Meu Feed

Hoje

'Do Mil ao Milhão Sem Cortar o Cafezinho' foi o livro mais vendido de 2020

O Tempo - Diversão - Magazine Há menos autoajuda entre os 15 livros mais vendidos no ano passado; veja a lista Veja Mais

Após clipe com referências de 'Norbit', Mumuzinho diz: 'Queria ser o Eddie Murphy brasileiro'

G1 Pop & Arte No 'The Voice +', ator e cantor fala sobre críticas a elenco 'jovem' de técnicos, período de pandemia e conta como se mantém longe de polêmicas ao longo da carreira. Mumuzinho, jurado do 'The Voice +', fala do programa, carreira e planos Alcione, Alexandre Pires, Djavan, Belo, Zeca Pagodinho, Dudu Nobre, Emílio Santiago, Fundo de Quintal... Esses são alguns dos nomes citados por Mumuzinho quando questionado sobre seus ídolos. Apesar disso, o cantor se espelha em um artista totalmente distante do cenário do samba e pagode nacional quando foca em seus planos. "Eu vou falar isso, mas não é com prepotência, não. Eu queria muito ser o Eddie Murphy brasileiro. Queria fazer diversos personagens. Tenho certeza que ele também canta alguma coisinha", diz o artista de 37 anos e nascido em Realengo, no Rio. O comentário vem quando Mumuzinho explica, em entrevista ao G1, que demorou pouco mais de uma hora para se transformar em Luzinaldo. Ele é um dos personagens do clipe "Playlist", com referências do filme "Norbit", de Murphy. Mumuzinho vira Luzinete e Luzinaldo em clipe de 'Playlist' Guto Costa/Divulgação No clipe, Mumuzinho mostra seu lado ator. O trabalho vem a somar em seu currículo diverso, assim como seu mais recente posto: o de técnico do "The Voice +". Mumuzinho assume uma cadeira no programa após uma breve passagem no "The Voice Kids 2020", quando substituiu Claudia Leitte na reta final da atração. "É uma vitória muito grande estar ali no meio dos três. Acho que todo moleque da minha idade queria estar ali. Hoje me sinto muito feliz", afirma o cantor. Daniel, Ludmilla e Claudia Leitte completam o time de técnicos da atração voltada para cantores acima de 60 anos. Durante o bate-papo, além de comentar sobre a atração, Mumuzinho falou de sua versatilidade artística, contou como tem enfrentando o período de pandemia e explicou como se mantém longe de polêmicas. "Eu trabalhei tanto pra viver de música e não de polêmica. A polêmica só atrapalha." Mumuzinho Divulgação G1 – Você entrou no lugar da Claudinha no 'The Voice Kids' em 2020. Agora, assume de vez uma das cadeiras. Esse teste foi importante pra você aceitar o convite pra atração? Mumuzinho - É engraçado que na minha vida tudo se baseia em teste, tudo se baseia em oportunidade. Sempre sonhei em trabalhar na empresa, minha meta de vida era trabalhar na Rede Globo. Mas não cantando -- olha como são as coisas --, mas sim atuando, apresentando. Eu não tinha pretensão nenhuma, não sonhei com isso de: 'ah, quero ser cantor e vou cantar no programa do Luciano Huck, no Faustão'. Eu queria ser ator, queria ir na onda de fazer os "Trapalhões", como eu fiz nos 40 anos. E aí, voltando já ao hoje. Quando eu me deparo com um projeto tão lindo, tão grandioso, tão incentivador, tão emocionante, que é o "The Voice", a gente se depara e fala: 'não, eu acho que eu tinha que ser cantor mesmo'. Quando o Creso [Eduardo Macedo, diretor artístico do programa] me chamou pra participar no lugar da Claudia, era propósito de Deus. Então acho que minha vida sempre foi assim e eu fui conquistando isso com minha humildade, meu jeito de ser. É uma vitória muito grande estar ali no meio dos três. Acho que todo moleque da minha idade queria estar ali. Hoje me sinto muito feliz, preparado pra receber o "The Voice +", que vai ser um projeto motivacional na vida das pessoas. G1 – Você comentou que tinha o sonho de atuar, apresentar. Você já tem algumas participações como ator, faz sucesso como cantor, agora está no "The Voice", que não é exatamente uma apresentação, mas está na cadeira de técnico do programa... ou seja, meio que atingiu suas metas aos 37 anos. O que te move hoje? Mumuzinho - Estou no caminho de atingir, mas ainda não cheguei lá. Estou num programa de música, que era meu objetivo. Eu ainda tenho um sonho de fazer um trabalho como ator, mas a música é o primeiro plano da minha vida. Mas eu tô no caminho. Meus sonhos envolvem muito minha família. Minha mãe, meu pai, então eu estou trabalhando para que um dia eles possam se orgulhar mais. Já se orgulham muito, mas para que eles possam ter uma vida mais tranquila. Claro que eles vivem muito bem hoje, graças ao meu trabalho, mas ainda estou no caminho. Vou chegar lá. G1 – Assim que foram anunciados os nomes dos técnicos para o "The Voice +", surgiram alguns comentários de que deveriam ter chamados artistas mais velhos para o posto. O que você acha sobre esse tipo de comentário? Mumuzinho - A gente está vivendo num mundo, quebrando tantas barreiras de idade, de raça, de pele, estamos quebrando tanto tabu, de mulheres no poder, mulheres decidindo, empoderadas. A gente está vivendo um momento tão bacana. O Brasil está tendo voz. As pessoas estão tendo voz pra falar, pra se expor, a gente tem vários casos aí. Acho que não tem idade pra estar ali, a gente está aprendendo com eles. Sabe o que é uma coisa muito bacana? Eles se sentem ali muito jovens. Eles entram com uma força, uma coragem, um amor dentro, uma vontade de cantar, de botar pra fora. Não existe tempo de botar pra fora o que você almeja, então não tem idade. Quando eles me veem mais novo lá, eles falam: "quero essa onda do Mumuzinho, quero esse jeito dele, quero cantar essa onda que ele canta". Porque é uma troca. Já gravei alguns programas e não senti nem um pouco isso de 'ah caraca, estão me olhando com um olhar de que sou novo e quem sou eu pra falar'. Nunca. G1 - Você tem se emocionado muito nas gravações? Mumuzinho - Já me emocionei bastante (risos). É um amor absurdo. Lembrei muito da minha avó, do meu falecido avô. A gente se emociona toda hora porque eles passam uma energia muito boa pra gente. G1 - Você é um artista bastante versátil e demonstrou bem isso no palco do Faustão no "Show dos famosos". Acha que isso pode ajudar na hora de dar dicas para os candidatos? Mumuzinho - Acho que eu posso ajudar sim. Mas em relação a parte musical, eles estão muito preparados. Acho que agora é mais uma questão de uma escolha de música, da interpretação. É estar do lado deles, dar força pra eles botarem pra fora tudo o que eles almejaram. A maioria deles é profissional. E eles cantam! O Brasil vai tomar uma injeção, uma vacina, musicalmente, de amor e de incentivo, de exemplo. G1 - Esse ano, pela primeira vez no The Voice, o samba, pagode, ganhou um representante como campeão. Você acha que isso tem algum peso e pode ajudar a trazer de volta a era do samba, do pagode, que foi desaparecendo um pouco ali depois da década de 1990? Uma vitória como essa pode ser um resgate do ritmo? Mumuzinho - Eu vou discordar só um pouquinho de você quando você fala da época de 90 que o samba desapareceu. Pelo contrário, o samba na década de 1990, era o momento mais forte do samba e logo depois veio a nova geração do samba. Nessa época, a gente tinha Katinguelê, Negritude Jr, Kiloucura, Soweto, Exaltasamba, Raça Negra, tinha diversos grupos. O samba nunca morreu. Ele pode agonizar. O samba agoniza, mas o samba não morre. Tanto que hoje eu tô aqui. Eu e os demais amigos vivemos do samba. Essa era digital fez com que muitas pessoas mudassem a cabeça e se organizassem mais para o showbusiness do samba. Acho que quando se tem uma pessoa ganhando um programa cantando samba, é porque já está enraizado musicalmente lá atrás, antes da década de 90. Quando se tem um cantor de samba ganhando, a gente comemora. A gente se sente muito feliz porque fala: 'cara, a gente ama o que a gente faz e está deixando boas referências pra essa garotada que está chegando agora'. "Quando o cara vai lá e canta um samba, eu fico feliz, mas o que vai me deixar mais feliz é se ele cantar um dia um samba, e depois cantar um Frank Sinatra, depois um R&B, um bolero. Isso vai me deixar feliz, porque eu quero versatilidade." G1 - Que foi no fim o que aconteceu com o campeão [Victor Alves], que cantou samba o programa todo, e na final, cantou Rihanna e Marilia Mendonça, né? Mumuzinho - É a versatilidade. É a veia artística pra se escolher a canção e abrir o caminho. Quando entrei no "Show dos Famosos", nem sonhava que ia cantar tanta coisa diferente. Uma pessoa me perguntou: 'você do samba, acha que você vai estar aberto pra ouvir outro tipo de música?' Eu falei, amor, eu ganhei um programa cantando de Ludmilla a Stevie Wonder. Em 2018. Eu amo música. Aqui é música, não é pagode, não é samba. Eu escuto música. Ludmilla, Daniel, Claudia Leitte e Mumuzinho são os técnicos do "The Voice +" Globo/João Miguel Júnior G1 - Você é um artista que se mantém longe de polêmicas, diferentemente de tantos artistas que a vida pessoal se destaca mais do que o lado profissional. Como você faz esse movimento pra dar um destaque maior sempre pra seu trabalho? Mumuzinho - É uma equipe muito grande (risos). Hoje me sinto mais maduro do que lá atrás. Então minha responsabilidade é muito grande. Tenho três moleques, três filhos, que estão aí me representando, me tendo como referência. Não posso me envolver com polêmica, em problema. Nem é do meu coração. Porque eu trabalhei tanto pra viver de música e não de polêmica. A polêmica só atrapalha. Às vezes fico feliz que ninguém fala de mim, ninguém dá uma notícia, nada, eu amo. Eu vou estar no foco agora, mas amo quando ninguém comenta nada, fico ali quietinho com minha esposa, meus filhos, com minha mãe. Entendo que minha equipe, pessoas que vivem a meu redor há muito tempo, são pessoas que me ajudam muito, me colocam no foco. G1 - Como foi esse período de pandemia pra você, emocionalmente e financeiramente falando? Mumuzinho – Meus sócios mudaram minha vida, organizaram minha vida financeiramente. O cuidar do dinheiro no Brasil, eu vejo que é cultural. A gente não aprendeu isso na escola. Na minha época, não tinha aula de educação financeira. Então, não aprendi a lidar com dinheiro. Quem não sabe lidar com dinheiro, deveria se organizar com pessoas que entendem de investimento. Então essa equipe me ajudou. Tem um ano e meio que eu me organizei financeiramente pra que eu posso continuar arcando com minhas responsabilidades familiar, que não são poucas. E em um ano sem cantar, graças a Deus, consegui arcar com todas as custas da minha família. Mesmo sem ganhar nada, fui me organizando, pegando o que eu já tinha ganho e colocado. "Perdi muita grana, sim, foi um ano difícil que não entrou nada, só saiu dinheiro. Meu custo de vida não é baixo. Mas como a gente tem uma organização, pessoas do seu lado pra ajudar a administrar, você consegue ir a cada passo." Não levo uma vida de luxo. Eu brinco, costumo dizer que sou muito rico das coisas dos outros, porque pego o barco do meu amigo Thiago Silva, dou uma volta em Angra, ligo pra minha amiga Karina, ela vai e me empresta o jato. Então assim... eu não preciso ter, só preciso ter amigo que tenha (risos). Mumuzinho Guto Costa / Divulgação Veja Mais

Criolo faz show tecnológico e diz que país vive um tempo fúnebre

O Tempo - Diversão - Magazine Hits de toda a carreira e com os mais novos singles estão no repertório do projeto Veja Mais

Hans Landim investe em clipes nas plataformas digitais

O Tempo - Diversão - Magazine Focado na carreira solo, ele, desde o ano passado, está investido em nova identidade visual e novo repertório Veja Mais

Saiba por onde Belchior passou depois que deixou a família e os palcos

O Tempo - Diversão - Magazine Em livro, jornalistas refazem rota do cantor cearense, que passou quase dez anos sumido antes de morrer Veja Mais

'Farsa da Boa Preguiça', de Ariano Suassuna, completa 60 anos e segue atemporal

O Tempo - Diversão - Magazine Considerada a peça preferida de seu autor, clássico ganhou reedição da editora Nova Fronteira que prepara mais novidades do escritor para 2021 Veja Mais

Últimos dias

Thelma, do 'BBB 20', trabalha como médica em Manaus na pandemia

O Tempo - Diversão - Magazine A informação chamou atenção nas redes sociais após uma colega de hospital publicar uma selfie ao lado da ex-BBB Veja Mais

Solange Couto, após críticas: 'Tenho o direito a tomar vacina'

O Tempo - Diversão - Magazine "Não desrespeitei nenhuma lei e nenhuma norma. Fui vacinada pelos profissionais de saúde sanitária", frisou ela Veja Mais

'Venha comigo se quiser viver', diz Arnold Schwarzenegger, ao tomar vacina

O Tempo - Diversão - Magazine O astro publicou em suas redes sociais um vídeo em que se imuniza e incentivou os fãs a fazerem o mesmo Veja Mais

Art Basel, a maior feira de arte do mundo, é adiada de novo

O Tempo - Diversão - Magazine Marcada para junho, em Basileia, na Suíça, o evento foi reagendado para acontecer entre os dias 23 e 26 de setembro deste ano Veja Mais

Daniel Adjuto assume a bancada do 'Live CNN' após saída de Phelipe Siani

O Tempo - Diversão - Magazine Ex-repórter do SBT, Adjuto ganhou destaque na mídia com a entrevista que fez com a Regina Duarte, em que atriz surtou em frente às câmeras Veja Mais

Filmes, séries e álbuns: O que 2021 promete para o entretenimento

G1 Pop & Arte Depois de ano que paralisou a cultura, produções adiadas em 2020 recheiam calendário de lançamentos neste ano; veja. 'Homem-Aranha 3', nova temporada de 'The Handmaid's Tale' e novo álbum de Adele estão entre novidades previstas para o ano Divulgação e Reprodução/Instagram Depois de um ano que paralisou a cultura, 2021 promete uma retomada gradual nas gravações do cinema, da TV e da música. Filmes, séries e álbuns adiados em 2020, por causa da pandemia, alongam a lista de lançamentos previstos para esse ano. Veja, abaixo, o que cada um desses setores prepara para os próximos meses: Cinema Semana Pop explica como ficou o calendário de filmes para os próximos meses Os cinemas continuam fechados em várias partes do país. E, em meio à incerteza sobre quando as salas vão poder reabrir com segurança, várias produções aguardadas de 2021 vão estrear direto nas plataformas de streaming, o que gerou debate entre os profissionais da área: será o fim da tela grande? Para ver nos cinemas ou em casa, os destaques previstos para este ano são: Aventuras com heróis e vilões: "Viúva negra", "Os eternos", "Homem-aranha 3", "Esquadrão suicida" Ficções científicas aguardadas: "Duna", "Matrix 4" Animações e infantis: "Turma da Mônica - Lições", "Raya e o último dragão", "Minions 2", "Hotel Transylvania 4", "Spirit - O indomável" Terror e suspense: "Um lugar silencioso 2", "Invocação do mal 3 - A ordem do demônio" Veja o calendário completo e assista aos trailers. TV Semana Pop lista as séries e novas temporadas mais aguardadas de 2021 O ano passado também desacelerou os lançamentos da TV. Estreias e novas temporadas, previstas para 2020, acabaram ficando para este ano por causa da paralisação nas gravações, causada pela pandemia. Com isso, a televisão em 2021 deve ser marcada por: Novas temporadas: "The handmaid's tale". "Stranger things", "Brooklyn nine-nine", "Atlanta", "As five" e "Verdades secretas" Despedidas: "The walking dead", "La casa de papel", "Better call Saul", "Supergirl", 'Dear white people", "Grace and Frankie" e "Ozark" Novidades: "WandaVision", "Falcão e o Soldado Invernal", "Caso Evandro", as novas versões de "Um maluco no pedaço" e "Dexter" e uma possível reunião de "Friends" Saiba mais sobre as séries que vão estrear em 2021. Música Semana Pop conta quais são os álbuns e grandes shows previstos para 2021 Enquanto a indústria da música calculava os prejuízos gerados pela pandemia, alguns artistas usaram o tempo no isolamento para preparar novos trabalhos, na esperança de poderem voltar a apresentar suas músicas ao vivo em 2021. A lista de artista que deve lançar novos álbuns neste ano tem: Pop sofredor: Adele, Marília Mendonça, Lana Del Rey, Lorde e Billie Eilish Pop dançante: Rosalía, Anitta e Iza Rock ainda vivo: Foo Fighters, Kings of Leon e Greta Van Fleet Veja o calendário de lançamentos e saiba mais sobre os grandes shows previstos para o Brasil. Veja Mais

