parafusar a porta e muitas outras funcionalidades. Contudo, o que pouca gente analisa é que ferramentas multifuncionais, por melhores que sejam, jamais serão as únicas necessárias. Quando o problema é mais complexo, como a construção de um armário completo, por exemplo, precisamos de ferramentas mais robustas, designadas especificamente para determinadas tarefas. Logo, temos que considerar o fato de que o Deep Leaning pode até ser o canivete suíço que esperávamos. Mas para cenários complexos, como os que temos no campo da publicidade digital, talvez o Deep Learning nem sempre esteja pronto ou mesmo seja suficiente para causar impactos significativos. Para isso, na realidade, ainda precisamos de ferramentas específicas. Tornando o Deep Learning uma ferramenta de publicidade digital Para exemplificar este tipo de situação, basta lembrar que a implementação de uma arquitetura de Deep Learning em publicidade digital significaria processar muito mais dados do que em outros aplicativos – como reconhecimento de imagem em tempo real, por exemplo. Isso porque nossas trocas de publicidade são impulsionadas por tecnologias programáticas de compra que ainda estão sujeitas a restrições de latência muito mais rigorosas do que outros casos de uso de Deep Learning – no máximo milissegundos de um dígito. Além disso, o imenso poder computacional de uma verdadeira arquitetura de Deep Learning não é facilmente viável hoje em dia. O que vemos atualmente são modelos de Deep Learning que preparam as informações necessárias para a tomada de decisões, em tempo real, antecipadamente. Ou seja, a ferramenta está sendo usada para extrair e processar informações centradas no usuário a longo prazo, o que é algo muito diferente da abordagem de ponta a ponta que tem sido muito mais eficaz em permitir ganhos consideráveis dentro de aplicativos menos restritos. Vale lembrar que o Deep Learning também usa camadas que processam grande quantidade de dados brutos. E isso já não é tão positivo, uma vez que, nesse contexto, dados brutos não são tão baixos quanto pixels em uma imagem, por exemplo. Claro, o Deep Learning pode otimizar funções mais artesanais, como calcular a média de tempo que os usuários levam entre uma visita e outra ao site de uma determinada loja. Mas seria esse o melhor uso dos recursos de processamento disponíveis? Deixo para reflexão dos leitores. Diferente, mas não melhor Para concluir, não é que o Deep Learning seja melhor do que o Machine Learning tradicional ou vice-versa. Quanto a esta questão, é preciso saber, com clareza, qual é o objetivo a ser perseguido. É fato que o Deep Learning afetará todo o desempenho da publicidade no futuro. Porém, pode ser que isso aconteça apenas no contexto que permeia o espectro de atuação do Machine Learning. Portanto, o importante é reconhecer que toda ferramenta tem seu devido uso. Uma chave de fenda não é melhor que um martelo. Ambos têm funções diferentes. Para entender como o Deep Learning pode ajudar uma empresa, o melhor caminho talvez seja seguir o clássico método científico: executar experimentos com os próprios dados e KPIs. E, a partir daí, realizar uma avaliação sobre qual solução é, de fato, mais benéfica, independentemente, do hype ou do que se lê sobre ela sem antes testar. E então? Está pronto para incorporar Deep Learning na sua estratégia de marketing? * Romain Lerallut é vice-presidente da Criteo responsável pelo AI Lab Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Veja Mais

Pixel 4 terá limite de armazenamento no Google Fotos. iPhones, não

Pixel 4 terá limite de armazenamento no Google Fotos. iPhones, não

canaltech Espaço para armazenar fotos do smartphone nunca é o suficiente, ainda mais para os aficionados em fotografia e aqueles que escolhem o novo aparelho celular, principalmente, pelas qualidades da câmera. Nessa história, espaço ilimitado e gratuito no Google Fotos sempre foi um atrativo a mais para os usuários de celulares da linha Pixel, desenvolvidos pelo próprio Google. Mas, estranhamente, armazenar as fotos, em qualidade original e de forma gratuita, não será um benefício para os compradores do recém-lançado Pixel 4. Invés de acesso ilimitado ao Google Fotos, o Google inclui período de testes de três meses de seu serviço de assinatura nas compras do Pixel 4. Dessa maneira, e empresa espera transferir os proprietários do novo Pixel, que devem precisar de espaço para backups, em assinantes recorrentes de mais um de seus serviços. Ou seja, é uma questão de estratégia comercial. Pixel 4 em ação A ironia de tudo isso é que os usuários de iPhones, grande concorrente da empresa, devem ter acesso a armazenamento ilimitado e gratuito de fotos na qualidade original no Google Fotos, graças a uma brecha no formato. A configuração padrão em que fotos de iPhones são salvas é HEIC / HEIF, introduzido junto do iOS 11. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Nesse formato, os consumidores da Apple devem utilizar o serviço de forma ilimitada. Isso porque, caso o Google Fotos tentasse compactar essas imagens, a foto resultante ocuparia mais espaço do que a original, ao invés de menos. Dessa maneira, o Google não precisará mais compactar e processar todas as bilhões de fotos de backup dos iPhones Assim, a Apple economiza milhões de dólares para o Google ao tirar suas fotos no formato HEIC, que menor que o JPEG; isso, por sua vez, beneficia seus próprios usuários, que ganham backups gratuitos, na qualidade original. Ponto importante é que essa brecha se aplica apenas às fotos, pois todos os vídeos são salvos em uma resolução de 1080p. Infelizmente, não há a opção no Pixel 4 para salvar fotos no HEIC / HEIF e aproveitar o mesmo truque do iPhone. O Google Fotos, que já vem pré-instalado em aparelhos Android, pode ser baixado de maneira gratuita na App Store. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência 7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC? Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10) Veja Mais

BGS 2019: Com monitor “tático” e SSD, Aorus quer garantir sua vantagem nos jogos

BGS 2019: Com monitor “tático” e SSD, Aorus quer garantir sua vantagem nos jogos

canaltech Ser um jogador profissional vai muito além de apenas ter habilidade no comando dos heróis de League of Legends ou soldados de Counter-Strike. Assim como os atletas do futebol precisam ter as melhores chuteiras, os players também precisam de equipamentos de qualidade, uma tarefa que a Aorus foi para a Brasil Game Show 2019 disposta a cumprir. E um dos resultados desse foco é o que a empresa chamou de monitor tático. Autointitulado como o primeiro do mundo em sua categoria, o display tem foco nos shooters e foi pensado com uma série de recursos para não apenas garantir uma jogatina sem lags ou problemas de visualização, mas também de forma a dar vantagem competitiva para quem o utilizar. E quem quisesse experimentar exatamente o que a marca gamer da Gigabyte queria dizer poderia fazer isso na feira em partidas de exibição de Fortnite, um dos títulos mais buscados de toda a BGS 2019. Monitor tático da Aorus tem tela de 27 polegadas e display LED IPS, com uma transmissão de 144 Hz; variações focadas em MOBA apresentam taxas ainda maiores (Imagem: Felipe Demartini) O Aorus AD27QD tem 27 polegadas e resolução 2,5K, com 2560 x 1440 pixels de resolução. O painel LED IPS apresenta uma taxa de resposta de 1 ms e traz recurso HDR, com direito a certificação. Nada mal para um monitor com foco nos games de tiro, mas também trata-se de um conjunto disponível em outros modelos do mercado. Os adicionais, entretanto, é o que fizeram ele ser portador da alcunha de “tático”. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- “Colocamos algumas características que foram patenteadas pela gente, de acordo com o feedback que recebemos dos jogadores e da comunidade”, explica Thiago Tieri, gerente de marketing da Gigabyte Aorus. Uma delas, por exemplo, é o microfone embutido no monitor e seu sistema de cancelamento de ruído, que faz com que qualquer periférico de áudio conte com essa vantagem mesmo que ele, nativamente, não possua tal característica. “Acabamos com qualquer distração e garantimos que os seus parceiros escutem apenas você, e mais nada”, completa. Além da entrada de áudio, o AD27QD também se comunica com o computador a partir da porta USB 3.1 em vez das conexões tradicionais para dispositivos de vídeo. Elas estão disponíveis também, mas quem a utilizar perderá acesso a um sistema chamado OSD Sidekick, que permite o mapeamento de funções visuais diretamente para o teclado. “O jogador não precisa mais tirar as mãos das teclas para mudar o brilho ou o balanceamento de preto, o que também traz uma vantagem competitiva”, demonstrou Tieri. Sistemas de auxílio para hip-shots, controles de brilho e exibição de recursos na tela são feitos via hardware e, segundo Aorus, não podem ser considerados como trapaças (Imagem: Divulgação/Aorus) Isso se reflete também em uma característica curiosa do monitor: ele é capaz de aplicar uma mira extra à tela, que segue o movimento da arma e serve como auxílio para os momentos em que um hip-shot é necessário — aquele disparo repentino, que não utiliza a mira de precisão e pode salvar os jogadores de um encontro repentino com um inimigo. “Essa aplicação é feita pelo hardware e não é detectada pelo jogo, então não pode ser considerada como cheat”, esclarece o gerente de marketing. O mesmo vale, também, para um sistema de estabilização de mira que reduz a distorção de movimento e o balanço causado pelo recuo das armas, bem como outro que dá acesso a informações do hardware diretamente na tela, como temperatura e utilização de recursos. Mais uma vez, como se trata de uma funcionalidade do próprio monitor, ela não pode ser bloqueada ou sobreposta por títulos, nem sua utilização é detectada por eles. LEDs coloridos na parte de trás completam o pacote, trazendo mais imersão e cores ao setup. O AD27QD já está disponível no mercado brasileiro e é vendido por cerca de R$ 4 mil. Mas nem só de shooters vive a Aorus, que também possui variações de seu monitor tático, como uma voltada para MOBAS, que conta com frequência de 240 Hz e tela curva, assim como edições menores, com 25 polegadas, e variantes de 144 Hz e 240 Hz. Rapidez interna SSD Aorus NVMe Gen 4 aproveita todo o poder da quarta geração PCI Express para entregar 5.000 MB/s de velocidade de leitura (Imagem: Divulgação/Aorus) Velocidade e performance também são as palavras utilizadas pela Aorus para definir o SSD NVMe Gen 4, que, como o nome já indica, aproveita a quarta geração de conectores PCI Express já disponíveis em placas da AMD. A promessa da tecnologia é de um aumento de 40% na taxa de transmissão de dados, o que fez com que a Gigabyte já batizasse o componente como o SSD mais rápido do mundo. E não se trata apenas de um título. De acordo com os dados nos Tieri, o NVMe Gen 4 tem velocidade de leitura de 5.000 MB/s. Apenas a título de comparação, um dos SSDs mais velozes que já analisamos no Canaltech, o Crucial P1, da fabricante Micron, chega a 2.000 MB/s em sua versão de 1 TB, equivalente ao SSD que estava disponível no estande da Aorus na BGS 2019. Toda essa velocidade, entretanto, trouxe um desafio adicional, com a Aorus sendo obrigada a lidar com questões de resfriamento do SSD que não são uma preocupação em drives comuns desse tipo. “Colocamos um revestimento de cobre no produto, com um dissipador de calor, para que ele possa trabalhar de forma mais estável”, completou Tieri. De acordo com ele, o SSD NVMe Gen 4 também já está à venda no Brasil, saindo a partir de R$ 799 em versões de 512 GB, 1 TB e 2 TB de espaço. O modelo está disponível nos principais varejistas de tecnologia do país. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10) GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Veja Mais

Confira dicas para identificar um celular Xiaomi falso

Confira dicas para identificar um celular Xiaomi falso

canaltech Que os celulares Xiaomi têm feito grande sucesso entre os adeptos da tecnologia, isso não é nenhuma novidade, grande parte por conta de seu custo-benefício. No entanto, nem tudo são flores: O CEO da marca, Lei Jun, afirmou recentemente que 1 em cada 3 smartphones da empresa vendidos no mercado são falsos. Logo, cerca de 30% dos aparelhos da fabricante chinesa são vendidos como se fossem da marca, porém não passam de modelos piratas. A afirmação se deu porque vários usuários da marca começaram a reportar uma experiência não tão positiva com os dispositivos, como baterias que acabavam muito rápido, aparelhos que desligavam do nada, entre outros problemas. Se você deseja comprar um celular Xiaomi, mas ainda não sabe como reconhecer se ele é ou não verdadeiro, confira algumas dicas que podem ajudá-lo na identificação: -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Preço do celular Xiaomi Antes de tudo, vale conferir o preço do smartphone. Se ele for muito barato, é necessário desconfiar. Isso porque, embora os celulares da Xiaomi possuam um ótimo custo-benefíco, um preço muito baixo pode indicar peças falsas. Assim, se o seu celular Xiaomi for de 3 a 4 vezes mais barato em um determinado estabelecimento, provavelmente ele será falso. Xiaomi: preço dos celulares mais populares varia entre R$1.200 e R$2.000 Cheque o número IMEI do celular Xiaomi no site da Anatel Celulares piratas, na grande maioria dos casos, não possuem número IMEI, que funciona como um número de identificação global de cada aparelho, uma espécie de RG do mesmos. Logo, se o dispositivo que você está interessado não trouxer esse dado, já o descarte de cara. E, mesmo que o aparelho traga o IMEI, é importante checar a sua situação no site da Anatel, para ver se não se trata de um aparelho roubado ou bloqueado. Para achar o número do IMEI, busque-o na caixa do aparelho, em um adesivo que fica atrás da bateria ou digite *#06# no celular e aperte a tecla de realizar ligações. Com o número do IMEI em mãos, basta clicar aqui e, a seguir, descer até o final da página e clicar no botão "Consulte aqui a situação do seu aparelho celular". Feito isso, basta digitar o IMEI no campo correspondente e os caracteres para o site verificar que você não é um robô. Se tudo estiver correto, a página mostrará a mensagem "Até o momento o IMEI informado não possui restrições de uso". Aí você pode comprar o smartphone sem preocupações. Se quiser realizar uma checagem adicional, você usar o site IMEI24, que verifica se o dispositivo é roubado ou foi clonado. O processo é bastante semelhante ao do site da Anatel. Confira se a instalação da MIUI é original Smartphones falsos vêm com ROMs alteradas pelos revendedores. Por isso, ao atualizá-las para a versão original, o celular poderá ser bloqueado. Isso ocorre porque, durante o processo de instalação da MIUI original, o celular Xiaomi irá verificar parâmetros como o código do equipamento e hardware. Caso as informações não sejam encontradas, o equipamento trava e se torna inutilizável. Logo, antes de fechar a compra peça ou tente realizar uma atualização do MIUI para ver se o update ocorre da forma correta. Compare os aparelhos Outra dica bastante interessante consiste em comparar o seu celular Xiaomi a algum outro (de preferência que seja vendido em uma loja de confiança). Alguns detalhes denunciam facilmente se o aparelho é falsificado. Alguns deles são: O logo da Xiaomi: em celulares originais da marca, o logo é inscrito na parte da frente, na cor dourada; Tons do flash: no celular Xiaomi original, o flash apresenta dois tons diferentes. Já em um aparelho falso, existe somente um tom; Logo na parte de trás do Xiaomi é possível identificar um aparelho falso (Foto: GizChina.it) Verifique o selo de autenticação de seu celular Xiaomi Outra dica bem interessante consiste em confirmar se o seu novo celular Xiaomi possui um selo de autenticação, localizado na caixa do aparelho. Para ter acesso ao código, basta raspar o selo e inseri-lo no site oficial da marca. Verifique a ROM de seu celular Xiaomi Por norma, as ROMs oficiais da Xiaomi possuem somente quatro números. Qualquer outra versão é falsa. Assim, se nas configurações de seu smartphone você vir um número ao lado de “MIUI Version” com cinco dígitos ou mais, suspeite. Realize o teste de benchmark Para verificar se o processador de seu celular Xiaomi é original, vale realizar o teste através do aplicativo AnTuTu, um software que serve justamente para comparar a performance de aparelhos. A maioria dos celulares Xiaomi costuma apresentar resultados muito satisfatórios quando comparados aos demais. No site do próprio AnTuTu, é possível conferir a pontuação do modelo da Xiaomi que você está interessado e compará-lo com a pontuação antigida pelo aparelho por meio do app. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência 7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC? Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10) Veja Mais

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10)

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10)

canaltech Todo fim de semana é aquela mesma história. Por mais que a gente tenha assinatura de trocentos serviços de streaming, sempre bate aquela dúvida: o que assistir? É possível que os filmes novos em cartaz não tenham agradado e que as novidades da Netflix não sejam lá tão legais assim. O que fazer nesse beco aparentemente sem saída? Calma, tem jeito! Todo sábado o Canaltech lista para você os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online. São produções que chegaram a serviços concorrentes da Netflix ou até mesmo em serviços de vídeo sob demanda, como iTunes e Play Store. E nesta semana tem bastante coisa boa para você assistir, desde uma megaprodução da Disney recém-saída dos cinemas até filmes europeus super bem avaliadas pela crítica especializada. Entre isso, existe produções de todos os gêneros e gosto, indo desde filme de terror envolvendo freiras e possessões demoníacas até uma animação para quem é fã de quadrinhos. E mesmo que filmes não sejam lá a sua praia, não tem problema, pois três séries, entre novidades e clássicas, garantem a maratona do fim de semana. Ficou curioso? Então confira a seguir a lista com 10 indicações que preparamos para você. Cada uma delas vem acompanhada de trailer, sinopse e links de onde estão disponíveis, assim você só precisa clicar e apertar o play para assistir. Divirta-se e não deixe de comentar se você gostou das dicas e/ou se tem alguma para fazer. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- O Rei Leão   Nada melhor que começar a rodada de indicações com um filme que acabou de sair dos cinemas. Tudo bem, O Rei Leão não é lá aquela obra-prima como foi o desenho lançado em 1994 — tendo até recebido críticas de Elton John —, mas ainda assim é pode servir de porta de entrada para a molecada de hoje e ponte para o original. A aventura é a mesma que todo mundo conhece: o jovem leão Simba está destinado a se tornar rei da selva e tudo corre bem até que uma grande tragédia muda todo seu destino. Agora cabe a ele encontrar o caminho de volta para ocupar o lugar que sempre lhe pertenceu. O Rei Leão pode ser alugado ou comprado na Microsoft Store, iTunes ou Looke. A Maldição da Freira   Da fofura para o fundo do poço na companhia do capeta. A Maldição da Freira é aquele típico filme que mexe com coisa que deveria ficar quieta. Toda a trama se desenrola nos anos 1960, quando dois padres são enviados pelo Vaticano para investigar um evento milagroso num lar irlandês para mulheres órfãs, grávidas solteiras ou com distúrbios mentais. Lé, eles encontram uma adolescente grávida com sinais de possessão demoníaca e acabam descobrindo algo incrível. Se possível, coloque um copinho com água benta do lado da TV. A Maldição da Freira pode ser encontrado para aluguel ou compra na Play Store, Microsoft Store, iTunes e Looke. Amor Não Tem Preço   Nam, sai pra lá Satanás. Vamos de algo mais light agora. Amor Não Tem Preço é daqueles filmes para assistir a dois. A história segue as vidas de uma paramédica e um playboy riquinho que se conhecem por acaso. Apesar de ela achá-lo mimado e metido, os dois acabam sendo forçados a domar seus instintos. Ela terá de aprender a confiar nele, enquanto ele terá de mostrar que é muito mais do que apenas um socialite. Amor Não Tem Preço pode ser assistido pelos assinantes do Amazon Prime Video, além de estar disponível para aluguel ou venda na Play Store e iTunes. O 12º Homem   Houve uma época que Hollywood exercia praticamente um monopólio sobre os filmes de guerra, mas isso tem mudado nos últimos anos e os fãs desse gênero têm ficado cada vez mais órfãos. Por sorte, o cinema europeu vem lançando produções interessantes com a temática e O 12º Homem é mais uma delas. Durante a 2ª Guerra Mundial, um oficial norueguês vê 11 de seus companheiros serem torturados e mortos pelos nazistas depois de uma missão que acabou não dando certo. Sozinho, agora ele terá de contar com a ajuda de moradores locais para sobreviver e, quem sabe, tentar fugir para a Suécia. O 12º Homem pode ser assistido pelos assinantes do serviço de streaming do Telecine. Uma Noite de Crime   Vamos falar de série, agora? Bora! Nesta semana Uma Noite de Crime estreou sua segunda temporada no Brasil. Derivada do filme homônimo, a atração é um drama distópico que tenta imaginar como seria a seguinte situação: e se pelo menos uma vez por ano o governo legalizasse, por 12 horas, todo tipo de crime, incluindo assassinato? Como seria a sociedade? A ideia da série é mostrar as consequências disso numa pequena cidade dos Estados Unidos, agora governado por um partido totalitário. Toda a primeira temporada e o primeiro episódio da segunda temporada de Uma Noite de Crime estão disponíveis para quem é assinante do Amazon Prime Video. Novos episódios serão liberados semanalmente. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o que? Gap Year   O que você faria se pudesse sair por aí em um mochilão em um ano sabático? Gap Year provavelmente retrata pelo menos uma das suas ideias, mostrando vários desconhecidos se encontrando num mochilão pela Ásia, num ano sabático que poderia ser desastroso, mas que se torna uma jornada de descobertas para todos. Gap Year tem uma temporada, disponível na íntegra para os assinantes do GloboPlay. The Leftovers   A mais um exercício de imaginação: e se a sua vida terminasse assim, em um instante? E se sua esposa ou filho sumissem bem na sua frente? Como você explicaria isso? Pior: como você seguiria adiante e reconstruiria a sua vida depois de eventos tão devastadores como esse? É exatamente por isso que estão passando os cidadãos de Mapleton, que perderam centenas de pessoas em um arrebatamento repentino. O novo chefe da polícia do local luta para seguir adiante e levar alguma esperança para a vida das pessoas traumatizadas, mesmo enquanto sua própria família se desintegra. The Leftovers não é uma série necessariamente nova, mas só agora está chegando ao HBO GO em sua temporada. É uma boa para você que quer iniciar uma maratona e quer ter certeza até onde ela vai: ao todo, são três temporadas, que devem estar todas disponíveis em breve no serviço. Antes de Dormir   De volta aos filmes, mas ainda com um pezinho no suspense. Em Antes de Dormir, Nicole Kidman interpreta Christine Lucas, uma mulher que, dia após dia, acorda sem se lembrar de absolutamente nada que aconteceu nos últimos 20 anos. Isso acontece devido um acidente que ela sofreu 10 anos atrás, que acabou fazendo seu cérebro não conseguir reter as informações recebidas ao longo do dia. Com isso, é tarefa de seu marido Ben (Colin Firth) relembrá-la de sua vida. Para isso, ele monta um mural de fotos com vários detalhes sobre o passado. A mulher também frequenta uma terapeuta, que a incentiva a ter lembranças sobre o que aconteceu. O problema é que, aos poucos, Christine perceber que nem tudo é o que parece ser. Antes de Dormir pode ser assistido pelos assinantes do Amazon Prime Video, Telecine e GloboPlay. A Morte e o Retorno do Superman   Esse é para você que é fã de quadrinhos e super-heróis. Dois dos maiores acontecimentos na vida do personagem mais icônico da DC Comics agora são apresentados em uma animação com mais de duas horas de duração, sem cortes. O título mostra desde a batalha sem limites entre a Liga da Justiça e uma força alienígena implacável conhecida pelo nome de Apocalypse, até o momento em que o Superman dá um basta e muda Metrópolis para sempre. A Morte e o Retorno do Superman está disponível apenas para venda exclusivamente na Play Store. Contra o Tempo   Para encerrar a lista de indicações deste fim de semana, um ação com elementos de ficção científica e suspense. Em Contra o Tempo, o capitão Colter Stevens (Jake Gyllenhaal) faz parte de um projeto ultrassecreto chamado Source Code, capaz de transportar um homem para o corpo de outro e assumir sua identidade nos oito minutos de vida restantes de cada alvo escolhido para a "ocupação". Desta vez, porém, ele tem uma missão: voltar no tempo, no corpo de uma vítima de um atentado terrorista, e descobrir o autor do crime, pois um novo alvo será atingido dentro de poucas horas. O problema é que, nesse processo, ele acaba se apaixonando por uma das vítimas do trem, colocando tudo a perder para tentar salvá-la. Contra o Tempo pode ser assistido pelos assinantes do Claro Video e Amazon Prime Video, além de poder ser alugado ou comprado no iTunes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Veja Mais

7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino

7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino

canaltech Desde o seu princípio, Breaking Bad foi reconhecida pelo seu diferencial cinematográfico e pela atenção dada a detalhes como raramente víamos em obras seriadas. A transposição desse universo para o cinema com o filme-epílogo El Camino: A Breaking Bad Film (disponível na Netflix) fluiu naturalmente. Você pode ter gostado ou não da sequência, mas pelo menos um quesito deve estar longe de críticas negativas: a direção de arte. Breaking Bad teve um trabalho excelente de cenografia, cores, figurino, enfim, de ambientação estética e, em El Camino, o departamento de arte utiliza todo espaço da tela para colocar elementos das cinco temporadas através de reproduções de enquadramentos, esquemas de cores e inserção de objetos. Selecionamos sete desses momentos que ganharam ênfase em El Camino, mas que mesmo assim podem ter passado despercebidos, já que é difícil lembrar tudo o que se passou na série. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Leia também: Crítica | El Camino respeita os fãs e abraça o público 1. Lugares Há um time-lapse que mostra o amanhecer em Albuquerque e, em seguida, uma galeria que parece estranhamente familiar: é o mesmo lugar onde ficava o escritório do Saul Goodman, onde já não vemos a logotipo dele e uma outra loja funciona no local. Em Breaking Bad (Imagem: AMC) Em El Camino (Imagem: Netflix) Em outro momento, vemos o restaurante que conhecíamos como Los Pollos Hermanos, mas como a franquia acabou por motivos óbvios, um novo restaurante se encontra no local, o Twisters. Aqui, há ainda uma curiosidade: Twisters é um restaurante real de Albuquerque que serviu como set da série e até hoje recebe fãs que vão conhecer o lugar que deu vida ao Los Pollos Hermanos. Em Breaking Bad (Imagem: AMC) Em El Camino (Imagem: Netflix) 2. Detalhe Em meio a toda a bagunça do apartamento revistado de Todd, é possível ver um uniforme da Vamonos Pest, que lembra o quão danoso foi para Walter o envolvimento com a empresa (lembrando que ele comprou a empresa como fachada juntamente com Mike e Jesse). Em Breaking Bad (Imagem: AMC) Em El Camino (Imagem: Netflix) 3. Holly e Arroz Em El Camino, há uma grande ênfase em uma placa que indica o cruzamento da Avenida Holly com a estrada Arroz. Para essas placas, há pelo menos duas teorias: a primeira é de que seria uma referência à namorada de Vince Gilligan, criador da série, que se chama Holly Rice (e “rice” é arroz em inglês); a segunda teoria sugere que o nome Holly seja uma referência à filha de Walter White. Mas pode ser as duas coisas ao mesmo tempo, não? Ocupando grande parte do quadro e estando em foco, certamente é algo importante (Imagem: Netflix) 4. Lydia Jesse ouve no noticiário que uma mulher de Houston havia sido envenenada por Walter White e que, apesar de viva, provavelmente não resistiria. Lydia tem um importante papel na temporada final de Breaking Bad e uma relação bastante próxima a Todd, em cujo apartamento tem um globo que parece conter uma miniatura dos dois: ele de pé olhando para ela e ela sentada em uma xícara de chá (lembrando que Walter envenenou o chá dela). Todd era estranhamente apegado a lembrancinhas (Imagem: Netflix) 5. Como Walter Em dois momentos é possível ver a reprodução de um frame com Jesse tomando o lugar que, na série, havia sido ocupado por Walter White. O memorável episódio da mosca, quando Walter White tenta a todo custo matar o inseto, termina com Walter olhando para o teto e, mais especificamente, para o detector de fumaça, em cuja luz vemos a silhueta de uma mosca. A ideia de algo que ainda não está resolvido, terminado, é retomada em El Camino e, dessa vez, vemos Jesse deitado olhando para um teto que contém um detector de fumaça. Teto que Walter vê quando acorda ao final do episódio "A Mosca" (Imagem: AMC) O teto que Jesse vê e o faz lembrar dos assuntos não resolvidos (Imagem: Netflix) Em outro momento, quando Jesse está procurando o dinheiro no apartamento de Todd, um dos locais em que procura é justamente sob a pia, mesmo local em que Walter escondia pacotes de metanfetamina. Em Breaking Bad (Imagem: AMC) Em El Camino (Imagem: Netflix) Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! 6. Tarântula Das referências à série, talvez a mais recorrente seja a aparição de uma tarântula em um aquário na casa de Todd. Supõe-se que o animal seja o mesmo que aparece na quinta temporada, quando Todd mata um garoto após o assalto ao trem. A vítima, no início do episódio, aparece apanhando uma aranha e dando a entender que quer cuidar dela como um pet. A presença da aranha no apartamento de Todd abre mais uma possibilidade para El Camino explorar o lado bom de Jesse, que jamais concordou com mortes de inocentes. Em Breaking Bad (Imagem: AMC) Em El Camino (Imagem: Netflix) 7. Inseto Na segunda temporada, Jesse deixa um besouro caminhar pela sua mão e, logo em seguida, o esmaga sem motivo algum. No filme, muito mais maduro e contemplativo, ele reencontra um inseto e é clara a diferença entre o antigo e o novo Jesse simplesmente pelo modo como ele lida com um detalhe aparentemente tão pequeno. Em Breaking Bad (Imagem: AMC) Em El Camino (Imagem: Netflix) O importante é lembrar que, quando se trata de Breaking Bad e El Camino (e de qualquer bom filme em geral), nada está em cena por acaso. Cada objeto foi minuciosamente escolhido e disposto segundo alguma racionalidade e, algumas vezes, com algum grande significado. O que você encontrou quando assistiu El Camino? Conta para gente nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10) GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Play aparece em imagens vazadas de um unboxing não oficial Veja Mais

Free Fire | Saiba como jogar o game do momento no PC

Free Fire | Saiba como jogar o game do momento no PC

canaltech Free Fire Battlegrounds, popular jogo do gênero ação/aventura, é amplamente conhecido por conta de sua jogabilidade em dispositivos Android e iOS. No entanto, também é possível jogá-lo no computador com a ajuda de um emulador. O que é um emulador? Resumidamente, um emulador é um software responsável por reproduzir as mesmas funções de um ambiente e permitir que outros softwares atuem nele. Em outras palavras, o emulador de Android para computador “imita” as funcionalidades do celular para que os jogos mobile possam ser rodados no PC. Existem várias alternativas para emular Android disponíveis para download gratuito. Algumas delas são: BlueStacks; SmartGaga; KoPlayer; NoxPlayer; Andy; Remix OS Player; Android Studio. Como jogar Free Fire no PC Escolha uma das opções de emuladores disponíveis acima e faça o download deles em seu computador. Em seguida, execute a Play Store no menu inicial. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Imagem: Reprodução/baixarstore.com Na barra de pesquisas da Play Store em seu PC, procure por "Free Fire". Clique em instalar para iniciar o download do jogo no emulador. Depois, clique em “aceitar” para concordar com todos os termos de uso do jogo e começar a transferi-lo para seu computador e, uma vez que o download do Free Fire tenha sido feito, execute-o no menu principal do emulador de Android. Imagem: Reprodução/BlueStacks Iniciada a partida, você pode utilizar a ferramenta de controle para configurar vários comandos virtuais para o Free Fire. É possível adicionar botões, sensores de movimento, entre outros. Pronto! Seguindo esses passos bem simples, você pode jogar o Free Fire no PC. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Veja Mais

Últimos dias

Cientistas querem criar mapa 3D da Terra antes que o Homem a destrua

Cientistas querem criar mapa 3D da Terra antes que o Homem a destrua

canaltech Dois pesquisadores decidiram criar um mapa 3D de alta resolução do mundo inteiro, o mais rápido possível. O motivo? É que, devido às mudanças climáticas causadas pelo Homem, o planeta está mudando cada vez mais rápido. Com isso, florestas queimam, geleiras derretem e vestígios de culturas antigas desaparecem, todos os dias. Quanto mais esse efeito devastador afeta as características e registros da Terra, mais rápido os cientistas perdem materiais de pesquisas importantes, que poderiam nos revelar mais sobre o passado do planeta, das civilizações extintas, e outros mistérios ainda não desvendados. Para tentar guardar algum registro, o arqueólogo Chris Fisher e o geógrafo Steve Leisz, ambos da Colorado State University, criaram um projeto sem fins lucrativos chamado The Earth Archive. A proposta é usar lasers para criar um mapa 3D de alta resolução do mundo inteiro, em seu estado atual. "A crise climática ameaça destruir nosso patrimônio cultural e ecológico em décadas", disse Fisher no início deste ano, em uma palestra no TEDx. "Como podemos documentar tudo antes que seja tarde demais?" -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A resposta, de acordo com Fisher, é um método chamado lidar, que realiza a varredura de uma paisagem usando aeronaves para cobrir a área com uma densa rede de raios laser. A partir desse bombardeio de luz, os pesquisadores podem criar os mapas 3D de alta resolução e depois editá-los digitalmente. Por exemplo, eles poderiam remover folhagens e outros objetos para revelar coisas difíceis de se detectar na superfície da Terra. Em 2018, arqueólogos varreram parte de uma floresta na Guatemala com raios laser para revelar vestígios de uma metrópole antiga (Imagem: Luke Auld-Thomas and Marcello A. Canuto) Essa técnica já é utilizada na arqueologia, e se tornou mais proeminente em pesquisas nessa área na última década. Ela ajudou os pesquisadores a descobrirem cidades perdidas em lugares cobertos por folhas de árvores na África e América do Su, por exemplo, e também ajudou a revelar estradas soterradas da Roma antiga, além de paisagens urbanas perdidas no Camboja. Em 2007, o próprio Fisher fez parte de uma equipe que usava o lidar para descobrir vestígios de uma metrópole perdida na floresta tropical hondurenha. Usando essa tecnologia, o The Earth Arquive pretende fazer a varredura de toda a área terrestre do planeta — ou seja, cerca de 29% da superfície, já que o restante são oceanos. A equipe começaria o trabalho nas regiões mais ameaçadas, como a floresta amazônica e regiões costeiras que correm o risco de desaparecer com o aumento do nível do mar. O projeto provavelmente levaria décadas para ser concluído e exigiria muito financiamento — cerca de US$ 10 milhões — apenas para começar na Amazônia. Mas o resultado, na visão de Ficher, valeria a pena: ele seria "o presente final para as gerações futuras". Além da verba, há outros obstáculos a serem superados. Mat Disney, professor do Departamento de Geografia da University College London, disse que esse projeto inevitavelmente afastaria o financiamento de outros projetos de pesquisa. Além disso, obter permissão para pilotar um avião de pesquisa em espaços aéreos restritos seria complexo. "Quem lhes dará permissão para sobrevoar o Brasil? O governo brasileiro que não seria", disse Disney. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas Veja Mais

Conheça os melhores antivírus para smartphones disponíveis no mercado em 2019

Conheça os melhores antivírus para smartphones disponíveis no mercado em 2019

canaltech Os antivírus são importantes ferramentas para proteção de computadores e dispositivos, uma vez que impedem malwares de acessar a privacidade e os dados dos usuários. Naturalmente, existem diversas opções deles no mercado, em versões pagas e gratuitas. Se você deseja proteger seu aparelho com um antivírus, porém ainda não conseguiu decidir entre todas as opções, confira algumas dicas que poderão lhe auxiliar. Conheça alguns dos melhores antivírus para Android disponíveis: AVG Antivírus Muito popular no mercado, o AVG é frequentemente mencionado como um dos antivírus que melhor protegem smartphones, computadores e outros dispositivos. Recentemente, ele recebeu pontuação máxima no AV-Test, site que testa a qualidade de softwares de segurança. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- É possível utilizar o AVG antivírus tanto em sua versão gratuita quanto na paga, que custa cerca de R$9,99/ano na versão Pro, R$25,99/ano na versão Ultimate e garante acesso a mais recursos de proteção, além de ausência total de propagandas. Imagem: Divulgação AVL Pro antivírus Embora menos conhecido, o antivírus AVL é leve, simples de usar e possui bom grau de proteção para os dispositivos. Além disso, ele também recebeu pontuação máxima no AV-Test. Esse antivírus também possui ótimos recursos, como bloqueador de chamadas e ferramentas de monitoramento. Embora ele possua ótima funcionalidade, pode ser baixado gratuitamente, uma vez que não existe nenhuma versão paga da ferramenta. Imagem: Divulgação Norton Mobile Security Assim como o Avast e o AVG, o Norton é um dos antivírus mais populares do mercado. Sua funcionalidade é muito boa e ele oferece proteção contra vários tipos diferentes de malware, oferecendo inclusive funções como bloqueio de chamadas e monitoramento frequente. Embora um pouco mais caro, o Norton pode ser muito útil para usuários que possuem dados sigilosos em seu computador ou smartphone. É possível baixar a versão paga do antivírus por cerca de R$36. Imagem: Divulgação Avast Antivírus O Avast é um dos antivírus mais populares atualmente. Disponível nas versões paga e gratuita, ele oferece várias ferramentas de proteção, como otimizador de RAM, verificação de conexões Wi-Fi, escaneamento inteligente, teste de velocidade, entre outras. Além disso, o antivírus é conhecido por sua facilidade de encontrar ameaças e proteger a navegação com dados sigilosos através de seu firewall. É possível assinar a versão Pro do Avast Antivírus por R$12,99/ano, enquanto a versão Ultimate sai por cerca de R$36/ano. Imagem: Divulgação Kaspersky Antivírus O Kaspersky é um antivírus que oferece muitas funcionalidades, como bloqueio de SMS e chamadas e verificação de malwares. No entanto, o recurso de proteção em tempo real de seu smartphone só é liberado para assinantes da versão paga do antivírus, que custa cerca de R$29/ano. É possível fazer o download da proteção tanto em smartphones Android quanto iOS. Imagem: Divulgação Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas Veja Mais

