Meu Feed

Últimos dias

Malware rouba informações de preenchimento automático em navegadores

Malware rouba informações de preenchimento automático em navegadores

canaltech Nesta quinta-feira (22), a empresa Kaspersky, que é voltada à segurança cibernética, revelou que, se um computador estiver infectado com um malware chamado Stealer, as informações de preenchimento automático (aquelas de formulário que o navegador grava para te poupar de preencher tudo de novo) podem ser roubadas por criminosos. A empresa aponta que, somente no primeiro semestre deste ano, seus produtos de segurança detectaram mais de 940 mil ataques com o Stealer, aumento de um terço em relação ao mesmo período de 2018. No entanto, os stealers não se concentram unicamente em dados de preenchimento automático em navegadores. Eles também vão atrás de carteiras de criptomoedas e dados de jogos, e roubam arquivos da área de trabalho. O malware consegue as informações da seguinte forma: se alguém roubar um arquivo com dados de preenchimento automático, não poderá usá-lo porque tudo está protegido por criptografia, mas os navegadores presumem que o dispositivo e a conta estão bem protegidos, então qualquer programa executado a partir de sua conta de computador é capaz de extrair e descriptografar informações armazenadas. É aí que os malwares invasores agem, executados através da sua própria conta. Os navegadores não deixam as informações do usuário protegidas A Kaspersky diz que o único navegador que oferece proteção extra é o Firefox, porque ele deixa o usuário criar uma senha mestra que deve ser inserida quando precisar descriptografar informações. O Google Chrome, por sua vez, sempre armazena os dados do usuário no mesmo local, então os stealers encontram isso com facilidade. Quando o malware consegue os dados de preenchimento automático, eles são enviados aos cibercriminosos, que podem usar ou vender. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Frente a esse perigo, a empresa de segurança cibernética orienta os usuários a não confiar que informações importantes são mantidas em segurança pelo seu navegador, e inserir manualmente as informações sempre que for preencher algum formulário. Armazenar as senhas em um gerenciador de credenciais também é uma ideia. Além disso, usuários do Firefox podem proteger as informações armazenadas no navegador com uma senha mestra. A empresa ainda ressalta que a melhor maneira de proteger as informações é impedir que malwares entrem no seu computador e, para isso, é preciso instalar uma solução de segurança confiável que manterá as ameaças sob controle. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 1 milhão de livros por apenas R$ 1,99! Aproveite a promoção do Kindle Unlimited WhatsApp libera nova versão beta do app para iOS Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Veja Mais

Realidade virtual e aumentada serão debatidas no primeiro dia da Technology Hub

Realidade virtual e aumentada serão debatidas no primeiro dia da Technology Hub

canaltech Internet das Coisas, RA, RV, Inteligência artificial, robótica, tecnologias embarcadas, dispositivos móveis, impressão 3D e muitas outras soluções digitais possuem potencial disruptivo substancial e que atingirão seu ponto de inflexão nos próximos cinco anos. Com esse conjunto de tecnologia, a IoT Latin America, em sua quarta edição, amplia fronteiras no mundo da tecnologia formando a Technology Hub Brasil, um evento B2B a ser realizado nos dias 17 e 18 de setembro no PRO MAGNO Centro de Eventos, em São Paulo. Essas tecnologias que serão abordadas na feira, compõe a indústria 4.0. De acordo com levantamento da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), a  expectativa é de que, em dez anos, 15% das indústrias de todo o território nacional atuem sob o conceito de Indústria 4.0, que se caracteriza principalmente pela automação de processos aliada a um conjunto de ferramentas de inteligência operacional do negócio. Hoje, menos de 2% das empresas estão inseridas nesse conceito. “O desenvolvimento da pesquisa e a imersão da tecnologia nos negócios é fundamental para o desenvolvimento da Indústria 4.0 no Brasil. Neste sentido, a Technology Hub Brasil contribui para fomentar o debate envolvendo relevantes especialistas e líderes do setor”, afirma Luiz Fernando Pereira, project manager da feira. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Atividades Paralelas Congresso Brasileiro e Latino-Americano de IoT Realizado pelo Fórum Brasileiro de Internet das Coisas, o Congresso discute tendências, inovações e desafios da IoT em modelos de negócios, desenvolvimento e pesquisa, aplicações, padrões e políticas. Os temas deste ano serão: Indústria 4.0 (Manufatura Avançada); Governança; Cyber Security, Safety and Privacy; Avaliação da situação brasileira da IoT; Arquiteturas, framework e tecnologias habilitadoras para Cyber-physical Systems (CPS); IoT no agronegócio; IoT na medicina. Para participar, basta acessar o site oficial. Painéis da Technology Hub 2019 Nos dois dias, os visitantes vão conferir painéis quer irão debater os seguintes temas: Internet industrial Realidade Virtual 5G Automação Comercial Internet das Coisas (IoT) Domótica Robotic Process Automation (RPA) Inteligência Artificial Inovação Digital  Technology Hub Showcase Apresentações simultâneas em formato de ilha, nas quais os visitantes têm a oportunidade de assistir a apresentações dos fornecedores participantes, compartilhar experiências, ampliar sua rede de networking e se conectar com outros profissionais. Sobre a Technology Hub Brasil Um evento B2B que promove discussões acerca da convergência de tecnologias disruptivas e que apresenta relevantes fornecedores e líderes do setor, além de influenciadores digitais. Ao longo dos dois dias do evento serão discutidas as últimas tendências e as potencialidades das diferentes verticais da indústria beneficiadas pelo conjunto de tecnologias discutidas. Serviço TECHNOLOGY HUB BRASIL 2019 Soluções Tecnológicas que Geram Negócios Data: 17 e 18 de Setembro Horário: 13h às 20h Local: PRO MAGNO Centro de Eventos — Av. Profa. Ida Kolb, 513, São Paulo – SP, 02518-000 Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Campinas recebe a Campus Party Experience no Parque D. Pedro Shopping

Campinas recebe a Campus Party Experience no Parque D. Pedro Shopping

canaltech O Parque D. Pedro Shopping recebe, a partir de quinta-feira (22), a Campus Party Experience Campinas, evento que faz parte da Campus Party, maior imersão de tecnologia do mundo. A experiência oferece, nos 11 dias de atividades, experiências e conteúdos voltados à tecnologia, inovação e criatividade. Tudo totalmente gratuito.  A programação é variada e agrada desde entusiastas até especialistas das mais diversas áreas da tecnologia. Para isso, conta com atividades para todas as idades. Simulador O simulador é uma ótima pedida para quem busca, além de conhecimento, diversão. O equipamento simula um voo de asa delta com apoio de tecnologia de realidade virtual. A experiência faz o participante sentir como se estivesse voando, sem sair do lugar.  -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- HackaSpace e Co-working HackaSpace acomoda o co-working da Campus Party Experience Campinas, espaço onde o público pode utilizar a internet de alta velocidade da Campus para trabalhar enquanto fazem networking com estudantes e profissionais da área.  Nele também é realizado o famoso Hackathon, um desafio para que estudantes, profissionais de TI, Design, RH e criativos possam desenvolver uma solução que atenda a um propósito específico descrito previamente pela organiozação. A partir daí, as equipes desenvolvem e apresentam os projetos para uma banca julgadora, que irá eleger o vencedor. A equipe vencedora leva R$ 10.000 em premiação. As inscrições para o Hackathon começam em breve, no site da Campus Party Experience.  MakerSpace No espaço é possível a utilização de máquinas de produção de corte como impressoras 3D e a laser. Além disso, concentra também as mais de 50 oficinas oferecidas, que não necessitam de inscrição prévia. Confira a programação abaixo: •      Oficina de Corte a Laser (12 às 14h): o participante conhecerá os recursos de uma máquina de corte e gravação a laser, poderá operar o equipamento e realizar algumas tarefas como, por exemplo, cortar seu nome em MDF. Uma das oficinas consiste na fabricação de um “mini robot”, pintura com giz de cera ou lápis de cor e depois a montagem do robô. Teremos também uma oficina para montar um dinossauro (montagem e pintura). •    Oficina de Impressão 3D (14h às 16h): O participante terá contato com a impressora 3D, conceitos, operação, técnicas de modelagem e saberá como aplicar suas funções no dia a dia.    •    Oficina Recorte Eletrônico (16h às 18h): O participante vai conhecer um plotter de recorte eletrônico, o conceito de aprender a desenhar e enviar para a máquina de cortar o substrato, que poderá ser um adesivo ou um paper toy. Também aprenderá alguns recursos da máquina e como pode utilizá-la no dia a dia.  •    Oficina de Robótica (18h às 20h): O participante vai aprender o conceito de programação, montagem, oficina de solda e encaixe. Teremos atividades que despertem a criatividade do participante, que também poderá programar robôs.  •    Oficina de sublimação (20h às 22h): O participante vai aprender a estampar um tecido, camiseta e até mesmo uma caneca, utilizando desenho com lápis e giz especial. Depois irá estampar o desenho. Programação Geral CO-WORKING E HACKASPACE Co-working De 22/8 a 30/8Segunda a sábado: das 12h às 22h Domingo: das 14h às 20h (Exceto dia 30/8 que terá horário especial: das 12h às 19h) HackaSpace Meetup (para inscritos)Dia 30/8: das 19h às 22h Hackathon (para selecionados)Das 10h do dia 30/8 às 18h do dia 01/09 MAKERSPACE Das 12h às 14h (exceto domingos) Oficina criativa Robot + corte a laser (Corte, pintura e montagem) Das 14h às 16hOficina de impressão 3D (Conceitos de modelagem e impressão) Das 16h às 18hOficina de recorte eletrônico (Adesivos + papéis) Das 18h às 20hOficina de robótica (Conceitos de programação, arduíno, placas e montagem)  Das 20h às 22h (exceto domingos)Oficina de sublimação (Conceitos de desenhos e estamparia digital) Simulador Simulador Asa Delta, com realidade virtual. Funcionará em todo o período do evento.De 22/8 a 01/09 Segunda a sábado: das 12h às 22h Domingo: das 14h às 20h Inscrições para o Hackathon, em breve, no site da CPEXPERIENCE. Sobre a Campus Party A Campus Party é a maior imersão tecnológica em Internet das Coisas, Blockchain, Cultura Maker, Educação e Empreendedorismo do mundo. O evento conta hoje com mais de 550 mil campuseiros cadastrados em todo mundo. Já produziu edições nos seguintes países: Espanha, Holanda, México, Alemanha, Reino Unido, Argentina, Panamá, El Salvador, Costa Rica, Colômbia, Equador, Itália e Singapura. O evento está presente no Brasil há doze anos. CPEXPERIENCE: Local: Parque D. Pedro Shopping (Entrada de Flores e Pergolado da Alameda)Data: 22/08 a 01/09Horários: segunda a sábado, das 14h às 22h, e aos domingos das 14h às 20h Para conhecer mais sobre a Campus Party Experience Campinas, basta acessar o site oficial do evento. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Cinema | Confira os lançamentos da semana (22/08 a 28/08)

Cinema | Confira os lançamentos da semana (22/08 a 28/08)

canaltech Mais um fim de semana está se aproximando e quem é cinéfilo sempre estica o pescoço para dar uma conferida na lista de lançamentos que estão chegando aos cinemas. E, cumprindo a tabela, o Canaltech não só lista todas as estreias, como dá dicas do que você pode curtir no escurinho do cinema. Nesta semana o grande destaque fica por conta de Brinquedo Assassino, um reboot da franquia clássica dos anos 1980 que fez muita criança se borrar e ter pesadelos à noite. Com uma pegada semelhante, este novo filme traz o encapetado boneco Chuck numa nova roupagem, todo tecnológico e compatível até mesmo com comandos de voz. De igual ele tem mesmo a afinidade com o capiroto e a capacidade de assassinar gente com 10 vezes o tamanho dele. Além da produção hollywoodiana, também estreia neste fim de semana a comédia brasileira Socorro, Virei uma Garota!. Explorando a insegurança da adolescência e o desejo do jovem de ser popular na escola, o filme transforma um garoto que só queria ser o rei da cocada preta em uma garota. Agora, ele terá não só de lidar com seu novo corpo, mas também aprender a controlar os sentimentos por uma garota por quem sempre foi apaixonado. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Filmes europeus e latino-americanos também marcam presença no circuito nacional, mas é o drama francês Um Amor Impossível que merece nota. Falando de amor, perdas e danos psicológicos, o longa dirigido por Catherine Corsini nos leva a refletir sobre o papel da mulher em uma família e os desafios que elas enfrentam ao serem mães solteiras. Além dessas três indicações há outros cinco filmes entrando em cartaz nos cinemas de todo o Brasil. A lista completa dos lançamentos você confere logo a seguir, com cada filme vindo acompanhado de seu respectivo trailer e sinopse, que é para ajudar você a decidir o que vai assistir. Dê uma olhada, programe-se e bom filme! Brinquedo Assassino   Andy (Gabriel Bateman) e sua mãe se mudam para uma nova cidade em busca de um recomeço. Preocupada com o desinteresse do filho em fazer novos amigos, Karen (Aubrey Plaza) decide dar a ele um boneco tecnológico de presente de aniversário. O brinquedo, além de ser o companheiro ideal para crianças e propor diversas atividades lúdicas, executa funções da casa sob comandos de voz. Os problemas, no entanto, começam a surgir quando o boneco Chuck se torna extremamente possessivo em relação a Andy e passa a fazer qualquer coisa para afastar o garoto das pessoas que o amam. Leia também: Crítica | Brinquedo Assassino Os Brinquedos Mágicos   Nathan é um bonequinho de argila feito para a coleção de chá de um tradicional mestre chinês. As obras do Mestre mudam de cor quando o chá quente é despejado sobre elas, seguindo o costume oriental de dispensar o primeiro gole em homenagem a criaturas, mas não é o caso de Nathan. Por ser a única peça que não muda de cor, ele é muito zombado pela turma. Quando aparece uma chance de ir para o futuro e descobrir o mistério de sua mudança de cor, Nathan e um robô saem em busca de respostas. Socorro, Virei uma Garota!   Júlio (Victor Lamoglia) é um garoto tímido, praticamente invisível aos olhos de seus colegas de escola. Um dia, ao ver uma estrela cadente, ele deseja ser a pessoa mais popular dali. Logo ele se transforma em uma garota, a Júlia (Thati Lopes), que é extremamente popular. Sem saber como lidar com seu novo corpo feminino, ele ainda precisa lidar com a proximidade de Melina, uma garota por quem é perdidamente apaixonado. Um Amor Impossível   No final da década de 1950, em Châteauroux, Rachel, uma funcionária de escritório, conhece Philippe, um jovem brilhante de uma família burguesa. Deste breve encontro acaba nascendo uma menininha, Chantal. Philippe se recusa a casar com alguém fora de sua classe social e Rachel terá de criar a filha sozinha. Porém, uma batalha de mais de dez anos pelo reconhecimento paterno desencadeia revelações inesperadas. Entre Tempos   Lui (Luca Marinelli) e Lei (Linda Caridi) são duas pessoas completamente diferentes entre si, mas que formam um casal intenso e apaixonado. Juntos há anos, seus sentimentos estão em conflito constante, mostrando uma montanha-russa emocional entre eles. Enquanto Lui acredita em um futuro brilhante, Lei não consegue deixar de viver no passado. Ao longo dos anos, o par colecionou frustrações, alegrias, tristezas e angústias. Uma Noite Não é Nada   São Paulo, meado da década de 1980. Agostinho, um decadente professor de física de um supletivo noturno, acaba se apaixonando por uma de suas alunas, Márcia, uma mulher bem mais jovem que ele, emocionalmente perturbada e soropositiva. Eles começam um relacionamento e logo a coisa se torna séria, fazendo com que Agostinho comece a arriscar seu casamento com Januária. O Verde Está do Outro Lado   Desde 1980 a gestão da água foi privatizada em todo o Chile, levando pequenos agricultores à ruína e debilitando milhares de famílias. O congresso do país concorda com a necessidade de mudar as leis, mas esbarra em dificuldades para combater a grande influência das grandes empresas da agricultura e mineração. Um retrato sobre a realidade e consequências do modelo econômico implantado há quase 40 anos no país andino. Pássaros de Verão   Na década de 1970, na Colômbia, uma família de nativos de Wayuu se encontra no coração da florescente venda de maconha para a juventude americana. Quando a honra da família tenta resistir à ganância humana, a guerra de clãs se torna inevitável e põe em perigo suas vidas ancestrais, cultura e tradições. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Mais um livro de Stephen King ganhará adaptação para os cinemas Veja Mais

É possível vender mais para os mesmos clientes?

É possível vender mais para os mesmos clientes?

canaltech Ter uma grande carteira de clientes ativa, sendo, a maior parte, fidelizados e recorrentes é o desejo de qualquer empresa e empresário, justificando, muitas vezes, o alto valor na aquisição do lead. Com um LTV (Life Time Value) grande, se tem um gap maior para gastar na aquisição, além de muitas vezes tornar o comprador/usuário um "advogado" da marca. A aspiração é grande, assim como o desafio de conquistar esse patamar. A pesquisa “Vendo além da ilusão de fidelidade: é hora de investir de forma mais inteligente”, da Accenture Strategy, empresa global de consultoria de gestão, tecnologia da informação e outsourcing, aponta que 80% dos brasileiros estão diminuindo sua fidelidade em níveis que afetam o lucro das empresas. Junto a isso, a grande maioria dos consumidores (83%) trocaram de fornecedores de um ano para outro e 36% confiam que suas expectativas sobre fidelidade de marca mudaram completamente. É fato: o consumidor brasileiro é infiel e o adversário (a concorrência) enorme. Ao empresário, cabe buscar, diariamente, alternativas para manter o faturamento de vendas e o time ganhando. O start é ter em mente que nós, seres humanos, temos atitudes e reações distintas diante de uma oferta, com diversas objeções prontas e outras, formatadas conforme o modelo de negociação. Com isso, é preciso que as companhias entendam as linguagens da fidelidade dos seus clientes mais lucrativos e implementem a combinação ideal para garantir que elas ofereçam as experiências que impulsionam defesa, retenção e crescimento.  -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- As estratégias, portanto, devem considerar a dúvida e as necessidades do consumidor – e trabalhar em cima delas. Para uma empresa, por exemplo, que vende produtos físicos em pontos específicos, pode ser muito mais interessante trabalhar estratégias de PDV.  Já para empresas B2B com grandes contas, inbound marketing, venda consultiva e um funil de vendas mais complexo geralmente são caminhos a se considerar. Para as que possuem modelos SAAS, os clientes aceitam bem serviços com diferenciais competitivos, personalizando atendimentos. Portanto, o time em campo – a escolha de cada player deve ter grande atenção, assim como a qualidade do que é oferecido. Ressalto que vender dentro da base previamente conquistada é sempre mais fácil – a conquista do campo adversário costuma ser mais árdua do que o emplacamento; fora que a interação com clientes ativos para evolução dos serviços/produtos é algo que acaba gerando um ciclo em que se evolui o que é ofertado pensando no usuário, e, em resposta, o usuário vê valor nas novas soluções da empresa, continuando dentro da base, com feedbacks para melhorias. Mantê-la saudável e interessada no seu serviço é sempre benéfico.  Olhar para o cliente e ofertar o que ele precisa é ganho para todos: consumidor e empresa. Tenha isso em mente e trabalhe com o melhor do seu time, em termos de atendimento, e no desenvolvimento de produtos para que o crescimento e o placar estejam sempre a seu favor! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Veja Mais

LG apresenta K50s e K40s em antecipação à IFA 2019

LG apresenta K50s e K40s em antecipação à IFA 2019

canaltech Queimando a largada da IFA 2019, a LG já mostrou dois novos aparelhos da linha K que estarão no evento na Alemanha. Em comunicado oficial, ela apresentou o K40s e o K50s, seus dispositivos que se posicionam como intermediários da marca. Uma curiosidade dos modelos é que eles seguem um padrão de resistência chamado de MIL-STD-810G, voltado para uso militar. Ou seja, a proposta é de que eles aguentem muita pancada, poeira, altas variações de temperatura e umidade. A linha também conta com o DTS:X 3D Surround Sound, assim chamada a tecnologia capaz de simular um sistema de som surround 7.1, principalmente em games e filmes. Isso através de fones de ouvido, e não pelas caixas de som do dispositivo. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Vamos às especificações. LG K40s LG K40s (Divulgação/LG) O dispositivo chega com tela de 6,1 polegadas em proporção 19.5:9 e resolução em HD+. Em termos de fotografia, ele traz um conjunto duplo de sensores na parte de trás, com um principal de 13 MP e outro de 5 MP voltado para fotos com lente grande-angular. Já na frente, a lente de selfie carrega um sensor de apenas 13 MP, em um pequeno entalhe no formato de gota centralizado. As especificações dele trazem um chipset (não especificado pela LG) de 2.0 GHz e Octa-Core. A LG se comporta da seguinte forma com seus aparelhos: na linha de intermediários, geralmente, ela usa processadores da MediaTek. Somente para os topos de linha é que ela reserva os Snapdragon da Qualcomm. Portanto, embora ela não abra essa informação em seu comunicado, é bem possível que o processador seja da Mediatek. Segundo o site GSMArena, o chipset é um Mediatek MT6762 Helio P22, com CPU Cortex-A53, junto a uma GPU PowerVR GE8320 no processamento gráfico. A informação não é confirmada no comunicado oficial. A peça é acompanhada do conjunto de 2 MB de memória RAM e 32 GB de espaço de armazenamento interno. O aparelho aceita cartão microSD de até 2 TB. O smartphone também chega com algumas outras ferramentas, como leitor de digital, botão para Google Assistente e já vem com Android 9 Pie. Em termos de bateria, são 3.500 mAh. A companhia ainda não anunciou o preço do dispositivo. LG K50s LG K50s (Foto: Divulgação/LG) Esta é a versão mais potente da linha. De cara, ela já chega com tela maior, de 6,5 polegadas, também com proporção 19.5:9 e resolução em HD+. O LG K50s carrega uma lente a mais na parte de trás para fotos. Assim, o conjunto é: 13 MP para um sensor principal, 2 MP para o de profundidade e 5 MP para grande-angular. O modelo mais potente também conta com um entalhe em gota e um sensor de 13 MP na frente. A LG informa que o processador, aqui, também é apenas um “chipset 2.0 GHz Octa-Core”. Com isso, segundo também o GSMArena, ele chega com o mesmo conjunto Mediatek MT6762 Helio P22, com CPU Cortex-A53 e GPU PowerVR GE8320. Uma mudança, contudo, está na mémoria RAM, aqui são 3 GB com os mesmos 32 GB de armazenamento interno (expansíveis até 2 TB, por microSD). A bateria desta versão também é maior, com 4.000 mAh. O LG K50s também tem as mesmas ferramentas da versão menos potente. Ou seja, Android 9 Pie, leitor de digital e botão de Google Assistente. Os dois modelos serão lançados nas cores preta e azul e chegam aos mercados latino-americano, europeu e asiático em outubro. A companhia deve apresentar os modelos e dizer o preço somente na IFA, evento que começa em 6 de setembro na Alemanha. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Mais um livro de Stephen King ganhará adaptação para os cinemas

Mais um livro de Stephen King ganhará adaptação para os cinemas

canaltech Os livros do novelista e escritor Stephen King já renderam ótimas adaptações para o cinema e, segundo o Hollywood Reporter e um tuíte do próprio autor, mais uma obra deve aparecer nas telonas: The Girl Who Loved Tom Gordon, sem tradução no Brasil, está em vias de ser filmado por Chris Romero, viúva do falecido produtor e ícone do “cinema zumbi” George A. Romero. A produtora se juntou à equipe responsável por IT: A Coisa — esta última, outra obra de King — para executar o projeto. Os produtores Roy Lee e Jon Berg (Vertigo Films), bem como Ryan Silbert (Origin Story) vão encabeçar as filmagens da obra literária de 1999. O livro conta a história de Trisha McFarland, que se perdeu em uma densa floresta durante uma trilha com sua recém-divorciada mãe e seu irmão. A protagonista, que tem nove anos de idade e tem medo do escuro, permanece na mata por nove dias, tentando retornar à civilização. Durante esse tempo, problemas como desidratação, fome e exaustão física causam alucinações na criança, que passa a falar com várias pessoas em sua imaginação, entre eles“Tom Gordon” um jogador de beisebol que é um ídolo da personagem. A trama evolui a ponto de Trisha acreditar que está sendo perseguida por uma fera sobrenatural chamada de “Deus dos Perdidos”. (Imagem: Reprodução/Wikipedia) Andrew Childs (LEGO Batman; Death Note) é o produtor executivo da adaptação e a equipe está à procura de um roteirista para desenvolver a narrativa para as telonas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O projeto havia sido iniciado pelo próprio George Romero. As negociações acabaram parando e o produtor - reconhecido pelo seu papel na introdução dos zumbis nos cinemas em filmes como A Noite dos Mortos Vivos, Despertar dos Mortos e Dia dos Mortos - acabou morrendo em 2007. Chris, sua esposa e colega de trabalho por meio do selo Sanibel Films, decidiu reanimar a ideia. O próprio Stephen King, autor do livro, confirmou a notícia pelo Twitter, mostrando sua empolgação: “‘The Girl Who Loved Tom Gordon’ está chegando. Finalmente! Estou empolgado”. Em comunicado divulgado à imprensa americana, King falou um pouco mais: “Estou muito feliz pelo meu livro, que está ganhando uma adaptação para os cinemas, e que a empresa de George está envolvida. Chris (Romero) vem trabalhando duro há muito tempo para fazer esse projeto acontecer”. THE GIRL WHO LOVED Tom Gordon is coming--finally. I'm excited.https://t.co/6cypKBzK6C — Stephen King (@StephenKing) August 21, 2019 Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização

Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização

canaltech Em uma nova atualização do Windows 10 disponibilizada para usuários Insiders (que testam as novidades antes do público), a Microsoft está dando destaque adicional a um recurso que reabre todos os aplicativos ativos antes de uma reinicialização do sistema. A funcionalidade aparece na versão 18965 da plataforma, ainda em caráter de testes, mas deve dar as caras de forma final em breve. O recurso vem desativado por padrão e aparece nas configurações de login do Windows 10, sob o menu de Contas. A comunicação é clara, com a opção indicando a possibilidade de salvar os aplicativos abertos no momento em que o usuário desconecta de um perfil para que eles sejam reabertos assim que ele retornar. É importante frisar, entretanto, que não se trata de uma opção de retomar o trabalho de onde ele havia sido interrompido, mas sim, uma forma de acelerar o acesso às soluções que são usadas com frequência, como navegadores e serviços de e-mail. Para todos os efeitos, é o mesmo que fechá-los manualmente antes da reinicialização e abrir de novo após o processo, com a diferença que, agora, o Windows 10 é que fará isso para você. Sendo assim, vale a pena ficar atento para não confundir o recurso com a opção de iniciar softwares automaticamente com o sistema. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Recurso que facilita reinicialização ao reabrir apps deve ganhar mais clareza em atualização do Windows 10 (Imagem: Reprodução/GenBeta) A funcionalidade nem mesmo é uma novidade, já que existe nas versões atuais do Windows 10. A comunicação, porém, não é das melhores, e ela aparece escondida em meio a configurações de privacidade e usando terminologias complexas, relacionadas à configuração automática de um dispositivo e o uso de informações de login para reinício rápido. O que a Microsoft faz, basicamente, é dar mais ênfase e clareza a um recurso que pode ser pouco conhecido pelas pessoas, mas bastante útil a elas. Tanto que a mudança vem em resposta a um apelo dos próprios Insiders, que solicitaram à Microsoft mais intuitividade no uso do recurso. Por enquanto, a novidade aparece apenas na versão de testes do Windows 10, mas como se trata apenas de uma alteração de nomenclatura em um recurso que já existe na edição final do sistema operacional, não é nada irreal pensar que ela pode dar as caras no novo formato já em um dos próximos updates da plataforma. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Para expandir mundo de Harry Potter, Niantic aposta no 5G e na nuvem

Para expandir mundo de Harry Potter, Niantic aposta no 5G e na nuvem

canaltech A imagem de gente correndo loucamente por aí atrás de Pokémon já se tornou comum, mas não se assuste se, no futuro, esse burburinho for substituído pelo som de invocações de feitiços e batalhas campais de magia. Pelo menos é essa uma das apostas da Niantic para o futuro não apenas de Harry Potter: Wizards Unite, mas também dos jogos de realidade aumentada em si. A ideia é garantir uma jogatina multiplayer em tempo real, sem lag nem problemas de conexão, utilizando a força de seus servidores localizados ao redor do mundo e também da tecnologia 5G. A desenvolvedora compartilhou um pouco destes objetivos tão ambiciosos durante o WB Games Summit 2019, evento da distribuidora que aconteceu nesta terça-feira (20) em São Paulo (SP), e trouxe novidades ou visões mais aprofundadas sobre alguns dos próximos lançamentos da marca. Com a palavra estava Aramis Pelissari, que trabalha para a Niantic com foco no crescimento do mercado latino-americano, um dos mais fortes para a companhia. E aqui não estamos falando apenas de Pokémon GO, um sucesso indiscutível desde seu lançamento, mas também do próprio Harry Potter: Wizards Unite, o maior lançamento mobile da Warner no Brasil e que tem o nosso país como o quinto colocado em número total de jogadores. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Você já pode até conhecer o game, com as batalhas em lugares reais, caça por itens e duelos usando realidade aumentada. O que Pelissari exibiu no palco, entretanto, foi um olhar sobre o futuro do título, com jogadores se enfrentando em tempo real e lançando feitiços uns sobre os outros. Se, hoje, Wizards Unite é citado por muita gente como o “Pokémon GO de Harry Potter”, a demonstração exibida poderia muito bem ser definida como um “Call of Duty em realidade aumentada”.   Os testes, segundo Pelissari, foram feitos em condições ideais, utilizando uma combinação de iPhone 8 e Pixel 2, da Google, juntamente com uma conexão 5G ainda limitada oferecida por parceiros de telecom. Os resultados, entretanto, foram impressionantes, com uma jogatina sem lag e com comportamento em tempo real, com danos e efeitos sendo vistos da mesma forma por todos enquanto o game rastreava suas posições e gerava interatividade simultaneamente. O segredo por trás de tudo é o que a Niantic chama de Nuvem AR, basicamente a alma que une todos esses elementos e os transforma em jogo. Na combinação das imagens capturadas pelos celulares envolvidos na ação, por exemplo, os servidores são capazes de determinar a posição de obstáculos e a profundidade do cenário, gerando elementos interativos de acordo. Essa é, também, a forma de manter os jogadores ligados na tela dos celulares. Como o próprio Pelissari explica, os títulos da Niantic são focados em interação, prática de exercícios e experiências sociais. E, no último caso, nada melhor do que promover uma sadia guerra de feitiços entre amigos, entre uma partida de quadribol e outra. O 5G ainda está distante de nós, mas a desenvolvedora quer garantir estar preparada quando ele chegar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses NASA planeja usar energia térmica nuclear em foguetes para chegar a Marte Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox Nubank começa a expandir contas de pessoa jurídica para seus clientes Veja Mais

Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana

Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana

canaltech O Brasil conta com muitos descendentes de italianos e, por isso, o pedido para obter a cidadania do país se torna um processo ainda mais longo e complicado. Pensando em auxiliar essas pessoas no pedido, o site Cidadania4u foi desenvolvido. O projeto oferece serviços de consultoria, busca de documentos e assessoria jurídica, disponibilizando na plataforma todo o andamento do processo de requerimento de forma transparente. Os preços variam de acordo com cada caso, custando uma média entre R$ 3 mil a R$ 20 mil, com possibilidade de pagamento parcelado em até seis vezes. O valor final vai depender da quantidade de documentos que precisam ser coletados, traduzidos e da complexidade. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Processo Com as informações e documentos do requerente, uma linha do tempo personalizada é criada exibindo a ordem das etapas que precisam ser concluídas. A execução das tarefas depende do consulado italiano de cada parte do Brasil, visto que existem regras e formas de trabalho independentes. Com essa vasta procura, é possível encontrar certidões, fazer traduções, entre outras etapas do processo em tempo real sem preocupação para o cliente. Sendo assim, o requerente precisa apenas aguardar. Imagem: Reprodução O Cidadania4u conta com diversos colaboradores especialistas nas áreas em que atuam, responsáveis por cumprir as tarefas de forma rápida. Rafael Gianesini, um dos fundadores do serviço, conta que a ideia do projeto é que a pessoa consiga acompanhar em tempo real todas as fases do processo, desde a busca e tradução dos documentos até a visita ao consulado. "Dessa forma, o cliente estará sempre a par da operação a toda a documentação de forma online e digital por meio de nosso app", conta. O processo é demorado, mas Gianesini afirma que o tempo de espera não deve passar de dois anos, segundo a lei italiana. "Por isso, possuímos uma equipe jurídica à nossa disposição na Itália para garantir que essa norma seja cumprida, facilitando ainda mais a vida dos nossos clientes", completa. Somente no último semestre, o site Cidadania4u, que também está disponível em aplicativo para Android e iOS, recebeu 280 pedidos. Cerca de 370 pessoas já foram atendidas, contando com faturamento total de R$ 380 mil. Até o fim do ano, a expectativa da empresa é alcançar um crescimento de 30%. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Veja Mais

Estudo analisa se a poluição estaria relacionada à incidência de doenças mentais

Estudo analisa se a poluição estaria relacionada à incidência de doenças mentais

canaltech Um estudo publicado na última terça-feira (20) pela revista PLOS Biology trouxe à tona a relação existente entre a poluição e as doenças mentais, como bipolaridade, esquizofrenia ou depressão. Embora os pesquisadores tenham encontrado evidências de que exista essa correlação, ainda não está claro se a poluição está de fato afetando nossos cérebros, ou como isso acontece. O estudo analisou as informações de 151 milhões de pessoas nos Estados Unidos e 1,4 milhão de pessoas na Dinamarca. Os pesquisadores descobriram que, depois da etnia, o fator mais influente em um paciente diagnosticado com transtorno bipolar era a qualidade do ar. A pesquisa tentou levar em conta fatores como renda, etnia e densidade populacional, mas um outro fator que poderia estar ligado à saúde mental e à poluição poderia ser o ruído do tráfego, que é conhecido por aumentar o estresse e atrapalhar o sono. "Apesar das análises envolvendo grandes conjuntos de dados, as evidências disponíveis apresentam falhas substanciais e uma longa série de possíveis vieses pode invalidar as associações observadas", aponta o próprio estudo.  Doenças mentais, como a depressão, têm relação com a poluição Segundo o que é dito por John Ioannidis, da Universidade de Stanford, no artigo publicado na PLOS Biology, se fosse confirmado que o ar sujo está causando as condições mentais, isso "abriria novos caminhos para a prevenção e o tratamento". -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Algo que representa um empecilho ao estudo é a falta de dados sobre a verdadeira exposição do indivíduo à poluição. No entanto, uma possibilidade levantada pela pesquisa é que alguns dos menores poluentes — material particulado conhecido como PM2.5s — podem atravessar a barreira hematoencefálica, potencialmente afetando o cérebro. Outra possibilidade é que o aumento da inflamação no corpo causada pela poluição gera estresse. A conclusão que o estudo chega é que há sim uma associação entre ar sujo e distúrbios mentais, mas isso justamente implica mais pesquisas antes que se bata o martelo nesta correlação. Então resta aguardar pelo que ainda pode ser descoberto por meio de futuras pesquisas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Veja Mais

Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox

Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox

canaltech Ao longo de todo o mês de agosto, temos descoberto que funcionários ligados a algumas das maiores empresas de tecnologia do mundo estão escutando nossas conversas sem que fiquemos sabendo e, nesta quarta-feira (21), descobrimos que não estamos salvos nem mesmo quando vamos jogar videogame. Segundo revelação feita por alguns funcionários terceirizados da Microsoft, o problema com a empresa mais uma vez tinha relação com a Cortana. No começo deste mês, já foi revelado que as interações com a assistente virtual através do Windows era monitoradas por terceirizados, e agora descobrimos que aquelas que partiam dos consoles Xbox também passavam pelo mesmo monitoramento. De acordo com uma reportagem da Vice, funcionários terceirizados da Microsoft também faziam o monitoramento de qualquer comando de voz gravado pelo Xbox — e isso desde o Xbox 360, antes da existência da assistente virtual nos consoles da marca. O sistema deveria gravar os comandos de voz apenas quando o usuário ativasse a Cortana por comandos específicos, e os funcionários deveriam ouvir a interação para medir a qualidade da resposta da IA, mas a reportagem revelou que diversas vezes os aparelhos habilitavam sozinhos os comandos de voz, e os funcionários tinham acesso então a conversas pessoais dos donos dos videogames. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Em comunicado oficial, a Microsoft afirmou que deixa claro em suas políticas de uso que as interações feitas por comando de voz em seus aparelhos podem ser revisadas por funcionários para efetuar o controle de qualidade dessas interações, e que recentemente atualizou a política de uso de seus equipamentos para tornar mais clara essa coleta e revisão das interações. Além da Microsoft, a Apple, Google, Amazon e Facebook também possuem práticas parecidas para a melhoria de seus algoritmos de IA, e têm sofrido com a pressão pública desde que essas práticas foram reveladas. Até o momento, Apple, Facebook e Google já avisaram que estão interrompendo temporariamente a revisão das interações até que uma solução positiva para todas as partes seja encontrada, enquanto a Amazon vai permitir que os usuários optem em não ter suas conversas com a Alexa gravadas para a melhoria do produto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA O maior campus da Amazon acaba de ser inaugurado na Índia Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Tidal anuncia recurso de compartilhamento no Stories do Instagram e Facebook

Tidal anuncia recurso de compartilhamento no Stories do Instagram e Facebook

canaltech O Tidal, plataforma de streaming de músicas e vídeos, acaba de anunciar que será possível fazer o compartilhamento de conteúdo no Stories do Instagram e no Facebook muito em breve. Assinantes do serviço para Android ou iOS poderão conferir a novidade no menu e, em seguida, na opção "Compartilhar". Poderão ser compartilhadas músicas, álbuns, artistas e playlists como imagens estáticas, no caso de se tratar somente da música, e como prévias de 15 segundos no caso de vídeos. A biblioteca do Tidal conta com mais de 60 milhões de músicas e mais de 250 mil videoclipes, possuindo também milhares de coberturas de shows e centenas de séries em vídeos originais, e tudo isso poderá ser compartilhado no Instagram ou Facebook. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Imagem: Reprodução "Nós vemos todos os dias usuários compartilhando os seus conteúdos favoritos do Tidal nas redes sociais. Com o relevante catálogo de vídeos do Tidal, tornou-se uma prioridade mostrar melhor o conteúdo e assimilá-lo em outros aplicativos populares — estamos orgulhosos de continuar indicando o caminho do conteúdo de vídeo entre os nossos colegas", conta Lior Tibon, COO da plataforma de streaming. A novidade será disponibilizada ao longo desta semana. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Brasil pode ter revelado possível design do PlayStation 5

Brasil pode ter revelado possível design do PlayStation 5

canaltech Esperado para o fim do ano que vem, o PlayStation 5 ainda é um mistério guardado a sete chaves na Sony, mas uma patente registrada no Brasil pode ter revelado como será o design do aparelho. A patente foi registrada em maio deste ano no Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI) e publicado no dia 13 de agosto pela Revista da Propriedade Industrial. Na publicação, é possível ver a imagem de algo que se parece com um console de videogame, podendo muito bem ser o design do PlayStation 5 ou então do seu dev kit (um console mais potente e cheio de ferramentas de debug que é utilizado pelos desenvolvedores para testar seus jogos em desenvolvimento). Segundo os dados que constam no documento, o registro feito no país vale pelos próximos 10 anos antes de precisarem ser renovados caso a empresa queira manter os direitos sobre o uso do design no país. É possível ver também que o suposto PS5 terá um enorme chanfro em “ V” em seu topo, com as saídas de ar voltadas para o interior desse chanfro. Esse é um design um tanto curioso para aparelhos eletrônicos, pois tem potencial para atrapalhar a dispersão do calor, o que poderia causar um aquecimento além do normal para o suposto console. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Imagem da patente que supostamente seria de um dev kit do PS5 (Imagem: Revista da Propriedade Industrial) Mas outras características do design dão a entender que ele se trataria mesmo de um dev kit do novo console da Sony. Por exemplo, é possível ver diversas entradas USB na parte frontal do aparelho, ao lado do leitor de disco. Segundo o desenho, são cinco portas do tipo, então é bem provável que se trate mesmo de um dev kit, pois os desenvolvedores muitas vezes precisam conectar diversos equipamentos externos no console para fazer os testes de seus jogos, e todos os consoles da Sony — incluindo aqueles que não possuíam controles sem fio — nunca disponibilizaram mais do que duas entradas USB para os jogadores. Por enquanto, a Sony já divulgou diversas informações sobre as especificações de hardware do novo console, mas a patente brasileira é o primeiro registro que temos de algo que poderia se assemelhar a um produto final. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios

Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios

canaltech Nem tudo que rola na Gamescom é feito pelas principais empresas de jogos do setor: alguns players inesperados acabam acontecendo e capturando a atenção. Essa, pelo menos, é a intenção da Honor, subsidiária da Huawei, que anunciou durante a edição deste ano da feira, na Alemanha, a sua entrada no mercado de jogos com dois lançamentos: um gamepad e uma iniciativa de parcerias com desenvolvedores independentes — ambas para o smartphone Honor 20 Pro. O gamepad em si não tem nada que você já não espere de outros modelos disponíveis no mercado: ele se conecta ao smartphone via entrada USB-C, mas seu funcionamento se dá via pareamento Bluetooth. A razão por essa dualidade reside na carga: o gamepad conta com uma bateria própria que, embora tenha uma boa duração (400 mAh, segundo divulgou a empresa), pode puxar carga do próprio Honor 20 Pro caso fique sem energia. A Honor assegura que o acessório tem compatibilidade com praticamente todos os jogos do mercado móvel, desde que os aplicativos ofereçam controles via Bluetooth. Ademais, os usuários poderão mapear botões individualmente, jogo a jogo, o que é sempre bom para se adequar à multitude de perfis de gamers por aí. A ideia da empresa é começar a vendê-lo, inicialmente, na Europa Ocidental até o final deste ano. Preços não foram revelados. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- (Imagem: Divulgação/Honor) Já a iniciativa envolvendo desenvolvedores e estúdios independentes que trabalhem em jogos mobile gira em torno da oferta que a Honor vem fazendo, de permitir a essas empresas o acesso a APIs de hardware relacionadas ao Honor 20 Pro. Segundo a fabricante, isso deve levar a “experiências únicas de jogo”, embora ela não tenha oferecido nada específico ou detalhado. Finalmente, a empresa afirmou que 18% de seus usuários se identificam como fãs ou jogadores de eSports, então podemos esperar entradas da companhia nesse setor: jogos como Free Fire (Garena) e PUBG Lite (PUBG Corps) são alguns dos mais baixados das lojas virtuais para smartphones, então faz sentido que a Honor esteja de olho nessa parcela da indústria. Interessante mesmo é a centralização de todas essas iniciativas no Honor 20 Pro. O aparelho traz um hardware bem forte (processador Kirin 980, bateria de 4.000 mAh, 8 GB de RAM e 256 GB de espaço de armazenamento), mas não é tido como um “gaming phone”, ao contrário de títulos concorrentes, como o ROG Phone da Asus ou o Black Shark 2 da Xiaomi. Se a Honor não pode competir com eles diretamente, vale buscar as parcerias para dar a volta por cima? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay

Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Esta matéria é fruto de uma parceria com o Magazine Luiza e traz uma oferta especial para os leitores do Canaltech. Saiba tudo sobre a loja Magazine Você no vídeo que gravamos na sede do Magalu:   Apesar da popularidade dos serviços de armazenamento em nuvem, que facilitam (e muito!) a nossa vida, pois permitem guardar e compartilhar arquivos online sem depender de espaço físico em disco, é fato que essa facilidade toda depende de uma conexão com a internet. Por isso, os pendrives estão longe de se tornarem obsoletos graças à evolução das tecnologias em nuvem, e permanecem itens de necessidade básica em nosso dia a dia. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- E se você tem pendrives com pouco espaço disponível sem poder deletar mais nada de lá, ou se o seu "velho de guerra" já está "pedindo arrego", agora é a hora de comprar um pendrive novo: é que o Magazine Luiza está com uma super promoção no DataTraveler 50 da Kingston, com 16 GB de espaço! E além de tudo, você pode ter R$ 10 adicionais de desconto pagando pelo RecargaPay (e a gente explica como você pode conseguir essa vantagem ao final deste texto). Sobre o Kingston DataTraveler 50 Pesando apenas 10 gramas, este pendrive é ideal para ser seu companheiro de todas as horas, já que pode ser transportado por aí sem que você sinta que está carregando nada a mais em sua mochila. Seu design, além de compacto, também é moderno, contando com acabamento em metal e sem tampa. Seu desempenho é de 30 MB/s para leitura e 5 MB/s para gravação, tudo isso contando com a conexão USB 3.0 — mas o pendrive também é compatível com USB 2.0, caso seu computador somente tenha essa possibilidade. Ainda, o DT50 é compatível com Windows a partir do XP e macOS a partir da versão 10.5, e a Kingston oferece garantia de cinco anos, além de suporte técnico gratuito caso algum dia você precise. Na promoção, o pendrive está custando só R$ 24,90 — mas você pode pagar apenas R$ 14,90 se contar com o RecargaPay. Ah, e você também pode dispensar o pagamento do frete (economizando ainda mais), bastando escolher a retirada de sua compra em uma das quase mil unidades físicas do "Magalu" espalhadas pelo Brasil — é só escolher a loja mais próxima de você na hora de finalizar o pedido e fazer a retirada depois de duas horas de o pagamento ter sido aprovado. Pague menos graças ao RecargaPay Para conseguir os R$ 10 de desconto adicionais, você primeiro precisa baixar o RecargaPay por meio dos seguintes links: Android ou iOS. É preciso baixar o aplicativo dessa maneira para que o valor seja concedido, já que esta oferta é uma parceria do app com o Canaltech. Ou seja: se baixar o app diretamente nas lojas da Google e da Apple, você não ganha o desconto, que é exclusivo para os nossos leitores. Feito isso, é só você preencher seus dados no cadastro, incluindo um cartão de crédito que será usado para os pagamentos. No Magazine Luiza, você deve escolher pagar por meio de boleto bancário, com este boleto, então, sendo pago com seu cartão de crédito no RecargaPay. O RecargaPay é um serviço que permite ao usuário adquirir créditos para pagar contas à vontade, além de fazer recargas de celulares pré-pagos e cartões de transporte, também permitindo o pagamento de boletos e compras virtuais — como esta promoção do Magazine Luiza. Se quiser saber mais sobre o RecargaPay, confira a matéria em que o Canaltech explica tim-tim por tim-tim do serviço. *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no WhatsApp para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. O que é o Magazine Você? Acessou os links e não entendeu o que é o Magazine Você? Trata-se do canal de divulgação das ofertas do site Magazine Luiza, conforme consta em comunicado oficial. Somos um dos parceiros oficiais de divulgação e nossa loja chama-se Magazine Canaltechbr. Todo o processo de cobrança, faturamento e logística é feito pelo próprio Magazine Luiza que, além do site, possui mais de 800 lojas físicas espalhadas pelo Brasil. Uma dúvida comum de nossos leitores é o motivo dos preços em nossa loja serem muitas vezes diferentes dos anunciados no site principal do Magazine Luiza. O motivo é que o Magazine Você recebe ofertas exclusivas que não são divulgadas no site principal. Então aproveite as promoções e acesse nossa loja para garantir ofertas exclusivas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Reforma tributária propõe cobrança de impostos a sites como o Mercado Livre

Reforma tributária propõe cobrança de impostos a sites como o Mercado Livre

canaltech A reforma tributária é um dos assuntos que mais discutidos no Senado este ano. E o principal desafio dela é diminuir a quantidade de impostos sem, necessariamente, diminuir a arrecadação do Estado. E, por isso, os serviços baseados em internet deverão ser os mais afetados pelas mudanças propostas. De acordo com o senador Roberto Rocha, relator da comissão que está encarregada desta reforma, um dos objetivo será a taxação de sites e serviços de internet que hoje possuem imunidade tributária. O foco será, principalmente, os sites de venda que funcionam como intermediário entre vendedores e consumidores, como Mercado Livre e OLX. A proposta da reforma acabaria com nove impostos existentes hoje ( IPI, IOF, PIS/Pasep, Cofins, Salário-Educação, Cide-combustíveis, CSLL, ICMS e ISS), que seriam substituídos por apenas dois: o Imposto sobre Operações de Bens e Serviços (IBS), de competência estadual, e o Imposto Seletivo, de competência federal. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Assim, a ideia é de que, ao cobrar o IBS de sites e serviços da internet, que estão isentos dos tributos atuais , seria possível compensar o “rombo” orçamentário causado pela substituição de tantos impostos. Para Rocha, a proposta da reforma tributária é fazer com que haja uma maior quantidade de pessoas pagando impostos, mas com uma carga tributária muito menor, fazendo com que a situação seja vantajosa para todas as partes. Mas, apesar de defender a cobrança de impostos aos sites, o senador não entra em detalhes sobre como será realizada essa tributação. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

"Netflix dos cinemas" expõe dados de cartão de crédito de seus clientes

canaltech Na última terça-feira, o portal norte-americano TecHCrunch trouxe à tona um relatório envolvendo o MoviePass, um serviço de venda de ingressos de filmes baseado em assinatura, e apelidado de "Netflix dos cinemas". Basicamente, informações confidenciais dos usuários, como os dados dos cartões de crédito, ficaram completamente desprotegidas na plataforma. Mais de 160 milhões de registros foram deixados sem criptografia. A exposição das informações dos clientes do MoviePass aconteceu por causa de uma falha na proteção por senha de um banco de dados. Isso afetou dezenas de milhares de usuários. Quem descobriu essa falha, segundo o Tech Crunch, foi Mossab Hussein, um pesquisador da empresa de segurança cibernética SpiderSilk, de Dubai. Hussein contatou o executivo-chefe do MoviePass, Mitch Lowe, por e-mail. Entretanto, acabou não obtendo nenhuma resposta. A empresa deixou o banco de dados offline apenas no momento que a equipe do portal norte-americano entrou em contato. MoviePass é considerada a Netflix dos cinemas (Foto: Divulgação/MoviePass) Hussein conta que encontrou o banco de dados exposto usando ferramentas de mapeamento da Web criadas pela SpiderSilk. Essas ferramentas, basicamente, permitem espionar bancos de dados não protegidos, e a informação é divulgada de forma privada às empresas, costumeiramente em troca de uma recompensa pela descoberta da falha. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- No entanto, o pesquisador de segurança diz que deixar os dados descriptografados em um banco de dados exposto e acessível foi uma verdadeira negligência da MoviePass. "Continuamos a ver empresas de todos os tamanhos usando métodos perigosos para manter e processar dados de usuários particulares", afirma. "No caso da MoviePass, estamos questionando a razão pela qual as equipes técnicas internas poderiam ver esses dados críticos em texto simples e por que o conjunto de dados foi exposto para o acesso público por qualquer pessoa". O pesquisador de segurança Nitish Shah diz que também encontrou o banco de dados exposto meses antes. “Eu até os notifiquei, mas eles não se incomodaram em responder ou consertar”, declara. Isso significa que o banco de dados pode ter sido exposto por meses. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

232 mil pessoas foram atacados por ransomwares entre abril e junho

232 mil pessoas foram atacados por ransomwares entre abril e junho

canaltech Os ransomwares estão cada vez mais se tornando o vetor de ataques mais lucrativo para os hackers, e os números divulgados pela Kaspersky são prova disso. De acordo com os especialistas em segurança, 232,2 mil pessoas foram alvos de tentativas de ataque dessa categoria apenas no segundo trimestre de 2019, um total que dobrou em relação ao mesmo período do ano anterior. Não apenas estão crescendo os números de ataques, mas também as ferramentas à serviço dos criminosos para realizá-los e, também, fugir da proteção de softwares de segurança. Entre abril e junho de 2019, a Kaspersky detectou mais de 16 mil novas variantes de ransomware sendo utilizadas em ataques, com direito ao nascimento de oito novas famílias de pragas virtuais. Nesse caso, o crescimento é de 46% em relação ao mesmo período do ano passado e uma clara ideia de que ameaças, aparentemente dormentes, estão mais vivas do que nunca. Em 23,4% dos casos, variantes do WannaCry foram utilizadas em ataques contra os usuários, muitas delas mirando sistemas operacionais desatualizados, usuários leigos e computadores desprotegidos. Em segundo lugar está o GandCrab, com 13,8%. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O crescimento nos ataques usando malwares também parece estar espalhado por todo o mundo. Segundo a Kaspersky, Bangladesh aparece na primeira colocação, com 9% dos usuários globais afetados e é seguido pelo Uzbequistão (6%) e Moçambique (4%). Por outro lado, a Kaspersky aponta para o iminente fim na distribuição do GandCrab como um ponto positivo, já que seus criadores não mais trabalharão nesta que já foi uma das famílias de ransomwares mais populares. “Ele ficou na lista dos mais perigosos por mais de 18 meses e, mesmo com seu declínio, não sumiu das estatísticas”, aponta Fedor Sinitsyn, pesquisador de segurança da empresa. “Os [responsáveis] interromperam as atividades maliciosas depois de declararem ter ganhado muito dinheiro com a extorsão das vítimas”, explica, apontando que, por mais que a notícia seja boa, isso não significa que o perigo passou. A necessidade constante de atenção se deve ao fato de não apenas o GandCrab ainda ter milhares de variantes circulando por aí, mas também pela ideia de que novos malwares virão para ocupar o espaço deixado por ele. Sendo assim, a Kaspersky alerta os usuários para que mantenham seus dispositivos atualizados e com softwares de segurança ativos, de forma a evitar infecções. Além disso, no caso específico dos ransomwares, a recomendação é para que os usuários não realizem o pagamento, já que isso não dá nenhuma garantia de que o funcionamento da máquina será devolvido. O ideal é manter backups dos dados e procurar ajuda técnica caso um computador seja sequestrado para que os procedimentos devidos de limpeza sejam realizados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens Veja Mais

Ataque de ransomware atinge 22 cidades dos Estados Unidos

Ataque de ransomware atinge 22 cidades dos Estados Unidos

canaltech Um ataque de ransomware coordenado atingiu 22 cidades dos Estados Unidos na última sexta-feira (16). Todos os municípios fazem parte do estado do Texas, com o golpe mirando diferentes órgãos públicos da região, colocando-a em estado de emergência e motivando uma investigação que, agora, foi assumida pelas autoridades federais. Alguns dos sistemas ficaram fora do ar durante todo o final de semana e só voltaram ao ar nesta terça-feira (20), mas o Departamento de Recursos e Informações do Texas (DRI, na sigla em inglês) não deu mais detalhes. O governo não informou, por exemplo, a lista de cidades atingidas nem quais órgãos foram comprometidos pela onda de ataques, afirmando apenas que, até onde se sabe, nenhum dos serviços públicos realizou o pagamento solicitado pelos hackers. Ainda de acordo com as informações oficiais, os ataques não pareceram aleatórios, com vetores comuns entre diferentes departamentos das administrações municipais que teriam sido escolhidos explicitamente pelos hackers. Por mais que sistemas estaduais ou federais não tenham sido acessados, as autoridades pedem cautela já que os golpes podem voltar a acontecer. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Os ataques do tipo ransomware efetivamente “sequestram” a máquina infectada, criptografando os arquivos e impedindo o acesso a eles até que um pagamento, normalmente em criptomoedas, seja realizado. As pragas normalmente acompanham bravatas e ameaças, falando, por exemplo, que os dados serão apagados caso o resgate não seja enviado dentro de um determinado prazo, mas normalmente não resultam no vazamento de informações. A brecha aberta em sistemas oficiais, entretanto, cria um alerta vermelho para esse tipo de coisa, principalmente pela ideia de que a onda da última semana foi coordenada. O governo do Texas disse ainda não ter muitas pistas sobre quem esteve por trás do golpe, afirmando apenas que ele foi realizado por um único indivíduo ou grupo. O número original, de 23 cidades, foi reduzido para 22 neste começo de semana e por mais que o número pareça pequeno, enquanto o governo estadual tenta indicar que ele foi isolado apenas ao Texas, especialistas apontam que este é o maior ataque coordenado de ransomware contra uma estrutura governamental já registrado. Ondas como a do Wannacry, por exemplo, foram muito maiores, mas seu comportamento era errático e sem alvo específico, enquanto o caso da última semana pinta um panorama perigoso na medida em que criminosos cada vez mais exploram vulnerabilidades em sistemas governamentais. A preocupação de sempre é quanto aos dados pessoais e financeiros de cidadãos e figuras públicas, principalmente devido a brechas na segurança que, se permitem a entrada de ransomwares, também podem permitir outros tipos de golpes. Como medida de segurança, outras cidades não afetadas, mas próximas dos alvos, desligaram servidores e desconectaram seus sistemas da internet como forma de evitar possíveis problemas. O governador do Texas, Greg Abbott, também está colocando especialistas em cibersegurança em contato com as prefeituras das cidades afetadas, enquanto trabalha ao lado do FBI e forças locais de segurança na investigação do caso. Pelo menos por enquanto, entretanto, as coisas parecem estar indo meio devagar, enquanto a ameaça parece bem maior do que a agilidade em lidar com o caso. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Smartphones da Meizu são vendidos há mais de um ano sem homologação no Brasil

Smartphones da Meizu são vendidos há mais de um ano sem homologação no Brasil

canaltech Depois da Xiaomi, agora outra companhia está vendendo smartphones no Brasil sem a devida homologação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Ao menos 20 aparelhos da Meizu estão oficialmente à venda no país, mas não possuem homologação. O colunista Anderson Mansera, do site Mobizoo, percebeu que vários aparelhos da Meizu não constam no site. Como órgão público, se a consulta não oferece retorno, isso indica que tais aparelhos não possuem certificação da agência. A reportagem do Canaltech também fez a mesma busca no site da Anatel e econtrou a empresa Meizu Technology Co. Ltd.. Dentro da aba da companhia, a busca por produtos homologados oferece 12 respostas: cinco sobre baterias de lítio, duas relacionadas a carregadores e cinco smartphones. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Caption Os modelos homologados pela Meizu junto à Anatel são estes: M621H - código do Meizu M5 Note M710H - Código do Meizu M5c M3 Note M571H - Código do M2 Note M461 - Código do MX4 Aqui no Brasil, quem faz a revenda dos aparelhos da companhia é a Vi Station. Em seu site oficial, a empresa tem listados 22 aparelhos diferentes disponíveis, sendo que apenas dois deles (variações do M5c) contam com homologação da Anatel. São 22 aparelhos vendidos pela Vi Station no site oficial (Foto: Captura/Canaltech) Na loja virtual ainda aparecem os Meizu M6, M6 Note, C9 Pro, C9, X8 e outros aparelhos sem a devida documentação junto à entidade. Alguns deles, como o M6 Note, já estão à venda desde abril do ano passado, sem contar com a documentação correta. Ou seja, há mais de um ano no mercado. O Canaltech entrou em contato com a assessoria de imprensa da Vi Station. A companhia informou que vai verificar a situação e responder o pedido. Assim que houver uma resposta, esta reportagem será atualizada. Anatel A homologação pela Anatel é uma obrigatoriedade desde 2000, por conta de uma resolução que criou o Regulamento para Certificação e Homologação de Produtos para Telecomunicações. Pelo documento, a “homologação é pré-requisito obrigatório para fins de comercialização e utilização” de aparelhos, incluindo os smartphones. O texto aponta pena de “multa e providências para apreensão” no descumprimento da lei. A homologação é um processo em que a Anatel verifica se o aparelho tem todos os requisitos para funcionar aqui no Brasil. Entre eles, a verificação se a voltagem e conexão de rede funcionam em território nacional. Trata-se de uma garantia de que o dispositivo está adaptado às necessidades do mercado brasileiro. Em junho deste ano a Xiaomi também foi acusada de não ter as devidas documentações para venda de aparelhos no Brasil. A Anatel informou ao Canalteh que “as empresas que fornecem produtos não-homologados estão sujeitas às sanções administrativas da Anatel”. No caso da Xiaomi, a Agência ressaltou o Plano de Ação de Combate à Pirataria. “Consiste em ações de fiscalização na comercialização de produtos para telecomunicações não homologados em vários segmentos, dentre eles, em distribuidores, Correios, aduana, e-commerce, feiras e eventos, etc. Ademais, a Agência está presente no Conselho Nacional de Combate à Pirataria (CNCP), o que tem contribuído com maior integração, sinergia e difusão de políticas públicas no combate a produtos ilícitos. As empresas que fornecem produtos não homologados estão sujeitas às sanções administrativas da Anatel”, completa o comunicado de julho da companhia.  Embora tenha informado que a Xiaomi estaria sujeita à sanções, não notificou quais seriam nem quando seriam aplicadas. O Canaltech entrou em contato novamente com a Anatel e aguarda um novo posicionamento sobre o caso da Meizu. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Libra | Criptomoeda do Facebook é investigada pela Comissão Europeia

Libra | Criptomoeda do Facebook é investigada pela Comissão Europeia

canaltech A Libra, criptomoeda do Facebook, que já enfrenta alguma resistência nos Estados Unidos, está agora na mira de outra investigação. Dessa vez, é a Comissão Europeia que deseja saber se a moeda digital de Mark Zuckerberg apresenta “possíveis comportamentos anticompetitivos”. De acordo com um documento que o canal de notícias Bloomberg teve acesso, a Comissão Europeia está investigando se o sistema de pagamento proposto pelo Facebook poderia atrapalhar os rivais de forma injusta. As autoridades disseram que a preocupação está na forma como a Libra poderia criar "possíveis restrições de concorrência" nas informações que serão trocadas e no uso de dados dos usuários, de acordo com o documento. O Facebook e a Comissão Europeia não comentaram com a Bloomberg sobre o documento, que é parte de um inquérito da UE, que está em fase inicial para reunir informações. A empresa de Zuckerberg já se comprometeu anteriormente em tranquilizar todos os reguladores antes de lançar a criptomoeda. Kevin Weil, vice-presidente da Calibra, empresa que desenvolve a carteira digital, garantiu, em julho, que “nós vamos fazer tudo que os órgãos regulatórios disserem que temos que fazer”. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Veja Mais

Rússia enviará para o espaço um robô com senso de humor

Rússia enviará para o espaço um robô com senso de humor

canaltech A Rússia já agendou a viagem do seu robô F-850 para o espaço: 22 de agosto de 2019. Trata-se do mesmo robô que o país de Putin tem desenvolvido há alguns anos, e anteriormente era conhecido como FEDOR (sigla em inglês para “experimento demonstrativo final de objeto de pesquisa”). A máquina humanoide estará na cadeira de comandante da espaçonave e voará até a Estação Espacial Internacional (ISS). Esta é a primeira vez em que um robô se sentará no lugar do comandante da espaçonave, e não no compartimento de carga. Quando ele estiver a bordo da ISS, realizará várias tarefas sob o controle do cosmonauta Aleksandr Skvortsov e poderá se comunicar com a tripulação espacial. Alimentado por inteligência artificial, este robô autônomo pode executar tarefas como manter seu equilíbrio, dividir seus movimentos gerais em diferentes funções locomotoras separadas, além de fornecer suporte especializado para a tripulação. Ele também pode trabalhar em um "modo avatar", que o deixa completamente controlado remotamente por um operador. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Antes do lançamento da nave não tripulada, com o foguete Soyuz-2.1a, a máquina será capaz de reportar tudo o que for necessário sobre as operações de pré-lançamento e, da mesma forma, transmitirá os parâmetros de vôo e os eventos observados quando estiver rumo a seu destino. Por fim, quando a espaçonave entrar em órbita, o robô vai determinar a sobrecarga e o início da gravidade zero. Ele também será capaz de conversar sobre praticamente qualquer assunto que alguém iniciar. "Como qualquer pessoa, o Skybot F-850 é muito sociável e tem senso de humor", disse Alexander Bloshenko, consultor científico da Roscosmos, a agência espacial russa. "Ele pode manter qualquer tema de conversa e responder a uma variedade de questões: desde as boas-vindas a comentários, continuando com um discurso sobre seus criadores e terminando com a filosofia do espaço". Ainda de acordo com Bloshenko, o Skybot F-850 também passará por alguns testes e vai copiar as ações dos astronautas que estão a bordo da ISS. A expectativa é que as futuras versões do robô sejam também capazes de executar tarefas fora da estação espacial. Assim, eles seriam úteis para realizar reparos na estrutura, por exemplo, o que diminuiria os riscos a que os astronautas humanos são submetidos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Veja Mais

Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã

Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã

canaltech Em busca de uma atmosfera, astrônomos coletaram informações sobre as condições da superfície de um exoplaneta chamado LHS 3844b, que fica a 48,6 anos-luz de distância da Terra. Com a ajuda do telescópio Spitzer, da NASA, eles encontraram indícios de que o planeta se parece mais com a Lua, ou com Mercúrio. Isso porque elepossui pouca ou nenhuma atmosfera, e talvez esteja coberto pela mesma matéria vulcânica resfriada que existe na superfície lunar. Esses resultados sustentam uma teoria sobre os planetas que orbitam estrelas com cerca de 60% menos diâmetro do que o Sol. É que, segundo essa teoria, tais planetas de fato não possuem atmosferas substanciais devido à radiação de sua estrela anã. O LHS 3844b é 1,3 vez maior que a Terra e completa sua órbita em torno de sua estrela em meras 11 horas terrestres. Para realizar o estudo, a equipe observou a luz da superfície do planeta por um período de 100 horas. Através dessas observações, os cientistas descobriram que um lado do planeta está constantemente voltado para a estrela, ou seja, sua órbita é sincronizada. A Lua também tem órbita “travada” em relação à Terra, nos mostrando sempre apenas um lado. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- No seu “lado diurno", o planeta LHS 3844b arde a 770 ºC. Se ele tivesse uma atmosfera substancial, o ar quente dessa face criaria ventos que levariam o calor por toda a superfície. Mas como não existe ar, o "lado noturno" do planeta não recebe calor. Infelizmente não é possível calcular a temperatura da face escura do astro porque o Spitzer é um telescópio infravermelho, apenas. Ilustração de um artista que retrata o exoplaneta LHS 3844b. Imagem: NASA/JPL-Caltech/R. Hurt (IPAC) "O contraste de temperatura neste planeta é quase tão grande quanto possível", disse Laura Kreidberg, pesquisadora do Harvard and Smithsonian Center for Astrophysics, em Cambridge, e principal autora do novo estudo. "Isso combina maravilhosamente com nosso modelo de rocha nua sem atmosfera”, completou referindo-se à teoria sobre planetas que orbitam pequenas estrelas. Quanto à estrela, trata-se de uma anã-branca do tipo M. Significa que ela é relativamente pequena e de fraca luminosidade. Essa foi a primeira vez em que os cientistas conseguiram observar as condições de um exoplaneta sem atmosfera orbitando uma anã M. "Temos muitas teorias sobre como são as atmosferas planetárias em torno das anãs M, mas não havíamos conseguido estudá-las empiricamente", disse Kreidberg. "Agora, com o LHS 3844b, temos um planeta térreo fora do nosso Sistema Solar onde, pela primeira vez, pudemos determinar de forma observacional que não há uma atmosfera presente". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Veja Mais

Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares

Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares

canaltech Apesar de a Tesla ser uma montadora, a empresa também produz painéis solares desde que absorveu a SolarCity, em 2016, e tinha como uma das principais clientes a rede de varejo Walmart. Destaque para o termo “tinha”, pois parece que a relação entre as empresas acabou azedando. O Walmart processou a companhia de Elon Musk após sete de suas lojas terem pegado fogo, acusando a Tesla de negligenciar procedimentos de segurança e de entregar serviços que não atendiam aos padrões industriais, relatando detalhes como falhas no aterro de sistemas elétricos e solares. Além disso, o Walmart reclama também de painéis que apresentavam “defeitos visíveis”, bem como dos técnicos que realizavam a manutenção preventiva dos equipamentos, descrevendo-os como sendo pessoas que "não tinham o treinamento nem o conhecimento básico sobre a tecnologia de energia solar". -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Como forma de ressarcimento pelos prejuízos, a rede de varejo pede que a Tesla não apenas pague pelos danos causados pelos incêndios, como também exige a remoção dos equipamentos das mais de 240 lojas espalhadas pelos EUA. Considerando que Elon Musk vem se esforçando para viabilizar o negócio baseado em energia renovável, é muito provável que a sua empresa vá tentar lutar na justiça e minimizar a imagem negativa, mas, até o momento parece que a Tesla “queimou o filme” mesmo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Geek City | Final nacional de concurso de robótica será em parceria com a LEGO