Especial com Tom Hanks, Katy Perry e outros artistas fecha o dia da posse de Joe Biden

G1 Pop & Arte Com direito a uma grande queima de fogos em Washington, cantora fechou o especial "Celebrando a América" com o hit "Firework". Veja quem mais se apresentou. Katy Perry encerra especial que celebra posse de Joe Biden e Kamala Harris Inviabilizado por conta da pandemia, o tradicional baile de gala na noite da posse do presidente dos Estados Unidos deu lugar a um grande show virtual que contou com a participação de Joe Biden, de sua vice Kamala Harris e de diversos artistas da música e do cinema. Hino com Lady Gaga e mais: os destaques da posse Confira os looks da posse e o ativimos por trás deles O especial "Celebrando a América" foi apresentado por Tom Hanks e, entre participações de profissionais da linha de frente contra a Covid-19 e de três ex-presidentes dos EUA (Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama), os cantores se revezavam nas apresentações. Um dos pontos altos da noite foi a participação da cantora Katy Perry, escolhida para fechar o programa, com "Firework". Para acompanhar a música e fazer jus ao seu nome, uma grande queima de fogos foi realizada em Washington, sob o olhar de Biden e Harris (assista acima). Katy Perry encerrou o especial "Celebrando a América" Reprodução Além de Katy Perry, o especial teve também os shows de Bruce Springsteen, que abriu a noite com a música "Land of hope & dreams", Bon Jovi (cantando "Here comes the sun", dos Beatles), Yo-Yo Ma, Justin Timberlake e Ant Clemons, Black Pumas, Foo Fighters, Yolanda Adams, John Legend, Luis Fonsi, Demi Lovato, Tim McGraw e Tyler Hubbard. VÍDEOS: tudo sobre a posse de Biden Veja Mais

Websérie #Quarentemas lança trilha original de Tatta Spalla

O Tempo - Diversão - Magazine Já está nas plataformas digitais o Volume 1, com 12 músicas, do trabalho elaborado pelo musico para a iniciativa dramatúrgica online Veja Mais

Nego Di no 'BBB21': comediante despontou no fenômeno dos 'reis do Zap'

G1 Pop & Arte Gaúcho de 26 anos ficou conhecido com o relato de um assalto e outros áudios que se espalharam pelo WhatsApp. Antes da fama na web e de entrar no BBB, ele já foi taxista, garçom e cozinheiro. Nego Di é participante do 'BBB21' Divulgação/Globo Nego Di, de 26 anos, chegou ao "BBB 21" direto no Camarote graças a um fenômeno popular atia: os "reis do Zap", pessoas que ficam conhecidas graças ao talento de gravarem áudios engraçados e cativantes. O G1 já explicou como funciona a indústria dos influenciadores do WhatsApp, que já são até disputados por marcas. O gaúcho se autointitula "o maior whatsapper do Brasil". Uma de suas marcas são os áudios que falam sobre o "dia da maldade". Veja a lista completa de participantes do "BBB21" Nego Di ficou conhecido neste circuito após gravar um áudio em que contava um assalto que sofreu de forma engraçada. Mas o gosto pelo humor vem desde os tempos da escola - ele diz que era uma defesa contra o bullying que sofria. Nego Di Reprodução / Instagram do artista Sua presença nas redes sociais, com mais de 1 milhão de seguidores no Instagram, tem bastante ligação com o futebol. Torcedor do Internacional, ele sempre comenta e faz piadas sobre o esporte. Criado sozinho pela mãe, Nego Di já serviu o Exército e trabalhou como taxista, garçom e cozinheiro antes de engatar a carreira de comediante. Ele diz que começou a trabalhar aos 12 anos. Pai de Tyler, de 5 anos, Nego Di afirma que usaria o prêmio para ajudar o filho a ter uma infância diferente da sua. Os planos do top 5 do 'BBB20' para depois do programa Veja Mais

Eva Wilma recebe alta da UTI e apresenta evolução clínica

O Tempo - Diversão - Magazine Segundo boletim médico, atriz de 87 anos está consciente, 'mantendo estabilidade hemodinâmica e vem apresentando evolução clínica satisfatória nos últimos dias' Veja Mais

Ziggy Marley participa de música com Natiruts e fala sobre trabalho na quarentena e amor por futebol

G1 Pop & Arte Em entrevista ao G1, cantor diz que parcerias aumentaram durante pandemia e comenta 'América Vibra', lançada nesta quarta-feira (20) pela banda: 'É uma conexão natural com o Brasil'. Ziggy Marley fala sobre parceria com Natiruts em 'América Vibra' Durante a quarentena da Covid-19, o cantor Ziggy Marley se manteve ocupado. Mesmo com um disco novo em setembro, "More family time", o filho mais velho de Bob Marley continuou trabalhando – prova disso é sua participação em "América vibra", nova música da banda brasileira Natiruts lançada nesta quarta-feira (20). A parceria aconteceu de forma muito simples. Em entrevista ao G1 (assista ao vídeo acima), Ziggy conta que o convite aconteceu após o começo das medidas de isolamento. Como já conhecia um pouco do som do grupo de Brasília, bastou que lhe mostrassem a parte pronta da canção para aceitar. "Meu amor pelo reggae e pelo Brasil é antigo. É uma conexão natural com o Brasil, sabe? E com a vibração do Natiruts e a mensagem da música", diz em conversa por chamada de vídeo o filho mais premiado – são oito estatuetas do Grammy na carreira – da lenda do gênero. O cantor de 52 anos escreveu os próprios versos na canção sobre união entre povos americanos. Parte de um projeto de inéditas dos brasileiros, a música é cantada em inglês, português e espanhol (graças à participação da atriz mexicana Yalitza Aparício, indicada ao Oscar por "Roma"). Conhecido por sempre buscar novos sons e gêneros – no álbum mais recente, "More family time", Ziggy brinca com músicas infantis e participações de nomes como Alanis Morrissette e Sheryl Crow – para seu trabalho, ele acredita que "América vibra" é uma canção moderna. "Toda vez que alguém toca uma música, Natiruts ou seja quem for, o ritmo e a expressão musical vêm do passado, mas estamos aqui a expressando hoje. E isso também é parte do que você ouve." Tudo em seu tempo Ziggy vê na quarentena um momento difícil, mas também de oportunidades. "Estou fazendo de tudo. Jogando games, futebol, escrevendo, fazendo café da manhã, recolhendo cocô de cachorro, de tudo", conta o cantor, entre risadas. Apesar de não poder fazer shows normais, ele chegou a se apresentar em formato de drive-in e curtiu a experiência. "É uma pandemia, mas eu estou fazendo tantas colaborações com tantos artistas diferentes. É muito estranho. Tipo, tudo acontece a seu tempo. Como eu estou fazendo essa música com o Natiruts, e não fiz tipo..." "É como se tivesse muita busca por outras pessoas agora. E agora é a hora para nos procurarmos ainda mais do que fazíamos antes, por causa da situação em que estamos. Tem muitas conexões rolando que provavelmente não aconteceriam se não estivéssemos na situação em que estamos agora." Ziggy Marley canta em show de 2011 no Brasil Daigo Oliva/G1 Desde pequeno A última passagem de Ziggy no Brasil aconteceu em 2013, quando realizou cinco shows pelo país. Ele diz que a ausência acontece por falta de convites, não de vontade – e aponta o amor pelo futebol como grande motivador. "Estou sempre disposto a ir ao Brasil, cara. Nós amamos o Brasil, nós amamos o futebol brasileiro desde antes de ir ao Brasil. Futebol já explica meu amor ao Brasil, ok? Pelé, Zico, Ronaldinho, Sócrates. Desde que sou pequeno, sabe", afirma o cantor, com um sorriso permanente no rosto. "O Brasil já era meu favorito, sabe. Então, eu fico animado. Toda vez que vou ao Brasil eu fico com aquele sentimento bonito de: 'Eu estou no Brasil. Vamos jogar uma bola, fazer uma música'." Veja Mais

Lady Gaga vai cantar hino dos EUA na posse de Joe Biden; cantora e político são amigos há 5 anos

G1 Pop & Arte Cantora e político participaram juntos de campanha contra abuso sexual desde 2016. Cerimônia terá também terá apresentação de Jeniffer Lopez. Joe Biden conversa com Lady Gaga durante comício em Pittsburgh, na Pensilvânia, no dia 2 de novembro de 2020 Andrew Harnik/AP Joe Biden abraça Lady Gaga no comício do dia 2 de novembro, em Pittsburgh Andrew Harnik/AP Lady Gaga e Joe Biden formam uma dupla improvável há cinco anos: os dois já palestraram em universidades juntos, estrelaram comercial de campanha contra o assédio e até fizeram par no palco do Oscar. Nesta quarta (20), a cantora e o político darão mais um passo nesta relação: Gaga vai cantar o hino dos Estados Unidos durante a cerimônia de posse de Biden como presidente, que acontece a partir das 14h (hora de Brasília). A cantora já havia assumido o lado de Biden durante a campanha, pedindo votos para o então candidato democrata nas redes sociais. Além disso, ela também participou de um comício na véspera das eleições em Pittisburgh, na Pensilvânia, e elogiou o amigo. "Para todas as mulheres, e todos os homens com filhas, irmãs e mães, todos, não importa como você se identifica, agora é sua chance de votar contra Donald Trump, um homem que acredita que a fama dele lhe dá o direito de agarrar uma das filhas de vocês, ou irmãs, ou mães, ou esposas, por qualquer parte do corpo delas." "Votem em Joe, ele é uma boa pessoa." Amizade, campanha e Oscar Lady Gaga e Joe Biden se conheceram durante a campanha "It's On Us", contra assédio e abuso sexual. Biden comandava a campanha da Casa Branca, e Gaga se tornou uma voz importante sobre o tema quando denunciou, em 2105, o estupro sofrido aos 19 anos. Em 2016, foi Biden quem introduziu a apresentação de Gaga na cerimônia do Oscar. Ela cantou "Til it happens to you", tema do documentário "The Hunting Ground", sobre casos de agressões e abusos sexuais em universidades americanas. Na cerimônia, Biden ainda era vice-presidente e chamou a cantora de "amiga querida". Depois disso, os dois passaram a promover a campanha pelos Estados Unidos e chegaram a se apresentar juntos em algumas universidades. Em 2017, se encontraram mais uma vez para encorajar as vítimas de violência a denunciarem seus agressores. Em vídeo, Biden disse que a cantora "não era apenas uma grande amiga, mas também uma feroz advogada". "Lady Gaga tem sido a voz das pessoas que foram esquecidas e das pessoas que foram abusadas. Ela mostrou enorme coragem", elogiou. Initial plugin text Biden também aproveitou para elogiar a amiga quando ela comandou o show de intervalo do Super Bowl, em 2017: "Desempenho incrível da minha amiga Lady Gaga. Você me surpreende - e não apenas no palco", declarou no Twitter. Initial plugin text Lady Gaga faz discurso pró-Biden em drive-in de eleição na Pensilvânia A posse é pop O evento terá também uma apresentação do cantor de country Garth Brooks e da cantora pop Jennifer Lopez. Americana de origem porto-riquenha, Lopez vai discursar sobre o impacto da pandemia de coronavírus sobre a comunidade latina. Após a cerimônia, a banda New Radicals vai se apresentar no desfile inaugural. Após 22 anos separada, a banda se reúne para tocar "'You Get What You Give", que era tocada para trazer boas vibrações durante o tratamento de câncer do filho do presidente. A banda de funk e R&B Earth, Wind & Fire também tocará no evento. À noite, Tom Hanks apresentará um especial de 90 minutos, que levará o nome de "Celebrando a América", com participação de celebridades como Jon Bon Jovi, Demi Lovato, Justin Timberlake, Ant Clemons, Foo Fighters e John Legend. Veja Mais

Campeã do 'BBB 20', Thelma Assis vai à delegacia denunciar ataques racistas

O Tempo - Diversão - Magazine Ataques acontecem desde a saída da médica do confinamento do reality, em abril de 2020 Veja Mais

BBB 21: Paraibana Juliette é confirmada no reality e afirma: ‘Nasci tagarela’

O Tempo - Diversão - Magazine A advogada e maquiadora, que está no grupo pipoca, se considera bem-humorada, verdadeira e bastante comunicativa Veja Mais

Livinho diz que foi perseguido e desmente ação de marketing para promover música

G1 Pop & Arte 'Foi um momento angustiante, tenso', afirmou Livinho em vídeos nesta terça (19). MC não deu detalhes do que de fato aconteceu. Livinho se manifesta após sumir e afirmar que estava sendo perseguido Livinho falou pela primeira vez após sumiço na madrugada de segunda (18) e falou que foi "perseguido", sem dar detalhes do que aconteceu exatamente. "Eu vi que criaram muitos fakes, notícias falsas que eu tinha morrido, tinha sido assaltado, tinha sido sequestrado e que era marketing para uma música 'Cilada'", afirmou o MC em vídeos nesta terça (19). Assista acima. "Estou aqui para desmentir tudo isso e falar para vocês que realmente foi um momento angustiante, tenso, eu fui perseguido onde eu consegui me livrar graças a Deus", continuou. "Não vou tocar nesse assunto para não gerar pauta para as pessoas que se alimentam das desgraças dos outros, e não quero ser lembrado por uma situação dessas a qual não me orgulho de ter passado por isso". O cantor terminou os vídeos falando que vai retomar os projetos em andamento e produzir novas músicas. Ele não descartou a possibilidade de, no futuro, fazer uma música chamada "Cilada", nome apontado pelos internautas que diziam que a movimentação nas contas do MC eram uma ação de marketing. Livinho completou falando que, neste momento, não quer ficar relembrando o que viveu. Relembre sumiço e pedido de ajuda MV Livinho grava vídeo e diz que está sendo perseguido O nome de Livinho chegou a ser um dos mais comentados no Twitter na noite de domingo (17) e na segunda após o MC compartilhar uma série de vídeos. Relembre fatos em ordem cronológica: No começo da tarde de domingo (17), Livinho postou vídeos no Instagram em que dizia que estava sendo perseguido por um carro; Horas depois, ele compartilhou outro vídeo que pedia ajuda e falava: "'cê' tá louco, mano, me ajuda, me ajuda". Ambos os vídeos já foram apagados das redes sociais; Após o vídeo de pedido de socorro, familiares e amigos mostraram preocupação com o cantor. Na madrugada de segunda, o próprio Livinho fez novos vídeos, em que aparece suando, mas afirma que está bem. Pela manhã, o irmão do cantor também divulgou uma foto em que Livinho aparece sentado em uma cama, aparentemente em casa. Na tarde de segunda, Byanca Gabarron, esposa de Livinho, usou as redes sociais para falar que ele tinha "passado por um livramento" e que estava bem. Quem é Livinho? Nascido em São Paulo, Oliver Decesary Santos, o MC Livinho, tem 26 anos e iniciou sua carreira musical em 2003, como violinista em uma igreja que frequentava. Iniciou seus projetos com o funk aos 14 anos e batizou seu estilo no ritmo como "romântico erótico". Um de seus maiores hits, "Fazer falta", ficou entre as mais ouvidas do Brasil no Spotify em 2017. No YouTube, o clipe da música, publicado em junho daquele ano, já soma mais de 273 milhões de visualizações. Em 2017, MC Livinho se envolveu em uma briga em um show que realizava no Rio. O cantor desceu do palco para agredir um homem. Ao retomar a apresentação, o funkeiro foi vaiado e disse que se irritou por ter sido xingado pelo homem na plateia. "'Uh' nada. Queria ver alguém te chamando de merda e você trabalhando em cima do palco", reclamou. Em 2020, o cantor foi acusado de racismo durante a gravação de um videoclipe. "Quando fomos gravar a última cena, ele, não sei o que passou na cabeça dele, ele começou a fazer umas dancinhas idiotas, obscenas, pegando no saco, imitando Michael Jackson, como se estivesse sarrando, e eu já fiquei incomodada ali naquele momento, porque foi uma pessoa que nem falou comigo e me olhou torto o clipe inteiro”, afirmou a modelo e dançarina Raielli Leon. Também em 2020, Livinho desistiu da carreira de jogador de futebol após ser contratado pelo Audax de Osasco. O cantor votou atrás na decisão de atuar como atleta horas antes de se apresentar ao clube. O motivo foi o escasso espaço na agenda. Livinho decidiu priorizar a música, após pressão de sua gravadora e de contratantes de shows. MC Livinho Reprodução/Instagram Irmão de MC Livinho mostra foto de cantor após pedido de socorro em vídeo no Instagram Reprodução/Instagram VÍDEOS: Semana Pop explica temas do entretenimento Veja Mais

