Meu Feed

Hoje

Concurso para a Secretaria de Saúde do Recife oferece 695 vagas com salários de até R$ 13,5 mil

G1 Economia Inscrições podem ser feitas na internet a partir da segunda-feira (9) até o dia 13 de janeiro. Há vagas para candidatos com ensino médio, técnico e superior. Vagas são para atuar na rede municipal de saúde, como nas Upinhas Recife Andrea Rêgo Barros/PCR Um concurso oferece 695 vagas de emprego com salários que variam entre R$ 833,60 e R$ 13.585,50 para profissionais que querem atuar na rede municipal de saúde do Recife. O edital do concurso foi publicado no Diário Oficial do sábado (7) e as inscrições começam às 9h da segunda-feira (9). Há vagas para candidatos de nível médio, técnico e superior. As inscrições podem ser feitas na internet, até o dia 13 de janeiro. A taxa para se inscrever varia entre R$ 50 e R$ 100, a depender do nível de escolaridade exigido, e pode ser paga até 14 de janeiro. É possível pedir isenção do valor da taxa até o dia 16 de dezembro. O edital do concurso está disponível na internet. O salário mais baixo é para técnico em saneamento, com carga de 30 horas semanais, e a remuneração mais alta é para médico, com jornada de 40 horas semanais. A forma de seleção varia conforme o cargo, mas, na maioria dos casos, é feita por meio de prova objetiva e de títulos. Ao todo, 10% das vagas de cada cargo são destinadas a pessoas com deficiência. Os candidatos que não forem aprovados no número de vagas abertas ficam no cadastro de reserva e podem ser convocados de acordo com a necessidade da administração municipal, seguindo a ordem de classificação. Confira os cargos com vagas abertas Agente de saúde ambiental e controle de endemias Analista clínico Assistente social Auxiliar de saúde bucal Biólogo Biomédico Cirurgião dentista Enfermeiro Engenheiro de segurança do trabalho Farmacêutico Fisioterapeuta Fonoaudiólogo Médico Médico (acupuntura) Médico (alergia e imunologia) Médico (alergia e imunologia pediátrica) Médico (angiologia) Médico (cardiologia) Médico (cardiologia pediátrica) Médico (clínica médica) Médico (dermatologia) Médico (ecocardiografia) Médico (imaginologia pediátrica) Médico (endocrinologia e metabologia) Médico (ergometria) Médico (gastroenterologia) Médico (gastroenterologia pediátrica) Médico (geriatria) Médico (ginecologia e obstetrícia) Médico (homeopatia) Médico (infectologia) Médico (mastologia) Médico (neurologia) Médico (neurologia pediátrica) Médico (oftalmologia) Médico (otorrinolaringologia) Médico (medicina física e reabilitação) Médico pediatra Médico (pneumologia) Médico proctologista Médico psiquiatra Médico (psiquiatria da infância e adolescência) Médico (radiologia e diagnóstico por imagem) Médico (reumatologia) Médico (ortopedia e traumatologia) Médico urologista Médico do trabalho Nutricionista Profissional de educação física Psicólogo Químico Sanitarista Técnico de enfermagem Técnico de laboratório Técnico de segurança do trabalho Técnico de saúde bucal Técnico em histopatologia Técnico em imobilização ortopédica Técnico em radiologia Técnico em saneamento Terapeuta ocupacional Veterinário Veja Mais

Carnes de porco e de frango acompanham alta nos preços do boi gordo

G1 Economia Esse aumento, o maior em 2 anos, foi puxado pelo crescimento das exportações, principalmente para China, que enfrenta um surto de peste suína africana. Carnes de porco e de frango acompanham alta nos preços do boi gordo Os preços das carnes de frango e porco também estão subindo nas prateleiras pelo Brasil, acompanhando a alta da cotação do boi gordo. Esse aumento, o maior em 2 anos, foi puxado pelo crescimento das exportações, principalmente para China, que enfrenta um surto de peste suína africana. Veja os vídeos do Globo Rural O presidente da associação que representa os frigoríficos de frangos e suínos (ABPA), Francisco Turra, diz que essa grande procura do mercado externo não era esperada. Ele afirma que não existe risco de desabastecimento no mercado interno, e que, apesar de todos os investimentos feitos no setor, não existe a possibilidade de suprir a grande demanda do mercado asiático. “Nem nós, nem a União Europeia, nem Estados Unidos estamos em condição de atender. No ano passado, a exportação como um todo de carne suína foi de 8,5 milhões de toneladas (no mundo), a perda deles (asiáticos) foi de 14 bilhões de toneladas”, diz Turra. Ritmo acelerado No caso da carne de porco, as vendas brasileiras para o exterior movimentaram US$ 149 milhões em novembro, 42% a mais que no mesmo período do ano passado. Já a carne de frango teve exportadas mais de 59 mil toneladas para a china. Aumento de 61% na comparação com o mesmo mês de 2018. Produtor 'ri à toa' O produtor João Divino Viana, conhecido como gaúcho, está rindo à toa. Ele cria porcos em Bauru, no interior de São Paulo. Ele conta que não está dando conta da procura. Gaúcho tinha reservado 70 leitões para vender no final do ano, mas, praticamente, todos os animais já foram vendidos. Por causa da grande procura, o preço disparou. O quilo do leitão está variando na região entre R$ 18 e R$ 27. No mesmo período do ano passado, o valor estava entre R$ 13 e R$ 19. "Muita procura. O mercado tá demais da conta, está passando de todos os anos”, avalia Viana. Veja a reportagem completa acima. Acompanhe a cobertura de Agronegócios do G1 Veja Mais

Cor rosa ganha força e ganha espaço em vitrines de lojas

G1 Economia A consultora Silvia Cigliano diz que o rosa não é moda passageira e que o resgate da cor faz parte do que o mercado chama de mega tendências. Algumas surgem com a mudança de comportamento nas ruas. Cor rosa ganha força e ganha espaço em vitrines de lojas Das passarelas que lançam moda para as vitrines e araras de lojas e shoppings de todo o país. O rosa, cor que sempre foi símbolo de fragilidade, foi resgatada pelas mulheres e ganhou novo significado. O movimento feminista resgatou o rosa em 2017, na marcha das mulheres, nos Estados Unidos. Elas foram às ruas vestindo toucas rosas, como símbolo do empoderamento feminino. A consultora Silvia Cigliano diz que o rosa não é moda passageira e que o resgate da cor faz parte do que o mercado chama de mega tendências. Algumas surgem com a mudança de comportamento nas ruas. "Todo movimento político social, econômico e político que está acontecendo reflete também na forma da gente se vestir. Quando você consegue se comunicar com aquele comportamento, que a gente chama de espírito do tempo, você consegue vender mais", explica. As sócias de uma marca de roupa feminina em São Paulo logo perceberam a tendência. “Inconscientemente o rosa tomou um lugar maior por causa do empoderamento feminino, por causa de toda essa parte de valorização da mulher", diz Maura Bauer. A marca possui duas lojas físicas que atendem no atacado e o e-commerce, para o consumidor final. Por mês, vendem oito mil peças. Não basta pintar a coleção de rosa, é preciso ter uma estratégia para conquistar o maior número de clientes possível. Existem muitas técnicas para jogar o rosa dentro de uma coleção. Ele pode vir em detalhe, de fundo, em contraste com outras cores, com tom mais sóbrio e o Pink, mais ousado. A estilista Danielly Aguiar diz que maior a variedade, menos o produto se torna cansativo para o cliente. “A gente trabalha com 60 modelos por mês então quanto mais variedade menos cansativo a cor a tendência ou o shape vai virar no todo.” Lilly Sarti Rua Bela Cintra, 2207 - Jardim Paulista São Paulo/ SP – CEP: 01409-003 Telefone: (11) 4210-1029 https://www.lillysarti.com.br/ https://www.facebook.com/lillysartibrand https://www.instagram.com/lillysartibrand PatBO Shopping JK Iguatemi - 1° Piso Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041-Itaim Bibi São Paulo /SP – CEP: 04543-011 Telefone|: (11) 3152-6580 https://patbo.com.br/ https://www.facebook.com/patbo.official/ https://www.instagram.com/patbo_brasil/ Studio21 Fashion Showroom Itaim Rua do Consórcio, 68 - Vila Nova Conceição. São Paulo/SP - CEP: 04535-090 Telefone: (11) 3842-0802 E-mail: central@studio21fashion.com.br Site: www.studio21fashion.com.br Facebook: Studio21 Fashion Instagram:@studio21fashion FAAP – Faculdade Armando Alvares Penteado Rua Alagoas, 903 – Higienópolis São Paulo/SP – CEP: 01242-902 Telefone: 11 3662-7000 Site: www.faap.br Facebook e Instagram: @nafaap Veja Mais

Consultor dá dicas de como renegociar suas dívidas

G1 Economia Antes de pegar dinheiro emprestado é preciso planejar e fazer as contas. Saber sobre juros compostos ou juros sobre juros. Consultor dá dicas de como renegociar suas dívidas Antes de pegar dinheiro emprestado, é preciso planejar e fazer as contas. Saber sobre juros compostos ou juros sobre juros. O consultor financeiro Alexsandro Gonsales diz que nunca é sobre o valor inicial, é sempre o valor, mais os juros, que é os juros sobre juros, que somando tudo isso, ao longo de um ano, dá de 300 a 400%, dependendo da linha que a pessoa toma. Os empresários Pablo Linhares e Poliana Ferraz sabem disso porque começaram um negócio devendo. Pablo montou com o irmão Lucas uma empresa de reparos em celular e Poliana, uma agência de estágios. A dívida de Poliana foi virando bola de neve: com o cartão de crédito, o cheque especial, o telefone e os custos da empresa. Quando viu, em um ano, chegava numa dívida de R$ 40 mil. Já a dívida do Pablo, que começou em R$ 18 mil, chegou a R$ 200 mil. Os dois ficaram com o nome sujo. Mas, conseguiram sair do sufoco. A estratégia deles foi renegociar com o banco uma nova dívida com taxas de juros menores. E também fazer um plano de contas, para que as prestações coubessem no bolso. A empresária Poliana parcelou a dívida em 24 vezes. O consultor Alexsandro Gonsales diz que para todos que a regra é clara: precisa arrecadar mais do que gasta. Ou seja, nunca gastar mais e faturar menos. O consultor faz mais um alerta: a dívida perigosa é quando você pega dinheiro para pagar despesas fixas, como salários e aluguel. Já a dívida boa é a que pode impulsionar o seu negócio. Pablo e Poliana deram a volta por cima. Pagaram as dívidas e cresceram muito. Poliana montou uma rede de franquias de estágio com 40 unidades e faturamento de mais de R$ 34 milhões. E Pablo hoje conserta 30 mil celulares por mês e deve faturar R$ 100 milhões este ano. SUPER ESTÁGIOS – UNIDADE VILA OLÍMPIA Ed. Vila Olímpia Prime Offices Rua Alvorada, 1289 – Vila Olímpia São Paulo / SP – CEP: 04550-004 Telefone: (11) 3846-7472 Site: www.superestagios.com.br GRUPO PLL – UNIDADE INDIANÓPOLIS Av. Miruna, 168 – Indianópolis São Paulo / SP – CEP: 04084-000 Telefone: (11) 5093-7357 Site: www.grupopll.com.br Veja Mais

Nomear animais é hábito comum na roça

G1 Economia Alguns produtores dizem que chamar animais pelo nome facilita manejo. Nomear animais é hábito comum na roça Reprodução/TV TEM João Divino Viana ou gaúcho, como é mais conhecido, gosta de dar nome a todos os animais que cria em Bauru (SP). As porquinhas são chamadas de Carine, Aline, Dalva, Marcinha, Luzia e por aí vai. Tem até uma que é chamada de Dina, o nome da esposa dele. São 16 anos como administrador da fazenda. Haja nome para tanto bicho! Gaúcho diz que isso facilita na hora de tratar, de passar cada um de uma baia para outra. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 08/12/2019) Nomear animais é hábito comum na roça No galinheiro, as aves são chamadas com um som bem característico, tentando imitar os ruídos que as galinhas fazem. Já com os carneiros, na hora de recolher, bastam 3 assobios. No município de Iacanga (SP), Milton Limão também é adepto de nomear tudo. O bezerro que perdeu a mãe no parto passou a ser chamado de tornado. O cavalo branco recebeu o nome de gaúcho. E, claro, não faltam expressões que tentam imitar os sons dos animais. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Veja Mais

O que fazer quando o rastreador do Android não exibe a localização do celular perdido?

G1 Economia Blog também tira dúvidas sobre se vale a pena comprar um Chromebook, e sobre o que muda com o fim do suporte ao Windows 7. (Se você tem alguma dúvida sobre tecnologia, utilize o espaço para comentários abaixo e escreva sua pergunta) O que fazer quando o rastreador do Android não exibe a localização do celular perdido? Oi, Ronaldo! Eu perdi o meu Motorola Moto G7 durante um passeio, e assim que percebi, tentei ligar para o número, mas aparentemente o aparelho estava desligado. Quando cheguei em casa tentei localizá-lo através do rastreador nativo disponível na conta do Google e não obtive sucesso. O que devo fazer para tentar localizar o meu celular? - Carlos Eduardo Olá, Carlos Eduardo! A função nativa no Android que permite obter a geolocalização, para funcionar, requer que o aparelho esteja conectado na internet. Se ele ficou com a bateria descarregada, teve o SIM Card removido ou numa situação extrema houve a adulteração do número de IMEI e desbloqueio da conta no Google, o aparelho não será rastreado. Infelizmente para recuperar o seu aparelho, será preciso contar com a boa-fé de quem o encontrou. Sistema Android: internauta tem dúvida sobre geolocalização Divulgação/Google Vale a pena comprar um Chromebook? Esses notebooks chamados de Chromebook são bonitos e aparentemente funcionam bem. O valor parece estar acessível, mas vale a pena comprar um Chromebook? - Daniela Olá, Daniela! O Chromebook é uma iniciativa promovida pelo Google em oferecer um notebook que execute o sistema Chrome OS. A interface gráfica do Chrome OS é basicamente o navegador de internet que acessa os serviços baseados na nuvem do Google. É um equipamento dedicado para navegar na internet e utilizar as ferramentas disponíveis na internet. Ele conta uma boa autonomia de bateria, fácil de ser transportado. Mas vale salientar que não será possível instalar programas convencionais desenvolvidos para o Windows. E ntão se você precisa de algum programa específico que não possa ser substituído por um serviço na nuvem, talvez não seja opção apropriada para atender as suas necessidades. No entanto, se você já usa os serviços disponíveis na conta do Google, o Chromebook poderá servir como a ferramenta ideal essa finalidade. O que muda com o fim do suporte ao Windows 7? Olá, Ronaldo! Está previsto para janeiro o fim do suporte oferecido pela Microsoft ao Windows 7. O que muda depois que o sistema deixar de receber atualizações? - Eduardo Olá, Eduardo! Com o fim do suporte da Microsoft ao Windows 7, o seu PC ficará completamente desatualizado e consequentemente inseguro. As atualizações são a maneira que o fabricante disponibiliza correções de falhas e vulnerabilidades. Microsoft deixará de dar suporte ao Windows 7. Reprodução Muitos programas desenvolvidos por terceiros também não poderão ser atualizados e por esse motivo o seu PC começara a apresentar problemas para a execução de simples tarefas. Os requisitos de hardware exigidos para a instalação do Windows 10 são semelhantes aos que permite a execução do Windows 7. Então em equipamentos com uma configuração básica, fazer a atualização do sistema será uma das soluções mais recomendadas para que continue usando o seu PC. Foto: Reprodução/G1 Veja Mais

PAT Americana oferece 53 vagas de emprego com oportunidade para PCD; confira lista

G1 Economia Interessados devem cadastrar o currículo no site da Prefeitura. PAT de Americana disponibiliza 53 vagas de emprego nesta segunda-feira (9) Natalia Filippin/G1 O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Americana (SP) oferece 53 vagas de emprego nesta segunda-feira (9), com oportunidade para pessoas com deficiência (PCD). Os interessados devem cadastrar o currículo no site da Prefeitura. O PAT fica localizado na Rua Anhanguera, 16, no Centro. O horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 16 horas. Confira as oportunidades Agente de segurança - 4 vagas Atendente de restaurante - 1 vaga Auxiliar de manutenção em refrigeração e ar condicionado - 1 vaga Auxiliar de PCP - 1 vaga Auxiliar em saúde bucal - 1 vaga Carregador (a) de caminhão (vaga temporária) - 4 vagas Conferente - 5 vagas Contramestre - 1 vaga Cozinheiro (a) (restaurante industrial) - 5 vagas Eletroeletrônico (a) (disponibilidade para viajar) - 2 vagas Encarregada (o) de confecção - 1 vaga Encarregado (a) de construção civil (montagem de andaime) - 2 vagas Engenheiro (a) mecânico (a) (especialização em Segurança do Trabalho) - 1 vaga Líder de limpeza - 2 vagas Meio (a) oficial de cozinha (trabalho noturno) - 1 vaga Operador (a) de empilhadeira - 5 vagas Operador (a) de serra de fita - 1 vaga Operador (a) manipulador (a) (telescópico) - 2 vagas Pintor (a) - 1 vaga Serralheiro (a) de alumínio - 1 vaga Serviços gerais - 2 vagas Sociólogo (a) - 1 vaga Tapeceiro (a) - 1 vaga Vendedor (a) (auto peças) - 1 vaga Vendedor (a) (equipamentos e suprimentos) - 3 vagas Vidraceiro (a) cortador(a)/ lapidador (a) - 1 vaga Vaga exclusiva para PCD Assistente de backoffice/televendas - 2 vagas Veja mais oportunidades da região no G1 Campinas Veja Mais

Veterinários criam hotel exclusivo para gatos, em São Paulo

G1 Economia O local possui 12 cômodos de diferentes tamanhos e facilita a vida do dono que precisa viajar e também do animal, que tem um lugar tranquilo para ficar. O hotel também possui um quarto com 21 metros quadrados com janela de luz solar, tela de proteção e até uma TV aquário com som ambiente para deixar o hóspede ainda mais relaxado. Veterinários criam hotel exclusivo para gatos em São Paulo Reprodução/TVGlobo O número de gatos vem crescendo no Brasil. A expectativa é que nos próximos três meses sejam mais de 30 milhões de animais da espécie no país. E de olho nesses números, dois veterinários decidiram oferecer um novo serviço para os bichanos: um hotel exclusivo para gatos. A ideia dos veterinários Leonardo Otero e Michele Matsubara nasceu em 2014. O objetivo era criar um ambiente exclusivo para gatos, que é considerado um animal bastante sensível. Veterinários criam hotel exclusivo para gatos, em São Paulo "É importante para eles que seja um ambiente exclusivo, gato é um animal bastante sensível, há outras movimentações diferentes, então não pode ter um cachorro latindo, tem que ser quarto separado para que ele se sinta realmente confiante naquele espaço, e não tenha que disputar espaço, alimento, com outros animais", explica Leonardo. “Então em hotel exclusivo para gato, você tem uma segmentação, tudo é pensado no gato, tudo é vivido pro gato, pro bem estar e demanda do gato", complementa Michele. O local possui 12 cômodos de diferentes tamanhos e facilita a vida do dono que precisa viajar e também do animal, que tem um lugar tranquilo para ficar. O hotel também possui um quarto com 21 metros quadrados com janela de luz solar, tela de proteção e até uma TV aquário com som ambiente para deixar o hóspede ainda mais relaxado. “A gente só hospeda um gato ou uma família de gato por quarto, isso é bem importante. Porque a adaptação do gato a um novo elemento, ambiente, demanda muita técnica e muitos meses fazendo uma adaptação contínua", diz Michele. As diárias custam entre R$ 70 a R$ 120 e depende do tamanho do cômodo. O hotel chega a hospedar, em média, 400 gatos por ano. “A gente teve um crescimento bem grande, tanto que a gente mudou de sede no meio do caminho, para conseguir atender de uma forma melhor os nossos clientes que estavam precisando de um espaço mais adequado", diz Leonardo. GATOLÂNDIA – CAT RESORT Telefone: (11) 2337-4179 Site: www.gatolandiaresort.com.br Facebook: www.facebook.com/gatolandiaresort E-mail: gatolandiaresort@gmail.com Veja Mais

Supermercado de sorvetes é aposta de empresário de São Paulo

G1 Economia A loja funciona como um mercado de sorvete. O cliente chega, escolhe entre as mais de 150 opções, coloca na cestinha e leva para casa. Os preços variam de R$ 1 a R$ 19. E compras acima de R$ 30, pode comprar com preço de atacado com desconto de 25%. Supermercado de sorvetes é aposta de empresário de São Paulo O brasileiro consome 5,29 litros de sorvete por ano. E de olho nesses números, o empresário Estevão Rocha percebeu que o consumo poderia ser ainda maior e resolveu investir pesado. Ele abriu um supermercado de sorvetes. Para abrir a primeira loja, ele pesquisou o mercado dentro e fora do Brasil e investiu R$ 70 mil “Eu pude ver que o consumo no Brasil já era um consumo razoável, mas ficava muito aquém de um país como os Estados Unidos. Lá nós temos um consumo três vezes maior do que o consumo do mercado brasileiro. E eu encontrei algumas respostas. E dessas respostas nós formatamos nosso negócio", explica Estevão. A loja funciona como um mercado de sorvete. O cliente chega, escolhe entre as mais de 150 opções, coloca na cestinha e leva para casa. Os preços variam de R$ 1 a R$ 19. E compras acima de R$ 30, pode comprar com preço de atacado com desconto de 25%. “O diferencial é que além da gente escolher por preço barato, o sorvete é bom. Eu, por exemplo, muitas vezes levo e deixo em casa", diz Denise de Carvalho, que é cliente. Para driblar a sazonalidade, o empresário também passou a vender comida congelada, como refeições caseiras, caldos, biscoitos e até pão de queijo. "Eu com a formação de marketing e gerente comercial por muitos anos, eu fui pesquisar o mercado e encontrei uma opção para a sazonalidade, que eram as comidas congeladas, que é um mercado que vem crescendo muito, hoje até pelo dia a dia que a gente tem, corrido.” Sou ice Telefone: (11) 4706-2838 Site: www.souice.com.br Email: contato@souice.com.br Facebook: @souice.oficial Instagram: @souice.oficial Veja Mais

Investimento em bem-estar garante maior rendimento de cavalos

G1 Economia Cuidados começam já na hora do nascimento dos potros. Investimento em bem-estar garante maior rendimento de cavalos Reprodução/TV TEM Em uma prova de 3 tambores, agilidade e técnica são fundamentais para atingir o menor tempo possível. O desempenho do cavalo é comparado ao de um atleta, que precisa estar bem alimentado, confortável e seguro para alcançar o melhor rendimento. É por isso que os cuidados também são equivalentes ao de um competidor de elite. O treinador Thiago Barros Botelho diz que é preciso proteger as patas do cavalo nas competições. O uso de cloches ajuda a evitar lesões. As caneleiras também evitam machucados causados por qualquer contato. No haras, que fica em Araçoiaba da Serra, a preocupação com o bem-estar continua no restante do dia. Quando não estão treinando, os cavalos são monitorados por uma equipe. Recebem alimentação balanceada e conforto. A hospedagem é ‘5 estrelas’. Todas as baias têm vista externa e uma janela para ‘confraternizar’ com a vizinhança. Para amenizar o calor, tem climatização com água fresca. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 08/12/2019) Investimento em bem-estar garante maior rendimento de cavalos Os cavalos passam a maior parte do tempo em ambientes abertos e em contato com outros animais. Só voltam para a baia à noite. A atenção especial começa na barriga da mãe. Os potros nascem ao ar livre e ficam com a égua o tempo necessário para ganharem resistência e aprenderem a comer sozinhos. O gerente do haras, Jorge Luiz da Rocha, explica que isso ajuda no desenvolvimento dos animais, garantindo mais saúde e menos estresse. Tiago Dini cria 150 cavalos das raças quarto de milha e manga larga no município de Araçoiaba da Serra. O investimento em ‘conforto’ ficou em R$ 50 mil. As éguas prenhas ganharam um presente: um comedor individual, o que garante tranquilidade e evita perdas expressivas de ração. O veterinário Orlando Silva filho comenta que, além da genética e do treinamento, a forma como o cavalo é cuidado é um importante diferencial para obter um bom rendimento. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Veja Mais

Abacate é aposta de produtores do Vale do Rio São Francisco

G1 Economia Segundo eles, o consumo da fruta tem aumentado na Europa. Abacate é aposta de produtores do Vale do Rio São Francisco Agricultores do Vale do São Francisco, em Pernambuco, estão apostando no plantio do abacate, de olho no mercado externo. Segundo eles, o consumo tem aumentado na Europa. Veja todos os vídeos do Globo Rural Estima-se que 80 produtores da região estejam investindo na fruta. Em uma das propriedades, o cultivo começou há 6 anos. Hoje já existem 650 abacateiros e esta será a terceira safra. Veja a reportagem completa no vídeo acima. Acompanhe a cobertura de Agronegócios do G1 Veja Mais

Saiba quais como melhorar a ordenha das vacas

G1 Economia Publicação da Epamig ajuda o criador a não errar no principal momento da atividade leiteira. O Globo Rural deste domingo falou sobre problemas na produção de queijo. Um dos motivos para o alimento não sair como esperado está na ordenha da vaca. Para ajudar o produtor de leite, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig) tem a publicação "Boas práticas de ordenha". Clique aqui e faça o download do manual. Nela, tem informações sobre o local da ordenha, higiene, manejo e tudo pra garantir um leite de qualidade. Veja outras dicas do Globo Rural Veja Mais

Com mercado em alta, empresário cria escola de games para formar novos profissionais

G1 Economia Em 2018, o mercado de games movimentou cerca de R$ 6 bilhões no Brasil. No mundo, a expectativa é que a receita chegue a quase R$ 800 bilhões até 2022 Com mercado em alta, empresário cria escola de games para formar novos profissionais Em 2018, o mercado de games movimentou cerca de R$ 6 bilhões no Brasil. No mundo, a expectativa é que a receita chegue a quase R$ 800 bilhões até 2022. Os dados são da Newzoo. Um game precisa de tempo, pessoas e investimento. O Alessandro Bonfim atua na formação dos profissionais. Ele entrou no setor em 2009, quando ajudou a transformar a escola de informática, da qual era sócio, em uma escola de games. São 15 unidades em cinco estados e no Distrito Federal. Só no ano passado formou mais de cinco mil alunos. Eles também oferecem cursos de computação gráfica e de maquete eletrônica. “A gente ensina a desenvolver, a gente ensina toda a parte do conceito artístico, que vai do concept ao game play, onde os alunos vão passar por etapas de desenvolvimento no processo do jogo", explica o empresário Alessandro Bonfim. Os preços variam de R$ 350 e R$ 490 por mês. Neste ano, foi inaugurada dentro da escola a incubadora de games. O objetivo inicial foi desenvolver projetos próprios, mas a partir do ano que vem ela passará a receber projetos externos. SAGA (School of Art, Game and Animation) Site: www.saga.art.br Facebook: https://www.facebook.com/escola.saga/ Instagram: https://www.instagram.com/escolasaga/ FACULDADE DE TECNOLOGIA FIAP Site: www.fiap.com.br E-mail: helpcenter@fiap.com.br Veja Mais