Malévola: Dona do Mal quase não justifica sua existência

Malévola: Dona do Mal quase não justifica sua existência

canaltech Quando uma receita dá muito certo, geralmente ela é copiada à exaustão ou, no mínimo, utilizada muitas vezes. O exemplo mais claro disso no cinema talvez seja a Marvel, que viu sua fórmula dar certo em Homem de Ferro (de Jon Favreau, 2008) e, com o passar dos anos, foi acrescentando tempero e engrossando o caldo, até chegar em Vingadores: Ultimato (de Anthony Russo e Joe Russo, 2019) com o termo Fórmula Marvel cunhado e consolidado. Claro que, no caminho, um ingrediente a mais ou a menos parecia indicar que tudo poderia desandar. Mas a mão de ferro da empresa invadia a cozinha e acrescentava uma pitada de um condimento diferente, então tudo se renovava. A Disney – que tem a Marvel Studios como subsidiária –, já havia realizado alguns live-actions no final do século passado, mas resolveu investir em novos ingredientes em suas receitas após a falta de sucesso e, com isso, surgiram os filmes repaginados, as histórias com modificações e reimaginações. Nada como chamar um diretor inventivo como Tim Burton para essa retomada, que veio com Alice no País das Maravilhas (2010). O problema é que o resultado não foi exatamente como esperado e, então, a empresa assumiu os projetos como a sua subsidiária. Se por um lado isso renderia alguns bons filmes, como Mogli, O Menino Lobo (de Jon Favreau, 2016) e outros bem sensíveis como Christopher Robin: Um Reencontro Inesquecível (de Marc Forster, 2018) e deixaria escancarada a habilidade de recriar dos roteiristas, por outro revelaria que a empresa pouco sabe fazer em questão de continuidade (algo que é o alicerce da Marvel no cinema). -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Cuidado! Daqui em diante a crítica pode conter spoilers! Os medalhões salvando o roteiro Malévola: Dona do Mal, enfim, pode se encaixar justamente neste perfil. O roteiro de Micah Fitzerman-Blue, Noah Harpster (ambos de A Beautiful Day in the Neighborhood) e Linda Woolverton (do citado Alice no País das Maravilhas) parece perdido na ideia de expansão da vilã repaginada no filme de 2014; é como esticar uma massa que seria para uma pizza brotinho até ela ficar do tamanho gigante. É tudo esticado ao máximo, mesmo sem ter mais para onde ir; cada decisão imposta pelo texto é previsível e quase descartável. Resistir ao descarte, aliás, é algo que fica para os momentos finais, quando, enfim, Malévola (Angelina Jolie) é alçada a uma categoria mitológica. Sua alma (e não somente) de fênix é tão bem-vinda quanto bonita de se ver, ainda mais em se tratando de um ser tão machucado durante os dois filmes. O renascimento é de uma força emblemática, como se aquele ser – representado pela personagem de Jolie – fosse uma metáfora para quem resiste, para toda resiliência possível de ser encontrada no amor e na luta por causas justas. Jolie, por sinal, é uma presença fundamental para que Malévola: Dona do Mal tente ser um filme válido. Até mesmo quando o roteiro parece querer afundar seu trabalho em um humor incondizente – quando a indicar sua breve aula de expressões faciais com Diaval (Sam Riley) –, a atriz consegue transformar a situação um tanto quanto kitsch em algo a ser pensado. Se a receita está ruim, Jolie é, aqui, uma espécie de bom azeite, que empresta mais sabor sempre que está em cena. "Jolie consegue transformar as situações em algo a ser pensado." (Imagem: Walt Disney Studios Motion Pictures) O problema é mesmo o roteiro, que, além da sua total previsibilidade – do pedido de casamento à descoberta da maldade da Rainha Ingrith (Michelle Pfeiffer) por Aurora (Elle Fanning) –, está bem indisposto a um trabalho minimamente complexo. A própria Rainha Ingrith, que teria peso para ser um contraponto fundamental na relação entre Aurora e o Príncipe Philip (Harris Dickinson), é logo pintada como vilã da história. O que tinha potencial, então, para ser um embate familiar onde o público poderia ceder algum investimento emocional, acaba em uma jogo pobremente maniqueísta. E é de se estranhar que a personagem de Pfeiffer seja tão rapidamente vilanizada em um filme que traz um ser feminino como a Dona do Mal (ou Amante do Mal em tradução livre do título original). Felizmente, por esse lado, Pfeiffer é certeira ao atuar em um modo totalmente caricato, exagerando nas expressões – e uma risada clássica de bruxa má pode até fazer falta para ela. É como se a atriz entendesse seu papel por um lado muito mais de expor o quanto é desagradável a sua vilanização (especialmente extrafilme). "Pfeiffer é certeira ao atuar em um modo totalmente caricato." (Imagem: Walt Disney Studios Motion Pictures) Uma boa tentativa se for vista como tropeço A direção do norueguês Joachim Rønning (do excelente Expedição Kon Tiki, 2012), por sua vez, para além de dar liberdade ao elenco (especialmente aos medalhões Jolie e Pfeiffer), conduz tudo em um piloto automático tão sonolento quanto tedioso. Há um tipo de linha inquebrantável entre o seu trabalho e o que a Disney se dispõe a ter como resultado. É como se Rønning pensasse em um ritmo mais lento e a empresa insistisse em algo ágil e épico. O resultado é uma vitamina sonolenta e sem gosto que encontra vocação para massa de crepe no meio do terceiro ato, quando a guerra é iniciada. Nesse sentido, para um filme que prega a união entre os povos, a harmonia e a paz, uma sequência violenta (com muitas mortes por esfarelamento inclusive) ser o que há de mais interessante em quase duas horas de duração é preocupante. "Uma sequência violenta ser o que há de mais interessante é preocupante." (Imagem: Walt Disney Studios Motion Pictures) A verdade (nunca absoluta) é que Malévola: Dona do Mal é uma continuação que pouco diz de diferente, pouco expande e pouco acrescenta além de novos bichinhos fofinhos e com mais destaque. Alguns planos que são emolduráveis de tão bonitos – graças à iluminação da fotografia de Henry Braham (de Guardiões da Galáxia Vol. 2) –, as presenças de Jolie e Pfeiffer e um final épico não justificam a existência do filme. Mas a tentativa, se for vista como um tropeço, pode ser bem válida. Resta saber se a Disney descobrirá qual foi o ingrediente que fez tudo desandar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Jogadores reclamam que Epic deixou Fortnite muito mais difícil

Jogadores reclamam que Epic deixou Fortnite muito mais difícil

canaltech Depois de dois dias fora do ar, Fortnite retornou nesta última terça-feira (15) para o Capítulo 2 do jogo, que trouxe diversas mudanças para o game além de um mapa totalmente novo. Mas, de acordo com a Epic Games, a maior mudança seria no sistema de progressão do game, que exigiria menos esforço do jogador para alcançar chegar ao nível máximo do personagem. Mas, de acordo com a comunidade do jogo, não é exatamente isso que está acontecendo. Na teoria, a Epic Games aumentou as formas dos jogadores ganharem XP no jogo, permitindo que os personagens passem de level efetuando ações como abrir baús e coletar materiais. Mas ainda que, na teoria, isso deveria tornar mais fácil a subida de nível, na prática não é isso que está acontecendo. No Twitter, um usuário chegou até a mostrar toda a matemática do cálculo de XP para se levar um personagem do level 1 até o level 100 dentro da temporada, que costuma durar cerca de dez semanas. Pelos cálculos, mesmo que o jogador faça todos os desafios semanais e colete a experiência de todos os punchcards diários, será necessário ainda participar de cerca de 15 partidas por dia, todos os dias, para conseguir a experiência necessária para alcançar o nível máximo de personagem na temporada. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- This will explain how hard it will be to reach level 100. pic.twitter.com/7u9QZtftHg — Fortnite News (@FortniteFeedBR) October 18, 2019 Uma das maiores reclamações dos jogadores é a forma como funciona o novo esquema de desafios semanais. Antes, a cada semana novos desafios eram desbloqueados, então os jogadores que não eram muito habilidosos podiam coletar a experiência de completar os mais simples e, na semana seguinte, receber novos desafios para ajudá-lo a progredir no jogo. Agora, para se ter acesso aos novos desafios semanais, é preciso completar todos os já existentes na lista do jogador, o que tem feito algumas pessoas “travarem” no game por não conseguirem completar desafios muito específicos e que requerem uma certa habilidade. Isso tem feito com que os jogadores sintam que, apesar do discurso de deixar as coisas “mais divertidas”, a Epic Games tem se esforçado para impedir o progresso natural dos jogadores, obrigando-os a investir dinheiro na compra do Battle Pass, que é o modo como a companhia monetiza o jogo. Até o momento, a Epic ainda não sem pronunciou sobre o caso, mas as reclamações sobre as novas mecânicas de progressão de Fortnite não parecem que irão sumir tão cedo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Governo garante pagamento de bolsas do CNPq para este ano

Governo garante pagamento de bolsas do CNPq para este ano

canaltech O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) anunciou nesta última quinta-feira (17) que os recursos para o pagamento das bolsas de pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) estão garantidos até o fim do ano. Segundo a pasta, foi efetuada a suplementação à Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2019 para pagamento das bolsas para outubro, novembro e dezembro no valor de R$ 250 milhões. Desse total, R$ 93 milhões serão disponibilizados por meio do Projeto de Lei (PLN) nº 41, enviado ao Congresso Nacional em 15 de outubro. O restante, R$ 156,9 milhões, será disponibilizado por meio de portaria que deverá ser assinada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nos próximos dias. Segundo o ministério, a proposta de lei orçamentária para 2020 já prevê recursos para as atividades do CNPq e o problema não deve se repetir. De acordo com a pasta, a situação deste ano ocorreu devido ao montante insuficiente da lei orçamentária aprovada em 2018 que destinou recursos inferiores ao que era necessário para o CNPq. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- “Havia uma preocupação muito grande com o pagamento das bolsas do CNPq. São 84 mil pesquisadores desde iniciação científica até pesquisadores seniores na espera desse resultado”, disse o ministro Marcos Pontes. “Os pesquisadores podem dormir sossegados e eu também até o final do ano”. Fusão do CNPq e Capes? O ministro Marcos Pontes reiterou, ainda, seu posicionamento contrário a uma eventual fusão entre o CNPq, subordinado à sua pasta, e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao Ministério da Educação (MEC). “Recebemos a proposta do MEC com relação a esses estudos de junção da Capes com o CNPq e uma resultante ficando no MEC. É possível a convivência, como já tem sido, das duas agências, cada uma com sua tarefa e um trabalho administrativo de gestão para reduzir os custos”, afirmou Pontes. “Vamos ter uma reunião com a Educação para discutir quais serão os destinos, mas a junção das duas é extremamente improvável”, complementou.   No último dia 11, em sua conta no Twitter, Marcos Pontes afirmou que a posição do MCTIC era contrária à fusão, pois seria prejudicial ao desenvolvimento científico do país. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Veja Mais

Lendário! Orlando Drummond, dublador do Vingador e Scooby Doo, completa 100 anos

Lendário! Orlando Drummond, dublador do Vingador e Scooby Doo, completa 100 anos

canaltech Nesta sexta-feira (18), o ator e dublador Orlando Drummond está completando 100 anos. Responsável por verdadeiros marcos em diversas gerações, o aniversariante teve vários trabalhos na televisão, emprestando a voz a personagens como Scooby Doo, Popeye, Alf e Vingador, da Caverna do Dragão. Um de seus principais trabalhos foi como o Seu Peru, no clássico humorístico A Escolinha do Professor Raimundo, protagonizada por Chico Anysio. O ator, que nasceu no Rio de Janeiro, ingressou no mercado de atuação e dublagem em 1942, e a sua carreira teve início nas rádios. Foi por meio da interpretação do personagem Seu Peru que Orlando Drummond passou a ter o rosto mais conhecido pelo público. "Antes eu era do rádio e da televisão, mas eu não tinha cara. A minha cara era a dos personagens, como o Scooby Doo, o Popeye, o Alf. Quando eu passei a fazer o Seu Peru, as pessoas começaram a falar: ‘é o Seu Peru que faz o Scooby Doo, o Popeye’ e outros tantos personagens que enumerá-los é até difícil", o ator chegou a declarar durante uma entrevista à Globo. Drummond chegou a entrar no Guinness Book, o livro dos Recordes, por ter dado voz ao Scooby-Doo por nada menos que 35 anos (de 1975 a 2010). No Twitter, vários internautas aproveitaram a ocasião para parabenizar o ator pelo seu trabalho e prestar homenagens. "Um século de vida e possivelmente mais personagens em sua carreira do que as velas do seu bolo. Feliz aniversário, gênio", um dos fãs chegou a escrever. "Feliz centésimo aniversário ao nosso querido Orlando Drummond! Um comediante genial e uma das maiores lendas da dublagem brasileira", outro escreveu. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Dentre as homenagens nas redes sociais, uma que se destaca é a de Guilherme Briggs, colega de profissão de Drummond, já que também empresta a sua voz a diversos personagens (como Cosmo, de Os Padrinhos Mágicos e Buzz Lightyear, de Toy Story, por exemplo). "Um século de uma vida que me ensina e inspira diariamente. Te amo", Briggs escreveu. Hoje o meu querido mestre Orlando Drummond completa 100 anos. Ele nasceu nesse mundo através do amor e o iluminou, carregando em suas veias o humor, que doou constantemente e sem se cansar ou reclamar. Um século de uma vida que me ensina e inspira diariamente. Te amo.❤ pic.twitter.com/CVRMS0ag4I — Guilherme Briggs (@GuilhermeBriggs) 18 de outubro de 2019 Em julho deste ano, a Globo prestou uma homenagem ao ator, levando-o para as gravações do remake da Escolinha do Professor Raimundo. Na ocasião, o Seu Peru original ficou lado a lado com o Seu Peru interpretado por Marcos Caruso, o que rendeu grandes emoções. "Não tem preço. Toda vez enquanto eu estiver vivo, estarei presente com muito amor e muito carinho. Obrigado, obrigado", Drummond afirmou, no vídeo:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web

Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web

canaltech O Facebook começou a ganhar um redesign na versão para web, que foi prometido pela companhia no início do ano, durante sua conferência anual para desenvolvedores. Junto com o novo visual chega o aguardado tema escuro, que tornará o uso da rede social mais confortável e elegante. O Canaltech já conseguiu colocar as mãos no dark mode do Facebook! Compartilhamos nossas primeiras impressões logo abaixo, junto com uma dica que pode ajudar você a receber a novidade o mais rápido possível. Facebook com tema escuro A usabilidade do Facebook permanece a mesma, mas o tema escuro deixa a experiência de uso na plataforma mais confortável, sobretudo para quem gosta de assistir a vídeos no Watch. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O tema escuro do Facebook Para ativar o tema escuro, basta clicar na sua foto de perfil com o novo design ativado e selecionar "Modo escuro" no menu que irá abrir. Essa opção altera por completo o visual do Facebook, como o perfil, as comunidades, os grupos e também o feed de notícias. O recurso é compatível com qualquer navegador e não requer nenhum requisito mínimo para funcionar. Tema escuro do Facebook no feed de notícias  Novo visual do Facebook O novo visual foi uma promessa que o Facebook fez durante a F8, conferência da empresa para desenvolvedores que antecipa algumas novidades que estão programadas para chegar ao longo do ano. Quem mora na cidade do Rio de Janeiro ou em São Paulo já deve ter se deparado com alguma publicidade do Facebook em pontos estratégicos de avenidas importantes ou no metrô, por exemplo — todas elas dando ênfase aos Grupos. Também há propagandas na televisão em horário nobre divulgando comunidades, grupos e o marketplace, e isso não é por acaso. Novo visual do Facebook traz destaque para as comunidades  O objetivo do Facebook com esse novo visual é tornar essas ferramentas centrais, deixando o feed de notícias em segundo plano. Os Stories também ganharam um espaço de maior destaque no redesign para web. De modo geral, o visual escuro deixa os elementos mais espaçados e com fontes mais legíveis, o que deve facilitar a vida de quem usa a versão web no navegador do celular. Há também a promessa de maior velocidade e publicidade menos invasiva em algumas seções. O novo visual do Facebook Watch Como receber o novo visual do Facebook O redesign do Facebook chegará aos poucos para os usuários, mas você já pode ir preparando o terreno para receber a novidade. A primeira coisa que você precisa saber é que o tema não irá mudar automaticamente, mas um alerta com a disponibilidade do novo visual irá aparecer na parte superior direita da página, ao lado do meu de "Ajuda", para você ativá-lo manualmente: Caption Clicando no alerta "Você pode mudar para o novo Facebook beta a qualquer momento", o visual será alterado automaticamente e você conseguirá aproveitar as novidades. Se você ainda não recebeu essa notificação, recomendamos que você limpe o cache do navegador, o que pode agilizar o processo. O cache é uma memória temporária. Logo, este banco sempre será abastecido com novos dados, imagens, áudios e outros tipos de arquivos. Deletar o cache significa eliminar as informações existentes e abrir espaço para que novas sejam salvas. No Windows, abra o menu iniciar e digite "Limpeza de disco". Abra o utilitário e faça o escaneamento da unidade onde os dados são salvos (provavelmente a unidade C). Ao fim, uma janela será aberta: selecione todas opções que irão aparecer em "arquivos a serem excluídos" e confirme clicando em "ok". No macOS, basta acessar a barra de configurações superior segurando a tecla "Option", clicar em "Ir" e selecionar "Biblioteca". Encontre a pasta cache e remova todos os arquivos e pastas que estiverem dentro dela. Agora é só aguardar! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta Veja Mais

Google, Facebook, Twitter e WhatsApp vão aderir ao programa antifake news do TSE

Google, Facebook, Twitter e WhatsApp vão aderir ao programa antifake news do TSE

canaltech Quatro das principais plataformas digitais do mercado asseguraram seu apoio ao Programa de Enfrentamento à Desinformação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), uma iniciativa do órgão que tem por objetivo combater a disseminação de informações falsas — as chamadas fake news — dentro do ambiente político das eleições de 2020. Google, Facebook, Twitter e WhatsApp devem oficializar a adesão ao programa em 22 de outubro, durante sessão realizada às 18h15 no Gabinete da Presidência do Tribunal, em Brasília. A ministra Rosa Weber, presidente da corte eleitoral do TSE, estará presente. O programa possui diversas práticas de orientação, que contam com a participação das entidades que lhe são associadas, todas direcionadas a mostrar ao usuário as melhores práticas de identificação de fake news e como agir diante delas, no aspecto de denunciá-las às plataformas. Segundo informa o TSE, o projeto já conta com 40 nomes do mercado tecnológico em seu quadro associado. O juiz Ricardo Fioreze coordena o programa de combate a fake news conduzido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (Imagem: Canal TRT4F/Reprodução) O juiz auxiliar da Presidência do TSE e coordenador do grupo gestor do programa, Ricardo Fioreze, destaca a importância da participação dessas plataformas na cruzada “contra um fenômeno que vem sendo potencializado pelo uso da internet, já que os aplicativos mais utilizados para o tráfego de informações também são usados para disseminar a desinformação”. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Fioreze ainda ressalta que as plataformas já estão implementando medidas que ambicionam coibir a proliferação de falsas informações, e que a adesão das quatro principais empresas do setor permitirá ao TSE “um importante compartilhamento de informações verdadeiras e esclarecimentos sobre a atuação da Justiça Eleitoral”. A ministra Rosa Weber, que preside o Tribunal Superior Eleitoral, ajudou na criação de programa de combate às fake news e deve estar presente em evento de adesão do Google, WhatsApp, Twitter e Facebook ao projeto (Foto: Acervo/TSE) O programa foi inaugurado em 30 de agosto de 2019 e tem foco específico nas próximas eleições, previstas para acontecerem durante todo o ano de 2020 e culminando no dia de votação nas urnas eletrônicas, no segundo semestre. Além do Google, Facebook, Twitter e WhatsApp, o Programa de Enfrentamento à Desinformação do TSE conta com mais 36 nomes associados, entre representantes das telecomunicações, imprensa, TI, provedores de internet, agências de checagem de fatos e partidos políticos. Confira a lista abaixo: Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) Associação Brasileira de Imprensa (ABI) Associação Brasileira de Internet (Abranet) Associação Brasileira de Rádio e Televisão (Abratel) Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint) Associação Nacional dos Jornais (ANJ) Agência Aos Fatos Associação Acredito Associação Brasileira das Agências de Comunicação (Abracom) Associação InternetLab de Pesquisa em Direito e Tecnologia Boatos.org Conselho Gestor da Internet (CGI.br) Instituto Palavra Aberta Instituto Update Ministério da Justiça e Segurança Pública Ministério Público Federal Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil Partido Avante Partido Comunista do Brasil (PCdoB) Partido Democracia Cristã (DC) Partido Democratas (DEM) Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) Partido Solidariedade Partido Progressistas (PP) Partido Republicanos Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) Politize! Safernet Brasil Sociedade Brasileira de Computação (SBC) Secretaria Executiva do Comitê Nacional do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral Agência Lupa Partido Social Cristão (PSC) Partido Podemos (Pode) Partido Democrático Trabalhista (PDT) Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República Instituto Não Aceito Corrupção Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Veja Mais

Por menos de R$ 60, é possível comprar credenciais de redes sociais na deep web

Por menos de R$ 60, é possível comprar credenciais de redes sociais na deep web

canaltech Segurança digital e privacidade são dois temas que têm crescido nos últimos anos. Mas você sabe o que acontece com seus dados quando há um vazamento? Uma pesquisa da VPNOverview foi entender o que hackers fazem com tais informações e quanto custa acessá-las. Acredite, seus dados estão sendo vendidos por mais barato do que você imagina. Chamado de “In the Dark”, o estudo apontou o preço de cada um dos dados disponíveis online, como credenciais de cartão de crédito, redes sociais, números de telefone e outras informações sensíveis. Segundo o levantamento, em uma das plataformas da dark web há uma oferta de contas de bancos, com o quanto se pode conseguir com aqueles dados — por exemplo, uma conta do PayPal com o montante que há nela. Para um perfil avaliado em US$ 12 mil, os hackers vendem as credenciais por US$ 1.200. Contudo, a pesquisa também mostra que o acesso a cartões de crédito de US$ 1.000 tem informações vendidas por US$ 79. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A pesquisa não foca somente em informações financeiras, também abordando dados de acesso a redes sociais. Para entrar em um perfil alheio, basta pagar apenas US$ 12,99 por usuário e senha. Ou seja, por menos de R$ 60 alguém pode comprar a entrada nas redes sociais de outra pessoa. Outros dados, como e-mail, telefone e endereço, também podem ser comprados por US$ 50 a US$ 200. Tais informações são obtidas, em sua maioria, por conta de vazamentos públicos. Isso significa que toda vez que um grande banco de dados é exposto, hackers guardam as credenciais para comercializá-las. Segundo o VPNOverview, um arquivo com mais de 15 milhões de credenciais é vendido na internet por cerca de US$ 5 mil. Um dos arquivos descobertos pelo levantamento foi do Dubsmash, app para sincronia labial. Por fim, o estudo também revela todo um mercado de venda de documentos falsos, como passaportes, carteiras de motorista e outros. Os hackers usam dados reais para forjar os papéis a US$ 800, a depender do tipo. O estudo completo está disponível no site da VPNOverview. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

ROG Phone II | Vídeo mostra as entranhas do smartphone gamer da Asus

ROG Phone II | Vídeo mostra as entranhas do smartphone gamer da Asus

canaltech Lançado para ser o melhor smartphone gamer do mercado, o ROG Phone II, da Asus, conta com um design bastante característico, o que despertou a curiosidade do pessoal do canal JerryRigEverything no YouTube. Por isso, eles resolveram desmontar completamente o smartphone e registrar tudo em vídeo. Durante o processo, foi descoberto que a sua prometida ventilação é oca e não está conectada a nenhum componente da placa-mãe. O vídeo de desmontagem também revela a poderosa bateria do smartphone, de 6.000 mAh, e a peça de cobre posicionada atrás da tela para dissipar o calor excessivo. A equipe ainda mostra que, ao cortar a câmara de vapor, não é visto nenhum líquido ou vapor em seu interior. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Assista ao vídeo:   O ROG Phone II foi lançado em julho de 2019, sendo um dos primeiros smartphones a contar com Snapdragon 855 Plus para o melhor desempenho possível em jogos. Ele ainda conta com 12 GB de memória RAM e opcões de 256 GB, 512 GB ou 1 TB de armazenamento, tela AMOLED de 6,59 polegadas e Gorilla Glass 6. O aparelho chega no Brasil no próximo dia 21 de outubro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Para rezar à vontade! Vaticano lança wearable “eRosário inteligente”

Para rezar à vontade! Vaticano lança wearable “eRosário inteligente”

canaltech O Papa Francisco vem buscando ampliar a atuação digital da Igreja Católica para se aproximar dos fieis mais jovens. O Vaticano já possui uma plataforma de orações, o “Click to Pray” (“Clique para Rezar”), na forma de app e também disponível em site. Agora, a mais nova empreitada é um wearable inusitado: um “eRosário inteligente”, que pode ser pareado com um dispositivo iOS ou Android via Bluetooth. Depois de conectado a um aparelho, você pode usar o eRosário com o app dedicado eRosary Click to Pray, que já existe desde janeiro e basicamente ensina como rezar o rosário. Ao sincronizar o gadget, você pode seguir orientações sobre como orar e fazer isso com o Papa como guia — ou até mesmo com outras pessoas por meio da rede social Pope’s Worldwide Prayer Network. (Imagem: Divulgação/Acer) O eRosário usa Bluetooth 5.0 para detectar a presença dos usuários e pode armazenar e acompanhar todas as orações em andamento ou concluídas. O acessório é composto por 10 contas de ágata preta e hematita e uma cruz de metal prateado. Fabricado pela Acer, é resistente a água e possui bateria de 15 mAh. É compatível com Android 5.0 e iOS 9 e superiores e custa 99 euros (R$ 457 na conversão direta), com venda no site da Acer Itália e na Amazon. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Samsung deve estrear câmera sob a tela já no ano que vem

Samsung deve estrear câmera sob a tela já no ano que vem

canaltech Aproveitar mais o espaço do painel e encontrar maneiras de tirar os sensores da câmera frontal de sua superfície vem sendo uma batalha particular das fabricantes de smartphones nos últimos anos, que já apelaram para diferentes notches, “buracos” e até mesmo esquemas retráteis. Agora, informações da cadeia de fornecedores na Coreia do Sul indicam que a Samsung deve trazer inaugurar seu primeiro aparelho com câmera sob a tela já em 2020. A Sammy teria encomendado a produção aproximada de 30 mil paineis por mês para sua nova tecnologia Hole In Active Area 2 (HIIA2) — os “buracos” no Galaxy S10 são chamados de HIIA1. O HIIA 2 deve utilizar o mesmo espaço das câmeras atuais, no canto superior direito, mas com o método Under Display Camera (UDC), em que essa parte do painel é transparente e consegue se mesclar com o restante do display. A Oppo já mostrou teaser de sua câmera sob a tela (Imagem: Reprodução/Oppo) Quando o usuário aciona a câmera, essa parte da tela fica escura, o que permite à luz atravessar o cantinho onde fica o sensor. Como o número de montagem é muito baixo para consumo em massa, é bem provável que vejamos essa novidade no Galaxy Fold 2 — há pequenas chances de aparecer também no Galaxy S11+, mas isso é mais improvável. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Vale destacar que essa tecnologia de câmeras embutidas no display não é exclusividade da Samsung e várias outras empresas, incluindo a Oppo e a Xiaomi, já até mostraram teasers de que estariam também perto de anunciar alguma solução UDC. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Veja Mais

Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte

Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte

canaltech A sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO), que recentemente enviou imagens fascinantes de uma avalanche de gelo e poeira na superfície de Marte, agora capturou fotos de outros exploradores da NASA presentes no Planeta Vermelho: a sonda InSight e o rover Curiosity. Com a sua câmera HiRISE (High-Resolution Imaging Science Experiment), a MRO tem monitorado o local de pouso da InSight na região marciana chamada Elysium Planitia em busca de mudanças na superfície. No dia 23 de setembro de 2019, a MRO estava orbitando o planeta a uma altitude de 272 quilômetros acima da superfície, quando conseguiu a melhor visão que a NASA já obteve da InSight a partir do espaço. Imagem: NASA/JPL-Caltech/University of Arizona. Essa foto mostra claramente os dois painéis solares circulares em ambos os lados do equipamento. Na ampliação da imagem, há um ponto brilhante na parte inferior - é a cobertura em forma de cúpula que protege o sismômetro da InSight. Também há um círculo escuro ao seu redor, que é resultado da ação dos propulsores da nave durante o pouso enquanto as “dust devils” (redemoinhos de poeira) de Marte criaram as faixas escuras que você vê na diagonal, pela superfície. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mas por que essa imagem é a melhor que a NASA tem a partir do espaço? Bem, há fatores que ajudaram a torná-la mais nítida que as anteriores. Por exemplo, desta vez havia menos poeira no ar, e a iluminação estava ótima para evitar os reflexos brilhantes da sonda ou de seus painéis solares. Em outras imagens, esses reflexos acabaram atrapalhando. Claro, no caso da cúpula protetora do sismômetro, não há muito o que se fazer, pois seu próprio formato gera reflexos. Além disso, a HiRISE também acompanha o Curiosity, que fica a aproximadamente 600 quilômetros da InSight. Na animação abaixo, podemos ver um trecho percorrido pelo rover: Imagem: NASA/JPL-Caltech/University of Arizona. Este GIF foi divulgado nesta quinta-feira (17) pela agência espacial e mostra a posição do rover enquanto percorria 337 metros pela região entre 31 de maio e 20 de julho deste ano. Se você olhar atentamente, verá inclusive as trilhas deixadas pelas rodas do Curiosity na superfície! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Motorola RAZR dobrável deve ser anunciado oficialmente no dia 13 de novembro Veja Mais

Samsung Galaxy A30s chega oficialmente ao Brasil; veja o preço

Samsung Galaxy A30s chega oficialmente ao Brasil; veja o preço

canaltech Em agosto, a Samsung já havia anunciado que o intermediário Galaxy A30s chegaria ao Brasil em breve. A linha A tem feito bastante sucesso por trazer mais câmeras e funcionalidades que até pouco tempo atrás eram exclusividade de flagships — aliás, veja a diferença entre o A30s e o A50s. Agora, o aparelho desembarca oficialmente em terras tupiniquins com o preço sugerido de R$ 1.599. O Galaxy A30s conta com um processador Exynos 7904 rodando a 1.8 GHz, memória RAM de 4 GB, armazenamento interno de 64 GB e bateria de 4.000 mAh, com recarga rápida de 15W. A tela Super AMOLED tem 6,4 polegadas e o grande destaque fica por conta das câmeras: na traseira, possui uma de 25 MP com abertura f/1.7, mais uma ultra grande-angular de 8 MP e um sensor de profundidade de 5 MP; na frente, sensor único de de 16 MP (f/2.0). (Imagem: Divulgação/Samsung) As imagens podem ser captadas com ajuda da inteligência artificial, que age no Foco Dinâmico e no Detector de Falha — um recurso capaz de identificar se alguém piscou na hora da foto. O Otimizador de Cena ajuda a melhorar as cores e contrastes, de acordo com cenas pré-definidas já estabelecidas na base de dados do smartphone. O leitor de impressões digitais fica sob a tela. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Para completar, o Galaxy A30s é conectado aos serviços da Samsung, como as plataformas de saúde e segurança Samsung Health e Samsung Knox, respectivamente. O aparelho deve estar disponível nas cores branca, preta e violeta nos próximos dias, seja na própria loja online da Sammy ou nas redes varejistas nacionais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Google Maps aprimora compartilhamento de ocorrências de trânsito e o leva ao iOS

Google Maps aprimora compartilhamento de ocorrências de trânsito e o leva ao iOS

canaltech O Google comprou o Waze em 2013 e, desde então, vem usando o serviço de trânsito para melhorar algumas das funcionalidades de seu Google Maps. Um dos recursos “emprestados” é o compartilhamento de ocorrências no trânsito entre os usuários, com tudo sendo informado em tempo real. Agora, a companhia anuncia quatro novos ícones para este recurso, além da possibilidade de fazer isso pela primeira vez também no iOS. Para reportar algum incidente na estrada, basta tocar no balãozinho embaixo do volume na versão mobile do Google Maps. Depois disso, é só você selecionar alguma das opções para relatar o que houve. Antes, estavam disponíveis apenas as colisões, as ultrapassagens proibidas e lentidão no tráfego. Com a atualização, é possível relatar locais de construção, fechamento de faixas, veículos com problemas e objetos bloqueando o caminho. (GIF: Divulgação/Google) Ao escolher alguma delas, o software conta com uma janela de tempo para que você confirme o ocorrido e, caso necessário, desfaça o envio desse compartilhamento — de maneira semelhante ao “desfazer” do Gmail. Obviamente, o desenho é bem mais limpo e suave, pois segue a linguagem visual Material Design do Google. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O “relatório expandido de incidentes” começa a ser distribuído globalmente para os usuários do Google Maps ainda nesta semana, tanto para o Android quanto para o iOS – se não chegou para você, aguarde um pouco que em breve deve estar em seu dispositivo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

CT News - 17/10/2019 (Começa processo de privatização dos Correios)

CT News - 17/10/2019 (Começa processo de privatização dos Correios)

canaltech Começa a privatização dos correios // Smartphones Samsung funcionarão como "maquininhas" de pagamento // Deflagrada operação contra pornografia infantil online em MG // Novo PL nos EUA colocaria Zuckerberg na cadeia // Stranger Things é a série mais popular do mundo Ouça ao podcast. Veja Mais