Livro mostra como Jacob do Bandolim transformou o choro

O Tempo - Diversão - Magazine Para escrever biografia, jornalista Gonçalo Junior teve acesso ao acervo do músico, liberado pelo Instituto Jacob do Bandolim Veja Mais

João Carlos Martins chega aos 80 anos como maestro da arte da superação

O Tempo - Diversão - Magazine Mesmo com todas as adversidades que quase o tiraram de cena, João Carlos Martins prepara uma exposição e um concerto para celebrar seus 80 anos Veja Mais

Minas Music Week vai abordar universo da música eletrônica até a próxima sexta

O Tempo - Diversão - Magazine Evento proporciona o encontro dos profissionais da música eletrônica e do entretenimento de Belo Horizonte; transmissões acontecem via Youtube, Instagram e Facebook Veja Mais

Porta dos Fundos é acusado de preconceito etário por vídeo de humor

O Tempo - Diversão - Magazine Produção lançada no início de janeiro está sendo criticada por ridicularizar uma mãe de 57 anos na relação com os filhos e a tecnologia Veja Mais

Zé Renato e Lourenço Baeta deixam quarteto Boca Livre por divergências políticas

O Tempo - Diversão - Magazine Comunicado foi feito na noite deste domingo (17); grupo carioca seguirá com David Tygel e Maurício Maestro, detentor da marca Veja Mais

Antonio Carlos Bigonha lança 'Saudades de Amanhã'

O Tempo - Diversão - Magazine Álbum traz nove faixas instrumentais com arranjos de Dori Caymmi Veja Mais

BBB 21: Boninho fala que 'lista' de participantes será revelada neste domingo

O Tempo - Diversão - Magazine Big Brother Brasil terá início no dia 25 de janeiro Veja Mais

Daniel retorna ao The Voice: 'Volto mais consciente de que a gente tem que aprender a jogar'

G1 Pop & Arte Quase sete anos após ter deixado a cadeira de técnico do reality, cantor sertanejo volta ao programa para participar da versão exclusiva para cantores acima de 60 anos. Daniel fala da estreia do 'The Voice +' Daniel está de volta ao time de técnicos do "The Voice". O cantor, que integrou o reality entre 2012 e 2014, retorna para a atração. Ele vai virar a cadeira e auxiliar os candidatos da primeira edição para cantores acima de 60 anos. No "The Voice +", Claudia Leitte, Ludmilla e Mumuzinho completam o time de técnicos. "É um projeto que traz outras características por se tratar de pessoas mais experientes, experiências de vida mesmo, de mais idade. Então fiquei muito contente, fiquei lisonjeado", diz Daniel ao G1. "Apesar da distância, de não estar fazendo parte do projeto de corpo presente, eu sempre me enquadrei como parte integrante da família." Em 2019, o cantor teve uma passagem relâmpago pelo palco da atração e "fingiu" ser um candidato em busca de uma vaga no programa. As quatro cadeiras viraram para o cantor, claro. Em bate-papo com o G1, Daniel falou sobre sua volta e os desafios na nova versão. Também disse que retorna ao "projeto um pouco mais consciente de que é um jogo também". "Percebi muito isso nele [Michel Teló], ele foi um super jogador. Ele foi esperto nesse sentido. Que eu tenha pelo menos um pouquinho dessa expertise". O sertanejo também falou sobre sua amizade com Roberto Carlos, fortalecida ao longo da pandemia, e os aprendizados nesse período de pausa no mercado devido ao coronavírus. "Pra todo mundo que tem do seu afazer o que a gente faz, e não ter seu ganha pão, é muito complicado porque as despesas não deixam de existir." Daniel volta ao "The Voice" e integra time de técnicos da versão exclusiva para cantores com mais de 60 anos Globo/João Miguel Júnior G1 - O que te fez voltar ao projeto "The Voice" quase sete anos depois? Daniel - Eu estava em casa, um belo dia, e o Creso (Eduardo Macedo, diretor artístico do programa) me fez uma ligação me convidando e contando essa história do The Voice +, que é um projeto totalmente diferente. É um projeto que traz outras características por se tratar de pessoas mais experientes, experiências de vida mesmo, de mais idade, enfim. Então fiquei muito contente, fiquei lisonjeado. Mesmo porque, engraçado, apesar da distância, de não estar fazendo parte do projeto de corpo presente, eu sempre me enquadrei como parte integrante da família. G1 – O que você vê de diferença entre o "The Voice" e "The Voice +"? Daniel - Eu diria que é uma responsabilidade talvez até redobrada. Eu digo mais experientes em se tratando de vida mesmo. Em se tratando de música, a gente ainda não sabe se vai se deparar com pessoas que já tiveram isso como experiência de vida, de sei lá, ingressar numa carreira artística, de ter vivido de música, de viver de música. Então a gente vai ser meio que aprendiz ali. A possibilidade é muito maior de a gente aprender do que de passar tanta coisa para eles, de passar tanta experiência para eles. Porque imagina o tanto que essas pessoas já viveram para chegar até aqui. Eu acho que vai ser muito interessante. G1 - Entre os técnicos, você também é o mais experiente, não só de anos de vida, mas como também anos de carreira. Acha que pode levar vantagem frente aos outros técnicos caso várias cadeiras se virem para um candidato, imaginando que eles possam preferir alguém com mais experiência? Daniel - Acho que isso é uma questão meio imprevisível, tudo pode acontecer no momento. Ao mesmo tempo que a pessoa gosta dessa coisa da experiência, de você ter mais tempo de carreira, experiência de vida, existe aquela busca talvez pelo novo, pelo diferente, pelo inusitado. Então acho que vai depender de cada um. Mas espero que as pessoas simpatizem comigo também, que a gente possa ter uma "brincadeira gostosa" entre todo mundo que está ali. O projeto pra ter sentido tem que ter essa coisa de disputa, porque é uma disputa, não deixa de ser. É uma coisa que eu não entendia muito ao certo quando participei da outra vez. Eu não via o "The Voice" como sendo um jogo, mas é um jogo também. Então que seja uma disputa saudável. Cantor Daniel faz show na Basílica de Aparecida Thiago Leon/ Santuário Nacional de Aparecida G1 - Michel Teló foi seu substituto no programa, vencendo várias edições, e uma coisa que ele tem muito é que ele sabe jogar mesmo. Aprendeu algo nesse sentido assistindo ele? Como está nesse quesito depois de virar também público do "The Voice"? Daniel - Volto para esse projeto novo um pouco diferente, um pouco mais consciente nesse sentido de que é um jogo também, que a gente tem que aprender a jogar. Tem que estar no meio do jogo e se enquadrar. E percebi muito isso nele, sem sombra de dúvidas ele foi um super jogador. Ele foi esperto nesse sentido. Que eu tenha pelo menos um pouquinho dessa expertise. G1 - Acha que a linguagem para falar com o candidato mais experiente é diferente? Daniel - Eu acredito que sim, é bem diferente. Acho que a gente tem que ter o cuidado sempre que for direcionar uma palavra pras pessoas que estiverem passando por ali. Mas como já existe uma questão de experiência, de a pessoa já ter passado por tantas barreiras, tantos obstáculos na vida dela, ela já tem uma certa bagagem. Ela já sabe aceitar melhor talvez um não. Quando está mais maduro -- falo por mim, eu que estou com meus 52 anos --, a gente recebe as coisas de forma diferente, a gente ouve de forma diferente. Não que a gente não sinta com aquilo, mas a gente já é um pouco mais preparado. E não sei se isso vai acontecer, mas acredito que a partir do momento que a gente se deparar com as pessoas ali, elas querem ser tratadas de igual pra igual. É a gente chamar de 'você' mesmo, é não levar o 'senhor'. Coisas que eu não gosto para mim, não vou querer levar para eles. Quando as pessoas me chamam de senhor, não que eu não goste tanto, mas me sinto mais à vontade se me chamar de você. Acho que esse cuidado todo a gente vai ter que ter e se adaptar. Cantor Daniel faz show na Basílica de Aparecida Thiago Leon/ Santuário Nacional de Aparecida G1 - Como foi esse ano de pandemia pra você? Entre prejuízos e pontos positivos e negativos, como foi no geral? Daniel - Lógico que essa coisa da parada repentina, primeiro que assustou todo mundo. Algo totalmente desconhecido, que a gente nunca tinha se deparado, foi bem problemático nesse sentido. Mas para mim, em termos de ficar em casa, curtir a família, renovar ainda mais os laços familiares, reforçar isso, para mim foi muito bom, muito importante. Teve, sim, um lado positivo. A questão de prejuízo, não tenho dúvida que para todo mundo que tem do seu afazer o que a gente faz, de você não poder fazer um show, não ter seu ganha-pão, é muito complicado porque as despesas não deixam de existir. A gente tem que arcar com essas despesas. Sou feliz em ter construído uma história ao longo da minha trajetória musical, uma história paralela também que me deu um suporte para suportar tudo isso. E a gente tentar somar da forma que a gente pode com aquelas pessoas que estão enfrentando muito mais dificuldade Talvez tivesse sido um momento que já teria sido importante para mim anteriormente e acabou acontecendo agora dessa forma, que é uma forma difícil, que ninguém gostaria de passar, mas acabou acontecendo desse jeito. Então existe o lado positivo que foi muito importante para mim. G1 – Falando nisso, você nunca escondeu que em um certo momento da sua vida, cogitou parar a carreira. E durante a pandemia, conversei com alguns artistas que citaram que terão dificuldade de voltar para a estrada, por ter se acostumado com a vida em casa, em família... Você sente isso também? Daniel - Acho que tudo isso que está acontecendo nos mostrou outra coisa que é muito presente hoje em nossas vidas. Eu usava, mas não tanto, é a questão tecnológica. Então acho que dá pra gente dosar as coisas. Acho que dá tranquilamente para gente não deixar jamais de curtir aquilo que a gente tem de mais valioso, que é a nossa família, as pessoas que estão ao nosso redor. E, ao mesmo tempo, continuar trabalhando, mas de uma forma diferente. Talvez com menos intensidade. A gente vai conseguir talvez encontrar novos caminhos que nos dê essa possibilidade. Então é isso, é o aprendizado. Essa renovação que a gente já está sofrendo há um bom tempo, na verdade, e que veio a tona agora com essa coisa desse vírus que chegou aí. G1 – A pandemia mudou a inspiração e os sentimentos na hora de fazer música? Daniel - Falou muto mais alto essas canções que trazem uma mensagem, que trazem um algo a mais nesse sentido de tudo o que a gente está vivendo. Participei de um projeto recentemente com outros artistas, que é um projeto da ONU, de uma música muito especial, que fala exatamente disso, da vida, do hoje. Essas canções acabam tocando um pouco mais profundamente no nosso coração. G1 - Durante a quarentena você estreitou os laços com o Roberto Carlos. Queria saber se podemos esperar por uma parceria. Daniel - Essa questão musical, pode até acontecer. A gente nunca chegou a falar sobre isso. Chegamos a falar sobre canções que gravei dele, ele vendo vídeos, acho que ele estava tendo um pouco mais de tempo também. Em uma ocasião, ele me passou que estava muito emocionado com uma versão que fiz de uma canção dele. Trocamos essas figurinhas, mas nunca chegamos a falar para gravar mais uma música juntos, novamente, porque já tive a oportunidade de gravar com ele. Mas eu acho que tudo pode acontecer, nessa vida tudo pode acontecer. E se for, vai ser muito bom, muito positivo. Hoje posso dizer que tenho muito mais amizade com nosso rei, com Roberto Carlos, e que é um cara muito especial. Um cara do bem, diferenciado mesmo. G1 – Existe sempre uma busca para um “substituto” do Roberto Carlos, e, querendo ou não você sempre aparece nessa lista com seu romantismo. Você sente um peso nisso? Daniel - Eu acho que a gente tem que ter como responsabilidade essa coisa de dar seguimento nessa nossa questão de poder falar de amor, de trazer sempre o romantismo à tona, de ser tão expressivo ao longo de sua história. Eu diria que, inclusive depois da partida de João Paulo, o romantismo esteve mais presente, mais aparente em tudo o que faço. Então acho que meu dever é esse, é de sempre trazer uma boa mensagem pras pessoas através da minha música e falar de amor. Acho que falar de amor não sai de moda nunca. Ludmilla, Daniel, Claudia Leitte e Mumuzinho são os técnicos do "The Voice +" Globo/João Miguel Júnior Veja Mais

Ex-Rouge, Karin Hils revela que é bissexual: 'conheci mulheres incríveis'

O Tempo - Diversão - Magazine Cantora, que sempre foi reservada quanto a sua vida pessoal, respondeu a perguntas de fãs no Instagram e surpreendeu ao dizer que teve experiências melhores com meninas Veja Mais

Documentário sobre Antonio Callado chega aos cinemas em tom de protesto

O Tempo - Diversão - Magazine A obra chega às salas de cinema a contragosto da equipe, que acredita ainda ser um momento para ficar em casa em razão da pandemia Veja Mais

Marisa Orth homenageia cabeleireira da Globo vítima da Covid-19

O Tempo - Diversão - Magazine No final, Marisa acrescentou: "Meu Deus. Acabo de saber também que hoje é o dia do cabeleireiro. É Gi, tu eras mesmo muito, muito fera" Veja Mais