Floração do flamboyant vai além da beleza para os agricultores

G1 Economia Florada permite que agricultores monitorem a chegada do verão e tomem cuidados específicos para esse período. Floração do flamboyant vai além da beleza A floração do flamboyant vai além da beleza para os agricultores tradicionais, que usam a planta e outros sinais da natureza como uma espécie de termômetro. Nesse caso, a florada mostra que o verão está próximo. Com isso, cuidados específicos para esse período precisam ser tomados. "O principal é cuidar com a molhadura, não pode deixar falar água", afirma o produtor de hortaliças Antônio Labiak, de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. Assista a reportagem acima. Veja mais notícias na página do Caminhos do Campo. Veja Mais

Usina de cana-de-açúcar cria estratégia para proteger apiários

G1 Economia Pulverizações não são feitas em áreas onde ficam os enxames. Usina de cana-de-açúcar cria estratégia para proteger apiários Reprodução/TV TEM Apicultores do Noroeste de São Paulo registram há muitos anos a mortandade de abelhas por causa da pulverização de agrotóxicos em lavouras próximas. Em alguns municípios, como Catanduva, o caso foi parar no Ministério Público. Maurício Rodrigues, que tem apiário em Urupês (SP), já perdeu cerca de 800 colmeias depois que as abelhas foram envenenadas. A briga que parecia interminável entre usina e apicultores só chegou ao fim quando uma das partes resolveu conversar. Matheus José Tripodi, supervisor de desenvolvimento agronômico, explica que os apicultores foram procurados individualmente e a partir daí houve um acordo. A usina, que tem quatro unidades na região, montou o Projeto ‘Polinizar’, pioneiro no país e que mapeou todas as áreas onde havia lavoura de cana-de-açúcar perto de criação de abelhas. Já são 58 apiários identificados em quase 20 municípios da região de São José do rio Preto. Com esse mapeamento foi preciso traçar um raio de segurança onde o avião não pode sobrevoar e fazer a aplicação. Todos os dados gerados na central são passados para a equipe de campo que tem o planejamento de aplicação. O roteiro do vôo do avião depende das coordenadas que estão dentro de um pen drive. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 08/12/2019) Usina de cana-de-açúcar cria estratégia para proteger apiários As informações pré-definidas no computador são transferidas pro GPS do avião, que também ganhou um equipamento moderno, que garante a precisão da aplicação. O GPS também permite passar em tempo real para a usina as informações sobre o que está sendo feito no campo. Cada aeronave transporta 3 mil litros de insumos e a aplicação é feita de dois a três metros da planta. Mas quando os aviões chegam perto das colmeias, a bomba que libera o inseticida é automaticamente travada. E nas áreas onde os aviões não podem chegar, um técnico usa um drone para fazer o controle biológico de pragas. Para que os apicultores conseguissem ter uma dimensão de como o projeto estava funcionando na prática, a equipe da usina levou para o campo óculos de realidade virtual. Com o projeto, os apicultores também se uniram, passaram a receber cursos de qualificação a cada quatro meses e o resultado já apareceu. O apicultor Carlos Robson de Queiroz diz que antes o rendimento era bem abaixo da média. Hoje, o aumento já é de 30%. As mortes de abelhas em massa também diminuíram e todo mundo passou a ganhar com isso. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Veja Mais

Produtores de mandioca enfrentam prejuízos no Paraná por causa da seca

G1 Economia Com a estiagem atípica deste ano, a colheita caiu pela metade e afetou também a indústria. Produtores de mandioca enfrentam prejuízos no Paraná por causa da seca 2019 está castigando os produtores de mandioca no Paraná. Com a seca atípica deste ano, a colheita caiu pela metade e esse prejuízo já chegou até a indústria. Veja todos os vídeos do Globo Rural De janeiro até agora, choveu menos da metade registrada no mesmo período do ano passado. Com isso, a safra vai se menor. Em todo o estado deverão ser colhidas 3,1 milhões de toneladas, uma queda de 9% em relação à safra passada. Este segundo semestre também foi sofrido para quem produz amido. De 400 toneladas, o volume caiu para 260. O preço pago subiu 20%, na comparação com a safra passada, mas isso não anula os prejuízos dos agricultores. Veja a reportagem completa no vídeo acima. Acompanhe a cobertura de Agronegócios do G1 Veja Mais

Pequenas Empresas & Grandes Negócios: contatos de 08/12/2019

G1 Economia Veja como obter informações das empresas citadas no programa. Supermercado de sorvetes é aposta de empresário de São Paulo Sou ice Telefone: (11) 4706-2838 Site: www.souice.com.br Email: contato@souice.com.br Facebook: @souice.oficial Instagram: @souice.oficial Consultor dá dicas de como renegociar suas dívidas SUPER ESTÁGIOS – UNIDADE VILA OLÍMPIA Ed. Vila Olímpia Prime Offices Rua Alvorada, 1289 – Vila Olímpia São Paulo / SP – CEP: 04550-004 Telefone: (11) 3846-7472 Site: www.superestagios.com.br GRUPO PLL – UNIDADE INDIANÓPOLIS Av. Miruna, 168 – Indianópolis São Paulo / SP – CEP: 04084-000 Telefone: (11) 5093-7357 Site: www.grupopll.com.br Alongamento de unhas vira moda e negócio rentável Salão Daniel Araújo Rua Bahia, 89 - Higienópolis São Paulo/SP – CEP: 01244001 Telefone: (11) 3661-2526 – Whatsapp: (11) 95977-0162 E-mail: daniel801araujo@gmail.com Facebook: salão Daniel Araújo Instagram: DanielaraujoCabeloecorpo Angelinah Esmalteria Rua Itapura, 748 - Vila Gomes Cardim (Tatuapé) São Pauo/SP - CEP: 03310-000 Telefone: (11) 2215-0401/WhatsApp (11) 98160-7221 Site: www.angelinah.com.br Instagram: @byAngelinah Veterinários criam hotel exclusivo para gatos, em São Paulo GATOLÂNDIA – CAT RESORT Telefone: (11) 2337-4179 Site: www.gatolandiaresort.com.br Facebook: www.facebook.com/gatolandiaresort E-mail: gatolandiaresort@gmail.com Com mercado em alta, empresário cria escola de games para formar novos profissionais SAGA (School of Art, Game and Animation) Site: www.saga.art.br Facebook: https://www.facebook.com/escola.saga/ Instagram: https://www.instagram.com/escolasaga/ FACULDADE DE TECNOLOGIA FIAP Site: www.fiap.com.br E-mail: helpcenter@fiap.com.br Cor rosa ganha força e ganha espaço em vitrines de lojas Lilly Sarti Rua Bela Cintra, 2207 - Jardim Paulista São Paulo/ SP – CEP: 01409-003 Telefone: (11) 4210-1029 https://www.lillysarti.com.br/ https://www.facebook.com/lillysartibrand https://www.instagram.com/lillysartibrand PatBO Shopping JK Iguatemi - 1° Piso Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 2041-Itaim Bibi São Paulo /SP – CEP: 04543-011 Telefone|: (11) 3152-6580 https://patbo.com.br/ https://www.facebook.com/patbo.official/ https://www.instagram.com/patbo_brasil/ Studio21 Fashion Showroom Itaim Rua do Consórcio, 68 - Vila Nova Conceição. São Paulo/SP - CEP: 04535-090 Telefone: (11) 3842-0802 E-mail: central@studio21fashion.com.br Site: www.studio21fashion.com.br Facebook: Studio21 Fashion Instagram:@studio21fashion FAAP – Faculdade Armando Alvares Penteado Rua Alagoas, 903 – Higienópolis São Paulo/SP – CEP: 01242-902 Telefone: 11 3662-7000 Site: www.faap.br Facebook e Instagram: @nafaap Veja Mais

Alongamento de unhas vira moda e negócio rentável

G1 Economia O mercado foi na onda e já criou dois novos estilos este ano: o stileto com a ponta bem fina e a balerina mais arredondada. Alongamento de unhas vira moda e negócio rentável A onda de unhas alongadas começou há pouco mais de três anos e conquistou artistas como a cantora Iza, técnica do The Voice Brasil, 2019. O mercado foi na onda e já criou dois novos estilos este ano: o stileto com a ponta bem fina e a balerina mais arredondada. Em uma esmalteria, também, em São Paulo, especializada em alongar unhas, o atendimento chega a 1500 pessoas por mês, a maioria jovens. A Juliana Casagrande, dona da esmalteria, acredita que não é uma moda passageira. “De maneira alguma. Estamos no mercado desde 2015 e só tem crescido. Já dobramos de tamanho duas vezes, já estamos ampliando a terceira vez e ano que vem teremos mais quatro unidades em São Paulo", explica. O alongamento é diferente das unhas postiças. A técnica exige o trabalho de dois profissionais: a nail designer, que faz o alongamento. E a manicure, que retira a cutícula e passa o esmalte. O serviço sai por R$ 270. Juliana e suas colaboradoras sempre fazem cursos para se aperfeiçoar. A empresária também tem parceria com uma escola montada pela irmã, para ensinar a técnica a futuros empreendedores. Salão Daniel Araújo Rua Bahia, 89 - Higienópolis São Paulo/SP – CEP: 01244001 Telefone: (11) 3661-2526 – Whatsapp: (11) 95977-0162 E-mail: daniel801araujo@gmail.com Facebook: salão Daniel Araújo Instagram: DanielaraujoCabeloecorpo Angelinah Esmalteria Rua Itapura, 748 - Vila Gomes Cardim (Tatuapé) São Pauo/SP - CEP: 03310-000 Telefone: (11) 2215-0401/WhatsApp (11) 98160-7221 Site: www.angelinah.com.br Instagram: @byAngelinah Veja Mais

Núcleos de produção fornecem mudas frutíferas

G1 Economia Sucesso de um pomar depende da qualidade das mudas. Em São Paulo, existem outros 4 núcleos de produção Reprodução/TV TEM Cerca de 400 mil mudas são produzidas por ano no Núcleo de Produção de Itaberá (SP). Elas são vendidas para produtores de aproximadamente 130 municípios da região. O diretor do núcleo, Marcos Augusto Franco, explica que são mais de 50 variedades. Entre elas, pêssego, ameixa, caqui e nectarina. As vantagens são as qualidades genética e fitossanitária. O processo de produção da muda começa no pomar, onde há 2 mil matrizes. De 3 a 5 meses depois do enxerto, a muda fica pronta para ser plantada. Cada uma é vendida em média por R$ 10,00. (Vídeo: veja a reportagem exibida no programa em 08/12/2019) Núcleos de produção fornecem mudas frutíferas A agricultora Lilian Cristina Moraes diz que há mais de 15 anos compra mudas do núcleo de produção. São mudas de ameixa, maracujá e pêssego. Para ela, isso representa uma vantagem por causa da procedência e por receber plantas saudáveis. Em São Paulo, existem outros 4 núcleos de produção, além do de Itaberá. As unidades ficam em Marília, Pederneiras, Tietê e São Bento do Sapucaí. Acesse + TV TEM | Programação | Vídeos | Redes Sociais Veja Mais

Concursos: 11 órgãos abrem inscrições para 1,4 mil vagas nesta segunda-feira

G1 Economia Cargos são de todos os níveis de escolaridade. Salários chegam a R$ 17,7 mil na prefeitura de Cafelândia, no Paraná. Concursos: processos seletivos para seis estados abrem inscrições nesta segunda Reprodução/ TV Gazeta Pelo menos 11 órgãos abrem as inscrições nesta segunda-feira (9) para 1.464 vagas para cargos de todos os níveis de escolaridade. As oportunidades são para seis estados. Só na prefeitura de Timbaúba, Pernambuco, são 686 vagas. Os salários chegam a R$ 17.711,60 na Prefeitura de Cafelândia, no Paraná. CONFIRA AQUI A LISTA COMPLETA DE CONCURSOS E OPORTUNIDADES Veja abaixo mais detalhes sobre os processos seletivos: Empresa Municipal de Obras Públicas e Serviços de Divinópolis (MG) Inscrições: até 09/01/2020 Vagas: 38 Salários: até R$ 1.708,42 Cargos: fundamental e médio Veja o edital Prefeitura de Cafelândia (PR) Inscrições: até 07/01/2020 Vagas: 6 Salários: até R$ 17.711,60 Cargos: alfabetizado, fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de Carlinda (MT) Inscrições: até 17/12/2019 Vagas: 23 Salários: até R$ 2.716,04 Cargos: superior Veja o edital Prefeitura de Ibiá (MG) Inscrições: até 10/01/2020 Vagas: 150 Salários: até R$ 15.813,81 Cargos: fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de Imperatriz (MA) Inscrições: até 26/12/2019 Vagas: 9 Salários: até R$ 1.264,92 Cargos: médio Veja o edital Prefeitura de Lajedo (PE) Inscrições: até 28/02/2020 Vagas: 107 Salários: até R$ 1.841,41 Cargos: fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de São Bento do Una (PE) Inscrições: até 16/12/2019 Vagas: 181 Salários: até R$ 11,50/hora Cargos: superior Veja o edital Prefeitura de São Sebastião do Paraíso (MG) Inscrições: até R$ 20.458,48 Vagas: 229 Salários: até 16/01/2020 Cargos: fundamental, médio e superior Veja o edital Prefeitura de Timbaúba (PE) Inscrições: até 17/01/2020 Vagas: 686 Salários: até R$ 8.800,00 Cargos: fundamental, médio, técnico e superior Veja o edital Prefeitura de Várzea Paulista (SP) Inscrições: até 13/01/2020 Vagas: 10 Salários: até R$ 1.606,96 Cargos: médio Veja o edital Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo Inscrições: até 24/01/2020 Vagas: 25 Salários: até R$ 1.142,64 Cargos: médio Veja o edital Veja Mais

Últimos dias

ES tem processos seletivos abertos de Norte a Sul; confira os editais

G1 Economia Ufes, Iases e mais sete prefeituras do Espírito Santo vão selecionar profissionais de diversos níveis de escolaridade. As inscrições estão abertas. A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), o Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) e mais sete prefeituras capixabas estão com processos seletivos abertos. As oportunidades são para cargos de vários níveis de escolaridade e os salários chegam a R$ 9 mil. Concursos e Emprego no Espírito Santo O G1 preparou uma lista com as oportunidades que estão com editais publicados. Confira: Ufes Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), em Vitória Luciney Araújo/ TV Gazeta A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) abriu concurso público para professores efetivos. As inscrições começam nesta terça-feira (19) e vão até 18 de dezembro. São seis vagas. Confira os editais. São oportunidades para várias áreas e subáreas. São elas: Engenharia de Produção; Silvicultura e Arborização de Vias Públicas; Ciência Política/Políticas Públicas; Educação/ Filosofia da Educação; História/História do Brasil/História Regional do Brasil/História Moderna e Contemporânea ou Sociologia/Fundamentos da Sociologia/Sociologia Rural/Teoria Sociológica; Educação/Ensino-Aprendizagem. Os salários variam de acordo com o regime de trabalho e com a titulação, mas podem chegar a R$ 9.616,18. Iases Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) de Linhares, no Norte do Espírito Santo Reprodução/TV Gazeta O edital do processo seletivo para contratação de servidores para o Iases, anteriormente divulgado, foi republicado pelo governo do estado e as inscrições continuam até dia 10 de dezembro. Quem havia se inscrito pelo edital anterior, deve se registrar novamente para a seleção. Confira o Edital 005/2019 na íntegra As vagas são destinadas à formação de cadastro de reserva para os cargos: analista de suporte socioeducativo (administrador, contador e economista); assistente social socioeducativo, assistente jurídico socioeducativo; nutricionista socioeducativo; pedagogo socioeducativo, psicólogo socioeducativo e técnico socioeducativo, na área de Edificações. O salário dos cargos para nível superior é de R$ 4.443,60. Para nível técnico, a remuneração é de R$ 2.282,28. Para todas as funções, há o adicional de R$ 300 de auxílio alimentação. Prefeitura de Anchieta A Prefeitura de Anchieta está com processo seletivo aberto para contratação temporária de profissional de educação física e assistente esportivo. As inscrições gratuitas podem ser feitas nos dias 11 e 12 de dezembro. Confira o edital. Ao todo são ofertadas cinco vagas para contratação imediata, além de formação de cadastro de reserva. Confira os cargos: Nível médio: Assistente Esportivo nas modalidades: Karatê, Jiu Jitsu, Capoeira, Yoga, Dança Expressão Corporal e Monitor de Futebol; Nível superior: Professor de Educação Física com especialização nas modalidades: Basquete/Futsal/Handebol/Vôlei, Aquáticas, Futebol de Campo, Atletismo, Ginástica Rítmica e Ginástica Localizada. As remunerações podem chegar até R$ 17,41 hora/aula. Os candidatos interessados em participar do processo de seleção podem realizar suas inscrições nos dias 11 e 12 de dezembro de 2019, apenas de forma presencial, na Secretaria dos Esportes e Juventude de Anchieta, que fica na rua Marechal Floriano Peixoto, bairro Alvorada, das 9h às 13h. Prefeitura de Cariacica A prefeitura de Cariacica abriu concurso público para preencher diversos cargos. Ao todo são 175 oportunidades, sendo 52 para nível médio e 123 para nível superior, com salários entre R$ 1.102,06 e R$ 2.115,93. Confira o edital. Os interessados devem realizar a inscrição até o dia 19 de dezembro através do endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br. Os candidatos que não têm acesso à internet podem realizar a inscrição no Posto de Inscrição Presencial, localizado localizado na Escola Técnica CEDTEC, Av. Mário Gurgel, nº 35, em Jardim América. O posto funcionará das 10h às 15h, de segunda a sexta-feira. Os candidatos de nível médio disputarão 52 vagas para os cargos de Assistente de CMEI I (47 ampla concorrência + 3 PCD); Cuidador Escolar I (47 ampla concorrência + 3 PCD); Tradutor Intérprete de Língua Brasileira de Sinais I – LIBRAS (2 ampla concorrência). Já para os cargos de nível superior, há vagas para Contador I (1); MaPB – Ensino Religioso (9 ampla concorrência e 1 PCD); MaPB – Língua Inglesa (2); MaPEE – Professor Educação Especial (47 ampla concorrência + 3 PCD) e Fiscal de Tributos Municipais I – Fiscalização Tributária (9 ampla concorrência e 1 PCD). As provas objetivas e discursivas serão aplicadas no dia 19 de janeiro de 2020. O exame contará com questões de Língua Portuguesa, Raciocínio Lógico, Informática, Informática Básica, Legislação Específica do Município, Conhecimentos Gerais e Conhecimentos Específicos. Prefeitura de Castelo A Prefeitura de Castelo está com dois editais de processo seletivo abertos na área de Educação. São 20 vagas em regime de Designação Temporária (DT) para atuação nas escolas da Rede Municipal de Ensino no ano letivo de 2020. Também haverá cadastro de reserva. Edital para Secretário Escolar Edital para Motorista São 10 vagas vagas para secretário escolar, mais reserva técnica. É necessário possuir o ensino médio completo. O salário oferecido é de R$ 1.178,23, para 40 horas semanais. Também são 10 vagas para motorista, mais reserva técnica. É necessário possuir o ensino fundamental incompleto, CNH D ou E e curso de Transporte Escolar em vigência. O salário é de R$ 952,32, acrescido de complementação, para 44 horas semanais. O contrato temporário terá duração de um ano, podendo haver prorrogação por igual período. Inscrições: de 6 a 9 de dezembro de 2019 para Secretário Escolar; de 10 a 11 de dezembro de 2019 para Motorista. Prefeitura de Fundão A Prefeitura de Fundão está com processo seletivo aberto para formação de cadastro reserva em vagas temporárias do magistério. As vagas serão distribuídas entre os cargos de professor de educação infantil e ensino fundamental - anos iniciais, incluindo oportunidades para atuar na Educação do Campo. Confira o edital. As demais vagas são para Professores das seguintes disciplinas: Educação Física, Arte, Ensino Religioso, Língua Portuguesa, Matemática, Língua Inglesa, Ciências, Geografia, História, Educação Especial / Deficiência Mental / Intelectual, Deficiência Visual, Deficiência Auditiva, Altas Habilidades / Superdotação e Bilíngue. Também serão preenchidas vagas de Técnico - Pedagógico que irá atuar na Educação Infantil, Ensino Fundamental - Anos Iniciais, inclusive Educação do Campo. A jornada de trabalho semanal é de 25 horas e a remuneração varia de R$ 1.780,60 a R$ 2.369,98, conforme o nível de especialização do profissional. As inscrições poderão ser realizadas entre os dias 10 e 11 de dezembro de 2019, das 8h às 11h30 e das 13 às 16h30, apenas de forma presencial no Núcleo de Atendimento de Educacional Especializado – NAEE, que fica localizada na Rua Professor Virgílio Pereira, nº 98, no Centro de Fundão. O candidato poderá se inscrever para até duas funções, desde que possua escolaridade compatível. Prefeitura de João Neiva Em João Neiva há concuro público aberto para profissionais de nível fundamental que irão trabalhar na Prefeitura, Câmara de Vereadores, SAAE ou Instituto de Previdência do município. Confira o edital. As vagas previstas no edital são para os seguintes cargos: Prefeitura: Auxiliar de Serviços Gerais, Merendeira, Pedreiro I, Porteiro, Trabalhador Braçal I; Câmara: Ajudante, Auxiliar de Serviços Gerais, Vigia, Calceteiro, Encanador, Operador de Bombas, Operador de Máquinas Pesadas e Pedreiro; SAAE: Auxiliar de Serviços Gerais; Instituto: Auxiliar de Serviços Gerais. Os interessados poderão se inscrever no site da Fundação do dia 3 de dezembro de 2019 a 14 de janeiro de 2020, mediante o pagamento de taxa de inscrição no valor de R$ 50. A seleção será feita em duas etapas: Prova Objetiva e Prova Prática (somente cargo de Operador de Máquinas Pesadas). Prefeitura de Piúma A Prefeitura de Piúma está com processo seletivo aberto para contratar profissionais temporários para compor o quadro de servidores da Secretaria Municipal de Educação. Ao todo, são ofertadas 134 vagas para profissionais de nível superior. Confira os editais. As remunerações ofertadas neste processo seletivo serão de R$ 2.102,80 e R$ 3.364,46 por até 40 horas semanais trabalhadas. Prefeitura de Venda Novo do Imigrante A Prefeitura Venda Nova do Imigrante abriu processo seletivo nº 007/2019, destinado a seleção de servidores temporários. As oportunidades são para profissionais de nível médio e superior. Ao todo, são 19 vagas para contratação imediata, mais formação de cadastro reserva. Confira o edital. Cargo de nível médio: Auxiliar de sala. Para este cargo é ofertado o vencimento de R$ 1.362,56 por 40 horas semanais trabalhadas; Cargos de nível superior: Pedagogo, Professor de Atendimento Educacional Especializado (AEE) - Deficiência Intelectual, Professor de Atendimento Educacional Especializado (AEE) - Libras, Professor de Atendimento Educacional Especializado (AEE) - Braille, Professor de Arte, Professor de Ciências, Professor Educação Física, Professor de Ensino Religioso, Professor Geografia, Professor História, Professor de Inglês, Professor de Matemática e Professor de Língua Portuguesa. Para os cargos de nível superior o salário será de R$ 17,85 a R$ 22,31 por hora/aula, a depender do nível de escolaridade do candidato. A jornada prevista é de 25 horas semanais. Os interessados em participar do processo seletivo poderão se inscrever entre os dias 12 e 16 de dezembro de 2019, exclusivamente via internet, no endereço eletrônico www.vendanova.es.gov.br. Veja o plantão de últimas notícias do G1 Espírito Santo Veja Mais

Consultoria inglesa eleva projeções de crescimento do PIB do Brasil 

Consultoria inglesa eleva projeções de crescimento do PIB do Brasil 

R7 - Economia Consultoria vê sinais de crescimento do Brasil Paulo Whitaker/Reuters A consultoria inglesa Oxford Economics melhorou as projeções de crescimento do Brasil. Para este ano, a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) foi elevada de 0,8% para 1,1%. A de 2020 subiu de 1,7% para 2%. Os economistas da casa avaliam que as recentes tarifas sobre o aço e alumínio brasileiro anunciadas pelo presidente norte-americano Donald Trump não devem atrapalhar a recuperação da atividade, que vem ganhando fôlego. Leia mais: Indústria acumula avanço de 2,4% em três meses de elevações Veja também Congresso do PSDB, neste sábado, vai marcar guinada à direita Governo tenta reagir ao Congresso ao focar redução da desigualdade Cesta básica pode ficar 22,7% mais cara com fim de isenção de imposto Alta da carne pressiona e inflação no Brasil tem maior novembro em 4 anos Ibovespa renova recordes com endosso externo e caminha para forte ganho semanal A decisão de Trump sobre a alta das tarifas nos produtos brasileiros, e também da Argentina, "nos lembra que o presidente americano é imprevisível e as tensões comerciais estão longe de serem resolvidas", ressalta relatório da Oxford neste sábado. "Dito isto, nossas análises sugerem que o impacto sobre o crescimento do Brasil e da Argentina será insignificante." Mesmo com a alta da inflação em novembro, puxada pelos preços da carne, a Oxford Economics prevê novo corte de juros pelo Banco Central na reunião de política monetária da próxima semana, dias 10 e 11. O IPCA permanece bem abaixo da meta de inflação do BC, de 4,25% este ano, observa a consultoria. A estimativa é que o corte será de 0,50 ponto porcentual, deixando a Selic em 4,5% ao ano. A Oxford espera novo corte de 0,50 ponto em 2020, mas reconhece que essa previsão está ficando "menos provável", principalmente porque indicadores de atividade estão melhorando. Veja Mais