TOP 6 acessórios indispensáveis e baratos para seu celular Android

TOP 6 acessórios indispensáveis e baratos para seu celular Android

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Smartphones Android são usados pela maioria das pessoas no Brasil, mas só portar um celular acaba não sendo a única necessidade de nosso dia a dia. Estamos falando de acessórios para os mais diversos fins, desde escutar músicas sem fios, passando por expandir o armazenamento interno do aparelho, e até mesmo garantindo carga na bateria sem ter que pedir o carregador de ninguém emprestado. Vasculhamos as grandes redes do varejo nacional nesta quinta-feira (17) e separamos, nesta matéria, seis acessórios indispensáveis e com precinho acessível para você, usuário de Android, estar sempre prevenido. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Power Bank Samsung com e sem fios O primeiro modelo de carregador portátil da Samsung é o EB-P1100CSPGBR. Este power bank conta com as tecnologias AFC (Adaptive Fast Charging) e Quick Charge 2.0 para que o carregamento da bateria seja ainda mais veloz, e o aparelho ainda oferece proteção contra sobrecarga de corrente para que você fique tranquilo ao carregar seus aparelhos sem se preocupar com qualquer dano que possa ser causado ao smartphone. Ainda, graças às duas portas presentes, a bateria portátil carrega dois dispositivos ao mesmo tempo, o que é ainda mais conveniente no dia a dia. Isso porque a bateria é compatível com vários dispositivos tanto da Samsung quanto de outras marcas, desde que usem conexão USB. Então, você carrega smartphones e vestíveis, como smartwatches, à vontade. A capacidade do power bank é de nada menos do que 10.000 mAh, e o produto, além de tudo, é fino, leve e ergonômico, pesando apenas 220 gramas e medindo 9,57 cm de largura, por 24,3 de altura e 2,96 cm de profundidade. Quanto custa? No Magazine Luiza, você paga só R$ 99 neste aparelho que pode ser um verdadeiro salvador de vidas. Na loja oficial da marca, o preço é de R$ 199, então está valendo muito a pena mesmo! Já o modelo EB-U1200CPPGBR é a versão sem fios do carregador. Outra opção também com 10.000 mAh de capacidade é esta aqui, com a diferença de que este outro modelo permite o carregamento por indução, livre de fios. Então, dispositivos compatíveis com a tecnologia Qi podem ser usados aqui, como é o caso dos Galaxy S10 lançados neste ano, além do smartwatch Galaxy Watch Active. Mas o carregador também funciona em dispositivos de outras marcas, desde que sejam compatíveis com tal tecnologia. Também são compatíveis iPhone 8, iPhone X, iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max. O aparelho também oferece carregamento rápido por meio da tecnologia Fast Wireless Charging, e você pode carregar até dois aparelhos simultaneamente. É só plugar um deles na porta USB-C enquanto o outro fica apoiado em cima do power bank para ser carregado sem fios. Prático, não? Quanto custa? No Magazine Luiza, você paga só R$ 169 em até 4x neste aparelho. Ah, o preço dele na loja oficial da Samsung é de R$ 319, então olha só que ótimo negócio! Fone sem fio Xiaomi Airdots Equipados com Bluetooth 5.0, os AirDots são pequeninos fones intra-auriculares que pesam apenas 4,2 gramas cada. Sensível nas laterais, o fone permite o controle de apps de mídia por ali sem precisar tirar o smartphone do bolso, o que é uma verdadeira "mão na roda" no dia a dia, e há microfones embutidos em ambos os lados do aparelho, com o toque também servindo para acionar o assistente pessoal — o produto é compatível ainda com o Google Assistente. Os fones reproduzem músicas por até 4 horas contínuas com sua bateria de 40 mAh, que é recarregada no estojo protetor que acompanha o produto. Essa case oferece mais 300 mAh para garantir até 12 horas de reprodução. Ainda, os AirDots contam com cancelamento de ruídos. Quanto custa? Comprando com a Amazon, você paga só a partir de R$ 109 nos AirDots, que já estão com estoque em território nacional, então a compra chega em sua casa em poucos dias pelos Correios! Smart band Xiaomi Mi Band 4 O produto mantém a mesma ergonomia e um design bem parecido com a Mi Band 3 da geração anterior, mas traz como grande destaque uma tela colorida com muito mais resolução, e preço baixo, como de costume para os produtos desta linha. O display AMOLED da Mi Band 4 tem 0,95 polegadas e acabamento oleofóbico, que minimiza as marcas deixadas pelos dedos durante o manuseio. O aumento na resolução da tela torna a exibição de informações e a navegação geral muito mais bacana, e a pulseira tem os seguintes sensores: acelerômetro, giroscópio, sensor de batimentos cardíacos e sensor de proximidade. Então, o dispositivo estando sempre no pulso garante o acompanhamento diário de suas atividades físicas, e também controla seu sono, monitorando as horas dormidas, além de passos dados no dia a dia. Sua bateria de 135 mAh rende até 20 dias de uso, levando cerca de duas horas para ser recarregada completamente. E você pode conferir notificações do smartphone em sua Mi Band, que também permite controlar o player de músicas do celular. Ah, e a Mi Band 4 é levinha, levinha: ela pesa só 21 gramas! Quanto custa? Também com a Amazon, a pulseira custa a partir de R$ 159, com o estoque igualmente estando em território nacional. Smart Speaker Amazon Echo Dot com Alexa   Este é o modelo de smart speaker mais popular da Amazon, perfeito para qualquer tipo de ambiente. Pequenino (43 mm x 99 mm x 99 mm) e levinho de tudo (só 300 gramas), o aparelho é controlado por meio de comandos de voz, com a Alexa respondendo prontamente. Além de ligar e mandar mensagens para quem você quiser sem precisar encostar no celular, com ele você controla dispositivos compatíveis de casa inteligente, como lâmpadas e termostatos. Além disso, o Dot também toca músicas à vontade, pois é compatível com streamings como o Amazon Music, o Apple Music, o Spotify e o Deezer. É só dar o comando para a Alexa, que a "sonzeira" começa! Também é possível fazer perguntas para a Alexa responder, bem como realizar tarefas tais quais criar alarmes, listas de compras, gerenciar eventos, ler notícias, checar a previsão do tempo, e muito mais. E se você já aproveitar para comprar mais de um Echo para usar na mesma casa ou escritório, é possível sincronizar os aparelhos para que eles trabalhem em conjunto. E, bem, a Alexa está sempre aprendendo novas habilidades (as chamadas Skills), então a todo momento tem novidade surgindo por aí. O speaker tem 4 microfones de longo alcance, então a Alexa ouve sua voz mesmo lá longe, em outro cômodo da casa, e também é possível conectar o Dot a outros alto-falantes, se desejar, por meio de Bluetooth ou pelo cabo de áudio de 3,5 mm. Quanto custa? O produto chegou ao Brasil custando só R$ 349 à vista ou em 10x sem juros no cartão de crédito. Cartões microSD Sandisk A maioria dos smartphones Android oferece espaço físico para cartão microSD com a finalidade de aumentar o armazenamento do aparelho. Ou seja: investindo em um cartão deste tipo, você salva muito mais fotos, vídeos e arquivos sem se preocupar em deletar um montão de coisa quando quiser baixar aquele app ou game novo. E a SanDisk é uma das melhores fabricantes de cartões do tipo. Agora vamos ao que interessa: o preço. Com a Amazon, você encontra essas opções nos seguintes valores: Micro SD Sandisk 64 GB: a partir de R$ 41 Micro SD Sandisk 128 GB: a partir de R$ 81 Caixa de som Bluetooth JBL GO 2   O último produto da lista é uma caixinha de som que, além de ser uma graça, é extremamente prática: a JBL GO 2. Pequenina, a caixa mede só 8,6 cm de largura por 7,12 cm de altura e 3,16 cm de profundidade, e ela é levinha, pesando apenas 184 gramas. Então ela foi feita justamente para ser seu braço direito em festas, viagens, e também serve para curtir um som à beira da piscina, pois é à prova d'água. Seu design é um show à parte, e a potência de som aqui é de 3W RMS com áudio nítido para deixar suas músicas preferidas ainda mais gostosas de se ouvir. E, por ter tecnologia Bluetooth 4.1, você pode dar o play em músicas pelo smartphone, tablet, notebook, PC… fica à sua escolha! Ainda, o produto tem um microfone embutido para que você atenda ligações do celular sem precisar desconectar o aparelho do alto-falante. O alto-falante tem entrada micro USB para o carregamento de sua bateria (que dura cerca de 5 horas contínuas com uma só carga), e também oferece entrada auxiliar de 3,5 mm para fones de ouvido com fios. O precinho? A JBL GO 2 está disponível no Magazine Luiza por apenas R$ 119 à vista ou em 2x sem juros, nas seguintes opções de cores, neste momento: Laranja Verde Azul Marrom *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no WhatsApp e também do grupo no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Comissão do Senado aprova projeto que permite ação pública contra fake news

Comissão do Senado aprova projeto que permite ação pública contra fake news

canaltech A Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) do Senado aprovou nesta quarta-feira (16) o projeto de lei que permite a abertura de ações civis públicas contra autores e disseminadores de fake news que ataquem interesses coletivos. A proposição tem como intuito acelerar o andamento de processos judiciais, simplificar o combate às mentiras danosas à reputação dos grupos e garantir a aplicação de multas e pedidos de retirada de conteúdo, quando necessário. O texto é de autoria da senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP) e é substitutivo ao Projeto de Lei do Senado 246/2018. Na visão dela, a ideia de diferenciar as fake news individuais, que atingem indivíduos específicos, das que atacam interesses coletivos foi necessária uma vez que grupos, organizações ou demandas gerais precisam de legitimidade para a abertura de processos, algo que não existia antes. Defendendo a proposta antes de sua aprovação, Gabrilli taxou as fake news como um método irremediável de destruição da imagem de pessoas ou organizações, com a proliferação rápida podendo causar esse tipo de efeito danoso muito rapidamente. Daí veio a ideia de aprimorar leis como o Marco Civil da Internet, que dá garantias de abertura de ação aos indivíduos, e aplicar esse ideal também aos interesses coletivos, que podem ser tão feridos pelas mentiras quanto a reputação dos indivíduos, apesar de não possuírem uma parte específica que é diretamente atacada. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A necessidade de mudança também veio como uma forma de reduzir o processo burocrático, afinal de contas, se cada indivíduo atingido por uma fake news coletiva movesse uma ação, a justiça seria incapaz de trabalhar com tantos processos. Assim, a abertura desse tipo de procedimento passa a ficar por conta de associações consolidadas ou órgãos oficiais como o Ministério Público ou a Defensoria Pública. A matéria, agora, segue para análise pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), também do Senado, antes de avançar para os demais trâmites de aprovação. O texto original é oriundo do Projeto Jovem Senador 2017 e acabou alterado pela proposição de Gabrilli. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Veja Mais

GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado!

GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado!

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Chegou a hora de realizar o sonho do iPhone próprio! Ou, ainda, se você já é usuário Apple mas seu aparelho é mais antigo, de repente até mesmo incompatível com o recém liberado iOS 13, que tal pagar o menor preço histórico em um iPhone mais recente e poderoso do que o seu? Estamos falando do iPhone 8, que está custando muito menos hoje e ainda tem um esquema esperto de cashback se você fizer o pagamento pelo aplicativo do Ame, disponível para Android e iOS. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- É por meio deste app que você paga suas compras e ainda recebe uma grana de volta, graças ao esquema de cashback. É só baixar o app, cadastrar seu cartão de crédito por ali e, quando escolher o produto, escanear o QR Code do pedido para validar a compra pelo Ame. Aí, você faz o pagamento por meio do aplicativo, usando o seu cartão de crédito, e em até 30 dias você recebe o valor proporcional do cashback — que fica em sua carteira digital Ame, e você pode usar esse valor em compras futuras nas parceiras. Se o preço do produto for maior do que o seu saldo Ame, é só complementar o valor restante com o cartão de crédito cadastrado. E se você não gastar o que recebeu de cashback, o saldo Ame permanece ali na sua carteira até que você deseje gastá-lo, já que o valor não expira nunca e os cashbacks são cumulativos. Então você pode deixar o dinheiro ali acumulando à vontade e, no futuro, pode até mesmo fazer compras sem pagar nada! Sobre o iPhone 8   O iPhone 8 segue firme e forte no mercado, sendo uma ótima opção de smartphone Apple para quem não quer ou não pode desembolsar uma "pequena fortuna" para comprar os lançamentos do momento. Hardware potente e câmeras de qualidade são alguns dos vários atrativos deste aparelho, e sua traseira de vidro permite o carregamento de sua bateria por meio de soluções sem fios. Aqui, a tela é uma IPS LCD de 4,7 polegadas com tecnologia True Tone, que ajusta automaticamente a temperatura da luz do display de acordo com as condições de luminosidade do dia, proporcionando maior conforto visual. Por dentro, o smartphone conta com todo o poder do chip A11 Bionic de seis núcleos, além de GPU de três núcleos, bateria de 1.821 mAh (que rende cerca de 16 horas de uso), 2 GB de RAM e 64 GB de armazenamento. E se você está acostumado com Android, pode pensar "poxa, mas 2 GB de RAM é muito pouco!", mas saiba que o sistema da Apple é otimizado para aproveitar ao máximo a capacidade de hardware do aparelho, então em iPhones essa quantidade de RAM representa um funcionamento mais ágil, não sendo pouca coisa. O conjunto de câmeras traz, na traseira, sensor de 12 megapixels, enquanto a câmera frontal, para selfies, oferece 7 MP. Pague mais barato pelo iPhone 8   No Submarino, fazendo o pagamento pelo Ame, o iPhone 8 acaba custando só R$ 2.353,18 à vista, pois do valor cheio de R$ 2.614,09 você recebe R$ 260,91 em cashback. Se preferir parcelar, o preço acaba ficando em R$ 2.614,09, pois o valor cheio de R$ 2.903,99 devolve o cashback de R$ 289,90. Já se você não quer ou não pode usar o cartão de crédito para comprar seu iPhone novo, pode pagar até mais barato com o cupom MEUIPHONE do Shoptime, fazendo com que o preço do aparelho fique em apenas R$ 2.258 no boleto bancário. O preço promocional só vai aparecer na sua tela ao final do processo de compra, logo após você validar o cupom MEUIPHONE, beleza? E duvida que este seja mesmo o menor preço? Veja o que o comparador de preços Zoom tem a dizer: *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no WhatsApp e também do grupo no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Novo projeto de lei nos EUA colocaria Mark Zuckerberg na cadeia

Novo projeto de lei nos EUA colocaria Mark Zuckerberg na cadeia

canaltech Um novo projeto de lei em avaliação nos Estados Unidos, se valesse hoje, poderia facilmente colocar Mark Zuckerberg e outros executivos de primeira linha de empresas de tecnologia na cadeia — e a pena não seria nada branda, também: a redação do material fala em até 20 anos de encarceramento, além de severa multa a ser paga pela companhia. Tirando todo o “juridiquês” da equação, basicamente o projeto diz que executivos de primeira linha de uma empresa devem ser pessoalmente responsabilizados por falhas de proteção ou invasões à privacidade dos usuários de seus serviços. Pense assim: seus dados no Facebook foram comprometidos? Zuckerberg poderia responder — ele próprio — por isso na Justiça. O atual projeto foi encaminhado para análise superior, estando agora nas mãos do senador Ron Wyden, representante do Partido Democrata no estado do Oregon. Wyden é um ávido apoiador do aumento do rigor das leis de privacidade, especialmente digital. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Já imaginou Zuckerberg, CEO do Facebook, na cadeia? Projeto de Lei de senador dos EUA contempla essa possibilidade, caso a proposta vá para frente “Mark Zuckerberg não levará a privacidade dos americanos a sério a não ser que ele sofra consequências pessoais”, disse o senador em um comunicado à imprensa. “Uma advertência da FTC não é suficiente para isso, então, sob a minha lei, ele enfrentaria a possibilidade de cadeia por mentir para o governo”. “FTC”, no caso, refere-se à sigla da Comissão Federal de Comércio, um órgão ligado ao governo norte-americano. Em julho deste ano, a entidade multou o Facebook em US$ 5 bilhões por violações de privacidade e declarações enganosas ao governo. Na época, flutuavam rumores de que a FTC tentaria forçar a saída do CEO da empresa, o que não aconteceu. O senador do estado do Oregon pelo Partido Democrata, Ron Wyden, é o autor do projeto de lei (Foto: Joshua Roberts/Reuters) O projeto de lei tem até um nome: “Mind Your Business Act”, algo como “Ato ‘Cuide da Sua Vida’” em uma tradução direta. O senador disse ter passado a maior parte de 2018 ouvindo experts em privacidade digital para atribuir ao projeto insights técnicos que o fundamentassem. Não só as penas podem variar de 10 a 20 anos de prisão, mas a multa pode corresponder a até 4% do faturamento anual da empresa agressora, um percentual igual ao previsto na GDPR europeia. Wyden também pede em seu projeto que os usuários tenham acesso irrestrito a ferramentas que lhes permitam não serem rastreados por companhias de publicidade que atuem em parceria com empresas digitais. O chamado opt out seria uma implementação para que dados como a sua navegação e localização em tempo real, bem como suas curtidas e conteúdo publicado não pudessem ser aproveitados para lhe oferecer anúncios mais direcionados, se assim você desejar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Veja Mais

Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020

Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020

canaltech A agência espacial chinesa acaba de revelar a primeira foto da nave que será enviada a Marte em 2020. De acordo com Ye Jianpei, cientista chefe do departamento de exploração espacial da agência, "a missão está seguindo suavemente" e "se não houver surpresas, o explorador marciano será mesmo lançado em 2020, com pouso para antes de 2021". A imagem (no tuíte reproduzido abaixo) mostra a nave encapsulada com uma espécie de casulo, e a China já havia informado que esta missão ao Planeta Vermelho envolverá uma sonda orbital, um módulo de pouso e um rover, também. A ideia é examinar a atmosfera de Marte, bem como suas paisagens e características magnéticas e geológicas, o que pode fornecer ainda mais pistas para que entendamos a origem e a evolução de Marte no Sistema Solar. #China unveils first picture of its Mars explorer https://t.co/FnSu04Uv0h pic.twitter.com/0coWStBZxV -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- — CGTN (@CGTNOfficial) October 12, 2019 "Se a missão se provar um sucesso, esta será a primeira vez em que um país completa essas três tarefas em uma só missão", disse Ye. A agência planeja enviar o conjunto de aparatos por meio de um foguete Long March 5 à órbita geossíncrona da Terra, para então o booster do veículo adicionar o impulso necessário para que a viagem rumo a Marte aconteça. A viagem para lá durará cerca de sete meses. No vídeo abaixo, produzido há alguns anos, podemos ver uma ideia conceitual de como a missão acontecerá:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Veja Mais

Pesquisa aponta Stranger Things como a série mais popular do mundo

Pesquisa aponta Stranger Things como a série mais popular do mundo

canaltech Stranger Things é a série mais popular em streaming atualmente. Um estudo da Parrot Analytics, empresa de análise de dados de plataformas, concluiu que a atração da Netflix é a que mais se destaca entre o público. Como as empresas de mídia - incluindo a Netflix - não abrem tais números, a Parrot Analytics utiliza uma triangulação de dados para chegar a esta conclusão. São eles: registros de vídeo, atividade em mídias sociais, compartilhamentos de fotos, comentários em blog e sites de fã, além de análise de pontuação das produções. Assim, a empresa chegou ao dado de que Stranger Things foi a que teve melhor desempenho nestas análises, podendo ser considerada a série mais popular mundialmente. No total, foram 3,3 trilhões de dados em 100 países, o que resultou em um estudo de tendendência das 10 regiões que mais consomem conteúdos por streaming. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Na lista, está o Brasil, ao lado de Austrália, Canadá, França, Alemanha, Japão, México, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos. Segundo o estudo, Stranger Things foi a melhor em todas as regiões, a exceção da Austrália. Lá, 13 Reasons Why foi impulsionada pela protagonista da região, a atriz Katherine Langford. Os dados da Parrot também são apoiados por outras empresas, como a Nielsen. Segundo a companhia de pesquisas, cada episódio de Stranger Things contou com 4 milhões de pessoas em audiência, sendo que 75% foram nos primeiros três dias de lançamento da segunda temporada. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais

Saiba o que é uma

canaltech Existem muitas modas que se popularizam ainda mais com o advento da Internet e das redes sociais. Essas tendências surgem rapidamente e costumam durar pouco, embora alguns de seus componentes continuem a existir na vida cotidiana de muitas pessoas, como alguns acessórios ou até poses na hora de tirar fotos para as redes. A moda da vez, popular entre as meninas, é chamada de “VSCO Girls”, ou “garotas VSCO”, que tem seu nome inspirado no editor de fotos que tem sido sucesso entre os usuários do Instagram há, pelo menos, cinco anos: o VSCO Cam. As adeptas dessa moda seguem um estilo de vestimenta básico, que conta com prendedores de cabelo, calçados sem muitos detalhes (de preferência tênis mais simples, da marca Vans) e calças largas ou jeans. Saiba mais sobre as “VSCO Girls”, nova moda nas redes sociais O termo vem se popularizando na Internet desde o mês de agosto de 2019, quando as ferramentas de monitoramento de pesquisas em sites, sobretudo no Google, começaram a registrar seu crescimento. As hashtags com as palavras “VSCO Girl” no Instagram foram outro indicativo de que uma nova moda estava prestes a “estourar” entre o público: ao todo, já são mais de 1 milhão de fotos com elas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Segundo definições do estilo VSCO Girl encontradas na Internet, segui-lo nada mais é do que se vestir de uma maneira que seja, ao máximo, básica e despojada. Caiti DeCort, uma youtuber estadunidense, foi uma das primeiras pessoas a postarem um vídeo relacionado ao tema, onde ela se transforma em uma VSCO Girl com uma produção que inclui camiseta, prendedores de cabelo usados como pulseiras e até as populares sandálias Crocs. VSCO Girl: Estilo inclui acessórios simples e estética "clean" (Imagem: Reprodução/Pinterest) Não se sabe ao certo o que levou o termo a se popularizar, além, é claro, do contato com influenciadoras digitais. A estética proporcionada pelo aplicativo VSCO Cam, muito popular graças aos seus belos efeitos, foi levada também para a vida cotidiana, onde, ao invés de fotos, as VSCO Girls decidiram “vestir” a estética que dá um toque especial às edições. Além disso, o VSCO Cam possui sua própria rede social dentro do aplicativo, o que com certeza foi um fator decisivo para a popularidade deste novo estilo. Outras modas que se popularizaram graças a Internet Antes do advento da Internet e das redes sociais, os jovens costumavam adaptar-se a diferentes estilos na medida em que se enturmavam com suas respectivas tribos. Hoje em dia, no entanto, a inspiração para novas modas pode surgir através de apenas alguns cliques. Durante a primeira década dos anos 2000, influenciado sobretudo pela música de bandas como o Simple Plan, Boys Like Girls, entre outras, surgia o Emo, abreviação de Emotional Hardcore (ou Hardcore Emotivo). Os adeptos desse estilo eram conhecidos por suas roupas escuras, maquiagem pesada, piercings e outros acessórios, além do gosto pela melancolia. Emo: estilo "dark" era febre entre os jovens (Imagem: Reprodução/Pinterest) Na medida em que os anos foram avançando, outras modas começaram a surgir, embora nem todas tenham alcançado o mesmo prestígio. Alguns destaques vão para os Rappers (jovens adeptos do rap, conhecidos por roupas largas e bonés), os Urban (que seguiam um estilo parecido, embora mais casual e eclético, sempre remetendo às metrópoles) e os Hipsters, que marcaram o início dos anos 2010 com suas tendências moderninhas e gosto por tudo o que não é amplamente conhecido. Junto com eles, embora sem a mesma fama, surgiam as Tumblr Girls (que, inclusive, podem ser tidas como as precursoras das VSCO Girls), com suas belas fotos e um estilo que incluía chockers (gargantilhas grudadas no pescoço), saias rodadas, meias estilosas, bastante maquiagem e gosto musical diferenciado. Assim, embora aparentemente nova, a moda seguida pelas VSCO Girls pode ser considerada uma ramificação de estilos que já existiam, mas acabaram por “cair no esquecimento” e receberam algumas modificações. Para os entusiastas de tendências, definitivamente essa é a hora de adquirir novas peças de roupas e apostas nessas combinações. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência O Google e o seu parquinho de Tecnologia onde (quase) ninguém brinca Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Samsung lança patch que corrige falha grave no leitor de digitais do Galaxy S10 Veja Mais

Criador de Sons of Anarchy e Mayans MC, Kurt Sutter é demitido da FX

Criador de Sons of Anarchy e Mayans MC, Kurt Sutter é demitido da FX

canaltech Kurt Sutter não é um nome muito famoso para quem acompanha séries de forma mais casual, mas fãs mais arraigados o conhecem por ser o criador de grandes sucessos como The Shield, Sons of Anarchy e seu atual spin-off, Mayans M.C. Todas estas produções foram veiculadas na emissora a cabo americana FX, filiada à FOX e, hoje, uma propriedade da Disney. Bem, segundo comunicado divulgado pelo próprio Sutter e veiculado em matéria do Hollywood Reporter sobre o assunto, o icônico produtor e roteirista foi demitido da emissora após 18 anos de casa. Segundo suas próprias palavras, as empresas — Disney e FOX — disseram que as reclamações contra ele tornaram o ambiente de produção “abrasivo e intolerante”. Kurt Sutter, criador de Sons of Anarchy, Mayans M.C. e The Shield: "ser demitido por ser abrasivo está na moda" (Foto: Reprodução/Getty Images) “Aparentemente, o RH da Disney e [a área de] Relações Comerciais conduziram uma investigação sobre as condições inaceitáveis que foram criadas no set de Mayans MC durante a gravação da segunda temporada”, disse Sutter no comunicado. “Como todos sabem, eu me afastei bastante nesta temporada, deixando que outros executassem um papel maior na produção da série. Foi relatado por roteiristas, produtores, elenco e equipe que a minha ausência e subsequente comportamento quando presente, serviu apenas para criar confusão, caos, hostilidade e foi compreendida como ‘abandono’. Ou, pelo menos, é como a Disney interpretou isso. Estou certo de que isso é verdade. Nesta manhã, eu fui demitido por Dana Walden e John Landgraf por causa de todas as reclamações feitas contra mim. Não é como eu queria terminar minha relação de 18 anos com a FX. Pelo menos, ser demitido por ser um filho da **** abrasivo está na moda”. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Sutter finalizou dizendo que pede “imensas desculpas se eu fiz com que as pessoas se sentissem pouco apoiadas. A minha intenção era, literalmente, o oposto. Claramente, porém, eu não estava prestando atenção. Minha arrogância e crônica distração causaram bagunça. Só para que todos saibam, eu adoro essa equipe e esse elenco”. Sutter deu vida ao personagem Otto Delaney em Sons of Anarchy: produtor e roteirista foi demitido da emissora FX (Imagem: Reprodução/FX) Sutter foi contratado pela FX em 2002, no cargo de roteirista da série The Shield. Foi em 2008, porém, que ele se tornou um nome mais conhecido após criar Sons of Anarchy. A série, protagonizada por Charlie Hunnam no papel do motoqueiro Jackson “Jax” Teller, rendeu sete temporadas e ganhou um spin off — a atual Mayans M.C., que recentemente finalizou as gravações de sua segunda temporada e também foi criada por Sutter. Entre a primeira e segunda temporadas da nova série, Sutter abriu espaço para que outras pessoas assumissem o comando da produção, alegando que “era hora do homem branco deixar o prédio”. A justificativa dele foi a de que, por Mayans ser narrada e protagonizada por um motoclube mexicano, uma “pessoa de cor” é quem deveria liderar a série. Em 2004, Sutter casou-se com a atriz Katey Segal, que viria a ter um papel proeminente em Sons of Anarchy (Gemma Teller, mãe de Jax), além de ter ocasionais aparições em Mayans M.C. O próprio Kurt Sutter também teve um papel duradouro em Sons of Anarchy: ele era o membro encarcerado do grupo, Otto Delaney. A FX não comentou sobre a demissão do produtor e roteirista, porém Sutter publicou em sua conta oficial no Instagram uma foto aérea da Disneyland, o parque temático da Disney, comumente conhecido (e legendado na foto como tal) como “o lugar mais feliz do mundo”. Ver essa foto no Instagram The happiest place on earth... Uma publicação compartilhada por Kurt Sutter (@sutterink) em 16 de Out, 2019 às 11:05 PDT Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas Veja Mais

NASA encerra missão das sondas Van Allen após sete anos de descobertas

NASA encerra missão das sondas Van Allen após sete anos de descobertas

canaltech Após sete anos, a missão das sondas Van Allen, da NASA, chega ao fim. Os operadores enviaram o último comando para a segunda espaçonave robótica da dupla - a primeira já havia recebido seu comando final em 19 de julho. As sondas gêmeas foram lançadas em agosto de 2012 para estudar o clima espacial, principalmente o Cinturão de Van Allen, causado pela influência do Sol no ambiente da Terra. Esse fenômeno atmosférico é causado por concentrações de partículas no campo magnético terrestre, e foi descoberto em 1958 por James Van Allen. Essa região ao redor do planeta pode interferir nas redes elétricas da Terra, nos satélites de navegação, comunicação de equipamentos em órbita e na saúde dos astronautas. Os cientistas têm poucos dados sobre o clima espacial para construir e ajustar modelos, mas as sondas Van Allen ofereceram muito material de estudo. De acordo com Sasha Ukhorskiy, cientista que trabalha nesse projeto, as sondas gêmeas foram a primeira missão projetada para permanecer em “cinturões de radiação perigosos por um período de tempo tão longo". Na verdade, elas duraram bem mais do que o planejado - o projeto inicial era para apenas dois anos e meio de duração. Ela conta que os dados coletados ao longo desses sete anos “serão o padrão na física dos cinturões de radiação para que muitas gerações de cientistas se beneficiem". -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Ambas as naves continuarão existindo silenciosamente por cerca de 15 anos no espaço, mas não há mais combustível para qualquer funcionamento. Eventualmente, elas orbitarão a Terra em direção à atmosfera, entrando em combustão, sem se chocar contra a superfície. O legado das sondas Van Allen Ilustração do posicionamento das sondas Van Allen em relação à Baixa Órbita Terrestre e os cinturões (Imagem: NASA) O tempo de sobrevivência das sondas em uma região tão perigosa forneceu aos cientistas uma ampla gama de observações sobre clima espacial. Com medições de dois satélites diferentes, é possível entender melhor como esse clima pode mudar ao longo do tempo e do espaço. Tudo isso é vital para previsões mais precisas. Naves espaciais podem ser prejudicadas se expostas à radiação dessa área. Inclusive, esse é um dos motivos que levam alguns a acreditarem que o Homem não foi capaz de chegar até a Lua no século passado com o program Apollo, da NASA. Mas, desde que os cinturões foram descobertos através dos dados da sonda Explorer 1, também da NASA, os engenheiros têm descoberto meios de proteger as espaçonaves para suportar a radiação, além de técnicas de voo para evitar muita exposição. Apesar disso, o clima espacial é dinâmico, e o mesmo ocorre com a radiação, o que dificulta a prevenção. Com os dados das sondas Van Allen, essa tarefa poderá ser realizada com muito mais precisão. Para isso, os engenheiros precisaram projetar uma espaçonave capaz de funcionar dentro dessa área. "Sempre quisemos enviar uma espaçonave para estudar esse ambiente hostil, e ninguém realmente se atreveu a enviar uma espaçonave", disse Nelli Mosavi, gerente de projetos das sondas Van Allen. "O legado é a espaçonave resiliente que construímos para suportar esses ambientes que ninguém mais poderia ter ido". Humanos não voltaram a viajar para além da da baixa órbita terrestre desde a era Apollo. Naquela época, não havia nada parecido com as sondas Van Allen para estudar os perigos da região. Agora, as tecnologias usadas nas sondas para torná-las tão resistentes podem ser implementadas também para proteger as futuras espaçonaves. O conhecimento adquirido também ajudará a proteger os astronautas que vivem e trabalham na Estação Espacial Internacional - afinal, eles também não estão livres da radiação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas Veja Mais

CT News - 18/10/2019 (Evite problemas no seu Android com o horário de verão)

CT News - 18/10/2019 (Evite problemas no seu Android com o horário de verão)

canaltech Como evitar problemas no seu Android com o fim do horário de verão // Facebook libera novo visual com tema escuro // iPhone 11 chega ao BR custando a partir de R$ 4.999 // Samsung deve estrear câmera sob a tela em 2020 // Mega é desbloqueado no Brasil Ouça ao podcast. Veja Mais

Histórico! Primeira caminhada espacial 100% feminina é concluída com sucesso

Histórico! Primeira caminhada espacial 100% feminina é concluída com sucesso

canaltech Christina Koch e Jessica Meir fizeram história ao realizar a primeira caminhada espacial exclusivamente feminina. As astronautas da NASA deram início à missão na manhã desta sexta-feira (18), às 8h38 (horário de Brasília), e saíram da câmara Quest da Estação Espacial Internacional (ISS) com a tarefa de substituir um controlador de energia defeituoso. O spacewalk, também conhecido como “atividade extra-veicular” (EVA), havia sido programado para o dia 21 de outubro, mas a NASA antecipou a missão para o dia 18. E tivemos que esperar bastante por esse momento: já se passaram sete meses desde que a NASA teve que cancelar a caminhada feminina, que deveria ter acontecido em março. Na ocasião, a ISS tinha apenas um traje espacial de tamanho médio a bordo, então não seria possível usar um tamanho grande no caso da astronauta companheira, que usava tamanho médio também. Dessa vez, a NASA enviou um segundo traje espacial adequado para o corpo das astronautas, garantindo assim o spacewalk histórico. A tarefa foi antecipada do dia 21 para o dia 18 porque uma das novas baterias, instaladas por outros astronautas dias antes, não estava funcionando muito bem. Um instrumento necessário para carregar e descarregar a bateria estava defeituoso e, com isso, a estação estava perdendo energia em um dos oito canais usados ​​para fornecer eletricidade à ISS. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Koch e Meir realizam reparos e manutenção do lado de fora da ISS (Imagem: NASA) Portanto, Koch e Meir foram enviadas um pouco mais cedo para substituir essa unidade de carga/descarga e deixar o canal de energia funcionando novamente. A missão teve um total de sete horas e 17 minutos de duração. A dupla foi guiada pela astronauta veterana Stephanie Wilson, que fez o trabalho de comunicação na sala de controle da missão. Os colegas de ISS Luca Parmitano e Andrew Morgan, também vivendo na ISS, ajudaram a guiar algumas etapas. Durante a caminhada, as astronautas receberam uma ligação da Casa Branca, na qual o presidente dos Estados Unidos parabenizou a dupla. "Vocês duas são mulheres muito corajosas e brilhantes e representam esse país tão bem… estamos muito orgulhosos de vocês... o que vocês fazem é realmente algo muito especial. Então, primeiro a Lua e depois vamos a Marte. Obrigado a ambas". Com gafes e bom humor, Trump parabeniza astronautas da NASA em chamada ao vivo durante a caminhada espacial (Imagem: NASA) O Presidente Trump também acrescentou erroneamente que “esta é a primeira vez que uma mulher está fora da estação espacial”. No entanto, esta é a 42ª vez que mulheres participam de uma spacewalk. Bola fora! A importância da caminhada espacial 100% feminina Mas afinal, por que demos tanta importância para a primeira caminhada espacial realizada apenas por mulheres? É que, desde as primeiras viagens de humanos no espaço, 227 pessoas deixaram as naves espaciais para realizarem algum tipo de atividade extra-veicular. Dentre todas essas pessoas, apenas 14 eram mulheres. A primeira mulher a caminhar no espaço foi a cosmonauta soviética Svetlana Savitskaya, em 1984. Isso aconteceu quase 20 anos depois que o primeiro ser humano realizou um spacewalk, o também soviético Alexei Leonov. Só depois, os EUA enviaram a astronauta Kathryn Sullivan para uma tarefa do lado de fora do ônibus espacial. Astronautas Koch e Meir a bordo da ISS (Imagem: NASA) Sempre que uma mulher flutuou para o espaço, teve a companhia de um homem. Duas mulheres ao mesmo tempo é o momento histórico que busca não apenas a igualdade de gênero nas missões espaciais, mas também destacar a importância da equidade, para que cada vez mais agências e companhias espaciais comerciais adotem políticas mais igualitárias. Além disso, missões como esta pode inspirar milhares de futuras astronautas ao redor do mundo. O evento de hoje, transmitido ao vivo pela NASA, foi um grande sucesso. Koch e Meir, que receberam uma parabenização ao vivo do presidente dos Estados Unidos, reconhecem o impacto de seu trabalho. "O que estamos fazendo agora mostra todo o trabalho realizado nas décadas anteriores, todas as mulheres que trabalharam para chegar onde estamos hoje", disse Meir durante uma entrevista na estação espacial, pouco antes de realizar a caminhada. Tracy Caldwell Dyson, astronauta da NASA que acompanhou a missão no Centro de Controle de Missões em Houston, disse que “o marco é que esperemos que isso agora seja considerado normal… para não ofuscar as mulheres [que] estão fazendo caminhadas espaciais por 35 anos. Acho que muitos de nós esperamos que isso seja normal". A NASA sabe que este é um momento histórico e, por isso, incluiu perguntas e mensagens compartilhadas nas mídias sociais durante a transmissão ao vivo. Algumas perguntas foram enviadas de salas de aula das escolas, e houve até mesmo fotos de garotas inspiradas no evento. A transmissão também incluiu ex-astronautas da NASA que estavam em outros momentos históricos, incluindo Sally Ride, Eileen Collins e Shannon Lucid.   Quem são as astronautas que fizeram o spacewalk Além de colegas da NASA, Christina Koch e Jessica Meir são melhores amigas. Esta foi a quarta caminhada de Koch e a primeira de Meir. Jessica Meir sonhava com o dia em que chegaria ao espaço desde os cinco anos de idade. Esse sonho se tornou realidade no dia 25 de setembro de 2019, quando ela deixou a Terra em seu primeiro voo espacial rumo à ISS. Antes disso, ela estudou pinguins na Antártica e mapeou cavernas na Itália — tarefas que prepararam para o ambiente extremo do espaço. Christina Koch, além de astronauta, é engenheira e física. Sua carreira a levou a lugares como o polo sul e a Groelândia para realizar missões científicas de campo. Antes de ser selecionada como candidata a astronauta em 2013, ela trabalhou como engenheira elétrica no laboratório de astrofísica do Centro de Voo Espacial Goddard. Koch voou para o espaço em 14 de março de 2019 e deve entrar para a história em breve, quando estabelecer o recorde de o voo espacial mais longo realizado por uma mulher. Isso acontecerá quando ela completar 328 dias no espaço, e isso dará aos pesquisadores a oportunidade de observar os efeitos dos voos espaciais de longa duração sobre o corpo de uma mulher — o que será bastante útil quando a NASA enviar novos astronautas à Lua e, futuramente, a Marte. O próximo marco será, provavelmente, a primeira mulher a pisar na Lua, o que ocorrerá nas missões Artemis — com o pouso programado para 2024, mas com orçamento ainda incerto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Nova coleção do Google Arts & Culture celebra legado da civilização Maia