Globo amplia área de podcasts; programas poderão ser ouvidos no Globoplay

G1 Pop & Arte Podcasts originais sobre finanças, cultura pop, 'BBB21', games e outros temas vão ser lançados, e se juntam ao O Assunto, Papo de Política e demais conteúdos em áudio da Globo. Globo amplia área de podcasts e conteúdo poderá ser ouvido no Globoplay Reprodução/YouTube/Globoplay A Globo anunciou, nesta quinta-feira (21), a expansão na área de podcasts com a entrada dos programas no Globoplay e a criação de novos produtos e parcerias com produtores independentes. Audioday: reveja evento on-line que anunciou novidades na área de podcasts da Globo A estratégia é unir todos os produtos em áudio no Globoplay, criando um espaço em que o consumidor possa ouvir podcasts de notícias, de entretenimento, de esportes e de variedades. (Veja lista dos novos podcasts abaixo). Uma das novidades é que a rádio CBN do Rio e de São Paulo pode ser ouvida, a partir desta quinta, através do serviço de streaming. Novos podcasts originais estão sendo produzidos e serão lançados no Globoplay, segundo anúncio em evento on-line na tarde desta quinta. São eles: Podcast sobre armamentismo no Brasil, com Sônia Bridi Atenção, passageiros!, podcast sobre aviação com Lito Sousa Pega essa ref, podcast de cultura pop com o influenciador Kaique Brito Fala, emancipade!, podcast sobre educação financeira com Amanda Dias BBB tá on, podcast sobre o "BBB21" com Samir Duarte e Jeska Grecco; Astrológicas, podcast sobre astrologia com Titi Vidal e Isabel Mueller Podcast sobre parentalidade com Karina Godoy e Natália Ariede Podcast sobre CBLOL, campeonato brasileiro de League of Legends, com Diego Lunacy Oliveira e outros cinco comentaristas de e-sports Projetos Humanos, podcast com Ivan Mizanzuk Os podcasts Mamilo e Braincast passam a fazer parte do catálogo da Globo, e vão ser comercializados e promovidos com exclusividade. Ambos são produzidos pela B9, uma das maiores produtoras de áudio do Brasil. "As nossas plataformas de áudio e os serviços de áudio que nós estamos lançando abrem uma enorme avenida para a gente criar", diz Jorge Nóbrega, presidente executivo do Grupo Globo. "Queremos estar com o consumidor no áudio, na mesma forma que queremos estar com ele no vídeo. São complementares", explicou o executivo. Os novos produtos estarão juntos com os mais de 80 podcasts que já são produzidos pelas redações do G1, GE e GShow. O Assunto, Papo de Política, A Mesa, G1 Ouviu, Que história é essa, Porchat? e os programas de áudio produzidos pelo jornal O Globo são alguns dos exemplos. Para Erick Brêtas, diretor de Produtos e Serviços Digitais, é o momento de diversificar o conteúdo produzido em áudio para falar com os diferentes públicos no ambiente digital. "Nós falamos com quase 110 milhões de pessoas todos os meses nas nossas plataformas digitais. A gente precisa ter assunto para falar com todas essas pessoas, que têm gostos e interesses muitos diversos", explica Brêtas. "O que nós estamos buscando agora é ampliar o cardápio de conteúdos, as possibilidades de conversas que nós vamos ter com todas essas pessoas, trazendo para as nossas plataformas ainda mais vozes. Vozes do mercado independente, buscando parcerias, buscando diversidade com produtores, com parceiros do mercado independente". Podcast ‘O Assunto’, com Renata Lo Prete, completa um ano com 33 milhões de downloads Veja Mais

Festival Glastonbury é cancelado no Reino Unido por causa da pandemia

O Tempo - Diversão - Magazine É o segundo ano consecutivo que o evento musical, um dos maiores realizados a céu aberto naquele país, não será realizado Veja Mais

Guitarrista do Pearl Jam diz que o Black Lives Matter tem muito o que ensinar

O Tempo - Diversão - Magazine Stone Gossard fala do último trabalho do grupo, 'Gigaton', lançado em 2020, e diz que ano atípico deve servir para reflexões Veja Mais

Show d'O Surto no Rock in Rio completa 20 anos: relembre cover de Red Hot e perrengues no palco

G1 Pop & Arte Banda cearense ganhou vaga após boicote de seis outros grupos brasileiros. Eles tocaram 'Triste mas eu não me queixo' ('Californication') e dose-dupla do sucesso 'A Cera (Pirou o cabeção)'. O vocalista Reges Bolo durante show do grupo Surto realizado no Palco Mundo da Cidade do Rock Milton Michida/Estadão Conteúdo/Arquivo Após seis bandas boicotarem o festival por uma discussão sobre cachês, a banda cearense O Surto acabou indo parar no palco principal do Rock in Rio 2001. O show mais surreal da história do evento completa 20 anos nesta quinta-feira (21). Com só um álbum lançado, o grupo de pop rock tocou duas vezes o hit "A cera (Pirou o cabeção)". Apelou também para cinco covers: "Eu Quero Ver o Ôco" (Raimundos) "Tudo o que ela gosta de escutar" (Charlie Brown Jr.) "Até quando esperar" (Plebe Rude) "Get up stand up" (Bob Marley) "Californication" (Red Hot Chili Peppers) Na verdade, não foi "Californication". A música tocada foi "Triste mas eu não me queixo", versão zoeira do sucesso da banda headliner daquela noite. No podcast acima, o baixista Franklin Medeiros comenta os melhores momentos da apresentação, cheia de tretas e momentos impagáveis. Já no começo, um técnico de áudio d'O Surto foi estrangulado por cinco seguranças. Público durante show do grupo Surto durante o Rock in Rio III realizado no Palco Mundo da Cidade do Rock Milton Michida/Estadão Conteúdo/Arquivo A desistência de Skank, Cidade Negra, O Rappa, Jota Quest, Charlie Brown Jr. e Raimundos fez com que Franklin fizesse o maior show da vida dele. "Fora o Queen no 'Love of my life', só teve outra banda que fez 250 mil pessoas cantarem. Foi O Surto cantando 'A cera', pô. O Surto e 'A Cera' são o 'Love of my life' da minha vida." Houve também muito improviso durante o show. Para tentar descansar, o vocalista Reges Bolo disse que eles iriam tocar "I wanna be sedated", dos Ramones. Mas quem cantava era Franklin, mesmo sem falar bem inglês. Ele se recusou e começou a gritar para a banda tocar Plebe Rude: "Eu devolvi pro vocalista, em vez de cantar no embromation 'I wanna be sedated', eu mandei de volta. Ele olhou pra mim p... da vida." Por onde anda O Surto? Franklin Medeiros no show da banda O Surto, no Rock in Rio 2001, e em foto recente Reprodução/TV Globo e Divulgação/Site do artista Depois do festival, o Surto entrou em estúdio para fazer seu segundo disco. Eles gravaram a parte instrumental e saíram para uma turnê de cinco shows no Japão, antes de gravarem os vocais. Mas a banda brigou por lá. Até hoje, o vocalista Reges Bolo usa o nome O Surto e faz shows. Cada hora com uma formação diferente. Ele é meio o Axl Rose do Surto. Franklin tem uma empresa de personalização de camisetas e outros brindes. Ele ainda faz shows pelo Nordeste, principalmente em Natal. Em 2010 e 2011, participou de programas de calouros e publicou vídeos no YouTube com paródias de músicas pop. O personagem se chamava Bichanna, trocadilho com o nome de Rihanna. Veja Mais

Luan Santana envia concentradores de oxigênio para hospital de Manaus

O Tempo - Diversão - Magazine Outros artistas fizeram doações para Manaus; Tatá Werneck, Simone (da dupla com Simaria) e Tierry doaram, cada um deles, 10 cilindros de 50 litros Veja Mais

Cantores britânicos acusam Londres de prejudicar o setor com Brexit

O Tempo - Diversão - Magazine Mais de 100 artistas, de cantores pop como Ed Sheeran a compositores como Judith Weir, assinaram uma carta publicada pelo jornal "The Times" Veja Mais

Dançarina Chloé Lopes Gomes tenta combater o racismo no balé

O Tempo - Diversão - Magazine "Estou cansada de ouvir que não se pode contratar negros porque não temos os corpos para a dança clássica", diz ela Veja Mais

Documentário lembra como Antonio Callado terminou desiludido com o Brasil

O Tempo - Diversão - Magazine Produção dirigida por Emilia Silveira sobre a trajetória do escritor fluminense chega esta semana aos cinemas Veja Mais

New Radicals na posse de Joe Biden: banda tocará 'You Get What You Give' após 22 anos

G1 Pop & Arte Música era tocada para trazer boas vibrações durante o tratamento de câncer do filho do presidente. Banda só lançou um álbum e vocalista virou compositor ganhador do Grammy. Gregg Alexander no clipe de 'You get what you give', do New Radicals Reprodução Muita gente achou um baita rolê aleatório quando saiu a notícia de que o New Radicals voltaria a se apresentar ao vivo. A banda americana está escalada para tocar "You Get What You Give" na posse de Joe Biden. O show em Washington DC, nesta quarta-feira (20), será o primeiro do grupo em 22 anos. Mas existe uma explicação para essa escolha. A família Biden ouvia esse hit pop rock estridente para trazer boas vibrações durante o tratamento de câncer de Beau Biden. O filho do presidente morreu em 2015. O agora presidente americano escreveu sobre a relação com a música em "Promise Me, Dad", livro sobre a relação com o fillho: "Durante o café da manhã, ele costumava me fazer ouvir o que eu pensava ser sua música tema, 'You Get What You Give', dos New Radicals." Foto obtida no site oficial do então senador dos EUA Joseph Biden, mostra Joe com seus filhos Beau (à esquerda) e Hunter e sua futura esposa Jill em uma foto sem data Reprodução/Senador Joseph Biden via AFP "Mesmo que Beau nunca tenha parado de lutar e sua vontade de viver fosse mais forte do que a maioria - acho que ele sabia que esse dia poderia chegar. A letra da música é: ‘Este maldito mundo pode desmoronar / Você ficará bem, siga seu coração'." "Descobrir que a música foi acolhida por heróis como Obama, Biden e o filho, Joni Mitchell e Bono, é parte do mistério mais complexo de uma música - como ela se conecta a pessoas de diferentes épocas ou backgrounds. É o que nos inspira como compositores a continuar tentando escrever a melhor música que pudermos", disse o líder da banda, Gregg Alexander. Joni Mitchell falou que "You Get What You Give" era "a única música da qual ela havia gostado em muito tempo". O U2 começou todos os 113 shows da "Elevatour tour", de 2001, ao som de "Mother We Just Can't Get Enough", música que abre o álbum do New Radicals. Bono e Gregg viraram amigos. Por que o New Radicals acabou? Gregg Alexander no clipe de 'You get what you give', do New Radicals Reprodução Embora seja oficialmente uma banda, o New Radicals era mais um projeto solo de Gregg. Eles só lançaram um álbum, "Maybe You've Been Brainwashed Too", em 1998. Até poderia ser chamada de banda de um hit só ("one hit wonder"), não fosse a balada "Someday We'll Know". Após os dois singles de sucesso, o cantor decidiu acabar com a banda. "Havia uma parte de mim que sentia que aquela m... iria me destruir", disse Gregg à "Billboard". O desencanto dele com a fama é narrado com detalhes na reportagem da revista americana. Aos 50 anos, hoje a vida dele é recheada por causas sociais e trabalhos com outros artistas. O lado compositor Gregory Aiuto, nome real dele, tem trabalhos além do New Radicals. Antes do grupo, teve uma carreira solo no começo dos anos 90 e ela não decolou. Longe disso. Gregg Alexander nos tempos do New Radicals e em foto recente Reprodução Depois da banda, mais oportunidades apareceram: "Murder On The Dancefloor", hit da inglesa Sophie Ellis-Bextor, tem Gregg entre os compositores; Boyzone, Hanson, Enrique Iglesias, Rod Stewart e ex-integrantes das Spice Girls também contaram com os serviços dele; Mas maior sucesso fora do New Radicals é "The Game of Love", de Santana e Michelle Branch. Com ela, ele ganhou um Grammy; A trilha do filme "Mesmo Se Nada Der Certo", estrelado por Keira Knightley, Mark Ruffalo e Adam Levine, o fez ser indicado ao Oscar. Foi Bono quem apresentou Gregg ao diretor irlandês John Carney. O único álbum Capa do único álbum do New Radicals Divulgação Hoje, "You Get What You Give" é considerada uma música histriônica, para cima. Quando se ouve a música, a primeira associação é a do clipe com uma "revolução" no shopping. Na farra do vídeo, tinha até gente usando máquina de casquinha como se ela fosse um bebedouro. O olhar de desdém do cantor são desconcertantes, em meio ao caos. Assim que a música foi lançada, porém, os versos finais foram mais comentados: "Ensaios de moda com Beck e Hanson / Courtney Love e Marilyn Manson / Vocês são todos falsos / Corram para suas mansões / Venha, vamos chutar suas bundas". Não era nada pessoal, tanto que ele trabalhou com o Hanson depois. Gregg odiava quando o foco era esse. Na real, ele odiava quase tudo o que se falava sobre o New Radicals. E as outras músicas? Só que o álbum "Maybe You've Been Brainwashed Too" não é só "You Get What You Give". O outro hit, "Someday We’ll Know", é uma balada com letra contendo perguntas piegas do quilate de "Será que o capitão do Titanic chorou?”. Outra balada de letra no mesmo estilo finaliza o disco. “Crying like a church on Monday” diz a que veio no título, mas também tem o verso: "Agora eu não gosto de chorar/ Porque isso só me faz ficar molhado". Esquisita, como boa parte do álbum, "Technicolor lover" começa com barulho de alarme de carro. Nas letras, há muitas metáforas fáceis em historinhas com um quê de dramédia. É assim na serena "I don’t wanna die anymore", com versos de sílabas alongadas e jeitão gospel. Mais aceleradas, "Jenovah made this whole joint for you” e “In need of a miracle” são da mesma lavra do maior hit. A faixa-título é desleixada e irritante, meio Mamonas Assassinas imitando Radiohead. “Você só precisa de vodka e honestidade”, aconselha, na lisérgica “Flowers”. Gregg é um ótimo compositor (e um personagem raro na música pop). Um personagem que voltará aos palcos, após mais de 20 anos. Gregg Alexander em carreira solo antes do New Radicals, em 1992 Reprodução Veja Mais

BBB 21: Votação vai dar imunidade a seis participantes antes da estreia; entenda

O Tempo - Diversão - Magazine Público vai escolher três confinados do pipoca e três do camarote Veja Mais

BBB 21: Lumena afirma ser impulsiva e que entrou no jogo para ‘ficar milionária'

O Tempo - Diversão - Magazine DJ e psicóloga, que namora há um ano, revela que está focada na competição Veja Mais

BBB 21: Mineiro João Luiz é confirmado no reality e diz que ‘no jogo vale tudo’

O Tempo - Diversão - Magazine Professor de geografia tem 24 anos e nasceu na cidade de Santos Dumont Veja Mais

Adele, Anitta, Foo Fighters... Veja lista de artistas que preparam álbuns para 2021

