Meu Feed

Últimos dias

LG libera Desktop Mode em celulares atualizados para o Android 10

LG libera Desktop Mode em celulares atualizados para o Android 10

canaltech A LG adicionou a ferramenta de Dekstop Mode para seus aparelhos com Android 10, em função semelhante ao que fazem Huawei e Samsung. Assim, é possível ligar um smartphone ao PC ou a um monitor e usar o dispositivo com teclado e mouse como se fosse um computador. A própria Google já havia implementando um sistema destes para o Android 10, contudo, é uma ferramenta ainda em fase inicial e que não funciona muito bem. A novidade foi apresentada pelo influenciador SomeGadgetGuy em transmissão para a Twitch. É possível perceber que há um menu iniciar, bastante parecido com o Chrome O, que apresenta todos os aplicativos do aparelho. Uma das vantagens é que facilita a utilização de vários aplicativos ao mesmo tempo, com o smartphone. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Desktop Mode em celulares com Android 10 da LG / Imagem: SomeGadgetGuy O sistema apenas exige que o usuário ligue o dispositivo a uma tela ou PC por USB-C, ou mesmo com um adaptador para HDMI. Dos aparelhos da LG, atualmente o V50, o G8 ThinQ e o G7 One apenas que contam com o Android 10 e permitem esta ferramenta. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Não, James Corden não dirige de verdade no quadro Carpool Karaoke É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen China libera mais fotos do lado afastado da Lua, tiradas pela missão Chang'e 4 Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Veja Mais

Alerta de rastreamento do iOS 13 reduziu em 68% dados de GPS para Apple

Alerta de rastreamento do iOS 13 reduziu em 68% dados de GPS para Apple

canaltech A Apple tem mudado a forma de lidar com dados e passou a avisar proativamente os usuários sobre rastreamento de localização no iOS 13. Com mudança, de acordo com o site FastCompany, a quantidade de informações em segundo plano caiu 68%. Como o sistema operacional mais recente, a Apple passou a enviar avisos para os usuários periodicamente para lembrar de permissões de geolocalização. Outra novidade foi a introdução de uma ferramenta que exige que um app peça autorização sempre que foi usar dados de localização. iOS 13: Conheça os novos recursos que chegaram com a nova atualização Além de dados em segundo plano, também houve queda de rastreamento ativo, ou seja, quando uma pessoa abre um programa que demanda uso de GPS. Neste caso, o FastCompany disse que houve redução de 24% em dados registrados. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- iOS 13 trouxe melhorias em termos de privacidade e segurança do usuário / Imagem: Divulgação  Apesar disso, a Apple também pode usar o IP do usuário para identificar a localização, mas que ela é menos precisa que pelo GPS do aparelho. Uma das principais funcionalidades de rastreamento em segundo plano é poder direcionar publicidade em plataformas mobile. Por exemplo, indicar uma loja próxima sabendo a posição exata do smartphone ou tablet. O Android 10 também já tem funções parecidas, com a de restringir o rastreamento apenas quando se está usando um app que demanda essencialmente geolocalização, como o Maps. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01) Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil Veja Mais

Vai que dá tempo: como aproveitar o aniversário de São Paulo usando apps

Vai que dá tempo: como aproveitar o aniversário de São Paulo usando apps

canaltech São Paulo é a terra da garoa, mas é, principalmente, a terra do trabalho, onde seus moradores estão sempre correndo de um lado para outro em busca de sonhos, de objetivos concretos. Aqui, até mesmo os viajantes costumam ter algum compromisso profissional na agenda, nem que seja um brunch para networking - sempre se movendo através de um aplicativo de transporte, pedindo um delivery de comida ou ainda consultando um roteiro virtual. No meio disso tudo ou dessa selva de pedra - como alguns a chamam carinhosamente -, quantas pessoas conhecem mesmo a capital com seus mais 12 milhões de habitantes, segundo o IBGE? Pode apostar que nem mesmo seus moradores, afinal esses milhões de habitantes, que representam 20% da população brasileira, fariam de São Paulo a capital nacional do turismo, com seus mais de 1,5 mil quilômetros de extensão. Sensação aos finais de semana, o Parque Ibirapuera é um dos grandes cartões postais da cidade (Foto: Jorge Araújo/ Fotos Públicas) Da capital mesmo, o rapper Criolo já cantou, em Não existe amor em SP, sobre esse "labirinto místico / Onde os grafites gritam" e sua visão um tanto pessimista da capital. Enquanto o baiano Caetano Veloso, por sua vez, se apaixonava pela cidade, em Sampa, quando canta: "alguma coisa acontece no meu coração / Que só quando cruza a Ipiranga e a Avenida São João / É que quando eu cheguei por aqui / Eu nada entendi." -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Independente de gostos, visões e opiniões, há muito para se conhecer e fazer em São Paulo. Por isso mesmo, o Canaltech separou uma lista de aplicativos úteis e até mesmo divertidos para quem quer conhecer o melhor da cidade. A seguir, confira a seleção: Apps que ajudam na mobilidade Se movimentar pelo emaranhado de ruas e avenidas de São Paulo, sem se perder, é um desafio e tanto. Por isso, é sempre bom pesquisar o roteiro um pouco antes de sair de casa, o que pode ser feito pelo Google Maps (Android) ou pelo Mapas (iOS) mesmo. A partir disso, dá para entender qual é o melhor transporte, inclusive esses mapas já adiantam onde ficam as principais estações de metrô. Se as distâncias forem curtas e a pessoa um pouco mais radical, vale a pena usar um app para os (polêmicos) patinetes eletrônicos, como os da Yellow (iOS e Android). Há ainda a opção de pegar uma bicicleta pelo Bike Itaú (iOS e Android). Nesses casos, vale conferir as opções e mapas de ciclofaixas no app Pedala SP (Android).   Agora, em viagens mais longas ou mesmo dias chuvosos, vale mesmo o Uber (iOS e Android). Já, se preferir pegar um táxi e aproveitar a agilidade dos corredores de ônibus, vá 99 (iOS e Android). Vale lembrar que a 99 também oferece serviço de motoristas autônomos. E a dica mais barata, que por R$4,40 te leva a praticamente qualquer lugar, é pegar um ônibus ou metrô. No app Cadê o Ônibus? (iOS e Android) é possível pesquisar a melhor rota e ainda acompanhar, em tempo real, onde está e quando vai chegar o ônibus, que você deve pegar. Ônibus em São Paulo poderão ser pagos com cartões de crédito e débito São Paulo é a cidade com mais viagens de Uber no mundo Programa Wi-Fi Livre será expandido para 621 pontos em São Paulo Apps para conhecer museus e exposições São Paulo também é uma das capitais brasileiras com a vida cultural mais agitada. Por isso mesmo, chega a ser até difícil escolher a programação do final de semana, em meio a tantas opções. Pensando nisso, o app Arte que acontece (iOS e Android) traz uma agenda com as principais exposições artísticas na cidade e algumas notícias do mundo artsy, que aprofundam esse conteúdo. Já o Sympla (iOS e Android) traz uma agenda completa com dicas que vão desde shows, festivais, peças de teatro e eventos esportivos, com opções tanto gratuitas quanto pagas. Agora, as famílias de plantão podem contar com o São Paulo para Crianças (iOS e Android), app voltado especialmente para a programação infantil. Por mais óbvio que seja, o Instagram (iOS e Android) traz dicas muito boas de programação e passeios pela cidade. Sempre vale a pena checar na busca por localização, da rede social, o que as pessoas já postaram sobre o destino da próxima "excursão". E é também uma questão de saber quem seguir, contas como @vivacultura_sp e @splovers estão repletos de dicas gratuitas para viver a cidade. App com realidade aumenta transforma a Avenida Paulista em um grande museu de arte urbana (Foto: Divulgação/ Virtual Street ARt) Aqueles que preferem uma experiência cultural ao ar livre pode aproveitar o app Virtual Street ARt (iOS e Android), da Dentsu com colaboração da Japan House São Paulo. É um aplicativo de realidade aumentada (AR) que revela aos usuários obras de arte, com uma pegada bem urbana e pop, em diferentes pontos da Avenida Paulista. Aliás, a avenida, que é fechada aos domingos, já é por si só uma boa opção de passeio. Apps de hospedagem Para quem vem à São Paulo por lazer (ou mesmo por trabalho), pode descobrir boas dicas no aplicativo TripAdvisor (iOS e Android), que é repleto de informações e opiniões sobre todo o universo turístico da cidade. Isso inclui desde resenhas de passeios, bairros até de hotéis pela cidade. O melhor é que tudo é feito de maneira colaborativa, ou seja, muito mais real.   Agora, a grande dúvida do turista moderno é se decidir entre as acomodações com cara de casa ou padrão hotel. Para os usuários que buscam por uma realidade mais próxima a dos moradores da região, vale o já conhecido Airbnb (iOS e Android). Enquanto aqueles que preferirem por um hotel, podem usar o app que é uma espécie de Google para acomodações, o Trivago (iOS e Android), que também compara os valores de diárias, na região escolhida. Apps para garantir a melhor refeição Opções gastronômicas é o que não falta em São Paulo, como boas massas no Bixiga, região da Bela Vista, ou ainda uma porção de comida asiática na Liberdade, com pedidas que vão de yakisoba, passando por lamen e até sushi. Para aproveitar toda essa variedade o app ChefsClub (iOS e Android) traz uma série de descontos e benefícios para seus usuários. E quem for sair, já pode instalar o Conta Certa (Android) ou ainda o Racha Conta (iOS), que dividem os valores na hora de pagar.   Há ainda aquele grupo que prefere ficar em casa e aproveitar, à noite, com os amigos. Nesses casos, vale olhar as ofertas do iFood Delivery (iOS e Android) que sempre traz boas opções e alguns estabelecimentos 24 horas. Agora, se a pedida for cozinhar e preparar um delicioso jantar, é possível comprar todos os ingredientes via Rappi (iOS e Android), que um associado vai realizar as compras necessária e entregar no seu apartamento. Apps para reclamar Como ninguém é ferro e São Paulo está longe de ser uma cidade perfeita, muito provavelmente alguns momentos do dia serão alvo de reclamação, desde a chuva do começo da manhã até a mudança brusca de temperatura - situações que sempre pegam desprevenidos quem não saiu de casa sem um casaco e um guarda-chuva. Para esses casos, nada melhor do que criar um login no Twitter (iOS e Android) e vomitar todo esse sentimento na forma de caracteres.   Já no caso de reclamações um pouco mais sérias, a prefeitura de São Paulo disponibiliza o aplicativo SP156 (iOS e Android), onde é possível fazer denúncias sobre semáforos quebrados, buracos nas ruas e podas não feitas em canteiros. Após realizar o cadastro, o usuário precisa registrar a situação problemática em uma foto, detalhar a questão, adicionar a localização e pronto. Depois disso, é só curtir a cidade! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01) Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen Veja Mais

A ascensão do Moment Marketing: por que apostar nessa tecnologia em 2020?

A ascensão do Moment Marketing: por que apostar nessa tecnologia em 2020?

canaltech * Por Cesar Sponchiado Você já ouviu falar em moment marketing? É uma inovadora estratégia publicitária, que vem ganhando destaque e promete ser uma das principais ferramentas para o setor em 2020, por potencializar o impacto que eventos do dia a dia geram no mundo online. Com a evolução constante do marketing digital, o moment marketing conquista cada vez mais espaço, por basear-se em novas tecnologias para alcançar mais diretamente e em tempo real os públicos-alvo desejados.  A partir do monitoramento de vários eventos do cotidiano como conteúdos de TV/Rádio, mercado financeiro, condições de trânsito, eventos esportivos e climáticos são disparados gatilhos para ativar campanhas quando surgem momentos relevantes. Por exemplo, um gol no futebol, um home run no baseball, uma variação brusca de uma moeda ou até um assunto falado na TV, podem ser usados como estímulos para acionar anúncios no ambiente online.  -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Usando dessas situações, o moment marketing é uma estratégia que consegue otimizar em até 370% as campanhas, com uma média de 80%. E ainda, uma vez executada a primeira ação, as marcas podem gerar novos insights por meio da aplicação de técnicas de Machine Learning e Inteligência Artificial. Todo o big data produzido pode ser usado para mensurar os resultados alcançados, gerando conteúdo para otimizar ainda mais as novas campanhas. No mundo de hoje, com a quantidade de inovações na publicidade e a velocidade com que trocamos informações já não é suficiente executar campanhas padronizadas que permaneçam estáticas. As ações precisam levar em consideração mais do que isso e os anúncios podem ser relevantes para os consumidores quando alinhados com esses eventos impactantes do cotidiano.  Outro aspecto que está fazendo com que a ferramenta ganhe ainda mais relevância é a predisposição à utilização reduzida de dados para criar peças publicitárias, priorizando a Inteligência Artificial (IA). Por causa da tão comentada Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), com previsão de entrar em vigor no Brasil em 2020, empresas estão se adaptando para não sofreram sanções relacionadas ao uso de informações de clientes e parceiros.  O click da mudança Durante os jogos da Copa Ouro CONCACAF 2019, no Panamá, o moment marketing teve uma excelente vitrine para demonstrar alguns cases de sucesso. Um exemplo foi a parceria entre Coca-Cola e Domino’s para divulgar o lançamento da versão sem açúcar da bebida no país da América Central e promover combos com códigos promocionais. A ação sincronizou o conteúdo exibido TV em tempo real com push notifications e anúncios out of home ativados em momentos como inícios das partidas, gols e intervalos, gerando conversões de vendas de 44% via televisão, 44% digital e os 12% restantes em out of home. Em uma época em que o mundo está ligado a todos os tipos de tela é importante considerar que quanto mais uma marca se aproxima de seu público, mais lembrada ela se torna. E os anúncios relevantes, nesse âmbito, não são apenas os que cativam melhor, mas, também, os que convertem de maneira mais rápida. Assim, muitas equipes de marketing estão se reinventando e é esperado que campanhas nesse estilo sejam mais frequentes daqui em diante. Como a influência do mundo offline e da TV é alta na geração de conteúdo online, vamos ter um  crescimento exponencial do uso de moment marketing ao longo dos próximos anos em todo o mundo. E o Brasil, onde a TV continua como o principal meio, as campanhas ganharão ainda mais fôlego. 2019 foi o ano em que algumas grandes marcas perceberam o valor do moment marketing e, 2020 será de expansão e consolidação desse processo. Quem não colocar o off e on para dialogar estará perdendo uma oportunidade-chave de desenvolver a comunicação em outro patamar.    *Cesar Sponchiado é fundador e CEO da TunAd, empresa de tecnologia, especializada em Big Data e que oferece soluções de Pesquisa e Planejamento, Ativação Digital e Analytics na área de mídia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung

Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung

canaltech Estamos a menos de um mês do anúncio do Galaxy Z Flip, o novo smartphone dobrável da Samsung. E as informações sobre o aparelho começam a pipocar com mais força. Depois do site XDA Developers soltar informações sobre tela e jornais sul-coreanos especularem sobre preços (veja logo abaixo), agora é a vez do leaker Max Weinbach vazar novos dados sobre o dispositivo. De acordo com Weinbach, o Galaxy Z Flip deve ter carregamento sem fio e reverso, o que permite que você use o dispositivo como uma plataforma de carga para outros dispositivos. Isso pode ser útil para pessoas com wearables compatíveis ou fones de ouvido sem fio. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Galaxy Z Flip. Snapdragon 855+. — Max Weinbach (@MaxWinebach) January 23, 2020 As câmeras do Samsung Galaxy Z Flip incluem um sensor principal de 12MP e uma câmera grande angular também de 12MP. Esse conjunto pode funcionar de maneira mais eficiente do que o sensor de 16MP do Razr, que é acompanhado de uma lente 3D e outra time of flight, para imagens em profundidade. Em termos de funcionamento, Weinbach disse que o telefone terá um chipset Snapdragon 855 Plus, que é uma versão abaixo do vindouro Snapdragon 865, mas, ainda assim é bem rápido. Isso coloca o Z Flip um passo acima do Snapdragon 710 da Motorola Razr. Informações como RAM e armazenamento ainda são desconhecidas. Tela Segundo informações do XDA Developers, o Galaxy Z Flip deve ter um design em formato de concha, semelhante ao Motorola Razr 2019. Mas o maior destaque em meio aos rumores é a possibilidade do dispositivo ter uma tela de vidro ultrafina, em vez da de plástico, presente no primeiro Galaxy Fold. A companhia chama a novidade de “Samsung Ultra Thin Glass”, nomenclatura que o famoso leaker Ice Universe já havia comentado no mês passado e que foi registrada pela Sammy na Europa. Confira abaixo como deve ser o aparelho, com um vinco no lugar de dobradiça, de acordo com supostas fotos vazadas na rede social chinesa Weibo: As mesmas fontes adiantam que o telefone deve ter uma pequena tela, de uma polegada, quando ele estiver fechado. Esse painel deve servir para mostrar a bateria restante e servir como visor para câmera. O display de vidro pode ser o grande trunfo da sul-coreana para ganhar uma vantagem competitiva, pois ele seria mais durável do que os que revestem a interface do Motorola Razr 2019 e do próprio Galaxy Fold. Preços Apesar da proximidade, ainda não há um consenso sobre qual será o preço do aparelho, com rumores divergindo entre si. O primeiro nasceu há mais de um mês, indicando que a empresa lançaria o Galaxy Z Flip a um preço próximo de US$ 800, menos da metade do Galaxy Fold, que custa US$ 2.000. Segundo a reportagem do Korean Herald, o objetivo seria fazer o aparelho ser mais competitivo que a linha Note. O veículo informou que teve acesso a tais dados por pessoas próximas à fabricação. O segundo rumor surge do site iNews24, o qual também disse ter conversado com pessoas de dentro da fabricante sul-coreana. No caso, a empresa estaria interessada em vender Z Flip com preços entre US$862 e US$1.300. Como é uma diferença bem grande de valores, nesse último caso, é razoável supor que o Z Flip será vendido em diversas versões. Contudo, agora, o site sul-coreano Naver aponta que o aparelho deva chegar ao mercado com custo por 1,6 milhão de wons, algo em torno de US$ 1.400, o que o colocaria em pé de igualdade com o Moto Razr 2019. Diante destas três possibilidades, a do Korean Herald pode ser a mais confiável. Isso porque o veículo foi o primeiro a informar que a empresa teria um evento em fevereiro, como ela confirmou logo depois. Teremos uma noção maior das especificações no dia 11 de fevereiro, durante o evento Samsung Unpacked, em que mais detalhes serão revelados. Nele, saberemos, por exemplo, o preço desse futuro aparelho que, no fim das contas, é o que pode determinar o seu sucesso e a vitória nessa possível briga contra o Motorola Razr 2019. O Canaltech fará a cobertura completa do evento e contará todas as novidades para vocês. Fiquem ligados! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja Mais

CT News - 24/01/2020 (AirBnB varrerá redes sociais para evitar hóspedes bêbados)

CT News - 24/01/2020 (AirBnB varrerá redes sociais para evitar hóspedes bêbados)

canaltech No CT News em Podcast de hoje: AirBnB vai vasculhar redes sociais para evitar hóspedes bêbados e drogados; Pornhub lança site na rede Tor; série de Obi-Wan Kenobi tem gravações adiadas por problemas com o roteiro e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

Alibaba patenteia curioso smartphone com dupla dobradiça

Alibaba patenteia curioso smartphone com dupla dobradiça

canaltech Gigante no setor de varejo da China e com representações em todo o mundo, incluindo no Brasil com a loja Aliexpress, a Alibaba é uma das maiores empresas do planeta e permite a compradores do mundo todo importarem produtos que não foram lançados oficialmente em seus países, mas que estão disponíveis na China. E parece que a companhia quer expandir sua área de atuação, passando a fornecer produtos de fabricação própria. É o que indica uma patente requerida pela empresa, que opera na China mas está oficialmente registrada nas Ilhas Cayman. A documentação, trazida à tona pelo site holandês LetsGoDigital, mostra uma espécie de Motorola Razr 2019 com duas dobradiças. Galaxy Fold | Samsung lança o primeiro celular dobrável no Brasil — e é caro O pedido de patente foi registrado em março de 2019 na China. A aprovação foi publicada em 21 de janeiro, incluindo registro na Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO) e nove desenhos que mostram como o dispositivo se abre e fecha. Assim como o Razr, ele tem uma tela dobrável interna e uma tela secundária na parte externa para ajudar o usuário a conferir notificações sem precisar ficar abrindo o aparelho o tempo todo. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Motorola Razr é lançado! Dobrável lembra o icônico V3 A curiosidade é que este é o primeiro dobrável com duas dobradiças que se fecha verticalmente, em vez de o fazer na horizontal, ampliando a área da tela para se tornar uma espécie de tablet. Os desenhos só mostram, além das telas, os botões na parte direita do dispositivo, que possivelmente servirão como liga/desliga e controle de volumes. Não dá para saber como seriam os conectores — se é que há algum — e nem mesmo as câmeras. Desenhos do dobrável patenteado pela Alibaba (Imagem via LetsGoDigital) Claro que trata-se apenas de uma patente por ora. Para além do design diferente, vale a curiosidade de a Alibaba, gigante do varejo que serve basicamente como uma vitrine para vendedores e revendedores, ter registrado oficialmente os desenhos de um dispositivo. É bem possível que a companhia já tenha ou busque um parceiro comercial para tornar o aparelho realidade, se é que realmente possui essa intenção. Para trazer um dispositivo dobrável com preço competitivo para o mercado, a Alibaba teria que mirar no Escobar Fold 1, dispositivo lançado pelo irmão do narcotraficante Pablo Escobar que é basicamente o Royole Flexpai e custa somente US$ 350 (cerca de R$ 1.465). Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Testamos o WhatsApp GB | Afinal, é seguro ou é roubada? Veja Mais

Organização que defende liberdade de imprensa se posiciona sobre Glenn Greenwald

Organização que defende liberdade de imprensa se posiciona sobre Glenn Greenwald

canaltech A organização PEN America, sem fins lucrativos, se manifestou sobre a denúncia contra o jornalista Glenn Greenwald que, na última terça-feira (21), foi denunciado pelo Ministério Público Federal (MPF) por supostamente estar envolvido em um esquema hacker. De acordo com a nota da organização enviada ao Canaltech, o caso representa uma ameaça à liberdade de imprensa e expressão, temendo que se trate de um ataque com motivações de retaliação política devido ao conteúdo crítico de fazer reportagem. Greenwald, que é um dos fundadores do site The Intercept, vem divulgando mensagens recebidas de hackers desde o ano passado, envolvendo conversas entre figuras importantes da política atual, como o ministro da Justiça Sérgio Moro, ex-juiz federal. Na denúncia feita pelo MPF, que faz parte da Operação Spoofing, Glenn Greenwald faria parte da operação em conjunto com os cibercriminosos auxiliando, orientando e incentivando a prática. Os advogados do jornalista já estão entrando com medidas judiciais, afirmando que a acusação se trata de uma depreciação de seu trabalho jornalístico. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Imagem: Reprodução Sabendo do caso, a PEN America, que luta pela liberdade de imprensa não só nos Estados Unidos, como no resto do mundo há quase 100 anos, nos enviou uma nota comentando a situação. Leia: "A notícia que o jornalista investigativo Glenn Greenwald foi acusado de cibercrimes relacionados às suas reportagens sobre a corrupção do governo brasileiro aumenta a preocupação de que ele pode ser alvo de retaliação política pelo seu trabalho de reportagem investigativa. Hoje, a PEN America afirma que isso pode representar um ataque alarmante à liberdade de imprensa no Brasil. 'É impossível separar essas acusações contra Glenn do seu trabalho como repórter investigativo', disse o diretor sênior de programa de liberdade de expressão da PEN America, Summer Lopez. 'Enquanto não sabemos de todos os contornos dessa história, nós sabemos ao menos de duas coisas. A primeira é que a reportagem de Glenn envergonhou profundamente o o governo brasileiro. A segunda é que o presidente do Brasil vem repetidamente e consistentemente atacando a imprensa em geral e Glenn em particular. Por isso, é difícil aceitar essas acusações'. A liberdade de imprensa no Brasil já está em estado precário; Esperamos que a avaliação jurídica dessa acusação criminal entenda o caso e fique ao lado de uma imprensa livre". Imagem: Reprodução PEN America Summer Lopez também contou ao Canaltech que a PEN America vem lutando pela liberdade de escrita e de imprensa há quase um século. "Nós aproveitamos o poder de nossos membros nacionais para advogar para a mudança e a defesa dos escritores em perigo pelo mundo todo. Lutamos na corte, em casas do Estado e nas ruas para promover questões relacionadas ao tema", contou o diretor sênior. A PEN America já publicou relatórios de pesquisa sobre desinformação importantes, além de terem entrado com um "processo contra o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pelas suas tentativas de retaliar os meios de comunicação que ele não gosta". A organização disse ainda reconhecer jornalistas e escritores afetados pelo assédio virtual, ou aqueles que foram presos por se expressarem, com o prêmio Freedom to Write (Liberdade para Escrever), além de lançar uma campanha de direitos em nome deles. Entre os homenageados mais recentes estão os repórteres da Reuters, Wa Lone e Kyaw Soe Oo, e os ativistas e escritores árabes Loujain Al-Hathloul, Eman Al-Nafjan e Nouf Abdulaziz. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor 10 melhores jogos com desconto na promoção de Ano Novo Lunar da Steam Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja Mais

Atualização do Windows 10 apresenta falhas de inicialização

Atualização do Windows 10 apresenta falhas de inicialização

canaltech A Microsoft teve mais problemas com as atualizações do Windows 10, como um importante patch de segurança recente que agora está causando falhas graves, incluindo até mesmo falhas de inicialização em alguns casos relatados. Os novos problemas com a atualização KB4528760 para Windows 10 foram detectados a partir do momento em que passou a falhar para vários usuários, fornecendo apenas mensagens de erro. De acordo com o veículo norte-americano Tech Radar, o problema trouxe à tona mais de 100 reclamações no fórum de ajuda da Microsoft. Um usuário do Windows 10 observou: “A recente atualização KB4528760 parece estar causando problemas em alguns computadores e impedindo a inicialização, apresentando o código de erro 0xc000000e. Número crescente de máquinas que atingem esse problema depois de instalar esta atualização". Fim do Windows 7: veja 11 dicas para migrar de vez para o Windows 10 Atualização do Windows 10 apresenta falhas de inicialização Como instalar o Paint no Windows 10 Quanto ao que pode estar acontecendo com a atualização KB4528760, uma teoria divulgada no Reddit é que as pessoas que executam os processadores AMD Ryzen podem ter mais chances de serem afetadas (em termos de falha na atualização e correções anteriores). De qualquer forma, fica cada vez mais claro que a Microsoft continua mexendo com essas atualizações cumulativas, e o faz desde aquele infame longo período de correções no ano passado, que continuava causando novos problemas enquanto corrigia as antigas. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Microsoft quer resolver problema de incompatibilidade de drivers no Windows 10 Para evitar uma situação em que os usuários do Windows 10 vão começar a temer a instalação de atualizações cumulativas por medo do que pode dar errado. Mesmo que as falhas sejam comuns, quando se trata de atualizações, essa situação é pior do que o normal nesse caso específico, pois o KB4528760 é uma correção importante para uma falha evidente na segurança. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor 10 melhores jogos com desconto na promoção de Ano Novo Lunar da Steam Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Xperia 5 Plus pode ser o primeiro smartphone da Sony com 5G, aponta site

Xperia 5 Plus pode ser o primeiro smartphone da Sony com 5G, aponta site

canaltech A Sony vai apresentar um novo smartphone na Mobile World Congress (MWC), evento que em 2020 acontece dos dias 24 a 27 de fevereiro. Embora ela não revele o modelo, o site chinês My Drivers disse ter ouvido de fontes de dentro da própria fabricante que o nome do dispositivo será Xperia 1.1 ou Xperia 5 Plus e que ele chegará compatível com 5G. Com isso, a Sony não deve só adicionar melhorias em processador, mas também usar um compatível com o novo padrão de conectividade. A expectativa é de que o novo Xperia conte com o par Snapdragon 865 e o modem Snapdragon X55 5G, ambos da Qualcomm, e seja posicionado no patamar de topo de linha. Outros vazamentos do site OnLeaks também apontam que a Sony vai manter a proporção de tela em 21:9 para privilegiar o consumo de vídeos. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.-   Uma mudança seria o conjunto de quatro câmeras na parte de trás, com uma lente principal, uma grande-angular, uma tele com zoom óptico de até 3x e outra equipada com sensor Time of Flight para imagens com fundo desfocado. A Sony tem evento agendado para o dia 27 de fevereiro, quando deve revelar seu novo aparelho. Segundo o site chinês, o preço do dispositivo será de 6 mil yuan, equivalente a US$ 860. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Veja Mais

Análise | Microfone Blue Yeti Nano, o queridinho dos youtubers e podcasters

Análise | Microfone Blue Yeti Nano, o queridinho dos youtubers e podcasters

canaltech Os dias de gravação de podcasts e vídeos com toda aquela miríade de cabos, placa de áudio, monitores ou fones de ouvidos estão contados — ou melhor, chegaram ao fim. Se você é podcaster, streamer ou gamer, vai adorar ganhar a praticidade de um plug-and-play que dispensa interfaces, pedestais e um emaranhado de fios. A Blue é uma empresa que carrega sua fama por simplificar a vida de quem usa a voz para divulgar o seu trabalho, com praticidade e rapidez. Com produtos muito bem construídos e de excelente qualidade sonora, a marca aposta em uma vida mais livre — inclusive vendendo seus produtos com um ótimo custo-benefício. Vamos falar hoje desse pequenino aqui, o Yeti Nano! -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Blue Yeti Nano: será ele o melhor em custo-benefício para podcasters e youtubers? (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Design O Yeti Nano, como você já percebeu pelo nome, é uma versão compacta do irmão maior, o Yeti. Ambos são microfones condensadores de mesa voltados para a galera do streaming, seja de gameplays, de podcasts, de chamadas ou mesmo criadores de conteúdo (vídeos!) no YouTube. Quem já está inserido no ramo há mais tempo, certamente já teve que lidar com mesa de som ou interface USB (as famosas placas de áudio), softwares de edição, cabos XLR e as famigeradas latência e clipagem do som. Tudo isso fica muito mais fácil com um microfone que traz, direto no seu corpo, saídas para conexão com o computador via USB e monitoramento sem lags. Com um corpo super sólido e visual moderno e retrô ao mesmo tempo, o Yeti Nano já vem com um suporte de mesa e pode ser carregado para lá e para cá com toda a facilidade deste mundo. Inclusive, se você trabalha apenas com um notebook na bolsa e quer sair para gravar seu podcast em outro lugar, o bichinho é uma mão na roda. E vem numa caixinha toda protegida com espuma, então você nem vai precisar se preocupar com estojo — pelo menos por enquanto. Giro no suporte (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O suporte é bem robusto e resistente, com uma base circular pesada e antiderrapante que mantém o brinquedo firme em praticamente qualquer superfície de trabalho. Ele segura o microfone em dois pontos, pelas laterais, e com isso você consegue girar o aparelho para cima e para baixo, mantendo o suporte no lugar. Isso pode ser legal tanto para guardar o microfone quanto para acessar o botão da parte traseira, sobre o qual falaremos adiante. No entanto, se você preferir prender o microfone em uma aranha (o famoso shock mount, que evita que esbarrões na mesa se transformem em ruídos de trovão na gravação), só vai: o suporte tem porcas nas laterais que você pode desatarrachar para ter a liberdade de usar o Yeti Nano como quiser, e o microfone vem com rosca na parte inferior se você preferir montá-lo em um braço, estilo boom. Fora do suporte, o Yeti Nano é assim (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Seja para aparecer no vídeo ou para agregar na composição do seu escritório ou home studio, o Yeti Nano é lindão e tem um visual super bacana, lembrando os antigos microfones de rádio dos anos 1950, ao mesmo tempo que traz linhas e LEDs modernos, direto da era do USB. Ele vem nas cores preta, dourada, azul e vermelha. Controles O Blue Yeti Nano traz dois botões: um na frente e um atrás. O da frente controla essencialmente o volume de saída para monitoramento, ou seja, aquilo que você vai ouvir nos fones de ouvido enquanto ou depois que você grava. Dois botões, um na frente, outro atrás (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O botão power/volume fica vermelho quando o microfone está ligado, mas não está ativo; torna-se amarelo (ou piscando em várias cores) quando atualizando firmware ou sendo procurado pelo software; e fica verde quando tudo está 100% funcional e pronto para gravar. Ao pressioná-lo, você ativa o modo "mudo" e desativa ao pressioná-lo novamente. No mudo, o LED torna-se vermelho também. Aplicabilidade A sacada da Blue com seus microfones de mesa, como já dito, é ser prática. Não importa se você é jornalista, músico, gamer, youtuber, podcaster… quer entrevistar alguém remota ou presencialmente? É uma boa pedida. Quer gravar a trilha de vocais no seu home studio? Só vai. Quer fazer seu gameplay na Twitch? Ótimo, pode começar. E estrear um vídeo novo no canal? Usa o Nano que dá certo. E, claro: vai gravar o podcast da semana? Pluga o microfone e manda ver. O bacana desse mic é que ele tem dois tipos de padrão de polaridade que podem ser ativados de acordo com cada uso, por exemplo: você é gamer e vai transmitir ao vivo seu gameplay amanhã. Ative o modo cardioide, posicione-se na frente do microfone e pronto! Agora, se você é podcaster e convidou um colega para participar do seu episódio, mas não tem dois microfones… sem problemas, é só ativar o modo omnidirecional do Yeti Blue e posicionar o microfone entre vocês. Para usar o microfone corretamente, você terá de girá-lo no suporte até o logo da Blue ficar virado para você. Acerte o ângulo de fala na frente, e não no topo da cápsula (Imagem: Blue) Ainda dentro do próprio sistema, o Yeti Nano não conta com processamento de sinal digital (DSP), o que faz dele um modelo prático por a) dispensar conexão XLR profissional; b) gerar uma gravação diretamente mais pura e próxima do sinal de entrada. Ou seja, com isso você tem um resultado muito claro e cristalino do que você está gravando e, se precisar, pode aplicar compressão e até equalizar o áudio no pós-processamento — caso domine técnicas mais avançadas e queira fazer isso. Antes de começar Só para reiterarmos, o que você precisa saber antes de cogitar um modelo desses para seu home studio ou gravações itinerantes é: o Yeti Nano é uma versão compacta do Yeti, com o propósito de atender a streamers, podcasters e até músicos que precisam de praticidade/mobilidade para gravar ou transmitir conteúdo de áudio monaural. Ele é um microfone condensador com dois modos de captação: cardioide (para uma pessoa, gravando logo à frente do microfone, como youtubers e podcasters) e omnidirecional (360º: para duas ou mais pessoas, gravando ao redor da campânula, em uma mesa redonda ou conferência), com suporte a amostragens de até 24 bits e 48 kHz e resposta de frequência padrão (20 Hz a 20 kHz). Não gera latência, porque o output de monitoramento sai direto do aparelho, dispensando placas e mesas externas — é só plugar no PC ou Mac, abrir um software de gravação/captação e começar a falar. Entrada P2 para fones de ouvido com monitoramento em tempo real, rosca de montagem e entrada micro USB (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O microfone possui todos os controles que você precisa no próprio corpo, como volume de monitoramento (cabeado para fones de ouvido), função mudo e duas cápsulas de captação (ambas condensadoras). Para captar e gravar o áudio, você pode eleger qualquer software de sua preferência — como GarageBand, Logic Pro X e Studio One Artist, Audacity, Adobe Audition, Sherpa (da própria Blue) etc. Como usuária de Mac, escolhi o GarageBand pela praticidade. Para montar o Yeti Nano O passo a passo é bem simples: Posicione o microfone na mesa; Plugue o cabo USB no microfone e no computador; Configure nas preferências/conigurações de áudio do seu sistema operacional; Abra o software de sua preferência e comece a gravar. Primeiro teste: podcast No Garageband, gravar usando o Blue Yeti Nano foi facílimo e o resultado é uma beleza. A qualidade do áudio é excelente para um microfone desse tamanho. Apesar de ele contar com volume de monitoramento para os fones de ouvido, não há controle de ganho, e isso deve ser feito direto na DAW, no Sherpa ou no software de gravação. Da primeira vez que pluguei o microfone no macOS Catalina, não precisei configurar nada: apenas acessei as configurações de áudio na Menu Bar e selecionei o Yeti Nano. No GarageBand, no entanto, fui até as Preferências e em Audio/Mini escolhi o microfone da Blue. Sim, é só isso Comecei com o padrão omnidirecional para testar a sensibilidade da captação de som ambiente, sons sibilantes e ruídos indesejados. O resultado é próximo de um microfone condensador profissional XLR, como o Samson C01 que uso há anos. Não precisei ajustar o ganho de entrada, muito embora seja possível fazer isso: basta só usar o aplicativo. 3... 2... 1... gravando! (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) É uma alegria imensa poder contar com um ótimo padrão de qualidade e taxa de amostragem alta num microfone compacto, mas isso vai fazer muito mais diferença para os músicos do que para os streamers (para comparar: o Yeti original conta com 16 bits de amostragem, e o Nano com 24 bits). Captando no padrão cardioide (com a cápsula ativa à frente, onde está o logo da Blue), o resultado também foi cristalino e, para a imensa maioria das aplicabilidades, não necessitaria de ajustes. A voz sai muito limpa, com todas as frequências muito bem respeitadas, dos tons mais graves e guturais das vozes masculinas aos mais agudos das vozes infantis. Felizmente, não capta sua voz com um boost em graves e os médios e agudos dão conta do recado em presença e brilho. É um microfone bem voltado à fala, de qualquer maneira. Testei uma narração com e sem um pop filter e posso afirmar que, inicialmente, o microfone vai dar conta de lidar bem com vocalizações das consoantes P, B, F, S, T e C, já que sua sensibilidade como condensador não é exagerada como a de microfones profissionais (que, muitas vezes, exigem um pad switch para cortar uns 10 dB ou 15 dB). Mas, se você puder gastar um dinheirinho a mais para refinar a qualidade da sua narrativa para seus ouvintes, recomendo comprar uma espuma (melhor mobilidade) ou um pop filter (melhor resultado no estúdio ou escritório), como esses aqui abaixo: Espuma e pop filter são super indicados para o Yeti Nano, mas você terá de comprar à parte (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Cuide para que o som ambiente não interfira na sua gravação. Microfones condensadores são bastante sensíveis a ruídos externos e o menor pio de passarinho na rua pode aparecer na gravação — principalmente se você estiver no modo omnidirecional. Então, escolha ambientes silenciosos, de preferência fechados, para gravar. Segundo teste: mesa redonda/conferência Resolvi colocar o Yeti Nano sobre a mesa e captar uma conversa entre três pessoas no modo omnidirecional. O ideal para esse tipo de captação é posicionar cada interlocutor a uma distância semelhante do microfone e ao redor dele, apesar de funcionar legal se duas pessoas estiverem uma ao lado da outra também. A conversa foi gravada com clareza e, nesse caso, usei um filtro de espuma para proteger o diafragma de qualquer interferência do ar ou das nossas próprias vozes em torno da cápsula e reduzir os tais "puffs". O resultado foi tão bacana quanto no modo solo, e a qualidade do áudio é ideal para narração, canto e até captação de instrumentos musicais em estúdio. GarageBand + Yeti Nano: uma trilha, várias vozes (Screenshot: Luciana Zaramela/Canaltech) Terceiro teste: violão e piano Se você está considerando comprar um Yeti Nano para além da sua voz e também quer captar instrumentos musicais para gravar suas ideias ou compor suas trilhas sem montar aquela parafernália de equipamentos, saiba que sim, pode rolar, desde que você calibre tudo direitinho: da altura da captação em relação ao instrumento ao ganho que vai transformar o sinal em áudio no seu software. Como isso dispensa placa de áudio ou mesa de som e cabos XLR para captura, você tem uma qualidade final até bacana, mas não tão sensível quanto a de microfones profissionais. No violão, gravei uma trilha inteira usando o Yeti Nano e o resultado foi muito bom, cristalino e até "passável" em uma gravação de home studio. Para o piano, o melhor é não usar microfones condensadores, já que você perde ênfase e ambiência entre notas mais graves e mais agudas (que precisam de no mínimo dois canais para soarem stereo). Sem entrar no mérito de captação musical aqui, o Yeti Nano quebra um galhão se você precisa mesmo é gravar uma ideia ou uma trilha mono de violão, uma turma cantando e tocando um som acústico ou qualquer outro instrumento cuja fonte sonora seja uma só — no caso do violão, sua caixa acústica. Para vocais, violão, instrumentos de sopro e percussões simples funcionou muito bem. Se a ideia é captar instrumentos musicais, também dá muito certo (Luciana Zaramela/Canaltech) Quarto teste: gravação de chamada no celular Imagine-se no seguinte cenário: você precisa gravar ligação telefônica ou uma conferência com alguém que esteja participando via Skype, por exemplo. Esteja você sozinho ou com mais pessoas na sala, se posicionar seu smartphone mais perto do microfone do que as pessoas presentes, vai conseguir transmitir uma chamada ao vivo ou gravar esse momento no seu podcast. Na minha simulação, fiz uma ligação e coloquei o celular no viva-voz logo abaixo do microfone, no modo omnidirecional, e me posicionei a uma distância de meio metro do diafragma. Não precisei editar ganho e nem volume de nada: o Yeti Nano captou tanto a minha voz quanto a do interlocutor na chamada com bastante clareza — o suficiente para você apresentar em um podcast, streaming ou até mesmo em uma gravação para usar como efeito sonoro ou colocar em uma música depois. Com boa sensibilidade, captar chamadas telefônicas no viva voz dá super certo com o Yeti Nano (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Games Quem quiser transmitir uma gameplay ao vivo na Twitch ou usando aplicativos dedicados, como o Streamlabs ou Xsplit, vai conseguir uma excelente qualidade e resposta sem lags. O legal é que, só com o microfone, você transmite sua jogatina em tempo real, usando um fone de ouvido para monitorar enquanto você narra, conversa e/ou faz o streaming para a galera. Convidei o editor de games e entretenimento aqui do Canaltech, Sergio Oliveira — vulgo Jones —, para me ajudar nessa missão de testar o Yeti Nano em pleno gameplay. Ele fez os testes usando o software de gravação da Nvida, o Game Experience, e gravou uma gameplay de Fortnite em modo coop. Então, numa tacada, dois testes foram feitos: o de qualidade do áudio em si e o da sensibilidade para que os outros jogadores da partida escutassem bem o que Jones estava falando durante a jogatina. Os testes foram feitos com o microfone a uma distância média de 30 cm da boca, sobre a mesa, com um headset plugado direto no microfone para dar retorno, no modo cardioide e sem nenhuma alteração nos presets originais, nem pop filter. A gameplay foi feita em uma sala com PC desktop, com áudio a 24 bits e 48 kHz: Configurações no Windows (Captura: Sergio Oliveira/Canaltech) É um microfone equilibrado, que não suprime os graves da sua voz mas não estoura em frequências "esganiçadas", e mesmo com o posicionamento relativamente distante, a 30 cm, os principais pontos positivos levantados pelo gamer foram: Qualidade cristalina de voz Mais sensibilidade de captação que modelos concorrentes, como o Quadcast, da HyperX Muito balanceado e sem saturação no preset de fábrica Capta sussurros, ruídos das teclas e dos cliques no mouse — algo que muitos gamers adoram que apareça nas suas transmissões Não necessita de ajustes finos Plug-and-play Eis as configurações usadas no GeForce Experience: Configurações de áudio para captar a jogatina (Screenshot: Sergio Oliveira/Canaltech) A partir daí, se o jogador quiser fazer ajustes de captura e aumentar o ganho de entrada, por exemplo, é só usar o aplicativo da Blue, o Sherpa (sobre o qual você vai ler logo mais) e determinar o nível desejado. Na gameplay, portanto, o balanço foi positivo — até mesmo em comparação com um modelo mais caro, o Quadcast. Um teste rápido foi feito com os dois microfones e o Yeti Nano conseguiu captar mais, mesmo posicionado mais distante, que o modelo da HyperX, que parecia limitar mais as frequências e usar um tanto de compressão na voz. Análise: HyperX QuadCast entrega ótima versatilidade para vídeo e podcast N.A.: Valeu pelo coop, Jones! Latência e clipagem Por ter tudo prático e dentro do próprio corpo, Yeti Nano simplesmente não dá latência. Como você não vai precisar gastar dinheiro (e nem cabos) com placa de áudio ou mesa, não precisa se preocupar com alimentação (phantom power), limitadores (clipagem), estouros, saturações ou o famigerado lag de uma gravação ao vivo que softwares e interfaces de áudio costumam gerar. Basta plugar seu fone de ouvido na saída P2 do Yeti Nano e se monitorar em tempo real. Você ainda pode ouvir tudo o que gravou usando o fone plugado no microfone, para editar o áudio todo da trilha depois da captação de um podcast, por exemplo. Você consegue controlar o volume de saída pelo potenciômetro infinito do Yeti Nano e nunca vai morrer de susto com volumes muito altos quando plugar um fone no aparelho. Trocando em miúdos: o Yeti Nano simplesmente não tem latência (lag), não estoura (não clipa) e não distorce fácil (a menos que você jogue o ganho muito para cima). Qualquer pessoa que queira gravar pode usar e conseguir resultados bem legais com ele sem conhecimentos técnicos avançados. Sherpa - o app da Blue A Blue disponibiliza um aplicativo bem direto ao ponto para quem quer usar os microfones da marca e configurá-los em termos de ganho e playback. Esse app é o Sherpa, disponível na página oficial da marca para Windows e Mac, e gratuito. Basicão, mas dá controle de ganho (Screenshot: Luciana Zaramela/Canaltech) Eu baixei o Sherpa após testar o microfone no GarageBand, só para deixar o review mais completo. O aplicativo é bem simples e basicamente te deixa "setar" pelo computador os níveis de ganho e monitoramento direto (nos fones de ouvido), além de alternar entre os padrões omnidirecional e cardioide. Também é possível selecionar o formato (qualidade/amostragem), emudecer o playback e fazer updates de firmware. O que vem na caixa Blue Yeti Nano Cabo micro USB Suporte de mesa Manuais Preço e onde comprar E aí, gostou do Yeti Nano e está considerando comprar um? O brinquedinho é lançamento aqui no Brasil e sai por R$ 700 tanto no site oficial da Logitech (revendedor da Blue aqui no Brasil) quanto no KaBuM!. As duas lojas dão desconto de 5% à vista no boleto, ou dividem em até 12x sem juros no cartão. Note que algumas cores podem não estar disponíveis. No momento de escrita deste review, encontramos apenas os modelos cinza e azul nas lojas. A Blue dá dois anos de garantia sobre o Yeti Nano. Specs Captação Potência necessária / Consumo: 5V 150mA Taxa de amostragem: 48kHz Taxa de bits : 24 bits Cápsulas: 2 cápsulas de condensador de 14mm, patenteadas pela Blue Padrões polares: cardióide, omnidirecional Resposta de Freqüência: 20Hz - 20kHz Sensibilidade: 4.5mV / Pa (1 kHz) SPL máximo: 120dB (THD: 0,5% 1kHz) Playback Amplificador de fone de ouvido Impedância: > 16 ohms Potência de saída (RMS): 130mW THD: 0,009% Resposta de Freqüência: 15Hz - 22kHz Sinal para Ruído: 100dB Veredicto Acho que vai ser difícil encontrar um defeito tão grande que faça algum podcaster ou streamer desistir do Yeti Nano. Para ilustrar isso da melhor forma, vamos a uma lista de prós e contras: Prós Tudo-em-um: dá para gravar e monitorar seu áudio sem usar equipamentos externos; Mobilidade: ele é pequenino e robusto. Você pode plugar no seu notebook e ser feliz, o que é ideal para quem viaja muito e quer gravar um podcast num quarto de hotel, por exemplo; Padrões cardioide e omnidirecional: sem muita firula, o Yeti Nano é ideal para quem quer qualidade sem se perder em várias configurações. Vai gravar sozinho? Use o modo cardioide; vai gravar com a galera? Use o modo omnidirecional; Bonitão: se você quer transmitir conteúdo em áudio e vídeo, o Yeti Nano vai somar na composição de seu set de filmagem, porque ele tem um visual muito bacana Excelente qualidade (48 kHz/24-bit); Boa relação custo-benefício. Contras Não há um volume de ganho, ou seja: você não controla, pelo microfone, o volume do áudio captado. Mas isso pode ser feito via software; Entrada micro USB: o brinquedo poderia ser mais moderno, mas a Blue ainda usa entrada micro USB em vez do padrão USB-C. Bola fora, mas… funcionar é o que importa; Não tem um preço que possa ser chamado de acessível. Mobilidade? Temos! (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O microfone funciona com a maioria dos sistemas operacionais da atualidade, sendo compatível com Windows 7, 8.1 e 10, macOS 10.10 ou superior e requer USB 1.1, 2.0 ou 3.0 para operar. Ainda não testei no Linux, mas pretendo — e assim que o fizer, atualizo este review. No final do frigir dos ovos, não pense que você levará para casa um microfone rico em graves, que faz sua voz parecer mais profunda. O modelo da ênfase em frequências médias e agudas para que a narração saia clara, limpa e livre de distorções, sem, claro, ignorar as frequências mais baixas. Para a grande maioria dos casos, dispensa equalização e compressão — a menos que você queira editar o áudio após gravar, dando mais ou menos ganho, aplicando compressão ou mesmo equalizando a seu modo. Recomendo fortemente o uso de pop filter ou espuma para neutralizar ruídos como puffs e sons sibilantes, que podem sobressair na fala. Aliás, se o suporte de mesa for curto demais para você, é possível adquirir suportes maiores, pedestais e braços articulados para o Yeti Nano em lojas especializadas (geralmente de instrumentos musicais e e-commerces). Em relação às polaridades, poucas são as diferenças no áudio final quanto ao brilho, presença e clareza. Tanto no omnidirecional quanto no cardioide, você conseguirá resultados similares, desde que grave a distâncias adequadas e em ambiente silencioso. Em gameplay, o microfone surpreendeu e saiu-se melhor que modelos de marcas tradicionais voltadas para gamers, inclusive. É uma ótima pedida caso você pretenda gravar suas partidas ou jogar em coop com a galera enquanto estiver online, principalmente por causa da sensibilidade do modelo e da clareza de captação de voz. Agora, vamos combinar que gastar 700 reais em um microfone não é algo fácil para todos. No entanto, para você que precisa de um equipamento de qualidade muito legal para trabalhar e gravar um som limpo, a praticidade do modelo, aliada à sua captação em dois padrões (sem muita firula), faz do Yeti Nano um sério candidato a ser chamado de seu. Como ele, existem mais opções no mercado, a exemplo do Razer Seiren e do Audio Technica AT2020. Se esse valor está salgado demais, você pode apostar mais baixo e tentar o Blue Snowball Ice, que é mais simples, porém custa a metade do preço. Mas, pelo que existe hoje em dia no mercado, o Blue Yeti Nano é uma das melhores — senão a melhor — opção para youtubers e podcasters nessa faixa de preço. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Brasil terá evento especial de Ingress em 2020, mas fica de fora de Pokémon GO