Nova coleção do Google Arts & Culture celebra legado da civilização Maia

canaltech É inegável que a civilização Maia deixou uma marca na história, não apenas por sua arquitetura emblemática ou por seu calendário, mas também pela escrita hieroglífica, composta por mais de 700 signos, e por sua escultura religiosa, entre outros aspectos, que a diferenciam de outras sociedades do mundo. Seu encanto vai além da História e fica evidente no legado deixado para toda a humanidade. Foi tendo essa civilização em mente que o Google resolveu fazer uma homenagem em forma de coleção. A ideia é revisitar as origens da história mexicana e latino-americana em geral, através de uma parceria entre o Google Arts & Culture, o Museu Britânico e o INAH (Instituto Nacional de Antropologia e História do México). O resultado dessa parceria é a coleção Explorando o mundo Maia — Uma viagem ao passado com arte antiga, exploradores vitorianos e tecnologia digital. Esse projeto que busca preservar e compartilhar, em formato digital, o maior arquivo antigo de arte e patrimônio Maia do mundo. Por meio dessa iniciativa, foi possível reunir histórias, artefatos, obras de arte e realizar a exploração virtual de locais com influência da civilização, antes inacessíveis on-line. Para trazer o projeto à tona, o Google Arts & Culture digitalizou em 3D os moldes de gesso que compõem a Escada Hieroglífica de Palenque, atualmente no Museu Britânico. Uma reprodução em 3D do tamanho real da escada do Reino Unido está sendo enviada para o local original no patrimônio mundial de Palenque, no México, onde a obra de arte original se deteriorou devido à exposição. O objetivo é proteger a arte original com a reprodução em 3D. Escada de Palenque para o céu. Os maias registraram histórias nos degraus da escada dentro do Palácio Palenque, no México Além da escadaria de Palenque, o projeto inclui a recriação digital de mais de 660 peças, entre as quais destacam-se moldes de gesso do século XIX, que estão em condições muito frágeis, fotografias de placas de vidro, além de 20 passeios virtuais em vídeo, 4 editoriais sobre a história dos Maias, 9 exposições que demonstram a evolução da civilização. É possível ainda conferir o escaneamento dos arquivos encontrados no Museu Britânico e que agora retornam ao México digitalmente. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A exposição também contribui para o trabalho de preservação do patrimônio cultural maia, iniciado há mais de 130 anos nas florestas da América Central. Esses esforços continuam até hoje, impulsionados pela tecnologia e agora com ajuda da parceria entre Google, Museu Britânico e Governo do México – colaboração que possibilitou a primeira reprodução de peças digitais sobre o mundo físico. Quatro funerais e um casamento, obra que simboliza a visão da civilização maia em torno da morte e renascimento Para saber mais sobre a exposição, basta entrar no site oficial, onde há mais informações sobre a iniciativa e sobre a civilização maia em si. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Facebook trabalha em medidas para proteger crianças contra pedofilia

Facebook trabalha em medidas para proteger crianças contra pedofilia

canaltech O Facebook está trabalhando em políticas de segurança com foco na proteção de crianças. De acordo com Antigone Davis, chefe global de segurança da rede social, a empresa vem desenvolvendo maneiras de proteger os mais jovens contra ataques de pedófilos, além de avançar com seus planos de criptografia, anunciados por Mark Zuckerberg, no início deste ano. Em entrevista ao Financial Times, Davis disse que o objetivo do Facebook é mudar seu foco para medidas preventivas - maneiras de impedir que predadores entrem em contato com as vítimas pretendidas - desde a sinalização e remoção de conteúdo. "Quando você encontra o conteúdo significa que o problema já foi causado. Então, temos que impedir que este tipo de coisa seja compartilhada ou, criada, em primeiro lugar. Portanto, como pensamos sobre isso, como podemos paramos essas conexões?", disse ela. A rede social pode começar a acompanhar de perto as contas que fazem uma série de solicitações de bate-papo com menores com quem não estão conectados ou com parte de grupos suspeitos. O Facebook também pode implementar alertas para pessoas com grandes diferenças de idade que conversam em particular no Messenger, nas mensagens diretas do Instagram, ou para contas que tentam entrar em contato com menores de idade quando são bloqueadas por muitas outras pessoas. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Como a preparação pode começar na área pública do Facebook ou Instagram, a empresa pode começar a digitalizar fotos em busca de comentários para encontrar contas com padrões de mau comportamento. David disse, também, que a empresa está testando como tornar os relatórios mais acessíveis, sobretudo em momentos mais agudos, como quando alguém bloqueia usuários suspeitos. Imagem: Business Point Ainda não se sabe, porém, se essas medidas serão suficientes para proteger as crianças. O Facebook disse que está trabalhando em estreita colaboração com especialistas em segurança infantil antes de lançar a criptografia de ponta a ponta. Por outro lado, a ONG Internet Watch Foundation disse ao Financial Times que a rede social de Zuckerberg pode ter procurado apenas uma única organização nos EUA. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta Veja Mais

Netflix | Confira os lançamentos da semana (12/10 a 18/10)

Netflix | Confira os lançamentos da semana (12/10 a 18/10)

canaltech O fim de semana finalmente chegou e poucas coisas são tão recompensadores quanto aproveitar os dias de folga assistindo às novidades da Netflix no conforto de casa. O catálogo da plataforma de streaming mais popular do mundo é atualizado diariamente, e toda sexta-feira o Canaltech lista tudo que entrou e saiu do serviço, além de dar dicas do que assistir, para você aproveitar os melhores lançamentos. Na lista de estreias da semana, o destaque vai para duas produções originais da Netflix que prometem deixar muita gente de cabelo em pé. A primeira delas é Fratura, um thriller psicológico com muitas pitadas de suspense. Na trama, um homem vê sua mulher e filha desaparecerem em um pronto socorro, e começa a desconfiar que o local está escondendo alguma coisa. Por isso ele parte em uma busca desesperada para encontrar as duas.   Por outro lado, o filme espanhol Influência aposta muito mais nos sustos para manter o expectador vidrado. Na história, Alícia decide ajudar a irmã a cuidar de sua mãe, que está em coma. O único problema é que isso força ela a voltar à casa onde cresceu e enfrentar uma força sombria que a aterrorizou no passado e agora começa a ameaçar sua filha. Dica: assista com um frasquinho de água benta do lado. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Para quem curte documentários, a Netflix lançou nesta semana Fantasmas de Sugar Land. O filme entrevista um grupo de muçulmanos que vivem no Texas (EUA), mostrando a perplexidade e confusão deles tentando entender os motivos que levaram um amigo a se juntar ao Estado Islâmico. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Se essas três indicações foram pesadas demais para você, calma que agora a coisa fica mais light. Para amenizar as coisas, a Netflix também estreou sua nova série de comédia Cara x Cara. Estrelada por Paul Rudd, ela segue a vida de Miles, um homem desesperado para melhorar de vida que topa participar de um experimento secreto em um spa. O problema é que ele acaba descobrindo que, do lado de fora, foi substituído por uma versão melhor de si mesmo. Por fim, se você foi criança nos anos 1980 e 1990, certamente cresceu assistindo a Cavaleiros do Zodíaco, certo? Pois bem, o anime clássico agora está disponível no serviço de streaming em seis temporadas. Partiu ajudar Seiya a salvar Saori e percorrer as 12 casas? Se você não gostou das nossas indicações, não tem problema. Logo a seguir você confere a lista completa de lançamentos na Netflix; ao fim, também reservamos um espaço para os filmes e séries que saíram do catálogo do serviço. Dê uma olhada, veja o que mais lhe agrada e divirta-se! 12/10 Fratura Influência Floresta de Sangue Deon Cole: Cole Hearted   13/10 Street Flow 14/10 Meu País: A Nova Era (1ª Temporada) Martin Matte: La vie, la mort...eh la la..! 15/10 A Incrível Aventura de Rick Baker Amor e Tulipas Os Cavaleiros do Zodíaco (6 Temporadas) A Magia dos Andes (1ª Temporada) Mulheres Assassinas com Piers Morgan (1ª temporada) Phineas e Ferb (1ª temporada) Era uma Vez (Nova temporada) Desperate Housewives (Nova temporada) 16/10 League of Legends Origins The Game Changers Second 20s (1ª Temporada) Another Miss Oh (1ª Temporada) 17/10 Ouro Fantasmas de Sugar Land Desplugados (1ª Temporada) Chosen (Nova temporada)   18/10 Cara x Cara (1ª Temporada) Dilema (1ª Temporada) The Writer (1ª Temporada) Magos da Decoração (1ª Temporada) I Have a Script (1ª Temporada) Espinhos no Coração (1ª Temporada) Seleção Artificial (1ª Temporada) Club 57 (1ª Temporada) O Pequeno Poderoso Bheem: O Festival das Luzes (1ª Temporada) Toon (2 Temporadas) Prisão de Mulheres (1ª Temporada, parte 2) Diga quem Sou MeatEater (Nova temporada) Baby (Nova temporada) Spirit Cavalgando Livre: Pequenas Grandes Aventuras (Nova temporada) A Casa das Flores (Nova temporada) Little Baby Bum: Canções de Ninar (2 temporadas)   Fora de catálogo Os filmes, séries e/ou episódios saíram do catálogo da Netflix nessa semana. Brinquedo Assassino 3 Irmãos Gêmeos Amor Além da Vida O Chacal O Gângster Bridget Jones: No Limite da Razão Questão de Tempo American Pie: Caindo em Tentação As Apimentadas: Entrar para Ganhar American Pie: O Livro do Amor American Pie: O Último Stfiler Virgem O Diário de Bridget Jones Raghav 2.0 Lembranças Doris: Redescobrindo o Amor Meu Amigo, o Dragão Uma História de Terror: Halloween com Mickey Mouse Violetta en Vivo Cubo Cães de Aluguel A Princesa Prometida Austin and Ally Boa sorte, Charlie Kick Buttowski: Um Projeto de Dublê Super Nerds Star vs. as Forças do Mal Natal na Realeza Selma: Uma Luta pela Igualdade Violetta No Ritmo Kickin' It Hannah Montana Border Security: America's Front Line Aftershock Irmãs Não Olhe para Trás Até o Limite da Honra Con Air: A Rota da Fuga El Crazy Che Solomon's Perjury LEGO: City Frozen: Uma Aventura Congelante Frozen: Febre Congelante U Turn Being George Clooney Rogue Agent Breakup Buddies Pateta: O Filme Sexta-feira Muito Louca Lost The O.C. Lilo e Stitch Junior Express Korengal Uma Linda Mulher Capitão América: O Primeiro Vingador Jake e os Piratas da Terra do Nunca Aconteceu no Natal do Mickey A Bíblia Pentatonix: On My Way Home R.I.P.D: Agentes do Além Queen Mimi Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Veja Mais

Saiba como conferir seu local de prova no cartão de confirmação do Enem 2019

Saiba como conferir seu local de prova no cartão de confirmação do Enem 2019

canaltech Os cartões de confirmação de local para a prova do Enem 2019, que acontecerá nos dias 3 e 10 de novembro deste ano, finalmente foram divulgados. Para consultar os seus dados cadastrais no cartão de confirmação do Enem 2019, o participante deverá, em sua página no portal do Inep, iniciar uma conversa com a assistente virtual e informar seu CPF e senha que foi utilizada no momento da realização do cadastro. Caso você nunca tenha realizado a prova do Enem antes e não saiba como acessar o seu cartão de confirmação do Enem 2019, confira no tutorial a seguir: Passo 1: Primeiro, acesse sua página do participante no site do Inep. Em seguida, inicie o atendimento através da confirmação de sua identidade e informe o seu CPF. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Captura de tela: Ariane Velasco Passo 2: Depois, informe a mesma senha utilizada no momento do cadastro do Enem 2019. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 3: No menu lateral esquerdo, clique sobre a opção “Aplicação” e selecione “Local de Prova”. Captura de tela: Ariane Velasco Passo 4: Clique sobre "Local de Prova" e confira o seu cartão de confirmação do Enem 2019 com todas as informações. Captura de tela: Ariane Velasco Vale lembrar que é recomendado imprimir o documento para facilitar na hora de acessar o prédio onde a prova será feita. Para imprimi-lo, desça até o final da página e clique em “Imprimir”. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China

Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China

canaltech Um dos tópicos mais discutidos por especialistas de segurança digital nos últimos anos - principalmente nos últimos dois anos - é a responsabilidade que empresas privadas e governos têm em garantir a privacidade de nossos dados pessoais, que são recolhidos por eles para o funcionamento de seus serviços e aplicativos. Nesse assunto, o Brasil está bem avançado em comparação a outros países devido à aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que deverá passar a valer a partir de agosto de 2020. Mas, ao mesmo tempo, podemos ter dado um passo atrás na questão da privacidade com dois decretos (decreto nº 10046 e decreto nº 10047) publicados no dia 9 de outubro pelo presidente Jair Bolsonaro. Foi nesta data que, a partir da publicação no Diário Oficial da União, foram criados o Cadastro Base do Cidadão (CBC) e o Comitê Central de Governança de Dados (CCGD). O discurso oficial é o de facilitar o acesso dos brasileiros a serviços governamentais, já que centralizaria em um único banco de dados todos as informações que o governo possui de seus cidadãos, como CPF, CNPJ e cadastro do Seguro-Desemprego. Mas, ainda que o objetivo de criação seja algo nobre, o modo como ele foi feito e a descoberta de algumas informações mais específicas sobre como esse cadastro será realizado cria diversas dúvidas sobre as reais intenções da sua criação. A primeira coisa estranha é o modo como o CBC e o CCGD foram criados. Ao contrário da LGPD, que foi o resultado de oito anos de debates entre setor público, empresas privadas e população, o CBC e o CCGD foram criados na base da “canetada” da noite para o dia, sem qualquer tipo de discussão com a população sobre como a plataforma iria afetar a vida dessas pessoas - algo que é esperado em uma democracia quando falamos da criação de uma base de dados tão grande quanto essa  eque irá afetar de maneira direta o acesso da população a serviços e programas de auxílio do governo. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Outro problema são sobre as informações que ficarão armazenadas nesse cadastro. De acordo com o decreto, o CBC deverá centralizar 51 bases de cadastro nacionais, onde estarão documentações pessoais (como CPF e Renavam), documentos jurídicos (como CNPJ), e documentos trabalhistas (como FGTS e a folha salarial do Seguro-Desemprego). Essas são informações esperadas de uma sistema que pretende centralizar o acesso a serviços sociais geridos pelo governo. Saúde No entanto, a plataforma abrigará outras informações cuja necessidade ainda é um tanto nebulosa: dados relativos à vida acadêmica dos cidadãos (como o Sisu, ProUni e Fies) e até mesmo à saúde, que não tenha diretamente a ver com algum programa público, como o Prontuário Eletrônico de Paciente (PEP) e o Sistema de informação do câncer de colo do útero e do câncer de mama. Isso permitiria que o Estado, a partir de seu CPF, puxasse uma “ficha corrida” com todos os seus dados pessoais, informações sobre sua vida acadêmica, situação de moradia, trabalho e até mesmo sua saúde. Facilidade acesso E aí entramos em um terceiro ponto, ainda mais complicado: a facilidade com que esse dados poderiam ser compartilhados. Isso porque ele não prevê a necessidade de nenhum tipo de convênio ou contrato para que o acesso à plataforma seja feito por motivos de pesquisa, por exemplo. Isso permitiria que qualquer pessoa - o que pode incluir stalkers ou grupos criminosos - consiga, a partir de seu nome, acesso a uma base cadastral completa com todas as informações que deveriam ser de acesso apenas do governo. Outro ponto intrigante é a facilidade com que empresas privadas poderão ter acesso a essas informações. Isso porque os decretos também instituem a criação do Observatório de Previdência e Informações do Cnis - programa que tem o objetivo de fomentar pesquisas na área de Previdência, facilitando o intercâmbio de experiências e informações entre entidades públicas e privadas. Assim, seria possível que qualquer empresa privada que tenha ao menos um projeto de promoção de políticas sociais (algo que a maioria das grandes companhias, de todos os ramos de atividade, possui) possa ter acesso a esse enorme banco de dados do governo, com informações privadas completas de todos os cidadãos. Ter o acesso direto a uma base como essa, que engloba toda a população brasileira, é uma “mina de ouro” para qualquer empresa que saiba como operar a análise de dados do consumidor a seu favor. Quem vigia os vigilantes? E há ainda outro problema bastante preocupante: o fato do CBC não ter um dispositivo de fiscalização confiável - algo extremamente importante para se evitar abusos de uso ou vazamentos de dados. Isso porque o mais correto para esse tipo de plataforma seria ter um comitê de averiguação formado por membros do governo, da iniciativa privada e da sociedade civil, distribuídos de forma equilibrada, para que os diferentes interesses garantam que nenhum dos poderes esteja abusando do acesso às informações - algo semelhante ao que ocorrerá com o comitê responsável por garantir que a LGPD seja respeitada e seguida por todos. Ao invés disso, o CBC será fiscalizado pelo Comitê Central de Governança de Dados, que será composto apenas por representantes do governo, fazendo com que o Estado seja o responsável por garantir que não haja abuso de sua própria parte no trato dos dados de seus cidadãos Claro, ainda não é possível julgar com clareza o que exatamente o governo espera conseguir com a criação deste cadastro único, pois o texto do decreto que o institui é muito cru e extremamente genérico. Além disos, ainda não houve nenhum tipo de conversa com entidades de fora do governo sobre como deverá ser formato final dele. Mas, do jeito que está redigido, nenhuma das possíveis saídas parecem ser interessantes para a população: na melhor das hipóteses, o CBC será um banco de dados onde todas as informações privadas dos cidadãos estarão centralizadas em um ambiente de pouca segurança contra invasões. Na pior das hipóteses, o CBC possui todos os fatores para que o governo crie um aparato de vigilância estatal comparável ao que já existe na China, onde o acesso de indivíduos a programas de auxílio do governo ou a outras necessidades básicas (como crédito em bancos) fica sujeito ao quão “rebeldes” ao governo elas são. Com isso, ficaria fácil realizar uma perseguição política a opositores de um jeito mais “brando”, cortando aos poucos todos os direitos que essas pessoas possuem como cidadãos do país. Claro que o CBC pode se tornar algo bem mais interessante, caso a ideia seja discutida de forma mais ampla com os diversos setores da sociedade, como se espera que ocorra nos próximos meses. Mas o fato de tudo isso ter sido criado na base da canetada, e sem nenhuma conversa prévia, dá margem para se cogitar que um sistema de vigilância estatal está sendo criado. Como ele será usado daqui para frente só depende da fiscalização por parte da população brasileira. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Fortnite | Os 7 melhores eventos de fim de temporada

Fortnite | Os 7 melhores eventos de fim de temporada

canaltech Podem falar o que quiserem, mas se tem um título que Fortnite merece é o de jogo sensação do momento. O título da Epic Games vem conseguindo se manter sob os holofotes do público praticamente desde que inaugurou seu modo Battle Royale em setembro de 2017. E quando achamos que ele está na pior, acontece algo como o buraco negro que tomou conta do jogo e o colocou novamente na boca do povo. Para marcar o encerramento da Temporada 10, a Epic Games adotou uma estratégia ousadíssima: implodir o mapa de Fortnite e deixar o jogo fora do ar por quase 40 horas, exibindo apenas um buraco negro para todos os jogadores que tentassem entrar em uma partida. Isso foi suficiente para atrair a atenção de 1,6 milhão de pessoas para o canal da Twitch da Epic Games, fora os milhares de expectadores dos principais streamers do game, e deixar o mundo inteiro apreensivo sobre o que estaria por vir. O evento chegou ao fim e deu início não só a uma nova era com Fortnite Capítulo 2, com uma série de novidades e melhorias para os jogadores, mas também marcou por ter sido o sétimo grande acontecimento no jogo. Desde a Temporada 3 a Epic vem desenhando uma narrativa para o videogame, colocando os jogadores para participar, todos juntos, de algo que conta um pouco do que está acontecendo ali e também o que está por vir. Em poucos minutos, quem está conectado aos servidores do game se reúnem para viver e ter a mesma experiência, em momentos que marcam e que entram para a história de Fortnite. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mas quais os melhores eventos de fim de temporada que já rolaram até aqui? O Canaltech listou e ordenou todos eles, do pior para o melhor. Descubra agora qual o mais legal de todos. 7. Nevasca (Temporada 7) Você já chupou uma pedra de gelo? É sem graça e não tem gosto de nada. Assim foi o evento da Nevasca ao fim da Temporada 7 de Fortnite. Naquela época, toda a Temporada 7 foi pautada por neve — o que fazia bastante sentido, visto que ela começou próxima das festividades de Natal. Além da parte sudoeste toda coberta por gelo, a temporada adicionou novas localidades como a Aldeia Feliz, Galpões Gelados e o Pico Polar e itens e skins relacionados às festividades de fim de ano. À medida que a temporada progrediu, uma esfera de gelo apareceu acima do Pico Polar e fez muitas pessoas se perguntarem que havia ali. Ao término da Temporada 7, a esfera foi quebrada pelo Rei do Gelo, que escapou de dentro dela e criou um espectro gigante seu, causando uma nevasca que cobriu toda a ilha e espalhando zumbis por todo o mapa. Todo o evento durou apenas alguns segundos, e a nevasca atrapalhou a visão dos jogadores por apenas algumas semanas, dissipando-se logo em seguida ao lado dos zumbis, não causando nenhum impacto ao jogo em si.   6. Evento da Borboleta (Temporada 6) Todo mundo achava que o Cubo Kevin tinha sumido depois dos acontecimentos que encerraram a Temporada 5, mas a verdade é que ele só ficou um tempo escondidinho debaixo do Lago do Saque para, ao fim da Temporada 6, ser novamente o centro das atenções de mais um evento. No início da Temporada 6 o cubo emergiu do lago junto com uma ilha flutuante. Dessa forma, ele passeou por todo o mapa ao longo de toda a temporada, oferecendo loot aos jogadores que pousassem em sua ilha e uma forma de rotacionar rapidamente no mapa graças ao tornado que levava consigo. Depois de rodar toda a ilha, o cubo retornou ao Lago do Saque, começou a girar loucamente e causou uma explosão que levou os jogadores para uma dimensão misteriosa, toda branca e vazia. Ali surgiu uma borboleta que podia ser tocada pelos jogadores e causava uma outra explosão, levando todos de volta ao mapa, como se nada tivesse acontecido. Apesar de também não trazer grandes consequências para jogabilidade de Fortnite, o Evento da Borboleta marcou por ter sido o primeiro acontecimento cinemático que realmente colocou absolutamente todos os jogadores para participar ativamente dele, não importando onde eles estavam ou o que estavam fazendo.   5. Evento do Cubo Kevin (Temporada 5) O fim da Temporada 4 deixou para trás enormes rachaduras no céu do mapa de Fortnite, levando muitos jogadores a teorizarem o que aquilo significava. A curiosidade só aumentou quando as fendas sumiram e surgiu no Paraíso das Palmeiras um cubo roxo gigantesco, que foi apelidado carinhosamente pela comunidade como Kevin. Tecnicamente, Kevin não fazia absolutamente nada e apenas existia ali, parado, intacto. Porém ele era feito de um material quicante, que mandava todos os jogadores que tocavam nele para bem longe. O que esse bicho estava fazendo no jogo, afinal? Bem, depois de algum tempo os jogadores perceberam que Kevin começou a se mover, dando uma virada a cada uma hora e 43 minutos. Ele percorreu todo o mapa, mas no meio do caminho os jogadores notaram que ele estava se dirigindo ao Lago do Saque e começaram a se perguntar o que aconteceria. Chegando lá, o Cubo Kevin simplesmente afundou sob a água do local, tingindo-a de roxo e a tornando, assim como ele, quicante. Embora não tenha causado nenhuma grande consequência à história de Fortnite, o Evento do Cubo Kevin foi importante por ter mobilizado toda a comunidade em torno do mistério que ele representava. Inúmeras teorias foram formuladas diariamente e a cada movimentação do cubo, mais tensão se estabelecia. Ao fim, esse evento ainda deixou como herança uma localidade com jogabilidade alterada, palco de confrontos caóticos e divertidos.   4. Explosão do Vulcão (Temporada 8) Muita gente não dá o devido crédito aos acontecimentos que encerraram a Temporada 8 de Fortnite, mas a verdade é que a Epic foi duplamente ousada aqui. Primeiro porque ela bolou não um, mas dois eventos paralelos. Segundo porque o segundo deles resultou na destruição de duas das mais icônicas localidades do mapa do jogo. Em Fortnite, armas vêm e vão de acordo com o feedback da comunidade ou quando a Epic percebe que uma delas está muito apelona e merece passar por ajustes. Quando isso acontece, diz-se que as armas vão para o "cofre", permanecendo trancadas lá por um tempo ou para sempre — saudades Zapatron! Durante toda a Temporada 8, houve muitos pedidos para alguns itens e armas voltarem ao jogo, então a Epic decidiu deixar a decisão nas mãos dos jogadores. Por isso, os jogadores foram transportados para dentro do Cofre, onde tinham de atacar o pilar correspondente ao item que gostariam que voltasse ao game. Quem venceu foi a Metralhadora de Tambor, e os jogadores foram transportados de volta ao mapa. Quando muitos achavam que tudo tinha acabado, o Vulcão entrou em erupção e acabou destruindo dois dos lugares mais populares e queridos pelos jogadores: Via do Varejo e Torres Tortas. Chegava ao fim a Temporada 8 com uma arma superpoderosa de volta e dois lugares totalmente destruídos, para o desespero dos cinzinhas e dos pro players.   3. Lançamento do Foguete (Temporada 4) Tido como o primeiro grande evento de encerramento de temporada em Fortnite, pode-se dizer que o Lançamento do Foguete foi o primeiro capítulo do enredo do modo Battle Royale do jogo. Ao longo de toda a Temporada 4 a Epic deu pistas aos jogadores do que poderia acontecer ao término da temporada, que teve como tema Heróis e Vilões. Enquanto os jogadores podiam escolher skins de super-heróis, o jogo introduziu um antagonista chamado Visitante, que estabeleceu um laboratório escondido sob as montanhas ao lado de Margens Esnobes. Ali ele construiu um foguete para escapar da ilha, mas isso teve um efeito colateral que afetou todo o jogo e serviu de ponto de partida para todos os eventos subsequentes: o foguete causou uma fissura no espaço-tempo, deixando o céu da ilha marcado com fendas. Claro, houve eventos mais espetaculares que esse, mas justamente por sua importância e pioneirismo, ele está aqui na terceira posição da nossa lista.   2. Confronto Final (Temporada 9) Ao longo das temporadas a Epic foi se especializando em fazer dos eventos acontecimentos verdadeiramente cinematográficos. O ápice disso talvez tenha sido o Confronto Final, que aconteceu ao fim da Temporada 9. Ao longo de toda a temporada, vimos o que antes era o Vulcão se transformar em uma espécie de base para construir um robô imenso, que ninguém sabia exatamente para o que serviria. Não até ouvirem um barulho estranho e assustador saindo debaixo do castelo no Pico Polar. Descobrimos ao longo da temporada que havia um monstro (batizado pela comunidade como Cattus) aprisionado sob aquela camada gigantesca de gelo, e ele acabou se libertando para tocar o terror na ilha. Felizmente o robô, chamado de Doggus, ficou pronto a tempo para lutar e acabar com o bichão nas proximidades de Fontes Salgadas, num combate digno de um episódio de Power Rangers. Sem um braço e visivelmente baqueado, o herói da ilha partiu e deixou para trás o esqueleto de Cattus para os jogadores explorarem. Tudo isso pôde ser acompanhado pelos jogadores do ângulo que quisessem, pois todos ganharam um propulsor a jato para ficarem onde quisessem enquanto a batalha, cheia de drama e reviravoltas, se desenrolou por cinco minutos.   1. Buraco Negro (Temporada 10) E tudo isso nos trouxe até o evento do Buraco Negro, que não só marcou o fim da Temporada 10 como também foi o mais ousado de toda a história de Fortnite. Ao longo de toda a temporada os jogadores acompanharam a construção de um novo foguete em Depósitos Empoeirados e o surgimento de grandes fendas que substituíam localidades inteiras por outras — foi assim que vimos o retorno de Via do Varejo e Bosque Gorduroso e as novas Cidade Torta e Gotham City. No domingo, 13 de outubro, o foguete, agora finalmente pronto, foi lançado em conjunto com uma série de outros foguetes. Eles atingiram o meteoro que ficou suspenso sob Depósitos Empoeirados durante toda a temporada e acabaram mais uma fenda no espaço-tempo, desaparecendo e ressurgindo sobre o Lago do Saque. O impacto no local foi tamanho que todo o universo de Fortnite foi sugado, deixando os jogadores vendo apenas um buraco negro no meio da tela. Embora não tenha sido tão cinematográfico quanto o Confronto Final nem tido tanto a participação dos jogadores como a votação no Cofre, esse evento deixou o mundo inteiro ansioso para saber o que aconteceria. Numa jogada incrível de marketing e publicidade, a Epic tirou Fortnite do ar por 40 horas, não dando absolutamente nenhuma pista de quando o bendito buraco desapareceria e quando as pessoas poderiam voltar a jogar. Milhões de pessoas gastaram dezenas de horas assistindo o mais absoluto nada, apenas olhando para o buraco da Epic e elaborando infinitas teorias baseadas puramente no achismo. A manhã da terça-feira (15) não só trouxe de volta o game, mas também iniciou uma nova era com Fortnite Capítulo 2, um mapa completamente novo e novos recursos e mecânicas para deixar o game mais divertido e acessível para o público casual, mas sem esquecer dos jogadores competitivos.   Como sempre, listas sempre geram discussões e nunca são absolutas. Por isso deixo aqui a pergunta: e para você? Quais foram os melhores e piores eventos de encerramento de temporada em Fortnite? Monte o seu ranking e compartilhe com a gente aqui embaixo nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

MacBook Pro de 16 polegadas aparece em conceito com 3 USB-C e 3 Thunderbolt

MacBook Pro de 16 polegadas aparece em conceito com 3 USB-C e 3 Thunderbolt

canaltech O MacBook Pro de 16 polegadas está bem perto de ser lançado e ainda não se sabe muito sobre o design da máquina. No entanto, nesta quinta-feira (17), surgiram imagens de conceito que colocam a novidade da Apple com ampla acessibilidade, incluindo três portas de comunicação USB-C em uma das laterais e mais três Thunderbolt 3 do outro lado — somando seis portas, contra apenas quatro do MacBook Pro de 15 polegadas. As renderizações publicadas pelo 9to5mac mostram um design bastante parecido com o do MacBook Pro de 15 polegadas, com dimensões semelhantes, mas com um display com bordas bem finas em todos os lados. (Imagem: Reprodução/9to5Mac) O corpo do notebook ficaria mais curvado e menos quadrado que seu antecessor. O novo laptop também traria a barra de TouchPad e seria o primeiro a abandonar de vez o teclado “borboleta” em prol do antigo “tesoura”. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- (Imagem: Reprodução/9to5Mac) O jeito é aguardar mais um pouco, pois o MacBook Pro de 16 polegadas deve ser anunciado até o final deste mês de outubro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Canonical lança Ubuntu 19.10 com desempenho e suporte a gráficos aprimorados

Canonical lança Ubuntu 19.10 com desempenho e suporte a gráficos aprimorados

canaltech Mantendo sua rotina religiosa de lançar novas versões do Ubuntu nos meses de abril e outubro, a Canonical cumpriu mais uma vez seu calendário nesta quinta-feira (17) ao anunciar o lançamento do Ubuntu 19.10. Batizada de Eoan Ermine, a nova versão do sistema chega atualizada com kernel Linux 5.3 e Gnome 3.34, além de contar com outras novidades bastante interessantes. Duas das mais interessantes são, sem dúvidas, o suporte ao padrão de compressão LZ4 e sistema de arquivos ZFS. Embora este último ainda esteja em caráter experimental, a dobradinha promete deixar o tempo de carregamento do sistema mais rápido e os arquivos mais protegidos do que as demais versões da distribuição. Quem possui uma máquina com hardware Intel, ainda poderá desfrutar de outra novidade dessa categoria que antes apenas usuários do Fedora tinham acesso: boot flicker-free. Com ele, o usuário vai da splash screen diretamente para a tela de login, sem nenhum piscado. (Imagem: Fossbytes) UI mais fluida Aproveitando que estamos falando de desempenho, a adoção do Gnome 3.34 promete deixar o Ubuntu muito mais fluido. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Como um todo, a distro ganhou um tapa de performance e visual muito bem-vindos. Agora, por exemplo, é possível criar pastas para reunir programas na seção de Aplicações apenas arrastando e soltando os atalhos um em cima do outro. Se o sistema perceber que os apps que você reuniu são similares — por exemplo, todos tem funcionalidade de som e vídeo —, ele mesmo nomeará a pasta automaticamente. Já a janela de Configurações do sistema teve seus painéis redesenhados, trazendo uma nova seção de seleção de papel de parede que facilita a escolha da ilustração que ficará no desktop e na tela de bloqueio. O Gnome 3.34 também incluiu melhorias na seção Luz Noturna, mais informações a respeito das conexões Wi-Fi e a possibilidade de reorganizar as fontes de busca do Shell nas Configurações. Novo design de seção para de papéis de parede do Ubuntu 19.10 (Imagem: LinuxBuzz) Para quem se atém à fluidez do sistema como um todo, o Gnome também trouxe suporte a taxas de quadros maiores, reduziu a latência da saída de vídeo no Xorg e reduziu a latência no input dos comandos via touchpad e teclado. Mas o melhor vem agora: tudo isso foi implementado consumindo menos CPU do computador. Mais suporte a gráficos Gamers e profissionais que trabalham com multimídia têm ainda mais motivos para comemorar a chegada do Ubuntu 19.10. A atualização para a versão 5.3 do Linux traz benefícios imediatos para esses usuários, já que o kernel conta com suporte nativo às novas GPUs AMD Radeon RX 5700, melhor suporte aos gráficos Intel Ice Lake de 11ª geração e suporte inicial a monitores Intel com HDR. Mas não para por aí: a ISO do Ubuntu 19.10 vem com drivers para placas de vídeo GeForce da própria Nvidia embutidos. Isso significa que basta instalar o sistema para já sair usando usa GPU Nvidia GeForce, sem ter de se preocupar em baixar os drivers separadamente. Parece uma adição boba, mas ela é, ao mesmo tempo, conveniente e até certo ponto polêmica, já que estamos falando de um driver proprietário numa distribuição de sistema de código aberto e livre. Quem se incomodar com isso, entretanto, pode optar por não instalar o driver e seguir com opções livres. Usuários de placas de vídeo Nvidia GeForce poderão optar por utilizar os drivers proprietários da fabricante, que agora vêm embutidos na ISO do Ubuntu (Imagem: ThinkComputers) Outra boa notícia para os gamers é que a Canonical realmente desistiu da ideia de ceifar o suporte a aplicativos 32 bits depois de uma forte reação negativa da comunidade. Por conta disso, o Ubuntu 19.10 segue compatível com softwares como o Wine e Steam. Como sempre, o Ubuntu 19.10 Eoan Ermine já está disponível para download gratuito. Se você usa o Ubuntu 19.04 na sua máquina, poderá atualizá-la automaticamente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Veja Mais

Filme de Breaking Bad teve 6,5 milhões de visualizações em apenas três dias

Filme de Breaking Bad teve 6,5 milhões de visualizações em apenas três dias

canaltech Menos de uma semana após a sua tão esperada chegada à Netflix, o filme El Camino: A Breaking Bad Movie atingiu a marca de 6,5 milhões de espectadores somente nos três primeiros dias de exibição, sendo que 2,6 milhões de visualizações vieram só dos Estados Unidos e nas primeiras 24 horas. Com 8,2 milhões de visualizações no total na primeira semana, o filme quebrou até mesmo o recorde do lançamento da temporada final de Breaking Bad, em 2013, que conquistou 5,9 milhões de espectadores. O filme entrega aos fãs da série um final ao personagem Jesse Pinkman, interpretado por Aaron Paul, após a morte e fim do reinado de Walter White, papel de Bryan Cranston. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! Imagem: Divulgação/Netflix Também estão no elenco os atores Charles Baker, Krysten Ritter, Jesse Plemons, Matt L. Jones, Jonathan Banks, entre outros. Ah, não deixe de ler a nossa crítica de El Caminho: A Breaking Bad Movie! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

BGS 2019 | Livro definitivo sobre Master System também será ode à Tectoy

BGS 2019 | Livro definitivo sobre Master System também será ode à Tectoy

canaltech O Master System foi um dos consoles mais populares dos anos 1990 no Brasil, junto aos chamados de famiclones, assim apelidados os videogames criados por retroengenharia do Famicom da Nintendo. É por isso que a editora WarpZone quer contar essa história no Livro Definitivo Master System e Game Gear. "A vantagem do Master System é que ele é apaixonante. Se você fala com colecionador, pessoa que trabalharam na empresa, com jornalista, com pessoas de revistas de games dos anos 1990, eles têm boas histórias para colocar no livro", conta Cleber Marques, editor-chefe da produção. E, de fato, muita gente se apaixonou por esta ideia, tanto que o projeto fechou a campanha de financiamento coletivo com 206% do valor inicial arrecadado. Para o projeto ser levado adiante, o grupo precisava de R$ 50 mil, mas alcançou pouco mais de R$ 103 mil em maio deste ano. A editora está se acostumando com isso, já que este é o quinto projeto que colocam em prática como livro de luxo. Todos dobraram a meta pedida. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Comemoração Marques explica que 2020 é um ano de celebrar. O livro vem nos 30 anos da chegada do Master System ao Brasil. Contudo, há outro tema em destaque: os 35 anos da Tectoy. A empresa foi uma das primeiras e mais conhecidas a fabricar consoles por aqui. "Eles não têm uma publicação para isso [fazer uma celebração]. A gente vai falar bastante da Tectoy, embora o livro seja de Master System. Vamos contar a história da fundação, de brinquedos da companhia", explica o editor. Cléber Marques, editor da WarpZone (Foto: Wagner Wakka) Na lista de assuntos, estão entrevistas com criadores de personagens que marcaram os anos 1990. “Você vai encontrar a história da Light Phaser, da Estrelinha Mágica, do Sapo Chulé. Entrevistamos o criador do Sapo Chulé e temos histórias incríveis para colocar no livro", empolga-se Marques. O Light Phaser é uma das criações de maior destaque em acessórios dos consoles na época: trata-se de uma arminha de plástico que interagia com a tela em jogos. O editor promete uma produção de recheio. Até o momento, foram sete pessoas entrevistadas para contar a narrativa da companhia e do console lançado por aqui. Uma história focada no que há de mais brasileiro. A primeira delas foi feita já em 2017, mostrando que a WarpZone já tem a confiança na comunidade que criou. Ou seja, o projeto começou muito antes de ter a campanha de financiamento coletivo conquistada. As fontes vêm de um trabalho de garimpo. Marques e sua trupe são colecionadores de revistas e jogos antigos, e é nessa mina que se enterram em busca de histórias a serem lapidadas. Empresa também lançou recentemente especial sobre Street Fighter (Foto: Wagner Wakka/Canaltech) “A gente é cata-piolho de revistas. Lemos os expedientes. Então, está no nosso sangue, vemos nas revistas, créditos dos jogos, manuais. O legal é que, quando você chega em uma pessoa, ela te aponta mais umas duas", lembra Marques. Uma das coisas mais curiosas, de acordo com o editor, foi apresentada por um leitor das revistas. Um fã contou para Marques que estudava com um rapaz que era funcionário de uma agência que fez publicidade para a Tectoy nos anos 90. Os jornalistas foram até a residência da fonte e, além de conceder uma entrevista para o livro, ele tinha dezenas de provas de impressão de jogos da época, tanto do Master System quanto do Mega Drive. "Ele disse: 'toma, é de vocês. Pode levar embora'", comemora o editor. Essa é uma das várias histórias que ele promete para o livro, programado para o início do ano que vem. A produção ainda deve contar com uma página especial em que um desenvolvedor do Street Fighter para o Master System conta como desenvolveu uma técnica para o jogo caber no console de 8 bits. “Uma das coisas é que, no Street Fighter do Master System, quando tinham dois personagens brigando, só um era sprite, o outro é fundo de tela. O hardware não conseguia trabalhar com dois sprites. Então, ele criou uma engine para que fosse possível isso. É isso que ele vai explicar”, afirma Marques. O livro terá uma página com o código-fonte do cartucho e as explicações do próprio desenvolvedor. O Livro Definitivo Master System e Game Gear deve chegar ao mercado em fevereiro de 2020, mas existe a possibilidade de se atrasar o lançamento. “Os prazos estão bem apertados”, confessa o editor. Quem não participou da campanha de financiamento coletivo pode fazer a reserva do livro no site da WarpZone, só que sem acesso aos benefícios concedidos a quem colaborou com a campanha do Catarse. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Foto do set de Stranger Things “confirma” retorno de personagem na 4ª temporada