G1 Pop & Arte Música em 2021 terá novos discos do pop sofredor, lançamentos do rock e para dançar (mesmo que seja em casa). Grandes festivais estão marcados para o segundo semestre. Semana Pop conta quais são os álbuns e grandes shows previstos para 2021 Enquanto a indústria da música continua calculando os prejuízos gerados pela pandemia, artistas preparam novos trabalhos para 2021, na esperança de poderem voltar a apresentar suas músicas ao vivo em 2021. Veja, abaixo, quais álbuns estão previstos para o ano e os eventos, já marcados no Brasil, em que alguns desses lançamentos poderão ser apresentados. Pop sofredor Embora todo mundo continue procurando motivos para sorrir neste ano, um disco deve fazer muita gente derramar algumas lágrimas: o novo de Adele, a rainha britânica da sofrência. Adele em foto de 2019, publicada no Instagram Reprodução/Instagram Seu último álbum. ‘25’, saiu em 2015. Havia a expectativa de que um sucessor surgisse ainda em 2020, mas no fim do ano a cantora jogou um balde de água fria nos fãs, ao revelar que o disco ainda não estava pronto. Ficou para 2021. A rainha brasileira da sofrência, Marília Mendonça, também está preparando um trabalho novo, pra quem prefere sofrer em português. Segundo ela, vêm aí as mais tristes da carreira. Fãs ficaram ansiosos pelo novo álbum quando a artista anunciou o término da relação com o também cantor Murilo Huff. Os dois já reataram, e o disco ainda não saiu. Ela tem lançado algumas músicas inéditas, como "Deprê", que saiu em dezembro. Mas ainda não se sabe se elas são uma prévia do próximo álbum. Ainda na linha do pop sofredor, também estão previstos novos discos de Lana Del Rey, Lorde e Billie Eilish, três musas dessa vertente. A primeira já lançou algumas músicas do novo trabalho, "Let me love you like a woman" e "Chemtrails over the country club", que dá nome ao álbum. Capa do disco 'Chemtrails over the country club', divulgada por Lana Del Rey Reprodução/Instagram A segunda foi aclamada em 2017, com o "Melodrama", seu álbum mais recente, que apareceu em todas as listas de melhores do ano na época. Isso, é claro, gerou expectativa sobre o próximo trabalho e ela tem dado de pistas de que ele está ficando pronto. No ano passado, quando a cantora incentivou os fãs a votarem nas eleições americanas, ela prometeu recompensar todos eles em 2021. Já Eilish foi a grande revelação de 2019, com seu disco de estreia, "When we all fall asleep, where do we go?". Tudo indica que o sucessor vai sair neste ano, em meio a muita especulação sobre as colaborações que podem aparecer entre as músicas. Uma das melhores pistas é uma foto em que a cantora aparece ao lado da espanhola Rosalía. Nas redes sociais, as duas indicaram ter gravado uma parceria. Billie Eilish e Rosalía em foto publicada nas redes sociais Reprodução/Twitter Para dançar (mesmo que seja em casa) Falando nela, Rosalía - que virou uma popstar nos últimos anos - também já anunciou que está finalizando seu próximo lançamento. Em seu disco mais recente, "El mal querer ", de 2018, ela mostrou que dá para fazer música comercial com muita identidade e, ao mesmo tempo, ótima pra dançar. E não vão faltar discos para dançar neste ano, mesmo que seja em casa, por causa da pandemia. Cantora Anitta se apresenta em Nova York, na Times Square, momentos antes da virada do ano Gary Hershorn / POOL / AFP Um deles será o de Anitta, que assinou um acordo com a divisão americana da Warner para lançar um novo álbum em 2021. A imprensa dos Estados Unidos diz que esse disco terá produção executiva de Ryan Tedder, nome por trás de álbuns vencedores do Grammy de Adele e Taylor Swift. E, depois do sucesso de "Dona de mim", Iza usou o tempo na quarentena para compor e também deve aparecer com trabalho novo neste ano. E, dominada por mulheres, a lista de lançamentos de 2021 também inclui o novo álbum de Marisa Monte. Vai ser o primeiro dela em 10 anos e tudo que envolve esse disco ainda é um mistério. Ele vem sendo produzido em segredo. Algumas informações de bastidores apontam que podem aparecer parcerias com Lulu Santos, Nando Reis e Silva. Lançamentos do rock O rock deve ter novidades já no início do ano, para quando está previsto o novo disco do Foo Fighters, "Medicine at midnight". "Shame shame", primeiro single, já foi divulgado. Foo Fighters durante encerramento do palco Mundo no segundo dia de Rock in Rio 2019 Marcelo Brandt/G1 Em março, será a vez do Kings of Leon, que vai lançar seu oitavo disco, o primeiro desde 2016. A banda já divulgou a música "The bandit". No mês seguinte, o Greta Van Fleet, considerado uma das maiores revelações recentes do rock, vai lançar seu segundo disco, que, segundo a banda, está cheio de referências bíblicas. O single "Age of machine" já está no ar. E os shows? Com todos esses lançamentos em 2021, resta saber quando será possível ouvir essas novas músicas ao vivo - presencialmente, não em lives pela internet. Ainda não dá para responder a essa pergunta com certeza, mas alguns grandes festivais estão previstos pra acontecer no Brasil no segundo semestre, entre setembro e outubro. O Rock in Rio já até divulgou algumas atrações. O dia do metal no festival vai ter Iron Maiden, Megadeth, Dream Theater e Sepultura. O Coala, festival de música brasileira que acontece em São Paulo, já confirmou Maria Bethânia e Gal Costa na programação. E o Lollpalooza, depois de ser adiado duas vezes em 2020, anunciou a próxima edição pra setembro, mas ainda não definiu quais atrações vão participar. Outra coisa que segue indefinida são as regras de segurança contra o coronavírus nesses festivais. Tudo vai depender do andamento da vacinação contra a Covid-19 no país. Veja Mais

Neusa Borges diz que cansou de ser atriz negra no Brasil e nega estar na miséria

O Tempo - Diversão - Magazine 'Sei o que eu passei e estou cansada de ser o último salário mesmo fazendo um trabalho maravilhoso', afirma a artista de 79 anos Veja Mais

MC Fioti recebe ligação de agradecimento de João Doria por nova versão de 'Bum Bum Tam Tam'

G1 Pop & Arte Governador de São Paulo parabenizou funkeiro por ajudar a conscientizar pessoas e popularizar vacina contra a Covid-19 com remix 'Vacina Butan Tan'. MC Fioti recebe ligação de agradecimento de João Doria por versão de 'Bum Bum Tam Tam' MC Fioti recebeu uma ligação do governador de São Paulo, João Doria, como agradecimento pela nova versão de "Bum Bum Tam Tam", chamada de "Vacina Butan Tan", nesta segunda-feira (18). Assista ao vídeo acima. Na conversa, Doria parabenizou o funkeiro por ajudar a conscientizar pessoas e a popularizar a vacina contra a Covid-19. O funk "Bum bum tam tam" virou um "hino" nas redes sociais em homenagem ao Butantan após o anúncio sobre a vacina desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceria com o instituto paulista. Com isso, Fioti criou uma nova versão do sucesso e chegou a gravar um clipe para o remix no local na última sexta-feira (15). Veja parte da letra: "A vacina envolvente que mexe com a mente / de quem tá presente. A vacina saliente / vai curar muita vida e salvar muita gente. Vem cá vacina, tam / Vem cá vacina tam tam tam". MC Fioti no Instituto Butantan Divulgação / Instituto Butantan Veja Mais

Carlinhos Maia diz que foi chamado para ser um dos primeiros a tomar a vacina contra a Covid-19 em Alagoas; estado nega

G1 Pop & Arte Humorista se envolveu em polêmica no fim de 2020 com festa durante a pandemia. Governo disse que somente profissionais de saúde e indígenas receberão doses do primeiro lote. Carlinhos Maia diz no Twitter que foi convidado para aplicação de dose da CoronaVac em Alagoas Reprodução/Twitter O humorista Carlinhos Maia disse, na tarde desta segunda-feira (18), que foi convidado para ser uma das primeiras pessoas a tomar a vacina contra a Covid-19 em Alagoas. Logo após o anúncio, o Governo de Alagoas negou ter chamado pessoas que não fazem parte do grupo prioritário para receber as primeiras doses da CoronaVac. Carlinhos Maia contou pelo Twitter que não aceitou o convite. Ele disse que não acha justo com quem ficou em casa durante a pandemia. Mesmo que aceitasse, o humorista não faz parte de nenhum grupo prioritário para receber a vacina. Por meio de nota, o Governo de Alagoas informou que não convidou pessoas que não fazem parte do grupo prioritário, que vai começar a ser vacinado nesta terça-feira (19). Somente profissionais de saúde e indígenas serão vacinados com o primeiro lote. O G1 entrou em contato com a prefeitura de Maceió as 14h42 para saber se o convite partiu do Município, mas até a última atualização deste matéria não obteve resposta. Carlinhos Maia se envolveu em polêmica durante a pandemia. Ele promoveu uma festa em Penedo, município em que nasceu, enquanto o Brasil registrava alta de casos e mortes por Covid-19. Governo de Alagoas nega que fez convite a Carlinhos Maia para ser uma das primeiras pessoas a tomar a CoronaVac no estado. Reprodução/Instagram Veja os vídeos mais recentes do G1 AL Initial plugin text Veja Mais

'BBB 21': Quem não pode ficar fora do reality show? Dê sua opinião

O Tempo - Diversão - Magazine Cresce a especulação em torno dos nomes que estarão nesta edição do programa; lista de participantes será divulgada nesta terça (19), vote Veja Mais

Orquestra Sinfônica da Bahia cria versão do 'funk da vacina'

O Tempo - Diversão - Magazine Maestro Carlos Prazeres falou da iniciativa bem-humorada em convencer a população a tomar o imunizante Veja Mais

'Carcereiros': série estrelada por Rodrigo Lombardi ganha última temporada

O Tempo - Diversão - Magazine Minissérie, que estreia nesta segunda-feira (18) na Globo, é baseada no filme 'Carcereiros: A Noite sem Fim' Veja Mais

The Voice para talentos acima de 60 anos tem estreia cheia de emoção

O Tempo - Diversão - Magazine Reality musical The Voice+ estreou na tela da Globo e teve entre os jurados os artistas Ludmilla, Mumuzinho e Claudia Leitte Veja Mais

Nego do Borel apela para discurso religioso após acusações de agressão

O Tempo - Diversão - Magazine Ex-namorada do cantor, Duda Reis (18) conseguiu medida protetiva para que ele não se aproxime nem dela nem da família; polícia fez buscas na casa do artista, que agora "recorre a Deus" Veja Mais

Vencedor do 'Big Brother' britânico é preso por divulgar vídeo íntimo com ex

O Tempo - Diversão - Magazine Georgia Harrison, que já participou de outro reality show, denunciou ter sido filmada em momentos íntimos por câmeras secretas que Stephen Bear instalou em sua casa Veja Mais

Nathalie Delon, atriz e diretora, morre aos 79 anos

G1 Pop & Arte Francesa foi casada com Alain Delon entre 1964 e 1969 e morreu de câncer, segundo filho. Nathalie Delon posa para foto em 1969 AFP A atriz francesa Nathalie Delon, que foi esposa de Alain Delon, morreu aos 79 anos nesta quinta-feira (21) em Paris, disse seu filho, Anthony Delon, à agência de notícias France Presse. "Minha mãe morreu nesta manhã às 11h, em Paris, cercada de seus familiares. Morreu de um câncer muito rápido", afirmou ele. "Estou muito triste. Me faz muito mal quando se vão aqueles que amamos", disse Alain Delon à AFP. "Nathalie foi minha primeira e única senhora Delon." A atriz atuou ao lado do então marido em "O Samurai" (1967), de Jean-Pierre Melville. Esteve também em 30 filmes, em papéis secundários, até o início dos anos 80 e depois passou para atrás das câmeras como cineasta. Dirigiu "Ils appellent ça un accident" (1982) e "Doces mentiras" (1986), com Treat Williams. Publicou suas memórias em 2006. De origem espanhola, nasceu como Francine Canovas em 1º de agosto de 1941 em Oujda, no Marrocos, na época, um território ultramarino francês. Chegou a Paris em 1962 após separar-se de seu primeiro marido, Guy Barthélémy, com quem teve uma filha. A jovem de olhos verdes tinha 21 anos quando conheceu Alain Delon em uma discoteca parisiense, seu futuro marido era noivo de Romy Schneider. Então, começaram uma paixão proibida até que Delon deixou Romy para se casar com ela em agosto de 1964, em segredo. O casal viajou no barco "France" em lua de mel e construíram sua vida em Los Angeles, onde um mês depois nasceria seu filho, Anthony. O fantasma de Romy Schneider cercava sua relação. "Alain não me falava dela, mas eu a via em algumas ocasiões com um semblante de tristeza no olhar", afirmou muito tempo depois. Depois, sua relação se deteriorou na mansão em que viviam, em Hollywood, pois Nathalie não conseguia conviver com as rápidas conquistas de seu marido. Se divorciaram em fevereiro de 1969. Posteriormente, Alain Delon iniciou um relacionamento com a atriz Mireille Darc. Mas "nos víamos com frequência. Fazia parte da sua vida e ela da minha. Estivemos juntos no Natal. Tiramos fotos, as últimas", disse Alain Delon nesta quinta à AFP. Veja Mais

Orquestra Ouro Preto faz tributo aos Beatles em transmissão virtual

O Tempo - Diversão - Magazine Em comemoração aos seus 20 anos de estrada, a orquestra lança neste sábado (23), no Youtube, o DVD "Orquestra Ouro Preto The Beatles Vol. 2”, com homenagem ao quarteto de Liverpool Veja Mais

Música negra invade filmes no streaming, de 'Soul' a 'AmarElo'

O Tempo - Diversão - Magazine Documentários, desenhos e filmes ficcionais desvendam o universo de ritmos como o blues e o jazz Veja Mais

Álbum de filha de Beth Carvalho gentrifica funk e não mostra a que veio

O Tempo - Diversão - Magazine Luana Carvalho se perde na proposta de um álbum do gênero tanto nas faixas inéditas quanto nas releituras de antigos sucessos Veja Mais

Festival Glastonbury cancela sua edição de 2021 por causa da pandemia

G1 Pop & Arte É o 1º grande evento musical a anunciar que edição deste ano não vai acontecer, pelo risco de contaminação do coronavírus. Festival também foi cancelado em 2020. Em foto de 2019, Kylie Minogue canta no Festival Glastonbury, no Reino Unido; evento não vai acontecer em 2020 por conta da pandemia do coronavírus Grant Pollard/Invision/AP, File O Glastonbury, segundo maior festival de música a céu aberto do mundo, que acontece no Reino Unido, não vai ser realizado pelo segundo ano seguido, em 2021. É o primeiro grande evento musical a cancelar sua edição deste ano por causa da pandemia do coronavírus. Initial plugin text "Será mais um ano de descanso forçado para nós", diz a organização, em comunicado publicado em seu site. "Apesar de nossos esforços para mover o céu e a terra, ficou claro que simplesmente não seremos capazes de fazer o festival acontecer este ano." Os ingressos já comprados serão válidos para a edição de 2022 do festival, diz a nota. Cancelado pelo 2º ano O Glastonbury acontece anualmente, em junho, na fazenda de Eavis, no sudoeste da Inglaterra. O cancelamento em 2020, também causado pela pandemia, foi anunciado em março. O festival já tinha anunciado o line-up, com Paul McCartney, Taylor Swift, Kendrick Lamar e Diana Ross como atrações principais. Um show de Gilberto Gil com a família também estava previsto para a edição do ano passado, que marcaria a 50º do evento. VÍDEOS: Semana Pop explica temas do entretenimento Veja Mais

Como o filme 'Lua de Cristal' mudou o funk no Brasil? Série conta histórias do ritmo

G1 Pop & Arte João Brasil apresenta entrevistas com pioneiros do funk carioca. Na estreia, DJ Marlboro conta como descobriu que Xuxa era 'funkeira' no set do filme e cavou espaço na TV contra preconceito. Cena do filme 'Lua de Cristal', em que Xuxa dança com o grupo Movimento Funk Clube. DJ Marlboro, que levou o grupo às gravações, conta que descobriu lá que a apresentadora era fã de funk, e assim conseguiu uma aliada para popularizar e combater o preconceito contra o estilo Reprodução DJ Marlboro tinha lançado havia poucos meses "Funk Brasil", o primeiro disco do funk carioca, quando recebeu uma ligação de Marlene Mattos. A empresária procurava os tais novos funkeiros para participar do filme "Lua de Cristal" (1990), estrelado por Xuxa e Sérgio Mallandro. A cena era curta, mas ajudou o DJ pioneiro a fazer uma descoberta: Xuxa também era funkeira. A nova aliada ajudou a abrir espaço para o estilo na TV e a combater o preconceito. Essa é uma das histórias contadas na websérie "Funk Brasil Entrevista". A série é comandada por João Brasil, cantor do hit "Michael Douglas". A primeira temporada tem dez entrevistas com precursores do batidão, em vídeos publicados no YouTube todas as terças e quintas, às 19h. João Brasil entrevista DJ Marlboro Divulgação / Funk Brasil Entrevista Nesta quinta-feira (21), o entrevistado será Abdullah, MC pioneiro do funk carioca. Entre os próximos entrevistados estão Deize Tigrona, MC Smith e Jonathan Costa - o "Jonathan da nova geração" da produtora Furacão 2000. Como 'Lua de Cristal' iluminou o funk? Xuxa com o Movimento Funk Clube em 'Lua de Cristal' Reprodução Marlboro conta que levou para a gravação do filme "Lua de Cristal" o Movimento Funk Clube, com músicos que estariam na capa do álbum "Funk Brasil 2", creditados como Fat Boy, MC Havage, Abdullah, Lazer Bick e MC Paulão. Eles aparecem no filme dirigido por Tizuka Yamasaki cantando a música "Diga alô", na cena em que a mocinha, a sonhadora Maria da Graça, chega do interior à cidade grande e conhece o caótico cenário urbano do Rio. Durante a filmagem, Marlboro teve uma revelação, na época em que o movimento ainda tomava forma no Rio, longe da popularidade nacional que tem hoje: Xuxa preferia ficar no meio dos MCs do que no seu camarim. "Nós funkeiros tínhamos lá uma barraquinha, tipo de camping. Tinha que trocar de roupa deitado para ir para a gravação. A Xuxa tinha uma tenda enorme com ar condicionado, frutas. Ela abandonava tudo aquilo e ia lá com a gente ficar dançando, brincando, ouvindo música", ele conta sobre o set. Xuxa dança funk no filme 'Lua de Cristal' Reprodução "Eu falei: cara, a Xuxa gosta de funk. Eu não sabia que ela gostava tanto assim. Ela largava toda a mordomia que tinha para ficar com a gente nas tendinhas mais pobres. " Além do que a exposição do novo ritmo no filme que teve 920 mil expectadores só na primeira semana, um recorde na época, a conexão com sua estrela fez a diferença para o estilo. Depois disso, Marlboro tocou no "Xou da Xuxa", na TV Globo. Mas os olhos brilharam mesmo quando ele viu que a apresentadora iria fazer um programa musical, o "Paradão da Xuxa", de 1992, dedicado a um ritmo por edição. Não seria fácil convencer Marlene a fazer um "Paradão" só de funk. O DJ recorreu à nova aliada e à astrologia: "A Xuxa é ariana, impulsiva", diz Marlboro. Ele diz que conseguiu colocar uma fita de funk no ar e fazer a apresentadora se empolgar e anunciar, sem consultar Marlene, que haveria o programa dedicado ao ritmo. Foi um sucesso. Xuxa dança funk no filme 'Lua de Cristal' Reprodução "Aquele momento da Xuxa ali foi muito importante porque, o funk estava sendo perseguido, massacrado, discriminado. Aí vai uma loira, rica, de olho azul e fala que é funkeira. Bota uma interrogação na cabeça de todo mundo. Não é música de preto, pobre e favelado?", lembra Marlboro. Marlboro se tornaria DJ residente no programa da Xuxa e ajudaria a levar diversos funkeiros para a TV nos anos 90. Ele reforça na entrevista "a gratidão que o funk tem com a Xuxa" pelo fato de a apresentadora ter, "naquele momento, batido o pé, feito questão de ser funkeira". "O Brasil inteiro conheceu o funk a partir dali", diz o DJ Marlboro. Próximas entrevistas da websérie "Funk Brasil Entrevista": 21/01 - MC Abdullah 26/01 - Deize Tigrona 28/01 - MC Smith 02/02 - MC Galo 04/02 - Sabãozinho 09/02 - MC Maromba 11/02 - Black Sabará 16/02 - MC Padilha 18/02 - Jonathan Costa Veja Mais

