Meu Feed

Tecnologia

Como fazer o compartilhamento de documentos do Word?

O que você faz quando precisa compartilhar documentos do Word? Ao invés de entrar no seu email e anexar o arquivo que deseja enviar, você pode utilizar a ferramenta de compartilhamento própria do arquivo.Esse recurso também permite que você conceda permissão para que quem receber o documento possa editá-lo; sendo assim, todas as alterações são feitas no mesmo arquivo. Confira agora um tutorial simples de como realizar o compartilhamento de documentos no Windows, na web e no macOS.Leia mais...

Pixel 4 terá limite de armazenamento no Google Fotos. iPhones, não

Espaço para armazenar fotos do smartphone nunca é o suficiente, ainda mais para os aficionados em fotografia e aqueles que escolhem o novo aparelho celular, principalmente, pelas qualidades da câmera. Nessa história, espaço ilimitado e gratuito no Google Fotos sempre foi um atrativo a mais para os usuários de celulares da linha Pixel, desenvolvidos pelo próprio Google. Mas, estranhamente, armazenar as fotos, em qualidade original e de forma gratuita, não será um benefício para os compradores do recém-lançado Pixel 4. Invés de acesso ilimitado ao Google Fotos, o Google inclui período de testes de três meses de seu serviço de assinatura nas compras do Pixel 4. Dessa maneira, e empresa espera transferir os proprietários do novo Pixel, que devem precisar de espaço para backups, em assinantes recorrentes de mais um de seus serviços. Ou seja, é uma questão de estratégia comercial. Pixel 4 em ação A ironia de tudo isso é que os usuários de iPhones, grande concorrente da empresa, devem ter acesso a armazenamento ilimitado e gratuito de fotos na qualidade original no Google Fotos, graças a uma brecha no formato. A configuração padrão em que fotos de iPhones são salvas é HEIC / HEIF, introduzido junto do iOS 11. -Siga no Instagram: acompanhe nossos bastidores, converse com nossa equipe, tire suas dúvidas e saiba em primeira mão as novidades que estão por vir no Canaltech.- Nesse formato, os consumidores da Apple devem utilizar o serviço de forma ilimitada. Isso porque, caso o Google Fotos tentasse compactar essas imagens, a foto resultante ocuparia mais espaço do que a original, ao invés de menos. Dessa maneira, o Google não precisará mais compactar e processar todas as bilhões de fotos de backup dos iPhones Assim, a Apple economiza milhões de dólares para o Google ao tirar suas fotos no formato HEIC, que menor que o JPEG; isso, por sua vez, beneficia seus próprios usuários, que ganham backups gratuitos, na qualidade original. Ponto importante é que essa brecha se aplica apenas às fotos, pois todos os vídeos são salvos em uma resolução de 1080p. Infelizmente, não há a opção no Pixel 4 para salvar fotos no HEIC / HEIF e aproveitar o mesmo truque do iPhone. O Google Fotos, que já vem pré-instalado em aparelhos Android, pode ser baixado de maneira gratuita na App Store. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência 7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC? Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10)