Brasil terá evento especial de Ingress em 2020, mas fica de fora de Pokémon GO

canaltech A Niantic anunciou nesta quinta-feira (23) a agenda de eventos presenciais para Ingress, Pokémon Go e Harry Potter: Wizards Unite. O Brasil aparece no catálogo de evento de Ingress em Campinas, em abril, mas não recebe Pokémon Go nesta primeira metade do ano. Ser sede desse tipo de ação não é só bom para os jogadores, mas também para o mercado local. Segundo a própria empresa, no ano passado os eventos realizados em Chicago, Dortmund e Montreal movimentaram US$ 120 mi, US$ 56 mi e US$ 71 mi indiretamente, respectivamente. “Os eventos presenciais em larga escala da Niantic tiveram um verdadeiro impacto positivo no turismo, unindo pessoas de todo o mundo em fins de semana de aventuras. Estamos incrivelmente impressionados pela quantidade e qualidade de inscrições no programa #NianticLive2020 e, como resultado, temos o prazer de anunciar a adição de Liverpool, Filadélfia e St. Louis ao nosso calendário de eventos em 2020”, explica Michael Steranka, Senior Manager, Live Events da Niantic. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Para este ano, há quatro eventos agendados para Pokémon Go. Um será durante o Festival das Lanternas de Taiwan, em Taichung, entre 6 e 9 de fevereiro. Também recebem jogadores as cidades de St. Louis, em março; Liverpool, em abril; e Filadélfia, em maio. A agenda divulgada é somente relativa ao primeiro semestre de 2020. Ingress   Ingress é o título usado como base para criação de Pokémon Go e que ganhou uma atualização grande recentemente. A Niantic agendou três grandes eventos que vão acontecer em várias cidades simultaneamente pelo mundo. Confira: Perpetua Hexathlon – 29 de Fevereiro Ásia-Pacífico: Christchurch, Nova Zelândia; Adelaide, Austrália; Okinawa, Japão; Bengalaru, Índia; Chiang Mai, Tailândia Europa: Porto, Portugal; Milão, Itália; Lille, França; Bratislava, Eslováquia; Ruse, Bulgária Américas: San Antonio, Texas; Salt Lake City, Utah; Miami, Florida; Buenos Aires, Argentina; Tijuana, México Lexicon Hexathlon – 25 de Abril Ásia-Pacífico: Colombo, Sri Lanka; Taichung City, Taiwan; Bogor, Indonésia; Baguio City, Filipinas; Songpa District, Seoul Europa: Moscou; Edinburgh, Escócia; Pilsen, Czechia; Budapest, Hungria; Valencia, Espanha Américas: São Francisco, Califórnia; Washington DC; Minneapolis, Minnesota; Victoria, Canadá; Campinas, Brasil Anomalia Réquiem Munich – 9 de Maio Apesar de contar também com Harry Potter: Wizards Unite, a Niantic ainda não revelou calendário para eventos deste ano. “Bruxos e Bruxas poderão aguardar ansiosamente pela segunda edição do Harry Potter: Wizards Unite Fan Festival este ano. Mais detalhes sobre o evento serão anunciados em breve”, informou. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

iFood compra a startup mineira Hekima para melhorar IA da plataforma

iFood compra a startup mineira Hekima para melhorar IA da plataforma

canaltech O iFood que aprimorar sua inteligência artificial (IA) para melhorar a personalização da experiência do usuário na plataforma. Para isso, a companhia comprou a startup mineira Hekima, especializada no setor desde 2016 e que já atuou junto a grande grupos como a Ambev, Gerdau e Netshoes. Os valores do negócio não foram revelados. Com isso, o iFood quer reforçar seu time de algoritmos de IA e a Hekima deve funcionar como uma agência interna, desenvolvendo aplicações inteligentes. Segundo Bruno Henriques, vice-presidente de inovação da empresa, o mercado brasileiro não tem especialistas de IA suficientes: “Estamos trazendo pessoas que são realmente do ramo, da academia, com experiência na área. Aqui no Brasil se estima que tenha menos de 600 pessoas com essa formação”. O executivo adianta que o iFood deve personalizar ainda mais as preferências do usuário, incluindo restrições alimentares de cada um, em um prazo entre 12 e 18 meses. “Para isso, precisamos conhecer o cliente no detalhe. No futuro, vai ser tão prático e a logística tão boa que vão questionar se vale a pena ter cozinha em casa”, aposta Henriques. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Veja Mais

Jovem americano faz campanha eleitoral por meio do TikTok

Jovem americano faz campanha eleitoral por meio do TikTok

canaltech Não é nenhuma novidade os políticos utilizarem as redes sociais em meio às campanhas eleitorais. Aqui no Brasil, por exemplo, vários candidatos ficaram mais tempo em suas redes sociais do que propriamente na TV e no Rádio, canais comumente mais usados para a apresentação de propostas, ataques, respostas e por aí vai. E eis que um jovem de 26 anos, candidato ao congresso americano pelo Partido Democrata, decidiu usar a plataforma que mais cresce no mundo, o TikTok, para alavancar sua imagem e iniciar sua campanha. Joshua Collins é um motorista de caminhão, socialista, de 26 anos e que busca uma vaga no Congresso pelo 10º distrito do estado de Washington, que abrange partes de Olympia, Spanaway e Puyallup. Ele lançou sua campanha em abril do ano passado, depois de assistir ao triunfo da também democrata Alexandria Ocasio-Cortez, do distrito de Nova Iorque, em 2018, que vinha em situação parecida com a sua e conseguiu ser eleita. “Em 2018, isso foi enorme. Isso mudou tudo. Passamos de 'devemos fazer isso' para 'podemos fazer isso'", disse Collins, em entrevsta ao The Verge. "Não há como descrever o tamanho do impacto que tive nas comunidades ativistas de base". -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- A tarefa de Collins, porém, não é nada fácil. A cadeira da região foi mantida por três mandatos por Denny Heck, um democrata que conquistou as eleições de 2018 por quase 30 pontos de diferença em relação ao seu último rival. Mas em dezembro, Heck anunciou sua aposentadoria, o que permitiu que um novo pleito fosse realizado. Collins ainda enfrenta forte concorrência de candidatos mais convencionais - particularmente a ex-deputada estadual Kristine Reeves e a ex-prefeita de Tacoma, Marilyn Strickland. Apesar dos concorrentes de peso, suas chances têm aumentado consideravelmente. E muito disso graças ao TikTok. Imagem: The Verge Ser conhecido online tem suas vantagens Collins também tem uma vantagem crucial sobre Reeves e Strickland: sua relativa fama online. Antes de lançar formalmente sua campanha na primavera (outono brasileiro) passada, Collins tinha cerca de 40 mil seguidores no Instagram. Seus seguidores no Twitter eram muito menores, mas depois de alguns retuítes oportunos de Ocasio-Cortez, milhares de pessoas começaram segui-lo. Em outubro passado, ele criou uma conta no TikTok e lançou sua conta oficial da campanha @joshua4congress. No momento, a conta tem mais de 26 mil seguidores. Essa presença no Instagram, Twitter e TikTok causou um grande impulso em suas doações e inscrições de voluntários. Discord virou comitê À medida que seus seguidores no TikTok aumentavam, Collins começou a pedir para que eles o ajudassem mais diretamente, e criou um grupo no Discord para que todos entrassem. Esse app, muito usado pela comunidade gamer, acabou se tornou o principal centro de voluntários de Collins, permitindo que ele coordenasse campanhas com quase nenhum custo adicional. Cerca de 1.300 pessoas aderiram ao servidor, geralmente usado para compartilhar memes, notícias, pesquisas eleitorais e realizar pesquisas sobre a oposição. Voluntários em todo o país podem telefonar, enviar mensagens de texto e postar em mídias sociais para apoiar sua campanha por meio desse grupo no Discord. Embora com menos seguidores, o canal aberto nessa plataforma tem potencial para ser mais poderosa do que o próprio TikTok. Collins apelidou esse grupo no Discord de "um escritório de campanha, mas online" e um "espaço de organização remota" para que os voluntários conversem e inspirem outros jovens esquerdistas para concorrerem a cargos políticos. Imagem: The Verge “Nosso Discord literalmente dobrou de tamanho desde que comecei a usá-lo, e meu oportuno vídeo do TikTok sobre o abandono de meu oponente era parte de uma enorme campanha de arrecadação de fundos de dois dias”, disse Collins, ao The Verge. "Se não está traduzindo para outras pessoas, elas provavelmente não estão usando direito." Como combater a oposição e as trolagens? A campanha de Collins adotou medidas proativas para garantir que os trolls não fiquem fora de controle. Para entrar no servidor do Discord, você deve preencher um formulário no site da campanha dele. Ele tem moderadores voluntários que mantêm a paz no servidor e "estabelecem democraticamente critérios para coisas como proibições, silenciamentos e uso de canais". Depois de ingressar no servidor, você é recebido com algumas regras simples, como não criticar pautas LGBTQ e ter um comportamento amigável. "Quando começamos, o TikTok era um experimento. Mas quando comecei a postar vídeos, era óbvio que havia demanda pelo tipo de conteúdo que eu já estava lançando no Twitter, mas com alguns pequenos ajustes", disse Collins. De fato, a qualidade e a organização do conteúdo podem - e devem - ser fundamentais na campanha e é por esse caminho que o comitê do jovem tem seguido. De acordo com o TikTok, os vídeos de Collins receberam mais de 570 mil curtidas, sendo frequentemente vistos, com alguns ultrapassando a marca de 100 mil visualizações. A maioria dos vídeos é simples e está ligada aos tuítes do candidato. Ideologia e propostas Collins se diz socialista e é assim que ele se apresenta aos eleitores. Isso, porém, o coloca em um espectro político um pouco mais à esquerda do que os democratas em geral, que costumam, por via de regra (leia-se à frente das câmeras), serem mais moderados quanto a isso. Entre as pautas de Collins, está a pressão em cima de empresas de petróleo e gás - e do governo - a criarem mudanças, incluindo a nacionalização da produção de energia. Ele também deseja abolir não apenas a Imigração e a Alfândega (ICE), mas também a CIA. Outra ideia do caminhoneiro socialista é cancelar todas as dívidas médicas e liberar todos os medicamentos prescritos. TikTok "ajuda" esquerdistas? O TikTok, seu principal meio de campanha, é visto pelo Comitê Nacional Democrata como um risco à segurança não apenas de seus membros, mas também de todo o país. O que pode soar meio contraditório, já que a plataforma tem sido ambiente fértil para candidatos de esquerda em todo o mundo. Prova disso é que Collins tem recebido um impulso significativo do algoritmo de recomendação de conteúdos do TikTok. As seções de comentários do democrata estão repletas de usuários que escrevem "fyp". É assim que os usuários informam aos criadores que seus vídeos chegaram à cobiçada página For You do TikTok, um feed interminável de vídeos sob medida para os gostos específicos de um usuário e que é uma fonte enorme de novos seguidores para quem faz isso. Ninguém sabe exatamente o que é necessário para o seu conteúdo aparecer nesse feed, mas é onde a maioria das descobertas de vídeos e criadores de conteúdo ocorre. A empresa controladora da TikTok, a ByteDance, não discutirá o algoritmo em público, o que dificulta o desenvolvimento de uma estratégia de sucesso para a plataforma. Não está claro, porém, como o algoritmo se localiza, mas alguns usuários da região de Collins têm reparado que seus vídeos aparecem muito mais do que outros, o que pode ajudá-lo na corrida por uma vaga no Congresso. Isso, porém, não será suficiente para que ele seja eleito. Segundo o senso local, menos de 10% dos eleitores de seu distrito podem ser considerados membros da Geração Z (nascidos depois de 1994), e 90% dos EUA nunca usaram o TikTok. Ou seja, o caminhoneiro terá de fazer, também, um trabalho de campanha convencional: distribuir panfletos, falar em eventos locais, apertar as mãos das pessoas, beijar alguns bebês, fazer selfies e por aí vai. Embora o TikTok não seja uma garantia para sucesso de Collins, ele o ajuda a arrecadar dinheiro de pessoas fora de seu distrito, que compartilham sua visão, e desejam ver mais pessoas como ele no governo. Pessoas de todo o país que, de outra forma, nunca saberiam sobre sua campanha, doam para ele. Depois que seus vídeos se tornam virais, sua campanha sempre tem um aumento nas doações. "Eu cresci com a internet e sei como tudo funciona, mas é muito mais do que isso", disse Collins. “Minha personalidade online sou eu, mesmo como candidato. Não falo como um político, não postei como um, e as pessoas comuns podem dizer a diferença entre uma estratégia de mídia social enlatada e um candidato acessível online". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Apple diz que padronizar conector de smartphones prejudica a inovação

Apple diz que padronizar conector de smartphones prejudica a inovação

canaltech A Apple disse a provável regulamentação de um tipo único de conector "sufoca a inovação". A declaração foi feita em resposta à União Europeia, que pretende determinar a medida para todos os smartphones, incluindo o iPhone. De acordo com a Maçã, a imposição dessa regra afetaria significativamente seus usuários, que teriam que abandonar os conectores Lightning causando não só inconveniência, como o descarte desnecessário de lixo eletrônico. O projeto da União Europeia envolve a padronização dos carregadores de smartphones, que passariam a ser universais, assim como a entrada para o cabo de carregamento nos próprios aparelhos. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Imagem: Reprodução A Apple começou a adotar o cabo Lightning ainda em 2012, com o lançamento do iPhone 5. Essa troca, na época, já causou transtornos para a companhia e para os usuários, mas hoje, com a chegada dos acessórios sem fio, o ecossistema deste tipo de produto se tornou muito menor em comparação com o que existia na época, segundo a empresa. Apple pode "aposentar" o conector Lightning a partir de 2021 No comunicado, a Apple finalizou dizendo que espera que uma solução seja tomada sem restringir a capacidade de inovação do setor. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Depois do Google, agora é a Samsung que trabalha em sua versão do AirDrop

Depois do Google, agora é a Samsung que trabalha em sua versão do AirDrop

canaltech O AirDrop é uma das funcionalidades dos dispositivo da Apple mais invejadas pelos usuários do Android, até poque o Android Beam - um suposto equivalente - era muito lento no compartilhamento de dados de um dispositivo para outro. Mas isso vem sendo resolvido pelo Google que, em breve, deve lançar seu novo Nearby Share (chamado inicialmente de Fast Share). E agora, é a vez da Samsung trabalhar em sua própria solução. A companhia sul-coreana deve oferecer em breve o Quick Share, que deve simplificar e agilizar o envio de arquivos entre dispositivos Galaxy, sem a necessidade de uso de apps de terceiros. Vale destacar que Xiaomi, OPPO e Vivo criaram sua própria versão do AirDrop para Android, com suporte de compartilhamento entre os aparelhos das três empresas chinesas. Imagem: Reprodução/Apple Embora a notícia seja boa, especialistas de mercado não veem com bons olhos a fragmentação desse recurso em ferramentas dedicadas para diferentes marcas. Isso porque uma das coisas que o AirDrop tem de melhor é o fato dele vir como uma operação nativa e compatível com qualquer iPhone. O ideal, seria, então, ter um padrão com a mesma taxa de tráfego de dados e disponível em todos os aparelhos Android. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A Samsung por enquanto não confirmou o Quick Share e não há previsão para sua estreia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

O Mundo Sombrio de Sabrina | Tudo que você precisa saber para assistir a parte 3

O Mundo Sombrio de Sabrina | Tudo que você precisa saber para assistir a parte 3

canaltech Estreou no final de 2018, na Netflix, a primeira parte da série O Mundo Sombrio de Sabrina, uma versão mais obscura e muito mais assustadora do que a produção dos anos 1990. A trama acompanha a vida de Sabrina Spellman (Kiernan Shipka), uma adolescente que é metade bruxa e metade humana, que só queria viver uma vida normal. No entanto, desde o seu nascimento, ela tem deveres a cumprir com a escuridão e não consegue fugir disso. O Mundo Sombrio de Sabrina retorna nesta sexta-feira (24) com novos episódios e se você não está se lembrando muito bem de tudo o que aconteceu até aqui, o Canaltech preparou um resumo com os momentos mais importantes da primeira e da segunda parte para você começar a terceira mais do que preparado. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Confira o que rolou: Imagem: Divulgação Parte 1 Logo na primeira temporada Sabrina deixa de ser mais mortal para assumir o seu lado bruxa com mais intensidade assim que completa 16 anos. Para isso, ela acaba assinando o livro do Senhor das Trevas depois de muito relutar e situações judiciais acontecerem. Então, ela acaba passando pelo Batismo das Trevas e entrando na Academia de Artes Invisíveis, alternando com a sua escola tradicional, para seres humanos normais, a Baxter High. Na Academia de Artes Invisíveis, Sabrina faz amizade com Prudence Night, papel de Tati Gabrielle, e as Weird Sisters, conhecidas no bom português como as Irmãs Estranhas. Depois de trocarem muitas farpas, a amizade é fortalecida. Sabrina salva Prudence de se tornar a Queen of the Feast, quando ela seria sacrificada para ser jantada, descobrindo também que a garota é filha biológica do temido Father Blackwood, interpretado por Richard Coyle. Imagem: Divulgação Sabrina também conhece o bruxo Nicholas Scratch (Gavin Leatherwood), com quem viria a ter um relacionamento após as coisas não terem dado certo com Harvey Kinkle (Ross Lynch). Inclusive, o casal termina porque o jovem não sabe como lidar com os poderes da bruxa. Sabrina até tenta ressuscitar o irmão de Harvey, Tommy, depois que o rapaz é morto em um acidente na mina, mas o feitiço não dá muito certo e ele volta para casa como uma figura estranha e perigosa, forçando Scratch a sacrificá-lo. O acontecimento é tão traumatizante que Sabrina até se afasta de seus amigos Susie (Lachlan Watson) e Roz (Jaz Sinclair). Mrs. Wardwell (Michelle Gomez) é assassinada pela demônia Lilith, que acaba assumindo o seu papel como diretora na escola, ficando mais perto de Sabrina e mais próxima de destrui-la. Por isso, é Lilith a grande vilã de todos os episódios, fazendo tudo o que o Senhor das Trevas a instrui. Imagem: Divulgação A tia de Sabrina, Zelda (Miranda Otto), ajuda Lady Blackwood (Alvina August), esposa de Father Blackwood, a conduzir o parto de seus gêmeos, um menino e uma menina. Porém, como quem nasceu primeiro foi a menina, Zelda resolve mentir que a bebê acabou morrendo para poder sequestrar e proteger o ser que acabou de nascer do perigoso pai. Mesmo assim, Blackwood acaba não resistindo ao parto. Os 5 melhores filmes de terror disponíveis na Netflix Parte 2 Na segunda parte de O Mundo Sombrio de Sabrina, Zelda quer progredir o seu relacionamento escondido com Father Blackwood casando-se com ele e ficando mais poderosa. Porém, os planos do parceiro são diferentes e ele orquestra um esquema para assassinar o Anti-Pope, tomando o controle da Church of the Night (Igreja da Noite) e jogando um feitiço na nova esposa para que ela passe a obedecer todas as suas ordens e servi-lo. A culpa do assassinato do Anti-Pope, no entanto, cai sobre Ambrose (Chance Perdomo), que é aprisionado e condenado à morte. Mas a justiça foi feita quando Satanás interrompe a execução para condenar o verdadeiro culpado: Father Blackwood. Falando no diabo, Satanás aparece para Sabrina com uma forma angelical para revelar toda a verdade sobre os pais dela, contando que eles o procuraram quando estavam com problemas na hora de engravidar. Sendo assim, Satã é o verdadeiro pai de Sabrina e agora ele quer que ela seja sua rainha. Imagem: Divulgação Sem saber, Sabrina estava cumprindo a profecia que foi dada a ela quando nasceu, tornando-se Herald of Hell, a responsável por dar início ao apocalipse. E quem salva o mundo é a bruxa ao lado de seus amigos, mas ela acaba perdendo o seu namorado, Nick, que absorveu Satanás em seu corpo e agora precisa ser mantido preso no inferno, uma vez que o demônio é praticamente impossível de ser morto. Por conta desses acontecimentos, que assume o trono como rainha acaba sendo Lilith. Imagem: Divulgação Também aconteceram outras coisas na parte 2 de O Mundo Sombrio de Sabrina envolvendo os mortais, com Susie se transicionando para Theo, e Harvey e Roz namorando sob a "benção" de Sabrina. Roz, que sofre de uma maldição jogada em sua família, acaba se tornando cega, problema que é dado em troca de receber visões do presente e futuro. Ela pede ajuda à Sabrina para voltar a enxergar e o feitiço dá certo, acabando a maldição. Os 5 melhores filmes de suspense disponíveis na Netflix Sabrina, Harvey, Roz e Theo então passam a criar um clube para unir forças e salvar a humanidade sempre que for preciso. A terceira parte (ou temporada) de O Mundo Sombrio de Sabrina chega no dia 24 de janeiro de 2020 na Netflix. Confira o trailer:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Afinal, por que o stress deixa nossos cabelos brancos?

Afinal, por que o stress deixa nossos cabelos brancos?

canaltech Pesquisadores brasileiros, em conjunto com americanos, descobriram que o estresse pode, realmente, deixar uma pessoa com os cabelos brancos. Até hoje, isso parecia apenas uma espécie de crendice, ou só algo que os adultos falam para crianças ou adolescentes para enfatizar o quanto de preocupação um responsável pode ter por seus tutelados. O estudo foi realizado no Centro de Pesquisa em Doenças Inflamatórias, da Fapesp, em parceria com pesquisadores de Harvard. Eles usaram ratos de laboratório para mostrar que, ao serem expostos a situações de estresse intenso, a pelagem pode perder a coloração em velocidade alarmante. Depois de três anos de pesquisas, foi publicado um artigo detalhando processo e conclusão na revista Nature. Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol “O nosso laboratório é sobre dor. Então injetamos uma toxina que gerava muita dor em camundongos sem saber para onde ir. A partir disso, vimos que eles ficavam com pelos brancos depois de quatro semanas. Foi inesperado”, contou o cientista brasileiro Thiago Mattar, um dos responsáveis pelo estudo. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Reação a situação de perigo O ratinho antes (acima) e depois (abaixo) do experimento que acelerou o embranquecimento de sua pelagem (Foto: Divulgação/Fapesp) Os pesquisadores notaram que o sistema nervoso simpático possui ligação próxima com o estresse. Ele é responsável por controlar as respostas do nosso organismo em situações extremas de perigo, fazendo o coração bater mais rápido ao liberar adrenalina e cortisol. Com os batimentos acelerados, a pressão arterial também sobe, além de haver dilatação das pupilas e aumento no ritmo respiratório, também. O processo é parte da preparação de nosso corpo para reagir à situação, seja para enfrentar o problema de frente, se esquivando ou fugindo. Para simular esse efeito, os pesquisadores brasileiros injetaram em camundongos de pelos pretos uma dose alta de uma substância chamada resiniferatoxin, que causa dor forte. Sem compreender a razão da dor ou o que fazer, os ratinhos acabavam em uma situação de estresse intenso. “Cerca de quatro semanas após a injeção sistêmica da toxina, um aluno de doutorado observou que os animais estavam com os pelos completamente brancos”, disse Mattar. “Aparecia em cerca de 30% a 40% dos pelos. Quanto maior o estresse, mais pelos brancos”, seguiu o cientista. Não há cura, mas tem como evitar Pintar os cabelos segue como única alternativa para esconder os fios brancos (Foto: Pixabay) Os cientistas também conseguiram descobrir duas maneiras de evitar o embranquecimento dos fios por estresse. Uma delas foi por meio de cirurgia para retirar as fibras simpáticas. A outra, foi via administração de um anti-hipertensivo. “Tratamos os animais com guanetidina, um anti-hipertensivo capaz de inibir a neurotransmissão pelas fibras simpáticas e observamos que o processo de embranquecimento capilar foi bloqueado”, contou Thiago Cunha, outro cientista que participou do estudo. “Esses e outros experimentos conduzidos demonstraram a participação da inervação simpática no processo de embranquecimento capilar e confirmaram que a dor atua, nesse modelo, como um potente estressor”, explicou. Cunha, no entanto, disse que não há ainda uma pesquisa para criar um remédio que evite o amadurecimento das células-tronco melanocíticas dentro do bulbo capilar, responsáveis pela produção do pigmento responsável pela coloração dos fios. Segundo ele, as tinturas atualmente usadas por muitas pessoas para esconder seus cabelos brancos já resolvem a questão estética sem efeitos colaterais que um medicamento poderia causar. Os testes foram conduzidos, em grande parte, em laboratórios de Harvard, coordenados por Ya-Chieh Hsu, professor de biologia regenerativa. Os brasileiros usaram instalações da USP de Ribeirão Preto para conduzir o restante dos experimentos. Mattar já fazia seus estudos quando foi a Harvard passar um tempo e descobriu que pesquisadores da universidade americana tinham um estudo semelhante. “Quando fui fazer um sabático em Harvard, falei para um supervisor sobre esse achado e eles disseram que também estavam fazendo algo nessa linha e nos chamaram para colaborar”, explicou. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Lançamentos da semana no cinema – 23/01/2020

Lançamentos da semana no cinema – 23/01/2020

canaltech À medida que a cerimônia do Oscar se aproxima, cada vez mais filmes indicados à estatueta do careca dourado vão entrando em cartaz nos cinemas de todo o Brasil. Nesta semana, por exemplo, temos dois lançamentos que estão concorrendo à premiação máxima da indústria, sendo um deles um dos favoritos de muita gente na categoria Melhor Filme. Estamos falando de 1917, longa ambientado na Primeira Guerra Mundial dirigido por Sam Mendes que tem como grande trunfo passar ao expectador a sensação de que tudo foi filmado em um gigantesco plano-sequência, quando não há qualquer corte nas filmagens. Graças a essa característica, temos a impressão de sempre estarmos sob os ombros dos soldados Schofield e Blake, encarregados de uma missão extremamente desafiadora: cortar o campo de batalha pelas linhas inimigas e entregar uma mensagem ao batalhão do outro lado. Além de Melhor Filme, 1917 também concorre em outras nove categorias. Um Lindo Dia na Vizinhança é outra produção que concorre ao Oscar neste ano, mas apenas na categoria Melhor Ator Coadjuvante. Ainda assim, a indicação tem peso, pois é a primeira de Tom Hanks depois de 19 anos longe da premiação — em 2001 ele foi indicada a Melhor Ator por Náufrago. Aqui, ele interpreta um famoso apresentador de TV objeto de estudo de um jornalista cínico para uma matéria. Devido ao tempo que passam juntos, o jornalista muda e passa a enxergar não só o seu entrevistado como também o mundo de maneira diferente. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Para fechar a rodada de indicações do que você pode assistir no cinema neste fim de semana: A Possessão de Mary. O filme não é lá uma obra prima do terror — na verdade ele é bem trash —, mas vale o ingresso se você estiver buscando um filme apenas para se desligar um pouco da realidade e levar alguns sustos. Se você tiver medo de barcos e de alto mar, então, prepare-se! Além desses filmes, você confere a seguir a lista completa de lançamentos da semana no cinema. Cada filme vem acompanhado de trailer e sinopse, que é para ajudar você a decidir o que vai assistir no fim de semana. Dê uma olhada, escolha o que mais lhe agrada e separe um dinheirinho para a boa e velha pipoca. 1917   Os cabos Schofield (George MacKay) e Blake (Dean-Charles Chapman) são jovens soldados britânicos durante a Primeira Guerra Mundial encarregados de uma missão aparentemente impossível. Eles terão de atravessar o território inimigo, lutando contra o tempo, para entregar uma mensagem que pode salvar mais de 1.300 colegas de batalhão. Antologida da Cidade Fantasma   Em uma pequena e distante cidade do interior do Canadá, um homem morre em um acidente automobilístico sob circunstâncias misteriosas. Enquanto os poucos habitantes do local permanecem relutantes em debater as possíveis causas da tragédia, a família do falecido e o prefeito Smallwood começam a perceber estranhos e atípicos eventos que mudam suas concepções de realidade. Um Espião Animal   O superespião Lance Sterling (Will Smith) e o cientista Walter Beckett (Tom Holland) são completamente opostos. Lance é sofisticado, elegante e atraente. E Walter... não. Mas a habilidade social que falta em Walter é compensada por sua esperteza e uma fantástica capacidade de inventar, o que o permite criar apetrechos incríveis para Lance usar em suas missões épicas. Mas quando algo inusitado acontece, Walter e Lance terão que confiar um no outro de um jeito completamente diferente. E se essa dupla estranha não conseguir trabalhar como um time, o mundo todo estará em perigo. O Melhor Verão de Nossas Vidas   Três melhores amigas são chamadas para participar da final de um famoso festival de música. Porém, elas descobrem que estão de recuperação na escola e têm de arranjar uma maneira de comparecer ao festival no Guarujá sem que seus pais saibam. A Divisão   Rio de Janeiro, anos 90. Uma onda de sequestros assola a cidade maravilhosa, forçando o secretário de segurança e o chefe da polícia a encarregarem três policiais corruptos de tirar a cidade dessa situação. Também está nas mãos da Delegacia Antissequestro entrar em ação para enfrentar o repetitivo número de casos envolvendo sequestros e mudar o cenário da cidade. Um Lindo Dia na Vizinhança   Indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante, Tom Hanks interpreta Fred Rogers nesta cinebiografia que conta a história do criador do Mister Rogers' Neighborhood, um programa infantil de TV muito popular nos Estados Unidos nos anos 60. Em 1998, Tom Junod (Matthew Rhys), até então um cínico jornalista investigativo, aceitou escrever o perfil de Rogers para a revista Esquire. Durante as entrevistas para a matéria, Junod mudou não só sua visão em relação ao seu entrevistado como também sua visão de mundo, iniciando uma inspiradora amizade com o apresentador. O Filme do Bruno Aleixo   Bruno Aleixo é alguma coisa entre um cachorro e um urso de pelúcia. O personagem de animação português que ganhou fama por uma websérie de comédia chamada Os Conselhos que Vos Deixo ganha seu primeiro filme próprio. Na obra cômica, ao decidir criar a próprio autobiografia, Bruno procura inspiração entre amigos para escrever o texto. A Possessão de Mary   David (Gary Oldman) é um capitão de colarinho azul que luta para melhorar a vida de sua família. Estranhamente atraído por um navio abandonado que está em leilão, ele impulsivamente compra o barco acreditando que será o bilhete de sua família para a felicidade e prosperidade. Porém, logo depois de deles embarcarem em sua jornada inaugural, eventos estranhos e assustadores começam a aterrorizar David e sua família, fazendo com que se voltem um contra o outro e duvidem de sua própria sanidade. Adoniran – Meu Nome é João Rubinato   Adoniran Barbosa, autor de sucessos como Trem das Onze e Saudosa Maloca, carrega o título de maior sambista paulista de todos os tempos. A cidade de São Paulo era a principal personagem de suas canções e radionovelas. Este documentário biográfico, usando imagens de arquivos raras e nunca antes vistas, mostra o compositor e cantor falecido em 1982 para o público mais uma vez. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Veja Mais

Tinder terá “botão do pânico” para proteger usuários

Tinder terá “botão do pânico” para proteger usuários

canaltech O Tinder anunciou o desenvolvimento de um “botão do pânico” como forma de dar mais proteção aos usuários do aplicativo. A ideia do recurso é permitir que um alarme silencioso seja ativado pelo utilizador em caso de problemas, com a oferta de auxílio por telefone e até o envio da polícia até a localização do aparelho em determinadas circunstâncias, de acordo com os dados geográficos da conta. O auxílio acontece em etapas e funciona em parceria com a Noonlight, uma empresa especializada nesse tipo de solução. Caso o “botão do pânico” seja ativado, o usuário terá alguns instantes para inserir um código de segurança — uma medida que evita, por exemplo, uma ativação acidental ou por engano. Do contrário, entram em ação os protocolos que envolvem, inicialmente, uma mensagem de texto. A ideia é que a oferta de ajuda vá escalando, enquanto o sumiço do usuário indicaria uma situação perigosa em andamento. Caso ele não responda à comunicação, por exemplo, um representante da Noonlight entra em contato pelo telefone e, caso a chamada não seja atendida, entrará em contato com as autoridades informando a localização do celular, para que a polícia possa ir até o local averiguar o que está acontecendo. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- É um funcionamento semelhante ao das empresas de alarme residencial, que tentam verificar possíveis ativações acidentais ou equivocadas da mesma maneira. Aqueles que utilizarem o sistema também terão um ícone exibido em seus perfis, uma medida que, se espera, poderá servir também para impedir que indivíduos mal-intencionados entrem em contato com usuários dessa categoria. Para que o recurso de segurança funcione, entretanto, os usuários precisarão compartilhar seus dados em tempo real com o Tinder, um recurso que pode, por exemplo, ser ativado apenas durante os encontros. De acordo com a Match, que é a dona do app, as informações somente serão acessadas em caso de ativação e jamais serão utilizadas ou armazenadas para fins de publicidade ou compartilhamento. Mais de 70 mil fotos de usuárias do Tinder caem em fórum de cibercriminosos A parceria com a Noonlight vai além de, simplesmente, uma união de tecnologias em prol da segurança. De acordo com a empresa, a Match também adquiriu recentemente uma parcela da companhia de localização, em um movimento que tem o “botão do pânico” como primeiro reflexo, mas pode levar a mais utilizações do sistema de rastreamento em outros recursos do Tinder ou soluções da companhia. O grande público-alvo, claro, são as mulheres e a comunidade LGBTQ, que vêm recebendo grande atenção do Tinder nos últimos meses. No ano passado, por exemplo, o aplicativo recebeu um sistema de alertas que avisa os usuários quando eles estiverem utilizando a solução em países que discriminam homossexuais, além de um sistema de restrição que permite apenas que elas iniciem as conversas com os matches, uma configuração que vem desativada por padrão mas pode ser aplicada a nível universal. Os testes do novo recurso de segurança devem começar no final deste mês nos Estados Unidos, abrangendo um grupo de usuários gratuitos do Tinder. A ideia é que a novidade, quando lançada, permaneça disponível a todos, com a disponibilidade acontecendo também em outros aplicativos do grupo Match e também internacionalmente, de acordo com parcerias regionais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Os 5 melhores filmes de investigação para ver na Netflix Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Amazon Music conquista a marca de 55 milhões de usuários gratuitos e pagos