Nova versão de edital do leilão do 5G deve privilegiar grandes operadoras

R7 - Economia A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) vai retomar na próxima semana as discussões do leilão do 5G com alterações significativas em relação à proposta original. O 'Estadão/Broadcast', plataforma de notícias em tempo real do Grupo Estado, apurou que a nova proposta para o formato do leilão, que será apresentada na próxima quinta-feira, 12, privilegia as grandes teles que já atuam no setor e pode inviabilizar a participação das pequenas operadoras, prevista na primeira versão do edital. A disputa, uma das mais aguardadas pelo setor, deve movimentar R$ 20 bilhões em arrecadação e investimentos. O 5G pode revolucionar a indústria e as relações entre consumidores e máquinas com maior velocidade para a internet sem interrupções no sinal, permitindo o avanço de tecnologias como cirurgias à distância e carros autônomos. Diversos países já realizaram leilões de 5G, assunto que é alvo de guerra tecnológica entre Estados Unidos e China.Em outubro, a discussão foi paralisada na Anatel porque um dos conselheiros pediu vista. Dividida, a diretoria da agência ainda pode solicitar um novo adiamento, o que empurraria o leilão, previsto para o fim de 2020, para o início de 2021. Após a Anatel definir uma proposta de edital, ele deve ficar aberto para consulta pública por 45 dias, para só então ser definitivamente aprovado. Depois, o edital precisa ainda do aval do Tribunal de Contas da União (TCU). MudançaNa nova proposta, segundo apurou o Estadão/Broadcast, o conselheiro Emmanoel Campelo deve dividir a frequência do 3,5 GHz em três blocos nacionais, o que favoreceria as grandes teles. A principal polêmica da primeira versão do edital, sugerida pelo conselheiro Vicente Aquino, era justamente a reserva de um bloco de 50 MHz, dividido em 14 regiões, exclusivamente para pequenas operadoras e novos entrantes. Pela primeira vez, a Anatel propunha privilegiar esse grupo, que poderia fazer suas ofertas antes das grandes teles, invertendo a ordem tradicional dos leilões. O parecer de Campelo sugere a retomada da prática usual. Questionado sobre o possível favorecimento das grandes teles, o conselheiro afirmou em nota que a informação é "inverídica e especulativa", reforçando que o conteúdo do seu voto só estará público na quinta-feira. Em defesa da proposta original, Aquino afirma que os provedores regionais já detém, em conjunto, a maior parcela do mercado, com mais de 30% das conexões de banda larga no Brasil. "Eles têm sido o motor de crescimento da banda larga no País os últimos. São esses heróis da conectividade que estão levando a fibra ótica para o interior do País", disse.Na proposta de Aquino, se houver sobras no bloco reservado às pequenas, elas serão licitadas na etapa seguinte do leilão, juntamente com a parte que será ofertada às grandes teles - seriam três áreas nacionais, que totalizam 250 MHz. Os blocos seriam divididos em 10 MHz, e cada tele poderia fazer lances de no mínimo 5 e no máximo 12 blocos, com múltiplas rodadas e preços ascendentes. Para essas empresas, será exigida a cobertura nas rodovias e a instalação de fibra ótica nas cidades que não possuem essa estrutura.O presidente da Associação Brasileira das Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas (Telcomp), João Moura, diz que a proposta de Aquino possibilita o aumento de participação das pequenas operadoras e garante, no futuro, a entrada de outras companhias. Para ele, o compartilhamento das redes deve ter regras claras e definidas já no edital. "Temos que considerar as mudanças profundas a longo prazo. Não podemos pensar no leilão olhando pelo retrovisor, com elementos do passado." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Veja Mais

Cesta básica pode ficar 22,7% mais cara com fim de isenção de imposto

Cesta básica pode ficar 22,7% mais cara com fim de isenção de imposto

R7 - Economia Em São Paulo, valor da cesta básica subiria para R$ 581 Paulo Whitaker/Reuters - 11.1.2018 O secretário especial da Receita Federal, José Barroso Tostes Neto, já sinalizou que o governo tem uma proposta de suspender a desoneração da cesta básica. O projeto, que deve ser enviado ao Congresso Nacional ainda este ano, se aprovado, pode elevar o preço médio da cesta básica em 22,7%. Leia também: Desoneração da cesta básica vai acabar, diz secretário da Receita Segundo levantamento feito pelo IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário), com a cobrança de impostos sobre os produtos considerados essenciais para a família brasileira, eles ficariam de 11,22% a 36,05% mais caros. Se aprovado o projeto, passariam a compor o preço de itens da cesta básica: • PIS (Programa de Integração Social) • Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) Com isso, a carga tributária sobre 12 itens da cesta básica ficaria assim: • Açúcar (30,61%); • Arroz (17,24%); • Banana (21,78%); • Batata (11,22%), • Café (16,52%); • Carne (29%); • Farinha (17,34%); • Feijão (17,24%); • Leite (18,65%); • Manteiga (33,77%). • Molho de tomate (36,05%); e • Óleo (22,79%); Para chegar a esse cálculo, João Eloi Olenike, presidente executivo do IBPT, diz que considerou como base o preço da cesta básica de São Paulo, que hoje custa R$ 473,59. Leia também: Carnes de frango e suína seguirão bovina e devem ficar mais caras Com o fim da desoneração, o valor subiria para R$ 581, ou seja, 59% do salário mínimo atual, que é de R$ 998. “Cada estado tem a sua cesta básica. O governo alega que alguns incluíram produtos que não são consumidos pela população mais pobres e que a desoneração favorece apenas a classe média”, comenta Olenike. Ele cita o caso do salmão, incluído na cesta básica do Rio de Janeiro, que não está presente na mesa dos mais pobres. Leia também: Por que a carne continuará mais cara em 2020 (e pode piorar) “Se o governo não concorda com este item, ele pode substituí-lo por outro, não tributar a cesta inteira”, defende Olenike. Veja Mais

Preço da gasolina e do diesel nas bombas termina a semana em alta, diz ANP

G1 Economia O valor da gasolina para os consumidores subiu pela 6ª semana seguida, enquanto o do diesel interrompeu sequência de três quedas consecutivas. Bomba de combustível abastece carro em posto de São Paulo. gasolina, preço da gasolina, frentista, álcool, diesel, combustíveis, reajuste, aumento. -HN- Marcelo Brandt/G1 O preço médio da gasolina e do diesel nas bombas terminou a semana em alta, segundo dados divulgados nesta sexta-feira (6) pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Segundo o levantamento, o valor médio da gasolina por litro para o consumidor subiu 1,38%, para R$ 4,489. Foi o sexto aumento semanal consecutivo. Já o preço do diesel subiu 0,27% na semana, para R$ 3,718 por litro, em média, interrompendo uma sequência de três recuos semanais seguidos. O preço do etanol também subiu. A elevação foi de 1,83%, para R$ 3,060 por litro. Foi a 11ª alta consecutiva. Os valores são uma média caculada pela ANP com dados coletados em postos em diversas cidades pelo país. Os preços, portanto, variam de acordo com a região. Veja Mais

Etanol supera R$2 o litro na usina em SP pela 1º vez na história, diz Cepea

R7 - Economia Por Roberto SamoraSÃO PAULO (Reuters) - Os preços do etanol hidratado nas usinas de São Paulo subiram 2,48% nesta semana, superando 2 reais por litro pela primeira vez na história, segundo o indicador semanal do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).O indicador, que considera o combustível na usina (sem impostos) no principal Estado produtor do país, tem registrado valorizações semanais desde meados de setembro, à medida que o centro-sul caminha para o período da entressafra de cana e o consumo se mantém forte.Desde a semana de 9 a 13 de setembro, a última vez que o indicador registrou uma queda semanal, o preço do produto na usina subiu 18,6% para 2,0097 reais por litro em média, segundo o Cepea, cuja série histórica do etanol começou em 2002.O consumo de etanol hidratado (usado diretamente nos carros flex) registra alta de cerca de 20% neste ano no país, segundo os dados mais recentes da reguladora do setor ANP, o que tem impulsionado as usinas a produzirem volumes recordes.Nos postos de combustíveis, os preços do etanol hidratado (na média Brasil) subiram 1,8% nesta semana, para 3,06 reais por litro, informou a pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis nesta sexta-feira.A gasolina, combustível concorrente do etanol hidratado, avançou 1,38% na média Brasil nos postos, para 4,489 reais por litro, segundo a ANP, enquanto o diesel registrou alta de 0,27%, para 3,718 reais por litro. Veja Mais

Arroba do boi em SP fecha em alta após quatro quedas; tem perda de 8,5% no mês

R7 - Economia SÃO PAULO (Reuters) - Após quatro quedas consecutivas nesta semana, o preço médio da arroba bovina no Estado Paulo fechou em alta de 1,2% nesta sexta-feira, acumulando baixa de 8,5% em dezembro, de acordo com o indicador do boi gordo Esalq/B3.A arroba terminou o dia cotada a 211,60 reais, após máxima histórica de 231,35 reais registrada em 29 de novembro, mês em que o indicador registrou ganhos de 35,5%, no embalo da maior demanda da China pela carne, entre outros fatores.Com a disparada dos preços das carnes, a inflação oficial do Brasil registrou aceleração de 0,51% em novembro, o resultado mais alto em quatro anos. [nL1N28G0AB]O aumento dos preços, contudo, levou a uma retração de frigorificos e consumidores, o que explica as quedas registradas na arroba do boi nesta semana, de acordo com avaliação do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, que elabora o indicador.Além de uma retração de frigoríficos, agentes que atuam no mercado atacadista relataram ao Cepea que os elevados patamares da carne bovina no varejo desaqueceram a demanda pela proteína. "Muitos indicam que parte da demanda do varejo acabou migrando para as carnes suínas e de frango, que, de fato, registram altas de preços, de acordo com levantamento do Cepea." O preço do frango congelado no Estado de São Paulo, segundo o Cepea, acumula alta de 1,5% neste mês, após ter ficado estável na maior parte da semana. O indicador da carcaça suína especial na Grande São Paulo registra alta de 2,13% no mês, segundo o centro de pesquisa da USP.NoneESTABILIZAÇÃOEm nota nesta sexta-feira, o Ministério da Agricultura disse que um monitoramento do governo apontou recuo no preço da carne bovina em dezembro, após recordes no mês passado.Nos principais mercados, a queda foi de cerca de 9% na primeira semana do mês, disse a pasta.Em Mato Grosso, a arroba do boi passou de 216 reais na segunda-feira para 197 reais na quinta, segundo o ministério.Na Bahia, caiu de 225 para 207 reais, de segunda para quinta-feira. Em Mato Grosso do Sul, a arroba estava cotada a 220 e foi para 200 reais, acrescentou a nota."O preço daqui para frente deve se estabilizar", disse a ministra Tereza Cristina, ao participar do Encontro Estadual de Cooperativistas Paranaenses, em Medianeira (PR), segundo o comunicado.A ministra lembrou que a disparada dos preços em novembro refletiu diversos fatores: seca que prejudicou o crescimento do pasto e a engorda do rebanho; a abertura de mercados externos, em especial o aumento da demanda da China por proteína animal em razão da peste suína africana; e preços relativamente estáveis nos últimos anos, o que inibiu investimentos. None (Por Roberto Samora) Veja Mais

Ibovespa encerra com 111 mil pontos e dólar cai 1%; possível recuperação econômica anima o mercado

Ibovespa encerra com 111 mil pontos e dólar cai 1%; possível recuperação econômica anima o mercado

R7 - Economia O Ibovespa, principal índice acionário da B3, a bolsa brasileira, encerrou a sessão desta sexta-feira (06) com alta de 0,46%, aos 111.125,75 pontos. A valorização pode ser explicada pela possível recuperação econômica do Brasil. Mesmo com o IPCA registrando alta no mês de novembro, os números da inflação seguem em baixas históricas e o mercado […] O post Ibovespa encerra com 111 mil pontos e dólar cai 1%; possível recuperação econômica anima o mercado apareceu primeiro em SpaceMoney. Veja Mais

Dólar cai 1% ante real, na maior baixa em 6 semanas, com ajuste doméstico e otimismo externo

R7 - Economia Por José de CastroSÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda de pouco mais de 1% nesta sexta-feira, na casa de 4,14 reais, na mais intensa desvalorização em seis semanas, numa sessão positiva para ativos brasileiros em geral e com pano de fundo benigno no exterior."As tensões na América Latina arrefeceram, houve intervenções cambiais pelos bancos centrais chileno e brasileiro. Os dados de atividade no Brasil surpreenderam para melhor... E no exterior as preocupações comerciais amenizaram. Toda essa combinação ajudou o real nesta semana", disse Rogério Braga, responsável pela gestão de renda fixa e multimercados da Quantitas, citando um movimento de "compra de Brasil" nesta sexta especialmente.O mercado de ações brasileiro bateu novos recordes históricos nesta sexta-feira, e os juros futuros devolveram parte do prêmio de risco acumulado recentemente.O real liderou os ganhos entre 33 pares do dólar nesta sessão, mas era seguido de perto por pares latino-americanos --os pesos colombiano, chileno e mexicano--, em mais uma evidência de que investidores voltaram a comprar ativos da região depois da liquidação das últimas semanas.No fechamento do mercado interbancário, às 17h, o dólar recuou 1,02%, a 4,1455 reais na venda.É a maior baixa percentual diária desde 23 de outubro (-1,05%).O patamar de encerramento é o menor desde 11 de novembro (4,1428 reais na venda).Na mínima da sessão, o dólar foi a 4,1398 reais na venda, 2,8% abaixo da máxima recorde de fechamento --de 4,2586 reais na venda, alcançada em 27 de novembro.Na semana, o dólar acumulou depreciação de 2,24%, mais do que apagando a alta de 1,14% da semana anterior.A queda na semana é a mais forte desde a semana finda em 25 de outubro (-2,67%).Na B3, o contrato de dólar futuro de maior liquidez registrava baixa de 1,11%, a 4,1435 reais.Analistas avaliaram que o mercado local de câmbio reagiu também ao bom humor externo, após dados positivos nos Estados Unidos e notícias sobre negociações comerciais entre EUA e China endossarem otimismo quanto ao cenário para a economia mundial.Medida da incerteza para a taxa de câmbio, a volatilidade implícita das opções de dólar/real de três meses caiu a 10,625% ao ano, mínima desde o fim de julho, quando o dólar estava em torno de 3,80 reais. Veja Mais

Dólar cai mais 1%, reverte alta da semana passada e vale R$ 4,14

Dólar cai mais 1%, reverte alta da semana passada e vale R$ 4,14

R7 - Economia Dólar acumulou queda de 2,24% na semana Marcelo Del Pozo/Reuters - 16.11.2014 O dólar fechou em queda de pouco mais de 1% nesta sexta-feira (6), na casa de R$ 4,14, na mais intensa desvalorização em seis semanas, numa sessão positiva para ativos brasileiros em geral e com pano de fundo benigno no exterior. No fechamento do mercado, às 17h, a cotação da moeda norte-americana recuou 1,02%, a R$ 4,1455 na venda. É a maior baixa percentual diária desde 23 de outubro (-1,05%). O patamar de encerramento é o menor desde 11 de novembro (R$ 4,1428 na venda). Na semana, o dólar acumulou depreciação de 2,24%, mais do que apagando a alta de 1,14% da semana anterior. A queda na semana é a mais forte desde a semana finalizada em 25 de outubro (-2,67%). Veja Mais

Startup de jogos Wildlife é avaliada em US$ 1,3 bi e se torna 11º unicórnio brasileiro; veja lista

G1 Economia Desenvolvedora de games entrou para rol de empresas avaliadas em US$ 1 bilhão após receber aporte de US$ 60 milhões em rodada de investimentos liderada pelo fundo Benchmark Capital. Depois de receber US$ 60 milhões em uma rodada de investimentos liderada pelo fundo norte-americano Benchmark Capital, a startup brasileira Wildlife Studios entrou para o rol de "unicórnios" do país. São chamadas de unicórnios as empresas que atingem US$ 1 bilhão em valor de mercado antes de abrirem seu capital, ou seja, sem vender ações em bolsa. A desenvolvedora de games para celular anunciou nesta quinta-feira (5) que está agora avaliada em US$ 1,3 bilhão. A Wildlife é o 11º unicórnio brasileiro, segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups). Diante das mais de 300 startups bilionárias existentes no mundo, o número de unicórnios do país ainda é pequeno, mas o mercado está amadurecendo, de acordo com a entidade. "Se olharmos com mais profundidade para a maturidade do mercado, percebemos que, desses onze, cinco deles chegaram a essa patamar este ano, o que significa uma evolução e uma maturidade do mercado nacional, ao ponto de as empresas receberem esse tipo de aporte global", diz Tânia Gomes, vice-presidente da Abstartups. Para ela, atingir a marca de ser avaliada em US$ 1 bilhão indica que o negócio tem capacidade para crescer. Veja a lista de unicórnios brasileiros e os setores em que elas atuam, segundo a Abstartups: PagSeguro (Serviços Financeiros) 99 (Mobilidade urbana) Stone Pagamentos (Serviços Financeiros) Ebanx (Serviços financeiros) Arco Educação (Tecnologia para educação) Quinto Andar (Imobiliário) Nubank (Serviços financeiros) Loggi (Logística e mobilidade urbana) iFood (Entrega de comida) Gympass (Saúde) Wildlife Studios (Games) A Wildlife Fundada em 2011, a Wildlife desenvolve games do estilo casual, que não têm histórias complexas e podem ser jogados a qualquer momento. A empresa já lançou mais de 70 deles. O modelo de negócios é baseado na venda de itens dentro desses jogos, que podem ser baixados de graça, conhecidos como "freemium". Antes da última rodada de investimentos, a startup tinha como sócios os irmãos Victor e Arthur Lazarte (seus fundadores), 100 funcionários (por meio de um plano de incentivo de participação em ações) e o fundo americano Bessemer Venture Partners. Agora, tem 500 funcionários e pretende chegar a 800 em 2020. Até o fim do ano, a expectativa é atingir a marca de 2 bilhões de downloads em dispositivos Android e iPhones. A companhia tem escritórios em Buenos Aires, Dublin, São Paulo, São Francisco, Orange County e Palo Alto. Na última rodada de investimentos, além do fundo Benchmark, participaram outros cinco investidores: Javier Olivan, executivo do Facebook; Ric Elias, co-fundador e presidente da Red Ventures, Micky Malka, sócio da Ribbit Capital; Divesh Makan, sócio do ICONIQ Capital; e Hugo Barra, vice-presidente de realidade virtual do Facebook. Veja Mais

Auxílio-doença: Meu pedido foi indeferido pelo INSS e agora, o que fazer?

R7 - Economia Veja o que fazer caso o INSS tenha indeferido a sua solicitação de auxílio-doença! Os segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que estão incapazes de realizar as atividades de trabalho tem o direito de receber o auxílio-doença. Entretanto, para que isso aconteça, é preciso que o cidadão passe por uma perícia médica e […] O post Auxílio-doença: Meu pedido foi indeferido pelo INSS e agora, o que fazer? apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

BTG comunica dividendos de fundo imobiliário de prédio comercial da Cyrela na região da Berrini

R7 - Economia O BTG Pactual anunciou ao mercado nesta sexta-feira (6) que pagará dividendos aos cotistas do fundo imobiliário Cyrela Thera Corporate (THRA11). Segundo o comunicado, o valor do provento por ativo será de R$ 0,61. O período de referência do pagamento é novembro. O banco distribuirá os dividendos no próximo dia 13 de dezembro. Detalhes O […] Veja Mais

81,5% dos internautas baianos dizem que trabalho voluntário é importante, mas só 15% participam de ações

G1 Economia Dado faz parte de uma pesquisa feita pelo IBOPE Inteligência, a pedido da Ambev; falta de conhecimento seria um dos principais entraves, segundo o levantamento. Projeto Gente e Gestão visitam idosos no abrigo São Gabriel, no bairro da Boa Viagem, Cidade Baixa, em Salvador Divulgação Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (6) aponta que 81,5% dos baianos que usam a internet dizem que sabem da importância dos voluntários para o trabalho das organizações sociais. Entretanto, apenas 15% relatam que são voluntários de alguma organização social. 83% dos internautas dizem que trabalho voluntário é importante, mas só 18% contribuem com tempo O levantamento foi feito pelo IBOPE Inteligência com internautas, a pedido da Ambev, e mostra também que a falta de conhecimento seria um dos principais impedimentos para que as pessoas contribuam como voluntários. Isso porque, entre os entrevistados, 65% disseram que não conhecem uma organização em seu bairro ou cidade. A pesquisa aponta ainda que, para 72%, o tempo não é um problema para contribuir com as organizações sociais. O levantamento também mostra que 78,5% das pessoas que responderam a pesquisa disseram que a atuação das organizações é capaz de melhorar a vida de pessoas com menos oportunidades. A pesquisa ainda mostra que quando perguntados sobre a capacidade delas de transformarem o mundo em um lugar melhor, 75% dos internautas concordaram com a afirmação. O mesmo levantamento foi feito em nível nacional e mostrou que 83% dos brasileiros que usam a internet dizem que sabem da importância dos voluntários para o trabalho das organizações sociais. No entanto, a proporção dos que relatam contribuir com tempo de voluntariado em alguma organização social é bem menor, de apenas 18%. Veja mais notícias do estado no G1 Bahia. Veja Mais

Comitê gestor altera normas relativas ao Simples Nacional

R7 - Economia O Comitê Gestor do Simples Nacional publicou no Diário Oficial da União de hoje, 6-12, a Resolução 150/2019, que mediante alteração da Resolução 140 CGSN/2018, estabelece, entre outras disposições, o seguinte;Atividades ambíguas no Simples NacionalFicam excluídas as seguintes subclasses do Anexo VII da Resolução 140, que relaciona códigos da CNAE, ou seja, os que abrangem concomitantemente atividade […] O post Comitê gestor altera normas relativas ao Simples Nacional apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

Pente-fino do INSS: Mais de 269 mil benefícios foram cortados, veja quem está na mira

R7 - Economia O pente-fino nos benefícios com indícios de fraude e irregularidades feito pelo INSS em 2019 já cessou ou suspendeu, até agora, 261 mil benefícios em todo país. A economia mensal estimada com a cessação desses benefícios é de R$ 336 milhões e, em um ano, chegará a R$ 4,3 bilhões. Apesar de os cancelamentos ocorrerem […] O post Pente-fino do INSS: Mais de 269 mil benefícios foram cortados, veja quem está na mira apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

Justiça adia leilão de fábricas da Imcopa após Bunge pedir mais dados para oferta

R7 - Economia Por Ana ManoSÃO PAULO (Reuters) - Uma juíza brasileira adiou o leilão de duas processadoras de soja no Paraná, depois que a comerciante de grãos norte-americana Bunge alegou que o vendedor forneceu informações "escassas e incompletas" sobre os ativos, de acordo com documentos judiciais vistos pela Reuters nesta sexta-feira.O leilão dos ativos das duas unidades do grupo Imcopa estava previsto para 4 de dezembro e faz parte do plano de recuperação judicial do vendedor.A Justiça remarcou o leilão para 17 de fevereiro após a Bunge demostrar interesse pelos ativos, mas dizer que encontrou informações desatualizadas no "data room". Veja Mais

BNDES estima R$ 15,9 bilhões em investimento privado em saneamento em 5 anos

G1 Economia Cifra é parte dos R$ 61,7 bilhões previstos em estudo do banco para um período maior, de 35 anos. Sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) fica no Centro do Rio de Janeiro Divulgação/BNDES O chefe do Departamento de Estruturação de Parcerias 1 do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Guilherme Albuquerque, afirmou que os projetos do banco para a atração de capital privado para saneamento em Estados e municípios preveem investimentos de R$ 61,7 bilhões ao longo dos próximos 35 anos. Desse montante, R$ 15,9 bilhões estão previstos para os primeiros cinco anos. Saneamento básico: maior parte das grandes cidades reinveste menos de 30% do que arrecada Albuquerque apresentou o trabalho do BNDES na área em evento nesta sexta-feira (6), na sede da instituição, no Rio. Ele é um dos responsáveis pela modelagem de projetos para a concessão dos serviços de água e esgoto junto a prefeitos e governadores. Segundo o técnico, a expectativa é que a participação privada aumente os investimentos no setor em mais de quatro vezes, levando em conta o montante despendido entre 2013 e 2017. O especialista do BNDES afirmou que o corpo técnico do banco está convencido da possibilidade de êxito na atração de capital privado para a área. Mas acrescentou que isso exige longa preparação de projetos, que estão mais adiantados em Estados como Acre, Amapá e Rio de Janeiro. Segundo o BNDES, dos 445 municípios onde os estudos foram iniciados, apenas 84 tinham planos municipais de saneamento publicados e, ainda assim, quase todos precisaram ser “ajustados ou refeitos”. Do ponto de vista financeiro, afirmou, havia inadimplência variando de 9% a 50% entre os consumidores dos serviços, e alto nível de endividamento - o que impossibilitaria investimentos necessários à “continuidade operacional” dos negócios, observou. Veja Mais

Compra de presentes para si mesmo deve movimentar R$ 36 bi no Natal

Compra de presentes para si mesmo deve movimentar R$ 36 bi no Natal

R7 - Economia 101,6 milhões devem comprar presentes para si mesmos Saulo Angelo/ Futura Press/ Estadão Conteúdo - 22.11.2019 Seis em cada dez brasileiros pretendem comprar presentes para si mesmos no Natal deste ano, segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (6) pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito).  Tributos deixam ceia de Natal mais pesada, alerta Associação Comercial O ato de se auto presentear devem movimentar cerca de R$ 36,7 bilhões na economia, com 101,6 milhões de pessoas que vão comprar presentes para si mesmas.  Segundo a pesquisa, a compra de presente para si é movida pelo aspecto emocional em suprir a necessidade aliada à ideia do "eu mereço". De todos os entrevistados, 51% afirmam que vão fazer a compra por precisar de algum produto, 30% por ser uma recompensa por terem trabalhado muito em 2019 e 17% que o Natal é um pretexto.  O gasto médio do presente será de R$ 170, sendo que 42% têm intenção gastar até R$ 150. Em média, a pesquisa mostra que os consumidores planejam comprar dois presentes para si próprios. Os itens mais desejados são roupas, calçados, perfumes e cosméticos, celulares ou smartphones, acessórios (14%) e livros (11%). Metodologia da pesquisa Foram ouvidas 686 pessoas nas 27 capitais para identificar o percentual de quem pretendia ir às compras no Natal e, depois, a partir de 600 entrevistas, investigou-se em detalhes o comportamento de consumo no Natal. A margem de erro é de 3,7 e 4,0 p.p, respectivamente, para um intervalo de confiança de 95%. Veja Mais