Grupo cria campanha de vacinação contra Covid-19

O Tempo - Diversão - Magazine Ação foi iniciada pela atriz Mika Lins; campanha conta com participação de artistas como Lenine, Adriana Esteves e religiosos como padre Julio Lancellott Veja Mais

Mercado de livros fatura R$ 197,8 milhões em dezembro e número de vendas é o maior de 2020

G1 Pop & Arte Número de livros vendidos cresceu 7,6% e chega a 4,98 milhões no último mês. No balanço total do ano, vendas cresceram apenas 0,8% e faturamento foi menor se comparado a 2019. Homem usando máscara de proteção organiza livros na livraria La Sorbonne, na França Eric Gaillard/Reuters O faturamento do mercado de livro no Brasil em dezembro foi de R$ 197,8 milhões, o que representa um crescimento de 4,9% em comparação ao mesmo mês em 2019 (R$ 188,4 milhões). Segundo relatório da Nielsen e do Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), o volume de vendas também registrou aumento: passou de 4,6 milhões em 2019 para 4,9 milhões no período, melhor marca de 2020. O setor segue em recuperação após o primeiro semestre ter sido marcado por quedas nos valores e fechamentos de livrarias por conta da pandemia do novo coronavírus. "Um ano maculado por notícias negativas, enfim, nos vem a agradável notícia de que recuperamos totalmente as perdas geradas pela quarentena. Um fator a ser fortemente comemorado pelo setor", comenta Ismael Borges, gestor da Divisão Nielsen Bookscan. Entenda: Como proposta de reforma tributária pode encarecer livros Leia também: Como é formado o preço do livro no Brasil Os livros mais vendidos no período foram os de não ficção especialista, seguidos por não ficção trade, ficção e infantil, juvenil e educacional. Crescimento de 0,8% em volume em relação a 2019 A pesquisa também mostrou que, o volume de vendas foi maior no último ano e bateu a marca de 41,9 milhões, superando em 0,8% o ano de 2019 (41,5 milhões). No entanto, em valores totais, o ano de 2020 teve um faturamento de R$ 1,74 bilhões, uma redução de 0,48% se comparado a 2019 (R$ 1,75 bilhões). Apesar dos resultados, Marcos da Veiga Pereira, presidente do Sindicato Nacional dos Editores de Livro, NEL, tem uma visão otimista sobre o mercado em 2021. "O brasileiro voltou a ler, e as editoras apresentaram lançamentos importantes no final de 2020. Tivemos ainda a inauguração de um número recorde de novas livrarias no último trimestre do ano, e este movimento tende a continuar este ano", diz em nota divulgada. Divulgado mês a mês, o estudo é feito pela Nielsen e apresentado pelo Snel. A pesquisa baseia-se no resultado da Nielsen BookScan, que verifica as vendas em livrarias, varejistas e e-commerce. O que compõe o preço médio de um livro no Brasil Arte/G1 Veja Mais

Bolinho com ares de Van Gogh em Ribeirão das Neves

O Tempo - Diversão - Magazine Pintura foi realizada como parte do Edital de Apoio a Redes 2020: Covid-19 e Redes Culturais Comunitárias do programa IberCultura Viva Veja Mais

Festival Sabiá renasce em versão online

O Tempo - Diversão - Magazine Voltado para o público com mais de 60 anos, o evento chega à sua segunda edição nesta quarta-feira (20) e oferece música, dança e oficinas Veja Mais

Livro revela os bastidores de estar na estrada com Os Novos Baianos

O Tempo - Diversão - Magazine Relato da produtora Marília Aguiar, que foi casada com Paulinho Boca de Cantor, traz histórias divertidas e inusitadas da trupe Veja Mais

BBB 21: De Brasília, Sarah adora festa e diz que é ‘das pequenas manipulações'

O Tempo - Diversão - Magazine Consultora de marketing digital diz que seus amigos sempre falam sobre sua alegria contagiante Veja Mais

BBB 21: Modelo cearense Kerline afirma ser ‘atrevida, espontânea e autêntica’

O Tempo - Diversão - Magazine Ela, que tem 28 anos, é influenciadora digital e garante que tem espírito competitivo Veja Mais

BBB 21: ‘Tudo o que eu faço na vida é pelas minhas meninas’, diz Caio, da pipoca

O Tempo - Diversão - Magazine Fazendeiro de 32 anos é de Anápolis e não esconde o amor pelas duas filhas Veja Mais

Ney Latorraca, Marcos Caruso e Teuda Bara fazem campanha pela vacinação

O Tempo - Diversão - Magazine Associação dos Produtores de Teatro (APTR) produziu o vídeo 'Vacina Já', que mostra artistas incentivando vacinação contra a Covid-19 Veja Mais

‘Gênesis’: novela da RecordTV estreia nesta terça (19) com ares de megaprodução

O Tempo - Diversão - Magazine Folhetim bíblico terá sete fases e muitos efeitos especiais; elenco conta com mais de 250 atores Veja Mais

MP-AL vai apurar convite recebido por Carlinhos Maia para ser um dos primeiros a tomar a vacina contra a Covid-19

G1 Pop & Arte Influencer disse em suas redes socais que foi convidado pelo prefeito de Maceió, para ser uma das primeiras pessoas a tomar a vacina contra a Covid-19 em Alagoas. Ministério Público de Alagoas vai instaurar um procedimento preparatório para apurar a afirmação de Carlinhos Maia sobre vacina Jonathan Lins/ G1 O Ministério Público de Alagoas (MP-AL) emitiu nota, na tarde desta segunda-feira (18), informando que vai instaurar um procedimento preparatório para apurar a afirmação de que Carlinhos Maia teria recebido o convite para posar como uma das primeiras pessoas a ser vacinada contra a Covid-19 em Alagoas. A apuração será feita pela 67ª Promotoria de Justiça da Saúde. O MP-AL afirmou ainda que vai fiscalizar com rigor a lisura e a legalidade da vacinação em Maceió e em todo estado. Por meio de nota, o Governo de Alagoas informou que não convidou pessoas que não fazem parte do grupo prioritário, que vai começar a ser vacinado nesta terça-feira (19). Somente profissionais de saúde e indígenas serão vacinados com o primeiro lote. Durante a tarde Carlinhos Maia gravou vídeo dizendo que o convite teria sido feito pelo prefeito de Maceió, JHC (PSB). Os vídeos foram apagados minutos depois. O G1 entrou em contato com a prefeitura de Maceió às 14h42 e às 18h47 para saber qual a posição do Município, mas até a última atualização desta matéria não obteve resposta. Carlinhos Maia fala que convite para vacina foi feito pelo prefeito de Maceió Veja os vídeos mais recentes do G1 Alagoas Veja mais notícias da região no G1 Alagoas Veja Mais

Morre no Rio a mãe do músico Marcelo Yuka

G1 Pop & Arte Luísa Fontes do Nascimento era hipertensa e sofreu um infarto. Yuka morreu em 2019. Dona Luísa era a mãe de Marcelo Yuka Reprodução Morreu neste domingo (17), aos 78 anos, no Rio, Luísa Fontes do Nascimento, mãe do músico e compositor Marcelo Yuka (1965-2019). A morte foi confirmada por pessoas próximas à família do músico. Professora aposentada, dona Luísa, como era conhecida, era hipertensa e, após sofrer um mal estar em casa, foi levada ao hospital por seu filho Renato. Acabou sofrendo um infarto e não resistiu. Ela será sepultada ao lado de Yuka no Cemitério de Campo Grande, Zona Oeste do Rio, nesta segunda-feira (18). Yuka morreu aos 53 anos, no dia 18 de janeiro de 2019, e o sepultamento de sua mãe se dá no mesmo dia em que se completam 2 anos da morte do músico. Marcelo Yuka foi um dos fundadores do grupo O Rappa e teve como uma das principais característica de suas obras letras sobre temas como violência, racismo e desigualdade social. Além de composições gravadas pela banda, suas músicas foram registradas por grandes nomes da nossa música como Elza Soares, Leila Pinheiro e Maria Rita, entre outros. Em 2000, Yuka, que era baterista, ficou paraplégico ao ser atingido por nove tiros durante um assalto a uma mulher na Tijuca, na Zona Norte do Rio. Ele continuou com trabalhos na música, artes plásticas e envolvido com a política e ativismo social até a morte. VÍDEOS: Os mais vistos do Rio nos últimos 7 dias Veja Mais

'BBB 21': Lista de participantes será anunciada nesta terça-feira (19)

O Tempo - Diversão - Magazine Nomes dos integrantes das equipes Pipoca e Camarote serão divulgados ao longo do dia, durante a programação da TV Globo Veja Mais

Produções como 'Bridgerton' reescrevem história com passado sem preconceito

O Tempo - Diversão - Magazine Séries e filmes de época suscitam debates ao apresentar as aristocracias europeias de forma muito mais diversa do que foram na vida real Veja Mais

Felipe Poeta, filho de Patrícia Poeta, investe na carreira de músico e cria gravadora aos 18 anos

G1 Pop & Arte Músicas unem rap a citações de samba apresentados pela mãe. Além de lançar EP, ele montou estúdio para produzir outros artistas e vai estudar nos EUA. Felipe Poeta Divulgação “Desde cedo eu sabia que o meu caminho era a guitarra ou o surfe. Sendo que no surfe eu nunca fui muito bom”, admite Felipe Poeta, de 18 anos. Foi fácil escolher a música. Agora, ele começa 2021 com mais caminhos: as canções próprias, a produção musical e a universidade. Em 2020, ele escreveu, cantou e produziu um EP com cinco faixas que misturam português e inglês, com base de rap e citações a sambas de Cartola e Paulinho da Viola apresentados a ele pela mãe, a jornalista Patrícia Poeta. Ele acaba de montar um estúdio em sua casa no Rio, que vai ser a base da gravadora Tha House Company. Felipe se empolga com a chance de produzir outros artistas jovens como ele, em especial na efervescente cena de rap alternativo carioca. E há uma terceira frente: ele foi aceito na Los Angeles College of Music, em um curso voltado a composição e produção. “Mas como estou abrindo a gravadora, o plano é ir só no fim do ano, em outubro”, ele diz. “Tem muita coisa acontecendo”, resume. Os primeiros dias de 2021 foram dedicados à nova gravadora e aos contatos com outros artistas. Ele conta que já passaram pelo estúdio músicos como o rapper Rod, do grupo 3030, e a cantora Valentina Adamovich. Uma “track chiclete” do rapper Mogli está no forno, adianta Felipe. Felipe Poeta Divulgação “A produção me ajuda a escrever, ter ideias, expandir para outras ‘vibes’. Mas se eu me aprofundo muito na técnica, isso tira um pouco do processo criativo”, ele diz. A ideia, então, é se equilibrar nas duas frentes - seguindo o modelo do produtor e cantor Pharrell Williams. Entre suas principais referências musicais estão o rap inovador de nomes como J Dilla, Madlib e MF Doom (que morreu recentemente). Mas ele também vai do jazz de John Coltrane e Miles Davis ao r&b alternativo de Frank Ocean e Anderson Paak. “Não sou Paulinho da Viola / Mas também não quero mais amar ninguém”, ele canta em “Ressaca”, uma das cinco faixas do seu EP, “Creation”. Não e a única referência ao samba no álbum. “Não sei mais se na minha vida passou um rio ou foi um furacão”, ele canta na mesma música. Foi o som que ele cresceu ouvindo. “Isso passou da minha avó para a minha mãe. Era o que tocava nas festas da família. As harmonias que eu tinha na cabeça quando comecei a estudar eram de samba e bossa nova. Aí eu misturei isso com o boom bap (estilo de produção clássica do rap entre os anos 80 e 90)”, ele conta. Initial plugin text “Two steps” começa como um samba, cita Cartola e vira hip hop. Já “The drama effect” tem uma referência a “Lucifer”, de Jay Z. Essa letra tem um tom menos intimista e fala de injustiça urbana e violência policial. “É uma violência que nunca sofri. Na minha escola eu vivia na famosa bolha. Mas, desde pequeno, meu pai (Amauri Soares, diretor da TV Globo) me levava na CUFA (Central Única das Favelas), e em espaços nas comunidades. Ele teve uma infância diferente da minha e queria que eu tivesse essa visão”, Felipe lembra. “Eu gosto de contar sobre o que eu vejo, escrever, e isso ajuda até a me entender”, finaliza Felipe Poeta. Felipe Poeta Divulgação Veja Mais

Artistas comemoram aprovação de vacinas Coronavac e Oxford pela Anvisa

O Tempo - Diversão - Magazine Bruno Gagliasso, Leandra Leal, Daniela Mercury são algumas celebridades que comentaram a aprovação do uso emergencial da Coronavac e da vacina de Oxford Veja Mais

Andressa Urach critica pastores da Universal após ser comparada a Satanás

O Tempo - Diversão - Magazine Em rede social, a modelo disse que vai revelar tudo o que sabe sobre os bastidores da igreja caso os pastores não parem de usar a imagem dela em cultos; ela afirma ter áudios comprometedores Veja Mais

Netflix confirma segunda temporada de 'Bridgerton' com Anthony como protagonista

O Tempo - Diversão - Magazine A primeira temporada, que teve Daphne (Phoebe Dynevor) no centro da trama, foi baseada no livro "O Duque e Eu" Veja Mais

Foto de Bernie Sanders sentado na posse de Biden viraliza; veja memes

G1 Pop & Arte Montagens com cenas de filmes e séries tomaram as redes sociais após a cerimônia em Washington. Foto do senador Bernie Sanders na posse de Joe Biden, na quarta-feira (20), viralizou nas redes sociais Brendan Smialowski/AFP A imagem do senador Bernie Sanders aparentemente entediado na cerimônia de posse do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, viralizou nas redes sociais na quarta-feira (20). Vestido com uma jaqueta bege, de braços cruzados e sentado em um banco desmontável afastado dos outros participantes, o senador — que chegou a concorrer com o novo presidente pela nomeação no Partido Democrata — parecia irritado com os protocolos da posse. Figurino do senador Bernie Senders vira meme nas redes sociais Veja alguns memes abaixo. Sanders sentado no cenário da série infantil "Pistas de Blue" Initial plugin text Sanders na abertura do seriado Friends Initial plugin text "Você PODE se sentar conosco", diz Bernie em uma releitura da cena do filme "Meninas Malvadas" Initial plugin text Sanders pede presente para o Papai Noel Initial plugin text Como no filme "UP" Initial plugin text E como na série "Game of Thrones" Initial plugin text Lembra da mosca no cabelo de Mike Pence nos debates dos candidatos a vice, em outubro? Initial plugin text VÍDEOS: a posse de Biden Initial plugin text Veja Mais