Amazon Music conquista a marca de 55 milhões de usuários gratuitos e pagos

canaltech A Amazon Music acaba de anunciar uma nova conquista: mais de 55 milhões de usuários. Concorrendo de frente com o Spotify e a Apple Music, os números ainda não alcançaram os rivais, mas significam um grande salto no mercado. Comparando os três serviços, o Spotify está na frente disparado, com quase 250 milhões de usuários em todo o mundo, sendo 113 milhões deles pagantes. Enquanto isso, o Apple Music comemora seus mais de 60 milhões de usuários pagantes e totais, visto que não há uma versão gratuita do app. A corrida entre a Amazon Music e o Apple Music, então, está a cada vez mais acirrada. Imagem: Reprodução Steve Boom, chefe do Amazon Music, disse em nota que a companhia não fala muito sobre números, mas essa conquista chegou em um nível de escala de algo que merece ser mencionado. Segundo a empresa, o crescimento do serviço desde o seu lançamento até 2019 foi de mais de 50% ao ano. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- O serviço de streaming de música da Amazon foi lançado em 2016 e, aqui no Brasil, custa o valor mensal de R$ 16,90. Mas a trajetória da empresa com a música surgiu ainda em 1990, vendendo CDs e, futuramente, downloads em MP3. O serviço é dividido em Prime Music, que oferece mais de duas milhões de músicas para os já assinantes do Amazon Prime, e em Amazon Music Unlimited, que possui uma biblioteca de mais de 50 milhões de títulos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja Mais

Polícia Civil detém 7 suspeitos de furtar patinetes da Grin e da Yellow

Polícia Civil detém 7 suspeitos de furtar patinetes da Grin e da Yellow

canaltech Sete pessoas foram detidas nesta quarta-feira (22) por suspeita de formação de quadrilha para furto de patinetes da Yellow e da Grin. A Polícia Civil cumpriu oito mandados de busca e recuperou seis veículos nas casas de atuais e ex-colaboradores de ambas as empresas. A operação aconteceu após uma investigação interna da própria Grow, companhia que detém as marcas Yellow e Grin. A holding estava buscando um esquema de furto de patinetes depois que um ex-colaborador foi preso duas vezes em flagrante com veículos das marcas. Ao questionar funcionários e colaboradores, a companhia teve o relato do esquema. As pessoas pegavam o patinete e retiravam o aparelho de geolocalização deles para levar para casa. Em seguida, tiravam toda indicação das marcas, para não serem identificados. Junto disso, também roubavam carregadores e outros dispositivos de localização dos galpões das empresas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Depois disso, os patinetes eram colocados à venda na internet, principalmente no Facebook Marketplace. Após a descoberta do esquema, a Grow derrubou todos os anúncios na rede social. Em comunicado ao UOL, a empresa disse que está colaborando com as autoridades. "A Grow informa que o 50ª DP, do Itaim Paulista, instaurou inquérito para investigar a suspeita de furto de patinetes em São Paulo. Esse inquérito corre em sigilo e foi aberto com base em informações colhidas pela empresa em sindicância interna e repassadas às autoridades policiais". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (21/01/2020) Veja Mais

Rumor | Capitã Marvel 2 deve chegar em 2022 com roteirista da série Wandavision

Rumor | Capitã Marvel 2 deve chegar em 2022 com roteirista da série Wandavision

canaltech O Marvel Studios deve lançar o segundo filme da Capitã Marvel em algum momento em 2022. A informação vem do site Hollywood Reporter, que, citando uma de suas fontes, alega que a Disney (proprietária da Marvel) está perto de fechar um contrato para que a roteirista Megan McDonnell, atualmente trabalhando no roteiro da série Wandavision para o serviço de streaming Disney+, desenvolva o script do segundo filme. Segundo o site, Brie Larson voltará a protagonizar Carol Danvers, a Capitã Marvel, efetivamente ambientando o novo filme no tempo presente e abandonando o período da década de 1990, onde o primeiro longa-metragem se posicionou. Mais além, a Disney estaria em busca de uma “diretora experiente” para chefiar toda a produção. Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! Oficialmente, a Disney não comentou as informações veiculadas pelo Hollywood Reporter, porém, durante a San Diego Comic Con, em 2019, o presidente do Marvel Studios confirmou que Capitã Marvel 2 seria feito em algum momento, sem detalhar sua afirmação. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O primeiro filme — Capitã Marvel — estreou em março de 2019, protagonizado por Brie Larson, que interpretou a heroína titular, e Samuel L. Jackson, que novamente deu vida ao agente Nick Fury. Dentro da cronologia oficial do universo cinematográfico da Marvel, o filme é o segundo, ambientado após Capitão América: O Primeiro Vingador, antes de todos os outros. Capitã Marvel foi o sétimo filme da empresa a ultrapassar a marca de US$ 1 bilhão em bilheteria global. Crítica | Capitã Marvel: para que ninguém sofra como Nannerl No filme, Larson dá vida a Carol Danvers, uma ex-piloto da Força Aérea americana que se vê envolvida no conflito bélico entre duas raças alienígenas — os Krees e os Skrulls —, quando uma explosão de um maquinário interplanetário lhe concede poderes cósmicos de grande magnitude, efetivamente tornando-a uma das personagens mais poderosas do universo Marvel. Além de seu próprio filme, Danvers também teve participação importante em Vingadores: Ultimato. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (21/01/2020) Veja Mais

Twitter adiciona reações com emojis às mensagens diretas

Twitter adiciona reações com emojis às mensagens diretas

canaltech O Twitter está adicionando às mensagens diretas respostas em emoji. Agora, os usuários da rede social podem classificar uma mensagem com figurinhas, como já acontece no Facebook Messenger. A notícia veio do próprio Twitter em publicação explicando sobre a funcionalidade já disponível para usuários no Android, iOS e desktop. Para vincular um emoji a uma mensagem, é preciso tocar no ícone de + com um coração ao lado do texto. Também é possível apenas tocar duas vezes na mensagem para que a lista de emojis apareça. Say more with new emoji reactions for Direct Messages! To add a reaction, click the ❤️➕ icon that appears when you hover over the message on web or double tap the message on mobile and select an emoji from the pop-up.For more about DM reactions: https://t.co/sdMumGDBYl https://t.co/QxMVmGt8eY -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- — Twitter Support (@TwitterSupport) January 22, 2020 “Quem usar uma versão antiga do Twitter no Android ou iOS vai receber uma versão de texto do emoji”, avisa a companhia. Até o momento, as opções de figurinhas são poucas, com apenas sete reações. Contudo, o Twitter promete que vai aumentar esse número. Quando uma pessoa adiciona um emoji ao texto, o destinatário é notificado sobre isso. Novo ícone com coração indica reação com emoji (Foto: Wagner Wakka/Canaltech) O Canaltech testou a novidade e confirmou que ela já está disponível para usuários brasileiros. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Veja Mais

Terry Jones, um dos fundadores do grupo Monty Python, morre aos 77 anos

Terry Jones, um dos fundadores do grupo Monty Python, morre aos 77 anos

canaltech Uma das maiories personalidades do humor britânico e cofundador do grupo de comédia Monty Python, Terry Jones faleceu nesta terça-feira (21) aos 77 anos após uma intensa luta contra a demência, que começou em 2016. Junto aos integrantes do Monty Python, Jones se tornou famoso na década de 1970, quando dirigiu dois dos filmes de maior sucesso do grupo britânico: Monty Python em busca do Cálice Sagrado e A Vida de Brian. As produções levantaram um sem-fim de polêmicas com seu humor libertador e sem medo de sátiras políticas ou religiosas. Eterno integrante do grupo Monty Python falece aos 77 anos (Foto: Kristina Bumphrey/ StarPix/REX/ Shutterstock) Em A vida de Brian, Jones interpretava Mandy Cohen, mãe do personagem Brian, e pronunciava uma de suas falas mais icônicas, diante de uma multidão, com uma voz estridente: "Ele não é o Messias, é um garoto muito travesso!". Isso porque no filme em uma série de eventos cômicos, a população foi levada a confundir Brian com o Messias. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Em tom de sátira, Brian então proferia discursos insensatos e, para sua surpresa, arrebanhou uma multidão fanática que o seguia por toda parte. O paralelo proposital com várias situações bíblicas fez com que o filme fosse considerado uma blasfêmia por muitos fiéis. Just heard about Terry JIt feels strange that a man of so many talents and such endless enthusiasm, should have faded so gently away...Of his many achievements, for me the greatest gift he gave us all was his direction of 'Life of Brian'. PerfectionTwo down, four to go — John Cleese (@JohnCleese) 22 de janeiro de 2020 Em post no Twitter, um dos seus grandes companheiros na comédia, integrante do grupo, John Cleese, escreve: "de suas muitas realizações, para mim o maior presente que ele nos deu foi a direção de 'Life of Brian'. Perfeição". Recentemente, o filme vinha repercutindo novamente por causa do especial de natal do Porta dos Fundos, A Primeira Tentação de Cristo, que parece ter se inspirado na obra de Jones e do grupo Monty Python. Em comum, os dois foram considerados um grande sacrílego durante o lançamento. Terry Jones também escreveu o roteiro do clássico cult, de 1986, Labirinto - A Magia do Tempo, estrelado pelo cantor David Bowie. História Nascido na cidade de Colwyn Bay, na costa norte do País de Gales, a carreira de ator de Jones começou na época em que estudava na Universidade de Oxford. À frente do Monty Phiton, Jones era o principal escritor e diretor da trupe, deixando Palin, John Cleese, Eric Idle e Graham Chapman assumirem a maioria dos papéis principais em seus filmes. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Mais recentemente, Jones coescreveu a comédia de ficção científica, de 2015, Absolutamente Impossível, protagonizado por Simon Pegg e os demais membros de Monty Python. Mesmo tendo recebido críticas negativas, os fãs se deliciaram em ver os Pythons reunidos novamente. O filme ainda contava com a voz de Robin Williams. Jones deixa sua esposa Anna Soderstrom e sua filha Siri, além de dois filhos de sua primeira esposa, Sally e Bill Jones. Quem quiser rever ou mesmo conhecer os filmes de Jones, que são clássicos da comédia britânica, podem conferir na Netflix, onde alguns títulos estão disponíveis. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais

Melhores aplicativos para carro que ajudam motoristas

Melhores aplicativos para carro que ajudam motoristas

canaltech Com tantos aplicativos que são úteis para realizar as mais variadas tarefas, é claro que os usuários de carros não iriam ficar de fora, principalmente devido ao stress que o trânsito e outros fatores relacionados à direção podem causar. As ferramentas auxiliam em funções como calcular gastos, desviar do trânsito e contratar serviços indispensáveis para uma boa direção. Os melhores aplicativos para você saber quanto está gastando de combustível Melhores aplicativos para carro Waze (Android | iOS) Esse é, provavelmente, um dos aplicativos para carro mais popular atualmente. Com navegação via GPS, ele encontra possíveis pontos de interesse do usuário, calcula o caminho mais rápido, mostra rotas livres de trânsito e também as velocidades permitidas em cada estrada. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- O Waze é interativo e permite que cada usuário avise aos outros sobre acidentes, buracos e até a presença de policiais nas rodovias, bem como alterações e desvios em ruas e avenidas. Waze, um dos aplicativos para carro mais baixados atualmente (Captura de tela: Ariane Velasco) Google Maps (Android) Quem nunca usou o Google Maps para andar de transporte público ou com seu carro? O aplicativo informa sobre o trânsito, calcula o tempo estimado de sua viagem, traça as rotas mais curtas, locais que o usuário possa querer visitar e, ainda por cima, também conta com a ferramenta Street View (visão da rua). Se o seu smartphone é Android, provavelmente ele já veio de fábrica com o aplicativo instalado. Google Maps, um dos melhores aplicativos para carro com mapas (Captura de tela: Ariane Velasco) Drive Awake (iOS) Esse aplicativo para carro é simplesmente genial: ele detecta quando o motorista está prestes a dormir! Se você costuma percorrer longas distâncias e se sente cansado durante suas viagens com frequência, ele pode ser uma ferramenta muito útil. Você provavelmente está se perguntando como o aplicativo pode saber que você está caindo no sono. Isso é bem simples: ele consegue, através da câmera do smartphone, detectar os olhos do motorista e, caso eles estejam se fechando, um alarme sonoro é ativado. Drive Awake, aplicativo que mantém o motorista acordado (Captura de tela: Ariane Velasco) Econoflex (Android) Se você precisa de um aplicativo para carro que ajude a economizar gasolina, com certeza o Econoflex pode ajudar: ele calcula os preços em todos os postos nas redondezas e alerta o motorista sobre qual tipo de combustível vale mais a pena com base no consumo do veículo e nos valores. Econoflex, aplicativo para carro que alerta sobre qual combustível usar (Captura de tela: Ariane Velasco) Confira aplicativos que te ajudam a escapar do trânsito Fuelio (Android) O Fuelio é um aplicativo para gerenciar seu carro que permite registrar todos os veículos usados e controlar dados como gasto com combustível, quilometragem, valor do etanol ou gasolina e quantos litros o carro consome. O app também calcula despesas com manutenção. Fuelio, aplicativo para carro que administra despesas com manutenção (Captura de tela: Ariane Velasco) SOS Chuva (Android | iOS) O SOS Chuva é exclusivo para motoristas de São Paulo e permite ao motorista visualizar todas as regiões do país (e do resto da América Latina) que estão com chuvas intensas. Desenvolvido pelo CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a ferramenta ainda não conta com todos os radares para monitorar as fortes chuvas, mas está buscando por melhorias. SOS Chuva, app para saber quando vai chover (Captura de tela: Ariane Velasco) Como "sobreviver" a uma viagem usando apenas um smartphone e os apps certos GetNinjas (Android | iOS) O GetNinjas é um aplicativo especializado em contratação de serviços que permite a divulgação de profissionais em diversos ramos, entre eles o da mecânica. Se o seu carro quebrou e precisa de um reparo urgente, basta fazer seu cadastro no app para garantir que um mecânico realize um orçamento para você. Assim como nas demais plataformas de serviço, os profissionais são devidamente avaliados, o que permite confiar em seu trabalho. GetNinjas, app de contratação de serviços (Captura de tela: Ariane Velasco) Easy Carros Esse último não é bem um aplicativo, mas sim um site que tem como foco a limpeza de seu carro. Para usá-lo, basta realizar seu cadastro, informar o modelo de seu carro e escolher um dos serviços de lavagem oferecidos. O app atende diversas regiões do país. Easy Carros (Captura de tela: Ariane Velasco) Curtiu as sugestões de aplicativos para seu carro? Já baixou algum deles? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Não, James Corden não dirige de verdade no quadro Carpool Karaoke É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen China libera mais fotos do lado afastado da Lua, tiradas pela missão Chang'e 4 Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Veja Mais

Consumo de cannabis pode trazer riscos para pessoas com problemas de coração

Consumo de cannabis pode trazer riscos para pessoas com problemas de coração

canaltech Só nos Estados Unidos, mais de 2 milhões de americanos com problemas cardíacos relatam usar cannabis, mas ainda há muitas perguntas sobre os efeitos da droga, inclusive no coração, de acordo com estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology. Vale lembrar que em alguns estados americanos o uso recreativo da cannabis é legal, diferentemente do Brasil. O que se descobriu, no entanto, é que a planta pode interagir negativamente com medicamentos cardíacos comuns, incluindo estatinas e anticoagulantes, o que, potencialmente, colocaria os pacientes em risco. Anvisa liberou a maconha? Quais as ligações entre cannabis, ciência e Brasil? Maconha e saúde: entenda por que fumar é diferente de usar remédios O uso de maconha combinado com a estatina, por exemplo, pode mudar a maneira como esses medicamentos funcionam no corpo humano, explica o principal autor do estudo, Dr. Muthiah Vaduganathan, que é cardiologista do Brigham and Women's Hospital, em Boston, nos Estados Unidos. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Isso ocorre porque as mesmas enzimas hepáticas, que decompõem estatinas ou anticoagulantes, também quebram os compostos da maconha. O uso simultâneo desses medicamentos com a maconha pode alterar a eficácia ou mesmo a potência do tratamento. Em determinadas circunstâncias, a cannabis pode aumentar os níveis de anticoagulantes do sangue no corpo, o que aumenta as chances de um sangramento excessivo, de acordo com o estudo. Foi descoberto que as pessoas que usam derivados da maconha enquanto tomam os anticoagulantes podem ser obrigadas a reduzir sua dose em até 30% da quantidade originalmente prescrita. Já com os medicamentos com estatina, o uso combinado com cannabis pode aumentar a potência de seus efeitos, o que levaria, em casos extremos, a quedas bruscas na pressão sanguínea do paciente. Consumo de cannabis pode trazer risco para pacientes com problemas cardiovasculares (Foto: Reprodução/ Revista NutriOnline) Medidas de segurança Se pessoas que tomam medicamentos para o controle do coração utilizarem maconha, é importante que informem ao seu médico para que as doses possam ser ajustadas, caso necessário, evitando transtornos futuros. "O primeiro passo é ter uma discussão aberta com os médicos, porque [esse consumo combinado] influencia algumas partes de seus cuidados", explica Vaduganathan. Com base nas evidências disponíveis, os pacientes de maior risco — como pessoas que tiveram recentemente um ataque cardíaco ou foram hospitalizadas em decorrência de um problema cardíaco — devem ser aconselhadas a não usar maconha ou limitarem seu uso, defende o cardiologista. Além disso, pode haver risco até mesmo para os usuários que não tomam medicamentos para o coração. Nesses casos, é aconselhado que prestem atenção se o coração está batendo mais rápido. "Sempre preste muita atenção da maneira como a maconha afeta os batimentos cardíacos", salienta o pesquisador. Para Sergio Fazio, professor de medicina cardiovascular da Oregon Health & Science University, "palpitações — quando o coração dispara, bate ou pula uma batida — são um efeito colateral comum da maconha e podem ser perigosas para alguém com uma condição existente". Não envolvido na pesquisa, Fazio também alerta que "se, às vezes, você sente seu coração batendo forte, esses são sinais de que você não deve ingerir maconha." Já Carl Lavie, diretor da Clínica Ochsner, em Nova Orleans, explica que o THC, o principal ingrediente psicoativo da cannabis, pode formar coágulos no sangue, aumentando o risco de uma pessoa sofrer um derrame e até mesmo um ataque cardíaco. É possível que a maconha nem sempre seja ruim para o coração. O uso de maconha medicinal conforme prescrito pode reduzir os níveis de estresse, por exemplo, segundo os pesquisadores. "Sempre que alguém diz que conseguiu dormir oito horas em paz porque usava um pouco de maconha, sua saúde cardiovascular provavelmente será melhor com o uso de maconha", explica Fazio. "Quando você passa para o uso puramente recreativo, é aí que os riscos associados a problemas cardíacos potencialmente superam os benefícios", continua o especialista. Psicoativo da maconha pode acelerar o crescimento de tumores, aponta estudo Crise dos Vapes | Reino Unido defende uso seguro e não cria estado de alerta Diferentes formas de uso A forma como os usuários consomem a cannabis também desempenha um papel importante na escala de risco para pessoas com problemas cardíacos. Embora a droga afete todo o sistema cardiovascular, independentemente de como é ingerida, Fazio aponta que, na forma comestível, a ingestão é mais segura. Isso porque o fumo apresenta muitos dos mesmos riscos que a inalação de tabaco, além dos já associados ao consumo. Já quando consumida como essências em cigarros eletrônicos, como demonstrado pelo surto norte-americano, apresenta uma série de agravantes mais complexos. A vaporização direta da erva é menos nociva que o uso de essências, por redução de danos advinda da queima e dos compostos químicos associados. Ainda assim, a forma comestível traz riscos. Nesses casos, estão ligados à dosagem, já que é muito fácil ingerir uma dose maior de cannabis, quando consumida misturada a outros alimento. "O problema é saber a pureza e a dose, e isso é extremamente variável entre os diferentes produtos", comenta Lavie. "Uma dose baixa de THC puro é mais segura do que uma dose alta de THC que possui muitos contaminantes ruins", esclarece o diretor da Clínica Ochsner. "Não sei se as pessoas estão sempre conscientes do que exatamente estão recebendo", conclui Lavie sobre as inseguranças quanto a origem e armazenamento desses produtos. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01) Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus Veja Mais

É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen

É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen

canaltech A Motorola gostou de lançar vários modelos diferentes em 2019 e, ao que tudo indica, a estratégia funcionou muito bem e vai ser repetida agora em 2020. Já existem vários dispositivos da empresa em processo de certificação na Anatel - pelo menos cinco, de acordo com nossas contagens - e pouca informação concreta sobre eles. Motorola marca lançamento do dobrável Razr para 6 de fevereiro Eis que o famoso leaker Evan Blass surge em plena madrugada de sábado (25) com a renderização de mais um misterioso smartphone da marca. O mais interessante na imagem talvez seja a presença da caneta, tipo uma S Pen, tão amada pelos fãs da linha Galaxy Note. E que a LG tentou introduzir em alguns modelos intermediários em 2018 - mas parece não ter dado muito certo, pois não repetiu a dose ano passado. Considerando que a linha Motorola One tem a proposta de sempre introduzir uma novidade em dispositivos da marca, não seria absurdo supor que este seja o caso do modelo da imagem. Blass não trouxe muita informação sobre o aparelho, dizendo apenas que não se lembra de ter visto um Motorola com caneta “desde a era do Windows Mobile” e que “seria irresponsável dizer que este é o Motorola Edge+”. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Motorola com caneta Stylus é vazado / Imagem: Evan Blass Seria interessante ver um modelo não tão caro quanto um Galaxy Note oferecer uma caneta, mas é uma incógnita se esse recurso chamaria atenção do consumidor. Bom lembrar, ainda, que a própria Samsung já tem o Note 10 Lite, um modelo teoricamente de baixo custo da linha, mas ainda fica acima dos US$ 650 lá fora. Haverá espaço para um smartphone com caneta mais barato? A Motorola já enviou convites à imprensa para um evento a ser realizado em Barcelona um dia antes da MWC, e cogita-se que o Motorola Edge+ poderia ser apresentado na data. Não podemos descartar que outros modelos também sejam revelados. E aí, ansioso para conhecer o Motorola com canetinha? Conta pra gente nos comentários abaixo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01) Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil Veja Mais

Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil

Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil

canaltech A Samsung anunciou que todas as unidades do Galaxy Fold destinadas à venda no Brasil se esgotaram nas primeiras 24 horas de venda do aparelho por aqui. A marca foi obtida entre a noite de quarta-feira (22) e quinta (23), com a comercialização do modelo acontecendo apenas pelo site oficial da marca, onde ele saía por nada amigáveis R$ 12.999. A marca, entretanto, não informou o total de unidades vendidas no Brasil. Por aqui, a empresa adotou um modelo de flash sale, com o dispositivo sendo vendido apenas nestas 24 horas iniciais e em uma única versão, de cor preta e com 512 GB de memória interna. O restante das especificações, por outro lado, é semelhante ao das versões internacionais, com tela dobrável de 7,3 polegadas e display externo de 4,6 polegadas.   Outras configurações incluem um trio de câmeras na parte traseira e uma dupla na parte da frente, bem como o processador Snapdragon 855, da Qualcomm, e o sistema operacional Android 9. Tornando-se o smartphone mais caro do Brasil, o Fold acompanhava um par de fones de ouvido Galaxy Buds e serviço de atendimento personalizado 24 horas ou prioridade na assistência técnica, podendo ser adquirido também em 12 parcelas sem juros. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Por mais que a Samsung não goste de falar em números específicos, ela comentou as vendas do Galaxy Fold recentemente, durante a CES 2020. Segundo o CEO da empresa, Koh Dong-Jin, o smartphone já teve de 400 mil a 500 mil unidades comercializadas em todo o mundo desde setembro de 2019, quando foi disponibilizado em lojas dos Estados Unidos, Ásia e Europa. Originalmente, a fabricante falava em uma expectativa de um milhão de celulares vendidos, mas não voltou a comentar o assunto. Considere você esse total baixo ou alto, levando em conta os números totais de smartphones de topo de linha ou apenas o nicho dos dobráveis, a verdade é que o total coloca o Fold à frente de outros modelos da mesma faixa, incluindo seu principal rival, o Huawei Mate X. O smartphone da marca chinesa teria fechado 2019 com cerca de 200 mil unidades vendidas, mas é importante frisar que ele chegou às lojas em novembro, dois meses depois do dispositivo da Samsung, e somente na China. Ainda por cima, ele é US$ 400 dólares mais caro que o concorrente. Por enquanto, não existe previsão de chegada de um novo lote do Galaxy Fold ao Brasil, nem informações sobre uma nova abertura de vendas. Em comunicado oficial, a Samsung comemorou o sucesso no país, agradecendo aos clientes e celebrando a chegada de uma nova categoria de dispositivos móveis. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

Uber é autorizada a operar com patinetes em São Paulo

Uber é autorizada a operar com patinetes em São Paulo

canaltech Se você andou pelas ruas de São Paulo, é muito provável que já tenha visto alguém circulando em cima de um daqueles famigerados patinetes elétricos. E apesar de ser um mercado realmente turbulento, como podemos ver com a reestruturação da Grow e o encerramento das operações da Lime, grandes empresas do ramo, uma companhia está prontíssima para encarar esse nicho: a Uber. Faz pouco mais de um mês que a empresa começou o negócio de patinetes elétricos no país. O início foi em Santos, no litoral paulista, mas a ideia agora é levar os serviços para a capital. E foi justamente nesta sexta (24) que a companhia de mobilidade urbana conquistou a autorização da Prefeitura de São Paulo para operar na cidade em questão. Uber já está autorizada a operar em São Paulo com seus patinetes elétricos As informações são do Diário Oficial, responsável por publicar a autorização definitiva. Com a novidade, a Uber deve oferecer, muito em breve, o aluguel dos patinetes na capital paulista. O preço é de R$ 1,50 para desbloquear o "veículo" mais R$ 0,75 por minuto de uso. Não é necessário baixar nenhum outro aplicativo, bastando usar a mesma conta utilizada para pedir corridas em carros e também entregas no EATS. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A empresa preparou uma série de materiais educativos para os usuários de Santos, relembrando regras de trânsito e dicas para dirigir os patinetes com segurança. O conteúdo está disponível no site da Uber, no próprio aplicativo e será distribuído em panfletos na área de operação, que vai da Ponta da Praia até o Emissário. Uber aposta em patinetes elétricos no Brasil Em dezembro, Ruddy Wang, diretor de Novas Modalidades da Uber no Brasil, afirmou o seguinte: "Estamos muito empolgados em trazer os patinetes elétricos da Uber para o Brasil começando por Santos, uma cidade sempre aberta à inovação e que tem uma boa infraestrutura cicloviária. Com esse novo serviço, queremos continuar ajudando as pessoas a se deslocar sem ter que depender de um carro particular, contribuindo para redução dos congestionamentos e da poluição urbana". Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus

Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus

canaltech Diante do crescente número de infecções respiratórias na China, ocasionadas pelo novo coronavírus, o Ministério da Saúde instalou, esta semana, o Centro de Operações de Emergência (COE) - novo coronavírus. A medida vem com a notificação do segundo caso da infecção nos Estados Unidos e de pelo menos 26 mortes, segundo as autoridades de saúde chinesas. O comitê brasileiro deve preparar a rede pública de saúde, o SUS, para atendimento de possíveis casos do vírus, chamado provisoriamente de 2019-nCoV. Até o momento, não foi detectado nenhum caso suspeito no país, embora tenha ocorrido um falso alerta no Estado de Minas Gerais. Como medidas preventivas, o Ministério da Saúde tem monitorado diariamente a evolução dos casos em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso porque a instituição de nível global acompanha a evolução do vírus desde as primeiras notificações na cidade de Wuhan, na China. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Autoridades da saúde brasileira começam a se preparar para possível chegada do coronavírus chinês (Foto: Eugene Hoshiko/AP Photo) Esclarecimentos Em coletiva de imprensa, o ministro da Saúde em exercício, João Gabbardo, destacou que a pasta continuará a atualizar a sociedade brasileira, de acordo com as informações da OMS. O pronunciamento acontecia enquanto o responsável oficial, Luiz Henrique Mandetta, estava em viagem, no Fórum de Davos, na Suíça.  “O Ministério da Saúde tem obrigação de esclarecer e não gerar pânico desnecessário na população e estamos trabalhando junto com as secretarias estaduais com essa finalidade. A nossa rede laboratorial está preparada para realizar os testes e fazer os diagnósticos", argumentou João Gabbardo. Além disso, foi explicado que o COE é composto por técnicos, especializados em saúde pública, vindos da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Instituto Evandro Chagas (IEC), entre outros.  Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas China confirma a transmissão entre humanos de vírus misterioso no país Direto da China, novo vírus misterioso infecta 60 pessoas e mata uma Características do coronavírus chinês De acordo com as informações do Ministério da Saúde, é considerado como "caso suspeito do novo coronavírus, paciente com sintomas da doença, como febre, tosse e dificuldade para respirar. Além disso, o paciente precisa ter viajado para área com transmissão ativa do vírus nos últimos 14 dias antes do início dos sintomas." Como até o momento só foram registrados casos de transmissão ativa do vírus na cidade de Wuhan, na China, o local é peça chave na definição de novos suspeitos. Caso surjam novos focos de disseminação do vírus, as áreas com risco de transmissão serão atualizadas e disponibilizadas no site do Ministério da Saúde. “É preciso esclarecer que a definição de casos é dinâmica, porque pode mudar a partir do contexto epidemiológico. No entanto, até o momento, não há nenhum caso suspeito do novo coronavírus no Brasil", explicou o secretário substituto de Vigilância em Saúde, Julio Croda, na coletiva de imprensa.  O boletim epidemiológico publicado pelo Ministério da Saúde também traz recomendações de vigilância nos portos, aeroportos e fronteiras de todo o Brasil. Inclusive, orientações para notificação imediata de casos suspeitos do novo coronavírus em áreas de entrada no país. O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de infecções respiratórias agudas, como: "evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas; realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente; evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações." Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Organização que defende liberdade de imprensa se posiciona sobre Glenn Greenwald NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja Mais

Mais uma: Uber coloca seus carros autônomos para mapear Washington

Mais uma: Uber coloca seus carros autônomos para mapear Washington

canaltech A Uber acomeçou a mapear a cidade de Washington D.C., nos Estados Unidos, para começar a testar os seus veículos autônomos por lá ainda neste ano. No início dos testes, somente três carros farão o mapeamento, todos com motorista real e dois funcionários treinados dentro, claro. Com a ajuda de um sensor com câmeras na parte superior do veículo, será feita a captura de dados que, então, serão usados para o desenvolvimento de mapas de alta definição, para simulação virtual da Uber e também para criar pistas para os testes. Além da Uber, a Ford também começou a testar o seu carro Argo A.I. em Washington D.C., desenvolvendo um sistema de direção virtual e mapas em alta definição para os seus veículos. O carro começou a tomar as ruas da cidade ainda em 2018. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Ford compra startup de AI para carros autônomos por US$ 1 bilhão Imagem: Reprodução A previsão da Uber é que os carros autônomos comecem a circular pela cidade até o final deste ano. A companhia ainda vem testando seus veículos em Dallas e São Francisco, nos Estados Unidos, e em Toronto, no Canadá. Uber é responsabilizada por atropelamento com carro autônomo, mas não sozinha Desde que a Uber começou a testar seus carros autônomos, já enfrentou casos graves de atropelamento, precisando lidar com o caso na justiça. Então, os testes da companhia estão apenas começando e ainda será preciso muito estudo para que o projeto fique pronto oficialmente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Testamos o WhatsApp GB | Afinal, é seguro ou é roubada? Veja Mais

Pixel 4, é você? Anota aí: Google I/O será em 12 de maio!

Pixel 4, é você? Anota aí: Google I/O será em 12 de maio!

canaltech O Google I/O já tem data para 2020! O evento voltado para desenvolvedores da empresa vai acontecer entre 12 e 14 de maio, conforme o anúncio oficial — que dessa vez veio por um game colaborativo com a comunidade. A sacada foi muito legal, aliás: o objetivo do jogo era fazer com que os usuários reorganizassem uma rede de satélites, a qual formou as palavras e números relativos à data do Google I/O. No lado esquerdo o início do jogo. À direita, o resultado da comunidade (Foto: Divulgação/Google) Depois disso, o próprio CEO da Google, Sundar Pichai, informou pelo Twitter que o evento seria no Shoreline Amphitheatre, próximo à sede da empresa em Mountain View. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Cosmos aligned. We'll be back at Shoreline Amphitheatre in Mountain View for this year's #GoogleIO on May 12-14! pic.twitter.com/3bZqriaoi1 — Sundar Pichai (@sundarpichai) January 24, 2020 Ainda não é possível saber o que o evento reserva. Contudo, nos últimos anos tem havido anúncios de produto na conferência voltada para desenvolvedores. Por exemplo, no ano passado, ela revelou o Pixel 3a e o 3A XL. Assim, a expectativa é de que a Google possa revelar a mesma versão mais em conta para a linha Pixel 4. O evento também geralmente é onde a companhia fala sobre novidades do Android. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor 10 melhores jogos com desconto na promoção de Ano Novo Lunar da Steam Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Quem lembra? Steve Jobs apresentava o primeiro Macintosh há 36 anos

Quem lembra? Steve Jobs apresentava o primeiro Macintosh há 36 anos

canaltech O dia era 24 de janeiro de 1984 e o mundo conhecia aquele que seria o embrião para o que hoje conhecemos como a monstruosidade de empresa que é a Apple. Foi nessa data, há 36 anos, que Steve Jobs trouxe à vida o primeiro Macintosh, em uma reunião com acionistas da Apple, em Cupertino, na Califórnia. Era um computador enorme, equipado com um processador Motorola 68000 de 8MHz, 128KB de RAM, uma unidade de disquete de 3,5 polegadas, além de um monitor preto e branco de 9 polegadas, um mouse, programa de processamento de textos e um kit gráfico, com peso total estimado em 7 kgs. O preço? Módicos US$ 2.495. Na época em que foi lançado, o Macintosh era visto como a última chance da Apple de superar o domínio da IBM no mercado de computadores pessoais e permanecer como uma importante empresa do setor — algo que, hoje, nem precisamos comentar, não é verdade? -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Imagem: Apple Patente mostra que Apple pode mudar de ideia e incluir touchscreen em MacBooks   Na apresentação, Jobs tirou o Macintosh de uma bolsa, o ligou e, assim que a tela começou a funcionar, o computador deu uma mensagem para todos os presentes: "Olá, eu sou o Macintosh. Com certeza é ótimo sair dessa bolsa" Não estou acostumado a falar em público, mas gostaria de compartilhar com você uma máxima que pensei na primeira vez em que conheci um mainframe da IBM: NUNCA CONFIE EM UM COMPUTADOR QUE VOCÊ NÃO PODE LEVAR! Obviamente, eu posso falar, mas agora eu gostaria de sentar e ouvir. Então, é com considerável orgulho que apresento um homem que tem sido como um pai para mim ... STEVE JOBS!" Apesar do alto preço da época, equivalente a US$ 6.000 com as correções monetárias de hoje, o Macintosh vendeu bem, com a Apple atingindo 70 mil unidades vendidas em maio de 1984. Além da inovação do produto, algo que certamente ajudou nas vendas foi o comercial no intervalo do Super Bowl, a grande final da liga de futebol americano, em 1984, dias antes do aparelho chegar às lojas.   Documentos mostram que novo MacBook Pro com Magic Keyboard deve chegar em breve Após o Macintosh, a Apple apresentou o Macintosh II, o Macintosh Classic, o PowerBook, o Power Macintosh, o iMac G3, o iBook e assim por diante, eventualmente levando à atual linha de Macs, que inclui o MacBook Air, MacBook Pro, MiMac‌ , iMac Pro, Mac mini e Mac Pro. Hoje, a Apple é uma das principais fabricantes de PCs do mundo, vendendo cerca de 18 milhões de Macs globalmente em 2019 e que continua, ano a ano, expandindo sua linha, como os recém lançados MacBooks Pro de 16 polegadas, que já estão sendo vendidos no Brasil, inclusive. MacBook Pro de 16 polegadas chega ao Brasil a um preço nada convidativo. Confira E aí, amigo leitor? Você lembra do lançamento do primeiro Macintosh? Chegou a ter um? Conte pra nós nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Mudança de layout do Google confunde usuários com anúncios

Mudança de layout do Google confunde usuários com anúncios

canaltech O Google começou a exibir os anúncios de maneira diferente nos últimos dias e isso tem afetado a experiência dos usuários. Para quem ainda não percebeu, ao acessar as pesquisas do site por meio do computador, agora você terá as propagandas com uma aparência semelhante aos resultados das pesquisas, uma iniciativa que pode soar obscura, mas que já está dando resultado para a gigante da tecnologia. Segundo dados coletados pelo Digiday, as pessoas já estão clicando mais nesses links de anúncios. A questão é que muitas pessoas - incluindo analistas - já estão reclamando. Alex Hern, do The Guardian, é um dos muitos comentaristas a apontar o problema, observando que agora não há quase nenhuma distinção visual entre anúncios e resultados de pesquisa. "Ainda existe, tecnicamente, uma rotulagem, mas é difícil escapar da conclusão de que é difícil identificar de relance onde os anúncios terminam", escreveu em seu Twitter. Até 2013, o mecanismo de pesquisa fornecia aos anúncios uma cor de plano de fundo totalmente diferente para distingui-los dos resultados de pesquisa orgânica. Mas mesmo depois disso, continuou a usar cores exclusivas que permitiam aos usuários ver rapidamente onde seus anúncios terminavam e os resultados orgânicos começavam. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Propagandas estão inseridas como se fossem os resultados das pesquisas/ Imagem: The Verge Por meio do seu blog, o Google explicou a mudança, dizendo que adicionar essas propagandas aos resultados de pesquisa orgânica significa que você vai dar mais importância às marcas que aparecem, uma vez que agora o design de como os resultados aparecem mudou. No passado, Sundeep Jain, um dos diretores da Google, justificava que a simplificação dos designs de anúncios da empresa facilitaria a digestão das informações pelos usuários. Ele acrescentou que a empresa estava tentando reduzir o número de cores diferentes usadas em uma página para trazer um pouco mais de "harmonia" ao layout. Mas será esse mesmo o motivo? Cliques em propagandas aumentaram Algumas agências alegam que desde que o Google passou a exibir as propagandas de modo diferenciado, o número de cliques em anúncios tem aumentado. A NordicClick coletou dados de quatro clientes diferentes, comparando as taxas de cliques (CTR) dos respectivos anúncios nos mecanismos de pesquisa nos dias 7 a 13 de janeiro com as de 14 a 20 de janeiro, após essas mudanças mais latentes. Para todos os quatro clientes (uma empresa local de assistência médica, uma empresa de comércio eletrônico e outras duas de ramo não revelado), as taxas de clique nos computadores aumentaram e variaram de 4% a 10,5%. Todos os clientes tiveram ligeiros declínios nas taxas de cliques em dispositivos móveis, que ainda estão nos padrões do ano passado — que também passaram a "privilegiar" os anúncios. Em maio passado, para três dessas quatro empresas, depois que o Google fez suas alterações na pesquisa para celular, as taxas de cliques aumentaram de 17% a 18% para duas empresas durante o período de 24 a 30 de maio em comparação com o período de 17 a 23 de maio. O Google é, fundamentalmente, um negócio de publicidade. No terceiro trimestre de 2019, a empresa-mãe, Alphabet, faturou quase US$ 34 bilhões com anúncios de uma receita total de US$ 40 bilhões. Portanto, o papo de que a empresa está pensando no bem-estar do usuário pode não ser bem verdade, não é mesmo? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Veja Mais

Netflix chama Felipe Neto para divulgar Sex Education e lança HQ educativa

Netflix chama Felipe Neto para divulgar Sex Education e lança HQ educativa

canaltech Quase uma semana depois do lançamento da segunda temporada de Sex Education, a Netflix convidou o youtuber Felipe Neto para divulgar a série e, de quebra, conscientizar os jovens sobre sexo. A plataforma de streaming publicou um vídeo nas suas redes sociais em que Felipe Neto aparece passeando por Moordale, a escola mostrada na série, e invadindo os alto-falantes indignado para contar que os adolescentes estão bem por fora quando o assunto é sexo. "Eu nunca vi tanto adolescente fazendo m**** junto", diz o youtuber, que ainda faz piada comparando o fato com os seus primeiros vídeos lançados ainda em 2010. "Fazendo vídeo burro achando que estava arrasando", completa. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Sex Education | Relembre os melhores momentos antes de maratonar a 2ª temporada Felipe Neto diz, então, que nem tudo está perdido e que ele encontrou uma HQ brasileira inspirada na série Sex Education, com conteúdo educativo sobre sexo. Ele ainda faz uma nova piada, dessa vez mencionando o caso em que ele comprou o lote inteiro de uma HQ proibida na Bienal do Livro por conter conteúdo LGBTQ+ e o distribuiu gratuitamente.   As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix A HQ citada por Felipe Neto no vídeo existe de fato, contando com sete capítulos, cada um com as cenas mais icônicas da segunda temporada da série. Acesse aqui a HQ Isso é Falta de Sex Education. Imagem: Reprodução Filmes, Séries, Músicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Capitã Marvel 2 pode ter Novos Vingadores, Invasão Secreta e volta do Demolidor

Capitã Marvel 2 pode ter Novos Vingadores, Invasão Secreta e volta do Demolidor

canaltech O Marvel Studios tem programação dos próximos filmes das Fases 4 e 5 do Universo Cinematográfico Marvel (MCU, na sigla em inglês) desde o final do ano passado e, agora, boatos quentes de bastidores indicam que Capitã Marvel 2 começou a ser desenvolvido. O longa promete ser muito importante, com a introdução dos Novos Vingadores, uma adaptação da saga Invasão Secreta, participação do Homem-Aranha e retorno do Demolidor e de Jessica Jones. Segundo o The Hollywood Reporter, a maior mudança acontece no roteiro. Em vez da trama noventista de Anna Boden e Ryan Fleck, a sequência do bilionário filme de Carol Danvers terá a mesma escritora da série WandaVision, Megan MacDonnell. A direção ainda não está confirmada, mas a previsão é de que seja lançado em 2022 e lidere o início da Fase 5 do MCU. Invasão Secreta mostra que alguns personagens da cronologia vigente na Marvel eram Skrulls(Imagem: Reprodução/Marvel Comics) Sem Capitão América, que ficou idoso; Homem de Ferro, morto; Thor no espaço, assim como os Guardiões da Galáxia; Viúva Negra morta; Gavião Arqueiro aposentado; e Hulk com paradeiro desconhecido, a Terra ficou desprotegida diante da invasão de Skrulls — como indica uma das cenas pós-créditos de Homem-Aranha: Longe de Casa —, será necessário reunir um novo time de heróis para compor os Vingadores. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Chegou ao Brasil o Amazon Prime, maior concorrente mundial da Netflix. Teste grátis por 30 dias! Nova formação pode trazer de volta heróis que estavam na Netflix Com o fim da cláusula que impedía o uso dos “heróis de rua” que estavam na Netflix, o grupo teria o reforço de Demolidor e Jessica Jones — não há confirmação se serão os mesmos atores e versões dos personagens. Assim, os Novos Vingadores seriam formados por Máquina de Combate, Doutor Estranho, Feiticeira Escarlate, Homem-Formiga, Vespa, Capitão América Sam Wilson, Pantera Negra, Visão, Homem-Aranha e Capitã Marvel, além dos outros dois já citados. E há até a possibilidade da presença da Thor de Jane Foster. Hulk teria pequenas chances de estar nessa lista. Imagem: Reprodução/Netflix Peter Parker e Carol Danvers teriam um certo “flerte” e seriam vozes de comando no grupo e há apostas até de que o Surfista Prateado e Galactus sejam introduzidos nesse filme, antes da chegada do Quarteto Fantástico. Nada foi confirmado pelo Marvel Studios, mas o burburinho vem de fontes muito confiáveis. Vamos torcer para que os rumores sejam concretizados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Veja Mais