Parlamentares poderão remanejar R$ 5,2 bilhões do Orçamento

Parlamentares poderão remanejar R$ 5,2 bilhões do Orçamento

R7 - Economia Projeção de receita passou de R$ 1,637 trilhão para R$ 1,644 trilhão Pixabay Além de turbinarem o fundo eleitoral com mais R$ 1,8 bilhão, deputados e senadores terão outros R$ 5,2 bilhões para distribuírem em suas bases eleitorais no ano que vem. A proposta de Orçamento para o ano que vem feita pelo relator Domingos Neto (PSD-CE) prevê um acréscimo de R$ 7 bilhões. Esse dinheiro extra sairia de uma nova projeção de recursos que o governo tem a receber de dividendos de estatais. Leia mais: Inflação oficial vai ao maior nível para novembro desde 2015, diz IBGE A União usa dividendos de empresas como a Petrobras e o Banco do Brasil para compor o orçamento da máquina pública. Com a nova estimativa de ganhos, a projeção de receita passou de R$ 1,637 trilhão para R$ 1,644 trilhão. Parte dessa diferença foi remanejada para ampliar o fundo eleitoral para R$ 3,8 bilhões. Segundo Neto, os R$ 5,2 bilhões restantes serão direcionados pelos parlamentares para áreas como saúde, educação e infraestrutura. Além de prever R$ 7 bilhões de dividendos de estatais a mais que a proposta original do governo, a proposta de Neto previu um corte de R$ 1,7 bilhão no dinheiro reservado para 15 ministérios do governo federal. "É um corte de remanejamento. Todos os anos, o Congresso faz um corte linear para criar folga no Orçamento para as bancadas poderem fazer suas indicações", disse Domingos Neto. Segundo ele o dinheiro que saiu dos ministérios vai voltar para a sociedade "em forma de emendas". "Esse dinheiro não sumiu do Orçamento", afirmou. "O governo tem que entender que, agora, o orçamento é do Congresso e não do Planalto." Veja Mais

Mulher, negra e presidente de gigante de investimentos explica por que diversidade é boa para os negócios

G1 Economia Mellody Hobson dá receita para empresas mais inclusivas e propõe conversas desconfortáveis sobre raça. Mellody Hobson dá receita para empresas mais inclusivas e propõe conversas desconfortáveis sobre raça Divulgação/Ariel Investments/BBC "Nossa crença básica é que diversidade de formação - de raça, classe social, de gênero etc. - e de opiniões leva a melhores resultados. Está na hora de nos sentirmos confortáveis em ter conversas desconfortáveis sobre raça." As afirmações acima expressam a filosofia de trabalho de uma influente profissional do mercado financeiro e ativista pela diversidade, Mellody Hobson. Negros na liderança: debates sobre desigualdade racial crescem, mas falta de referências ainda é barreira para profissionais A americana é presidente e CEO da companhia Ariel Investments, empresa que administra fundos em torno de dez bilhões de dólares. E é também membro de conselhos de várias importantes empresas dos Estados Unidos, como Estée Lauder e Starbucks. Há cinco anos, casou-se com o diretor de cinema George Lucas. Entrevistada na Rádio 4 da BBC por um homem branco - o americano Chris Anderson, curador da série de palestras online TED - Mellody explica de maneira simples e lógica por que, em sua opinião, a diversidade é essencial para o sucesso de uma empresa. E oferece, passo a passo, um verdadeiro guia para a construção de empresas - e sociedades - mais diversas. Ela também coloca seu conforto pessoal de lado para falar com franqueza sobre temas polêmicos, como a ação afirmativa e as cotas para pessoas negras em universidades. E expõe sua intimidade ao falar da experiência de ser uma mulher negra casada com um homem branco - o diretor de cinema George Lucas. Preparada pela mãe para enfrentar o racismo Nascida em Chicago em 1969, Mellody conta que foi a caçula de seis filhos e desde cedo decidiu que não queria ser pobre. "Nossa vida era cheia de altos e baixos, às vezes estávamos bem, às vezes, não. Levavam nosso carro embora, tínhamos de mudar de casa. Desligavam nosso telefone. Pregavam nosso cheque sem fundo na parede da loja. Por causa disso, eu queria desesperadamente entender de dinheiro. Não é à toa que trabalho no setor financeiro. E talvez não seja um acidente que eu esteja sempre em busca da verdade e da justiça. Por causa das desigualdades que vi e vivenciei", conta. Seu primeiro contato com o racismo também aconteceu na infância - e por intermédio da própria mãe. "Desde que eu era bem pequena, minha mãe me fez entrar em contato com a questão da raça. Certa ou errada, foi isso o que ela fez." Mellody explica que frequentava uma escola onde não havia muitas crianças negras. E relata um episódio que ficou gravado para sempre em sua memória: "Fui a um aniversário e, quando voltei, em vez de perguntar se eu tinha me divertido e se o bolo estava gostoso, ela perguntou: 'Como eles trataram você?' Eu tinha sete anos de idade. Fiquei meio surpresa com aquilo. E lembro que ela olhou bem para mim e disse: 'Eles não vão sempre tratar você bem.' Quando você é criança, não entende o que isso significa. Mas, conforme fui crescendo, ela foi deixando isso claro." Hoje, a executiva diz que entende o comportamento da mãe - e sente gratidão. "(Ela fazia isso) para que eu estivesse preparada e, quando me deparasse com esse tipo de situação, não ficasse chocada, nem surpresa, nem perdesse minha direção", diz. "Ela me armou. Era como uma roupa de super-herói que eu vestia para ficar pronta para encarar o dia. Não que eu vivesse desafios raciais diariamente, mas com certeza havia mensagens subliminares, pequenas ofensas. E eu percebia essas coisas porque ela me ajudava a vê-las." Universidade de elite: a experiência em Princeton A menina negra na escola de brancos brilhou. E acabou indo parar na prestigiosa Princeton University, em Nova Jersey. Acostumada a estudar em escolas onde a maioria das crianças era branca, Mellody não teve problemas para se adaptar ao ambiente universitário. "Tinha conquistado o direito de estar ali", ela diz. Talvez essa convicção neutralizasse experiências menos agradáveis, diz. Como ter de ouvir comentários do tipo: "Você é filha da ação afirmativa" ou "você tirou a vaga do meu filho". Nessas horas, pensava: "Me foi dada essa oportunidade incrível, de aprender e de fazer algo com isso. Vou aproveitar". Terminada a universidade, Mellody foi fazer estágio na Ariel Investments. Anos depois, subiria ao posto de presidente da gigante firma de investimentos financeiros. Uma conquista impressionante para uma mulher de sua raça e origem social. Como ela explica isso? A menina negra na escola de brancos brilhou. E acabou indo parar na prestigiosa Princeton University, em Nova Jersey Princeton University/Office of Communications Receita de sucesso: trabalho duro e chefe inspirador Mellody atribui muito de seu sucesso ao encorajamento que recebeu do fundador da empresa - John Rogers. "Ele foi uma das pessoas que mudaram minha vida", diz. "No meu primeiro dia na empresa, ele me disse: 'Você vai estar em uma sala com pessoas que têm muitos títulos e ganham muito dinheiro. Mas isso não significa que as ideias deles sejam melhores do que as suas. Eu quero ouvir suas ideias.' E eu acreditei nele." O outro ingrediente na receita do sucesso, diz, foi o hábito de trabalhar duro, cultivado desde a infância. "Acho que existe uma relação direta entre trabalho duro e sucesso. Quanto mais você trabalha, mais as coisas vêm para você", diz. Diversidade: diferencial e vantagem na competição Aos poucos, Mellody foi galgando postos na empresa e ganhando espaço para construir uma organização que tem na diversidade sua estratégia de sucesso. Ela explica a filosofia de trabalho da equipe. "Acreditamos no pensamento de Scott Page, o professor da University of Michigan que escreveu um livro chamado The Difference." (O título completo é The Difference: How the Power of Diversity Creates Better Groups, Firms, Schools, and Societies. Em tradução livre, "Como o Poder da Diversidade Cria Melhores Grupos, Firmas, Escolas e Sociedades"). "O que fazemos no setor de investimentos é muito difícil. Compramos ações quando estão em baixa, ignoradas, mal compreendidas, longe das atenções", explica. "Então, o que você tem de fazer para não cair na armadilha de comprar ações que têm boas razões para estar baratas é, você precisa de muitas opiniões diferentes." "As piores ações que compramos", prossegue Mellody, "foram as que compramos quando não houve divergências. Quando há divergências, aquela dissonância nos leva a fazer perguntas difíceis. Isso nos leva a buscar as respostas e a resultados melhores. Para nós, diversidade representa vantagem na competição. Porque somos diferentes das outras firmas de investimento que estão por aí". Mas como é que se mede a diversidade de uma empresa? Mellody diz que, no caso da Ariel, a diversidade começa no topo, na composição da equipe de diretores. "Somos cinco, três mulheres e dois homens", diz. Ela explica que, das três mulheres, duas pertencem a minorias raciais. Uma é negra (a própria Mellody). A outra, indiana. E a terceira é branca. Entre os homens, um é afro-americano (John Rogers, fundador da empresa). O outro é branco. "Eu adoraria ver esse nível de diversidade em grupos de investimentos no país", disse. Negros ocupam apenas 5% dos cargos executivos nas empresas brasileiras, diz pesquisa Empresas e sociedades diversas Apesar de uma queda significativa nos lucros durante a crise financeira de 2008, indicadores mostram que hoje a empresa capitaneada por Mellody tem desempenho excelente. Ela atribui parte desse sucesso à diversidade da equipe. O outro pilar na filosofia de trabalho da americana é a criação de um ambiente em que as pessoas sejam encorajadas a ver e falar sobre raça. Ela explica por que: "Participei de várias reuniões onde, sempre que o assunto raça vinha à tona, as pessoas me diziam, com orgulho: 'eu sou um daltônico racial, sequer vejo a raça de uma pessoa'. Aos poucos, me dei conta de que aquilo era uma loucura. Porque se você não está vendo a raça, não está vendo quantos estão sendo excluídos". 'Convide alguém que não se parece com você' "Não ver a raça de alguém não está dando certo para a nossa sociedade. Quero que as pessoas que se apegam a essa ideia como uma medalha de honra parem de fazer isso." "Quero que vejam a raça, que observem seu ambiente. Que convidem para seus mundos pessoas que não se parecem com elas, que não pensam como elas, que não agem como elas. Que não vêm dos lugares de onde eles vêm. Para que tenhamos uma sociedade melhor e mais inclusiva. E para acabar com a homogeneidade que existe em tantos cantos da nossa sociedade." Para o profissional de RH: 'Seja pouco convencional, seja criativo' Mas eis um dilema comum entre empresas que já foram convencidas pelo argumento em favor da diversidade: o setor de recursos humanos anuncia uma vaga e 90% dos candidatos que se apresentam são brancos. Destes, muito provavelmente, a maioria dos candidatos tidos como qualificados para a vaga será branca. Ou seja, não podemos consertar esse problema sem consertar outros problemas que têm a ver com história, cultura, educação e treinamento - dirão alguns. Mellody Hobson rejeita essa tese. "Vamos começar pelo seguinte fato: há mais de 300 milhões de pessoas nos Estados Unidos", ela diz. "Tem alguém aí fora que pode fazer esse trabalho. Literalmente." Depois, ela faz uma sugestão: "Seja pouco convencional nos métodos que você usa para adquirir talento. As pessoas já fazem isso há muito tempo. Compram firmas só para conseguir um profissional. Isso é muito comum no Vale do Silício. Eles compram empresas para ter os melhores empreendedores naquele negócio, e não necessariamente a tecnologia. As pessoas são criativas quando precisam ser." Segundo Mellody, quando o que está em jogo é o sucesso do seu negócio, você vai fazer o que for preciso. E para ela, não é uma questão de escolha. "O mundo está mudando em tempo real. Não entender isso tem consequências terríveis." No século 21, empresas com déficit de diversidade não conseguirão sobreviver em longo prazo, ela adverte. "Não entenderão os interesses únicos de seus clientes, não conseguirão se identificar com esse cliente em uma América que continua a se 'amarronzar'". Filosofia jedi: 'Fazer ou não fazer. Tentar não existe' E, se a mensagem parece dura, ela lembra que, no mundo dos negócios, não se aceitam desculpas. Yoda, personagem de Star Wars Reprodução "Se você não atinge suas metas, não pode chegar com desculpas. Ou você cumpriu, ou não cumpriu as metas", ela diz. E aproveita para citar uma frase do mestre jedi Yoda, personagem da série Guerra nas Estrelas: "Tentar não. Fazer ou não fazer. Tentar não existe." Mellody oferece alguns exemplos do que ela própria faria para encontrar esses candidatos. "Se eu tivesse de preencher certa vaga e os currículos não estivessem chegando do jeito desejado, eu iria atrás de várias pessoas na comunidade. Perguntaria, 'você pode me ajudar a fazer contatos com pessoas da sua comunidade que talvez sejam adequadas para esse trabalho?' As pessoas adoram pedidos como esse. Você ajuda uma pessoa a conseguir um emprego e ganha um amigo para o resto da sua vida". Faça a sua parte: faça o que puder Mellody também tem sugestões para os que gostariam de fazer a sua parte mas não ocupam posições de poder e não têm como dar emprego a alguém. "Adoro aquela frase, 'Faça o que puder onde estiver e com os recursos que tiver'. A ideia é, você não pode esperar até ter mais dinheiro, não pode esperar até ter mais tempo, não pode esperar até ter mais influência." E um bom lugar para começar, ela sugere, é com você mesmo. "Aproxime-se de alguém que é muito diferente de você em posição social, raça etc. No trabalho, chame essa pessoa para almoçar. 'Não te conheço, não sei muito sobre você, adoraria almoçar com você.' Isso requer muita coragem, mas hoje eu estou pregando a coragem", diz. E mesmo que você não tenha o poder de contratar uma pessoa, você pode fazer perguntas. "Faça a pergunta. Perguntas são uma forma maravilhosa de se transmitir uma ideia", diz. "É isso que faço nas reuniões da diretoria. Faço perguntas. Quando você faz perguntas, coloca as pessoas em uma posição em que elas vão ter de buscar as respostas. Ou pelo menos vão ter de pensar. E se você não tem o poder de contratar, você pode comentar. 'Olha, notei que estamos atraindo sempre o mesmo tipo de pessoa. O que podemos fazer para expandir as oportunidades?' Você pode fazer isso sem que haja confronto, simplesmente ao querer fazer o melhor para a equipe e para a empresa." Ação afirmativa e o mínimo denominador comum Chegamos agora ao que talvez seja o ponto mais desconfortável - e polêmico - da entrevista de Mellody Hobson à BBC. Mas ela defende que, sem esse desconforto, a sociedade não poderá superar problemas como o racismo. O assunto aqui são as chamadas ações afirmativas - medidas que visam eliminar desigualdades acumuladas historicamente e que são decorrentes de várias formas de discriminação, entre elas, discriminação racial, étnica, religiosa, de gênero ou por deficiência. As ações afirmativas visam assegurar igualdade de oportunidade e tratamento para todos. Nos Estados Unidos - e, aliás, também no Brasil - elas levaram à adoção de cotas para estudantes negros nas universidades. "Acredito em ação afirmativa. Me beneficiei dela, acho que o mundo é melhor por eu ter me beneficiado dela e sei que eu sou uma pessoa melhor por causa dela", diz Mellody. Foto da formatura da turma de 2012 de medicina da NYU Divulgação/NYU/John Abbott Ela reconhece, no entanto, que muitas pessoas são contrárias ao movimento. E relata uma conversa que teve com um amigo que é membro do conselho de uma prestigiosa faculdade de advocacia americana. Os dois falavam sobre o sistema de cotas quando o amigo disse a ela: "Mellody, não queremos descer ao mínimo denominador comum." Ele achou que eu fosse concordar com ele, conta Mellody. "Mas vou dizer uma coisa que, eu espero, seja interpretada da maneira correta. É um comentário que tem muitas nuances, que talvez soe incrivelmente polêmico, mas não é a minha intenção", ela avisa. "(A fala dele) parte de um pressuposto de que cada pessoa em cada universidade, em cada faculdade de advocacia, em cada colégio, é uma pessoa exemplar. E existem pessoas medíocres. Isso não tem nada a ver com raça. Em todas essas instituições tem um monte de pessoas brancas medíocres", ela diz. "A ideia de que um estudante negro com notas ou padrão diferentes possa baixar o nível de uma instituição... eu simplesmente não concordo." Ação afirmativa pode dar errado? Mellody opina também sobre outro argumento usado por críticos da ação afirmativa - a ideia de que, se levada ao extremo no contexto educacional, a ação afirmativa pode levar alguns ao fracasso. Isso aconteceria, por exemplo, quando um candidato forte de um colégio técnico vai para a melhor escola de engenharia e acaba ficando entre os 10% piores naquela escola em vez de brilhar em uma faculdade mais mediana. "Sabemos que, nos Estados Unidos, os nomes de certas escolas, por si só, já abrem portas. Então, se você me disser que o aluno negro ou hispânico vai acabar entre os 10% mais baixos da lista, por mim, tudo bem. Isso em comparação com ele terminar entre os 10% no topo da lista da universidade que ninguém conhece? Prefiro a primeira opção." E na opinião dela, não é só o aluno que vai sair ganhando. Ganha também a escola ou universidade que receber esse aluno: "Se eu estiver em uma escola de advocacia e em minha classe houver um aluno negro, que cresceu em uma área pobre da cidade, falando sobre reformas na Justiça criminal, ele pode ter algo mais a oferecer ao grupo." "(Melhor uma escola assim) do que uma escola onde não há crianças negras", diz. "É assim que eu penso." Viva a diferença! Na vida real cabem todos E se por um lado a menção aos medíocres de todas as raças que ocupam vagas em escolas e empresas talvez soe um pouco ofensiva, por outro, Mellody deixa claro que, no mundo real, cabe todo mundo. "Você não tem de baixar seu nível, de se conformar com algo pior, simplesmente para botar um X no quadradinho (da diversidade)", ela diz. "Esse pensamento pressupõe que todo mundo que trabalha naquela empresa é top de linha. E na vida real não funciona assim. Tem pessoas que fazem contribuições diferentes para a companhia." "Aqui na Ariel, temos pessoas que são colegas incríveis. Pessoas que, em situações difíceis, você gostaria de ter ao seu lado simplesmente para apoio moral. Tem algumas das pessoas mais inteligentes que você já encontrou na vida. Tem aquelas que são ótimas para resolver problemas. Tem pessoas que têm talento para lidar com gente... tudo isso compõe o mosaico da nossa organização." E aqui, rindo, ela acrescenta: "Já estive em salas com as pessoas mais inteligentes do mundo e você acaba tendo uma 'convenção dos idiotas'... não é nada divertido." O 'privilégio da pele branca' Mellody Hobson é negra, filha de pais negros. Mas quando começou a namorar o diretor de cinema George Lucas - hoje seu marido - tornou-se mãe de um adolescente branco, o menino Jack, filho de George Lucas. Ela fala um pouco sobre a experiência. "Acho que crianças brancas têm de saber que têm o privilégio da pela branca", diz. Ela relata as conversas que tinha com Jack: "Você pode andar por aí usando um capuz. O filho do meu motorista tem a mesma idade que você, mas não poderia andar nessa vizinhança do jeito como você anda. Seria preso, empurrado para um lado... aconteceriam coisas." "Eu explicava para ele, para ele saber quais eram as diferenças. Não para que isso se tornasse um fardo para ele, mas para que ele tivesse consciência. Para que ele compreendesse questões sobre as quais ele não tinha de se preocupar, coisas com as quais nós (negros), nos preocupamos." E voltando à ideia central de sua estratégia na busca de um mundo mais diverso, Mellody fala da necessidade de sermos todos "colour brave", ou seja, de termos coragem de ver a raça das pessoas e de falar sobre o assunto, sem medo de usar um termo errado, de parecermos racistas e ignorantes. 'Acho que crianças brancas têm de saber que têm o privilégio da pela branca' Natalia Filippin/G1 "Não posso te assegurar de que os erros não vão ser cometidos. Mas é por isso que uso a palavra coragem. Coragem não é não sentir medo, é agir na presença do medo. O medo de errar nesse tipo de conversa é muito real. São conversas difíceis e carregadas de emoção. Mesmo aqui, nessa conversa, tive momentos de muita emoção", ela diz ao entrevistador. As conversas difíceis, no entanto, criam uma oportunidade para que pessoas de realidades diferentes conheçam a experiência do outro, diz. "Muitas vezes, nós (negros) sabemos muito mais sobre as pessoas brancas do que as pessoas brancas sabem sobre nós. Então, como podemos virar a mesa, mudar a conversa para que as pessoas saibam mais sobre nós? Questões e histórias que são únicas para nós?", pergunta. Mellody admite que, no esforço de fazer seu argumento, muitas vezes ela própria diz coisas que talvez sejam consideradas ofensivas. Seria o caso, então, de fazermos um contrato social onde concordaríamos em ficar um pouco ofendidos para, em troca, podermos ser mais abertos uns com os outros? - pergunta o entrevistador. "Isso nos beneficiaria muito. Por mim, faria esse acordo." Conversas difíceis com George Lucas Por ser casada com um homem branco, Mellody se vê praticando, na vida pessoal, o que propõe em suas palestras. "Sou casada com um homem que não é negro, então tenho de sensibilizá-lo o tempo todo sobre questões ligadas à raça. E não é porque ele não se importe, eu sei que ele me ama. Mas sei que às vezes tenho de oferecer a ele uma lente, para que através dela ele possa vivenciar coisas da forma como eu as vivencio. Isso não diminui meu amor ou respeito por ele", diz. Sem isso, ela questiona, o quê, na experiência dele, permitiria que ele compreendesse a minha experiência? "Quando entro em uma sala, não preciso contar. Eu simplesmente sinto quando sou a única (pessoa negra). Anos atrás, ele não pensava nisso. Hoje, vamos a certos lugares e ele diz, 'você é a única pessoa negra (neste lugar)'. É interessante, hoje em dia ele nota. E por que teria notado isso antes?" Veja Mais

Oxford Economics eleva previsão de crescimento do PIB do Brasil em 2020 para 2%

R7 - Economia A consultoria inglesa Oxford Economics melhorou as projeções de crescimento do Brasil. Para este ano, a estimativa de alta do Produto Interno Bruto (PIB) foi elevada de 0,8% para 1,1%. A de 2020 subiu de 1,7% para 2%. Os economistas da casa avaliam que as recentes tarifas sobre o aço e alumínio brasileiro anunciadas pelo presidente norte-americano Donald Trump não devem atrapalhar a recuperação da atividade, que vem ganhando fôlego.A decisão de Trump sobre a alta das tarifas nos produtos brasileiros, e também da Argentina, "nos lembra que o presidente americano é imprevisível e as tensões comerciais estão longe de serem resolvidas", ressalta relatório da Oxford neste sábado. "Dito isto, nossas análises sugerem que o impacto sobre o crescimento do Brasil e da Argentina será insignificante."Mesmo com a alta da inflação em novembro, puxada pelos preços da carne, a Oxford Economics prevê novo corte de juros pelo Banco Central na reunião de política monetária da próxima semana, dias 10 e 11. O IPCA permanece bem abaixo da meta de inflação do BC, de 4,25% este ano, observa a consultoria.A estimativa é que o corte será de 0,50 ponto porcentual, deixando a Selic em 4,5% ao ano. A Oxford espera novo corte de 0,50 ponto em 2020, mas reconhece que essa previsão está ficando "menos provável", principalmente porque indicadores de atividade estão melhorando. Veja Mais

Temas vitais para 5G não foram definidos

R7 - Economia Enquanto o setor anseia pela realização do leilão do 5G, algumas das principais políticas públicas que vão nortear a atuação das operadoras ainda precisam ser definidas pelo governo: cibersegurança e compensações para mitigar a interferência no sinal das parabólicas. O edital apresentado em outubro previa apenas que as empresas se submeteriam às políticas estabelecidas pelo governo.A política de cibersegurança visa o estabelecimento de requisitos técnicos que garantam que as operações, equipamentos e informações no 5G tenham confidencialidade e integridade - ou seja, que não sejam vulneráveis a invasões.Se hoje a questão não é tão relevante, no futuro a cibersegurança será essencial para aplicações críticas. Um exemplo: quando houver tráfego de carros autônomos, sem motoristas, é preciso assegurar que não haja invasões que provoquem acidentes propositais. Essa garantia também será crucial quando robôs, coordenados por médicos, puderem realizar cirurgias à distância.A chegada do 5G traz ainda um desafio adicional, já que o avanço da tecnologia pode rapidamente tornar um smartphone que hoje é seguro em um item vulnerável a invasões. Por isso, é preciso criar mecanismos de acompanhamento contínuo das questões de segurança. O órgão que cuidará dessa atribuição ainda não foi escolhido.SegurançaA segurança das redes e das informações é um dos argumentos citados pelos Estados Unidos, que tentam convencer países a banirem a China - particularmente a empresa Huawei - dos leilões. Independentemente da guerra tecnológica, a política do governo deverá servir para todas as empresas e países.No Brasil, o tema da cibersegurança será coordenado pelo Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e pelo Gabinete de Segurança Institucional (GSI).O governo também ainda não definiu como vai mitigar a interferência do 5G nos canais transmitidos por parabólicas. De acordo com o secretário executivo do MCTIC, Julio Semeghini, esse tema será definido até janeiro.Há duas opções para resolver a interferência: instalar um filtro nas antenas, mantendo o uso da Banda C dos satélites; ou migrar os canais para outra frequência, semelhante ao que foi feito com o 4G e a transferência dos canais analógicos para o sinal digital.Independentemente da solução técnica a ser adotada, ela terá custos que serão bancados pelas teles. O filtro, no entanto, seria uma opção mais barata do que a migração dos canais. Se for essa a opção, a ideia é que seja distribuído para famílias de baixa renda - cerca de 11,2 milhões, segundo o edital.Para se ter uma ideia, no caso da migração dos canais analógicos para a TV digital, paga pelas teles como obrigação do leilão do 4G, o custo foi de R$ 2,6 bilhões.Tempo adequadoMesmo que o leilão do 5G fique para 2021, o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude, não vê problemas. Embora alguns países, como Estados Unidos, China, Alemanha e Austrália já tenham licitado a frequência, as operações ainda são pequenas, exceto na Coreia do Sul, diz ele.Ainda segundo Tude, aplicações como a telemedicina, por exemplo, estão em fase de testes e só devem terminar em 2020."O tempo para o leilão é adequado. Não é um atraso. Um prazo bom para que as redes comecem a operar é 2022", afirmou Tude. "Do ponto de vista do Brasil e da América Latina não adianta ter pressa. O preço do smartphone para o 5G ainda é muito caro, na faixa de US$ 2 mil", disse.No opinião do presidente da consultoria Teleco, o País só deverá ter oferta de aparelhos celulares mais acessíveis a partir de 2021. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. Veja Mais