Foto do set de Stranger Things “confirma” retorno de personagem na 4ª temporada

canaltech Se você ainda não assistiu à terceira temporada de Stranger Things, este texto pode conter spoilers! No final da terceira temporada de Stranger Things, vimos o xerife Hopper se sacrificar para salvar o dia. Só que ninguém havia engolido a ideia de que ele tinha mesmo morrido, e até mesmo as cenas pós-créditos da season finale vinha com um dica, indicando que um “americano” estava encarcerado em uma prisão russa. Agora, uma imagem do set de filmagens do próximo ano da atração “confirma” o retorno do herói. A quarta temporada de Stranger Things está atualmente sendo rodada na Geórgia, nos Estados Unidos, e uma fã sorrateira conseguiu tirar uma foto de um carro muito familiar dentro do set. O material foi divulgado em um fórum no Reddit. Nem precisa fazer força para observar que set trata do Chevy K5 Blazer anos 1980, justamente o carro usado por Hopper na maior parte de suas cenas. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- (Imagem: Reprodução/Courtney Jones) Chegou ao Brasil o Amazon Prime, maior concorrente mundial da Netflix. Teste grátis por 30 dias! Tudo bem que outra pessoa poderia estar usando o veículo, como alguém da turminha adolescente, ou até mesmo Joyce Byers ou um dos oficiais da delegacia de polícia. Contudo, como vimos nas três temporadas, o Chevy K5 Blazer faz parte da assinatura da presença de Hopper.  Ainda não há data confirmada para a estreia da próxima aventura de Stranger Things, mas a previsão é de que isso aconteça entre o final de 2020 e o começo de 2021. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Pokémon GO Halloween 2019: saiba mais sobre o evento que começa neste dia 17

Pokémon GO Halloween 2019: saiba mais sobre o evento que começa neste dia 17

canaltech O jogo Pokémon Go se popularizou graças à sua proposta de capturar as criaturinhas através do smartphone, o que levou um grande número de jogadores às ruas. Embora ele não seja mais tão comentado, ainda existem muitos adeptos e eventos com seu nome. Neste ano, o game recebe um evento de Halloween, que começa neste dia 17 e termina no dia 1 de novembro, contando com Pokémon inéditos do tipo Sombrio e Fantasma, além de fantasias temáticas para as criaturas do jogo. Uma das principais novidades trazidas por este evento de Pokémon GO consiste na estreia de Darkrai, um Pokémon lendário, que já está participando das reides de cinco estrelas. O Treinador também, a partir de hoje, recebe roupas exclusivas com o tema Halloween. Além disso, também já é possível capturar doces, chocar ovos e realizar transferências. Pokémon GO Halloween: saiba mais sobre o evento deste mês de outubro Se você se interessou pela novidade, saiba que ela não para por aí. Além do que já foi mencionado, a Equipe Rocket pode resgatar novos Pokémon, como Lapras, Beedrill, Weedle, Seedot, Kakuna, Magmar, Electabuzz e mais uma série de criaturinhas, como Yamask, que estreou hoje no evento de Halloween de Pokémon GO como um Pokémon selvagem. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Yamask (Imagem: Pokemon.com) Os Pokémon sombrios e fantasmas também poderão ser encontrados ao longo dos próximos dias. Um deles é o Yamask, um fantasminha estreante no universo do jogo cuja aparência brilhante muda de preto e vermelho para azul e dourado. Além disso, Darkarai, um Pokémon sombrio da 4ª geração, que estará presente em reides do nível cinco durante todo o evento. Vale ressaltar que os ataques do Darkrai são considerados um dos melhores de todo o jogo, o que faz com que todo o jogador de Pokémon GO considere tentar capturá-lo. Outro Pokémon que retorna para o evento de Halloween de Pokémon GO é o Spiritomb, que é concedido a jogadores como uma recompensa após completar uma das “research quests” que podem ser encontradas em qualquer Poképarada durante o evento. Spiritomb: Pokémon é uma recompensa para desafios (Imagem: Pokemon.com) As “research quests” são desafios distribuídos para os jogadores em troca de recompensas como Pokébolas, Pokémon, pontuação para subir de nível rapidamente e outros prêmios. O desafio especial para o evento de Halloween, intitulado “A Spooky Message” (Uma Mensagem Assustadora), é uma reprise do mesmo desafio de 2018 e consistirá em três desafios. O primeiro consiste nas seguintes tarefas: Encontrar e capturar 10 Pokémon fantasmas; Realizar 8 grande lançadas da Pokébola; Usar 108 berries para capturar Pokémon. As recompensas são: Um Pokémon Duskull; 1.080XP; Um Pokémon Lickitung; 10x Pokébolas, 1.080 Stardusts, Berries do tipo Silver Pinap multiplicadas por 8. Pokémon Duskull, uma recompensa para o desafio "A Spooky Message" (Imagem: Pokemon.com) Já, o segundo, consiste em: Capturar 10 Pokémon sombrios; Visitar 8 Poképaradas onde você nunca esteve antes; Capturar 108 Pokémon. As recompensas são: Um Pokémon Misdreavus; Mais 1.080XP; Um Pokémon Spiritomb; 10x Pokébolas, 1.080 Stardusts, Berries do tipo Silver Pinap multiplicadas por 8. Pokémon Misdreavus (Imagem: Pokemon.com) Por fim, a terceira fase consiste em completar três tarefas aleatórias que são prescritas durante o jogo, cada uma em troca de 1.080XP.  As recompensas ao final desta terceira fase são o Pokémon Spiritomb e 1.080 Stardusts. Doces ou Travessuras? Pokémon aparecem com fantasias de outros no evento de Halloween de Pokémon GO Criaturinhas como o simpático Pikachu, Charmander, Bulbasaur e Squirtle, os mais populares do desenho, já estão usando fantasias especiais de outros Pokémon nas reides especiais. Pikachu está vestido de Mimikyu; Charmander, de Cubone; Bulbasaur, de Shedinja e Squirtle de Yamask. No entanto, vale ressaltar que esses Pokémon não poderão ser evoluídos ou encontrados após o evento de Halloween por conta de sua exclusividade. Pokémon GO: Pokémons aparecem fantasiados no evento de Halloween do jogo (Imagem: Divulgação/Pokémon GO) Está esperando o que para abrir seu Pokémon GO e começar a participar deste evento incrível? Para mais informações, vale acessar o blog do jogo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Brecha no Pixel 4: dá para desbloquear o celular mesmo dormindo!

Brecha no Pixel 4: dá para desbloquear o celular mesmo dormindo!

canaltech O Google criou seu próprio sistema de desbloqueio facial para o Pixel 4 e 4 XL usando sensores avançados no painel superior do telefone, com uma tecnologia semelhante ao Face ID da Apple. A fabricante do Pixel acredita que o desbloqueio facial é seguro o suficiente para servir como um método de autenticação no Android, então não há mais sensor de impressão digital no Pixel 4. No entanto, Chris Fox, repórter da BBC News, notou uma falha de segurança preocupante com o desbloqueio facial do Google: ele funciona mesmo que seus olhos estejam totalmente fechados. Uma página de suporte sobre desbloqueio facial confirma isso diretamente. "Seu telefone também pode ser desbloqueado por outra pessoa se estiver apoiado no seu rosto, mesmo que seus olhos estejam fechados", diz a página. “Mantenha seu telefone em um local seguro, como o bolso frontal ou a bolsa”. Sendo assim, o desbloqueio facial também funcionará se você estiver dormindo. Pixel 4, do Google, está com uma falha preocupante em torno do desbloqueio facial Esse é um fator de risco que os iPhones não compartilham. Por padrão, no Face ID da Apple seus olhos precisam estar abertos para desbloquear com êxito um dispositivo. Essa configuração, que a Apple diz ser uma medida de segurança adicional, pode ser desativada nas configurações, se o usuário assim desejar. No Pixel 4, não existe essa opção — pelo menos até agora. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Saiba mais: Pixel 4 | Tudo sobre os novos smartphones do Google Mas, calma! Há evidências de que o Google está trabalhando nisso, pois parece que vai ter a opção de exigir que os olhos estejam abertos para que o desbloqueio facial funcione. No entanto, de acordo com a Fox, essa alternância não está presente no software do Pixel 4 que será enviado aos consumidores na próxima semana. Um porta-voz do Google disse ao portal norte-americano The Verge: "Não temos nada específico a anunciar sobre recursos ou prazos futuros, mas, como a maioria de nossos produtos, esse recurso foi projetado para melhorar com o tempo, com futuras atualizações de software". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Juul suspende vendas on-line de vape com sabor

Juul suspende vendas on-line de vape com sabor

canaltech Nesta quinta-feira (17), a Juul Labs, empresa americana de cigarros eletrônicos, anunciou que vai interromper temporariamente as vendas on-line de cigarros eletrônicos com sabor. A fabricante já tinha parado de distribuir esses produtos para as lojas de varejo dos Estados Unidos, uma vez que se encontra enfrentando várias investigações federais e estaduais. A interrupção das vendas on-line vai acontecer até que a Food and Drug Administration (FDA) faça toda uma revisão dos produtos. No entanto, a empresa decidiu que a suspensão das não afetará, por enquanto, o sabor de menta — carro-chefe dos juices da marca. No mês passado, a FDA deu uma advertência para a Juul, dizendo que havia comercializado ilegalmente seus produtos como uma alternativa mais segura do que os cigarros tradicionais. Além disso, a FDA também passou a investigar as estratégias de marketing da empresa, pois pais e especialistas em saúde pública argumentavam que sua variedade de sabores era direcionada diretamente aos jovens e poderia viciar uma nova geração em nicotina. Juul interrompe venda on-line do vape com sabor temporariamente Em setembro, as autoridades de saúde dos Estados Unidos anunciaram pelo menos 450 casos de doença pulmonar grave que podem ter sido causados ​​pelo uso de substâncias em cigarros eletrônicos, os populares vapes. Os casos correram em 33 estados, e trouxeram preocupação. Frente a tudo isso, Donald Trump resolveu proibir o cigarro eletrônico com sabor. Enquanto isso, grandes varejistas como Walmart e Walgreens decidiram parar de vender cigarros eletrônicos e vários estados tentaram impor proibições principalmente a produtos aromatizados. As fabricantes de vapes estão travando batalhas judiciais contra as restrições em alguns estados. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Interromper temporariamente as vendas on-line é a mais recente ação tomada por Crosthwaite, diretor executivo da Juul. Desde que assumiu o cargo, ele também suspendeu a publicidade da empresa."Precisamos redefinir a categoria de vape, conquistando a confiança da sociedade e trabalhando em cooperação com reguladores, formuladores de políticas e partes interessadas para combater o uso de menores de idade e, ao mesmo tempo, oferecer uma alternativa aos fumantes adultos", disse Crosthwaite durante um comunicado. A Juul é alvo de numerosos processos. Pais de alguns adolescentes também estão processando a empresa, alegando dependência e danos. No início deste mês, o Conselho do Condado de Montgomery, em Maryland, entrou com uma ação contra a fabricante, alegando comercialização para menores de idade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Veja Mais

LinkedIn anuncia ferramenta Eventos para encontros profissionais offline

LinkedIn anuncia ferramenta Eventos para encontros profissionais offline

canaltech Considerado a maior rede profissional do mundo, o LinkedIn está dando um próximo passo no seu crescimento com uma novidade: o recurso Eventos. A funcionalidade foi apresentada na última quarta-feira (16), mostrando que a construção de uma comunidade offline é essencial para relacionamentos profissionais de alta qualidade. Segundo dados obtidos pelo próprio LinkedIn, as chances de aceitação de uma conexão na página sobem de 20% a 80% com as reuniões presenciais. A novidade começou a ser disponibilizada no LinkedIn a partir desta quinta-feira (17), inicialmente aos mercados da língua inglesa, chegando no restante do mundo nos próximos meses. A ferramenta poderá ser acessada tanto na versão web e mobile da página, quanto pelo aplicativo para Android e iOS. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Ricardo Wright, gerente sênior de desenvolvimento de negócio para a América Latina do LinkedIn, diz que o objetivo da plataforma sempre foi criar e desenvolver relacionamentos profissionais, e que a empresa tem todos os elementos necessários para tornar essa conexão possível. "Desde reuniões de ex-alunos, happy hours, eventos de equipe, workshops de empresas, incentivamos nossos usuários a usar os Eventos do LinkedIn para estender conversas online para o mundo real", diz o executivo. Imagem: Divulgação/LinkedIn Assim que o recurso Eventos chegar ao Brasil e em português, poderá ser acessado diretamente do painel "Comunidade", que estará localizado ao lado esquerdo do feed de notícias. Então, acima da função "Grupos", será preciso apenas clicar em um sinal de "+" e inserir a descrição do evento, como nome, localidade, data, hora, fuso horário e uma URL externa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho

Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho

canaltech Pela primeira vez, a Motorola deve lançar duas gerações da série Moto G no mesmo ano. Durante o início de 2019, a empresa lançou a série Moto G7 que é formada por quatro dispositivos e, neste mês de outubro, a fabricante irá lançar outros três modelos da oitava geração: o Moto G8 Play, o Moto G8 e o Moto G8 Plus. O Canaltech obteve com exclusividade a ficha técnica do Moto G8 Plus, de uma fonte incontestável, e é sobre este modelo que iremos falar a seguir. Moto G8 "convencional" terá três câmeras e será idêntico ao Moto G8 Plus Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Moto G8 Plus: ficha técnica De acordo com as informações compartilhadas com a nossa equipe, o hardware do Moto G8 Plus não deve trazer grandes avanços em comparação com os lançamentos mais recentes da Motorola. O aparelho terá 4GB de memória RAM e 64 GB de espaço interno, e será alimentado pelo processador da Qualcomm lançado este ano, com foco em alta performance para intermediários, o Snapdragon 665. Com base no documento que recebemos, essa é a ficha técnica completa do Moto G8 Plus: -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Tela: Max Vision (LCD) de 6,3" Full HD+ (2280 x 1080 pixels), 401 ppi; Max Vision de 19:9 com Gorilla Glass 3; Dimensões: 158,4 x 75,8 x 9,1 mm; Peso: 188g; Sistema: Android 9.0 Pie; Processador: Snapdragon 665 octa-core de 2.0 GHz e GPU Adreno 610; Memória RAM: 4GB; Armazenamento: 64GB, com suporte para cartão microSD; Câmera principal: 48MP, 16MP, 5MP e sensor ToFCâmera; Câmera frontal: 25 MP; Bateria: 4.000 mAh com USB-C e adaptador Turbo Power de 18W; Certificação: IP54; Extras: desbloqueio facial, sensor biométrico físico, NFC, Bluetooth 5, conector 3,5 mm para fone de ouvido, dual SIM e capa protetora; Cores: vermelho e azul escuro. Vale observar que, apesar do Android 10 já ter sido liberado pelo Google em setembro, a Motorola irá lançar o Moto G8 Plus com Android 9 Pie. Isso acontece, muito provavelmente, porque o G8 Plus não é parte do programa Android One e já estava pronto quando o novo sistema foi lançado, visto que a homologação do aparelho na Anatel aconteceu também no início de setembro. Moto G8 Plus com tela Max Vision Como percebemos nas especificações técnicas vazadas, o Moto G8 Plus não será um modelo com muitos diferenciais em comparação com os demais produtos da série Moto lançados este ano. Quem gosta de tela grande ficará satisfeito com o painel de 6,3 polegadas e resolução Full HD+ (2280 x 1080 pixels). Também não será dessa vez que a Motorola irá investir em um painel OLED para o melhor modelo da série Moto G, mantendo também o padrão LCD IPS. Apesar disso, a fabricante irá chamar a tela do G8 Plus de Max Vision devido sua proporção de 19:9 com borda frontal reduzida. Moto G8 Plus chega na cor azul com tela Max Vision / winFuture Com a ausência da linha Moto Z em 2019, a Motorola fica sem nenhum modelo com tela OLED ou resolução maior em seu portfólio. O notch da tela frontal do Moto G8 Plus é em formato "U" - ou gota, como preferir - e é acompanhado por uma câmera frontal de 25 megapixels, a mesma do Motorola One Vision. Essa lente será o responsável por oferecer a função de desbloqueio facial ao modelo, apesar do G8 Plus ainda vir com um sensor biométrico físico na traseira. Moto G8 Plus terá câmera tripla Se a ausência de uma tela OLED ou de um sensor biométrico sob a tela não te agradou, saiba que o Moto G8 Plus tem de tudo para se destacar no quesito câmera. Isso porque a Motorola irá equipar esse modelo com três câmeras e um sensor ToF de profundidade, geralmente usado para fotos em modo retrato. A Motorola pretende dobrar a aposta e entregar no Moto G8 Plus a mesma câmera "Action" do Motorola One Action, que nada mais é do que um conjunto de funções combinadas entre o hardware e o software que facilitam a captura de vídeos, como a estabilização eletrônica. Uma delas, por exemplo, é a possibilidade de gravar um vídeo horizontalmente com o celular posicionado na vertical. Moto G8 Plus terá três câmeras / WinFuture O G8 Plus deve herdar o mesmo sensor de 48 MP do One Vision, indicando que o software deve trazer um modo noturno eficiente. O sensor secundário tem 16 MP e lente grande-angular para fotos e vídeos com campo de visão de 117°, além de um último sensor de 5MP voltado para otimizar a profundidade. Basicamente, o Moto G8 Plus será uma mistura entre o One Vision, One Action e até mesmo o Motorola One Zoom, ainda que sua capacidade de zoom digital possa ser menor em comparação com este último modelo. Moto G8 Plus será lançado este mês O Moto G8 Plus foi homologado há um certo tempo na Anatel, em meados de setembro, indicando que a empresa já pretendia lançá-lo no país ainda este ano. A fabricante tem um evento marcado para o dia 24 de outubro, em São Paulo, onde é esperado que o G8 Plus seja anunciado junto ao Moto G8 Play, o Moto G8 e o Motorola One Macro. Há ainda rumores sobre a chegada do Moto E6 Play durante o mesmo evento. Entre os documentos da homologação está a foto da bateria do dispositivo que tem capacidade de 4.000 mAh: Bateria do Moto G8 Plus / Anatel E aí, ansioso pelo lançamento do Moto G8 Plus? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Veja Mais

PF faz operação contra Unick Forex por pirâmide financeira com criptomoedas

PF faz operação contra Unick Forex por pirâmide financeira com criptomoedas

canaltech A Unick Forex é acusada de organização criminosa pela Polícia Federal. A instituição colocou em prática a operação Lamanai contra a companhia, acusada de montar esquema de pirâmide financeira. A companhia de São Leopoldo prometia a investidores o dobro do capital em seis meses além de pagamentos para quem convencesse novos participantes. Segundo a Receita Federal, a Unick Forex recebia até R$ 40 milhões por dia em transações com seus investidores. A Polícia Federal envolveu 200 agentes no trabalho para o cumprimento de 65 ordens de busca e apreensão Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo, Caxias do Sul, Curitiba, Bragança Paulista, Palmas e Brasília. Ainda há 10 mandados de prisão em andamento. Para a Polícia, a proposta da Unick Forex configura esquema de pirâmide já que novos investidores subsidiam remuneração de quem está há mais tempo com recursos na empresa. A companhia também é acusada sob suspeita de compra de criptomoedas para enviar dinheiro ao exterior, o que configura evasão de divisas. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- “O inquérito policial foi instaurado em janeiro deste ano e apurou que os clientes do grupo eram atraídos pela promessa de retorno na ordem de 100% sobre o valor investido, no prazo de seis meses. A captação de recursos estava estruturada em formato conhecido como de pirâmide financeira, em que os novos investidores subsidiam os pagamentos de remuneração daqueles que já aplicaram recursos há mais tempo”, explicou nota da Polícia. O presidente e fundador da Unick, Leidimar Lopes, está em Belize, país conhecido como paraíso fiscal, onde a companhia tem outra sede. O executivo já esta suspeito de esquema de pirâmide em outra empresa, chamada Phoner, cujo CNPJ também foi usado para fundar a Unick. A ação já era prevista, uma vez que neste ano, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) notificaram a empresa, exigindo a abstenção das atividades. Ao ser ignorado, o mesmo órgão também emitiu uma ordem de fim das operações, que também não foi respeitada. Com isso, a CVM chegou a emitir alertas no mercado apontando a Unick como empresa de pirâmide financeira. Sem conseguir pagar as dívidas, entrou com pedidos de reestruturação financeira e apontou que tinha sofrido um golpe de desvio de mais de US$ 1 bilhão. Além das acusações de esquema de pirâmide financeira e evasão de divisas, a empresa também pode responder por lavagem de dinheiro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Controle do Stadia não funcionará sem fio em outros aparelhos no lançamento

Controle do Stadia não funcionará sem fio em outros aparelhos no lançamento

canaltech A Google anunciou uma decisão estranha sobre o controle do Stadia, seu serviço de jogos por streaming a ser lançado em novembro. O acessório só será compatível por conexão sem fio ao Chromecast Ultra no lançamento. A informação veio de uma imagem da apresentação da Google durante o lançamento do Pixel 4, nesta terça. Um usuário do Reddit percebeu que a companhia adicionou uma observação em um dos vídeos do produto, indicando que ele não funcionaria em outros aparelhos. Parte da transmissão em que a Google informa sobre a limitação (Foto: Divulgação/Google) “No lançamento, a utilização sem fio do controle do Stadia só estará disponível na TV usando um Chromecast Ultra”, diz o texto oficial. Depois de levantada a polêmica, a gerente de comunidade, Grace Yang, conhecida como GraceFromGoogle, confirmou a informação. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Os usuários se mostraram confusos sobre dois pontos. O primeiro é se apenas o Chromecast funcionaria com o controle do Stadia no modo sem fio. Já o segundo se o joystick não seria realmente compatível com outros dispositivos. “As duas afirmações estão corretas”, afirmou a gerente. Ou seja, o acessório só vai mesmo funcionar no dongle da Google. Outro dado apresentado oficialmente por Yang é de que o acessório poderá ser usado em PCs, mas via cabo. “Quando você ligar com um cabo USB, o controle do Stadia se comporta como um controle USB HID padrão e pode funcionar em outras plataformas a depender do jogo ou configuração”, completou. A Google, contudo, ainda não disse o motivo da limitação, já que, ao usar Bluetooth, não seria necessário excluir outros dispositivos. Ao site The Verge, a companhia disse que está focando o desenvolvimento para que o controle sem fio funcione bem primeiro na TV. O sistema do Stadia permite configurar o áudio do serviço via Bluetooth, mas a emissão de sinal acontece via wi-fi, o que pode dificultar a maleabilidade em outros dispositivos. A boa notícia é que isso significa que a compatibilidade com outras plataformas deve chegar em breve ao controle. Atualmente, joysticks do Xbox One, PlayStation 4 e até os joy-cons do Nintendo Switch são compatíveis com games no PC. Anunciado no meio do ano, o Stadia é um serviço de jogos por streaming, cujo processamento é feito em nuvem. Ou seja, deve exigir uma internet boa para funcionar, mas não um hardware potente. A plataforma chega ao mercado em 19 de novembro em 14 países, sendo que o Brasil não está na lista. Contudo, se você quiser saber se nosso país tem infraestrutura para receber o Stadia, conversamos com especialistas da Cisco sobre o assunto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Streaming | Sony promete levar usuário para um show sem tirar os fones

Streaming | Sony promete levar usuário para um show sem tirar os fones

canaltech Em uma aposta arriscada, mas ousada, a Sony traz para o mercado de streaming sua tecnologia sonora imersiva, o 360 Reality Audio, nas próximas semanas, com 1.000 faixas iniciais. Para a invenção que promete recriar a experiência de ouvir música ao vivo, serão apresentadas canções que vão de Billy Joel, Bob Dylan a CHARLI XCX, disponíveis via Tidal, Amazon Music HD, Deezer e Nugs.net. Por enquanto, o Spotify não suporta a novidade. Nas 1.000 faixas trabalhadas pela Sony, o áudio estéreo convencional é convertido em uma experiência sonora espacial, onde os instrumentos são transformados em “objetos” independentes. Cada um desses sons poderá ser reproduzido em qualquer ponto ou distância dos ouvidos, proporcionando assim uma experiência de áudio 360 graus. A empresa afirma que novas música serão incluídas no futuro, inclusive de outros selos musicais como Warner e Universal. Nova tecnologia da Sony promete que os usuários sintam como se estivessem em um show As faixas do 360 Reality Audio poderão ser ouvidas em qualquer fone de ouvido e os aplicativos de streaming participantes no Android e iOS. No entanto, para experiências personalizadas será preciso o uso com os headphones da Sony que, via aplicativo móvel, poderão ser “ajustados” em seus ouvidos. Com uma foto dos seus ouvidos, os algoritmos da Sony programarão uma forma de transmitir os sons adaptada às características do usuário. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A empresa japonesa, em parceria com a Amazon e o Google, irá fornecer conteúdo 360 Reality Audio no Echo Studio e no Chromecast. "A primeira vez que ouvimos uma demo [do 360 Reality Audio], ficamos muito impressionados", disse Tapas Roy, chefe de engenharia da Amazon para o Echo Studio, no evento (15) que anunciou a novidade. Os arquivos do 360 Reality Audio serão compatíveis com o padrão aberto MPEG-H 3D Audio. Agora, é esperar para ouvir e descobrir o quão bem o 360 Reality Audio funcionará em diferentes tipos de fones de ouvido. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência O Google e o seu parquinho de Tecnologia onde (quase) ninguém brinca Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Samsung lança patch que corrige falha grave no leitor de digitais do Galaxy S10 Veja Mais

Apple TV 4K tem um conector Lightning escondido, mas ninguém sabe por que

Apple TV 4K tem um conector Lightning escondido, mas ninguém sabe por que

canaltech Um conector Lightning foi encontrado na porta Ethernet (a saída de rede) do Apple TV 4K. Porém, segundo informa o Apple Insider, ninguém parece ter a menor ideia de qual serventia ele tem. A descoberta foi feita por Kevin Bradley, especialista em hardware da Apple para a comunidade global de reparos IFixIt, em 2017, e novamente tocada por ele em um tuíte publicado em sua conta oficial na data de ontem (17). Bradley sugeriu que o ponto de conexão pode ser usado para ganhar acesso à firmware do Apple TV 4K, o que poderia trazer potencial para um jailbreak. O especialista, porém, jogou um balde de água fria em seus leitores: diferente do que se vê com o iOS no iPhone, “liberar” um Apple TV 4K traz pouco ou nenhum benefício, haja vista que as mudanças possíveis por essa ação não são numerosas. Especialista de hardware Kevin Bradley encontrou um conector secreto Lightning dentro do Apple TV 4K, lançado há dois anos: com propósito desconhecido, descoberta gerou teorias de qual seria a sua função (Foto: Kevin Bradley/nito.tv) O acesso não foi visto anteriormente porque a Apple, inteligentemente, disfarçou o conector com uma espécie de painel acrílico. Levantá-lo com a ferramenta certa é que revela o ponto, mas segundo outro especialista, Steven Barker, um cabo Lightning comum não entraria — seria necessário um conector específico. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Já o desenvolvedor Steven Thoughton-Smith acredita que o conector em questão é usado para debug de hardware. Isso bate com um histórico da Apple de esconder conexões em vários de seus dispositivos a fim de rodar diagnósticos avaliativos de cada produto: versões anteriores do Apple Watch, por exemplo, contavam com uma entrada escondida dentro do conector onde o usuário trocava e encaixava novas pulseiras. O Apple TV 4K foi lançado há mais de dois anos, mas a descoberta de um conector secreto o coloca novamente sob os holofotes da internet: o que você acha que ele faz? Conte para nós nos comentários abaixo! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas Veja Mais

Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas

Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas

canaltech Na segunda-feira (14), a Disney mostrou que não está para brincadeira com sua plataforma de streaming e vem para brigar de frente com a Netflix. A companhia tuitou mais de 600 vezes para mostrar a grande quantidade de títulos disponíveis no lançamento, com clássicos da animação, como Branca de Neve e Os Sete Anões, passando por Star Wars, até os filmes mais recentes do Marvel Studios, como Capitã Marvel. Nesta sexta-feira (18), a companhia do Mickey foi além e criou um vídeo de nada menos do que três horas e 18 minutos com clipes de 15 segundos de cada atração oferecida no lançamento do serviço. O que chama a atenção são alguns títulos obscuros, alguns dos quais nem devem ter sido exibidos no Brasil — ou sequer eram lembrados nos Estados Unidos. A maioria envolve algum animal, como The Million Dollar Duck (1971), Justin Morgan Had a Horse (1972), The Shaggy D.A. (1976), The Cat From Outer Space (1978) e outras pérolas. A longa prévia está logo abaixo, dá até comer uma pipoquinha enquanto você assiste. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.-   O Disney+ estreia no dia 12 de novembro, a US$ 7 mensais. Enquanto não chega ao Brasil, o que deve acontecer em 2020, parte desse conteúdo será exibido por aqui via Amazon Prime Video. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Microsoft assume que Android é a melhor opção para o smartphone Surface Duo

Microsoft assume que Android é a melhor opção para o smartphone Surface Duo

canaltech No início deste mês de outubro, a Microsoft revelou a sua volta ao mercado dos smartphones apresentando o Surface Duo. O que não retorna, no entanto, é o sistema operacional da companhia para dispositivos móveis, fazendo então com que o Android chegue para o novo aparelho. A rivalidade entre a Microsoft e o Google foi deixada de lado para poder levar o sistema operacional até o Surface Duo, fazendo com que o aparelho seja o primeiro da gigante da tecnologia a funcionar com Android. Panos Panay, diretor de produtos do setor de dispositivos da Microsoft, revelou que a melhor opção para este produto (Surface Duo) é, de fato, o Android. Imagem: Reprodução O Surface Duo deve chegar, como não poderia deixar de ser, com os aplicativos do pacote Office pré-instalados. O smartphone conta com duas telas de 5,6 polegadas cada, capazes de fazer uma rotação de 360 graus, além de processador Snapdragon 855, da Qualcomm. O lançamento está programado para algum momento do ano que vem. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Veja Mais

Site está recrutando fãs da Disney para ganhar dinheiro assistindo a 30 filmes

Site está recrutando fãs da Disney para ganhar dinheiro assistindo a 30 filmes

canaltech O site Reviews.org está com uma vaga aberta para o que pode ser, para muitos, o emprego dos sonhos. Com o lançamento próximo do Disney+, a plataforma de streaming da Disney, a empresa busca por alguém que esteja disponível para assistir a 30 de seus filmes preferidos da Disney, durante um período de 30 dias, recebendo um total de US$ 1.000. "Não, não estamos loucos. Estamos apenas tão empolgados com o lançamento do Disney+ no dia 12 de novembro de 2019 que estamos selecionando um fã da Disney para nos ajudar a celebrar", diz o anúncio. Quem pode se candidatar e quais são os benefícios Para participar do processo de seleção, no entanto, é preciso atender a alguns quesitos que, infelizmente, vai deixar os brasileiros de fora, a não ser que você tenha um Green Card. Pode se inscrever quem tiver mais de 18 anos e for cidadão dos Estados Unidos ou residente permanente, ou seja, estiver no país de forma legal. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Além do pagamento de US$ 1.000, o escolhido irá ganhar um ano gratuito de assinatura do Disney+ e um kit com um cobertor personalizado, quatro copos do Mickey, e uma máquina de estourar pipoca da Pixar. Imagem: Reprodução Inscrição Se você se encaixa nos requisitos, tem até o dia 7 de novembro para fazer a sua inscrição neste link. Boa sorte! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Veja Mais

Bateria do smartphone durando 4 VEZES MAIS? É possível, e custa baratinho!

Bateria do smartphone durando 4 VEZES MAIS? É possível, e custa baratinho!