Crítica | 1917 é um filme de guerra que carrega a urgência de um mundo em paz

Crítica | 1917 é um filme de guerra que carrega a urgência de um mundo em paz

canaltech É verdade que o virtuosismo técnico de 1917 salta aos olhos rapidamente. Desde o início, quando a paz de um campo aberto e silencioso – que parece remeter ao A Árvore da Vida (de Terrence Malick, 2011) – lentamente dá espaço para a intromissão humana, pode ser perceptível a ideia da direção de Sam Mendes. Os Cabos Blake (Dean-Charles Chapman) e Schofield (George MacKay) são apresentados ali mesmo, sonolentos. Eles despertam junto à mudança de direção da câmera, que passa a segui-los sem interrupções aparentes. A partir de então, a estrutura pensada por Mendes funciona a favor de um todo muito coeso, fechado em si mesmo. Dessa maneira, passa a ser praticamente impossível pensar o filme de outra forma. Não que exista algum tipo de prioridade dada à técnica em detrimento da história. A questão é que todo o esqueleto do que se passa está erguido sobre as bases de um método. Por exemplo: por mais que Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) – de Alejandro G. Iñárritu (2015) – tenha o teatro como pano de fundo e esta arte representativa não dê direito a cortes como o cinema, seu formato em plano-sequência é pura demonstração de habilidade, o que pode, infelizmente, contaminar a experiência frente ao excelente roteiro. 7 melhores filmes de guerra inspirados em histórias reais Cabo Blake e Cabo Schofield sendo acordados. (Imagem: Universal Pictures) Cuidado! A crítica pode conter spoilers! -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- "Da árvore do silêncio pende seu fruto: a paz." – Arthur Schopenhauer Unidade A maior conquista de 1917, assim, é, justamente, renunciar a um roteiro complexo para dar espaço a um exercício imersivo. Tanto que enquanto o texto do filme de Iñárritu foi indicado a tantos prêmios específicos em seu caminho (42 nas contas da Internet Movies Database – a IMDb) e vencedor da maioria (inclusive do Oscar 2015) o de Mendes contabiliza duas indicações. Isso não quer dizer que a história que segue Blake e Schofield é ruim ou algo do tipo; a questão é que ela está a serviço de um propósito maior. Ao transformá-la em algo tão contundente, Mendes não somente demonstra controle artístico sobre o trabalho, como também desmente qualquer acusação de exibicionismo. A escolha técnica da direção foi a favor da criação de uma harmonização necessária. Dentro dessa unidade, a capacidade da direção de fotografia de Roger Deakins em iluminar e justificar sua iluminação é algo quase inacreditável. Se, a princípio, Deakins concebe o citado campo aberto e os primeiros contatos visuais do espectador com as trincheiras utilizando possivelmente apenas luz natural, é ao aquecer tudo no terceiro ato que sua assinatura brilha: o espetáculo visual de luzes, sombras e cores em meio a uma cidadela em chamas é tão hipnotizante quanto o dito método escolhido por Mendes. É nesse ponto, inclusive, que também se destaca com mais intensidade a música de Thomas Newman, construindo uma unidade condensada, prestes a implodir em meio às explosões. George MacKay sob a luz de Roger Deakins. (Imagem: Universal Pictures) Atitudes que falam De todo modo, mesmo que o roteiro esteja à mercê de uma proposta e esta seja pensada por causa do texto, é interessante perceber o quanto, assim mesmo, há um lado humano em 1917 que pode parecer ausente em Dunkirk (de Christopher Nolan, 2017). Claro, são duas propostas diferentes: se Nolan desejou inserir o público na guerra, Mendes quer fazer com que esse mesmo público corra com seus protagonistas para evitar um conflito. Há, aqui, uma vontade de viver e sobreviver (nessa ordem ou não) que permanece sempre acima de tudo o que está ao redor: as vacas mortas propositalmente pelas tropas inimigas são as mesmas que deram o leite que haveria de alimentar uma bebê. Aliás, da mesma forma que a jovem francesa não tinha noção alguma sobre a criança e mesmo assim seu instinto passou a ser o de cuidar, os irmãos de farda não negaram auxílio a um colega desconhecido – o trecho em que, com o caminhão atolado, percebem o desespero nas ações de Schofield é revelador sobre tudo isso. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? A urgência de um mundo em paz 1917, nesse sentido, é quase uma desconstrução. É, de fato, um filme de guerra, mas acaba por fugir dela a todo instante. A intenção, desde o início, parece ser sustentar os horrores do combate como um fantasma, uma assombração que pode atacar a qualquer momento – como Blake é atacado sem que seja mostrado o momento. A esse ponto, com a intenção de entregar uma carta para evitar a morte de 1.600 homens, Schofield acaba por carregar também a função particular de dar uma notícia indesejada ao Tenente Blake (Richard Madden). É quase como se, lá em 1998, o Capitão Miller precisasse encontrar o Soldado Ryan não para salvá-lo como o filho sobrevivente, mas para falar da morte de sua mãe. Os 10 melhores filmes de guerra disponíveis na Netflix O fantasma da guerra caçando Schofield. (Imagem: Universal Pictures) A melhor notícia – fica registrado – é o fim do conflito. Não é a vitória; não é uma conquista; não é mais uma dezena de mortes. Por mais que outros filmes tenham demonstrado a boa sensação de fim-de-guerra, 1917 consegue carregar, em seus dois falsos planos-sequências e durante quase duas horas, a urgência de um mundo em paz. E quem finda em paz é o cansado Schofield, que cumpre a sua função e, finalmente, colhe a paz da árvore do silêncio – do seu próprio e merecido silêncio. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Veja Mais

Mario Kart Tour | Nintendo libera multiplayer para todos os jogadores

Mario Kart Tour | Nintendo libera multiplayer para todos os jogadores

canaltech A Nintendo finalmente lançou um multiplayer aberto para Mario Kart Tour, a versão mobile do game de corrida mais divertido já feito. A restrição ao uso dessa modalidade foi uma das principais críticas no lançamento do jogo, exatamente pelo caráter competitivo do título. O multiplayer já havia sido colocado em testes pela Nintendo, mas somente para quem estava inserido no pacote pago do título, que custa US$ 5. Agora, em publicação no Twitter, a companhia informou uma nova rodada de testes, desta vez, aberto para todos os jogadores. “O segundo teste de multiplayer está aqui! Desta vez, todos os jogadores, incluindo os assinantes do Mario Kart Tour Gold Pass, podem participar. Corra contra seus amigos tocando em Menu e, então, Multiplayer no jogo”, informou a empresa. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- The second multiplayer test is here! This time around, all players, including #MarioKartTour Gold Pass subscribers, can participate. Race your friends by tapping Menu, and then Multiplayer in-game. pic.twitter.com/IYqKWNmIue — Mario Kart Tour (@mariokarttourEN) January 23, 2020 O app permite que você encontre amigos próximos, que tenham o jogo instalado, claro, para uma partida local. Além disso, será possível correr também contra pessoas aleatórias no modo online. Para isso, é preciso ter desbloqueado todas as copas antes de jogar no multiplayer. A expectativa é de que o game ganhe o modo de forma oficial após esse período de testes, que se encerra em 28 de janeiro. Mario Kart Tour está disponível para Android e iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Anvisa simplifica documentação para importação de remédios à base de canabidiol

Anvisa simplifica documentação para importação de remédios à base de canabidiol

canaltech Quem precisa importar remédios à base de canabidiol, uma das substâncias presentes na maconha, tinha que reunir vários documentos para comprovar a necessidade de seu uso. Agora, uma nova decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) facilita esse processo. Desde esta quarta-feira (22), basta a apresentação da prescrição médica do produto para encomendá-lo do exterior. A resolução vem com duas mudanças importantes. A primeira restringe essa comercialização apenas para pessoa física. A segunda aumenta a validade da prescrição no cadastro, que passa a ser de dois anos. Os pedidos continuam sendo feitos pelo portal de serviços do governo federal, que exige um registro de paciente, que agora também pode definir um responsável legal ou procurador para efetuar a compra. Com isso, a Anvisa prevê redução no tempo de análise e liberação das solicitações, atualmente com prazo de 75 dias. A própria agência admite que esse limite é muito alto e que a espera pode causar danos à saúde dos pacientes. Desde 2015, houve aumento de 700% no número requerimentos para esses tipos de medicamento. A média mensal saltou de 328 pedidos por mês em 2018 para mais de 900 em 2019. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Microsoft detalha kit de desenvolvimento para os Surface Duo e Neo

Microsoft detalha kit de desenvolvimento para os Surface Duo e Neo

canaltech Depois de anunciar o Microsoft Duo em outubro do ano passado, agora a criadora do Windows revelou informações sobre o kit de desenvolvimento e como aplicativos vão funcionar em seu sistema. O Duo é o novo produto da Microsoft, que consiste em uma espécie de tablet com duas telas. A empresa conta com dois modelos, o Surface Duo com menores dimensões e o Surface Neo, maior, também com display duplo. A versão menor será alimentada com Android, enquanto a maior, com o Windows 10X. Segundo publicação oficial da Microsoft, cada app será aberto somente em uma tela, sendo possível passar o programa de um lado a outro. Contudo, será possível que desenvolvedores experimentem utilizar os dois espaços ao mesmo tempo, com um só programa. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Apps por padrão vão abrir em uma só janela (Foto: Divulgação/Microsoft) Por exemplo, ao usar um app que simula um livro, algum desenvolvedor poderia aproveitar os dois lados para apresentar as páginas. Até o momento, o que a Microsoft revela são algumas opções experimentais de configuração para os aparelhos. Ainda, ela reforça que tanto o Duo, quanto o Neo, podem ser usados em modo retrato ou paisagem. Ou seja, aberto como um livro, ou como um laptop com uma das telas trabalhando como teclado. Outra ferramenta que a Microsoft quer implementar é a possibilidade de arrastar janelas. A questão é que, como os programas abrem maximizados por padrão, seria mais confortável para o usuário poder transformá-los em janela e arrastá-los, por exemplo, para usar mais de dois apps ao mesmo tempo. Configurações propostas pela Microsoft (Foto: Divulgação/Microsoft) O documento apresentado pela Microsoft também reforça a diferença entre um aparelho com duas tela e um com display dobrável, como o Galaxy Fold. Como há um vinco no meio, a empresa sugere que nada de muito importante seja deixado no meio da tela. Junto disso, ela também recomenda que o app sempre privilegie somente uma tela, ao invés de duas. Outra questão sobre isso, está em um sistema que mascara o vinco. Em uma foto que se abre nas duas telas, por exemplo, é possível cortar parte da imagem, para que ela não fique com aparência estranha. Programa deve considerar corte para que foto não pareça estranha (Foto: Divulgação/Microsoft) Para que desenvolvedores saibam como trabalhar nna plataforma, a Microsoft está lançado dois emuladores, tanto para o Android, quanto no Windows 10X com as respectivas APIs. Assim, os produtores podem ter uma melhor noção de como seus programas vão rodar na versão final de cada sistema operacional. A Microsoft deve mostrar mais sobre o desenvolvimento de produtos com duas telas em seu evento, em maio. Outras fabricantes como Dell, HP, Lenovo e ASUS já demonstraram interesse em lançar aparelhos semelhantes. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço

Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço

canaltech Estamos a menos de um mês do anúncio do Galaxy Z Flip, o novo smartphone dobrável da Samsung. E as informações sobre o aparelho começam a pipocar com mais força Segundo informações do XDA Developers, o Galaxy Z Flip deve ter um design em formato de concha, semelhante ao Motorola Razr 2019. Mas o maior destaque em meio aos rumores é a possibilidade do dispositivo ter uma tela de vidro ultrafina, em vez da de plástico, presente no primeiro Galaxy Fold. A companhia chama a novidade de “Samsung Ultra Thin Glass”, nomenclatura que o famoso leaker Ice Universe já havia comentado no mês passado e que foi registrada pela Sammy na Europa. Confira abaixo como deve ser o aparelho, com um vinco no lugar de dobradiça, de acordo com supostas fotos vazadas na rede social chinesa Weibo: -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- As mesmas fontes adiantam que o telefone deve ter uma pequena tela, de uma polegada, quando ele estiver fechado. Esse painel deve servir para mostrar a bateria restante e servir como visor para câmera. O display de vidro pode ser o grande trunfo da sul-coreana para ganhar uma vantagem competitiva, pois ele seria mais durável do que os que revestem a interface do Motorola Razr 2019 e do próprio Galaxy Fold. Preços Apesar da proximidade, ainda não há um consenso sobre qual será o preço do aparelho, com rumores divergindo entre si. O primeiro nasceu há mais de um mês, indicando que a empresa lançaria o Galaxy Z Flip a um preço próximo de US$ 800, menos da metade do Galaxy Fold, que custa US$ 2.000. Segundo a reportagem do Korean Herald, o objetivo seria fazer o aparelho ser mais competitivo que a linha Note. O veículo informou que teve acesso a tais dados por pessoas próximas à fabricação. O segundo rumor surge do site iNews24, o qual também disse ter conversado com pessoas de dentro da fabricante sul-coreana. No caso, a empresa estaria interessada em vender Z Flip com preços entre US$862 e US$1.300. Como é uma diferença bem grande de valores, nesse último caso, é razoável supor que o Z Flip será vendido em diversas versões. Contudo, agora, o site sul-coreano Naver aponta que o aparelho deva chegar ao mercado com custo por 1,6 milhão de wons, algo em torno de US$ 1.400, o que o colocaria em pé de igualdade com o Moto Razr 2019. Diante destas três possibilidades, a do Korean Herald pode ser a mais confiável. Isso porque o veículo foi o primeiro a informar que a empresa teria um evento em fevereiro, como ela confirmou logo depois. Dito isso, ainda não é possível saber a quanto o novo dobrável da Samsung vai chegar ao mercado. O evento da companhia está agendado para o dia 11 de fevereiro. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Presidiários do Acre são flagrados com celulares no estômago

Presidiários do Acre são flagrados com celulares no estômago

canaltech Nesta quinta-feira (23), dois presidiários de Sena Madureira - interior do Acre - escolheram um prato muito exótico para o almoço: celulares. Isso mesmo. Os dois detentos da Unidade Penitenciária Evaristo de Moraes foram flagrados com o celular no estômago e um deles vai inclusive ser transferido para a capital do estado, Rio Branco, sob a premissa de passar por uma avaliação e possivelmente encarar um procedimento cirúrgico para que seja feita a retirada do aparelho. As informações são do diretor da unidade, Denis Araújo, em entrevista ao G1. Basicamente, durante esta manhã, ambos os presidiários foram submetidos ao aparelho scanner corporal, que detectou os celulares no estômago dos dois. Enquanto um deles vomitou o celular quando foi encaminhado ao hospital, o outro não conseguiu expelir. "Está no estômago dele. À noite, deixamos no hospital e ele tentou vomitar, mas não conseguiu, e a gente vai encaminhar para Rio Branco para serem tomadas as medidas adequadas, porque com o aparelho dentro, ele corre risco de morte", explica Araújo. Raio-X dos presidiários da Unidade Penitenciária Evaristo de Moraes (Foto: Divulgação/Iapen-AC) De acordo com o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), os presos estavam no bloco de observação (onde ficam os recém presos) e o flagrante aconteceu justamente quando seriam transferidos para o pavilhão. "Nosso presídio fica em uma área urbana, então, constantemente eles jogam pela muralha e os presos dos pavilhões fazem o que a gente chama de 'boli' [uma linha amarrada em algum objeto] para puxar. Só que, na maioria das vezes, não entra. Hoje, está muito severa a fiscalização. Mas, a gente acredita que a entrada dos telefones foi desse jeito", conta o diretor. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Ele ainda acrescenta que o costume é envolver o aparelho em algum material para facilitar a remoção, mas que o presidiário em questão ingeriu o aparelho sem nenhuma proteção. Se você estiver se perguntando "Mas e o que acontece com os presos que fazem isso?", o diretor da Unidade Penitenciária Evaristo de Moraes explica que o preso que já expeliu o celular vai sofrer punição de dez dias e um procedimento administrativo vai ser instaurado para apurar o caso. "O outro vai ficar de sanção porque celular é falta grave. Primeiro ele fica de falta dez dias e a gente abre uma sindicância e ele pode pegar até mais 20 dias de corretivo".  O diretor acrescenta, ainda, que o detento fica isolado e perde o direito a visitas e banho de sol. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Veja Mais

Apple Music e Spotify disponibilizam música chiclete de The Witcher

Apple Music e Spotify disponibilizam música chiclete de The Witcher

canaltech Se você maratonou The Witcher, provavelmente também ficou com Toss a Coin to Your Witcher na cabeça. Acontece que essa música-chiclete acabou de ser colocada no Spotify e na Apple Music, então agora os fãs da série podem ouvir sem parar. Vale lembrar que a trilha sonora inteira de The Witcher também vai ingressar as plataformas de streaming, mas só na próxima sexta (24). Foi por meio do Twitter oficial da série que o público ficou sabendo da novidade: When a humble bardWrote a catchy songYou tweeted and asked usWhat’s taking so long?The Witcher Soundtrack Vol. 1 debuts everywhere 24 January. "Toss A Coin" single out now: https://t.co/Id6mEUhRf0 pic.twitter.com/PNMxBeFlkS -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- — The Witcher (@witchernetflix) 22 de janeiro de 2020 Em uma entrevista ao veículo norte-americano Men's Health, Joey Batey, que interpreta o bardo Jaskier na série, falou o seguinte sobre a música: “a coisa mais irritante que eu já ouvi. É tão cativante". A canção alcançou grande fama nas mídias sociais assim que a série integrou o catálogo da Netflix. No entanto, a plataforma de serviços streaming aparentemente não estava preparada para a popularidade da música, e não houve nenhum lançamento oficial da faixa além de um post no SoundCloud pelos próprios compositores. The Witcher conquistou uma legião de fãs na Netflix Quanto à própria série The Witcher, é válido apontar que está indo muito bem: como parte de seus ganhos no quarto trimestre de 2019, a Netflix anunciou que o programa atingiu 76 milhões de usuários (pelo menos, de acordo com as novas métricas de visualização da empresa) e está a caminho de se tornar a estreia de original mais popular de todos os tempos. Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Veja Mais

Review | Novo Sony WH-CH510: vale a pena investir neste fone de entrada?

Review | Novo Sony WH-CH510: vale a pena investir neste fone de entrada?

canaltech E eis que temos um novo modelo de entrada no catálogo da Sony aqui no Brasil! Com portfólio atualizado, a japonesa traz, além dos modelos parrudões que entram para valer nas brigas de cachorro grande, um update em sua linha mais, digamos, singela de fones de ouvido. Se você acompanha o Canaltech, deve ter visto o review do último modelo in-ear, o WI-C200. Mirando naqueles que gostam de modelos on-ear e procuram uma alternativa relativamente barata, sem muito melindre, a companhia lançou internacionalmente o WH-CH510 — que, aparentemente, é uma repaginada do conhecidíssimo WH-CH500 que vemos tanto por aí, porém custando menos e trazendo alguns benefícios aqui, outros ali para justificar sua chegada ao mercado. O WH-CH510 é um modelo Bluetooth que tem suporte a assistentes virtuais como Siri e Google Assistente no seu celular, mas será que vale a pena? Descubra nas próximas linhas! -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Design & Ergonomia O Canaltech recebeu o fone na cor azul marinho, mas você também encontra o modelo nas opções branca e preta. Com formato on-ear e design de conchas fechadas, o fone é essencialmente plástico e leve (132 g), afinal de contas, é um modelo de entrada. O arco é flexível, mas não possui nenhum tipo de revestimento em espuma — diferentemente das conchas, que trazem um material gostosinho, são bem acolchoadas e têm um acabamento estético bem bonito e simples ao mesmo tempo. Como já dito, os fones lembram bastante o modelo WH-CH500, mas em termos de design, trazem um toque de refinamento nas bordas, que agora são arredondadas. As conchas são menores, também, mas isso faz parte da proposta de um on-ear: os fones não cobrem as orelhas, e sim ficam posicionados em cima delas. Além do mais, o novo membro da linha agora conta com uma construção mais sólida. Há quem ame esse tipo de modelo, e há quem deteste. Para quem usa óculos, a pressão das conchas pode incomodar um pouco com o passar das horas. Conchas com bordas arredondadas, logo da Sony, textura e giro em relação ao arco: um fone bonito! (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) E falando em pressão, a ergonomia desse modelo é ok, mas devido ao fato de ele não possuir um arco acolchoado, pode incomodar o topo da cabeça se usado por longos períodos. Isso faz parte do valor agregado do fone, aliás: geralmente, fones revestidinhos com materiais macios no arco custam mais caro e são voltados a um público que precisa de conforto por usar os fones durante horas e horas em um dia. Não que isso fuja do propósito do WH-CH500, claro. Mas ele é um modelo, digamos, mais econômico. Inclusive, o fone aparenta ser frágil demais, por usar materiais mais baratos e muito plástico em sua composição. É preciso ter certo cuidado ao manuseá-lo, já que ele não apresenta a robustez de modelos mais caros. No entanto, o acabamento é bom. Se cabe um comparativo: eu tenho um JBL 450BT e achei os dois modelos bastante parecidos no design. E na proposta também. As conchas do WH-CH500 giram em relação ao eixo do arco, para que as almofadas do fone se adaptem bem a diferentes cabeças, mas o modelo não é dobrável. A articulação que ele possui é essa aqui: A concha gira em relação ao eixo e se movimenta levemente para a almofada se adaptar bem às orelhas. Detalhe para o acabamento (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) O arco é tradicionalmente regulável em diferentes alturas, e no final, o fone oferece um bom nível de conforto, mesmo se você usa óculos, vai para a academia, trabalha no escritório, quer dar uma volta na rua ou simplesmente quer ouvir um som mesmo. Não cai da cabeça e nem fica escorregando se você estiver se movimentando. Aqui nos testes do Canaltech, o fone começou a incomodar minha cabeça após períodos de 40 minutos a 1 hora de uso, exatamente onde o arco encosta no crânio. Não senti esse incômodo usando óculos e usei o fone enquanto trabalhava ou fazia atividades do dia a dia, como compras no supermercado e passeios leves na rua. Vale dizer que esse fone, apesar de servir, não é voltado para a prática esportiva, porque não possui resistência a suor, chuva e respingos, mas pode ser usado em condições legais — uma caminhada, um treino leve na academia, um passeio no parque, uma volta de bike, uma corridinha curta. Controles Com um esquema simples e botões grandes, de fácil acesso, a Sony traz, na concha direita, botões de liga/desliga, play/pause, atender/recusar chamadas, ajuste de volume e skip — para avançar e retroceder músicas. O fone se comunica com o celular e usa o assistente de voz do sistema, então você pode chamar a Siri ou o Google para fazer perguntas e pesquisar coisas. Para isso, basta pressionar duas vezes, bem rapidinho, o botão central. Para Ligar/desligar, basta pressionar por cerca de dois segundos o botão central. Se quer aumentar ou diminuir o volume, aperte e segure os botões nas laterais do principal até chegar no nível desejado. Para pular de música, pressione rapidamente esses botões. E se quiser pausar ou reproduzir uma faixa, pressione o botão central quando o fone estiver conectado a um app de streaming, como o Spotify, o Deezer ou o Apple Music. Botões + e -, botão central, LED indicador, entrada USB-C e microfone: tudo isso na concha direita (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Em chamadas, se você pressionar o botão central uma vez, cancela uma chamada efetuada. Se pressioná-lo por dois segundos, transfere a ligação para o telefone. Ao receber uma chamada, basta apertar uma única vez o botão central para atendê-la ou pressioná-lo por dois segundos para recusá-la. E para desligar uma ligação em curso, é só apertar uma vez só o botão central. Os demais botões funcionam normalmente como volume. O fone tem um LEDzinho indicador de atividade logo ao lado dos controles, que acende quando está ligado, pisca quando está procurando conexão e indica bateria fraca. Bateria E falando nisso, o grande trunfo desse modelo é a duração da bateria, que pode chegar, segundo a fabricante, a 35 horas de reprodução contínua. Isso é carga suficiente para uma viagem transatlântica de ida e volta, ou para uma semana de uso moderado, sem precisar carregar uma vez sequer. Para completar a carga, é preciso que o fone fique plugado à energia por 4,5 horas, mas o modelo conta com quick charge: se você perceber que a bateria está para acabar, basta plugá-lo 10 minutinhos na entrada USB de seu computador para ganhar uma hora e meia de autonomia. Excelente, não? Conectividade Temos muitas coisas boas para falar aqui. Apesar de ser um modelo mais barato, a Sony não titubeou ao considerar os últimos padrões da indústria para dar uma boa dose de conectividade ao seu modelo: ele já vem com Bluetooth 5.0, o que garante mais estabilidade de reprodução sem fios a um raio de até 10 metros da fonte. É uma distância curta, mas lembre-se: estamos falando de um modelo de entrada, e não de um esportivo pomposo. Outra boa tacada foi o emprego de uma porta USB-C, que inclusive tem papel importantíssimo no quick charge da bateria e está alinhada com os dispositivos mais novos do mercado. O cabo, no entanto, não é USB-C nas duas pontas. Com o Bluetooth 5.0, você consegue conectar dois fones a uma única fonte e compartilhar a música. Legal para quem vai viajar de casal ou de dupla, por exemplo, e quer curtir um som junto. Não há conectividade P2, portanto o fone não funciona cabeado. Em toda a glória do azul, olha o brinquedinho aí! (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Microfone Um fone de ouvido com handsfree precisa trazer um microfonezinho legal para que você converse ao telefone e faça ligações numa boa. Na base da concha direita há um buraquinho, sob o qual está instalado o microfone (que você vai usar também para acionar a assistente virtual do seu celular). Nos testes do CT, o microfone se saiu como qualquer microfone padrão de fones nessa faixa de preço: a qualidade da chamada em ambientes calmos foi ok e estável, graças ao Bluetooth 5.0. Mas em ambientes barulhentos, a pessoa do outro lado da linha pode ter que se esforçar para te ouvir bem, já que a captação do áudio fica meio embolada e enlatada. O WH-CH510 não tem como objetivo principal fazer ligações e essa funcionalidade vem só para quebrar um galho. E quebra, mesmo: principalmente se, como eu, você fala ao telefone enquanto digita textos ou lava a louça. É uma funcionalidade bacana para quem pratica esportes leves, também, e não quer parar o treino para tirar o telefone do bolso. Cancelamento de ruído O modelo não traz a funcionalidade de cancelamento ativo de ruído, mas cancela o som ambiente passivamente. O que isso quer dizer? Que, apenas pela pressão das conchas sobre as orelhas, você tem uma leve atenuação de ruído ambiente e, dependendo do volume da música, consegue se concentrar muito bem nas suas tarefas sem se dispersar. Mas isso não é um limitador: se você usa o fone para conversar e fazer chamadas, não vai ser isolado do mundo só por estar com ele na cabeça. Dá para ouvir muito bem o que acontece ao seu redor — principalmente em ambientes agitados. Som na concha! Agora vamos para a prova de fogo do brinquedinho! Se você não larga os podcasts ou então é um amante de músicas para compor a trilha sonora do seu dia a dia, seja nos treinos, na ida ao trampo, no escritório ou antes de dormir, vai querer saber se a qualidade sonora do fone faz a compra valer a pena, então vamos falar de frequências. De modo geral, temos um fone Sony, então você não precisa ter medo na hora de escolher. A qualidade sonora é muito legal dentro do seu segmento. Nos testes, usei o Spotify em qualidade máxima em um dispositivo com Bluetooth 5.0. Será que soa tão bem quanto é bonito? Logo saberemos! (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Graves O WH-CH510 traz graves bastante presentes, bem perceptíveis e com um bom nível de impacto e profundidade, o que o torna um modelo muito legal para estilos como pop, rock, metal, funk, sertanejo e R&B. No entanto, as frequências graves sofrem um pouco na sua porção média e aguda, chegando a embolar em alguns momentos. O perfil sonoro traz mais "sabor" nas frequências mais baixas, o que torna fraseados de contrabaixo e efeitos graves um pouco embolados. No entanto, isso é coisa que poucos vão perceber, e essa galera exigente compõe um outro tipo de público, que consequentemente vai se interessar por outro tipo de fone. Em Rehab, da Amy Winehouse, o fone traz um bom nível de pressão, bem mais no contrabaixo e nos bumbos do que no sax que faz as vezes de tuba, já que esse fraseado caminha para um trecho da gama médio-grave. A música soa um pouco mais média do que deveria, dado o perfil sonoro desse fone. Dependendo da música e da mixagem, a coisa muda de figura. É o caso da faixa Heart is A Drum, do Beck. Ouvi-la no CH-510 é muito gostoso, tanto pela condução grave das cordas do violão, quanto pelos vocais mais baixos em "strumming" que rolam quase que em toda a música. Quando entra o piano, a ambiência gerada é muito satisfatória. E ao chegar a bateria, você consegue ouvir bumbo, contrabaixo, violão e vocais (todos instrumentos graves) com muita clareza. Médios Essa faixa de frequência dos fones é bem equilibrada e talvez seja a melhor em resposta e nitidez. Preenche bem em diversos estilos, do pop-rock ao jazz, inclusive podendo se sobrepor às demais quando a música possui vozes demais, ou vários instrumentos de corda e sopro que atuam nessa gama. Smooth Criminal, clássico do ícone do pop Micheal Jackson, traz uma série de efeitos — inclusive o baixo e a bateria, completamente sintetizados e eletrônicos. Os médios-graves sobrepõem os médios-médios nessa faixa, e o riff do início chega à frente da voz de Micheal. No refrão, a música ganha mais equilíbrio, principalmente quando entram os backing vocals. Vamos combinar que Jackson canta a música quase que sussurando, então é esperado que sua voz não ganhe a briga contra os sintetizadores em termos de ganho. A batida eletrônica, aliás, é a primeira que salta aos ouvidos. "You've been hit by – PAH PAH". Altão. O solo da guitarra muda vem com tudo, também, e à medida que a música cresce e o vocal fica mais agudo, os médios se comportam melhor. Um classicão da música caribenha é Oye Como Va, do mexicano Carlos Santana e sua banda homônima. É uma gravação de 1970, época em que a captação era analógica e naturalíssima. Apesar de ouvir uma versão remasterizada digitalmente, escolhi essa faixa pela riqueza das guitarras órgãos, vocais e percussão (atabaques, bongôs) — todos ocupando o espectro da média freqência. Mesmo com um contrabaixo presente e gordo, a música fica muito gostosa de se ouvir nos fones. Médios-graves ganham destaque aqui de novo, mas os vocais estão no seu lugar, os órgãos aparecem na medida certa e as guitarras recebem a ênfase que merecem, seja na base, seja no solo. Agudos O piano "mellow" de Ernesto Nazareth ao tocar o clássico tema brazuca Odeon, de Pixinguinha, talvez não queira ter soado com a mesma dose de presença e brilho da versão de Apanhei-te Cavaquinho, executada belíssimamente pelas mãos do pianista Marcelo Bratke. As notas mais agudas do piano, em Odeon, aparecem muito bem quando o Nazareth "rasga o dedo" nas escalas mais altas do piano, mas falta presença — muito, claro pelo uso do abafador de cordas, quase constante em toda a gravação. Já em Apanhei-te Cavaquinho, Bratke devora as oitavas mais altas, enquanto parece ter gravado com o piano aberto. Mesmo assim, o CH510 não consegue entregar o brilho todo das notas agudas do piano, que deveriam ser a ênfase e perdem para as notas menos agudas/mais médias da escala. Percebe que gosto de usar música brasileira para testar agudos? Nossa musicalidade é muito rica! Em Falador Passa Mal, dos Originais do Samba, temos muita percussividade: pandeiros, chocalhos, bongôs e cuíca. A música, de modo geral, soa legal: tem um surdo bem persistente, contrabaixo gordo, vocais bem cheios (marca registrada do grupo) e cantados por 3, 4 e até 5 vocalistas ao mesmo tempo. Mas não consegui ouvir o violão com clareza, que sumiu no meio da gravação. Em contrapartida, assobios e cuíca aparecem bem, principalmente no início da música, quando o contrabaixo faz a base. Mas falta brilho e presença principalmente nos vocais e nos pandeiros e chocalhos. A gama aguda é a frequência menos trabalhada do fone — mas ouvidos menos exigentes podem gostar do resultado em estilos como rock, pop, sertanejo e funk. Preço e onde comprar O WH-CH510 está custando R$ 299,99, ainda em pré-venda, no site oficial da Sony. Mas os leitores do CT podem levá-lo para casa com um desconto bem bacana: basta entrar com o cupom CANALTECH e voilá, ele sai por 239,99 e com frete grátis. Também há a opção de comprá-lo pelo marketplace da Amazon, mas com cobrança de frete. Os valores também variam de 239,99 a 299,99. Specs Driver: 30 mm, dinâmica fechada Ímã: Ferrite Resposta de frequência: 20 Hz - 20.000 Hz (amostragem de 44,1 kHz) Modelo: supra-auricular Bateria: até 35 horas de música, 200 horas em stand-by (carga completa em 4,5 horas) Conectividade de carga: USB Type-C™ Bluetooth: versão 5.0, alcance de ± 10 m Codecs/áudio suportado: SBC, AAC O que vem na caixa O conjunto da caixa é singelo: não há case de transporte nem cabo de áudio, já que o fone nem tem entrada P2. Ao abrir o pacote, você vai encontrar: WH-CH510 Cabo USB-C Manuais Lembrando que o modelo vem em três opções de cores: preta, branca e azul. Veredicto Modelo de entrada com USB-C: mandou bem, Sony! (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech) Se você está procurando por um fone mais barato, na casa dos 200 e poucos reais, não quer gastar rios de dinheiro com fones caros, mas ao mesmo tempo não dispensa uma boa qualidade sonora, o WH-CH510 vai te oferecer um bom custo-benefício. Longe de querer compará-lo com fones sem fio high-end da própria Sony ou de marcas concorrentes, mas pelo valor que você vai pagar nele, vale muito a pena. Ele é bonito, tem um acabamento charmoso com textura, é levinho, não incomoda se usado por longos períodos e traz um design mais refinado em comparação ao CH500. Já traz também Bluetooth 5.0 e conectividade USB-C, dois pontos positivíssimos que pesam na escolha. Fora isso, tem uma senhora bateria com quick charge de respeito, além de contar com botões tradicionais de acesso fácil e se comunicar com o assistente virtual do seu celular, seja ele iOS ou Android, sem complicações. É um fone simples, não é dobrável, não vem com bolsinha para transporte e nem funciona de modo passivo (cabeado), sendo voltado para um público mais jovem que gosta de ouvir música no celular com uma boa dose de graves. Apesar de bonito, tem o acabamento plástico demais, muito frágil, aliás — mas é lógico: não espere materiais de primeiríssima em um fone desse valor. O perfil sonoro traz a assinatura Sony, mas voltada à galera que curte um som legal sem ficar presa nos detalhes. Tem bons graves, médios presentes e agudos que geram boa clareza à música, o que, de modo geral, confere uma boa qualidade de áudio que vai te servir na grande maioria dos estilos musicais. Por este preço e levando em conta que é um modelo de entrada, sem firula e construído com material leve e mais econômico, é uma boa opção para seu dia-a-dia. Se você procura um modelo mais rebuscado para te entregar resultados mais fiéis na música que você ouve, é melhor partir para um modelo intermediário ou até mesmo topo de linha. Veja mais na cobertura sobre fones de ouvido do Canaltech! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja Mais

Clássico e nostálgico: Tetris original está disponível para Android!

Clássico e nostálgico: Tetris original está disponível para Android!

canaltech Depois que a Nintendo lançou o Tetris 99, mutras empresas começaram a transformar suas versões do jogo para competitivo em 100 pessoas. Até mesmo a N3twork, detentora da marca, lançou Tetris Royale, com multiplayer para Android. Isso fez com que uma série de jogadores que só queriam o modo clássico do game ficassem sem opções. Por conta disso, a própria N3twork trouxe de volta uma versão de Tetris, clássica, sem grandes mudanças e modos para a Play Store. Esta versão oferece uma gameplay baseada na original, de "trocentos" anos atrás. Ou seja, temos somente as peças caindo e a possibilidade rotacioná-las para alcançar o melhor encaixe. Quando uma linha horizontal é formada, as peças são eliminadas. Simples assim, o jogador pode repetir esta sequência eternamente até a tela ser completamente preenchida. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Caption A única mecânica "mais rebuscada" é a de adiantar a queda da peça. Ao deslizar para baixo ou segurar o dedo em cima do bloco, o objeto desce com mais velocidade. O jogo funciona em formato gratuito com publicidade entre uma partida e outra, mas existe uma opção paga livre de anúncios. Ainda há diferentes fases para os desafios. Tetris está disponível para usuários Android 5.1 ou superior. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja Mais

Os 5 melhores filmes de investigação para ver na Netflix

Os 5 melhores filmes de investigação para ver na Netflix

canaltech Mais do que um mistério, suspense ou policial, um filme investigativo ou sobre investigação costuma colocar o espectador na posição de detetive ou brincar com o nosso intuito de desvendar o caso. Em qualquer uma dessas opções, os melhores filmes com esse tema tendem a lidar muito bem com as pistas espalhadas ao longo do roteiro, além de ter uma direção de arte impecável, que geralmente ajuda a contar e/ou resolver o mistério. Tudo importa em qualquer filme: cada objeto, cor, movimento, enquadramento... tudo deve ser muito bem pensado. Em filmes investigativos, sobretudo, esses detalhes ganham proporções ainda maiores, fazendo da direção de arte um dos elementos técnicos mais importantes. Tudo tem um significado e, portanto, é preciso ser uma pessoa observadora, pois a resposta de tudo pode estar em algum detalhe que ninguém notou, mas que estava em cena o tempo todo. Se você gosta de montar os quebra-cabeças que os diretores e roteiristas criam para os espectadores, então confira esta lista que o Canaltech preparou com os melhores títulos de investigação disponíveis na Netflix. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- 5. Dragão Vermelho Imagem: Universal Studios Ainda que não seja comparável à obra-prima de Jonathan Demme, O Silêncio dos Inocentes (1991), Dragão Vermelho traz Anthony Hopkins de volta ao papel de Hannibal Lecter e fisga o espectador (mais uma vez) com as investigações para encontrar um serial killer. Brett Ratner não tem uma direção memorável, mas o filme certamente se destaca pelo elenco e seus personagens. Além de Hopkins, o filme traz também Ralph Fiennes, Edward Norton, Emily Watson e Philip Seymour Hoffman. Ainda que a história de Dragão Vermelho ocorra antes de O Silêncio dos Inocentes na linha do tempo do personagem Hannibal, retoma-se a ideia de que, sendo Hannibal um serial killer e psiquiatra, ele pode ser uma grande ajuda para capturar outros assassinos, pois pensa como eles ou pelo menos entende como eles pensam. Nessa prequela, no entanto, a situação é agravada pelo fato de que o serial killer em questão é um dos grandes inimigos de Hannibal. 10 ótimos filmes para quem gosta de resolver mistérios 4. Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres Imagem: Sony Pictures O diretor do essencial Se7en - Os Sete Crimes Capitais (provavelmente o melhor título do gênero disponível na Netflix), David Fincher, fez a adaptação hollywoodiana do primeiro livro da Trilogia Millennium, escrita pelo sueco Stieg Larsson, e, na pior das hipóteses, é um filme esteticamente incrível. O modo como Fincher mostra as personagens é um misto de distanciamento e identificação que contribui para que o espectador se importe mais com os investigadores do que com a solução do mistério em si. Daniel Craig está impecável no papel, mas é Rooney Mara quem se torna o centro das atenções do filme todo, possibilitando que o espectador tenha empatia por uma personagem que evoca uma possibilidade quase nula de aproximação. Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres é um bom filme para brincar de detetive juntamente com os roteiristas: o cenário é semelhante ao de um livro de Agatha Christie, no qual temos um espaço que restringe as possibilidades de suspeitos e indica que o suposto assassino está entre os membros da própria família. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! 3. A Morte e a Vida de Marsha P. Johnson Imagem: Netflix A Netflix tem excelentes séries investigativas em seu catálogo, mas quando se trata de um filme documental desse gênero, A Morte e a Vida de Marsha P. Johnson não pode ser ignorado. Marsha P. Johnson foi um drag queen que vivia nas ruas de Nova Iorque e participava ativamente de movimentos políticos LGBTQ+ da época, até que seu corpo foi encontrado no Rio Hudson em 1992. Trans e negra, foi vítima do preconceito mesmo após sua morte, quando o laudo alegou que sua morte havia sido em consequência de um suicídio, revelando que a polícia se recusou a investigar o que de fato aconteceu. Muitos anos depois, no nosso presente, a transfobia e o racismo ainda são presentes. Investigar a morte de Marsha é um ato político por si só e o premiado documentarista e repórter investigativo David France se alia à ativista Victoria Cruz para descobrir a verdade por trás da morte de Marsha. E não somente a investigação faz o filme: há também o deleite de revisitar uma antiga e pouco conhecida Nova Iorque a partir de imagens de arquivo. 7 filmes com finais surpreendentes para ver na Netflix 2. Um Agente na Corda Bamba Imagem: Warner Bros. Um típico filme policial investigativo oitentista, com muitas sombras, trilha sonora instigante, perseguição, um tanto de erotismo e... Clint Eastwood. Na trama, o Detetive Wes Block se vê pessoalmente afetado ao perseguir um serial killer de prostitutas e perceber que ele e o assassino têm o mesmo gosto por mulheres. Este foi o segundo de três roteiros escritos por Richard Tuggle, além de ser sua primeira obra como diretor. Embora lembre muito os filmes da série Dirty Harry, Um Agente na Corda Bamba é muito mais responsável ao desenvolver relações mais profundas e, portanto, mais interessantes entre os personagens, sobretudo no que diz respeito à relação entre o detetive e a personagem de Geneviève Bujold. 1. Zodíaco Imagem: Warner Bros. Também dirigido por David Fincher, Zodíaco é um filme sobre uma investigação que nunca chegou ao fim. As quase três horas de filme guiam o espectador por uma investigação intensa e com atuações de tirar o fôlego mesmo daqueles que já sabem que Zodíaco jamais foi pego ou sequer descoberto. Aqui, a investigação não é somente policial, mas também jornalística, sobretudo porque o serial killer enviava suas charadas para serem publicadas diretamente no jornal. Assim, acompanhamos duas linhas investigativas completamente distintas e vemos como nenhuma delas têm sucesso. Os 5 melhores filmes de suspense disponíveis na Netflix Caso apenas o nome David Fincher não seja o suficiente para ir correndo assistir, vale lembrar que o elenco conta com a presença de Jake Gyllenhaal, Robert Downey Jr. e Mark Ruffalo, todos arrebatados pelo Universo Marvel. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (21/01/2020) Veja Mais