Geek City | Final nacional de concurso de robótica será em parceria com a LEGO

canaltech O Geek City 2019 será a sede da final nacional da FIRST LEGO League Jr., evento de robótica promovido pela marca, que já teve etapas em cinco estados brasileiros. Em 30 de agosto, primeiro dia do maior evento de cultura pop do Sul do país, os grupos classificados, formados por crianças de 6 a 10 anos de idade, disputarão uma vaga na final nacional da liga, que acontece nos Estados Unidos em março do ano que vem. A FLL Jr., como também é conhecida a competição, tem a Lua como tema da temporada 2018/2019. Usando um kit LEGO exclusivo e plataformas de programação, as crianças devem realizar trabalhos voltados para a exploração e colonização do satélite natural da Terra, construindo uma base lunar que deve lidar com questões como alimentação, energia e respiração, bem como diversão e outras necessidades da humanidade. As melhores construções desse projeto Mission Moon, agora, estarão em Curitiba (PR) para que a melhor seja conhecida. Além disso, o Geek City 2019 contará com a estreia do espaço LEGO Education, um local voltado para a diversão e o aprendizado com esculturas e oficinas da marca. Em meio às peças de montar e os workshops, os visitantes também poderão aprender um pouco sobre engenharia e robótica. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Além dos participantes da FLL Jr., o evento já tem outros nomes de peso confirmados. Entre os convidados estão Paul Zaloom, o eterno Beakman, que encantou crianças e formou cientistas na década de 1990; Alex Hogh Andersen, que interpreta Ivar, o Desossado na série Vikings; o criador dos quadrinhos d’O Corvo, Jamers O’Barr; e o elenco de Hermes & Renato. O Canaltech é o parceiro oficial e fará a cobertura completa. Além disso, o Geek City 2019 traz de volta a Galeria dos Artistas, com um espaço para que essa galera de talento exponha seus trabalhos; a Arena Geek City, com três dias de competições ao vivo de e-Sports, além da presença de influenciadores; e também o tradicional Concurso de Cosplays, que vai premiar os melhores intérpretes em quatro categorias com vídeo games, televisores e caixas de som da JBL. O Geek City 2019 acontece entre os dias 30 de agosto e 1º de setembro no Expo Barigui (Alameda Ecologica Burle Marx, 2886-2810, Santo Inácio), em Curitiba (PR). O ingresso individual custa R$ 50 para qualquer dia, enquanto o passaporte para todos sai por R$ 130 e ainda inclui uma credencial exclusiva. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 1 milhão de livros por apenas R$ 1,99! Aproveite a promoção do Kindle Unlimited Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” WhatsApp libera nova versão beta do app para iOS Veja Mais

CT News - 22/08/2019 (iPhone 11 Pro com suporte para Apple Pencil)

CT News - 22/08/2019 (iPhone 11 Pro com suporte para Apple Pencil)

canaltech iPhone 11 Pro com suporte para Apple Pencil // TIM envia fatura digital pelo WhatsApp // Microsoft ouve o que você fala perto do Xbox // Spotify com teste gratuito por três meses // Samsung lança Galaxy A30s e A50s Ouça ao podcast. Veja Mais

WhatsApp libera nova versão beta do app para iOS

WhatsApp libera nova versão beta do app para iOS

canaltech Nesta quinta-feira (22), o WhatsApp disponibilizou uma nova atualização para os usuários que participam do programa de testes beta do aplicativo, e desta vez a atualização é voltada para os donos de um dispositivo iOS. A atualização muda o programa para a versão 2.19.90.23, e traz apenas duas mudanças em relação à versão anterior, mas pelo menos uma delas deverá agradar bastante os fãs do aplicativo. A primeira dessas alterações é apenas visual, e insere a frase “WhatsApp from Facebook” (WhatsApp do Facebook, em tradução livre) ao fim do menu de configurações, deixando claro que o aplicativo pertence à rede social. Essa mudança já havia acontecido também na última versão beta do app para Android, e agora chega para os usuários iOS. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Mensagem adicionada no menu de configurações que indica que o WhatsApp pertence ao Facebook (Captura: WABetaInfo)  Mas a segunda mudança que vai deixar os usuários felizes: atendendo a pedidos, o WhatsApp finalmente passa a dar suporte às figurinhas Memoji! Agora os usuários que possuem um iPhone XR, iPhone XS ou iPhone XS Max poderão utilizar essas figurinhas também nas interações pelo aplicativo. Os Memojis finalmente chegam ao WhatsApp (Captura: WABetaInfo) Todas essas mudanças estarão disponíveis no próximo update oficial do WhatsApp, que deverá chegar à App Store nas próximas semanas. Então, se você ainda não faz parte do programa de testes Beta, logo essas funções também serão incluídas no seu aplicativo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Gamer Gear e Microsoft lançam loja online da marca Xbox no Brasil

Gamer Gear e Microsoft lançam loja online da marca Xbox no Brasil

canaltech A partir desta quinta-feira (22), a Gamer Gear e Microsoft estão se unido para oferecer primeira loja oficial de vestuários da marca Xbox no Brasil. A primeira coleção de produtos será disponibilizada para compra online, e consiste de moletons, camisetas, canecas e almofadas remetentes aos consoles da Microsoft. A ideia da empresa é, basicamente, que os fãs de Xbox possam mostrar a paixão pelo console. Além disso, a proposta também é ampliar o portfólio de produtos disponíveis nas lojas online da Gamer Gear. A Microsoft pretende ainda aumentar o número de produtos licenciados, então ao longo dos próximos anos deve lançar coleções que vão além do vestuário, como volta às aulas com mochilas, cadernos e agendas. “Nosso portfólio oferece hoje produtos diversos com qualidade premium, e com essa nossa pluralidade de produtos, atendemos hoje às preferências de todos perfis de gamers”, explica Diogo Santos, diretor comercial e de novos negócios da Webedia Shopping Services (unidade de e-commerce do grupo responsável pela linha Gamer Gear). “Ser a primeira empresa a adquirir a licença da marca Xbox no Brasil não apenas mostra que temos a chancela de uma grande empresa multinacional, mas que também apostamos no crescimento do mercado de games em todas as suas áreas”, Diogo acrescenta. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Basicamente, a ideia da loja online é que os fãs de Xbox demonstrem a paixão pela marca Por sua vez, Bruno Motta, gerente sênior de categoria de Xbox Brasil, afirma: “Oferecer uma linha completa e diversa de produtos licenciados de Xbox sempre foi uma vontade antiga nossa aqui na Microsoft e um pedido de longa data da nossa comunidade. Estamos muito felizes que conseguimos viabilizar esse projeto com produtos de diversos tipos, feitos de gamers para gamers”. Vale lembrar que as próximas coleções da marca devem ser lançadas sazonalmente, aproveitando momentos importantes do mercado, como no caso da Brasil Game Show, contando com coleções destinadas aos fãs da marca. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Mais um livro de Stephen King ganhará adaptação para os cinemas Veja Mais

YouTube é pressionado a proibir anúncios que deturpam manifestações em Hong Kong

YouTube é pressionado a proibir anúncios que deturpam manifestações em Hong Kong

canaltech Nos últimos dias, Hong Kong tem sido palco de manifestações que chegaram a reunir mais de 1,7 milhão de pessoas, e a principail arma do governo tem sido a mídia. Uma agência de notícias chinesa chamada China Xinhua News usou o Twitter para disseminar informações deturpadas a respeito das manifestações (que foram pacíficas), falando que foram violentas. Dessa vez, o YouTube é a ferramenta utilizada para deturpar os manifestantes. Acontece que a plataforma de vídeos está sendo pressionada a remover anúncios da Televisão Central da China (CCTV), um canal de mídia estatal que supostamente está espalhando informações erradas sobre o caso. Isso foi trazido à tona por meio de usuários do Twitter e do Reddit, que printaram os anúncios e divulgaram. Segundo o que pode ser visto por meio das capturas e tela, os protestos de Hong Kong estão sendo apontados como um produto ilegítimo da influência estrangeira. Os usuários acusam o YouTube e a Google de permitir uma "infestação de anúncios" que "tenta semear a discórdia política", e exigem que a Google impeça que a CCTV exiba anúncios no YouTube. (Foto: Captura de tela feita por um usuário do Reddit) Apesar de ter regras para anúncios políticos e proibir conteúdo que represente falsamente o produto ou a organização sobre a qual um anúncio está falando, a Google não tem uma polícia que fale diretamente sobre agências de mídia estatais (como é o caso da CCTV), então ainda não está claro se esse tipo de anúncio viola as políticas da empresa. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A onda de manifestações teve início em março deste ano. Inicialmente, os protestos foram feitos contra uma lei de extradição (processo oficial pelo qual um Estado solicita e obtém de outro a entrega de uma pessoa condenada ou suspeita da prática de uma infração criminal). Atualmente, a lei em questão se encontra suspensa, e as manifestações em Hong Kong passaram a abranger outras intenções, como a libertação de manifestantes presos, ou investigação sobre a conduta policial do país. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Veja Mais

Eminem processa Spotify por streaming não licenciado

Eminem processa Spotify por streaming não licenciado

canaltech Quem conhece o Spotify já está familiarizado com o portfólio interminável de músicas do mundo inteiro presentes no aplicativo de serviços de streaming. No entanto, nem todos estão satisfeitos com isso. É o caso do Eminem, cantor de rap por trás de músicas como Rap God, Venom, Lose Yourself e Without Me, conhecido principalmente pelas palavras ditas com muita rapidez. Na última quarta-feira (21), o The Hollywood Reporter apontou que a gravadora do Eminem, Eight Mile Style, entrou com uma nova ação judicial alegando que o Spotify infringiu centenas de direitos autorais de músicas. O Music Modernization Act (MMA), que costuma simplificar o licenciamento de música para empresas de tecnologia, permite que músicaa de proprietárioa desconhecidos sejam licenciadas em uma categoria específica, chamada "Controle de Direitos de Autor". Segundo o processo, as músicas de Eminem foram colocadas nessa categoria. A Eight Mile afirma que a empresa sabia exatamente quem possuía essas músicas, e que o Spotify "não se engajou nos esforços comercialmente razoáveis ​​para combinar gravações sonoras com a Eight Mile, conforme exigido pelo MMA", de acordo com a reclamação publicada no Hollywood Reporter. Processo contra o Spotify pode render bilhões Basicamente, o processo poderia render bilhões em danos para o Spotify. A princípio, os danos estão em US$ 150 mil (R$ 609 mil) por cada uma das 243 músicas de Eminem na plataforma, o que equivale a US$ 36,45 milhões (cerca de R$ 146 milhões). O processo também busca uma declaração judicial de que o Spotify não se qualifica para a limitação de danos sob o Music Modernization Act, bem como uma segunda declaração de que a eliminação retroativa da lei de danos disponíveis por violação de direitos autorais é inconstitucional. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A Eight Mile está sendo representada por Richard Busch. Ele já representou a gravadora no passado, processando com sucesso a Apple e a Aftermath Records por não conseguir obter licenças corretamente antes de vender as músicas de Eminem no iTunes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10”

Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10”

canaltech E assim, do nada, o sonho acabou. A Google decidiu encerrar a tradição de nomear novas versões do Android a partir de refeições e sobremesas, optando por simplesmente rotulá-las por meio da numeração da versão. Assim sendo, “Android Q” passa a se chamar “Android 10”. Essa mudança sem sabor acaba com os sonhos brasileiros de ver um “Android Quindim”, “Android Queijadinha” ou ainda um “Android Quinoa” para o consumidor mais fitness. Imaginem as possibilidades abandonadas. Segundo Sameer Samat, vice-presidente de gerenciamento de produto da Google, a mudança ajudará a empresa a tornar o Android mais simples e intuitivo para a comunidade que gira em torno do sistema operacional: “Como um sistema globalizado, é importante que esses nomes sejam claros e relacionáveis para todos no mundo. Por isso, a próxima versão do Android vai simplesmente usar o seu número indicado e se chamará ‘Android 10’”. Sem graça, né? -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!-   A Google não ofereceu uma data de quando teremos o sistema operacional disponível, mas assegurou de que ela deve chegar nas próximas semanas. A empresa também promoverá uma atualização na logomarca do sistema operacional. A nova versão teve suas primeiras demonstrações disponibilizadas em março de 2019, mostrando o foco da plataforma em maiores e melhores recursos de privacidade de dados. O Android 10 também trará suporte aos displays dobráveis, a fim de acomodar smartphones como o Galaxy Fold (Samsung) e o Mate X (Huawei, espera-se). Empresas como OnePlus, LG e Huawei já estão entre as certificadas para receberem o novo sistema operacional, além, claro, da linha de smartphones Pixel, da própria Google. "Android Q" não existe mais, e dá lugar ao "Android 10": Google anunciou mudança na política de nomeação do sistema operacional móvel em busca de simplificação da marca A Google sempre manteve uma tradição de nomear cada nova versão do Android sob alguma refeição ou sobremesa mais açucarada. As quatro últimas, por exemplo, eram “Android Pie” (“Torta” - Android 9), “Oreo” (a icônica bolacha recheada - Android 8), “Nougat” (conhecido no Brasil como “Torrone” - Android 7) e “Marshmallow” (Android 6). Se você nos perguntar, o mundo acaba de ficar menos doce. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários

WhatsApp já começa a aparecer com

canaltech O Facebook anunciou há algumas semanas que mudaria o nome de dois dos seus maiores aplicativos, o WhatsApp e o Instagram. Uma mudança que, para os usuários, pode não siginificar muita coisa, mas que, na prática, será enorme. Com essa medida, a rede social de Mark Zuckerberg quer que esses programas assumam mais a personalidade do "dono da bola", escancarando que todos fazem parte de um mesmo ecossistema. Pois bem, com isso esclarecido, já podemos ir para o que realmente importa: o WhatsApp foi o primeiro a ser "rebatizado". De acordo com o social media Mohit Kabra, que postou imagens do seu próprio app, alguns países já estão recebendo a versão Beta 2.19.222 do aplicativo com o novo nome. É possível ver, no menu das configurações, que o nome oficial do WhatsApp agora é "WhatsApp do Facebook", ou "Whatsapp from Facebook", para quem o utiliza em inglês. New WhatsApp beta update- 2.19.222 has WhatsApp from Facebook mentioned in the settings.#WhatsappUpdate #NewUpdate #BetaUpdate #DigitalUpdate https://t.co/IMoXNku3uf pic.twitter.com/gCprr5cQGN -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- — Mohit Kabra (@mk199602) August 13, 2019 Alguma mudança na prática? De acordo como Facebook, não existirão alterações no funcionamento dos aplicativos, que operam de maneira quase independente do Facebook. Não é preciso ter uma conta na rede social para acessar nenhum dos dois, por exemplo, e, enquanto os dados de telemetria podem até ser compartilhados para exibição de publicidade, o mesmo não vale para sistemas de comunicação e contatos. A redação do Canaltech verificou e não constatou a disponibilidade da versão que traz o novo nome do WhatsApp no Brasil. Mesmo assim, não deve demorar muito até que ela aparece por aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Samsung lança os Galaxy A30s e A50s; veja o que mudou da linha original Veja Mais

GE é acusada de escândalo contábil de US$ 38 bilhões

GE é acusada de escândalo contábil de US$ 38 bilhões

canaltech A GE está sendo acusada de cometer uma fraude contábil no valor de US$ 38 bilhões, no que pode ser o maior escândalo desse tipo já registrado. O total é equivalente a cerca de 40% do valor de mercado da companhia, que teria sido ocultado em registros e relatórios financeiros, como forma de ocultar dos investidores a verdadeira saúde da empresa, que se encontra próxima da insolvência. A denúncia foi feita por Harry Markopolos, especialista financeiro que ficou conhecido após denunciar o maior esquema de pirâmide da história, com valor de US$ 65 bilhões e iniciado nos anos 1960 pelo bilionário Bernie Madoff, que, atualmente, cumpre pena na prisão. Agora, ele diz ter investigado os relatórios financeiros da GE durante sete meses e aponta que a fraude contábil cometida por ela pode ser a maior já vista na história, maior até mesmo que casos notórios como os da Enron e Worldcom. De acordo com o especialista, em um estudo de mais de 170 páginas, o principal foco do ocultamento que vem sendo realizado pela GE está em sua divisão de seguros, com os executivos diminuindo riscos e perdas financeiras registradas em contratos de longo prazo. Os comunicados regulatórios falsos também esconderiam cálculos indevidos realizados na compra de uma parcela da Baker Hughes, uma prestadora de serviços do mercado petrolífero. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Segundo os especialistas, a brecha fica ainda mais clara quando se leva em conta o que concorrentes da GE fazem com contratos semelhantes, mantendo margens bem maiores e apresentando indicações financeiras mais claras aos investidores. Foi justamente esse tipo de situação, segundo Markopolos, que levou sua investigação a focar na companhia, uma linha que surgiu durante trabalhos relacionados a outra empresa não revelada. Na visão de Markopolos, a GE também seria adepta de mudanças nas projeções para o futuro e na forma de apresentação de seus relatórios financeiros, como forma de dificultar a localização dos números manipulados e também a projeção de analistas de mercado. Faltaria transparência, ainda, na apresentação de despesas administrativas e valores relacionados à fabricação e venda de produtos. Isso tudo ocorre devido, novamente, às falhas nas contas, com a GE minimizando riscos e deixando de fazer a diluição devida de prejuízos, gerando uma conta gigantesca, que acabou tendo de ser ocultada do mercado. As acusações foram publicadas por Markopolos na última semana e levaram a uma queda de 14% nas ações da GE. Os números se recuperaram nos dias seguintes, mas continuam sendo operados com uma baixa de 4% em relação aos valores originais, obtidos antes da divulgação do relatório. Harry Markopolos detonou o maior esquema de pirâmide da história, e agora, afirma que a GE comete a mais grave fraude contábil já registrada nos EUA (Imagem: Divulgação/Harry Markopolos) Em resposta oficial, a GE negou as afirmações de Markopolos e disse que ele jamais entrou em contato com a empresa durante suas investigações. A companhia aponta, ainda, que interesses financeiros estariam por trás das alegações do especialista, com fundos de investimento interessados em uma baixa nas ações para geração de volatilidade, que levaria a uma venda dos papeis, que poderiam ser adquiridos pelos interessados abaixo do custo usual. Ainda, a GE disse trabalhar com a maior transparência e integridade possíveis, sem números ocultos ou problemas em seus relatórios financeiros. No comunicado, ela taxa as alegações de Markopolos como infundadas e diz lamentar que alguém sem conhecimento da estrutura interna da empresa esteja agindo em benefício próprio desta maneira. Outros processos O Departamento de Justiça americano também tem uma investigação em andamento tendo a GE como alvo, igualmente relacionada aos números apresentados ao mercado. Neste caso, o foco foi o anúncio de uma reserva de US$ 15 bilhões para sua divisão de seguros, com gastos que seriam diluídos ao longo dos próximos cinco anos. As práticas contábeis relacionadas a isso, e também a gastos relacionados ao segmento energético da empresa, estariam na mira do governo americano. Caso as alegações de Markopolos sejam confirmadas em investigações oficiais, esta será a segunda vez que a GE se vê envolvida em um escândalo de fraude contábil. Em 2009, ela foi condenada a pagar US$ 50 milhões, justamente, por inflar lucros e ocultar prejuízos, passando ao mercado uma aparência de saúde financeira que não condizia à realidade. A multa foi paga em troca do encerramento do caso, sem que a companhia apresentasse provas contrárias ao que vinha sendo alegado. Até o momento, entretanto, um inquérito oficial sobre as afirmações do delator não foi anunciado, mas o especialista acredita que isso não deve demorar a acontecer. Em entrevista à CNN, Markopolos demonstrou dúvidas sobre a sobrevivência da GE até 2021, principalmente sob o olhar da justiça americana, uma vez que, em outros casos de fraude desse tipo, nomes como Enron e Worldcom afundaram em cerca de quatro meses. Aqui, o rombo é ainda maior, e o resultado negativo ainda permanece inestimável. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses NASA planeja usar energia térmica nuclear em foguetes para chegar a Marte Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox Nubank começa a expandir contas de pessoa jurídica para seus clientes Veja Mais

Apple investe US$ 290 milhões na compra de novos escritórios em Cupertino

Apple investe US$ 290 milhões na compra de novos escritórios em Cupertino

canaltech A Apple está firmando raízes ainda mais profundas em Cupertino, no estado da Califórnia. Segundo informações divulgadas pelo site Mercury News, a companhia investiu US$ 290 milhões (pouco mais de R$ 1,16 bilhão) na compra de dois complexos corporativos relativamente próximos ao seu atual campus tecnológico e quartel-general. De acordo com o site, a Apple já vinha utilizando a região para o desenvolvimento de diversos projetos ao longo dos últimos anos e optou por adquirir os dois prédios para dar continuidade à sua expansão física pelos Estados Unidos. A empresa também tem o Apple Park e estruturas corporativas em San Jose e Sunnyvale, embora Cupertino ainda seja o principal centro de seus esforços administrativos. Novos escritórios da Apple em Cupertino: edifícios estão próximos ao campus principal da empresa (Imagem: Google Maps) “A Apple realmente adora estar em Cupertino, e isso é uma forma de ela solidificar a sua presença por aqui”, disse Eric Fox, diretor executivo da incorporadora Cushman & Wakefield. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Os dois edifícios são chamados de “Cupertino City Center 1” e “Cupertino City Center 2” e já estão em reforma para acomodar a fabricante. Se conhecemos bem a Apple, o projeto deve tomar mais tempo que o normal, dada a atenção que a empresa dá aos detalhes estéticos e identificação visual. Aqui no Brasil, embora não muito divulgada, a Apple também tem um escritório administrativo: ele fica em São Paulo, na região do Itaim Bibi, zona sul da capital. Ao contrário do campus de Cupertino, porém, a estrutura paulista da Maçã se limita a um andar em um prédio comercial onde também ficam empresas como o braço brasileiro da agência de notícias Bloomberg e o banco de investimentos Goldman Sachs. Como de costume, a Apple não comentou o investimento (embora os dados sejam públicos), tampouco que tipos de projetos os dois novos edifícios poderão abrigar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Veja Mais

Pulseira inteligente será capaz de prever crises de pessoas com autismo

Pulseira inteligente será capaz de prever crises de pessoas com autismo

canaltech Pulseiras e relógios inteligentes estão a cada dia mais úteis quando o assunto é a saúde. Além do Apple Watch, por exemplo, que é capaz de detectar possíveis quedas, conta com eletrocardiograma, e pode fazer chamadas de emergência, agora uma nova pulseira poderá ser capaz de prever crises de pessoas que sofrem de autismo. O dispositivo, que funciona com aprendizado de máquina, faz a detecção de coisas como batimentos cardíacos, produção de suor, temperatura da superfície da pele e movimentos feitos com os braços e, juntando os dados todos, é possível detectar as crises cerca de 60 segundos antes que elas aconteçam, com 84% de chances de acerto. Foto: Adam Glanzman/Northeastern University A pulseira foi criada por Matthew Goodwin, cientista de comportamento da Universidade de Northeastern, em Boston, e o especialista conta que a equipe envolvida no projeto conduziu testes com 20 crianças com autismo em um período de 87 horas. Os resultados mostraram que o acessório foi capaz de monitorar cada episódio agressivo, correspondendo-o com mudanças psicológicas, includindo dados no sistema da pulseira. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Futuramente, o objetivo de Goodwin e sua equipe é testar o dispositivo em outras 240 pessoas. A tecnologia ainda está em desenvolvimento, mas pode ser uma ferramenta a mais para ajudar famílias e cuidadores de pessoas que lidam com a condição. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Pulsus melhora produtividade com gerenciamento de dispositivos corporativos Veja Mais

Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA

Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA

canaltech O dia virou noite na cidade de São Paulo na última segunda-feira (19), quando, em pleno meio da tarde, a capital paulista precisou acionar sua iluminação artificial para manter a ordem, pois o céu estava escuro a ponto de ter sido comparado ao Mundo Invertido de Stranger Things. Isso aconteceu como consequência de uma séries de fatores meteorológicos comuns à época do inverno somados à fumaça que atingiu a região Sudeste, após mais de duas semanas de queimadas na região amazônica, em especial nos estados do Acre e de Rondônia. E a NASA registrou tal fumaça por meio do satélite Aqua, publicando a imagem no Flickr oficial do Goddard Space Flight Center. A foto mostra incêndios ocorrendo nos estados de Rondônia, Amazonas, Pará e Mato Grosso no dia 11 de agosto de 2019 (Foto: NASA) "Na região amazônica, os incêndios são raros na maior parte do ano porque o clima úmido impede que eles comecem e se espalhem. No entanto, em julho e agosto, a atividade normalmente aumenta devido à chegada da estação seca. Muitas pessoas usam o fogo para manter terras cultiváveis e pastagens ou para limpar a terra, ou para outros fins", descreve a agência espacial, reforçando que os incêndios em questão são resultado da ação humana. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- De acordo com dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a Amazônia concentra 52,5% dos focos de queimadas no ano de 2019, com o Cerrado aparecendo em segundo lugar, com 30,1%, seguido pela Mata Atlântica, com 10,9%. O órgão também revela que foram registrados 72.843 pontos de incêndios na região amazônica entre janeiro deste ano e a última segunda-feira (19), número que é 83% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado. Então, sim, a maior floresta tropical do mundo está sendo consumida por chamas mais do que antes, e as imagens de satélites justamente mostram que os incêndios se concentram em locais onde a mata foi derrubada para a criação de pastos. Resta ao poder público tomar providências para evitar uma catástrofe que vai além do céu apocalíptico em São Paulo, vai além da questão ambiental brasileira: é um problema que tem impacto em todo o planeta, uma vez que, no meio-ambiente, tudo está interconectado. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: O maior campus da Amazon acaba de ser inaugurado na Índia Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Veja Mais

Google adia desligamento do Hangouts no G Suite

Google adia desligamento do Hangouts no G Suite

canaltech Nesta tarde de quarta-feira (21), a equipe da Google anunciou que está adiando o encerramento da versão clássica do Hangouts. No início do ano, a empresa disse que os usuários corporativos do G Suite deveriam trocar o Hangouts pela versão mais recente, o Hangouts Chat, que é basicamente um concorrente do Slack. A versão nova conta também com o Hangouts Meet, um serviço de videoconferência. Com esse adiamento, os usuários do G Suite podem continuar usando o Hangouts clássico até pelo menos junho de 2020. O anúncio foi feito no próprio blog oficial de atualizações do G Suite. A equipe fala sobre o antigo anúncio do encerramento e que, dada a repercussão, tomou a decisão de adiar: "Naquela época, fornecemos um cronograma de alterações e informamos que, em outubro de 2019, começaríamos a aposentar os clientes do Hangouts clássico para G Suite", relembra. "Desde então, ouvimos comentários de muitos de vocês que gostariam de ter mais tempo para migrar suas empresas do Hangouts clássico para o Hangouts Chat. Como resultado, estamos oficialmente adiando a data de transição final para junho de 2020", atesta a empresa. Hangouts Chat (Foto: Divulgação/Google) A Google também afirma que, enquanto isso, continuará "aprimorando a experiência de transição das conversas em grupo clássicas do Hangouts, além de adicionar novos recursos de bate-papo, como confirmações de leitura". A equipe também conta que vai fazer um aviso com antecedência assim que houver uma data mais definitiva para a migração. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Administradores que preferem migrar suas equipes totalmente para o Hangouts Chat ainda podem solicitar um convite para o Programa de transição acelerada, que desativa o Hangouts clássico e migra todos os usuários para a nova versão, proporcionando acesso antecipado a novos recursos do bate-papo. A equipe anuncia que a migração por unidade organizacional não está disponível no momento e as conversas em grupo do Hangouts clássico precisarão ser recriadas. "Para administradores que já se inscreveram no acesso antecipado por meio do Programa de Transição Acelerada, estamos adicionando novos domínios continuamente", afirma a empresa. Por enquanto, nada disso impacta as contas dos usuários comuns — essas mudanças são apenas para usuários corporativos. "Nenhuma alteração será feita na versão para usuários dos Hangouts clássicos", diz a Google. "Continuamos a apoiar os consumidores". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

O maior campus da Amazon acaba de ser inaugurado na Índia

O maior campus da Amazon acaba de ser inaugurado na Índia

canaltech A Amazon acaba de inaugurar o seu maior campus do mundo até então, localizado na cidade indiana de Hyderabad. O projeto faz parte dos planos de expansão da empresa no país, que hoje é conhecida por ser o seu mercado internacional com maior velocidade de crescimento. Há seis meses, a Amazon deixou de lado os planos de construir um grande e avançado empreendimento em Nova York, alegando que a culpa teria sido dos líderes locais. Com isso, a companhia teria escolhido a cidade de Arlington, no estado da Virgínia, como a sua segunda sede. O novo campus em Hyderabad recebeu "centenas de milhões de dólares de investimento", segundo a companhia, e conta com 38,5 km² para abrigar mais de 15 mil funcionários. Somente na Índia, a Amazon conta com 62 mil funcionários, chegando a quase um terço deles agora baseados na cidade indiana. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Imagem: Reprodução Amit Agarwal, gerente da Amazon na Índia, diz que os investimentos no escritório gigante significam que a empresa continuará em franco crescimento. Irão trabalhar no local funcionários de todas as divisões da companhia, incluindo da Amazon Web Services. Jeff Bezos, fundador da Amazon, já havia se comprometido a investir mais de US$ 5 bilhões em operações na Índia, focando em afastar a sua maior concorrente, a Flipkart, e-commerce do Walmart. No fim do ano passado, o país alterou suas regras em relação ao investimento de outros países no comércio eletrônico, tornando o processo mais complicado para ambas as empresas. A Amazon atua na Índia desde 2014, em Hyderabad, iniciando suas operações no varejo há seis anos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Brie Larson tira onda no Instagram ao levantar o martelo do Thor

Brie Larson tira onda no Instagram ao levantar o martelo do Thor

canaltech Mais uma vez, as redes sociais foram à loucura graças a alguém do universo da Marvel. Infelizmente, dessa vez, não passou nem perto do dia em que alguém usou as informações do Thor em uma identidade falsa para comprar maconha no Canadá. Trata-se da atriz Brie Larson, estrela do filme Capitã Marvel, conquistou a atenção dos fãs de Os Vingadores, que compartilhou nesta quarta-feira (21) uma foto erguendo o Mjölnir, martelo do deus nórdico mais famoso de todos os tempos, Thor (que nas versões cinematográficas da Marvel é interpretado por Chris Hemsworth), em sua conta oficial do Instagram. Na legenda que acompanha a publicação, Brie Larson escreve: "Eu disse que eu poderia levantá-lo". A foto foi tirada em uma sala que conta com algumas armaduras do Homem de Ferro. Nos comentários, os fãs aproveitaram para destacar as capacidades da heroína. "Você sempre foi digna, baby", um deles escreveu. "Minha rainha é digna", outro aproveitou para escrever. A postagem chamou a atenção até de celebridades, como o Michael B Jordan, que interpreta Erik Killmonger em Pantera Negra, que comentou com algumas risadas. Brie Larson tira onda ao levantar o martelo de Thor (Foto: Reprodução/Instagram) Muitos fãs dos filmes especulam quem seria digno de levantar o Mjölnir, conhecido como uma das armas mais poderosas do universo Marvel. Além de ser praticamente indestrutível, graças à sua composição de metal uru e aos encantamentos de Odin (deus nórdico), o martelo ainda dá vários poderes incríveis ao seu portador, como a manipulação do clima, voo ou ainda a projeção de energia. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Um encantamento faz com que o martelo só possa ser levantado por uma boa pessoa e digna de ter os poderes para que não os aproveite para praticar o mal. Se não for alguém digno, o martelo fica preso no chão e não pode ser levantado, independente da força de quem está tentando. E é justamente isso o que gera especulação entre os fãs. E aí? Vocês acham que a Capitã Marvel é digna de levantar o Mjölnir? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Celebridades caem em fake news no Instagram e empresa desmente tudo

Celebridades caem em fake news no Instagram e empresa desmente tudo

canaltech Na última terça-feira (20), os usuários do Instagram caíram em uma notícia falsa a respeito de novas diretrizes da empresa. Basicamente, a rede social passaria a poder usar as fotos dos usuários contra eles em casos judiciais. A única forma de evitar que isso acontecesse, seria compartilhando a captura de tela do próprio texto que informa isso. Difícil de acreditar, certo? Errado, pois até mesmo celebridades compartilharam essa foto, e a dor de cabeça foi tanta para o Instagram, que um dos executivos precisou desmentir tudo publicamente. “Não esqueça que amanhã começa a nova regra do Instagram, determinando que eles podem usar suas fotos. Não se esqueça que o prazo final é hoje! [O conteúdo] Pode ser usado na justiça contra você. Tudo o que você já postou se torna público a partir de hoje", diz a publicação falsa. A postagem ainda traz a declaração “é estritamente proibido divulgar, copiar, distribuir ou tomar qualquer outra ação contra mim”, e diz que, ao compartilhar isso, o usuário fica completamente a salvo das garras do Instagram. Inúmeros famosos caíram na fake news, como P!nk, Julia Roberts, Julianne Moore, Usher e Rob Lowe. No caso de P!nk, cantora responsável por hits como So What, Funhouse e Just Give Me a Reason, a publicação falsa foi compartilhada com a seguinte legenda: "É melhor prevenir do que remediar, mesmo que seja uma farsa. Desculpe se, por qualquer motivo, alguém fique ofendido com isso. Tenha um bom dia". -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- A cantora P!nk compartilhou a publicação falsa em seu feed do Instagram (Foto: Captura de tela) Tendo em mente a disseminação tão rápida da fake news, um executivo do Instagram, Adam Mosseri, usou os Stories para tranquilizar os usuários que foram enganados. "Atenção!", escreveu o executivo. "Se você está vendo uma postagem alegando que o Instagram está mudando suas regras amanhã, não é verdade", esclareceu. Curiosamente, no último dia 15, o Instagram anunciou suas próximas medidas para promover o combate à disseminação de fake news: um novo recurso em que o usuário pode denunciar uma publicação por conter informação falsa. A notícia foi dita por Stephanie Otway, porta-voz da empresa. "As pessoas podem nos informar se virem postagens no Instagram que acreditam ser falsas. Estamos investindo fortemente em limitar a disseminação de desinformação em nossos aplicativos, e planejamos compartilhar mais atualizações nos próximos meses", explicou. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Facebook pressiona psicólogos para saber o que funcionários estão dizendo