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Esta matéria é fruto de uma parceria com o Magazine Luiza e traz uma oferta especial para os leitores do Canaltech. Saiba tudo sobre a loja Magazine Você no vídeo que gravamos na sede do Magalu:   Você ainda não se rendeu à praticidade dos power banks? Então imagino que você seja aquele tipo de pessoa que ou está sempre procurando uma tomada para plugar seu carregador, ou acaba pedindo para os amigos um carregador portátil emprestado. Mas seus problemas acabaram: chegou a hora de comprar seu próprio power bank, e estamos falando de um aparelho de qualidade, pois a fabricante dele é ninguém menos do que a Samsung. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Afinal, as baterias "eternas" de grafeno ainda são apenas um conceito, então por enquanto temos que nos contentar com as baterias de íons de lítio mesmo. E, ainda que existam dicas de como cuidar da bateria de seu smartphone para que ela dure o máximo possível, é fato que esses componentes acabam tendo a vida útil reduzida após um tempo de uso — então os power banks acabam fazendo o papel de melhores amigos nessas horas. Dois modelos da Samsung estão com preços excelentes no Magazine Luiza, e você confere um pouco sobre eles logo abaixo. Power Bank Samsung EB-P1100CSPGBR 10.000 mAh Este power bank conta com as tecnologias AFC (Adaptive Fast Charging) e Quick Charge 2.0 para que o carregamento da bateria seja ainda mais veloz, e o aparelho ainda oferece proteção contra sobrecarga de corrente para que você fique tranquilo ao carregar seus aparelhos sem se preocupar com qualquer dano que possa ser causado ao smartphone. Ainda, graças às duas portas presentes, a bateria portátil carrega dois dispositivos ao mesmo tempo, o que é ainda mais conveniente no dia a dia. Isso porque a bateria é compatível com vários dispositivos tanto da Samsung quanto de outras marcas, desde que usem conexão USB. Então, você carrega smartphones e vestíveis, como smartwatches, à vontade. A capacidade do power bank é de nada menos do que 10.000 mAh, e o produto, além de tudo, é fino, leve e ergonômico, pesando apenas 220 gramas e medindo 9,57 cm de largura, por 24,3 de altura e 2,96 cm de profundidade. Na promoção imperdível do Magalu, este power bank Samsung está custando só R$ 99 e o frete é grátis, ainda por cima. Na loja oficial da marca, o preço é de R$ 199, então está valendo muito a pena mesmo! Power Bank Samsung EB-U1200CPPGBR 10.000 mAh Outra opção também com 10.000 mAh de capacidade é esta aqui, com a diferença de que este outro modelo permite o carregamento por indução, livre de fios. Então, dispositivos compatíveis com a tecnologia Qi podem ser usados aqui, como é o caso dos Galaxy S10 lançados neste ano, além do smartwatch Galaxy Watch Active. Mas o carregador também funciona em dispositivos de outras marcas, desde que sejam compatíveis com tal tecnologia. Também são compatíveis iPhone 8, iPhone X, iPhone XR, iPhone XS e iPhone XS Max. O aparelho também oferece carregamento rápido por meio da tecnologia Fast Wireless Charging, e você pode carregar até dois aparelhos simultaneamente. É só plugar um deles na porta USB-C enquanto o outro fica apoiado em cima do power bank para ser carregado sem fios. Prático, não? Este modelo está custando R$ 169 à vista ou em 4x sem juros na promoção do Magazine Luiza, e o frete também é grátis! Ah, o preço dele na loja oficial da Samsung é de R$ 319, então olha só que ótimo negócio! *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no WhatsApp e também do grupo no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. O que é o Magazine Você? Acessou os links e não entendeu o que é o Magazine Você? Trata-se do canal de divulgação das ofertas do site Magazine Luiza, conforme consta em comunicado oficial. Somos um dos parceiros oficiais de divulgação e nossa loja chama-se Magazine Canaltechbr. Todo o processo de cobrança, faturamento e logística é feito pelo próprio Magazine Luiza que, além do site, possui mais de 900 lojas físicas espalhadas pelo Brasil. Uma dúvida comum de nossos leitores é o motivo dos preços em nossa loja serem muitas vezes diferentes dos anunciados no site principal do Magazine Luiza. O motivo é que o Magazine Você recebe ofertas exclusivas que não são divulgadas no site principal. Então aproveite as promoções e acesse nossa loja para garantir ofertas exclusivas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Navegador Tor falso já roubou US$ 40 mil em Bitcoins

Navegador Tor falso já roubou US$ 40 mil em Bitcoins

canaltech Um golpe virtual está usando uma versão falsa do navegador Tor para roubar Bitcoins de usuários da deep web. De acordo com informações dos especialistas em segurança da ESET, pelo menos US$ 40 mil em moedas virtuais já teriam sido desviadas pelo método, com o browser se fazendo passar pela edição oficial em russo do software e prometendo uma série de regalias tradicionais de privacidade, mas fazendo exatamente o oposto. O golpe é relativamente simples. O navegador Tor é requisito indispensável para acesso à deep web, com sua versão falsa funcionando como qualquer browser desse tipo. O golpe acontece no momento em que o usuário vai transferir fundos para um contato ou realizar uma compra — de forma sorrateira e sem que a vítima perceba, as carteiras destinatárias são substituídas por endereços sob o controle dos criminosos, com o dinheiro indo diretamente para as mãos deles. O golpe estaria acontecendo desde o final de 2017, com anúncios e postagens sendo feitos na superfície da web. O browser malicioso também receberia atualizações constantes dos criminosos, a partir de sites que simulam os oficiais do Tor, como forma de burlar outros dispositivos de segurança que estejam disponíveis na máquina ou sistemas de proteção de sites que utilizam criptomoedas para pagamento. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Páginas de download de versão falsa do Tor simulava as reais e praga tinha até mesmo atualizações para evadir detecção (Imagem: Divulgação/ESET) O foco, claro, são usuários na Rússia, mas as vítimas estariam espalhadas pelo mundo, principalmente entre os falantes da língua do país. Até o momento em que a ESET divulgou a falha, os golpistas já teriam obtido 4,8 Bitcoins a partir de três endereços de carteiras que foram identificadas como participantes do crime. Os especialistas, entretanto, não descartam que outros grupos possam fazer parte do esquema ou que, com a divulgação, os hackers modifiquem suas credenciais para que o golpe continue a passar despercebido. Os responsáveis pela descoberta chamam a atenção para a engenhosidade do truque, capaz até mesmo de enganar usuários avançados. Afinal de contas, a instalação de malwares que trocam endereços de carteiras pode ser comum, mas também facilmente identificável e evitado por quem sabe o que está fazendo. No entanto, a implementação de um browser inteiro para esse fim específico não é, e, por isso, mesmo, gente com conhecimento de causa pode estar sendo vítima do golpe. A recomendação de segurança, entretanto, é das mais básicas: preste atenção nos links de download que são acessados. Evite baixar soluções a partir de compartilhamentos feitos por terceiros e procure sempre os sites oficiais para obter softwares e suas atualizações. Além disso, caso note qualquer comportamento suspeito, interrompa o uso e faça uma verificação de segurança para identificar eventuais problemas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta Veja Mais

Mão robótica resolve Cubo Mágico sozinha

Mão robótica resolve Cubo Mágico sozinha

canaltech Mãos humanas são capazes de resolver uma infinidade de tarefas, de forma simples e rápida. No entanto, reproduzir esses movimentos a partir de um robô tem exigido o desenvolvimento de máquinas específicas para cada função realizada, como abrir uma porta. Como alternativa, os cientistas passaram décadas, tentando desenvolver um hardware robótico para uso geral, mas com sucesso limitado. Já a nova mão robótica, que resolve o problema do cubo mágico em 60% das tentativas, é um ponto fora da curva nessa história. A invenção do laboratório de inteligência artificial OpenAI, baseado em São Francisco, se destaca por uma nova abordagem do software, já que o hardware utilizado na mão do robô foi desenvolvido há mais de 15 anos. Um par de redes neurais foi treinado para resolver o desafio do cubo, inteiramente por meio de simulações, o que permitiu que o sistema pudesse lidar com situações inusitadas, como ser estimulado por uma girafa de pelúcia. Processo de aprendizado de mão robótica (Fonte: OpenAi) Desde maio de 2017, a equipe de São Francisco tenta treinar uma mão robótica humana para resolver um Cubo Mágico. A escolha do desafio não foi aleatória, afinal os pesquisadores acreditam que o treinamento bem-sucedido de uma mão robótica para realizar tarefas complexas, que exigem manipulação, estabelece novas bases para robôs de uso geral. Em julho do mesmo ano, a mão conseguiu resolver o problema em uma simulação. Mas, a partir de julho de 2018, ela foi possível manipular objetos físicos, etapa importante para resolver o problema hoje. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Resolver um cubo mágico com a mão de um robô ainda é difícil. Atualmente, o método resolve o cubo com 20% das vezes, nos desafios mais difíceis, que exigem cerca de 26 rotações. Nas rodadas mais simples que exigem até 15 rotações, a taxa de sucesso é de 60%. Por exemplo, a mão robótica fracassa quando o tempo limite estipulado é atingido. No entanto, a rede consegue resolver o cubo mágico a partir de qualquer condição inicial. Portanto, se o cubo cair, é possível colocá-lo novamente na mão do robô para que ele resolva. A nova abordagem As redes neurais do robô foram treinadas em simulações, utilizando entre suas técnicas, o aprendizado por reforço. Nesse processo, o maior desafio foi criar ambientes de simulação diversificados o suficiente para capturar as possibilidades do mundo real. Fatores como atrito, elasticidade e dinâmica são incrivelmente difíceis de medir e modelar para objetos tão complexos, como esses cubos ou mãos robóticas. A equipe também percebeu que a simples aleatorização das adversidades por si só não é suficiente. Para superar essa barreira, desenvolveram o método chamado Random Domain Randomization (ADR), que gera infinitamente ambientes progressivamente mais difíceis na simulação, a medida que as “fases” vão sendo passadas. Assim, o ADR começa com um ambiente único e não aleatório, em que uma rede neural aprende a resolver o cubo.   À medida que a rede neural melhora e atinge um limite de desempenho, a quantidade de randomização, que inclui novos elementos, aumenta automaticamente. Isso dificulta a tarefa, já que a rede neural deve agora aprender a generalizar para ambientes mais aleatórios. A rede continua aprendendo até que exceda novamente o limite de desempenho, quando mais uma randomização entra em ação e o processo é repetido. Um dos parâmetros que randomizamos é o tamanho do cubo, o que altera diretamente sua dificuldade. Para os novos desafios, foram aplicados os outros parâmetros, como diferentes massas para o cubo, níveis de fricção dos dedos do robô e novos materiais visuais da superfície da mão. A rede neural, portanto, precisa aprender a resolver o cubo sob essas condições cada vez mais difíceis e, dessa forma, vão armazenando memórias. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Veja Mais

Exército dos EUA deixará de usar disquetes para ordenar ataques militares

Exército dos EUA deixará de usar disquetes para ordenar ataques militares

canaltech Acredite se quiser, mas o Exército dos Estados Unidos, considerado o mais poderoso e bem equipado do mundo, ainda fazia uso de disquetes de 8 polegadas e um computador dos anos 70 para coordenar ordens de lançamento nuclear que viessem diretamente do presidente. Porém, finalmente este equipamento foi substituído. Agora, o comando estratégico dos EUA anunciou que usará "solução de armazenamento digital de estado sólido altamente segura", segundo palavras do tenente-coronel Jason Rossi, ao site ao c4isrnet Há um motivo: segurança O armazenamento é usado em um sistema antigo chamado SACCS — Strategic Automated Command and Control System (ou Sistema Estratégico de Comando e Controle Automatizado na tradução livre). Ele é usado pelas forças nucleares dos EUA para enviar mensagens de ação de emergência dos centros de comando para as forças de campo e é basicamente inatacável. A razão: foi criado muito antes da existência da Internet. "Você não pode invadir algo que não tem um endereço IP. É um sistema único — é antigo e é muito bom", afirmou Rossi. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- O Departamento de Defesa planejava substituir o antigo computador IBM Series/1 SACCS e "atualizar suas soluções de armazenamento de dados, processadores de expansão de portas, terminais portáteis e terminais de desktop até o final do ano fiscal de 2017", informou o Departamento em 2016. A Força Aérea não revelou se esse projeto está completo, mas disse que aprimorou a velocidade e a conectividade do SACCS. Imagem: Robert Gauthier/Getty Images Apesar da idade do sistema, a Força Aérea está confiante em sua segurança e tem um bom controle sobre sua manutenção. Por outro lado, a instalação de um sistema totalmente novo não é tão fácil quanto parece. "Você deve ser capaz de certificar que um adversário não pode assumir o controle dessa arma, que ela poderá fazer o que deve fazer quando a chamar", disse o presidente do Conselho Científico da Força Aérea, Dr. Werner. JA Dahm, ainda em 2016. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta

Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta

canaltech Cientistas detectaram um comportamento estranho no sistema estelar HD 139139, também conhecido como EPIC 249706694. Na verdade, trata-se de um par de estrelas localizadas a 360 anos-luz de distância da Terra, na constelação de Libra, e elas intrigam os astrônomos há algum tempo por causa de suas mudanças aleatórias no brilho observado por nós. Antes de encerrar sua missão, o telescópio espacial Kepler observou essa estrela e detectou 28 quedas de brilho num intervalo de 87 dias. Poderia ser o trânsito de um exoplaneta, se não houvesse ali quedas de brilho totalmente aleatórias, sem nenhuma precisão nos intervalos de tempo. Esse fenômeno é conhecido como “Random Transiter”, ou seja, supõe-se que a diminuição do brilho seja causada por algum objeto que transita de forma randômica por ali. Um caso como este ficou famoso em 2015, quando astrônomos descobriram uma estrela com um comportamento semelhante — a Estrela de Tabby. Astrônomos como Jason Wright, da Universidade Estadual da Pensilvânia, sugeriram que a construção de megaestruturas alienígenas poderia explicar a estranha queda no brilho, mas, claro, nada disso foi comprovado. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Conceito artístico da megaestrutura alienígena que causaria o Random Transiter em uma estrela (Imagem: Danielle Futselaar/METI International) Ainda assim, alguns desses mesmos pesquisadores estão verificando o Random Transiter da HD 139139 para encontrar possíveis sinais de vida, ou pelo menos alguma tecnologia alienígena. "O mistério por trás da origem desses eventos torna esse sistema um alvo interessante para buscas de assinaturas tecnológicas", diz um artigo escrito por pesquisadores do projeto Breakthrough Listen, da Universidade da Califórnia, publicado no Research Notes da American Astronomical Society. Então, a equipe usou o Green Bank Radio Telescope para verificar as emissões de rádio do intrigante sistema estelar. Depois de captar três sessões de cinco minutos, não havia nenhum sinal de vida ou tecnologia. "Não detectamos evidências de tecno-assinaturas no EPIC 249706694", escrevem. Isso diminui bastante o entusiasmo dos caçadores de vida inteligente fora da Terra, mas o mistério do Random Transiter permanece. As possíveis explicações incluem uma enorme quantidade de até 28 planetas na órbita da estrela, sendo que aguns desses mundos estariam extremamente próximos, girando em torno das duas estrelas em algum padrão indetectável. Ou também poderia haver um cinturão de poeira e detritos causando o fenômeno, ou outros objetos interestelares ali ao redor. Embora essas explicações não sejam suficientes e deixem mais perguntas do que respostas, a teoria de uma megaestrutura alienígena também não é satisfatória, e essa ideia fica ainda menos provável com a nova pesquisa. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil

Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil

canaltech O Mega, um dos principais sites de downloads do mundo, já pode ser acessado novamente do Brasil. Os responsáveis pelo serviço obtiveram sucesso em um apelo para que o serviço fosse restabelecido nas redes das quatro maiores operadoras de internet do país, depois que uma ordem judicial, publicada no final de setembro, pediu o bloqueio das páginas como parte de um processo que investiga violações de direitos autorais. A ação judicial teria sido movida pela ABTA (Associação Brasileira de Televisão por Assinatura) e envolveria não apenas o Mega, mas também outros nove sites, incluindo nomes reconhecidos como o VeryStream. Todos, afirmam um processo que corre em segredo de justiça, conteriam links e materiais protegidos por copyright e, como indica a existência de uma ordem de bloqueio, teriam falhado em retirar tais páginas do ar após um pedido dos detentores. Não é bem assim, de acordo com porta-voz do serviço de downloads. Em entrevista ao TorrentFreak, o diretor do Mega, Stephen Hall, disse que a plataforma foi bloqueada pela existência de um único link irregular em seus domínios e que jamais foi notificada sobre ele. Além disso, o executivo afirma que o processo, em andamento desde janeiro de 2019, passou a incluir a empresa somente em setembro deste ano, sem que houvesse tempo para notificação e tomada de atitude quanto ao suposto conteúdo pirateado. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Foi com base nisso que, segundo ele, o Mega apelou à justiça brasileira para restabelecer o acesso, enquanto os outros domínios, pelo menos até o momento em que essa reportagem é escrita, permanecem indisponíveis. O bloqueio atinge clientes das quatro principais provedoras de internet do país (Claro, Vivo, Oi e Algar Telecom) como forma de garantir a proteção aos direitos autorais dos atingidos pela divulgação de conteúdos irregulares. Como o processo corre em segredo de justiça, entretanto, não dá para saber exatamente quais empresas, entre as representadas pela ABTA, são as solicitantes, nem o material específico que está sendo alvo das disputas. No caso do Mega, porém, Hall disse acreditar que a inclusão da plataforma no processo foi equivocada, como o aceite do apelo para restabelecimento do acesso demonstrou. Além disso, a empresa disse trabalhar ativamente na remoção de conteúdos protegidos de seus sistemas e ser contra qualquer quebra de copyright. Passado turbulento O empreendedor Kim Dotcom é um dos criadores do Mega, mas não tem mais vínculo algum com a empresa e, inclusive, faz questão de a criticar publicamente Inicialmente lançado como um sucessor espiritual do Megaupload, esse sim fechado após sucessivas notificações de direitos autorais, o Mega é originário do trabalho de Kim Dotcom, o empreendedor digital neozelandês que vive em conflito com a justiça justamente por ser acusado de facilitar a violação de direitos autorais. Ele não tem mais qualquer ligação com a plataforma que ajudou a criar e, inclusive, a critica publicamente nas redes sociais, afirmando que ela é um acessório para espionagem e obtenção de dados dos usuários por agências oficiais. Informações desencontradas ainda apontam que o bloqueio recente ao Mega já viria acontecendo desde meados de setembro, quando tweets do próprio serviço pediam providências à Vivo publicamente. Dias mais tarde, a aplicação do bloqueio foi confirmada pelas empresas de telefonia, com o impedimento acontecendo por meio de DNS, um método facilmente burlável e que, para usuários avançados, serviu apenas como um obstáculo fraco para acessar a plataforma. Em alguns casos, houve também a proibição do acesso por meio de IPs nacionais, algo que também poderia ser resolvido com o uso de VPNs. Aos usuários que ainda estejam tendo dificuldades para acessar o Mega, o serviço recomenda o contato com o fornecedor de internet em busca de soluções. Segundo a empresa, o Brasil representa cerca de 10% de todo o tráfego da plataforma, sendo o maior país do mundo em volume de acessos. Não é à toa que as atitudes foram tomadas rapidamente para que os problemas fossem solucionados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

NASA quer enviar rover para "farejar" água no polo sul da Lua em 2022

NASA quer enviar rover para

canaltech Apesar de ainda ser um conceito no papel, o veículo robótico Volatiles Investigation Polar Exploration Rover, ou apenas VIPER, deverá ser lançado ao polo sul Lua em 2022 pela NASA, com o objetivo de "farejar" água por lá. Se tudo der certo, este será o primeiro rover do tipo capaz de caçar água e outros voláteis em nosso satélite natural. Um dos objetivos é entender como a água chegou à Lua, talvez fornecendo insights para entendermos como a água chegou aqui na Terra, também. Ainda, outra ideia é encontrar mais e mais fontes de água lunar para que futuros exploradores possam produzir combustível e até mesmo água potável quando já estivermos explorando a Lua de maneira contínua. Por isso, é preciso descobrir exatamente onde está localizada toda a água na Lua, e o VIPER foi projetado para fazer exatamente isso — não somente no polo sul, onde ele pousará, como em toda a superfície lunar, trabalhando em conjunto com as sondas orbitais que estão por lá. "A ideia é que essa missão seja uma parte muito importante da busca por voláteis, procurando esses recursos potenciais na superfície lunar", disse Debra Needham, cientista planetária da NASA. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Somente na última década que a ciência confirmou a existência de água congelada na Lua, e devemos lembrar que, apesar de nosso satélite natural ser bastante estudado por sondas orbitais e observatórios terrestres, desde a Apollo 17, em 1972, pessoas não andam por lá. Por isso uma missão exploratória como a do VIPER é tão importante, já antecipando a chegada de novos astronautas com o novo programa Artemis, o que deve acontecer em 2024. Nada de dormir durante a noite lunar! Rover chinês Yutu-2, que está no momento explorando o lado afastado da Lua com a missão Chang'e 4 (Foto: CNSA) Rovers lunares como o soviético Lunokhod 2 e os chineses Yutu "dormem" durante as duas semanas terrestres que representam a noite lunar. Contudo, o VIPER será projetado para suportar as dramáticas variações de temperatura entre noite e dia — por lá, as temperaturas variam de cerca de -180 graus Celsius durante a noite para aproximadamente 120ºC durante o dia. Needham confirma que "uma das maiores tecnologias que precisam ser desenvolvidas é a capacidade de [o rover] sobreviver e operar durante a noite lunar". Afinal, sem "dormir" o robô será capaz de dobrar suas observações, fornecendo mais dados em menos tempo. Ainda, a exploração em tempo real pode fornecer dados científicos sobre fenômenos que não são observáveis durante o dia lunar. Além de "farejar" água e voláteis, o VIPER também será capaz de perfurar o regolito lunar com uma broca projetada para atingir cerca de 1 metro de profundidade, para, literalmente, cavar a fundo e estudar a composição da Lua de maneira sem precedentes. 2022 parece um prazo bastante apertado para o lançamento de um rover tão "diferentão" que ainda está no papel, mas estamos todos torcendo para que a NASA consiga desenvolver o VIPER em tempo para lançá-lo em três anos, certo? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Novo exame que identifica o vírus da Zika deve ajudar as políticas públicas

Novo exame que identifica o vírus da Zika deve ajudar as políticas públicas

canaltech A microcefalia, embora seja o principal problema causado pelo vírus da Zika, é a ponta de um iceberg pouco conhecido. Com sintomas genéricos, como vermelhidão pelo corpo e febre baixa, até hoje não se sabe a real dimensão da epidemia no Brasil pela carência de dados. Por isso mesmo, novos exames sorológicos que detectam a presença de anticorpos contra o vírus, com maior precisão, são tão importantes. Aprovado para comercialização, o novo exame desenvolvido pela empresa AdvaGen Biotech é mais eficiente porque apresenta uma capacidade maior em identificar se o indivíduo foi infectado, mesmo após o término da fase aguda da doença. Além disso, tem alta precisão, inclusive em pacientes que já tiveram dengue ou febre amarela, situações em que outros exames podem resultar um falso positivo. Durante a fase de testes, o método foi aplicado em mais de 3 mil mulheres de diferentes partes do país, principalmente em áreas de alto risco de dengue, como São Paulo, Bahia e Goiás. O foco em mulheres, principalmente mães, acontece porque gestantes podem ter contraído o vírus, sem identificar a infecção, o que poderá afetar seus filhos no futuro. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Isso significa que “muitas das crianças que nasceram sem microcefalia podem vir a apresentar disfunções que só serão percebidas a partir da idade escolar”, afirma Edison Luiz Durigon, pesquisador do ICB-USP e um dos responsáveis pelo desenvolvimento do novo teste. Entre as complicações percebidas ao longo do desenvolvimento, estarão o déficit cognitivo e as dificuldades motoras. Por isso, o novo teste deve ser estratégico na formulação de políticas públicas. Mosquito vetor do vírus da Zika Como funciona o novo teste? “O primeiro surto da doença no Brasil ocorreu em dezembro de 2015 e já em julho de 2016 foram colocados no mercado uns três testes sorológicos. Porém, eles são pouco específicos e podem dar um resultado falso positivo caso o indivíduo já tenha tido dengue ou outra doença cujo patógeno pertence à mesma família dos flavivírus. E isso era muito comum em várias regiões do Brasil em que a dengue é endêmica”, afirma Danielle Bruna Leal de Oliveira, pesquisadora do Laboratório de Virologia Clínica e Molecular do ICB-USP e coordenadora do projeto. Contornando a situação, os pesquisadores desenvolveram o teste sorológico para detecção da proteína viral à qual os anticorpos do tipo IgG (imunoglobulina G) aderem durante a infecção. Dessa forma, é possível identificar se a pessoa está imunizada, pois as proteínas permanecem no organismo anos após a infecção. A dificuldade da técnica, no entanto, estava no fato de a proteína viral ser muito parecida com as da dengue, zika e febre amarela. Assim, utilizaram no exame uma versão editada da proteína, apenas com o trecho da molécula que é específico para o zika. O exame foi desenvolvido em colaboração com pesquisadores do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo (ICB-USP) e do Instituto Butantan. O projeto contou com apoio da FAPESP e da Financiadora de Inovação e Pesquisa (Finep) por meio do Programa PAPPE/PIPE Subvenção. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Samsung Galaxy A30s chega oficialmente ao Brasil; veja o preço Veja Mais

Os melhores apps Android da semana (17/09/2019)

Os melhores apps Android da semana (17/09/2019)

canaltech Mais uma quinta-feira aí, e também mais uma da nossa costumeira seleção de aplicativos para Android. O Canaltech faz semanalmente esta curadoria e recomenda a você os melhores apps da semana, tudo para que seu Android seja aproveitado no máximo de seu potencial. Na seleção de hoje, temos efeitos animados em vídeos e fotos, games de franquias icônicas e até mesmo um professor de piano, caso você queira ser um gamer-lúdico-musicista-editor-midiático que concentra todo esse poder na palma da mão. Vamos à lista? The Walking Dead: Our World Quantas vezes você já se pegou assistindo a qualquer episódio de The Walking Dead e pensou: “se fosse eu, faria diferente”? Bom, aqui, você consegue levar isso à prova. Our World é um jogo feito aos mesmos moldes de Pokémon Go e Harry Potter: Wizards Unite, usando a sua localização e navegação para posicionar zumbis, reféns, espólios e refúgios, bem como diversas missões realizadas em conjunto com personagens reconhecidos da série, como Michonne, Daryll e Ezekiel. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Não tem o refinamento de detalhes que vemos nas produções da Niantic, mas é uma entrada até que divertida no setor. (Montagem: Rafael Arbulu) The Elder Scrolls: Legends Durante a E3 de 2019, a Bethesda anunciou a chegada do game mobile The Elder Scrolls: Blades — o problema: ele é um jogo consideravelmente pesado e não roda em smartphones intermediários. Então, sobrou para os fãs este jogo aqui, The Elder Scrolls: Legends, um game de batalha de cartas conduzido em turnos, posicionando monstros conhecidos e até mesmo os famigerados Daedras, as semi-divindades que causaram tantos problemas para os protagonistas durante o clássico Oblivion e várias missões do mais recente Skyrim, nos consoles. (Montagem: Rafael Arbulu) Piano by Yousician: Learn to Play the Piano Em algumas estações do metrô de São Paulo temos mostrar artísticas com pianos livres para os passageiros tocarem. Já pensou como seria bacana se você, sem aviso, se sentasse ao instrumento e desse um show para todos os transeuntes? Bem, o Piano by Yousician pode ajudar com isso: trata-se de um app contendo lições de piano — do nível mais básico ao mais avançado —, explicando de forma simplificada todas as notas e suas devidas aplicações, formatos e cadência de ritmo e ainda oferecendo um teclado virtual na tela do smartphone ou, caso você tenha algum teclado físico sobrando, acoplá-lo ao seu celular para tocar as lições da tela também é uma saída. (Montagem: Rafael Arbulu) LucidPix 3D Gerador de Fotos Se você acha que suas fotos, apesar de todos os megapixels do seu smartphone, necessitam de um toque mais artístico, então o LucidPix é para você: com ele você consegue inserir efeitos animados em fotos estáticas, dos mais variados tipos. O uso do app é gratuito e ele já vem com uma variedade razoável de efeitos e molduras criativas, mas é possível destravar mais opções ainda por meio de microtransações e, em alguns casos, assistindo a anúncios. (GIF: Rafael Arbulu/Canaltech)  Magi+ Magic Video Editor Na mesma linha do app anterior, o Magi+ cria efeitos especiais em vídeos que você registra com a câmera do seu smartphone. Os efeitos são criativos, com o diferencial de que a maioria é baseada em grandes filmes do cinema. Para fazer o seu, é bem simples: escolha o seu efeito e um guia mostrará a você como posar corretamente para a câmera. Dica: a experiência fica melhor com outra pessoa o filmando e você ficando com o corpo livre. Dessa forma, fica bem fácil se tornar algum herói da Marvel (há um efeito que “veste” em você a armadura do Máquina de Combate dos filmes) ou detonar a home page do Canaltech com aviões de caça, como você vê no gif abaixo. (GIF: Rafael Arbulu/Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Yahoo Grupos aceitará novas publicações até o dia 28 de outubro

Yahoo Grupos aceitará novas publicações até o dia 28 de outubro

canaltech Na última quarta-feira (16), o Yahoo anunciou que o sistema de fórum Yahoo Grupos está com os dias contados. Mas, após a repercussão da notícia, a companhia disse agora vai estender o prazo final para novas publicações em uma semana. De acordo com o anúncio inicial, novos tópicos e comentários seriam aceitos somente até o dia 21 de outubro, e no dia 14 de dezembro todo o conteúdo seria removido. Agora, o prazo final de publicação será no dia 28 de outubro, com o prazo de remoção permanecendo o mesmo. O Yahoo Grupos funcionou, por muitos anos, como um espaço de discussões sobre qualquer assunto — basicamente o que o Reddit é nos dias de hoje. A decisão de estender o prazo, segundo a companhia, aconteceu pela vontade de atender aos pedidos dos usuários, que vêm dando muitos feedbacks desde que a notícia do fim do Yahoo Grupos foi disseminada. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- No dia 14 de dezembro, o Yahoo dá adeus aos seguintes recursos do Grupos: Arquivos Enquetes Links Fotos Folders Calendário Base de dados Anexos Conversas Atualizações de e-mails Resumo de mensagens Histórico de mensagens No entanto, mesmo com o final da plataforma, usuários poderão continuar enviando e-mails aos seus grupos de forma privada, e o download do conteúdo poderá ser feito por completo. Mais informações estão disponíveis no comunicado oficial da plataforma. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Starlink pode lançar até 42 mil satélites de internet à órbita da Terra

Starlink pode lançar até 42 mil satélites de internet à órbita da Terra

canaltech Uma constelação de satélites abrigando cerca de 12 mil unidades já é bastante coisa, mas parece que os planos do projeto Starlink, da SpaceX, são ainda mais ambiciosos: a empresa registrou um pedido na International Telecommunication Union (ITU) para aumentar essa quantidade em mais 30 mil satélites de internet, com o objetivo de levar conexão de alta velocidade a toda e qualquer parte do mundo. O total, então, pode chegar a 42 mil novos satélites ao redor do nosso planeta. Contudo, não ficou claro quantos satélites a empresa de Elon Musk realmente pretende lançar, pois registrar o pedido na ITU é apenas um passo preliminar. Este órgão, que faz parte das Nações Unidas, gerencia o espectro global de radiofrequência via satélite e, caso a ITU aprove o pedido, a SpaceX então deverá esperar a aprovação da FCC, nos Estados Unidos, que regula as comunicações do país. Por enquanto, o Starlink já lançou os primeiros 60 satélites do projeto, perdendo contato com apenas três deles. O projeto, por sinal, é fundamental para as receitas da SpaceX, de acordo com declaração do próprio CEO, mas uma constelação tão grande de objetos ao redor da Terra preocupa astrônomos, pois tanto brilho adicional na órbita do planeta pode ter potencial de prejudicar observações científicas. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Abaixo, o vídeo mostra os primeiros satélites Starlink observados no céu noturno: É que os satélites já existentes na órbita por vezes são um problema para observatórios terrestres, e astrônomos estão sempre precisando dar um "jeitinho" com técnicas inteligentes para conseguir fazer suas observações. No momento, existem 5.162 objetos orbitando a Terra, mas, desse total, apenas 2 mil seguem operacionais, e menos de 9 mil foram lançados desde o início da Era Espacial no final da década de 1950. Ou seja: adicionar mais dezenas de milhares de satélites é algo sem precedentes, o que poderá marcar o fim da atividade de radiotelescópios por microondas instalados em Terra, que são capazes de detectar sinais fracos de rádio vindos do espaço. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Melhores playlists educativas do YouTube para ajudar na sala de aula

Melhores playlists educativas do YouTube para ajudar na sala de aula

canaltech O YouTube lançou, em julho deste ano, o recurso de playlists educativas com sequências de videoaulas de um mesmo canal, separados por categorias. Com essas listas de reprodução, alunos e professores podem estudar de forma mais organizada, o que é essencial para uma melhor absorção do conteúdo. Aqui no Brasil, essas listas de reprodução educativas já estão sendo criadas por vários canais de professores conhecidos, trazendo conteúdos extremamente importantes para as suas áreas, com todos os tem apresentados de uma forma bem didática. E para homenagear os professores, separamos algumas playlists com conteúdos bem interessantes que podem ajudar os professores na sala de aula, de diversas matérias. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Confira a lista: Curso Manual Maker - Manual do Mundo Nesta playlist educativa, o aluno vai aprender a manusear ferramentas, construir circuitos eletrônicos, criar projetos em arduíno, impressão 3D, corte a laser e muito mais! São 10 categorias com vários vídeos bem didáticos sobre o assunto para um melhor aprendizado dentro da sala de aula.   CURSO: HISTÓRIA DO BRASIL PELO BRASIL Os alunos também pode aprender sobre a história do Brasil no YouTube! Nesta lista de reprodução, você confere 15 videoaulas gravadas por todo o país pela Débora Aladim, exatamente nos locais onde os fatos aconteceram, apresentando lugares inéditos, museus, arquivos e muito mais conteúdos.   Radioatividade - Websérie Nesta playlist educativa sobre radioatividade, os professores mostram uma excursão pela vida e carreira de Marie Curie, responsável pela descoberta do fênomeno e de dois novos elementos químicos. Nos vídeos, o aluno vai aprender ainda quais são os efeitos da radiação no corpo, mutação genética e câncer.   BIOMAS DO BRASIL Na playlist de biologia, o Professor Jubilut vai mostrar a história dos biomas do Brasil percorrendo uma distância de aproximadamente 20 mil quilômetros, passando por regiões da mata atlântica, cerrado, pantanal, pampa, caatinga e amazônia.   Curso de Introdução à história da matemática grega pela geometria plana E também tem playlist para quem gosta de matemática. Nos vídeos do Professor Rafael Procopio, os alunos irão conferir uma introdução à história da matemática grega, abordando temas como triângulos, quadriláteros, pentágonos, pentagramas, hexágonos, círculos e circunferências.   Descomplicando a Astronomia Nesta playlist educativa com 11 vídeos, o objetivo é fazer com que o aluno descomplique o cosmos, entendendo como ele nasceu e evoluiu. Como o próprio professor explica: será uma "viagem pelos limites da existência".   Tem alguma playlist educativa interessante para sugerir? Deixe aqui nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Airbnb se depara com obstáculos que podem atrapalhar planos de abrir capital

Airbnb se depara com obstáculos que podem atrapalhar planos de abrir capital

canaltech Em setembro deste ano, o Airbnb anunciou que pretende abrir capital em 2020, embora não tenha especificado se isso vai acontecer no primeiro semestre ou no segundo semestre do ano em questão. Também não está claro se a companhia apresentou documentos confidenciais à Comissão de Valores Mobiliários para uma oferta pública inicial. No entanto, a oferta do Airbnb de abrir o capital pode enfrentar novos obstáculos, já que a empresa de compartilhamento de residências aumentou os gastos no início do ano. Acontece que o Airbnb aumentou os gastos com vendas e marketing para US$ 367 milhões (R$ 1,5 bilhões) no primeiro trimestre. As despesas totais cresceram 47% no primeiro trimestre, enquanto a receita aumentou apenas 31% no mesmo período. O status privado do Airbnb impede que investidores externos saibam exatamente quanto a empresa está lucrando — ou perdendo — trimestralmente. No entanto, as informações recém-divulgadas podem levantar questões sobre se a empresa está ganhando o suficiente para atrair investidores públicos. Airbnb almeja abrir capital, mas provavelmente está enfrentando alguns obstáculos O Airbnb se recusou a confirmar o aumento dos gastos, informando apenas que 2019 é um ano de grandes investimentos para apoiar anfitriões e convidados. Além disso, a empresa planejou recentemente contratar Goldman Sachs e Morgan Stanley como consultoras financeiras para um esforço de listagem direta em 2020. A empresa tem uma avaliação de US$ 31 bilhões (R$ 128 bilhões, aproximadamente) e estaria entre as maiores empresas a abrir o capital em 2020, se a listagem ocorrer. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Em setembro, a empresa lançou uma campanha de marketing multimilionária para promover a hospedagem nos Estados Unidos. Os anúncios foram veiculados na TV e também em canais digitais, até 17 de novembro. Na época, a empresa também trouxe alguns dados, como os 8,2 milhões de check-ins de hóspedes de Nova York, Los Angeles, São Francisco, Chicago e Seattle entre 1º de julho de 2018 e 1º de julho de 2019, ou a existência de mais de 40 mil experiências turísticas espalhadas em mais de mil cidades ao redor do mundo. Em certas localidades, como Seattle, Sydney e São Paulo, mais de 15% de todas as reservas foram feitas por usuários das próprias cidades. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Robô russo que esteve na ISS vai ganhar rodas para explorar o Sistema Solar

Robô russo que esteve na ISS vai ganhar rodas para explorar o Sistema Solar

canaltech Em agosto, a agência espacial russa Roscosmos lançou à Estação Espacial Internacional (ISS) o robô Skybot F-850 (apelidado de Fedor), que se sentou no lugar do comandante durante o voo e serviu para determinar se o foguete Soyuz 2.1 era mesmo seguro para próximas missões tripuláveis. Após retornar à Terra com uma missão bem sucedida, agora a agência decidiu que o Fedor terá suas pernas removidas para dar lugar a rodas. A ideia é que o robô seja reaproveitado em futuras missões pelo Sistema Solar, provavelmente começando pela Lua dentro de uns três ou quatro anos. Quando isso acontecer, Fedor terá o visual misto de um robô humanoide em seu torno, porém com rodas e aspecto de rover da "cintura" para baixo. Conceito do Fedor adaptado com quatro rodas (Imagem: Roscosmos) Dessa maneira, o novo Fedor teria a habilidade de manusear ferramentas ao mesmo tempo em que explora terrenos de outros mundos, sem precisar parar de fazer uma coisa para se dedicar a outra. Na ISS, o robô já demonstrou boa capacidade de manusear uma furadeira, por exempo, além de toalhas e equipamentos elétricos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Giphy Arcade permite criar seus próprios jogos em formato GIF

Giphy Arcade permite criar seus próprios jogos em formato GIF

canaltech O Giphy, um banco de dados online que permite que as pessoas transformem pequenos pedaços de vídeo em GIFs animados, anunciou nesta quarta-feira (16) o lançamento do Giphy Arcade, uma plataforma desenvolvida para que os usuários possam criar seus próprios jogos e compartilhá-los no formato de GIFs jogáveis. A ideia da nova plataforma é permitir que as pessoas possam compartilhar jogos com a mesma facilidade que as fazem com os GIFs, já que todo o banco de dados da Giphy é facilmente compartilhável por todas as principais redes sociais e aplicativos de mensagens. Assim, nos últimos anos, a empresa tem se preocupado não apenas em fornecer acesso a um enorme banco de dados de GIFs, mas também em oferecer uma série de ferramentas criativas para personalizar a experiência de seus usuários; e o Giphy Arcade é mais uma desses instrumentos. O Giphy Arcade funciona de dois modos distintos: você pode acessar o site da plataforma para jogar os games que já pré-existentes nela, ou, então, usar as ferramentas do Arcade para criar o seu próprio game em GIF. A criação é muito fácil: você precisa apenas escolher o tipo de jogo que quer criar (os modelos são baseados na maioria dos jogos casuais encontrados para celulares, e pode-se criar um clone de Flappy Bird, um infinity runner, um jogo de quebrar bloquinhos e diversos outros modelos de games clássicos), escolher diversas figurinhas existentes na base da Giphy para formarem os elementos do jogo e, em menos de cinco minutos, é possível criar o seu próprio game. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Exemplo de jogo possível de ser criado no Giphy Arcade As ferramentas de criação do Giphy Arcade são bastante simples de usar e permitem resultados bem divertidos. E, como esses jogos são tão leves e fáceis de compartilhar quanto qualquer GIF, agora é possível usar toda sua criatividade para produzir games que tenham a cara de seus amigos mesmo sem ter nenhum conhecimento em programação. O Giphy Arcade já está disponível e é possível não apenas curtir os jogos que já existem no catálogo, como criar seus próprios games com seus memes preferidos - e, o melhor, tudo isso, de graça. Ainda não é possível saber se os jogos nesse formato se tornarão tão usados na web quanto os GIFs de reações, mas a ferramenta é fácil de usar e divertida o suficiente para ser um sucesso. E, se você quiser jogar A Conga to the Past, é só clicar no link e curtir esse clone de Flappy Bird com a musa da internet. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Mostra de Cinema de SP exibe mais de 300 filmes a partir desta quarta (17)