Presidente da Netflix volta a dizer que streaming não terá anúncios

Presidente da Netflix volta a dizer que streaming não terá anúncios

canaltech O presidente da Netflix, Reed Hastings, voltou a rejeitar a criação de um modelo de assinaturas baseado em anúncios ou algum tipo de implementação de propagandas na plataforma de streaming. Falando em uma conferência com investidores da empresa, o executivo afirmou que não existe “dinheiro fácil” no mercado de publicidade online e que esse tipo de implementação entraria no caminho do modelo de negócios atual da companhia, visto como mais simples e focado na satisfação do usuário e entrega de conteúdo. Ele fez uma comparação entre a Netflix e grandes nomes do setor de propaganda, como Google e Amazon. Segundo o executivo, tais empresas têm sucesso nesse segmento pois integram dados de diferentes fontes e sistemas, o que faz com que a publicidade seja mais direcionada e, logicamente, efetiva. Isso não seria possível na plataforma de streaming, cujas informações viriam, apenas, dela mesma. Além disso, Hastings afirmou que um negócio de propaganda bem-sucedido custa alguns bilhões de dólares para ser implementado e tempo até começar a funcionar de maneira adequada, em duas declarações que, sozinhas, já poderiam mudar a cabeça dos investidores. A ideia de criar parcerias também não faria sentido, afinal de contas, um compartilhamento de informações de visualização e preferências com parceiros de publicidade não seria nada ideal. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Netflix ignora concorrência e fecha 2019 com alta de 20% em número de assinantes Acima de tudo isso, o presidente da Netflix afirmou que não está interessado em coletar dados de seus assinantes e que leva a privacidade deles como prioridade máxima. Informações como localização ou dispositivo usado para acesso interessam menos do que o histórico de uso, que é a grande métrica usada para sugerir conteúdos e indicar novas opções de entretenimento. E nada disso, afirmou o executivo, é salvo em seus servidores. Os comentários vêm em resposta à crescente pressão dos investidores por uma diversificação do modelo de negócios da Netflix. Não que ela esteja em maus lençóis, longe disso, mas a ideia geral é que, com um tier gratuito e baseado em anúncios, ou com algum tipo de exibição de propagandas a usuários pagantes, as receitas da companhia poderiam aumentar consideravelmente, na casa dos US$ 1 bilhão por ano. Um número que, na visão de quem investe na companhia, é mais do que interessante. Saiba como Netflix e Amazon indicam os filmes que você assiste Por outro lado, Hastings acredita que a Netflix chegará aos grandes números de lucros e receita das gigantes da internet, mas que com esse modelo de negócios mais simples isso apenas demorará mais algum tempo para acontecer, o que não significa, por outro lado, que ela está em desvantagem estratégica. Quando a bonança chegar, segundo ele, a confiança entre usuários e serviço será maior, o que terá seus reflexos positivos no longo prazo. Ao final de sua fala, o presidente da Netflix ainda deixou algo claro: sempre que um assinante ler que a empresa está flertando com um sistema baseado em publicidade, essa é uma informação falsa. Somente o futuro vai dizer se as coisas irão mudar neste pensamento, mas, pelo menos por enquanto, o distanciamento de uma plataforma de anúncios é uma constante em comentários e apresentações oficiais do serviço, o que acaba soando como uma boa notícia para os usuários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Veja Mais

Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android

Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android

canaltech A saga do modo escuro no Facebook continua. Há meses testando, ameaçando e deixando todos os usuários ansiosos para ter o recurso, a rede social de Mark Zuckerberg parece ter dado mais um passo rumo ao lançamento oficial da funcionalidade. De acordo com o pessoal do Android Police, algumas pessoas já conseguem ativar o recurso e outras já o tem ativado automaticamente. Não está claro quais são as intenções do Facebook ao soltar o modo escuro assim de repente e para poucas pessoas, uma vez que o lançamento de algumas fases beta resolveria eventuais bugs e pormenores. Mas essa atitude pode demonstrar um pouco de insegurança, uma vez que o outro grande aplicativo da empresa, o WhatsApp, já ganhou seu modo escuro - ou noturno - oficialmente. Chegou! WhatsApp finalmente ganha modo escuro no Android; veja como ativar Imagem: Captura de tela/ Android Police Os informantes do Android Police relataram ter visto o modo escuro no app mobile, mas parece que ele apareceu brevemente e desapareceu. Outro relato no Reddit, datado de dois meses atrás, menciona essa mesma aparição, do mesmo jeito. E, finalmente, alguns outros usuários do Twitter também exibiram isso recentemente. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Modo escuro do Facebook começa a aparecer para alguns usuários Por ser um aplicativo mais complexo do que o WhatsApp, é certo que o Facebook passe por um período maior de testes. É bom destacar que nenhum dos usuários que "flagraram" o modo escuro dessa vez relatou qualquer falha ou bug em seus telefones. O curioso nestes casos recentes, no entanto, é que a aparência escura ficou restrita ao feed, não se aplicando às bordas do app, como aconteceu nas aparições de novembro (foto abaixo). Imagem: Captura de Tela/ Android Police E você, amigo leitor, teve o seu Facebook "escurecido" recententemente? Conte para nós nos comentários! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais

Para guitarrista do Metallica, batalha contra o Napster foi perda de tempo

Para guitarrista do Metallica, batalha contra o Napster foi perda de tempo

canaltech A batalha do Metallica contra o Napster, um dos primeiros serviços de download de arquivos a se tornarem populares em todo o mundo, marcou a história da tecnologia. Na visão do guitarrista Kirk Hammett, também foi uma grande perda de tempo. Ele acredita que a banda não fez a menor diferença ao tentar frear uma onda que era maior do que ela mesma ou qualquer outro músico e acabou por “afundar a indústria da música”. Por mais que tenha se rendido ao mundo digital, ainda que com certo atraso, o integrante do Metallica não vê o estado atual do setor como positivo. Para ele, a pirataria e os serviços de streaming levaram os músicos “de volta à era dos menestréis”, onde a única fonte de renda dos músicos são as performances ao vivo e eles precisam, pasmem, tocar para ganharem dinheiro. É uma mudança que, segundo Hammett, começou pelo Napster, quando as pessoas perceberam que era mais conveniente baixar música do que pagar por ela, e essa é uma tendência que mudou a carreira de artistas e o consumo das faixas. Ainda hoje, com serviços gratuitos e programas de mensalidade, a ideia é que se está pagando por uma plataforma, e não necessariamente pela produção de um músico. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- O guitarrista volta a criticar o estado atual da música, afirmando que, com essa necessidade de tocar sem parar, muita gente está recorrendo ao playback para garantir o dinheiro no final do mês. Isso, segundo ele, não vale para o Metallica, que ainda é uma banda que precisa se apresentar e ser um conjunto para “continuar sobrevivendo”. Napster: da ilegalidade no final dos anos 1990 ao streaming legal em 2016 Ele espera, por outro lado, que as coisas mudem, apesar de não se mostrar muito esperançoso com isso. Da mesma forma que o mercado se voltou de repente para o digital, ele acredita que, um belo dia, uma nova mudança possa acontecer, de volta para os CDs ou algum novo formato que ainda está para surgir, repetindo o movimento rápido que já aconteceu tantas vezes no passado. A briga entre o Metallica e o Napster começou em 2000, com a banda processando o serviço de compartilhamento de arquivos pela possibilidade de download de faixas da banda, incluindo o, na época, recém-lançado I Disappear. Enquanto todos chegaram a um acordo fora dos tribunais, centenas de milhares de usuários da plataforma P2P foram banidos por terem baixado ou compartilhado músicas da banda. O grupo, apesar de estar lutando em prol dos direitos autorais, o que é justo, ficou reconhecido como um inimigo da distribuição digital e foi duramente criticado por conta da atitude antiquada que, como o próprio Hammett deixa claro, não freou o trem das mudanças. O Metallica apenas se dobraria em 2012, liberando toda sua discografia, incluindo apresentações ao vivo e gravações raras, em todos os serviços de streaming, mantendo lançamentos constantes nas plataformas desde então. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais

Fãs de PlayStation tendem a ser mais fiéis que Xbox, aponta pesquisa nos EUA

Fãs de PlayStation tendem a ser mais fiéis que Xbox, aponta pesquisa nos EUA

canaltech Os jogadores de PlayStation tendem a ser mais fiéis à marca que os de Xbox e Nintendo. Uma pesquisa nova do Best SEO Companies mostra que 33% dos entrevistados disseram que vão comprar o PlayStation 5, sendo que este número cai para 25% com o novo Xbox, ao menos nos Estados Unidos. O trabalho questionou 1.008 pessoas de diferentes idades no país. A pergunta era sobre a qual marca se consideravam mais leais ou quais itens compravam com mais frequência. No caso dos games, 40,7% disse ser mais fiel à marca PlayStation, enquanto 31% afirmou ter essa relação com Xbox e 30,4% com Nintendo. O estudo também notou que 8% se disse disposto a comprar ambos consoles da nova geração. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Dados sobre qual marca tem mais fidelidade do usuário (Arte e dados: Best SEO Companies) O trabalho também questionou os entrevistados sobre quais os principais motivos que pesam na escolha de um produto. No topo está o preço, sendo o fator mais importante para 90,3% dos entrevistados. Ainda, 69,2% disseram considerar análises positivas, e 53,6% informaram que o boca a boca é o ponto mais importante. “Para a geração Z a popularidade de um item é duas vezes mais considerada e a maioria acredita que produtos ecologicamente amigáveis são fatores importantes para compra”, diz o estudo. O que pesa mais na compra de um novo produto (Arte e dados: Best SEO Companies) O trabalho questionou mais de mil pessoas pelo sistema Mechanical Turk da Amazon nos Estados Unidos. Do total, 225 são baby boomers, 300 da geração X, 328 millennials e 150 da geração Z. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Não, James Corden não dirige de verdade no quadro Carpool Karaoke É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil Veja Mais

Gboard vai passar a sugerir emojis com significados e expressões semelhantes

Gboard vai passar a sugerir emojis com significados e expressões semelhantes

canaltech Emojis, figurinhas e GIFs já fazem parte do nosso dia a dia ao escrever textos na internet e, principalmente, nos mensageiros instantâneos. O que mais os desenvolvedores poderiam inventar para enriquecer ainda mais nossa maneira de nos comunicar? Que tal misturar expressões? Teclado colorido | Como mudar a cor do Gboard no Android e no iOS Pois é o que o Gboard começou a propor. A versão beta do teclado do Google traz, para alguns usuários, uma nova opção que coloca expressões diferentes em figurinhas baseadas nos emojis. É bem simples, e, ao mesmo tempo, poderoso: ao escolher um emoji específico, o teclado sugere opções “misturadas” com outros, criando uma maneira mais poderosa e, quem sabe, mais precisa para você se expressar. É um recurso um pouco mais poderoso do que a sugestão de GIFs por emojis, apesar de ser teoricamente mais simples. Nem todos os emojis sugerem uma mistura, apenas alguns baseados em expressão facial. Os resultados são parte de um banco de dados de figurinhas que já misturam o emoji escolhido com outras opções, gerando expressões novas. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Gboard vai sugerir emojis "misturados" para dar mais opções de expressão ao usuário (Imagem via Android Police) O mais interessante é observar a atenção aos detalhes. Na imagem acima, as sugestões da captura de tela da direita incluem um emoji que substitui as palavras de baixo calão censuradas por corações. Dá para interpretar de diversas maneiras, claro, mas a sensação que passa é de raiva com tanto amor que há dentro do coração da pessoa que está escrevendo. Essa pode ser a próxima etapa na evolução da comunicação via internet. Esqueça os Memoji, My Emoji e afins. A menos que as empresas consigam aplicar essa proposta do GBoard a eles, o que tornaria a brincadeira infinitamente mais divertida. O recurso está disponível para usuários do programa beta do Gboard que atualizarem para a versão 9.0.2.290777105. Mas nem todo mundo é contemplado: a atualização também depende do servidor, e há usuários nesta exata versão do teclado que não conseguem habilitar as figurinhas com expressões de emoji. Você pode tentar testar a novidade se inscrevendo no programa beta, pela Play Store, ou baixando um APK num site de confiança. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01) É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Veja Mais

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01)

Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01)

canaltech Parece que foi ontem que estávamos comemorando o Natal e o Ano Novo, mas a verdade é que janeiro já está ficando para trás. Se você olhar direitinho no calendário, este já é o último fim de semana do mês e ele chega recheado de novidades para você que gosta de aproveitar os dias de folga assistindo a bons filmes e boas séries. Para ajudá-lo nessa tarefa, todo fim de semana o Canaltech prepara uma seleção com os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir em serviços como o Prime Video, Telecine, Google Play Store e iTunes, todos concorrentes da Netflix, que tem sua própria lista de lançamentos aqui no site. As opções da vez incluem desde filme vencedor do Oscar, que está pertinho de acontecer, até um documentário que conta a trajetória de um dos maiores nomes do esporte mundial. Também tem aquele filme de ação cheio de adrenalina, filme para quem tem medo de jacaré e um romance com pitadas de comédia que vai deixar o coração de muita gente quentinho. Para fechar, tem a estreia de uma das séries mais aguardadas do ano. Ficou curioso e quer saber quais filmes e séries selecionamos para você assistir? Então confira a lista completa logo a seguir. Todas as produções vêm acompanhadas de seus respectivos trailers, sinopses e links para assistir online; dessa forma sua única preocupação será escolher o filme ou série que mais lhe agrada, clicar e apertar o play. Dê uma olhada, divirta-se e depois conta para gente o que achou na caixa de comentários ali embaixo. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Invasão ao Serviço Secreto   Vamos começar chutando a porta com os dois pés e jogando uma bomba só para ficar esperto. Invasão ao Serviço Secreto é o terceiro filme da trilogia estrelada por Gerard Butler que mostra a vida de Mike Banning, um agente secreto encarregado de proteger o presidente dos Estados Unidos. Depois dos acontecimentos de Invasão a Londres (2016), Banning é acusado e detido de ter tentado assassinar seu chefe. Só que ele consegue escapar e agora está fugindo da própria agência para descobrir o que aconteceu de verdade. Para isso, ele recorre a aliados improváveis para ajudar a limpar seu nome, manter sua família segura e salvar o país dos inimigos ainda desconhecidos. Invasão ao Serviço Secreto está disponível para compra no iTunes. Predadores Assassinos   Para você que adora rir na cara do perigo, ou simplesmente se borra de medo de jacarés, mas não deixa de assistir a um filme com esses bichos, Predadores Assassinos pode ser uma boa pedida. Praticamente recém-saído dos cinemas, ele segue a vida de uma mulher e seu pai ferido, ambos presos pelas águas de uma enchente em casa durante um furacão. Com a tempestade se tornando um dilúvio e inundando todo o local, eles descobrem que na verdade a água é a menor das ameaças que terão de enfrentar, já que um bando de jacarés gigantes chegou para tocar o terror. Crítica | Predadores Assassinos tem sobrevivência claustrofóbica e exagerada Predadores Assassinos pode ser alugado ou comprado na Play Store, Microsoft Store e iTunes. Um Dia de Chuva em Nova Iorque   Vamos abaixar a adrenalina e acalmar o coração com Um Dia de Chuva em Nova Iorque. Dirigido por Woody Allen, esta dramédia romântica conta a história dos jovens Ashleigh (Elle Fanning) e Gatsby (Timothée Chalamet), um casal que planeja uma viagem romântica para Nova Iorque. O problema é que quando eles chegam à Big Apple os planos mudam completamente: ela descobre que tem a chance de entrevistar um famoso diretor de cinema; e ele acaba encontrando a irmã de uma antiga namorada. Se você gosta de uma jornada de descobertas e novas paixões, este filme é uma excelente pedida. Crítica | Um Dia de Chuva em Nova York mostra que nunca será tarde para sonhar Um Dia de Chuva em Nova Iorque está disponível para aluguel e compra na Microsoft Store, Looke, iTunes e Play Store. Star Trek: Picard   Fãs de Star Trek, uni-vos! Depois de anos, um dos personagens mais carismáticos e adorados de Jornada nas Estrelas está de volta para estrelar uma série própria. Patrick Stewart retorna ao papel de Jean-Luc Picard, o capitão da The Next Generation, para uma nova aventura depois de quase duas décadas de "sumiço". Não vamos entregar o ouro aqui nesta descrição, mas o Canaltech já assistiu, se empolgou, e escreveu sobre Star Trek: Picard. E se essa é a sua primeira incursão no universo de Star Trek, não tenha medo. A gente preparou um guia para ajudar você a se situar e começar a assistir Picard com tudo! Star Trek: Picard tem episódios semanais, lançados toda sexta-feira exclusivamente para quem é assinante do Amazon Prime Video. Salyut 7 – Missão Espacial   Aproveitando que estamos falando de Jornada nas Estrelas e de espaço, Salyut 7 – Missão Espacial é uma excelente pedida para quem gosta da temática. Produzido na Rússia, este drama histórico se baseia na missão Soyuz T-13, que fazia p arte do programa soviético Salyut em 1985. Ela ficou conhecida mundialmente por ter sido a primeira da história a acoplar uma estação espacial "morta" e trazê-la de volta à "vida". Salyut 7 – Missão Espacial pode ser assistido mediante aluguel ou compra no Looke e iTunes. A Forma da Água   A viagem agora é nessa história de fantasia repleta de romance criada por Guillermo del Toro e Vanessa Taylor. Vencedor de quatro Oscar em 2018, incluindo o de Melhor Filme, A Forma da Água segue a vida de Elisa (Sally Hawkins), uma solitária ASG muda que trabalha num laboratório do governo norte-americano no auge da Guerra Fria. Lá, ela vê sua vida mudar para sempre quando ela e sua amiga Zelda (Otavia Spencer) descobrem um experimento ultrassecreto: um estranho ser aquático que vive num tanque. Os 10 melhores filmes de fantasia disponíveis na Netflix A Forma da Água pode ser assistido por todos que são assinantes do Telecine, mas também pode ser alugado ou comprado na Microsoft Store, iTunes e Play Store. Desobediência   Saindo do mundo da fantasia e colocando os pés de volta no chão, mas sem tirar aquela pitada de romance, Desobediência é uma opção que foi muito bem avaliada pela crítica especializada. O filme conta a história da fotógrafa Ronit (Rachel Weisz), que teve de voltar para sua cidade natal depois de deixá-la abruptamente anos atrás. O motivo do retorno foi a morte de seu pai, um respeitado rabino, e apesar do receio de ser malvista pela comunidade, ela é bem acolhida pelo amigo de infância (Alessandro Nivola), que está casado com a paixão de juventude de Ronit: Esti (Rachel McAdams). Desobediência está disponível para todos os assinantes do HBO GO, também podendo ser assistido por quem quiser comprar ou alugá-lo na Play Store, Microsoft Store, iTunes e Looke. A Música da Minha Vida   Retirando o elemento romance da jogada e mantendo o drama, A Música da Minha Vida conta uma história envolvente que, como o título sugere, tem a música como elemento central e transformador da vida de Javed (Viveik Kalra), um adolescente britânico de ascendência paquistanesa. No meio da agitação racial e econômica dos anos 1980, ele escreve poesias para fugir da intolerância de sua cidade natal, Luton, e da inflexibilidade do pai. Quando uma colega de escola lhe apresenta as composições de Bruce Springsteen, Javed identifica sua luta e vida de classe trabalhadora nas letras poderosas das canções. Também são essas músicas que apresentam a Javed um caminho libertador para os seus sonhos reprimidos e servem de fonte de coragem para que ele expresse seus sentimentos com sua voz única. Os 5 melhores filmes de drama disponíveis na Netflix A Música da Minha Vida está disponível para aluguel e compra na Play Store, iTunes, Looke e Microsoft Store. Clickbait – Pense Antes de Clicar   De volta ao suspense, desta vez com alguma dose de terror, Clickbait – Pense Antes de Clicar não é lá dos melhores filmes que você vai encontrar por aí, mas tem uma temática interessante. Na trama, Bailey é uma celebridade da internet. Dona de um canal de vlogs muito famoso numa espécie de YouTube, ela vê sua popularidade cair quando um colega passa a ter mais visualizações do que ela. Disposta a tudo para recuperar o status de influenciadora digital, ela usa o fato de estar sendo perseguida por um fã para voltar ao topo, retardando a ação da polícia para se manter o máximo possível sob os holofotes da mídia. Clickbait – Pense Antes de Clicar pode ser assistido mediante aluguel ou compra no iTunes. Conor McGregor: Tudo pelo Título   Para fechar a rodada de indicações do que assistir online desta semana, um documentário porreta (com o perdão do trocadilho) para quem é fã de esporte. Ao longo de 90 minutos, Tudo pelo Título segue Conor McGregor por 4 anos de sua carreira, relatando a ascensão meteórica de um dos maiores atletas do MMA, desde a época em que ele vivia com os pais em um quarto em Dublin recebendo auxílio do governo até quando passou a ganhar os títulos do UFC e pagamentos de sete dígitos por suas lutas. Conor McGregor: Tudo pelo Título pode ser assistido mediante compra ou aluguel na Play Store, iTunes e Looke. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Veja Mais

Motorola marca evento às vésperas da MWC 2020 e pode anunciar novo topo de linha

Motorola marca evento às vésperas da MWC 2020 e pode anunciar novo topo de linha

canaltech A Motorola deve retornar ao mercado de smartphones topo de linha este ano, com um modelo para concorrer de frente com iPhone, Galaxy S20, Huawei P40 e outros. Para isso, a companhia enviou convites à imprensa para um lançamento que será realizado pouco antes da MWC 2020, que acontece na última semana de fevereiro, em Barcelona. O evento da companhia está marcado para o dia 23 de fevereiro, às 19hs, horário local (15hs pelo horário de Brasília). Ele ocorrerá no domingo antes da abertura oficial da MWC, data em que as empresas costumam fazer anúncios ações exclusivas, chamadas de “pré-MWC”. Os dispositivos apresentados nesses eventos ficam expostos na feira posteriormente. Motorola marca lançamento do dobrável Razr para 6 de fevereiro Os smartphones mais aguardados de 2020 É bem possível que a Motorola esteja agendando o anúncio do Edge+, dispositivo cujo nome foi revelado há alguns dias pelo famoso leaker Evan Blass, em seu Twitter. Seguindo o que já fez com alguns dispositivos antes, o jornalista apenas publicou uma imagem com o nome Motorola Edge+ e deixou o restante para a nossa imaginação. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Convite enviado pela Motorola à imprensa para evento em Barcelona (Foto: Reprodução) O Canaltech encontrou um misterioso dispositivo da Motorola em processo de homologação na Anatel e que pode ser este modelo. A única informação disponível é o código XT2061-3. Não há informações sobre este aparelho em outros órgãos ainda. Blass, no entanto, retornou à sequência do tweet posteriormente para dizer que o Edge+ será lançado em conjunto com a Verizon e vai ter um furo na tela para a câmera. Mas foi só. Considerando a precisão nos acertos do leaker em questão, as chances de serem informações corretas são bem grandes. A Motorola já confirmou que pretende utilizar o Snapdragon 865 em, ao menos, um dispositivo a ser lançado em 2020, e ele pode ser o Edge+, iniciando (mais) uma nova linha no catálogo da companhia. Mas pode não ser, também. Descobriremos no dia 23 de fevereiro, e podem ter certeza que o Canaltech vai cobrir cada detalhe. E te convidamos a acompanhar com a gente. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

Digital House sedia encontro gratuito sobre tendências da Transformação Digital

Digital House sedia encontro gratuito sobre tendências da Transformação Digital

canaltech Muito se fala sobre a Transformação Digital, mas poucos sabem o que o termo significa na prática e como ele impactará a nossa vida nos próximos anos. Pensando nisso, a Digital House, escola especializada no desenvolvimento de habilidades digitais, realização um debate sobre o tema, que marca a primeira edição do ano do Papo Digital, ação onde são debatidas diversos temas relacionados à Tecnologia. Durante a palestra, intitulada "Tendências para a Transformação Digital em 2020", serão debatidos desde as evoluções tecnológicas mais atuais, passando pelas profissões que devem ganhar destaque esse ano no mundo digital, além dos hábitos de consumo, impulsionados pelos serviços oferecidos por fintechs como Nubank, foodtechs, como o iFood ou Rappi, além de Mobilidade (Uber, 99 e outros) e Assistentes de Voz (Alexa, Siri e Google Assistente). Além disso, outros temas relacionados à Transformação Digital também serão abordados. Isso inclui a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) e seu impacto na vida da população e também no dia a dia das empresas, entre outros assuntos. Durante a palestra, os participantes poderão tirar dúvidas em relação aos tópicos e também sobre os cursos oferecidos na Digital House. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- O evento será gratuito e totalmente aberto ao público. Ele terá como palestrante principal Edney "InterNey" Souza, diretor acadêmico da Digital House e conhecido empreendedor da internet brasileira. As inscrições podem ser feiras neste link, mas as vagas são limitadas. Quando? Data: 28 de janeiro, às 19h30 Local: Digital House Vila Olímpia - Av. Dr. Cardoso de Melo, 90 Como chegar? O evento será realizado a 20 minutos da Estação de Trem Vila Olímpia(Linha Esmeralda CPTM) e 15 minutos da Estação de Metrô Eucaliptos (Linha Lilás) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

Roteiro descartado de Star Wars que vazou na web foi confirmado pelo autor

Roteiro descartado de Star Wars que vazou na web foi confirmado pelo autor

canaltech No dia 14 deste mês, Robert Meyer Burnett, um YouTuber que há anos atua como produtor de filmes e tem amplo acesso à indústria do cinema revelou no Reddit que Star Wars: A Ascensão Skywalker seria completamente no roteiro de Colin Trevorrow, que deixou o cargo assim que Jack Thorne foi contratado para reescrever o texto para J.J. Abrams. Agora, o próprio Trevorrow afirma que isso é verdade e ele até mesmo mostrou imagens conceituais para provar. O texto contém spoilers de Star Wars: A Ascensão Skywalker, então se você ainda não viu o filme continue por sua conta e risco. O nono episódio da franquia seria mesmo chamado de Duel of the Fates (Duelo dos Destinos, em tradução livre) e não teria o retorno de Palpatine. Então, em vez de cruzadores imperiais armados com canhões da Estrela da Morte, o grande inimigo seria a Primeira Ordem, que teria cortado a comunicação de toda a galáxia para evitar que a Resistência utilizasse o sacrifício de Luke Skywalker em Os Últimos Jedi em um grito de guerra contra os seguidores de Kylo Ren. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A personagem Rose Tico, que teve bastante importância em Os Últimos Jedi e caiu no esquecimento em A Ascensão Skywalker, continuaria sendo relevante, ao lado de Finn e BB-8, em uma missão para roubar um Cruzador Imperial. Já na trama de Rey e Ren, este teria encontrado com Darth Vader no Sonho da Força e ficado frustrado ao saber que o vilão se redimiu no final. E no encontro final entre ambos, Ren revelaria que foi ele quem matou os pais de Rey e deixou-a órfã. Rey contra um monstro na floreta de Mortis (Imagem: Reprodução/Colin Trevorrow) Muita gente que viu esse roteiro perdido disse que gostaria mais de ver essa versão e, talvez pela ótima recepção, Trevorrow decidiu compartilhar vinte peças de arte conceitual de Duel of Fates, incluindo as anotações que explicam detalhes das sequências. São ilustrações incríveis, que trazem Poe e Rey em uma Razer Sail enquanto fogem dos Cavaleiros de Ren em Bonadan, planeta onde Poe morou com seu avô e que também está bem caracterizado. Todas estão hospedadas no Imgur e você pode ver algumas delas, com a confirmação do roteirista, no tweet abaixo. Yes, this is from Duel of the Fates. But I’d never kill R2...he just took a bad hit. Happens to all of us. https://t.co/ekGMRUdV2g — Colin Trevorrow (@colintrevorrow) January 24, 2020 Há ainda outras sequências de destaque, como Rey e seu sabre duplo em uma luta diante de um monstro gigante, Luke como um Fantasma da Força segurando a lâmina laser do sabre de Ren, e o General Hux cometendo o seppuku, o ritual suicida de guerreiros japoneses. Como dá para notar, tudo seria bem diferente, e tem muita gente que já declarou preferir essa versão. E você, qual das duas achou melhor? Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Organização que defende liberdade de imprensa se posiciona sobre Glenn Greenwald NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja Mais

Segundo caso de coronavírus é confirmado nos Estados Unidos

Segundo caso de coronavírus é confirmado nos Estados Unidos

canaltech Hoje, (24), o centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) norte-americano confirmou o segundo caso do novo coronavírus chinês nos Estados Unidos. A paciente, residente de Illinois, Chicago, é a segunda pessoa a contrair o vírus, provisoriamente chamado 2019-nCoV, no país. No início desta semana, o OCD já havia identificado o caso de um homem na cidade de Seattle, em Washington. A paciente tinha voltado de Wuhan, cidade chinesa marcada por ser o epicentro do surto, para Chicago, no dia 13 de janeiro. Atualmente, está em condição estável ​​e bem, de acordo com informações obtidas pela Scientific American. Fora dos Estados Unidos, o número de infecções relatadas na China está subindo rapidamente. Autoridades de saúde chinesas já falam em quase 900 casos e pelo menos 26 mortes. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Segundo caso do novo coronavírus chinês é identificado nos Estados Unidos (Foto: Reprodução/ Medscape) Implicações do caso Para a Dra. Nancy Messonnier, diretora do Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias do CDC, o segundo caso em território norte-americano é um alerta de que o país, provavelmente, verá mais casos surgindo nas próximas semanas. Inclusive, pode acontecer disseminação interna entre pessoas que tiveram contato com os infectados, à medida que esse surto segue em expansão continua. Atualmente, Messonnier também afirma que até agora 63 pessoas estão "sob investigação" nos EUA. "Esta é uma situação que muda rapidamente, tanto no exterior quanto no mercado interno", explica a diretora. "Esperamos mais casos nos EUA e provavelmente veremos alguns casos entre contatos próximos de viajantes e transmissão de humano para humano", conclui Messonnier. Fique por dentro: Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas China confirma a transmissão entre humanos de vírus misterioso no país Direto da China, novo vírus misterioso infecta 60 pessoas e mata uma Pronunciamentos oficiais Apesar da escalada do surto, a Organização Mundial da Saúde (OMS) optou por não declarar alerta de emergência para a saúde global, em reunião, ontem (23). Isso porque, segundo Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, o surto ainda é uma emergência apenas na China, não constituindo uma crise global. "Ainda pode se tornar um", reconhece o diretor. Já que, provavelmente, os casos continuarão a crescer. "Embora o CDC considere isso uma séria ameaça à saúde pública, com base nas informações atuais, o risco imediato à saúde de 2019-nCoV para o público americano em geral é considerado baixo no momento", diz o comunicado do órgão de saúde norte-americano sobre o segundo caso de infeção pelo vírus chinês. No momento, as autoridades americanas procuram controlar a situação a partir da entrada e saída de pessoas do país. Na quarta-feira (22), o CDC encomendou exames individualizados para todos os voos diretos de Wuhan em cinco aeroportos dos EUA, incluindo os de São Francisco, Nova York e Los Angeles. Esta é uma tentativa de limitar o risco de importação do novo coronavírus para os EUA. Histórico O aumento de casos do novo coronavírus se assemelha geneticamente a outro vírus, o SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave). A epidemia desse vírus parecido aconteceu em 2002 e também se originou na China. Na época, 700 pessoas vítimas fatais da infecção em todo o mundo. No Brasil, houve uma suspeita do vírus, que teria sido trazido a Minas Gerais por uma mulher que viajou a Xangai. No entanto, o Ministério da Saúde negou a contaminação e o Brasil, até o momento, segue isento de casos de infecção por coronavírus. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Testamos o WhatsApp GB | Afinal, é seguro ou é roubada? Veja Mais

Invasão de celular de Jeff Bezos causa dúvidas na comunidade de cibersegurança

Invasão de celular de Jeff Bezos causa dúvidas na comunidade de cibersegurança

canaltech O caso da invasão do celular de Jeff Bezos, fundador, presidente e CEO da Amazon, tomou um novo rumo após especialistas em seguranças dizerem que as evidências postuladas em um relatório técnico primário são “inconclusivas” e “circunstanciais”. Anteriormente, uma firma contratada pelo próprio executivo — FTI Consulting — atribuiu o hack a um arquivo de vídeo corrompido, enviado ao CEO via WhatsApp por uma conta pertencente a Mohammed bin Salman, o príncipe herdeiro, primeiro vice-primeiro ministro e ministro da defesa da Arábia Saudita. “Análise feita pela firma de cibersegurança FTI Consulting descobriu que o malware estava incorporado em um arquivo de vídeo enviado a Bezos por uma conta de WhatsApp pertencente ao príncipe saudita”, disse o relatório da FTI. “O vídeo — um arquivo de pouco mais de 4,4 megabytes [de tamanho] —, era mais do que aparentava, de acordo com uma análise forense comissionada pelo Sr. Bezos para descobrir quem hackeou seu iPhone X. Escondido naquele arquivo estava um pedaço separado de código que muito provavelmente implantou um malware que concedeu aos invasores o acesso a todo o telefone do Sr. Bezos, incluindo suas fotos e comunicações privadas”. Jeff Bezos (foto) fundou e lidera até hoje a Amazon: o executivo, um dos mais ricos do mundo e cheio de relações com vários governos, teve seu smartphone invadido por meio de um malware disseminado via WhatsApp Os leitores do Canaltech mais entusiasmados com notícias de cibersegurança vão reconhecer o padrão: Bezos foi vítima do malware conhecido como Pegasus. Já falamos dele aqui no site em outras ocasiões: ele foi criado pelo israelense NSO Group no intuito de vigiar, primariamente, jornalistas a mando de governos que contratem os serviços do grupo. Especulações dizem que foi por meio dele que o governo saudita acessou mensagens e a localização de Jamal Kashoggi, torturado e morto dentro do consulado árabe na Turquia, em 2018. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Voltando ao caso de Bezos, porém, outros especialistas ouvidos pela mídia estadunidense disseram que o relatório da FTI é baseado em material circunstancial e pouco aprofundado, trazendo ainda espaço para questionamentos: “A informação publicada deixou muitos observadores insatisfeitos. Alex Stamos, o ex-chefe de segurança da informação (CISO) do Facebook, que é dono do WhatsApp, disse que o relatório da FTI não foi suficientemente longe em sua análise. ‘Esse relatório forense não é muito forte. Muitas evidências circunstanciais estranhas, claro, mas nenhuma ‘arma do crime’, por assim dizer’, comentou Stamos. ‘O mais engraçado é que, aparentemente, a FTI tem [o dispositivo] bem na sua frente, eles só não descobriram ainda como testá-lo’”, publicou o site Cyberscoop. Ainda citando o site: “‘Informações satisfatórias sobre a quebra de criptografia do arquivo deveria estar presente na extração forense executada pela FTI’, disse o pesquisador do Citizen Lab, Bill Marczak. (...) Matt Green, professor adjunto de Ciências da Computação da Universidade Johns Hopkins, contou ao Cyberscoop que o arquivo citado no relatório indica que a cifra [chave] para ‘descriptografar’ o download executável estaria contida no próprio arquivo. ‘Isso é criptografado pelo uso de chaves que deveriam estar armazenadas no próprio dispositivo, o que levanta a questão de porque eles não quebraram essa proteção e examinaram o que encontraram’, disse Green”. Jeff Bezos usa - ou usava - um iPhone X, igual ao modelo da foto acima: invasão ao aparelho pessoal do CEO da Amazon veio mediante conversa do executivo com Mohammed bin Salman, príncipe da Arábia Saudita A CNN, porém, indica que nem todos os especialistas discordam da análise supostamente “primária”, ainda que a considerem como tal. À emissora, o engenheiro de segurança e ex-consultor dos departamento de Defesa e de Segurança Interna dos EUA, Kenneth White, afirmou que é extremamente difícil refazer os passos de um hacker “determinado e com bons recursos”: “‘Eu acho que deve ser avaliado o contexto de toda a investigação; isso é só uma parte da história. Alguns dos críticos técnicos sobre como a parte forense e quais dados foram ou não analisados foram justos, mas isso não é de nenhuma forma um caso ‘típico’ de invasão de smartphones, se é que existe algo assim’”. Outro especialista, que falou com a CNN em condição de anonimato, ressaltou que cada caso tem suas peculiaridades e não há um padrão específico que obedeça a todos eles: “Tem uma quantidade absurda de ‘conversinhas’ por aí. Isso não é um filme — as coisas não procedem de uma forma perfeita e limpa. [Uma investigação do tipo] É bagunçada, e decisões são tomadas desse jeito também”. Até o momento, o que todos parecem concordar é com a identidade confirmada de que a conta no WhatsApp de fato pertence ao príncipe Mohammed bin Salman: o membro da família real saudita e Bezos se conheceram durante uma viagem do executivo ao país, mantendo conversas breves pelo mensageiro do Facebook desde então. Entretanto, tanto o governo estadunidense como o saudita negam que a invasão tenha qualquer motivo político, atribuindo o caso a atores com agendas próprias. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor 10 melhores jogos com desconto na promoção de Ano Novo Lunar da Steam Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Broadcom fecha contrato para fornecer componentes wireless para a Apple

Broadcom fecha contrato para fornecer componentes wireless para a Apple

canaltech A Brodacom assinou um contrato com a Apple nesta quinta-feira (23) e se tornou uma das fornecedoras de componentes wireless a serem usados nos novos produtos da fabricante. O contrato prevê que a fabricante terá parceria com a gigante de Cupertino pelos próprios três anos e meio. O novo acordo se soma a outro assinado em junho de 2019, quando a Broadcom se tornou fornecedora de módulos e componentes de radiofrequência para produtos da Apple. Com os dois acordos, o contrato prevê uma estimativa de receita de US$ 15 bilhões para a Broadcom nos próximos anos. Isso também pode ajudar a segurar o setor de chips da fornecedora. Desde o ano passado, ela tenta vender essa unidade, mas ainda não obteve qualquer sucesso. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Como companhia de capital aberto, a Broadcom anunciou o acordo em publicação aberta no seu site para investidores. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Veja Mais

Série de Obi-Wan Kenobi tem gravações adiadas por problemas com o roteiro

Série de Obi-Wan Kenobi tem gravações adiadas por problemas com o roteiro

canaltech Quando tudo indicava que o caminho da saga Star Wars no serviço de streaming Disney+ já estava acertado, agora parece que nem tudo está tão definido quanto imaginávamos. Depois de rumores de que a série de Obi-Wan teria sido cancelada pela Disney circularem nas redes sociais na semana passada, as primeiras informações confirmadas mostram que não é nada tão drástico, mas que há claros problemas com a produção. De acordo com o que múltiplas fontes da Lucasfilms e da Disney+ confirmaram para o The Hollywood Reporter, a série solo do Jedi — que já estava em fase de pré-produção e à procura de pessoas para fechar o elenco — está com todo o processo pausado por conta de problemas com o roteiro. De acordo com o que foi revelado, os executivos da Disney não gostaram dos roteiros escritos por Hossein Amini (da série McMafia) e nem da direção que a história estava tomando. Por conta disso, a Casa do Mickey agora estaria em busca de outra pessoa que pudesse começar a reescrever toda a narrativa da série do zero. Star Wars: A Ascensão Skywalker é uma maravilha técnica completamente esquecível As fontes também afirmam que, por enquanto, não há mudanças nos nomes que já haviam sido confirmados para a série, que continua sendo dirigida por Deborah Chow e contando com Ewan McGregor retornando ao papel de Obi-Wan. Apesar disso, além de pedir para que todo o roteiro seja refeito por outra pessoa, os executivos também mudaram a duração da série, que deixará de ter os seis episódios anteriormente confirmados e passará a ter apenas quatro. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Perguntado sobre o assunto, o ator Ewan McGregor confirmou as mudanças, mas reiterou que a série ainda não foi cancelada, que ele continua no papel principal e que a estreia prevista continua sendo a mesma de antes (apesar de esta ser uma data que ainda não foi publicamente confirmada) e que a única mudança no cronograma é que, ao invés de começarem as gravações na metade deste ano, o início delas foi adiado para janeiro de 2021. The Mandalorian é a melhor história de Star Wars da última década Ainda é incerto o que causou uma mudança de rumos tão brusca com a produção já bastante avançada, mas correm rumores de que o grande problema é de que a história de Obi-Wan estava muito parecida com a da série The Mandalorian, com o mestre Jedi servindo como um protetor para um jovem Luke Skywalker (ou, em algumas versões contadas, uma jovem Leia Organa) e que essa dinâmica entre protetor e protegido estava muito parecida com a existente entre Mando e o Bebê Yoda. E, como a Lucasfilms e a Disney vêm sendo muito criticada por simplesmente repetir as mesmas histórias já contadas em seus filmes, é possível que ela não queira que essa crítica se estenda também às séries - principalmente porque The Mandalorian se tornou uma unanimidade entre as diversas facções do fandom de Star Wars, e a empresa não quer perder esse “voto de confiança” que o sucesso da série acabou gerando para si. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Veja Mais

Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí

Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí

canaltech A Enel Green Power, subsidiária de energia sustentável do Grupo Enel, iniciou as operações de uma planta de painéis fotovoltaicos em São Gonçalo do Gurgueia, no Piauí. A instalação tem capacidade de 475 MW, com investimentos na casa de R$ 1,4 bilhão. De acordo com a companhia, esta é a primeira vez que a Enel usa um módulo bifacial em seu sistema de painéis. Isso permite que a luz solar seja captada por ambos os lados, gerando um aproveitamento 18% maior. Com potência de 475 MW, a secção será capaz de fornecer 1.200 GWh por ano para a rede do Piauí. Do total, a 265 MW deve ser destinado à cadeia de companhias do mercado brasileiro, sendo que 210 MW pode ser negociados abertamente com outras empresas. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- View this post on Instagram Um Brasil mais sustentável, movido pela energia do Sol. Energizamos o Parque Solar São Gonçalo, maior da América do Sul. Com tecnologias inovadoras, a planta será capaz de gerar mais de 1.200 GWh de energia renovável por ano, evitando a emissão de cerca de 600 mil toneladas de CO2 na atmosfera. Uma grande realização que nos aproxima do nosso objetivo de tornar o mundo mais sustentável. Descubra como estamos deixando o mundo mais verde no nosso site [link na bio] #Renovaveis #Sustentabilidade A post shared by Enel Brasil (@enelbrasil) on Jan 21, 2020 at 10:38am PST Como um processo de energia limpa, a estimativa é de que sejam evitadas 600 mil toneladas de dióxido de carbono enviados à atmosfera todos os anos. Esta é a primeira etapa do projeto. Em agosto, a Enel anunciou a extensão no parque solar de São Gonçalo, com investimentos na casa de R$ 422 milhões. Com isso, a instalação toda deve passar a ter potência extra de 133 MW, totalizando 608 MW no parque todo. Quando estiver completamente funcional, o parque deve oferecer 1.500 GWh em energia. A previsão é de que as operações sejam iniciadas ainda este ano. Além do parque, a Enel também tem outras instalações para energia limpa no Brasil. No total, são cerca de 2.9 GW de potência, sendo 782 MW provenientes de fonte eólica, 845 MW de painéis fotovoltaicos e 1.269 MW de produção hidráulica. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Seguro Desemprego Web: saiba como funciona o serviço online