Confira dicas para identificar um celular Xiaomi falso

Que os celulares Xiaomi têm feito grande sucesso entre os adeptos da tecnologia, isso não é nenhuma novidade, grande parte por conta de seu custo-benefício. No entanto, nem tudo são flores: O CEO da marca, Lei Jun, afirmou recentemente que 1 em cada 3 smartphones da empresa vendidos no mercado são falsos. Logo, cerca de 30% dos aparelhos da fabricante chinesa são vendidos como se fossem da marca, porém não passam de modelos piratas. A afirmação se deu porque vários usuários da marca começaram a reportar uma experiência não tão positiva com os dispositivos, como baterias que acabavam muito rápido, aparelhos que desligavam do nada, entre outros problemas. Se você deseja comprar um celular Xiaomi, mas ainda não sabe como reconhecer se ele é ou não verdadeiro, confira algumas dicas que podem ajudá-lo na identificação: -CT no Flipboard: você já pode assinar gratuitamente as revistas Canaltech no Flipboard do iOS e Android e acompanhar todas as notícias em seu agregador de notícias favorito.- Preço do celular Xiaomi Antes de tudo, vale conferir o preço do smartphone. Se ele for muito barato, é necessário desconfiar. Isso porque, embora os celulares da Xiaomi possuam um ótimo custo-benefíco, um preço muito baixo pode indicar peças falsas. Assim, se o seu celular Xiaomi for de 3 a 4 vezes mais barato em um determinado estabelecimento, provavelmente ele será falso. Xiaomi: preço dos celulares mais populares varia entre R$1.200 e R$2.000 Cheque o número IMEI do celular Xiaomi no site da Anatel Celulares piratas, na grande maioria dos casos, não possuem número IMEI, que funciona como um número de identificação global de cada aparelho, uma espécie de RG do mesmos. Logo, se o dispositivo que você está interessado não trouxer esse dado, já o descarte de cara. E, mesmo que o aparelho traga o IMEI, é importante checar a sua situação no site da Anatel, para ver se não se trata de um aparelho roubado ou bloqueado. Para achar o número do IMEI, busque-o na caixa do aparelho, em um adesivo que fica atrás da bateria ou digite *#06# no celular e aperte a tecla de realizar ligações. Com o número do IMEI em mãos, basta clicar aqui e, a seguir, descer até o final da página e clicar no botão "Consulte aqui a situação do seu aparelho celular". Feito isso, basta digitar o IMEI no campo correspondente e os caracteres para o site verificar que você não é um robô. Se tudo estiver correto, a página mostrará a mensagem "Até o momento o IMEI informado não possui restrições de uso". Aí você pode comprar o smartphone sem preocupações. Se quiser realizar uma checagem adicional, você usar o site IMEI24, que verifica se o dispositivo é roubado ou foi clonado. O processo é bastante semelhante ao do site da Anatel. Confira se a instalação da MIUI é original Smartphones falsos vêm com ROMs alteradas pelos revendedores. Por isso, ao atualizá-las para a versão original, o celular poderá ser bloqueado. Isso ocorre porque, durante o processo de instalação da MIUI original, o celular Xiaomi irá verificar parâmetros como o código do equipamento e hardware. Caso as informações não sejam encontradas, o equipamento trava e se torna inutilizável. Logo, antes de fechar a compra peça ou tente realizar uma atualização do MIUI para ver se o update ocorre da forma correta. Compare os aparelhos Outra dica bastante interessante consiste em comparar o seu celular Xiaomi a algum outro (de preferência que seja vendido em uma loja de confiança). Alguns detalhes denunciam facilmente se o aparelho é falsificado. Alguns deles são: O logo da Xiaomi: em celulares originais da marca, o logo é inscrito na parte da frente, na cor dourada; Tons do flash: no celular Xiaomi original, o flash apresenta dois tons diferentes. Já em um aparelho falso, existe somente um tom; Logo na parte de trás do Xiaomi é possível identificar um aparelho falso (Foto: GizChina.it) Verifique o selo de autenticação de seu celular Xiaomi Outra dica bem interessante consiste em confirmar se o seu novo celular Xiaomi possui um selo de autenticação, localizado na caixa do aparelho. Para ter acesso ao código, basta raspar o selo e inseri-lo no site oficial da marca. Verifique a ROM de seu celular Xiaomi Por norma, as ROMs oficiais da Xiaomi possuem somente quatro números. Qualquer outra versão é falsa. Assim, se nas configurações de seu smartphone você vir um número ao lado de “MIUI Version” com cinco dígitos ou mais, suspeite. Realize o teste de benchmark Para verificar se o processador de seu celular Xiaomi é original, vale realizar o teste através do aplicativo AnTuTu, um software que serve justamente para comparar a performance de aparelhos. A maioria dos celulares Xiaomi costuma apresentar resultados muito satisfatórios quando comparados aos demais. No site do próprio AnTuTu, é possível conferir a pontuação do modelo da Xiaomi que você está interessado e compará-lo com a pontuação antigida pelo aparelho por meio do app. Leia a matéria no Canaltech. Trending no Canaltech: Arquivo de câmeras revela possível culpado pelo desabamento do Edifício Andrea Desde 1970 a NASA sabe que existe vida em Marte, diz ex-engenheiro da agência 7 detalhes que você pode não ter percebido em El Camino Quem é o ser mais poderoso do Universo Cinematográfico da DC? Os melhores lançamentos de filmes e séries para assistir online (12/10 a 18/10)