Mostra de Cinema de SP exibe mais de 300 filmes a partir desta quarta (17)

canaltech A Mostra Internacional de Cinema de São Paulo chega à sua 43ª edição um pouco mais enxuta e com um olhar mais nacional. Serão exibidos 300 filmes, de 65 países, em 27 locais da cidade entre cinemas, teatros, espaços culturais e educacionais e parques. A mostra pode ser vista a partir desta quinta-feira (17) até o dia 30 de outubro. Entre os destaques do evento deste ano estão as exibições de Sinônimos, de Nadav Lapid, filme ganhador do Urso de Ouro no Festival de Berlim; Parasita, de Bong Joon-ho, ganhador da Palma de Ouro de Cannes; Honeyland, de Ljubomir Stefanov e Tamara Kotevska, prêmio do júri de melhor documentário mundial no Festival de Sundance; e Pacificado, de Paxton Winters, Concha de Ouro no Festival de San Sebastián.   A cerimônia de abertura da mostra de cinema foi realizada na última quarta-feira (16), no Auditório Ibirapuera. Na cerimônia foi exibido o filme Wasp Network, de Olivier Assayas, uma adaptação do livro Os Últimos Soldados da Guerra Fria, de Fernando Morais. O diretor é um dos homenageados este ano e ganhará uma retrospectiva com 15 de seus filmes. "Estou muito honrado. Isso [a homenagem] veio para mim como uma surpresa. Realmente estou muito emocionado e muito feliz", disse o diretor, que está em São Paulo para acompanhar o evento.  -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Outro homenageado deste ano é o diretor israelense Amos Gitai, que celebra o aniversário de lançamento de dois de seus longas: Berlim-Jerusalém, que completa 30 anos; e Kadosh – Laços Sagrados, que estreou há 20 anos. O filme que encerrará o festival será Dois Papas, de Fernando Meirelles. "Meu filme é uma ficção, a história de um encontro entre o papa Bento XVI e o papa Francisco. Começa no Conclave de 2005, quando Bento XVI foi eleito e vai até 2013, com a eleição de Francisco", contou o diretor. "O filme está entrando em alguns festivais e já ganhou quatro prêmios. Então, estou feliz. Aprendi cinema e, enfim, as coisas muito malucas, interessantes e inéditas, que me abriram a cabeça, foram na mostra. Naquela época, não tinha DVD. Ou você assistia aos filmes da mostra ou você não assistia. Mas, quando comecei a me formar como diretor de cinema, a cada ano eu esperava ansiosamente porque era ali [na Mostra] que eu me alimentava", completou. A clássica exibição na parte externa do auditório Ibirapuera será no dia 2 de novembro, com o filme centenário O Gabinete do Dr. Caligari, de Robert Wiene, com acompanhamento musical da Orquestra Jazz Sinfônica. Haverá exibições gratuitas também no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp). "A mostra é um espaço onde as ideias circulam e se espalham e são apresentadas e discutidas com toda a liberdade", disse Renata de Almeida, diretora da exposição, na cerimônia de abertura. Streaming Uma parceria entre a mostra e a prefeitura paulistana também vai trazer outra inovação para a edição deste ano: um serviço de streaming. A plataforma SP Cine Play vai disponibilizar, gratuitamente, dez filmes para serem assistidos por meio de computadores ou celulares. O serviço está disponível no site. "A mostra de cinema é um evento tão emblemático e tão importante que merece acontecer em seus lugares tradicionais, mas também com o suporte da prefeitura para que possa acontecer, por exemplo, no vão livre do Masp, no Theatro Municipal, nos CEUs e também com a transmissão da SP Cine Play, um aplicativo de streaming da SP Cine, de filmes que estão no catálogo da mostra", disse o secretário municipal de Cultura de São Paulo, Alê Youssef. Filmes nacionais no Theatro Municipal A novidade deste ano é a exibição de filmes no Theatro Municipal, que fica no centro de São Paulo. Nos dias 18, 19 e 20, o espaço irá exibir títulos brasileiros que tiveram destaque internacional, como os premiados A Vida Invisível, de Karim Aïnouz, candidato brasileiro a uma indicação ao Oscar, e Babenco - Alguém Tem que Ouvir o Coração e Dizer: Parou, de Bárbara Paz. CEUs receberão películas Outra novidade são os filmes itinerantes por meio de uma unidade móvel, que vai percorrer os centros educacionais unificados (CEUs) Aricanduva, Caminho do Mar, Meninos, Vila Atlântica, Jaçanã e o Centro de Formação da Cidade Tiradentes. Outras 12 unidades do Serviço Social do Comércio (Sesc) no interior do estado, entre 9 de novembro e 8 de dezembro, também serão agraciadas com a exibição de 10 filmes. Para conferir toda a programação e locais da 43º Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, acesse o site oficial do evento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Veja Mais

Virgin Galactic revela seus trajes espaciais modernos com direito a dança aérea

Virgin Galactic revela seus trajes espaciais modernos com direito a dança aérea

canaltech Apenas um dia após a NASA revelar oficialmente seus novos trajes espaciais projetados para as missões Artemis, a Virgin Galactic também convidou a imprensa para apresentar suas roupas para voos no espaço. Enquanto o design criado pela NASA é bastante tradicional, mantendo algumas das mesmas características visuais usadas nas missões Apollo, o traje da Virgin Galactic tem um visual bem mais futurista. Em parceria com a Under Armour, a empresa de voos comerciais desenvolveu um conjunto que inclui uma camada usada como base, calçados, um traje espacial e um traje de treinamento, além de uma jaqueta em edição limitada - ela servirá para que os astronautas usem casualmente enquanto estiverem na Terra. Foto: Sarah Tew/CNET O traje espacial em si é feito de tecidos leves que ajudarão a controlar a temperatura e umidade. Além disso, cada unidade poderá ser adaptada a cada astronauta, tanto esteticamente quanto em detalhes como bandeiras de países, crachás e outros itens. Ele conta até mesmo com bolsos para guardar objetos pessoais, como fotos de entes queridos. Já o traje de treinamento ajudará a otimizar a eficácia da preparação dos astronautas. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O CEO da Under Armour, Kevin Plank, disse ao público presente que os trajes são feitos com oito tecnologias comerciais da sua empresa. As partes de baixo são feitas com fios capazes de aperta as pernas dos astronautas e manter o fluxo de sangue acima da cintura. Foto: Sarah Tew/CNET Embora a Virgin Galactic não tenha ido muito mais longe que isso nos detalhes, a apresentação foi um espetáculo à parte. Realizado em um simulador de paraquedismo da iFly, na cidade de Yonkers, Nova York, o evento estava cheio de jornalistas e futuros astronautas. Em uma sala com iluminação azul, pessoas vestidas com os trajes flutuavam e até dançavam no ar, dentro de um tubo usado para simular o paraquedismo. Para criar essas roupas, a Virgin Galactic consultou não apenas especialistas em design, mas também médicos, treinadores de astronautas, pilotos, designers de roupas e calçados e, claro, pessoas que realmente usarão esses trajes. THEY ARE FLY DANCING IN THE TUBE pic.twitter.com/eEE41VQ4lE — Bridget Carey (@BridgetCarey) October 16, 2019 O objetivo da Virgin Galactic é o turismo espacial e, para isso, a empresa está testando a SpaceShipTwo, uma nave espacial suborbital que será usada para transportar passageiros, e já revelou ao público o Gateway to Space, uma espécie de aeroporto localizado na America no Novo México. Ali, estarão o controle das missões, sala de reuniões e lounge onde os passageiros aguardarão os voos. Para levar humanos ao espaço, a Virgin Galactic usará o WhiteKnightTwo, um avião a jato que será usado para transportar a SpaceShipTwo, que por sua vez terá capacidade para seis passageiros. Quando estiverem a uma altitude de 15.000 metros, o SpaceShipTwo ligará seus motores e entrará sozinha no espaço suborbital. Foto: Sarah Tew/CNET É por causa da natureza turísticas da empresa que esse trajes são tão diferentes do xEMU, da NASA. Eles não foram desenvolvidos para executar tarefas na Lua ou em outros planetas, nem mesmo para caminhadas espaciais semelhantes às realizadas pelos astronautas da ISS. Conforme explicou Beth Moses, instrutora-chefe de astronautas da Virgin Galactic, os trajes da Virgin Galactitc foram criados para "aproveitar e saborear o espaço nas suas próprias condições, à sua maneira". Agora que os trajes foram revelados, especialistas deverão realizar testes para refinar ainda mais o design. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Filho de Mauricio de Sousa vai produzir conteúdo LGBTQ+ para a Turma da Mônica

Filho de Mauricio de Sousa vai produzir conteúdo LGBTQ+ para a Turma da Mônica

canaltech Na última quinta-feira (10), Mauro Sousa, um dos filhos de Maurício de Sousa, deu uma entrevista ao Extra e falou sobre seus futuros projetos. E o diretor de espetáculos, parques e eventos da Mauricio de Sousa Produções afirmou que está produzindo conteúdo LGBTQ+ para a Turma da Mônica junto com o próprio marido, Rafael Piccin.  Durante a entrevista, Mauro revelou que a produção do conteúdo ainda está engatinhando, então é preciso esperar um pouquinho para saber o que está por vir: “[O projeto] ainda é muito novo. Não temos data para lançamento, mas sentimos a necessidade da criação e já está sendo feito a todo vapor. Além de mim e do Rafa, outras pessoas engajadas na causa LGBTQ+ estão envolvidas no projeto. Vamos fazer limonada”. Talvez você não associe automaticamente, mas o Mauro serviu de inspiração para um dos personagens da turminha: o Nimbus, que nutre interesse por meteorologia e mágica, e é irmão do Do Contra. Mauro conta, durante a entrevista que, desde a realização de um protesto contra a retirada dos livros infantis com ilustração de um beijo entre dois homens, na Bienal do Livro, no mês passado - em que publicou uma foto aos beijos com o seu marido - o público passou a cobrar por um conteúdo LGBTQ+: "Estava difícil para criarmos, mas já era uma ideia da equipe. Resolvemos correr com isso. Não pudemos mais esperar quando vimos o que foi feito na feira literária", contou ao EXTRA. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Em maio deste ano, o próprio Mauricio de Sousa comoveu o público ao postar uma foto tomando café da manhã com o filho e com o genro: "Em casa, com o filho Mauro @maurosousa , que inspirou o personagem Nimbus, e o companheiro dele, meu genro, Rafael", escreveu na ocasião.  Ver essa foto no Instagram Em casa, com o filho Mauro @maurosousa , que inspirou o personagem Nimbus, e o companheiro dele, meu genro, Rafael @rafaelpiccin Uma publicação compartilhada por Mauricio de Sousa (@mauricioaraujosousa) em 11 de Mai, 2019 às 12:58 PDT Então resta saber o que vem por aí, mas já é interessante saber que a diversidade no universo dos quadrinhos está a todo vapor.  Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

BGS 2019 | Luigi’s Mansion 3 chama atenção no estande mais requisitado da feira

BGS 2019 | Luigi’s Mansion 3 chama atenção no estande mais requisitado da feira

canaltech Luigi’s Mansion pode não ser uma das franquias mais icônicas da Nintendo, mas com certeza conquistou o carinho dos fãs desde o GameCube por, principalmente, dar ao irmão de Mario sua chance de brilhar. Luigi's Mansion 3, novo game da franquia, foi um dos escolhidos pela empresa para abrilhantar seu estande na Brasil Game Show 2019, estando disponível algumas semanas antes de seu lançamento e ajudando a firmar o retorno da companhia ao evento após sete anos de ausência. O que víamos ali era aquela demo convencional de evento, que exibia com clareza o pacote gráfico e também o sistema de controles, de forma que os jogadores entendessem do que Luigi’s Mansion 3 se trata. A amostra durava cerca de 15 minutos e, mais do que tudo, apresentava um tipo de comportamento bastante cirúrgico: ela era suficiente para demonstrar as características do game, mas principalmente para deixar querendo mais.   No trecho curto, saíamos de uma área aberta onde Luigi era desafiado para um duelo, passando por um segmento do hotel Last Resort, onde o game se passa, até chegarmos a uma arena. Pelo caminho, o jogador aprendia os princípios básicos do título e suas novas características, algo pelo qual a franquia sempre chamou a atenção. A demo deixa claro: este é o mesmo Luigi’s Mansion que você joga desde o GameCube, só que com diversas adições que o tornam muito mais interessante. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A primeira que se percebe é o sistema físico do game, muito mais apurado por conta do potencial gráfico maior do Switch em relação aos consoles anteriores. Tudo no cenário se mexe o tempo todo e é possível perceber até mesmo detalhes balançando quando o protagonista usa seu aspirador de fantasmas nas proximidades ou ativa o ataque especial que causa uma onda de choque pelos arredores. Mais do que isso, esse aspecto também serve como um elemento de exploração, afinal de contas qualquer cantinho pode esconder uma moedinha, que seja. E quanto tudo explode, as coisas se comportam de maneira realista. Primeiro, enfrentamos fantasmas comuns usando um dos novos poderes de Luigi, a capacidade de bater os inimigos no cenário antes de sugá-los completamente para dentro do aspirador, o Poltergust G-00. A referência a Caça Fantasmas é clara e continua dando um charme todo especial ao game, mas os ares adicionais de combate assumidos por essa nova mecânica também permite que o game lance diferentes oponentes contra o jogador ao mesmo tempo. Demo de Luigi's Mansion 3 na BGS 2019 permitia entender as mecânicas do jogo e deixava gostinho de "quero mais" (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Eles parecem extremamente educados de início, mas depois a coisa fica mais difícil. No primeiro segmento, nenhum fantasma atacará Luigi enquanto ele estiver sugando outro, mas a coisa rapidamente complica, principalmente quando chegamos ao chefe final da demo, do qual falaremos mais adiante. Os desafios também aumentam gradativamente, com fantasmas usando escudos ou que apresentam diferentes velocidades de movimentação, fazendo com que cada sala apresente um obstáculo diferente, mesmo que utilizando os mesmos oponentes. A cada novo desafio o jogador aprende a lidar com as novas ferramentas de Luigi. Um desentupidor de pias com uma corda amarrada na ponta serve para arrancar os escudos dos fantasmas inimigos, enquanto uma luz negra revela passagens secretas. E caso a coisa fique caótica demais, sempre dá para usar a onda de choque, que afasta os oponentes e dá um pouco de espaço para manobra. Um aspecto específico dos controles, entretanto, causa nó na cuca. Apesar de assumir uma visão lateral que remete aos tempos dos jogos side scrolling, Luigi’s Mansion 3 é essencialmente tridimensional, o que significa que o protagonista anda na direção para a qual o jogador apontar o analógico. O controle do Poltergust G-00, entretanto, não segue a mesma lógica, lembrando um pouco os velhos comandos “tanque” dos primeiros Resident Evil. Luigi's Mansion 3 traz jogabilidade clássica da franquia, mas adiciona novas mecânicas de combate e resolução de enigmas (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Apontar o analógico para a direita ou esquerda, então, não faz com que o protagonista aponte o aspirador para aquela direção, mas faz com que ele gire sobre o próprio eixo, também sendo capaz de mirar para cima ou para baixo. É possível usar o dispositivo enquanto anda, mas as diferentes orientações utilizadas nesse processo podem confundir um pouco as coisas, principalmente no combate contra grupos de fantasmas ou momentos em que é preciso disparar o desentupidor, com a exigência de um pouco mais de precisão. Sob a supervisão do pessoal presente no estande da Nintendo, não foi possível checar, nas opções, se havia a possibilidade de modificar essa orientação. Mesmo na curta demo, entretanto, deu para notar que um pouco de costume pode ajudar nesse sentido, apesar de a escolha por essa diferenciação ser um bocado questionável e incômoda. Amoeba amiga Luigi's Mansion 3 traz Gooigi ao centro das atenções, o que também permite jogabilidades cooperativas e multiplayer (Imagem: Divulgação/Nintendo) A principal adição de Luigi’s Mansion 3 é Gooigi. O personagem gosmento já deu as caras em títulos anteriores, mas agora assume posição central na jogabilidade não apenas por permitir um modo cooperativo, mas também por ter puzzles e enigmas criados especialmente para si. Ele pode ser colocado em ação a qualquer momento e, por mais que não possa abrir portas ou entrar em combate devido à energia baixa, é essencial para seguir em frente. Uma dessas possibilidades aparece logo na metade da demo, quando o acesso a um baú de tesouro e, depois, uma porta, só é possível para Gooigi, que pode passar no meio dos espinhos sem se machucar. Ele é vulnerável a água e fogo, mas também pode usar o aspirador de fantasmas, que aqui serve para completar puzzles que exigem a presença de parceiros. Mais uma vez, a demonstração é simples, com Gooigi mantendo uma armadilha desativada para que Luigi passe, mas também uma boa forma de mostrar como as coisas funcionam. Gooigi é o responsável por adicionar novos desafios e enigmas a Luigi's Mansion 3, acessando lugares aos quais o personagem não consegue chegar (Imagem: Divulgação/Nintendo) Há também um elemento de verticalidade envolvido na amostra, que é bem linear, ao contrário da proposta do game em si. Em Luigi’s Mansion 3, como nos anteriores, o jogador é livre para explorar os andares, mesmo que apenas um por vez, enquanto vai coletando itens, melhorando habilidades e enfrentando inimigos. Não existem sistemas de estágios nem de missões, com indicadores de caminho nem nada do tipo. O objetivo final são os botões do elevador que dá acesso aos outros andares do hotel Last Resort e é um deles que conseguimos ao enfrentar o chefe final. Na arena, Luigi enfrenta um combate medieval diante de uma plateia de papelão contra um fantasma cujo cavalo é, igualmente, espectral, mas utiliza uma armadura de metal que enaltece o conjunto físico do título. É bonito de ver como ele vai se desmontando a cada golpe recebido, com peças que permanecem no chão ao longo de toda a luta. Objetivo de Luigi's Mansion 3 é salvar os amigos do protagonista, obtendo os botões do elevador que estão nas mãos dos chefes de fase (Imagem: Divulgação/Nintendo) A batalha, claro, segue o clássico estilo que vem desde os primeiros jogos de Mario. É importante saber a hora certa de atacar e evitar os ataques, que podem vir tanto do próprio boss quanto de flechas que atravessam o cenário e outros fantasmas. Na medida em que vai perdendo as partes de sua armadura, o oponente também muda seu padrão ofensivo, mas nunca a forma pela qual recebe dano, sempre envolvendo o uso do desentupidor, aspirador e porrada. É nesse último, inclusive, que o game aproveita para chamar a atenção para o belo visual. Em determinados momentos, a pancada que Luigi dá com o personagem no chão é exibida em close e câmera lenta, de forma a valorizar as partes de metal se espalhando pelo cenário e a expressão cartunesca dos personagens, que lembra um bom filme de animação. Ao contrário do que normalmente acontece, tais eventos roteirizados não marcam o fim do combate, e sim mudanças específicas de funcionamento da luta. E, assim, Luigi consegue um botão do elevador ao qual nem mesmo temos acesso. Felizmente, não falta muito para a gente poder passear nele. Luigi’s Mansion 3 chega em 31 de outubro como mais um exclusivo de peso em um 2019 estrelado para o Nintendo Switch. Além da campanha e do modo cooperativo, o título também inclui opções multiplayer online, com um modo extra de minigames e desafios baseados em tempo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência O Google e o seu parquinho de Tecnologia onde (quase) ninguém brinca Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Samsung lança patch que corrige falha grave no leitor de digitais do Galaxy S10 Veja Mais

Acredite: Banana Phone deve ganhar uma nova versão em breve

Acredite: Banana Phone deve ganhar uma nova versão em breve

canaltech Nós, brasileiros, não estamos acostumados a ouvir o tema “Bananaphone”, que é uma canção do compositor canadense Raffi — por isso, é mais popular mesmo entre as crianças norte-americanas. Pois bem, em 2017, uma startup homônima transformou a faixa em realidade, com um gadget em forma de banana, capaz de parear com smartphones via Bluetooth. E agora esse acessório deve ganhar uma nova versão. O modelo original foi bem em sua campanha de arrecadação no site de financiamento coletivo IndieGogo, reunindo um total de quase US$ 187 mil. Mas, segundo testes do pessoal do The Verge, o aparelho não funcionava muito bem, com ruídos e volume baixo no áudio. Daí a vinda de um sucessor, que deve trazer qualidade melhor de reprodução e conectividade Bluetooth aprimorada.   A documentação do gadget foi flagrada nos registros da Anatel gringa, a Federal Communications Comission (FCC, na sigla em inglês). O presidente da empresa Banana Phone, Brian Brunsing, não somente confirmou a novidade como adiantou que o “telefone” poderá também reproduzir músicas — já que o alto-falante deve ter um upgrade significativo. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- O “Banana Phone 2” deve trazer também uma atualização na bateria, que deve permitir 10 horas a mais de conversa, totalizando 20 horas com uma só carga. O lançamento está previsto para a Black Friday, no último final de semana de novembro, com o preço de US$ 40 (R$ 184 na conversão direta). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Disney+ mostra catálogo disponível na estreia em vídeo de mais de três horas Veja Mais

Youtube Music testa função para transição direta entre faixas

Youtube Music testa função para transição direta entre faixas

canaltech Quem usa o serviço de streamming musical do YouTube sabe que ele ainda precisa de algumas melhorias, mesmo com mais de um ano disponível no Brasil. Ainda que apresente uma infinidade de shows e diferentes versões de músicas, o Youtube Music não reproduz uma sequência de músicas de maneira direta, sem pausas. Mas ao que tudo indica, isso está para acabar. Em tópico de discussões no Reddit, alguns usuários notaram que o Youtube Music passou a reproduzir faixas de música de maneira interrupta. O que é uma excelente novidade para álbuns em que uma letra continua o contexto da outra, como o álbum The Dark Side of the Moon, do Pink Floyd. Youtube Music apresenta nova função, em fase de testes A função que parece, ainda em fase de testes, promete ser um novo recurso para melhorar a experiência dos usuários. Este é um recurso importante para que o YouTube Music comece a ser considerado uma opção entre os usuários que buscam boas opções para escutarem música. E, nesse caso, este Music estava muito atrasado em relação aos seus concorrentes. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Agora, resta saber quando a novidade estará disponível para todos os usuários. A seguir, confira a gravação compartilhada no fórum de discussão com a transição automática entre faixas do Pink Floyd:  É um recurso muito necessário para que um aplicativo de música seja levado a sério; portanto, o YouTube Music estava muito atrasado. Para muitos, espera-se que a espera continue por um curto período de tempo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Huawei lança versão enxuta do Enjoy 10 Pro com Kirin 710F e 4 GB de memória

Huawei lança versão enxuta do Enjoy 10 Pro com Kirin 710F e 4 GB de memória

canaltech No início de setembro, a Huawei revelou ao mundo o smartphone Enjoy 10 Pro. Hoje (18), a fabricante chinesa anunciou a chegada de uma versão mais enxuta do aparelho — batizada apenas de Enjoy 10 — que traz configurações de base e preços mais competitivos. A má notícia é que, pelo menos por enquanto, o modelo será restrito apenas ao mercado chinês. O Enjoy 10 traz processador Kirin 710F de propriedade da própria Huawei, e virá em três versões de configuração: 4 GB de memória RAM e 64 GB de armazenamento; 4 GB / 128 GB e, finalmente, 6 GB / 64 GB. Todas as três, porém, contam com capacidade de expansão no armazenamento para até 512 GB via cartão de memória. No mais, o Enjoy 10 contará com câmera de selfie de 8 megapixels localizada em um buraco na parte superior esquerda do display de 6,39 polegadas (resolução HD+). Na traseira, um esquema de câmera dupla contém o sensor principal de 48 megapixels e outro de 2 megapixels para profundidade. Não há, pelo que parece, um leitor de impressões digitais no aparelho — a versão Pro contava com um leitor de digitais abaixo das câmeras. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- (Imagem: Divulgação/Huawei) (Imagem: Divulgação/Huawei) O sistema operacional do smartphone é uma EMUI 9.1 baseada no Android 9 Pie — vale citar, porém, que devido à guerra comercial entre a Huawei e os Estados Unidos, essa versão não deve contar com suporte do Google para atualizações automáticas de sistema nem tampouco permitir a instalação de apps da empresa de Mountain View, como Gmail, Maps, YouTube e outros. A bateria do Enjoy 10, por todas as versões, é de 4.000 mAh, um pouquinho acima da média do mercado. O Enjoy 10 virá com quatro opções de cores: verde, vermelho, preto e um azul bem claro — todas com aspecto mais translúcido. Falando de preços, o aparelho vai custar US$ 170 / R$ 705 (versão 4 GB / 64 GB); US$ 200 / R$ 830. A versão com 6 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno também custará US$ 200 / R$ 830. As vendas começam em 1 de novembro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Veja Mais

OnePlus 8 Pro pode trocar câmera retrátil por “buraco” na tela, aponta vazamento

OnePlus 8 Pro pode trocar câmera retrátil por “buraco” na tela, aponta vazamento

canaltech O OnePlus 7 Pro e o One Plus 7T Pro mal chegaram às lojas e já há rumores sobre a próxima linha da companhia chinesa. Um novo vazamento indica que a câmera retrátil vista nesses aparelhos devem dar lugar ao famoso “buraco” na tela. O site 91Mobiles, em parceria com o vazador OnLeaks, criou renderizações que mostram mais detalhes do que pode vir por aí no OnePlus 8 Pro, a partir de descrições obtidas junto à cadeia de fornecedores. Como você pode ver, o “buraco” parece menor do que o padrão visto nos últimos smartphones com o mesmo layout e fica no canto superior esquerdo. A tela deve ter 6,65 polegadas em um painel curvado com taxa de atualização de 90 Hz — um pouco menor do que a de 6,67 polegadas do OnePlus 7T Pro. (Imagem: Reprodução/OnLeaks/91Mobiles) A traseira não traz tantas diferenças em relação ao seu antecessor, com exceção de um quarto sensor, junto ao conjunto triplo de câmeras. Essa lente a mais seria destinada ao 3D time-of-flight que emprega o laser para calcular distâncias e profundidade com mais precisão. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- (Imagem: Reprodução/OnLeaks/91Mobiles) Embora ainda estejamos longe de seu lançamento, as fontes dizem que as imagens estão bem próximas do que possivelmente vejamos em breve. Ao que parece, as câmeras pop-up não parecem ter emplacado. E você o que acha dessa mudança? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Testado e aprovado: Facebook libera novo visual com tema escuro para web GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Veja Mais

Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea

Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea

canaltech Na última terça-feira (15), o desabamento do Edifício Andrea, na cidade de Fortaleza (CE), chocou o Brasil com a gravidade do acidente, que já matou seis pessoas e mantém pelo menos mais quatro soterradas. Mas o arquivo das imagens registradas pelo circuito das câmeras de segurança do prédio, obtidas pelo Sistema Verdes Mares (afiliada da Rede Globo em Fortaleza), mostra que o desabamento pode não ter sido acidental. Na última quinta-feira (17) o engenheiro contratado para fazer a reforma do prédio, José Anderson Gonzaga dos Santos, havia afirmado que as obras ainda não tinha começado quando o prédio desabou no dia 15, contradizendo os moradores, que afirmavam que os trabalhos haviam sido iniciados no dia 14 — um dia antes do desabamento. E as imagens obtidas da câmera de segurança do edifício mostra que os moradores estavam certos e contradizem a versão do engenheiro, pois elas não apenas provam que a reforma já havia começado, como mostram claramente um operário quebrando uma das colunas de sustentação do prédio.   O registro foi captado às 9h54 do dia 15, exatos 34 minutos antes do desabamento. Já às 10h08, cerca de vinte minutos antes do ocorrido, outra câmera mostra o mesmo operário quebrando outras colunas na parte da frente do edifício, próximo do portão de entrada de veículos e pessoas. Já às 10h27, dois minutos antes do desabamento, é possível ver pedaços da estrutura do edifício, que começam a se soltar do teto. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Logo em seguida é possível ver a presença da síndica Maria das Graças Rodrigues (que ainda está desaparecida sob os escombros), olhando preocupada para cima, de onde estão caindo pedaços da estrutura. O vídeo termina às 10h28, quando é possível ver um novo pedaço da estrutura se soltando segundos antes do desabamento, que ocorreu exatamente às 10h29m5s. Por enquanto, sete pessoas já foram resgatadas com vida e quatro ainda estão desaparecidas nos escombros. Não se sabe ainda como o vídeo irá influenciar as investigações, mas é possível que ele seja usado pela polícia como prova para responsabilizar o engenheiro pela tragédia, já que ficou claro que havia um operário quebrando colunas de sustentação do prédio minutos antes dele desabar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Free Fire | 5 dicas para jogar como os profissionais

Free Fire | 5 dicas para jogar como os profissionais

canaltech O game de battle royale Free Fire é um dos mais populares do Brasil quando o assunto são jogos para celular. Pesquisa recente da Sensor Tower mostra que o título é o que mais gera microtransações no Brasil em dispositivos Android e, certamente, deve ser um dos mais baixados do país — se não o mais baixado. E, como todo jogo do gênero, há uma série de técnicas a serem exploradas para garantir sua sobrevivência e a vitória do squad. Conhecer os macetes e jogadas, porém, pode não ser suficiente quando o assunto é o modo competitivo e o nível de disputa em torneios oficiais. Ser um jogador profissional de Free Fire exige que as técnicas sejam amplamente dominadas e que certos movimentos e recursos sejam compreendidos com perfeição — mas executados com simplicidade e cuidado. Com isso em mente, o Canaltech conversou com dois profissionais do game: Bruno "mortaaTV" Santos, manager de Battle Royale da RED Canids Kalunga; e Everton ''UBiTa'' Lima, jogador profissional de Free Fire da paiN Gaming, para tentar estabelecer algumas dicas e identificar o que é necessário para que você domine o game e jogue como os profissionais. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- 1. Executar bem a capa Todo e qualquer shooter tem o golpe fatal: o tiro na cabeça/headshot. No caso do Free Fire, essa técnica é chamada comumente de "capa". Para Bruno "mortaaTV" Santos, manager de Battle Royale da RED Canids Kalunga, saber como executar as capas é fundamental para o sucesso no jogo e é algo que nem todos os mestres dominam. "Saber executar as capas é essencial para ser um jogador profissional de Free Fire. Uma dica, neste caso, é deixar o seu celular com a sensibilidade da tela bem alta, de modo que você consiga fazer os movimentos com mais precisão", diz Santos. Imagem: Garena/ Divulgação 2. Gerenciamento do gel O gel é outro artifício interessante de Free Fire e é um dos elementos que o diferencia dos demais jogos do gênero. O gel pode vir em forma de granada ou parede e não só serve como proteção, mas também é um acessório interessante na trocação de tiro ou de flanqueamento. "Saber trabalhar o gel é uma das coisas mais básicas e muitos mestres não dominam essa técnica completamente", avalia mortaaTV. Tal qual no domínio das técnicas de capa, melhorar o HUD e a sensibilidade da tela para mexer e alocar o gel também vale a pena. Imagem: Garena/ Divulgação 3. Movimentação e posicionamento Pode parecer algo básico também, mas a movimentação é um dos princípios fundamentais para o sucesso em Free Fire e algo que jogadores profissionais treinam à exaustão. Segundo o manager da Red Canids, ela pode diferir bastante de um mestre para outro, mas certas coisas devem ser seguidas. "É importante sempre buscar locais mais altos, buscar o maior número de loot possível e fazer um bom estudo de locais seguros. Muitas vezes, durante a partida, estar em um local mais alto te favorece em um confronto contra um squad, por isso é bom priorizar esse posicionamento", ensina mortaaTV. Imagem: Garena/ Divulgação Falando das ações, propriamente, Everton ''UBiTa'' Lima, jogador profissional de Free Fire da paiN Gaming, indica que a agilidade é fundamental, sobretudo o raciocínio. "Temos que treinar uma movimentação mais ágil, de modo que condicionemos nosso raciocínio para antecipar jogadas e ações. Assim, surpreendemos o inimigo", explica. Comunicação limpa e precisa "Uma comunicação bem criteriosa é o que diferencia jogadores bons de excelentes. Marcações bem feitas dos adversários, passar as calls de forma limpa, clara e rápida são a chave do sucesso em uma partida profissional de Free Fire", explica mortaaTV. Ainda no campo das calls, UBiTa avalia que escolher um bom lugar para cair no mapa pode determinar o sucesso de um jogador e, claro, do squad no game. "Com uma boa comunicação, aumenta o entrosamento e, claro, a qualidade das ações no jogo", complementa. "Apenas" treinar não é o bastante Treinar também pode parecer óbvio, mas segundo o dirigente da Red Canids, estar em uma guilda qualificada potencializa seus treinos e faz com que o seu entendimento do jogo cresça. "Estar em uma guilda que tenha treinos constantes e que muitos Xtreinos sejam realizados podem dar uma ideia de como trabalhar em equipe, como fazer as funções do jogo e entender como os outros jogadores atuam", avalia Santos. Já UBiTa pensa que, além dos treinos, entrar em campeonatos e disputar cada vez mais estes certames dará ao jogador uma noção competitiva muito maior. "Ao entrar em campeonatos o jogador terá a chance de adquirir maturidade na tomada de decisões, além, é claro, de aperfeiçoar o relacionamento entre os membros do squad. É essencial, também, respeitar e seus companheiros e suas decisões", avalia. O battle royale Free Fire está disponível para dispositivos Android e iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Não são aliens! Astrônomos estudam estrela bizarra e continuam sem resposta Veja Mais

Como evitar problemas no seu celular Android com o fim do horário de verão

Como evitar problemas no seu celular Android com o fim do horário de verão

canaltech Em outubro último, quando ainda tínhamos o horário de verão, um erro sistêmico fez com que celulares e PCs pelo país afora se antecipassem no ajuste do horário, fazendo com que esses dispositivos adiantassem o relógio em uma hora, pegando muita gente de surpresa. A falha ocorreu duas vezes - nos dias 15 e 20 do mês em questão - sendo que o horário de verão estava programado para começar oficialmente apenas no dia 04 de novembro.  Depois que o erro foi corrigido pelas operadoras, no dia 26 de abril deste ano, o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que extinguiu o horário de verão. A decisão foi baseada em recomendação do Ministério de Minas e Energia, que apontou pouca efetividade na economia energética, e estudos da área da saúde sobre o quanto o horário de verão afeta o relógio biológico das pessoas.  Com isso, o problema de ajuste antecipado em um hora não ocorrerá esse mês, certo? Não é bem assim.  -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mudanças e impactos no seu celular com o fim do horário de verão Nos últimos dois anos, o governo brasileiro realizou alterações no horário de verão. A data de início passou do terceiro domingo de outubro para o primeiro domingo de novembro até a assinatura do decreto que determinou o fim da mudança. Todas essas modificações impactam diretamente no Banco de Dados Global da IANA (em português, Autoridade para Atribuição de Números de Internet), que é utilizado por smartphones e dispositivos eletrônicos para garantir que você esteja sempre na hora certa, onde quer que esteja. Na prática, isso significa que alguns celulares, possivelmente, não tenham a informação necessária para evitar que o relógio dos aparelhos seja alterado automaticamente. Logo, eles entendem que o horário de verão ainda está valendo e há boas chances de que eles adiantem, mais uma vez, o relógio do seu smartphone Android em uma hora, mais vez.  Como evitar problemas no seu celular Android com o fim do horário de verão Para não correr o risco de ter o relógio do seu celular adiantado e perder compromissos (ou chegar bem mais cedo neles), você pode definir a hora manualmente antes da meia noite do domingo, dia 20 de outubro, data em que começaria o horário de verão. Para isso, basta seguir este passo-a-passo: 1 - Entre no menu Configurações do seu celular Android e procure o item chamado “Sistema”; depois, escolha “Data e Hora” ou algo similar (em alguns aparelhos talvez não seja necessário passar pelo menu “Sistema”);  Acesse a opção "Data e Hora" no menu de Configurações em seu celular Android 2 - Desative as opções “Data e hora automáticas” e/ou “Fuso horário automático”. Desative a opção "Data e horas automáticas" no menu Data e Hora" Para os aparelhos que não forem impactados no dia 20 de outubro, existe a possibilidade de que a mudança automática aconteça no dia 3 de novembro, já que a regra mudou em 2018. Nesse caso, valem as mesmas recomendações dadas acima, ou seja, na noite anterior, você pode definir manualmente a hora do seu smartphone. Caso seu telefone não sofra nenhuma alteração de horário em nenhuma das duas datas, isso significa que o aparelho já foi atualizado pelos fabricantes ou, então, está seguindo as regras de rede da sua operadora (elas usam as antenas para enviar informações como a hora certa, por exemplo). Você pode manter as configurações manuais até 16 de fevereiro de 2020, que seria a data de fim do horário de verão. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Governo brasileiro pode ter criado as bases para uma vigilância igual à da China Veja Mais