Armie Hammer é interrogado pela polícia após vídeo de mulher amarrada

O Tempo - Diversão - Magazine Nas últimas semanas Armie Hammer está sendo alvo de polêmicas nas redes sociais, após vazarem mensagens supostamente vindas do ator Veja Mais

Débora Falabella estreia na websérie #Quarentemas

O Tempo - Diversão - Magazine A diretora Inês Peixoto adianta que, no episódio, a atriz mostra a vida no hotel e a natureza da cidade argentina de Ushuia Veja Mais

Mostra de Cinema de Tiradentes se reinventa com programação virtual

O Tempo - Diversão - Magazine Com transmissão totalmente online por causa da pandemia do Covid-19, 24ª edição do festival tem início nesta sexta-feira (22), com 114 filmes Veja Mais

Márcio Nagô investe ainda mais no 'sambaião' em novo CD

O Tempo - Diversão - Magazine Ele transita com habilidade pelo baião, o xote, a toada e a bossa nova; mas prefere definir seu trabalho de forma mais poética e sonora: 'Eu faço é sambaião' Veja Mais

Parque Ecológico da Pampulha recebe obra da grafiteira Dninja

O Tempo - Diversão - Magazine A fachada lateral de sua portaria principal, que possui 90 m², se transformou em uma grande empena artística Veja Mais

Novo 'Pinóquio' deixa visual Disney para trás e mergulha em trevas

O Tempo - Diversão - Magazine Clássico infantil se distancia do padrão tradicional e ganha versão dark no cinema Veja Mais

Filme de Natal de Leandro Hassum alcança 26 milhões de acessos na Netflix

O Tempo - Diversão - Magazine Longa 'Tudo Bem no Natal que Vem' estreou na plataforma em dezembro de 2020 Veja Mais

Despedidas, novas temporadas e lançamentos: Veja lista de séries previstas para 2021

G1 Pop & Arte Cardápio de lançamentos tem despedida de 'The walking dead', continuação de 'Verdades secretas', possível reunião de 'Friends' e mais; assista ao vídeo Semana Pop lista as séries e novas temporadas mais aguardadas de 2021 Como outras produções audiovisuais, as séries foram abaladas pela pandemia em 2020. Por causa da paralisação nas gravações, muitas tiveram que adiar a estreia ou suas novas temporadas. Isso alongou o cardápio de lançamentos de 2021. Veja, abaixo, as produções que devem chegar à TV e serviços de streaming neste ano. Novas temporadas Uma das que teve sua nova temporada adiada foi "The handmaid's tale". A quarta leva de episódios estava prevista para o ano passado. Por causa da pandemia, a produção mudou a data algumas vezes, até anunciar a estreia para 2021 - a data exata ainda não foi divulgada. Mas não pense que o sofrimento da protagonista June está perto de terminar. A série já foi renovada pra uma quinta temporada. Cena da série The Handmaid's Tale Divulgação Outra que não tem data pra acabar é "Stranger things". Os mais apaixonados pela série sofreram com um 2020 inteiro sem novos episódios, mas a quarta parte da história também é esperada pra este ano. A lista de lançamentos segue com a oitava temporada da comédia policial "Brooklyn nine-nine". Segundo a imprensa americana, a continuação vai abordar a violência policial e os movimentos antirracistas nos Estados Unidos. E também vão chegar a terceira temporada de "Atlanta", série de Donald Glover, e mais um episódio especial de "Euphoria", marcado para 24 de janeiro - a segunda temporada da série ainda não tem data para estrear. Mais uma série jovem, como "Euphoria", "As five", história derivada de "Malhação - Viva a diferença", ganhará uma segunda temporada em 2021. E "Verdades secretas", novela que foi fenômeno no horário da 23h da TV Globo, terá uma segunda parte no Globoplay. 'Verdades secretas II' é uma das produções originais do Globoplay em 2021 Zé Paulo Cardeal/TV Globo Despedidas Para alguns fãs, 2021 será de despedida. Várias produções vão para suas temporadas finais. "The walking dead" é uma delas. Depois de 10 temporadas com o mundo dominado pelos mortos-vivos, a história vai pra sua 11ª e última leva de episódios. A expectativa é que ela seja dividida em duas partes: a primeira sai em 2021 e a segunda, em 2022. Cena do seriado 'The Walking Dead' Divulgação Outro fenômeno que vai chegar ao fim é "La casa de papel". Depois de virar sucesso de audiência e inspirar fantasias de carnaval no Brasil, a série espanhola vai terminar na quinta parte, segundo a imprensa especializada. "Better call Saul", trama derivada de "Breaking bad", vai chegar ao fim na sexta temporada. E o público também vai dar adeus a "Supergirl", 'Dear white people", "Grace and Frankie" e "Ozark". Novidades Umas indo e outras chegando. Além de "WandaVision", um dos lançamentos mais esperados, que chegou já no início do ano, 2021 reserva outras novidades. 'WandaVision' rompe com padrão dos filmes e é começo ousado para séries da Marvel; G1 já viu Elizabeth Olsen e Paul Bettany falam sobre 'WandaVision': 'Desafiador e tão divertido' Também no universo dos super-heróis, há "Falcão e o Soldado Invernal", mais uma inspirada nos quadrinhos da Marvel, protagonizada por Anthony Mackie e Sebastian Stan, prevista para março de 2021. "Caso Evandro" é uma série em 8 episódios sobre as circunstâncias do desaparecimento do menino Evandro Ramos Caetano, no início dos anos 1990, no litoral do Paraná. A história já deu origem a um podcast, que teve milhões de downloads no país. Para os mais nostálgicos, tem novas versões de séries de sucessos. "Bel-air" será uma versão dramática e sombria de "Um maluco no pedaço", série que revelou Will Smith. Ele volta ao elenco. "Dexter" também vai ganhar um revival, tentando compensar um final criticado 7 anos atrás. 'Dexter' vai ganhar novos episódios depois de 7 anos da última temporada Divulgação E a reunião de "Friends"? Em 2020, parecia que o maior sonho dos fãs ia virar realidade. Depois de anos e anos de pedidos e boatos, um programa especial inédito com o elenco original foi confirmado no início de 2020, mas acabou adiado por causa da pandemia. A previsão agora é março de 2021. Será que dessa vez vai? Veja Mais

Peruano radicado em BH, George Arrunáteghi lança novo disco

O Tempo - Diversão - Magazine "Tropical Romance" traz 13 faixas, e inclui releituras como a de “SelfPity”, da holandesa Margriet Eshuijs, um grande sucesso no Brasil Veja Mais

BBB 21: Goiana Thaís entra no reality e avisa: ‘Sou a rainha das tretas’

O Tempo - Diversão - Magazine Cirurgiã-dentista tem 27 anos e mora com os pais no interior de Goiás Veja Mais

'Cidade Invisível', 'Relatos do Mundo' e 'Scarface' chegam à Netflix

O Tempo - Diversão - Magazine Os títulos vão entrar no catálogo da plataforma em fevereiro Veja Mais

'BBB21': Lista de participantes é divulgada; conheça

G1 Pop & Arte Nomes estão sendo anunciados nesta terça, ao longo da programação da TV Globo. Próxima edição estreia em 25 de janeiro e terá 100 dias de duração. A lista de participantes do "BBB21" começou a ser divulgada. Nesta terça-feira (19), os competidores da próxima edição do reality serão revelados ao longo da programação da TV Globo. Até agora, os nomes anunciados foram: Karol Conká, 35 anos, cantora e apresentadora de Curitiba (PR) Karol Conká é participante do 'BBB21' TV Globo Nome conhecido do rap, Karol lançou seu primeiro álbum, “Batuk freak”, em 2013, No ano seguinte, estourou nacionalmente com o hit “Tombei”, em parceria com os DJs do Tropkillaz. Seu repertório tem discurso sobre empoderamento feminino e diversidade. Na TV, já participou de programas como “Mister Brau” (TV Globo) e “Superbonita” (GNT). Arthur, 26 anos, instrutor de crossfit de Conduru (ES) Arthur é participante do 'BBB21' TV Globo Eleito Mister Espírito Santo em 2016, Arthur ficou em sétimo lugar no concurso nacional. Também já jogou nas categorias de base do Atlético Goianiense e na Ponte Preta, mas largou o futebol por conta de lesões. Atualmente, trabalha como personal trainer e instrutor de crossfit no Rio de Janeiro. Carla Diaz, 30 anos, atriz de São Paulo (SP) Carla Diaz é participante do 'BBB21' Divulgação/Globo Conhecida do público desde criança, Carla começou a atuar aos sete anos, em “Chiquititas”, novela infantil de sucesso nos anos 90. Depois, participou de tramas como “Laços de família”, “O clone” e “A força do querer”. Caio, 32 anos, fazendeiro de Anápolis (GO) Caio é participante do 'BBB21' Divulgação/Globo Caio é um homem do campo. Mora na cidade de Anápolis e vai todos os dias para a fazenda, onde tem plantação de soja e de milho. Desde criança, acompanhou o pai e o avô no trabalho e sempre quis também seguir esse caminho. Ele vive com a noiva e tem duas filhas: Alice, de 6 anos, de um relacionamento anterior, e Manuella, de 10 meses, com a atual. Camilla de Lucas, influenciadora de Nova Iguaçu (RJ) Camilla de Lucas é participante do 'BBB21' Divulgaço/Globo Camilla começou a criar conteúdos no YouTube fazendo vídeos sobre beleza, com dicas de cabelo e maquiagem, há quatro anos. Hoje tem mais de 7,5 milhões de seguidores nas suas contas nas redes sociais. Mora com o namorado e diz "blogueirinha real" por falar do cotidiano em seus vídeos. Chegou a cursar Contabilidade. Em 2020, entrou para uma lista da revista "Forbes" como uma das jovens mais promissoras do Brasil. João Luiz, professor de Geografia de Santos Dumont (MG) João Luiz é participante do 'BBB21' Divulgação/Globo João Luiz nasceu em Santos Dumont, mas mora há um ano com o namorado em Extrema, no sul de Minas. Gosta de ouvir funk e de dançar, e se considera comunicativo. Durante o mestrado em Geografia, abriu uma loja virtual para vender cadernos e quadros pintados por ele e uma amiga. 100 dias O "BBB21" estreia em 25 de janeiro e, pela primeira vez, terá 100 dias de duração. Tiago Leifert comanda o programa novamente. Repetindo a bem-sucedida fórmula da temporada de 2020, o jogo terá integrantes anônimos e famosos, divididos entre os times Pipoca e Camarote. Provas bate-e-volta e de resistência, além do big fone, da divisão da casa entre vip e xepa e o líder com o poder do "não", seguem como parte da atração. Nesta edição, os confinados contarão com o aplicativo de paquera "Flecha". Além do flerte ao vivo, os participantes do "BBB21" poderão contar com uma ajudinha virtual para demonstrar interesse entre eles. Nele, eles poderão declarar o interesse uns nos outros e, caso o interesse seja mútuo, os confinados ficam sabendo do "match" e têm a chance de levar a história afetiva adiante. O aplicativo será uma das ferramentas do #FeedBBB, que é a rede social dos participantes. A plataforma contará também com o "Podcast do Líder", no qual o participante com poder da semana gravará conteúdos exclusivos em áudio na plataforma. O podcast ficará disponível somente para o público. Os planos do top 5 do 'BBB20' para depois do programa Veja Mais

APCA divulga lista dos melhores das artes em 2020

O Tempo - Diversão - Magazine A cantora Teresa Cristina levou prêmio de artista do ano da música; confira vencedores das dez categorias contempladas Veja Mais

Murilo Santiago lança o álbum “Cada Um é o Mundo”

O Tempo - Diversão - Magazine Disco vem na sequência de 'O Mundo é Cada Um; mas agora, o olhar é para o Brasil e sua multiplicidade sonora Veja Mais

Esposa de Livinho posta vídeo e diz que MC 'passou por um livramento'

G1 Pop & Arte Sem explicar o que de fato aconteceu com MC, Byanca Gabarron agradeceu a preocupação e disse que quando Livinho 'estiver melhor' deve aparecer para conversar com os fãs. Esposa de Livinho posta vídeo e fala que marido 'passou por um livramento' após sumiço na madrugada de segunda (18) Reprodução/Instagram/Livinho Byanca Gabarron, esposa do MC Livinho, usou o Instagram do marido para mandar uma mensagem para os fãs, após o cantor sumir e deixar a família preocupada na madrugada desta segunda-feira (18). "Queria agradecer por todas as orações, por todo mundo que se preocupou com o Oliver. Agora está tudo bem. Ele está abalado com tudo que aconteceu", afirmou Bya, sem dar detalhes. "Ele está bem, nós estamos com a família inteira unida. Ele passou por um livramento, está feliz pela vida e agora vai dar mais valor ao que importa. Byanca disse ainda que quando Livinho 'estiver melhor', ele vai conversar com os fãs através das redes sociais. No vídeo que também foi compartilhado no Instagram pessoal de Byanca, o cantor aparece jogando bola com o filho Olívio. Sumiço e pedido de ajuda MV Livinho grava vídeo e diz que está sendo perseguido MC Livinho deixou familiares e amigos preocupados na madrugada desta segunda-feira (18) após publicar vídeos em que pede ajuda e fala: "'cê' tá louco, mano, me ajuda, me ajuda". Pouco antes, Livinho fez uma série de vídeos em seu Instagram dizendo que estava, aparentemente, sendo seguido por um carro. Ambos os vídeos já foram apagados das redes sociais. "Algum carro já ficou te seguindo, porque esse aqui parece, viu? Meu carro é bom também, não sei porque não passa. Fora que jogou uma vez em cima de mim, mano." "Não sei se me conhece, não tô entendendo nada esse carro aqui atrás de mim. Verdade mesmo, já está estranho. Quer seguir, pode seguir, tá emocionado?" Após o vídeo de pedido de socorro, familiares e amigos mostraram preocupação com o cantor: Elian, irmão de Livinho, escreveu nas redes sociais: "eu não sei o que está acontecendo com meu irmão. Tentei entrar em contato, não consegui. Quem tiver notícia, por favor, entra em contato comigo" O youtuber Adriano Junior, conhecido como Coreno, amigo de Livinho, postou um vídeo afirmando que ninguém estava conseguindo contato com o cantor: "estou no aguardo igual a vocês" Ele também afirmou que tentou contato com o DJ do cantor e com a mulher de Livinho, mas não conseguiu falar com eles Horas depois, Livinho fez novos vídeos, em que aparece suando, e afirmando que está bem. O irmão do cantor também divulgou uma foto em que Livinho aparece sentado em uma cama. Nenhum dos dois deu mais explicações sobre o ocorrido. O G1 entrou em contato com a assessoria do cantor, mas não obteve retorno até o fechamento dessa matéria. Quem é Livinho? Nascido em São Paulo, Oliver Decesary Santos, o MC Livinho, tem 26 anos e iniciou sua carreira musical em 2003, como violinista em uma igreja que frequentava. Iniciou seus projetos com o funk aos 14 anos e batizou seu estilo no ritmo como "romântico erótico". Um de seus maiores hits, "Fazer falta", ficou entre as mais ouvidas do Brasil no Spotify em 2017. No YouTube, o clipe da música, publicado em junho daquele ano, já soma mais de 273 milhões de visualizações. Em 2017, MC Livinho se envolveu em uma briga em um show que realizava no Rio. O cantor desceu do palco para agredir um homem. Ao retomar a apresentação, o funkeiro foi vaiado e disse que se irritou por ter sido xingado pelo homem na plateia. "'Uh' nada. Queria ver alguém te chamando de merda e você trabalhando em cima do palco", reclamou. Em 2020, o cantor foi acusado de racismo durante a gravação de um videoclipe. "Quando fomos gravar a última cena, ele, não sei o que passou na cabeça dele, ele começou a fazer umas dancinhas idiotas, obscenas, pegando no saco, imitando Michael Jackson, como se estivesse sarrando, e eu já fiquei incomodada ali naquele momento, porque foi uma pessoa que nem falou comigo e me olhou torto o clipe inteiro”, afirmou a modelo e dançarina Raielli Leon. Também em 2020, Livinho desistiu da carreira de jogador de futebol após ser contratado pelo Audax de Osasco. O cantor votou atrás na decisão de atuar como atleta horas antes de se apresentar ao clube. O motivo foi o escasso espaço na agenda. Livinho decidiu priorizar a música, após pressão de sua gravadora e de contratantes de shows. MC Livinho Reprodução/Instagram Irmão de MC Livinho mostra foto de cantor após pedido de socorro em vídeo no Instagram Reprodução/Instagram VÍDEOS: Semana Pop explica temas do entretenimento Veja Mais