Entretenimento

Que crossover! Shakira canta música do Green Day e banda reage

Shakira e Green Day Tenho Mais Discos Que Amigos Reprodução/Instagram Tá aí a cover que a gente nem sabia que precisava! Shakira apareceu no Instagram cantando 'Basket Case', do Green Day, nessa sexta-feira (18). No vídeo, a cantora colombiana está em estúdio com seu produtor, que toca o violão enquanto ela canta. Shakira está atualmente gravando seu novo disco, sucessor de El Dorado (2017). A publicação, é claro, chamou atenção não só de seus fãs, mas também dos fãs da banda e dos próprios membros. O frontman Billie Joe Armstrong repostou o vídeo e colocou um coração na legenda em seu Instagram. O baixista Mike Dirnt também comentou na postagem da cantora, celebrando a homenagem. Assista ao vídeo abaixo! Green Day https://www.instagram.com/p/B3xg26tAmrD/ Quem também está com disco novo no forno é o Green Day, que lança Father of All... em fevereiro de 2020. Além disso, o grupo ainda sairá em turnê ao lado do Weezer e do Fall Out Boy, que também lançam álbuns muito em breve. Saiba tudo sobre a Hella Mega Tour por aqui. A última passagem da banda pelo Brasil foi em novembro de 2017. Será que a nova turnê vem para os nossos lados também? Vamos torcer! LEIA TAMBÉM: Green Day assume nova identidade na inédita 'Fire, Ready, Aim'; ouça

Festival MADA leva diversidade, Júnior Groovador e o melhor da música nacional a Natal

Jomardo Jonas, do Festival MADA Tenho Mais Discos Que Amigos O Festival MADA está começando em Natal, no Rio Grande do Norte, e já carrega no nome a proposta que gosta de mostrar ao público, aos artistas e ao mercado quando diz que 'Música é Alimento Da Alma'. Em 2019, a vigésima primeira edição do evento conta com artistas como BaianaSystem, Luedji Luna, Baco Exu do Blues, Djonga e até o Junior Groovador, e nós conversamos com Jomardo Jonas, produtor do MADA, a respeito do festival, dos artistas, da música brasileira e mais. Leia nosso papo logo abaixo! TMDQA!: Há alguns anos estamos vivendo a cultura dos festivais no Brasil, mas o MADA já é um veterano, chegando à sua vigésima primeira edição. Como surgiu o evento e como sua proposta estética e artística foi evoluindo de lá pra cá? Jomardo: Surgiu de uma necessidade da cidade de ultrapassar as fronteiras do estado com sua música e, também, junto com a efervescência do surgimento de vários festivais pelo Brasil na época. Para conseguir se manter todo esse tempo sem perder nosso objetivo inicial, que é apostar em novas sonoridades, fomos crescendo, acrescentando e ampliando essa nossa diversidade musical, sempre com um recorte bem atualizado do que está rolando em todo o Brasil. Line-up de Sexta-feira do Festival MADA 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos TMDQA!: O MADA é conhecido por mesclar novos nomes com artistas já consagrados e o faz com horários bons e destaques mesmo para quem não tem seu nome consolidado. Como vocês lidam com essa mistura e como percebem a resposta do público à programação? Jomardo: Temos uma resposta excelente e ultimamente percebemos um crescimento do público e sua renovação constante, o que nos mostra que estamos conseguindo atender e surpreender sempre.   TMDQA!: Esse ano teremos a presença de uma estrela da cidade que cresceu nos últimos dias por causa do Rock In Rio. Júnior Groovador irá tocar no MADA e deve dar o que falar. Como é o show dele para um festival como o MADA e como surgiu o convite? Jomardo: Na verdade, conheço o Junior e sua família há muito tempo, quando ele ainda era um garoto e totalmente metaleiro, depois o acompanhava pelas redes com suas danças e grooves de rock em ritmo de forró. Até que quando vimos ele estava no RIR! Nos falamos depois e decidimos fazer um show dele e banda, mesclando rock com forró no MADA. Para o festival será uma grande festa ter o querido Junior Groovador no lineup. Line-up de Sábado do Festival MADA 2019 Tenho Mais Discos Que Amigos TMDQA!: Se você pudesse destacar algo que diferenciasse o MADA dos demais festivais do Brasil, o que diria que o faz diferente? Jomardo: Todos os festivais tem suas particularidades, no caso do MADA nossa ideia é crescer sem perder o conceito inicial de quando fizemos a primeira edição, que é sempre trabalhar a diversidade da música brasileira.   TMDQA!: Eu sempre digo que estamos vivendo uma das épocas mais incríveis da música brasileira, e o line-up mostra que iremos desde o reggae consagrado do Natiruts até o rap explosivo de Baco Exu do Blues e a mistura que faz do BaianaSystem um dos melhores shows do país. Como você vê toda essa fusão e quais são os desafios para encaixar tudo isso em um line-up de festival? Jomardo: O MADA sempre teve essas fusões em sua programação, desde sua primeira edição. Já tivemos Dona Militana (contadora de Histórias) no mesmo lineup com o rock and roll uruguaio do Motosierra. Essa diversidade é uma das marcas do MADA.   Festival MADA 2019 Os ingressos para o evento ainda estão disponíveis por aqui. Festival MADA - 21 anos Local | Estádio Arena das Dunas - Lagoa Nova, Natal - RN Data | 18 e 19 de outubro Horário | a partir das 18h