Mutirão do emprego em São Mateus (SP) oferece 564 vagas neste sábado

Mutirão do emprego em São Mateus (SP) oferece 564 vagas neste sábado

R7 - Economia Mutirão emitirá segunda via da Carteira de Trabalho para precisa Marcello Casal/Agência Brasil Um mutirão do emprego em São Mateus, na zona leste da capital, oferece neste sábado (7), 564 vagas com salários entre R$ 1.010 (atendente de telemarketing) a R$ 2.941 (motorista de carreta). Leia também: Governo espera criar 4 milhões de vagas com programa de emprego As oportunidades são para os seguintes cargos: • Fiscal de loja - saga exige ensino médio e salário varia entre R$ 1.348 e R$ 1.410. • Motorista de carreta - salário de até R$ 2.941. Cargo exige ensino médio completo, experiência mínima de seis meses e CNH categoria E. • Operador de loja – com salários entre R$ 1.300 e R$ 1.400. Candidatos precisam ter ensino médio completo. São 74 vagas, sendo 52 destinadas a pessoas com deficiência. • Repositor de mercadorias - vaga exige ensino médio e salário varia entre R$ 1.348 e R$ 1.410. • Serviço de limpeza - vaga exige ensino médio e salário varia entre R$ 1.348 e R$ 1.410. • Telemarketing - são 166 vagas para atuar na área operacional com salários entre R$ 1.010 e R$ 1.036. Todas as oportunidades são para trabalhar na zona leste. Os interessados devem apresentar currículo atualizado, RG, CPF, número do PIS, carteira de trabalho e laudo médico, no caso de pessoas com deficiência.  Leia também: Laudo é barreira para 76% dos deficientes em busca de emprego Quem não tiver carteira de trabalho pode emitir o documento durante o mutirão. Basta levar uma foto 3x4 e apresentar junto com os documentos que são exigidos para se inscrever para uma das vagas. No caso de segunda via da carteira de trabalho, basta levar um boletim de ocorrência ou declaração, caso se trate de roubo, furto, perda ou extravio. Durante o mutirão também serão oferecidas oficinas do Programa Elabora, uma ação desenvolvida pela Fundação Paulistana, órgão ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, para melhor preparar os candidatos para processos seletivos. Também é uma oportunidade de aprender a formatar um currículo adequado ao mercado de trabalho. Evento dará orientação para MEIs O Mutirão também dará orientação para a formalização como MEI (Microempreendedor Individual), formação de cooperativas ou na busca de cursos para aprimorar os negócios, a Ade Sampa – Agência São Paulo de Desenvolvimento, órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, tem como sanar dúvidas dos interessados. Leia também: Bolsonaro diz que gostaria de dar empregos como presente de Natal Entre os programas voltados ao desenvolvimento de negócios estão o Vai Tec, Fábrica de Negócios, Mais Mulheres, entre outros. Serviço 33º Mutirão nos Bairros – São Mateus Data: sábado (7)Horário: 9h às 15hEndereço: Praça Oswaldo Luís da Silveira, 42 – Parque São RafaelDocumentos necessários: RG, CPF, carteira de trabalho, número do PIS e laudo médico para pessoas com deficiência Veja Mais

Os 10 mais: Ativa recomenda fundos imobiliários para dezembro

R7 - Economia “Um dos pontos que consideramos mais relevantes para avaliação dos fundos imobiliários é a localização dos imóveis que compõem o fundo”. A afirmação se insere em relatório da Ativa Investimentos sobre fundos imobiliários, no qual a corretora divulgou sua carteira recomendada para dezembro, listando 10 ativos com potencial de valorização neste mês. Além da análise da […] Veja Mais

Oi pede mais prazo para concluir recuperação judicial

G1 Economia Prazo de supervisão termina em fevereiro de 2020. Logo da Oi visto em loja de São Paulo Paulo Whitaker/Reuters A operadora de telecomunicações Oi informou nesta sexta-feira (6) que pediu à Justiça mais prazo para concluir seu processo de recuperação judicial, cujo prazo de supervisão termina em fevereiro de 2020. O requerimento, apresentado à 7ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, sustenta que a prorrogação não traz mudanças para a situação atual do grupo não tem impacto quanto ao cumprimento do plano, nem em relação a créditos nem a eventuais novos recursos que forem obtidos. "A continuidade de supervisão judicial ao fim do período de dois anos é uma medida natural que tem sido aplicada na maior parte dos processos de recuperação judicial", argumentou a Oi. A empresa afirmou no fato relevante que o plano está tendo bom andamento, já tendo concluído grande parte das etapas do processo, mas que há elementos complexos a serem resolvidos. O documento afirma ainda que a empresas já começa a ter resultados operacionais e financeiros positivos, o que será acelerado a partir de 2020 e consolidado em 2021. Último balanço O prejuízo líquido consolidado da Oi, em recuperação judicial desde 2016, subiu para R$ 5,695 bilhões no terceiro trimestre, segundo dados divulgados na segunda-feira (2) pela companhia. O número representa uma alta de 250% nas perdas em relação ao mesmo período de 2018, quando houve prejuízo de R$ 1,335 bilhão. A receita líquida da companhia de telefonia avançou 8,7%, passando de R$ 5,48 bilhões para R$ 5 bilhões. A receita no mercado brasileiro caiu 8,8%, para R$ 4,95 bilhões, afetada pela queda do tráfego de voz. Nas operações internacionais, o recuo foi de 8,5%, para R$ 46 milhões. Veja Mais

Fundo imobiliário XP Properties inicia negociações na próxima segunda-feira

R7 - Economia A B3 (B3SA3) comunicou em nota nesta sexta-feira (6) que o fundo imobiliário XP Properties (XPPR11) encerrou o seu IPO (oferta pública inicial). Na primeira emissão de cotas do fundo, foram integralizadas 4,32 milhões de cotas, ao preço unitário de R$ 100,00. O montante total da oferta foi de R$ 432 milhões. O fundo imobiliário é […] Veja Mais

Consumidor deve ter mais gastos com a ceia de Natal em SP

Consumidor deve ter mais gastos com a ceia de Natal em SP

R7 - Economia O consumidor terá mais gastos neste ano nos preparativos da ceia de Natal Rovena Rosa/Agência Brasil O consumidor terá mais gastos neste ano nos preparativos da ceia de Natal, de acordo com levantamento realizado pela Federação do Comércio do estado de São Paulo (FecomercioSP). Leia também: Compra de presentes para si mesmo deve movimentar R$ 36 bi no Natal A pesquisa foi feita com base nos dados de novembro do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15), que apontou aumento estimado de 2,67% nos produtos natalinos no último ano. Levando em conta essa estimativa, na comparação com dezembro do ano passado, a batata-inglesa puxou a alta (31,7%), seguida por cebola (50,58%), carne de porco (13,18%), aves e ovos (9,8%). Por outro lado, a carne de cordeiro aumentou apenas 1,23% e o preço dos pescados caiu 0,7%. Leia também: Sucesso da Black Friday não tira fôlego das vendas de Natal As frutas também devem sair mais caras neste ano na comparação com o ano passado, como o abacaxi, que acumula alta de 13,95% nos últimos doze meses, a manga (alta de 9,88%), a uva (alta de 6,8%) e o morango (alta de 14,45%). A cerveja teve aumento de 3,26% em relação ao ano anterior. As outras bebidas alcoólicas tiveram alta de 0,97% no período. Faturamento do comércio A FecomercioSP estimou que o faturamento das vendas do comércio varejista paulista deva chegar a R$ 76,7 bilhões em dezembro desde ano, o que representa alta de 7% em relação ao mesmo período de 2018, acréscimo de R$ 5 bilhões. De acordo com a entidade, os destaques devem ser os setores de materiais de construção (15%), farmácias e perfumarias (14%) e lojas de móveis e decoração (14%). Em relação a possíveis presentes para o Natal, a FecomercioSP afirma que os eletrônicos são boas opções, já que os aparelhos de TV estão 13,84% mais baratos que em dezembro do ano passado e os preços dos aparelhos de som caíram 0,85%, segundo dados da entidade. Já perfumes registram alta de 8,43%, calçados e acessórios tiveram aumento de 0,29% e vestuário feminino aumentou apenas 0,22%. Veja Mais

Bebidas derivadas de cannabis, o próximo mercado bilionário da Ambev

R7 - Economia A Ambev (ABEV3), maior cervejaria das Américas e dona de marcas como Skol, Brahma e Antárctica, prepara-se para disputar um novo e promissor mercado. Sim, trata-se das bebidas à base de cannabidiol, uma das substâncias extraídas da cannabis – a popular maconha. Segundo o banco suíço Credit Suisse, o lançamento dos produtos deve ocorrer até […] Veja Mais

Entenda as novas regras do cheque especial

R7 - Economia A partir de 2020, bancos poderão cobrar taxas pelo uso do cheque especial. Veja Mais

Fitch eleva projeções para crescimento da economia brasileira em 2019 e 2020

G1 Economia A agência de classificação de risco vê uma alta de 1,1% no PIB deste ano e de 2,2% no do próximo. A Fitch Ratings elevou suas projeções para o crescimento da economia brasileira em 2019 e 2020. A estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) este ano saiu de 0,8% para 1,1%. Já a previsão para o ano seguinte foi elevada em 0,2 ponto percentual, para 2,2%. Em relatório, a agência de classificação de risco aponta que as alterações foram feitas devido ao resultado melhor que o esperado do PIB do terceiro trimestre, que cresceu 0,6% em relação aos três meses anteriores, feitos os ajustes sazonais. As revisões do IBGE nos resultados anteriores do PIB também influenciaram a decisão, acrescenta a Fitch. De acordo com a agência, o crescimento mais forte do crédito à pessoa física e a liberação de saques do FGTS ajudaram o consumo das famílias, enquanto os investimentos tiveram expansão puxada pela construção civil e pela produção de bens de capital. Já do lado da oferta, observa a Fitch, o aumento da produção de petróleo ajudou o crescimento, compensando parte do desempenho fraco da indústria de transformação, que teve efeito negativo sobre o PIB de julho a setembro. O que o PIB tem a ver com o nosso dia a dia? Veja Mais

Santander convoca assembleia para proposição de compra do shopping Via Verde de Rio Branco

R7 - Economia O Santander, na qualidade de administrador do fundo imobiliário HSI Malls (HSML11), divulgou em nota nesta sexta-feira (6) a convocação de assembleia geral com os cotistas do fundo. Segundo o comunicado, o banco solicitará para que os investidores decidam sobre a compra de 96,66% do Shopping Via Verde, localizado em Rio Branco, no estado do […] Veja Mais

O que eu preciso saber e conhecer sobre o Simples Nacional?

R7 - Economia Quem tem um negócio próprio sabe que a lista de obrigações e afazeres é imensa. A rotina das empresas prova a cada dia que o pequeno empreendedor precisa ser dinâmico, versátil e ter enorme disposição para aprender e encarar adversidades, uma vez que, em muitas situações, precisa planejar e decidir sozinho, além de executar muitas […] O post O que eu preciso saber e conhecer sobre o Simples Nacional? apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

BNDES sugere divisão da Cedae em quatro áreas para concessão

G1 Economia Banco deve apresentar ao governo do estado, na próxima semana, desenho proposto para a companhia. Produção e distribuição de água continuará sob responsabilidade do estado. Prédio da Cedae, no Centro do Rio Foto: Divulgação/Cedae A concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (Cedae) ao setor privado deverá ser realizada para quatro empresas distintas. Foi o que adiantou nesta sexta-feira (6) o diretor de Infraestrutura do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Fábio Abrahão, ao apresentar detalhes do modelo proposto. A modelagem, segundo ele, vai ser enviada ao governo do estado na próxima semana. O BNDES ficou responsável pela modelagem de venda da CEDAE, que foi uma das condições estabelecidas ao governo fluminense para ingresso ao Regime de Recuperação Fiscal proposto pela União em 2017. A proposta, segundo adiantou Abrahão, é dividir a concessão em quatro zoneamentos distintos e cada um ser repassado a uma empresa ou consórcio diferente. A proposta também prevê que cada zoneamento irá conter áreas e/ou municípios de acordo com as especificidades de cada um quanto à demanda pelos serviços de saneamento básico. “A gente está em processo de finalização dos desenhos [de cada zoneamento]. Existem algumas opções e o governo do estado vai ter opções para escolher qual seria a melhor forma. Essas combinações levam em consideração, justamente, a capacidade da caoutal de alavancar recursos, mas sem esquecer os municípios do interior. A própria capital está dividida”, disse o diretor do BNDES. Segundo Abrahão, a Cedae continuará responsável pela produção e tratamento de água no estado. “O esgoto e a distribuição de água é que é separado naquele zoneamento”, explicou. O modelo é semelhante ao existente em Niterói, na Região Metropolitana do Rio, onde a empresa privada responsável pelo esgotamento e distribuição de água compra a água produzida e tratada pelo município. Questionado se a concessão ocorrerá já em 2020, Abrahão disse que “do ponto de vista técnico, vai ser possível”, mas que isso depende da articulação do próprio governo. Ainda segundo o diretor do BNDES, a modelagem teve como foco garantir que o serviço de saneamento seja universalizado no estado. “Essas áreas têm que ser suficientes para garantir a universalização do serviço no estado e, ao mesmo tempo, permitir comparar os desempenhos [de cada concessionária]”, destacou. “O importante do desenho é a gente garantir que existe uma forma de competição entre as áreas no seguinte sentido: você vai poder comparar o desempenho de uma com outra. Qual concessão que está desempenhando corretamente, que está com nível de eficiência bom, e eventualmente comparar uma com a outra e gerar melhores práticas”, ressaltou. Questionado sobre o valor estimado com a concessão de cada uma das áreas, Abrahão manteve sigilo. Veja Mais

Mercado digital: Cinco dicas para infoprodutores começarem 2020 com o pé direito

R7 - Economia O mercado de infoprodutos está mudando a vida de muitos brasileiros e, tão embora não seja uma tendência de negócios recente, continua a ganhar força em todo o mundo. Na Era do conhecimento, da tecnologia e da inovação, a internet é um caminho cada vez mais promissor.  De acordo com CEO & Founder da TurboMKT […] O post Mercado digital: Cinco dicas para infoprodutores começarem 2020 com o pé direito apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

ICMS: Parcelamento do recolhimento das vendas de Natal é autorizado

R7 - Economia Assim como nos anos anteriores, decreto autoriza a Secretaria da Fazenda a recolher em duas parcelas o Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) das vendas de dezembro do setor de varejo, com dispensa de multas e juros. Na avaliação da FecomercioSP, a medida é bastante positiva para os empresários do comércio varejista, que […] O post ICMS: Parcelamento do recolhimento das vendas de Natal é autorizado apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

FGTS: Nascidos em setembro e outubro sem conta na caixa já podem sacar benefício

R7 - Economia A Caixa Econômica Federal inicia hoje (6) mais uma etapa de liberação do saque imediato do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), que paga até R$ 500 por conta ativa ou inativa. Os trabalhadores nascidos em setembro e outubro sem conta no banco poderão retirar o dinheiro. O saque começou em setembro para […] O post FGTS: Nascidos em setembro e outubro sem conta na caixa já podem sacar benefício apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

Demanda por carnes deve continuar forte por até 2 anos, avalia Mirae

R7 - Economia Os preços das carnes continuarão elevados e a demanda permanecerá forte pelo período de até dois anos, avaliou a Mirae Asset. As expectativas seguem a pesquisa mais recente sobre as exportações brasileiras de carne suína e de frango, que subiram 13,2% e 3,1% em novembro, de acordo com a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). […] Veja Mais

Petrobras avança em negociações com CNPC para refinaria no Comperj

R7 - Economia LONDRES (Reuters) - A Petrobras concluiu um estudo de viabilidade com a petroleira chinesa CNPC sobre operações de refino no projeto chamado Comperj, em Itaboraí (RJ), disse nesta sexta-feira a diretora-executiva de Refino e Gás Natural da estatal brasileira, Anelise Lara.A executiva acrescentou que a Petrobras busca recuperar um volume de gás de um contrato existente para importar o insumo por meio do gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol) e que gostaria de reduzir sua participação nas compras do país vizinho de 30 milhões de metros cúbicos por dia para 15 milhões.(Por Noah Browning) Veja Mais

Entenda o que muda no aumento do limite para compras no exterior e em free shops

G1 Economia Novos valores para compras em free shops começam a valer em 1º de janeiro de 2020. Gasto permitido em território estrangeiro deve passar de US$ 500 para US$ 1 mil, mas ainda precisa ser regulamentado pela Receita Federal. Compras em viagens ao exterior terão mudanças em 2020 pasja1000/Creative Commons O Governo Federal anunciou recentemente três alterações no limite de compras em viagens para fora do Brasil. Além do um novo valor para gastos em free shops, os países do Mercosul aprovaram dobrar o limite de isenção de bagagem para compras em território estrangeiro, passando de US$ 500 para US$ 1 mil, mas a medida ainda precisa ser regulamentada pela Receita Federal. Entenda o que muda em compras no exterior Isenção para compras no exterior O gasto permitido em territórios estrangeiros, sem a cobrança de taxas extras, deve subir de US$ 500 para US$ 1 mil. Esse montante pode ser o equivalente à moeda americana, mas em outras moedas, como o euro. O Ministério das Relações Exteriores (MRE) esclareceu que a decisão foi tomada em conjunto pelos quatro países do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), mas o novo valor será válido para qualquer destino internacional, não apenas para viagens dentro do bloco. A medida, no entanto, não entra em vigor imediatamente. Ainda depende da regulamentação da Receita Federal, e não existe um prazo específico para que isto aconteça. O G1 questionou o órgão sobre como será esse processo, mas ainda não há resposta. Free shops de portos e aeroportos O limite para compras de brasileiros em lojas francas, conhecidas como free shops ou duty-free, de aeroportos e portos irá dobrar de US$ 500 para US$ 1 mil por passageiro (ou o equivalente em outra moeda) a partir de 1º de janeiro de 2020. Itens importados vendidos em free shops são isentos do Imposto de Importação, do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e do recolhimento de PIS/Pasep-Importação e Cofins-Importação. Free shops terrestres Do mesmo modo que as compras em free shops de aeroportos e portos, as lojas francas em divisas terrestres, fluviais ou lacustres terão novos limites a partir de 1º de janeiro de 2020. O valor vai aumentar de US$ 300 para US$ 500 (ou o equivalente em outra moeda). O principal impacto é nos free shops de áreas de fronteira, como aqueles que existem na divisa entre Brasil e Paraguai. Mercosul fecha acordo para aumentar limite de compras dos turistas no exterior Veja Mais

Bolsonaro determina envio de proposta para revogar medida que exclui ocupações do MEI

G1 Economia Resolução, assinada por presidente do Comitê Gestor do Simples Nacional, gerou reação da classe artística, atingida pela medida, e de políticos. O presidente Jair Bolsonaro informou neste sábado (7), por meio de rede social, que determinou o envio ao Comitê Gestor do Simples Nacional de uma proposta de revogação da medida que excluiu da categoria de microempreendedor individual (MEI) pelo menos 26 ocupações e atividades, a maior parte delas profissões da área artística e cultural. Antes da manifestação do presidente, a Receita Federal divulgou nota informando que a Secretaria-Executiva do Simples Nacional proporá a revogação da resolução. O anúncio ocorreu depois da repercussão negativa da decisão, em especial no meio artístico (leia mais abaixo nesta reportagem). Publicada na edição desta sexta-feira (6) do "Diário Oficial da União", a resolução é assinada por José Barroso Tostes Neto, presidente do Comitê Gestor do Simples Nacional, e valerá a partir de 1º de janeiro de 2020. "Determinei que seja enviada ao Comitê Gestor do Simples Nacional a proposta de REVOGAÇÃO da resolução que aprova revisão de uma série de atividades do MEI e que resultou na exclusão de algumas atividades do regime", informou Bolsonaro. Em outra postagem, o presidente destacou que o comitê é formado por quatro representantes da União (da Receita Federal), dois dos estados e outros 2 dos municípios. Ao serem excluídas do MEI, as ocupações e atividades deixam de se beneficiar dessa condição para recolher o Simples Nacional, cuja tributação é menor que a das médias e grandes empresas. Os profissionais também perdem a isenção de tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL). MEI: tire dúvidas sobre a formalização como microempreendedor Repercussão A resolução provocou reações no meio cultural e político. Artistas se manifestaram em redes sociais contra a medida. O presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse por meio de rede social que recebeu telefonema do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), que está em Madri, na COP-25. Segundo Maia, Alcolumbre afirmou que pautará na terça-feira (10) um projeto de decreto legislativo para revogar a resolução do governo. "A Câmara seguirá o Senado e votará no dia seguinte. Essa é uma decisão que não faz sentido. A cultura é a alma da nossa democracia", afirmou Maia. "Criminoso excluir atividades artísticas e culturais do MEI. Empurra mais gente ainda p/ 1 lugar obscuro sem chance d emancipação econômica baseada em seus maiores talentos", escreveu o cantor e compositor Emicida. Para o músico Lucas Silveira, da banda Fresno, trata-se de "mais uma bordoada dolorida desse governo que odeia a arte e os artistas". Segundo ele, "isso é retaliação pura contra um segmento majoritariamente contrário ao governo". A presidente do Sindicato dos Músicos Profissionais de Minas Gerais, Vera Pape, disse que sem o MEI o trabalho da categoria será precarizado. "Se tivermos que migrar para o microempresário, vou ter que manter o cachê e tirar os 20% de tributos. O produtor musical vai fazer o mesmo contrato e vai nos repassar menos. Quem está na base é que vai ficar desvalorizado. Vai onerar mais ainda aquele que já é prejudicado", disse ela. O presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos e Diversões do Estado de São Paulo (Sated-SP), Dorberto Carvalho, afirmou que a resolução "consiste como mais um ataque do governo Bolsonaro ao setor artístico e cultural" e defendeu que o Congresso aprove decreto legislativo para anular a medida. Exclusão A maior parte das ocupações excluídas é de profissões da área artística e cultural, entre as quais cantor e músico independente, produção teatral, ensino de arte e cultura, atividades de sonorização e iluminação, ensino de música, produção musical, produção teatral e instrutor de artes cênicas. O MEI existe há dez anos, com o objetivo de incentivar a formalização de pequenos negócios e de trabalhadores autônomos a baixo custo. Podem aderir ao programa negócios que faturam até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6,7 mil por mês) e têm no máximo um funcionário. Ao se cadastrar como MEI, o microempreendedor é enquadrado no Regime Especial Unificado de Arrecadação de Tributos e Contribuições devidos pelas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Simples Nacional). O registro de MEI permite ao microempreendedor ter benefícios previdenciários, número no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ), emitir notas fiscais, alugar máquinas de cartão e ter acesso a empréstimos com juros baixos e a apoio técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Veja Mais

Marfrig confirma oferta subsequente de ações que pode somar R$ 3,3 bi

R7 - Economia A Marfrig fará uma oferta subsequente de ações (follow on) que poderá chegar em R$ 3,3 bilhões, considerando o preço do fechamento de ontem (R$11,10), conforme antecipou a Coluna do Broadcast. A oferta será primária e inclui um lote secundário, para a venda de ações detidas pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), que possui 33,74% da Companhia. Na oferta primária serão vendidas 90.090.091 ações e na secundária o BNDES venderá sua participação, de 209.648.427 ações.O processo de bookbuilding e o roadshow, para apresentação aos acionistas, terão início na segunda-feira, dia 09, e terminarão no dia 17, quando o preço da ação no âmbito da oferta será fixado. Segundo fato relevante, os recursos oriundos da oferta primária serão destinados para pré-pagar certas dívidas, " que serão selecionadas pela administração da Companhia de acordo com a estratégia e no melhor interesse da Companhia".Coordenam a oferta JPMorgan, Bradesco BBI, Santander e BB Investimentos. Marcos Molina, sócio-fundador e dono da maior participação na Marfrig, com 36,43% da companhia, estava interessado em comprar toda a fatia detida pelo banco de fomento e chegou a se movimentar em busca de financiamento no mercado para realizar o negócio.A expectativa, ao menos até aqui, é de que Molina participe na oferta prioritária, para evitar ser diluído na operação. Como a fatia do BNDES será diluída a mercado, Molina seguirá no comando da empresa, mesmo que ainda com uma fatia minoritária. Veja Mais

Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (08/12/2019)

G1 Economia Programa mostra como vivem os tamanduás do Brasil, um animal que enfrenta risco de extinção. E mais notícias do campo. Veja os destaques do Globo Rural deste domingo (08/12/2019) No Globo Rural deste domingo (8), você vai ver como vivem os tamanduás do Brasil, um animal que enfrenta risco de extinção. No caso do bandeira, um terço da população desapareceu em 25 anos. Veja todos os vídeos do Globo Rural Tem ainda notícias sobre o preço das carnes de porco e de frango, da produção de mandioca no Paraná e aposta de agricultores do Nordeste no abacate. E mais notícias do campo. Não perca. O Globo Rural começa a partir das 8h30. Veja mais notícias de Agronegócios no G1. Veja Mais