Facebook pressiona psicólogos para saber o que funcionários estão dizendo

canaltech Trabalhar como moderador de conteúdo do Facebook consiste, basicamente, em passar o dia analisando as piores postagens feitas na rede social em questão. Tendo em mente que o conteúdo muitas vezes pode chegar a ser perturbador, esses funcionários precisam passar por um psicólogo da empresa com frequência. No entanto, na última sexta-feira (16), alguns funcionários da sede do Facebook no Texas, Estados Unidos, revelaram ao portal norte-americano The Intercept que a gerência exigiu que os psicólogos mostrassem o que estava sendo dito pelos funcionários durante as sessões. Primeiro, é preciso entender que a sede do Texas é liderada por uma terceirizada independente chamada Accenture, responsável por supervisionar o trabalho de cerca de 1.500 moderadores de conteúdo. Os funcionários denunciaram, por meio de uma carta, que a Accenture vem tentando, desde julho, descobrir o que foi dito durante as sessões de terapia pelas quais passam os funcionários. "Chegou ao nosso conhecimento que um gerente da Accenture pressionou um terapeuta licenciado da WeCare para divulgar o conteúdo de sua sessão com um funcionário. O terapeuta recusou, declarando preocupações com confidencialidade, mas o gerente insistiu em afirmar que, por não ser um ambiente clínico, a confidencialidade não existia", diz a carta. "O terapeuta novamente se recusou. Essa pressão sobre um terapeuta licenciado para divulgar informações confidenciais é, na melhor das hipóteses, uma negligente quebra de confiança no programa de bem-estar e, na pior das hipóteses, uma violação ética e possivelmente uma violação legal", os funcionários acrescentam na carta ao The Intercept. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Moderadores de conteúdo do Facebook denunciam supervisor por invasão de privacidade Os funcionários querem que o cliente seja removido, e contam que os terapeutas começaram a pedir demissão depois de serem pressionados a compartilhar o que foi dito durante as sessões. O portal norte-americano afirma que não ficou claro o tipo de informação que o executivo da Accenture esperava encontrar. Uma vez questionada pelo Intercept, a Accenture defende: “Essas alegações são imprecisas. O bem-estar de nosso pessoal é nossa principal prioridade, e nossas equipes de confiança e segurança em Austin têm acesso irrestrito ao suporte de bem-estar. Além disso, nosso programa de bem-estar oferece aconselhamento proativo e sob demanda e é apoiado por um forte programa de assistência aos funcionários". A terceirizada ainda completa: "Nosso pessoal é incentivado a levantar preocupações de bem-estar por meio desses programas. Também analisamos, avaliamos e investimos continuamente em nossos programas de bem-estar para criar o ambiente de trabalho mais favorável — com frequência buscando informações de especialistas do setor, profissionais da área médica e nosso pessoal". O Canaltech procurou o Facebook para obter esclarecimentos sobre o assunto e para compreender o que acontece com a equipe brasileira de moderadores de conteúdo. A empresa diz o seguinte: "Não existem centros de moderação de conteúdo no Brasil. Por isso, o Facebook não contrata empresas brasileiras para fazer esse tipo de atividade". Já em relação ao acontecimento em si, o posicionamento global da empresa é esse: "Todos os nossos parceiros devem desenvolver um plano de resiliência que é revisado e aprovado pelo Facebook. Isso inclui uma abordagem holística de bem-estar e resiliência que priorize as necessidades de seus funcionários. Todos os líderes e especialistas em bem-estar recebem treinamento sobre o que os especialistas podem ou não compartilhar, e embora não acreditemos que tenha havido uma violação de privacidade neste caso, estamos aproveitando a oportunidade para enfatizar novamente este treinamento para toda a organização". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados

Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados

canaltech Nesta quarta-feira (21) o presidente Jair Bolsonaro confirmou que os Correios será a primeira das dezessete empresas estatais que serão privatizadas pelo governo. O processo faz parte do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI) anunciado pelo ministro Paulo Guedes. Perguntado sobre o fato de se a privatização dos Correios ocorreria ainda este ano, Bolsonaro preferiu não estipular prazos, afirmando apenas que esse será um processo bastante longo e demorado, pois depende também da aprovação do Congresso. Na terça-feira (20), o ministro da Economia, Paulo Guedes, havia afirmado que seriam reveladas dezessete empresas estatais que passariam por um processo de privatização, incluindo algumas de grande porte, "que ficarão surpresas de ter entrado na lista". Guedes ainda declarou que essas dezessete são apenas parte de uma listagem inicial e que, no ano que vem, mais companhias deverão entrar para a lista de privatizações. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Mesmo que, até o momento, apenas a presença dos Correios tenha sido confirmada nesta lista, o jornal Estadão apurou que também fazem parte da relação a Telebrás, a Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores e Garantias (ABGF), o Centro de Excelência em Tecnologia Eletrônica Avançada (Ceitec) e a Empresa Gestora de Ativos (Emgea). Complexidade O processo de privatização dos Correios deverá ser o mais demorado de todos, pois o monopólio da empresa sobre os serviços postais (envio de cartas, telegramas e encomendas do e-commerce) e do correio aéreo nacional (o serviço postal militar) é assegurado pela Constituição. Logo, sua venda exigiria a aprovação de três quintos dos congressistas — em duas rodadas de votação — para que fosse aprovada uma PEC que altera a Constituição e permita-se a privatização total dos serviços da companhia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Disney está avaliando formas de impedir compartilhamento de contas do Disney+

Disney está avaliando formas de impedir compartilhamento de contas do Disney+

canaltech Se você é do tipo de que compartilha contas da Netflix com amigos, isso pode não ser possível com o Disney+. A companhia fechou uma parceria com a Charter Communication, operadora norte-americana de TV a cabo e telefonia, para que, juntas, possam evitar compartilhamento de senhas do serviço de streaming que tem lançamento marcado para novembro. A informação veio nas entrelinhas de um comunicado enviado a jornalistas nesta semana. Basicamente, a Disney pode utilizar informações de clientes da operadora para poder identificar se aquela senha foi compartilhada com pessoas que não dividem a mesma casa. A Charter só anunciou a parceria em comunicado, mas não explicou exatamente como isso será feito. Contudo, o Ars Technica levanta uma possibilidade. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A mecânica funciona da seguinte forma: a Chater compartilha informações como número de IP de roteadores conectados ao serviço de streaming. Com isso, a Disney consegue descobrir quem está de fato usando aquela conta. Em uma analogia simples, seria como se a Netflix tivesse uma parceria com a Vivo, Oi ou outra operadora de internet e recebesse dados de utilização do app. Ao perceber que vários IPs diferentes estão usando o mesmo serviço em lugares muito distantes, ela consta que houve a divisão de senhas. A Charter é uma das maiores operadoras dos Estados Unidos ao lado da Comcast e da AT&T. A parceria permite que a Charter tenha em seu catálogo a exclusividade de conteúdos da Disney, incluindo todo escopo de notícias e esportes para os canais ABC, Disney Channel, Disney Junior, Disney XD, Freeform, variações da ESPN e FOX, além de National Geographic, Nat Geo Wild, Nat Geo Mundo e BabyTV. No comunicado, a empresa informa que vai “começar uma importante colaboração para solucionar o significativo problema da pirataria. [..] As duas companhias vão trabalhar juntas na implementação de regras e técnicas de negócio para solucionar o problema de acesso não-autorizado e compartilhamento de senhas”. O Disney+ vai estrear em 12 de novembro nos Estados Unidos e ainda não há previsão de chegada do serviço aqui no Brasil. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens Veja Mais

YouTube remove vídeos de luta entre robôs alegando crueldade animal

YouTube remove vídeos de luta entre robôs alegando crueldade animal

canaltech Na segunda-feira (19), um canal no YouTube chamado Marker's Muse trouxe à tona um acontecimento no mínimo curioso: a plataforma removeu vários vídeos que envolviam batalhas de robôs. Mais curioso ainda foi o argumento utilizado pela empresa: "infligir deliberadamente sofrimento aos animais". É perfeitamente compreensível que a plataforma tenha, dentre suas políticas, o banimento de usuários e a remoção de vídeos que contenham crueldade animal, mas claramente não é esse o caso, já que o canal Battlebots (o principal afetado nessa história) não produz nada que chegue perto disso. Jamison Go, da equipe do Battlebots, publicou um e-mail que recebeu sobre oito de seus vídeos. Por sua vez, Sarah Pohorecky, que também está envolvida com o canal de batalhas de robôs, teve um de seus vídeos retirados do ar, assim como Jamison. Em entrevista ao portal norte-americano Vice, ela conta: "Eu diria que, pelo menos, de 10 a 15 criadores de conteúdo foram afetados. Alguns tiveram vários vídeos removidos, enquanto outros tiveram apenas um ou dois de muitos vídeos de robôs removidos de seus canais". Uma das batalhas de robôs promovidas pelo canal Battlebots (Foto: Reprodução/YouTube) Sarah conta que alguns dos vídeos foram removidos porque havia nomes de animais nos títulos (os nomes dos próprios robôs). Além disso, outros fabricantes de robôs disseram que também receberam avisos do YouTube sobre seus vídeos. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Por sua vez, o YouTube se posicionou sobre o ocorrido e, por meio de um porta-voz, disse ao Motherboard que errou ao avaliar a situação e que os vídeos foram removidos "por engano". Além disso, a empresa prometeu revisar o conteúdo e disse que os afetados que ainda não tiveram seus vídeos republicados podem solicitar o retorno deles ao ar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Gmail vai passar a corrigir seus erros de digitação e de gramática

Gmail vai passar a corrigir seus erros de digitação e de gramática

canaltech Os dias de morrer de vergonha por causa de um erro de digitação ou gramática cometidos por desatenção em e-mails estão chegando ao fim. Uma atualização do Gmail está implementando um corretor ortográfico ao serviço de e-mails da Google, corrigindo typos automaticamente e também indicando correções quando o seu vernáculo não estiver lá essas coisas. Usando inteligência artificial da mesma forma que o atual sistema de sugestão de frases e palavras, a tecnologia identificará erros de digitação comuns e os corrigirá sem a necessidade de intervenção do usuário. Já as falhas na gramática ficam sublinhadas, mais ou menos como em um documento do Word, com direito a sugestões de grafia correta quando o usuário passa o mouse sobre o termo. É, também, uma nova implementação de um sistema que está disponível desde fevereiro no Google Docs, funcionando no Gmail da mesma maneira. De acordo com a companhia, a inteligência artificial estará sempre sendo alimentada não apenas pelo movimento da língua, gírias comuns e demais alterações, mas também com a forma como o usuário digita, podendo prestar atenção em erros de digitação costumeiros e indicando possibilidades de correção de acordo com a formalidade do que está sendo escrito. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Corretor ortográfico do Gmail indica problemas de gramática e dá sugestões de substituição, enquanto erros de digitação são alterados automaticamente (Imagem: Divulgação/Google) Além disso, a Google também trabalhou com especialistas em linguagem e IA, uma vez que lidar com gramática não é a mais fácil das tarefas, apesar de os idiomas terem sempre um conjunto de regras definidas. Entra em jogo a machine translation, sistema que, basicamente, indica à inteligência artificial que ela deve substituir uma palavra pela outra. Aqui, entretando, os modelos tiveram de passar por um treinamento e aprimoramento muito maior para que também entendessem contexto, sintaxe e semântica. Por enquanto, a atualização está disponível apenas aos usuários dos aplicativos G Suite e somente em língua inglesa. Aos poucos, a Google promete liberar o recurso para mais gente e também em outros idiomas populares no Gmail. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada?

Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada?

canaltech Um dos assuntos que mais deu o que falar no ano passado foi o GBWhatsApp. O Canaltech testou a versão e mostrou que a modificação não é tão segura assim. Agora, a gente volta para um novo programa, o NS WhatsApp, para responder a mesma coisa: afinal, é furada ou vale a pena? Do que se trata?  O NS WhatsApp é classificado como um mod, expressão que vem de modificação. Assim, ele funciona exatamente da mesma forma que o WhatsApp normal, emulando o mesmo sistema de conversas, mas adicionando algumas ferramentas. A lista é vasta, mas vale destacar alguns desses recursos. Por exemplo, é possível enviar aquele “tick azul” (confirmação de recebimento) somente depois que você responder uma mensagem e não quando abre a conversa. Outra mudança é permitir que você baixe fotos e vídeos do Status (aquele semelhante ao Stories do Instagram) de forma fácil com apenas um botão. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- No detalhe, botão para download do Status no NS WhatsApp (Foto: Wagner Wakka/Canaltech) O NS WhatsApp também oferece um sistema de bloqueio do programa por leitura de digital, algo que a versão original do mensageiro está testando e liberando aos poucos aos usuários. Ou seja, o mod se vende por adicionar uma série de novas ferramentas as quais o Facebook ainda nem mesmo implementou no serviço. Este é o principal argumento que faz com que pessoas baixem o programa. É seguro?  O programa foi desenvolvido por um rapaz chamado Nairton Silva. Pelo site oficial do mod, há uma explicação simples. “Ele é um Whatsapp modificado com base no Fouad Whatsapp, mas calma ele não é um whatsapp Malicioso ou com vírus, é apenas um Mod, continua sendo seguro e mantendo suas informações em sigilo”, diz o texto. O ponto é que, como um programa mod, o NS WhatsApp funciona como um intermediário entre o usuário e o mensageiro original. Isso fica claro quando o NS utiliza toda a base de dados de contatos do seu smartphone e permite a conversa sem que o outro usuário baixe também o mesmo programa. Em tese, o NS só consegue permitir que você troque mensagens com um usuário do WhatsApp normal se ele fizer a intermediação entre o que você manda e o que é recebido pelos servidores oficiais do WhatsApp. App tem acesso a toda sua lista de contatos e grupo mesmo que os outros usuários não tem o app intalado (Foto: Wagner Wakka/Canaltech) Para conseguir isso, este programa quebra uma série de barreiras de segurança e elimina a criptografia de ponta a ponta, que protege e privacidade de suas mensagens. Assim, fica fácil para que o desenvolvedor tenha acesso a mensagens, vídeos e fotos trocados usando o mod. Em resumo: você compromete toda a segurança de informações que podem ser consideradas muito sensíveis. Outra característica também liga o alerta sobre o programa. Ele não faz parte da loja oficial da Google, nem da Apple. Dessa forma, é preciso baixar um pacote de app (apk) para instalar o NS WhatsApp. Isso significa que ele não passou por toda camada de verificação de segurança que ambas lojas possuem. Segundo relatório da Google de 2018, a empresa usou Inteligência Artificial para encontrar 60% de apps maliciosos na Play Store, utilizando um serviço chamado Google Play Protect. O documento ainda mostra que usar somente a loja da Google para baixar aplicativos é 9 vezes mais seguro que baixar apps por meio de outros serviços. Oi seja, a possibilidade de você baixar um programa potencialmente perigoso na Google Play para o seu smartphone é de menos de 0,1%. O NS WhatsApp não participa de lojas oficiais da Google e Apple, exatamente porque não segue uma série de medidas de segurança e privacidade, principalmente a de poder interceptar mensagens pelo caminho. Ainda, eles funcionam como versões não autorizadas do WhatsApp, o que fere as políticas da companhia. “Os aplicativos não compatíveis (como o WhatsApp Plus, GB WhatsApp e outros apps que dizem transferir suas conversas entre aparelhos diferentes) são versões modificadas do WhatsApp e não são oficiais, já que foram desenvolvidos por outras empresas e violam nossos Termos de Serviço. O WhatsApp não é compatível com esses apps porque não podemos validar as medidas de segurança implementadas por eles”, diz a página de perguntas e respostas do app oficial. Assim sendo, a instalação de um programa deste tipo simplesmente pode colocar o seu aparelho em risco, mesmo que você tenha acesso a outras funções, como as citadas aqui neste texto. O Canaltech, portanto, não recomenda a utilização do NS WhatsApp, já que ele pode ser inseguro no que tange às informações que você compartilha pelo mensageiro. O que acontece se eu instalar?  O Canaltech instalou o programa para testar suas consequências. A primeira delas já mostra certa insegurança. O texto de tutorial de instalação explica que é preciso, primeiro, fazer um backup de suas mensagens no smartphone. Programa pede que você desintale a versão original para que ele funcione (Foto: Wagner Wakka/Canaltech) Isso porque o NS WhatsApp não tem acesso ao seu histórico no programa original, sendo que é preciso subir manualmente um arquivo para o mod depois de instalado. A página de tutorial também recomenda que você remova o WhatsApp original do seu aparelho para instalação do mod. A explicação é que utilizar os dois pode fazer com que você seja banido, explica o tutorial. Instalado o app, ele pede acesso a uma série de informações do seu smartphone para poder funcionar, assim como acontece com o WhatsApp. Dessa forma, é preciso dar acesso a seus contatos, fotos, vídeo, microfone, câmera e Google Drive para backup automático. Este último ponto chamou mais atenção, já que, mesmo depois de negar o backup em nuvem, o programa constantemente pede para ter acesso ao Google Drive. Assim, caso você dê todas estas permissões, passa a fornecer dados que não são comprovadamente criptografados a um desenvolvedor cuja procedência não é conhecida. A conta de testes do Canaltech também continha um PIN originalmente para acesso. O programa também pediu que este PIN fosse inserido para desbloquear a conta para uso do NS WhatsApp, sem nem mesmo informar se tal senha seria ou não guardada. NS WhatsApp: funcionalidades e modificações não valem o risco de informação (Foto: Wagner Wakka/Canltech) Mais uma vez, isso abre brecha para ações maliciosas com seus dados, configurando uma quebra grande de segurança. Assim sendo, a recomendação é de não utilizar o programa. Se você já baixou o NS WhatsApp, a melhor opção é excluir o mod e trocar as senhas de acesso a seus serviços. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Veja Mais

Parceria entre Ironhack e Provi promove financiamento de cursos com taxa zero

Parceria entre Ironhack e Provi promove financiamento de cursos com taxa zero

canaltech Nesta terça-feira (20), a escola de tecnologia e programação Ironhack anunciou uma parceria com a Provi (fintech que oferece financiamento estudantil para brasileiros interessados em seguir carreira na área da tecnologia) que permitirá aos alunos financiarem seus estudos em 12 vezes sem juros. Caso precise de mais tempo para pagar pelos cursos, os estudantes podem optar por planos de 18 ou 24 meses, com incidência de juros baixos. Caso o interessado em um dos cursos da Ironhack queira solicitar o financiamento, é preciso fazer o seguinte: primeiro, baixar o aplicativo da Provi, que está disponível tanto para iOS quanto para Android. O próximo passo é preencher um formulário, informando dados pessoais e falando sobre a sua história e sobre o porquê do interesse no curso em questão. Depois disso, o candidato deve aguardar até dois dias para que seja feita a análise. No site da fintech, é possível obter mais informações sobre o financiamento. A análise do candidato consiste não só em seu passado financeiro, como também em todo o engajamento com o processo, tal como o potencial técnico. A startup ainda aponta que avalia o "nível de comprometimento para transformação de seu futuro". -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Executivos das empresas estão empolgados com a parceria (Foto: divulgação/Ironhack) Sobre a parceria entre as duas empresas, o general manager da Ironhack, Tiago Mesquita, declara: “Sem dúvida, a iniciativa vai proporcionar que mais brasileiros atinjam o objetivo de realizar um curso imersivo, focado nas necessidades do mercado de trabalho e que reúne totais condições de empregá-lo a curto e médio prazo. Como os bootcamps da escola possuem alta taxa de empregabilidade, os formandos têm possibilidades de quitar o financiamento até mesmo de forma antecipada”. Por sua vez, Fernando Franco, CEO da Provi, acrescenta: “O nosso propósito é ajudar cada vez mais brasileiros em sua ascensão profissional, especialmente na área de tecnologia onde faltam talentos para ocupar todas as vagas existentes atualmente no mercado”. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Veja Mais

Atrasado, foguete SLS da NASA pode começar a voar apenas em 2021

Atrasado, foguete SLS da NASA pode começar a voar apenas em 2021

canaltech O cronograma atual do primeiro lançamento do Space Launch System (SLS), novo foguete para lá de poderoso da NASA, permanece inalterado, com previsão de que seu voo inaugural aconteça em 2020. Contudo, empresas que trabalham na construção do equipamento já estão dizendo que este primeiro voo deverá acontecer apenas no início de 2021. O SLS é fundamental para o sucesso do programa Artemis (marcando o retorno de astronautas à Lua desde o fim do programa Apollo nos anos 1970), com a missão Artemis-1, orbital e não tripulada, tendo previsão de acontecer no ano que vem, já com dois anos de atraso se considerar os planos iniciais da NASA para o SLS. Contudo, a data de lançamento da Artemis-1 também está em revisão, pois todo o cronograma está afetado. Conceito do SLS na plataforma de lançamento (Imagem: NASA) As empresas que vêm trabalhando no desenvolvimento do SLS deram esta previsão nada animadora de um primeiro voo acontecendo só em 2021 usando como base o status do andamento do trabalho, pois ainda faltam muitas etapas para completar a construção do foguete. Essa informação foi revelada na segunda-feira (19), durante um fórum de energia e propulsão realizado pelo Instituto Americano de Aeronáutica e Astronáutica, nos EUA. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Vale lembrar que a NASA já dispensou a construção de uma versão ainda mais poderosa do SLS para se concentrar numa versão menos potente, porém com construção mais acelerada, e também considerou dispensar um teste importante para que um primeiro lançamento aconteça mais rapidamente. De qualquer maneira, com tanta pressão política por parte do governo dos EUA, dificilmente a missão Artemis de 2024, esta que marcará o novo pouso de humanos na Lua, será postergada. E, bem, na verdade, atrasar o lançamento da Artemis-1 do final de 2020 para o início de 2021 não representará muitos problemas na prática, pois a Artemis-2, a primeira tripulada (porém, ainda em caráter de testes e sem pouso na Lua), continua prevista para acontecer em 2022. "Se a Artemis-1 for lançada em meados de 2021, não haverá impacto na Artemis-2. Este é um plano realista", garantiu Jim Bridenstine, administrador da NASA. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Aplicativos espiões são tirados da Play Store após polêmica; Entenda!

Aplicativos espiões são tirados da Play Store após polêmica; Entenda!

canaltech Existem muitos serviços que, embora oferecidos de maneira prática e ao alcance de todos na Internet, são ilegais ou, no mínimo, antiéticos. A exemplo disso, foram descobertos recentemente sete aplicativos que tinham como finalidade rastrear todas as atividades de outras pessoas em seus smartphones. As vítimas geralmente eram cônjuges, filhos ou até mesmo funcionários de quem baixava os apps, que estavam totalmente disponíveis na Play Store, a loja de aplicativos da Google. Os responsáveis pela descoberta desses aplicativos são especialistas que detectam ameaças em dispositivos móveis a serviço do Avast. De acordo com um relatório divulgado por eles, mais de 130 mil pessoas já haviam baixado os apps em questão via Play Store. Como os aplicativos espiões funcionavam Para o correto funcionamento desses apps, era necessário que eles fossem também instalados via Play Store nos smartphones das vítimas. Após a instalação, todas as informações desses aparelhos eram registradas e podiam ser acessadas pelo celular de quem queria ter acesso a elas. O espião podia ter acesso a aplicativos de mensagens instantâneas das vítimas, como o WhatsApp. Além disso, era possível ver sua lista de contatos, SMS, histórico de chamadas e localização. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Aplicativos espiões foram retirados da Play Store (Imagem: Getty Images) Aplicativos ajudavam stalkers A palavra “stalker” serve para designar uma pessoa que persegue e vigia uma outra de forma obsessiva, o que pode resultar em ataques ou agressões. Em alguns estados dos EUA, a prática de stalking é considerada crime passível de detenção. Já no Brasil, o ato é assunto de controvérsias, pois pode ser configurado como contravenção penal (com pena de 15 dias ou multa) quando não há ameaça direta à integridade da vítima, ou como crime, quando é acompanhado por injúria, difamação, assédio ou, em casos mais graves, agressão ou tentativa de homicídio. No entanto, atualmente há há um projeto em vigor no Senado que busca tornar o stalking e o cyberstalking (perseguição online) um crime passível de punição severa nos termos da lei, quer ele seja acompanhado de algum delito mais grave ou não. Por conta disso, assim que a Google foi informada de que sua Play Store continha aplicativos que poderiam funcionar como ferramentas para a execução de tal ato, eles foram imediatamente retirados do ar. Os aplicativos espiões ajudavam stalkers a perseguir suas vítimas (Foto: Marco_Piunti/Getty Images) Os aplicativos espiões eram descritos como benéficos Em sua descrição na Google Play Store, os desenvolvedores dos apps os descreviam como ferramentas que poderiam controlar o acesso de crianças a determinados sites da Internet a fim de protegê-las, ou até mesmo administrar o rendimento dos funcionários de uma empresa. No entanto, é evidente que essas ferramentas invadem a privacidade de terceiros e podem ser utilizadas por pessoas mal intencionadas. E, por isso mesmo, a Google optou por removê-los. Confira, a seguir, a lista com os apps em questão: Track Employees Check Work Phone Online Spy Free; Phone Cell Tracker; Spy Kids Tracker; Mobile Tracking; Spy Tracker; SMS Tracker; Employee Work Spy. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Microsoft se junta a consórcio da Fundação Linux para proteção de dados

Microsoft se junta a consórcio da Fundação Linux para proteção de dados

canaltech A Microsoft anunciou nesta quinta-feira (22) uma passo importante para a comunidade de código aberto: a empresa agora também faz parte do Consórcio de Computação Confidencial, uma iniciativa criada pela Fundação Linux para melhorar a segurança dos arquivos e apps que estão sendo usados pelo computador, sejam de forma local ou através da nuvem. A companhia então se junta a empresas como Intel ARM, Baidu, Google Cloud, IBM, Red Hat e diversas outras do setor de tecnologia que fazem parte do consórcio, cujo objetivo é a adoção da “computação confidencial”, que utiliza TEEs (Trusted Execution Environments, ou Ambientes de Execução Confiáveis em tradução livre) para garantir que todos os executáveis que estão sendo usados pelo usuário estão seguros. De acordo com a Fundação Linux, a computação confidencial permitirá que toda informação que estiver em uso seja criptografada sem expor o restante do sistema, reduzindo a exposição a dados sensíveis e garantindo ao usuário maior controle e transparência sobre os processos da máquina. Isso quer dizer que, mesmo que o computador esteja infectado por um malware, o programa que o usuário estivesse usando impediria que um invasor o utilizasse para tentar acessar a máquina, pois as portas de acesso estariam encriptadas. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Claro, para que uma ferramenta dessa seja criada com êxito, é necessária a colaboração conjunta de muitas pessoas, e a contribuição da Microsoft para o projeto é o Open Enclave SDK, uma framework que facilita o desenvolvimento e a verificação de aplicativos de proteção de hardware - os TEEs. Esses aplicativos funcionarão com diversas arquiteturas de hardware diferentes, e atualmente incluem a SGX da Intel e a TrustZone da ARM, além, claro, dos ambientes de software relativos ao Linux e ao Windows. O objetivo do projeto é garantir uma maior segurança para todos os elementos de um computador e, mesmo que a projeto tenha fins lucrativos, o sucesso dele será de muito interesse não só para os desenvolvedores de software mas também para o usuário comum, pois sempre que ocorre uma invasão de banco de dados boa parte dos dados roubados se referem a esses usuários, então a criação de uma ferramenta que diminui a chance de invasões ajudará a garantir a privacidade de dados para todos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 1 milhão de livros por apenas R$ 1,99! Aproveite a promoção do Kindle Unlimited Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” WhatsApp libera nova versão beta do app para iOS Veja Mais

Novo filme de Mortal Kombat já tem alguns atores confirmados; veja quem são

Novo filme de Mortal Kombat já tem alguns atores confirmados; veja quem são

canaltech Ainda vai demorar um pouquinho até o novo filme de Mortal Kombat, chegar aos cinemas. O reboot, que está sendo produzido por James Wan (Aquaman), só vai para a telona na primavera americana (outono brasileiro) de 2021. Mas, nem por isso precisamos ficar órfãos de informações acerca da película. Alguns atores já foram confirmados para interpretarem os icônicos personagens de uma das maiores franquias de jogos de luta de todos os tempos. E tem de tudo... Tem ex-Power Ranger, parceiro do Thor em Asgard, e por aí vai. Veja alguns dos nomes confirmados e seus respectivos lutadores. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mehcad Brooks (Jackson "Jax" Briggs) Mehcad Brooks (Desperate Housewives, The Game), que vai deixar seu papel como "Jimmi Olsen" em Supergirl, vai interpretar o parceiro de Sonya Blade, Jax Briggs. Imagen: IGN USA Anteriormente, Jax foi interpretado por Gregory McKinney e Lynn Williams nos dois filmes live-action dos anos 90. Tadanobu Asano (Raiden) O último papel mais relevante do ator japonês Tadanobu Asano foi em Thor: Ragnarok, quanto interpretou o personagem Hogun. O curioso é que, ao invés de ajudar o deus do Trovão em um universo, interpretará outro deus em uma outra franquia. Imagem:IGN USA E mais curioso ainda é que os dois "Raidens" anteriores foram atores com aparência ocidental: Christopher Lambert interpretou Raiden no filme de 1995, enquanto James Remar completou a sequência, Mortal Kombat: Aniquilação. Sisi Stringer (Mileena) A novata Sisi Stringer vai interpretar Mileena, filha do imperador Shao Kahn. Ao contrário de sua irmã adotiva, a princesa Kitana, Mileena possui uma aparência maléfica, graças ao seu DNA diabólico. Imagem: IGN USA A personagem foi anteriormente interpretada por Dana Hee em Mortal Kombat: Aniquilação. Ludi Lin (Liu Kang) Imagem: IGN USA Ludi Lin (Power Rangers) vai interpretar o principal lutador do game — e também dos filmes —, Liu Kang, um dos guerreiros mais poderosos e capazes da Terra. Robin Shou interpretou Kang em ambos os filmes de Mortal Kombat dos anos 90. Joe Taslim (Sub-Zero) Imagem: IGN USA O renomado artista marcial e ator Joe Taslim (Velozes e Furiosos 6) vai encarnar o ninja especialista na arte de controlar o gelo e um dos principais nomes da franquia: Sub-Zero. Não se sabe, no entanto, qual dos dois Sub-Zeros ele interpretará, se Bi-Han ou o irmão mais novo Kuai Liang. Anteriormente, Sub-Zero foi vivido por François Petit e Keith Cooke. Dirigido por Simon McQuoid, Mortal Kombat começa a ser filmado este ano, na Austrália. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Os melhores apps Android da semana (22/08/2019)

Os melhores apps Android da semana (22/08/2019)

canaltech A lista de apps da semana chega com várias novidades sobre games, principalmente para quem gosta de um bom quebra-cabeças. A Play Store também conta com ferramentas para você que é jovem e pode usufruir de benefícios com isso, quer melhorar suas fotos e até refinar a velocidade do seu “mouse” em jogos de tiro. Vamos aos programas. 1. ID Jovem 2.0 Foto: Google Play Este é o programa oficial da Secretaria Nacional da Juventude (SNJ). A ideia é que você possa usar o seu smartphone para gerenciar a sua ID Jovem, a identidade com a qual menores de idade de baixa renda podem contar para ter certos benefícios. Por exemplo, o ID Jovem garante meia entrada em alguns eventos, tais quais cinema, teatro, competições esportivas e mais. Algo muito semelhante ao que faz a carteirinha de estudante. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Com este app, você substitui a sua carteirinha do ID Jovem física e consegue comprovar a meia entrada somente usando o smartphone. O programa é gratuito, sendo que esta versão chegou à loja da Google em 15 de agosto deste ano. É preciso ter um aparelho com Android 4.1 ou acima para que ele funcione. 2. NFS Heat Studio   Se você é um amante de carros, principalmente dos tunados, este é um programa para você. O NSF Heat Studio é um app de suporte para o game Need for Speed Heat, que vai chegar para consoles em novembro deste ano. Aqui, você cria sua conta e pode modificar uma centena de carros, trocando basicamente tudo que eles têm de mais estiloso. Mude as rodas, a saia, o aerofólio, tudo que você quiser, colocando aquele neon massa para dar um rolê por aí. O bacana é que, se você comprar o Need for Speed Heat para consoles depois, vai poder levar a customização do app mobile também para dentro do jogo nos consoles. Ou seja, correr com o carrão que você criou no app. O programa é gratuito, independente do jogo para PlayStation 4 e Xbox One e foi lançado em 21 de agosto deste ano. Um impeditivo, talvez, é que exige Android 8.0 ou acima para funcionar. 3. Intro Maker Foto: Google Play Como o nome em inglês já sugere, a ideia aqui é dar ferramentas de criação de uma introdução para vídeos, também chamadas de vinhetas, pelo jargão do meio. De forma simples, o Intro Maker é um editor de vídeo, mas conta com pequenos templates, efeitos próprios e uma timeline de edição compatível com smartphones. Ele conta com trilhas brancas (sem direitos autorais) para que você possa criar uma vinheta de forma rápida e fácil. O Intro Maker também tem efeitos como slow motion, glitch e outras ferramentas bem interessantes para vídeos simples. Lançado em 21 de agosto, o app é gratuito e funciona em aparelhos com Android 5.0 ou acima. 4. Super Mecha Champion   Este é o primeiro game, efetivamente, da nossa lista. Trata-se de um jogo de tiro em terceira pessoa entre mechas, aqueles robôs gigantes de animes. Aqui, você é colocado em uma arena com outros jogadores e precisa sair vitorioso com o seu robô. A quem é aficcionado por mechas, este é um prato cheio, com gráficos bem interessantes e boa movimentação. O jogo também é feito pela NetEase, empresa já antiga do ramo. Contudo, pela quantidade de elementos em tela, é preciso um aparelho mais robusto para rodar o título de forma tranquila. O game chegou à loja da Google em 22 de agosto e pede Android 4.1 ou superior para funcionar. Para baixar, ele é totalmente gratuito. 5. Verdade ou desafio Foto: Google Play Vamos falar a verdade aqui (ou aceitar o desafio): quem nunca brincou de verdade ou desafio na vida? Bom, este app é um guia de uma das brincadeiras mais antigas para para dar uns beijinhos naquele crush. A ideia aqui é simples: ele embaralha as opções (entre verdade e desafio) e também já traz os desafios para que as pessoas não fiquem perdendo tempo na criatividade. Vale dizer aqui que o app tem desde opções de desafios mais divertidos e leves até coisas quentes. Portanto, neste caso, só vale para maiores de 18 anos, hein? O app é levinho, fácil de usar e funciona na maioria dos aparelhos, de Android 4.1 para cima. Ele é gratuito, mas é preciso comprar alguns desafios dentro dele. O programa chegou à loja da Google em 1 de agosto. 6. Sushi Escape Foto: Google Play Sushi Escape é um simpático jogo em que você tem que salvar sushis de seu prato, e não comê-los. O jogador tem um número limitado de movimentos para fazer com que todos os rolinhos de sushi cheguem até a borda do prato e fujam para a liberdade. Parece simples, né? Pois não é tanto assim. Há toda uma sequência de qual pecinha movimentar antes para que todos possam seguir são e salvos. Portanto, prepare-se para queimar alguns neurônios. O legal é que o game traz um desenho minimalista todo fofo e uma trilha sonora igualmente interessante. O jogo é gratuito e funciona em aparelhos com Android 4.2 ou acima. Ele foi lançado em 16 de agosto. 7. Mouse Conversion Pro Foto: Google Play Se você está jogando algum game e percebeu que o toque na tela não tem aquela velocidade que você gostaria, este app resolve este problema. A proposta aqui é refinar a velocidade do movimento do dedo, como se faz com a sensibilidade de um mouse no computador. Contudo, vale perceber que ele não funciona como um substituto para mouses, nem muda a sensibilidade deles, caso esteja com o periférico ligado a seu smartphone ou tablet. Outra vantagem é que você pode configurar perfis de sensibilidade de acordo com diferentes jogos, mantendo a velocidade padrão para quando você não estiver jogando. O aplicativo tem uma versão gratuita com propagandas, mas a completa é paga, pelo preço de R$ 3,79. Ele pede Android 4.1 ou acima para funcionar e chegou a loja da 20 de agosto. 8. Poke Foto: Google Play Este é um daqueles joguinhos com uma premissa simples e extremamente criativa. Ele é um quebra-cabeças em que você precisa juntar duplas de simpáticos pokes, estas bolinhas vermelhas na tela. O interessante é que, quando você faz um movimento, o seu personagem encontra um símbolo que, automaticamente, faz outro movimento da sua bolinha na direção indicada. Ou seja, todo deslocamento terá outro como consequência. O objetivo é você fazer com que as bolinhas se unam em duplas com o menor número de movimentos possível. Poke foi lançado gratuitamente em 16 de agosto e pede Android 4.1 ou acima para funcionar. 9. Meus bloqueados Foto: Google Play Este programa oferece a função de baixar toda a lista de telefones que você já bloqueou dentro do seu smartphone. A ideia fazer com que você nunca perca tais números, mesmo que alguém lhe roube o aparelho. Assim, ele permite baixar a sua lista de bloqueados e salvar o arquivo em nuvem ou como backup no computador. Você também pode compartilhar a sua lista com familiares e amigos usando links diretos para download no WhatsApp, e-mail e mais. Este programa é pago, custando R$ 4,99 — sendo que a última versão está disponível na loja da Google desde 18 de agosto. Ele exige Android 7.0 ou acima para funcionar. 10. Sand Balls Foto: Google Play Nosso último app é um joguinho também muito simpático. Sand Balls faz com que você precise escavar um buraco em um campo de areia para fazer com que bolas encontrem seu destino. Contudo, se você cavar no local errado, pode fazer com que elas fiquem presas. A grande estratégia aqui é criar os buracos de forma que as bolas sempre tenham como descer pela aceleração da gravidade. Com formato bem simples, ele oferece mais de uma centena de fases com objetivos diferentes, sempre envolvendo esta mecânica de bolinhas e escavação. O jogo é gratuito e foi lançado em 15 de agosto para usuários de Android 4.1 ou acima. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Versão beta de Minecraft Earth traz realidade aumentada para Android