Narrativa arrastada prejudica “Midsommar: O Mal Não Espera a Noite”

Midsommar Tenho Mais Discos Que Amigos Por Bruno Inácio Dirigido por Ari Aster – que atingiu o status de cult com Hereditário (2018) – Midsommar: O Mal Não Espera a Noite gerou expectativa ao apresentar um trailer abstrato e repleto de simbolismos. O filme recém-lançado, no entanto, deixa a desejar por conta de alguns problemas apresentados, especialmente no que se refere à lentidão da narrativa. A história gira em torno do casal Dani (Florence Pugh) e Christian (Jack Reynor), que não vê hora de terminar o relacionamento com sua namorada por considerá-la muito dependente. No entanto, quando uma tragédia familiar deixa Dani sem perspectivas, Christian a convida para uma viagem à Suécia, para uma pequena comunidade que vive isolada da sociedade. Acompanhado pelos amigos de Christian, o casal parte para a aldeia, que é conhecida por ter um estilo de vida próprio e vários rituais, como o Midsommar. A princípio, tudo parece divertido e aconchegante, mas conforme os dias passam, o grupo de amigos percebe que está em uma comunidade assustadora e repleta de segredos. O ponto alto do filme é que ele não apresenta um suspense clichê. Ao invés de noites assustadoras, pouca luz e personagens tipicamente sinistros, o filme demonstra que o mal pode estar em pessoas sorridentes, vestidas de branco, com flores na cabeça e em comunhão com a natureza. Outro aspecto positivo é acompanhar o quanto os personagens centrais vão se modificando ao longo da história, seja por influência do local ou por traumas mal resolvidos. Entretanto, a narrativa arrastada prejudica muitos aspectos que poderiam ser mais bem desenvolvidos. Durante boa parte do longa-metragem, por exemplo, são apresentados diversos elementos que poderiam fazer do filme uma obra tão rica em simbolismos quanto Mãe (Darren Aronofsky), que inclusive tem uma fotografia bem parecida com a de Midsommar: O Mal Não Espera a Noite. De forma geral, o novo filme de Ari Aster tinha tudo para ser reflexivo, provocador e nada convencional. Mas na prática, acabou se tornando decepcionante e arrastado, mesmo que tenha seu mérito por ser corajoso e experimental.

No mais...