Red Dead Redemption 2 para PC ganha trailer estonteante em 4K

Red Dead Redemption 2 para PC ganha trailer estonteante em 4K

canaltech A pouco menos de um mês da chegada de Red Dead Redemption 2 para o PC, a Rockstar Games decidiu divulgar um novo trailer do jogo, que roda em 4K de definição e a 60 quadros por segundo Parece bobagem falar na resolução de um vídeo, mas aqui existe um motivo especial para isso: no PC, Red Dead Redemption 2 contará com resolução 4K nativa e suporte a HDR, além de sincronizar visualmente com monitores ultrawide, sem “estourar” a imagem para caber no quadro da tela. Texturas de ambiente, como folhagem de árvores e estradas de terra (isso é um faroeste, afinal) também serão aprimoradas. Nada disso está presente na versão para console, originalmente lançada em 2018.   Red Dead Redemption 2 conta a história de Arthur Morgan, um membro da gangue de Dutch Van der Linde, que depois de uma tentativa mal-sucedida de assalto é forçada a abandonar a cidade de Blackwater — e seu dinheiro escondido no local. Com a gangue em uma pequena guerra interna ao mesmo tempo em que tenta escapar das autoridades, Arthur e seus parceiros devem realizar diversas atividades criminosas para juntar novamente todo o dinheiro e, quem sabe, se aposentar da vida de crimes. O jogo é uma “prequência” de Red Dead Redemption do PlayStation 3, ou seja, se passa anos antes do jogo original. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A versão para PC de Red Dead Redemption 2 chegará à loja virtual da Rockstar e à Epic Games Store em 5 de novembro. Na Steam, ela só deve aparecer um mês depois. Para quem comprar antes ou adquirir a pré-venda, a Rockstar Games disponibilizou diversos bônus e conteúdos extras. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Falha no Linux abre portas para ataques via Wi-Fi

Falha no Linux abre portas para ataques via Wi-Fi

canaltech Uma vulnerabilidade grave no Linux pode deixar computadores com o sistema operacional vulneráveis a travamentos e explorações remotas a partir do Wi-Fi. O problema está localizado em um driver que permite o funcionamento da rede sem fio a partir de chips da Realtek e pode ser utilizado por criminosos nas proximidades para travar computadores ou ganhar acesso remoto completo a eles. Não são necessárias interações do usuário, bastando que ele esteja ao alcance de uma rede comprometida. O problema começa em uma funcionalidade de economia de energia chamada Notificação de Ausência, que interrompe temporariamente a conexão em caso de ociosidade, mas mantém os dispositivos ligados para retorno rápido em caso de novo uso. A vulnerabilidade pode ser explorada com a alteração de elementos dessa ligação, causando uma sobrecarga no buffer do Linux. Como os chips da Realtek são bastante populares, a maioria dos computadores deve ser suscetível à brecha, apesar de ser difícil chegar a um número exato. Da mesma forma, como se trata de uma brecha disponível em hardware, não existem distribuições mais ou menos seguras contra a vulnerabilidade. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A falha está presente, pelo menos, desde 2013, e pode ser explorada diretamente, bastando apenas proximidade a um atacante. Nico Waisman, engenheiro de segurança do Github e um dos responsáveis por descobrir a falha, porém, afirma que uma exploração direta da máquina, para obtenção de controle remoto, pode ser complexa, apesar de possível. Estamos falando de ataques direcionados, algo que reduz ainda mais o escopo da vulnerabilidade, mas não a torna menos perigosa. Segundo ele, a brecha no buffer permite o controle remoto do computador em teoria, mas Waisman não desenvolveu ainda uma prova de conceito para testar essa ideia na prática. O especialista, por outro lado, confirma a possibilidade de ataques de negação de serviço, travando máquinas completamente e interrompendo trabalhos, algo que pode ser bastante danoso no caso de servidores, data centers ou um ambiente empresarial, por exemplo. O pesquisador aponta ainda para a existência da brecha, também, nos sistemas de chips da Realtek que foram usados em celulares Android. A plataforma da Google, entretanto, possui proteções adicionais contra sobrecarga de buffer e, por mais que seu hardware esteja supostamente suscetível à exploração, outros sistemas de segurança impedem que essa abertura seja explorada. Ao mesmo tempo, devido à própria complexidade da brecha, não existem relatos de quea mesma tenha sido aproveitada por cibercriminosos. A equipe de desenvolvimento do Linux propôs, nessa semana, uma solução que já está sendo produzida e deve ser liberada nas próximas semanas, para que os responsáveis pelas diferentes distribuições também possam a implementá-la em suas versões. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Mega é desbloqueado e volta a funcionar no Brasil Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Veja Mais

Renault lança versão limitada do SUV Captur com som da Bose

Renault lança versão limitada do SUV Captur com som da Bose

canaltech *Colaborou Luciana Zaramela A Renault anunciou o início das vendas de sua nova série limitada, o SUV Captur BOSE. Equipado com o sistema de som de uma das principais marcas do segmento, a série tem como diferencial um amplificador digital customizado de 7 canais com equalização exclusiva, tweeters de 25mm com ímã de neomídio no painel dianteiro, woofers de 165mm nas portas dianteiras e alto-falantes de 130mm com ímã de neomídio nas portas traseiras, além de um subwoofer de 150x230mm, também com ímã de neomídio e tecnologia exclusiva BOSE Fresh Air Subwoofer, no porta-malas, em posição que não diminui o espaço para bagagem. O veículo recebe de série todas as atualizações do Captur 2020, que acaba de chegar nas concessionárias. Agora o modelo conta com o temporizador de farol “Follow me Home”, que auxilia o trajeto em locais de pouca luminosidade e evita que o motorista esqueça os faróis ligados, rebatimento automático dos retrovisores no momento de fechamento pela chave e luz de cortesia no quebra sol do passageiro. O carro ainda conta com a central multimídia MEDIA Evolution de sete polegadas e tela touch capacitativa de série. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- "Este sistema de áudio é super inovador, pois consegue gerar mais graves por meio da exclusão do ar e ocupa bem pouco espaço dentro do veículo", explica Alexandro Azevedo, gerente de marketing da Bose, ao Canaltech. Imagem: Renault Conforto Completam os itens tecnológicos e de conforto o alarme perimétrico, ar-condicionado automático, câmera de ré, chave-cartão hands free, comando de áudio e celular na coluna de direção (comando satélite), direção eletro-hidráulica, farol de neblina com função Cornering Light e sensor crepuscular, piloto automático com indicador e limitador de velocidade, regulagem de altura no volante, regulagem de altura para o assento do condutor, retrovisores automáticos, sensor de chuva e vidros elétricos. Segurança Já no pacote de segurança, o SUV chega, de série, com assistente de partida em rampas (HSA), controle eletrônico de estabilidade (ESP), controle eletrônico de tração (ASR), freios ABS, ISOFIX, quatro airbags (dianteiros e laterais) e sistema CAR (travamento automático das portas a 6 km/h). O Captur BOSE chega ao mercado em duas versões: a 1.6 CVT X-TRONIC custa R$ 96 mil, enquanto a 2.0 AT sai por R$ 97 mil. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Curiosity e InSight são fotografados por sonda orbital da NASA em Marte Veja Mais

Gabinete Dune Case traz para PCs design semelhante ao do novo Mac Pro

Gabinete Dune Case traz para PCs design semelhante ao do novo Mac Pro

canaltech O novo gabinete Dune Pro foi projetado para ser muito parecido com o atual Mac Pro (aquele que parece um ralador de queijo), e é destinado a você que gosta do design do novo desktop da Apple, mas não gostou nada do preço ou da configuração da máquina. Sendo assim, este gabinete permite que você monte simplesmente qualquer configuração em seu PC, já que a ideia da empresa é justamente dar aos usuários a liberdade de escolha, só que com a "carinha" da Maçã. Uma pré-encomenda do Dune Pro estará disponível a partir de 21 de outubro em uma campanha de financiamento coletivo a ser publicada no Kikstarter. A base do Dune Pro conta com uma estrutura de aço inoxidável e painéis externos de alumínio com 3 mm de espessura. O painel frontal está disponível em duas versões, uma com pequenos orifícios redondos, enquanto a outra versão segue o design do painel frontal do Mac Pro, que - segundo o fabricante - proporciona redução de ruído devido ao formato especial dos orifícios de ventilação. Ele ainda conta com duas portas USB-C na parte superior do gabinete e um gabinete de alumínio para todos os seus componentes. Gabinete semelhante ao Mac Pro, que parece um ralador de queijo (Foto: Dune) No entanto, no Dune Pro está faltando a alça giratória do Mac Pro, que permite chegar às partes internas do computador - em vez disso, parece que você terá que retirar suavemente as laterais de alumínio. O novo gabinete também não conta com a placa-mãe personalizada do Mac Pro, é claro, com seu backbone Thunderbolt 3 especial que permite instalar placas de expansão proprietárias do “Módulo MPX”. O preço ainda não foi especificado, mas é improvável que seja baixo, porque os materiais usados no produto não são nada baratos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Quantos anos tem seu cérebro? Cientistas treinam IA para revelar idade cerebral Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Veja Mais

iPhone 11 chega ao Brasil custando a partir de R$ 4.999

iPhone 11 chega ao Brasil custando a partir de R$ 4.999

canaltech O iPhone 11 começa a ser vendido nesta sexta-feira (18) no Brasil, com preços a partir dos R$ 4.999. Com design semelhante à geração anterior, mas maior foco no conjunto de câmeras na parte traseira, os dispositivos chegam em três modelos diferentes com seis opções de cores cada, constituindo, também, uma das linhas mais diversas já lançadas pela marca em todo o mundo. Por dentro, os modelos são semelhantes, trazendo o processador A13 Bionic, citado pela Apple como o mais veloz já produzido por ela, e 4 GB de memória RAM. Entretanto, as semelhanças param por aí, com os usuários tendo três opções de espaço de armazenamento interno disponíveis para escolha e também uma miríade de variações relacionadas a tamanho de tela, bateria e características de câmera. iPhone 11 chega na sexta (18) com três variações de espaço de armazenamento e seis opções de cores (Imagem: Divulgação/Apple) O iPhone 11 tradicional, por exemplo, não é nada modesto, trazendo tela Retina de 6,1 polegadas e resolução de 1792 x 828 pixels. Ele tem duas câmeras, uma principal de 12 megapixels e outra grande angular com a mesma resolução, além de duas câmeras de selfie de capacidade semelhante, podendo fazer capturas de até 4K. Os preços nacionais são os seguintes: -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- iPhone 11 64 GB: R$ 4.999; iPhone 11 128 GB: R$ 5.299; iPhone 11 256 GB: R$ 5.799. Curiosamente, o iPhone 11 Pro vem com uma tela menor, de 5,8 polegadas, mas resolução de 2688 x 1242 pixels. Também chama atenção a adição de uma terceira câmera, grande angular, e a bateria, que tem uma hora a mais de autonomia. Outro diferencial é que este modelo acompanha um carregador mais veloz, de 18 W, bem como um cabo USB-C para Lightning.   Os valores oficiais do iPhone 11 Pro são os seguintes: iPhone 11 Pro 64 GB: R$ 6.999; iPhone 11 Pro 256 GB: R$ 7.799; iPhone 11 Pro 512 GB: R$ 8.999. No Brasil, modelos do iPhone custam a partir de R$ 4.999 e podem chegar até a marca dos R$ 9.599 (Imagem: Divulgação/Apple) Por fim, o iPhone 11 Pro Max traz as mesmas configurações em termos de bateria, câmeras e hardware, mas com um display ainda maior. Quem quiser ir para as cabeças poderá contar com uma tela de 6,5 polegadas Super Retina XDR, com resolução de 2688 x 1242 pixels. Este é, também, o modelo mais caro de todos: iPhone 11 Pro Max 64 GB: R$ 7.599; iPhone 11 Pro Max 256 GB: R$ 8.399; iPhone 11 Pro Max 512 GB: R$ 9.599. Os valores, configurações, modelos e condições já estão disponíveis no site da Apple para comparação e consulta. As vendas começaram nesta sexta (18), tanto na página da própria fabricante quanto em e-commerces, varejistas e operadoras nacionais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Samsung Galaxy A30s chega oficialmente ao Brasil; veja o preço Veja Mais

Mark Zuckerberg faz discurso em universidade e defende a liberdade de expressão

Mark Zuckerberg faz discurso em universidade e defende a liberdade de expressão

canaltech Na tarde desta quinta-feira (17), Mark Zuckerberg, fundador e CEO do Facebook, fez um discurso na Universidade de Georgetown, em Washington D.C., sobre a liberdade de expressão. O executivo falou sobre o compromisso contínuo da empresa com o tema, afirmando que não pode compartilhar dos mesmos valores com as grandes companhias chinesas. Em sua fala, Zuckerberg basicamente questiona que reguladores e empresas de tecnologia estão tentando determinar quais valores de países serão permitidos na próxima década, usando como exemplo os Estados Unidos e a China. O tema foi escolhido pelo CEO devido às várias críticas recebidas sobre a rede social, que surgem de grupos de direitos humanos e civis, e até de governos estrangeiros. Inclusive, o empresário foi bastante criticado pela decisão de não banir anúncios políticos que contam com informações duvidosas. Imagem: Reprodução A pressão exige que a rede social aplique restrições mais pesadas em relação ao discurso de ódio, desinformação e terrorismo, entre outros temas. Até o momento, o Facebook estava "em cima do muro", mas com o discurso de Zuckerberg fica claro que a companhia defende a liberdade de expressão a todo custo. "Dar voz a mais pessoas dá poder aos mais fracos e pressiona a sociedade a melhorar com o tempo", disse o executivo. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Zuckerberg aproveitou para alfinetar o aplicativo chinês TikTok: "Há uma década, quase todas as maiores plataformas de internet eram americanas. Hoje, seis das 10 principais são chinesas. Estamos começando a ver isso em redes sociais também. Enquanto nossos serviços, como o WhatsApp, estão sendo usado por ativistas e protestantes de todo o mundo pela proteção de privacidade e forte encriptação, no TikTok, aplicativo chinês, menções a esses mesmos protestos são censuradas, mesmo se estão aqui nos EUA. É essa a internet que queremos?", desabafou. Recentemente, surgiram deúncias de que a empresa ByteDance, que possui o TikTok, estava banindo qualquer crítica ao governo chinês no aplicativo. Buscado pela imprensa norte-americana, o TikTok negou as acusações de Zuckerberg, afirmando que as decisões de moderação nos EUA são feitas pela equipe local, e não são influenciadas pelo governo estrangeiro. "Nós não removemos vídeos com base na presença de conteúdos de protestos", esclareceu a empresa. Assista ao discurso completo: Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Motorola RAZR dobrável deve ser anunciado oficialmente no dia 13 de novembro

Motorola RAZR dobrável deve ser anunciado oficialmente no dia 13 de novembro

canaltech Os celulares "flip" da Motorola deixaram saudades e, nos últimos anos, vemos muita gente se lembrando do RAZR V3. A companhia, que vinha flertando com as telas flexíveis, vem desenvolvendo um aparelho que pode ser justamente uma releitura desse modelo — o RAZR 2019 ou Razr V4. Agora, a fabricante quase que confirma isso com o anúncio de um grande evento marcado para o dia 13 de novembro, em Los Angeles. O convite para a imprensa diz que o encontro trará o “altamente antecipado lançamento de um ícone reinventado” e que se trata de um dispositivo “original, diferente de qualquer outro”. E, para aumentar a suspeita de que seja mesmo o RAZR, ela complementa dizendo que “você vai pirar” — com o verbo “flip” de “pirar” fazendo uma referência à própria dobradiça do RAZR V3. (Imagem: Reprodução/CNET) Com todos os vazamentos de bastidores, já dá para imaginar que o novo RAZR possa ser dobrado na vertical, da mesma forma que seu antecessor, mas agora com displays sensíveis ao toque no interior — assim, você pode manter a área do painel maior, com 6,2 polegadas quando aberto, e pode guardar o telefone mais confortavelmente no bolso quando fechado. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- O processador deve ser o Snapdragon 710, com memória RAM de 4 GB ou 6 GB e armazenamento interno de 64 GB ou 128 GB. Ainda não há detalhes sobre as câmeras. Ou seja, o hardware é intermediário, para baratear o preço, que deve ficar na faixa de US$ 1,5 mil (R$ 6.244 na conversão direta). Relatos de insiders afirmam que o smartphone tinha cronograma para julho, mas acabou ficando para novembro — coincidência ou não, mais ou menos na mesma época de chegada do Samsung Galaxy Fold e do Huawei Mate X. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Comissão do Senado quer que empresas tecnológicas forneçam dados de agressores

Comissão do Senado quer que empresas tecnológicas forneçam dados de agressores

canaltech A Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT), órgão de avaliação legislativa ligado ao Senado federal, deu parecer favorável à obrigação de empresas donas de plataformas na internet entregarem a promotores e investigadores os dados cadastrais de pessoas suspeitas de agressão contra crianças e adolescentes. A medida é uma sugestão feita durante a CPI dos Maus-Tratos, que visa assegurar mais poderes ao Ministério Público para a solução de crimes contra menores. O projeto de lei do Senado (PLS 501/2018) regia, anteriormente, que promotores e investigadores poderiam requisitar tais informações por meio de uma autoridade jurídica — um juiz que emitiria um mandado, basicamente. Entretanto, o senador Eduardo Gomes (MDB-TO) entregou pedido substitutivo, editando o texto para que a figura do juiz não fosse necessária nesta parte, dando aos promotores o poder de ir atrás das empresas diretamente. O senador Eduardo Gomes (MDB-TO) votou em favor de ampliar os poderes de promotores e investigadores na obtenção de informações digitais de suspeitos de crimes contra crianças (Foto: Edilson Rodrigues/Agência Estado) A medida também vale para vítimas, sendo que promotores não precisam se limitar a empresas voltadas à oferta de plataformas sociais (Facebook e Twitter, por exemplo), mas também inclui serviços de mensagens instantâneas (WhatsApp e Telegram) e até informações de cadastro de usuário junto à operadora telefônica das partes. O projeto agora segue para avaliação junto à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Apesar de a lei assegurar o direito ao sigilo telefônico de todos, o senador argumentou que o seu substitutivo no projeto não viola essa questão, haja vista que a interceptação, que só poderia ser feita por ordem de um juiz, ainda está prevista: as conversas e dados adquiridos por promotores e investigadores permaneceriam em segredo, sendo abertos publicamente apenas pela ordem de um magistrado. Em outras palavras, a CCT concordou em atribuir um poder maior aos promotores, que não dependem de um juiz para obter informações, mas a figura magistrada ainda se faz necessária para remover a privacidade do material. Ainda não há uma data para que a CCJ avalie a questão. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

Útero artificial | Projeto quer concluir gestação de prematuros em bolhas

Útero artificial | Projeto quer concluir gestação de prematuros em bolhas

canaltech Já pensou em bebês se desenvolverem dentro de úteros artificiais, que mais parecem enormes balões flutuando no teto? Essa história parece mais uma distopia do que realidade — pelo menos era o que se pensava até o encontro entre as designers Lisa Mandemaker e Hendrik-Jan Grievink e a pesquisadora médica Guid Oei. O trio está a cinco anos de desenvolver o primeiro útero artificial para bebês humanos, que simula de perto as condições encontradas em um útero biológico.   O projeto foi pensado como uma solução para as altas taxas de mortalidade em nascimentos prematuros. Assim, o objetivo do útero artificial procura fornecer aos bebês nascidos antes do termo, entre 24 e 28 semanas, um ambiente em que seus corpos possam continuar se desenvolvendo. "Toda semana em que conseguimos prolongar o crescimento de um feto de 24 semanas, em um útero artificial, aumentamos as suas chances de sobrevivência em até 18%", afirma a médica envolvida no projeto. "Se pudermos estender isso para 28 semanas, o maior perigo de morte prematura provavelmente terá ido embora." -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Pesquisa para protótipo de útero artifical (Fonte: Lisa Mandemaker / Bram Saeysmmc) No início de outubro, Oei e seus colegas do Centro Médico Máxima garantiram uma doação de 2,9 milhões de euros (US$ 3,2 milhões) para criar um protótipo funcional do útero, que consiste de uma grande bolsa cheia de líquido, como água e minerais, conectada a uma placenta artificial. O trabalho, mesmo que experimental, traz importantes inovações para os tratamentos disponíveis. Atualmente, bebês prematuros são internados em incubadoras, onde ficam envoltos pelo ar e sob risco de contrair infecções. Já no útero experimental, continuarão seu desenvolvimento na água, um ambiente muito mais próximo ao líquido do útero materno.  "Não sabemos quais são as consequências para os bebês", afirma Oei. "Não sabemos também sobre as implicações de curto e longo prazo". Ainda assim, se a equipe criar um protótipo funcional do útero, a invenção poderá salvar a vida de inúmeros recém-nascidos. No entanto, esse projeto pode desafiar completamente as noções atuais sobre reprodução.  "Imagino que mais adiante, no futuro, um útero artificial possa se tornar parte de uma escolha feita para as mulheres, porque você não precisará se preocupar com doenças ou com as mudanças no seu corpo", comenta a designer Lisa Mandemaker. "A reprodução natural não é o único caminho." Confira parte do experimento holandês que promete, em 5 anos, testar com bebês prematuros o útero artificial: Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Veja Mais

De olho na velocidade do 5G, Intel compra Smart Edge

De olho na velocidade do 5G, Intel compra Smart Edge

canaltech A Intel anunciou a compra da Smart Edge, desenvolvedora de uma tecnologia que acelera a transmissão de informações em redes de telecom, por US$ 27 milhões. A companhia de Toronto, no Canadá, é a criadora de um software que divide dados em pequenos pedaços, que são armazenados em servidores ao redor do mundo e nas proximidades dos usuários, reduzindo a latência e aumentando a agilidade de plataformas conectadas. O foco, de acordo com a Intel, está na chegada das redes 5G. Hoje, a solução da Smart Edge já roda nos chips da fabricante e, inclusive, foi desenvolvida de forma direcionada a eles. Com a chegada dos equipamentos relacionados à nova infraestrutura, a ideia é que a necessidade de transmissão ágil de informações será maior do que nunca e, por isso, fez sentido trazer o software para mais perto da gigante dos processadores. Além disso, vale a pena lembrar que, para a Intel, o 5G representa mais uma tentativa de expansão dos negócios para além do mundo dos chips para computadores pessoais e data centers. São mercados voláteis e que eventualmente mostram sinais de estagnação, o que faz com que redes, sistemas de software e outras categorias do tipo se tornem alternativas interessantes para manter a saúde financeira e os números em alta. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Para a Intel, é também uma forma de acelerar o desenvolvimento de sua divisão de servidores, principalmente no mercado de edge computing. De acordo com Dan Rodriguez, diretor geral do segmento de redes da fabricante, a combinação de tecnologias e times deve trazer benefícios para ambas, principalmente na transição para as redes de quinta geração. Antes da aquisição, a Smart Edge era parte da Pivot Technology Solutions, que, inclusive, é a detentora das patentes relacionadas à tecnologia de transmissão de dados, apesar de este ser um negócio que, no primeiro semestre deste ano, gerou perdas de US$ 1 milhão. Essa propriedade, agora, deve passar para as mãos da Intel, bem como os 25 funcionários da companhia canadense, que passam a integrar a divisão de redes da companhia americana. Além disso, a Pivot permanece envolvida com o negócio e deve assinar um acordo pelo qual será revendedora autorizada da tecnologia da Smart Edge, trabalhando também na implementação da tecnologia junto às infraestruturas dos clientes. Essa mudança deve acontecer já nas próximas semanas, enquanto a venda, em si, deve ser concluída até o final deste ano. A notícia da aquisição fez bem a ambas as companhias. As ações da Intel tiveram alta de 1% nesta quarta-feira (16), data em que a notícia da venda foi veiculada, enquanto os papeis da Pivot tiveram valorização de 4,9%. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Dado o pontapé inicial na privatização dos correios; o que muda? Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Confira a primeira foto da nave chinesa que explorará Marte em 2020 Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Veja Mais

Netflix planeja lançar assinatura mais barata para mobile também fora da Índia

Netflix planeja lançar assinatura mais barata para mobile também fora da Índia

canaltech O plano mais barato da Netflix pode ser lançado fora da Índia. A empresa apresentou um tipo de assinatura mais em conta somente para plataformas mobile. Em apresentação de resultados financeiros, executivos da companhia confirmaram interesse em levar a ideia para outros mercados. A assinatura foi lançada na Índia pelo equivalente a perto de R$ 11 em julho. Segundo a transcrição da reunião, o chefe de produtos Gregory Peters disse que a ideia foi um sucesso, aumentando consideravelmente a atuação do serviço no país. Ele ainda disse que poderia levar o plano para outras regiões “pois pensamos que há outros mercados com condições similares que provavelmente podem ter o mesmo sucesso que nós vimos lá [na Índia]”. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Uma das regiões geralmente comparadas ao mercado indiano, pela capacidade aquisitiva e montante populacional, é o Brasil. Nosso país poderia entrar na mira do plano, mas ainda sem nenhuma perspectiva anunciada. Embora tenha sido melhor que a empresa esperava, o plano mobile ainda representa uma parcela pequena dos usuários na Índia, segundo o executivo. Com isso, também não houve relativo aumento da receita nos resultados trimestrais da Netflix. A assinatura mais barata lançada no país só permite acesso via smartphones ou tablets. Apesar disso, não há limite de acesso, nem mesmo publicidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: GARANTA O SEU | iPhone 8 pelo menor preço histórico já registrado! Moto G8 Plus: tivemos acesso à ficha técnica completa do aparelho Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

Mayflower é o primeiro navio autônomo que deve cruzar o Atlântico em 2020

Mayflower é o primeiro navio autônomo que deve cruzar o Atlântico em 2020

canaltech Depois dos carros autônomos, agora, começam os testes de barcos que também se guiam sozinhos. Um navio chamado Mayflower vai fazer a sua primeira viagem pelo Atlântico em setembro de 2020, mas não com objetivo de transportar pessoas, mas para realizar pesquisas. O lançamento será uma comemoração dos 400 anos da inauguração do primeiro modelo do Mayflower, obviamente, uma caravela nada autônoma. Este novo veículo é encabeçado pela organização de pesquisas marinhas ProMare e conta com tecnologia da IBM. Para atravessar o Atlântico, o Mayflower conta com painéis solares na parte de cima, em conjunto com um motor a diesel para turbinas de vento. Com isso, ele será capaz de andar os mais de 5 mil quilômetros que separam as duas cidades com mesmo nome, Plymouth, na Inglaterra e Estados Unidos. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Apesar de ser um experimento sobre se o navio consegue atravessar o oceano, ele também será utilizado para pesquisas.Para isso, existem três pods destinados ao monitoramento de mamíferos, segurança marítima e estudos sobre como combater lixo no mar.   A empresa conta com parceria da IBM, com suporte tecnológico de inteligência artificial. Objetivo é usar sistemas de machine learning para ensinar o veículo a evitar obstáculos e perigos no mar para chegar aos Estados Unidos em segurança. Serão usados dados de mapeamento em GPS, radares e câmeras ópticas para evitar maiores problemas. Como as condições em alto mar nem sempre são ideais, o veículo também tem um sistema que não exige conexão permanente. Assim, os dados são registrados e processados em parte remotamente, em parte local, e depois podem ser enviados para o laboratório e serem analisados. Segundo os pesquisadores, a proposta futura é também criar ferramentas de realidade aumentada e virtual para controlar o veículo de forma remota. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Veja Mais

PF deflagra operação contra pornografia infantil online em Minas Gerais

PF deflagra operação contra pornografia infantil online em Minas Gerais

canaltech Nesta quinta-feira (17) a Operação PEGA-PEGA IV, da Polícia Federal, efetuou quatro mandados de busca e apreensão nas cidades de Sete Lagoas, Conselheiro Lafaiete, Santa Maria de Itabira e Belo Horizonte, todas em MInas Gerais. O objetivo é combater a produção, o armazenamento e a distribuição de pornografia infantil na internet. A operação, conduzida por dez policiais, foi executada com mandados de busca e apreensão expedidos pela 35ª Vara Federal (que fica em Belo Horizonte) e conseguiu a prisão de um homem de 29 anos em Conselheiro Lafaiete, que foi pego em flagrante armazenando pornografia infantil. Além da prisão, foram apreendidas também diversas câmeras, computadores, celulares e outros equipamento eletrônicos que podem ter sido usados para a gravação e compartilhamento de vídeos e imagens de abuso sexual infantil, e que irão passar por perícia técnica para se averiguar se esses equipamentos foram mesmo usados para esse propósito. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Esta operação é a continuação de uma investigação que se iniciou em maio deste ano, a partir de relatórios produzidos por uma unidade especializada da Polícia Federal, que conseguiu identificar dois indivíduos que utilizam aplicativos de mensagem para compartilhar imagens e vídeos de pornografia infantil. A partir do monitoramento de atividade na internet, as autoridades conseguiram achar outros usuários que baixavam e compartilhavam esse tipo de conteúdo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Veja Mais

iOS 13 já está presente em 55% dos iPhones lançados nos últimos quatro anos

iOS 13 já está presente em 55% dos iPhones lançados nos últimos quatro anos

canaltech A Apple apresentou os primeiros dados sobre a presença do iOS 13 em seus dispositivos. Desde seu lançamento, no dia 29 de setembro, o sistema operacional móvel da Maçã já foi instalado em 55% de todos os iPhones introduzidos nos últimos quatro anos — o iOS 12 segue em 38% desses mesmos aparelhos. Já nos smartphones anteriores, a versão mais recente está em 7%. (Imagem: Divulgação/Apple) Com relação ao número total de dispositivos, o iOS 13 marca presença em 50%, enquanto o iOS 12 fica com 41%. A contagem foi realizada por meio da atividade registrada na App Store. Esses dados são semelhantes à medição realizada com a chegada do iOS 12 no ano passado, quando a então novidade registrou 53%, em um período menor de distribuição. Segundo o mesmo levantamento, 41% dos iPads lançados nos últimos quatro anos também já foram atualizados para o iPadOS‌, enquanto 51% ainda usam iOS 12. Já de todos os iPads ativos, 33% estão com iPadOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Saiba o que é uma "VSCO Girl", novo estilo das redes sociais Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais

BGS 2019 | Infinity Ward quer que Modern Warfare atraia os casuais e veteranos

BGS 2019 | Infinity Ward quer que Modern Warfare atraia os casuais e veteranos

canaltech Call of Duty: Modern Warfare marca um ponto de reflexão da Activision e do Infinity Ward. Uma das franquias mais reconhecidas de jogos FPS, a série vinha, desde seus últimos três ou quatro lançamentos, recebendo críticas por adicionar elementos de jogabilidade totalmente supérfluos e que nada agregavam à experiência (Correr pelas paredes? Sério?). Eis que, em maio de 2019, a Activision anuncia o renascimento da subssérie Modern Warfare, para muitos a principal de toda a franquia Call of Duty, trazendo esperanças renovadas aos fãs da série e reacendendo o mercado de jogos de tiro — em especial, a sua concorrência com a série Battlefield, da Electronic Arts. Tivemos a oportunidade de testar uma versão beta do modo multijogador e, veja só, as impressões foram bastante favoráveis. Durante a Brasil Game Show 2019, o Canaltech sentou-se por alguns instantes com Óscar Lopez, desenvolvedor sênior do estúdio Infinity Ward, para trazermos mais detalhes sobre a produção.   “Percebemos, a Activision e o estúdio, que já era a hora de trazermos a franquia de volta”, comenta Lopez ao ser questionado sobre o motivo que levou as empresas a darem o sinal verde para um reboot da série. “Queríamos já definir o que faríamos com o jogo e vimos que, desta vez, estamos com as pessoas certas nos lugares certos: a gestão correta, os desenvolvedores certos, além de uma engine nova e o desejo do público, que nos vem pedindo isso há um tempo. É tudo uma questão do lugar certo, na hora certa”. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Modern Warfare está, segundo impressões e análises feitas por especialistas no mundo todo, tomando uma direção diferente de seus predecessores: enquanto títulos como Modern Warfare 3 ou Advanced Warfare traziam um enredo mais simplista, que servia apenas como pano de fundo para a ação, a nova produção vem buscando aproximar-se de títulos anteriores, como Modern Warfare 2 ou a subsérie Call of Duty: Black Ops. Lopez cita a missão No Russian de Call of Duty: Modern Warfare 2 como um bom termômetro do que a Activision e o estúdio Infinity Ward querem (é aquela missão do aeroporto, com o terrorista internacional russo Makarov). (Imagem: Divulgação/Activision) A missão, na época, foi vazada na internet antes do previsto e dividiu opiniões e causou muita polêmica: No Russian (“nada de russo”, em uma tradução contextualizada) implica que o jogador e sua equipe não falariam em russo, a fim de não denunciar suas origens étnicas. O que se segue é o fuzilamento de vários turistas em um aeroporto. Oscar Lopez não refere-se à polêmica em si como um objetivo para o novo jogo, mas mostra que esse tipo de conexão com os personagens é um novo incentivo para os jogadores em Modern Warfare: “Caras como Jacob [Minkoff] e Taylor [Kurosaki] — eles são muito bons em contar histórias”, diz, referindo-se ao diretor de campanha e ao diretor de narrativa e roteiro, respectivamente. “Quando tiramos vantagem disso, temos foco em criar um jogo divertido, mas com uma história grandiosa para ser contada. Eles são os caras certos para esse tipo de trabalho”. “A série Modern Warfare, desde o primeiro título, sempre tirou base dos eventos atuais do mundo. Para este jogo, então, foi natural para nós buscarmos o que estava acontecendo no planeta, olhar a todas as partes mais quentes do mundo para criarmos uma história que praticamente se narra sozinha. Acho que esse é o tipo de conexão que você procura: gamers são pessoas criativas, influenciadas por tudo o que ocorre à sua volta, seja por um livro ou um filme ou um jogo — e nossos desenvolvedores também agem desta forma”. (Imagem: Divulgação/Activision) (Imagem: Divulgação/Activision) A campanha principal do jogo, infelizmente, não estava disponível durante a BGS 2019 para testarmos e termos a experiência dessa narrativa, entretanto a Activision já confirmou no passado que toda a história de Modern Warfare será entrelaçada em todos os modos de jogo: o “grosso” do enredo será majoritariamente progredido dentro do modo para um jogador, mas reflexões dele também serão sentidas no modo multijogador. Falando sobre a jogabilidade, Call of Duty: Modern Warfare parece abrir mão de ser feito apenas para o seu público cativo, escolhendo incluir elementos de gameplay que abracem, com o devido equilíbrio, jogadores veteranos e casuais. Essa mesma impressão foi percebida durante o beta que o Canaltech testou em setembro de 2019: mesmo os jogadores menos familiarizados possuem chances reais de desempenho positivo em partidas multijogador. Perguntamos a Oscar Lopez se isso se traduz na campanha principal para um jogador: “Estou bem contente que vocês tenham falado nisso”, ele respondeu, sorrindo. “Veja: quando desenvolvemos um jogo, o nosso processo gira em torno desses três ‘pilares’ que usamos como suporte para tomar decisão: queremos fazer coisas grandes que apelem a jogadores sem nenhuma experiência? Ou queremos algo que abrace os fãs de longa data? Nós tentamos, para este jogo, manter o DNA da nossa fórmula original, e isso nos permitiu focar em atrair novos jogadores, tornando a experiência mais fácil para que eles ingressassem. Isso é algo pelo qual realmente nos esforçamos. Você pode ter um cara que prefere jogar somente no modo para único jogador, mas ele não vai achar intimidador entrar em uma outra partida multijogador. A mesma coisa vale para o cara que só joga online, é ávido fã competitivo ou quer ser atleta de eSports”.   Modern Warfare, aliás, é o primeiro de toda a franquia a trazer suporte à função crossplay, que permite que jogadores de diversas plataformas disputem partidas juntos, ao mesmo tempo em que abandona uma prática conhecida da indústria e executada até pela Activision: os passes de temporada. Lopez explicou que o abandono a esta prática permitirá a oferta de novos conteúdos pós-lançamento gratuitos, implementando a experiência de jogo para modos de um ou mais jogadores. “Nós trabalhamos com bastante empenho com kits de desenvolvimento para Xbox One, PC e PlayStation 4. Só estamos felizes que isso tudo funciona muito bem. Estamos totalmente comprometidos com oferecer nosso suporte ao cenário de eSports como um todo. Esperamos que a comunidade se sinta confortável em ditar os termos que os façam adotar isso no cenário competitivo, e se eles assim decidirem, as ferramentas estarão lá para ela”, finaliza. Call of Duty: Modern Warfare será lançado em 25 de outubro de 2019, para PlayStation 4, Xbox One e PC (Windows). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Correios deixam Sedex e PAC mais caros às vésperas da Black Friday Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência Moto G8 Play | Imagens vazadas mostram que aparelho terá apenas duas câmeras Jennifer Aniston "chega chegando" no Instagram e quebra recorde mundial Nove tipos de alimentos podem ser cultivados na Lua e em Marte, aponta estudo Veja Mais