Empresas oferecem 6.390 vagas na área de atendimento ao cliente

Empresas oferecem 6.390 vagas na área de atendimento ao cliente

R7 - Economia Oportunidades são para atuar com telemarketing e atendimento ao cliente JF Diorio/Estadão Conteúdo Está buscando uma oportunidade para começar 2020 empregado? Três processos seletivos oferecem 6.390 vagas para a área de atendimento ao cliente com salários que vão de R$ 1.016 a R$ 1.589,74, dependendo da região. A Atento é a empresa que tem mais oportunidades. São 3.875 vagas em todo o país. Desse total, 2.725 são para o estado de São Paulo: 2.400 vagas, na capital, 190, em São Bernardo do Campo, 75, em São Caetano do Sul, e 60 em Santo André. Leia também: Governo espera criar 4 milhões de vagas com programa de emprego A empresa não divulga os salários, mas afirma que são compatíveis com o mercado. Também informa que são oferecidos vale-alimentação, vale-refeição, auxílios creche e criança especial, além de todas as especificações da CLT. É preciso ter ensino médio completo, bom vocabulário, boa dicção, fluência verbal, dinamismo e desenvoltura no relacionamento interpessoal. Não há exigência de experiência anterior. Os candidatos podem se inscrever até este domingo (8) enviando currículo com nome, cidade, telefone e DDD para o e-mail recrutamento@atento.com.br ou pelas redes sociais da Atento: Facebook e Telegram (@AtentoRecrutamentoBot). Rio de Janeiro tem 700 chances A AeC oferece 2.300 vagas. Dessas, 1.600 vagas são para a unidade da Chácara Santo Antônio, na zona sul de São Paulo (SP), e 700 para a unidade no Rio de Janeiro, na Cidade Nova. As oportunidades são para atendimento a clientes do mercado financeiro e de serviço. Os salários vão de R$ 1.016 a R$ 1.066. As contratações vão até janeiro de 2020. Leia também: Bolsonaro diz que gostaria de dar empregos como presente de Natal Para participar da seleção é necessário ter mais de 18 anos, ter concluído o ensino médio e para algumas vagas específicas, é necessária a conclusão do ensino superior. Os interessados devem se cadastrar neste link. Além de remuneração compatível com o mercado, os contratos terão direito à vale-refeição, vale-transporte, plano de saúde e plano odontológico. Cates oferecem salários de R$ 1.589,74 Os Cates (Centros de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo) de São Paulo também estão com vagas no setor de atendimento. As vagas são a área de telemarketing e exigem ensino médio completo e experiência de seis meses na área. Os salários vão de R$ 998 a R$ 1.589,74. Para se candidatar é necessário apresentar RG, CPF, número do PIS e carteira de trabalho. Os últimos dois documentos são feitos na hora, apresentando uma foto 3x4 atual. A lista completa de endereços pode ser acessada no site da Secretaria de Desenvolvimento. Veja Mais

Exclusivo: Rumo dispara na preferência de 22 analistas; veja as ações mais indicadas do mês

R7 - Economia Tão tradicional, quanto vestir branco no Réveillon, é o rali de fim de ano na bolsa. Afinal, investidor que é investidor busca lucros até o último minuto. Por isso, o Money Times analisou as carteiras recomendadas de 22 analistas, em busca das melhores ações para dezembro. Na comparação com novembro, algumas viradas são notáveis. A […] Veja Mais

Oi solicita prorrogamento de supervisão judicial

R7 - Economia A Oi (OIBR3; OIBR4) solicitou junto à sétima Vara Empresarial do Rio de Janeiro a prorrogação da sua supervisão judicial, prevista para se terminar no dia 4 de fevereiro de 2020, informou a empresa em fato relevante divulgado ao mercado nesta sexta-feira. De acordo com a companhia, a medida de não-encerramento da supervisão não traz mudanças para […] Veja Mais

Bunge tem aval para compra de 30% no grupo agrícola Agrofel

G1 Economia Grupo dos EUA terá preferência na compra de produtos da empresa brasileira, que produz milho, trigo, soja, algodão e cana, além de fertilizantes, entre outros itens. O grupo norte-americano de agricultura e alimentos Bunge recebeu aval do órgão brasileiro de defesa da concorrência para aquisição de uma fatia de 30% na Agrofelpar, controladora do grupo agrícola Agrofel. Com o acordo, a Bunge terá preferência na aquisição de produtos da empresa brasileira. A Agrofel, que pertence ao Grupo Ferrarin, atua na comercialização de produtos agrícolas como milho, trigo, soja, algodão e cana-de-açúcar, além de fertilizantes, pesticidas, sementes e máquinas agrícolas e suas peças. O negócio foi aprovado sem restrições pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), segundo publicação no Diário Oficial da União desta sexta-feira (6), e envolverá também acordo comercial entre as empresas e a transferência para a Agrofel de um terminal da Bunge. O terminal, de transbordo de carga em Cruz Alta, no Rio Grande do Sul, será alvo ainda de acordo de prestação de serviços para que a Agrofel passe a ofertar o serviço de transbordo à Bunge. As empresas disseram ao Cade que a transação "é estratégica para o crescimento e consolidação da atuação da Bunge no agribusiness brasileiro, contribuindo para o fortalecimento de sua capacidade de originação de grãos e na formação de alianças e parcerias com empresas de menor porte, notadamente distribuidores e revendedores com atuação mais regionalizada e com perfil de clientes diverso". Ao Cade, a Agrofel afirmou que o acordo representa "ótima oportunidade de negócios e terá a finalidade de expandir a sua atuação no Rio Grande do Sul, tendo em vista a expertise da Bunge em gestão de risco e capacidade logística". Veja Mais

Wall Street encerra em alta com dados do emprego e otimismo comercial

R7 - Economia Por Caroline ValetkevitchNOVA YORK (Reuters) - Os índices de Wall Street encerraram o pregão desta sexta-feira consistentemente mais fortes, com dados expressivos do relatório de criação de empregos nos Estados Unidos além de um otimismo em torno das negociações comerciais entre EUA e China ajudando a estimular o apetite ao risco pelo investidor. Com base nos dados mais recentes disponíveis, o Dow Jones subiu 336,76 pontos, ou 1,22%, para 28.014,55; o S&P 500 ganhou 28,45 pontos, ou 0,91%, para 3.145,88 e o Nasdaq Composite cresceu 85,83 pontos, ou 1%, ao 8.656,53. Veja Mais

Produtividade do trabalho cai 0,7% no 3º trimestre, segundo Ibre/FGV

G1 Economia Segundo economistas do Instituto Brasileiro de Economia, a piora do desempenho está associada principalmente ao setor de serviços. A produtividade do trabalho no Brasil recuou 0,7% no terceiro trimestre deste ano, em comparação ao mesmo período do ano passado. Foi o terceiro trimestre consecutivo de queda do indicador por essa base de comparação, segundo cálculos do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). De acordo com o estudo, a produtividade por horas trabalhadas, em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, recuou fortemente no setor de serviços (-1,3%) e na indústria (-0,7%). Os resultados foram parcialmente compensados pelo avanço de 4,6% da produtividade no setor agropecuário. Setor de serviços Empresa Liderança/Divulgação “A piora do desempenho da produtividade agregada em 2019 está relacionada principalmente ao setor de serviços, que concentra 71% das horas trabalhadas no país”, avaliaram os pesquisadores Fernando Veloso, Silvia Matos e Paulo Peruchetti, que assinam o artigo do Ibre/FGV sobre o tema. Para chegar ao número agregado de produtividade, o Ibre/FGV divide o valor adicionado das Contas Nacionais Trimestrais pelo total de horas trabalhadas em todas as ocupações. O PIB cresceu 1,2% no terceiro trimestre, frente ao mesmo período do ano passado. Veja Mais

O melhor investimento de um jovem é em si mesmo, diz consultora em finanças

O melhor investimento de um jovem é em si mesmo, diz consultora em finanças

R7 - Economia Nós, jovens (eu tenho 22 anos), geralmente achamos que o mercado financeiro é um ambiente de pessoas mais velhas, cheias de preocupação e estresse. Mas para aprender a pensar no seu dinheiro, e cuidar dele da forma adequada, não tem idade definida e pode ser mais fácil do que se imagina. A popularização de aplicativos […] O post O melhor investimento de um jovem é em si mesmo, diz consultora em finanças apareceu primeiro em SpaceMoney. Veja Mais

A contabilidade dos clubes de futebol

R7 - Economia A contabilidade dos clubes de futebol está passando por atualizações e mudanças. Entenda. Veja Mais

Enjin (ENJ) em um rali após parceria com a Microsoft

R7 - Economia A Microsoft e a Enjin se uniram para criar o Azure Heroes – um projeto que premia os colaboradores da comunidade por postarem conteúdo, criar demos, criar código de exemplo e criar blogs sobre o Azure. De acordo com publicação da Microsoft no Twitter. Are you an @Azure practitioner who loves to learn and who […] Veja Mais

Materiais de Construção: Vendas caem 2% em novembro

R7 - Economia De acordo com Pesquisa Tracking, realizada mensalmente pela Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco), as vendas no varejo de material de construção tiveram queda de 2% em novembro, mas acumulam alta de 4% em 2019. A Anamaco ouviu a opinião de mais de 530 varejistas em todo o Brasil para entender como […] O post Materiais de Construção: Vendas caem 2% em novembro apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

Facebook processa empresa de Hong Kong por roubo de senhas de usuários e fraude em publicidade

G1 Economia Rede social alega que agência de publicidade e dois indivíduos criaram um programa para roubar as senhas e aproveitar as contas para veicular os anúncios. Anúncios publicados em perfis roubados divulgavam produtos falsos e pílulas de emagrecimento, de acordo com o Facebook Dado Ruvic/Reuters O Facebook anunciou uma ação judicial contra a ILikeAd Media, uma empresa de Hong Kong, e mais dois indivíduos. A rede social alega que eles criaram um código malicioso para roubar as contas dos usuários e veicularam publicidade enganosa a partir das contas invadidas, utilizando subterfúgios para disfarçar o conteúdo anunciado. "Esse malware permitia aos réus comprometer a conta do Facebook dessas pessoas e rodar publicidade enganosa para promover itens como produtos falsos e pílulas de emagrecimento", afirmou o Facebook, em seu comunicado. A ILikeAd utilizava dois truques para esconder o conteúdo anunciado. Um deles era o uso de imagens de celebridades para chamar atenção. O outro truque era o "cloaking" ou "camuflagem", em que a página que o Facebook "enxerga" é diferente da página que será acessada pelos usuários. Essa técnica serve para burlar filtros ou proibições de conteúdo impostas pelo Facebook. De acordo com o Facebook, a rede social já reembolsou as contas usadas de forma indevida para propagar esses anúncios. Não foi possível encontrar um representante da ILikeAd para contato. A ação foi ajuizada em um tribunal da Califórnia, nos Estados Unidos. A fraude descrita pelo Facebook é parecida com um caso descrito neste blog envolvendo páginas clonadas divulgadas em anúncios que foram publicados usando contas invadidas da rede social. No entanto, como a finalidade dos anúncios não é a mesma, não há evidência de qualquer relação entre os grupos responsáveis por essas ações. Esta não é a primeira vez que o Facebook procura a Justiça para resolver problemas de segurança envolvendo seus usuários. A companhia também processou a NSO Group, uma fabricante de programas de espionagem de Israel, alegando violações nos termos de uso do WhatsApp. Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para g1seguranca@globomail.com Veja Mais

Produtores querem teto para @ para segurarem nova pressão sobre boi das águas

R7 - Economia O sentimento dos produtores de boi é sobre qual será o ponto de equilíbrio de teto dos preços, depois da pressão dos frigoríficos para quebrarem a alta expressiva das cotações, em todo o Brasil, no mês de novembro. Embora em muitas regiões as chuvas chegaram atrasadas, pouco regulares em volume e espacialmente, sobre pastos muito […] Veja Mais

Guerra comercial torna-se digital: países miram impostos sobre a internet

R7 - Economia Por Emma FargeGENEBRA (Reuters) - Uma moratória global de 20 anos contra tarifas sobre o comércio digital pode terminar na próxima semana se a Índia ou a África do Sul cumprirem suas ameaças, o que poderá forçar os usuários a pagar impostos sobre downloads de softwares e filmes.Desde 1998, os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) têm renovado a proibição de cobrança de tarifas de importação sobre os chamados "meios de transmissão eletrônicos", no valor de até 255 bilhões de dólares por ano, segundo uma estimativa.Alguns acreditam que essa proibição favorece países ricos, dado o forte apoio que recebeu de Washington, e que grande parte das receitas perdidas sejam geradas em nações em desenvolvimento.A pressão agora está crescendo para o fim da proibição à medida que mais livros e filmes tornam-se digitais, potencialmente reduzindo ainda mais as receitas.Índia e África do Sul distribuíram no ano passado um documento interno da OMC, visto pela Reuters esta semana, em que afirmam que a crescente digitalização obriga "uma reavaliação sobre o papel da moratória temporária". O documento cita o potencial da impressão 3D na fabricação de produtos. A decisão será tomada na próxima semana e a renovação requer consenso total.Questionado sobre a sua posição, o embaixador da África do Sul na OMC, Xolelwa Mlumbi-Peter, disse esta semana que "ainda estava fazendo consultas sobre esta importante decisão."A Índia não respondeu a um pedido de comentário."No momento, há uma série de países que se sentem confiantes de que podem ficar à margem do consenso global", disse o Secretário-Geral da Câmara de Comércio Internacional (CCI), John Denton. "Isso poderá quebrar a internet."Uma proposta apoiada por 21 países, incluindo China e Canadá pretende prorrogar a proibição por, pelo menos, seis meses após o fim de sua vigência no final do ano. A Suíça disse que "uma grande parte da OMC sinalizou apoio à moratória". Tais tarifas podem ser difíceis de aplicar e não é claro como seria determinado o local de origem do produto digital e se ele pode ser considerado como um bem importado."Como se coloca uma tarifa sobre um byte? Como você capturaria milhões de fluxos de dados de múltiplas fontes sendo que passam por vários países a cada minuto de cada dia", perguntou Denton.Estimativas sobre a proibição variam. No topo das estimativas, um recente relatório da ONU afirma que as perdas potenciais de receitas com a proibição das tarifas atingem 10,4 bilhões de dólares por ano, com mais de 10 bilhões sendo perdidos por países em desenvolvimento membros da OMC."Mais e mais produção será digitalizada no futuro, portanto, os países em desenvolvimento vão perder receitas", disse Rashmi Banga, autor do relatório.Entretanto, um estudo da OCDE, questiona esta afirmação, argumentando que os ganhos de receita com o fim da proibição serão relativamente pequenos e que a imposição de tarifas levará a preços mais altos para consumidores, além de outros custos. Veja Mais

Justiça de SP reconhece vínculo empregatício entre app e motoboy

Justiça de SP reconhece vínculo empregatício entre app e motoboy

R7 - Economia Ação do MPT alegando vínculo entre app e motoboy foi acatada por justiça de SP Divulgação/Loggi Uma decisão da Justiça do Trabalho de São Paulo pode mudar a relação de trabalho entre entregadores de empresas de aplicativos. A juíza titular de 8ª Vara do Trabalho Lávia Lacerda Menendez reconheceu a existência de vínculo empregatício entre a Loggi – aplicativo de entrega – e motoboys. A ação foi movida pelo MPT (Ministério Público do Trabalho) e tornada pública nesta sexta-feira (6). A empresa pode recorrer. Em sua decisão, a juíza entendeu que há relação de emprego no contrato que a Loggi estabelece com os motoboys e exigiu que a empresa “efetue o registro em sistema eletrônico de todos os condutores profissionais cadastrados em seu sistema que tiveram efetiva atividade nos últimos dois meses, desde 6 de outubro deste ano, bem como daqueles que voltarem a se ativar pela Loggi ou nela se cadastrarem a partir da publicação desta sentença", nesta sexta-feira (6 de dezembro). A empresa tem até o dia 6 de março de 2020 para regularizar a situação, sob pena de pagamento de multa no valor de R$ 10 mil, por infração e por trabalhador encontrado em situação irregular. De acordo com a sentença, a Loggi não poderá mais contratar os entregadores como autônomos, terá de pagar adicional de periculosidade e respeitar o intervalo interjornada, impedindo a oferta de serviço para os seus condutores por 11 horas seguidas, assim como a limitação de oferta após 8 horas de efetivo serviço. A juíza também estabeleceu que apenas profissionais com idade mínima de 21 anos, dois anos de habilitação na categoria e com aprovação em curso do Contran poderão trabalhar no aplicativo. As motos devem estar regularizadas, atendendo as exigências previstas em lei, e os condutores deverão usar colete de segurança dotado de dispositivos retroreflexivos. Entre outras determinações, a Loggi terá de pagar adicional de periculosidade e fica proibida de oferecer prêmio por produção, taxa de entrega ou comissão, em caráter individual ou coletivo, “como forma de pagamento de salário ou remuneração, não permitindo que os ganhos de produtividade dos seus empregados motociclistas se deem com a intensificação do trabalho ou aumento da carga de trabalho”. Se não cumpridas as exigências, a empresa terá de pagar multa no valor de R$ 10 mil, por infração e por trabalhador encontrado em situação irregular. Procurada, a empresa disse que enviará o seu posicionamento em breve. Veja Mais

‘Não quis constranger Paulo Guedes’: A primeira entrevista de Joaquim Levy após demissão do BNDES

‘Não quis constranger Paulo Guedes’: A primeira entrevista de Joaquim Levy após demissão do BNDES