Versão beta de Minecraft Earth traz realidade aumentada para Android

canaltech Nesta tarde de quinta-feira (22), a equipe do Minecraft Earth anunciou, por meio do Twitter, que os usuários de dispositivos que usam o sistema operacional Android já conseguem acessar a versão beta do jogo em questão, a partir da próxima semana. Os jogadores que usam o sistema operacional iOS já tinham acesso à versão beta há um tempinho. Basicamente, o Minecraft Earth é um jogo de realidade aumentada da série Minecraft, e está sendo produzido pela Microsoft e pela Mojang. Semelhante ao original, o novo jogo de realidade aumentada é sobre construções colaborativas, ou seja: os jogadores podem construir estruturas de realidade aumentada em colaboração com outros jogadores, coletar recursos e compartilhar cópias de suas estruturas concluídas. Os jogadores podem ainda acessar a aba "Aventuras", que normalmente consiste em tarefas específicas que recompensam os jogadores com a moeda do jogo. Foto promocional do Minecraft Earth, que utiliza da realidade aumentada (Foto: Divulgação) No anúncio feito no Twitter, a equipe por trás do jogo disponibilizou um vídeo mostrando exatamente como funciona o Minecraft Earth, que leva em consideração o cenário em que o usuário se encontra. "Jogadores do Android, ouvimos o seu chamado. Na próxima semana, levaremos o Minecraft Earth beta para seus dispositivos! Certifiquem-se de se inscrever agora para ter a chance de participar da diversão", a conta oficial escreve. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Android players, we’ve heard your call. Next week, we'll be bringing the #MinecraftEarth beta to your devices! Make sure to sign up now for your chance to join the fun! ↣ https://t.co/qjeoN22EN5 ↢ pic.twitter.com/STfBP8cpsg — Minecraft Earth (@minecraftearth) August 22, 2019 Mais do que uma extensão do jogo de construção que envolve o mundo real, Minecraft Earth também permite enfrentar desafios quando o usuário sai de casa e ainda incentiva a fazer aventuras. Funciona como uma experiência verdadeiramente social de Minecraft que apenas usa a realidade aumentada como um artifício. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Mais um livro de Stephen King ganhará adaptação para os cinemas Veja Mais

Google propõe novo padrão de privacidade para proteger os usuários na web

Google propõe novo padrão de privacidade para proteger os usuários na web

canaltech A Google anunciou, no início desta quinta-feira (22), que está com uma nova iniciativa para desenvolver uma série de padrões para aprimorar a privacidade na web, chamada de Privacy Sandbox. Com a medida, seria possível que o usuário encontrasse pela web anúncios personalizados, sem precisar divulgar dados privados individuais, fortalecendo sua segurança. Mas, para conseguir executar essa tarefa com sucesso, a Google está procurando por técnicas que consigam mostrar que determinada pessoa pertence a um grupo de gostos pessoais, até que fique claro que ela não está sozinho nele. Com isso, a companhia implementaria um tipo de orçamento de privacidade, permitindo aos sites pedidos de solicitações de dados que pertençam a um grupo significativamente grande, bloqueando-os posteriormente. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Imagem: Reprodução "A tecnologia que anunciantes usam para fazer publicidade ainda mais relevante para as pessoas agora vem sendo usada para muito além do objetivo inicial de design, a ponto de fazer com que algumas práticas não combinem as expectativas de segurança dos usuário. Recentemente, alguns navegadores tentaram resolver esse problema, mas sem nenhum conjunto de padrões de acordo, as tentativas de melhorar a privacidade do usuário estão passando por consequências indesejadas", diz a Google em nota oficial, justificando a iniciativa. Por fim, a Google planeja implementar essas medidas sem que seja preciso desativar os cookies, por exemplo, fazendo com que a capacidade de exibição de anúncios relevantes fosse limitada, mas sim criando um equilíbrio entre usuários e reguladores. Além da Google, a Apple também está atrás de ideias para acompanhar conversões de anúncios, fazendo com que cada clique gere uma venda, sem que seja preciso rastrear os sites. O objetivo final da gigante da tecnologia é fazer com que esses métodos evitem fraudes em anúncios, beneficiando ainda sistemas de privacidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Veja Mais

Sites permitem que usuários finjam que são hackers

Sites permitem que usuários finjam que são hackers

canaltech A segurança cibernética é um assunto muito sério, mas você já se imaginou como um daqueles hackers de filmes, que são verdadeiramente inteligentes e conseguem invadir qualquer sistema? Alguns sites te permitem ter exatamente essa sensação, com aqueles códigos super complicados que (quase) ninguém nunca entende, mas que dão acesso ilimitado a informações confidenciais e muito valiosas. Claro que é tudo brincadeira, e a navegação é bem segura. Mas vale sentir o gostinho de que você é um daqueles mestres da tecnologia. Por meio de um site chamado Hackertype, o internauta se depara com um terminal completamente vazio. Conforme é digitada alguma tecla, um código começa a aparecer. Não tem segredo nenhum: é só apertar qualquer tecla, e a "mágica" acontece. Para se sentir como um verdadeiro hacker, basta digitar bem rápido e ver o código sendo desenvolvido. Aí é só imaginar que você está penetrando um sistema muito importante, como o da CIA ou do FBI. Vale para passar um tempo, brincar e tirar onda com os amigos, fingindo que está hackeando algum lugar (ou mesmo sendo hackeado), pregando peças etc. O Hackertype permite que você finja que é um hacker. Basta apenas apertar qualquer tecla, literalmente (Foto: Captura de tela/Hackertype) Por sua vez, o Geektyper leva a brincadeira de ser hacker a um outro nível. Enquanto o outro site tinha apenas uma página, esse conta com várias, e é bem mais elaborado. Você pode fingir que está acessando sistemas específicos e é só escolher: SHIELD (Vingadores), Umbrella Corporation (Resident Evil), Matrix (auto-explicativo) e até da NASA. São vários temas para você se sentir realmente como em um filme. Nesse caso, basta escolher um dos temas, e dentro dele há várias pastas que podem ser abertas também, trazendo a ilusão de que você está, de fato, entrando no sistema. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Além das pastas, o Geektyper também traz o terminal da empresa em questão, que funciona basicamente como o Hackertype: você digita qualquer tecla, e o código vai se desenvolvendo. O GeekTyper permite que você "invada" sistemas de empresas famosas, como a NASA (Foto: Caputra de tela/GeekTyper) Diferente do outro site, o GeekTyper está disponível também para download. "Este site destina-se a ser uma piada prática. Nós não somos responsáveis por qualquer problema que você possa ter com isso. O "hacking" não é real e tudo que você digita não é armazenado em lugar algum. Suas preferências são armazenadas no cache do seu navegador. Nós não somos responsáveis pelo conteúdo criado pelo usuário", diz a descrição do site. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Nokia deve ter smartphone 5G 'acessível' já em 2020

Nokia deve ter smartphone 5G 'acessível' já em 2020

canaltech A HMD Global, empresa finlandesa que atualmente fabrica os smartphones da Nokia, informou que está fabricando um telefone 5G topo de linha, mas com preço mais "acessível". De acordo com Juho Sarvikas, diretor de produto da companhia, o aparelho deverá aparecer com custo entre US$ 500 (R$ 2.000,00, na cotação atual) e US$ 650 (R$ 2.613,00). Para se ter uma ideia, entre os telefones 5G do momento, como o Galaxy Note 10+ 5G e o LG V50 ThinQ 5G, os preços são de US$ 1300 (R$ 5.226,00) e US$ 1000 (R$ 4.020,00), respectivamente. “Nós vemos uma oportunidade especial para trazermos a conexão 5G para um segmento mais acessível, à medida em que entrarmos para competir neste mercado”, disse Sarvikas, em entrevista ao site Digital Trends. “Eu diria que é acessível em relação ao que está disponível hoje", complementa. Um telefone Nokia 5G com preço de até US$ 650 seria uma espécie de divisor de águas quando se trata de impulsionar a adoção dessa conexão, mas, claro, enfrentando forte concorrência. A MediaTek e a Huawei estão trabalhando juntas para criar um smartphone 5G de baixo custo (embora provavelmente não venha para os EUA), e empresas como a Motorola e a OnePlus se esforçarão para oferecer alternativas mais baratas em 2020. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Sarvikas disse que a HMD está "trabalhando de perto" com alguns fornecedores para o modem e demais peças - provavelmente a Qualcomm, já que a maioria de seus smartphones usa chipsets dela - bem como com a Nokia, que vem implementando e operando a infraestrutura de serviços 5G para clientes corporativos. A HMD informou, também, que está falando com operadoras norte-americanas, o que é crucial para levar um telefone 5G para os EUA, já que ainda não há dispositivos desse tipo desbloqueados (todos são atrelados à operadoras). A HMD normalmente faz vários anúncios importantes sobre smartphones no Mobile World Congress. Por isso, há uma boa chance de vermos notíciasvsobre um vindouro telefone Nokia 5G em fevereiro de 2020. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Essa é a maneira mais simples de acelerar a inicialização do Windows 10

Essa é a maneira mais simples de acelerar a inicialização do Windows 10

canaltech O Windows 10 é um sistema completo e bastante complexo, afinal, são centenas de computadores, laptops e tablets que carregam a obra-prima da Microsoft. Diante disso, é perfeitamente normal que algumas pessoas encontrem problemas da plataforma. Um deles é a demora na execução de tarefas e aplicativos em configurações mais simples. Até o início do próprio Windows 10, chamado de boot, é algo que precisa e pode ser melhorado pelo usuário. Se enquanto seu laptop ou PC com Windows 10 inicia, você consegue coar um café, fazer pão na chapa ou lavar a louça, saiba que alguma coisa de errado está acontecendo com sua máquina. Aprenda a desabilitar a tela de bloqueio no Windows 10 Nesse artigo, portanto, você vai aprender a acelerar o início do seu computador com Windows 10 de forma simples. As mudanças serão perceptíveis logo no primeiro reinício, depois que você seguir o tutorial abaixo. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Como acelerar a inicialização do Windows 10 Com o seu Windows 10 ligado, aperte as teclas Ctrl+Alt+ESC para que o Gerenciador de Tarefas seja aberto. Esse é o atalho mais prático, mas você também pode pesquisar por essa ferramenta na barra de buscas do sistema que fica ao lado do menu iniciar. Com o gerenciador aberto, clique na aba "Inicializar". Nesta seção aparecerá uma lista com todos os programas que são iniciados e carregados com o Windows 10, ou seja, sempre que o sistema é ligado esses programas são executados por completo. Note que você só consegue usar o sistema de forma ágil quando ele termina de carregar todas essas aplicações. Logo, desativar as opções que são inúteis para você, e também para o sistema, é a melhor forma de tornar a inicialização do Windows 10 mais rápida. Clique com o lado direito do mouse em cima do nome do programa desejado e selecione "Desabilitar". Desative apenas opções que você tem certeza que não são essenciais para o funcionamento do sistema. Algumas delas, inclusive, não podem ser desativadas (nem mesmo pelo administrador) por serem vitais para o sistema. Não aconselhamos, por exemplo, que você desabilite programas que rodam drivers de placas, como rede, impressora, áudio ou gráfico. Pronto! Reinicie seu computador para experimentar as alterações. Agora, se você usa um computador com Windows 8, precisa seguir o tutorial que publicamos no link abaixo, pois o procedimento é totalmente diferente do Windows 10: Aprenda a deixar o boot do seu Windows 8 mais rápido ainda E aí, o que achou dessa dica? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Festival Red Bull Basement 2019 conta com planetário e traz diferentes culturas

Festival Red Bull Basement 2019 conta com planetário e traz diferentes culturas

canaltech Em 14 de setembro, no Red Bull Station, em São Paulo, acontece a 5ª edição do Festival Red Bull Basement. Com direito a planetário e uma programação diferenciada, o evento vai abordar as diferentes culturas existentes no planeta, com o tema de 2019 intitulado "Visualizações de Mundos". Um destaque, por exemplo, é a cultura indígena, já que suas constelações serão trazidas para a nova edição do festival. A ideia do Festival Red Bull Basement é "refletir sobre a multiplicidade de saberes, corpos, tempos, espaços e modos de vida existentes, para além dos padrões e visualizações computacionais atuais", explica o site oficial do evento. Para isso, os visitantes podem esperar filmes, palestras, workshops e debates sobre a relação entre a tecnologia e os problemas na sociedade (o que se desdobra em temáticas como sustentabilidade, educação e acessibilidade). A curadoria do evento fica nas mãos de Claudio Ribeiro. No site oficial do Festival Red Bull Basement, ele fala sobre o conceito dessa edição: -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- "As tecnologias digitais geram o tempo todo saída gráficas e visuais para maneiras de pensar, entender, visualizar e interpretar o mundo. E quando falamos ‘mundos’ no plural, a gente entende que apesar dessas tecnologias terem sido criadas e orientadas a partir de um pensamento eurocêntrico e norte-americano, existem muitos outros ‘mundos’ possíveis e existentes". Workshop de construção de drone no  Festival Red Bull Basement 2018 (Foto: Marcelo Maragni / Red Bull Content Pool) Tendo isso em mente, é possível perceber que a programação do evento conta com inúmeras atividades voltadas a esse conceito, como um workshop chamado "Espaços Inventados", em que o visitante cria espaços tridimensionais a partir de miniaturas e luz; ou "Tecnologias de navegação", uma oficina de construção de antenas para uma cartografia de frequências e navegações eletromagnéticas. O evento conta também com experiências em realidade virtual, estufa automatizada de hardware livre para cultivo de plantas e conversas envolvendo processos de reciclagem e de energia, a partir da redução, reutilização e recuperação de materiais. Outro ponto alto da programação é o "Astronomia e constelações afro-indígenas brasileiras", em que Germano Afonso Bruno, especialista em astronomia afroindígena, mostra constelações de diferentes culturas e as compara com constelações da tradição ocidental. Nas horas finais do evento, tem o projeto ComuRede, baseado num dispositivo de alerta sobre o abastecimento de água em comunidades periféricas do Rio de Janeiro. O festival encerra com "Inclusão e robôs - Acessibilidade num mundo tecnológico", com um projeto de cão-guia robótico e uma discussão sobre tecnologia robótica destinada à acessibilidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Veja Mais

Samsung lança os Galaxy A30s e A50s; veja o que mudou da linha original

Samsung lança os Galaxy A30s e A50s; veja o que mudou da linha original

canaltech A Samsung anunciou oficialmente duas atualizações na sua principal linha de smartphones intermediários, com o lançamento dos Galaxy A30s e A50s. Os aparelhos chegam com mudanças interessantes no design, novas câmeras e recursos. Confira o que há de novo nos novos modelos: Samsung Galaxy A50s O Galaxy A50 é o celular mais vendido da Samsung neste momento, então, todo o cuidado é pouco por aqui. Mas, calma, que as mudanças para o A50s foram legais. A começar pelo painel traseiro, que ganhou um novo padrão geométrico e acabamento com efeito holográfico, que chegará em quatro cores: Prism Crush Black, Prism Crush White, Prism Crush Green e Prism Crush Violet2. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- A câmera principal do A50s também é diferente da do seu irmão mais velho. Ele chega com uma novo sensor principal de 48MP e lente com abertura de f/2.0, emparelhada aos antigos módulos de profundidade de 5MP e ultra-wide de 8MP com 123º. Outra melhoria foi na câmera de selfie, que foi atualizada para uma lente de 32MP e abertura de f/2.0. Antes, a resolução era de 25MP. Imagem: Samsung No mais, tudo permanece o mesmo. A tela é uma Infinity-U Super AMOLED (1080x2340px) de 6.4 polegadas. Por dentro do chassi, o Galaxy A50s usa um chipset octa-core Exynos 9610 de 10nm, com 4GB ou 6GB de RAM, uma bateria de 4.000mAh com carregamento rápido de 15W e um scanner de impressão digital no display. A Samsung ainda deve anunciar disponibilidade e preço do aparelho, bem como se ele chegará ao Brasil. Samsung Galaxy A30s Tal qual o A50s, o Samsung Galaxy A30s também ganha o novo design e vem nas mesmas quatro cores. A câmera traseira recebe uma nova lente principal de 25MP e abetura de f/1.7 (antes era de 16MP), um novo módulo de 8MP, com lente ultra-wide e um sensor de profundidade (este igual ao A30 tradicional) de 5MP. A câmera selfie não foi modificada e segue sendo a de 16 MP, com abertura de f/2.0. Outra mudança fica por conta do sensor de impressões digitais, antes localizado na parte traseira e que agora também pode ser usado na tela. O Galaxy A30s tem uma tela Infinity-V Super AMOLED, de 6,4 polegadas, com resolução de 720x1560px, o que, nesse caso, é pior do que o display de 1080p do A30 original. O aparelho será alimentado por um chipset Exynos 7904 (octa-core) de 14nm, com 3GB ou 4GB de RAM e uma bateria de 4.000mAh, com carga de 15W. A diferença por aqui será a inclusão de uma versão com armazenamento de 128GB. Imagem: Samsung A Samsung ainda não revelou o preço e disponibilidade deste produto. E aí, gostaram das mudanças nas linhas A30 e A50? Deixem nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Veja Mais

Militarização do Espaço: Comando Espacial dos EUA será lançado na próxima semana

Militarização do Espaço: Comando Espacial dos EUA será lançado na próxima semana

canaltech A Força Espacial dos Estados Unidos, proposta pelo presidente Donald Trump em 2018, será oficializada no dia 29 deste mês. A revelação veio do vice-presidente dos EUA, Mike Pence, após uma reunião com o chefe do Estado Maior Conjunto, o general Joseph Dunford. "Na próxima semana, lançaremos formalmente o novo comando unificado de combate, que ficará conhecido como Comando Espacial dos Estados Unidos", anunciou o vice-presidente. Ele também revelou que o general da Força Aérea John "Jay" Raymond foi escalado para chefiar o Comando Espacial (SPACECOM) e suas 87 unidades. O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante o anúncio nesta terça. Foto: Shawn Thew/EPA/EFE Foi em maio de 2018 que Trump anunciou a intenção de criar o ramo militar da Força Espacial, ideia que ele encaminhou formalmente ao Pentágono no último mês de fevereiro. A proposta é que o novo comando faça parte parte da Força Aérea, assim como o Corpo de Fuzileiros Navais faz parte do Departamento da Marinha. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- "Nossos adversários estão treinando forças e desenvolvendo tecnologia para minar nossa segurança no espaço, e eles estão trabalhando muito nisso", afirmou o presidente. "É por isso que meu governo reconheceu o espaço como um campo de guerra e fez a criação da Força Espacial uma prioridade de segurança nacional”. Pence afirmou que o SPACECOM inicia "o próximo capítulo da história". "Colocamos fim a décadas de cortes e redução orçamentária e renovamos o compromisso dos Estados Unidos com a exploração espacial humana, prometendo ir mais longe e mais rápido do que nunca", disse o vice-presidente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Veja Mais

Exclusivo | Deezer lança modo escuro para iOS

Exclusivo | Deezer lança modo escuro para iOS

canaltech Nesta quarta-feira (21), a Deezer anunciou uma grande novidade: o modo escuro, um dos recursos mais desejados pelos usuários. Esse novo design pode ser ativado ou desativado a qualquer momento no iOS e na versão do Deezer para desktop. Muitos aplicativos estão recorrendo ao modo escuro, porque é algo que agrada os usuários pela possibilidade de descansar a vista e economizar a vida útil da bateria. O recurso também oferece melhor legibilidade em condições de pouca luz. Os usuários gratuitos e Premium podem acessar o modo escuro em seus dispositivos móveis e no site do Deezer simplesmente indo até as definições do app, selecionando configurações do display e, depois, escolhendo o "modo escuro". Dentro de suas configurações, os usuários do iOS também podem alterar a cor do ícone do aplicativo Deezer do branco padrão para o escuro. O modo escuro do Deezer pode ser ativado ou desativado, de acordo com a vontade do usuário (Foto: Divulgação/Deezer) Com a novidade, o background do Deezer, que era branco, fica preto. Já a fonte, que na versão original é preta e cinza, fica branca e cinza claro. O modo escuro traz contrastes com as imagens (que ilustram as músicas e os álbuns) e permite que elas se destaquem. Além disso, as seções que ficam embaixo, como "Início", "Minha música" e "Buscar" permanecem no mesmo lugar. A mudança é puramente visual, mesmo. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Embora o modo escuro possa trazer mais benefícios durante o período noturno, alguns usuários podem preferir um plano de fundo mais escuro durante o dia também, para ajudar na sua experiência de leitura. Além disso, usuários que escolherem manter o fundo vibrante perceberão que a cor muda dinamicamente para corresponder ao trabalho artístico de todas as faixas que estão sendo reproduzidas. O diretor de produto e crescimento da Deezer, Stefan Tweraser, anuncia: “O modo escuro não é apenas um dos recursos mais solicitados por nossos usuários, mas também é uma coisa sobre a qual estamos pessoalmente empolgados". Ele ainda aproveita para acrescentar: "Se você quer evitar o cansaço visual ou é apenas o seu estilo preferido, o modo escuro do Deezer é para aqueles que ousam se aventurar pelo lado sombrio". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Como o dia virou noite em São Paulo [CT News]

Como o dia virou noite em São Paulo [CT News]

canaltech Como o dia virou noite em São Paulo? // Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance // Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU // Walmart processa Tesla por causa de painéis solares // Spotify deve ganhar recurso de stories Assista ao vídeo. Veja Mais

HyperX lança novas memórias Fury DDR4 com iluminação RGB

HyperX lança novas memórias Fury DDR4 com iluminação RGB

canaltech A HyperX anunciou nesta quarta-feira (21) novos módulos de memória RAM Fury DDR4, que além de inaugurarem uma nova identidade visual para a linha também trazem iluminação RGB e tecnologia Plug and Play. A palavra de ordem aqui é atender os usuários que procuram por alto desempenho a um bom custo-benefício, mas sem abrir mão do visual invocado que um componente como esses traz para o setup — seja ele gamer ou apenas para uso pessoal. Compatível com placas-mãe projetadas tanto para a arquitetura da Intel quanto da AMD, as novas memórias Fury DDR4 RGB se diferenciam por oferecerem overclock automático. Isso significa que o usuário não precisa se preocupar em alterar as configurações nem timings manualmente, tampouco selecionar um perfil de operação. Basicamente, basta plugar os pentes de memória que eles se ajustarão automaticamente para operarem na maior velocidade suportada pelo seu sistema, variando de 2.400 MHz a até 3.466 MHz. Fora o fator desempenho, como o nome entrega, as novas Fury DDR4 RGB oferecem a possibilidade de personalização com o software HyperX NGenuity, que permite ajustar definir e sincronizar a iluminação de cada módulo. Além do software proprietário da fabricante, o componente também pode ser customizado a partir de soluções fornecidas pelas marcas de placa-mãe, como o Asus Aura Sync, o Gigabyte RGB Fusion e o MSI Mystic Light Sync. Em outras palavras, você poderá usar o software que quiser para deixar o seu setup com a sua cara, sem grandes complicações. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A HyperX confirmou que as novas memórias Fury DDR4 RGB serão comercializadas em módulos individuais de 8 GB e 16 GB, além de kits duplos ou quádruplos, que totalizam 16 GB, 32 GB ou 64 GB de memória RAM, à escolha do usuário. Informações sobre preço e disponibilidade no Brasil, entretanto, não foram fornecidas pela fabricante. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

YouTube Music pode ser acessado direto no Waze

YouTube Music pode ser acessado direto no Waze

canaltech Se você é motorista e costuma utilizar o Waze para seguir seu trajeto sem errar, talvez já tenha se deparado com um dilema: para ouvir músicas através do YouTube Music (plataforma de streaming de música por assinatura desenvolvida pelo YouTube), era necessário sair do Waze, o que acaba representando uma escolha: ou chegar no lugar certo sem conseguir ouvir música, ou ouvir música e aceitar o risco de se perder. No entanto, a partir desta quarta-feira (21), isso não vai mais ser necessário, porque o YouTube Music passou a ingressar o app de rotas. Todos os álbuns e todas as playlists disponíveis no app de música do YouTube foram incluídos na novidade. A promessa da empresa é que a navegação no app pode ser feita de maneira muito rápida, com apenas algns cliques, o que representa mais segurança ao motorista. Para ouvir os hits por meio do YouTube Music direto no Waze, o usuário precisa baixar o aplicativo, que está disponível tanto para Android quanto para iOS. Uma vez que o download tenha sido feito, o próximo passo é abrir o Waze e verificar se há um ícone em forma de nota musical. Se houver, já está quase pronto, é só selecionar o YouTube Music como o player. Assim, o conteúdo já começa a ser reproduzido direto no Waze. No entanto, se o ícone do aplicativo não estiver aparecendo, o usuário precisa abrir as configurações para ativar. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O YouTube Music permite aos usuários navegar através de vídeos de música no YouTube, com base em gêneros, listas de reprodução e recomendações O YouTube Music foi lançado em novembro de 2017, mas a chegada no Brasil foi anunciada pela primeira vez em 25 de setembro do ano passado. O programa traz uma assinatura mensal que inclui vídeos sem anúncios, reprodução em segundo plano e download para assistir offline. Outro diferencial do aplicativo é a variedade de shows e versões variadas de músicas, bem como clipes oficiais. Além disso, um dos pontos fortes do YouTube Music é poder ajustar a qualidade do áudio tanto para stream no computador quanto no app para Android e iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Missão Europa Clipper contará com inteligência artificial para ser mais autônoma

Missão Europa Clipper contará com inteligência artificial para ser mais autônoma

canaltech A recentemente oficializada missão Europa Clipper, da NASA, deverá ser lançada em 2023 rumo à lua Europa, de Júpiter, com o objetivo principal de estudar seu oceano líquido subterrâneo em busca de sinais de algum tipo de vida extraterrestre, ainda que apenas microbiana, se existir. E a nave contará com inteligência artificial para ser mais autônoma, conseguindo explorar o satélite natural joviano com mais afinco. Justamente por conta da distância entre a Terra e Europa, a NASA vem pensando em soluções para resolver o problema do atraso nas comunicações entre o controle da missão e a nave. E a solução é o uso de algoritmos de aprendizado de máquina para dar mais autonomia ao explorador robótico, eliminando o tempo de entre 30 minutos a 1 hora que os sinais levam para chegar daqui até lá, e vice-versa. Ou seja: com uma nave mais, digamos, inteligente, algumas atividades poderão ser realizadas por conta própria, sem depender dos controladores em Terra.   “Explorar um mundo distante demais para permitir o controle humano direto é um desafio. Todas as atividades devem ser pré-programadas. Uma resposta rápida a novas descobertas ou mudanças no ambiente requer que a própria espaçonave tome decisões, o que chamamos de autonomia da espaçonave. Além disso, operar a quase um bilhão de quilômetros da Terra significa que as taxas de transmissão de dados são muito baixas", conforme explica a Dra. Kiri L. Wagstaff, pesquisador da NASA. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Ainda, “A habilidade da nave espacial de coletar dados excede o que pode ser enviado de volta, e isso levanta a questão de quais dados devem ser coletados e como devem ser priorizados. Finalmente, no caso de Europa, a espaçonave também será bombardeada por radiação intensa, que pode corromper dados e causar reinicializações de computadores. Lidar com esses perigos também exige uma tomada de decisão autônoma”, continua. Então, Wagstaff e sua equipe começaram a investigar possíveis métodos de análise de dados a bordo que poderiam operar onde e quando a supervisão humana direta não for possível, sendo que esses métodos são particularmente importantes quando pensamos em eventos transitórios raros, cuja ocorrência, localização e duração não podem ser previstos. Exemplo disso são os "demônios" de poeira que surgem repentinamente em Marte, ou impactos de meteoritos, relâmpagos, e plumas de água ejetadas por meio de brechas na superfície (como acontece justamente em Europa). A Dra. Wagstaff explica que "métodos de aprendizado de máquina permitem que a espaçonave examine os dados à medida em que são coletados; a nave pode então identificar quais observações contêm eventos de interesse, s isso pode influenciar a atribuições de prioridades na hora de baixar tais dados". Ela segue dizendo que "o objetivo é aumentar a chance que as descobertas mais interessantes sejam relacionadas primeiro"'. Conceito da Europa Clipper (Imagem: NASA) Além disso, a análise automatizada de bordo pode permitir que a nave decida por conta própria quais dados coletar a seguir com base no que já descobriu. "Isso foi demonstrado na órbita da Terra com e na superfície de Marte; a coleta de dados autônoma e responsiva pode acelerar bastante a exploração científica", garante Wagstaff. Os algoritmos projetados para a Europa Clipper ajudarão com três tipos principais de investigação científica, incluindo a detecção de anomalias térmicas, anomalias de composição e plumas ativas de matéria proveniente do oceano subterrâneo. A equipe vem testando os algoritmos em dados simulados usando observações de missões espaciais passadas, como a Galileo, que observou a lua Europa, além de dados do telescópio espacial Hubble. De acordo com os testes já realizados, os três algoritmos demonstraram desempenho suficiente para satisfazer metas científicas da equipe e, além disso, esses algoritmos podem ser reaplicados em outras missões robóticas destinadas ao espaço profundo, no futuro. A NASA, além de Europa, também vem estudando criar missões para explorar Encélado e Titã, luas de Saturno onde também é possível haver sinais de vida. “A autonomia da espaçonave nos permite explorar onde os humanos não podem ir. Isso inclui destinos remotos como Júpiter e locais além do nosso próprio Sistema Solar. Também inclui ambientes mais próximos que são perigosos para os seres humanos, como o fundo do fundo do mar ou configurações de alta radiação aqui na Terra", completa Wagstaff. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

FIFA é o jogo para videogames mais vendido no Brasil

FIFA é o jogo para videogames mais vendido no Brasil

canaltech A paixão do Brasil pelo futebol também se reflete no mercado nacional de jogos. Isso porque a Warner anunciou FIFA como a franquia para consoles mais vendida em nosso país. A marca liderou todos os rankings da oitava geração de plataformas, composta pelo PlayStation 4 e Xbox One, com uma soberania absoluta presente ao longo dos últimos cinco anos. Os dados foram apresentados durante o WB Games Summit 2019, evento que aconteceu nesta terça-feira (20) em São Paulo (SP). De acordo com Ismael Crivelli, gerente de games da distribuidora, já são mais de seis milhões de unidades vendidas no Brasil desde 2014 e a expectativa é que, com a chegada de FIFA 20, esse número apenas aumente mais.   Para garantir isso, o novo título traz uma reunião de passado com presente. Por mais que demos jogáveis não estivessem disponíveis à imprensa no evento da Warner, FIFA 20 foi um dos grandes destaques, com ênfase no modo Volta Football, que traz de volta o estilo maroto do bom e velho FIFA Street e ainda adiciona ares de campanha a ele. Houve também o anúncio de que o game, mais uma vez, chegará totalmente em português e com a narração de Tiago Leifert e Caio Ribeiro. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no WhatsApp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Warner comemorou soberania da franquia no Brasil e confirmou retornos de Tiago Leifert e Caio Ribeiro na narração em FIFA 20 (Imagem: Felipe Demartini) O compromisso, contou Crivelli, é com o conteúdo e, também, em atender vontades antigas dos fãs. Da mesma forma que as partidas de rua estão retornando, a EA Sports também está adicionando a possibilidade de jogar amistosos com os times do modo FIFA Ultimate Team, sem que os eventos no campo interfiram na saúde dos atletas. Além disso, um novo sistema de cobrança de faltas, controle da bola e evolução de treinadores estará disponível, fazendo com que coletivas de imprensa carreguem importância significativa, ao lado dos resultados em campo. Tudo isso, claro, para manter um status citado com orgulho por Crivelli e perceptível pelo trabalho da Warner nas mídias sociais: a franquia também é a preferida entre os jogadores do Brasil. Seu novo capítulo, FIFA 20, chega em 27 de setembro com cópias físicas para PS4 e Xbox One em duas versões, a padrão e a Edição dos Campeões, que dá três dias de acesso antecipado e pacotes especiais de regalias para o modo FUT. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