Playlist oficial da posse de Joe Biden nos EUA inclui música de Anitta

G1 Pop & Arte Comitê da posse presidencial divulgou lista de músicas para a festa de posse que inclui Bruce Springsteen, Led Zeppelin, New Radicals, Beyoncé e faixa 'Make it hot', de Major Lazer e Anitta. Joe Biden e Anitta Marcelo Brand / G1 e Tom Brenner/Reuters "Make it hot", música de Anitta com Major Lazer, foi incluída na playlist oficial da festa de posse de Joe Biden como presidente dos EUA. Ele será empossado na quarta-feira (20). O comitê de Joe Biden divulgou uma lista de 46 músicas, incentivando os apoiadores a festejarem a posse em casa. A lista também tem faixas como "We take care of our own", de Bruce Springsteen, "Could you be loved", de Bob Marley, "Levitating", de Dua Lipa, "You get what you give", do New Radicals, "Uptight", de Stevie Wonder, "Find your way back", de Beyoncé, e "Got to give it up", de Marvin Gaye. "Você está planejando sua festa em casa para a posse 2021? Então deixe a gente tirar uma coisa de sua lista. DJ DNice e The Raedio fizeram a playlist perfeita para você dançar a noite toda enquanto a gente recebe nossos novos líderes", escreveu o comitê. Veja a lista completa. Initial plugin text " Veja Mais

'Mulher-Maravilha 1984' segue na liderança da bilheteria nacional e arrecada R$ 1,9 milhão

G1 Pop & Arte Filme com Gal Gadot lidera pela 5ª semana consecutiva e acumula R$ 27,9 milhões. 'Legado Explosivo' e 'O Mensageiro do Último Dia' completam o top 3 do ranking semanal. Mulher-Maravilha 1984 Divulgação O filme "Mulher-Maravilha 1984" continua, pela quinta semana seguida, como líder de bilheterias no Brasil. O longa da heroína arrecadou R$ 1,99 milhão e foi assistido por mais de 108,1 mil pessoas entre os dias 14 e 17 de janeiro, de acordo com os dados da ComScore. G1 JÁ VIU: 'Mulher-Maravilha 1984' brinca com nostalgia e é divertido e piegas como um bom gibi 'Mulher-Maravilha 1984': Gal Gadot e diretora falam sobre novo filme e parceria 'telepática' "Legado Explosivo" ficou com a segunda colocação (R$ 646 mil), seguido de "O Mensageiro do Último Dia" (R$ 421,9 mil). Confira ranking completo abaixo. No total, os dez filmes mais assistidos somaram R$ 3,8 milhões em arrecadação. O valor é menor do que o último final de semana, que teve renda de R$ 5,1 milhões. A soma do público chegou a 211 mil pessoas, contra 279 mil pessoas da semana anterior. O levantamento da ComScore não informa quantas salas de cinema estão abertas no país. 'Mulher-Maravilha 1984': Entrevista com Gal Gadot e Patty Jenkins Veja o ranking de bilheteria entre os dias 14 e 17 de janeiro de 2021: "Mulher-Maravilha 1984" - R$ 1,9 milhão "Legado Explosivo" – R$ 646 mil "O Mensageiro do Último Dia" – R$ 421,9 mil "Trolls 2" - R$ 294,8 mil "Um tio quase perfeito 2" – R$ 212,5 mil "Sapatinho Vermelho e os Sete Anões" - R$ 92,9 mil "Destruição final: O último refúgio" - R$ 50,3 mil "Convenção das bruxas" - R$ 45,9 mil "Amizade maldita"- R$ 30,7 mil "Scooby – O filme" – R$ 28,2 mil Veja Mais

'BBB21': Lista de participantes será anunciada nesta terça-feira (19)

G1 Pop & Arte Nomes dos integrantes da Pipoca e do Camarote serão divulgados ao longo da programação da Globo. Programa estreia em 25 de janeiro. Tiago Leifert segue no comando do Big Brother Brasil Globo/Victor Pollak Os nomes dos participantes do "BBB21" serão anunciados nesta terça-feira (19). Segundo a produção do programa, a lista de participantes, que se dividirão entre os times Pipoca e Camarote, será divulgada ao longo de todo o dia na programação da TV Globo. O "BBB21" estreia em 25 de janeiro e terá 100 dias de duração. Tiago Leifert comanda por mais um ano o reality show. O programa repete a fórmula bem-sucedida de 2020 e reúne anônimos e famosos, divididos entre os times da Pipoca e do Camarote. Provas bate-e-volta e de resistência, além do big fone, da divisão da casa entre vip e xepa e o líder com o poder do "não", seguem como parte da atração. Nesta edição, os confinados contarão com o aplicativo de paquera "Flecha". Além do flerte ao vivo, os participantes do "BBB21" poderão contar com uma ajudinha virtual para demonstrar interesse entre eles. Nele, eles poderão declarar o interesse uns nos outros e, caso o interesse seja mútuo, os confinados ficam sabendo do "match" e têm a chance de levar a história afetiva adiante. O aplicativo será uma das ferramentas do #FeedBBB, que é a rede social dos participantes. A plataforma contará também com o "Podcast do Líder", no qual o participante com poder da semana gravará conteúdos exclusivos em áudio na plataforma. O podcast ficará disponível somente para o público. Os planos do top 5 do 'BBB20' para depois do programa Veja Mais

'Chocolate com pimenta' estreia no Globoplay: relembre comédia com romance e vingança

G1 Pop & Arte Novela de Walcyr Carrasco com Mariana Ximenes e Murilo Benício chega à plataforma de vídeos nesta segunda-feira (18). "Chocolate com Pimenta" é a estreia desta segunda-feira (18) no Globoplay. Exibida em 2003, a novela escrita por Walcyr Carrasco e estrelada por Mariana Ximenes e Murilo Benício é uma comédia romântica, ambientada na década de 1920. Para ajudar a entrar no clima, o G1 publica curiosidades sobre a novela, com dados do Memória Globo (leia mais ao fim da reportagem). Com direção de Jorge Fernando, Fabrício Mamberti e Fred Mayrink, a história acontece na fictícia Ventura, uma pequena cidade que gira em torno da fábrica de chocolates e bolos artesanais Bombom, de Ludovico (Ary Fontoura). A protagonista, Ana Francisca (Ximenes), é uma menina humilde, ingênua e romântica que, após perder o pai, vai morar em um sítio simples, com uma parte da família que ainda não conhece. Ela chama a atenção de Danilo (Benício), o rapaz mais bonito do colégio e a grande paixão da mimada Olga (Priscila Fantin), filha do delegado da cidade. Apesar das artimanhas de Olga para impedir o romance dos dois, como uma humilhação pública no baile de formatura, Ana e Danilo começam a namorar. Mariana Ximenes em cena de 'Chocolate com pimenta' João Miguel Júnior/Globo Para ajudar a família nas despesas da casa, Ana vai trabalhar como faxineira na fábrica de chocolates e conhece Ludovico. Para a jovem, ele é apenas um funcionário da empresa, não se trata de um homem rico. Pouco depois, Ana descobre que está grávida de Danilo. Mas uma armação de Olga e da tia do rapaz, Bárbara (Lilia Cabral), provoca a separação do casal, e Ana não consegue contar a novidade ao namorado. Ao ver o desespero e o sofrimento da jovem amiga, que pensa que Danilo não quis saber do filho, Ludovico revela sua verdadeira identidade e propõe casamento a ela, para dar um nome à criança. Os dois vão para Buenos Aires, na Argentina, onde Ana começa uma vida nova. Lá, ela recebe aulas de etiqueta, dança e música, corta os cabelos à última moda e ganha vestidos finos e joias do marido, transformando-se completamente. Ludovico, porém, com a saúde fragilizada, morre pouco depois do nascimento do filho de Ana Francisca. "Foi uma novela muito especial, um personagem delicioso. Se pudesse fazer 'Chocolate com Pimenta 2', eu faria. A premissa era muito boa. Uma menina simples, jovem, ingênua e pobre, de família humilde e que, de repente, conhece uma pessoa que a ajuda, o Ludovico, interpretado pelo brilhante Ary Fontoura", lembra Ximenes em entrevista ao Memória Globo. "Depois, ela volta para se vingar e também recuperar os laços afetivos. Consegue dar a volta por cima. É um personagem que se transforma ao longo da trama. Mexeu com valores, como família, honra, coragem. Ainda tinha um charme por ser de época. Uma novela linda, com cenários lúdicos. Foi um personagem muito especial, muito importante na minha carreira." Murilo Benício e Mariana Ximenes em 'Chocolate com pimenta' João Miguel Júnior/Globo Rica e acionista majoritária da fábrica de chocolates, Ana volta a Ventura sete anos depois de sua partida, disposta a se vingar. A cidade, que antes a tratava com desprezo, agora a recebe com um grande baile. Para a surpresa de todos, ela decide fechar a fábrica, o único sustento de Ventura. A partir de então, passa a enfrentar os artifícios criados pelo prefeito Vivaldo (Fulvio Stefanini), o delegado Terêncio (Ernani Moraes) e o banqueiro Conde Klaus von Burgo (Cláudio Corrêa e Castro), que tentam demovê-la a todo custo da ideia. O autor lembra que o tom de comédia da novela fez sucesso com o público. "Eu parti para uma construção bem clássica de heroína pobre, sofrida. A história dela com o Ludovico não podia ser mais clássica. Ele se fazia de pobre, ela era empregada da fábrica. E eles ficavam amigos. Ela era a única pessoa que tratava esse milionário como um ser humano, e, por isso, ele resolvia casar com ela, porque foi a única pessoa que deu carinho para ele na velhice", conta Walcyr Carrasco. "A Olga era uma antagonista com um tom de humor, a Priscila Fantin. E tinha também a Jezebel, irmã do Ludovico, que queria ser a herdeira da fábrica. Ela era a grande vilã, quase uma bruxa de contos de fada. A novela, por ser muito clássica, mas com um tom bem-humorado, foi muito gostosa de fazer, a gente ria muito fazendo a novela, porque tudo era muito engraçado. Teve guerra de bolo, tudo que podia ter de artimanha de humor." Priscila Fantin e Mariana Ximenes em 'Chocolate com Pimenta' João Miguel Júnior/Globo Curiosidades A novela foi inicialmente inspirada na opereta "A Viúva Alegre", do compositor húngaro Franz Lehár; Partindo de vilões de desenhos animados, os personagens de Elizabeth Savala, Fulvio Stefanini, Cláudio Corrêa e Castro e Ernani Moraes foram alguns que garantiram o humor da trama com seu tom farsesco. Eles sempre eram os maiores prejudicados em suas próprias armações. Murilo Benício também contribuiu com o lado cômico da novela ao emprestar humor ao mocinho Danilo; Um dos mistérios da trama gira em torno de Bernardete (Kayky Brito), a filha adotiva de Jezebel (Elizabeth Savala). Quando ficou grávida, Jezebel adoeceu e fez uma promessa à Santa Bernadete: dedicaria a filha à santa. Como acabou perdendo a criança, resolveu adotar uma menina para cumprir a promessa. Sua empregada Cândida (Yeda Dantas) tinha um filho e, sem ter condições de dar uma boa criação ao menino, decidiu levá-lo para ser adotado pela patroa, mantendo em segredo o verdadeiro sexo do bebê; Kayky Brito e Elizabeth Savalla em 'Chocolate com Pimenta' Renato Rocha Miranda/Globo Os primeiros capítulos da novela mostraram cenas com Mariana Ximenes, Murilo Benício e Ary Fontoura gravadas na Argentina. Serviram de cenários o famoso Teatro Cólon, localizado na Avenida 9 de Julio, centro de Buenos Aires; o Rosedal, parque da cidade; e a localidade de Tigre, próxima à capital argentina; No Brasil, o elenco gravou na Serra Gaúcha, em pontos turísticos de Gramado (como o Lago Negro), Canela (Parque das Sequoias) e São Francisco de Paula (Ponte do Passo do Inferno). Nesta última, foi realizado o desfile da fanfarra de Ventura, com banda, balizas e bandeiras, e uma figuração de 150 moradores da região. Também houve gravações na Região Serrana do Rio de Janeiro e em São Lourenço, sul de Minas Gerais; O sítio da família de Ana Francisca foi ambientado no bairro de Camorim, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, que já servira de locação para as minisséries "A Muralha" (2000) e "A Casa das Sete Mulheres" (2003). Além de uma casinha típica da roça, feita com material de demolição, foram criados no local galinheiro, viveiro, horta, estábulo, chiqueiro e um lago artificial; Toda a linha de chocolates da fábrica foi feita especialmente para a novela, que consumia nas gravações, em média, três quilos de bombons de chocolate por semana. Também foram produzidos mais de dez mil bombons cenográficos em 15 formatos diferentes; Outro destaque foram os autênticos carros antigos usados em cena, do acervo de um colecionador particular. O personagem de Murilo Benício dirigia um autêntico Ford Roadster, modelo T, de 1926 – o típico carro de playboy que, na época, ficou conhecido no Brasil como "baratinha"; Assim como em outras novelas que dirigiu, Jorge Fernando fez uma participação especial na história, interpretando o palhaço do circo que chega à cidade de Ventura. A novela contou também com a participação de Lucinha Lins e Lauro Góes, como os pais de Danilo (Murilo Benício). Marcos Frota viveu um trapezista do circo, Morcego Voador, que se apaixona por Bárbara, personagem de Lilia Cabral. E os cantores Zezé di Camargo e Luciano atuaram, respectivamente, como os personagens Casca e Cascudo, que aparecem no sítio da família de Ana Francisca. Dália e Cascudo se encantam um pelo outro, e ela vai embora com a dupla; Zezé di Camargo, Luciano e Carla Daniel em 'Chocolate com Pimenta' Gianne Carvalho/Globo "Chocolate com Pimenta" foi a quinta novela de época da carreira de Walcyr Carrasco, e sua terceira na Globo, onde antes assinara "O Cravo e a Rosa" (2000) e "A Padroeira" (2001). Em 2005, ele escreveu outro sucesso, "Alma Gêmea"; Laura Cardoso conta que a trama era tão divertida que, por vezes, o elenco não conseguia conter o riso, sendo obrigado a interromper as gravações; Osmar Prado lembra que o sotaque caipira de seu personagem, Margarido, foi inspirado no modo de falar de seu próprio pai, que era do interior de São Paulo; Lançada em maio de 2004 no mercado externo, a novela foi vendida para diversos países, entre eles Cazaquistão, Argentina, Chile, Guatemala, Paraguai, Peru, El Salvador, Sérvia e Montenegro, Equador, Venezuela, Ucrânia, Romênia, Moldávia, Bósnia, Portugal, Uruguai, Moçambique, Nicarágua, Costa Rica, EUA e Honduras. Em Portugal, foi líder absoluta de audiência, conquistando o primeiro lugar geral e chegando a ser apresentada em dois horários por dia. Veja Mais

Design autoral made in BH

O Tempo - Diversão - Magazine Novos nomes da joalheria mineira criam peças cheias de personalidade em prata, ouro e pedras preciosas Veja Mais

Boninho publica post com enigma sobre nova edição do 'Big Brother Brasil'

O Tempo - Diversão - Magazine Post com números e letras aparentemente aleatórios já despertou a curiosidade do público; diretor provocou dizendo que pode haver um nome escondido na imagem Veja Mais