R7 - Economia Ex-ministro da Fazenda do governo Dilma, ex-secretário do Tesouro Nacional de Lula e ex-presidente do BNDES do governo Bolsonaro, Levy falou em entrevista à BBC News Brasil da experiência nos governos de esquerda e direita BBC NEWS BRASIL Em 2015, ele aceitou a missão de assumir o Ministério da Fazenda para promover um forte ajuste fiscal em plena crise financeira do governo Dilma Rousseff. Em 2019, por cinco meses, foi presidente do BNDES no governo Jair Bolsonaro, dessa vez com o objetivo de "abrir a caixa preta" do banco e reduzir o seu escopo de atividades. Agora, Joaquim Levy transita por corredores bem diferentes daqueles por onde circulava em Brasília. Faz três meses que ele está desenvolvendo pesquisas sobre tecnologias sustentáveis na Universidade de Oxford, no Reino Unido. Em entrevista à BBC News Brasil, Levy falou pela primeira vez sobre sua passagem por dois governos com mentalidades e projetos completamente diferentes de Brasil. Com Dilma, Levy ficou 11 turbulentos meses no Ministério da Fazenda, quando implementou medidas de aumento de tributos, corte de desonerações e redução de subsídios para empresas. Na época, "o homem do ajuste", como ficou conhecido, viveu atritos com membros do governo e do PT que eram contrários ao cortes de gastos. E não conseguiu aprovar grande parte de suas propostas num Congresso Nacional cada vez mais hostil ao governo Dilma. No governo Bolsonaro, a passagem foi mais curta. Levy ficou cinco meses no comando do BNDES e deixou o cargo depois de o presidente da República declarar publicamente que ele estava "com a cabeça a prêmio" por manter entre os quadros do banco um diretor que tinha ocupado posição de destaque no governo Lula. "Eu diria que o presidente tinha uma expectativa em relação à equipe do BNDES que eu não consegui satisfazer na sua plenitude e eu não quis criar uma situação constrangedora para o Paulo Guedes", disse Levy à BBC News Brasil.   Doutor pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, que é referência no pensamento ortodoxo e liberal na economia, Levy ainda fez parte do governo Lula entre 2003 e 2006, quando chefiou o Tesouro Nacional. Na ocasião, recebeu o apelido de "mãos de tesoura", por causa das amplas limitações a gastos e empréstimos que impôs naquele período. Acostumado a transitar entre gregos e troianos, na entrevista à BBC News Brasil ele evitou fazer críticas aos "ex-chefes". Sobre economia, defendeu que o Brasil deve perseguir uma meta de crescimento de 3% no ano que vem. E afirmou que os erros do governo na divulgação da balança comercial no acumulado de novembro não devem ser encarados "com drama". O valor das exportações no acumulado de novembro, que era de US$ 9,681 bilhões, foi corrigido para US$ 13,498 bilhões — um erro de cálculo de quase R$ 4 bilhões. Com a revisão, a balança comercial brasileira saiu de um déficit de US$ 1,1 bilhão no período para um superávit de US$2,717 bilhões. Diante desse erro, o jornal britânico Financial Times publicou uma reportagem que levanta questionamentos sobre a credibilidade dos dados oficiais da economia brasileira. A desconfiança do mercado em estatísticas de governos levaram a fortes quedas de investimentos externos em países como Argentina e Venezuela.   Bolsonaro chegou a dizer que 'cabeça' de Levy estava a prêmio porque o então presidente do BNDES não havia demitido um diretor do banco que foi influente no governo Lula. Após declaração, Levy entregou carta de demissão a Guedes REUTERS/Adriano Machado/ BBC NEWS BRASIL "Não consigo ver nenhum drama nessa história. Revisões estatísticas acontecem toda hora. Lógico que o melhor teria sido não ter tido nada. Por outro lado, acho que o governo fez o certo (em corrigir os números)", minimizou Levy. Leia os principais trechos da entrevista: BBC News Brasil - O senhor está há três meses no Reino Unido, fazendo pesquisa na Universidade Oxford. O que te motivou a passar esse tempo no exterior? Joaquim Levy - Estou num momento entre posições e obviamente Oxford é uma cidade muito interessante, uma universidade muito interessante. E surgiu uma oportunidade de fazer um curso numa escola de governo e estudar o tema de como o Brasil pode caminhar para se tornar uma economia sem emissões de carbono. Acho que o Brasil já andou bastante. Nossa matriz de energia é bastante limpa, temos fontes de energia renováveis. Acredito que o Brasil tem como caminhar nessa direção com uma economia que cresça. Nosso desafio é dobrar o PIB nos próximos anos, mas de uma maneira sustentável, com investimentos resilientes com as mudanças que o mundo tem vivido. BBC News Brasil - A gente tem um governo que chega a ser cético em relação à própria existência do aquecimento global. O senhor vê oportunidades para grandes investimentos em economia verde, sustentável? Levy - O que acontece é que a economia verde, em muitas áreas, é mais produtiva que a convencional. Na parte de agricultura, há uma série de inovações que dão mais dinheiro que a prática comum. Quando a gente discute integrar pecuária com agricultura de maneira a reduzir, no conjunto, as emissões, a reação é positiva. Eles fazem a conta e percebem que, com um gasto adicional pequeno, você usa a terra melhor. Da mesma maneira, muitas pessoas entendem que você tem um enorme espaço para recuperação de pastagens. A gente quer produzir mais soja, mas você não precisa desmatar para isso. Tem muitas pastagens que foram degradadas, que estão em más condições, onde você pode colocar um sistema de rotação entre soja, milho e gado que vão te dar um dinheiro, você vai vender um produto sustentável e tem muita gente interessada nisso.   'Não precisa desmatar no Cerrado e na Amazônia para aumentar produtividade', diz Levy BBC NEWS BRASIL Não precisa desmatar no Cerrado e na Amazônia. Na Amazônia, tem inúmeras áreas desmatadas que foram abandonadas e que a floresta está tomando de volta. Então, quando você faz uma análise puramente econômica, você vê que temos opções muito mais inteligentes que desmatar. Essas tecnologias podem gerar mais emprego e gerar emprego eu imagino que o presidente também quer. BBC News Brasil - Já que estamos falando do tema ambiental, como o senhor ver a política do governo de querer expandir atividades econômicas na Amazônia? Esse deve ser o foco para aumentar a produtividade da agricultura brasileira? Levy - Acho que tem um desafio de desenvolvimento na Amazônia. A pergunta de como você vai aumentar a produtividade na Amazônia e gerar emprego é legítima. BBC News Brasil - Mas mineração em terra indígena, como defendido pelo presidente Bolsonaro, seria o caminho? Levy - Você tem mineração em vários lugares que você pode fazer. Se eu quero aumentar a mineração, o que tinha que estar fazendo é encher dinheiro no departamento de pesquisas minerais para ter um mapa adequado de onde estão as reservas e aí desenvolver manejos em áreas que não necessariamente tem que ser indígenas. Tem muitas outras áreas. Há outras possibilidades. No leste do Pará, que é uma área desmatada há muito tempo, você tem a possibilidade de fazer o dendê e você pode fazer o diesel disso. Pode fazer, por exemplo, bioquerosene. As empresas de aviação têm o compromisso de diminuir as emissões. Para isso, um caminho pode ser a bioquerosene com dendê. Você pode aumentar cinco vezes a produção, dar emprego para 100 mil famílias. Então, há caminhos para a Amazônia, mas com pesquisa e uma política bem definida de largo prazo. BBC News Brasil - Falando da sua biografia, o senhor fez parte de dois governos com projetos completamente diferentes de Brasil. Um governo dito de esquerda, o governo Dilma, e outro de direita, governo Bolsonaro. O que te motivou aceitar compor esses dois governos e responder a líderes com propostas opostas? Levy - Olha, em termos da questão econômica, a presidente Dilma na época entendeu a necessidade de mudar o que estava acontecendo. Infelizmente, no período de 2010 a 2015, o Brasil tomou decisões que eram insustentáveis. O BNDES tinha emprestado demais, o Tesouro estava fragilizado, nossa economia estava com preços reprimidos. A gente sabia que isso não podia continuar. Então, quando topei a proposta de ir lá foi com esse mandato: 'Vamos botar a casa em ordem de tal maneira que a economia provavelmente vai passar por um período difícil, porque toda vez que você tira demanda obviamente tem impacto, mas se a gente avançar com as reformas você supera isso'. O Brasil estava passando por um momento especial, porque o mundo está mudando e algumas atividades econômicas que funcionavam bem por causa do boom das commodities e o consumo da China vão acabando. A gente sabia que ia ter um momento de transição, de descobrir novos caminhos. Então, a minha proposta era aquela. A gente conseguiu várias coisas e algumas, por razões políticas, não. Na época, o Congresso era muito diferente do que era hoje. A presidência da Câmara (Eduardo Cunha, na época) era o oposto do que é hoje em termos de transparência, direcionamento, seriedade e nível. BBC News Brasil - No governo Dilma, o senhor era criticado por alas do PT por ser neoliberal demais. No governo Bolsonaro, era criticado por ter sido do governo Dilma e manter nomes que atuaram durante os mandatos de Lula em cargos-chave do BNDES. Como o senhor encara essa resistência que sofreu dos dois grupos? Levy - A gente não deve exagerar as coisas. Divergências de opinião são importantes. Naquela época, inclusive, muita gente do PT fez um enorme esforço para entender, porque foi uma guinada... Uma guinada indispensável, mas para quem não estava muito próximo da economia, era difícil. E eu senti que muita gente fez esforço para entender. A gente passou a minirreforma da Previdência, alterações tributárias, com o apoio do PT. A gente começou a ter dificuldade quando o presidente da Câmara (Cunha) fez um movimento muito forte contra a presidente da República, que acabou levando ao final do seu mandato. Então, quando você está na vida pública, o importante é ser transparente, comunicar o que está fazendo e ter um alinhamento com o presidente da República. Se esse alinhamento deixa de existir, você tem que ter naturalidade e deixar as coisas serem como da preferência de quem foi eleito. BBC News Brasil - No governo Dilma, o senhor sentia que a principal resistência a suas reformas vinha do Congresso ou de alas do próprio governo? Levy - Em particular, a presidente fazia um grande esforço. Ela entendeu e apoiou a agenda, que era uma agenda muito difícil. Havia alguns grupos da oposição que achavam que quanto pior melhor, porque tinham um projeto de poder. O DEM foi absolutamente exemplar, estava apoiando a reforma porque achava que aquilo era necessário. BBC News Brasil - Mas o próprio ex-presidente Lula fez declarações públicas contrárias ao seu projeto de ajuste fiscal. Isso pesou para o projeto não ter andado? Levy - É difícil avaliar. Talvez tivesse sido melhor para o Lula ter apoiado, mas cada um tem que fazer sua própria avaliação. Não se conseguiu fazer algumas coisas, como a reforma tributária, que até hoje está parada. Mas houve avanços em vários aspectos. BBC News Brasil - Quero saber sua versão sobre o que provocou a sua saída da presidência do BNDES depois de cinco meses de governo Bolsonaro. Na época, o presidente fez declarações públicas dizendo que a cabeça do senhor estava a prêmio porque o senhor não teria demitido o então diretor de Mercado de Capitais do BNDES, Marcos Barbosa Pinto, que teve cargo-chave no governo Lula. Mas alguns analistas disseram que, na verdade, o atrito era entre o senhor e o ministro da Economia, Paulo Guedes, pela demora do BNDES em devolver dinheiro que tinha sido repassado ao banco pelo Tesouro Nacional. O que, de fato, aconteceu?   Segundo Levy, relação com Paulo Guedes era boa. "Ele está fazendo um trabalho extraordinário, sob grande pressão', diz o ex-presidente do BNDES EPA/JOEDSON ALVES/ BBC NEWS BRASIL Levy - Não teve nada com o Paulo Guedes. O Paulo Guedes está fazendo um trabalho extraordinário com uma enorme pressão sobre ele. O Paulo entende perfeitamente que, no setor público, algumas vezes você tem que ir com cuidado. Não adianta chegar querendo fazer mil coisas sem organizar antes. Um elemento fundamental para ter sucesso é preparar sua retaguarda, preparar sua estratégia. Aliás, por que eu trouxe a pessoa que eu trouxe para o BNDES (Marcos Barbosa Pinto)? Se você vai vender um caminhão de recursos, mais de R$ 100 bilhões, você tem que montar isso com muita segurança, muita transparência. Então, a pessoa que eu convidei para o cargo era uma pessoa que havia sido diretor da CVM, uma pessoa que já tinha trabalhado no mercado de private equity numa das firmas mais reputadas do Brasil, durante quase uma década. Era uma pessoa que, de fato, tinha estado no BNDES, então entendia como aquela máquina funciona, quais eram as preocupações, para não ter os problemas que a gente teve com o Ministério Público olhando algumas ações. Então, com o Paulo não tinha problema nenhum. Então, esse entendimento com o Paulo é muito bom. Ele entende perfeitamente. É uma situação que se apresentou um pouquinho constrangedora para ele. Mas eu entendo a situação dele. BBC News Brasil - Ministro, para deixar claro, o problema então foi de uma indisposição direta com o presidente da República por causa da equipe que o senhor montou no BNDES? Levy - Eu diria que ele tinha uma expectativa em relação à equipe que eu não consegui satisfazer na sua plenitude. Não só em relação a esse técnico extremamente qualificado que eu trouxe. Mas, enfim. Eu acho que é perfeitamente natural em termos de expectativas. E em ele sendo o presidente da República eu achei que eu não deveria criar um constrangimento para o Paulo. Eu acho que esse tipo de situação acontece em todas as administrações, em todos os países do mundo e o importante é a gente continuar a trabalhar para melhorar a economia do Brasil. BBC News Brasil - E como era o acesso ao presidente da República? Alguns ex-ministros têm falado que há grande dificuldade de acesso ao presidente Bolsonaro, porque ele fica blindado por uma equipe de auxiliares jovens. O último a dizer isso, em entrevista ao UOL, foi o general Santa Rosa, que foi secretário de Assuntos Estratégicos do governo e pediu demissão. O senhor enfrentou essa dificuldade? Levy - É um pouquinho pedante dizer isso, mas em geral, o presidente do BNDES não tem dificuldade de falar com o presidente. E várias vezes o presidente me recebeu com bastante cordialidade. E acho que não há esse problema de maneira nenhuma.   Sobre economia, Joaquim Levy defendeu que Brasil persiga meta de crescer 3% em 2020 BBC NEWS BRASIL BBC News Brasil - É comum ouvir avaliações de que, no governo Bolsonaro, há uma ala ideológica ou olavista e uma ala pragmática e racional. O Ministério da Economia seria o maior exemplo da ala pragmática. Mas, recentemente, o ministro Paulo Guedes deu uma declaração polêmica de que as pessoas não devem se assustar caso haja pedido por um novo AI-5. Esse tipo de declaração, na sua opinião, tem algum efeito para o mercado, em termos de investimentos para o Brasil? Levy - Olha, eu estava aqui, não tenho elementos para elaborar. BBC News Brasil - Mas daqui o senhor ouviu alguma repercussão? Levy - Eu só estou pensando em negócio de nitrogênio, amônia, descarbonificação, não tenho como elaborar sobre isso. BBC News Brasil - Mas eu vou aproveitar sua experiência na área de economia para falar de economia. Na terça, foi anunciado crescimento do PIB de 0,6% no terceiro trimestre, quando o esperado era um crescimento de 0,4% em relação ao mesmo período do ano passado. O que esse resultado diz sobre o estado da economia? Levy - Diz que a economia está voltando aos pouquinhos. Acredito que a queda de juros de maneira mais persistente vai ter efeito positivo para a economia. No ano que vem, com a queda de juros, provavelmente, a relação dívida/PIB vai parar de crescer e isso começa a mudar as dinâmicas. A cabeça do investidor muda, a cabeça do poupador muda. Passa a não querer só comprar papel de governo e começa a aplicar em outros investimentos. Então, se isso for mantido de maneira persistente, com a disciplina nos gastos, relação dívida-pública se estabilizando, você vai ter mais gente querendo investir. E por isso que é importante você responder com reformas como a do setor de saneamento, gás. Por que a pessoa, quando os juros estão baixos e não tem nada para investir, decide comprar apartamento. E aí o preço do imóvel sobe, mas a economia não cresce tanto assim. Por isso é tão importante abrir a economia para esse fluxo de capital que vai ser realocado com juros mais baixos. E o Paulo entende isso, está no sangue dele. BBC News Brasil - Economistas começaram a prever crescimento de 2% no ano que vem. É um percentual possível?   Para Levy, queda contínua da taxa de juros do Brasil vai estimular diversificação de investimentos Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil/ BBC NEWS BRASIL Levy - Acho perfeitamente razoável. Isso é o mínimo para o Brasil. A gente precisava crescer 3%. BBC News Brasil - Recentemente, o governo errou em quase US$ 4 bilhões o valor que o Brasil exportou neste ano, no acumulado de novembro. Ao anunciar a correção, o governo disse que o Brasil saiu de um déficit na balança de exportações para um superávit. Hoje uma matéria do jornal britânico Financial Times cita esse erro para colocar em xeque a credibilidade dos dados econômicos divulgados pelo governo brasileiro. O que o senhor acha desse questionamento? Levy - Nessa questão específica, provavelmente o crescimento ia ser maior, porque o IBGE sinalizou que a demanda interna estava crescendo, mas as exportações tinham surpreendentemente caído. Então, o número ser um pouco maior não é tão espantoso. Provavelmente o pessoal percebeu que tinha algum erro e se perguntou: 'Não está acontecendo nada, por que o número da exportação foi tão baixo?'. Eles foram lá rever. Não consigo ver nenhum drama nessa história. Revisões estatísticas acontecem toda hora. Lógico que o melhor teria sido não ter tido nada. Por outro lado, acho que o governo fez o certo, disse: 'Olha, percebemos que havia um item grande, pode ser uma única operação, que por um dia não foi capturada, e exatamente porque os números eram estranhos, um pouco baixos, revisamos'. Não consigo ver nenhum drama nisso não. BBC News Brasil - Mas gera alguma preocupação de que comecem a haver outros questionamentos como o do Financial Times sobre a credibilidade de dados oficiais? A gente vê a Argentina, por exemplo, perdendo investidores por isso... Levy - Todo mundo pode se questionar de tudo. O PIB americano é revisado toda hora. Acho que o Brasil é um dos países mais transparentes em todos os aspectos — no que o governo publica, na liberdade da sua imprensa, em televisionar a Suprema Corte. Então, a gente está bem no quesito transparência. BBC News Brasil - O senhor, assim como Paulo Guedes, é formado pela Universidade de Chicago. Por muito tempo, o Chile e as reformas econômicas promovidas pelos Chicago boys, economistas formados pela Universidade de Chicago, foram tidas pelo Brasil como exemplo de sucesso. Até que ponto esses protestos violentos no Chile, que vão levar até a uma revisão da Constituição do país, colocam em xeque esse pensamento econômico?   Protestos no Chile levaram o presidente a anunciar que haverá uma revisão da Constituição REUTERS/Edgard Garrido/ BBC NEWS BRASIL Levy - Outro dia o ex-ministro da Fazenda do Chile foi nos visitar em Oxford e fez uma apresentação maravilhosa. Ele colocou que a sociedade do Chile é muito conservadora. Um dos problemas que tem causado frustração entre os jovens é que, como a sociedade foi ficando mais rica, as pessoas começaram a estudar mais. Infelizmente, como a sociedade é fechada e conservadora, os jovens não conseguem os empregos que gostariam e isso gera uma frustração. As condições de vida do Chile melhoraram muito, mas qualquer situação em que as pessoas se sintam excluídas, no exemplo que ele deu, isso cria um ressentimento. Então, não há explicações fáceis. O Chile é um país competitivo e as expectativas da população, por causa da renda média, sobem. Então, a questão importante é de acesso. Por isso, é fundamental dar acesso a grupos no Brasil que historicamente tiveram menos acesso. Abrir as portas para eles é fundamental. BBC News Brasil - Agora, o senhor consegue identificar erros cometidos no Chile que o Brasil deveria ter o cuidado de não repetir? Levy - É difícil identificar erros num país que está crescendo há 30 anos. BBC News Brasil - Mas existe uma reclamação muito grande de falta de rede de apoio social, salários baixos, dificuldade de acesso à saúde... Levy - Então, acho que nessa questão tem que ter equilíbrio. E cada país vai ter que se decidir. Tivemos vários governos da Michelle Bachelet que tivemos equilíbrio disso. E teve alternância de poder. Veio o Sebastian Piñera. Então a sociedade tem que encontrar seus caminhos. Eu não tenho uma resposta. O que o ex-ministro da Fazenda colocou é que os protestos são causados por um sentimento de exclusão. BBC News Brasil - Em entrevista à BBC News Brasil, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso criticou o que ele chamou de agenda ultraliberal de Paulo Guedes e disse que ela era um fio desencapado que poderia levar a revoltas, como as do Chile. Na sua opinião, esse risco existe?   Em entrevista à BBC News Brasil, ex-presidente FHC disse que agenda 'ultraliberal' de Guedes é fio desencapado que pode gerar revoltas de rua no futuro BBC NEWS BRASIL Levy - Flexibilizar um pouco o mercado é uma aposta que tem que ser feita com cuidado. Tivemos uma reforma da legislação de trabalho e ainda estamos aprendendo para ver os efeitos. Mas, nos últimos 30 anos, vimos que a Justiça do Trabalho era muito pesada, criava incentivos inadequados para o empregador. Aqui na Europa a gente sabe que em muitos casos a pessoa pensa: 'não vou contratar, prefiro contratar um robô, não quero ficar cuidando daquela pessoa por 10 anos'. Mas acho que o foco tem que ser em como crio oportunidades de emprego. Lógico que você não pode ter um Estado maior que o país. Não pode ter uma situação como antigo regime do Luis 16, rei da França, em que o trabalhador e o burguês tinham que carregar uma aristocracia. Não tem a ver com esquerda. O governo de Luis 16 não era de esquerda. O trabalhador tem que reconhecer que não está carregando um cargo excessivo. E existem setores no Brasil que acham que estão carregando um fardo, mas que estão sendo favorecidos. Por exemplo, a indústria tem dificuldade. A carga tributária da indústria é muito maior que a dos serviços e do agronegócio. Não surpreende que a indústria ande mais devagar. Ela foi sobrevivendo usando componentes importados e não avançou. O próprio peso do funcionalismo público tem que ser repensado. BBC News Brasil - Mudando de assunto, o presidente Donald Trump acusou o Brasil de desvalorizar a sua moeda e anunciou aumento nas tarifas de aço e alumínio. A acusação dele tem algum fundamento? Levy - Não sei se ele fala em manipular, ele diz que a moeda se desvalorizou... BBC News Brasil - Ele diz que Brasil e Argentina estão presidindo grandes desvalorizações da moeda... Levy - A moeda escorregou um pouco e isso causou uma preocupação ao presidente americano e ele tem que se entender lá com seus conselheiros. Tem que perguntar ao Ipiranga dele. Não sei quem é o Ipiranga dele, porque aquele do Goldman Sachs foi embora. Sei lá quem é o Ipiranga dele e o que ele quer dizer (com presidir desvalorização da moeda). BBC News Brasil - Mas da parte do Brasil, vê algum sentido na fala de Trump de que teria havido intervenção no câmbio? Levy - A moeda escorregou. A única intervenção que houve foi o Banco Central vender dólares para diminuir a desvalorização. Então, eu acho que é uma questão para o Mr. Ipiranga. Veja Mais

Millennials preferem investir em Bitcoin em vez de Netflix e outras grandes empresas

R7 - Economia A corretora Charles Schwab publicou recentemente um relatório sobre as estratégias de investimento de diferentes gerações. Ele se baseia em dados de mais de 140.000 planos de aposentadoria dos clientes da Schwab e revela algumas estatísticas interessantes sobre quais são as escolhas mais favoráveis para os investimentos da Geração Y. Os Millennials, também conhecidos como […] Veja Mais

Criação de empregos nos EUA tem melhor ritmo em 10 meses em novembro

G1 Economia Taxa de desemprego do país está em 3,5% e salários continuam a crescer. Geração de empregos fora do mercado agrícola nos EUA chegou a 266 mil vagas em novembro Reuters A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos registrou o maior aumento em mais de dez meses em novembro, com ex-grevistas voltando à folha de pagamentos da General Motors e o setor de saúde intensificando as contratações. O saldo confirma que a economia norte-americana continua em trajetória de expansão moderada, apesar de uma queda prolongada na manufatura. O relatório mensal de emprego do Departamento do Trabalho dos EUA mostrou nesta sexta-feira (6) ganhos salariais constantes e queda da taxa de desemprego para 3,5%. O relatório valida a decisão do Federal Reserve no mês passado de cortar as taxas de juros pela terceira vez este ano, mas sinaliza uma pausa no ciclo de flexibilização que começou em julho, quando o banco central americano reduziu os custos de empréstimos pela primeira vez desde 2008. A expectativa é de que as autoridades do Fed destaquem a resiliência da economia dos EUA quando se reunirem em 10 e 11 de dezembro. A geração de empregos fora do mercado agrícola chegou a 266 mil vagas no mês passado, com a manufatura recuperando todas as 43 mil posições perdidas em outubro, mostrou a pesquisa. O crescimento do emprego também foi impulsionado por um ganho de 60.200 trabalhadores na área da saúde. Isso elevou a criação de vagas bem acima da média mensal de 180 mil este ano. Economistas consultados pela Reuters previam que a criação de empregos fora do setor agrícola chegaria a 180 mil postos de trabalho em novembro. A economia criou 41 mil empregos a mais em setembro e outubro do que o estimado anteriormente. A greve de 40 dias de cerca de 46 mil trabalhadores nas fábricas da GM nos Estados de Michigan e Kentucky restringiu os ganhos de emprego a 156 mil vagas em outubro. Salários em alta Embora o mercado de trabalho permaneça resiliente apesar da desaceleração do investimento empresarial, as contratações diminuíram em relação ao ganho mensal médio de 223 mil no ano passado, devido à redução da demanda e à escassez de trabalhadores. Ainda assim, a criação de postos de trabalho ultrapassa os 100 mil empregos por mês necessários para acompanhar o crescimento da população em idade ativa. A taxa de desemprego caiu 0,1 ponto percentual no mês passado, ante 3,6% em outubro, com as pessoas deixando a força de trabalho. O mercado de trabalho apertado está gerando ganhos salariais constantes. O salário médio por hora subiu sete centavos de dólar, ou 0,2%, depois de avançar 0,4% em outubro. Os salários subiram 3,1% em novembro, ante 3,2% em outubro. Veja Mais

Justiça adia leilão de fábricas Imcopa após Bunge pedir mais dados para oferta

R7 - Economia Por Ana ManoSÃO PAULO (Reuters) - Uma juíza da primeira vara de falências de Curitiba adiou o leilão de duas processadoras de soja no Paraná, depois que a comerciante de grãos norte-americana Bunge alegou que o vendedor forneceu informações insuficientes sobre os ativos, de acordo com documentos vistos pela Reuters na sexta-feira.O leilão dos ativos das duas unidades do grupo Imcopa, que estava previsto para 4 de dezembro e faz parte do plano de recuperação judicial do vendedor, foi remarcado para 17 de fevereiro.A Imcopa e o administrador judicial concordaram com o cancelamento do leilão das unidades, que ficam no Paraná e são consideradas estratégicas. No estado, é processado 19% do volume de oleaginosas do País, de acordo com dados da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove).Mas a Bunge alegou em uma petição que encontrou informações desatualizadas ou incompletas no "data room" da Imcopa, o que dificultaria a análise dos riscos do potencial investimento.Maior processadora de oleaginosas do Brasil por número de plantas (12), a Bunge disse em juízo não ser possível saber se os ativos da Imcopa possuem licenças ambientais, licenças de funcionamento e demais autorizações necessárias para sua operação.Ainda assim, demonstra grande interesse no negócio. "A Bunge não só pretende adquirir as duas plantas industriais, garantindo recursos relevantes para o processo de soerguimento das recuperandas... como pretende contratar parte expressiva dos atuais colaboradores alocados nas plantas de Araucária e Cambé (...)," de acordo com a petição de 26 de novembro.A unidade brasileira da trading também citou "inconsistências" entre o plano de recuperação aprovado pelos credores da Imcopa em 2017 e o edital de venda, publicado em outubro.As inconsistências seriam principalmente relacionadas à possibilidade de as plantas serem vendidas separadamente pela Imcopa.De acordo com a interpretação que Bunge faz do plano de recuperação da Imcopa, as duas plantas devem ser vendidas em conjunto, como parte de uma mesma "Unidade Produtiva Isolada", ou UPI.Concordando em parte com os argumentos da Bunge, a juíza Mariana Gusso ordenou que a Imcopa atualize o "data room", de acordo com uma decisão de 3 de dezembro vista pela Reuters, embora tenha declarado que o plano de recuperação da Imcopa permite "a constituição de até duas UPI's".A Bunge recusou-se a comentar. Entretanto, na petição a companhia discorre sobre as sinergias da operação de ambas as plantas por uma mesma empresa: vendidas separadamente, as unidades da Imcopa perderiam competitividade, disse.A oferta mínima para cada uma das plantas é de 25 milhões de reais.A dívida combinada vinculada às duas plantas, que os compradores terão de assumir, é de 1,043 bilhão de reais, de acordo com informações públicas de dezembro de 2018.A Imcopa, que produz óleo de soja e proteína de soja concentrada (SPC) para uso como ração animal, é uma das maiores processadoras da oleaginosa não-transgênica do Brasil.A Imcopa também se recusou a comentar.Além da Bunge, a Reuters identificou pelo menos outros dois potenciais compradores para as fábricas da Imcopa no Paraná, incluindo a CJ Selecta, de propriedade da sul-coreana CJ Cheiljedang, e a unidade local da russa Sodrugestvo.Nenhuma delas respondeu a pedidos por comentários.Em agosto, enquanto se preparava para vender os ativos, a Imcopa rescindiu unilateralmente um contrato de arrendamento das duas plantas com o Grupo Petrópolis, alegando quebra de contrato. Veja Mais

Viagens interestaduais motivam racha entre empresas e ANTT

Viagens interestaduais motivam racha entre empresas e ANTT

R7 - Economia ANTT avalia 1,3 mil pedidos de novos trechos Thinkstock A expansão do setor de transporte rodoviário interestadual abriu um racha entre as empresas de ônibus que já atuam no setor e a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). De um lado está a agência, que avalia nada menos do que 1,3 mil pedidos de novos trechos de viagens pelo país, com o objetivo de ampliar a competição. Do outro, estão 167 empresas de ônibus, donas de 3,5 mil linhas que cruzam municípios entre Estados, que veem, na proposta da ANTT, o risco de "canibalização" do sistema. O assunto está em discussão na ANTT e resultará em proposta de regulamentação, que ainda passará por audiência pública. Os 1,3 mil pedidos envolvem 63 empresas novas e 14.415 destinos - e em 6.361 já existe hoje uma empresa atuando. Outros 8.054 destinos, porém, são novos, sem serviço regular. Como o país tem hoje cerca de 40 mil destinos interestaduais, haveria um crescimento de 20% no atendimento nacional. Anteontem, o presidente Jair Bolsonaro publicou um decreto que dá diretrizes para a regulamentação. Determina que não haverá limite para o número de autorizações para o serviço regular de transporte rodoviário, exceto na hipótese de inviabilidade operacional. Além disso, o texto veda a instituição de reserva de mercado. As empresas de ônibus que atuam no país operam por meio de autorizações da ANTT. Nos últimos anos, o órgão regulador recebeu centenas de propostas de operação de mais linhas, que ficaram "na geladeira". A ordem, agora, é analisá-las. Veja também Governo federal digitaliza quase 500 serviços Até novembro sairão as regras para devolução de rodovias, diz ministro ANTT prevê lançar editais das BRs 381, 153 e 163 neste ano, para leilões em 2020 Tarcísio de Freitas comemora, no Twitter, acordos no setor de aviação Para a Associação Brasileira das Empresas de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), que tem 76 associadas, a proposta vai prejudicar todos que atuam no mercado. "Qualquer investidor responsável não entraria nesse negócio agora", disse Letícia Pineschi, diretora da Viação Sampaio e conselheira da Abrati. O que a ANTT propõe, diz Letícia, são "liberações carregadas de irregularidades, que trazem insegurança jurídica para o empreendedor que está no mercado e aquele pretende operar". As empresas no mercado queriam que a agência adotasse, como critério de autorização, um valor mínimo de faturamento. A ANTT, porém, declarou que se limitará a exigências atreladas a qualidade e segurança. O objetivo seria começar a liberar operações em janeiro. As empresas atuais prometem reagir. Veja Mais

Sete dicas de como fazer um churrasco mais em conta

Sete dicas de como fazer um churrasco mais em conta

R7 - Economia Para alguns, o churrasco é um evento especial, seja para comemorar aniversários, títulos do time do coração, o que for. Para outros, é uma tradição. Mas, com o preço da carne atingindo valores preocupantes, o coordenador do IPC (Índice de Preços ao Consumidor) da FGV, André Braz, dá algumas dicas para não deixar de fazer aquele churrasquinho no final de semanaPesquisar os preços - O churrasco vai continuar acontecendo apesar da alta de valores. Então vale a pena ficar de olhos nos preços dos principais cortes entre os grandes varejistasAves e suínos - Apesar de também estarem mais caros, usar corte de aves e suínos é uma boa para reduzir custosAtacarejos - A nova modalidade de comércio é uma ótima oportunidade para que busca preços mais competitivosCostela - Cortes mais simples como costela também são bem gostosos e custam menosPeixes - Assim como fazer um peixe assado na brasaPeças inteiras - Comprar peças inteiras também é uma boa oportundiade, pois são oferecidas a preços mais competitivosDividir os gastos - Fazer um bom churrasco não é fácil. Com as bebidas e acompanhamentos é bom que o valor total da compra seja dividido entre aqueles que vão participar do evento Veja Mais

Dividendos: 16 analistas revelam as ações que você não pode perder neste mês

R7 - Economia O setor elétrico segue firme e forte na preferência dos analistas, quando se trata de ações para quem deseja bons dividendos. Segundo levantamento do Money Times com relatórios de 16 bancos, gestoras, corretoras e casas independentes de análise, a Taesa (TAEE11) segue inabalável em primeiro lugar. A companhia de transmissão de energia assumiu, em outubro, […] Veja Mais

Presidente eleito da Argentina nomeia acadêmico Martín Guzmán para a Economia

G1 Economia Guzmán é pesquisador e considerado especialista no campo da reestruturação de dívidas; Miguel Pesce volta para o BC, que já presidiu interinamente no governo de Cristina Kirchner,. Martin Guzman foi escolhido como novo ministro da Economia pelo presidente eleito da Argentina, Alberto Fernandez Agustin Marcarian/Reuters O presidente eleito da Argentina, Alberto Fernández, anunciou seu ministério na noite desta sexta-feira (6), delineando o núcleo de sua equipe dias antes de tomar posse para enfrentar uma economia estagnada, temores crescentes com a dívida e uma dolorosa inflação. Fernández nomeou como ministro da Economia o economista de perfil acadêmico Martín Guzmán, que terá pela frente a tarefa de negociar a reestruturação da dívida de cerca de US$ 100 bilhões com credores internacionais e com o Fundo Monetário Internacional (FMI). Guzmán, um jovem pupilo do economista Joseph Stiglitz, ganhador do Prêmio Nobel, é considerado um especialista no campo da reestruturação de dívidas, embora tenha pouca experiência prática na formulação de políticas. Com doutorado pela Brown University e graduação na Universidade Nacional de La Plata, Argentina, Guzmán é atualmente pesquisador associado da divisão de economia da Columbia Business School. Sua pesquisa se concentra em macroeconomia e crises de dívida soberana. Novo presidente argentino cria mais nove ministérios Banco Central Para o comando do Banco Central, Fernández anunciou a nomeação do economista Miguel Angel Pesce, que já presidiu interinamente a autoridade monetária em 2010, durante a Presidência de Cristina Kirchner, e foi vice-presidente da autoridade monetária argentina entre 2004 e 2015. O economista discreto, que recentemente presidiu o banco provincial Tierra del Fuego, indicou que procurará desviar a política monetária da postura mais ortodoxa que a autoridade monetária seguiu sob o presidente conservador, Mauricio Macri, que entrega o poder em 10 de dezembro. Pesce, de 57 anos, apoiou a redução das taxas de juros e estabeleceu um "pacto social" para ajudar a reduzir os preços em alta. "A abordagem ortodoxa da inflação está errada. Eles estão tentando conter a inflação com política monetária, restrição monetária e taxa de juros -e isso não funcionou", disse Pesce em setembro, durante entrevista na televisão. "É importante ter um pacto social não apenas abordando a questão dos aumentos de renda e salário, mas também que haja um acordo para não aumentar os preços", acrescentou. O economista assumirá o comando do banco central em um momento em que a Argentina enfrenta uma inflação anual de mais de 50%, com taxas de juros de 60% para conter a desvalorização da moeda e uma economia em contração, com vencimentos milionários de dívida previstos para 2020. O peronista Fernández, que substituirá Macri, tendo como vice a ex-presidente Cristina Kirchner, toma posse na próxima terça-feira. Veja Mais