HarmonyOS: Huawei divulga mais informações sobre o seu sistema operacional

HarmonyOS: Huawei divulga mais informações sobre o seu sistema operacional

canaltech Nesta quarta-feira (21), a Huawei divulgou detalhes sobre o HarmonyOS, seu sistema operacional próprio, que foi apresentado no último dia 09. De acordo com a gigante chinesa, ele terá como características principais a leveza e a praticidade, além de ser preparado para fazer parte de um ecossistema completo. Inicialmente, ele será instalado em dispositivos inteligentes, como relógios, TVs, sistemas integrados nos veículos e alto-falantes. Mas, dependendo de como a briga da empresa com o governo dos EUA evoluir, é provável que a plataforma também seja integrada aos smartphones da marca. Para incentivar uma adoção mais ampla, a Huawei lançará o HarmonyOS como uma plataforma de código aberto em todo o mundo, criando uma base e uma comunidade para apoiar uma colaboração mais profunda com os desenvolvedores. Facilidade para criar apps Ao adotar uma arquitetura distribuída, o HarmonyOS oferece uma plataforma de comunicação compartilhada, gerenciamento de dados, agendamento de tarefas e periféricos virtuais. Segundo a Huawei, os desenvolvedores de aplicativos não terão que lidar com a tecnologia subjacente, permitindo que eles se concentrem em sua própria lógica de serviço individual, tornando, assim, o trabalho mais fácil. Os aplicativos criados no HarmonyOS podem ser executados em diferentes dispositivos, ao mesmo tempo em que proporcionam uma experiência colaborativa uniforme em todos os cenários. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Estabilidade para dispositivos modestos De acordo com a Huawei, o HarmonyOS promete funcionar bem em aparelhos mais modestos graças ao Mecanismo de Latência Determinística e Comunicação Entre Processos (IPC, sigla em inglês) de alto desempenho. Esta técnica define prioridades de execução de tarefas e limites de tempo para agendamento antecipado. Com isso, os recursos irão escolher tarefas com prioridades mais altas, reduzindo a latência de resposta dos aplicativos em 25,7%. O microkernel, base do SO, pode deixar o desempenho do IPC até cinco vezes mais eficiente que os sistemas existentes. Segurança aprimorada O HarmonyOS usa uma nova concepção de microkernel que apresenta segurança aprimorada e baixa latência. Esse conceito foi projetado para simplificar as funções do kernel, implementar o máximo possível de serviços de sistema no modo de usuário fora dele e adicionar proteção de segurança mútua, já que faz uso de métodos de verificação formais para remodelar a segurança e a confiabilidade a partir do zero em um Ambiente de Execução Confiável (TEE, sigla em inglês). Estes métodos formais de verificação são uma abordagem matemática, que validam a exatidão do sistema a partir da fonte, enquanto os métodos tradicionais de verificação, como verificação funcional e simulação de ataque, são restritos a cenários limitados. O HarmonyOS será o primeiro sistema operacional a usar a verificação formal no TEE. Ecossistema integrado Com o suporte de um IDE (Ambiente Integral de Desenvolvimento, em tradução livre) para vários dispositivos, uma compilação unificada em vários idiomas e um kit de arquitetura distribuída, o HarmonyOS pode se adaptar automaticamente a diferentes controles e interações de layout de tela, e suportar tanto o controle drag-and-drop (arrastar e soltar) quanto a programação visual orientada para visualização. Isso é possível graças ao HUAWEI ARK Compiler, o primeiro compilador estático que pode ter um desempenho no mesmo nível da máquina virtual do Android, permitindo aos desenvolvedores reunir uma ampla gama de linguagens avançadas de código de máquina em um único ambiente. Com um IDE para vários dispositivos, os desenvolvedores podem codificar seus aplicativos uma única vez e implantá-los em vários dispositivos, criando um ecossistema totalmente integrado. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

LinkedIn já removeu mais de 20 milhões de contas falsas em 2019

LinkedIn já removeu mais de 20 milhões de contas falsas em 2019

canaltech Será que existe o chamado “falso networking”? Se levarmos em conta os últimos esforços tecnológicos do LinkedIn, sim. A rede social profissional e de empregos revelou que, entre janeiro e junho de 2019, eliminou 21,9 milhões de contas falsas de seu site. Em publicação no seu blog oficial, a empresa ressaltou que “98% de todas as contas falsas foram identificadas antes mesmo de serem instaladas”. Isso se deu graças às defesas automatizadas da plataforma, compostas por algoritmos de inteligência artificial. LinkedIn diz ter eliminado mais de 20 milhões de contas falsas de sua plataforma social (Imagem: Divulgação/LinkedIn) Quebrando em números, 19,5 milhões de fakes foram identificados por algoritmos, 2 milhões foram marcados e eliminados antes que qualquer usuário interagisse com eles e os reportassem, e, finalmente, 67 mil contas falsas foram derrubadas após denúncias feitas pelos internautas. O LinkedIn, hoje, diz contar com cerca de 645 milhões de usuários ativos. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- “Queremos nos certificar de que nossa comunidade continue a ser um recurso de alto valor para você; que ela crie oportunidades para encontrar empregos, traga conexões e aprimore carreiras. Quando paramos as contas falsas, nós iniciamos mais chances para uma oportunidade econômica. Temos o compromisso de usar toda medida disponível para manter a sua segurança, permitindo a todos o acesso a melhores oportunidades econômicas ao mesmo tempo em que se sentem apoiados e seguros”, finaliza a companhia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens Veja Mais

Gears of War | Microsoft lançará Funko Pop físico junto com o game mobile

Gears of War | Microsoft lançará Funko Pop físico junto com o game mobile

canaltech Todos sabem que Gears of War sempre se notabilizou não apenas por seu enredo e jogabilidade fantásticos, mas também pode ser extremamente violento. Mas, desde o anúncio de Gears Pop!, um spin-off da franquia para smartphones, começamos a pensar: como um jogo com tamanha sanguinolência vai casar com o aspecto fofinho dos Funko? Bem, a Microsoft não está nem aí pra isso. E, além do game mobile, lançará uma coleção de Funko Pop! relacionada ao jogo. Segundo o site Fast Company, a ideia partiu do próprio Rod Fergusson, chefe do Coalition, estúdio da gigante de Redmond que é responsável pela franquia Gears. De acordo com informações, Fergusson quer expandir o público de Gears com estes bonequinhos, que devem custar perto de US$ 5 (R$ 20,25, na cotação atual). A estética dos bonecos já é a clássica apresentada em outras linhas Funko, mas com algumas adaptações. “Esteticamente, chegamos a algo que parece muito estilizado, caprichoso, influenciado pela Ásia”, diz o CEO da Funko, Brian Mariotti. “Mas acho que o resultado disso será: as pessoas que nunca pensaram em comprar um boneco de ação ultrarrealista da Daenerys (Game of Thrones), com 14 pontos de articulação, vão querer comprar um Pop!”, completou. Além da fofura característica, os bonequinhos terão em suas mãos a icônica "Lancer", principal arma de Gears of War. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.-   "Ao invés de cortar o funko, ela vibra e a cabeça dele se desprende", diz Tyler Bielman, o designer principal da linha. "É uma maneira de fazer o que fazemos, sem torná-lo destrutivo para um funko." Quando a cabeça aparece, não é como se o brinquedo tivesse morrido. Em vez disso, a cabeça voa para se tornar um pino que pode ser recolocada mais tarde, como se fosse uma peça em um tabuleiro", explica. Marcus Fenix em sua versão fofa / Imagem: Fast Company O Gears Pop! estará será lançado para iOS, Android e Windows 10 no dia 22 de agosto. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard

Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard

canaltech Anunciado em março deste ano e lançado oficialmente neste mês de agosto, o Apple Card é uma das grandes apostas da Apple para este ano. Nesta terça-feira (20), a Maçã anunciou que qualquer usuário dos Estados Unidos pode solicitar ser cliente do cartão de crédito e que a novidade ainda possui um programa de "cashback" em serviços como o Uber. Neste mesmo dia, o presidente da Mastercard na América do Norte contou em entrevista ao CNBC que o novo cartão de crédito da Apple, que não possui o número de 16 dígitos, está trazendo ainda mais segurança aos usuários e clientes. O executivo recomenda que o cartão, que conta com parceria da Mastercard e da Goldman Sachs, não seja passado em máquinas na sua forma física. Imagem: Reprodução/Apple Vosburg explica que o Apple Card é mais seguro que os cartões tradicionais porque no aplicativo Wallet, nativo da companhia, um número de uso único é utilizado na transação. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- "Fazemos a representação digital daquele número de 16 dígitos e o transformamos em um código que somente nós (Mastercard) e a Goldman Sachs podem reconhecer. Sabemos que ele deve ser usado com esse dispositivo da Apple e, se aparecer em outro lugar, sabemos que ele foi comprometido e podemos destrui-lo", conta o executivo. Somente usuários de iPhone podem utilizar o Apple Card, que acaba sendo vinculado com a conta pessoal de cada usuário, e as transações podem ser feitas via Apple Pay. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Veja Mais

Intel anuncia oito novos processadores Core de 10ª geração

Intel anuncia oito novos processadores Core de 10ª geração

canaltech Nesta quarta-feira (21), a Intel anunciou oito processadores Core de 10ª geração destinados a dispositivos móveis Comet Lake, com programação que inclui o primeiro processador de 6 núcleos da Intel na série U e conectividade Wi-Fi, além de escala mais ampla do Thunderbolt 3. A empresa também revelou que mais de 90 designs adicionais baseados na família de processadores da última geração chegarão às lojas até o fim do ano. Além disso, os novos processadores da 10ª geração oferecem clock de 4,9 GHz em turbo, 1,15 GHz de frequência de gráficos, 12MB de Intel Smart Cache, 6 núcleos e 12 threads. "Os processadores oferecem aos clientes uma variedade de opções para o melhor ajuste de desempenho, funcionalidades, carga e design, atendendo a necessidades cada vez mais específicas. Desde o uso em multitarefa à criação de conteúdo, os novos membros da família são ideias para níveis ainda mais altos de produtividade", explica o vice-presidente corporativo da Intel, Chris Walker. O Intel Wi-Fi 6 (Gig+) integrado traz segurança WPA3 e propõe downloads mais velozes. Os sistemas com os novos processadores também podem suportar até quatro portas Thunderbolt 3, cada uma capaz defornecer energia, velocidades de download de 40 Gb/s e conexão com milhares de docks e monitores com apenas um cabo. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Processador da décima geração da Intel (Foto: Divulgação/Intel) Os novos produtos da Intel também aumentam o número de projetos otimizados com tecnologia Adaptix, suportando os assistentes de voz embutidos nos computadores. Já Dynamic Tuning Technology promete uma nova capacidade de machine learning, permitindo que os fabricantes ajustem sistemas baseados na 10ª geração de processadores e tenham um salto de desempenho entre 8% a 12%. Ainda por cima, algoritmos previamente testados são usados para prever cargas de trabalho do sistema e ajustar automaticamente a potência do processador para maximizar o resfriamento. A Intel anunciou que os laptops equipados com os novos processadores da 10ª geração serão disponibilizados pelos fabricantes até o final de 2019. Por sua vez, sistemas selecionados de fabricantes de computadores baseados nos processadores em questão já estão prontos para verificação do Projeto Athena, o programa de inovação da Intel. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Veja Mais

iRobot lança robô aspirador autolimpante que interage com assistentes virtuais

iRobot lança robô aspirador autolimpante que interage com assistentes virtuais

canaltech Existem alguns produtos que nos fazem pensar no avanço irrefreável da tecnologia. É o caso do robô aspirador, por exemplo. Não há nada mais louco que entrar em uma casa e ver um robô passando para lá e para cá, limpando sem intervenção humana. E até mesmo essa tecnologia tem buscado cada vez mais reinvenção e inovação. O Roomba i7+, produzido pela iRobot e recém-lançado no Brasil, não só limpa a casa, como também limpa a si mesmo e ainda interage com assistentes virtuais. A função autolimpante funciona da seguinte forma: o Roomba i7+ esvazia o reservatório coletor de sujeira de maneira automática, permitindo que o aparelho funcione por meses a fio, sem que o usuário precise se preocupar com a limpeza do coletor. Além disso, ele conta com um reservatório e carregador de bateria. Basicamente, o robô segue os comandos e limpa a casa, e aí quando está cheio de lixo, ou ainda quando está com a bateria baixa, volta para a base, onde a sujeira é aspirada e armazenada. Depois de algumas semanas (a empresa diz que até alguns meses) de funcionamento, quando o reservátorio da base atinge o limite, o usuário recebe uma notificação no aplicativo iRobot HOME informando que o compartimento precisa ser esvaziado. Roombai7+ é capaz de limpar a sua casa, se auto limpar e interagir com ferramentas como Alexa e Google Assistente (Foto: Divulgação/iRobot) Já a interação com assistentes virtuais (como a Alexa, da Amazon, e Google Assistente) permite aos usuários programarem a limpeza por meio de comando de voz. Um exemplo de comando é “Alexa, peça ao Roomba que limpe minha cozinha” ou “Google, limpe a sala de estar”. O robô da iRobot também consegue aprender e se adaptar a todos os ambientes da casa, mas o usuário pode personalizar a rota do aspirador. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- O CEO da iRobot Brasil, Rodolfo Torello, afirma: “Queremos entregar uma experiência única, prática e mais automatizada possível no modo de limpar, para que as pessoas possam gastar seu tempo com atividades que tragam mais felicidade para seu dia a dia”. Por sua vez, Raphaela Guaracho, Partner Director da iRobot Brasil, acrescenta: “Nossa ideia é a de que o lançamento possa consolidar ainda mais a presença da iRobot no Brasil. O Roomba i7+ é um produto inovador e com certeza irá fortalecer ainda mais a relação de sucesso que já temos com nossos clientes. Estamos elevando a praticidade e otimização de tempo a patamares incríveis. Quem tem seu iRobot não vive mais sem”. Os aspiradores domésticos Roomba estão a venda na loja oficial da iRobot no Brasil e custam entre R$ 1.600 e R$ 6.300. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Veja Mais

Nvidia dá "banho" de Ray tracing em Minecraft; Veja o resultado

Nvidia dá

canaltech Quem joga Minecraft já está mais do que acostumado com a falta de realismo. Aliás, isso é algo que os fãs do jogo, de fato, nunca cobram. No entanto, a Nvidia e a Microsoft resolveram mudar um pouco isso e anunciaram que vão dar um pouco mais de realidade ao título, trazendo os poderes do ray tracing da placa RTX para um dos jogos mais populares do momento. "No Minecraft normal, um bloco de ouro aparece amarelo", disse Saxs Persson, do Minecraft. "Mas com o ray tracing ligado, você realmente consegue ver a mudança espetacular, como reflexos", complementa. Os desenvolvedores da Microsoft, Mojang e NVIDIA, adicionaram um tipo de ray tracing chamado "path tracing" à versão do jogo feita para o para Windows 10. Isso realisticamente simula uma variedade de condições de iluminação, incluindo fontes diretas de luz como o sol ou lava incandescente, sombras duras e suaves, iluminação global difusa, reflexos, refração e espalhamento atmosférico. O resultado final é ainda mais espetacular do que com outros jogos que receberam esta técnica, porque Minecraft é um jogo que já está bem longe de parecer realista. Para executar a nova atualização em tempo real, no entanto, você precisará ter um PC com Windows 10 equipado com uma das GPUs RTX da Nvidia. Como a Mojang recentemente cancelou seu "Super Duper Graphics Pack" para Minecraft no Xbox One X, o ray tracing parece ser a única maneira de obter gráficos melhores no jogo por enquanto. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/-   É preciso dizer que essa não é exatamente uma novidade bolada pela Nvidia e pela Microsoft. No início deste ano, a Digital Foundry exibiu um mod chamado Sonic Ether's Unbelievable Shaders, de Sonic Ether, criador do Minecraft. Seu shader também é um ray tracing e oferece muitos dos mesmos recursos que a nova atualização oficial das duas gigantes. Com Ray Tracing Sem Ray Tracing Na esteira da atualização do Minecraft, a Nvidia também anunciou ray tracing para novos jogos, incluindo Dying Light 2, o DLC de Metro Exodus, The Two Colonels, e SYNCED: Off Planet. Outros games também devem ganhar este benefício, como Call of Duty: Modern Warfare, Control, Vampire: The Masquerade - Bloodlines 2, Watch Dogs: Legion e Wolfenstein: Youngblood. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Hackers replicam site de VPN e espalham trojan bancário

Hackers replicam site de VPN e espalham trojan bancário

canaltech Para quem entende um pouco de segurança da informação, é sabido que a VPN é uma das formas mais utilizadas para evitar deixar rastros na internet e também para acessar sites de outras regiões do planeta de um jeito mais eficiente. Todavia, foi descoberto recentemente que cibercriminosos conseguiram replicar a página oficial de uma das VPNs mais utilizadas no mundo para espalhar um trojan bancário conhecido como Win32.Bolik.2. Pelo visto, os mal-intencionados criaram uma cópia praticamente perfeita da página da NordVPN, de forma que o site contava até mesmo com certificados digitais importantes, como o SSL. Dessa forma, os usuários realizavam o download da NordVPN falsa imaginando que estavam baixando a versão segura do programa, sem saber que estavam trazendo aos seus computadores um malware perigoso. Todo o golpe foi descoberto por pesquisadores do Doctor Web, que explicam que o Win32.Bolik.2 é um tipo de vírus polimórfico, com habilidades de interceptar o tráfego de informações, roubar dados sensíveis e, principalmente, obter informações bancárias das vítimas. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Um ponto de alívio nessa história é que, de acordo com os pesquisadores, o site falso foi desenvolvido com o intuito de atacar usuários que possuem o inglês como a língua principal. Assim, os brasileiros podem ter tido a sorte de ter “escapado” desse perigo. Por via das dúvidas, é sempre importante verificar se a página que está acessando é, de fato, a oficial. Site oficial do NordVPN (Imagem: Doctor Web) Site falso do NordVPN, desenvolvido por hackers (Imagem: NordVPN) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Vazamento revela vários novos produtos que a Apple pode lançar em 2019

Vazamento revela vários novos produtos que a Apple pode lançar em 2019

canaltech Nesta quinta-feira (22), a Bloomberg publicou um enorme vazamento com diversas informações sobre os aparelhos que deverão ser anunciados pela Apple ainda este ano. Nós já separamos em uma outra postagem todas as informações que foram reveladas sobre o iPhone 11 e iPhone 11 Pro, então aqui falaremos sobre os outros dispositivos que foram citados no vazamento da vez. Novo MacBook Pro Além das diversas novidades sobre os novos iPhones, o vazamento fala também da existência de um novo MacBook Pro com uma tela do que 16 polegadas - o que fará do aparelho não apenas maior do que os outros MacBook Pro já existentes, como também o modelo com a maior tela de que o MacBook Pro de 17 polegadas foi descontinuado em 2012. Mas, apesar da tela maior, o notebook em si não irá aumentar de tamanho. O novo MacBook Pro terá o mesmo tamanho do modelo com tela de 15 polegadas, e isso será possível porque a Apple conseguiu diminuir as bordas da tela do equipamento, o que permitiu desenvolver um aparelho com tela maior sem a necessidade de aumentar suas dimensões. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Novos AirPods e HomePod Também foi revelada a existência de uma versão mais barata do HomePod, e a principal diferença será o uso de apenas dois falantes no aparelho, ao invés dos sete presentes no modelo original. Não se sabe quando esse novo HomePod será anunciado, mas espera-se que isso aconteça até o começo do ano que vem, caso não aconteça em 2019 mesmo. Além dos HomePods, a Apple também estaria trabalhando em um novo modelo dos AirPods, que serão mais caros do que os US$ 159 dos modelos atuais, mas trarão algumas melhorias interessantes como cancelamento de ruído externo e resistência à água. Novos iPads Também surgiram informações sobre três novos modelos de iPads: dois deles serão versões atualizadas do iPad Pro, de 11 e 12,9 polegadas. Ambos os aparelhos terão melhorias “parecidas” com as que existirão no iPhone 11, então poderemos esperar melhorias no hardware e no software da câmera e o uso dos novos chips A13 de 7nm desenvolvidos pela Apple. O terceiro modelo será um iPad de 10,2 polegadas com especificações de hardware mais simples, voltado para estudantes e outros usuários que não precisam de tanto potência. Esse modelo chegaria para substituir o iPad tradicional de 9,7 polegadas, sendo essa a primeira vez desde que a Apple anunciou o primeiro iPad que este tamanho de tela será substituído. Por enquanto, ainda não há uma data exata para quando essas novidades serão anunciadas, mas há rumores de que o próximo evento da Apple - que deverá anunciar os novos modelos do iPhone - deve acontecer no dia 10 de setembro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 1 milhão de livros por apenas R$ 1,99! Aproveite a promoção do Kindle Unlimited Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” WhatsApp libera nova versão beta do app para iOS Veja Mais

1 milhão de livros por apenas R$ 1,99! Aproveite a promoção do Kindle Unlimited

1 milhão de livros por apenas R$ 1,99! Aproveite a promoção do Kindle Unlimited

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Quem já caiu nas graças dos eBooks sabe bem o quanto esses leitores acabam se tornando seu melhor amigo no dia a dia. Afinal, carregar livros físicos por aí hoje em dia acaba não sendo lá uma vantagem, ainda mais se o livro que você estiver devorando no momento for uma "Bíblia" de tão pesado. Então, ao ler a mesma obra virtualmente, você consegue transportá-la por aí e curtir a leitura onde estiver, quando desejar, nem que seja só para ler uma paginazinha naqueles minutinhos entre uma estação e outra do transporte público. E um dos eReaders mais populares é o Kindle, da Amazon, que já existe em várias versões para agradar a diferentes perfis de leitores. Além de tudo, o Kindle oferece o serviço Kindle Unlimited, que te dá acesso a mais de 1 milhão de títulos por uma assinatura mensal baratinha, sendo este uma verdadeira "Netflix dos livros"! Melhor ainda: o serviço pode ser assinado mesmo por quem não tem um dispositivo Kindle, pois o app Kindle é gratuito para baixar e usar à vontade. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- E agora a melhor notícia do dia: Está rolando uma superpromoção com a Amazon para você assinar o Kindle Unlimited agora mesmo! Mais sobre o serviço O Kindle Unlimited oferece toda a experiência Kindle de maneira ainda mais simples, com um catálogo completo e constantemente atualizado, incluindo mais de 1 milhão de eBooks em português, inglês, espanhol, e outras línguas. E a gente garante: vale a pena experimentar, pois você pode ler onde quiser em qualquer dispositivo Kindle, ou, se preferir, pode instalar o app Kindle no seu PC, tablet ou smartphone sem pagar absolutamente nada por isso. “Ah mas para ler vou ter que gastar meu plano de dados?” Fique tranquilo, meu caro! O Kindle Unlimited não consome a sua conexão móvel para a leitura dos livros se você não quiser, pois, com a mesma conta, você consegue acessar os seus títulos baixados de qualquer dispositivo em que logar, sem que seja necessário fazer o download do eBook todas as vezes em que abri-lo em um aparelho diferente. Traduzindo: é possível usar o Wi-Fi no computador para baixar um título e, então devorá-lo no caminho de volta para casa pelo celular ou tablet, após o trabalho ou a faculdade. A taxa mensal dá acesso aos títulos que você pega “emprestado” e lê no tempo determinado, quantas vezes e de que forma quiser. Pra quem lê bastante e gasta em média de R$ 30,00 a R$ 40,00 em um único livro, com certeza o serviço é uma opção com custo-benefício garantido. Teste grátis e 3 meses mais barato Agora vamos à oportunidade de ouro: você pode assinar o Kindle Unlimited agora mesmo sem pagar absolutamente nada, pois o serviço dá 30 dias de uso gratuito para novos usuários. Você precisa inserir os dados do cartão de crédito no ato da assinatura, mas pode cancelar a qualquer momento antes do último dia do período grátis para não ser cobrado, se não quiser continuar assinando (o que a gente duvida que vá acontecer, mas tudo bem!). Mas se já tiver certeza de que se tornará um fã assíduo do Unlimited, dispensando o período de testes grátis você paga somente R$ 1,99 pelos três primeiros meses de assinatura! Passando esse período, o valor da assinatura mensal volta a ser os R$ 19,90 cobrados de todo mundo, o que ainda é um preço bastante atraente para quem lê muitos livros em seu dia a dia! Dispositivos Kindle   E se você se empolgou com a ideia e já quer comprar logo um eReader Kindle, em vez de ler livros na telinha menor do celular, você está no lugar certo! Abaixo, você confere os dispositivos disponíveis no catálogo da Amazon para comprar agora mesmo — e com frete grátis, ainda por cima! Kindle 10ª geração com iluminação embutida: R$ 349 em 10x sem juros Kindle Paperwhite 8 GB à prova d'água: R$ 499 em 10x sem juros Kindle Oasis 7" sensível ao toque, à prova d'água e com Wi-Fi: R$ 999 em 10x sem juros *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no WhatsApp para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Versão beta do EMUI 10 chega em setembro para Huawei P30 e P30 Pro

Versão beta do EMUI 10 chega em setembro para Huawei P30 e P30 Pro

canaltech A Huawei anunciou nesta quinta-feira (22) que a versão beta do EMUI 10 (Emotion User Interface, o sistema operacional baseado em Android que permeia os smartphones da fabricante chinesa) vai chegar no próximo mês para os aparelhos P30 e P30 Pro. O anúncio foi feito pelo Weibo, uma das redes sociais mais populares na China. "O aguardado primeiro plano de atualização da EMUI10 está chegando! A otimização da adaptação de outros modelos também está em pleno andamento", escreveu a conta oficial do EMUI na rede social em questão. Segundo a Huawei, os smartphones P30 e P30 Pro serão os primeiros a receberem o EMUI 10 beta. De acordo com a publicação, a chegada da versão beta do sistema operacional acontece em 8 de setembro e, possivelmente, essa data corresponde ao lançamento na China. Espera-se que a chegada no mercado internacional seja adiada por alguns dias ou semanas. A empresa diz que o P30 e o P30 Pro serão seguidos pelos modelos Mate 20, Mate 20 Pro, Mate 20 X e Mate 20 Porsche Design e que o programa beta nesses aparelhos está previsto para o final de setembro. Por sua vez, o Honor 20 , Honor 20 Pro, Honor View20 e Honor Magic 2 receberão o Magic UI 3.0 que, assim como o EMUI 10, também baseado no Android Q. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O sistema operacional EMUI 10 é baseado no Android Q (Foto: Divulgação) O EMUI 10 traz como principais novidades o modo escuro, um design repaginado. A Huawei afirma que existem outros modelos cuja verificação ainda se encontra pendente, então é provável sejam anunciados mais cedo ou mais tarde. A expectativa é que o Mate 30 chegue em meados de outubro com a versão estável do EMUI 10. Além disso, a versão 9.1.0.193 do EMUI já se encontra disponível (em beta) para usuários chineses, com disponibilização gradual para outros países nas próximas semanas. A atualização traz alguns aprimoramentos técnicos de performance e segurança, e a Huawei recomenda ter pelo menos 50% de bateria antes de rodar o processo de atualização. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Próximo iPhone receberá grande update de câmeras e fotos, diz Bloomberg

Próximo iPhone receberá grande update de câmeras e fotos, diz Bloomberg

canaltech Segundo uma reportagem publicada nesta quinta-feira (22) pela Bloomberg, o sucessor do iPhone XS — que, de acordo com rumores, se chamará iPhone 11 Pro — deverá trazer diversas melhorias, tanto de hardware quanto da parte externa do aparelho. Conforme a Bloomberg relata em sua publicação, o maior foco de venda do aparelho será um conjunto de mudanças no sistema de câmera traseira, que adicionará uma terceira lente às duas que já existem no iPhone XS — que será do tipo ultra-grande-angular — além de um novo software que tornará as fotos e vídeos feitos com o aparelho ainda melhores. O novo software também trará uma melhoria bem interessante para quem precisa fazer gravações em vídeo, e a reportagem sugere que o aparelho terá um sistema de edição de vídeo “ao vivo”, permitindo que o usuário faça cortes, edite a imagem e até mesmo insira efeitos durante a própria gravação — isso tudo com uma qualidade muito próxima a de câmeras de vídeo profissionais. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Já para a fotografia em si também haverá algumas mudanças. Uma delas é como a própria câmera funcionará para fotografias: ao invés de tirar uma única foto de casa vez, a câmera irá capturar três fotos a cada toque do usuário, e usará a IA para fundir essas três imagens em uma só para criar não apenas uma fotografia final melhor, mas também para permitir ao usuário mais opções de edição para a imagem. Também se espera que a câmera ofereça uma resolução de foto maior do que a do iPhone XS, além de ter uma performance melhor do que o atual smartphone da empresa em ambientes de pouca luminosidade. Render de como deverá ser o iPhone 11 Mas não serão apenas as câmeras traseiras do aparelho que ganharão melhorias: a câmera frontal também passará por mudanças. Um dessas mudanças será no sistema de reconhecimento facial Face ID, que conseguirá reconhecer o rosto dos usuários de maneira mais rápida e numa variedade maior de ângulos. A melhoria seria similar à que a Apple já introduziu ano passado no iPad Pro, e as fontes que revelaram sobre ela não entraram em detalhes sobre se o sistema será igual ao do iPad Pro ou uma melhoria dele. Além do sistema de câmeras, outra mudança que o iPhone 11 Pro deverá apresentar é a introdução de um coprocessador de matriz AMX, que irá ajudar o processador principal do aparelho a cuidar das tarefas e cálculos mais pesados, como em situações de realidade aumentada e inteligência artificial. A reportagem não fala exatamente qual será esse processador, mas como espera-se que o aparelho utilize um chip A13 de 7 nm, é possível que esse coprocessador seja algo da mesma família. A reportagem também fala de algumas especificações que já eram esperadas, como a inclusão do carregamento sem fio reverso (usar o aparelho para carregar a bateria de outro smartphone), e uma camada de impermeabilizante que permite que o aparelho sobreviva mais do que 30 minutos embaixo d’água. Além disso, também foi confirmado que o aparelho não terá a função 3D Touch e nem suporte a redes 5G, que deverão retornar apenas nos modelos do iPhone que serão lançados em 2020. Por enquanto, ainda não se sabe quais dessas mudanças deverá aparecer também no iPhone 11 — o provável sucessor do iPhone XR — mas é sabido que ele ganhará pelo menos o acréscimo de uma câmera traseira (ficando com duas ao invés de uma só) e funcionará com um novo processador A13. Fora isso não se sabe quais dessas melhorias serão exclusivas do Pro, nem mesmo se existirão até no modelo mais básico. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Windows 10 dará destaque a recurso que facilita reinicialização Eminem processa Spotify por streaming não licenciado Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Veja Mais

Samsung traz Galaxy A50 ao Brasil com o dobro de armazenamento

Samsung traz Galaxy A50 ao Brasil com o dobro de armazenamento

canaltech Na última terça-feira (20), a Samsung anunciou o lançamento de aparelhos com 128 GB de memória interna. Galaxy A50, que chegou em abril deste ano no Brasil, contava com 64 GB de memória interna em meio aos já estavam disponíveis no mercado, então a fabricante sul-coreana de smartphones está investindo agora no dobro de memória. “Ao idealizarmos a família Galaxy A, buscamos criar smartphones que privilegiassem a produção de conteúdo. Nosso grande foco com esta linha é auxiliar o público que gosta de compartilhar momentos e contar histórias. Neste sentido, é fundamental que além de recursos que garantam a qualidade da câmera e desempenho, o A50 disponibilize espaço para guardar as memórias criadas. Foi pensando nisso que decidimos lançar uma versão com capacidade de memória interna ainda maior”, afirma Renato Citrini, gerente sênior de produtos da Samsung Brasil. O produto em questão possui câmera com lente Ultra Wide de 123º (que promete oferecer o mesmo ângulo de visão do olho humano e é destinada a fotos panorâmicas) e câmeras traseira e frontal de 25MP. Um aspecto presente nas câmeras é o foco dinâmico, que ajusta o desfoque do fundo da imagem se o usuário assim quiser. O otimizador de cena, que reconhece e aperfeiçoa 20 cenas (como fotos de pessoas, animais, paisagens e alimentos) também se destaca no Galaxy A50. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- O Galaxy A50 agora tem a versão com 128 GB de memória A empresa aponta que o carregamento do Galaxy A50 é rápido, com direito a uma bateria de 4.000 mAH. Além disso, é válido notar que o A50 é Dual SIM, possui 4 GB de RAM e a memória (64 GB ou 128 GB) pode ser expandida com mais 512 GB utilizando um cartão MicroSD. O smartphone também vem com um processador octactore de 2.3 GHz. O gerente sênior de produtos da Samsung Brasil acrescenta: “O Display Infinito do Galaxy A50, com 6.4 polegadas4 Super AMOLED, dá mais espaço para uso de tela e permite uma experiência mais criativa e divertida". Ele ainda completa: "As curvas suaves, por sua vez, garantem adaptação às mãos e conforto. Estamos oferecendo ao consumidor um aparelho que reúne três fatores essenciais para o mercado: inovação, desempenho e design moderno”. O Galaxy A50 pode ser encontrado tanto nas lojas Samsung físicas quanto virtuais por R$ 1,899, na versão com 128 GB. Por sua vez, a versão com 64 GB tem preço sugerido de R$ 1.799. O produto também vem em três modelos: preto, azul e branco. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Google abandona tradição culinária e próximo Android se chamará “Android 10” Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Bandidos usam Snapchat para vender armas contrabandeadas

Bandidos usam Snapchat para vender armas contrabandeadas

canaltech Assim como todas as redes sociais, o Snapchat tem uma política que proíbe anúncios que promovam armas de fogo, armas, munições ou acessórios relacionados, e defende, claro, que sua plataforma não deve ser utilizada em prol de atividades ilegais. Até aí tudo bem, mas alguns usuários do aplicativo não estão obedecendo essas políticas. Recentemente, o jornal The Guardian trouxe à tona que três pessoas foram presas justamente por vender armas de fogo contrabandeadas por meio do...Snapchat. É o caso, por exemplo, de Anthony Reed, de 22 anos. Os promotores norte-americanos alegam que ele usou a rede social para comercializar armas na Califórnia. Os anúncios de Reed foram eficazes em atrair inúmeros clientes. Um deles era um agente secreto do ATF (órgão que controla a regulamentação do uso de armas nos EUA) que contatou o infrator e seus supostos comparsas através do Snapchat. Esse agente secreto chegou a pagar mais de US$ 30 mil por 35 revólveres. Outros casos incluem um homem de 31 anos, que foi preso por contrabandear armas na Geórgia (EUA), onde as leis de armas de fogo são relativamente frouxas, e por anunciá-las no Snapchat. Além disso, um morador de 17 anos do Novo México (também nos Estados Unidos) foi preso pelo FBI em junho deste ano por vender rifles de assalto na rede social em questão. Eles foram rastreados por agentes da ATF e um assinaram um acordo de confissão. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Os usuários do Snapchat podem postar o que quiserem em suas contas e cabe aos membros da comunidade ou às ferramentas automatizadas da plataforma sinalizarem o problema. Por isso, a fiscalização dessa prática acaba sendo um verdadeiro desafio. As políticas do Snapchat são contra a venda de armas e outras atividades ilegais, mas é um desafio impor isso aos usuários No entanto, não é apenas o Snapchat que tem sofrido com usuários utilizando a plataforma para vender armas de fogo ilegalmente. No início desta semana, o The Wall Street Journal fez uma reportagem sobre como os vendedores de armas continuam a contornar as restrições do Facebook três anos depois que a rede social implementou uma proibição em resposta às vendas ilegais feitas na plataforma. Outra rede social que já chegou a sofrer do mesmo mal foi o Instagram. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