Seguro Desemprego Web: saiba como funciona o serviço online

canaltech O Ministério do Trabalho tornou possível, desde dezembro do ano passado, pedir o Seguro Desemprego sem precisar sair de casa, totalmente pela Internet. O Seguro Desemprego Web pode ser acessado através do Portal Emprega Brasil, desde que o colaborador demitido tenha em mãos os documentos requeridos e preencha suas informações. Desde 2017, parte do processo podia ser feito pela Internet. Agora, porém, ele é completamente feito online. Como usar o Seguro Desemprego Web Antes de tudo, vale lembrar que só é possível solicitar o Seguro Desemprego se você tiver registro em carteira e foi dispensado sem justa causa. Trabalhadores que se encaixem nas categorias Pescador Artesanal, Bolsa de Qualificação Profissional, Trabalhador Resgatado ou Empregado Doméstico também podem pedir o benefício. -Baixe nosso aplicativo para iOS e Android e acompanhe em seu smartphone as principais notícias de tecnologia em tempo real.- Procurando trabalho? Conheça o Jobr, o Tinder das oportunidades de emprego Documentos necessários É importante ter em mãos o número de requerimento para acessar o Seguro Desemprego Web. Não é necessário emitir esse número, pois ele pode ser encontrado nos documentos de dispensa entregues pelo próprio RH da empresa na hora da demissão. Os demais documentos já podem ser encontrados pelo Governo em seu banco de dados e só serão requeridos caso exista algo de errado com algum deles. Veja no tutorial a seguir: Passo 1: acesse o Portal Emprega Brasil e clique em “Quero me cadastrar” caso você ainda não tenha um login no Ministério do Trabalho. Faça seu cadastro para acessar o Seguro Desemprego Web (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: insira dados como CPF, nome completo, telefone celular e e-mail. Não se esqueça de confirmar o captcha para dar continuidade no processo. Insira seus dados pessoais no cadastro (Captura de tela: Ariane Velasco) Facebook lança aplicativo para busca de empregos Passo 3: caso você já possua uma conta, basta clicar em “Entrar” e, logo depois, em “Já tenho cadastro”. Selecione "Já tenho cadastro" para acessar sua conta no Seguro Desemprego Web (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 4: autorize ou não o uso de seus dados pessoais pelo governo. Autorize ou não o governo a usar seus dados pessoais (Captura de tela: Ariane Velasco) 5 aplicativos para criar e compartilhar currículos profissionais Passo 5: feito isso, basta clicar em “solicitar seguro-desemprego” e inserir o número contido nos documentos da demissão. O próprio site do Seguro Desemprego web exibirá perguntas sobre seu perfil profissional e passos para seguir. Solicitando o Seguro Desemprego web (Captura de tela: Ariane Velasco) Você sabia que era possível solicitar o Seguro Desemprego online? Compartilhe sua opinião nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Veja Mais

AirBnB vai vasculhar redes sociais para evitar hóspedes bêbados e drogados

AirBnB vai vasculhar redes sociais para evitar hóspedes bêbados e drogados

canaltech O Airbnb desenvolveu uma nova tecnologia, capaz de vasculhar a Internet e garimpar em redes sociais dados que podem calcular o risco de alguém destruir uma casa alugada pelo serviço. O software, conhecido como “analisador de características", usará inteligência artificial para marcar as pessoas associadas a drogas e álcool, sites de ódio ou serviços sexuais. A novidade foi cadastrada recentemente no Escritório Europeu de Patentes. Segundo o documento, o sistema digitaliza palavras-chave, imagens e vídeos em toda a web e vincula essas informações a um cliente em potencial, avaliando sua confiabilidade. O programa também examinará os “traços comportamentais e de personalidade”, juntamente com suas verificações habituais de crédito e identidade. Mansão que foi vandalizada por 500 pessoas em Londres (Imagem: Reprodução/The Daily Mail) O desenvolvimento veio como resposta a um processo movido por um dono de imóvel, que acionou o AirBnB no Tribunal Superior de Londres em um caso estipulado em 723 mil libras (o que equivalente a quase R$ 4 milhões). Isso ocorreu após 500 foliões destruírem sua mansão em Chelsea (bairro nobre na capital inglesa) — apesar da reserva ter sido feita para uma família de quatro pessoas. Foram quatro meses para consertar a propriedade, com gastos em torno de 445 mil libras (ou cerca de R$ 2,4 milhões). -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Software pesquisa o noticiário em busca de pistas Entre os recursos do programa, está a capacidade de digitalizar notícias que possam ser sobre uma pessoa em particular, como um artigo relacionado a um crime, e depois avaliar a gravidade desses delitos. Os traços negativos procurados incluem "neuroticismo e envolvimento em crimes" e "narcisismo, maquiavelismo ou psicopatia" e são classificados como “não confiáveis". Esses dados serão usados prever como o indivíduo se comporta na vida real e farão referência cruzada com informações como 'conexões sociais', histórico de empregos e educação. Isso tudo poderá levar a uma maior compatibilidade entre o anfitrião e os hóspedes, seja para aprovar ou negar o aluguel de um imóvel. Imagem: Reprodução/AirBnB Na verdade, o AirBnB já possui uma ferramenta que, atualmente, calcula algumas “reservas de risco”. "Usamos análises preditivas e aprendizado de máquina para avaliar instantaneamente centenas de sinais que nos ajudam a criar um alerta e investigar atividades suspeitas antes que elas aconteçam", destaca a companhia. A aquisição da startup Trooly, que checa antecedentes criminais, foi feita justamente para auxiliar nessa tarefa. "Embora nenhum sistema de triagem seja perfeito, globalmente, verificamos os anfitriões e os hóspedes em relação às listas de controle, terroristas e sanções. Nos Estados Unidos, também realizamos verificações de antecedentes criminais." Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Procurando emprego? Glassdoor agora compara empresas e organiza suas ideias

Procurando emprego? Glassdoor agora compara empresas e organiza suas ideias

canaltech Conhecido como um dos maiores sites de recrutamento e vagas do mundo, o Glassdoor introduziu nesta sexta-feira (24) dois novos recursos — tanto no site quanto no app para dispositivos móveis — que deverão ajudar os profissionais a gerenciar todo o processo de busca de emprego em uma única experiência: a Comparação de Empresas e o Coleções. Sabe quando você está em dúvidas sobre qual celular comprar, e utiliza aqueles sites de comparações que colocam dois ou três modelos lado a lado para você bater as especificações e decidir qual é o mais adequado para suas necessidades? A ferramenta de Comparação de Empresas funciona exatamente da mesma forma. Assim, antes de finalizar uma contratação, os usuários podem efetuar uma comparação entre quaisquer duas empresas do banco de dados da Glassdoor, colocando no páreo questões como oportunidades de carreira, remuneração e benefícios, e o quão positivamente a companhia é vista pelos próprios funcionários, ajudando o usuário a decidir se aquela é mesmo uma ótima oportunidade de carreira ou apenas um lugar que irá pagar suas contas, mas no qual não há muito espaço para crescer. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Com a ferramenta Comparação de Empresas, é possível comparar a performance de duas companhias diferentes sob os mesmos critérios de análise (Imagem: divulgação/Glassdoor) Já o Coleções deverá servir como uma espécie de “pastinha” onde você poderá organizar tudo o que estiver relacionado à busca por emprego na plataforma, permitindo criar listas de vagas, perguntas que você deve fazer na entrevista, além de salvar avaliações de empresas e médias salariais de um cargo para consulta rápida. Além disso, o recurso também oferece recomendações de vagas personalizadas com as habilidades e conhecimentos do usuário, ajudando-os a conseguir o trabalho ideal para avançarem em suas carreiras. Com o recurso Coleções, é possível organizar em um único lugar todas as informações referentes à busca por um novo emprego (Imagem: Divulgação/Glassdoor) De acordo com Paul Goldshteyn, líder de produto do Glassdoor, procurar emprego é uma experiência geralmente estressante, e o fato de muitas vezes ela estar toda dispersa, com o candidato tendo que utilizar vários aplicativos e sites diferentes para se manter em dia com as oportunidades, faz com que isso se torne ainda mais estressante. Por isso, o Glassdoor acredita que esses novos recursos ajudarão os candidatos a concentrarem todas as informações em um único lugar de maneira bem fácil, tornando essa busca por um emprego mais simples de se gerenciar. Tanto a Comparação de Empresas quanto a ferramenta Coleções estão disponíveis no site da Glassdoor e no app da empresa, que pode ser baixado gratuitamente no Android e no iOS. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas

NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas

canaltech Os ursos são animais famosos por sua capacidade hibernar, mas não são os únicos dotados dessa habilidade natural. Vários tipos de esquilos, morcegos e até pássaros podem diminuir a temperatura central de seus corpos a fim de atingir um estado de dormência por semanas ou até meses seguidos. A novidade é que, um dia, os humanos poderiam se juntar a esses animais nessa lista. "É muito possível que os humanos possam hibernar", explica Kelly Drew, professora do Instituto de Biologia do Ártico da Universidade do Alasca, que desenvolve pesquisas na área visando viagens espaciais de longa duração. Direto para o espaço Desde 2014, a NASA financia pesquisas sobre a hibernação de longo prazo; afinal, essa é uma maneira de permitir que humanos viajem para o espaço em temporadas cada vez mais longas. Ir até o planeta vizinho, Marte, por exemplo, é algo limitado pelas necessidades humanas dos astronautas, que precisam comer, se movimentar e exercitar a mente. Hoje, isso torna essas viagens impraticáveis. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Caso fosse possível reduzir seus processos metabólicos para quase zero, ou seja, entrar em um estado de hibernação, as viagens espaciais seriam também muito mais econômicas, porque as equipes poderiam levar menos comida e água na espaçonave. Ainda, as naves espaciais seriam menores, pois os astronautas não precisariam de tanto espaço para se movimentar. Com a opção de hibernação, um membro da tripulação poderia permanecer consciente enquanto os outros hibernariam por períodos de duas semanas ou mais. Em um exemplo hipotético, um quarto a menos de uma espaçonave representa várias toneladas a menos de massa a ser enviada da Terra até o Planeta Vermelho, o que implicaria em menos materiais usados na construção e, principalmente, uma quantidade de combustível necessária bem menor para o lançamento. Em outras palavras, tas viagens seriam mais viáveis e custariam menos. Por enquanto, "não conseguimos encontrar nenhum obstáculo [para a hibernação], por qualquer motivo que não fosse possível", comenta John Bradford, engenheiro aeroespacial que pesquisa hibernação humana da NASA. Ainda assim, os pesquisadores precisam descobrir como colocar humanos em segurança nesse estado dormente. Desafios para humanos (Imagem: SpaceWorks Enterprises) A grande barreira das pesquisas até agora é que os humanos parecem ter um ponto fixo de temperatura corporal, em torno de 36,5ºC, com alterações muito pontuais ao longo do dia, como uma queda de temperatura que acontece enquanto a pessoa dorme. Em outros casos, a temperatura também pode mudar como uma indicação de perigo, como em estado de febre ou hipotermia. Ainda mais greve, no caso dos humanos a oscilação de alguns graus pode significar a diferença entre saúde e morte iminente. Bem diferente dos animais que naturalmente hibernam, que apresentam quedas bruscas da temperatura corporal. Só que ainda há esperança para a espécie humana, porque, como Drew explica, não há uma "molécula de hibernação" ou órgão que os humanos não tenham, quando comparados aos outros animais. De fato, essa mudança brusca só pode ser induzida em circunstâncias extremas, como o caso da - ainda experimental - animação suspensa, por exemplo. Para salvar vidas, essa técnica envolve o resfriamento rápido do corpo de um paciente, para uma temperatura de 10 a 15 graus Celsius, e substitui seu sangue por uma solução salina com baixas temperaturas. Nessa condição, o corpo humano desacelera todos os processos fisiológicos vitais através meios externos, sem que isso leve à morte do indivíduo. Assim, a respiração, a pulsação e outras funções involuntárias continuam a ocorrer, mas só podem ser detectadas por máquinas, por causa da baixa frequência. O limite de procedimento é, até agora, de poucas horas, e só pode ser usado em casos de quase-morte. Dessa ou de outra maneira, se os cientistas da NASA conseguirem induzir a hibernação humana por longos períodos e de maneira segura, caminhos serão abertos para um tipo inédito de exploração do espaço sideral. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Novidade! Android 10 finalmente chega ao Moto G7 Plus

Novidade! Android 10 finalmente chega ao Moto G7 Plus

canaltech Enquanto surgem as primeiras especulações sobre o Android 11, a versão atual segue sendo distribuída para mais (e novos) aparelhos. Desde segunda-feira (20), a Motorola iniciou às atualizações do modelo Moto G7 Plus para o Android 10. Isso depois de já ter atualizado outros dispositivos da empresa, como os Motorolas One Vision, One Power e One Hyper. Com a atualização para o Android lançada oficialmente em setembro do ano passado, este será o primeiro aparelho da linha Moto (e que não faz parte da linha One) a receber a versão. Confira quais smartphones irão receber a atualização do Android 10 Descubra as principais novidades do Android 10 A boa notícia é que os usuários do Brasil serão os primeiros a receber essa atualização, de acordo com um documento da Motorola encontrado pelo site XDA Developers: “a atualização para o Android 10 começou em 20 de janeiro de 2020, sendo lançada em etapas. Esperamos que todos os dispositivos recebam o update até 20 de fevereiro de 2020.” -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Motorola começa as atualizações da linha Moto G para o Android 10 (Foto: Divulgação/ Motorola)Caption Com a atualização para o Android 10, os usuários do Moto G7 Plus poderão acessar o modo escuro em todo o sistema, além de ter mais controles de privacidade à disposição. Agora, é só aguardar pela notificação e iniciar o processo. Ainda não se sabe quando as outras verões do Moto G7 e Moto G8 receberão a atualização do Android 10, mas isso não deve demorar muito mais. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Cientistas conseguem traduzir atividade cerebral de inseto em imagens 3D; veja!

Cientistas conseguem traduzir atividade cerebral de inseto em imagens 3D; veja!

canaltech Cientistas do Google, em parceria com o Janelia Research Campus, do estado da Virgina, nos Estados Unidos, acabam de divulgar o mapa de conectividade cerebral com a maior resolução já feito. A imagem em questão é de um pequeno inseto chamado drosófila, popularmente conhecido como mosca da fruta. No modelo 3D, é possível ver mais de 20 milhões de sinapses responsáveis pela conexão de cerca de 25 mil neurônios cerebrais do bicho. Este tipo de mapa é conhecido como connectomema e, no exemplo, cobre apenas cerca de um terço do cérebro de uma mosca da fruta, que contém nada mais que 100 mil neurônios, enquanto o ser humano possui 86 bilhões. Mosca da fruta (Imagem: Reprodução) Para fazer a criação do mapa, foi preciso fatiar seções digitais do cérebro da mosca em seções com somente 20 mícrons de espessura, o equivalente a um terço de largura de um cabelo humano. Os cérebros das moscas da fruta são simples e têm basicamente o tamanho de uma ponta de alfinete, segundo os cientistas. No entanto, seus comportamentos são bastante complexos. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- A mancha azul destaca a parte do cérebro usada no mapeamento (Imagem: Reprodução/Janelia Research Campus Com as fatias cerebrais prontas, os pesquisadores usaram fluxos de elétrons a partir de um microscópio eletrônico de varredura. Os dados resultaram em aproximadamente 50 trilhões de pixels 3D, que são processados com a ajuda de um algoritmo que faz o rastreamento do caminho de cada uma das células. Foram dois anos de processos para que os pesquisadores da Janelia revisassem o mapa 3D, verificando a rota das sinapses químicas com headsets de realidade virtual e softwares de edição 3D. Os dados obtidos pelos cientistas estão disponíveis para consulta online, assim como um artigo com a descrição de sua metodologia. Veja as imagens em 3D:   Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Brecha no Safari permitia rastrear navegação do usuário

Brecha no Safari permitia rastrear navegação do usuário

canaltech Uma brecha de segurança no Safari, em sua versão para o sistema operacional iOS, permitia que serviços online rastreassem diretamente os hábitos dos usuários. A vulnerabilidade foi descoberta por uma equipe do Google, que trabalha em parceria com a universidade americana de Cornell, em um sistema que foi implementado pela Apple em 2017, justamente, lidava com cookies e outras informações de histórico para tentar evitar essa prática. Trata-se da Prevenção Inteligente de Rastreamento (ITP, na sigla em inglês), que entre outras tarefas, realiza a limpeza de dados e rejeita cookies de terceiros por padrão, como forma de impedir o rastreamento do usuário. Entretanto, de acordo com os achados dos pesquisadores de segurança do Google, esse comportamento poderia ser customizado para, em vez de proteger os usuários, revelar a lista de sites que ele acessa e os serviços que visita. Assim, seria possível que um indivíduo malicioso acompanhasse o histórico de navegação do usuário e até mesmo incluísse determinados domínios em uma lista segura do ITP, permitindo explorações que envolvem a exibição de anúncio ou o redirecionamento involuntário a páginas específicas. Assim, as portas se abririam também para ataques e outros tipos de exploração maliciosa das capacidades do sistema embarcado no Safari. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Na mais grave, por exemplo, os pesquisadores de segurança foram capazes de extrair trechos parciais da caixa de entrada de um serviço de e-mail a partir de buscas realizadas pelo usuário na caixa de pesquisa do sistema. Assim, seria possível encontrar, por exemplo, endereços de contatos preferenciais ou compras realizadas em lojas, informações que poderiam levar a tentativas de phishing e outros tipos de intrusão. O estudo publicado pelo time do Google indica algumas soluções de curto prazo, como limitar o número de acessos à lista de sites do ITP, ou desabilitar sistemas de redirecionamento, e permanentes, que envolveriam até mesmo a criação de uma lista global de sites confiáveis, que seria compartilhada entre todos os usuários do navegador. Seja como for e independentemente da solução aplicada, os especialistas afirmam que o problema foi resolvido em dezembro do ano passado, após a Apple ser informada sobre ele. A correção veio em uma atualização, cuja liberação foi confirmada pela empresa. Em comunicado, a Maçã elogiou o trabalho responsável do Google em descobrir e revelar a falha com tempo hábil para que ela pudesse ser resolvida de forma permanente, mantendo a privacidade de seus usuários e a proteção das informações pessoais como maior prioridade. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Veja Mais

Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas

Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas

canaltech A atual grande preocupação de autoridades de saúde no mundo todo é o Coronavírus, o vírus chinês originário na cidade de Wuhan e que já matou 17 pessoas e infectou pelo menos outras 500 em cinco países diferentes. E algo confirmado nesta quinta (23) pela CNN e a Scientific American pode indicar que essa doença pode ser ainda mais perigosa do que se imagina: a de que um único paciente com o coronavírus conseguiu infectar 14 profissionais da saúde que tiveram contato com ele. Isso quer dizer que muito provavelmente a infecção por coronavírus causa uma doença de alto contágio, que consegue contaminar rapidamente qualquer humano que tenha contato com alguém que a possui. Assim, caso os cientistas não descubram rapidamente como evitar o contágio, o vírus chinês pode rapidamente criar uma epidemia a partir de apenas alguns poucos humanos infectados — mais ou menos o que aconteceu na cidade de Nova York no início do século XX, quando uma única pessoa (Mary Mallon, também conhecida historicamente como Mary Tifoide) foi a responsável por iniciar uma epidemia de Febre Tifoide que assolou toda a cidade. Vírus chinês? Minas Gerais investiga possibilidade de primeiro caso Um paciente com carga viral altamente contagiosa foi encontrado na cidade de Wuhan (considerada como o local onde surgiu o coronavírus) e as autoridades de saúde sabem que, quando existe um paciente deste tipo, invariavelmente também existem outros que podem transmitir rapidamente a doença — chamados vetores. Essas pessoas não são como qualquer outro paciente porque, como explica Michael Osterholm, professor e epidemiologista Escola de Saúde Pública da Universidade de Minnesota, possuem um organismo que consegue expelir uma quantidade maior do vírus a cada espirro ou tosse, e por isso são consideradas como de alto contágio. E tudo que uma doença precisa para se tornar uma epidemia é que apenas um desses pacientes saia por locais públicos, espalhando a doença. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- Esforços para evitar a epidemia Tela do jogo Plague Inc., onde o objetivo é criar uma doença para matar toda a população mundial Atualmente, todos os esforços dos profissionais de saúde da China estão voltados para conter a doença e evitar que ela se transforme numa verdadeira epidemia, e é exatamente por isso que algumas medidas drásticas estão sendo tomadas tanto pelas autoridades federais quanto pelas locais. Uma dessas medidas, anunciada nesta quinta-feira (23), é o cancelamento das comemorações do Ano Novo Chinês (que, em nosso calendário gregoriano, acontece no dia 25 de janeiro). A decisão foi feita para se evitar grandes aglomerações de pessoas nas ruas, algo que é comum nessas comemorações, mas que pode tornar essas festas uma catástrofe caso exista ao menos uma pessoa com o vírus. Seria o cenário perfeito para facilitar, e muito, que o coronavírus se espalhasse entre centenas e até mesmo milhares de pessoas em questão de minutos. Novo vírus da China faz nona vítima fatal e chega até a Austrália e os EUA Outra dessas medidas, que também foi anunciada nesta quinta (23), é uma restrição de viagem para todas as pessoas que atualmente se encontram em Wuhan (onde o vírus surgiu) e em todas as cidades vizinhas, transformando-as em zonas de quarentena. Assim, não é mais permitido que qualquer pessoa saia ou entre nessas cidades, em uma tentativa de evitar que o vírus se espalhe para um número maior de locais. Mas, como já foram detectadas pessoas com o vírus até mesmo em outros países (como os Estados Unidos e o Japão), é possível que essa quarentena tenha surgido tarde demais para coibir sua disseminação. A culpa é do morcego? O primeiro caso da doença aconteceu em dezembro do ano passado na cidade de Wuhan, e desde então ela tem se espalhado rapidamente por outras regiões da China e até outros países. O tipo “coronavírus” torna o agente viral uma espécie de “parente” de outros dois vírus que também já causaram pânico nas décadas passadas: o da SARS (Sindrome Respiratória Aguda Grave) e o da MERS (Síndrome Respiratório do Oriente Médio), mas por ser um vírus totalmente diferente desses dois (ainda que pertencendo à mesma família), qualquer remédio ou tratamento desenvolvido para eles não funciona com eficácia para o Coronavírus chinês. E exatamente por ser um coronavírus, que é um tipo intimamente ligado a animais como morcegos, cobras e pássaros, muita gente começou a divulgar na internet que o morcego teria sido o grande causador da doença. Isso porque o animal foi o responsável pelo surgimento do SARS e da MERS, e uma das iguarias culinárias da região de Wuhan é uma sopa feita de morcegos, que é cozida e servida com animais quase inteiros — apenas sem as vísceras do abdome. Após duas mortes, misterioso vírus chinês chega até Japão e Tailândia Mas, apesar de tabloides sensacionalistas britânicos terem começado a divulgar essa história da sopa de morcego ter sido a causadora da epidemia, não há qualquer comprovação científica que ligue esse prato à doença. Além disso, sopas de morcego não são exclusivas da região de Wuhan, e também são pratos existentes na África (em países como Serra Leoa e Guiné), na Oceania e até mesmo na própria Europa (apesar de o costume ter sido deixado de lado, a sopa de morcego foi durante muito tempo uma iguaria da província de Vicenza, na Itália). Culpar um prato comum em diversas regiões do mundo por uma doença que se originou numa cidade em específico parece um tanto exagerado. Além disso, mesmo que o morcego tenha sido o responsável por outras duas doenças parecidas, em ambas a transmissão ocorreu após os humanos terem contato com o morcego vivo, e não com a ingestão do bicho em uma sopa ou qualquer outra "delícia" em que exista a cocção do animal. A sopa de morcego é uma iguaria típica da região de Wuhan (Imagem: Daily Star) A origem seria a cobra Então, nada de morcego: de acordo com os cientistas que estão estudando o vírus, a maior probabilidade é de que ele tenha se originado de algumas cobras, mais precisamente o krait chinês e a naja atra, comuns na região de Wuhan. Usando amostras do vírus que foram isoladas de qualquer contato com células dos pacientes, cientistas chineses conseguiram fazer a leitura do código genético do Coronavírus e tirar fotos da carga genética deles. Em um primeiro momento, o resultado encontrado até tinha familiaridades com o DNA de morcego, mas ao estudá-lo mais a fundo os cientistas descobriram que as proteínas que compõem o vírus tem uma maior similaridade com as encontradas no DNA do krait chinês e da naja atra, ambas espécies que podiam ser encontradas para venda no “mercadão” de onde surgiram os primeiros casos de pessoas infectadas com o vírus. E, assim como ocorreu em outras epidemias, os trabalhadores que foram os primeiros infectados teriam tido contato direto com essas cobras ainda vivas. China confirma a transmissão entre humanos de vírus misterioso no país Por enquanto, ainda é muita cedo para se cravar que o vírus tenha surgido exatamente das cobra ou de outro animal, mas como os morcegos fazem parte da alimentação dessas cobras, uma teoria é de que, assim como com o SARS e o MERS, o coronavírus tenha se desenvolvido dentro de morcegos que foram devorados por cobras, e então teria passado por mutações no corpo do réptil. Isso teria ajudado-o a se tornar tão nocivo para humanos, mas ainda é uma hipotése que precisa ser comprovada por mais estudos. Ainda que não se saiba exatamente de onde surgiu o vírus, a ciência não considera a hipótese de que o transmissor para humanos tenha sido a sopa de morcegos. Essa história que tem dominado as redes sociais muito provavelmente se trata apenas de uma polêmica (fake news) criada para gerar cliques. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

HBO Go ou HBO Now: quais as diferenças entre as plataformas da HBO TV?

HBO Go ou HBO Now: quais as diferenças entre as plataformas da HBO TV?

canaltech Algumas séries, como o sucesso mundial Game of Thrones, não estão disponíveis em nenhum outro canal da TV a cabo ou em plataformas de streaming que não pertençam a HBO. Por isso, se algum dia você chegou a acompanhá-las, então provavelmente já pensou em assinar o canal, que é pago até mesmo nos Estados Unidos. Ao pesquisar mais sobre a HBO, com certeza você já reparou que existem duas alternativas de acesso às atrações do canal: HBO Now e HBO Go. O catálogo dos dois é exatamente igual, o que desperta confusão em algumas pessoas. Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! HBO Go e HBO Now: principais diferenças A principal diferença entre a HBO Go e HBO Now está no público para o qual cada uma delas é destinada. Vejamos a seguir. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- HBO Go A HBO Go nada mais é do que o canal HBO na Internet. Inicialmente, a plataforma era destinada somente para quem era assinante da HBO na TV a cabo e permitia, além de acompanhar todo o conteúdo pelo computador, usar também um aplicativo mobile. Tela inicial do HBO GO / Captura de tela: Redação Há pouco mais de um ano, porém, a plataforma foi disponibilizada para não assinantes da TV a cabo, o que significa que mesmo quem não acompanhava o canal na TV pode aderir. Quem já possui acesso através de operadoras como a NET, Oi, Sky, Vivo, entre outras, não precisa pagar nada para acessá-la. Alguns filmes do catálogo da HBO GO / Captura de tela: Redação Quanto ao preço, ela costuma ser mais cara que as demais plataformas do ramo, custando cerca de R$34,90 por mês, valor que contrasta, por exemplo, com a Amazon Prime Video (R$ 7,90 no valor promocional e R$ 14,90/mês). Os melhores serviços de streaming de vídeo disponíveis no Brasil HBO Now A HBO Now permitia acesso de usuários que não eram assinantes da HBO na TV desde antes da HBO Go. Apresentada em 2015, ela permaneceu exclusiva para iOS por três meses após seu lançamento por conta de uma parceria com a Apple. Atualmente, é possível encontrá-la em dispositivos Android, Xbox 360, Xbox One, PS3 e PS4. Agora, vem a principal diferença entre ambas: a HBO Now não está disponível para usuários do mundo todo, mas somente dos Estados Unidos ou em países selecionados. Isso se deve a um contrato de distribuição de conteúdo que não pode ser quebrado pela HBO TV. Aqui no Brasil, somente a HBO Go pode ser acessada. E você, conhece o catálogo da HBO? Já acompanhou alguma série produzida pelo canal? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja Mais

OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800

OFERTA | Amazfit GTS: o

canaltech *IMPORTANTE: fique atento à data de publicação desta matéria, pois todos os preços e promoções estão sujeitos à disponibilidade de estoque e duração da oferta, que tem tempo limitado. Alterações de preço podem ocorrer a qualquer momento, sem prévio aviso. O preço ou valor total do produto poderá ser alterado de acordo com a localidade considerando frete e possíveis impostos interestaduais. Comprar um Apple Watch exige um investimento alto. Felizmente, há opções semelhantes a preço bem mais interessante por aí. E no caso, a “opção semelhante” não é apenas por trazer funções parecidas e design levemente inspirado: trata-se de uma espécie de versão chinesa do relógio inteligente da Maçã, mesmo. O Huami Amazfit GTS, da empresa que é braço da Xiaomi, não fica muito atrás do dispositivo que é sua inspiração em quase nada e custa até quatro vezes menos. E com a promoção da Amazon, você ainda não precisa passar pelo processo de importar o produto da China! Todos os produtos da chinesa vendidos na varejista aqui no Brasil já estão com estoque em território nacional. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Ou seja: você paga direto em reais pelo preço final, sem taxas relacionadas ao processo de importação, recebe o produto rapidinho em sua casa, paga pouco pelo frete (e muitas vezes o frete é grátis), pode parcelar em até 10x sem juros no cartão de crédito, e ainda conta com a Garantia A a Z, que o protege contra eventuais contratempos envolvendo o envio ou o estado do produto recebido. O site pode ser acessado em qualquer navegador, usando qualquer tipo de dispositivo. Sobre o Amazfit GTS   O relógio em si é quase idêntico ao Apple Watch 4. O corpo é feito de liga de alumínio, com medidas de 43,25 x 36,25 x 9,4 mm e pesa 24,8 g, sem a pulseira, que tem 20 mm de largura. É resistente à água e pode ser encontrado em seis cores diferentes: branco, cinza, marrom claro, preto, rosa e vermelho. A tela AMOLED tem 1,65 polegada e oferece boa nitidez com a resolução de 348 x 442 pixels, que resulta em densidade de 341 ppi. Com bateria de 220 mAh, a promessa é de até 14 dias de autonomia, que cai para apenas 25 horas se você mantiver o GPS sempre ligado. A recarga pode durar cerca de 2 horas, segundo a fabricante. O relógio ainda tem sensor de aceleração de 6 eixos, sensor geomagnético de 3 eixos, sensor de pressão de ar e até sensor de luz ambiente. O smartwatch ainda vem com suporte de carregamento magnético e manual de instruções. Além de GPS e GLONASS, o relógio também possui conectividade NFC e Bluetooth 5.0 LE. Apple Watch da Xiaomi a preço reduzido! Você pode comprar o seu Amazfit GTS na Amazon por menos de R$ 800, dependendo da cor que escolher. Veja as opções: Preto: a partir de R$ 797 em até 10x sem juros no cartão de crédito Dourado: a partir de R$ 913 em até 10x sem juros no cartão de crédito Rosa: a partir de R$ 970 em até 10x sem juros no cartão de crédito Quer frete grátis para qualquer lugar do Brasil e sem valor mínimo de compra? Parece bom demais para ser verdade, mas pode acreditar, pois isso é possível: estamos falando do Amazon Prime, serviço por assinatura que, além de permitir comprar qualquer produto identificado com o selo "Prime" sem pagar nada pelo frete — e sem valor mínimo de compra —, ainda oferece uma série de outras vantagens em um verdadeiro "combo" de serviços! Assinantes Prime recebem suas compras mais rapidamente e também ficam sabendo de ofertas relâmpago antes de todo mundo, antes que elas sejam disponibilizadas no site. E as vantagens continuam: o Amazon Prime também dá acesso a serviços de entretenimento como o Prime Video (concorrente da Netflix, com conteúdos originais e exclusivos), o Prime Music (concorrente do Spotify), Prime Reading (com muitos livros e revistas digitais) e Twitch Prime (versão premium da plataforma de streaming de games). Ou seja: por um valor fixo mensal, você tem acesso a tudo isso e ainda tem vantagens na loja virtual! Mas agora vem uma notícia melhor ainda: os primeiros 30 dias de assinatura são gratuitos, e você pode cancelar a qualquer momento sem nenhum tipo de multa. A assinatura mensal custa R$ 9,90 após o período grátis, e se você já se apaixonar pelo serviço durante os primeiros dias de teste, pode escolher a assinatura anual de R$ 89,90 — fazendo isso, você economiza 25% em comparação com o pagamento mensal! Clique aqui e seja você também assinante do Amazon Prime! *O Canaltech Ofertas tem como objetivo informar seus leitores e publicar as melhores ofertas encontradas no varejo brasileiro. Entretanto, não nos responsabilizamos por alterações posteriores nos preços informados, uma vez que as ofertas aqui apresentadas podem ter diferentes períodos de vigência. Recomendamos aos nossos leitores que sigam nossas publicações e participem do nosso grupo de descontos no Telegram para receber as melhores indicações de ofertas assim que elas forem publicadas. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja Mais

Como instalar o Movie Maker no Windows 10

Como instalar o Movie Maker no Windows 10

canaltech Lançado em setembro de 2000, o Movie Maker é o editor de vídeo desenvolvido pela Microsoft que fez muito sucesso há 10 anos. O programa foi substituído pelo Story Remix, software de edição multimídia que edita fotos e vídeos diretamente do aplicativo Fotos, do Windows 10. Mesmo com o programa descontinuado, ainda é possível instalá-lo no sistema através do Windows Essentials, pacote de versões anteriores do Windows. Confira abaixo como baixar e instalar o Movie Maker no Windows 10. O que é e como usar o Windows Movie Maker Como baixar e instalar o Movie Maker no Windows 10 Passo 1: acesse a página de downloads do Windows Live Essentials no site do Internet Archive. Clique em "Windows Executable", na lateral direita da tela. O download será iniciado. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- No lado direito, clique em (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 2: abra o arquivo e clique em "Sim" para iniciar a instalação. Passo 3: após seguir os passos, clique em "Escolher os programas que deseja instalar". Clique em Selecionar programas que deseja instalar (Captura de tela: Matheus Bigogno) Passo 4: marque a opção "Galeria de Fotos e Movie Maker" ou outros programas extras que queira instalar e clique em "Instalar". Selecione Foto Galeria e Movie Maker (Captura de tela: Matheus Bigogno)  Passo 5: espere até que o Movie Maker e os outros aplicativos selecionados sejam instalados. Ao final da instalação dos programas, clique em “Fechar” para encerrar o assistente de instalação. Passo 6: para abrir e utilizar o Movie Maker, acesse a lista de programas no menu “Iniciar” do Windows 10. Pronto! Agora é só utilizar o Movie Maker no Windows 10 (Captura de tela: Matheus Bigogno) E você, o que achou de poder utilizar novamente o Movie Maker no Windows 10? Deixe nos comentários se você irá baixar esta versão do aplicativo para seu PC. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (21/01/2020) Veja Mais

Usuários de iPhone 11 reclamam de bugs bizarros ao conectar com o CarPlay

Usuários de iPhone 11 reclamam de bugs bizarros ao conectar com o CarPlay

canaltech Muitos usuários vêm reclamando junto ao serviço de suporte da Apple nos Estados Unidos sobre problemas ao tentar conectar os iPhone 11, 11 Pro e 11 Pro Max no pareamento sem fio do CarPlay, painel inteligente da Maçã para carros que permite acessar as funcionalidades dos telefones sem ter de manuseá-los. Segundo os relatos, as ações que estavam operando normalmente nos modelos anteriores do smartphone passaram a apresentar falhas bizarras no áudio e na interface nos modelos mais recentes. Entre os automóveis citados, foram listados veículos da BMW, Nissan e Honda, entre outras marcas. Imagem: Reprodução/Apple Suport Community As reclamações no fórum da Apple Suport Community já abarrotam mais de 13 páginas. Entre as mais comuns estão faixas musicais que pulam aleatoriamente sem razão alguma, além de problemas visuais na exibição do display. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Os consumidores tentaram resetar e atualizar os telefones, assim como o firmware do CarPlay, e disseram que os bugs não aparecem nos nos modelos anteriores do iPhone, a exemplo do iPhone X. Vale destacar que problemas semelhantes ocorreram no lançamento do iOS 13 e, aparentemente, tudo havia se resolvido com a chegada do iOS 13.3. Reports of audio cutouts and other glitches on iPhone 11 with wireless CarPlay https://t.co/2rGz2GzM4M by @benlovejoy pic.twitter.com/plqVD64vTa — 9to5Mac.com (@9to5mac) January 22, 2020 A Apple, por enquanto, não emitiu nenhum comunicado oficial a respeito. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Veja Mais

Crítica | Star Trek: Picard revive o autêntico espírito de Jornada nas Estrelas

Crítica | Star Trek: Picard revive o autêntico espírito de Jornada nas Estrelas

canaltech   Star Trek: Picard, a nova série de Jornada nas Estrelas que traz de volta às telinhas o icônico capitão de The Next Generation (TNG), Jean-Luc Picard (interpretado novamente por Patrick Stewart!), estreia nesta sexta-feira (24) no Prime Video, o serviço de streaming da Amazon que está trazendo a produção da CBS ao Brasil. E o Canaltech pôde conferir em primeira mão o primeiro episódio desta série que promete ser um deleite tanto a fãs "das antigas", quanto a novos trekkers que conheceram a franquia mais recentemente — mas que já compartilham o mesmo amor pelas histórias inicialmente criadas por Gene Roddenberry nos anos 1960. Será que a série de Picard atende às expectativas dos fãs, mesmo os mais exigentes? É isso o que você descobre nesta crítica! -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Leia também: Star Trek: Picard | Veja estes episódios antigos para entender a nova série CUIDADO! A partir daqui, esta crítica acaba trazendo spoilers de Star Trek: Picard! Fortes emoções e demônios internos vindo à tona Logo nos primeiros segundos de Star Trek: Picard, a emoção toma conta. Sim, estamos falando de pessoas como a autora desta crítica, trekkers de coração que sentirão arrepios diversos enquanto a nova história do lendário capitão começa a desenrolar. Ok, pode ser que haja um "que" de fangirl aqui, mas, se a nova série não continuasse a história de Jean-Luc respeitando o autêntico espírito de Jornada nas Estrelas, este texto começaria com um tom bem diferente — e certamente decepcionado, para não dizer possivelmente ofendido. Mas, felizmente, não é o que acontece: a produção nos leva de volta ao dia a dia (e às aventuras) deste que é um dos personagens mais memóraveis de todo o universo Star Trek, bem como nos presenteia com alguns de seus colegas igualmente icônicos, como o androide Data — que, apesar de já não estar mais entre nós, permanece "vivo" em lembranças e tem papel fundamental no desenrolar deste início de temporada. Por sinal, a maneira como a nova produção traz Data de volta, sem cair naquele clássico de "morreu, mas passa bem" após alguma ressuscitação clichê, é outro ponto a ser elogiado — e abordaremos melhor essa história mais além nesta crítica. Brent Spiner vive novamente o papel de Data, desta vez para ilustrar memórias de Jean-Luc Picard, já que o personagem morreu em Star Trek: Nemesis, filme de 2002 (Foto: Reprodução/CBS) Jean-Luc, já aposentado da Frota Estelar, agora vive no Chateau Picard, onde estão os vinhedos de sua família na França. Quase 20 anos depois de ter sido visto em ação pela última vez na franquia (em Star Trek: Nemesis, filme de 2002), Picard está um tanto envelhecido, é verdade, mas a idade não parece ter diminuído sua determinação — ele ainda defende os mesmos ideais que pregava tão ferrenhamente em TNG, ainda que sua vida esteja muito mais pacata (para não dizer tediosa) e, hoje, não atue mais como o corajoso explorador espacial que um dia não somente desvendou mistérios do universo, como também garantiu a proteção da humanidade (e outras espécies por aí). Ainda profundamente afetado pela morte de Data, e também não tendo superado a destruição do planeta Romulus (retratada em Star Trek, de 2009) e as consequências que enfrentou após essa tragédia, Picard reaparece com uma aura mais sombria e introspectiva, cheio de demônios internos a serem enfrentados enquanto vive uma nova aventura — e agora sim vamos trazer Data de volta (ou melhor, sua prole). Data ainda vive, mas não como você imaginou Dizem por aí que "você atrai o que deseja", e essa máxima pode ser aplicada em Star Trek: Picard. O ex-capitão não está contente com sua vida de aposentado e vive remoendo sentimentos de culpa esse tempo todo. Lembram dos demônios internos mencionados há pouco nesta crítica? Esses sentimentos negativos mostram que Picard, lá no fundo, gostaria mesmo era de viver novas aventuras, sentindo-se útil e, quem sabe, fazendo as pazes consigo ao, de repente, salvar outro indivíduo da forma que não pôde fazer com seu antigo oficial de ciências (e grande amigo). E, bem, é exatamente isso o que Picard acaba tentando fazer, mesmo sem ter intencionalmente buscado por essa nova jornada. Mas, antes, um pouco de contexto. Em Star Trek: Nemesis, Data se sacrifica pelo capitão, dando sua vida de maneira honrosa como poucos humanos fariam uns pelos outros. Picard tenta parar a ativação de uma arma de destruição em massa na nave Cimitarra, comandada por Shinzon (um clone "do mal" de Jean-Luc), mas, ao perceber que isso seria impossível, acaba matando o inimigo mesmo que isso determinasse sua própria morte, já que ele não conseguiria sair dali. É aí que o heroico androide decide intervir, chegando à nave com um transportador portátil de uso único que acaba sendo utilizado para levar o capitão de volta à sua nave, em segurança, enquanto Data escolhe morrer se isso proporcionasse a destruição da nave vilã e sua arma de radiação — garantindo ainda a integridade de seu capitão. Também vemos nesse filme o androide B-4 (de "before", que significa "antes" em português), que acaba se revelando uma versão anterior de Data. Após a morte de seu parceiro, o capitão descobre que Data havia conseguido copiar sua rede neural para seu "irmão" mais velho e, com isso, seu "espírito" permanece vivo de alguma forma. Data segura a cabeça de B-4 em Star Trek: Nemesis (Foto: Reprodução/Paramount Pictures) Pois bem, agora voltemos a Star Trek: Picard e ao que a morte de Data, bem como sua "permanência" em B-4, tem a ver com a nova trama. Acontece que essa sensação de culpa de Jean-Luc coloca "lenha na fogueira" em sua determinação para ajudar uma misteriosa jovem, que viveu até então acreditando ser uma humana normal, mas Picard, astuto, acaba percebendo que havia algo de androide ali. Lembrando que Data havia conseguido replicar sua rede neural em B-4, Jean-Luc desconfia que a moça pode ser uma espécie de descendente de seu antigo amigo — e ele estava certo. A "filha" de Data está correndo perigo, então Picard vê a oportunidade de ouro de ajudá-la, o que, de certa forma, poderia apaziguar o tormento emocional de não ter conseguido fazer o mesmo pelo "pai". Ou seja: Data "vive", mas não como você pode ter imaginado. Sua essência permanece por aí, aguardando ser encontrada justamente por aquele que seria capaz de enxergá-la e protegê-la. Saída poética e digna de Star Trek para trazer um personagem falecido de volta, sem apelar para explicações fantasiosas na tentativa de justificar uma ressurreição — afinal, Jornada nas Estrelas é ficção científica, e não fantasia espacial. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? O espírito de Star Trek continua vivo, ainda que mais sombrio A "vibe" mais sombria em Star Trek: Picard não se restringe ao capitão, estando presente na trama inicial como um todo, incluindo outros personagens que vão aparecendo pouco a pouco. E isso não é ruim, tampouco estraga a essência de Jornada nas Estrelas, que, desde a série clássica dos anos 1960, tem como "moral da história" a ideia de que podemos evoluir rumo a um futuro melhor — o contrário do que mostram roteiros de distopias, pessimistas em sua essência. Star Trek sempre usou a ficção científica com maestria para vislumbrar uma sociedade em que gostaríamos de viver, contando com a evolução da ciência e da tecnologia para atingir esse objetivo, e a nova série de Picard mantém esse espírito com inteligência, mostrando, contudo, que mesmo nesse futuro tão incrível ainda há muito a melhorarmos. E, claro, é uma delícia enfim descobrir o que acontece com Jean-Luc Picard depois de tanto tempo sem dar as caras na franquia — e ele já chega mostrando que está mais do que na hora de voltar à ativa. Star Trek: Picard estreia nesta sexta-feira (24) no Prime Video com o primeiro episódio, Remembrance. Novos episódios serão liberados semanalmente às sextas-feiras. A primeira temporada da série contará com 10 episódios — e uma segunda já está garantida para o ano que vem! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais

Intel deve cortar preços de suas novas CPUs para combater a AMD, aponta rumor

Intel deve cortar preços de suas novas CPUs para combater a AMD, aponta rumor

canaltech As CPUs AMD Ryzen balançaram o mercado com sua eficiência e custo-benefício, o que fez com que a Intel coçasse a cabeça para pensar no que fazer para barrar seu avanço. Como todos sabem, a empresa deve lançar em breve as novas CPUs Comet Lake. Um rumor, porém, sugere que a Intel deve praticar uma outra política de preços para os novos componentes, tornando-os mais competitivos. De acordo com o DigiTimes, a fabricante de semicondutores pretende reduzir os preços dos processadores para PC no segundo semestre de 2020 a fim de defender sua posição no mercado contra uma AMD que não para de crescer. A fonte dessa informação, de acordo com o DigiTimes, são "várias fabricantes de PCs". A aposta é que a Intel esteja elaborando um plano fragmentado de reduções: primeiro, com os cortes de preços implementados para fabricantes de hardware e parceiros que usam processadores Intel em seus sistemas e, posteriormente, para os consumidores, A previsão de lançamento dos novos Comet Lake, no entanto, é abril ou maio de 2020, e não o segundo semestre como sugere a matéria do DigiTimes. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Os cortes fazem sentido... Não seria a primeira vez que a Intel reduziria o preço dos seus processadores de mesa topo de linha — tampouco nos servidores. Logo, a linha Comet Lake seria terreno fértil para uma atitude como essa se pensarmos em volume de vendas, ainda mais com os Ryzen nadando de braçada. Subsidiar e abrir a carteira também é uma estratégia que a Intel já adotou em outros tempos, sobretudo para combater a AMD. Em outubro de 2019 surgiram boatos de que a fabricante teria um orçamento de US$ 3 bilhões para investir nos processadores Core e Xeon. O slide que divulgava essas informações foi supostamente obtido de uma reunião de vendas e revelou que uma das principais vantagens da empresa era "potência financeira". ...mas podem ter outros efeitos Apesar de um cenário de corte de preços aumentar a competitividade da empresa, nem tudo pode sair tão bem assim. Para começar, os problemas contínuos de produção e fornecimento de CPU da Intel são bem conhecidos e a falta de suprimento dificilmente se encaixa no plano de redução de preços. Os consumidores também não são a única consideração da Intel: a gigante tem acionistas e deve mantê-los satisfeitos. Será que gastar pilhas de dinheiro e cortar preços vai agradá-los? Outra questão importante parece ser a eficiência das novas CPUs. Alguns rumores apontam que a Comet Lake-S, que é o principal processador dessa linha, está com problemas de consumo de energia e aquecimento — embora, até aqui, isso não passe de rumor. Os processadores Comet Lake deveriam ter sido mostrados durante a CES 2020, mas não deram as caras, o que pode corroborar com os boatos de desempenho. Vamos levar tudo em banho-maria e aguardar para ver o que a Intel está preparando. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais

Vice-presidente do Facebook quebra silêncio sobre caso de Jeff Bezos hackeado

Vice-presidente do Facebook quebra silêncio sobre caso de Jeff Bezos hackeado

canaltech Nesta quinta-feira (23), a vice-presidente do Facebook, Nicola Mendelsohn, disse que o caso recentemente relatado do iPhone de Jeff Bezos sendo hackeado, destaca possíveis problemas de segurança nos sistemas operacionais de dispositivos móveis. Mendelsohn não comentou diretamente quando questionada se o Facebook estava investigando, mas disse que a empresa levaria "qualquer alegação muito a sério". "Do ponto de vista do WhatsApp, do ponto de vista do Facebook, o que mais nos interessa (e no que investimos) é garantir que as informações que as pessoas têm conosco sejam seguras e protegidas", afirmou a executiva. O iPhone X do CEO da Amazon teria sido hackeado depois de receber um arquivo da conta pessoal do WhatsApp do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman, de acordo com uma análise realizada pela FTI Consulting. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Basicamente, esse arquivo continha um vídeo exibindo a bandeira da Arábia Saudita e a bandeira da Suécia, juntamente com um downloader criptografado, que desencadeou um "vazamento não autorizado de dados" do telefone de Bezos. Caso de Jef Bezos (CEO da Amazon) hackeado destaca problemas de segurança em smartphones A análise não indicou que nenhuma vulnerabilidade no software do iPhone contribuiu para o ataque relatado, e a Apple ainda não se pronunciou diante do assunto. No entanto, desde o ocorrido, a ONU pediu aos Estados Unidos e outras autoridades que conduzissem uma investigação sobre o príncipe herdeiro. O governo saudita chamou as alegações de que o príncipe herdeiro estava vinculado ao hackeamento do telefone de Bezos de "absurdo" e também pediu uma investigação sobre o incidente. Segundo o Business Insider, o relatório vem depois que o WhatsApp corrigiu alguns problemas de segurança no ano passado. Em maio passado, emitiu uma correção para uma falha que permitiria aos invasores inserir códigos maliciosos nos iPhones e dispositivos Android por meio de uma ligação telefônica. Em novembro, a rede social também corrigiu um bug que poderia permitir a execução remota de código acionada enviando um arquivo de vídeo MP4, se explorado. Vale lembrar que o príncipe também é acusado pelo assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, quem advogava por direito civis no país. Em entrevista ao The Guardian, o especialista em Oriente Médio, Andrew Miller, aponta que o hack a Bezos poderia ser uma forma de encontrar algo para controlar o Washington Post, veículo que cobriu amplamente o caso de Khashoggi. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Samsung Galaxy Fold esgota em seu primeiro dia de vendas no Brasil Não, James Corden não dirige de verdade no quadro Carpool Karaoke Veja Mais

Saiba mais sobre golpe que usa o site do Santander para roubar contas bancárias

Saiba mais sobre golpe que usa o site do Santander para roubar contas bancárias

canaltech Na última sexta-feira (24), o Canaltech noticiou sobre novos ataques de phishing, onde cibercriminosos criam sites falsos do Nubank e Santander para enganar os clientes, induzindo os mesmos a digitarem dados sigilosos, como senhas bancárias e números de cartões de crédito nessas páginas fraudulentas.  Agora, a empresa de segurança ESET dá mais detalhes sobre o golpe envolvendo o Santander, onde o a engenharia social usada nele pode pegar alguns incautos. Confira!  O bom e velho e-mail De acordo com a ESET, os criminosos criaram um elaborado phishing para pegar clientes do Banco Santander, em que um e-mail se disfarça de comunicado oficial e leva o usuário para um site falso que promete atualizar os dados cadastrais mas, na verdade, repassa essas informações para os golpistas. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Tudo começa com o recebimento do e-mail, que foi desenvolvido com muito mais cuidado do que as campanhas mais comuns de phishing. Mas, de acordo com a ESET, é possível reparar em alguns erros de português e outros detalhes para perceber o golpe. No entanto, o comunicado é desenhado para desviar os olhos do usuário desses detalhes e induzi-lo ao erro, obviamente. “O golpe traz o sentimento de urgência às vítimas, informando-as que a senha de acesso será suspensa devido a desatualização de dados cadastrais e que, caso a senha seja efetivamente bloqueada, o envio de um novo acesso pelos correios gerará um suposto custo de R$ 34,22 para as vítimas”, descreveu a empresa de segurança. E-mail golpista tenta enganar usuário por ameaça de cobrança (Foto: Reprodução/ESET) O e-mail tem um link para o potencial cliente do Banco Santander (como trata-se de um phishing, qualquer usuário pode receber, mesmo quem não tem conta no banco selecionado para o golpe) clicar e fazer a suposta atualização necessária. Para atrair ainda mais a atenção do usuário e dar um ar maior de legitimidade, o e-mail tem uma nota de rodapé em que informa que a atualização é gratuita. No corpo da mensagem, a URL parece legítima, mas um usuário mais observador vai notar que, ao passar o mouse sobre o link, não será direcionado para o site oficial da instituição. O endereço para o qual o usuário é levado fica em um site falso, com domínio ativo há apenas 150 dias que simula uma rede de confeitaria, mas sem informações de endereço, por exemplo. Golpistas imitam o site do Banco Santander para roubar informações dos clientes e invadir a conta bancária (Foto: Reprodução/ESET) O link do e-mail leva o usuário a uma página com um aviso que informa ser um ambiente seguro. Ao clicar OK, o navegador é forçado a usar o modo tela cheia, de modo que não dá para ver que se trata de um endereço falso. Mas a aparência é idêntica à do site oficial do Santander, o que dá um ar a mais de credibilidade. E, na hora do desespero, o usuário acaba induzido a não reparar nos detalhes que indicam o golpe. Depois de preencher CPF e senha do cartão, o usuário é levado para uma página similar à de acesso da instituição bancária. Ali, o usuário preenche a senha web e, então, é levado para mais uma página que pede telefone e dados do cartão da vítima. Por fim, a página de “confirmação” de validação dos dados com sucesso e um botão para fechar a página, que direciona a vítima para o site oficial do Santander, “visando aumentar ainda mais a credibilidade do golpe”. Como se proteger Para evitar cair nesses golpes, a ESET recomenda ao usuário manter-se alerta a e-mails que contenham procedimentos como “clique aqui e ganhe uma viagem”, “baixe esse arquivo para não ficar com o nome sujo”, “visite nosso site e ganhe 95% de desconto”, “preencha seus dados ou algo ruim irá acontecer”. Mensagens deste tipo costumam trazer algum tipo de ameaças junto, por isso é sempre bom checar de onde ele veio e observar bem o link antes de clicar. Qualquer mensagem que você receber do banco ou de algum serviço que utiliza, cheque se o endereço do remetente realmente está vinculado ao site oficial da marca que, em tese, está entrando em contato. Erros gramaticais e links que mostram endereço que não condiz com o domínio da instituição também são indicativos de golpe. Também é bom tomar cuidado com arquivos. Não baixe anexos ou acesse links suspeitos enviados por uma fonte desconhecida ou pouco confiável. Se preferir, você pode instalar antivírus e firewall da sua preferência, e configurar todas as soluções de proteção para que se mantenham ativas e possam bloquear ameaças, sejam elas vindas por arquivos ou pela internet. É importante também manter todos os softwares atualizados, tanto o sistema operacional quanto os aplicativos, no computador e no smartphone. Esses updates são importantes pois contêm correções, melhorias em suas funcionalidades e principalmente atualizações de segurança. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (17/01 a 24/01) É você, Galaxy Note? Vaza imagem de celular da Motorola com caneta tipo S Pen Brasil já está se preparando para possíveis casos de coronavírus Energia do sol | Enel inicia operações de parque solar de 475 MW no Piauí Veja Mais

Apple libera beta 3 para desenvolvedores do macOS 10.15.3

Apple libera beta 3 para desenvolvedores do macOS 10.15.3

canaltech Nesta sexta-feira (24), a Apple liberou para todos os desenvolvedores parceiros da empresa a terceira versão Beta do macOS Catalina 10.15.3. A nova versão de testes do sistema operacional para computadores da Apple foi disponibilizada alguns dias depois da empresa liberar o terceiro beta de seus outros sistemas operacionais (iOS, iPadOS, tvOS e watchOS). Apple vai lançar iPhone de baixo custo em março, aponta rumor Como nos outros dois betas anteriores, essa terceira versão não parece adicionar nenhuma ferramenta ou função nova, com a Apple não divulgando nenhum arquivo de notas do desenvolvedor junto com ele. Isso pode ser um bom indício de que se trata apenas de uma atualização para corrigir bugs e problemas de performance. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Por enquanto, a atualização está disponível apenas para desenvolvedores e pode ser baixada gratuitamente pelo Apple Developer Center. Mas é possível que, nos próximos dias, esse beta também seja liberado em uma versão pública. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

Coronavirus | Xiaomi distribui máscaras para chineses

Coronavirus | Xiaomi distribui máscaras para chineses

canaltech Nas últimas semanas, o mundo inteiro tem se preocupado com o coronavírus, que tem afetado, principalmente, a China. A cidade mais afetada até o momento é Wuhan, que chegou até mesmo a entrar em isolamento. Com isso em mente, a Xiaomi - cuja sede fica em Pequim, também na China - resolveu distribuir máscaras para os moradores dessa cidade, que conta 11 milhões de habitantes. O anúncio da distribuição do primeiro lote de máscaras foi feito pelo Weibo, a principal rede social da China. A publicação acompanhou fotos de caminhões e das caixas contendo os itens, que são, basicamente, máscaras do modelo N95, próprias para ambientes que estejam contaminados. A empresa também doou lotes de termômetros. Caminhão com as caixas de máscaras e outros suprimentos enviados pela Xiaomi, destinados aos moradores de Wuhan, na China (Foto: Weibo) Em nosso boletim atualizado, concluímos que ainda é muita cedo para determinar se o vírus surgiu a partir de cobras ou de outro animal. No entanto, como os morcegos fazem parte da alimentação de diversas espécies desse réptil, a teoria é de que o coronavírus tenha se desenvolvido dentro de morcegos que foram devorados por cobras, passando ainda por mutações, o que ajudou a tornar o vírus tão nocivo para humanos. Por enquanto, trata-se apenas de uma hipotése e que precisa ser comprovada por mais estudos. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- China confirma a transmissão entre humanos de vírus misterioso no país A Xiaomi não foi a única empresa disposta a ajudar a população chinesa. Várias outras estão prestando ajuda à aos afetados, como a JD.com, uma empresa de comércio eletrônico, que prometeu doar 1 milhão de máscaras e outros suprimentos médicos. Por sua vez, a Douyin, companhia que desenvolve um app semelhante ao TikTok, está realizando em seu aplicativo campanhas que trazem informações de prevenção. De acordo com as estimativas oficiais, aproximadamente 900 casos de infecção pelo vírus já foram confirmados na China e, pelos menos, 26 pessoas morreram no país vítimas do coronavírus. Caixas com as máscaras distribuídas pela Xiaomi (Foto: Weibo) Novo vírus da China faz nona vítima fatal e chega até a Austrália e os EUA Para conter a propagação do vírus, o governo chinês suspendeu voos comerciais e os principais sistemas de transporte da área de Wuhan. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cuidado! Novos golpes de phishing usam Nubank e Santander para roubar senhas Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte Galaxy Z Flip | Saiba mais sobre chipset e câmeras do novo dobrável da Samsung Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Veja Mais

O que é e para que serve o arquivo XML

O que é e para que serve o arquivo XML

canaltech O XML, sigla para eXtensible Markup Language, é um tipo de linguagem de marcação que define regras para codificar diferentes documentos. É muito utilizado para a criação de Notas Fiscais Eletrônicas, também chamadas de NF-e, por armazená-las e ainda garantir uma assinatura digital. Nota Fiscal Eletrônica: o que é e como emitir O que é XML Linguagens de marcação são sistemas usados para definir padrões e formatos de exibição dentro de um documento. Em resumo, funcionam para definir como um determinado conteúdo vai ser visualizado na tela ou como os dados serão distribuídos. Essa codificação interna é feita pelo uso de marcadores ou tags. A grande vantagem do XML é facilitar o compartilhamento de dados. Seu armazenamento é feito em texto, permitindo que a leitura seja feita por diferentes aplicativos. Os arquivos nesse formato podem ser atualizados sem perda de informações importantes. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Exemplo de linguagem XML (Foto: Joyreactor.cc) Outra aplicação comum é em assinaturas de RSS, que fornecem conteúdos atualizados automaticamente. É um recurso desenvolvido na linguagem do XML, gerado pela fonte, que fornece o feed ao software utilizado para fazer sua leitura. O que é RSS Como abrir um arquivo XML Um arquivo XML é programado para ter a leitura feita por computadores. Para isso, existem softwares criados que funcionam como leitores desse formato. No caso das notas fiscais, a Receita Federal possui um programa próprio para isso, que pode ser acessado em seu site clicando aqui. Além disso, também existem programas que fazem a conversão do XML para outros formatos de leitura mais acessível, como PDF e CSV, uma extensão lida pelo Microsoft Excel e outros aplicativos de gerenciamento de planilhas. Um exemplo é o Fsist (fsist.com.br) que realiza a conversão pelo próprio navegador. Você utiliza arquivos em XML durante o seu dia-a-dia? Conhece suas vantagens? Comente abaixo! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Organização que defende liberdade de imprensa se posiciona sobre Glenn Greenwald NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja Mais

Crítica | A Possessão de Mary aposta na fórmula do terror, mas falha em envolver

Crítica | A Possessão de Mary aposta na fórmula do terror, mas falha em envolver

canaltech   Qual é a fórmula para um bom filme de terror? Demônios, espíritos, uma história envolvente, mortes, sustos e berros? Bom, se a resposta é tudo isso, A Possessão de Mary, filme dirigido por Michael Goi, resolveu optar por todos, mas o resultado foi desastroso. O longa que chega aos cinemas neste fim de semana conta a história de um barco chamado Mary que está possuído por um espírito antigo e que mata todo mundo que navega em alto mar com ele. Logo no começo do filme, vemos que a protagonista Sarah (Emily Mortimer) sobreviveu, pois ela está contando toda a história na delegacia para uma policial que parece não acreditar nela. À medida que a trama vai se desenrolando, flashbacks dos depoimentos da sobrevivente vão surgindo, mas fornecendo poucas respostas. As bizarrices que aconteceram no barco falham em ser explicadas nessas cenas e acabam deixando o espectador com ainda mais dúvidas. Imagem: Divulgação Em meio à história e sua tentativa de ser aterrorizante, o filme tenta encaixar problemas familiares na trama, justificando a compra do barco. A protagonista teria traído o marido David (Gary Oldman), um pescador, com outro homem, deixando-o traumatizado. Então, ele acaba optando por comprar o barco para finalmente se tornar um capitão, algo que ele diz que precisava. Ou seja, ele tinha essa necessidade para tentar esquecer que foi traído e firmar a sua masculinidade, mas acabou comprando algo amaldiçoado. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Tudo isso, no entanto, é muito raso e pouco desenvolvido, assim como tudo o que acontece nesse filme. Não é contado o motivo exato da traição, mesmo que a traidora claramente não seja mais apaixonada pelo marido, mas finge que sim, enquanto os diálogos são tão profundos quanto uma poça d'água e não gerem empatia para nenhum lado. Voltando ao terror, A Possessão de Mary também falha em reproduzir os fenômenos que acontecem no barco, que resultam mais em sustos completamente gratuitos do que em algo relevante realmente acontecendo. Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! Imagem: Divulgação Quem é Mary? O filme diz ter sido uma sereia que viveu centenas de anos atrás, relembrando de forma vaga lendas antigas em que essas figuras seduziam os marinheiros para o perigo e todas essas coisas. Mas, infelizmente, para a tristeza da memória desse espírito, ele é tão mal retratado no filme que suas aparições parecem mais aqueles vídeos dos primórdios da internet, quando você está vendo cenas que exigem concentração e de repente aparece um monstro com a boca aberta e dentes afiados berrando na tela. A produção do filme economizou no CGI e maquiagem, e isso fica claro não só na forma como o espírito é mostrado, como pelo fato de ele aparecer pouquíssimas vezes, em sua maioria por milésimos de segundo. Imagem: Divulgação A figura de Mary está lá para dar sustos antes de começar a matança e parece gostar disso. Quando você menos espera, ela aparece na tela dando um grito bem alto e abrindo a boca, enquanto os personagens acordam desse pesadelo. Ou ela aparece e você acha que alguém vai ser perseguido, mas na verdade ela simplesmente desaparece na sequência. Ainda na questão familiar, o casal tem duas filhas e, inclusive, uma se chama Mary. É claro que ela é a garotinha que mais tem contato com o espírito, mas nada disso é bem aproveitado. A sereia Mary domina mais os homens, talvez como uma vingança pelo que deve ter passado por ser uma sereia. Imagem: Divulgação Ela controla o corpo do namorado de uma das garotas, que depois de tentar matar o pai da família acaba sendo abandonado na primeira cidade que apareceu e, sem explicação decente, se suicida no hospital. Imagem: Divulgação Depois é a vez do amigo da família que controlava o barco à noite, que é possuído pela Mary e tenta matar a todos. Seu fim, no entanto, foi pior que o do outro rapaz. O que aconteceu com eles dois tenta ser explicado por Sarah, que mais uma vez não é levada a sério na delegacia, tentando evitar ser acusada de assassinato. Por fim, Sarah consegue sobreviver à possessão do barco, mas o que aconteceu com o restante da família fica vago e incerto. O filme acaba de repente, quando descobrimos que Mary está no corpo da protagonista, mas sem nenhuma resposta satisfatória no final. A Possessão de Mary nada, nada e morre na beira da praia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Organização que defende liberdade de imprensa se posiciona sobre Glenn Greenwald NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Cientistas conseguem recriar voz de múmia de mais de 3.000 mil anos; ouça! Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja Mais

Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte

Falha no sistema deixa Curiosity imóvel em Marte

canaltech A NASA anunciou nesta semana que o rover Curiosity sofreu uma falha no sistema que o deixou sem informações sobre sua posição em Marte e, portanto, não se sabe sua localização exata na superfície do planeta. Para evitar acidentes, a agência espacial “congelou” o robô até que seu sistema de localização se recupere. O Curiosity está em Marte há mais de sete anos, realizando diversos passeios e experimentos científicos para investigar o Planeta Vermelho e enviar informações para os pesquisadores da NASA. Lançado em 2012, ele foi planejado para durar apenas dois anos, mas permaneceu funcional e a missão foi prolongada por tempo indeterminado. No entanto, a situação atual forçou a sonda a fazer uma pausa. Marte é um planeta distante o suficiente para que a NASA não consiga controlar diretamente o Curiosity em tempo real. Assim, o rover recebe lotes de comandos e os executa. Mas para que esses comandos sejam enviados, o robô precisa saber exatamente onde ele está, quais são os objetos próximos, qual é a inclinação do solo, além do estado de todas as articulações do robô. Isso garante que o veículo espacial não sofra nenhum acidente. -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Esta imagem mostra o braço do Curiosity estendido para realizar uma análise da rocha com o Espectrômetro de raios X de partículas alfa (APXS). O robô precisa saber o ângulo exato de cada articulação para se mover com segurança (Foto: NASA / JPL-Caltech) De acordo com a publicação da NASA, o Curiosity armazena todos os dados de seus movimentos e posicionamento na memória, “coisas como a orientação de cada articulação, qual instrumento na extremidade de seu braço está apontando para baixo e quão próximo o APXS está do chão”. Ele também armazena o que sabe sobre o ambiente ao redor, “coisas como a inclinação da encosta, onde estão as grandes rochas e onde a rocha se destaca de maneira perigosa” e depois analisa essas informações “antes que qualquer motor seja ativado”. Se algo estiver errado, o motor permanece desligado. Aparentemente algo deu errado durante as operações há alguns dias. Enquanto o veículo espacial executava uma série de comandos recebidos da NASA, perdeu o controle de sua localização e “congelou” para evitar danos, pois ainda não havia somado os dados mais recentes. Ele ainda está em comunicação com a equipe na Terra, no entanto. Felizmente, o problema não é tão difícil de ser resolvido. A NASA desenvolveu um conjunto de instruções que serão transmitidos para a sonda. Quando os dados chegarem lá, eles informarão o Curiosity sobre sua posição e confirmarão seu estado atual. Isso deve permitir que o rover se recupere e continue realizando suas tarefas. A NASA também espera conseguir coletar dados sobre o que causou o problema. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor 10 melhores jogos com desconto na promoção de Ano Novo Lunar da Steam Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja Mais

Polícia Metropolitana de Londres usará reconhecimento facial em tempo real

Polícia Metropolitana de Londres usará reconhecimento facial em tempo real

canaltech A Polícia Metropolitana de Londres comunicou nesta sexta-feira (24) que vai fazer uso da tecnologia de reconhecimento facial para a identificação de pessoas em tempo real. Com essa medida, a corporação londrina se tornará uma das primeiras forças policiais do ocidente a adorarem este software, outrora criticado por questões de privacidade e eficácia. A corporação forneceu poucos detalhes sobre quando e onde a tecnologia seria usada. Em um comunicado, o departamento disse que o software ajudaria a combater crimes graves, como ataques violentos, abordagens com armas brancas e de fogo, exploração sexual de menores e vulneráveis, entre outras situações. É bom lembrar que a polícia metropolitana de Londres não utiliza armas e, em meio à crise política e financeira que o país passou nos últimos anos, as taxas de violência na capital britânica não param de aumentar, também em função da diminuição dos investimentos em segurança. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Mitos e verdades sobre o reconhecimento facial Segundo relatório criminal do Escritório de Estatísticas Nacionais da Inglaterra, de abril de 2018 a maio de 2019, os crimes com facas por lá — e também no País de Gales — aumentaram 8%. Neste período, a polícia britânica registrou 47.136 incidentes envolvendo objetos pontiagudos. Segundo a BBC, houve um esfaqueamento fatal a cada 1,45 dias desde o início do ano até maio. O aumento de 8% significa um aumento de mais de 3.300 incidentes relacionados a facas entre os períodos citados. Imagem: The Independent Debate sobre privacidade A decisão ocorre em meio a um debate mundial sobre o uso de sistemas de reconhecimento facial. Os departamentos de polícia alegam que o software lhes dá uma vantagem tecnológica para capturar criminosos. Já os críticos dizem que a tecnologia é uma invasão de privacidade e está sendo implementada sem um debate público adequado. Sistema está usando suas fotos do Facebook para fazer reconhecimento facial No ano passado, um juiz decidiu que os departamentos de polícia da Grã-Bretanha poderiam usar a tecnologia sem violar a privacidade ou os direitos humanos. O principal órgão regulador de privacidade do governo local levantou algumas questões sobre o uso da tecnologia, assim como um relatório independente de um teste realizado pela Polícia Metropolitana. A tecnologia que Londres deve implementar é mais avançada do que aquelas já em uso, que basicamente combinam uma foto com um banco de dados. Os novos sistemas tentam identificar pessoas em uma lista de vigilância da polícia com câmeras de segurança em tempo real para permitir que os policiais as detenham no local específico. "Todos os dias nossos policiais são informados sobre os suspeitos que deveriam procurar. O reconhecimento facial ao vivo melhora a eficácia desse serviço. Como uma força policial moderna, acredito que temos o dever de usar novas tecnologias para manter as pessoas seguras em Londres", disse Nick Ephgrave, comissário assistente do departamento de polícia, em comunicado. Grupos de privacidade criticaram imediatamente a decisão de Londres e prometeram tomar medidas legais para tentar interromper sua implantação. "Esta decisão representa uma enorme expansão do estado de vigilância e uma séria ameaça às liberdades civis no Reino Unido", disse Silkie Carlo, diretora do Big Brother Watch, um grupo de Londres que luta contra o uso do reconhecimento facial. "Este é um ataque de tirar o fôlego aos nossos direitos e nós o desafiaremos", completou. Nos Estados Unidos, cidades como Nova Iorque, Chicago, Detroit e Washington estão usando ou já testaram essa tecnologia. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor 10 melhores jogos com desconto na promoção de Ano Novo Lunar da Steam Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor

No sigilo! Pornhub lança site na rede Tor

canaltech De olho na privacidade e em fornecer acesso a seu conteúdo em regiões onde é proibido, o Pornhub lançou nesta semana sua versão oficial na rede Tor. O foco, claro, é o anonimato, permitindo que os usuários naveguem pelos milhões de vídeos pornográficos do serviço no sigilo, sem deixarem rastros para provedores de internet, sistemas de vigilância e o próprio computador utilizado para fazer isso. Como se trata de um mirror, a nova versão do Pornhub traz todo o conteúdo disponível no site comum acessado pelo protocolo HTTP, mas com alguns recursos desabilitados. Por exemplo: não é possível fazer login ou realizar o upload de vídeos, duas medidas voltadas para proteger os usuários de rastreamento e coibir a prática de crimes, como o carregamento de conteúdo ilegal ou não-autorizado sem que os responsáveis possam ser identificados. O principal foco da novidade é a comunidade LGBTQ, principalmente nos países em que há preconceito, perseguição, repressão e, principalmente, proibições oficiais. A promessa é de uma navegação completamente segura para todos, uma das bases da rede Tor, que redireciona as conexões por diferentes nós internacionais de forma a ocultar a origem dos acessos, tornando-os plenamente anônimos e não rastreáveis. -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- No comunicado oficial, o Pornhub cita os exemplos da BBC, Facebook e The New York Times, que como tantos outros serviços também têm suas versões na rede Tor voltadas para garantir a liberdade de informação e a segurança de seus usuários. O mesmo agora vale para um dos maiores sites adultos do mundo, que, nas próprias palavras, deseja ver a confiança dos usuários aumentando com esse movimento. A plataforma pode ser acessada pela URL http://pornhubthbh7ap3u.onion/. O lançamento, de acordo com a empresa, faz parte de um esforço ainda maior em prol da segurança, que vem sendo feito ao longo dos últimos anos e envolve ainda a disponibilização de uma VPN própria, também voltada para proteger o anonimato dos usuários não apenas no uso do serviço, mas na navegação como um todo, e a aceitação de criptomoedas para pagamento de assinaturas de maneira anônima. Com o lançamento, o Pornhub não apenas ganha uma versão não-rastreável, como também passa a estar disponível em países nos quais o acesso a sites adultos é proibido. Novamente, são as características da rede Tor que permitem isso, devido ao redirecionamento de conexões por diferentes nós, fazendo com que bloqueios e firewalls regionais não sejam acionados pelos meios usuais, que envolvem impedimentos diretos por DNS ou URLs a partir de uma lista negra. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Veja Mais

Brecha de segurança permitia acesso a informações da SSP de Goiás

Brecha de segurança permitia acesso a informações da SSP de Goiás

canaltech Uma grave brecha de segurança permitia acessar os dados de mandados judiciais, investigações e processos em andamento da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás. Por meio da vulnerabilidade, era possível acessar informações confidenciais sem qualquer tipo de verificação de credenciais, colocando em risco dados pessoais dos envolvidos e também detalhes sobre o andamento de investigações e procedimentos legais. A falha foi relatada ao Canaltech pelo técnico em redes Mateus Gomes e aparecia no MPortal, um sistema online que permite acesso, por oficiais e autoridades, aos dados da Secretaria de Segurança Pública. O problema é que, antes de carregar a página que exigia a inserção de credenciais de acesso, a plataforma em si era carregada de forma direta, o que permitia sua utilização por pessoas não-autorizadas. A brecha podia ser explorada a partir de qualquer navegador e sem a necessidade de softwares especializados, bastando apenas que o usuário interrompesse o carregamento da página antes da exibição dos campos de login. “Esse tipo de fraqueza ocorre quando o site não possui um controle de acesso adequado para definir o acesso a dados que deveriam ser sigilosos”, explica o técnico. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Páginas de pesquisa por informações de processo eram carregadas antes da verificação por credenciais, expondo dados sigilosos e protegidos (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Segundo ele, existe a necessidade de verificação de autenticação a cada ação, para que apenas pessoas autorizadas possam utilizar o sistema, o que não acontecia no caso do site da SSP/GO. Dessa forma, informações confidenciais como mandados de prisão, procedimentos de investigação e processos poderiam vir a público. “[Tudo isso] poderia ser compartilhado ou vendido para pessoas envolvidas, comprometendo todo o trabalho [dos oficiais]”, completa. Emilio Simoni, diretor sênior do dfndr Lab, laboratório de segurança digital da PSafe, ressalta os riscos aos próprios usuários, uma vez que informações pessoais e sensíveis também constam nos processos. “É bastante comum que cibercriminosos procurem explorar pontos vulneráveis de segurança para roubar conteúdo sigiloso ou bases de dados disponíveis sem senhas de proteção”, explica. Abertura em API do Hotmail permite assumir controle de contas no Facebook Simoni ressalta também o perigo de ataques de engenharia social, um ponto também levantado por Gomes. Enquanto o pesquisador da PSafe indica que as informações vazadas poderiam ser utilizadas para golpes contra aqueles que aparecem citados nos dados vazados, o técnico indica que tentativas desse tipo poderiam ser realizadas também contra os próprios investigadores e policiais, com hackers buscando obter credenciais de acesso a outros sistemas da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás. Isso se deve, segundo ele, ao fato de a interface de pesquisa e inserção de logins ser carregada diretamente na máquina do usuário, que teria acesso ao código-fonte completo da aplicação. Em demonstração feita ao Canaltech, Gomes exibiu um conceito de página manipulada para roubo de credenciais, utilizando a aparência do sistema oficial, mas armazenando as informações confidenciais exibidas pelo utilizador. Em demonstração, especialista mostrou como a exposição do código-fonte completo poderia ser usada para ataques de engenharia social (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) “Um atacante também poderia utilizar de força-bruta para localizar outros diretórios que sofram do mesmo problema de controle inadequado de acesso, aumentando a exposição dos dados”, completou o técnico. Como forma de proteger o sigilo das informações disponíveis no MPortal e o segredo de processos e outros procedimentos judiciais em andamento, nem Gomes nem o Canaltech realizaram qualquer pesquisa no sistema. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás foi notificada, por telefone e por e-mail, em 13 de janeiro. O órgão não respondeu à reportagem na ocasião, mas dois dias depois, na última quarta-feira (15), solucionou a brecha, não mais permitindo o carregamento do sistema antes da inserção das credenciais. Agora, o formulário com login e senha é exibido rapidamente, com o acesso somente sendo possível após essa verificação. Após notificação do Canaltech, brecha foi solucionada e portal da SSP/GO passou a exigir login e senha para acesso ao sistema de pesquisa (Imagem: Reprodução/Felipe Demartini) Em nota oficial, entretanto, a SSP/GO negou a existência de uma brecha que permitiria a visualização dos dados do MPortal. À reportagem do Canaltech, o órgão afirmou que o acesso sem as devidas credenciais é impossível e que apenas a interface da plataforma é exibida para os usuários, “como ocorre com qualquer site ou aplicativo moderno, como instituições financeiras, por exemplo”. Medidas de proteção Como não foi possível verificar se algum tipo de acesso não-autorizado aos dados do portal foi realizado, Simoni alerta para os perigos envolvendo extorsão e engenharia social também no caso dos usuários finais, possivelmente citados em investigações. “É comum que criminosos utilizem esses dados expostos para aplicar golpes personalizados ou tente fazer chantagens em troca de dinheiro”, completa. Vazamento de dados em site adulto atinge seis mil pessoas, incluindo brasileiros Gomes alerta, ainda, para outra vulnerabilidade ainda disponível no MPortal e que pode ser explorada por atacantes. A versão do servidor utilizado pela SSP/GO pode ser visualizada por qualquer usuário que saiba o que fazer e, com isso, abre a possibilidade para novas explorações por meio de brechas conhecidas no sistema, principalmente caso atualizações de segurança ainda não tenham sido aplicadas. “[O ideal seria] sempre atualizar o software e evitar a exposição de arquivos para pessoas não autenticadas, principalmente”, completa o técnico. A Secretaria de Segurança Pública do Estado de Goiás, entretanto, não se pronunciou sobre esse assunto específico. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Microsoft está forçando usuários do Office 365 a buscarem com o Bing no Chrome

Microsoft está forçando usuários do Office 365 a buscarem com o Bing no Chrome

canaltech A Microsoft segue tentando emplacar o Bing de todas as formas. Dessa vez, a empresa teve a grande ideia de forçar usuários do Office 365 a instalarem uma extensão para tornar seu mecanismo de pesquisa como padrão no Google Chrome. Irônico, não? O plugin Microsoft Search no Bing será instalado por quem utiliza a versão 2020 do Office 365 ProPlus e tornará o "Bing o mecanismo de pesquisa padrão do navegador Google Chrome", disse a empresa. Essa configuração padrão começa no próximo mês e está definida para ser finalizada em meados de 2020 na Austrália, Canadá, França, Alemanha, Índia, Reino Unido e Estados Unidos. Bing utiliza inteligência artificial para melhorar pesquisas de imagens Essa "iniciativa", por assim dizer, pegou mal entre os usuários e obrigou a Microsoft a mudar um pouco o anúncio, enfatizando instruções para que os administradores e proprietários do Office 365 não instalem essa extensão se não quiserem. Além disso, a empresa indica o que os usuários podem fazer para "parar facilmente de usar o Bing como o mecanismo de pesquisa padrão". -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- Imagem: 9to5Google Se seus usuários decidirem que desejam parar de usar o Bing como mecanismo de pesquisa padrão, eles poderão clicar no ícone da lupa ao lado da barra de endereço no Google Chrome e clicar no botão "Usar o Bing como mecanismo de pesquisa" para e desativar se assim o quiserem. Anúncios do Office estão aparecendo no Wordpad do Windows 10 O argumento da Microsoft para tornar o Bing o mecanismo de pesquisa padrão é o acesso rápido a arquivos, sites do SharePoint, conteúdo do OneDrive, conversas do Teams e do Yammer e outras fontes de dados compartilhadas da empresa. Faz sentido, mas não deixa de ser uma forçação de barra. Um perfil no Twiter chamado SwiftOnSecurity alerta que essa obrigatoriedade de instalação da extensão pode ser classificada pelo Windows Defender como um comportamento de malware. A Microsoft avisa, porém, que a extensão identificada dessa maneira se o Bing já for o mecanismo padrão de busca padrão do usuário. https://t.co/O80yjQr2x0 pic.twitter.com/qtf2T2wb7w — SwiftOnSecurity (@SwiftOnSecurity) January 22, 2020 A Microsoft Search no Bing será instalada em novas contas do Office 365 ProPlus ou quando os perfis existentes do Office 365 ProPlus forem atualizados. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01) Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja Mais

Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01)

Lançamentos da Netflix na semana (17/01 a 24/01)

canaltech O fim de semana está entre nós e uma das melhores maneiras de aproveitar esses dias de descanso é assistir aos lançamentos da Netflix. O serviço de streaming mais popular do mundo adiciona filmes e séries novos em seu catálogo todos os dias e o Canaltech lista todas as novidades para você, além de indicar as melhores opções para você não ficar perdido no meio de tanta coisa. Nesta semana, as séries originais da Netflix estão com tudo e o grande destaque é, sem dúvidas, a estreia da segunda temporada de Sex Education. Depois de um primeiro ano forte, a série britânica traz de volta Otis, Eric, Maeve e companhia em uma jornada prazerosa e extremamente necessária, dando ênfase à necessidade de os adolescentes se descobrirem na mesma medida que precisam estar bem orientados sobre sua sexualidade, relacionamentos e caráter. Se você assistiu à primeira temporada, esta daqui está ainda melhor. Do contrário, se prepare para uma maratona que vale cada segundo. Outro grande destaque é O Mundo Sombrio de Sabrina, que retorna à biblioteca do serviço de streaming para sua parte 3. A trama acompanha a saga da adolescente que dá nome à atração e que descobre ser metade humana e metade bruxa. Desta vez, a trama foca na missão de Sabrina de resgatar o namorado Nicholas nas profundezas do inferno e mostra como ela sempre piora as coisas na tentativa de melhorá-las. Ao todo, são oito episódios, tornando esta temporada a menor da produção. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- O Mundo Sombrio de Sabrina | Tudo que você precisa saber para assistir a parte 3 Quem também retorna à lista de novidades da Netflix é The Good Place, que passou por um hiato de algumas semanas. Agora, os episódios entram na reta final e seguem até o dia 30 de janeiro, quando a produção se despedirá dos expectadores com um capítulo especial com 90 minutos de duração. Se você ainda não começou a assistir a esta última temporada, agora é a hora!   Mas agora vamos falar de séries inéditas que chegaram ao catálogo da plataforma de streaming. A principal delas é Ares, uma produção holandesa que deve satisfazer quem adora terror psicológico. A trama gira em torno de uma universitária ambiciosa que está disposta a fazer qualquer coisa para entrar para a elite da sociedade. Até aí, tudo bem. O problema é o "qualquer coisa" é realmente "qualquer coisa", com a moça se envolvendo com uma sociedade secreta, situações macabras e ambientes, digamos, inusitados. Se você é daqueles que aceitam um conselho, aí vai um: fique com um penico do lado. E quais são os principais lançamentos em matéria de filme? Vamos lá! Para começar a Netflix adicionou ao seu catálogo O Limite da Traição, um drama original recheado de suspense que conta a história de Grace, uma mulher íntegra e dócil. Apesar disso, ela confessa à polícia ter assassinado seu marido, o que não convence uma jovem advogada que resolve partir em busca dos podres dessa história.   Outra adição interessante é a comédia nacional Modo Avião. Estrelado por Larissa Manoela (e a gente sabe que você está torcendo o nariz neste exato momento), o filme surpreende por tratar de um assunto bastante atual: o uso excessivo dos dispositivos móveis. A trama gira em torno de Ana, uma digital influencer interpretada por Manoela que bate o carro enquanto falava ao celular. Depois disso, ela é mandada para a fazenda do avô, onde é submetida ao um detox digital brabíssimo. Há quem diga que esta é a melhor atuação da atriz brasileira — se é verdade ou não, só assistindo para atestar. Filmes, Séries, Musicas, Livros e Revistas e ainda frete grátis na Amazon por R$ 9,90 ao mês, com teste grátis por 30 dias. Tá esperando o quê? 17/01 Ares: 1ª Temporada Era Uma Vez na Montanha: 1ª Temporada Mandou Bem - Alemanha: 1ª Temporada O Limite da Traição Hip-Hop Evolution (16 episódios, 4 novos) Sex Education (16 episódios, 8 novos) The Good Place (48 episódios, 1 novo)   18/01 Chocolate (15 episódios, 1 novo) 19/01 Tudo e Todas as Coisas Chocolate (16 episódios, 1 novo) Pousando no Amor (10 episódios, 2 novos) 20/01 Como treinar seu Dragão Legends: 1ª Temporada O Despertar O Fantasma e a Malandra WHAT DID JACK DO? Reunião de Família (19 episódios, 9 novos) Templários (18 episódios, 8 novos) 21/01 Fortune Feimster: Sweet & Salty Procura-se uma Esposa Seven and a half dates Festa de Palavras (50 episódios, 10 novos) Homens com Missão (151 episódios, 1 novo) 22/01 Meet the Adebanjos: 1ª Temporada Pandemia: 1ª Temporada Whisky 23/01 A Noiva Fantasma: 1ª Temporada Handsome Sibling: 1ª Temporada October Faction: 1ª Temporada Alex Fernández: El mejor comediante del mundo Modo Avião SAINT SEIYA: Os Cavaleiros do Zodíaco (12 episódios, 6 novos)   24/01 Ascensão: Império Otomano: 1ª Temporada goop lab com Gwyneth Paltrow: 1ª Temporada No te puedes esconder: 1ª Temporada A Sun O Despertar O Mundo Sombrio de Sabrina (28 episódios, 8 novos) The Good Place (49 episódios, 1 novo) The Ranch (80 episódios, 10 novos)   Fora de catálogo Os filmes, séries e/ou episódios a seguir saíram do catálogo da Netflix nessa semana. Ilumina nosso Caminho Iceman Homem Irracional Minha Mãe e eu Querem Acabar Comigo Sob Pressão Duelo de Titãs O Despertar O Fantasma e a Malandra Pearl Harbor Jessie (27 episódios removidos) O Quarto dos Esquecidos Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Veja Mais