Justiça suspende reforma da Previdência de São Paulo

Justiça suspende reforma da Previdência de São Paulo

R7 - Economia Proposta estava em tramitação na Alesp Roberto Navarro/Alesp O TJ-SP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) concedeu no final da tarde desta sexta-feira (6) liminar que suspende a tramitação na Alesp (Assembleia Legislativa de São Paulo) do projeto de reforma da Previdência estadual elaborado pelo governo João Doria (PSDB). A liminar atende a pedido do deputado Emídio de Souza (PT). No pedido, o deputado petista argumenta que a indicação do deputado Heni Ozi Cukier (Novo) como relator especial do projeto fere a legislação ao se sobrepor às atribuições da Comissão de Constituição, Justiça (CCJ). A decisão do TJ-SP também anula a nomeação de Cukier para a função e todos os atos do deputado. Com isso, a tramitação volta à CCJ e a votação da reforma deve ficar para o ano que vem. Leia mais: PSL se divide se junta à oposição contra reforma de Doria “A Comissão de Constituição, Justiça e Redação é formada por treze membros efetivos e treze membros suplentes, cujo órgão é constitucionalmente qualificado para deliberar acerca das proposições legislativas, não podendo tal comissão ser substituída por um único membro da Alesp, o que viola os princípios da colegialidade parlamentar e da igualdade, bem como ao direito parlamentar ao devido processo legislativo”, diz o pedido de liminar feito por Emídio com apoio do grupo Prerrogativas, que reúne advogados e presta assistência jurídica. A suspensão da tramitação do PEC (Projeto de Emenda à Constituição Estadual) de reforma da Previdência é uma derrota para o governo Doria que previa economizar R$ 32 bilhões em 10 anos com medidas impopulares como a exigência de idade mínima de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens e aumento de 11% para 14% da alíquota de contribuição dos servidores estaduais. A obtenção de 57 dos 94 votos da Alesp foi vista como um teste para o governo. A criação da figura do “relator especial” foi uma forma encontrada por Doria para acelerar a tramitação da proposta. Na liminar, o desembargador Alex Zilenovski, considera que a manobra limita a possibilidade de discussão sobre o tema. “Afinal, é da natureza do Parlamento a ampla discussão e negociação prévias à deliberação. Para isso a Democracia prevê a possibilidade do Povo eleger seus representantes para , em seu nome , deliberar de modo consciente. Isto é o que se espera do Parlamento e é justamente por isto que sua existência é necessária. O Parlamento não é mera casa de homologação , mas de discussão e deliberação conscientes e transparentes”, diz o magistrado. O presidente da Alesp, deputado Cauê Macris (PSDB), divulgou nota em que disse ter recebido “com perplexidade a liminar concedida pelo desembargador a respeito de um tema exclusivo e de competência do  Poder Legislativo, previsto em regimento interno”. Ele disse que irá apresentar recurso para derrubar a liminar e fazer a votação “o mais rápido possível”. O governo estadual disse que não irá se pronunciar sobre a suspensão, por entender que o processo diz respeito à tramitação da matéria — e não ao mérito da reforma previdenciária. Relator O deputado Heni Ozi Cukier, designado como relator especial, rebateu as alegações da ação. “É uma tentativa de obstruir o andamento de um tema de extrema importância para o Estado de São Paulo e para o Brasil”, disse o deputado. Um dos argumentos apresentados na ação é de que Cukier não poderia assumir a relatoria especial pois já havia sido o relator do projeto na CCJ. “Eu fui nomeado. Eu aceitei e eu apresentei o parecer, e o presidente da Casa é que designa o relator. A questão jurídica não recai sobre mim, e sim sobre quem nomeou e eu entendo que seguiu as regras.” O deputado também disse que as procuradorias da Alesp e a Procuradoria-Geral do Estado devem se pronunciar sobre o tema no processo. Cukier é o mesmo deputado que, em meio a uma briga generalizada no plenário da Alesp na última quarta (4) levou uma mordida do deputado Luiz Fernando Ferreira (PT). No dia seguinte, o petista pediu desculpas publicamente ao deputado do Novo, que deixou de entrar com uma representação no Conselho de Ética sobre o caso. Desde que a reforma entrou em discussão no plenário da Alesp, na quarta, duas grandes confusões paralisaram a Casa. Na primeira sessão extraordinária que discutia o tema, o deputado Arthur do Val (sem partido) chamou sindicalistas e esquerdistas de “vagabundos” e um grupo de parlamentares invadiu o púlpito em meio a empurrões e troca de socos. Leia mais: Após briga na Alesp, 'Mamãe Falei' diz que 'combate privilégios' No dia seguinte, o presidente da Alesp determinou o fechamento das galerias reservadas ao público, após ter sua mesa ocupada por deputadas da oposição. Mais tarde, a sessão foi suspensa e a Casa terminou fechada para o público. Rapidez Única PEC proposta por Doria neste ano, a reforma da previdência estadual teve uma tramitação mais rápida do que todas as outras analisadas pela Alesp neste ano. Foram três semanas entre a publicação da PEC no Diário Oficial, que dá início à tramitação de um projeto na Alesp, e a devolução do texto pronto para votação no plenário. A maior parte das PECs assinadas por deputados desta legislatura está parada. Das 17 propostas do tipo que antecederam a reforma de Doria, apenas uma foi aprovada e outras 12 estão sem movimentação há ao menos um mês. Entre as PECs que antecederam a reforma, sete estão prontas para serem discutidas e votadas pelo plenário. Dois desses projetos, protocolados em abril, estão na fila de votação há cerca de seis meses. Veja Mais

Concurso da Prefeitura de Oeiras é suspenso para análise de irregularidades no edital de licitação

G1 Economia A Prefeitura de Oeiras e a empresa Crescer Consultorias, responsável pelo concurso, foram procuradas pelo G1, mas não foram localizadas. Ministério Público do Piauí G1 PI O concurso da Prefeitura Municipal de Oeiras foi suspenso até o dia 15 de janeiro de 2020. O certame só será retomado caso o relatório da Diretoria de Fiscalização da Administração Municipal (DFAM), do Tribunal de Contas do Estado (TCE-PI), não aponte irregularidades no edital de licitação. A Prefeitura de Oeiras e a empresa Crescer Consultorias foram procuradas pelo G1, mas não foram localizadas. O acordo foi firmado entre o Ministério Público do Piauí, a administração municipal e a empresa responsável pelo concurso, a Crescer Consultorias. Houve também o cancelamento da aplicação das provas objetivas, que iria ocorrer no dia 15 de dezembro deste ano. Para a tomada da decisão, o promotor de Justiça Vando da Silva Marques se baseou na investigação que a empresa está sofrendo por, supostamente, estar envolvida em fraudes de concursos públicos, de acordo com a Operação Dom Casmurro, deflagrada pela Polícia Civil do Piauí no município de Cocal. Na audiência, que aconteceu na última terça-feira (3), ficou acertado que a empresa ficaria encarregada de manter as inscrições dos candidatos até o período estabelecido. Para aqueles que desejarem a devolução imediata dos valores de inscrição, será realizado a partir de um requerimento escrito à comissão do concurso. O formulário será disponibilizado no site da empresa Crescer Consultorias até a próxima terça-feira (10). Veja Mais

Ibovespa renova máximas em semana de recordes com sinas de melhora da economia brasileira

R7 - Economia SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em nova máxima histórica nesta sexta-feira, encerrando uma semana marcada por recordes e evidências de melhora no ritmo da economia brasileira, com agentes financeiros ainda encontrando no noticiário externo argumentos para compras.Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,51%, a 111.183,80 pontos, máxima de fechamento, de acordo com dados preliminares. O volume financeiro do pregão alcançava 16,4 bilhões de reais.Na semana, o Ibovespa acumulou alta de 2,7%, também segundo dados antes do ajuste de fechamento.NoneNone (Por Paula Arend Laier) Veja Mais

ENTREVISTA-Golar participará de novos leilões de energia; aposta em caminhões à GNL

R7 - Economia Por Marta NogueiraRIO DE JANEIRO (Reuters) - A empresa de Gás Natural Liquefeito Golar Power Latam está otimista em relação ao crescimento econômico brasileiro e participará ativamente dos próximos leilões de energia para a contratação de novas usinas térmicas movidas à GNL, afirmou à Reuters nesta sexta-feira o presidente da companhia, Eduardo Antonello.Atualmente, a empresa --uma joint venture formada entre a norueguesa Golar LNG e o fundo Stonepeak-- detém 50% das Centrais Elétricas de Barcarena (Celba) e das Centrais Elétricas de Sergipe (Celse), que contam com projetos em implementação que somam 2,2 gigawatts (GW), detalhou o executivo."Estaremos super ativos nos próximos leilões, temos vários projetos no Brasil inteiro que a gente já desenvolveu e a gente pretende participar com eles", disse Antonello, em uma entrevista por telefone, evitando dar mais detalhes sobre o que poderá ser contratado.O executivo destacou que as usinas da empresa já contratadas têm um preço "bem atraente", na comparação com outras já em operação no país. Mas a geração térmica é apenas uma das áreas de interesse da empresa, que vem apostando em projetos simultâneos pelo país, essencialmente para logística de abastecimento de GNL.Atualmente, segundo o presidente, a empresa tem uma carteira diversa de projetos no Brasil, com investimentos estimados em cerca de 7 bilhões de reais entre 2016 e 2023, dos quais aproximadamente 4 bilhões já foram empenhados. E ainda há mais por vir."A gente está muito focado na questão do GNL no Brasil, o foco é o desenvolvimento de infraestrutura", frisou.Dentre outros negócios, a Golar Power está à frente da construção de três terminais de regaseificação, que somam capacidade de suprimento de quase 60 milhões m³/dia, e que serão destinados para energia elétrica e para suprir a demanda de indústrias e do abastecimento de veículos a gás.  NoneOTIMISMO COM BRASILComo parte da estratégia, a Golar Power anunciou nesta sexta-feira uma parceria com a Alliance GNLog, que prevê o fornecimento de GNL para caminhões desta empresa de logística.A tecnologia ainda inédita no Brasil permitirá que os caminhões sejam abastecidos com gás em estado líquido, garantindo autonomia de cerca de mil quilômetros aos veículos.Tais caminhões já existem em outros países da Europa e também da China. Segundo a Golar, 300 mil caminhões à GNL rodam em território chinês. Por meio da parceria, a Golar fornecerá o combustível, enquanto a Alliance GNLog fará o transporte do gás para os clientes industriais da companhia, além de prestar serviços de transporte de cargas gerais a outros clientes.Com o projeto, a companhia reforça sua confiança na retomada da economia brasileira, prevendo inclusive a substituição de caminhões movidos a diesel pelos novos à GNL, que serão trazidos pela sua parceira Alliance GNLog."O Brasil tem um consumo de diesel gigantesco... Em um primeiro momento, a meta da Golar é substituir diesel importado por GNL. A gente enxerga que tem um benefício econômico para o país muito grande", afirmou, pontuando que o GNL é menos poluente e mais barato."O nosso grupo está muito otimista em relação a Brasil, esse governo atual está tomando as medidas corretas para fomentar o crescimento econômico do país, a gente está apostando justamente em um crescimento potencial muito grande." Os primeiros quatro veículos movidos a GNL da marca Shacman já estão em solo nacional, cumprindo uma agenda de homologação e testes, que prevê uma frota de mil caminhões da Alliance GNLog movidos a GNL até o fim do próximo ano, disse Antonello. Nos próximos meses, a Alliance GNLog irá executar testes de rodagem e uma série de demonstrações para potenciais clientes, como Maratá e AmBev.Em uma fase inicial, segundo a Golar, serão instaladas unidades móveis de abastecimento de GNL da Golar em Sergipe e São Paulo, já autorizadas pela agência reguladora ANP.O projeto prevê a instalação de 35 postos de abastecimento, em 11 eixos de corredores rodoviários por onde há intenso fluxo de transporte de carga e escoamento da produção agrícola.O anúncio da parceria será feito na próxima segunda-feira, em Aracaju (SE), durante a cerimônia de instalação do Fórum Sergipano de Petróleo & Gás, com a presença de autoridades e de executivos das empresas. Veja Mais

Tributos deixam ceia de Natal mais cara

R7 - Economia Carga tributária de produtos típicos o natal chegam a 70%, de acordo com levantamento da ACSP. Veja Mais

Alta da carne pressiona e inflação no Brasil tem maior novembro em 4 anos

R7 - Economia Por Rodrigo Viga Gaier e Camila MoreiraRIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - A inflação oficial do Brasil registrou aceleração em novembro e o resultado mais alto em quatro anos com forte impacto da alta dos preços das carnes, mas ainda permanece abaixo do centro da meta em 12 meses.O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,51% em novembro após alta de 0,10% no mês de outubro, de acordo com os dados divulgados nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Esse é o resultado mais alto para novembro desde 2015, quando índice subiu 1,01%, e ficou acima da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 0,46%.Em 12 meses, a alta do IPCA chegou a 3,27%, de um avanço no mês anterior de 2,54%, e permanece abaixo do centro da meta oficial para 2019, de 4,25% pelo IPCA com margem de 1,5 ponto percentual para mais ou menos.O resultado em 12 meses até novembro também ficou ligeiramente acima da expectativa, de 3,23%. De acordo com o IBGE, o maior impacto individual foi exercido pelas carnes, cujos preços subiram 8,09%, exercendo impacto de 0,22 ponto percentual no IPCA de novembro. Isso levou o grupo Alimentação e bebidas a acelerar a alta a 0,72%, de 0,05% em outubro."As exportações de carne para a China continuam, o que mantém a demanda grande, e essa pressão vai continuar", explicou o gerente da pesquisa Pedro Kislanov da Costa.O Brasil, maior exportador global de carne bovina, está faturando com a maior demanda da China, mas os consumidores brasileiros estão por tabela pagando mais pelo produto nos açougues, enquanto frigoríficos têm sido pressionados a fazer ofertas recordes por bois nas fazendas."Mas apesar da pressão de carnes, o IPCA ainda está num patamar confortável e com espaço para ficar dentro do centro da meta", completou Costa.A maior variação no mês foi registrada por Despesas Pessoais, com alta de 1,24% em novembro ante 0,20% antes. O comportamento dos preços de Habitação também se destacou, ao deixar para trás uma deflação de 0,61% em outubro para alta de 0,71% em novembro.Esse avanço de Habitação deve-se à alta de 2,15% da energia elétrica, uma vez que em novembro passou a vigorar a bandeira vermelha patamar 1.Apesar do resultado mais forte em novembro, a inflação permanece fraca e não deve ser suficiente para mudar o movimento do Banco Central de corte de juros, já tendo sinalizado que adotará essa postura na última reunião do ano, em dezembro."No geral, acreditamos que esse resultado é consistente com o cenário base do Banco Central e corrobora corte de 0,50 ponto percentual (na Selic) este ano", afirmou em relatório a XP Investimentos. A autoridade monetária cortou a taxa básica de juros Selic em 0,5 ponto percentual em outubro, a 5% ao ano, mas para além de dezembro a postura é de cautela em relação aos fatores que podem pressionar a inflação.None (Com reportagem adicional de Paula Arend Laier em São Paulo) Veja Mais

Velhas Empresas: Novas eras

R7 - Economia Para muitos, Startups ou a economia 4.0 parecem varinhas mágicas a serem implantadas e absorvidas por uma indústria tradicional. É muito comum culpar a “velha” indústria como reativa à introdução da inovação ou culpar os “ donos “ que não permitem a entrada dos filhos em suas empresas, não dando liberdade para que possam introduzir […] O post Velhas Empresas: Novas eras apareceu primeiro em Jornal Contábil - Um dos Maiores Portais de Notícias do Brasil. Veja Mais

Angola antecipa pagamento e quita empréstimos com o Brasil, informa ministério

G1 Economia Em nota, Ministério da Economia informou que país africano concretizou o pagamento integral do saldo devedor de sua dívida com o governo brasileiro. O Ministério da Economia informou nesta sexta-feira (6) que a República de Angola antecipou nesta semana a quitação de todos os contratos de financiamento vigentes com o Tesouro Nacional e com o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). De acordo com nota divulgada pelo ministério, foram pagos US$ 589 milhões em valores que poderiam ser quitados até 2024. O governo lembrou que, entre 2005 e 2017, Brasil e Angola firmaram seis memorandos de entendimento para ampliar o montante de financiamentos às exportações brasileiras por meio do uso de contra-garantias em conta-petróleo abastecidas pelo governo angolano. O BNDES financiou 84 operações no país africano que somaram US$ 4,4 bilhões, por meio de linha de crédito Finame, em financiamentos garantidos pela União, por meio do Seguro de Crédito à Exportação. O Tesouro Nacional direcionou recursos da linha Proex-Financiamento (que tem o Banco do Brasil como agente financeiro) para um total de 37 operações em Angola. Lula vira réu, acusado de favorecer a Odebrecht com empréstimo do BNDES para Angola Acusações de favorecimento Em outubro, a ex-presidente Dilma Rousseff negou ter conhecimento de que o também ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tenha atuado para favorecer a liberação de uma linha de crédito que teria beneficiado a empreiteira Odebrecht em Angola. Dilma prestou depoimento como testemunha de defesa em ação na qual são réus Lula, os ex-ministros Paulo Bernardo e Antônio Palocci e o empresário Marcelo Odebrecht. Eles foram acusados pelo Ministério Público de receber propina da construtora Odebrecht em troca de favores políticos. Segundo a acusação, em 2010 a empreiteira prometeu a Lula R$ 64 milhões para ser favorecida em decisões do governo. De acordo com o Ministério Público Federal, o dinheiro teria sido colocado à disposição do PT. A denúncia do Ministério Público afirma que uma das contrapartidas solicitadas pela Odebrecht seria interferência política a fim de elevar para US$ 1 bilhão um empréstimo concedido a Angola pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Durante o depoimento, a ex-presidente também criticou uma suposta tentativa de criminalizar empréstimos do Brasil a outras nações. "Eu acho um absurdo tentar criminalizar os processos de empréstimos do país para outras nações, como eu já vi e sofri. Eu não concordo com isso. Sobre o que eu li da denúncia, eu não concordo com o fato de achar que emprestar dinheiro a um país como Angola comprar do Brasil tenha algo de indevido.”, declarou ela na ocasião. Marcelo Odebrecht explica como funcionaram negociações para conseguir crédito em Angola Veja Mais

Justiça determina que Loggi reconheça vínculo trabalhista com motoboys

G1 Economia Empresa terá de limitar a jornada dos motoristas em oito horas e implementar descanso semanal de 24 horas consecutivas. A Justiça do Trabalho de São Paulo determinou que a empresa de entregas Loggi reconheça o vínculo trabalhista dos motoboys que prestam serviço para a companhia. A decisão da 8ª Vara do Trabalho de São Paulo foi publicada na quinta-feira (5). A ação foi movida pelo Ministério Público do Trabalho em agosto do ano passado. Na decisão, a juíza Lávia Lacerda Mendez determina que a Loggi limite a jornada dos motoristas a oito horas, implemente descanso semanal de 24 horas consecutivas e faça registro em sistema eletrônico de todos os motoristas que tiveram alguma atividade nos últimos dois meses. Motoboy do aplicativo Loggi Reprodução/Facebook/Loggi A empresa também terá de fazer o pagamento adicional de periculosidade aos motofrestistas e precisará fornecer capacetes e coletes de segurança para os trabalhadores. Autônomos ou empregados? Motoboys dividem opiniões sobre trabalho com aplicativos de entrega em SP Em setembro, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que os motoristas que trabalham para serviços de transportes por aplicativo, como Uber, não têm qualquer tipo de vínculo trabalhista com as empresas. À época da decisão, especialistas ouvidos pelo G1 disseram que esse entendimento vem sendo mal interpretado. Para eles, cabe à Justiça do Trabalho decidir sobre as questões trabalhistas envolvendo aplicativos de transporte de passageiros. Procurada pelo G1, a Loggi ainda não se manifestou. Veja Mais

Governo de São Paulo e Marfrig firmam parceria para ampliar fábrica do interior

R7 - Economia O governo de São Paulo e a Marfrig (MRFG3) assinaram nesta sexta-feira (6) um termo de engajamento para avaliar a reforma e a ampliação de uma fábrica localizada em Promissão, interior do estado, no valor de R$ 600 milhões. O anúncio foi feito durante uma cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, que contou com a presença […] Veja Mais

Especialistas divergem sobre proposta do governo que desobriga empresas a cumprirem cotas para pessoas com deficiência

R7 - Economia De um lado, está o direito das pessoas com deficiência e as conquistas nos últimos anos, incluindo o espaço no mercado de trabalho. Do outro lado, está a proposta do governo de flexibilizar as normas trabalhistas para alavancar a economia. Veja Mais

Leilões de energia A-1 e A-2 têm Petrobras, Eneva e Statkraft entre vendedores

R7 - Economia SÃO PAULO (Reuters) - A estatal Petrobras e as elétricas Eneva e Statktraft, entre outras, conquistaram contratos em leilões promovidos pelo governo nesta sexta-feira para viabilizar a contratação de energia para atender à demanda de empresas de distribuição nos próximos anos.O chamado leilão A-1, para entrega de energia em 2020 e 2021, contratou 29 megawatts médios em eletricidade a preço médio de 158,37 reais por megawatt-hora, enquanto o A-2, para 2021 e 2022, fechou a venda de 279 megawatts médios, a valor médio de 171,52 reais por MWh, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).Apenas a comercializadora de energia Stima negociou no A-1, enquanto no A-2 houve nove empresas vendedoras, incluindo a própria Stima, as elétricas Eneva, Statkfraft e Eletronorte, da Eletrobras, além das comercializadoras Argon, Bio Energias, Brasil e Tradener.A Petrobras negociou energia de sua termelétrica Ibiritê, com 71 megawatts médios vendidos a 184,26 reais por megawatt-hora.A Eneva vendeu a produção das térmicas Maranhão IV, Maranhão V e MC 2 Nova Venécia, em total de 22 megawatts médios, a 184,26 reais por megawatt-hora. A Statkraft comercializou 20 megawatts médios, a 165,64 reais por megawatt-hora, enquanto a Eletronorte vendeu 6 megawatts médios a 167,31 reais.No total, os contratos fechados no certame movimentarão 918,9 milhões de reais, segundo a CCEE. Os preços finais representaram deságio médio frente aos valores iniciais dos pregões de 16,65% para o A-1 e de 9,7% para o A-2, acrescentou a CCEE.None (Por Luciano Costa) Veja Mais

A inflação continua baixa para níveis históricos e deve ficar abaixo de 4,25% no fim do ano

A inflação continua baixa para níveis históricos e deve ficar abaixo de 4,25% no fim do ano

R7 - Economia Nesta sexta-feira (06), o IBGE divulgou os dados do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O resultado foi que a variação do IPCA em novembro foi de 0,51% mom – month over month, em inglês, que analisa as tendências no curto prazo -, com taxa de 3,27% nos últimos 12 meses. Em outubro, […] O post A inflação continua baixa para níveis históricos e deve ficar abaixo de 4,25% no fim do ano apareceu primeiro em SpaceMoney. Veja Mais

ONS reduz projeção de carga de energia em dezembro; vê mais chuva nas hidrelétricas

R7 - Economia Por Luciano CostaSÃO PAULO (Reuters) - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) projetou que a carga de energia do sistema interligado do Brasil deve fechar dezembro com avanço de 2,1% ante mesmo mês do ano passado, reduzindo previsão anterior de alta de 2,4%.Em paralelo, o ONS elevou as perspectivas de chuvas na região dos lagos das hidrelétricas do Sudeste e do Nordeste, que concentram os maiores reservatórios, segundo boletim semanal divulgado nesta sexta-feira.As precipitações nos lagos das hidrelétricas do Sudeste devem somar 94% da média histórica neste mês, já em meio ao chamado "período úmido", que vai de novembro a abril, quando as usinas costumam receber mais chuvas, ante estimativa de 83% da média na semana anterior.No Nordeste, as chuvas devem chegar a 49% da média, contra 37% esperados antes.No Norte, a previsão é de 68% da média, contra 70% anteriormente, enquanto no Sul é de 60%, de 80% antes.As perspectivas de chuvas abaixo da média histórica em dezembro levaram a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a definir bandeira tarifária amarela para as contas de luz no mês, o que gera cobrança adicional de 1,343 real a cada 100 quilowatts-hora consumidos.As bandeiras sinalizam para os consumidores o nível de oferta de energia no sistema brasileiro, predominantemente hidrelétrico, ao aumentar custos quando passam do patamar verde para o amarelo ou para dois níveis do patamar vermelho. Veja Mais

De mecânico a vendedor: PAT de Capivari divulga vagas de emprego nesta sexta-feira

G1 Economia Para as vagas de vagas de auxiliar de linha de produção e estagiário não é exigida experiência. O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Capivari (SP) intermedeia 42 vagas de emprego para diferentes áreas na manhã desta sexta-feira (6). As funções disponíveis podem variar ao longo do dia. (Veja abaixo a lista de cargos) Entre as oportunidades estão costureira, comprador e pintor de obras. Para as vagas de auxiliar de linha de produção e estagiário não é exigida experiência. Os salários e benefícios serão combinados diretamente com a empresa. Para se candidatar é preciso ir ao PAT com Carteira de Trabalho, currículo, RG, CPF e número do PIS Ativo, até as 16h30. A unidade fica na Rua João Gonçalves de Oliveira, 27, Santa Terezinha, no complexo do Serviços Integrados da Administração Municipal (Siam). Oportunidades Apontador de pessoal – Departamento Pessoal Auxiliar de linha de produção Comprador – 1 vaga Costureira – 1 vaga Estagiário em arquitetura, designer de interior ou engenharia – 1 vaga Jatista – 1 vaga Mecânico de manutenção de teares – 1 vaga Operador de caldeira – 1 vaga Operador de empilhadeira – 2 vagas Operador de serra fita – 2 vagas Pintor de obras – 1 vaga Vendedor de serviços - 1 vaga Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba Veja Mais