5 motivos para apostar no sucesso do Google Stadia. E 3 para apostar contra

5 motivos para apostar no sucesso do Google Stadia. E 3 para apostar contra

canaltech Em março de 2019, a Google anunciou a sua chegada oficial no mundo dos games apresentando o Stadia. Trata-se de uma plataforma que permite que o usuário rode jogos por meio do streaming, com alta qualidade gráfica e sem ficar na dependência de um console ou PC. O maior diferencial da plataforma, segundo a Google, é que você poderá usar o Stadia a partir de qualquer dispositivo, seja ele um smartphone, uma smart TV ou até mesmo o navegador do seu PC. Basta que eles estejam conectados à internet. No entanto, pouca gente testou o serviço, cujo lançamento está previsto para novembro de 2019, e muitas dúvidas ainda pairam sobre o sucesso do Stadia. Afinal de contas, ele entrará em um mercado com concorrentes bem mais consolidados (Sony, Microsoft e Nintendo), além das próprias fabricantes de smartphones. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Por isso, a pouco mais de três meses da chegada do Stadia e passado alguns anúncios feito pela Google durante a Gamecon, nós citamos cinco motivos para apostar no sucesso da plataforma. E também três motivos que nos fazem crer que o serviço não terá vida muito longa. Confira! Por que o Stadia vai revolucionar o mercado de games? A integração com os serviços da Google Como era de se esperar, o Stadia vai usar e abusar da integração com outros serviços da Google. O primeiro deles, claro, é o YouTube. Na plataforma de streaming de vídeos, você poderá, por exemplo, assistir ao trailer de um game e encontrará um botão que permitirá iniciar esse mesmo jogo em questão de segundos. Além disso, o Stadia também terá um joystick próprio (o Stadia Controller), que traz um botão para o Google Assistente e um microfone. Acionando essa função, você poderá pedir, por exemplo, dicas de como avançar em uma fase mais difícil, ou se conectar com outros jogadores para pedir ajuda.   Ou seja, o céu será o limite na hora de integrar o universo da Google com os games. O que pode trazer experiências interessantes. Jogar em qualquer lugar com a mesma qualidade gráfica Esta é a promessa mais ousada – e principal diferencial - do Stadia: você poderá rodar os jogos da plataforma em qualquer lugar, em qualquer dispositivo, mesmo com os smartphones e notebooks mais básicos (no caso das TVs, você precisa ter também um Chromecast Ultra). Basta que eles tenham uma conexão confiável à internet. Será possível jogar o Stadia em qualquer lugar, com diversos dispositivos Segundo a Google, os data centers usados para a plataforma contam com potência superior a de seus concorrentes, como o Xbox One X e o PlayStation 4 Pro. Isso porque o Stadia pode atingir até 10,7 teraflops de processamento, contra 6 teraflops do console da Microsoft e 4,2 teraflops do representante da Sony. Com isso, a configuração do dispositivo que estiver rodando os games não é tão importante, já que o processamento não será exigido no hardware e sim nos supercomputadores da Google. Ela diz que, no lançamento, o Stadia será capaz de rodar jogos em 4k e 60 fps, com a promessa de atingir resolução 8K e 120 fps no futuro. Facilidade para rodar os games Essa, talvez, seja a parte mais irritante dos videogames atuais. Sempre que você vai rodar um jogo novo neles, gasta-se um belo tempo para instalá-los, além dos pesados downloads que são necessários fazer de tempos em tempos, atualizações de rede, correções e afins. Sem contar o espaço de armazenamento limitado desses consoles, que exige que você desinstale um game para colocar outro. Carregar e rodar os jogos no Stadia será algo bem mais simples No Stadia, esses aborrecimentos tendem a desaparecer. Já que tudo será executado via streaming, não precisaremos mais instalar os jogos nos dispositivos para rodá-los, nem baixar as atualizações. Tudo isso será feito a partir dos data centers da Google. Só precisaremos acessar o game que queremos e pronto! Diversos blockbusters já estão confirmados Quando um novo videogame é lançado, é normal que o número de jogos seja reduzido em um primeiro momento. No entanto, esse é um problema que o Stadia não terá. As maiores desenvolvedoras do mercado já confirmaram presença na plataforma e trarão alguns de seus principais títulos. A Ubisoft, por exemplo, trará Assassin´s Creed Odissey, Just Dance e Tom Clancy´s Ghost Recon; já a Warner chega com Mortal Kombat 11; a Square Enix, por sua vez, terá Final Fantasy XV e os três últimos games da série Tomb Raider. A 2K Games oferecerá NBA 2K e Borderlands 3; a Codemasters contará com GRID e a THQ aparece com Darksiders Genesis e Destroy All Humans. E, entre outras desenvolvedoras, um dos maiores destaques a aparecer no Stadia fica por conta da CD Projekt RED, que lançará o aguardado Cyberpunk 2077, o game futurista onde um dos protagonistas é Keanu Reeves. Cyberpunk 2077 tem presença confirmada no Stadia. John Wick agradece  Sentimos falta dos anúncios de da EA, Rockstar e Disney, mas eles devem pintar logo mais. Evolução gráfica sem precisar gastar com hardware Como dissemos, a performance do Stadia não dependerá do hardware do seu notebook, celular, tablet ou smart TV. Basta que eles tenham uma boa conexão à internet para rodar os jogos com gráficos e tempo de respostas satisfatórios. Isso porque todo o processamento ocorrerá nos supercomputadores da Google e tudo será transmitido ao usuário via streaming E por que isso é uma boa notícia? Porque, ao longo dos anos você não terá de se preocupar em gastar dinheiro em hardware – novos videogames ou componentes para PCs como processadores, GPUs, monitores e memória RAM – para ter uma evolução gráfica e de jogabilidade no Stadia. No seu lançamento, o Stadia será capaz de rodar jogos em 4k e 60 fps. E, mais para a frente, a Google promete que o serviço atingirá resolução 8K a 120 fps. E você nem vai precisar pesquisar o preço de uma smart TV do gênero para ter essa qualidade gráfica. Por que o Stadia não emplacará no mundo dos games? O público gamer é conservador Por mais que que os videogames vivam de inovações, o fato é que aquelas consideradas mais, digamos, disruptivas são apenas pontuais. Entre as mais recentes, podemos citar o Nintendo Wii, pela possibilidade de interagirmos com os jogos usando movimento do corpo, e o Switch (também da Nintendo), pela portabilidade sem perda de processamento gráfico. No mais, quem tentou revolucionar o setor, como o Kinect (Microsoft) ou a realidade virtual, caíram por terra. E é aí que o Stadia corre risco. O Stadia vai conseguir vencer seus competidores mais bem estabelecidos no mercado? Isso porque, no geral, o público gamer é conservador. Sua sede por inovação está mais na forma de contar a história e na jogabilidade dentro de um game do que propriamente em inovações muito radicais de hardware, que possam colocar em risco a forma do usuário aproveitar o videogame do jeito que ele está acostumado. Logo, ele gosta de ter um console ali por perto, e sabe que se acontecer algum tipo de defeito, ele mesmo pode resolver. Algo que escapará das suas mãos no caso do Stadia. Não, o Stadia não será a “Netflix dos games” Quando o Stadia começou a virar notícia, muita gente imaginou que ele funcionaria como uma “Netflix dos games”, ou seja, bastaria pagar uma mensalidade para rodar quantos jogos quiséssemos. De quebra, em um primeiro momento, a Google não fez muita coisa para desmentir isso, pelo bem do marketing do seu produto. No entanto, a coisa não será bem assim. Isso porque o Stadia será oferecido em dois planos: o primeiro é o Stadia Base, que será gratuito e rodará jogos com resolução Full HD (taxa de 60 FPS), mas não terá nenhum game grátis. Já o Stadia Pro custará US$ 10, executará os games com resolução 4K ou superior (também a 60 FPS) e terá alguns jogos gratuitos à disposição (o primeiro será Destiny 2), bem como descontos para compra de outros títulos. Não, o Stadia não terá o sistema "Pague e jogue à vontade". Longe disso Ou seja, você precisará pagar para jogar os games mais badalados como Call of Duty, FIFA, GTA, etc. E, de quebra, os preços serão os mesmos que os cobrados nos rivais PS4 e Xbox One. Isso nas palavras de Phil Harrison, chefe do Stadia, que afirmou ao Eurogamer que “não vê como eles [os jogos] seriam mais baratos” quando questionado sobre o assunto. Na visão de Harrison, “o valor que você obtém de um jogo no Stadia é poder jogá-lo em qualquer tela da sua vida – TV, PC, laptop, tablet, telefone; eu acho que isso será valioso para os jogadores”. Resta combinar isso com os potenciais usuários. A internet pouco confiável em muitos países. Inclusive o Brasil Nos testes feitos pela Google, o Stadia conseguirá entregar jogos com resolução Full HD a 60 fps para usuários que tenham conexão à internet de 25 Mbps. Já para games 4K (também a 60 fps), essa velocidade mínima sobe para 30 Mbps. Ou seja, os usuários precisarão ter uma conexão rápida e, principalmente, estável para aproveitar o Stadia como se deve. Mas, como todos também sabemos, serviços confiáveis de internet, que primam pela estabilidade, são artigo raro mundo afora, principalmente no Brasil. Ainda mais se levarmos em conta ambientes com diversos dispositivos conectados a uma única rede, por exemplo, o que acontece em boa parte das residências. A banda larga do Brasil conseguirá suportar a velocidade exigida pela Stadia? Em outras palavras, é provável que boa parte dos provedores de internet mundo afora precise amadurecer mais antes de adotar o Stadia em larga escala. Sem contar que você não poderá aproveitar a plataforma em um ambiente offline, o que não ocorre nos consoles tradicionais. Em outras palavras, amiguinhos: prever que o Stadia será o divisor de águas no mundo dos videogames ainda é uma aposta arriscada. A reação inicial do público nos primeiros meses será fundamental para dizer se o serviço terá futuro ou não. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cidadania4u | Site ajuda brasileiros no pedido de cidadania italiana Spotify Premium agora dá a novos assinantes os 3 primeiros meses de graça Estudo de ONG diz que Amazon, Microsoft e Intel colocam mundo em risco com IA WhatsApp já começa a aparecer com "novo nome" para alguns usuários 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

OnePlus lançará novo modelo de TV premium em setembro

OnePlus lançará novo modelo de TV premium em setembro

canaltech A OnePlus, uma das principais marcas de smartphones da China vai ampliar sua linha de produtos. De acordo com o CEO da companhia, Pete Lau, um aparelho de TV posicionado como "premium" será lançado em setembro. Em postagem no fórum da marca, o executivo deu alguns detalhes sobre o lançamento. Segundo ele, a TV será lançada inicialmente na Índia, já que conta com um bom relacionamento com provedores de conteúdo por lá. No entanto, o aparelho também será lançado na América do Norte, Europa e, claro, China tão logo a OnePlus feche parcerias com indexadoras de conteúdo locais. "O ecossistema de conteúdo varia de um país para outro. Sempre tivemos um relacionamento muito positivo com provedores [de conteúdo] na Índia, que sempre estiveram dispostos a fazer parcerias conosco, o que garante um ótimo conteúdo para nossos usuários", comentou Lau na postagem. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Imagem postada no fórum da OnePlus mostra pouco da TV/ Imagem: OnePlus Isso faz todo o sentido quando observamos alguns detalhes dessa TV. Segundo a marca, o aparelho irá se comportar como uma espécie de hub social diário, conectado a assistentes inteligentes. "A OnePlus TV é um passo importante para o envolvimento da OnePlus no mundo da internet das coisas e interconexão. É, também, uma prova do nosso compromisso em continuar nossa exploração sobre como podemos melhorar o mundo ao nosso redor ao projetar uma experiência humana conectada", continua Lau. Sobre o aparelho em si, não existem muitos detalhes. Mas a postagem revela que a tela será de OLED, com design sofisticado e que vai "transparecer" o aspecto de flagship. Segundo a marca, mais detalhes devem ser revelados em breve. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses NASA planeja usar energia térmica nuclear em foguetes para chegar a Marte Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox Nubank começa a expandir contas de pessoa jurídica para seus clientes Veja Mais

Apple TV+ | Códigos indicam que é possível baixar vídeos e assistí-los offline

Apple TV+ | Códigos indicam que é possível baixar vídeos e assistí-los offline

canaltech A Apple vem modificando o seu modelo de negócios e começou a oferecer (ou anunciou) vários serviços na modalidade SaaS (Software como Serviço, na tradução livr para o português), como o Apple News+, Apple Card, Apple Arcade e Apple TV+. E, como era de se esperar, várias pessoas começaram a fuçar as entranhas dos códigos desses serviços e, de acordo com o MacRumors, parece que a Maçã pode permitir o download de mídias para a visualização offline no Apple TV+. A equipe do MacRumors informou que, analisando o código das versões mais recentes do macOS, conseguiu encontrar trechos de textos como: "Você atingiu seu limite de downloads [número pré-definido]", "Limite de download alcançado para [título] Temporada 1 Episódio 1" e "Para baixar este episódio de [título], exclua-o do outro dispositivo e tente novamente". Assim, fica evidente que a empresa de Tim Cook está planejando permitir o download dos vídeos no Apple TV+ mas, com restrições. Algo que já acontece em serviços como o Netflix, Amazon Prime Video e HBO Go. Essas restrições, por sinal, são bastante comuns entre os serviços de streaming de vídeos. A Netflix, por exemplo, também aplica uma série de limitações para o download de seu acervo. Apesar de ser um pouco inconveniente para o usuário, esses bloqueios são necessários para proteger as assinaturas e os serviços da empresa, evitando que os conteúdos audiovisuais acabem vazando para todo canto, principalmente para quem não possui uma assinatura e quer aproveitar o conteúdo sem pagar. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Veja Mais

Dupla de astronautas instala novo porto para espaçonaves comerciais na ISS

Dupla de astronautas instala novo porto para espaçonaves comerciais na ISS

canaltech Nick Hague e Andrew Morgan, astronautas da NASA, saíram da Estação Espacial Internacional (ISS) na quarta-feira (21) para uma caminhada espacial, a quinta da estação neste ano. A missão: instalar um novo porto de ancoragem para naves espaciais comerciais. A dupla começou a caminhada de seis horas e meia saindo da câmara de segurança Quest, construída pelos EUA, e realizou a instalação do Adaptador de Acoplamento Internacional-3 (IDA-3) ao Adaptador de Acoplamento Pressurizado-3 no lado voltado para o espaço do módulo Harmony da estação. Tudo teve cobertura ao vivo da NASA Television. Com isso, a IDA-3 servirá como uma segunda porta de ancoragem para as naves espaciais comerciais da Boeing (Starliner) e da SpaceX (Crew Dragon). O porto foi enviado para a estação no mês passado, em uma nave Dragon, da SpaceX. A NASA usará os veículos dessas empresas para transportar astronautas de e para a estação espacial no futuro, coisa que hoje ainda é feita pelos russos com suas naves e foguetes Souyz. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Nick Hague (à esquerda) e Andrew Morgan (à direita), a bordo da ISS. Foto: NASA Essa foi a primeira caminhada espacial de Morgan. Hague, por sua vez, já havia realizado duas caminhadas para ajudar na substituição de algumas das baterias solares da estação. Durante a missão de quarta-feira, Hague foi o primeiro a sair, seguido por Morgan alguns minutos depois, enquanto a estação sobrevoava o Oceano Atlântico. Tudo correu bem, e até mesmo as tarefas para as quais Hague e Morgan esperavam ter alguma dificuldade, como a instalação de cabos dos adaptadores de atracação, foram concluídas antes do previsto. Houve até mesmo um lanchinho no centro de controle da NASA, preparado pela mãe de Hague para os controladores em Houston, que ajudaram os astronautas em sua caminhada espacial. Depois de instalar o porto de ancoragem, eles instalaram dois refletores no IDA-3, que servirão como auxílio de atracagem para as espaçonaves visitantes, fornecendo informações visuais para os veículos. Hague e Morgan também receberam uma ajudinha do Dextre, um robô do Canadá lançado em 2008. Morgan aparentemente gostou de sua primeira caminhada no espaço. "É uma coisa especial que podemos fazer, e é uma honra fazer parte de uma equipe tão estelar", disse. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Funcionários da Microsoft ouvem o que você fala próximo ao Xbox 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Com aporte de US$ 400 mi, Nubank contratará mil profissionais nos próximos meses Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA Rumor | iPhone 11 Pro deve ter suporte para a Apple Pencil Veja Mais

Sistema vai integrar base de dados de criminalidade de estados e municípios

Sistema vai integrar base de dados de criminalidade de estados e municípios

canaltech Cinco estados brasileiros começam a receber informações do sistema de big data do Sistema Nacional de Estatística de Segurança Pública (Sinesp). O governo apresentou na terça-feira (20) o conjunto de quatro ferramentas que poderá ser usado por agentes públicos no combate à criminalidade.  O pacote conta com:  Sinesp Big Data: ferramenta que serve como banco de dados e base para todos os outro serviços;  Big Data - Geo inteligência: sistema de geolocalização para indicar quando e onde uma ocorrência foi registrada. "Será possível, por exemplo, visualizar rotas de policiamento e mapas de calor com os locais onde mais acontecem crimes e em quais horários", diz comunicado;  Big Data - Tempo real: consulta e acompanhamento de ocorrências, verificação de sensores, visualização câmeras, viaturas e de pessoas com tornozeleiras em tempo real; Big Data - Busca: sistema de procura de boletins de ocorrências de outros estados e municípios que não o do oficial.  O sistema foi apresentado pelo ministro Sérgio Moro, durante Seminário de Boas Práticas em Tecnologia da Informação Voltadas à Segurança Pública. “O policial não pode estar em todo o lugar e quanto mais informações ele detiver, melhor. Inteligência é tudo. Informação é tudo”, reforçou Moro.  -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- A ideia da ferramenta é integrar sistemas de vários estados e municípios para que policiais tenham acesso a informações de outros casos e até possa consultar ações realizadas no passado.  “Na prática, agentes de segurança poderão acompanhar as ocorrências de todo o país, buscar informações e ficha criminal de suspeitos, monitorar veículos roubados, atuar no combate ao tráfico nas regiões de fronteiras, além de agir de prontidão na prevenção de assaltos e homicídios”, informa comunicado do governo federal.  Os primeiros locais a receber a ferramenta são Espírito Santo, Goiás, Pará, Paraná e Pernambuco. O governo também informou que o Ceará deve fazer parte desta primeira leva. O motivo é que o sistema foi desenvolvido em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC), com base em uma prática de sucesso adotada pelo estado.  A proposta é de que, até o final do ano, a novidade chegue também aos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e Tocantins. Ainda não há previsão para que o serviço chegue a outras regiões.  Para colocar o programa de pé, o Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP) deve direcionar investimentos na casa de R$ 32 milhões para infraestrutura digital. Segundo o órgão, os estados não devem ter nenhum custo adicional para implementação do serviço de inteligência. Também ainda pelo comunicado, os dados, subsidiados por todos os órgãos da administração pública estadual e federal, serão hospedados em nuvem. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Queimadas na floresta amazônica brasileira são vistas por satélite da NASA O maior campus da Amazon acaba de ser inaugurado na Índia Honor entra para mercado de games mobile com gamepad e parcerias com estúdios Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

CT News - 21/08/2019 (Como o dia virou noite em São Paulo)

CT News - 21/08/2019 (Como o dia virou noite em São Paulo)

canaltech Como o dia virou noite em São Paulo? // Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance // Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU // Walmart processa Tesla por causa de painéis solares // Spotify deve ganhar recurso de stories Ouça ao podcast. Veja Mais

Os 10 melhores apps iOS da semana (21/08/19)

Os 10 melhores apps iOS da semana (21/08/19)

canaltech Quarta-feira é dia de conferir uma lista com 10 aplicativos que estão bombando na App Store e que precisam ser conhecidos. Nesta semana, encontramos dicas de apps para edição de vídeo, o FiLMiC Pro e o Editor de Vídeo com Música, e de fotos, o Fyuse - Fotos em 3D. Selecionamos ainda duas dicas incríveis para quem gosta de games, o Discord e o Gametrack, além de sugestões de pescaria, criação de roteiros, para lembrar da hora de tomar remédios, entre outras opções. Prepare o seu iPhone ou iPad e confira as dicas desta semana: -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- 1- Discord A primeira dica é para quem está por dentro dos games. Com o aplicativo Discord, você passa por uma experiência incrível de comunicação através de conversas de voz em grupo, mensagens em tempo real com vídeos, GIFs e emojis, mensagens privadas, diversas opções de organização e customização do seu canal, entre muitas outras vantagens. Com cinco estrelas de classificação na App Store e no top 10 na categoria "Redes sociais", Discord pode ser baixado gratuitamente. 2- Fishbrain - Fishing App Agora, chegou a hora de conhecer um aplicativo dedicado à pescaria. No Fishbrain - Fishing App, considerado o melhor aplicativo de pesca, você confere dados sobre onde estão os peixes e quais iscas deve utilizar, contando ainda com uma ferramenta chamada Previsão de Pesca para você organizar as suas saídas. Os dados são bastante precisos! O aplicativo ainda permite que você registre o seu histórico pessoal de pesca, monitore o seu desempenho pessoal, crie as suas listas de pesca e grupos, entre diversas outras opções. Classificado com cinco estrelas na App Store, você pode fazer o download de Fishbrain - Fishing App gratuitamente. 3- Fyuse - Fotos em 3D Uma dica para quem gosta de criar em cima de fotos: o Fyuse - Fotos em 3D. O aplicativo permite que você crie imagens com interações em 3D, sendo possível conferir diferentes ângulos de uma mesma foto. Gratuito para download, Fyuse - Fotos em 3D está classificado com quase cinco estrelas na loja de aplicativos da Apple. 4- FiLMiC Pro As dicas dessa semana não contam só com aplicativos para fotos, como também para vídeos. A sugestão agora é o FiLMiC Pro, uma filmadora para celular avançada, aprimorada com recursos de ponta. Com interface de câmera manual intuitiva e fácil de usar, você transforma o seu iPhone ou iPad em uma filmadora incrível. O app conta com recursos deslizantes para o ajuste do foco e da exposição, sobreposição analítica, controle de estabilidade do zoom, osciloscópio, matriz de ajustes, controles de curva, entre as mais variadas opções. Com quase cinco estrelas de classificação na App Store, o aplicativo FiLMiC Pro custa R$ 54,90. 5- Untitled - Screenwriting Notes Agora, uma dica para os criativos. Com o aplicativo Untitled - Screenwriting Notes, você cria os seus roteiros de forma organizada e sem complicação. O app conta com recursos de notas rápidas, rascunhos, formatação e fontes, exportação de vários formatos, sincronização com o iCloud, entre várias outras opções. O aplicativo conta com cinco estrelas de classificação na App Store e o download pode ser feito por R$ 18,90. 6- CUCO - Tratamento Digital Caso se lembrar de tomar o remédio na hora certa é um problema, você precisa conhecer o CUCO - Tratamento Digital. O aplicativo oferece opções para você acompanhar a sua rotina de tratamento, receber alertas sobre quando os remédios estão acabando e quando é hora de tomar cada um deles e, inclusive, permite que cuidadores sejam adicionados para ajudar na recuperação. O aplicativo está classificado com cinco estrelas na App Store e pode ser baixado gratuitamente. 7- Flipflop Solitaire O jogo Solitaire (Paciência) é um dos clássicos das cartas que está sempre disponível em versões para PC e smartphones. Então, a dica da vez é o FlipFlop Solitaire para iOS, que conta com diversas opções para deixar a sua experiência de jogatina ainda mais incrível. Classificado com quase cinco estrelas na loja de aplicativos da Apple, Flipflop Solitaire pode ser baixado sem custo. 8- ELSA Speak - Accent Reduction Sabe falar inglês mas sente um pouco de dificuldade na pronúncia? Se a resposta for sim, ou se você apenas tem o interesse de aprender ainda mais, a dica é o ELSA Speack - Accent Reduction. No aplicativo, que funciona com a tecnologia de reconhecimento de voz, você faz exercícios diários para melhorar a sua pronúncia, visando ter um inglês perfeito. São mais de 400 lições com mais de duas mil palavras comuns no idioma em dezenas de tópicos diferentes. O aplicativo conta com cinco estrelas de classificação na App Store e pode ser baixado sem custo. 9- Editor de Vídeo com Música Chegou a hora demais um aplicativo para você criar vídeos incríveis para as suas redes sociais. O Editor de Vídeo com Música é um app que permite a inserção de música e voz nas suas criações, contando com uma biblioteca com mais de 25 gêneros musicais, mais de 100 filtros de vídeo, entre outras opções. Possui ainda ferramentas para cortes de vídeo e áudio, gravação de voz, posicionamento de faixas e muito mais Com cinco estrelas de classificação na App Store, Editor de Vídeo com Música pode ser baixado gratuitamente. 10- GameTrack Para fechar a lista da semana, mais uma dica para quem gosta de games. No aplicativo Gametrack, você monitora o seu progresso nos jogos, adiciona aqueles que você já finalizou e ainda cria listas de desejo e confere informações sobre os seus títulos favoritos. Com quase cinco estrelas de classificação na App Store, GameTrack pode ser baixado sem custo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels Veja Mais

Rio da Coreia do Norte pode estar contaminado por dejetos de usina nuclear

Rio da Coreia do Norte pode estar contaminado por dejetos de usina nuclear

canaltech Um possível desastre ambiental na Coreia do Norte tem preocupado autoridades no assunto. O foco é uma usina de urânio, com sede em Pyongsan, que pode estar envolvida com a emissão de lixo radioativo. A suspeita é que essa usina esteja enviando lixo tóxico para o Mar Amarelo, na costa ocidental da península coreana, por meio de um rio adjacente, o Ryesong, na província de Hwanghae Norte. No entanto, vale ressaltar que a emissão de lixo radioativo ainda não foi confirmada oficialmente. Foi o especialista independente em análise de imagens de satélite, Jacob Bogle, que trouxe à tona essas suspeitas. Ele falou à Radio Free Asia sobre a possível emissão de lixo radioativo como subproduto da usina, já que o urânio é extraído do carvão. Além de contatar a rádio asiática, Bogle ainda compartilhou a possível descoberta em seu blog pessoal: "Graças ao Google Earth, podemos identificar que o duto que leva os resíduos para o reservatório está com vazamentos e derramando água tóxica na correnteza do Ryesong". No entanto, Bogle não foi o único a entrar em contato com a Radio Free Asia. Hankwon Choi, especialista nuclear da AECOM (uma empresa de engenharia multinacional sediada nos Estados Unidos), disse à rádio em questão que a usina nuclear de Pyongsan deve ser motivo de preocupação apenas se os resíduos forem o subproduto da separação de isótopos de urânio. De acordo com ele, o urânio simplesmente sendo extraído do carvão não representa, necessariamente, uma ameaça. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- A preocupação veio, principalmente, após os disparos de dois mísseis de curto alcance fabricados pela Coreia do Norte na última sexta-feira (16). Os Estados Unidos já tinham pedido que o país deixasse a arma nuclear de lado. Na própria sexta, inclusive, um veículo chamado Kyodo News chegou a informar que o Japão está "disposto a fornecer tecnologia robótica para os Estados Unidos". Por sua vez, autoridades norte-americanas já tinham falado anteriormente com o Japão sobre a possibilidade de a área perto das instalações nucleares da Coreia do Norte incluir lixo radioativo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Cyberpunk 2077 ganha anúncio de realidade aumentada

Cyberpunk 2077 ganha anúncio de realidade aumentada

canaltech Durante a transmissão ao vivo do Stadia Connect realizada na última segunda (19), foi confirmado que o jogo Cyberpunk 2077 vai integrar o catálogo da plataforma de streaming de jogos eletrônicos da Google, Stadia. Já nesta quarta-feira (21), a publicidade do jogo está a todo vapor, e um grande diferencial é que os anúncios integram o Google Lens para trazer uma experiência de realidade aumentada. Se você é fã de games, provavelmente já está ligado na Gamescom, que começou na última terça (20) e continua até a próxima sexta-feira (23), com direito a uma verdadeira enxurrada de novidades em torno da indústria dos videogames. E foi lá nessa convenção, situada em Colonia (Alemanha), que o público teve acesso à nova publicidade "diferentona" no Cyberpunk 2077, com cartazes de realidade aumentada espalhados por lá. Por meio da conta oficial do jogo no Twitter, os fãs ficaram sabendo do recurso. "Tá vindo para a #gamescom2019? Fique de olho nos cartazes do Cyberpunk2077 — Há mais coisas nele do que aparenta", diz a publicação, que orienta o público que se deparar com um cartaz a usar o Google Lens. A postagem ainda acompanha um vídeo mostrando direitinho a novidade. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Coming to #gamescom2019?Be on the lookout for #Cyberpunk2077 posters – there's more to them than meets the eye!Found one? Use this: https://t.co/I5p169eewS pic.twitter.com/hLSRuFsDL9 — Cyberpunk 2077 (@CyberpunkGame) August 20, 2019 Curiosamente, os anúncios que usam o Google Lens para oferecer o vídeo de realidade aumentada não fazem referência alguma ao Cyberpunk 2077 presente no catálogo do Google Stadia. Sendo assim, é possível concluir que essses anúncios tenham sido projetados antes da negociação entre a Google e a CD Projekt RED (desenvolvedora responsável pelo jogo em questão). Além disso, o diferencial do anúncio é possível graças ao recurso living surfaces, que foi anunciado durante a Google I/O (uma conferência de programadores que é organizada anualmente pela Google) na edição deste ano, que ocorreu de 7 a 9 de maio. No entanto, Cyberpunk 2077 não foi o primeiro a usar realidade aumentada para tornar a publicidade mais atraente. A Netflix também fez isso para divulgar a terceira temporada de Stranger Things. Vale lembrar que o Cyberpunk 2077 vai ser lançado para PlayStation 4, Xbox One e PC em dia 16 de abril de 2020, mas data para o Stadia não foi confirmada. A estrela do game Cyberpunk 2077 é Keanu Reeves (Foto: Divulgação) O jogo de RPG eletrônico é o título mais ambicioso da empresa até então. Foi anunciado pela primeira vez em 2012, e é uma adaptação do RPG de mesa Cyberpunk 2020. A maior estrela do tão aguardado Cyberpunk 2077 é o ator Keanu Reeves. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21) Pendrive Kingston 16 GB custa só R$ 14,90 se pagar com RecargaPay Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21)

WhatsApp passa por instabilidades nesta quarta-feira (21)

canaltech Desde a manhã desta quarta-feira (21), alguns usuários do WhatsApp estão notando instabilidades no uso do aplicativo e da versão web. Segundo relatos no DownDetector, o WhatsApp não está exibindo imagens e nem carregando os stickers, além de apresentar demora no envio de mídias e mensagens. Na redação do Canaltech, o problema também está afetando algumas pessoas, como mostra as capturas de tela abaixo, deixando de exibir stickers e imagens, e também sumindo com algumas mensagens. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Captura de tela: Wagner Wakka/Canaltech Reparamos também que no WhatsApp Web a conexão não é concluída e em um caso, após atualização, o serviço deixou de reconhecer o smartphone no momento da conexão via QR Code. Captura de tela: Luciana Zaramela/Canaltech No mapa do DownDetector, o WhatsApp aparece com problemas na região sudeste do Brasil, se espalhando a cada vez mais para o norte, nordeste e sul, com instabilidades também na Argentina, Peru e Venezuela. Também é possível observar falhas acontecendo com usuários do México, Estados Unidos e em algumas regiões da Europa. Imagem: Captura de tela/Downdetector Até o momento, o WhatsApp não se manifestou para explicar o motivo da instabilidade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Renderizações mostram alguns detalhes do Pixel 4 [vídeo]

Renderizações mostram alguns detalhes do Pixel 4 [vídeo]

canaltech A ansiedade para a chegada do Pixel 4, novo smartphone topo de linha da Google, está no auge. O produto, que deve lançado em outubro, já foi alvo de alguns vazamentos e rumores recentes, mas este, em questão, foi o mais revelador e verossímil até agora: um vídeo feito pelo youtuber Waqar Khan mostra com detalhes como será o aparelho, revelando que ele virá com um notch na parte superior e uma configuração de três câmeras na parte de trás. No campo das especificações, já existem alguns rumores bem fortes e que foram divulgados na mídia. É sabido, por exemplo, que a linha vai se subdividir em dois aparelhos: Pixel 4 e Pixel 4L. Ambos os telefones terão 6 GB de RAM LPDDR4x, com uma opção de armazenamento de 128 GB para cada modelo. O Pixel 4 menor terá uma tela com resolução de 2280 x 1080, o que indica que a tela será um pouco mais alta que a de 2160 x 1080 do Pixel 3. O Pixel 4 XL, por sua vez, terá um display de 3040 x 1440 pixels. As câmeras devem ser compostas por uma lente principal de 16MP, outra grande angular de 12MP e uma terceira responsável pela profundidade. Isso faz com que os Pixel 4 e Pixel 4XL sejam os primeiros smartphones da Google com câmeras múltiplas, o que dá um ar de modernidade à linha, sempre criticada por ser tradicional demais. E por falar em design e modernidade (ou a falta de), os celulares terão bordas bem visíveis na extremidade superior. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.-   As baterias, por sua vez, serão de 2.800 mAh para o Pixel 4 e 3.700 mAh para o Pixel 4 XL. E aí, estão ansiosos pelo Pixel 4? Deixem suas opiniões nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Bolsonaro confirma que Correios serão os primeiros a serem privatizados Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