Usuários do TikTok estão "saboreando" o gosto de molho shoyu...com os testículos

Usuários do TikTok estão

canaltech Bem, as pessoas na web inventam cada desafio viral que não dá, exatamente, para entender de onde saíram as ideias. Mais recentemente, tornou-se febre no TikTok “sentir o gosto” de molho de soja com os... testículos (?!). Não, não há uma forma bonita de se fazer isso, embora o órgão também tenha receptores de paladar, assim como a bexiga, os pulmões e o intestino, não é possível saborear o shoyu com as “joias da família”.  É possível que essa mania tenha surgido depois que alguns incautos leram uma matéria do site Business Insider, que informou, em 2013, sobre um estudo que afirmava que não apenas a boca tinha receptores gustativos, mas também outras partes do corpo. Isso inclui estômago, pulmões, cérebro e, claro, os testículos, que são sensíveis ao umâmi - o quinto gosto fundamental, junto com o salgado, o azedo, amargo e doce - e que o Business Insider define como "o sabor dos aminoácidos no molho de soja". Sim, as células do intestino delgado e do intestino grosso, o revestimento da cavidade nasal, as células cardíacas, a placenta (se você estiver carregando uma), além das células da bexiga, do cérebro e do tronco cerebral também possuem papilas gustativas. -Participe do GRUPO CANALTECH OFERTAS no Telegram e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.- Imagem: Reprodução/NEUROtiker Assim como o cheiro, o paladar é apenas uma questão de seu cérebro interpretar sinais químicos do mundo exterior. O alimento entra na boca e contém uma grande variedade de moléculas, que são identificadas por meio de vários receptores nos poros da língua. Ao associar uma substância ao cloreto de sódio, por exemplo, eles enviam sinais por meio de nervos cranianos até a medula, que, então, interpreta os dados individuais no que conhecemos como sabores. Mas…. as coisas acontecem no seu cérebro Dito isso, fica evidente que grande parte do processo acontece no cérebro, então, somente quando o sinal chega até lá é que ele se torna um sabor. Antes disso, todo o processo pode significar várias coisas para o seu corpo — menos o paladar específico de um alimento. As papilas gustativas em outras partes do organismo, como nos testículos, não são realmente para provar o gosto, e sim para detectar a presença de moléculas que interpretamos como amargas, doces ou salgadas apenas quando estão na nossa língua — até hoje os cientistas ainda não conseguiram desvendar por completo como os receptores funcionam, mas o certo é que, ao longo dos séculos, mutações nesses conjuntos nos ajudaram a nos proteger de produtos químicos na comida ou no ar. E, ainda assim, não é exatamente possível sentir alguma coisa lá embaixo, pois os receptores gustativos por ali desempenham papel crucial na geração de espermatozóides, não ficando na pele, e sim, no interior do órgão. Basicamente, não há uma conexão adequada que leve essa informação das “joias” até o cérebro. Ou seja, se você “saboreou” molho de soja dessa forma e ainda se exibiu no TikTok, é mais provável que você apenas tenha pagado um senhor mico na internet.  Mas, se você quiser apenas dar risada do "experimento", clique aqui e aqui. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Temperatura do corpo humano diminuiu nos últimos 200 anos, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android NASA aposta na hibernação de astronautas para viagens espaciais mais longas Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Veja Mais

Fortnite | Game se torna esporte oficial do ensino médio e universitário nos EUA

Fortnite | Game se torna esporte oficial do ensino médio e universitário nos EUA

canaltech Na última quarta-feira (22), Fortnite, um dos jogos mais populares do mundo, passou a ser um esporte oficial do ensino médio e universitário nos EUA, graças a uma startup sediada em Los Angeles, chamada PlayVS. Para isso, a empresa fez uma parceria com a Epic Games para trazer o título battle royale para torneios oficiais nessas duas modalidades educacionais, em algo semelhante ao basquete ou ao futebol americano, por exemplo.  A PlayVS foi lançada em abril de 2018 com a missão de trazer e-sports para o ensino médio, com uma liga semelhante a de esportes tradicionais. Segundo o portal, as escolas, os pais ou os próprios alunos podem pagar US$ 64 (o equivalente a R$ 256) por jogador para ser colocado em uma liga para competir com outras escolas, como qualquer outro esporte. A proposta da parceria entre a PlayVS e a Epic Games é que haja uma liga semelhante a esportes tradicionais como basquete ou futebol A ideia é que, no final de uma partida, a PlayVS extraia estatísticas e insights diretamente do game, que podem ser disponibilizados aos jogadores, treinadores e fãs. Mas para a startup em questão, esse cenário em universidades apresenta um novo desafio. Desde o lançamento do projeto, mais de 13 mil faculdades aderiram à lista de espera para obter uma equipe de e-sports. Ou seja, a estrutura para organizar essa demanda deve ser colossal.  -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A PlayVS precisa ir diretamente a cada instituição de ensino superior para apresentar sua tecnologia. O site Tech Crunch conta que a startup já levantou US$ 96 milhões (o equivalente a R$ 384) de investidores desde o seu lançamento para colocar esse projeto em pé. Vale lembrar que a primeira temporada da competição oficial de Fortnite será gratuita para usuários já registrados, cortesia da parceria com a Epic Games, e as inscrições para as primeiras temporadas terminam em 17 de fevereiro para as escolas de ensino médio e 24 de fevereiro para faculdades e universidades. A temporada começa oficialmente em 2 de março. O formato da competição será na modalide Duos e as instituições podem enviar quantas equipes quiserem. Os principais times disputarão a chance de ganhar uma vaga no campeonato em maio. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Fábrica da Foxconn nos EUA sairá do papel em 2020, diz fundador

Fábrica da Foxconn nos EUA sairá do papel em 2020, diz fundador

canaltech A fábrica norte-americana da Foxconn, uma das principais montadoras e fornecedoras de componentes para Apple e outras companhias, deve ser inaugurada em 2020. A previsão teria vindo do próprio fundador da empresa, Terry Gou, durante a festa de fim de ano da companhia em Taipei. Desde 2018, a fabricante enfrenta entraves para entrar no país. “Espero que vários colegas da Hon Hai [razão social da Foxconn] possam ir trabalhar nos EUA para ajudar a alavancar a produção norte-americana e construir uma cadeia de fornecedores”, Gou taria dito a funcionários. A informação foi descoberta pelo Bloomberg. Apesar disso, o fundador ainda foi vago sobre cronogramas, sem data específica para a inauguração. O projeto tem investimentos de US$ 10 bilhões, sendo que última estimativa era de início de funcionamento em julho deste ano. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- A projeção é de que a empresa dê emprego para 13 mil pessoas na fábrica norte-americana até 2032. A Foxconn já recebeu US$ 4 bilhões em incentivos, mas ela não contratou o número esperado para isso. Em 2018, foram 156 pessoas contra 260 estimadas, e 2019 foram somente 520. Com isso, a previsão é de que ela inicie suas operações neste ano com pelo menos 1.500 postos de trabalho. O projeto previa um espaço de 1.8 milhões de metros quadrados, mas, depois, foi reduzido para um vigésimo disso. Localizado na região de Wisconsin, a fábrica deve produzir painéis de LCD. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

Kingston alerta para site que usa logo e nome da empresa sem autorização

Kingston alerta para site que usa logo e nome da empresa sem autorização

canaltech Cuidado aí quando for comprar memórias flash: a Kingston Technology emitiu um comunicado, via e-mail, alertando aos comerciantes, usuários e imprensa que o site “distribuidorakingston.com” não faz parte da companhia. Segundo o aviso, o nome e o logo vêm sendo usados ilegalmente e a fraude já foi alvo de Boletim de Ocorrência, feito nesta quinta-feira (23). Página aparenta mesmo ser oficial (Imagem: Reprodução/Distribuidora Kingston) “A Kingston reforça que não fabrica, vende ou distribui eletroeletrônicos ou aparelhos de ar condicionado, por exemplo, como anunciados no referido site, e que seus produtos, como memórias para computador, cartões de memória, pendrives e SSDs, são comercializados exclusivamente via distribuidores de tecnologia, grandes marcas do varejo e pela loja oficial https://www.kingstonstore.com.br”, diz o texto. Segundo a empresa, os únicos domínios oficiais, incluindo de sua frente gamer, são: https://www.kingston.com/br, https://www.kingstonstore.com.br e https://www.hyperxgaming.com/br. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Galaxy Z Flip | Confira informações sobre a tela do aparelho e seu suposto preço Veja Mais

CT News - 23/01/2020 (UPS estaria interessada na privatização dos Correios)

CT News - 23/01/2020 (UPS estaria interessada na privatização dos Correios)

canaltech No CT News em Podcast de hoje: governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios; Apple estaria interessada em investir no Brasil, diz ministro Paulo Guedes; Polícia Civil detém 7 suspeitos de furtar patinetes da Grin e da Yellow e mais. Ouça ao podcast. Veja Mais

Os melhores apps Android da semana (23/1/2020)

Os melhores apps Android da semana (23/1/2020)

canaltech Garantir aquela cervejinha gelada, para quem tem esse hábito, é uma das atividades mais agradáveis, reunindo amigos naquele happy hour descompromissado ou então depois de um estressante dia de trabalho. Mas às vezes, ficamos enjoados de irmos sempre ao mesmo bar e sempre buscamos novas opções. O destaque da nossa lista semanal de apps recomendados atua justamente nesse ponto: unindo tecnologia e o gosto brasileiro por uma “breja”, temos a ferramenta ideal para que você encontre bares dos mais variados tipos, desde os mais comuns em sua região, até cervejarias especiais para quando você tiver com um dinheiro a mais para gastar. Além disso, também trouxemos uma ferramenta de podcasts para quem quer entrar nesse mercado, mas não sabe como e gostaria de fazer isso pelo smartphone; uma nova e mais segura opção de navegador e dois jogos simples e bem divertidos para manter você ocupado nas horas em que precisar descarregar um pouco as energias. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- E então, maiores de idade, bora tomar umas? Tomb of the Mask Em Tomb of the Mask, o seu papel é simples: com um senso estético pixelizado que se assemelha muito ao clássico Pac-Man, você controla um monstrinho e navega por níveis fechados enquanto desvia de obstáculos, buscando chegar ao final sem que nada o impeça. Ao contrário de Pac-Man, porém, o movimento do personagem, ditado aqui pelo swipe que você faz com os dedos na tela, impedem qualquer mudança de trajeto no meio do caminho: se você designou uma direção, ela segue até o final — e pobre de você caso algo se coloque nesse caminho, já que apenas encostar em um obstáculo “mata” seu monstrinho. Claro, há itens que podem aprimorar sua experiência, como duplicadores de pontuação e escudos que asseguram “uma pancada a mais” de tolerância, mas a mecânica aparentemente simplista de Tomb of the Mask esconde um jogo bem desafiador em níveis mais avançados. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Game of Songs Quem aí lembra do saudoso Guitar Hero? Em Game of Songs, essa mesma estética e mecânica é aplicada à tela sensível ao toque do seu celular. O funcionamento é simples: diversas músicas — a maior parte delas, versões remixadas de censura livre para grandes sucesso do cenário pop — estão dispostas a você, que deve percorrer a reprodução em um painel musical, tocando com os dedos as batidas curtas e segurando o toque na tela em notas mais alongadas. Além disso, Game of Songs traz diversos modos de progressão, como mudar de local do cenário conforme a cor (e a cor, por sua vez, mudando no ritmo da música) ou ainda correndo com uma bolinha por um percurso sem tirar o dedo da tela, mudando de “faixa” da pista conforme a música pede. É bem mais complicado do que parece. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Untappd Nosso destaque da semana vai para Untappd, um app de geolocalização que lhe permite encontrar bares — próximos ou distantes — para tomar aquela cerveja gelada com seus amigos e garantir diversas opções de local para o seu happy hour. Você rapidamente cria uma conta e consegue conectar seus perfis no Twitter e Swarm para encontrar e adicionar seus amigos, ampliando sua rede de cachaceiros apreciadores de um bom botequim. Mais além, o app também registra eventos próximos que sejam de seu interesse, como degustações de cervejas especiais ou inauguração de bares específicos. E no intuito de “gamificar” a experiência, não muito diferente dos check-ins do Swarm, o Untappd também confere medalhas que registrem recordes de uso em seu perfil. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Anchor O mote do Anchor é o de ele facilitar a sua entrada no mercado de podcasts, permitindo que você grave seus episódios diretamente pelo celular e sendo especificamente desenhado para direcionar marinheiros de primeira viagem nesse setor. O interessante é que o Anchor conta com algumas ferramentas primárias de estabelecimento de podcasts e até uma leve edição de som, para que você possa realmente contar com o seu smartphone para reproduzir o seu material. Dentre elas, incluem registro de nome do podcast, sugestões de iconografia e ajuste de volumes e tons. E se você duvida que isso tenha alguma penetração de mercado, o Anchor também conta com uma lista de sugestões de podcasts bem famosos — todos produzidos por meio do aplicativo, como Rumble With Michael Moore e Beath too Sandy, Water Too Wet, entre outros. As sugestões também podem ser separadas por categoria e você seguir — e ouvir — a todos eles em busca de inspiração. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Brave Browser Se você é um entusiasta de navegadores alternativos, então com certeza já reconheceu o Brave, que conta com uma versão desktop e agora também chega aos smartphones. O Brave é mais um daqueles que prometem alta segurança e apreço pela privacidade, evitando que cookies sejam armazenados permanentemente e que ad trackers registrem sua navegação e o inundam com publicidades irritantes. Entretanto, um diferencial do Brave é sua pegada voltada à criptoeconomia: o navegador conta com uma espécie de “perfil” virtual onde você se conecta à sua carteira de criptomoedas favorita, permitindo que você mesmo financie, por meio de doações, os seus criadores de conteúdo favoritos. Não é nada diferente do que alguns sites fazem por aí, com links afiliados ou campanhas de financiamento coletivo via Patreon, por exemplo. A diferença aqui é que estamos falando em bitcoins. Ademais, o Brave é movimentado pela engine Chromium, a mesma do Chrome (Google), Vivaldi (Vivaldi) e Edge (Microsoft). Isso significa que qualquer aprimoramento e atualização de melhorias na engine serão automaticamente aplicadas neste navegador, mantendo você constantemente atualizado e seguro. (Montagem: Rafael Arbulu/Canaltech) Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Boletim atualizado: coronavírus viria da cobra, não do morcego, dizem cientistas Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Aqui estão os objetos mais distantes já encontrados no universo — até agora Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Veja Mais

Como ver fotos e Stories arquivados no Instagram

Como ver fotos e Stories arquivados no Instagram

canaltech Uma das funções recentemente elaboradas pelo Instagram foi a opção de arquivar fotos e vídeos publicados nos Stories ou no feed. Os Stories são arquivados automaticamente após 24 horas após sua publicação, enquanto fotos da galeria podem ser salvas nos arquivos manualmente. Vale lembrar que, enquanto as publicações estiverem arquivadas, elas só podem ser visualizadas pelo proprietário da conta. O arquivamento é uma boa maneira de organizar o seu feed para que ele mostre somente o necessário ou as publicações que mais te agradam, sem que você precise excluí-las da sua conta. Filtro no Instagram: como fazer e encontrar novas opções para os seus Stories Como ver fotos e Stories arquivados no Instagram Passo 1: abra o Instagram normalmente e vá até seu perfil. Depois, toque sobre o botão de menu, no canto superior direito da tela e selecione “Arquivar” (para smartphones Android) ou “Itens arquivados” (no iOS). -Canaltech no Youtube: notícias, análise de produtos, dicas, cobertura de eventos e muito mais! Assine nosso canal no YouTube, todo dia tem vídeo novo para você!- Acesse a opção "Arquivar" no menu do Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 2: todos os seus vídeos e fotos do Instagram serão mostrados. Toque sobre um deles para visualizá-lo e, caso queira postar novamente a publicação, selecione “Compartilhar”. Compartilhando um story arquivado no Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Passo 3: caso você queira visualizar somente suas fotos do Instagram que foram arquivadas, selecione “Itens arquivados”, no topo da tela e, depois, toque em “Arquivo de Publicações”. Selecione "Arquivo de publicações" para acessar suas fotos arquivadas no Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) 8 dicas para o sucesso do seu Instagram Passo 4: selecione uma das imagens e, caso queira desarquivá-la, toque sobre o botão localizado do lado direito e selecione "Mostrar no perfil". Também é possível excluir a imagem quando você tiver certeza de que não deseja exibi-la mais em seu feed. Selecione "Mostrar no perfil" para desarquivar uma foto no Instagram (Captura de tela: Ariane Velasco) Pronto. Seguindo os passos acima, você consegue publicar vídeos e fotos no Instagram, seja nos stories, como lembranças, ou em seu próprio feed. E você, sabia que o Instagram contava com essa opção? Gostou da dica? Conte pra gente nos comentários. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos? Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Os 5 melhores filmes de investigação para ver na Netflix Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol OFERTA | Amazfit GTS: o "Apple Watch da Xiaomi" por menos de R$ 800 Veja Mais

Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos?

Por que o FBI precisa da Apple para abrir iPhones de criminosos?

canaltech Novamente, a Apple se viu em confronto direto com o FBI e o Departamento de Justiça (DoJ) norte-americano, ao receber um pedido das autoridades para quebrar os protocolos de segurança de iPhones supostamente usados por criminosos. No caso em mãos, o FBI precisava acessar o conteúdo do smartphone usado pelo atirador da base militar de Pensacola, na Flórida, responsável pelo ataque ocorrido em dezembro de 2019. Assim como o fez em 2016 no caso do iPhone de um dos atiradores de San Bernardino, a Apple se recusou a obedecer às autoridades, alegando que não poderia criar um backdoor específico para aquele modelo e qualquer quebra de segurança implementada afetaria a todos os seus usuários no mundo. A grosso modo, o backdoor de “um” iPhone serviria para acessar/invadir “todos” os iPhones. FBI pede ajuda da Apple para destravar iPhone de atirador de base militar Por diversas ocasiões, o FBI já pediu à Apple que destravasse iPhones usados por terroristas e criminosos, com a empresa negando a ideia e defendendo que a privacidade dos usuários seria prejudicada por isso Não que isso tenha impedido a investigação: pelo auxílio de duas empresas de segurança — a americana Grayshift e a israelense Cellebrite —, o FBI acabou acessando os conteúdos pedidos (tanto em 2019 como em 2016, vale citar). Então, se o FBI possui a capacidade de acessar smartphones travados de criminosos e terroristas por conta própria, por que o Bureau ainda recorre à Apple para pedir por um backdoor que provavelmente nunca virá à existência? -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- A resposta para isso, segundo o The Next Web, a Bloomberg e o New York Times, é tempo e dinheiro. Em 2016, um ano após o atentado de San Bernardino, que deixou 16 mortos incluindo os dois atiradores, o então diretor do FBI, James Comey, disse que o acesso obtido por meio das duas empresas custou à agência federal aproximadamente US$ 1 milhão. Em outro caso, envolvendo o ex-assessor político Lev Parnas, que trabalhava como assessor do ex-prefeito novaiorquino Rudolph Giuliani e estava envolvido na pressão colocada sobre a Ucrânia para investigar ilegalmente um dos rivais do presidente Donald Trump, esse acesso demorou cerca de dois meses. Trump pressiona Apple a desbloquear iPhone e auxiliar investigações Isso porque a Grayshift licencia um acessório de aproximadamente US$ 15 mil, que se conecta a um smartphone e quebra seus protocolos de segurança, efetivamente liberando o seu acesso. Enquanto isso, a Cellebrite vem prestando consultoria em segurança para autoridades americanas há anos. Nada disso deve ser barato: é um contrato governamental, afinal de contas. O FBI dispõe de ferramentas para destravar um iPhone sem depender da Apple, porém isso custa à agência tempo e dinheiro De uma forma resumida, o FBI tem formas de acessar iPhones travados sem depender da Apple, mas tentar forçar a empresa a construir esse acesso em caráter permanente é mais rápido e mais barato à agência. Ainda que, nos casos citados, os modelos usados pelos suspeitos não sejam de última geração: o atirador de Pensacola portava um iPhone 8 Plus e um iPhone 5; os criminosos de San Bernardino tinham um iPhone 5c. O único caso de tecnologia contemporânea é o smartphone de Lev Parnas, um iPhone 11. Falando ao New York Times, o consultor de segurança e professor da Universidade da Califórnia, Nicholas Weaver, disse: “o iPhone 5 é tão velho que é praticamente garantido que a Grayshift e a Cellebrite possam quebrar a segurança dele tão facilmente quanto a própria Apple faria”. Para agradar FBI, Apple teria abandonado criptografia ponta a ponta do iCloud Judicialmente falando, as poucas vezes em que a Apple teve que se defender desses pedidos resultaram em vitória para a fabricante de Cupertino, já que a argumentação dela é a de que tal acesso não pode ser diferenciado para “esse” ou “aquele” iPhone, mas o backdoor pedido seria utilizado em todo e qualquer aparelho lançado pela empresa — no passado e nos modelos futuros. De qualquer forma, o assunto está longe de acabar: segundo o The Next Web, a Apple está preparando o seu corpo jurídico para uma briga, no intuito de defender as suas práticas de privacidade de usuários em frente ao DoJ, ao passo em que a administração governamental dos EUA busca criar uma lei que “estabeleça limites entre a segurança tecnológica e a segurança pública”. E você, está do lado de quem nessa novela? Conte para nós nos comentários abaixo! Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Facebook libera modo escuro para mais usuários no Android Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja Mais

Apple estaria interessada em investir no Brasil, diz ministro Paulo Guedes

Apple estaria interessada em investir no Brasil, diz ministro Paulo Guedes

canaltech O ministro da Economia Paulo Guedes se encontrou com executivos de diversas empresas durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, que acontece desde o dia 21, na Suíça. Entre eles está Tim Cook, CEO da Apple, que teria manifestado interesse em investir no Brasil. “Tim Cook falou que, em 40 dias, vai fazer contato para marcar um encontro com a gente no Brasil. Está interessado em investir em P&D”, disse o ministro à Folha de S.Paulo. Guedes se referia a uma possível intenção de a Apple abrir um centro de pesquisa e desenvolvimento no país. Apple vai lançar iPhone de baixo custo em março, aponta rumor Vïdeo mostra suposto tamanho do iPhone 12 em relação ao modelo anterior Se o interesse for real e se concretizar, a Maçã dá um importante passo para colocar o Brasil entre os principais mercados para a marca. Nos últimos anos, a Apple tem acelerado os lançamentos por aqui, levando menos tempo do que era costume para trazer novas linhas do iPhone, iPad, MacBook e afins. -Feedly: assine nosso feed RSS e não perca nenhum conteúdo do Canaltech em seu agregador de notícias favorito.- O iPhone 11 demorou cerca de um mês entre o anúncio global, em setembro, e o início das vendas no Brasil, que ocorreu em outubro. A Apple também chegou a lançar serviços simultaneamente no país e no resto do mundo, como o Apple TV+ e o Arcade. Porém, a presença física da companhia por aqui segue tímida. A empresa possui apenas duas lojas oficiais por aqui, sendo uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro, e a fábrica nacional está com ritmo lento desde 2017, sendo que a linha de produção de iPads foi encerrada. Enquanto isso, os preços dos produtos com a Maçã estampada seguem altos, apesar de apresentarem crescimento um pouco inferior à inflação e ao câmbio nos últimos anos. O suposto interesse de Cook em investir em P&D no Brasil, no entanto, não deve animar tanto. Claro que isso é bom para a economia, mas quem acha que os preços dos produtos vai cair como consequência disso, se engana. Além do mais, por ora só temos uma fala do ministro da Economia sobre um possível início das conversas. E mesmo se Cook se reunir com autoridades brasileiras, ainda há muito o que fazer até que os investimentos se concretizem. Mais conversas Também de acordo com Guedes, “o presidente da Uber contou que está contratando engenheiros no Brasil”. O ministro se reuniu tanto com Dara Khosrowshahi, CEO da empresa de transportes, quanto com Cook na quarta-feira, 22. Também está prevista uma reunião com o vice-presidente da Huawei, Hu Houkun, com quem Guedes deve conversar sobre serviços de telefonia — possivelmente o interesse da chinesa no leilão do 5G, cuja implementação está prevista apenas para 2022, segundo o ministro Marcos Pontes, da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Outro encontro marcado é com o presidente da UPS, Jai Shoff, para tratar de um possível interesse da companhia na privatização dos Correios. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios Veja Mais

Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios

Governo brasileiro diz que UPS está interessada na privatização dos Correios

canaltech A privatização dos Correios tem despertado o interesse de diversas empresas estrangeiras de logística. Há algum tempo, Alibaba e Amazon manifestaram desejo em participar do processo de desestatização da estatal brasileira. Agora, a UPS também teria demonstrado interesse, afirmam fontes do governo em Davos. O ministro da Economia Paulo Guedes participa do Fórum Econômico Mundial, na Suíça, e teria se encontrado com o presidente mundial da UPS, Nando Cesarone, segundo reportagem do Valor Econômico. A informação reforça uma matéria da Folha de S.Paulo que havia indicado a reunião do ministro brasileiro com representantes da companhia americana de logística. Privatização dos Correios: entenda o que vai acontecer com sua encomenda Segundo o Valor, Guedes e sua equipe teriam apresentado a investidores na Suíça a lista de privatizações e concessões que o governo pretende realizar. Posteriormente, o ministro teria comentado que espera que a venda dos Correios seja concretizada total ou parcialmente “no máximo” em 2021. -Podcast Canaltech: de segunda a sexta-feira, você escuta as principais manchetes e comentários sobre os acontecimentos tecnológicos no Brasil e no mundo. Links aqui: https://canaltech.com.br/360/- A desestatização da companhia de postagem está em processo de estudo de viabilidade e modelagem pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Salim Mattar, secretário especial de Desestatização, afirmou recentemente que essa privatização é a mais complexa entre as mais de 300 empresas que o atual governo pretende vender ainda em 2020. O parecer técnico para a venda dos Correios deve ser apresentado até o final deste ano, provavelmente no último trimestre. É bom notar que a decisão não é unânime, sendo criticada por trabalhadores do setor e até pelo presidente da empresa, que alertou que o interesse de companhias privadas se dá pela parte lucrativa da companhia, enquanto o restante deve seguir funcionando às custas do estado. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity O céu (não) é o limite | O que está rolando na ciência e astronomia (21/01/2020) Veja Mais

Produtora de J.J. Abrams vai adaptar Liga da Justiça Sombria para cinema e TV

Produtora de J.J. Abrams vai adaptar Liga da Justiça Sombria para cinema e TV

canaltech A DC Comics possui um vasto universo de criaturas estranhas e mágicas que atuam secretamente para impedir que criaturas sobrenaturais tomem conta de nossa realidade. Essa equipe, conhecida por Liga da Justiça Sombria, reúne os principais personagens místicos da editora, incluindo alguns populares do extinto selo adulto Vertigo, a exemplo de John Constantine e Monstro do Pântano. Existem planos para levar esse grupo para os cinemas e até para a TV já há alguns anos e, agora, ao que parece, isso realmente deve acontecer em um futuro muito breve. Segundo fontes confiáveis do Deadline, a produtora Bad Robot, de J.J. Abrams, deve conversar com a editora sobre as adaptações. A cineasta Hannah Minghella e o diretor de atrações televisivas Ben Stephenson devem ser reunir nas próximas semanas com representantes de atores e roteiristas para, juntamente com Walter Hamada, presidente da DC Films, decidir quais heróis (no caso, a maioria é vista como anti-heróis) devem ser abordados no projeto. Imagem: Reprodução/DC Comics O diretor de conteúdo Peter Roth e os executivos Susan Rovner e Brett Paul também participarão dessa conversa, o que indica que a Liga da Justiça Sombria dará as caras nas telonas e também nas telinhas. Fora isso, ainda não há mais detalhes, como previsão de lançamentos ou se Abrams será o diretor do filme ou episódios. -Siga o Canaltech no Twitter e seja o primeiro a saber tudo o que acontece no mundo da tecnologia.- Por apenas R$ 9,90 você compra com frete grátis na Amazon e de quebra leva filmes, séries, livros e música! Teste grátis por 30 dias! Guillermo del Toro já esteve envolvido no projeto Como dito antes, há essa vontade de levar a Liga da Justiça Sombria para as telonas há algum tempo. O mais próximo que isso esteve de acontecer foi em 2013, quando o diretor Guillermo del Toro (A Forma da Água, Hellboy) esteve atrelado ao filme. Segundo o próprio cineasta, o roteiro estava pronto e só faltava entrar em pré-produção, porém ele deixou o projeto para assumir outros longas. Em 2014, a Warner Bros escolheu Doug Liman (A Identidade Bourne, No Limite do Amanhã) para comandar a adaptação, mas o processo começou a se arrastar demais e, em maio de 2017, ele também desistiu, alegando conflito de agenda e adiantando que poderia voltar, caso a companhia se decidisse. Imagem: Reprodução/Warner Bros. Depois do sucesso de Matt Ryan no papel de Constantine, o que o levou a aparecer no Arrowverse, e com a boa recepção de Patrulha do Destino e Monstro do Pântano; além da boa animação que adapta a Liga da Justiça Sombria, o assunto voltou à tona e produtores do DC Universe chegaram a admitir que havia planos para a introdução da equipe na própria série do Monstro do Pântano. Nos Estados Unidos, a atual série tem sua formação um pouco diferente da mais popular, sem Constantine e com a presença da Mulher-Maravilha, que definitivamente agora está atrelada ao cantinho mágico da DC Comics. Entre outros personagens conhecidos estão Zatanna, Orquídea Negra, Deadman e Shade. Imagem: Reprodução/DC Comics O jeito é aguardar mais um tempo para sabermos de novidades — e torcermos para que, finalmente, possamos ver esse intrigante, esquisito e interessante time de heróis (e anti-heróis) sair do papel. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Veja Mais

Happn dá cinco dicas do que não fazer na hora de paquerar

Happn dá cinco dicas do que não fazer na hora de paquerar

canaltech Não precisa disfarçar, a gente sabe que você tem (ou pelo menos já teve) aquele famigerado aplicativo para encontrar alguém especial. Para quem está procurando um mozão em 2020, o Happn trouxe a tona uma listinha com cinco dicas do que não fazer na hora de paquerar. Ahh, e vale dar uma conferida na nossa matéria de como a era digital impactou os relacionamentos amorosos, viu?! "Na última década, os aplicativos de relacionamento tiveram um grande crescimento. O namoro online está fortemente inserido na sociedade e novas regras de conduta e etiqueta foram estabelecidas. Infelizmente, nem todas as atitudes na internet são positivas, já que o espaço deu também abertura para comportamentos indesejáveis", justifica Marine Ravinet, Head de Tendências no Happn. Mas vamos à lista: 1. Insistir naquele ex Apesar de o ex ter dito aquela famosa frase "Não é você, sou eu", a pessoa ainda está lá, curtindo suas fotos, comentando os Stories e mandando mensagens aleatórias, e parece querer demarcar território e te deixar na dúvida. Ele ainda orbita infinitamente na sua vida, e a primeira dica do Happn é sair dessa. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- 2. Enrolar alguém Se o date parecia estar se tornando em algo mais sério e você se dá conta que não foi apresentada para nenhum amigo e muito menos para a família, pode ser que estejam te enrolando. Certifique-se de estar sempre com alguém que queira mostrar que está em um relacionamento com você para o mundo - se a relação for genuína, não existe nada para esconder. Happn dá cinco dicas do que não fazer na hora de paquerar 3. Tratar alguém como "apenas mais um" Como nem tudo são flores, às vezes é você que tem uma atitude ruim. Em alguns casos, você até quer investir em um novo crush, mas segue alimentando vários outros "contatinhos" ao mesmo tempo. Isso não é problema, caso eles (ou elas) saibam e concordem com isso. Mas você pode criar problemas caso alguém descubra que só foi convidada para aquela festa ou jantar como "mais uma opção". 4. Investir no "fantasma" Depois do primeiro encontro, o crush te envia uma mensagem dizendo que amou te conhecer, quer um replay etc. Então, ele some. Isso mesmo, ele deixa de te responder, não atende às ligações e não manda sinal de vida. É só depois que você deixa o assunto de lado que ele ressurge, literalmente das cinzas - e ainda age como se nada tivesse acontecido! Será mesmo que esse boy fantasma merece toda sua atenção?  5. Entrevista de emprego Talvez este seja o comportamento mais urgente de se evitar, porque também é o mais comum. Depois de demonstrar interesse no @, ele se engaja numa série de perguntas sobre sua vida pessoal, geralmente sem revelar qualquer detalhe sobre a rotina dele. As questões são sempre as mesmas e te fazem se sentir numa verdadeira entrevista de emprego. Mas geralmente este job não tem salário! "Agora que você já está atento, não custa também avaliar suas próprias atitudes. Demonstre interesse, quando ele for genuíno, e valorize as pessoas que estão ao seu redor. Saiba reconhecer seu valor pessoal", aponta o Happn. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais

As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix

As 10 melhores séries sobre sexo feitas pela Netflix

canaltech A temática sexual vem cada dia mais deixando de ser um tabu e ganhando um espaço maior no mundo do entretenimento. É fato que, desde o início da televisão e do cinema, cenas de sexo estão presentes na tela, agradando uns e deixando os mais conservadores irritados. Se você se encaixa na segunda categoria, bom... não tem como evitar. A sexualidade está presente em todos os seres humanos, então não há motivos para fugir desse assunto. A opção, então, é se entregar para novas descobertas, preferências, entendimento do corpo, entre muitas outras ações que envolvem o sexo, desde que legal e consentido, claro. Se você está buscando esse tipo de informação sexual, ou apenas quer se divertir e apimentar as suas relações vendo o sexo sendo abordado na televisão, o Canaltech preparou uma lista com as 10 melhores séries sobre sexo produzidas pela Netflix. -Podcast Porta 101: a equipe do Canaltech discute quinzenalmente assuntos relevantes, curiosos, e muitas vezes polêmicos, relacionados ao mundo da tecnologia, internet e inovação. Não deixe de acompanhar.- Confira quais são: 1. Explicando... o Sexo Imagem: Divulgação As séries sobre sexo não precisam necessariamente contar histórias, como também podem ser educativas. Na série documental Explicando... o Sexo, por exemplo, que faz parte da saga Explicando, que debate vários temas diferentes e que estão chamando a atenção das pessoas no momento, demonstra fatores ligados ao sexo de forma científica e psicológica. Entre os temas abordados na produção, sob narração da cantora e atriz Janelle Monáe, estão o parto e fertilidade, a falta de anticoncepcionais masculinos, fantasias sexuais, entre outros. Uma verdadeira aula sobre assuntos que não se falam tanto por aí. Explicando... o Sexo conta com apenas cinco episódios e está disponível completa na Netflix. 2. Easy Imagem: Divulgação Se existe uma série que pode gerar constrangimento se você resolver assistir ao lado de seus pais, essa série é Easy. A trama conta a história de diferentes pessoas da cidade de Chicago, nos Estados Unidos, e suas aventuras românticas e sexuais. Prepare-se para ver cenas praticamente explícitas de sexo, mas que não mostram nada menos do que a realidade. Easy já conta com três temporadas na Netflix para você maratonar. 3. Amizade Dolorida Imagem: Divulgação A temática desta série é o sadomasoquismo, um fetiche sexual que envolve sentir dor das mais diversas formas, além do enforcamento e outros desejos que podem ser perturbadores para uns na mesma medida em que é agradável a outros. Em Amizade Dolorida, o personagem Pete, interpretado por Brendan Scannel, reencontra por acaso a sua melhor amiga dos tempos da escola Tiff, papel de Zoe Levin. Durante o reencontro, ela começa a mostrar a ele um pouco de sua vida como dominatrix, profissional que faz do sadomasoquismo seu ganha-pão, e começa a trabalhar com ela. Amizade Dolorida conta com uma temporada, com episódios bem curtos e rápidos de terminar, e já está renovada para uma segunda parte. Amazon Prime chegou ao Brasil e está todo mundo assinando. Já fez seu teste grátis de 30 dias? Clique aqui! 4. Amor e Sexo pelo Mundo Imagem: Divulgação Mais um documentário entra para a lista das melhores séries sobre sexo da Netflix, indicada para quem quer explorar o assunto e ir além: Amor e Sexo Pelo Mundo. Em seis episódios, a jornalista Christiane Amanpour, da CNN, viaja para seis grandes cidades do mundo para descobrir como cada cultura aborda temas envolvendo romance e sexo. Amanpour viaja para Tóquio, Deli, Beirute, Berlim, Acra e Xangai, conversando com entrevistados que contam tudo sobre o lugar em que vivem. Amor e Sexo pelo Mundo conta apenas com uma temporada. 5. Eu, Tu e Ela Imagem: Divulgação A série Eu, Tu e Ela, como o nome já indica, mostra um relacionamento entre três pessoas: Jack, Emma e Izzy. A história começa com Jack e Emma como um casal, até que eles conhecem Izzy, que inicialmente seria contratada apenas como uma acompanhante para apimentar a relação. No entanto, as duas mulheres acabam se apaixonando. A série aborda a temática sexual, mas também mostra como um romance moderno baseado no poliamor pode funcionar, entre dramas, problemas e prazeres. Eu, Tu e Ela já conta com quatro temporadas na Netflix. Leia também: 7 cenas de sexo mais quentes das séries originais da Netflix 6. Big Mouth Imagem: Divulgação Na animação adulta Big Mouth, que estreou na Netflix em 2017, vemos o sexo sob a perspectiva um tanto quanto perturbadora, mas divertida, dos pré-adolescentes Kroll e Goldberg. Os jovens passam por todos aqueles problemas e mudanças enfrentados na puberdade e sua bomba de hormônios. Em Big Mouth, você vai ver o desenrolar das histórias com personagens bizarros, como objetos personificados e falantes. A série já conta com três temporadas, todas disponíveis na Netflix. 7. Hot Girls Wanted: Turned On Imagem: Divulgação Hot Girls Wanted: Turned On foi criada e dirigida por Rashida Jones e conta com seis episódios que mostram diversas mulheres contando sobre suas experiências no mundo da pornografia, em uma época na qual a internet vem facilitando o acesso a esse tipo de conteúdo. Os depoimentos das participantes do documentário mostram como o sexo e a tecnologia afetam a vida das pessoas que atuam na frente e atrás das câmeras. Hot Girls Wanted: Turned On está disponível na Netflix com apenas uma temporada. 8. Gipsy Imagem: Divulgação Na série Gypsy, conhecemos Jean Holloway, terapeuta interpretada por Naomi Watts, que de uma forma perigosa e antiética acaba se envolvendo sexualmente com os seus pacientes, fazendo parte da vida deles de uma forma mais intensa do que deveria. A trama conta com apenas uma temporada, não tendo seguido em frente e sendo cancelada. Mesmo assim, todos os 10 episódios estão disponíveis na Netflix para você maratonar. 9. Elite Imagem: Divulgação Ok, Elite não é exatamente uma série sobre sexo, mas isso é o que não falta por lá. Na trama espanhola, que já conta com duas temporadas, acompanhamos a vida de adolescentes milionários da Espanha e seus envolvimentos com drogas, vícios, relacionamentos abusivos e muito sexo. Vários tipos de sexo. Você pode maratonar as duas temporadas completas de Elite na Netflix, cada uma com oito episódios. Mas atenção: a série é adolescente, mas é melhor tirar as crianças da sala. 10. Sex Education Imagem: Divulgação Por fim, a última série da lista é Sex Education, que acabou de ganhar a sua segunda temporada na Netflix. A produção britânica se desenrola em torno da vida de Otis (Asa Butterfield) e sua mãe, Jean (Gillian Anderson), uma terapeuta sexual que tem muito a ensinar para os seus pacientes. Sex Education possui duas temporadas completas na Netflix e mostra que sexo não é um tabu e precisa ser muito bem explorado para que seja prazeroso para todo mundo. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Veja a lua Fobos no céu diurno de Marte, fotografada pelo rover Curiosity Material mais antigo já encontrado na Terra tem quase o dobro da idade do Sol CAIU O PREÇO | Redmi Note 8 e Mi 9 Lite a partir de R$ 1.035 em 10x sem juros! De olho na Anatel: suposto Moto G8 e mais de Motorola e Samsung Ministro astronauta mostra Terra esférica no Instagram para calar terraplanistas Veja Mais