MCTIC e Ministério da Economia registram 53 iniciativas de indústria 4.0 no país

MCTIC e Ministério da Economia registram 53 iniciativas de indústria 4.0 no país

canaltech A Câmara Brasileira da Indústria 4.0, iniciativa do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e do Ministério da Economia, já mapeou 53 projetos de indústria 4.0 existentes no país. A notícia foi dada pelo secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Paulo Alvim, que participou, nesta terça-feira (21), da 2ª reunião dos Grupos de Trabalho (GTs) do Mapeamento 4.0, braço da câmara que fez o levantamento. O conceito de indústria 4.0, também conhecida como manufatura avançada ou quarta revolução industrial, engloba inovações no campo da automação e utiliza tecnologias como a Internet das Coisas e a computação em nuvem. O Mapeamento 4.0, elaborado pela Sempi/MCTIC em parceria com o Senai, monitora todos os cursos, capacitações, eventos, programas de apoio financeiro e gerencial, além de outras ações relacionadas ao tema da indústria 4.0. A expectativa, segundo o secretário, é que na próxima reunião do Conselho Superior do colegiado — prevista para o dia 29 de agosto — os Grupos de Trabalho apresentem um plano de ação para a indústria 4.0 e dados mais detalhados sobre os projetos inscritos no mapeamento. “Estamos correndo atrás do prejuízo. O carro está na rua e a fila está andando. A indústria 4.0 já está acontecendo. É fundamental que a gente entre numa crescente, num modelo de escalabilidade desse processo”, destacou Alvim. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A Câmara Brasileira da Indústria 4.0 é formada por mais de 30 entidades representativas do governo, empresas e acadêmicos e vai integrar iniciativas em vigor ou que poderão ser desenvolvidas no país. Ela conta com quatro grupos de trabalho focados em apresentar soluções nos seguintes eixos: Desenvolvimento Tecnológico e Inovação; Capital Humano; Cadeias Produtivas e Desenvolvimento de Fornecedores; Regulação, Normalização Técnica e Infraestrutura. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens Veja Mais

Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels

Redmi Note 8 Pro será lançado ainda em agosto com câmera de 64 megapixels

canaltech A Redmi, empresa subsidiária da chinesa Xiaomi, já havia anunciado que revelaria “em breve” um novo smartphone com uma câmera de 64 megapixels. Nesta quarta-feira (21) tivemos a confirmação, pela própria empresa, de que trata-se do Redmi Note 8 Pro, que apareceu em um pôster publicado pela companhia. O anúncio do aparelho será feito oficialmente em evento próprio no dia 29 de agosto de 2019, mas o pôster já mostra alguns detalhes visuais interessantes. A traseira acomodará quatro câmeras, sendo três empilhadas verticalmente ao centro do smartphone e a quarta posicionada ao lado destas. Abaixo das três câmeras empilhadas, um leitor de impressões digitais, contrariando suspeitas de que o dispositivo viria com leitor sob a tela. Ademais, a Redmi também deve aproveitar o evento para anunciar o Redmi Note 8, uma versão mais "modesta" do aparelho, supostamente com design similar, mas com poucas chances de contar com as mesmas especificações de câmera. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- (Imagem: Divulgação/Redmi/Xiaomi) Sobre as câmeras em si, sabe-se que o sensor é fabricado pela Samsung, como parte da família ISOCELL. Você já viu esse nome antes aqui no Canaltech: a mesma linha deve ganhar um sensor de mais de 100 megapixels em outra parceria da Samsung com a Xiaomi. Vale citar, porém, que os 64 megapixels não são muito exatos: ainda que o sensor tenha capacidade de capturar 64 milhões de pontos de luz, os subpixels em RGB só conseguem criar uma imagem “natural” de até 16 megapixels. Qualquer valor que exceda essa marca é interpretado via algoritmo, ou seja, a produção é por software e não pela lente. Isso vale tanto para a Samsung como para a Redmi, aliás. Novos detalhes devem surgir à medida que a data oficial de lançamento do Redmi Note 8 Pro se aproxima. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? Por não ter números, Apple Card é mais seguro que outros cartões, diz Mastercard OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens Veja Mais

Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance

Vazamento indica que Motorola RAZR 2019 terá foco no design e não na performance

canaltech No começo do ano fomos surpreendidos com os rumores de que a Lenovo estaria planejando reviver a linha Motorola RAZR, a mais icônica da então fabricante norte-americana. A ideia dos chineses, porém, era de dar esse nome ao seu primeiro smartphone dobrável, o que depois acabou sendo confirmado por seu vice-presidente. E como era de se esperar, a Motorola, campeã mundial de vazamentos na mídia, recebeu mais um 'presentinho' e, sim, já pudemos colocar os olhos nos primeiros detalhes deste que pode ser um potencial concorrente para os aparelhos da Huawei e Samsung. O vazamento, publicado pelo Letsgodigital, confirmou alguns detalhes sobre o próximo RAZR. De acordo com uma fonte anônima, o aparelho virá com uma tela grande e flexível, mas fugindo um pouco do que as gigantes concorrentes farão com seus respectivos aparelhos. Segundo a publicação, a Motorola vai aliar a modernidade à nostalgia. O aparelho será posicionado como intermediário e, ao invés de focar em uma tela grande, tal qual o Galaxy Fold e o Mate X, o RAZR terá um design menor, mais parecido com seu antecessor. Ou seja, a preocupação da marca será com a aparência e funcionalidade do smartphone com este conceito, e não com seu poderio ou display de grandes proporções. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Imagem: Sarang Sheth  Relembrando Pelas renderizações publicadas em janeiro deste ano por Sarang Sheth, do site Yanko Design, o novo Razr será mais quadrado do que seus antecessores quando estiver fechado. Isso acontece porque ele vem com um display dobrável flexível, que percorre todo o chassi do aparelho de cima para baixo, o que indica, também, uma tela de proporção 19:8, juntamente com bordas curvas e até mesmo um notch. GIF: Sarang Sheth  Ao virar o telefone de costas, é possível ver um monitor secundário e uma câmera única, além de um sensor de impressão digital. A presença de duas telas significa que você pode usar a câmera para fazer selfies com o auxílio desse display e aproveitá-lo, também, para acessar as notificações do telefone sem abrir o aparelho. Quando chega? Ainda de acordo com o LetsGoDigital, a Motorola pretende lançar o aparelho em dezembro de 2019 nos Estados Unidos e, depois, na Europa, por módicos US$ 1500 (R$ 6075,00) na cotação atual. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Testamos o NS WhatsApp: essa versão modificada do Zap é segura ou cilada? OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Veja Mais

Cigarros eletrônicos danificam vasos sanguíneos, diz estudo

Cigarros eletrônicos danificam vasos sanguíneos, diz estudo

canaltech O cigarro eletrônico (dispositivo operado por bateria, que converte líquido em aerossol, e é inalado para os pulmões do usuário) tem sido uma opção para aqueles que estão tentando parar de fumar e se livrar da nicotina. No entanto, isso não quer dizer que a prática seja necessariamente boa para o usuário. Os pesquisadores da Escola de Medicina Perelman, da Universidade da Pensilvânia (EUA), estudaram o impacto a curto prazo deste tipo de dispositivo e concluíram na última terça-feira (20) que ele danifica os vasos sanguíneos, mesmo que o vapor seja completamente livre de nicotina. O estudo foi feito da seguinte forma: os pesquisadores fizeram exames de ressonância magnética em 31 adultos saudáveis e não fumantes, antes e depois de fumar um cigarro eletrônico livre de nicotina. Isso resultou na redução do fluxo sanguíneo e na função endotelial, comprometida na grande artéria (femoral) que fornece sangue para as coxas e pernas. Se essa função é danificada, as artérias engrossam e o sangue flui para o coração, o que pode resultar num ataque cardíaco ou derrame. Segundo pesquisa, o cigarro eletrônico não é tão inofensivo quanto parece (Foto: Pixabay) -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Felix W. Wehrli, professor de Radiologia e Biofísica da Escola de Medicina Perelman, explica: "Embora o líquido do cigarro eletrônico possa ser relativamente inofensivo, o processo de vaporização pode transformar as moléculas - principalmente propilenoglicol e glicerol - em substâncias tóxicas". Ele ainda acrescenta: "Além dos efeitos nocivos da nicotina, mostramos que o cigarro eletrônico tem um efeito imediato e repentino na função vascular do corpo e pode, potencialmente, levar a consequências prejudiciais a longo prazo". Os pesquisadores realizaram uma análise estatística para determinar as diferenças na função vascular antes e depois do cigarro eletrônico. Eles observaram redução de 34% na dilatação da artéria femoral, redução de 17,5% no pico de fluxo sanguíneo e redução de 25,8% na aceleração do sangue. Alessandra Caporale, pesquisadora de pós-doutorado no Laboratório de Imagem Estrutural, Fisiológica e Funcional, aponta: "Cigarros eletrônicos são anunciados como não prejudiciais e muitos usuários estão convencidos de que estão apenas inalando vapor de água. Mas os solventes, aromas e aditivos na base líquida, após a vaporização, expõem os usuários a múltiplos danos à respiração e aos vasos sanguíneos". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Veja Mais

Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens

Não deu certo! YouTube está encerrando recurso de mensagens

canaltech Trocar mensagens é o jeito mais rápido de entrar em contato com outra pessoa, seja pelo WhatsApp, pelas DMs do Twitter ou pelo Messenger do Facebook. Até mesmo o YouTube conta com seu próprio recurso de troca individual de mensagens. Entretanto, parece que a plataforma de vídeo quer se concentrar em melhorar a interação pública de seus usuários e por isso decidiu que vai encerrar essa funcionalidade na web e em seus apps para Android e iOS a partir do dia 18 de setembro. Com o fim dessa funcionalidade, o YouTube deve se concentrar mais esforços nas seções de comentários, postagens e principalmente os Stories. Vale lembrar, inclusive, que a maior parte das atualizações nos últimos meses foi focada no YouTube Stories para oferecer uma experiência parecida com o Instagram e com o Snapchat. É uma função nova que está disponível para usuários com mais de 10 mil seguidores e começando a aparecer no feed principal da Página Inicial. O recurso de "Mensagens" do YouTube permitia que os usuários conversassem individualmente ou em grupo (Foto: Divulgação/YouTube) O recurso intitulado "Mensagens" foi introduzido no app móvel do YouTube em agosto de 2017. Depois, o recurso também foi disponibilizado na web, o que, inclusive, acabou sendo a última grande atualização da ferramenta em questão. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- "Há dois anos, lançamos um recurso para compartilhar vídeos por meio de mensagens diretas no YouTube. Desde então, também nos concentramos em conversas públicas com atualizações de comentários e postagens. Estamos constantemente reavaliando nossas prioridades e decidimos descontinuar o recurso de mensagens diretas nativas do YouTube e nos concentrarmos em melhorar as conversas públicas", declarou a companhia em comunicado oficial nesta terça-feira (20). Em contrapartida, acredita-se que a extinção do recurso "Mensagens" do YouTube não vai fazer muita falta entre os usuários, já que há várias outras maneiras de se comunicar diretamente e apenas uma pequena fatia usava o YouTube como principal meio para conversar assim. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Em raro estudo, NASA não encontra atmosfera em planeta que orbita estrela anã OPORTUNIDADE | Samsung Galaxy S10+ pelo menor preço do varejo 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Veja Mais

O que podemos esperar da Libra, a criptomoeda do Facebook

O que podemos esperar da Libra, a criptomoeda do Facebook

canaltech *Por Pedro Birindelli O tema criptomoedas inaugura mais uma polêmica: o projeto Libra. Recentes declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, em seu Twitter, atacam o bitcoin e a Libra, uma nova moeda virtual anunciada há pouco pelo Facebook. O comentário de Trump aconteceu dias antes das audiências ocorridas este mês diante do Comitê Bancário do Senado e da Câmara norte-americana que discutiram aspectos legais do projeto. Para se ter uma ideia do ânimo acirrado das discussões, um projeto de lei foi apresentado após as declarações de Trump sob o título “Keep Big Tech out of Finance”. Certamente, esse ainda será assunto que ficará um bom tempo em evidência. Mas, afinal, o que é este projeto? O que tem a ver com o bitcoin? Ou com o dólar americano? Quais os possíveis motivos que levam o governo dos Estados Unidos a atacar as criptomoedas? -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- No site oficial da organização, é possível encontrar um vídeo introdutório que deixa explícito o objetivo do projeto em criar um novo sistema monetário global, desenhado para a era digital e que seja simples e rápido, sendo utilizado como meio de pagamento e transferência de valores entre pessoas do mundo todo, empoderado pelo uso da tecnologia blockchain, que conferirá ao sistema segurança e acessibilidade. É importante ressaltar outros dois fatores desse projeto: o primeiro, a intenção de lastrear a Libra (nome dado a criptomoeda resultante do projeto de mesmo nome) a uma reserva de ativos estruturada para que haja a preservação do capital e liquidez. De uma forma direta, estamos falando de um fundo de títulos públicos emitidos por governos estáveis que tenham um grande volume diário de negócios, com o objetivo único de prover baixíssima volatilidade para o sistema monetário Libra, garantindo assim que o valor de hoje seja o mesmo em uma semana, propriedade fundamental para a utilização como meio de pagamento. O segundo fator relevante é o modelo de organização, baseado na associação de diversas empresas e agentes privados de todo o mundo, ou seja, apesar do Facebook estar na liderança do projeto, por intermédio da subsidiária Calibra, criada para esse fim, está muito bem acompanhado, tendo como associados gigantes que atuam em mercados como: meios de pagamento (MasterCard, Visa e PayPal); tecnologia e telecomunicações (Vodafone, eBay, Spotfy, Uber), e ainda empresas de capital de risco, organizações internacionais e sem fins lucrativos e por fim instituições acadêmicas. Cabe destacar que o Facebook, apesar de estar liderando o projeto, terá os mesmos privilégios e obrigações que os demais membros fundadores, durante a operação do sistema. A atual rede já tem um peso bastante importante, porém é previsto que esse grupo aumente ainda mais, chegando a cerca de 100 organizações até o lançamento da plataforma, previsto para o primeiro semestre de 2020. Muitos fatores operacionais desse novo sistema de moeda digital ainda não foram esclarecidos, principalmente pelo fato de ainda estar em desenvolvimento. No entanto, a partir do documento técnico disponível no portal, conseguimos desenhar o funcionamento básico da rede. A melhor forma de entender como esse sistema funcionará é nomeando os agentes integrantes dessa complexa operação e o papel que cada um exerce: Associação Libra, formada pelos membros fundadores Esse agente exerce um importante papel no desenvolvimento de todo ecossistema, englobando a criação de toda tecnologia, a interlocução com as autoridades, tais como órgãos reguladores e governos, o desenho do modelo de negócio/operação e o aporte de capital, tanto para o investimento no projeto quanto para a formação inicial do fundo, que será o lastro para emissão das primeiras moedas. Durante a operação do sistema, a associação terá a função de emitir as moedas, validar as transações, gerir o fundo lastro e garantir a governança de todo o sistema. Com o amadurecimento da rede, é previsto uma redução da influência/dependência entre o sistema e esse agente, por meio de mudanças no desenho da rede, principalmente no que tange o permissionamento. Outros dois agentes fundamentais para que a transação ocorra são: Pagadores e os recebedores que vão interagir a partir de uma transação Caberá ao pagador a obtenção da libra por meio da compra por moeda fiduciária, da troca por outra criptomoeda ou ainda pelo recebimento a partir de uma outra transação, além da posse de uma carteira virtual, software responsável pelo armazenamento das moedas e realização do pagamento e recebimento. Prestadores de serviços - Exchange As Exchange autorizadas serão responsáveis pela distribuição das moedas e direcionamento do capital para a associação Libra aplicar no fundo lastro. Também serão responsáveis pela liquidação, atuando como marketplace entre quem quer comprar e quem quer vender a Libra e em última estância entre quem quer vender e a associação Libra como compradora. Prestadores de serviços - Carteira Um segundo prestador de serviço é o fornecedor da carteira, que inicialmente será papel da Calibra, pertencente ao Facebook, permitindo transações a partir do WhatsApp e do Messenger, prometendo transações rápidas e com custos bastantes reduzidos. Entendido o funcionamento do ecossistema do projeto Libra, podemos analisar as principais diferenças entre a moeda Libra e o bitcoin, ou ainda qualquer outra criptomoeda existente. Dois principais fatores tornam a Libra um sistema único no universo das criptomoedas: 1. As criptomoedas atuais ainda são de uso bastante restrito para meio de pagamento, seja pela complexidade, falta de confiança, volatilidade ou restrições técnicas de escalabilidades. O fato é que nenhuma criptomoeda tem um volume de usuários significativo frente a meios de pagamentos mais maduros. A Libra aposta no lastro para reduzir a volatilidade e no desenho da arquitetura tecnológica para solucionar problemas de escalabilidade. Alguns poderão dizer que existem outras criptomoedas que teoricamente são lastreadas, como, por exemplo, a Tether e soluções como a lightning network do bitcoin que buscam aumentar a escalabilidade da rede. Portanto, se faz necessária uma análise um pouco mais profunda. O lastro da Libra se difere pela ausência de paridade com qualquer moeda fiduciária, uma vez que é feita a partir de uma reserva de ativos emitidos por governos, com ênfase para o “s”, como dito anteriormente. E isso faz toda diferença, a diversificação do fundo é fundamental para reduzir a influência de um ou outro grupo econômico, dando flexibilidade para a associação gerir o fundo de forma a garantir a manutenção do capital e estabilidade mesmo frente a crises, tornando assim a Libra, teoricamente, a moeda mais estável do mundo e reduzindo o poder de influência de qualquer governo no sistema, o que é fundamental para que seja uma moeda no âmbito global. Em relação a escalabilidade acredito que o principal fator está ligado a confiança no sistema e não a tecnologia. A adoção em massa da Libra é mais do que esperada, afinal esse sistema nasce de uma organização que já possui 2,2 bilhões de pessoas interagindo por meio de suas plataformas, sem contar as dezenas de milhões de estabelecimentos espalhados por mais de 200 países das redes Visa e Master e os 180 milhões de compradores ativos do eBay. É um belo começo rumo a uma estrondosa adesão. 2. O segundo fator de diferenciação é que projetos atuais buscaram interromper o sistema existente e/ou contornar os regulamentos, isso adiciona uma maior complexidade para a adoção das criptomoedas, com inúmeros casos de discussões e atritos no âmbito legal relacionado a criptomoedas. Segundo artigo técnico, a libra busca inovar nas frentes de conformidade e regulamentação para melhorar a eficácia do combate à lavagem de dinheiro trabalhando em colaboração com os órgãos reguladores e especialistas. Outros aspectos diferenciam essa plataforma das demais criptomoedas, como o estabelecimento de um padrão global de identidade, necessário para que o sistema funcione dentro dos termos de regulamentação existentes de lavagem de dinheiro e a entrega de um nova plataforma de desenvolvimento de aplicações, ou smart contracts, o que permite que as possibilidades de aplicação dessa tecnologia sejam infinitas. Caso os planos da associação Libra se concretizem, o impacto será gigantesco, começando pela quebra da hegemonia do padrão US dólar como moeda global. Não acredito em uma substituição, mas sim em uma nova opção o que já é suficiente para irritar um governo. A Libra não é a primeira e nem será a última iniciativa relacionada a criptomoeda a ser discutida no âmbito governamental, porém se destaca pelo poder e influência de seus membros fundadores. A simples discussão do tema contribui para o amadurecimento do sistema junto as autoridades impulsionando todo o ecossistema das criptomoedas. Por mais libertária que seja a ideia original da criptomoeda, a regulamentação dos criptoativos é fundamental para a adoção da tecnologia. Impossível mensurar o impacto no mercado bancário mundial, porém podemos comparar com o impacto causado pelas empresas de tecnologia ao iniciarem a atuação em mercados tradicionais como transporte, varejo, comunicação, imprensa e mídia. A consequência imediata será a queda drástica nos preços praticados pelo setor, acompanhado por uma explosão de novos serviços. A médio prazo, veremos uma enorme sinergia entre serviços financeiros e demais serviços consumidos pelas pessoas durante sua jornada cotidiana. Essa evolução se dará pela melhor utilização dos dados financeiros gerados pelas transações, as possibilidades são inimagináveis. Pelos pontos acima, acredito que o principal desafio para a implantação do sistema Libra é de cunho político, ao mesmo tempo tenho a convicção de que a simples discussão do assunto junto a governos e autoridades será o principal benefício desse projeto, abrindo cada vez mais as portas para a implantação da tecnologia no que tange o sistema monetário. *Pedro Birindelli é gerente sênior em transformação digital e especialista em blockchain da Cosin Consulting. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Walmart processa Tesla após 7 lojas pegarem fogo por causa de painéis solares Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store 4 passos para criar um site e começar sua presença online do zero Gravação de série de Keanu Reeves gera apagão e medo no centro de São Paulo Veja Mais

Brasil apresenta melhora no impacto científico, mas segue abaixo da média

Brasil apresenta melhora no impacto científico, mas segue abaixo da média

canaltech Em 2016, o Brasil atingiu sua melhor marca de impacto da pesquisa científica dentro de um período de 30 anos, com a pontuação de 0,92. Nesta segunda (20), o Ministério da Educação (MEC) divulgou que o país chegou pertinho da sua melhor marca, alcançando 0,89. Em relação à própria pontuação, o Brasil representa um avanço. No entanto, comparado com os outros países, ainda se encontra bem abaixo da expectativa, já que a média mundial é 1 ponto. Os dados são de uma base de dados administrada pela organização Clarivate Analytics chamada Web of Science. A Web of Science é responsável por trazer informações em torno da relevância das pesquisas produzidas. Segundo o site da instituição, a plataforma “segue um rigoroso processo de avaliação, você pode ter certeza de que apenas as informações mais influentes, relevantes e credíveis serão incluídas, permitindo que você descubra a sua próxima grande ideia mais rapidamente”. Ao longo de 30 anos, nosso país não chegou a atingir a média mundial. No entanto, tudo aponta que o Brasil está avançando a passos delicados. Aumentar o nível de impacto científico é, inclusive, uma das maiores metas da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), vinculada ao MEC. Essa é uma das razões por trás de iniciativas do MEC como o Future-se, programa destinado a aumentar a autonomia financeira de universidades e institutos. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- O MEC aponta que o país atingiu o resultado atual em um momento em que se faz necessário contingenciar recursos das mais diversas pastas do governo federal, e que a gestão tem sido feita de forma a priorizar partes do orçamento e o que de fato funciona. “A expectativa é que o índice aumente, pois temos políticas voltadas para o que de fato tem impacto científico”, afirma o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Por sua vez, o presidente da Capes, Anderson Correia, observa: “O resultado indica que as políticas implementadas pela Capes no sentido de promover melhorias na avaliação e na racionalização do financiamento estão surtindo resultado”. Contudo, é preciso lembrar que o Brasil está à beira de sofrer um dos maiores golpes já dados contra a ciência em nosso pais, pois mais de 80 mil bolsas do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) estão em vias de serem suspensas por falta de verbas. O órgão anunciou na semana passada que, a partir de setembro, não terá mais dinheiro para pagar os bolsistas, e a medida ocorre por conta da recusa do governo brasileiro de liberar os R$ 330 milhões que foram congelados em março pelo orçamento geral. Então, basicamente, o dinheiro do CNPq acabou e, caso a verba não seja mesmo liberada nas próximas semanas, o órgão poderá manter a agenda de pagamentos dos pesquisadores até o fim do ano, apenas. Até o momento, não há movimentação alguma indicando que essa liberação da verba congelada vá acontecer. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360) Veja Mais

Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360)

Análise | Motorola Moto Z4 (com Moto Snap 360)

canaltech A linha Moto Z entrega o que há de melhor da Motorola após a compra desta pela Lenovo. Além disso, a linha se tornou famosa por ter aparelhos finos compatíveis com os Moto Snaps, que adicionam funcionalidades aos modelos. Até o Moto Z4, o consumidor podia contar com uma versão intermediária e pelo menos uma opção com um chip topo de linha, o que não aconteceu nesta geração. Pelo menos, não até o momento. Compatibilidade com Moto Snaps e espessura reduzida continuam presentes aqui, mas há uma mudança significativa: o Moto Z4 é um aparelho mais “maduro”. Há apenas uma versão com chip intermediário, que oferece tela 1080p e apenas uma câmera traseira. Desanimador, não? É o que veremos nas próximas linhas. Design e construção Apesar da identidade visual comum da linha Moto Z, o Moto Z4 está mais “gordinho”. Agora conta com 7.4 mm, contra 6.8 mm do Moto Z3, 6.1 mm do Moto Z2 Force e 5.2 mm do Moto Z original. O que não é algo ruim: não oferece o choque inicial “Nossa, que aparelho fino”, mas está muito longe de ser um modelo grosso. E quem ganha com isso é o usuário, que conta agora com uma bateria maior, como veremos logo mais nesta análise. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- O Moto Z4 continua trazendo vidro frontal e traseiro com bordas de alumínio, uma receita testada e aprovada com o passar do tempo. Houve, naturalmente, polimentos gerais, como um maior aproveitamento da tela, que agora conta com 6.4 polegadas, contra 5.5 polegadas do Moto Z original. Isso aconteceu com a ajuda de dois fatores: notch minimalista para a câmera frontal e sensor de impressões digitais embutido na tela. O resultado? Quase 85% de aproveitamento frontal. A caixa de som foi para a parte de cima, junto com um microfone e a gaveta única do chip SIM e cartão micro SD (ou segundo SIM). Na parte de baixo temos o conector USB tipo C, outro microfone e uma entrada para fones de ouvido. Os controle de volume e botão de energia ficam do lado direito, e não há nada na lateral esquerda. Na parte de trás temos a câmera em alto relevo, algo bastante icônico na linha Moto Z. Ela conta com um “enfeite” até bacana, uma espécie de mosaico, que proporciona um efeito interessante quando reflete pontos de luz. Abaixo dela temos o logo da Motorola, com o conector dos Moto Snaps ficando na parte de baixo da traseira. No geral temos um refinamento visual aqui. O Moto Z4 se apresenta como um aparelho mais maduro, mas sem deixar o visual característico da linha. Chega como um aparelho mais “sóbrio”, por assim dizer, o que não ficou restrito ao visual. E claro, não podemos deixar de mencionar sua proteção P2i contra jatos de água e poeira. Tela e sensor de impressões digitais As primeiras versões do Moto Z (versões “não Play”)traziam tela Quad-HD (2560 x 1440), caindo para Full HD+ no Moto Z3 (2160 x 1080), estendendo para 2340 x 1080 no Moto Z4. Esse é um dos pontos mais criticados do Moto Z4 seus rumores começaram a circular. Visto como um modelo avançado, usar uma tela 1080p não parecia ser a melhor opção, já que os concorrentes trabalham com Quad-HD ou mesmo 4K. A densidade de pixels continua superior a 400 PPP, sendo impossível observar os pixels individualmente. Além disso, a tecnologia é OLED, com pretos absolutos e cores vívidas e bastante saturadas. Uma tela difícil de colocar defeito, diga-se, mas que naturalmente não concorre com as presentes em modelos como OnePlus 7 Pro e P30 Pro. De qualquer forma, ela é capaz de atender até mesmo usuários mais exigentes, algo que temos que frisar. O Active Display continua ativo, agora mostrando o símbolo de uma impressão digital, já que agora o sensor está embutido na tela. Sensor que funciona na maioria dos casos, ainda que esteja distante da velocidade (e praticidade) do sensor de impressões digitais físicos, presentes nas versões anteriores. Trata-se de uma tendência, porém, e é bom ver o Moto Z4 já trazendo esse recurso, hoje ainda restrito ao segmento top de linha. Configuração Quando o Moto Z4 foi anunciado com o Snapdragon 675, muitos acreditaram se tratar de uma versão Play, mas não é o caso. O Moto Z4 vem de fato com esses chip, e apenas uma opção com 4 GB de memória RAM. Sim, trata-se de uma configuração intermediária. Competente, mas intermediária, com o Snapdragon 675 sendo capaz de oferecer um desempenho muito próximo do Snapdragon 835. Ou seja, basicamente o mesmo desempenho do Moto Z2 e Moto Z3. Juntando esse chip com oas 128 GB de armazenamento interno, temos um smartphone capaz de executar praticamente qualquer tarefa sem grandes problemas. Jogos recentes mais pesados podem não rodar no máximo, mas são a exceção. E claro, temos o suporte para cartões micro SD de até 1 TB, compartilhando a gaveta do segundo chip SIM. O modelo que testamos estava recheado de apps da Amazon, como Alexa, Audible e Amazon Photos, e isso acontece pois, bom, adquirimos o modelo em uma Amazon americana. O Moto Z4 vem com outros apps pré-instalados, como o Instagram, mas no geral é uma instalação bastante limpa, com o Android praticamente puro. Claro, temos também os diferenciais da Motorola, como os gestos de câmera e lanterna. Em resumo, temos a experiência típica de um intermediário mais atual. Seu chip não decepciona, e os 4 GB de memória RAM acabam limitando um multitarefa mais intenso, mas ele atende bem à grande maioria dos cenários. Se fosse um carro, atenderia bem à maioria dos consumidores, mas não poderia competir em uma pista de corrida. Esta é reservada para os possantes - os smartphones avançados, no caso - enquanto o Moto Z4 é voltado para cenários “comuns”. Câmera Pera, uma câmera só? É isso mesmo? Sim, temos apenas uma câmera traseira, diferentemente do par encontrado no Moto Z3 e no Moto Z2 Force. Um problemão, certo? De forma alguma: trata-se de um sensor de 48 megapixels com abertura f/1.7 e estabilização óptica e HDR automático capaz de tirar excelentes fotos na grande maioria das situações. Sem HDR. Com HDR. Temos aqui o Quad Pixel, que usa 4 pixels para formar um com mais precisão, assim gerando uma foto de 12 megapixels com qualidade bastante acima da média. Experimentamos o Moto Z4 em diversas situações e não temos muito o que criticar, ainda que tenha ficado claro que ele não concorre com modelos top de linha. Nem é este o seu propósito, mas não decepciona quem está buscando um modelo intermediário de qualidade. Os vídeos podem ser gravados em 4K (2160p) e clipes em 1080p@fps também são um destaque. A qualidade do vídeo, especificamente, cai perceptivelmente em condições de baixa luz, granulando trechos mais escuros. O mesmo acontece com os vídeos da câmera frontal, que é também pode ser utilizada como desbloqueio de tela, mesmo não contando com um sensor de profundidade ou câmera TOF 3D. Foto tirada de madruagada. Ainda não estava tão claro quanto parece na foto, trabalho feito pelo pós-processamento. Câmera frontal. Esta tem 25 megapixels, suporta HDR e também usa o Quad Pixel para gerar imagens de 6 megapixels com alta qualidade e é capaz de gravar vídeos em slow motion com até 240 fps. No caso, em 720p, dentro do que é esperado para a categoria. Bateria e extras Outro ponto de “maturidade” aqui é a bateria. A linha Moto Z não é exatamente famosa por trazer baterias com grande capacidade, caso das primeiras gerações. Estas traziam menos de 3000 mAh, contra 3600 mAh do Moto Z4. O que é algo possibilitado, claro, pelo aumento da espessura, que trouxe de volta também a entrada para fones de ouvido. O que alguns poucos milímetros a mais podem oferecer de vantagem, não? Não podemos esquecer do carregamento rápido, aqui com potência de 15 watts (déjà vu?), capaz de carregar a bateria em menos de duas horas. Temos também o kit de conectividade completo aqui, com Wifi ac, Bluetooth 5.0, NFC e rádio FM. Ou seja, não deixa o usuário na mão, sendo compatível com as principais tecnologias do mercado. O Moto Z4 continua com proteção contra respingos, como dissemos há pouco, e bem que mereceria uma resistência contra água de forma definitiva. Snap 360 e outros A linha Moto Z nasceu com o diferencial de suportar os Moto Snaps, o que continua válido no Moto Z4. Testamos o modelo que vem com o Moto 360, câmera capaz de tirar fotos e gravar vídeos em 360 graus. O resultado? Muito bom, até, em ambos os casos. O funcionamento continua similar, bastante posicionar o Moto Mod na parte traseira até ele fixar automaticamente. Tudo é muito transparente, com a câmera já reconhecendo o módulo em poucos segundos, que já fica disponível no software de câmera. Todos os Mods continuam compatíveis, mas a grande novidade é que agora há um Mod que compatibiliza o Moto Z4 para funcionar com redes 5G. O aparelho em si é trabalha com 4G LTE, mas basta adicionar este Mod e utilizar em locais compatíveis com a rede. Não temos 5G no Brasil, pelo menos até a data de fechamento desta análise, mas é uma boa novidade por parte da Motorola, marcando o Moto Z4 como um modelo de transição. Conclusão O Moto Z4 chegou como um modelo intermediário um pouco mais avançado, agora com um posicionamento claro. A experiência que tivemos em nossos testes é a de uma mudança de postura, uma espécie de amadurecimento. Ele se apresenta como um modelo que busca oferecer uma experiência completa, sem grandes experimentos, e mira no consumidor que quer uma boa relação custo-benefício sem abrir mão de uma boa experiência. Por que dizemos “amadurecimento”? Menor preocupação em ser impressionantemente fino, oferecendo uma bateria com boa capacidade e a volta do conector de fones de ouvido, apenas uma câmera, só que suficiente para tirar fotos de qualidade, e sensor de impressões digitais embutido na tela, seguindo a tendência de mercado. Além disso, continua compatível com os Moto Mods, oferecendo a opção com 5G, mas não encarecendo o modelo colocando ela por padrão. Ou seja, um modelo que, apesar de não ser barato, se propõe a oferecer a melhor experiência possível. Nada de tirar a saída P2 com a desculpa de ser mais fino. Nada de instalar 2 ou 3 câmeras básicas para “lacrar” em comparativos de ficha técnica. Nada de cobrar a mais pelo 5G sem que essa tecnologia ainda seja bastante restrita. E também nada de tentar ser um “modelo avançado de entrada”: o foco aqui é o segmento intermediário, focando na boa relação custo-benefício. Testamos o Moto Z4 antes dele chegar ao Brasil. Encontramos ele na Amazon americana com preços próximos a US$ 500, cerca de R$ 2000 na cotação atual, incluindo o Moto Snap360 . Sabemos que a conversão não é direta, já que temos a tríade “custo Brasil + lucro Brasil + impostos” por aqui, mas é um modelo para lá de interessante se chegar com o preço justo por aqui. Vantagens Volta dos fones de ouvido e bateria maior; Tela de excelente qualidade; Configuração competente, dentro do segmento intermediário; Desvantagens Uma opção com 6 GB daria uma sobrevida ao modelo; Não encontramos uma opção mais acessível sem o Moto Snap360; Sem fones de ouvido; Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Totalmente branco! Veja o novo visual da Google Play Store O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (20/08/2019) Briga entre Sony e Marvel pode tirar Homem-Aranha do MCU Confirmado! Matrix 4 traz Keanu Reeves de volta como o protagonista Neo TEM CUPOM | iPhones 7, 8 e 8 Plus a partir de 10x de R$ 199 e frete grátis Veja Mais